Famoso pastor diz que a Igreja tem obrigação de ajudar financeiramente os desempregados

0

Um papel que não é desempenhado pela ampla maioria das denominações evangélicas, mas que faz parte de seu chamado, foi o tema de um sermão do pastor Russell Moore, um batista conservador norte-americano.

Segundo Moore, as igrejas não devem se limitar a oferecer oração e aconselhamento a desempregados, mas sim, auxiliá-los também financeiramente, para que superem a adversidade.

Hoje, o desemprego é um fantasma que incomoda milhões de pessoas em todo o mundo. Em Portugal e Espanha, por exemplo, há uma grave crise de emprego. Nos Estados Unidos, o diário The Wall Street Journal considera os mais de 7 milhões de desempregados no país uma “catástrofe”. E no Brasil, a crise econômica resultante da má condução do país nos últimos anos resultou em um contingente de mais de 12 milhões de pessoas sem emprego.

“Muitas vezes, um homem que está desempregado não apenas sente o estresse econômico, mas também tem um sentimento de confusão sobre quem ele é”, disse Russell Moore, presidente da Comissão de Ética e Liberdade Religiosa da Convenção Batista do Sul, em um artigo.


Na reflexão, intitulada “Como sua igreja pode servir os homens desempregados?”, o pastor frisou que o desemprego pode levar a uma crise de identidade, e quando esse cenário se torna prolongado, o cenário é devastador.

“O processo de passar pelo desemprego é repleto de muita guerra espiritual, e a Igreja deve desempenhar um papel vital nisso […] Às vezes, o desemprego é um momento crucial para um crescimento inesperado. Uma pessoa pode perceber que tem dons ou chamados que ela nunca soube que tinha, ou nunca sentia a liberdade de explorar. A nossa mensagem para quem está enfrentando o desemprego é que a falta de um emprego não significa ociosidade”, argumentou o pastor.

De acordo com informações do Christian Post, o pastor e escritor Gordon Dalbey enfrentou uma situação parecida com a descrita pelo colega Moore. Em uma entrevista ao portal, ele relembrou a crise que o inspirou a escrever um best-seller. “Eu lembro quando fui demitido do meu primeiro pastorado em 1985, quando eu escrevia e pregava. Foi aterrorizante ver minha agenda que era tão cheia de reuniões e compromissos ficando totalmente em branco”, disse.

“A perda do emprego acaba oferecendo dificuldades ao homem e, por isso, ele pode chegar a se viciar no álcool e até na pornografia. Por outro lado, pode fazer com que ele se volte para os braços de Deus”, disse Dalbey, que publicou o livro “Curando a Alma Masculina”.

Russell Moore frisou que a Igreja tem um papel crucial no enfrentamento das consequências de uma perda de emprego: “A Bíblia nunca nos permitiu fechar os olhos para aqueles que estão sofrendo economicamente. Em alguns casos, isso significa ajuda direta”, frisou, lembrando que as comunidades devem atuar para ajudar pessoas em dificuldade a, por exemplo, comprar mantimentos.


SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA