Homem faz pacto com o diabo e se inspira no Estado Islâmico para matar 6 pessoas numa noite

0

Um homem acusado de matar seis pessoas no cumprimento de um pacto com o diabo foi preso na última quarta-feira, 03 de dezembro, em São Paulo. O criminoso confessou os crimes e disse que usava uma “machadinha”.

O alvo do assassino, identificado como Jonathan Lopes, eram moradores de rua das cidades de Mogi das Cruzes e Poá, na Região Metropolitana de São Paulo.

A Polícia informou que quatro das vítimas foram mortas por decapitação, e o assassino confessou que os crimes foram cometidos após ele ter feito um pacto com o diabo.

Jonathan Lopes tem o número 31 e um machado tatuados no braço como símbolo desse compromisso satânico, e afirmou que escolheu as vítimas a partir de sua percepção de que elas “não se integravam com o sistema, já que não pagavam impostos”, segundo informações do jornal O Estado de S. Paulo.


O Estado Islâmico, grupo de extremistas muçulmanos que atua no Oriente Médio, era fonte de inspiração do assassino, que assistia vídeos na internet em que os terroristas decapitavam reféns.

De acordo com a Polícia, duas das vítimas não eram moradores de rua, mas Jonathan os confundiu e isso o levou a matá-las. Um homem de 46 anos foi morto enquanto fazia uma caminhada matutina e uma senhora de 59 anos também foi assassinada enquanto se dirigia para o trabalho.

“As pessoas foram atacadas quando estavam dormindo ou distraídas”, disse o delegado seccional de Mogi das Cruzes, Marcos Batalha, referindo-se às outras quatro vítimas.

Os crimes são recentes e aconteceram entre a noite da segunda-feira, 01 de dezembro, e a manhã do dia seguinte.

Uma denúncia anônima ajudou a Polícia Militar a efetuar a prisão do assassino, que ainda não tinha se livrado das roupas sujas de sangue.


SEM COMENTÁRIOS

  1. E depois quando esses muçulmanos vem para os nossos países ocidentais, tem liberdade para construir suas mesquitas e pregrarem sua religião. Mas, quando vamos aos países deles falar de Jesus, somos presos e até mortos. E os que lá estão que resolvem aceitar Jesus, são tratados de forma desumana e condenados à morte.

    Proponho que todos os países ocidentais criem leis duras para coibir a propagação desta religião de ódio (islã) no território de nossos países, leis duras que proibam a criação de mesquitas e proibam também a propagação desta religião belicista e difusora do ódio e da intolerância.

DEIXE UMA RESPOSTA