Pastor comenta morte do cinegrafista da Band durante protestos no Rio de Janeiro

8

O pastor presbiteriano Solano Portela comentou no início da semana a morte do cinegrafista Santiago Andrade, da Rede Bandeirantes, que faleceu após ser atingido por um rojão detonado por manifestantes durante um protesto no Rio de Janeiro. Em seu texto, o pastor fala sobre os responsáveis sobre o ocorrido, afirmando que os militantes que detonaram o explosivo, integrantes de um grupo conhecido como Black Blocs, não são os únicos responsáveis pela morte do jornalista.

– Muitos contribuíram para essa morte e carregam parcela de culpa, não somente desse assassinato, mas de outros e dos ferimentos de tantas outras pessoas; de propriedades que vêm sendo destruídas; de ônibus queimados, trens depredados, veículos destroçados – afirma o pastor, ressaltando haverem outros grupos que são igualmente culpados por esta morte e por dezenas de agressões já registradas em manifestações.

– Santiago foi morto por aqueles que acatam e incentivam os “rolezinhos”, com uma ingenuidade doentia, como se o desrespeito às pessoas, a falta de postura civilizada e a agressão à propriedade alheia, não fizessem parte de uma incubadora maligna na qual cresce e floresce a semente da violência indiscriminada, que progredirá a agressões maiores; até a assassinatos – completa o pastor.

Portela cita ainda que “aqueles que acatam e incentivam os ‘rolezinhos’” também são culpados pela morte de Santiago, e imputa culpa também ao sistema judiciário, alguns comandantes da Polícia e aos políticos.


– Apavorar pessoas é coisa inocente? Sair atacando e beijando adolescentes e senhoras à força, não é assédio sexual? Roubar e depredar são legítimas expressões de divertimento? Muitos participantes e defensores dos rolezinhos parecem pensar assim. Carregam culpa na morte de Santiago – afiram o Portela, que ao longo de seu artigo cita a culpa de diversos setores da sociedade na morte do jornalista.

– Santiago foi morto por pessoas como eu e você, quando esquecemos as lições da história, o debacle dos impérios socialistas moribundos, as atrocidades de ditaduras cruéis que agem “em nome do povo”, e acatando filosofias e políticas de esquerda, aplaudimos os ditadorezinhos emergentes idiotas que pululam ao nosso redor – afirma.

Leia o texto do pastor na íntegra:

Santiago teve morte cerebral hoje, 10 de fevereiro de 2014. Um dos desordeiros e criminosos, que considerou um ato normal estourar bombas no meio das pessoas, já está preso. Aquele que, supostamente, colocou o explosivo no chão que culminou na morte do cinegrafista da Rede Bandeirantes de Televisão, provavelmente também já estará preso quando você estiver lendo isto. Mas quem; quem, realmente, matou o Santiago? Foram só esses dois? De jeito nenhum!

Muitos contribuíram para essa morte e carregam parcela de culpa, não somente desse assassinato, mas de outros e dos ferimentos de tantas outras pessoas; de propriedades que vêm sendo destruídas; de ônibus queimados, trens depredados, veículos destroçados – pelo estágio de desordem no qual nos encontramos, solo fértil para que Santiago viesse a morrer. É preciso que se apontem as consequências geradas por uma visão distorcida da pessoa humana; pela negligência dos limites entre o certo e o errado; pela complacência com o crime, falta de investimento em segurança, e outros tantos desvios do pensamento sadio que deveria sustentar a frágil matriz de nossa sociedade. Podemos seguir impunemente abandonando princípios e valores fundamentais de nossa sociedade judaico-cristã, provados durante séculos, como temos repetidamente testemunhando nos textos, palavras e ações de pessoas que ocupam posição de destaque ou mando em nossa nação?

Santiago foi morto por aqueles que acatam e incentivam os “rolezinhos”, com uma ingenuidade doentia, como se o desrespeito às pessoas, a falta de postura civilizada e a agressão à propriedade alheia, não fizessem parte de uma incubadora maligna na qual cresce e floresce a semente da violência indiscriminada, que progredirá a agressões maiores – até a assassinatos. Apavorar pessoas é coisa inocente? Sair atacando e beijando adolescentes e senhoras à força, não é assédio sexual? Roubar e depredar são legítimas expressões de divertimento? Muitos participantes e defensores dos rolezinhos parecem pensar assim. Carregam culpa na morte de Santiago.

Santiago foi morto por um judiciário leniente, que solta os indisputavelmente culpados. Por juízes que em vez de executarem justiça em proteção aos inocentes, jogam criminosos nas ruas, retardam o julgamento de processos. Não por coincidência, pelo menos um dos envolvidos com a morte de Santiago, tinha várias passagens pela polícia – e isso resultou em quê? Como suas prévias quebras da lei foram consideradas “de menor monta”, joga-se ele na rua, para que se envolva em coisas maiores – na morte de alguém. Sim, juízes inconsequentes são culpados do clima de violência que gera a morte de muitas pessoas, como Santiago.

Santiago foi morto por alguns comandantes da Polícia, que covardemente acatam as ordens de políticos e, sem contestação, repassam aos seus comandados diretrizes para “observar as coisas de longe” e “não se envolver” nas demonstrações e protestos, mesmo quando obviamente eles descambam para a depredação e baderna. Ordens que causam asco a qualquer cidadão de bem, quando observam as imagens, na televisão, de criminosos tocando fogo, agredindo, chutando, saqueando, enquanto a força policial só observa de longe, “cumprindo ordens”. Sim, esses que depois das violentas ações de black blocs e outros congêneres, dessa súcia repelente, declaram – “a polícia agiu exemplarmente”, sem coibir a violência, carregam culpa na morte de Santiago.

Santiago foi morto por políticos inconsequentes e imbecis, que satisfazem seus próprios ventres, preocupam-se com seus próprios interesses e, desavergonhadamente, no pleno exercício da incompetência, mantêm “diálogos” com baderneiros e criminosos; convocam a Brasília, para encontros com lideranças da nação, aqueles desocupados que claramente já se encontram à margem da lei. Políticos que, enquanto brincam com o perigo bajulando párias da sociedade, ignoram os que apenas necessitam de paz e segurança na ocupação de suas atividades diárias. Políticos que nem prestam atenção à principal função do estado, que é proporcionar segurança aos cidadãos, e deixam as pessoas de bem sucumbir dia a dia à incapacidade do governo em protegê-las dos malfeitores que tomaram conta das cidades e campos do nosso país. Esses políticos carregam intensa culpa na morte de Santiago.

Santiago foi morto por idiotas de plantão, travestidos de sociólogos e acadêmicos, que ignoram a necessidade básica da natureza humana de ser regida por lei e ordem, pois postulam que a maldade não faz assento nato no coração das pessoas. Estes que perderam a capacidade de identificar o mal. Ou por articulistas da grande imprensa que abraçam e propagam a noção irreal e deletéria de que comportamentos criminosos são apenas fruto de “pressões sociais” ou da “opressão da classe dominante”. Tais “intelectuais” são predadores que utilizam a arma da escrita e do discurso para, com suas ideias, insultar milhões de trabalhadores, aposentados e famílias que, mesmo com grandes e reconhecidas necessidades financeiras, conseguem seguir a trilha da honestidade e do trabalho, mantendo uma consciência tranquila e promovendo a paz, em vez da discórdia e dissensão. Esses intelectualoides, anões do pensar, carregam culpa pela morte de Santiago.

Santiago foi morto por religiosos espúrios que ignoram a origem divina e a realidade da justiça retributiva; que desprezam a clara rejeição às pessoas violentas encontrada nos textos sagrados, e a delegação ao estado, para combatê-las “com o poder da espada”. Religiosos que dedicam mais atenção aos criminosos do que às vitimas da violência, quer do chamado “crime organizado”, quer da criminalidade “desorganizada” que se aproveita da ausência de repressão encorajada por esses enganadores de mentes e corações. Esses não têm desculpa e carregam, também, culpa na morte de Santiago.

Santiago foi morto pelos que atualmente ocupam um poder executivo falho, fraco e maquiador da triste realidade de insegurança que reina em nosso Brasil. Governantes que não combatem de frente e sem apologias a criminalidade institucionalizada; que ignoram as fábricas de criminosos e vitrines de barbárie, que são as nossas prisões. Líderes omissos que, encastelados em suas fortalezas, ignoram que o mundo está desabando ao seu redor e acham que a tarefa de corrigir esses infernos estatais dos presídios pode tranquilamente passar à próxima geração. Como carregam, estes, culpa na morte de Santiago.

Santiago foi morto por pessoas como eu e você, quando esquecemos as lições da história, o debacle dos impérios socialistas moribundos, as atrocidades de ditaduras cruéis que agem “em nome do povo”, e acatando filosofias e políticas de esquerda, aplaudimos os ditadorezinhos emergentes idiotas que pululam ao nosso redor. Escorregamos quando votamos em políticos de partidos anacrônicos que falam no bem estar das pessoas, mas apoiam todo o descalabro e desrespeito que vivenciamos; quando encorajamos os movimentos violentos de ocupação e desrespeito às autoridades; quando não enxergamos que os “sem isso” ou “sem aquilo”, na cidade ou no campo, são constituídos por uma infeliz massa manipulada, eivada de aproveitadores, sugadores do dinheiro público, agitadores, baderneiros violentos e até assassinos profissionais, os quais, apoiados por partidos que têm na essência a destruição da própria sociedade que os gerou. Sim, se não utilizarmos a inteligência, voltarmos aos fundamentos universais que regem uma sociedade pacífica e apoiarmos candidatos que concentrem as ações do governo na sua proteção e na da sua família, estaremos todos contribuindo para a derrocada final e carregaremos a culpa da morte de Santiago e de muitos outros Santiagos que virão por aí.

Por Dan Martins, para o Gospel+


8 COMENTÁRIOS

  1. Não importa que os governos são de direita, centro ou esquerda para serem apontados e servir de esteio a sua desfraldada bandeira política que tanto os evangélicos insistem em hasteá-la, como se fosse atender um apelo do Mestre para defende-la fosse o firme propósito da fé a salvação, há algo de podre neste consciente manifesto cidadão, aceitável sendo de uma pessoa, não de um título autodenominados a pastor, que com certeza azuleja o caminho para suas alianças eleitoreiras. Basta atentar para o provérbio e ensiná-lo com amor, não com rancor para servir de moeda de troca.
    “Quando os justos governam o povo se alegra, mas quando o ímpio domina o povo geme.” (Provérbios 29:2)

  2. Em tempo.
    Um Governo Realmente Justo

    “Quando os justos governam o povo se alegra, mas quando o ímpio domina o povo geme.” (Provérbios 29:2)

    Ao observarmos as crescentes revoltas sociais pelo mundo, onde populações criticam e protestam contra seus governantes, tais como a primavera árabe, a crise econômica e social na Europa, a violência na América Central, a desilusão norte-americana e por último os protestos pelo Brasil, damo-nos conta que o tão aclamado voto popular não tem sido a solução para todos os problemas. Em Portugal, um governo de esquerda foi tão pressionado que convocou eleições antecipadas. Um governo de direita foi eleito e em menos de 3 anos, o mesmo está sendo pressionado a convocar eleições antecipadas novamente… e esse é só um exemplo. Não há dúvidas que o povo geme pelas injustiças sociais. Onde está, então, o erro?

    O escritor de Provérbios, o rei Salomão, escreve algo óbvio, e a própria Palavra complementa que, apesar dela apresentar alguns homens que foram justos, afirma que em nosso tempo não haveria muitos homens justos. Vide as palavras de Davi em Salmos 14:3: “Todos se extraviaram e juntamente se corromperam; não há quem faça o bem, não há nem um sequer.” Vendo a atualidade, Davi continua profetizando em Salmos 53:1: “Diz o insensato no seu coração: Não há Deus. Corrompem-se e praticam iniqüidade; já não há quem faça o bem.” Salomão, rei muito sábio e entendido acerca da natureza humana, fato óbvio pelos provérbios que escreveu, diz o seguinte em Eclesiastes 7:20: “Não há homem justo sobre a terra que faça o bem e que não peque.”

    Séculos depois quando o mundo já estava sob o domínio do Império Romano, dentro do qual reinava uma degradação desenfreada do homem, Paulo, vendo estarrecidamente estas coisas voltou a repetir as palavras do Salmista Davi: “… como está escrito: Não há justo, nem um sequer, não há quem entenda, não há quem busque a Deus; todos se extraviaram, à uma se fizeram inúteis; não há quem faça o bem, não há nem um sequer. A garganta deles é sepulcro aberto; com a língua, urdem engano, veneno de víbora está nos seus lábios, a boca, eles a têm cheia de maldição e de amargura; são os seus pés velozes para derramar sangue, nos seus caminhos, há destruição e miséria; desconheceram o caminho da paz. Não há temor de Deus diante de seus olhos.” (Romanos 3:10-18) Os cristãos de hoje veem o cumprimento ainda maior destes fatos e profecias.

    Espaço neste artigo não há para elaborar detalhadamente o que atualmente acontece nos bastidores, não somente nas nações mencionadas acima, contudo em muitas outras, que provocam os distúrbios que resultam anualmente em centenas, senão milhares de pessoas feridas e mortas. Estas pessoas arriscam-se a serem feridas ou mortas ao participarem de manifestações em prol de governos mais justos para todas as camadas das sociedades, contudo as ações delas não alcançam o objetivo, pois um governo injusto é reposto por outro semelhante ou até pior.

    As afirmações das cartas de Paulo a Timóteo, escritas quase vinte séculos atrás, dão apenas uma vaga ideia acerca de como seriam os homens dos últimos tempos. Nos períodos eleitorais, todos os candidatos afirmam que acabarão com as injustiças, o que não acontece, não obstante, ao serem eleitos acabam por participar ativamente nos atos injustos, ao darem-se conta de que são apenas um pequeno dentro de uma máquina que gera mais e mais injustiça. Justiça simplesmente não faz parte do ser humano desde a queda do homem no início da criação. A Bíblia declara àquele que se acha justo que as suas justiças são como “o trapo da imundície.” (Isaías 64:6) Então se queremos alegria verdadeira, precisamos eleger um justo que tenha poder, autoridade e legitimidade para nos governar. Creio que todos concordam. Mas onde encontrá-lo?

    Se observarmos os exemplos de homens justos na Bíblia, veremos que na sua maioria pouco ou nada puderam fazer pela sociedade onde estavam inseridos. Isso porque o mundo “jaz no maligno” (I João 5:19). Sendo que o mundo todo se degradou, há como achar um justo para governar? Sim, a própria Bíblia nos guia a esse justo. Infelizmente este livro de origem divina está sendo cada vez mais rejeitado, ou em outras palavras, a fonte da solução está sendo rejeitada por ir contra os princípios desenvolvidos por uma sociedade totalmente desprovida de princípios justos. Mas se olharmos para o alto, logo veremos que: “O meu [nosso] socorro vem do Senhor, que fez o céu e a terra.” (Salmos 121:2) Salmos 129:4 declara que “…o Senhor é justo…” Encontraremos o Justo, aquele que é poderoso e tem toda autoridade e legitimidade para governar aos seus, por ter os redimido (I Coríntios, 7:23), para que os verdadeiros filhos do Altíssimo não sejam escravos dos homens ímpios. A intenção de Deus ao chamar Abrão foi de formar uma nação em que fosse Ele o governador e hoje, o plano de Deus para a Igreja é o mesmo (Salmos 146:10).

    É mister que o cristão moderno mude o seu paradigma social. É certo que temos que pagar (cada vez mais) impostos, que carecemos de saúde e segurança pública, e tantas outras coisas, mas temos que considerar que fomos chamados a sermos “cidadãos do céu”! Em meio à desolação moral e social provocada pela escravidão, Habacuque escreveu: “Porque ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; ainda que decepcione o produto da oliveira, e os campos não produzam mantimento; ainda que as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja gado; Todavia eu me alegrarei no SENHOR; exultarei no Deus da minha salvação. O SENHOR Deus é a minha força, e fará os meus pés como os das cervas, e me fará andar sobre as minhas alturas.” (Habacuque 3:17,19). A nossa perspectiva de vida não deve estar referenciada na sociedade em que vivemos, pois esta simplesmente não é a nossa casa! A esperança e a alegria do cristão não devem estar depositadas nos seus governantes terrestres, pois estes, por mais injustos que possam ser, não podem sobrepor-se ao Justo que governa a vida dos santos que, alheio às circunstâncias terrenas e temporárias (Hebreus 11:14,16; II Coríntios 4:18), dá ordens a seu respeito. (Salmos 91:11) Nós, cristãos, não dependemos de fatores econômicos, climáticos, sociais ou políticos para sermos realmente felizes, pois a nossa alegria vem do Nosso Senhor, o Justo, o Grande Rei Jesus! Maranata!

  3. NÃO SE ILUDAM TEM POLITICA ENVOLVIDA NISTO, ASSIM COMO O PT ANTES DO GOVERNO ERA PATROCINADO PELA ASFARG ASSIM TAMBÉM HOJE ESTÃO PROVANDO DA MESMA MOEDA, A POLITICA NO BRASIL CORRE A PASSOS LARGOS PARA UM TIPO DE DITADURA, PIOR DO QUE AS MILITARES, COMPRA DE VOTO ALIANÇAS, EXCUSAS TEMOS É DE ABRIR NOSSO OLHO, O PT É PROMOVIDO POR ALGO MAIOR…O ANTI-CRISTO

  4. Um amontoado de palavras que ja foram ditas e reditas,e nao muda nada.Apontar o problema e facil agora a soluçao……Eu nao sei quem este cara que escreveu esta coluna,mas posso dizer que e um completo ignorante sobre as coisas que estao por vir e ja foram alertadas por Jesus,guerras,rumores de guerras,epdemias,fome,desastres naturais e por ai vai,todo este periodo negro da historia da terra ja esta determinado,e nao politicos,juizes,sistemas politicos e muito menos religiosos institucionais e cegos que vao mudar alguma coisa,infelizmente e necessario,para que a verdadeira igreja acorde.quem tiver interesse leia o livro de AMOS.Chega de conversa fiada destilada dos pulpitos da hipocrisia e vomitadas dos falsos pastores,profetas,apostolos,chega!!basta de opnioes de homens reprovados na fe,que pouco se importam com as almas que estao nas trevas,e sao covardes o suficiente por nao pregarem o evangelho do reino,e so aparecem para dar opnioes idiotas depois que a coisa acontece,enquato ha vida ha esperança depois nao tem oque fazer.Eis que coloco perante voces bençao e maldiçao escolham a bençao para que vivam.Acorda povo a coisa vai piorar em muito.

DEIXE UMA RESPOSTA