Conversão: Familiares e amigos contam como a fé transformou a vida do goleiro Fábio, do Cruzeiro

1

O goleiro Fábio, um dos principais jogadores do atual elenco do Cruzeiro, é conhecido também por sua fé evangélica. Membro da Igreja Batista Getsêmani, liderada pelo pastor Jorge Linhares, o jogador tem uma trajetória de fé que é desconhecida por muitos, e que foi detalhada por familiares e amigos em uma reportagem especial do Globo Esporte.

Antes de sua conversão, Fábio seguia o mesmo caminho que muitos jovens atletas, tendo a vida conduzida pela fama e pelo dinheiro para uma rotina baseada em festas, bebidas e mulheres. Segundo pessoas próximas ao jogador, ele chegava a gastar todo o seu salário em festas.

– O salário, ele recebia em vale alimentação. Eu me lembro de algumas histórias em que ele reunia a galera toda e torrava tudo em churrasco – conta Lucas, sobrinho do Jogador.

– Acabava a concentração, ganhou o jogo, a segunda e a terça-feira era para beber. “Eu sou o Fábio jovem, aproveitador, caiu na rede é peixe. Vamos beber, vamos farrear. No outro dia, vamos treinar” – comentou o pastor Jorge Linhares, sobre o perfil do jogador antes da sua conversão.


– O Fábio, antes, eu falo que a alegria do meu marido, infelizmente, mesmo sendo um atleta, era a bebida. O Fábio só se alegrava na bebida – completou a esposa do Jogador, Sandra Maciel, que está com ele há quase 20 anos.

A conversão

Levando uma vida onde não havia espaço para a religião, a conversão de Fábio se deu no pior momento de sua carreira. Sua ida ao “fundo do poço”, bem como seu encontro com a fé, se deu após a final do Campeonato Mineiro de 2007, onde o Cruzeiro perdeu de 4 a 0 para o maior rival, o Atlético-MG. Em um dos gols, Fábio levou um chapéu de Danilinho, em outro, cometeu o pênalti. No quarto gol da partida, talvez o mais marcante da carreira, Fábio ainda buscava a bola no fundo das redes após o terceiro gol, quando Vanderlei recuperou a bola rapidamente e completou o placar. A má fase profissional se tornou ainda pior com uma séria contusão no joelho, que ele sofreu ao se chocar contra a trave.

– Quando ele machucou o joelho, ele ficou muito preocupado, pensou que era o fim. Perdemos para o Atlético-MG na final por 4 a 0 e foi realmente muito difícil – relembrou Geovanni, ex-jogador do Cruzeiro e amigo de Fábio.

A esposa do goleiro conta que foi em casa, quando sofria com o pior momento de sua carreia, que Fábio teve seu encontro com a fé, através de uma oração feita por um pastor em um programa de TV.

– Ele ficava em casa trocando de canal. Nisso ele parou num programa, e bem na hora o pastor disse que estaria rezando para quem estivesse com problema no joelho – revelou Sandra, afirmando que a partir dali, Fábio passou a frequentar a Igreja Batista Getsêmani, em Belo Horizonte.

Contrariando o prognóstico dos médicos, Fábio se recuperou de forma surpreendente da contusão no joelho e voltou a jogar em menos da metade do tempo previsto para a recuperação.

Segundo amigos, a conversão do jogador influenciou diretamente na sua vida como atleta, e mudou também, profundamente, a relação dele com a família. Renê Salviano, amigo de Fábio, conta que “depois que ele se converteu, passou a se dedicar mais, passou a ter mais carinho com o corpo, com a parte física e com a família”.

A esposa Sandra conta ainda como a fé influenciou a permanência do jogador no Cruzeiro, e relata que uma oração feita junto com o marido o levou a rasgar o contrato que o levaria para o clube espanhol Osasuña, mesmo sendo seu sonho jogar em um clube europeu.

– Voltamos para o Brasil. E foi quando ele renovou com o Cruzeiro. O Senhor nunca nos permitiu sair do Cruzeiro – conclui Sandra, ao contar sobre a desistência de Fábio em assinar com o clube espanhol, e sua permanência no futebol brasileiro.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA