Brasil

O cargo de Pastor é considerado a sétima profissão de maior credibilidade

Comments (15)
  1. Edson disse:

    Pois é,uma pena,deveria ser considerada a primeira ou pelo menos junto às primeiras,no entanto hoje ser pastor é motivo de piada,tantas são as falcatruas e mentiras que envolve os detentores desse cargo que já foi motivo de respeito e muita consideração,mas temos certeza de que nosso Deus que é infinitamente misericordioso tome conta dessa situação.

  2. Clayton disse:

    É sabemos que estamos vivenciando dias em que alguns tem feito do chamado pastoral um meio de vida, mais quero só dizer que ser pastor não é uma profissão. Conforme a epístola aos Efésios é um dom ministerial. Que possamos como crentes em Jesus, fcar cientes disto.
    Que Deus abençoe.

  3. eliel disse:

    os pastores com credibilidade ! glória a DEUS , mas existe aí um nepotismo , a pesquisa foi feita no estado do Espirito Santo ! rsrrss.

  4. Lázaro Maxuel disse:

    ”Muitos são chamados, poucos os escolhidos…”

  5. Na verdade, não nem pra esse cargo eclesiastico estar ai nesta lista, porque Deus deixou o pastorado foi como dom e não como prifissão. Mais no tal do mundo globalizado, até levita tem que ter carteirinha se não será multado por adorar a Deus com canticos. Realmente estamos vivendo o fim dos tempos mesmo.

    “Jesus volta logo se não eu faço uma escada pro céu e subo sozinho, não aguento mais tantas barbaris”.

  6. o nazireu disse:

    o Gilberto que coisa de bambi evangelico , vai ganhar vidas .

  7. O Nazirei hoje mesmo ganhei uma, e vc ganhou quantas?

    Falar dos outros é facil amigo, dificil é fazer o que fala.

    mais Jesus morreu por vc também por isso tenho que te amar como irmão. Que Deus te abençoe.

    Há, e ve se coloca melhor as palavras não entendi muito bem o que vc escreveu não.

    Jesus te abençoe amigo.

  8. André disse:

    Ser pastor não é profissão, mas sim vocação !

  9. ANDRÈ
    Rapaz agora vc disse tudo, assino em baixo.

  10. WALLACE disse:

    PASTOR, PROFISSÃO, ISSO É DE CHORAR SÓ DEUS PARA NOS SALVAR.

  11. J. Suélio disse:

    A colocação dos pastores poderia ser bem melhor se não fosse os falsos-pastores contratados pelas falsas-igrejas que tanto envergonham o evangelho.

    Não há qualquer importância se o oficio de “pastor” não seja profissão, o importante é que entrou na pesquisa e não foi bem colocado, como deveria.

    Afinal, os pastores é quem deveriam dar o exemplo, ser referências, um modelo de vida assim como qualquer outro trabalhador, porém, com excelência.

  12. Karla Cristina disse:

    A colocação mais equilibrada foi a do André…Essa coisa de falso pastor, falsa igreja…eu não lembro do Sr. Jesus dizendo…essa igreja é certa, ou essa é errada, como teimosamente alguns fazem…eu hem…

  13. Carlos Roberto disse:

    A DESMORALIZAÇÃO DA RELIGIÃO

    A palavra “religião” deriva do termo latino “Re-Ligare”, que significa “religação” com o divino. Essa definição, segundo alguns, engloba qualquer forma de culto místico ou religioso envolvendo seitas, mitologias e quaisquer outras doutrinas ou formas de pensamento que tenham como característica fundamental um conteúdo “metafísico”, ou seja, de ir além do mundo físico.

    Mas e a Bíblia, como define “religião”? A palavra grega traduzida por “forma de adoração”, ou “religião”, é “threskeía”. A palavra aparece apenas quatro vezes no Novo Testamento. O apóstolo Paulo usou-a duas vezes para referir-se à religião falsa. “A religião pura e sem mácula para com o nosso Deus e Pai, é esta… guardar-se incontaminado do mundo” – Tiago 1:27.

    Religião tem sido definida como expressão da “crença” e da “reverência” do homem para com um poder sobre-humano reconhecido como “criador e governante do universo”. Quem, então, logicamente tem o direito de determinar a diferença entre religião verdadeira e falsa? Certamente tem de ser aquele em quem se crê e que é reverenciado, o Criador. Deus apresentou claramente em sua Palavra sua posição sobre a “religião verdadeira” e a “falsa”.

    Admitindo-se, portanto assim, que uma igreja pura ou perfeita não é possível deste lado da glória, onde podemos descobrir o verdadeiro povo de Deus visivelmente reunido?

    A idéia central de qualquer religião deveria ser a idéia de Deus. A religião pura tem de basear-se na revelada vontade do único Deus verdadeiro e não em tradições ou filosofias criadas pelo homem. Nada saberíamos sobre Deus e seus propósitos maravilhosos, nem sobre Jesus e seu sacrifício, se não fosse a “Bíblia”. Se religião é a reverência a um poder sobre-humano reconhecido como “criador e governante do universo”, certamente a religião verdadeira tem de dirigir a adoração “exclusiva” ao Deus verdadeiro. Para tanto só e somente só a BÍBLIA deve ser usada como fundamento básico na defesa de qualquer argumento.

    Uma das características marcante de nossa geração tem sido a mania de inovar a qualquer preço e sistematicamente discordar dos pensadores que antecederam o nosso tempo. Na disputa por novos seguidores, muitas entidades voltadas para cultos que se identificam como “religiões”, em sua atual expressão, estão deixando de ser fontes de valores éticos, morais e espirituais, transformando-se empresas de negócios duvidosos, em pontos de encontros, em locais de festas e espetáculos e de oferta de serviços de bruxaria, inclusive a magia negra. A igreja estabelecida sobre a Palavra de Deus perdeu-se no tempo e hoje vive um misto de “amizade colorida” com o mundo e as suas formas de apresentar o culto ao Divino. Elas oferecem um tipo de culto que é muito pouco exigente eticamente, ou seja, estas entidades estão deixando de propor modelos de conduta, de dizer o que é certo, o que é errado e estão oferecendo ao povo o que na linguagem popular se chamam de “serviços mágicos”. A magia sempre teve como legítimo a troca econômica, desta forma o feiticeiro ou mago, sempre vendeu seus serviços. Você resolve problemas, aqui e agora, e ai entra dores diversas, desemprego, um filho drogado, um problema financeiro, etc. Mas não é só isso. O mercado da fé no Brasil ficou muito competitivo, é por isso que você tem a impressão de que as religiões são muito dinâmicas.

    Com tantas “igrejas*” existentes, cria-se uma dificuldade, qual seguir e em qual acreditar? Quem pegar o “bonde da salvação” errado vai desembarcar no “céu errado”? Muitas têm características da igreja verdadeira, mas só com objetivo de atrair as pessoas. A igreja verdadeira não é caracterizada pela prática de expulsão de demônios ou pelo uso do nome de Jesus. Há igrejas que até usam o nome de Jesus, expelem demônios em seu nome, mas ele não as reconhece. Há elementos fundamentais que não podem faltar a uma igreja verdadeira.

    As entidades voltadas para prestar culto passaram a oferecer sensações imediatas às pessoas. Tudo isso é um quadro de desmoralização das religiões. As religiões deixam de ser religiões moralizantes e passam a ser religiões mágicas. Elas estão muito midiatizadas, estão se expondo em excesso e por isto começam a ficar banalizadas. Elas não exigem que você necessariamente mude de vida e aprenda a se comportar independente de estar em estado de graça, em contato com Deus ou não. O processo de passagem da “ética” para a “magia” foi a chave para a desmoralização e hoje qualquer um pode estampar na testa o titulo de evangélico. Não de cristão, o que é algo mais sério e mais exigente.

    Por que as pessoas, na sua busca religiosa, querem mais saber das “experiências” ditas espirituais e importam-se menos com o fundamento teológico daquilo que estão seguindo? O homem por sua natureza é “imediatista” e como as entidades estão oferecendo um “prato rápido” como cardápio principal na prestação de culto, é óbvio que pela fraqueza humana, a pessoa vai escolher aquilo que der uma resposta mais veloz para as suas dificuldades.

    O cristianismo brasileiro atual, que é esse que cresce ilusoriamente, é muito mágico, com pontos de apoio vulneráveis, amuletos que se levam no bolso, na carteira, para dar prosperidade. Isso não é protestantismo. Isto é charlatanismo! Iluminismo! No popular, 171 da fé! À luz da Bíblia, podemos afirmar sem medo de errar que “TODAS” as entidades que vivem do Evangelho hoje distorcem, a seu modo, os ensinos apostólicos sobre a unidade, a constituição e as suas doutrinas.

    A religiosidade, segundo os especialistas, resolve problemas neuropsicológicos. Num país onde milhares de pessoas ganham pouco mais de R$100,00 por mês, grande parte dos problemas são neuropsicológicos e psicossomáticos, doenças que surgem como conseqüência de processos psicológicos e mentais do indivíduo desajustado das funções, que se resolvem com milagres… E ás vezes, mais do que o médico, do que os serviços de saúde.

    Conta-se que uma irmã, insatisfeita com sua igreja, teria chegado para o seu Pastor e lhe dito: “Estou à procura de uma “igreja perfeita”, com um Pastor perfeito, Diáconos perfeitos, Ministro de Música perfeito, Regentes perfeitos, Professores perfeitos, e membros perfeitos”. O Pastor lhe respondeu: “O dia em que irmã encontrar, por favor, não entre, senão a irmã vai estragá-la.”

    Alguém já disse que se a igreja não fosse de Deus os homens já teriam terminado com ela. Deus criou todas as coisas, e teve o bom gosto de criar tudo em ordem e perfeito. Mas o homem tem o poder de estragar tudo. A igreja foi criada por Jesus, que se entregou por ela, ela é a noiva, bela, bonita, perfeita e Ele virá buscá-la.

    “A religião pura e imaculada diante de nosso Deus e Pai e esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas aflições e guardar-se isento da corrupção do mundo”
    Tiago 1:27

    Carlos Roberto Martins de Souza
    crms2casa@hotmail.com

  14. Gilvan disse:

    Ser Pastor nunca foi Profissão, e sim ser chamado por Deus Para o ministério mais importante da terra, é cuidar das almas como aquele que um dia há de dar conta delas!!!!.

  15. Edvaldo disse:

    Eu concordo com o Gilvan, ser pastor não é profissão e sim chamado, aliás pastor na bíblia não é cargo eclesiástico e sim um dos dons, é interessante percebermos o quanto se infla o ego de alguém que é chamado de pastor, alguns se acham superiores, consideram-se representantes de Deus, mas tornou-se uma profissão altamente rentável, que pode influenciar pessoas, fazendo-as dependentes e porque não dizer “presas”, como a própria palavra nos afirma? Um dia todo joelho se dobrará diante do Senhor e ele perguntará o que fizemos com aquilo que nos foi confiado, quem exerce atividades relacionadas ao Reino de Deus, para o bem próprio, pensando somente em si, tirando proveito, buscando enriquecer-se aproveitando-se da fé alheia, certamente terá algo a responder quando lhe for perguntado…Hipocritas fariseus, religiosos, que ostentam e tentam ter ar de piedade, O Senhor tenha piedade de suas almas.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *