ONU cobra explicações do Vaticano sobre casos de pedofilia; Representante da Igreja Católica afirma que “não há desculpas” para os crimes

23

A Organização das Nações Unidas (ONU) organizou um  Comitê sobre os Direitos da Criança para discutir abusos sexuais contra menores por parte de integrantes da Igreja Católica, e um representante do Vaticano  foi a Genebra, Suíça, para prestar esclarecimentos.

O monsenhor Silvano Tomasi, presente na reunião, declarou que a Igreja Católica vê cada criança como “inviolável” em seu “corpo, mente e espírito”, e defendeu o ponto de vista de que não há desculpas para os atos de pedofilia praticados por representes do clero.

O Vaticano, que é signatário da Declaração Universal dos Direitos da Criança, vem sendo investigado pela ONU por suspeita de violação dos princípios do documento por, em tese, ter acobertado casos de abuso sexual contra crianças por parte de padres do México, Irlanda e Estados Unidos.

Em muitas ocasiões, ao comentar a falta de punições aos acusados, o Vaticano limitou-se a dizer que cada um dos padres estavam sujeitos à Justiça de seus países. Nesta quinta, Tomasi minimizou a importância dos abusos terem sido praticados por integrantes do clero: “Encontram-se abusadores nas profissões mais respeitadas do mundo e, mais lamentavelmente, entre membros do clero e profissionais da igreja”, afirmou.


De acordo com informações da Folha de S. Paulo, Tomasi afirmou que o Vaticano está à disposição da ONU para “receber sugestões de como coibir a prática” entre seus membros.

Papa Francisco

Os escândalos de abusos sexuais vêm sendo observados pelo pontífice católico, que em abril de 2013 pediu aos seus colaboradores e demais integrantes da Igreja Católica uma “atuação decisiva” contra os abusos sexuais contra crianças.

Sem usar o termo pedofilia em seus discursos, Francisco tem marcado posição considerada mais contundente de que seu antecessor, o papa emérito Bento XVI.

Em julho de 2013, o papa Francisco deu outro passo na direção de fechar o cerco contra os abusos sexuais contra menores e assinou um decreto que aumenta a punição para os sacerdotes que forem pegos em casos de prostituição, violência sexual, pedofilia ou posse de pornografia.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+


23 COMENTÁRIOS

  1. pois então com as devidas explicações nossos irmãos católicos, quando postei, na outra reportagem do papa , fiquei sem saber se realmente tribunal internacional querem prender bento, mas agora as explicações terão de vir para lux

  2. Clamando, como cristão católico é nosso dever e responsabilidade também em conjunto com a nossa Igreja encontrar soluções para esse grande problema do qual nos entristece muito.

    Casos de pedofilia

    O diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, padre Federico Lombardi, lembrou que não é raro que as perguntas propostas, sobretudo no que diz respeito à problemática dos abusos sexuais contra menores, pareçam supor que os bispos ou superiores religiosos agem como representantes ou delegados do Papa, o que é sem fundamento.

    Assim, responde-se que as perguntas sobre casos particulares de abusos verificados em instituições católicas, em diversos países do mundo, não são pertinentes a respeito da Convenção por parte da Santa Sé, tratando-se de casos nos quais têm jurisdição, com base nas próprias leis, os países nos quais esses se verificaram.

    O porta-voz do Vaticano reiterou que a Santa Sé está profundamente entristecida pela chaga dos abusos sexuais, que atingem crianças no mundo inteiro, e lamenta que, infelizmente, alguns membros do clero tenham estado envolvidos em abusos similares.

    Ele acrescenta que também foram dadas ao Comitê amplas respostas sobre o empenho dedicado pelo Pontífice, pelas comissões da Cúria Romana (em particular a Congregação para a Doutrina da Fé e o Conselho para a Família) em estabelecer rigorosas e eficazes normas e diretivas para tratar, contrastar e prevenir os gravíssimos fenômenos de abuso sexual contra menores, não excluída a atualização da legislação do Estado da Cidade do Vaticano em matéria penal.

    O representante da Santa Sé na ONU, monsenhor Silvano Maria Tomasi, disse, em entrevista à Rádio Vaticano, que a acusação de que a Santa Sé teria obstruído a atuação da justiça lhe parece “um pouco sem critério”. Isso, porque impedir o curso da justiça, em qualquer país, em detrimento de sua legítima jurisdição, seria “uma interferência indevida e injusta” por parte de qualquer sujeito.

    Dom Tomasi reforça que a Santa Sé apoia o direito e o dever de cada país de perseguir todo crime contra menores. “Portanto, não tolera a crítica pela qual se procura interferir ou impedir o curso da justiça. Ao contrário, quer – como Papa Francisco insiste – que haja transparência e que a justiça siga seu curso”.

    Estamos todos fortemente empenhados em descobrir essas bestas feras que se escondem em vestes de religiosos dentro de nossas igrejas, seminários, escolas e entregá-los a justiça e que apodreçam nas prisões.

    Pessoalmente gostaria de colocá-los numa forca.

    • Mauro,

      Se quer resolução, então que a igreja abandone o discurso e faça o que qualquer pai faz ao vê um filho de porte maior impôr a vontade ao mais franzino. aplique a lei. aplique sanções, dê objetividade prática à norma legal. A lei contida no papel é morta até o momento que as ações se iniciam via o ser humano e suas instituições visando dela extrair eficácia com a sua aplicabilidade plena, presente, magistral, didática, conceitual, racional, produtiva.

    • Culpados! Papa Bento XVI, a Rainha Elizabeth II e Stephen Harper, primeiro ministro do Canadá, pegam 25 anos na prisão.
      Posted on February 25, 2013
      Tradução (via Google Translate) do artigo original em inglês disponível em http://itccs.org/2013/02/25/guilty/

      CULPADO!
      Publicado em 25 de fevereiro de 2013 pelo itccs
      VEREDICTO FINAL É PUBLICADO NO PRIMEIRO CASO DO TRIBUNAL INTERNACIONAL DE JUSTIÇA COMUM CONTRA O VATICANO E O CANADÁ POR GENOCÍDIO.
      O PAPA, A RAINHA E O PRIMEIRO-MINISTRO CANADENSE FORAM CONSIDERADOS CULPADOS DE CRIMES CONTRA A HUMANIDADE E CONDENADOS A PENAS DE VINTE E CINCO ANOS DE PRISÃO.
      O TRIBUNAL EXIGE QUE ELES SE RENDAM ATÉ O DIA 4 DE MARÇO OU ENFRENTEM AS DETENÇÕES PELOS CIDADÃOS.

      BRUXELAS:
      Papa Bento XVI vai para a cadeia por 25 anos por seu papel em Crimes contra a Humanidade. A riqueza e as propriedades do Vaticano serão apreendidas, de acordo com o veredicto histórico de hoje do Tribunal de Direito Comum Internacional de Justiça.

      O Tribunal com sede em Bruxelas proferiu um veredicto unânime de culpa, por um júri formado por cidadãos e ordenou a prisão de 30 réus, com início em 04 de março, através de uma ordem judicial emitida hoje.

      O veredicto lido em parte:

      “Nós do Júri de Cidadãos achamos que os arguidos neste processo são culpados das duas acusações, isto é, eles de cometer, ou ter cumplicidade em crimes contra a Humanidade, e de fazer parte de uma conspiração criminal em curso”

      O júri decidiu que cada réu receberá uma pena obrigatória de 25 anos de prisão sem liberdade condicional, e terão todos os seus bens pessoais apreendidos.

      Declarou o Tribunal de Justiça no Despacho nº 022513-001,

      “Os réus são ordenados a entregar-se voluntariamente aos oficiais de paz e agentes autorizados por esta Corte, tendo sido considerados culpados da acusação.”

      “Os réus têm sete dias, a partir da emissão da ordem, até 04 de marco de 2013, para o cumprimento desta ordem. Depois de 4 de março de 2013, um mandado de captura internacional será emitido contra esses réus”.

      Os culpados incluem Elizabeth Windsor, Rainha da Inglaterra, Stephen Harper, primeiro-ministro do Canadá, e os oficiais chefes das Igrejas Católica, Anglicana e Unida do Canadá. (Uma cópia completa do veredicto, a ordem judicial e uma lista dos réus está incluído no link do youtube que o acompanha).

      O veredicto de culpado após quase um mês de deliberações por mais de 30 jurados cidadãos e das testemunhas dos 150 casos produzidos pelo Ministério Público do Tribunal.

      Estas exposições detalhadas são prova irrefutável de uma conspiração criminal de grande porte pelas instituições dos acusados ​​de cometer e ocultar genocídio a gerações de crianças indígenas nas chamadas escolas residencias em todo o Canadá.

      Nenhum dos réus desafiaram ou contestaram as citações públicas emitidas contra eles em setembro passado, nem negaram as acusações feitas contra eles, ou ofereceram provas em contrário ao Tribunal.

      “Seu silêncio me disse muito. Porque pessoas inocentes não defenderiam sua própria reputação ao serem acusadas de coisas tão horríveis?” , comentou um jurado, da Inglaterra.

      “Esses crimes foram dirigidos às crianças, e foram um plano frio e calculado para acabar com os índios não cristãos. E os réus claramente ainda encobrem este crime. Então, nós sentimos que tínhamos que fazer mais do que algemá-los. A reinado de terror perpetrado por religiões apoiadas pelo estado e que estão acima da lei tem que acabar, porque as crianças ainda sofrem com isso”.

      O acórdão declara que a riqueza e a propriedade das igrejas responsáveis ​​pelo genocídio canadense devem ser confiscados e colocados sob propriedade pública, como reparações para as famílias dos mais de 50.000 crianças que morreram nas escolas residenciais.

      Para fazer cumprir sua sentença, o Tribunal tem poderes cidadãos no Canadá, Estados Unidos, Inglaterra, Itália e em uma dúzia de outras nações, para agir como seus agentes legais armados com mandados, de pacificamente ocupar e confiscar as propriedades da Igreja Católica Romana, Anglicana e da Igreja Unida do Canadá, que são os principais agentes na morte dessas crianças.

      “Esta frase dá uma base legal e legitimidade para as ocupações da igreja que já começaram por parte das vítimas de tortura da igreja em todo o mundo”, comentou Kevin Annett, o conselheiro-chefe para o Ministério Público, que apresentou o caso ao mundo. (Ver artigos no http://www.itccs.org, de 06 de novembro e 30 de janeiro passados)

      “O veredicto do Tribunal é claramente de que esses organismos eclesiais criminais serão legalmente e praticamente desmontados, e sua riqueza roubada será recuperada pelo povo. A Justiça finalmente começou a ser feita. Os mortos podem agora descansar em paz.”

      Oficiais de Justiça estão entregando a Ordem a todos os Réus nesta semana, incluindo o primeiro-ministro canadense, a rainha da Inglaterra e Joseph Ratzinger, o Papa Bento XVI, que renunciou repentinamente para evitar a prisão dentro do Vaticano, há duas semanas.

      Prisões desses e de outros réus pelos cidadãos terão início em 4 de março, caso eles não se rendam, e seus bens serão confiscados, de acordo com a ordem judicial.

      Estas ações serão filmadas e publicadas aqui na semana que vem, junto com outras atualizações do Tribunal e dos seus Agentes Cidadãos.

      Por favor, veja o vídeo do youtube abaixo.

      Emitido pelo Escritório Central do Tribunal Internacional para Crimes da Igreja e do Estado

      25 de fevereiro de 2013

    • Levi,

      não falei em nenhuma ocasião de justiça divina, pois a mesma irá resolver o problema de forma definitiva num determinado momento. Continuo afirmando que os tribunais nos países onde ocorrem os crimes foram omissos.

      • Mauro,

        Você não está captando a mensagem bíblica.

        Ora, os tribunais não conseguiram dar encaminhamento em face de que tua igreja é muito fechada quanto a esse assunto.

        Deus está usando em nível mundial todos os tribunais ao mesmo tempo, ou seja, a justiça divina feita pelos homens, tanto é que bento se afastou ante as constantes ondas advindas sobre o tema, o atual se curva e quer resolver, sendo que agora vai responder ante o principal.

        Tornem-se humildes, só assim atravessaremos os mil anos previstos na bíblia como irmãos, todos num mesmo ideal, qual seja, Cristo, meu caro. Nada de única igreja, nada da igreja apostólica única. Na dor haverão de deixar a soberba.

  3. ACI

    Em uma decisão controvertida, um Tribunal de recurso na Holanda aprovou a existência de uma associação de pedófilos, que, em primeira instância, havia sido dissolvido no ano passado, considerando que esta não seria “uma ameaça para a desintegração da sociedade”.

    De acordo com o jornal ABC de Madri, a associação Martijn, que defende o sexo consensual entre crianças e adultos, poderá continuar suas funções, uma vez que o Tribunal de apelação de Arnhem, Leeuwarden, salientou que “o trabalho da associação é contrário à ordem pública, mas não há uma ameaça de desintegração da sociedade”.

    Apelando para a “liberdade de expressão”, o Presidente da Associação Martijn Uittenbogaard, apelou a decisão de um tribunal em Assen, que ordenou a dissolução do grupo de pedófilos em junho de 2012.

    Fundada em 1982, a associação Martijn, cuja sede era no distrito judicial de Arnhem, Leeuwarden, diz que ele é a favor da aceitação do sexo consentido entre adultos e crianças, mas indica que eles são contra qualquer tipo de abuso sexual.

    O recurso levantado contra a associação afirmava que os antecedentes criminais de alguns membros do abuso sexual poderiam estar relacionados com a associação, mas que eles nunca haviam cometido um crime tipificado como pedofilia.

    “O texto e imagens publicadas no site de Martijn são legais e nunca estimularam adultos a terem relações sexuais com crianças”, acrescenta o Tribunal que proferiu a controvertida decisão.

    O Tribunal porém assinalou que a associação é contrária a certos princípios da lei dos Países Baixos, porque “banaliza os perigos do contato sexual com crianças e fala bem destes contatos”.

    Por sua parte, o Presidente da associação, através de sua conta no Twitter, escreveu que “ainda existem sábios juízes, felizmente”.

    No dia 21 de novembro de 2011, o Tribunal de Leeuwarden rejeitou abrir um processo contra a associação. No entanto, o ex-presidente do mesma entidade, Ad van den Berg, foi condenado em 18 de outubro de 2011 na cidade de Haarlem a três anos de prisão, por posse de fotografias, filmes e revistas de pornografia infantil.

    +++

    Será que a ONU um dia irá convocar as autoridades holandesas ?

    • Mauro,

      Leia em apocalipse que não será o tribunal holandez e de nenhuma outra nacionalidade, sim o justo juízo de Deus em face da inércia de vocês em assistir e acudir o menor.

      • Certamente, justiça divina para uns e justiça dos homens para outros, é fácil lavar as mãos ! Aliás, a Holanda é parceira da ONU nos projetos alucinados para o mundo contemporâneo, façamos então vista grossa depois colhemos os frutos.

  4. CULPADO!
    Publicado em 25 de fevereiro de 2013 pelo itccs
    VEREDICTO FINAL É PUBLICADO NO PRIMEIRO CASO DO TRIBUNAL INTERNACIONAL DE JUSTIÇA COMUM CONTRA O VATICANO E O CANADÁ POR GENOCÍDIO.
    O PAPA, A RAINHA E O PRIMEIRO-MINISTRO CANADENSE FORAM CONSIDERADOS CULPADOS DE CRIMES CONTRA A HUMANIDADE E CONDENADOS A PENAS DE VINTE E CINCO ANOS DE PRISÃO.
    O TRIBUNAL EXIGE QUE ELES SE RENDAM ATÉ O DIA 4 DE MARÇO OU ENFRENTEM AS DETENÇÕES PELOS CIDADÃOS.

      • Evidente que não, e nem poderia tendo em vista a responsabilidade sobre o clero em relação aos rumos da Igreja mas sem qualquer atribuição aos crimes cometidos por seres humanos, se assim podemos afirmar, maiores e responsáveis por seus atos.

        O que existe é uma perseguição secular sobre Bento XVI.

        • que decepção, Mauro colocar um pedófilo acima do juizo, fiquei com pena agora de tua vida se comparou a starduist, que em nome de uma heresia mesmo defendendo tese contra todos po causa do dízimo defende valdemiuro homem dos trízimos da mesma foprma você defendeu o corporativismo, sim este mesmo que lçevou bento a perda de seu ministério, que vergonha senti de você…a tristeza se abateu sobre minha alma achei que eras outra pessoa, apenas um crente que cria e defendia seus ideais, mas não acima dos de DEUS, QUE DEUS TE PERDOE E ACHES O JUSTO CAMINHO

  5. BRUXELAS:
    Papa Bento XVI vai para a cadeia por 25 anos por seu papel em Crimes contra a Humanidade. A riqueza e as propriedades do Vaticano serão apreendidas, de acordo com o veredicto histórico de hoje do Tribunal de Direito Comum Internacional de Justiça.

    O Tribunal com sede em Bruxelas proferiu um veredicto unânime de culpa, por um júri formado por cidadãos e ordenou a prisão de 30 réus, com início em 04 de março, através de uma ordem judicial emitida hoje.

  6. O veredicto lido em parte:

    “Nós do Júri de Cidadãos achamos que os arguidos neste processo são culpados das duas acusações, isto é, eles de cometer, ou ter cumplicidade em crimes contra a Humanidade, e de fazer parte de uma conspiração criminal em curso”

    O júri decidiu que cada réu receberá uma pena obrigatória de 25 anos de prisão sem liberdade condicional, e terão todos os seus bens pessoais apreendidos.

    Declarou o Tribunal de Justiça no Despacho nº 022513-001,

    “Os réus são ordenados a entregar-se voluntariamente aos oficiais de paz e agentes autorizados por esta Corte, tendo sido considerados culpados da acusação.”

    “Os réus têm sete dias, a partir da emissão da ordem, até 04 de marco de 2013, para o cumprimento desta ordem. Depois de 4 de março de 2013, um mandado de captura internacional será emitido contra esses réus”.

    Os culpados incluem Elizabeth Windsor, Rainha da Inglaterra, Stephen Harper, primeiro-ministro do Canadá, e os oficiais chefes das Igrejas Católica, Anglicana e Unida do Canadá. (Uma cópia completa do veredicto, a ordem judicial e uma lista dos réus está incluído no link do youtube que o acompanha).

    O veredicto de culpado após quase um mês de deliberações por mais de 30 jurados cidadãos e das testemunhas dos 150 casos produzidos pelo Ministério Público do Tribunal.

    Estas exposições detalhadas são prova irrefutável de uma conspiração criminal de grande porte pelas instituições dos acusados ​​de cometer e ocultar genocídio a gerações de crianças indígenas nas chamadas escolas residencias em todo o Canadá.

    Nenhum dos réus desafiaram ou contestaram as citações públicas emitidas contra eles em setembro passado, nem negaram as acusações feitas contra eles, ou ofereceram provas em contrário ao Tribunal.

    “Seu silêncio me disse muito. Porque pessoas inocentes não defenderiam sua própria reputação ao serem acusadas de coisas tão horríveis?” , comentou um jurado, da Inglaterra.

    “Esses crimes foram dirigidos às crianças, e foram um plano frio e calculado para acabar com os índios não cristãos. E os réus claramente ainda encobrem este crime. Então, nós sentimos que tínhamos que fazer mais do que algemá-los. A reinado de terror perpetrado por religiões apoiadas pelo estado e que estão acima da lei tem que acabar, porque as crianças ainda sofrem com isso”.

    O acórdão declara que a riqueza e a propriedade das igrejas responsáveis ​​pelo genocídio canadense devem ser confiscados e colocados sob propriedade pública, como reparações para as famílias dos mais de 50.000 crianças que morreram nas escolas residenciais.

    Para fazer cumprir sua sentença, o Tribunal tem poderes cidadãos no Canadá, Estados Unidos, Inglaterra, Itália e em uma dúzia de outras nações, para agir como seus agentes legais armados com mandados, de pacificamente ocupar e confiscar as propriedades da Igreja Católica Romana, Anglicana e da Igreja Unida do Canadá, que são os principais agentes na morte dessas crianças.

    “Esta frase dá uma base legal e legitimidade para as ocupações da igreja que já começaram por parte das vítimas de tortura da igreja em todo o mundo”, comentou Kevin Annett, o conselheiro-chefe para o Ministério Público, que apresentou o caso ao mundo. (Ver artigos no http://www.itccs.org, de 06 de novembro e 30 de janeiro passados)

  7. “Nós do Júri de Cidadãos achamos que os arguidos neste processo são culpados das duas acusações, isto é, eles de cometer, ou ter cumplicidade em crimes contra a Humanidade, e de fazer parte de uma conspiração criminal em curso”

    O júri decidiu que cada réu receberá uma pena obrigatória de 25 anos de prisão sem liberdade condicional, e terão todos os seus bens pessoais apreendidos.

    Declarou o Tribunal de Justiça no Despacho nº 022513-001,

  8. “Os réus são ordenados a entregar-se voluntariamente aos oficiais de paz e agentes autorizados por esta Corte, tendo sido considerados culpados da acusação.”

    “Os réus têm sete dias, a partir da emissão da ordem, até 04 de marco de 2013, para o cumprimento desta ordem. Depois de 4 de março de 2013, um mandado de captura internacional será emitido contra esses réus”.

    Os culpados incluem Elizabeth Windsor, Rainha da Inglaterra, Stephen Harper, primeiro-ministro do Canadá, e os oficiais chefes das Igrejas Católica, Anglicana e Unida do Canadá. (Uma cópia completa do veredicto, a ordem judicial e uma lista dos réus está incluído no link do youtube que o acompanha).

  9. O veredicto de culpado após quase um mês de deliberações por mais de 30 jurados cidadãos e das testemunhas dos 150 casos produzidos pelo Ministério Público do Tribunal.

    Estas exposições detalhadas são prova irrefutável de uma conspiração criminal de grande porte pelas instituições dos acusados ​​de cometer e ocultar genocídio a gerações de crianças indígenas nas chamadas escolas residencias em todo o Canadá.

    Nenhum dos réus desafiaram ou contestaram as citações públicas emitidas contra eles em setembro passado, nem negaram as acusações feitas contra eles, ou ofereceram provas em contrário ao Tribunal.

  10. “Seu silêncio me disse muito. Porque pessoas inocentes não defenderiam sua própria reputação ao serem acusadas de coisas tão horríveis?” , comentou um jurado, da Inglaterra.

    “Esses crimes foram dirigidos às crianças, e foram um plano frio e calculado para acabar com os índios não cristãos. E os réus claramente ainda encobrem este crime. Então, nós sentimos que tínhamos que fazer mais do que algemá-los. A reinado de terror perpetrado por religiões apoiadas pelo estado e que estão acima da lei tem que acabar, porque as crianças ainda sofrem com isso”.

    O acórdão declara que a riqueza e a propriedade das igrejas responsáveis ​​pelo genocídio canadense devem ser confiscados e colocados sob propriedade pública, como reparações para as famílias dos mais de 50.000 crianças que morreram nas escolas residenciais.

  11. “Seu silêncio me disse muito. Porque pessoas inocentes não defenderiam sua própria reputação ao serem acusadas de coisas tão horríveis?” , comentou um jurado, da Inglaterra.

    “Esses crimes foram dirigidos às crianças, e foram um plano frio e calculado para acabar com os índios não cristãos. E os réus claramente ainda encobrem este crime. Então, nós sentimos que tínhamos que fazer mais do que algemá-los. A reinado de terror perpetrado por religiões apoiadas pelo estado e que estão acima da lei tem que acabar, porque as crianças ainda sofrem com isso”.

  12. Pastor promete a adolescente cura de câncer através de relações sexuais
    Ele teria fingido uma revelação dizendo que a jovem estava com câncer e que precisa manter relações sexuais com ele para ser curada.

    O site do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro anuncia o pedido de prisão preventiva para Luciano Felix da Silva, pastor da igreja Assembleia de Deus a Caminho do Céu, localizada em Areal, município que pertence à Região Serrana.
    O pastor é acusado de cometer o crime de estupro contra uma adolescente que frequenta a igreja. De acordo com a promotora de Justiça Maria de Lourdes Féo Polonio, Luciano teria fingido uma revelação, dizendo à jovem que ela estava com câncer e que para ser curada ela teria que manter relações sexuais com ele.
    A denúncia que levou o pastor a ser preso na segunda-feira (15) diz que a menina se recusou a ter relações com o pastor e que ele teria dito que a doença estava se agravando e começou a se masturbar na frente da jovem, dizendo que a cura, já que não haveria contato íntimo, não seria completa. Em seguida Luciano, com as mãos em cima de sua genitália, teria orado pedindo a cura.
    Para a promotoria a atitude do pastor se enquadra no crime 213 do Código Pena Brasileiro, que estabelece que é crime “constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso”.

  13. • Email
    Home » Destaque
    Número de casos de pedofilia cometidos por pastores superam os de padres nos noticiarios brasileiros
    Publicado por Renato Cavallera em 19 de julho de 2011

    No Brasil, país tido como o mais católico do mundo, a Igreja Católica não foi atingida pelo tsunami de denuncias de pedofilia que abalou a tradicional hierarquia religiosa de países como Alemanha, Bélgica, Holanda e Irlanda.
    Aqui, tem havido no noticiário da internet muito mais casos de pastores pedófilos ou suspeitos dessa prática do que os seus colegas padres, sem que a grande imprensa dê conta disso.
    Três exemplos recentes. No dia 20 de junho, a Polícia Civil de Duque de Caxias (RJ) prendeu o pastor Juarez Ferreira da Silva, 52, que estava foragido por ter sido condenado a 12 anos de prisão por ter estuprado quatro meninas. No dia 1º de julho, o pastor Dionísio da Silva Mattos, 55, de um templo da Assembleia de Deus em Magé, na Baixada Fluminense, foi preso sob a suspeita de ter abusado de uma menina de 12 anos. Dias depois, a imprensa portuguesa informou que o pastor Celso Miranda, 43, da mesma denominação, fugiu para o Brasil porque teria violentado um menino de 13 anos.
    A imprensa dá muito mais visibilidade aos casos de padres pedófilos, como se as vítimas deles fossem mais importantes. Os padres de Arapiraca (AL), por exemplo, têm sido contemplados pela cobertura dos grandes jornais, portais e TVs. A prisão do pastor protestante Edimário Gama de Freitas, 65, sob a acusação de abusar de filhos de fiéis, só foi noticiada pela imprensa regional, na Bahia.
    Se não fosse o noticiário da internet, principalmente de sites de pequenas cidades, não se saberia da existência de tantos pastores evangélicos suspeitos de abusar de crianças. Geralmente, as vítimas são de famílias pobres e ingênuas. Acreditam, pelo menos inicialmente, que massagens de pastor podem expulsar o Satanás do corpo e em sessões de oração de “cura interior”.
    Compartilhar
    Com base apenas nesse noticiário, não é possível dizer que existem proporcionalmente mais pastores pedófilos do que padres. Para isso, haveria a necessidade de um estudo aprofundado, que levasse em conta, por exemplo, a quantidade de pastores e de padres.
    Fonte: Paulopes

    • Meu caro,

      Não é atoa que apocalipse fala no justo juízo do 666.

      Ora, o nobre tentando se justificar atirando em quem aparece na frente?

      Está proliferando essa prática cada vez mais em face de que religiosos ou não com essa tendência vê a a principal igreja do país, uma das maiores do mundo ser constantemente acusada mas age como se nada tivesse fazendo, aí os demais imaginam que não há punibilidade.

      Igreja de Cristo tem que mostrar-se diferente, seja da placa que for, denominação antiga ou atual, afinal Cristo alerta para o mal que recairá aos que se tornam sujeitos ativos do escândalo.

      A igreja católica tem um grupo central que pode e deve estabelecer regras inibidoras, diferente das evangélicas que em sua maioria são de fundo de quintal como na época em que Cristo iniciou a sua igreja, portanto sem autoridade central, sem visibilidade, sem muita penetração social.

      Ora, é infantilidade sua tese, afinal é imaginar que os escândalos envolvendo uma pequena tenham tanta repercussão quanto a de uma de porte grandioso.

      Crime é crime, mas a repercussão é maior para os maiores.

      Mas tem mais coisa, qual seja, no Brasil tem 4 vezes mais pastores quando comparado com o número de padres.

      Soma-se ainda o fato de que igreja evangélica é pobre, portanto, se seus membros cometem abominações, ninguém para protegê-los como se dá com a católica, cuja influência é sentida em todos os lugares.

      Vá com calma, pois ficar jogando para galera é muito feio, Estão errados ambos os religiosos, pais, vizinhos, em síntese, todos que assim agirem, independente de religião, pois essa turma costuma dizer que não param, se sentem como se doentes fossem.

  14. O papado é exatamente o que a profecia declarou que havia de ser: a apostasia dos últimos dias(II Tessalonicenses 2:3-4). Faz parte de sua plítica assumir o caráter que melhor cumpra o seu propósito; mas sob a aparência variável do camaleão, oculta o invariável veneno da serpente.

  15. No sexto século tornou-se o apapdo firmemente estabelecido. Fixou-se a sede de seu poderio na cidade de roma e declarou-se ser o bispo de Roma a cabeça de toda a igreja. O paganismo cedera lugar ao papado. O dragão(diabo) dera à besta(roma papal) o seu poder, e o seu trono, e grande poderio. Apocalipse 13:2. E começaram então os 1.260 anos de perseguição papal e opressão preditos nas profecias de Daniel 7:25 e apocalipsae 13:5-7….

DEIXE UMA RESPOSTA