Mulher que estava em coma desperta milagrosamente horas antes de os aparelhos serem desligados

4

Uma mulher que estava em coma há 12 dias despertou milagrosamente horas antes de seus filhos optarem por desligar os aparelhos que a mantinham viva.

Teri Roberts, 56 anos, era descrita como uma mãe/avó saudável, até contrair uma grave infecção bacteriana que quase custou-lhe a vida.

A internação aconteceu em dezembro do ano passado, e no dia 10 Teri entrou em coma. Sua pele foi ficando escura conforme os órgãos eram infectados pelas bactérias e bolhas surgiram em seu corpo.

No dia 22 de dezembro, já sem esperanças de que o cenário mudaria, os filhos de Teri decidiram comunicar aos médicos do Hospital Metodista da cidade de Valley, nos Estados Unidos, que tinham optado por desligar os aparelhos.


A família estava ao redor do leito quando Teri Roberts abriu os olhos lentamente, horas antes de os equipamentos serem desligados. “Por alguma razão, ainda não era sua hora. Ela apenas magicamente acordou por um momento – cerca de quatro horas antes de nós desligarmos o suporte de vida”, disse Ryan Roberts, 35 anos, filho de Teri.

Como era véspera de Natal, Ryan destacou o momento: “Ela foi realmente um milagre de Natal. Foi, de longe, o melhor presente de Natal que eu já tive”, acrescentou.

No entanto, mesmo com o milagre da sobrevivência, a infecção deixou efeitos colaterais, e os médicos informaram que seria necessário amputar as mãos e pés de Teri, pois estavam condenados e poderiam causar novos danos.

O responsável por comunicar a necessidade de amputação foi seu marido, Kent. “Ele ergueu as mãos para que ela pudesse vê-los, e ela deu de ombros e disse: ‘OK'”, balançando a cabeça, relatou Ryan.

De acordo com o WND, o filho de Teri lembrou que mesmo de perder seus membros, ela não desistiu da vida, e já faz planos para voltar a andar e dirigir em breve, com a ajuda de próteses. “Eu desisti de minha mãe, e ela não desistiu de si mesma”, disse Ryan.

O doutor Patrick McCarville, do Hospital Metodista, afirmou à imprensa que o caso de Teri foi realmente um milagre: “A maioria das pessoas não sobrevivem a um período tão longo [de infecção e coma] como Teri fez”, afirmou.

“Sua força, determinação e entusiasmo pela vida são inesquecíveis. Teri tem um longo caminho pela frente, mas seu espírito é impressionante! Quando você entra em seu quarto de hospital, você se depara com um enorme sorriso. Ela acredita que tudo acontece por uma razão e nós simplesmente não sabemos o que é ainda”, concluiu o médico.

4 COMENTÁRIOS

  1. Com ajuda de criança, PRF flagra tráfico internacional de armas e prende pastor
    Fonte: A Tribuna On-line
    Vinte pistolas de uso restrito e 3.500 munições foram apreendidas pela Polícia Rodoviária Federeal (PRF), na Rodovia Régis Bittencourt, no último sábado (28), com uma família no Vale do Ribeira. Uma menina de 8 anos, que estava dentro do veículo, foi fundamental para que os agentes desconfiassem que algo estava errado.

    Por volta das 14 horas, policiais da PRFs abordaram um automóvel Ford Fiesta de cor cinza e placas de Sete Barras, no Vale do Ribeira. O veículo era conduzido por um homem de 42 anos, que estava acompanhado por sua esposa, de 36 anos, o filho de 21 anos e a filha, de 8 anos, todos residentes em Foz do Iguaçu, interior do Paraná.

    O pai da família dizia-se garçom, mas foi identificado como pastor evangélico que gerenciava um empreendimento para acolhimento e tratamento de dependentes químicos em Sete Barras Ele também fazia visitas de evangelização em cadeias públicas.

    Durante a entrevista inicial, o condutor disse que visitariam a família em Sete Barras, mas a filha, inocentemente, corrigiu o pai e disse que iriam para São Paulo. Devido a contradição, os PRFs decidiram vistoriar o veículo.

    Dentro do compartimento destinado ao air-bag do passageiro, sob o banco traseiro e em mochilas, os PRFs encontraram o motivo da mentira do condutor: várias armas e munições estavam sendo contrabandeadas para a Capital.

    No total, 20 pistolas e 3.500 munições, todas 9 mm, calibre de uso restrito, muito usadas por traficantes, foram apreendidas. O filho disse que as armas vieram do Paraguai e as entregaria em São Paulo. Posteriormente, parte delas iria para a cidade do Rio de Janeiro.

    Após o registro do flagrante de tráfico internacional de armas e munições, o casal e seu filho mais velho foram recolhidos ao sistema carcerário da região e poderão, se condenados, cumprir pena de reclusão de 4 a 8 anos, além de multa. A menina foi recolhida a uma abrigo da região para ser entregue a um familiar.

    Antes de se mudar para Foz do Iguaçu, família tinha um empreendimento na cidade de Sete Barras, no qual o pai da família dizia-se pastor evangélico e o gerenciava. Nele, dependentes químicos eram acolhidos e tratados. Ele também fazia visitas de evangelização em cadeias públicas. Porém, logo que mudaram para Foz do Iguaçú, no mês de janeiro deste ano, o filho foi detido pela polícia local tentando arremessar para dentro da cadeia o chamado Kit Cadeia, composto por drogas, fumo e telefones celulares e carregadores para celular.

DEIXE UMA RESPOSTA