Mulher assaltada surpreende ladrão e se oferece para pagar a conta dos mantimentos que ele havia roubado

7

Um ensinamento de Jesus presente no sermão da montanha inspirou uma mulher a protagonizar uma cena que beira o incrível na cidade de Guthrie, estado norte-americano de Oklahoma.

Jessica Eaves, membro da Igreja Cristã de Guthrie, estava num mercado quando se deu conta de que sua carteira havia sido roubada. Ela lembrava-se apenas de que um homem havia passado por ela nos corredores do estabelecimento.

Decidida a recuperar sua carteira, Jessica foi atrás do homem e o surpreendeu por não chamar a Polícia, mas oferecer dinheiro para pagar a compra que ele havia feito. A ideia surgiu enquanto ela seguia o ladrão.

“Eu fui em direção a ele me escondendo atrás dos carros.Enquanto eu o seguia, a passagem de Lucas que diz se alguém te bate numa face, ofereça a outra face me saltou na memória. Se alguém rouba o seu manto, dê a ele sua camisa. Então eu pensei, ‘Bem, eu vou ser legal’, e disse a ele: ‘Eu acho que você tem algo meu. Eu vou dar-lhe uma escolha: você pode me dar a minha carteira e eu vou perdoá-lo agora, e pagar por suas compras, ou eu chamo a Polícia’”, afirmou a mulher ao repórter da KWTV.


Surpreso, o ladrão hesitou por um momento, mas logo entregou a carteira de Jessica. “Ele meio que me olhou por um segundo e ele enfiou a mão no bolso do moletom com capuz e entregou-a para mim”, contou a mulher, que pegou os itens que estavam na sacola, foi ao caixa da mercearia e pagou.

Os produtos que o ladrão havia roubado eram leite, pão, mortadela, sopas, biscoitos e queijo. O total dos itens ultrapassou por pouco os US$ 27 dólares, e Jessica tinha apenas US$ 28 na carteira. “Quando cheguei ao balcão do caixa naquele dia, o seu total foi de apenas um pouco mais de US$ 27 e eu tinha US$ 28 em dinheiro na minha carteira. E então eu soube naquele momento que não era eu. Foi Cristo que me tocou naquele momento”, declarou a mulher ao Christian Post.

Chorando, o homem agradeceu o gesto de Jessica: “A última coisa que ele me disse foi: ‘Estou envergonhado, não tenho filhos, estou quebrado e eu sinto muito”, revelou a mulher, que compartilhou seu testemunho no Facebook e passou a ser tema de reportagens de inúmeros veículos de comunicação.

“Independentemente de quanto dinheiro nós temos, devemos estar sempre dispostos a ajudar alguém em necessidade, porque há sempre alguém que está em necessidade maior do que nós”, disse Jessica.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+


7 COMENTÁRIOS

  1. Bom; na minha cidade eles matavam o ladrão e ainda condecoravam quem protagonizou o ato. Alegariam que era para ser exemplo aos demais pois seria uma forma educativa para as gerações vindouras e uma demonstração de fidelidade a tradição da sociedade em ser justa e pautada em boas ações em prol da segurança pública e da defesa da cidadania e em prol da sociedade organizada. Fato.

DEIXE UMA RESPOSTA