Empresa que obrigava funcionários a orar no início do expediente é condenada pela Justiça

12

Uma empresa da cidade de Rio do Sul, em Santa Catarina, foi condenada pela Justiça do Trabalho a pagar uma indenização de R$ 30 mil a um ex-funcionário que era obrigado a orar junto com os colegas no início da jornada de trabalho. A sentença foi determinada pelo juiz Roberto Masami Nakajo, da 2ª Vara do Trabalho de Rio do Sul.

Em sua defesa, os representantes da Retsul Retífica e Recuperação de Cabeçotes Ltda. afirmaram que a participação nas orações diárias não é imposta. Porém, testemunhas confirmaram que os funcionários que se negam a participar sofrem ameaças do proprietário da empresa.

Segundo informações da Assessoria de Comunicação Social do TRT-SC, o juiz afirmou que a conduta adotada pela empresa em relação às orações fere o princípio constitucional da liberdade religiosa.

Na decisão, Nakajo destacou que o Brasil é um país laico, não existindo uma religião oficial e sendo proibida qualquer discriminação com relação à escolha de religião ou ausência dela. Ele afirmou ainda que a liberdade de crença de alguém vai até onde não prejudique a dos outros.


O magistrado afirmou ainda que ainda que o autor da ação professasse a mesma religião que a do seu empregador, não seria lícito que fosse exigida dele a adesão aos seus ritos e práticas religiosas no local de trabalho.

– Na liberdade de crença entra a liberdade de escolha da religião, a liberdade de aderir a qualquer seita religiosa, a liberdade (ou o direito) de mudar de religião, mas também compreende a liberdade de não aderir a religião alguma, assim como a liberdade de descrença, a liberdade de ser ateu e de exprimir o agnosticismo – afirmou o juiz Nakajo em sua fundamentação, citando o entendimento do doutrinador José Afonso da Silva.


12 COMENTÁRIOS

  1. Parabéns a justiça,Deus não obriga ninguém a orar para ele,Deus é bom e quer que seus filhos sirva a ele com um puro e sincero coração,que dizer com espontaneidade e alegria e não sendo obrigado.

  2. Apenas mais um pobre coitado, rouba da empresa que lhe deu emprego salário e vida boa, logo vai gastar os 30 e volta a sua vida miserável, Deus abençoe está empresa, e queime o maldito luciano que apoia o mamoncedo a roubar os incautos da ecumenismo que obriga os funcionários da record a doar parte do salário

    • Queria saber porque vcs entram no site leem as noticias e dao opiniao julgando pessoas que vc so conhecem de ouvir falar,pessoas tao inteligentes mas cegos espiritualmente e nao estou julgando ninguem estou apenas lendo os disparates que alguns escrevem tenham vergonha e pensem antes de falar.

    • Queime o maldito Luciano??? E você ainda se acha cristão, José Carvalho???

      Diz a Bíblia: “Aquele que diz que está nele, também deve andar como ele andou” [1 João 2:6]. E disse Jesus: “Todo o que o Pai me dá virá a mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora” [João 6:37].
      Diz também a Bíblia: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” [João 3:16].

  3. A sua garganta é um sepulcro aberto; com suas línguas tecem enganos. Um veneno de áspides se encobre debaixo dos seu lábios; a sua boca está cheia de maldição e de amargura; os seus pés são velozes para derramar sangue; a dor e a infelicidade estarão em seus caminhos, e não conhecerão o caminho da paz. Não há temor de Deus diante dos seus olhos. (ROMANOS 3:27)

  4. O que mais nos espanta em nosso país é que, se alguém induz o outro à droga, nada acontece.
    Mas para àquele que estimula à busca de Deus a justiça aplica duras penas.
    O que esperar então de nosso futuro??

    • EU JA ESTOU COM PENA DESSE SUJEITO ESSE DINHEIRO NAO VAI SERVIR PRA NADA
      É UM JUDAS ESPERO QUE UM DIA ELE SE ARREPENDA, QUANTO AO EMPRESARIO
      ESSE DINHEIRO NAO FARA FALTA PORQUE DEUS COM CERTEZA JA SUPRIU.

      .

    • Meu caro João, me diz em que lugar está escrito que pode oferecer droga? Todo dia tem notícia de prisão/condenação de traficante, então não tem como comparar.
      E outra, se teu chefe te obrigasse a virar budista, muçulmano ou da umbanda, tu gostaria?

  5. Sou cristão e passei por uma coação semelhante em uma empresa que trabalhei. A empresa mantém um espaço destinado a um culto que acontece semanalmente às quintas-feiras. Eu participava dos cultos, mesmo antes de me tornar funcionário. Contudo, ao me tornar funcionário, percebi que implicitamente, havia uma obrigatoriedade entre os funcionários de prestigiar os donos da empresa, participando do culto. Me lembro bem, que um funcionário, que inclusive era Pastor, e que não mais participava dos cultos, era muito perseguido e malfalado pelos proprietários da empresa. Aos poucos fui percebendo, que o culto não era cristocêntrico, mas sim uma forma de culto à personalidade, cuja finalidade era mostrar aos participantes, o quanto “nossa família é boa”.
    Com o passar do tempo e com a incumbência de cuidar do grupo de jovens de minha congregação, ficou inviável a presença de minha família aos idolatrados cultos.
    Não tardou para que meu nome fosse lançado na mesma vala que a do outro pastor que não participava. Minha percepção era a de pura humilhação e assédio moral.
    Minha demissão veio pouco tempo depois disso!
    Nenhuma prática de cunho religioso deve ser algo imposto. Até nossa frequência aos cultos denominacionais devem ser por pura espontaneidade de coração.
    Toda prática religiosa imposta, perde seu caráter divino, pois DEUS deve ser a razão de nossa vida devocional, não uma denominação, pastor, empresa ou qualquer outra coisa.
    Só lamento por haver tantos papas dentro e fora do ambiente do templo! Maranata!

  6. Que a Paz do Nosso e Salvador Jesus Cristo estejam com todos, sou Cristão Evangélico e concordo com a posição do Juiz, temos liberdade de expressão em nosso país e além do mais a Bíblia nos ensina que não é por força nem por violência que conseguimos que Deus trabalhe em nossas vidas. Não é porque somos evangélicos que temos que concordar com outros que professa a mesma fé, até por que hoje com essa salada religiosa que temos é preciso termos cuidado. E deixo uma pergunta para os julgadores de plantão. Se fosse ao contrário alguém de uma religião contraria a nossa nos obrigando a participar dos cultos deles, que vcs responderiam?

DEIXE UMA RESPOSTA