Justiça nega indenização a pastor que foi excluído da Igreja Universal sob acusação de adultério

80

Um pastor afastado da Igreja Universal do Reino de Deus por ter cometido adultério moveu uma ação contra a denominação e teve seu pedido de indenização negado pela 1ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro.

Na ação contra a denominação liderada pelo bispo Edir Macedo, o pastor pedia participação no patrimônio da Universal por ter atuado pela igreja durante 14 anos em programas de TV e rádio, jornais impressos e até campanhas políticas.

A relatora do recurso do pastor, desembargadora Maria Augusta Vaz, manteve sentença da 11ª Vara Cível da Capital, que havia julgado improcedente o pedido do pastor e foi acompanhada pelos demais desembargadores.

De acordo com o relatório da desembargadora Vaz, o vínculo estabelecido entre o pastor e a Universal era de natureza religiosa e não econômica, o que impediria qualquer direito para o autor do processo sobre os bens da denominação, que a priori, não deve visar lucros.


A desembargadora ainda acrescentou que a denominação tem suas próprias normas e o pastor estava ciente delas no momento em que ingressou para o corpo de líderes, e que é impossível avaliar se as decisões tomadas pela Igreja Universal quanto à conduta de seus membros se dá de maneira correta.

Por fim, Maria Augusta Vaz ressaltou que não há como prosperar qualquer indenização pelo uso de sua imagem na atividade pastoral, pois o exercício das atividades se deu, em tese, exclusivamente no propósito de propagar o Evangelho ou a própria Igreja Universal, de acordo com informações do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro.

A Igreja Universal do Reino de Deus é uma das denominações neopentecostais do Brasil que mais enfrenta processos na Justiça, em sua maioria, movidos por fiéis ou ex-integrantes do clero, como pastores e bispos, que buscam reparações judiciais por diversos motivos.


80 COMENTÁRIOS

  1. Mesmo discordando e muito da IURD a decisão foi sensata.

    mas me chama a atenção o final da matéria:

    “A Igreja Universal do Reino de Deus é uma das denominações neopentecostais do Brasil que mais enfrenta processos na Justiça, em sua maioria, movidos por fiéis ou ex-integrantes do clero, como pastores e bispos, que buscam reparações judiciais por diversos motivos.”

    É fácil identificar o motivo de isto acontecer. Ocorre pelo simples fato da motivação desses fiéis e ex-integrantes do clero que nunca foi o Reino de Deus mas sim as vantagens e promessas oferecidas. Daí, quando não conseguem o que querem processam quem prometeu.

    • não marcos oliveira isso acontece por causa da má fé das pessoas.
      pois elas pensam, vou fazer isso e se não der certo eu a levo na justiça e pego de volta.
      COMO UMA PESSOA COM PENSAMENTOS ASSIM SERIA ABENÇOADA?
      DEUS CONHECE O NOSSO CORAÇÃO,
      E não adianta agir de má fé.
      caim também se arrependeu de dar sua oferta, e por não poder tocar em DEUS, matou abel seu irmão.

      • A organização de EM, sempre foi contra a organização do trabalho em classe para defender o direito de seus trabalhadores, Francisco Dorneles ex-ministro do governo FHC que havia excluir a criação de tal organização trabalhadora classista, pareçe de se perdeu no tempo e hoje já existe o famoso sindicato, e com certeza EM abomina isto, coisa que é problema deles, pois até previdência privada eles estão contribuindo e formando fundos quotistas. EM ainda terá muitas dores de cabeça com este tipo de prestador de serviço que achou que poderia explorá-lo quase gratuitamente a vida inteira e dispensá-lo a revelia.
        Vejam como foi no passado não muito distante.

        Pedido foi feito por evangélicos em audiência com ministro
        Dornelles atende a deputados e cancela sindicato de pastores

        PATRICIA ZORZAN
        da Reportagem Local

        Atendendo a um pedido da bancada evangélica da Câmara dos Deputados, o ministro do Trabalho e Emprego, Francisco Dornelles (PPB), cancelou o registro que permitia o funcionamento do Sindicato dos Ministros de Cultos Religiosos Evangélicos e Trabalhadores Assemelhados no Estado de São Paulo (Simeesp).
        Apesar de a Carta Sindical do ministério reconhecendo a existência oficial do sindicato ter sido publicada no “”Diário Oficial” da União em 22 de abril de 99, um despacho de Dornelles anulando o registro foi expedido em 21 de junho -cinco dias depois de uma reunião entre o ministro, representantes da bancada evangélica e líderes religiosos.
        A decisão foi comunicada ao presidente do Simeesp, pastor José Lauro Coutinho, da Assembléia de Deus, em uma carta enviada pelo deputado Paulo De Velasco (PST-SP), ligado à Igreja Universal do Reino de Deus. “”(…) Temos a satisfação de comunicar-lhe que o ministro do Trabalho e Emprego, doutor Francisco Dornelles, cumprindo a palavra empenhada quando de nossa visita ao seu gabinete em 16 de junho, houve por bem cancelar o registro do sindicato”, diz a carta.
        A audiência, marcada em nome do deputado Wagner Salustiano -membro da Universal e, assim como Dornelles, filiado ao PPB- , foi confirmada pela secretária do ministro, Graça, e pelo próprio pastor De Velasco.
        “”Fomos conversar e fazer com que o ministro visse a impropriedade de um sindicato como esse. O trabalho do pastor é espiritual, não é como o de um operário. Ele disse que concordava e já saímos de lá com uma resposta dele nesse sentido (de que o registro seria cancelado)”, afirmou De Velasco.
        Na avaliação do Simeesp -que já impetrou mandado de segurança contra a decisão de Dornelles-, as igrejas evangélicas pressionaram o governo por “”medo” dos encargos trabalhistas.
        Entre as reivindicações do sindicato estão piso salarial de R$ 528,00, 13º salário, aviso prévio e registro em Carteira de Trabalho.
        Levantamento feito pelo Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo indica que foram propostas 3 ações contra igrejas em 93 na capital. Em 98, foram 80 e somente até maio deste ano, 53.
        A Universal, da qual De Velasco é secretário-geral, lidera o ranking de igrejas evangélicas processadas na Justiça do Trabalho da cidade de São Paulo. Das 238 ações propostas desde 93, 67 têm a Universal como alvo.
        “”Isso não tem nada a ver com o fato de sermos contra o sindicato. Quem conhece a palavra de Deus sabe que há uma chamada. O indivíduo se apresenta para o serviço religioso sem vínculo empregatício”, argumenta De Velasco.
        O ministério informou que o registro sindical do Simeesp foi cancelado porque, além de a função de pastor não ser considerada pela pasta uma categoria econômica, houve 17 pedidos de impugnação feitos por outros sindicatos.
        “”Desconheço essa reunião com o ministro e a ação política no caso. Mas houve um engano no processo e a obrigação do ministério é corrigir isso”, disse o secretário de Relações do Trabalho do ministério, Murilo de Oliveira.

        ATUALMENTE ESTA ASSIM …………………………………

        Sindicato Nacional dos Capelães, Teólogos, Pastores, Presbíteros, Ministro Religioso e Missionários

        Sábado, 06 Abril 2013 21:15
        Escrito por Sindcape

        Sindicato Nacional dos Capelães, Teólogos, Pastores, Presbíteros, Ministro Religioso e Missionários

        Fundado aos 13 dias do mês de dezembro do ano 2011, o Sindcape tem a missão de defender os direitos dos trabalhadores da categoria religiosa, em suas variaveis.

        Todo sindicato tem sua historia, e evidente que nossa proposta é calcada, no principio da transparência, eficiência, como deve ser o esteio de toda entidade que tenha como bandeira a defesa de direitos coletivos.

        A função do Sindcape é de legar suporte aos filiados, prover programa e benefícios, facilitando a vida de cada um, em direitos até agora não observados.

        Em verdade a cultura corporativa do sindicato, expressa a alma de seu Presidente, corroborado por seu corpo diretor.

        Temos consciência da importância inovadora desta proposta sindical, junto a uma comunidade de exarada importância, como a evangélica, que, diga-se de passagem, representa 45% da bancada do governo, sem sombras de duvidas, significa poder, um poder legitimo, legal como deve ser.

        Os números estatísticos em nosso país é algo gigantesco, segundo o Cepal norteia em algo de 36 milhões e evangélicos ativos.

        Com estas características se continuar o crescimento teremos algo em torno de 50 milhões, nos próximos anos.

        O mais importante, somos absolutos, para isto foi realizado um alto investimento financeiro a nível nacional, onde estamos finalizando a inauguração de nossas delegacias em todos estados da federação, o objetivo é resguardar a cultura de gestão uníssona, pelo bem comum aos filiados, em nível interdenominacional.

        Já concluímos 90% das parcerias tanto publicas como privadas, pra garantir o bom e fiel trabalho de desenvolvimento da estrutura sindical, do gênero.

        CONTATOS

        Gabinete Presidencial
        Av. Rio Branco, nº 1, 12 andar, Centro – Rio de Janeiro
        Tel.: (21) 2588-8198 Fax: 2588-8099

        Sede Operacional
        Av. Nsª. Senhora de Copacabana, COPACABANA – Rio de Janeiro
        Tel.: (21) 3989-1437

        Email: sindcape@sindcape.org.br
        Site: http://www.sindcape.org.br

        • O que pensa hoje a direção do Sindicato, é a legalidade do Trabalho.

          SINDICAPE – Sindicato Nacional Dos Capelães, Teólogos, Pastores, Presbíteros, Ministros Religiosos e Missionários.
          janeiro 11, 2013 No Comments

          mailÉ necessário recuperar a capacidade e a legitimidade da representação sindical”. Depoimento especial com Pr. Ayer Alexandre O movimento sindical, a partir da proposta do Acordo Coletivo Especial, “conhecerá ainda mais refluxo em suas lutas, hoje já defensivas, como regra”, diz o teólogo.
          “As esquerdas têm perdido a capacidade de disputar a hegemonia e isso
          possui, a meu ver, uma grande importância”. A reflexão é do Vice-Presidente do SINDICAPE, Pr. Ayer Alexandre em depoimento concedido a este veículo de tão expressiva e importante informaçõa ao seu leitor.
          Por e-mail. Ao avaliar a atuação do PT na atual conjuntura trabalhista, ele assegura que “se, por um lado, ainda há a centralidade do trabalho em duplo sentido (…), por outro lado, não se pode fazer vista grossa à crescente dificuldade de os obreiros da fé, terem o protagonismo na cena política e à igualmente relevante dificuldade do sentimento de pertencimento à condição de não assalariados se efetivar em termos de identidades políticas religiosas, com o aspecto da então conhecida prebenta. E rebate: “Isso está na raiz de uma postura mais negocial e menos religiosa”.
          No depoimento a seguir, Pr. Ayer Alexandre comenta a necessidade da comunidade eclesiástica evangélica entender “a prevalência do negociado sobre o legislado tende a rebaixar o que a legislação assegura”. E acentua: “Eu veria essa proposta de forma positiva se o negociado sempre significasse conquistas para além do que está previsto na legislação trabalhista, mas sabemos que o contrário é a tendência”. Na avaliação dele, o atual contexto é de “dificuldade de mobilização e aglutinação dos trabalhadores da fé , Os sindicatos vivem, há tempos, e em termos mundiais, uma crise de representatividade e capacidade de mobilização. Mas é preciso reconhecer que essa crise não é homogênea, nem ocorre sem contra tendências. Aqui e acolá, os trabalhadores também dão sinais de que não aceitam permanecer num quadro de lutas apenas defensivas”.
          O Sindicalista Pr. Ayer Alexandre esclarece vários tópicos.
          Quando se questiona sobre o balanço que faz do movimento sindical, das centrais sindicais nos últimos anos, e que mudanças é possível apontar após o governo Lula e Dilma em relação à atuação anterior. Podemos dizer que o modelo de gestão política implantado pelo atual governo, possibilitou a implantação de um sindicato do gênero que é o nosso SINDICAPE, Por outro lado, há de se reconhecer que reconhecer a importância da mão de obra dos obreiros de Deus esta baseado na ordem de nosso Deus na sua infinita sabedoria, determinou em Gênesis 3-19, disse Deus ao homem: “No suor do teu rosto comerás o teu pão, até que tornes a… O mau pastor vive da carne do seu rebanho.
          E no que atribui à mudança no sindicalismo, que assume uma postura mais negocial e menos confrontadora, podemos afirmar a liberdade de reconhecimento das atividades laborais dos obreiros da igreja, por exemplo, se Deus ordenou que o homem sobrevivesse do suor de seu rosto, sendo nosso Deus um Deus de honra, de justiça de amor, não escravocrata é óbvio que o mesmo ainda imputou um dizimo, não como tributo, mas como obrigação ao reconhecimento da mão de obra de seus servos, em honra.
          E que podemos dizer sobre o significado de prebenda?
          Ora o significado de Prebenda é dentro das formalidades nome utilizado ao rendimento que recebe o pastor, o bispo e outros que ocupam cargos eclesiásticos.
          Podemos exemplificar do uso da palavra Prebenda: O pastor recebem R$900,00 (novecentos reais) de prebenda da igreja. Portanto entende-se que prebenda ´´É o pseudônimo de salário, honorários etc.
          Já alguns lideres do segmentos da gestão de igrejas têm perdido a capacidade de disputar a hegemonia e isso possui, a meu ver, uma grande importância. Se, por um lado, ainda há a centralidade do trabalho em duplo sentido (como atividade produtora das condições materiais de existência, o trabalho é ineliminável das igrejas; além do mais, o capitalismo contemporâneo continua a fazer do trabalho abstrato sua lógica estruturante), por outro lado, não se pode fazer vista grossa à crescente dificuldade dos trabalhadores da Eclésia evangélica, terem o protagonismo na cena política e à igualmente relevante dificuldade do sentimento de pertencimento à condição de assalariados se efetivarem em termos de identidades políticas. Isso está na raiz de uma postura mais negocial e menos confrontadora. Entretanto, há outros elementos a serem considerados. A ampliação do assalariamento (mais atividades laborativa ocorrem no interior de múltiplas formas de compra e venda da força de trabalho, algumas delas disfarçadas por mecanismos que tentam burlar direitos trabalhistas, como a famigerada “prebenda ” não significa um correspondente aumento do universo de homens e mulheres que se põem a campo na luta política como obreiros da fé. Os mecanismos e os instrumentos param se tentar
          diluir a solidariedade entre os que vivem da venda de sua força de trabalho voluntario ! têm sido eficazes, e isso não é pouco na luta política mais geral.
          O SINDICAPE tem como avalia a proposta do em reorganizar, as atividades, qual eu entendo que essa atitude especial é uma reedição da proposta de que prevaleça o negociado sobre o legislado, ou seja, é um “prato requentado” de uma proposta que já experimentou outros balões de ensaio. O problema é que a prevalência do negociado sobre o legislado tende a rebaixar o que a legislação assegura. Eu vejo essa proposta de forma positiva se o negociado sempre significasse conquistas para além do que está previsto na legislação trabalhista, pois o próprio texto bíblico declara nas palavras de Jesus mas sabemos que o contrário é a tendência. O movimento sindical, a partir dessa proposta, conhecerá ainda mais refluxo em suas lutas, hoje já defensivas, como regra.
          E não podemos de esquecer como avalia a notícia de que os governos do Brasil e da Alemanha vão firmar um acordo para desenvolver em conjunto um modelo de relações do trabalho. Qual neste caso, Isso é uma evidência de que também a atual divisão internacional do trabalho se faz repercutir nas formas como os governos buscam regular as relações trabalhistas. Mas vejo nesse horizonte alguns obstáculos quase intransponíveis. A estrutura sindical brasileira é uma afronta à liberdade e à autonomia sindicais, quadro bem diferente da realidade alemã. Além do mais, se pensarmos na Convenção da Organização Internacional do Trabalho – OIT. Que regula as relações trabalhistas na administração pública, o fosso ainda é maior, pois o Brasil é signatário dessa Convenção, mas não a implementa na prática. Então, como se falar em um modelo comum entre arranjos jurídicos sindicais tão díspares?
          Como podemos interpreta a declaração do Ministro do Trabalho, de que o “Brasil já atingiu a maturidade institucional e econômica necessária para modernizar suas relações trabalhistas”
          Eu como Pastor e sindicalista vejo, de um lado, a revelação de que muitos ainda pensam com critérios evolucionistas e segundo os quais o centro do capitalismo é uma meta a ser buscada. De outra parte, revela que Hegel tinha razão “O melhor dos mundos para o senhor de escravos é que estes pensem com a cabeça daquele que escraviza”.
          E no que se declaram as novidades da luta sindical brasileira. Não vejo novidades de envergadura expressiva.
          Talvez a novidade seja, na prática, o fim da permanência de uma realidade trabalhista que compromete a verdade cristã, porquanto o suor do rosto é trabalho e pesado, como não reconhecer tal fenômeno social?
          No que se diz respeito aos desafios postos ao movimento sindical brasileiro na atual conjuntura, o mais importante me parece ser o da necessidade de se recuperar a capacidade e a legitimidade da representação sindical. Isso supõe, a meu ver, o fim da estrutura sindical vigente desde a promulgação da CLT, que se assenta na outorga da representação sindical, nas contribuições compulsórias e na unicidade sindical. Isso me parece condição necessária, ainda que insuficiente. Há outro desafio muito importante, que é o da organização das atividades eclesiásticas nos locais de trabalho, igrejas, campanhas etc.. horizonte há muito perdido pelo movimento sindical.
          Faço como ilustração abaixo como referencias informativas pra facilitar o juízo das ações:
          Prebenda ( do baixo latim præbenda,æ: ‘o que o Estado deve fornecer aos particulares em troca dos seus serviços’, ou ‘o que é devido aos magistrados enviados em serviço público a uma província, ajuda de custo’), do latim clássico præbere ‘apresentar, oferecer, fornecer’, de præ ‘antes’ e ‘habere’ “ter”) designa “stricto sensu” uma renda ligada a um canonicato (dignidade atribuída a um cônego), e que representa seu benefício eclesiástico.
          O termo foi utilizado por Max Weber, ao analisar os tipos de dominação. No patrimonialismo, que é uma forma de dominação tradicional, o aparelho de Estado funciona como uma extensão do poder do soberano, de modo que a separação entre assuntos públicos e privados, entre patrimônio público e privado desaparece. O quadro
          administrativo é constituído de dependentes pessoais do governante – familiares ou agregados, amigos, pessoas ligadas a ele através de vínculos de fidelidade e troca de favores. Assim, os cargos na administração são considerados como prebendas conferidas individualmente e posteriormente renovadas, sem, todavia se tornarem
          hereditárias.
          Por derivação, em sentido figurado, o termo adquiriu o significado de ocupação rentável e de pouco trabalho ou sinecura.
          Logo salário, honorários etc.. São sinônimos de pagamento.
          MAIS INFORMAÇÕES SOBRE O SINDICATO E SÓ CONTACTAR
          MINHA ASSESSORIA QUE DAREI MAIS INFORMAÇÕES.
          GRATO PELA ATENÇÃO,
          PR. AYER ALEXANDRE.
          Por: MÉRCIA MACHADO
          ASSESSORIA DE IMPRENSA E PRODUÇÃO (SINDICAPE)
          TEL: 21 – 8282-5881 (TIM)
          E-mail: mememachado@gmail.com
          msn: merciamachado@hotmail.com

          Fonte: Jornal Gospel News

      • CONCORDO com o CÉSAR…

        O problema do MARCOS ANTÔNIO ( botafoguense ), é igual a dos demais fariseus que ficam aqui nos atacando, eles tem a opinião formada, ainda que errada, ainda que baseada em fofocas ou em coisas NUNCA provadas, aí é fácil julgar o trabalho e ministério alheio…ou seja, pra falar mal da UNIVERSAL vale até pecar, ir contra a Bíblia…hehe

        O engraçado é que esses nossos acusadores, não apresentam frutos de “”seus ministérios””, mas gostam e muito de por defeito no ministério alheio…

        Enquanto somos descendentes de Abraão pela fé, esses irmaus são descendentes dos fariseus invejosos que atacavam tanto a Jesus quanto a igreja de Jesus…

        Jesus abençoe

        • O texto é um pouco longo mas desmascara esse argumento de “Descendentes de Abraão pela fé” colocando o termo, que é correto, no seu devido lugar.

          A lei de Moisés e o Herdeiro de Deus

          Nós recebemos a bênção da lei de Moisés ou a bênção de Abraão? Certamente a bênção de Abraão e esta nada tem a ver com a bênção de Moisés, mas muitos não compreendendo a diferença entre a lei de Moisés que consiste no praticar a lei e a herança de Abraão que é uma oferta gratuita, misturam as duas negando assim a fé e tornando inútil a morte de Cristo

          A herança de Moisés consistia numa vida santa e justa cheia de glória e riquezas se cumprissem tudo o que não estava na lei (Deuteronómio 28), porém a lei tinha outra face para o transgressor, que era a maldição (vemos isso a partir do verso 15 até ao 68); e colocando Deus diante deles a vida e a morte, o que é que os da lei alcançaram por herança ?

          Todos aqueles, pois, que são das obras da lei estão debaixo da maldição; porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las.
          Gálatas 3:1
          Logo se esta fosse a nossa herança também seriamos também malditos, mas a bênção de Abraão consiste em ser bendito diante de Deus possuindo a vida eterna conforme a promessa que Deus tinha feito a Abraão nosso pai na fé. E se é gratuita já não pode ser pela lei que depende do cumprimento dos mandamentos.
          Portanto são heranças completamente diferentes; uma é exclusiva para os da lei, os judeus, mas a outra é exclusiva para os que crêem em Deus assim como Abraão.

          A herança da lei de Moisés é semelhante á lei civil que nós conhecemos entre os homens, lei que se baseia no comportamento dos homens para abençoá-lo ou castigá-lo, em que a transgressão é punida pelas autoridades. E o resultado é que sempre somos apanhados em falta pela nossa incapacidade de cumprir todas as ordenações impostas.

          Mas a herança de Abraão é semelhante á herança de um filho herdeiro que herda de seu Pai, em que desde o dia em que é concebido já é herdeiro ainda que não tenha consciência de nada e não tenha feito bem ou mal. Pois a lei do herdeiro não se apoia no comportamento mas na filiação; e esta nunca falha.

          Vejamos a diferença:

          Porque a promessa de que havia de ser herdeiro do mundo não foi feita pela lei a Abraão, ou à sua posteridade, mas pela justiça da fé. Porque, se os que são da lei são herdeiros, logo a fé é vã e a promessa é aniquilada.
          Romanos 4:13-14
          Paulo ensina que a herança nada tem a ver com a lei, porque se fosse pela guarda da lei das obras já não era uma oferta dada por promessa e assim a fé em Cristo era inútil uma vez que dependia de mim, da minha obediência á lei; logo a fé tinha de estar era mim e não em Deus. Mas o herdeiro é herdeiro por direito e natureza independentemente de guardar qualquer lei.

          Porque, se a herança provém da lei, já não provém da promessa; mas Deus pela promessa a deu gratuitamente a Abraão. Logo, para que é a lei? Foi ordenada por causa das transgressões, até que viesse o descendente a quem a promessa tinha sido feita; ?Logo, a lei é contra as promessas de Deus? De nenhuma sorte; porque, se fosse dada uma lei que pudesse vivificar, a justiça, na verdade, teria sido pela lei. Mas a Escritura encerrou tudo debaixo do pecado, para que a promessa pela fé em Jesus Cristo fosse dada aos crentes. Mas, antes que a fé viesse, estávamos guardados debaixo da lei, e encerrados para aquela fé que se havia de manifestar.
          Gálatas 3:18-23
          Paulo mais uma vez diz que se a herança vem da lei, logo já não vem da promessa feita a Abraão que é 430 anos antes da lei, e por isso ele pergunta: Então qual o objectivo da lei?

          Ela veio para causa do pecado, para de dar conhecimento do o que é o bem e o mal, a fim de mostrar que por ela ninguém pode agradar ou ser abençoado por Deus; e por fim para nos guardar e conduzir até Cristo, por isso diz que a lei só esteve em vigor até que viesse o descendente, que é Cristo.

          Portanto todo aquele que diz que precisa guardar a lei para a herança anula a fé e Cristo morreu em vão para ele, porque praticar leis todos podem, mas ser herdeiro é só para o que é filho, o qual só pode ser conhecido pela fé na palavra de Deus como o pai Abraão.

          Porque a lei de Moisés significa a justiça e obra do homem, mas a herança do herdeiro de Cristo significa receber gratuitamente a justiça e obra de seu pai, pois tudo era do pai.

          A herança de Moisés é glória e bens terrenos se cumprirmos toda a lei, mas a bênção de Abraão é glória e bens celestes se cremos em Deus como ele creu.

          No entanto, embora a lei seja contra a fé em relação á filiação, á herança e á promessa, mas não é contra a fé no seu propósito, que mais uma vez digo que foi dar conhecimento do pecado e conduzir-nos a Cristo.

          Antes da lei
          Porque se precisássemos da lei para receber a herança, então Adão, Noé, Abraão, Isaac, e todo o povo que esteve cativo no Egipto por 400 anos, nada herdariam.

          E se os do tempo da morte não precisaram da lei para garantir a herança, agora que estamos na graça consumada por Cristo é que precisamos?

          E vemos que até os da lei pelas obras nada herdaram, mas todos ficaram debaixo do pecado e maldição.

          Portanto, se o homem é herdeiro legítimo, a lei não pode privá-lo da herança, mas se não é herdeiro a lei não pode torná-lo herdeiro, porque a herança não repousa sobre o comportamento, mas sobre a filiação

          Os falsos profetas, que são carnais, sempre promovem a herança da lei como se fosse a bênção de Abraão porque o seu olho cobiça os bens da lei que são carnais e terrenos e não os bens de Abraão que são espirituais e celestes.

          Dizem alguns:
          A lei foi dada aos herdeiros que eram os judeus, mas ela também se aplicava aos gentios, logo também eram herdeiros!

          Sim, enquanto vivessem em Israel estavam sujeitos ás leis de Israel e por ela eram beneficiados ou julgados, mas jamais a lei podia torná-los filhos de Abraão, descendentes das doze tribos, a semente de abraão a quem Deus tinha feito a promessa da herança de Abraão.

          E neste caso os gentios foi para o seu mal e era melhor que eles não tivessem vindo viver entre os judeus e sujeitar-se á sua lei, do que ficar debaixo da lei de Moisés e assim despertar a ira de Deus sobre eles pela incumprimento da lei. Porque todos os que são da lei estão debaixo de maldição.

          Assim acontece ainda hoje, pois quando vamos viver para qualquer país, temos de nos sujeitar ás leis daquele país, seja para o bem seja para o mal; mas embora sujeitos ás leis desse país jamais seremos filhos naturais desse país, ou seja:

          Posso ir viver para a china e viver segundo as suas leis e ter até nacionalidade chinesa, mas jamais serei um legitimo chinês de sangue, porque para isso tinha de ter nascido de pai e mãe chinesa herdando a sua natureza e aparência que me definia chinês e me fazia diferente das outras raças; e isso é algo que nenhuma lei pode fazer pelo homem .

          Assim também embora os gentios se sujeitassem á lei dos judeus, jamais podiam ser judeus de sangue e herdeiros legítimos do pai Abraão, pois a promessa pertence somente a Abraão e á sua semente e só ela é herdeira, excluindo assim todas as outras descendências.

          No entanto, os verdadeiros filhos de Abraão são os da fé e não do Israel segundo a carne , porque até Cristo os herdeiros surgiram de entre a descendência de Abraão segundo a carne, isto é: pelo povo de Israel, os quais eram conhecidos pelo seu testemunho de fé quando ouviam a palavra de Deus.

          Romanos 9:6-8 Não que a palavra de Deus haja falhado, porque nem todos os que são de Israel são israelitas; nem por serem descendência de Abraão são todos filhos ; mas em Isaac será chamada a tua descendência. Isto é, não são os filhos da carne que são filhos de Deus, mas os filhos da promessa é que são contados como descendência
          E depois da vinda de Cristo os filhos surgem em qualquer lugar de qualquer nação, os quais são conhecidos pela fé ao ouvirem o evangelho da graça de Deus.

          Por isso o herdeiro está isento de toda a lei ou pagamento de imposto na casa de seu pai, porque ele é senhor de tudo por direito e natureza desde o nascimento; no entanto, enquanto não toma posse da herança, por vontade do pai sujeita-se ás suas regras segundo Cristo e não segundo a lei, para aprender a gerir o que lhe foi dado. Mas aprenda ou não, sempre será Senhor de tudo o que o pai tem.

          Porque o herdeiro recebe a herança do pai, que no caso de Abraão é a vida eterna, mas os da lei recebem a recompensa dos seus atos, que é a maldição.

          Portanto, ainda que o filho transgrida toda a lei e cometa toda a sorte de crime, jamais pode deixar de ser filho legitimo e herdeiro de seu pai.

          È sempre um caso de eleição e filiação e não de comportamento, pois ainda que o homem pratique todo o bem que alguém lhe ordenou, nem por isso a lei o reconhece ou pode torna-lo em filho e herdeiro desse homem, mas ser filho é ser gerado por ele, carne de sua carne sangue de seu sangue, e é isso que prova que é filho e o herdeiro legitimo; e assim como ele recebeu a natureza de seu pai, receberá também todos os seus bens.

          A partir da hora em que o herdeiro está sendo gerado no ventre da mãe, está recebendo a herança dos seus pais, a sua própria vida e existência é a herança dos pais; recebendo a vida deles, a sua natureza e imagem, que identificará de forma visível e publica que é herdeiro legitimo independente do seu comportamento. Tudo o que ele é e tem veio de seus pais, e isso (benção de Abraão) a lei do comportamento (lei de Moisés) jamais poderia fazer.

          A própria terra de Israel era dividida pelas dozes tribos para que os herdeiros fossem sempre os filhos de Israel, por isso a própria lei proibia a mistura com as outras nações como figura do tempo presente; pois só o filho herdeiro permanece na casa de seu pai, o estranho é servo temporário.

          Por isso é que a nossa herança, a graça de Cristo, é nossa desde antes da fundação do mundo, mas a lei foi dada aos judeus no tempo de Moisés e receberiam a herança da lei não por serem filhos de Abraão, mas por praticarem a lei e por isso ninguém a recebeu ainda que fossem filhos de Abraão. Porque pela lei ninguém recebe nada de Deus a não ser a sua ira.

          Herança inalterável
          O testamento de alguém depois de morto já não pode ser alterado, mas ainda que os homens possam fazer esse tipo de leis, segundo a bíblia é inalterável porque o testador é Cristo e já foi morto para confirmação do testamento da promessa feita a Abraão.

          Irmãos, como homem falo; se a aliança de um homem for confirmada, ninguém a anula nem a acrescenta. Ora, as promessas foram feitas a Abraão e à sua descendência. Não diz: E às descendências, como falando de muitas, mas como de uma só: E à tua descendência, que é Cristo.
          Gálatas 3:15-16
          O testamento da promessa de Abraão para a sua descendência foi anunciado por todos os profetas e confirmado em Cristo por sua morte

          É inalterável porque o testamento não foi firmado sobre a vontade do homem, nem do que ele pratica, mas na vontade exclusiva de Deus em que a promessa que foi feita a Abraão e á sua descendência sob juramento, e o que Ele promete é imutável para sempre; mas se estivesse sobre as escolhas do homem era mutável como a gelatina.

          Porque, quando Deus fez a promessa a Abraão, como não tinha outro maior por quem jurasse, jurou por si mesmo, Dizendo: Certamente, abençoando te abençoarei, e multiplicando te multiplicarei. E assim, esperando com paciência, alcançou a promessa. Porque os homens certamente juram por alguém superior a eles, e o juramento para confirmação é, para eles, o fim de toda a contenda. Por isso, querendo Deus mostrar mais abundantemente a imutabilidade do seu conselho aos herdeiros da promessa, se interpôs com juramento; Para que por duas coisas imutáveis, nas quais é impossível que Deus minta, tenhamos a firme consolação, nós, os que pomos o nosso refúgio em reter a esperança proposta;
          Hebreus 6:13-18
          Inalterável até mesmo pelo herdeiro, herdando tanto os bens como a divida, porque também nós herdamos a vida de Cristo (vinho) assim como as suas aflições (pão) por amor aos escolhidos.

          O herdeiro não pode recusar a herança, porque trata-se de ser uma nova criatura, como poderia mudar ou negar a sua própria natureza e vontade? È o mesmo que querer negar que é filho de seu pai, ou é o mesmo que recusar ser carne de sua carne e sangue de seu sangue.

          E se o testamento de Adão para a morte não falhou nem pode ser anulado pelos herdeiros, como poderiam anular o testamento de Cristo que é muito superior ao de Adão?

          O que mostra que somos herdeiros é a nossa fé em Deus e por isso temos as características de nosso pai, a mesma natureza, a mesma mente, a mesma justiça e santidade. Herdamos a natureza do nosso Pai do céu, em que amamos a justiça como Ele ama e odiamos o pecado assim como Ele odeia.

          E quem é de Deus fala somente as palavras de Deus, amando a justiça (fé em Cristo) que Deus ama, e odiando o pecado (incredulidade) que Deus odeia.

          Portanto, o salário daquele que quer guardar a lei será a morte, mas o dom gratuito de Deus sobre o que crê é a vida eterna; é salário porque é a recompensa sobre a obra que o homem produziu, que é o pecado, mas dom gratuito porque é obra que Deus produziu sobre aquele que nele creu, que é a vida eterna.

          • Aonde você lê MARCOS ANTÔNIO, leia MARCOS OLIVEIRA ( botafoguense )

            Você poderia ter pelo menos a DECÊNCIA de dizer que o texto não é seu, mas que você COPIOU do SITE IGREJA DOS ELEITOS, escrito por um tal de Carlos Brito…

            Puxa cara, você é só mais um que não gosta da UNIVERSAL, não tem disposição pra pregar o evangelho, fica em casa coçando porque está aposentado e quando está entediado, COPIA textos dos outros pra ficar atacando a fé e o ministério alheio, tsc, tsc…se pelo menos você tivesse um ministério frutífero, que te desse MORAL pra atacar os outros, mas você é só mais uma teólogo de escritório…hehe

            Jesus abençoe

          • Creio que caberia alguma exortação a mim se eu em algum momento tivesse dito que o texto era meu, algo que não o fiz e pelo contrário dei a entender muito bem isto na minha introdução ao dizer:

            “O texto é um pouco longo mas desmascara esse argumento de “Descendentes de Abraão pela fé” colocando o termo, que é correto, no seu devido lugar.”

            Ora, se eu estou anunciando um texto é óbvio que ele não é meu, se fosse meu, eu não precisaria dizer isto. Se o site aceitasse o envio de links eu teria enviado.

            Mas na escolinha que você está eu já fui doutor antes de me converter. Você targiversa como sempre quando a Palavra de Deus é esfregada no seu rosto e fica arrumando pretexto pra fugir do assunto.

            Leia o texto independente da autoria e contexte-o segundo a própria escritura. Por que não o faz? Simples, porque a ela você não conhece e a manuseia só pra distorcê-la.

          • MARCOS OLIVEIRA

            É muito fácil falar depois de ter sido desmascarado…infelizmente pra você, eu já conhecia esse texto “”DA IGREJA DOS ELEITOS””…hehe

            “”Mas na escolinha que você está eu já fui doutor antes de me converter.”””

            Eu sei que você sofre de princípio satânico, ou seja orgulho…mas dou graças a Deus por conhecer pessoas como você, então assim quando eu terminar meus estudos de teologia, farei de tudo, para não seguir por esse caminho errôneo…
            Na verdade a primeira coisa que aprendi na teologia foi, para termos cuidado, pois a teologia é a maior fazedora de fariseus…

            Só de você tentar no ludibriar e de tentar nos dar a entender que o texto é de sua autoria, ocultando o verdadeiro escritor do texto, já nos mostra como é seu caráter…grato

            Jesus abençoe

          • Eu não dei a entender absolutamente nada, isso é conclusão sua, assim como conclui que todos que discordam das praticas da IURD são derrotados, endemonihado, etc. Essa sua conclusão é só mais uma das muitas sem nenhum fundamento.

            Mais uma vez você tergiversa e não diz nada, prefere ficar nesse papinho infantil de criancinha de terceira série mostrando o quão imaturo você é.

            Quanto à teologia, não sou teólogo, não estudo teologia, estudo as escrituras, e minha única bibliografia é a Biblia.

            O curso do qual falei apesar de ser teológico não é acadêmico, não segue nenhuma linha de raciocínio, somente as escrituras.

            Não que eu despreza a teologia, ela é fundamental para livrar as pessoas de pessoas como você que distorcem as escrituras a seu bel prazer afim de ludibriar os incautos em troca de benefícios financeiros.

            Vai continuar desconversando ou vai argumentar biblicamente acerca do tema que você está evitando?

          • MARCOS OLIVEIRA

            Você é um dissimulado, você pode ter a letra, mas a letra “”matou”” você na ignorância espiritual…

            Jesus abençoe

          • Vamos lá desmascarar mais uma falácia e equívoco de interpretação bíblica.

            O que você coloca é:

            “¶ O qual nos fez também capazes de ser ministros de um novo testamento, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata e o espírito vivifica.” – 2 Coríntios 3:6

            Versículo muito utilizado pelos preguiçosos em estudar as escrituras ou aqueles que condenam o seu estudo afim de possam interpretá-lo a seu bel prazer.

            Já disse aqui muitas vezes que há a necessidade de extirpar a mania de lerem versículos isolados sem o seu devido contexto.

            O que o texto quer dizer é muito simples se você lê-lo desde o primeiro versículo mas tem um que chama mais atenção que é o versículo 3:

            “Porque já é manifesto que vós sois a carta de Cristo, ministrada por nós, e escrita, não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo, não em tábuas de pedra, mas nas tábuas de carne do coração.” – 2 Coríntios 3:3.

            Concluindo:

            A diferença radical entre a lei de Deus no antigo e novo testamento era exatamente esta: no antigo testamento era escrita em tábuas de pedra, isto é, mera escritura; ao passo que no novo pacto é inscrita em nossos corações e, portanto, espírito e vida.

            Em resumo este texto não é base legal nenhuma para criticas aos que se empenham no conhecimento da escritura.

          • MARCOS OLIVEIRA

            por falar em preguiça mental, deve ter sido por isso que você tentou no LUDIBRIAR, postando um texto de outrem, parecendo que era algo que você tinha pensado, ou elaborado…hehe

            Agora me explica :

            “”O qual nos fez também capazes de ser ministros de um novo testamento, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata e o espírito vivifica.””
            ( 2 Coríntios 3:6)

            e não foi isso que eu disse…ou você acha que o “”novo ministério”” é o da predestinação ??? Faça-me o favor né cara, você vive da letra, por isso espiritualmente está morto e ainda se acha no direito de atacar o ministério alheio, tsc, tsc…

            Jesus abençoe

          • Tente novamente porque nessa você se enrolou todo e não disse nada, chamou até testamento de ministério. Não fique nervoso, se acalme, você consegue ser melhor que isso. Se não conseguir praça ajuda aos seus superiores, eles tem mais malandragem em distorcer a bíblia que você.

          • AM(pagueaserie)B

            O video é uma sátira ao jesus da iurd, não ao Jesus da bíblia. São pessoas diferentes, entendeu?

          • MARCOS OLIVEIRA

            Estou calmíssimo, quem perdeu o rebolado foi você ao ser desmascarado em postar um texto como se fosse seu, mas…PASMEM…era de outrem…entendeu ???

            Não preciso pedir ajuda a ninguém e nem visitar sites dos outros em busca de inspiração para poder me responder…hehe…é muito fácil lhe dar com um fariseu como você…

            E como não tem o que dizer fica enrolando, pois a artimanha de pegar textos outros e fingir se seu, já foi desmascarada…hehe

            Jesus abençoe

  2. ” CUMPRIMENTO DE METAS

    TST reconhece vínculo empregatício de pastor da Igreja Universal

    A 7ª Turma do TST (Tribunal Superior do Trabalho) negou pedido da Igreja Universal do Reino de Deus para anular decisão do TRT-1 (Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região) (RJ) que reconheceu o vínculo de emprego a um ex-pastor obrigado a cumprir metas de arrecadação. Na mesma decisão ficou mantida a condenação da igreja ao pagamento de R$ 19 mil por danos morais ao pastor, demitido sob a acusação de roubo.

    Na inicial da reclamação trabalhista, o pastor narra que foi admitido em 1999 na função de administrador da igreja, com remuneração de aproximadamente R$ 2,4 mil, e cumpria jornada de segunda a domingo das 6h30 às 21h, com apenas uma hora de intervalo. Descreve que em 2007 teve o seu salário reduzido em R$ 1,2 mil, com a justificativa de repor perdas causadas pelo não cumprimento das metas de arrecadação estabelecidas pela igreja.

    Ainda em 2007, foi acusado pelos superiores de ter se apropriado indevidamente de parte de uma doação de R$ 23 mil reais. Na inicial, o pastor acusou a igreja de tornar o fato público. Por conta disso, foi enviado para outra filial, onde passou a trabalhar como servente. Na nova função, era motivo de comentários, pois “todos sabiam que tal fato se deu em razão da acusação injusta de que tivesse se apropriado de dinheiro das doações”, acrescentou.
    Sobre a acusação, o ex-pastor afirmou que não havia ficado com o dinheiro da doação, e sim lançado o valor na contabilidade em duas parcelas, seguindo a orientação recebida pelo pastor regional no sentido de que doações elevadas não deveriam ser lançadas de uma só vez, pois isso prejudicaria a meta mensal.

    Após um mês na nova função, foi informado de sua dispensa e de que deveria deixar a casa onde residia com a família, “sob pena de se arrepender de permanecer no imóvel”, pois sofria ameaças de seus antigos superiores, relatou.

    O ex-pastor ingressou com reclamação trabalhista pedindo o reconhecimento do vínculo, o dano moral e o pagamento de verbas trabalhistas, alegando a injustiça em sua despedida após oito anos e meio de dedicação à igreja.

    Em sua contestação, a Universal alegou que jamais manteve relação de trabalho com o pastor evangélico. Descreve que ele chegou à igreja por livre e espontânea vontade e, após participar de um processo de evangelização, resolveu tornar-se pastor.

    Segundo a defesa, durante os oito anos o pastor atuou como “colaborador autônomo para os fiéis” sem nunca prestar serviços na condição de empregado ou receber salários, apenas “subsídio pastoral”, ou seja, uma ajuda de custo para ele e sua família. A defesa alegou ainda a ausência de subordinação, pessoalidade e controle de horário. Negou também o dano moral, afirmando que o pastor não havia feito prova do alegado.

    A 65ª vara do trabalho do Rio de Janeiro (RJ), na sentença, observou que, segundo as provas testemunhais colhidas, inclusive do preposto da igreja, o pastor exercia a função de administrador da igreja, na qual tinha que cumprir tarefas e obedecer a orientações da igreja, “inclusive de arrecadação das doações, cumprindo metas, por todo o dia, com exclusividade”. Ficou comprovado ainda que ele teria sido dado como “ladrão” publicamente entre os integrantes da igreja.

    Dessa forma, a igreja foi condenada a proceder à anotação na CTPS (Carteira de Trabalho e Previdência Social) do pastor do vínculo de emprego ficando os valores das verbas decorrentes a serem calculadas em liquidação de sentença. Foi fixado ainda o valor de R$ 19 mil pelo dano moral.

    A Universal recorreu ao Regional da 1ª Região (RJ) buscando a reforma da sentença, que manteve a sentença de primeira instância. Segundo o TRT-RJ, ficou comprovada a subordinação do pastor com a igreja, com recebimento de salário, bem como a imposição do cumprimento de metas. Da mesma forma, considerou correta a decisão quanto à condenação aos danos morais. Da decisão a igreja recorreu ao TST.

    Na 7ª Turma, o acórdão teve relatoria do ministro Ives Gandra da Silva Martins Filho, que chamou a atenção para o fato de a jurisprudência do TST não reconhecer o vínculo de emprego a religiosos.

    Ives Gandra lembrou que a Lei 9.608/98 acabou regulamentando o serviço voluntário como aquele prestado sem a busca de remuneração, em função de uma dedicação em prol da comunidade. Salientou ainda o fato de o artigo 22, parágrafo 13, da Lei 8.212/91 não considerar, em face do caráter religioso, como remuneração direta ou indireta os valores pagos por entidades religiosas e instituições de ensino vocacional para subsistência de ministros de confissão religiosa, de congregação ou de ordem religiosa.

    Porém, no caso, o relator chamou a atenção para o fato de que se permitia verificar a subordinação do pastor em relação à igreja com a exigência cumprimento de metas de arrecadação de doações cujos valores eram sempre majorados no mês seguinte, além das tarefas de administração da igreja e arrecadação de pessoas e doações nas ruas. Quanto ao dano moral, considerou razoável o valor fixado pelo Regional .

    Seguindo estes fundamentos, a Turma considerou, por unanimidade, a decisão regional correta, em face das provas produzidas, observando que decidir em sentido contrário exigiria o reexame de fatos e provas, procedimento vedado pela Súmula 126 do TST”

    FONTE: ultimainstancia – uol (13/02/2012)

      • Acredito que em ambos os casos a justiça foi feita. Particularmente considero a Universal como uma seita evangélica; no entanto,
        1. no primeiro caso a exclusão foi por adultério, portanto considero justo.
        2. no segundo caso, demitir por não atingir meta financeira (???), não me lembro de Jesus ter dado meta financeira aos discípulos. É claro que a igreja precisa de dinheiro, mas punir alguém por isto é demais. Portanto, considero justo o segundo caso.

        • ricardo nascimento

          Na iurd, nem sempre os pastores saem por adultério… se não cumprir as metas ele sai. E outra… se na iurd o pastor que tem problemas de conduta, mas cumpre as metas todos os meses, pode ter certeza que da iurd ele não sai, no máximo é transferido pra dar uma satisfação ao povo.

          • Eduardo

            Na verdade, esse ex-pastor não saiu da iurd pelo adultério (se é que realmente o fez) e sim por não conseguir bater as metas financeiras mensais imposta pela liderança da iurd. Quando um pastor na iurd é acusado de alguma conduta incompatível, a primeira coisa que se observa é os relatórios mensais da arrecadação de dinheiro dele… se ele “não cresce” (código que significa arrecadar além da meta financeira) ele é mandado embora e o “adultério” é apontado como o motivo da saída, sendo que na vdd o motivo foi a sua baixa arrecadação. Por outro lado, se o pastor que comete um deslize é bom na arrecadação, ou seja, “mata o leão”, dependendo da repercusão do escandalo, algo leve, ele permanece no mesmo templo, se for muito escandaloso o erro, ele é transferido pra bem longe… e o povo fica com a impressão que ele foi disciplinado e dispensado da “obra”… (afinal de contas, quem vai atrás para ver se o pastor foi realmente tirado da iurd???)

            Na verdade, o que tira realmente o pastor da iurd é não bater as metas financeiras!

            Veja o caso do bispo rodrigues… no escandalo do mensalão, a iurd tirou ele de bispo, mas ele continuou nos bastidores, longe da vista do povo. Ele continuou ligado a iurd, sempre esteve, dirigindo radios da denominação.

          • STARDUST ou JAIRO THOMAZELLI

            Isso não verdade…mas poderia eu esperar verdade de alguém que vive de mentiras ???

            Jesus abençoe

          • Isso não é verdade só na IURD, na Renascer é a mesma coisa e não deve ser diferente de muitas igrejas Neopentecostais.

          • MARCOS OLIVEIRA

            Como pode, você ter feito teologia e ao invés de sair aos confins da terra e ganhar almas pra Jesus na pregação do evangelho, usa sua teologia de escritório pra atacar o ministério alheio…lembro-me que os fariseus, atacavam o ministério de Jesus por inveja…que dor de cotovelo hein meu velho ?!!?
            …hehe

            Jesus abençoe

          • Não fique de conversa fiada meu amigo e abra as escrituras, está mesma que você distorce para enganar os fiéis e me mostre em qual lugar dela ela afirma que um cristão foi chamado para “ganhar almas”.

            Eu desafio você a me mostrar nas escritura esta afirmação de forma clara e sem distorção alguma.

            Me mostre! Estarei esperando.

          • AM(pagueaserie)B

            E por acaso os pastores da iurd são avaliados pela liderança da iurd de que forma?

            Pelas almas que ganham ou pelo dinheiro que ganham pra organização? Responda essa ao menos uma vez, e pare de fugir do assunto.

          • MARCOS OLIVEIRA

            Abra as escrituras ??? A mesma que você deturpa pra justificar seu pecado de julgar e condenar o ministério alheio, já que você não tem a disposição em viver o IDE de Cristo ???
            Que moral você tem de falar algo de nós, se COPIA um texto, posta como se fosse algo de sua autoria…você é uma fraude meu velho…hehe

            Jesus abençoe

          • Eu não deturpo as Escrituras quem o faz são vocês e novamente você não as utiliza para rebater meus argumentos.

            Quanto ao texto já expliquei muito bem explicado, não se prenda a esse argumento tão pequeno para desviar o assunto.

            O desafio continua de pé.

          • MARCOS OLIVEIRA

            Então ser desmascarado, com uma fraude, de postar um texto para nos “”dar uma lição de moral””, como se fosse seu, mas na verdade a autoria do tal texto é de outra pessoa, pra você é algo pequeno, um “”desvio de assunto”” ??? Ou seja, pra você nos atacar, vale tudo, mentiras e até fraude, mas defender o que fazemos, é “”deturpar”” a palavra…meu caro, conheço bem seu tipo, há anos lido com fariseus invejosos como você…

            O mais engraçado é que no GRANDE julgamento, cada um prestará contas de si ( Rm 14 : 10 e 12 ) e você preocupado em julgar o ministério alheio…faça-me o favor hein ?!!?

            Jesus abençoe

          • Já expliquei o ocorrido mas coloco minha resposta novamente aqui para que não haja dúvida:

            Creio que caberia alguma exortação a mim se eu em algum momento tivesse dito que o texto era meu, algo que não o fiz e pelo contrário dei a entender muito bem isto na minha introdução ao dizer:

            “O texto é um pouco longo mas desmascara esse argumento de “Descendentes de Abraão pela fé” colocando o termo, que é correto, no seu devido lugar.”

            Ora, se eu estou anunciando um texto é óbvio que ele não é meu, se fosse meu, eu não precisaria dizer isto. Se o site aceitasse o envio de links eu teria enviado.

            Não vou entrar de novo neste assunto que é só um meio de você ficar desconversando, creio que ficou muito claro a todos que não houve má fé alguma da minha parte.

            Já você continua se prendendo nesta bobagem para fugir dos assuntos relevantes, estratégia típica de sua denominação, atacar os opositores tentando desmoralizá-los fazendo o famoso assassinato de reputação.

            Coisa de gente de baixo nível moral.

          • Estou tentando responder mas estou sendo moderado não sei por qual motivo.

            Vou tentar novamente.

            Você continua se prendendo a esta bobagem que eu já expliquei e não tornarei a repetir, ficou mais do que claro que não houve má fé de minha parte e deixei explicito que o texto não era meu.

            Mas seu comportamento é tipico de sua denominação de tentar desmoralizar os que vocês consideram opositores fazendo o famoso assassinato de reputação.

            Coisa de gente de baixo nível moral.

  3. Conforme o desembargador, o vínculo estabelecido entre o pastor e a igreja era de natureza religiosa e não econõmica, isso na teoria é verdade. Na prática é outra coisa. Todos sabem da sujeira dessa seita que funciona como shoping da fé.

  4. Bem feito por duas coisas: se envolver com falcatruas dessa seita e por trair cometer adultério. O jeito agora é inventar outra “igreja” para agradar satanás.

  5. ele esta tão cego, que esqueceu como chegou na igreja, e como hoje esta, foi acolido tornou-se um cidadão diante da sóciedade, mais errou, e a igreja não admiti erros de quem esta afrente do trabalho ele sabe disto também. Portanto não tem condição de dirigi uma igreja.

    Se arrependa pastor em quanto a esperança, vc. não pregou isso. Arregace a manga e ponha em pratíca o que ensinou o seu povo. não sou da universal / sou de Deus….

  6. vejo que muitos comentaristas estão parabenizando a iurd por expulsar o “adultero” e a justiça não reconhecer o vinculo empregatício do mesmo…

    infelizmente são pessoas que não conhecem a iurd que dão razão á ela…

    Na verdade, esse ex-pastor não saiu da iurd pelo adultério (se é que realmente o fez) e sim por não conseguir bater as metas financeiras mensais imposta pela liderança da iurd. Quando um pastor na iurd é acusado de alguma conduta incompatível, a primeira coisa que se observa é os relatórios mensais da arrecadação de dinheiro dele… se ele “não cresce” (código que significa arrecadar além da meta financeira) ele é mandado embora e o “adultério” é apontado como o motivo da saída, sendo que na vdd o motivo foi a sua baixa arrecadação. Por outro lado, se o pastor que comete um deslize é bom na arrecadação, ou seja, “mata o leão”, dependendo da repercusão do escandalo, algo leve, ele permanece no mesmo templo, se for muito escandaloso o erro, ele é transferido pra bem longe… e o povo fica com a impressão que ele foi disciplinado e dispensado da “obra”… (afinal de contas, quem vai atrás para ver se o pastor foi realmente tirado da iurd???)

    Na verdade, o que tira realmente o pastor da iurd é não bater as metas financeiras!

    Veja o caso do bispo rodrigues… no escandalo do mensalão, a iurd tirou ele de bispo, mas ele continuou nos bastidores, longe da vista do povo. Ele continuou ligado a iurd, sempre esteve, dirigindo radios da denominação.

    • STARDUST ou JAIRO THOMAZELLI

      E você conhece a UNIVERSAL porque esteve entre nós como…

      ( ) Bispo
      ( ) Pastor Estadual
      ( ) Pastor Regional
      ( ) Pastor Titular
      ( ) Pastor auxiliar
      ( ) Obreiro
      (X) Membro problemático e que NUNCA foi nada na UNIVERSAL, pois GRAÇAS a DEUS que deu discernimento ao seu pastor que “”não deu assas a cobra””…

      Aí já como você não conhece o nosso trabalho, NUNCA ESTEVE ENTRE NÓS, pois só foi da UNIVERSAL 10 meses e saiu por não conseguir parar de roubar a Deus ( Ml 3 : 8 ao 10 ) e nem parar de pecar e se baseia em fofocas, ou coisas que você mesmo inventa, ou em vídeos montados, ou em investigações e suspeitas contra nós NUNCA que se conseguiram PROVAR…acredita que tem que moral pra que os que são da UNIVERSAL, ou que basta apenas serem um pouquinhos inteligentes para lhe darem crédito ???

      A anos vocês está por aqui, nos atacando…já até andou passando mal e nos pedindo desculpas, mas quando melhorou um pouquinho voltou a nos atacar outra vez…hehe…mas até seu trabalho de acusador dos irmãos não prospera, não dá frutos…cara, quando chegar a tua hora, o diabo vai te pedir contas do péssimo trabalho que você fez pra ele, tsc, tsc

      Jesus abençoe

    • O stadutsjairo então faz assim, para provar o que você disse:
      VOCÊ PODERIA CITAR O NOME DO BISPO OU PASTOR QUE TRAIU SUA ESPOSA, OU ROUBOU, OU COMETEU ADULTÉRIO, E esta ativo na igreja em qualquer parte do mundo.
      mostra ai as provas de suas acusações.

      o máximo que o pastor consegue quando adultera e se transformar em um rachador de lenha.
      Mas mesmo assim eles ainda são de DEUS, pois se mostram arrependidos, e aceitam ser rachadores de lenha.
      MAS O SEU CASO VOCÊ TAMBÉM E UM RACHADOR DE LENHA, SÓ QUE VOCÊ VIVE RACHANDO LENHA PARA O DIABO. SEU PAI QUE JA ATÉ TE AGRADECEU AQUI PELO SEU DESEMPENHA. Mas agora parece que ele esta triste com você, pois você vem apanhando direto, e levando na cabeça.
      CUIDADO QUE VOCÊ VAI PERDER SEU CARGO E O DIREITO DE SENTAR DO LADO DE SATANAS. Pois o edsom souza esta nessa disputa junto com você.
      ele vai te derrubar do seu posto.

    • O stadutsjairo então faz assim, para provar o que você disse:
      VOCÊ PODERIA CITAR O NOME DO BISPO OU PASTOR QUE TRAIU SUA ESPOSA, OU ROUBOU, OU COMETEU ADULTÉRIO, E esta ativo na igreja em qualquer parte do mundo.
      mostra ai as provas de suas acusações.

      • o máximo que o pastor consegue quando adultera e se transformar em um rachador de lenha.Mas mesmo assim eles ainda são de DEUS, pois se mostram arrependidos, e aceitam ser rachadores de lenha.
        MAS O SEU CASO VOCÊ TAMBÉM E UM RACHADOR DE LENHA, SÓ QUE VOCÊ VIVE RACHANDO LENHA PARA O DIABO. SEU PAI QUE JA ATÉ TE AGRADECEU AQUI PELO SEU DESEMPENHO. Mas agora parece que ele esta triste com você, pois você vem apanhando direto, e levando na cabeça.CUIDADO QUE VOCÊ VAI PERDER SEU CARGO E O DIREITO DE SENTAR DO LADO DE SATANAS. Pois o edsom souza esta nessa disputa junto com você.
        ele vai te derrubar do seu posto.

      • o máximo que o pastor consegue quando adultera e se transformar em um rachador de lenha.Mas mesmo assim eles ainda são de DEUS, pois se mostram arrependidos, e aceitam ser rachadores de lenha.

        • MAS O SEU CASO VOCÊ TAMBÉM E UM RACHADOR DE LENHA, SÓ QUE VOCÊ VIVE RACHANDO LENHA PARA O DIABO. SEU PAI QUE JÁ ATÉ TE AGRADECEU AQUI PELO SEU DESEMPENHO. Mas agora parece que ele esta triste com você, pois você vem apanhando direto, e levando na cabeça.
          CUIDADO QUE VOCÊ VAI PERDER SEU CARGO E O DIREITO DE SENTAR DO LADO DE SATANAS. Pois o edsom souza esta nessa disputa junto com você.
          ele vai te derrubar do seu posto.

          • MAS O SEU CASO VOCÊ TAMBÉM E UM RACHADOR DE LENHA, SÓ QUE VOCÊ VIVE RACHANDO LENHA PARA O DIABO. SEU PAI QUE JA ATÉ TE AGRADECEU AQUI PELO SEU DESEMPENHO.

          • Mas agora parece que ele esta triste com você, pois você vem apanhando direto, CUIDADO QUE VOCÊ VAI PERDER SEU CARGO E O DIREITO DE SENTAR DO LADO DE SATANAS. Pois o edsom souza esta nessa disputa junto com você.
            ele vai te derrubar do seu posto.

          • CUIDADO QUE VOCÊ VAI PERDER SEU CARGO E O DIREITO DE SENTAR DO LADO DE SATANAS. Pois o edsom souza esta nessa disputa junto com você.ele vai te derrubar do seu posto.

      • O colunista Leo Dias, do jornal O Dia publicou a notícia, sem citar nomes, de que uma famosa apresentadora da Record está afastada da TV e não deve ter seu contrato renovado por causa de affair com bispo da Igreja Universal.

        Leia a nota na íntegra:

        “Uma apresentadora de um telejornal da Record, que está afastada da bancada e cujo contrato acaba este ano, anda espalhando por aí que vai colocar a boca no trombone caso a empresa a demita. Simplesmente a bela vive um romance com um bispo poderosérrimo da Igreja Universal. Alexandre Raposo, presidente da Record, descobriu o affair e, por isso, não deve renovar o contrato da moça. Preparem-se! Vem bomba por aí! A tal moça, aliás, querida pelo público, por muito pouco não virou apresentadora do ‘Programa da Tarde’. Seu nome só não foi confirmado porque Ticiane Pinheiro conseguiu um patrocínio milionário da Wella para a atração da Record.”

        Vale lembrar que a Record havia confirmado o nome da jornalista Carla Cecato como uma das apresentadoras do “Programa da Tarde” antes de Ticiane Pinheiro assumir essa função.

        • Não foi você que alardeou por aqui que o Bispo Romualdo estava fora dos planos do TEMPLO ??? É suas FOFOC…op’s…””notícias”” estão furadas hein kkkkkkkkkkkkkkkkk…

          Jesus abençoe



          Assine o Canal
          • O AMB

            Você acha que o bispo Macedo seria bobo de perder o bispo Romualdo.
            Mais vamos aguardar a Consagração dos novos Sacerdotes.
            Não é verdade?

          • “bispos” da iurd agora vão se intitular sacerdotes????

            Quem não tem Jesus precisa desses “sacerdotes” auto-consagrados mesmo… mas nós cristãos já temos um sumo sacerdote:

            “Com efeito, nos convinha um Sumo Sacerdote como este, Santo, Inculpável, sem mácula, separado dos pecadores e feito mais alto do que os céus” (hebreus 7:26)

          • EDUARDO

            Eu não comentei se o Bispo Macedo é bobo ou não…eu comentei que você entrou no site alardeando que o Bispo Romualdo não fazia mais parte dos planos do Bispo Macedo…

            É muito interessante ver pessoas como você, mudar os argumentos tão fácil, como se muda de roupa…hehe…ou seja, vou fofocar, se colar, colou…hehe

            STARDUST

            Que notícia ??? Aaahhh a fofoca né…aaahhh bom, entendi…é claro que você sabia dessa fofoca, você trabalha em favor desse site de fofocas Gospel e também leu o que o Eduardo, mais um que saiu “”injustamente”” da UNIVERSAL, porque não fez nada de errado, escreveu aqui…eu que estou de vez em quando aqui, li essa bobagem, imagine você que está aqui todos os dias…hehe

            Jesus abençoe

          • STARDUST

            Que notícia ??? Aaahhh a fofoca né…aaahhh bom, entendi…é claro que você sabia dessa fofoca, você trabalha em favor desse site de fofocas Gospel e também leu o que o Eduardo, mais um que saiu “”injustamente”” da UNIVERSAL, porque não fez nada de errado, escreveu aqui…eu que estou de vez em quando aqui, li essa bobagem, imagine você que está aqui todos os dias…hehe

            Jesus abençoe

          • AM(pagueaserie)B

            E sobre as metas de arrecadação que os pastores da iurd devem cumprir todos os meses, é mentira também?

            porque vc foge desse assunto?

  7. mentira uma pinóia. neste vídeo o próprio EM fala contra o trabalho fraco do então deputado federal Antonio Bulhões que é cheio de retórica, mas não batia mete, o que EM fêz, tituou ele de lá, pastor que não bate meta, está fora. (a partir do minuot 4:30) assista carrerista AMB.



    Assine o Canal
    • MARCOS OLIVEIRA

      GANHAR ALMAS, é um termo cristão, para aqueles que pregam o evangelho, você não sabia disso ??? Que estranho…TODAS as denominações evangélicas usam esse termo…realmente seu ministério deve ser “”muito frutífero””, ao ponto de você se por como juiz e ficar julgando o ministério alheio…hehe

      E Jesus disse mais :

      “”E disse-lhes: Ide por todo o mundo, e pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado. E estes sinais acompanharão aos que crerem: em meu nome expulsarão demônios; falarão novas línguas; pegarão em serpentes; e se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os enfermos, e estes serão curados.””(Marcos 16:15-18)

      Você por acaso, faz isso, ou sua teologia é só um pretexto para exacerbar seu orgulho ???

      Jesus abençoe

      • Você é da IURD e quer falar de arrogância.

        A IURD é o local de maior concentração de presunçosos e donos da verdade por metro quadrado, vocês não poupam nem a Deus de suas arrogâncias e fazem cultos de “revolta” contra Ele e ordenam a Ele que cumpra sua palavra.

        Vocês não tem moral alguma para falarem de arrogância.

        Quanto ao “ganhar almas”, sim, é um termo utilizado, utilizado de forma equivocada e pior, de fato se acha que ganha-se almas, algo que não tem amparo algum nas escrituras.

        O texto por você citado é claro que o comissionamento da igreja é para pregarmos o evangelho e não “ganharmos almas”. Se esse é seu argumento bíblico tente outro.

        Quem ganha almas é Cristo através do Espirito Santo meu caro:

        “E aos que predestinou a estes também chamou; e aos que chamou a estes também justificou; e aos que justificou a estes também glorificou.” Romanos 8:30

        “Todo o que o Pai me dá VIRÁ A MIM (independente de algo ou alguém); e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora (não perde a salvação).” João 6:37

        PS: Parênteses colocados por mim.

        • MARCOS OLIVEIRA

          A opinião de alguém que usa de fraude para enganar os outros, postando textos que não são de sua autoria, como se fossem, realmente tem muito peso…hehe

          Na UNIVERSAL, tem gente falha sim, pois na UNIVERSAL, são seres humanos, sujeitos a erros e acertos, mas parece-me que sua teologia, assim você deve pensar, o colocou acima do bem e do mal, se achando apto a tomar o lugar de Deus e julgar os outros, tsc, tsc…

          O que me surpreende é você não saber que TODAS as igrejas evangélicas usam o termo GANHAR ALMAS, em relação a pregação do evangelho e você se apega a um detalhe bobo, como se tivesse “”descoberto o Brasil””e usa essa bobagem para “”validar sua teologia de fariseu””…hehe…incrível…então quando Paulo diz que “”somos cooperadores de Deus”” ( I Co 3 : 5 ao 10 – II Co 6:1 ) é em vão, ou quando o mesmo Paulo diz que formar Jesus em alguém é como dores de parto ( Gl 4:19 ), também é em vão…pra você, “”mestre em teologia de escritório””, é só pregar e o Espírito Santo faz o resto…hehe…não é de me espantar o como as igrejas tradicionais se atrofiaram, tsc, tsc…

          Eu já desconfiava que você era “”partidário”” da teologia da predestinação, a teologia dos acomodados…grato

          Jesus abençoe

          • Este texto não explica nada por uma razão muito simples. Ele é um texto do antigo testamento onde a aliança de Deus com o homem era através do pacto do monte Sinai.

            Conceitos como salvação em Cristo não existiam até porque Cristo ainda não havia vindo, logo, este texto não trata de “ganhar almas” no sentido que temos hoje.

          • Marcos Oliveira,

            “Fiz-me como fraco para os fracos, para GANHAR os fracos. Fiz-me tudo para todos, para por todos os meios chegar a SALVAR alguns” 1Co 9:22

            “Ganhar” ou “Salvar” no texto acima não quer dizer que estas almas serão salvas por mim ou por vc, mas nós somos [CO]operadores em Cristo, somos instrumentos para “ganhar” almas A CRISTO.

            Abraço, que Deus te abençoe.

          • Ainda bem que você mesmo já explicou o texto, pois, por ele eu poderia pensar que nós eramos o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo e com isso conseguimos a autoridade de salvar alguém.

            Sua interpretação é correta no que tange ao sermos cooperadores e não os responsáveis.

            Isso fica claro se você continuar a ler o texto logo após no versículo 27:

            “Antes subjugo o meu corpo, e o reduzo à servidão, para que, PREGANDO aos outros, eu mesmo não venha de alguma maneira a ficar reprovado.” 1 Coríntios 9:27

          • Eu creio na predestinação sim e isso nada tem haver com acomodação.

            Eu não estou preocupado com os termos utilizados nas igrejas evangélicas, estou preocupado com o que diz as escrituras e elas são claras quanto a quem faz a obra é sim o Espirito Santo, tanto na salvação como na santificação.

            Vocês são como os católicos que tanto condenam e colocando fermento na massa negam a graça salvadora de Cristo colocando no “fazer” humano condições para a salvação.

            Esqueça o que você acha ou deixe de achar e entenda o que as escrituras dizem acerca de temas como predestinação, eleição e salvação.

          • Marcos Oliveira,

            “Ganhar almas” não é um termo utilizado apenas por evangélicos a bíblia o usa, só temos que interpretar corretamente… simples.

            “O fruto do justo é árvore de vida, e o que GANHA ALMAS é sábio” Pv 11:30

            Que Deus te abençoe.

          • Já expliquei este texto.

            O grande problema neste termos é que muitos o interpretam de forma literal e tem crente que até faz conta de quantas almas “ganhou” para Cristo quando na verdade isso não existe e nunca existiu.

          • MARCOS OLIVEIRA

            O que esperar de alguém que crê em predestinação, que se acham os certos e todos estão errados…repito novamente, não é sem motivo que há igrejas tradicionais que creem nesse engano e suas igrejas estão atrofiadas, assim como seu ministério o é…essa obra que você est’;a fazendo, não é de Deus não meu caro, de acusador, já basta o diabo…

            Você como “”teologo de escritório”” condenou o JEANN, que postou um versículo de Provérbios…””aahh é coisa do VT”” …alguém tinha que avisar a JESUS, a PAULO, a PEDRO a TIAGO, que mesmo na Nova Aliança, NT, fizeram várias referências de que tinhámos que IMITAR aos hérois da fé do VT, da “”Antiga Aliança””…e justamente, quem criticava as pregações de JESUS, PAULO, PEDRO e TIAGO eram os fariseus e doutores da lei…ou seja, aquele espírito farisaíco hoje habita nos NEO FARISEUS, nos NEO DOUTORES DA LEI, tsc, tsc

            Jesus abençoe

          • Algumas considerações:

            “O que esperar de alguém que crê em predestinação” – Qual o problema e crer na predestinação se a própria escritura é clara a esse respeito?

            “que se acham os certos e todos estão errados” – Não me coloco nessa condição, o que sei e é claro nas escrituras pontuo, os pontos em que ainda não tenho convicção fico calado.

            “repito novamente, não é sem motivo que há igrejas tradicionais que creem nesse engano e suas igrejas estão atrofiadas” – De fato as igrejas tradicionais passam por um mal momento, mas nada disso é estranho pra mim, pois, a apostasia da igreja é cumprimento profético e poucos são os que ainda buscam o conhecimento das escrituras, a maioria, prefere fazer suas fogeuiras santas e o toma lá da cá.

            “assim como seu ministério o é” – Você nem sabe qual é o meu ministério e outra, nem de ministério tradicional eu sou.

            “essa obra que você est’a fazendo, não é de Deus não meu caro, de acusador, já basta o diabo…” – Eu não acuso ninguém, apenas cumpro uma orientação biblica “Que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina.” 2 Timóteo 4:2

            Se acha a predestinação um engano rebata biblicamente e não fique jogando palavras ao vento.

          • Nós cristãos não somos contra o velho testamento, nem queremos “rasgá-lo” como muitos evangélicos nos acusam.

            Nós cristãos apenas cremos que o velho testamento deve sempre ser considerado à luz do novo testamento. Muitas passagens do VT não se aplicam a nós hoje em dia, e por isso essa cautela.

          • AM(pagueaserie)B

            O termo “ganhar almas” é mesmo comum no arraial evangélico, se a iurd ao menos tivesse esse intento, mas lá o pastor é medido não pelas almas que ganha, mas pelo dinheiro que arrecada mensalmente.

            “siiiiiiiiiiiiim ou naãããããããããooooo…”

          • MARCOS OLIVEIRA

            É claro que eu sei qual é seu ministério…estou falando direto, que seu ministério é o de fariseus, de ficar julgando e condenando o ministério alheio…você adepto da predestinação que acha e condena o termo cristão ganhar almas, não respondeu ainda…

            “”então quando Paulo diz que “”somos cooperadores de Deus”” ( I Co 3 : 5 ao 10 – II Co 6:1 ) é em vão, ou quando o mesmo Paulo diz que formar Jesus em alguém é como dores de parto ( Gl 4:19 ), também é em vão…pra você, “”mestre em teologia de escritório””, é só pregar e o Espírito Santo faz o resto…hehe…não é de me espantar o como as igrejas tradicionais se atrofiaram, tsc, tsc…””

            O IDE de Jesus não se resume apenas em “”Que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina.”” ( 2 Timóteo 4:2 )

            Mas quando você vai fazer isso que Jesus mandou fazer também ???

            “”E estes sinais seguirão aos que crerem: Em meu nome expulsarão os demônios; falarão novas línguas;
            Pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão mãos sobre os enfermos, e os curarão.””

            ( Marcos 16:17-18 )

            Jesus abençoe

          • “”E estes sinais seguirão aos que crerem: Em meu nome expulsarão os demônios; falarão novas línguas; Pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão mãos sobre os enfermos, e os curarão.””

            Marcos 16:17-18

            Vamos analisá-lo:

            Promessa feita aos Apóstolos e confirmada no versículo 20 do mesmo capítulo:

            “E eles, tendo partido, pregaram por todas as partes, cooperando com eles o Senhor, e confirmando a palavra com os sinais que se seguiram. Amém.” – Marcos 16:20

            Isso não quer dizer que estes sinais não possam ser operados hoje, podem, mas não se trata de uma promessa para a igreja.

        • “Você é da IURD e quer falar de arrogância”

          Esses iurdianos não se enxergam mesmo… são tão arrogantes que acham até que podem por Deus contra a parede… só se for o deus deles, o dinheiro.

          Não se enxergam mesmo… também pra quem usou a ex-“tv de Jesus” para acusar outros ministérios de heresias e práticas antibiblicas e lider religioso rival de enriquecer a custa dos membros, esperar o que?

  8. Você continua se prendendo nesta bobagem para fugir dos assuntos relevantes, estratégia típica de sua denominação, atacar os opositores tentando desmoralizá-los fazendo o famoso assassinato de reputação.

    Coisa de gente de baixo nível moral.

  9. Já expliquei o ocorrido mas coloco minha resposta novamente aqui para que não haja dúvida:

    Creio que caberia alguma exortação a mim se eu em algum momento tivesse dito que o texto era meu, algo que não o fiz e pelo contrário dei a entender muito bem isto na minha introdução ao dizer:

    “O texto é um pouco longo mas desmascara esse argumento de “Descendentes de Abraão pela fé” colocando o termo, que é correto, no seu devido lugar.”

    Ora, se eu estou anunciando um texto é óbvio que ele não é meu, se fosse meu, eu não precisaria dizer isto. Se o site aceitasse o envio de links eu teria enviado.

    Não vou entrar de novo neste assunto que é só um meio de você ficar desconversando, creio que ficou muito claro a todos que não houve má fé alguma da minha parte.

    Já você continua se prendendo nesta bobagem para fugir dos assuntos relevantes, estratégia típica de sua denominação, atacar os opositores tentando desmoralizá-los fazendo o famoso ass assinato de reputação.

    Coisa de gente de baixo nível moral.

  10. Nós cristãos não somos contra o velho testamento, nem queremos “rasgá-lo” como muitos evangélicos nos acusam.

    Nós cristãos apenas cremos que o velho testamento deve sempre ser considerado à luz do novo testamento. Muitas passagens do VT não se aplicam a nós hoje em dia, e por isso essa cautela.

    • Você cristão ??? Já dizia Jesus : JOÃO 8…

      “”Eu falo das coisas que vi junto de meu Pai; vós, porém, fazeis o que vistes em vosso pai.
      8.39 Então, lhe responderam: Nosso pai é Abraão. Disse-lhes Jesus: Se sois filhos de Abraão, praticai as obras de Abraão.
      8.40 Mas agora procurais matar-me, a mim que vos tenho falado a verdade que ouvi de Deus; assim não procedeu Abraão.
      8.41 Vós fazeis as obras de vosso pai. Disseram-lhe eles: Nós não somos bastardos; temos um pai, que é Deus.
      8.42 Replicou-lhes Jesus: Se Deus fosse, de fato, vosso pai, certamente, me havíeis de amar; porque eu vim de Deus e aqui estou; pois não vim de mim mesmo, mas ele me enviou.
      8.43 Qual a razão por que não compreendeis a minha linguagem? É porque sois incapazes de ouvir a minha palavra.
      8.44 Vós sois do diabo, que é vosso pai, e quereis satisfazer-lhe os desejos. Ele foi homicida desde o princípio e jamais se firmou na verdade, porque nele não há verdade. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira.”””

      Jesus abençoe

  11. STARDUST disse, parafraseando o teologo de escritório MARCOS OLIVEIRA :

    “”“Você é da IURD e quer falar de arrogância”

    Esses iurdianos não se enxergam mesmo… são tão arrogantes que acham até que podem por Deus contra a parede… só se for o deus deles, o dinheiro.

    Não se enxergam mesmo… também pra quem usou a ex-”tv de Jesus” para acusar outros ministérios de heresias e práticas antibiblicas e lider religioso rival de enriquecer a custa dos membros, esperar o que?””

    Sobre o Bispo “”atacar”” os outros, na verdade e você sabe bem, ele estava respondendo aos outros que o viviam atacando…

    É STARDUST, ou jairo e também serve para o “”predestinado”” MARCOS OLIVEIRA…hehe

    A nossa FÉ, assusta e incomoda os incrédulos mesmo, mas isso já acontecia desde o tempo de Jesus, quando os FARISEUS e DOUTORES DA LEI se achavam os únicos no direito de falar de Deus…então para invalidar o que JESUS fazia, diziam ser obras de demônios, até chamaram Jesus de pecador…e o que PAULO, PEDRO e TIAGO faziam, chamaram de seita…vocês seguem essa mesma linha de “”raciocínio””, se é que podemos chamar assim…hehe…os FARISEUS e DOUTORES DA LEI, viviam escandalizados com a FÉ de JESUS e dos apóstolos…por isso vocês são assim…

    Sabe se o ministério de vocês desse fruto, melhorasse e ajudassem as pessoas, eu até os respeitaria, mas como o que vocês fazem é obra do acusador, só posso lamentar, tsc, tsc…

    Quando DEUS usá-los pra fazer o que esse testemunho conta, talvez vocês tenham moral pra falar alguma coisa…hehe



    Assine o Canal
  12. Esse deve ser um paxtô de esquina, pq se fosse “bispo” da elite o tratamento seria outro.
    Paxtô de esquina pode ser expulso por adultério, agora “bispo” da elite não pode?

    A hipocrisia nesse meio é grande.

  13. Esse tipo de ação trabalhista está ficando bastante comum no Brasil e são patrocinadas pelo escritório Macohin Advogados Associados que tem sedes nas principais cidades e a experiência necessária para esse tipo de causa em especial.
    Dúvidas podem ser sanadas pelo e-mail: anderson@macohin.com

  14. Em outro caso patrocinado pelo Advogado Anderson Macohin http://www.macohin.com:

    O trabalho no âmbito das instituições religiosas não exclui, por si só, a possibilidade de relação jurídica de emprego, principalmente se ficar provada a falta de voluntariedade na prestação laboral. Com estefundamento, a 2ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho do Rio Grande do Sul confirmou sentençaque reconheceu vínculo de emprego entre um pastor e a igreja para a qual trabalhou por mais de ano.O relator do recurso da igreja, desembargador Raul Zoratto Sanvicente, de início, replicou o argumento usado pelo juízo de 1º grau: ao não comparecer na audiência de instrução, a parte ré incorreu em ‘‘confissão ficta’’. Ou seja, a revelia faz presumir como verdadeiros os fatos afirmados pela parte reclamante na inicial.Segundo o relator, apesar de a parte ré defender a tese de que o reclamante tornou-se membro da congregação de maneira voluntária e progressiva, primeiro auxiliando na realização dos cultos e, após, trabalhando como pastor, não havia a mínima prova que desse respaldo a essas explicações.‘‘Inexiste, portanto, demonstração de que o labor prestado revestiu-se de traços voluntários, o que serviria para afastar a configuração do vínculo empregatício. Logo, e também em razão da confissão ficta na qual incorreu a ré, deve prevalecer a versão da inicial, no sentido de que o reclamante não fazia parte da entidade religiosa e foi contratado com o propósito específico de exercer a função de pastor’’, finalizou. O acórdão foi lavrado na sessão do dia 18 de abril.O casoRobis Araújo Feitosa contou à Justiça do Trabalho que laborou na condição de empregado para a Igreja Mundial do Poder de Deus, no período de 1º abril de 2010 a 31 de maio de 2011, quando foi dispensado sem motivo. No cargo de pastor, disse que pregou para a igreja nos municípios gaúchos de Giruá, Veranópolis, Ijuí, Rio Grande, Butiá, Porto Alegre e, por último, em Panambi.Em todas essas localidades, afirmou, era o único pastor presente e fazia três cultos diariamente: às 9h, 15h e 19h30, com duração média de 1h30 a 2h. Além da moradia, mensalmente recebia ‘‘ajuda eclesiástica’’ no valor inicial de R$ 800 — que depois saltou para R$ 1,2 mil após um ano de trabalho.Na reclamatória ajuizada, o autor pediu reconhecimento de vínculo, anotação na Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS), quitação das parcelas trabalhistas epagamento de dano moral.A igreja não nomeou representante para comparecer à audiência inaugural — para depor e apresentar contestação — promovida pelo Posto Panambi, que está afeto à Vara do Trabalho de Palmeira das Missões. Por isso, foi considerada revel e ‘‘fictamente confessa’’ quanto à matéria de fato.A sentençaO juiz Ivanildo Vian explicou, de forma didática, que a Consolidação das Leis do Trabalho vê o contrato de trabalho como o vínculo pelo qual uma pessoa física (empregado) se compromete a prestar serviços de forma onerosa (por salário), pessoal, subordinada e não eventual para outra pessoa física ou jurídica (empregador). E este último assume os riscos do empreendimento. Assim, na ausência de qualquer um desses requisitos, não há relação empregatícia.De acordo com o juiz, a onerosidade significa que os serviços prestados pelo trabalhador devem ser necessariamente contraprestados mediante o pagamento de determinada verba. Assim, os serviços não podem ser a título gratuito, filantrópico ou gracioso, sob pena de macular a configuração do vínculo de emprego. Já a não-eventualidade significa a inserção dos serviços prestados pelo trabalhador dentre aquelas atividades consideradas necessárias ao tomador. Os serviços, portanto, não podem ser aleatórios, cuja importância ou necessidade não sejam permanentes.Quando se fala em pessoalidade — discorreu o juiz —, significa dizer que os serviços devem ser prestados pessoalmente pelo trabalhador, sem a substituição por terceira pessoa, por meio de empregado ou preposto.A subordinação — o mais importante e complexo dos quatro requisitos — deve ser considerada no seu aspecto jurídico. Afinal, é do elemento ‘‘subordinação’’ que nascem os poderes patronais de direção, comando, controle e de disciplina, aos quais correspondem as obrigações de obediência, diligência e fidelidade do empregado, completou.No caso, como a parte reclamada acabou ‘‘fictamente confessa’’, o juiz reconheceu a existência do vínculo empregatício, como pleiteado na inicial. Negou, entretanto, a reparação moral, por entender que o inadimplemento das verbas trabalhistas não enseja, por si só, abalo moral indenizável.‘‘A reparação devida, neste caso, já restou assegurada quando reconhecida a obrigação patronal quanto ao correspondente pagamento, com acréscimo de juros e correção monetária, sem que disso decorra qualquer presunção de abalo moral’’, encerrou.

DEIXE UMA RESPOSTA