Exército de Salvação é acusado de “alugar” crianças para pedófilos praticarem abusos sexuais

1

A direção do Exército de Salvação na Austrália está sendo acusada de “alugar” crianças para pedófilos praticarem abusos sexuais no subúrbio de Sidney, uma das maiores cidades do país.

Os casos de pedofilia no meio cristão vem sendo revelados desde meados dos anos 2000, porém, mais do que a existência de criminosos escondidos sob a fachada da fé, a quantidade de relatos que surgem dia após dia assusta.

A denúncia foi feita nesta quinta-feira, 30 de janeiro, por uma testemunha que depôs à comissão que investiga os abusos sexuais de menores na Austrália.

De acordo com a agência EFE, os abusos teriam ocorrido durante mais de uma década, entre os anos de 1966 a 1977, e os responsáveis pelo Exército da Salvação teriam agido como cafetões, lucrando com os estupros.


Um dos investigadores dos casos, o inspetor Rick Cunningham relatou o depoimento de uma das vítimas, que em 1974 era uma criança e estava abrigado no lar de Bexley, administrado pelo Exército de Salvação.

Segundo o relato, a vítima, identificada apenas como F. V., teria denunciado ao superintendente do lar que uma funcionária uniformizada da entidade havia “liberado” uma criança para que um homem a estuprasse. À época, o responsável pelo local era Lawrence Wilson, que ignorou a denúncia e, em represália, o “castigou várias vezes”. Agora, os relatos de F. V. tornaram-se acusações de abuso de menores e agressão contra Lawrence Wilson.

Além de Wilson, outros funcionários do Exército de Salvação e internos que eram maiores de idade à época estão sendo acusado de abusos sexuais contra menores que estavam abrigados no lar de Bexley. As acusações formais foram feitas a partir de denúncias das vítimas.

Segundo Simeon Beckett, conselheiro-assistente da comissão, a Justiça australiana recebeu mais de 157 denúncias de abusos sexuais nas entidades administradas pelo Exército de Salvação entre 1966 e 1977. Beckett também informou que as evidências dos estupros eram bastante “severas”, apesar de até hoje, ninguém ter sido preso.

O Exército de Salvação admitiu que houveram abusos sexuais contra crianças que supostamente, estavam sob proteção da entidade: “Esta audiência trará à luz o maior fracasso na história do Exército da Salvação, na Austrália”, disse Kate Eastman, um advogado do grupo, em entrevista à uma emissora afiliada da CNN.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA