Afastado, pastor Mark Driscoll diz que se arrepende por “não fazer o possível pela paz com os homens” como ensina a Bíblia; Assista

5

O pastor Mark Driscoll, líder da megaigreja Mars Hill em Seattle, se afastou de suas funções para que os escândalos envolvendo seu nome sejam esclarecidos pela direção da denominação que ele fundou em 1996.

A crise que resultou no afastamento do pastor Driscoll surgiu por denúncias de que ele teria usado parte dos dízimos e ofertas arrecadados pela igreja para comprar exemplares de seus próprios livros, e assim fazer os títulos lançados por ele entrarem para as listas de mais vendidos. Há ainda a suspeita de que Driscoll também subornava editores de jornal que falam sobre literatura para que suas obras estivessem sempre entre os primeiros colocados.

“Um tema central na minha caminhada pessoal com Jesus nos últimos tempos tem sido seguir encargo do apóstolo Paulo aos crentes em Romanos 12:18: ‘Façam todo o possível para viver em paz com todos’. Deus não é honrado pelo conflito, contenda, desunião, argumentação, calúnia, fofoca ou qualquer outra coisa que não é consistente com o fruto do Espírito, e estou profundamente arrependido pelas vezes que eu não fiz a minha parte para viver em paz com todos os homens”, disse o pastor no comunicado gravado por ele para a congregação.

Sobre as denúncias feitas, Driscoll disse que a melhor solução seria tratar os problemas internamente: “Quero agradecer a todos aqueles que foram diretamente a um pastor mais velho, respeitado, ou me falaram de um erro que os tem atormentado. Isso nos permite lidar com ele de frente entre as duas partes afetadas, em vez de fazê-lo num tribunal da opinião pública e da mídia pública. Eu acredito que Deus é honrado por esta abordagem centrada, assim como Ele prescreveu para nós em Mateus 18 e em outras passagens”.


No entanto, como muitas das queixas feitas contra ele se tornaram públicas, Driscoll admitiu que essa era uma consequência natural de seus erros.

“Outros optaram por expor as suas queixas contra mim ou esta igreja em um fórum mais público. Como frequentemente acontece, parte do que é dito é verdade, outras coisas, em parte são verdade, e outras ainda são completamente falsas. Ultimamente, o número de acusações combinado com a sua natureza pública, faz com que seja muito mais difícil saber como responder de forma adequada a isto tudo. Na verdade, muitas vezes, optamos por não responder a todos, o que provavelmente aumenta ainda mais as perguntas na mente de algumas pessoas, e eu entendo isso”, disse Driscoll.

Sobre seu afastamento, o pastor afirmou que fez questão de deixar os responsáveis pela apuração dos fatos em total liberdade: “Eu enviei [minha defesa] no processo prescrito pelo nosso Estatuto Social da Igreja como esmagadoramente aprovada por toda a nossa liderança para enfrentar as acusações contra mim. Opto por este processo, ao invés de debater acusações e questões na mídia social ou o tribunal da opinião pública. Os resultados deste processo vão ser apresentados quando tiver sido concluído. Eu solicitei uma pausa para o processamento, cura e crescimento em um [período] mínimo de seis semanas, enquanto a liderança atribuída pelo nosso Estatuto Social efetua uma análise detalhada de acusações contra mim. Acredito que sua análise pode ser melhor executada sem que eu esteja no púlpito ou no escritório, e eles concordaram com esta decisão”, pontuou Driscoll.

Pessoalmente, o pastor afirmou que irá aproveitar as seis semanas de afastamento para fazer uma introspecção sobre seus atos e escolhas: “Vou usar este tempo para continuar a buscar o Senhor sobre seus planos para mim e para esta próxima temporada de vida da Mars Hill. Além disso, vou usá-lo para passar mais tempo com Deus, minha esposa e nossos filhos. Como regra geral, eu vou responder a pouca ou nenhuma crítica de mim na mídia, nas redes sociais, blogs, cartas abertas, etc. Eu também não vou fazer qualquer discurso fora para o futuro previsível”.

Em sua conclusão, Mark Driscoll pediu perdão à igreja pelo transtorno causado: “Finalmente, eu quero dizer para a nossa família, o passado e o presente da Mars Hill, que eu sinto muito. Me desculpem pelas vezes em que estive com raiva, irredutível ou insensível. Sinto muito por tudo o que eu tenho feito para nos distrair da nossa missão, atraindo críticas, controvérsias ou a atenção da mídia negativa para nós. Obrigado, Mars Hill. Eu te amo”.

Assista ao pronunciamento:

Assine o Canal

5 COMENTÁRIOS

  1. Pelo menos reconhece seu erro,temos que ser crente de verdade e assumir quando erramos,e não somente quando acertamos,feio é errar e não reconhecer,errar e não se humilhar,admiro um pecador que se arrepende e tem transformação de vida!!

DEIXE UMA RESPOSTA