Excesso de atores querendo participar de novela bíblica gera tumulto e indignação na Record

71

A Rede Record iniciou recentemente a seleção de atores para sua nova novela, intitulada “Os Dez Mandamentos”, que foi anunciada no lançamento da programação de 2014 da emissora. Porém, o teste de elenco da produção causou tumulto e indignação entre os artistas, que estão acusando a emissora de propaganda enganosa.

De acordo com o site Noticias da TV, cerca de cem pessoas apareceram para os testes da novela bíblica, atraídas por anúncios veiculados através de agências e escolas de interpretação, demanda que superou a expectativa da Record. A informação é de que a emissora dispensou a maioria dos artistas sem dar qualquer justificativa, o que indignou as pessoas que decoraram o texto e se dirigiram até o local dos testes.

Os atores afirmam que se sentiram desrespeitados pela atitude da Record e relatam que muitos ficaram horas esperando para realizar o teste, e não conseguiram sequer entrar na recepção da emissora na Barra Funda (zona oeste da capital paulista) para obter informações.

Segundo a jornalista Márcia Pereira, do UOL, um ator que conseguiu fazer o teste para a novela bíblica relatou que os colegas foram desrespeitados, e que as informações que obteve foram de que quem quiser fazer o teste final para o elenco da novela bíblica terá de ir até o Rio de Janeiro. O ator afirma que só conseguiu fazer o teste para “Os Dez Mandamentos” porque já tinha cadastro na Rede Record.


Apesar de a novela “Os Dez Mandamentos” ter sido anunciada para a programação da emissora em 2014, ela só deve entrar no ar no próximo ano devido a vários problemas da emissora, entre eles a falta de elenco. Em fase de cortes, a emissora elaborou uma lista com 80 nomes de atores que não terão seus contratos renovados, entre eles o ator Leonardo Brício, que estava escalado para a novela.


71 COMENTÁRIOS

    • MARA ELIZA
      Lembre que eles chamaram agencias , para mandar gente para testes, o numero de pessoas superou as expectativas, logo a seleção será demorada, a formação do elenco, sera mais difícil é só isto

  1. È uma pena a Record acabar com a teledramaturgia.Com essa atitude quem ganha é a REDE GLOBO, que cada ver mais fica mais poderosa. É que ela sabe produzir novelas como
    ninguém ,não tem medo de gastar e tem retorno.Tem novela das 10 horas que rende quase
    um bilhão e meio de lucros ( Avenida Brasil foi uma delas).

  2. A VERDADE QUE STARDUST NÃO QUER QUE VC. CONHEÇA.
    Um estudo realizado nos Estados Unidos pelo State of the Plate, apontou que as pessoas que os dizimistas têm um maior controle de sua vida financeira do que as pessoas que não adotam a prática. O objetivo do estudo foi lançar um olhar mais atento sobre as práticas financeiras, espirituais e práticas de doação de pessoas que dão 10 por cento ou mais do seu rendimento para igrejas e instituições de caridade a cada ano.

    Os resultados foram classificados como ‘sem precedentes’ por seus organizadores, que compararam dizimistas com não-dizimistas através de nove indicadores de saúde financeira, descobrindo que os dizimistas apresentavam resultados melhores em cada uma das categorias.

    Entre os indicadores medidos pelo estudo, foi constatado que entre os dizimistas 80 por cento não têm contas de cartão de crédito não pagos, 74 por cento não devem nada em seus carros, 48 por cento possuem sua casa própria e 28 por cento estão livre da dívida.

    – O estranho é, um dizimista olha para aquilo e diz para si mesmo: ‘Bem, eu estou melhor porque eu dou.’ O não-dizimista olha para aquilo e diz, ‘Oh, eles dão porque estão melhores”, disse Brian Kluth, responsável pelo estudo.

    – Nunca antes este grupo foi estudado, e acho que para cada pastor e líder da igreja e líder eclesiásticos seria útil se eles entendem isso – afirmou Kluth ao The Christian Post.

    – Estamos no meio de um declínio de 40 anos no percentual que os cristãos dão, e precisamos ver um movimento de generosidade nos Estados Unidos, que os cristãos abracem novamente a generosidade como um valor espiritual, mas não por causa do orçamento igreja, mas por causa da Bíblia. As igrejas tornaram o dar em torno do orçamento, e não se trata de orçamento, se trata da Bíblia. – completou.

    A pesquisa, que foi conduzida pela “Generosidade Máxima”, entidade fundada por Kluth, e co-patrocinada por ECFA, Christianity Today and Evangelical Christian Credit Union, gerou um relatório completo de 27 páginas, intitulado “20 Verdades sobre dizimistas”, que mostrou também que entre os cristãos que não dizimam e têm dificuldade em dar, 38 por cento dizem que é porque eles não podem pagar, 33 por cento dizem que tem muita dívida e 18 por cento dizem que o seu cônjuge não concorda com o dízimo.

    Outro dado levantado pelo estudo foi que 70 por cento fazem suas doações com base em sua renda bruta ao invés de seus rendimentos líquidos, e 77 por cento dão mais do que os 10 por cento tradicional.

  3. A VERDADE OCULTA DO STARDUST E SUA OBEDIENCIA, NÃO AO DÍZIMO DE 10% SAGRADOS E REGISTRADOS NAS ESCRITURAS, MAS 30% INCITADOS POR VALDEMIRO E FALA CLARAMENTE QUE O APÓSTOLO QUE NÃO PAGA AS CONTAS MESMO ROUBANDO O POVO FAZ ESTREMECER OS INFERNOS DE ALEGRIA.


    Assine o Canal
      • Abraão deu o DÍZIMO, será que vc não está pregando heresia? Cuidado com o que vc fala, se não tem conhecimento fica quieto para não induzir no erro quem vc não conhecer. Se dar DÍZIMO é errado, tenha certeza que Deus revelará.

        • Abraão também fez a circuncisão, será que vc não está coando mosquito e engolindo camelo?

          Dizimos as igrejas evangélicas pregam, mas a circuncisão falam que não é para nossos dias… contradição não é? pega o que interessa, distorce, transforma em fonte de lucro e o que não interessa se esconde.

          dízimo, a maior mentira da religião evangélica.

          • Stardust, quem disse que a circuncisão não é para os nossos dias ?

            A circuncisão não é meramente exterior, deve ser feita interiormente, no coração (Romanos 2:29), isto é, se despojar das práticas carnais.

            “Nele também vocês foram circuncidados, não com uma circuncisão feita por mãos humanas, mas com a circuncisão feita por Cristo, que é o despojar do corpo da carne. Isso aconteceu quando vocês foram sepultados com ele no batismo, e com ele foram ressuscitados mediante a fé no poder de Deus que o ressuscitou dentre os mortos.” Colossenses 2:11-12

          • jeann

            A circuncisão a que me refiro é a mesma que abraão fez. No cristianismo o batismo substituiu a circuncisão, isso eu já sabia.

          • A circuncisão de Abraão na carne era um sinal da Aliança feita entre Abraão e Deus, que Deus faria uma grande nação dos descendentes de Abraão (não descendentes carnais, mas espirituais).

            E através do batismo no nome de Jesus, nós somos circuncidados, não na carne mas pelo arrependimento e despojar do corpo da carne, quando fomos sepultados no batismo com Cristo.

            Esta aliança feita com Abraão, é feito em âmbito espiritual e não carnal, isto é, é para nós também.

            “E, se sois de Cristo, então sois descendência de Abraão, e herdeiros conforme a promessa” Gálatas 3:29

          • jeann

            Nós cristãos fazemos o batismo, não a circuncisão. A comparação do batismo com a circuncisão é apenas uma alegoria, uma simbologia.

            Se devemos dar dízimo do mesmo modo como abraão deu, devemos nos circuncidar do mesmo modo como abraão fez.

          • Nós cristãos fazemos a circuncisão, no batismo.

            “Nele também vocês FORAM CIRCUNCIDADOS, não com uma circuncisão feita por mãos humanas, mas com a circuncisão feita por Cristo, que é o despojar do corpo da carne. ISSO ACONTECEU QUANDO VOCÊS FORAM SEPULTADOS COM ELE NO BATISMO, e com ele foram ressuscitados mediante a fé no poder de Deus que o ressuscitou dentre os mortos.” Colossenses 2:11-12

          • jeann

            Vc está fugindo da pergunta como sempre… me refiro a circuncisão original, a que abraão fez e não a do batismo…

            Se o dízimo pode ser dado em dinheiro porque abraão fez assim, então a circuncisão pode sim ser feita na carne…

            Mas a religião evangélica só pega o que dá lucro…$$$$

          • Stardust,
            A circuncisão “original” na carne a que vc se refere não tem valor algum para Cristo, nem a de Abraão teve.
            Abraão apenas a recebeu como sinal, como selo da justiça que ele tinha pela fé, QUANTO AINDA NÃO FORA CIRCUNCIDADO.

            “Já dissemos que, no caso de Abraão, a fé lhe foi creditada como justiça. Sob quais circunstâncias? Antes ou depois de ter sido circuncidado? Não foi depois, mas antes! Assim ele recebeu a circuncisão como sinal, como selo da justiça que ele tinha pela fé, quando ainda não fora circuncidado. Portanto, ele é o pai de todos os que crêem, sem terem sido circuncidados, a fim de que a justiça fosse creditada também a eles; e é igualmente o pai dos circuncisos que não somente são circuncisos, mas também andam nos passos da fé que teve nosso pai Abraão antes de passar pela circuncisão. Não foi mediante a lei que Abraão e a sua descendência receberam a promessa de que ele seria o herdeiro do mundo, mas mediante a justiça que vem da fé.”

            Romanos 4:9-13

          • Então o dízimo dos despojos que abraão fez também não tem nenhum valor para Cristo, e portanto não deve ser usado como exemplo para nós.

            É isso?

          • Deus é dono da prata e do ouro, realmente a respeito de $$$ não tem valor “carnal” para Ele.
            Tudo vem dEle e do que é dEle devolvemos a Ele.

            “Porque quem sou eu, e quem é o meu povo, para que pudéssemos oferecer voluntariamente coisas semelhantes? Porque tudo vem de Ti, e do que é teu to damos” 1 Crônicas 29:14

            Mas espiritualmente falando tanto a circuncisão quanto o dízimo há sim valor pra Deus, como Paulo fala em 2Co 9:7 “Deus ama ao que dá com alegria”.

          • Jeann

            Se Deus ama ao que dá com alegria, porque a sua religião ensina que o dízimo é obrigatório e que quem não dá não será salvo e ainda por cima vitima do devorador?

          • stardust,

            Quem ama o próximo não vê a questão de ajudar o próximo como uma “obrigação”. É apenas questão de obediência a palavra de Deus.

            “Se alguém tiver recursos materiais e, vendo seu irmão em necessidade, não se compadecer dele, como pode permanecer nele o amor de Deus?” 1 João 3:17

            Quando Jesus disse ao jovem rico vender tudo para depois segui-lo não estava “obrigando” ele a dar tudo, mas sim por causa do amor dele ao dinheiro, é a respeito de desprendimento material.

            Quem ajuda o próximo não ajuda por obrigatoriedade, mas por amá-lo.

          • JEAN
            Não somente como um selo, mas também, como meramente higiene, assim como o lavar varias vezes as mãos e as louças onde se comia, não era por estetica mas por higiene, bem como o comer carne de porco, naquela época animal que transmitia muitas doenças, dai a proibição.

          • ah, tá clamando… a carne de porco só transmitia doença naquela época… hehehe…

            comedor de dízimo. lobo devorador.

          • STARDUST
            A pergunta que não quer calar, agora que o JEAN esta aqui porque vc. não pede para eles postar, porque tem tanto ódio do clamando, e porque vc. usa tantos nicks, seja homem e peça para ele postar teus imail.

          • stardust,

            Os apóstolos também elegeram alguns irmãos entre eles para fazer a distribuição de alimentos, um deles foi Estevão. Cada parte do corpo de Cristo tem o dom para alguma coisa, eles não queriam negligenciar o ministério da palavra para servir as mesas.

            “Por isso os Doze reuniram todos os discípulos e disseram: “Não é certo negligenciarmos o ministério da palavra de Deus, a fim de servir às mesas. Irmãos, escolham entre vocês sete homens de bom testemunho, cheios do Espírito e de sabedoria. Passaremos a eles essa tarefa e nos dedicaremos à oração e ao ministério da palavra” Atos 6:2-4

            De semelhante modo nós também fazemos.

          • stardust, respondo de novo:

            Os apóstolos também elegeram alguns irmãos entre eles para fazer a distribuição de alimentos, um deles foi Estevão. Cada parte do corpo de Cristo tem o dom para alguma coisa, eles não queriam negligenciar o ministério da palavra para servir as mesas.

            “Por isso os Doze reuniram todos os discípulos e disseram: “Não é certo negligenciarmos o ministério da palavra de Deus, a fim de servir às mesas. Irmãos, escolham entre vocês sete homens de bom testemunho, cheios do Espírito e de sabedoria. Passaremos a eles essa tarefa e nos dedicaremos à oração e ao ministério da palavra” Atos 6:2-4

            De semelhante modo nós também fazemos.

          • jeann

            Vc pode me indicar uma denominação evangélica que pega o dízimo que recebe e distribui com os necessitados de dentro e fora da denominação?

          • STARDUST
            Vc. pode me indicar uma igreja onde as pessoas vendem tudo o que tem e depois depositam aos pés dos apóstolos, ou como diz Pedro aos presbíteros que nem eu.

          • clamando

            Na sua denominação: a iurd. Vc sabe muito bem disso. Só que lá só é igual até a parte de dar… na hora de distribuir, vcs dizem que isso foi naquela época e hoje não é mais necessário.

            E aproveitando: Vc pode nos mostrar na bíblia aonde jacó deu dízimo ao anjo, conforme vc defende?

          • stardust, a maioria faz isto, inclusive aqui no G+ saiu uma reportagem um tempo atrás.

            “Igreja aplica dízimos e ofertas na construção de casas para fiéis que não tem onde morar”

          • jeann

            A maioria faz isso??? de o nome de algumas pra gente ver se confere…

            E sobre essa do pastor que faz casa, eu lembro sim, é um exceção. a maioria das denominações evangélicas tomam para si os dízimos.

            lembrando que dízimo não é mandamento cristão.

          • A VERDADE OCULTA DO STARDUST E SUA OBEDIENCIA, NÃO AO DÍZIMO DE 10% SAGRADOS E REGISTRADOS NAS ESCRITURAS, MAS 30% INCITADOS POR VALDEMIRO E FALA CLARAMENTE QUE O APÓSTOLO QUE NÃO PAGA AS CONTAS MESMO ROUBANDO O POVO FAZ ESTREMECER OS INFERNOS DE ALEGRIA.


            Assine o Canal
          • stardust:
            “lembrando que dízimo não é mandamento cristão”

            Nós devemos dar com amor, não por obrigação, lembra ?

            “Se alguém tiver recursos materiais e, vendo seu irmão em necessidade, não se compadecer dele, como pode permanecer nele o amor de Deus?” 1 João 3:17

          • POEIRINHA
            Porque não respondeu o questionamento, sempre que te apertas e não tens argumentos foca na iurd e atira, que tenho eu com a iurd , que tenho eu com o clamando, seja homem e responda já vendeu tudfo o que tinha e entregou aos apóstolos os presbíteros?.

          • clamando

            aonde tem apóstolo hoje em dia para se fazer isso? E aonde tem um presbítero que realmente vai distribuir com quem precisa, ao invés de tomar parte, ou tudo para si?

            E a propósito, já vendeu o barco??? no lago de fogo ele não vai funcionar, viu?

          • STARDUSTPAIDAMENTIRA
            Bem sabe onde estão os apóstolos e a resposta para tua pergunta, mas bem ai posto pois talvez saia a resposta da pergunta.
            Suplico, portanto, aos presbíteros que há entre vós, eu que sou também presbítero como eles, testemunha ocular dos sofrimentos de Cristo e, certamente, co-participante da glória que há de ser plenamente revelada: 2pastoreai o rebanho de Deus que está sob vosso cuidado, não por constrangimento, mas voluntariamente

          • clamando

            os apóstolos estão na bíblia somente. Presbíteros são para nossos dias, mas dificil é achar algum que seja chamado ao ministério pastoral por Deus, e não pelos homens como a maioria que vemos aí.

  4. tambem esse povo que quer trabalhar com artes dramatica e cenicas devem ter o pé no chão,em relação a este campo.Atualmente não esta sendo como há 30 anos atraz que havia muita vaga em peças teatrais, dramas e cinema documentarios enfim,hoje não se é mais como fernanda montenegro, Tonia carrero,vera ficher, tarcisio ou gloria menezes.que eram e são a fina flor das artes cenicas e tudo…hoje só há apelo sexual,homens e mulheres atuando como homossex, meretrizes,são poucos papeis que ha personagens abordando valores para nossa sociedade atual!

  5. “Bandido invade Igreja Universal e assalta 15 pessoas em Campo Grande

    Por volta das 11h deste domingo (15), um homem armado fez arrastão na Igreja Universal do Reino de Deus, na Vila Progresso, em Campo Grande.

    De acordo com o boletim de ocorrência, ele foi até a cozinha, mostrou que estava com uma pistola e mandou as vítimas, cerca de 15 pessoas, colocarem os pertences dentro de uma mochila. O ladrão ordenou que todos permanecessem dentro da igreja, caso contrário, ele iria atirar.”

    FONTE: correio do estado (15/06/2014)

    Essa noticia é mais que suficiente para comprovar a contradição do falso ensino do dízimo na religião evangélica… diz-se que quem dá dízimo lá, repreende o devorador, e fica rico, “bençãos sem medida”, mas um ladrão (devorador) assaltou 15 membros (dizimistas) em plena iurd (a “ca$a do te$ouro”).

    Até agora nenhum defensor de dízimo respondeu essa contradição, preferem fugir do assunto…

    • Stardust

      Porque vi você discutindo sobre circuncisão com o Jeann.
      E vi você falando sobre que a circuncisão hoje é o batismo nas águas.
      Poderia responder ou não?
      Visto que o fato de ser batizado não,quer dizer que pertença hoje a igreja que foi batizado.
      Abço.

      • Eduardo

        Na verdade volta e meia o evangélico jeann tenta me contradizer aqui. Sobre falar que batismo é a circuncisão de hoje, não fui eu que trouxe essa informação, e sim ele, apesar de eu concordar com ele.

        Não frequento mais aonde realizei o batismo. Aceitei Jesus, mas não as mentiras deles.

        • que coisa quer dizer que o batismo de quem conta mentiras é valido?
          Então você foi batizado por quem conta mentiras, e cre que seu batismo é verdadeiro?

          COMO É HERÉTICO

          • Eduardo

            Não é só a iurd que mente. É por ela ser a mais descarada, então chama mais a atenção, mas é notório que diversos segmentos evangélicos distorcem a bíblia para seus intentos pessoais.

          • Não adianta insistir o pai da mentira nunca que vai confessar, que foi batizado e conheceu a Jesus exatamente por gente que ele chama de ladrões, nunca ele vai confessar que por causa de dízimistas é que não só ele ,mais o brasil conheceu e conhece o evangelho, que se não fosse por estes que ele chama de ladrões, o brasil ainda seria escrava da maria.

          • clamando

            Eu conheci o evangelho lendo a bíblia. Conheci o reino de Deus somente fora da iurd. Como vou agradecer a quem me enganou por quase um ano?

            Saiba que antes de frequentar a iurd eu já tinha frequentado outras denominações evangélicas.

  6. A claquete de filmagens da record funciona assim… ” Engana AÇÃO”. KKKKK Oitenta pessoas serão dispensadas, é prática notória e corriqueira dos estúdios universal.

  7. Apenas, para ver se podemos abrir a mente dos incautos, pelo menos levantar uma duvida sobre as heresias que aqui, pregam e satanizam a obra de deus, no intuito de reforçar a fé daqueles, que uma vez iluminados , se tornaram participantes, do ESPIRITO SANTO, E SENTIRAM AS COISAS QUE PROVEM DO CÉU. Posto para ajudar os perdidos stardust e sua legião que orbita em volta da estrela caída, nunca é tarde.
    Há quem já estudou a Teologia Bíblica, e como resultado, deixou de Pagar o Dízimo em sua Comum (Congregação/Igreja local). Alguns, chegaram até a desestimular a prática do Dízimo na vida daqueles que fielmente dizimam; até escreveram artigos ou livros (opúsculos) para DEFENDER O NÃO PAGAMENTO DO DÍZIMO. O resulto: confusão, dor de cabeça para pastores, avareza (que é um tipo terrível de idolatria) estimulada, etc. Portanto, como se Deve Defender a Legítima Prática do Dízimo? Visto que tais proponentes tem dito que o Dízimo foi ABOLIDO como obra da Lei de Moisés? Bem, vamos então desconstruir tal argumento usando a mesma Teologia Bíblica mal interpretada por estes.

    Em primeiro lugar, o argumento usado pelos Apologistas (defensores do não-pagamento do Dízimo) é legítimo até certo ponto: eles dizem que o Dízimo foi instituído como Lei por Deus através de Moisés sobre o Povo de Israel, portanto, para o judeu circuncidado e membro do antigo pacto feito no Sinai, o pagamento do Dízimo era compulsório e obrigatório sob pena de castigo e maldição, como está bem claro em Malaquias três (Último livro do Antigo Pacto)… Estes mesmos proponentes, afirmam também com exatidão que nem Jesus e nem seus Apóstolos em Todo o Novo Testamento obrigou e obriga a Igreja (os cristãos) a pagarem o Dízimo. Outrossim, citam vários textos do Novo Pacto para dizer que a Lei, e muitas coisas relacionadas a ela: como o Dízimo, os sacerdotes, os levitas, o templo físico de Jerusalém, as festas e os dias judaicos. Foram abolidos (cancelados/cumpridos) em Cristo Jesus… E, continuam em suas conclusões: todo este “blá, blá, blá” dos pastores quanto ao pagamento do Dízimo é infundado e desnecessário.

    Em segundo lugar, há muitos escândalos hoje nas Igrejas, no que diz respeito à administração das suas finanças, no qual têm entristecido e desanimado muitos cristãos quanto à continuidade da prática do Dízimo e até das Ofertas em geral.

    E aí? O que devemos fazer? Como reagir a esta situação? Pagar ou não Pagar? Ofertar ou não ofertar? Bem, não se pode Negar que o próprio Jesus e seus Apóstolos eram sustentados por DOAÇÕES, ou seja, eles recebiam ofertas dos que iam entrando no Reino de Deus (Lucas 8.2,3; João12.6; 1Coríntios 9.9-12)… Por outro lado, tanto Jesus e seus Apóstolos nasceram, cresceram e viveram dentro da cultura judaica (no Judaísmo: a religião dos judeus). E isto significa que desde pequenos, eles já haviam aprendido o hábito e a CULTURA do dizimar e de oferta (em forma de sacrifícios) na Casa de Deus: o templo de Jerusalém. Pergunto? Se Jesus sabia que o Dízimo, por exemplo, seria alguns dias mais tarde abolido com sua obra, por que ele não deu diretrizes para seus discípulos? Pois se ele não exigiu o Dízimo de sua Igreja, e nem assim seus discípulos-apóstolos, ELES também não proibiram a sua prática. Portanto, não se constrói uma Doutrina ( a abolição do Dízimo) no silêncio das Escrituras do Novo Testamento, ainda que por inferência.

    Contudo, é completamente legítimo a prática do Dízimo. E sua legitimidade não está alicerçada no argumento do silêncio como está o argumento dos defensores da não-prática. Como assim? Quer dizer que há base Bíblica no Novo Testamento para a prática do Dízimo? Sim! E não só no NT, mas também no próprio AT, e melhor, fora dos ditames da Lei de Moisés! Vejamos:

    E os que dentre os filhos descendentes de Levi receberam o sacerdócio têm ORDEM, com base na Lei de Moisés, para tomar de seus irmãos, o povo de Israel, o Dízimo, ainda que eles tenham saído dos lombos de Abraão. Mas, Melquisedeque, cuja genealogia não foi contada entre os sacerdotes levitas, tomou o dízimo de Abraão, e abençoou o que tinha as promessas… Neste mundo, pois, tomam dízimos homens que morrem; mas Melquisedeque, tomou o dízimo de Abraão, porém, não temos o relato de sua morte. Isto quer dizer que ele Vive! E assim, por meio de Abraão, até os descendentes de Levi, que recebe dízimos do povo, pagou também o dízimo a Melquisedeque! (Hebreus 7.4-9).

    Eis aí a Base Bíblica neotestamentária para a atual prática do dízimo. Pois quando o cristão Abraão pagou o Dízimo ao sacerdote Melquisedeque (Gênesis 14.20), ele o fez quando ainda não havida sido instituído a Lei de Moisés, ou seja, antes do Dízimo se tornar uma prática obrigatória. E segundo a exegese (interpretação) do escritor aos Hebreus, até os sacerdotes Levitas pagaram o Dízimo através de Abraão. Pois bem, se nosso pai na fé (Abraão), e até os sacerdotes da tribo de Levi que deveriam cobrar o Dízimo, pagaram o Dízimo voluntariamente, como Jesus pagou voluntariamente o imposto do Templo de Jerusalém e apoio o imposto devido à César…, sabendo ainda que não há nenhum texto em toda a Bíblia que proíba a prática do Dízimo, porquê então você (ou eu) não DEVEMOS pagar o dízimo? Porque somos MELHORES do que eles? Pense nisso!

    • O CLAMANDO, DESESPERADO PELO POVO ESTAR CONHECENDO A FARSA QUE É O DÍZIMO ENSINADO E EXIGIDO PELA RELIGIÃO EVANGÉLICA, ESTÁ COM MEDO DE TER QUE TRABALHAR…

      AGORA, PARA TRISTEZA E REVOLTA DELE, VAMOS POR EM PERSPECTIVA OS PRINCIPAIS PONTOS DO SEU HERÉTICO TEXTO EM FAVOR DESSA PRÁTICA ABUSIVA QUE É O DÍZIMO:

      _________________________________________________________________________

      1 – clamando diz: “Se Jesus sabia que o Dízimo, por exemplo, seria alguns dias mais tarde abolido com sua obra, por que ele não deu diretrizes para seus discípulos? Pois se ele não exigiu o Dízimo de sua Igreja, e nem assim seus discípulos-apóstolos, ELES também não proibiram a sua prática. Portanto, não se constrói uma Doutrina ( a abolição do Dízimo) no silêncio das Escrituras do Novo Testamento, ainda que por inferência.”

      resposta: Se Jesus não aboliu o dízimo alguns dias antes de Seu sacrifício, então porque Ele não aboliu a circuncisão alguns dias antes também??? Só por essa pergunta, o argumento do texto copiado do clamando já fica ineficaz. Jesus não falou contra o dízimo, pois enquanto Ele vivia fisicamente entre nós, estava debaixo da lei de moisés (gálatas 4:4) e tinha de cumpri-la, pois veio para cumpri-la. (mateus 5:17). O dízimo era mandamento da lei de moisés e Jesus não poderia ser contra o dízimo enquanto não fizesse o Sacrifício na Cruz… da mesma forma Jesus não aboliu a circuncisão, não aboliu o sábado enquanto o Seu sacrifício ainda não havia sido realizado na cruz para abolir toda a lei de moisés:

      ” tendo cancelado o escrito de dívida, que era contra nós e que constava de ordenanças, o qual nos era prejudicial, removeu-o inteiramente, encravando-o na cruz;” (colossenses 2:14)

      “Porque o fim da lei é Cristo, para justiça de todo aquele que crê.” (Romanos 10:4)

      E sobre a alegação de que “não se constrói uma Doutrina ( a abolição do Dízimo) no silêncio das Escrituras do Novo Testamento, ainda que por inferência.”

      Curioso que o apóstolo Paulo diz categoricamente que: “Vocês sabem que não deixei de pregar a vocês nada que fosse proveitoso, mas ensinei tudo publicamente e de casa em casa…Portanto, eu declaro hoje que estou inocente do sangue de todos. Pois não deixei de proclamar a vocês toda a vontade de Deus.” (atos 20:20 e 26-27)

      Se Paulo afirma que tudo que era proveitoso, e toda a vontade de Deus ele, Paulo havia ensinado, e que por isso estava inocente do sangue de todos, porque ele jamais menciona o dízimo em suas epístolas? claramente vemos que o dízimo portanto não tem nada a ver com o mandamento de Deus para os Cristãos.

      _________________________________________________________________________

      2 – clamando diz: “Quer dizer que há base Bíblica no Novo Testamento para a prática do Dízimo? Sim! E não só no NT, mas também no próprio AT, e melhor, fora dos ditames da Lei de Moisés! Vejamos:E os que dentre os filhos descendentes de Levi receberam o sacerdócio têm ORDEM, com base na Lei de Moisés, para tomar de seus irmãos, o povo de Israel, o Dízimo, ainda que eles tenham saído dos lombos de Abraão. Mas, Melquisedeque, cuja genealogia não foi contada entre os sacerdotes levitas, tomou o dízimo de Abraão, e abençoou o que tinha as promessas… Neste mundo, pois, tomam dízimos homens que morrem; mas Melquisedeque, tomou o dízimo de Abraão, porém, não temos o relato de sua morte. Isto quer dizer que ele Vive! E assim, por meio de Abraão, até os descendentes de Levi, que recebe dízimos do povo, pagou também o dízimo a Melquisedeque! (Hebreus 7.4-9).”

      resposta: Em primeiro lugar, cabe uma observação que passa despercebido a imensa maioria dos leigos evangélicos… no novo testamento, realmente o unico lugar que há menção de dízimo é na epístolas aos hebreus… nenhum outro livro do novo testamento trata desse assunto, de atos até apocalipse, a não ser a epístola de hebreus…

      E porque somente a epístola de hebreus no novo testamento menciona o dízimo? porque somente os hebreus (judeus), tinham o mandamento de dizimar… o autor das demais epístolas jamais menciona o assunto dízimo porque os habitantes dessas localidades não eram judeus em sua maioria (romanos, tessalonissenses, efésios, coríntios, filipenses etc… ) e não tinham o hábito de dar o dízimo de suas colheitas e animais. Se o dízimo fosse mandamento cristão, porque nessas demais epístolas Paulo e demais apóstolos nunca mencionam sequer o dízimo? o que prova que dízimo não tem nada a ver com mandamento do cristianismo.

      Retornando agora especificamente ao livro de hebreus, que foi uma epístola endereçada diretamente aos judeus, há a menção de dízimo no capítulo 7, mas trata-se apenas de uma menção, e não ordenança de que se de dízimo. Infelizmente, os que querem fundamentar a heresia de dízimo no novo testamento pegam somente o versículo de hebreus 7:8, ou quando muito utilizam hebreus 7 do versículo 4 ao 9… (caso do clamando), mas porque os defensores de dízimo não convidam os incautos a lerem TODO O CAPITULO 7 DE HEBREUS? vamos agora reproduzir os textos omitidos, a partir do versículo 10:

      “Porque aquele ainda não tinha sido gerado por seu pai, quando Melquisedeque saiu ao encontro deste.Se, portanto, a perfeição houvera sido mediante o sacerdócio levítico (pois nele baseado o povo recebeu a lei), que necessidade haveria ainda de que se levantasse outro sacerdote, segundo a ordem de Melquisedeque, e que não fosse contado segundo a ordem de Arão?Pois, quando se muda o sacerdócio, necessariamente há também mudança de lei.Porque aquele de quem são ditas estas coisas pertence a outra tribo, da qual ninguém prestou serviço ao altar;pois é evidente que nosso Senhor procedeu de Judá, tribo à qual Moisés nunca atribuiu sacerdotes.E isto é ainda muito mais evidente, quando, à semelhança de Melquisedeque, se levanta outro sacerdote,constituído não conforme a lei de mandamento carnal, mas segundo o poder de vida indissolúvel.Porquanto se testifica: Tu és sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque.Portanto, por um lado, se revoga a anterior ordenança, por causa de sua fraqueza e inutilidade” (hebreus 7:10-18)

      E porque os defensores de dízimo no NT só querem que vc leia até o versículo 9 de hebreus 7? porque quando continuamos a leitura vemos que o dízimo, assim como toda a lei de moisés foi abolida, pois o sacerdócio de Cristo é superior ao dos sacerdotes levitas, que sobreviviam dos dízimos, que sempre foram alimentos, e não dinheiro. Jesus não precisa de alimentos físicos, e o alimento dos levitas era o dízimo.

      _________________________________________________________________________

      3 – clamando diz: “Pois quando o cristão Abraão pagou o Dízimo ao sacerdote Melquisedeque (Gênesis 14.20), ele o fez quando ainda não havida sido instituído a Lei de Moisés, ou seja, antes do Dízimo se tornar uma prática obrigatória.”

      Resposta: Não há nenhuma referencia bíblica para afirmar que Abraão era Cristão, visto Jesus Cristo só ter sido revelado a humanidade centenas de anos mais tarde. Abraão não era seguidor de Cristo, para ser classificado como cristão como o clamando quer fazer parecer, distorcendo as escrituras. Essa é apenas mais uma de suas mentiras, da mesma forma quando disse que jacó deu dízimo a um anjo, mas até hoje não conseguiu mostrar isso na bíblia.

      outra coisa que é necessário deixar claro… abraão não era esse “dizimista fiel” que tentam fazer parecer… Abraão deu a décima parte apenas dos despojos que tomou na guerra contra os reis (genesis 14:20) e não de toda a sua riqueza anteriormente acumulada (genesis 13:2)

      “Considerai, pois, como era grande esse a quem Abraão, o patriarca, pagou o dízimo tirado dos melhores despojos.” (hebreus 7:4)

      portanto, biblicamente comprovado que Abraão não dizimou de sua riqueza pessoal como os que deturpam as escrituras com essa mentira do dízimo para cristãos, e sim somente do que tomou na guerra que venceu.

      E sobre dízimo ser anterior a lei por causa de abraão é necessário lembrar que a circuncisão também é anterior a lei de moisés, e ainda por cima, era obrigatória e foi praticada por abraão:

      “”De sua parte”, disse Deus a Abraão, “guarde a minha ali­ança, tanto você como os seus futuros descendentes.Es­ta é a minha alian­ça com você e com os seus descendentes, aliança que terá que ser guardada: Todos os do sexo masculino entre vocês serão circun­cidados na carne.” (genesis 17:9-10)

      Agora fica evidente mais uma contradição evangélica… Anteriormente a lei de moisés Abraão deu dízimo tirado dos despojos por livre vontade, e por isso a religião evangélica diz que o dízimo é obrigatório, mas a circuncisão que Abraão fez antes da lei de moisés e era obrigatória, ordenada por Deus, por outro lado, a religião evangélica diz que não precisa ser observada…

      Contradição… a gente vê na religião evangélica!

      _________________________________________________________________________

      4 – clamando diz: ” Jesus pagou voluntariamente o imposto do Templo de Jerusalém e apoio o imposto devido à César…”

      resposta: Gostaria de saber aonde na bíblia vc viu Jesus pagando imposto de templo de Jerusalém, pois não tenho conhecimento de tal fato. Jesus por outro lado, não ficou só no “apoio” ao imposto devido a césar como vc alega… Ele efetivamente pagou o imposto de césar, dando exemplo:

      “Tendo eles chegado a Cafarnaum, dirigiram-se a Pedro os que cobravam o imposto das duas dracmas e perguntaram: Não paga o vosso Mestre as duas dracmas?Sim, respondeu ele. Ao entrar Pedro em casa, Jesus se lhe antecipou, dizendo: Simão, que te parece? De quem cobram os reis da terra impostos ou tributo: dos seus filhos ou dos estranhos?Respondendo Pedro: Dos estranhos, Jesus lhe disse: Logo, estão isentos os filhos.Mas, para que não os escandalizemos, vai ao mar, lança o anzol, e o primeiro peixe que fisgar, tira-o; e, abrindo-lhe a boca, acharás um estáter. Toma-o e entrega-lhes por mim e por ti.” (mateus 17:24-27)

      _________________________________________________________________________

      5 – clamando diz: “sabendo ainda que não há nenhum texto em toda a Bíblia que proíba a prática do Dízimo, porquê então você (ou eu) não DEVEMOS pagar o dízimo? Porque somos MELHORES do que eles? Pense nisso!”

      resposta: realmente não há texto na bíblia que se proiba o pagamento de dízimo, mas aonde o dízimo é pago em dinheiro, visto o dízimo sempre estar relacionado a alimentos, e não em dinheiro, que já existia naquela época? essa é uma questão que já põe a farsa do dízimo em dinheiro em contradição, a segunda é que se não há proibição, da mesma forma não há obrigação, e ninguém perderá a salvação por não se submeter a esse ensino distorcido acerca do dízimo da lei de moisés.

      E aonde somos melhores dos que os que estavam debaixo da lei de moisés, que tinham por ordenança o pagamento do dízimo das colheitas e animais? pois na nova aliança em Cristo, somos superiores:

      “Em verdade vos digo: entre os nascidos de mulher, ninguém apareceu maior do que João Batista; mas o menor no reino dos céus é maior do que ele.” (mateus 11:11)

      Ou seja, mesmo joão batista, homem exemplar, mas que estava debaixo da velha aliança, é considerado menor do que o menor que está debaixo da nova aliança em Cristo, ou seja, nós cristãos.

      A nova aliança (novo testamento), é superior a velha, que exigia guarda dos sábados, o não consumo de carne de porco e pagamento dos dízimos das colheitas e animais, mas em Cristo Jesus não temos que observar os mandamentos da lei de moisés.

      pensei nisso, e conclui que as suas alegações clamando, não resistem a um exame mais atento das escrituras, sinto muito, mas cada vez mais pessoas estão descobrindo a verdade sobre a farsa do dízimo evangélico, e portanto, sugiro que vc comece a procurar um emprego, pois é biblico:

      “Porque, quando ainda convosco, vos ordenamos isto: se alguém não quer trabalhar, também não coma.” (2Tessalonicenses 3:10)

      biblicamente comprovado: “dízimo, a maior mentira da religião evangélica”

      • A doutrina do dízimo é inaceitável para aqueles que ainda não tiveram uma experiência pessoal com Jesus Cristo. Isto porque não foram ainda marcados pela consciência da causa de Deus nem pela prioridade do Seu Reino.
        No Novo Testamento a palavra DÍZIMO aparece 9 vezes e ligadas a duas situações:

        1) Mt 23.23 = Partindo dos lábios de Jesus em relação aos fariseus. Jesus aqui reafirma a necessidade do dízimo, ao mesmo tempo que denuncia sua prática como demonstração de piedade exterior (Lc 18.12) – “Jejuo duas vezes por semana e dou o dízimo de tudo quanto ganho.” Também Jesus denuncia a prática do dízimo como substituição de valores do Reino tais quais: justiça, misericórdia e fé (Lc 11.42).

        2) Hb 7. 1-10 = Eis as lições desse texto: a) O Pai da fé deu dízimo de tudo – v. 2; b) O pai da fé deu o dízimo do melhor – v. 4; c) A entrega dos dízimos se deu não por pressão da lei, uma vez que o povo israelita ainda não existia e, portanto, muito menos a lei judaica – v. 6; d) Hebreus nos faz perceber e reconhecer a superioridade do valor do dízimo que é dado a Cristo (imortal) em relação ao dado aos sacerdotes (mortais) – v. 8; e) O autor destaca que os que administram os dízimos também devem ser dizimistas – v. 9.
        Ser ou não ser dizimista é uma questão de acreditarmos na causa que abraçamos, na “pérola que encontramos.”
        Hoje muitos crentes não são fiéis a Deus na entrega dos dízimos. Para justificar esta atitude criam vários justificativas e desculpas. Se dependessem deles a igreja fecharia as portas. Não existiria templos, nem pastores, nem missionários, nem bíblias distribuídas, nem assistência social.
        Eis as justificativas clássicas dos não-dizimistas:

        I. JUSTIFICATIVA TEOLÓGICA
        Ah, eu não sou dizimista, porque DÍZIMO é da lei. E eu não estou debaixo da lei, mas sim da graça.
        Sim! O dízimo é da lei, é antes da lei e é depois da lei. Ele foi sancionado por Cristo. Se é a graça que domina a nossa vida, porque ficamos sempre aquém da lei? Será que a graça não nos motiva a ir além da lei?
        Veja: a lei dizia: Não matarás = EU PORÉM VOS DIGO AQUELE QUE ODIAR É RÉU DE JUÍZO
        a lei dizia: Não adulterarás = EU PORÉM VOS DIGO QUALQUER QUE OLHAR COM INTENÇÃO IMPURA…
        a lei dizia: Olho por olho, dente por dente = EU PORÉM VOS DIGO: SE ALGUÉM TE FERIR A FACE DIREITA, DÁ-LHE TAMBÉM A ESQUERDA.
        A graça vai além da lei: porque só nesta questão do dízimo, ela ficaria aquém da lei? Esta, portanto, é uma justificativa infundada.
        Mt 23.23 = justiça, misericórdia e fé também são da lei. Se você está desobrigado em relação ao dízimo por ser da lei, então você também está em relação a estas virtudes.

        II. JUSTIFICATIVA SENTIMENTAL
        Muitos dizem: A bíblia diz em II Co 9.7 “Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria” = espontânea e com alegria.
        Só que este texto não fala de dízimo e sim de oferta. Dízimo é dívida. Não pagar dízimo é roubar de Deus.
        Perguntamos também: O que estará acontecendo em nosso coração que não permite que não tenhamos alegria em dizimar? Em sustentar a Causa que abraçamos e defendemos?

        III. JUSTIFICATIVA FINANCEIRA
        “O que eu ganho não sobra ou mal dá para o meu sustento.
        1) O dízimo não é sobra = Dízimo é primícias. “Honra ao Senhor com as primícias da tua renda.” Deus não é Deus de sobras, de restos. Ele exige o primeiro e o melhor.
        2) Contribua conforme a tua renda para que a tua renda não seja conforme a tua contribuição = Deus é fiel. Ele jamais fez uma exigência que não pudéssemos cumprir. Ele disse que abriria as janelas dos céus e nos daria bênçãos sem medidas se fôssemos fiéis. Ele nos ordenou a fazer prova Dele nesta área. Ele promete abrir as janelas do céu! Ele promete repreender o devorador por nossa causa.
        3) Se não formos fiéis, Deus não deixa sobrar = Ageu diz que o infiel recebe salário e o coloca num saco furado. Vaza tudo. Foge entre os dedos. Quando somos infiéis fechamos as janelas dos céu com as nossas próprias mãos e espalhamos o devorador sobre os nossos próprios bens.

        IV. JUSTIFICATIVA ASSISTENCIAL
        “Prefiro dar meu dízimo aos pobres. Prefiro eu mesmo administrar meu dízimo.
        “ A Bíblia não nos autoriza a administrar por nossa conta os dízimos que são do Senhor. O dízimo não é nosso. Ele não nos pertence. Não temos o direito nem a permissão nem para retê-lo nem para administrá-lo.
        A ordem é: TRAZEI TODOS OS DÍZIMOS À CASA DO TESOURO PARA QUE HAJA MANTIMENTO NA MINHA CASA. A casa do Tesouro é a congregação onde assistimos e somos alimentados.
        Mas será que damos realmente os “nossos” dízimos aos pobres? Com que regularidade? Será uma boa atitude fazer caridade com a parte que não nos pertence?

        V. JUSTIFICATIVA POLÍTICA
        “Eu não entrego mais os meus dízimos, porque eles não estão sendo bem administrados.”
        Não cabe a nós determinar e administrar do nosso jeito o dízimo do Senhor que entregamos. Se os dízimos não estão sendo bem administrados, os administradores darão conta a Deus. Não cabe a nós julgá-los mas sim Deus é quem julga. Cabe a nós sermos fiéis.
        Não será também que esta atitude seja aquela do menino briguento, dono da bola, que a coloca debaixo do braço sempre que as coisas não ocorrem do seu jeito?
        Deus mandou que eu trouxesse os dízimos, mas não me nomeou fiscal do dízimo.

        VI. JUSTIFICATIVA MÍOPE
        “A igreja é rica e não precisa do meu dízimo.”
        Temos conhecimento das necessidades da igreja? Temos visão das possibilidades de investimento em prol do avanço da obra? Estamos com essa visão míope, estrábica, amarrando o avanço da obra de Deus, limitando a expansão do Evangelho?
        AINDA, não entregamos o dízimo para a igreja. O dízimo não é da igreja. É DO SENHOR. Entregamo-lo ao Deus que é dono de todo ouro e de toda prata. Ele é rico. Ele não precisa de nada, mas exige fidelidade. Essa desculpa é a máscara da infidelidade.

        VII. JUSTIFICATIVA CONTÁBIL
        “Não tenho salário fixo e não sei o quanto ganho.”
        Será que admitimos que somos maus administradores dos nossos recursos? Como sabemos se o nosso dinheiro dará para cobrir as despesas de casa no final do mês?
        Não sabendo o valor exato do salário, será que o nosso dízimo é maior ou menor do que a estimativa? Porque ficamos sempre aquém da estimativa? Será auto-proteção? Será desinteresse?

        VIII. JUSTIFICATIVA ECLESIOLÓGICA
        “Não sou membro da igreja”
        Acreditamos mesmo que os nossos deveres de cristãos iniciam-se com o Batismo e a Profissão de Fé ou com a inclusão do nosso nome num rol de membros?
        Não será incoerência defendermos que os privilégios começam quando aceitamos a Cristo: (o perdão, a vida eterna) e os deveres só depois que nos tornamos membros da igreja? Somos menos responsáveis pelo crescimento do Reino de Deus só porque não somos membros da igreja?

        CONCLUSÃO
        É hora de abandonarmos nossas evasivas. É hora de darmos um basta às nossas desculpas infundadas. É hora de pararmos de tentar enganar a nós mesmos e convencer a Deus com as nossas justificativas.
        É hora de sermos fiéis ao Deus fiel. É hora de sabermos que tudo é de Deus: nossa casa, nosso carro, nossas roupas, nossas jóias, nossos bens, nossa vida, nossa saúde, nossa família. TUDO É DELE. Somos apenas mordomos, administradores. Mordomos e não donos. Deus quer de nós obediência e não desculpas. Fidelidade e não evasivas.
        Que atitude vamos tomar? Nosso coração está onde está o nosso tesouro. Se buscarmos em primeiro lugar o Reino de Deus, não vamos ter problemas com o dízimo. Amém.

        • ATENÇÃO: DEVIDO A REPERCUSSÃO DO ESTUDO QUE DESMASCARA A FARSA DOS DÍZIMOS TER CAUSADO POLÊMICA E ATAQUES FEROZES DOS QUE SE RECUSAM A ACEITAR A VERDADE BÍBLICA SOBRE ESSA DOUTRINA MERCANTILISTA, VAMOS FAZER UM DESAFIO AOS “PRÓ-DÍZIMOS”…

          A falsa doutrina dos dízimos nos dias de hoje, ensina basicamente isso: Que todo cristão tem o mandamento bíblico de separar 10% de sua renda ( salários e ganhos diversos ) e entregar numa denominação evangélica aos cuidados de um suposto homem de Deus (notadamente, um pastor ou similar). A não entrega desse valor, chamado por eles de dízimo, pode acarretar, segundo essa doutrina, a sujeição do cristão aos ataques de um demônio chamado “devorador”, ser espiritual este, segundo ainda esta doutrina o mesmo mencionado em malaquias 3:11. O que não se sujeita a entregar os dízimos conforme especificado acima, também estaria pondo sua própria salvação em risco, pois ainda segundo essa doutrina, quem não dá dízimo é ladrão.

          Agora, porém, em confronto com essa doutrina de dízimos ainda perdurar e segundo eles ser obrigatória aos cristãos, estaremos fazendo 10 perguntas que os pastores que insistem em receber dizimos não conseguem responder:

          1 – Dízimo na bíblia sempre foi alimento (Levíticos 27:30,32 ; Deuteronômio 12:17)… aonde na bíblia ele se tornou dinheiro?

          2 – Dízimo era mandamento do velho testamento somente para os israelitas ( Levíticos 27:30-34) … aonde no novo testamento da bíblia, foi confirmado esse mesmo mandamento aos cristãos?

          3 – Dízimo deveria ser entregue somente aos sacerdotes levitas (Números 18:26, hebreus 7:5)… aonde na bíblia, os pastores de hoje substituiram esses sacerdotes levitas para poderem tomar dízimos?

          4 – Dízimo era destinado ao sustento dos levitas, dos órfãos, estrangeiros e viúvas (Deuteronômio 26:12)… aonde na bíblia ele se tornou exclusivo dos pastores e bispos das denominações evangélicas?

          5 – Se o mandamento do dízimo é anterior a lei de moisés, e abraão é exemplo de “dizimista fiel” antes da lei, então porque Abraão entregou dízimo somente dos despojos da guerra que ele venceu ( genesis 14:20; hebreus 7:4 ), e não de toda a sua riqueza já acumulada? (genesis 13:2 )

          6 – Se ” a césar o que é de césar e a Deus o que é de Deus “, é uma citação de Jesus sendo favorável ao pagamento de impostos desse mundo e da mesma forma pagamento de dízimos à Deus, então porque Jesus mencionou o pagamento do imposto de césar antes do “imposto de Deus”, visto que o dízimo deveria ser a primeira coisa a ser separada? Jesus disse ” a césar o que é de césar” e Jesus deu exemplo disso, ao pagar o imposto de césar (Mateus 17:24-27), para dar o exemplo que se deve pagar o imposto de césar ( impostos desse mundo ) mas se “a Deus o que é de Deus” se refere à dízimo, aonde Jesus devolveu dízimo, para nos esse exemplo, da mesma forma que fez ao pagar o imposto de césar?

          7 – Se devemos dizimar porque Jesus não falou nada contra o dízimo, então devemos nos circuncidar também? visto que Jesus também não falou contra a circuncisão aos israelitas e a circuncisão também é mencionada antes da lei de moisés (genesis 17:10).

          8 – Se quem é dizimista será salvo, então porque o Senhor Jesus precisou vir aqui na terra, cumprir a lei de moisés e morrer pelos nossos pecados? os israelitas já tinham o mandamento de dizimar (levíticos 27:30-32)… não bastava eles somente continuarem dizimando para serem salvos? quem nos dá a salvação? Quem salva é Jesus ou o dízimo ?

          9 – Aonde vemos Jesus e/ou os apóstolos, recebendo dízimos dos cristãos para que a obra de Deus fosse feita? aonde vemos no novo testamento que o dízimo é obrigatório para manutenção de um templo físico ?

          10 – No velho testamento vemos claramente os israelitas recebendo o mandamento de dizimarem e entregando o dízimo ( Levítico 27:30-32; II Crônicas 31:6; Neemias 13:12 ), Mas aonde no novo testamento vemos os cristãos recebendo a ordem de dizimar e um seguidor de Jesus, ou seja, um cristão dizimando?

          CONCLUSÃO: Eu já fiz estas 10 perguntas à vários pastores que insistem no erro de ensinar que dízimos são obrigatórios para os cristãos, mas nunca obtive uma resposta. O que comprova que realmente, essa doutrina mercantilista dos dízimos não passa de doutrina criada por homens, sem embasamento bíblico.

          O Senhor Jesus já advertiu sobre esse tipo de erro: “E em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos de homens” (Marcos 7:7)

          Mas graças a Deus, cada vez mais as pessoas estão conhecendo a verdade sobre a mentira que é a doutrina do dízimo, e deixando de dizimar por obrigação conforme malaquias 3:10, que era uma advertência que dizia a respeito somente ao povo de israel e passando a ofertar por amor e liberalidade conforme 2 corintios 9:7.

  8. Há muito tempo tem se criado múltiplos conflitos em relação ao dízimo, perguntando-se se hoje no Novo Testamento ele ainda deve ser cumprido, vou responder essa questão. Eu sempre cri no Dízimo, que deveríamos praticar isso e escrevi isso nesse blog. Bom, defendia essa prática e continuo defendendo, mas sobre outro aspecto. Espero que compreendam, pois sempre em meu coração houve uma ideologia firme sobre o PRINCÍPIO e BEM MAIOR disso e nunca mudará em meu coração. Fui muitissimamente agredido aqui, ofendido e em nenhum momento os tais “Cristãos”, defendendo suas verdades usaram de suaves ou educadas palavras, mesmo sabendo que aqui do outro lado existe um filho de Deus querendo expor com segurança e temor a Palavra de Deus. Lá em Malaquias 3! Deus começa um tratamento com o povo, uma conversa:

    (Ml 3.7-10) “Desde os dias de vossos pais vos desviastes dos meus estatutos, e não os guardastes; tornai-vos para mim, e eu me tornarei para vós, diz o Senhor dos Exércitos; mas vós dizeis: Em que havemos de tornar? Roubará o homem a Deus? Todavia vós me roubais, e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas. Com maldição sois amaldiçoados, porque a mim me roubais, sim, toda esta nação. Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim nisto, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma bênção tal até que não haja lugar suficiente para a recolherdes. Deus explicita ao povo que desde antes já se desviavam dos Seus caminhos e principalmente o que Deus quis enfatizar, que não guardavam os Seus estatutos. Deus enfatiza ao povo que eles estavam lhe roubando, pois na Lei do culto do Antigo Testamento, o dízimo fazia parte integrante das obrigações do povo, não era uma opção, era uma das determinações do culto a Deus. O povo tinha que trazer 10% do rebanho, da colheita, da sua propriedade e isso era convertido para o sustendo da tribo dos levitas que se dedicavam exclusivamente as tarefas do templo e para ajuda as viúvas, órfãos, os sacrifícios e necessitados de Israel. Ora, como parte integrante e obrigatória do culto, Deus atribuía isso como roubo, assim como desviardes dos seus estatutos, assim como o povo levava para sacrifício animal imundo, sego e coxo, da mesma forma lhe omitiam o dízimo, traziam pouco, metade ou nada do dízimo.

    No versículo 9 mostra por que Israel estava sendo amaldiçoada, por que com maldição sois amaldiçoados, estavam roubando a Deus, não estavam cumprindo a aliança de Deus com Israel, os dízimos faziam parte das leis cerimoniais do culto, então não era em si o dízimo o motivo do desagrado de Deus, mas a DESOBEDIÊNCIA, indiferença, falta de fé do povo. Essa era a razão porque o povo não prosperava e murmurava contra Deus e se o povo cumprisse os mandamentos do Senhor, cumprindo fielmente e nisso o dízimo era parte integrante, receberiam benção sem medida, mas lembro, não era em si o dízimo, dinheiro, como se fosse uma negociata, eu te dou, você me abençoa, mas a OBEDIÊNCIA A DEUS, cumprir os termos da aliança. No Novo Testamento estudando com paciência, não vejo mais existir subsídios para sustentar ainda a questão do DÍZIMO. Mas claramente e em inúmeras passagens a Bíblia trata de ofertas e contribuições, o crente tem obrigação de contribuir com a igreja do Senhor. (2Co 8.11-15) “Agora, porém, completai também o já começado, para que, assim como houve a prontidão de vontade, haja também o cumprimento, segundo o que tendes. Porque, se há prontidão de vontade, será aceita segundo o que qualquer tem, e não segundo o que não tem. Mas, não digo isto para que os outros tenham alívio, e vós opressão, Mas para igualdade; neste tempo presente, a vossa abundância supra a falta dos outros, para que também a sua abundância supra a vossa falta, e haja igualdade; Como está escrito: O que muito colheu não teve de mais; e o que pouco, não teve de menos. Além da prontidão de vontade dos servos de Deus, isso deveria se manifestar nas suas obras, Paulo não exigia o que não tinham e quem tinha muito era para ajuda do próximo e para si mesmo e o que pouco tinha não deveria se entristecer, pois tinha sua medida.

    (2Co 9.5-12) “Portanto, tive por coisa necessária exortar estes irmãos, para que primeiro fossem ter convosco, e preparassem de antemão a vossa bênção, já antes anunciada, para que esteja pronta como bênção, e não como avareza. E digo isto: Que o que semeia pouco, pouco também ceifará; e o que semeia em abundância, em abundância ceifará. Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria. E Deus é poderoso para fazer abundar em vós toda a graça, a fim de que tendo sempre, em tudo, toda a suficiência, abundeis em toda a boa obra; Conforme está escrito: Espalhou, deu aos pobres; a sua justiça permanece para sempre. Ora, aquele que dá a semente ao que semeia, também vos dê pão para comer, e multiplique a vossa sementeira, e aumente os frutos da vossa justiça; Para que em tudo enriqueçais para toda a beneficência, a qual faz que por nós se dêem graças a Deus. Porque a administração deste serviço, não só supre as necessidades dos santos, mas também é abundante em muitas graças, que se dão a Deus. Paulo está aqui mostrando aos Coríntios de antemão que não deveriam ser AVARENTOS! Todos os cristãos tem obrigação de ajudar a igreja e devem fazer isso com alegria, com fé, de coração, não como o povo de Israel que levava ao templo por sua decadência espiritual animal coxo, sego e manco. Deveria ser feito com alegria e de coração e mostra ainda Paulo que o que semeia pouco, pouco recebe e o que muito semeia, muito recebe e como tratado no texto acima, não é uma negociata com Deus, mas demonstração de amor, fé e obediência e isso trará as bênçãos ao semeador. O povo tinha que contribuir conforme sua prosperidade, conforme aquilo que recebeu de Deus (2Co 16.2). Se temos que contribuir com frequência, com amor, conforme nossa prosperidade, logo estamos falando do dízimo. Podemos não chamar palavra DÍZIMO, mas se trata da mesma referência ao Antigo Testamento. Antes a Lei obrigava agora a Graça pede que se faça com generosidade, alegria e proporcionalidade! Quem ganha mais da mais e quem ganha menos dá menos, mas todos DEVEM contribuir segundo os três princípios ensinados por Paulo “Dar com amor, generosamente e segundo sua prosperidade”.

    Se quisermos um referencial temos o antigo testamento, que é 10%, mas ninguém será amaldiçoado se não der os 10%, mas será cobrado por Deus se for avarento, reter a semente que como a própria palavra diz que é Deus quem dá essa semente, e se a semente não é plantada na terra, logo não pode haver colheita. Não der conforme sua prosperidade, pois muitas pessoas que me atacaram aqui brutalmente, sendo cristãos insensíveis, mais parecidos com os fariseus que condenaram Jesus, recebem R$3.000,00, R$4.000,00 e ofertam na igreja R$ 50,00, R$ 100,00 e acham que muito fazem e chamam os dizimistas de burros, os pastores de ladrões e mercenários. Claro que existe isso e muitos se beneficiarão disso sobre a fé do povo, mas não é isso meu foco nesse estudo. Todo Pastor é digno de salário no trabalho Cristão (1Tm 5.8) “Os presbíteros que governam bem sejam estimados por dignos de duplicada honra, principalmente os que trabalham na palavra e na doutrina”. Dupla honra ou dobrado honorários.

    Queridos, não chamem de dízimo, mas ele é um referencial nosso e com segurança digo que o Cristão deve contribuir muito mais do que 10%, pois no NT as referências mostram que os Cristãos davam muito mais que isso. Eu continuo contribuindo com todo amor os 10%, mas chamo de oferta, conforme nos ensina o Novo Testamento! Aqueles que muito condenaram o dízimo e ofertam migalhas a obra de Deus e acham que muito fazem, não dizimem, literalmente como está escrito na Lei e era atribuído aos Judeus e ficou pra trás na Velha aliança, mas agora Jesus prova os corações dos homens, pois demanda da sua vontade dar com Alegria, Generosidade e Proporcionalidade do que ganha. Como disse lá no princípio, eu defendia o dízimo e muito estudei para chegar nessa conclusão do estudo e no fim reconheço que errei em defender a LETRA do dízimo, mas termino com o mesmo coração limpo e alegre, pois essa liberdade de Cristo não mudou a intenção de meu coração, continuo contribuindo com os 10% como oferta e acho que deveria mais! Algumas pessoas jamais vão se desprender da Avareza, vão achar todas as formas e subterfúgios para burlar a lei de Deus, não podem compreender e nem vão abrir seus corações para isso! Mais do que qualquer dinheiro, existe os Princípios de Deus que não podem ser quebrados, o mesmo princípio antes e hoje se fundem, um pela Lei da obediência e a outra obediência pela Graça, uma vez corrompido e endurecido o coração, existirão milhares de formas de não cumprir as palavras do Senhor. Jesus abençoe a todos.

    • clamando

      Vc está desesperado por que sabe que cada vez mais pessoas estão conhecendo a verdade sobre a farsa do dízimo. Vc como devorador de dízimos não quer que o povo conheça a verdade, mas sugiro a vc atualizar o seu currículo e ver as agencias de emprego de sua cidade.

      Vc vai precisar.

    • Para Deus não ser roubado: Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam;
      Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam.

      Mateus 6:19-20

DEIXE UMA RESPOSTA