Padre é preso em flagrante por oferecer R$ 20 a menino em troca de sexo; Ação da Polícia evitou linchamento

21

Um padre foi preso sob acusação de oferecer R$ 20 a um menino de 12 anos em troca de sexo. A denúncia foi feita pela mãe da criança, que revoltou-se, invadiu a casa paroquial e agrediu o sacerdote católico.

De acordo com as informações publicadas pelo O Tempo, o padre José Maria Pinheiro atuava na paróquia São Judas Tadeu em Araguari (MG), e teria oferecido o dinheiro para fazer sexo oral no menino. “Quer R$ 20 pra eu te chupar?”, teria perguntado o religioso, de 48 anos. Assustado, o menino correu e relatou o ocorrido para a mãe.

O caso foi registrado na delegacia local, e o padre afirmou que já havia visto o menino, mas negou que tivesse feito qualquer oferta por sexo. A prisão foi feita em flagrante e o padre foi encaminhado ao presídio Professor Jacy de Assis, em Uberlândia (MG).

Um vizinho do padre afirmou que o padre “sempre foi uma pessoa muito educada”, apesar de não ser a primeira vez que uma denúncia de abuso é feita contra ele: “Tem uma outra criança, de um prédio próximo da casa dele, que disse que ele já passou a mão nele. Mas hoje este é o assunto do bairro, ninguém esperava que teria um pedófilo aqui, ainda mais um padre”, lamentou.


O morador disse ainda que se a Polícia não fosse chamada, o padre teria sido linchado: “Saí com minha esposa para dar uma volta e vimos uma confusão na casa. Quando aproximei vi a mãe da criança batendo no padre lá dentro. Aí chamaram a polícia, que evitou dele ser linchado”, contou.

A Diocese de Uberlândia, responsável pela paróquia, divulgou uma nota no sábado, 22 de março, assinada pelo bispo Dom Paulo Francisco Machado. Nela é informado que o padre foi imediatamente afastado do cargo:

“A Diocese de Uberlândia, na pessoa do seu bispo Diocesano, Dom Paulo Francisco Machado, vem apresentar nota ao público em geral, com relação aos fatos envolvendo a prisão do Padre José Maria Pinheiro, na cidade de Araguari, nesta Diocese, e que tomou as devidas providencias determinadas pelas leis da Igreja Católica, afastando-o de imediato das suas funções sacerdotais.

A Igreja, Mãe e Mestra, não pode aceitar qualquer tipo de comportamento contrário aos princípios da moral e ética cristãs destinados ao reto modo de viver de todos os seus filhos e filhas, chamados a um contínuo processo de conversão de todo tipo de pecado.

Declaramos ainda que a Igreja não é responsável por atos particulares de seus membros. Reitera que aquele que infringir a Lei Moral e Cível, sendo maior de idade, é que deve assumir integralmente todas as conseqüências legais de suas ações perante as leis do Estado Brasileiro e da Igreja Católica. Ao clérigo culpado, e tão somente a ele, deve ser imputado o comportamento reprovável que viola não somente o Direito Penal Brasileiro, mas também as leis Eclesiásticas.

Nesse sentido, a Igreja se colocará à disposição da justiça no intuito de esclarecimento de todos os fatos. Ressalta que tomará rigorosamente todas as providências exigidas pela lei canônica e civil para apurar os fatos e se houver culpa, punir o responsável.

Temos consciência de que ao pecador acenamos com o caminho da conversão para acolher o perdão divino. Para o enfermo – não conhecemos os mistérios que cercam tais comportamentos – desejamos oferecer o remédio, mas para o delito almejamos a punição e que seja feita justiça.

Como pastor de toda a Diocese de Uberlândia, com o coração profundamente ferido, quero dar-lhe voz para suplicar o perdão.

Dom Paulo Francisco Machado”.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+


21 COMENTÁRIOS

  1. Isto não e motivo de alegria e sim de tristeza, pois quando isso acontece as pessoas coloca todos no mesmo jaca, conhece e conheço Padres com P maiosculo, posso não concordar com a doutrina ensinada na Igreja Catolica Apostolica Romana, mas jamais vou me alegrar com uma infamia como esta cometida por esse padre insubordinado, pois em meio os crentes tambem isso acontece e em todas as esferas de classes existentes no mundo, e sim motivo de tristeza uma vez que prejudica a credibilidade não somente no meio catolico mas dos cristão em geral, devem sim ser punidos seja quem for seja padre seja pastor bispo reverendo missionarios diaconos presbiteros, os das igrejas devem pagar em dobro uma vez que os mesmo devem sim ser o exemplo para todos od menbros de suas igrejas e tambem para os de fora, e tenho dito

  2. Lamentável por ser um religioso que permaneceu quase dez anos num seminário e não compreendeu a bela missão de evangelizar, por outro lado muito louvável a ação da mãe, é um dever de todos denunciar essas bestas feras.

  3. É incrível, a biblia diz : 1º João cap;2 Vs:29 Se sabeis que ele é justo, sabeis que todo aquele que pratica a justiça é nascido dele. Quando vemos aqui noticiar um erro, uma falha, uma queda de um pastor todos condenam, sentenciam e ja executam masssss como é um padre dizem querem deixar de lado a fé, a religião e julgaraem a pessoa, acho que não deveriam nem julgar mas que que detonam com os pastores aqui que sejam no mínimo imparciais e que pelo menos tentem ser justos em seus comentários…..HIPOCRISIA!!!!! marca registrada de religiosos que se amparam em tradição disse me disse e esquecem da unica e santa palavra de Deus a bília sagrada.

  4. tudo isso acontece por causa de doutrina maldita, vinda do inferno, que diz que um pobre PADRE, não pode casar. onde o próprio autor da vida disse que não é bom que o homem esteja só…

  5. Bom tarde, a paz de Deus a todos,
    Gostaria de dizer a Roberto Oliveira que sou padre e não sou viado nem pedófilo, sou totalmente contra a pedofilia e o padre deve ser punido, agora meu caro, não julgue o ato de uma pessoa condenando as outras que excecem o mesmo ministério, pois você pode receber uma notificação judicial por calúnia e difamação, logo fale apenas no seu comentário da noticia que foi veiculada.

    Também, aproveito o momento para parabenizar as notícias deste site!

  6. Gente, o título dessa reportagem não está correto! Não houve prisão em flagrante! Muito pelo contrário! Se ele fez mesmo isso deve apodrecer na cadeia… mas devo dizer uma coisa: isso não pode ser chamado de reportagem. Onde está a famosa regra jornalística de se ouvir o outro lado? Ele não deveria ter o direito de se defender? Repito: se ele cometeu mesmo esse crime deve ser condenado. Mas pelo que apurei em outras fontes não há ainda nenhuma prova concreta, apenas o relato da mãe do menino, e já está havendo uma condenação pública dos meios de comunicação. Repito: a prisão não foi em flagrante! Eu me pergunto: se ele não fosse padre, fosse qualquer outra coisa, será que o tratamento dos meios de comunicação seria igual? Fica para reflexão.

  7. Incrivel, eu também achei tudo muito rapidinho: o acontecido, a mãe ser avisada, a polícia ser acionada, o pronto atendimento ao chamado, a apreensão, a prisão,e até o afastamento de Ordem,se tratando de justiça foi muito rápido mesmo.Parece até coisa pensada, programada e executada……….Será??????……..Não duvido nada. Neste mundo existem pessoas capazes de tudo para se beneficiarem,infelizmente.

  8. Incrivel, eu também achei tudo muito rapidinho: o acontecido, a mãe ser avisada, a polícia ser acionada, o pronto atendimento ao chamado, a apreensão, a prisão,e até o afastamento de Ordem,se tratando de justiça foi muito rápido mesmo.Parece até coisa pensada, programada e executada……….Será??????……..Não duvido nada. Neste mundo existem pessoas capazes de tudo para se beneficiarem,infelizmente.

  9. Bom analisando os comentário vejo que os comentaristas que gostam de atacar os evangélicos se recolheram, a entendi por que é padre pois se fosse pastores estariam atacando a todos Cristãos, não vejo um comentário se quer generalizando todos os católicos são pedófilos mas cristão quando os falsos pastores praticam o mal ai pode pode generalizar nos erros, cambada de hipócritas.

    • Talvez porque essa estoria esteja muito mal contada, não ha’ nenhuma prova concreta de que o padre teria feito isso, a não ser o que este menino disse a mãe.. nenhuma testemunha ocular, nenhum video, nenhuma escuta telefonica, nada que justifique um linchamento. As investigacoes devem ser feitas e concluidas para que possamos emitir algum julgamento.

    • Um vizinho do padre afirmou que o padre “sempre foi uma pessoa muito educada”, apesar de não ser a primeira vez que uma denúncia de abuso é feita contra ele: “Tem uma outra criança, de um prédio próximo da casa dele, que disse que ele já passou a mão nele. Mas hoje este é o assunto do bairro, ninguém esperava que teria um pedófilo aqui, ainda mais um padre”, lamentou.

DEIXE UMA RESPOSTA