Pastor questiona a identidade cristã na atualidade e afirma que é necessário “redefinir o meio evangélico”

7

O pastor batista norte americano Steve Chalke publicou recentemente um artigo no Christian Today no qual questiona se as definições de evangelicalismo utilizadas hoje no meio cristão ainda são adequadas e afirma que é necessário “redefinir o meio evangélico”.

– Ao longo da minha vida adulta, eu, como muitos outros, tenho lutado com a questão: “Eu sou um evangélico ou não?” – questionou Chalke.

– Muitas pessoas optam por usar a palavra, (…) assim, pareceu-me que é um bom momento para fazer as perguntas: O que somos nós, em que nós acreditamos, como é que vamos pensar, como é que nos relacionamos? – completou.

O pastor questiona em seu texto os quatro aspectos classificados por David Bebbington como marca do evangelicalismo: conversionismo, biblicismo, crucicentrismo e ativismo. Ao definir esses aspectos, Bebbington afirmou que “juntos, eles formam um quadrilátero de prioridades que é a base do evangelicalismo”.


Porém, Chalke afirma que agora, esses aspectos que eram antes para definir os evangélicos também se aplicam a outros segmentos do cristianismo.

– Quando nós (evangélicos) dizemos “nós levamos a Bíblia a sério”, isso surge como arrogância, como se estivéssemos dando a entender que os outros não levam a Bíblia a sério. Eu não acho que ele foi concebido assim quando Bebbington os reuniu em conjunto. (…) Mas o tempo passa e nós temos que olhar para saber se a sua definição ainda é adequada – afirmou.

No entanto, muitos argumentam que o tempo passa, mas a verdade não muda. Segundo o Christian Toda, quando lhe pediram para se defender contra aqueles que dizem que qualquer tentativa de ‘redefinir’ o evangelicalismo representa um desvio da ortodoxia, Chalke afirma que “Bebbington não menciona o Espírito Santo, ele não menciona encarnação e envolvimento holístico, ele não menciona a ressurreição”.

– Estas são as grandes ênfases dentro evangelicalismo agora – ressalta, afirmando que o evangélico deve ser definido por sua conduta e como alguém que traz uma “boa notícia”.

– Quando as pessoas ouvem que um evangélico está de pé como um conselheiro local, por exemplo, eles devem sorrir. Esta deve ser uma boa notícia. Estamos longe disso no momento. – resume.


7 COMENTÁRIOS

  1. Pastor da IURD denuncia o que acontece na igreja.
    Meu nome é A. A. dos Santos e a mais de 16 anos sou pastor da Igreja Universal do Reino de Deus, estou em uma igreja aqui em Los Angeles/Califórnia. Gostaria exibir alguns fatos do que acontece, e que as lideranças evangélicas e principalmente aos membros da IURD, tenham conhecimento do que acontece no interior da igreja. Tudo o que vou dizer já disse varias vezes publicamente a bispos e lideres da igreja, e não faz muito tempo que enviei um e-mail e depois uma carta ao próprio bispo Macedo contando tudo o que você vai ler abaixo, e outras coisa piores que estas que na verdade nem tenho coragem de escrever aqui porque escandalizaria até mesmo ao povo de igreja. Porque na verdade, na realidade nem membros e obreiros da IURDsabem o que acontece por debaixo dos panos na igreja. Ninguém, somente os pastores e bispos que estão envolvidos no trabalho e que sabem como funciona a IURD, que há uma capa mentirosa que mostra uma imagem mentirosa e falsa da igreja. Imagem que expõe a igreja como uma igreja genuína evangélica, mas na verdade é tudo uma farsa, uma grande mentira. Porque o que no passado já foi uma verdadeira igreja, hoje, mais se parece a uma grande empresa. Perda da Inocência

    Eu conheci a igreja com 15 anos de idade no interior do nordeste do Brasil. Minha família era humilde, mas tínhamos tranqüilidade e paz. Eu era um jovem que nunca tinha provado drogas, ou vícios em geral. Minha mãe conheceu a igreja, nos levou a todos de casa a freqüentar a igreja, tanto ela como eu ficamos encantados com a alegria,o amor que era tratado por pastores e obreiros da IURD. Logo nos batizamos e com pouco tempo já era obreiro da igreja, seguia os pastores para todos os lados, radio, orações. E sempre eles me diziam que eu tinha que deixar de estudar e me dedicar à obra de Deus, pois eu tinha um “chamado” Dele. Em casa meus pais não queriam nem discutir o assunto, já que eu estava no ultimo ano do 2° grau, e tinha planos para prestar concurso para a escola de oficiais do exercito. Mesmo eles sabendo de tudo (pastores) me convenceram a apanhar minhas roupas, deixar a escola, e a sair de casa sem o consentimento dos meus pais e entrar para a obra como pastor. Não precisa nem dizer os problemas que tive e tenho com a minha família até hoje, pois nunca concordaram com esta atitude induzida pelos pastores. Essa inclusive é uma tática freqüente da IURD, tirar jovens da casa, convencê-los que eles tem um chamado para o ministério. Mas na verdade eles serão sim usados como escravos. Serão treinados a arrancar dinheiro das pessoas, e terão que pelo resto de suas vidas viver a mercê dos bispos e lideres da igreja como um escravo. E quando atingir certa idade como é o meu caso a direção da IURD começa a perseguir, humilhar, menosprezar, colocando o pastor para os piores trabalhos, passando por necessidades, até que esse pastor desista e saia, tirando assim toda responsabilidade legal da IURD.

    Provando de tudo dentro da IURD Como disse eu vinha de uma família humilde, em casa nunca tinha provado bebida, vícios ou coisa parecida. Pois depois de um tempo na obra conheci a que é hoje minha esposa. E foi ai que em suposto encontro de “casais” promovido pelo próprio bispo Macedo, que esperávamos que fosse algo espiritual, totalmente voltado para a família e casamento, afinal de contas éramos pastores estávamos na igreja. Qual foi a surpresa que nesse “encontro” aparece os que hoje são os principais bispos da IURD, com garrafas de vinho, cerveja, em fim todo tipo de bebida alcoólica, e todos beberam ate estarem embriagados, inclusive o bispo Macedo. Foi então pela primeira vez em minha vida, já com 22 anos de idade que provei bebida alcoólica,e desde então sigo bebendo, e todos bebem dentro da igreja há casos de pastores e bispos que são alcoólatras, alguns tiveram que fazer tratamento medico. Não acabou. Ai, na ultima noite do ‘encontro’, o bispo Macedo, nos reuniu em salão tipo para convenções, e a portas fechadas nos explicou que a vida sexual era muito importante para o pastor, que para o pastor render o Maximo ( ou seja arrancar o Maximo de oferta) ele teria que estar desafogado. E com uma fita de vídeo cassete nas mãos nos ia mostrar algo que nos ajudaria bastante. Em seguida colocou um filme de sexo explicito com mais de 2 horas de cenas de sexo oral, anal, troca de casais. Foi constrangedor pois eu nunca tinha assistido a nada disso na minha vida e minha esposa que era uma menina que havia se convertido com 14 anos, pura se sentiu suja em pecado.

    A principio eu resisti não aceitava isso, pois não entrava na minha cabeça, éramos pastores, pregávamos contra o pecado e agora estávamos participando de tudo o que condenávamos. Fui perseguido pelos lideres da época que não aceitaram o fato de eu estar contra aquilo que para muitos era maravilhoso. Ao final de um tempo acabei cedendo e também vendo esses filmes que se tornou um outro vicio, que inclusive todos os pastores fazem também. Depois que isto aconteceu sempre há problemas de pastores que se prostituem, coisas incríveis que parecem impossíveis de ver acontecendo dentro da IURD como: Pastores que se tornam homossexuais, casos de mulheres de bispos que foram encontradas por seus maridos tendo sexo com outra mulher. Esposas de pastores que traíram seus maridos com outros pastores. O Sistema de compra de milagres na IURD As campanhas de fé, que a IURD sempre apresentou como uma forma de levar as pessoas a solução de seus problemas, e de fato com certeza levou muitas pessoas a alcançar solução e vitórias em suas vidas e milagres aconteceram, vidas foram milagrosamente mudadas.

    Há que era antes voltada para a evangelização, a de levara as pessoas a um conhecimento e encontro com Deus, ao perdão dos pecados, a salvação da alma, ao batismo nas águas e no Espírito Santo. Enfim características que apontavam a IURD como uma igreja evangélica autentica. Mas de 15 anos mais ou menos para cá, houve uma mudança dentro da doutrina de trabalho da IURD. E foi mudando tudo isso e os pastores novos que entraram para o ministério dentro desse novo “SISTEMA” que se define assim: – o pastor assume a igreja sabendo que a direção da IURD, não se importará se este vai a pregar o perdão, a salvação das pessoas e se estas estarão crescendo na fé e no conhecimento de Deus. O trabalho desse pastor será avaliado pela meta final de dinheiro, de cada mês. Exemplo: um pastor assume uma igreja que arrecada $20.000,00 por mês, os lideres estarão cobrando que ele tem que `CRESCER’ essa igreja todos os meses. E se ele não crescer todos os meses a arrecadação de dinheiro, e não importa o que ele faça para alcançar esta meta. E se não cresce, se não apresenta o `RESULTADO’, a liderança da IURD não vai perdoá-lo, ele pode estar salvando almas, estar com a igreja cheia, ele vai perder a igreja. E em alguns casos o pastor tem ate diminuído o salário, penalizado, para “aprender a crescer” como eles dizem. Isso é triste eu sei, não pensem que tenho alegria em dizer tudo isso, ao contrario tenho inclusive muita vergonha, porque eu fui chamado para ser um homem de Deus, para evangelizar aos povos, salvar almas para Deus. Mas isto era quando a igreja “ERA UMA IGREJA” . Agora a igreja se transformou em grande e lucrativo negocio, que usa a bíblia, os pastores para arrancar o dinheiro das pessoas inocentes, que no afã de ver suas vidas transformadas, se sujeitam e fazem o que os pastores lhes pedem.

    E por sua parte o pastor esta muito bem treinado e orientado a tirar proveito do sofrimento e da dor que a pessoa esta passando com seus problemas, e ai que o pastor entra com toda a técnica das campanhas. Os que não conhecem a IURD, talvez perguntem porque se há pastores honestos e dispostos a servir a Deus, continuam dentro da IURD, se a igreja acabou e se transformou em um grande negocio? Os pastores que continuam crêem que a igreja vai mudar, que o bispo Macedo um dia vai abrir os olhos e ver esse crescimento de dinheiro para igreja, tem custado a dor e o sofrimento de muita gente humilde. O que passa é que esses lideres, principalmente o bispo Macedo, não sabem o que seja o sofrimento das pessoas. Pois eles vivem como reis, do altar sobem para suas luxuosas mansões, como ele que tem uma mansão em cada continente, montada com tudo do mais luxuoso, somente esperando-o, dois jatos, vários helicópteros. Enquanto na mesma igreja há pastores que rendem milhares e milhares de dólares a essa igreja, e vivem muitos em uma situação de quase miséria, muitos como aqui nos Estados Unidos, estão endividados, pois o pastor tem que pagar do seu bolso, a prestação do carro, seguro do carro, seguro de saúde. Quando a igreja passou esta que é sua responsabilidade legal, pois o pastor vem a esse pais como missionário da igreja, logo a igreja apresenta ao governo americano falsas cartas dizendo que se responsabiliza pelos gastos do pastor no pais, pura mentira, somente para receber os documentos e autorizações para funcionar como igreja. E por esta razão se desenvolveu outro lucrativo negocio, “O JORNAL”

    A Campanha de Israel Esta campanha que sempre foi a base do crescimento da IURD, razão de grandes milagres e maravilhas na igreja. Com o passar do tempo esta campanha se transformou em uma ponte de promoção pessoal de bispos e pastores, como dizem a liderança “o destino da vida do pastor esta no resultado da campanha de Israel”. Quer dizer na teoria a campanha é apresentada como uma solução para o sofrimento do povo,mas na pratica não é nada disso, a campanha é a parte do ano onde o pastor tem que apresentar o valor de ate 300% em cima da arrecadação normal da igreja. Um exemplo foi a ultima campanha aqui da minha igreja que deu $60.000,00 no dia da “colheita”. Agora que estamos em plena campanha já disseram que tenho que tirar 3 vezes mais ou seja $180.000,00. imagine como fazer isto sem ofender, inventar, apelar para a emoção e levar as pessoas a quase um transe e assim vender seus bens, ficarem quase na miséria sem nada para dar, o que a igreja quer. No passar dos últimos anos tenho visto com tristeza e dor pessoas vendendo casas, carros, moveis de dentro de casa, pessoas que depois da campanha passam fome, perdem trabalhos. E a liderança, os bispos não querem nem saber de nada, pois para eles depois da campanha ficam mais ricos, vivem melhor, mandam dinheiro para suas contas em ilhas do Caribe, e vão de viagem para Europa, e o povo fica igual. Por exemplo eu fiz cálculos das ultimas campanhas de Israel que fiz nos últimos 9 anos por todas as igrejas por onde passei. Encontrei a soma de $2.800.000,00 (dois milhões e oitocentos mil dólares), isso somente um pastor, passando por varias igrejas diferentes. Agora nesta campanha de Israel que terminou na semana passada, somente aqui nos Estados Unidos, houve uma arrecadação recorde de quase $20.000.000,00 (vinte milhões de dólares), em todas igrejas no território Americano. Um pouco mais de 150 igrejas, e não se aplica estes fundos para reformar ou melhorar o aspecto das igrejas, não se aplica estes recursos para apresentar um programa para ajudar as pessoas necessitadas. Ou mesmo para ajudar a um pastor, já que se você se enferma ou precisa de alguma coisa sempre lhe negam e quando dão algo, ficam jogando na sua cara para o resto da vida.

    E os milhões que um pastor produz para a igreja, ele não gera despesa, é só lucro, a igreja nunca perde nada somente ganha e ganha. E eles os lideres querem cada vez mais. Na segunda-feira dia 17 de julho de 2006,um dia após ao termino da campanha vários pastores no mundo todo perderam suas respectivas igrejas, alguns foram rebaixados a auxiliar e outros ate tiveram os salários reduzidos, porque o resultado ?($) de suas campanhas foi fraco, não cresceram !($). É semelhante a um vendedor que tem sua cota de vendas num mês, se alcança a cota ele esta bem, e é ate promovido, se não perde tudo. Mas quando me chamaram foi para ganhar almas para Jesus, foi para salvar pessoas, e não para arrancar dinheiro dessas pessoas e me tornar um mercenário! A procura de pastores jovens Estes comentários meus, são um exemplo da controvérsia que existe dentro da igreja. Os pastores mais antigos que conheceram a IURD como era , uma verdadeira igreja que salvava, que pregava o evangelho forte e poderoso. Estes pastores antigos ou “VELHOS” como são chamados, (que na verdade são pastores de 35, 40, 45 anos) que já são considerados descartáveis pela direção da IURD, pois os ditos pastores não aceitam essa mudança, esse negocio que se transformou a igreja. E muitos reclamam, e se recusam a ‘ARRANCAR’ e quando os lideres punem, isolam, maltratam e humilham, forçando que estes pastores abandonem a IURD. Eu mesmo uma vez aqui não aceitei as técnicas de um bispo para arrancar dinheiro, e o bispo Macedo me puniu, sem ao menos ter o direito de defender-me, cortaram meu salário pela metade, fui morar em quarto com um banheiro com minha esposa e filha. Não podia pregar, passei fome, fiquei na miséria, comprava roupa usada para vestir, e se não fosse à ajuda de outros pastores que as escondidas me ajudavam, não sei o que seria da minha vida. E quando um dia reclamei da situação, pois já havia passado mais de ano e a injustiça seguia e o tal bispo foi para outro estado e seguia fazendo pior, pois este apresentava resultado ao bispo Macedo, ou seja, (DINHEIRO). Então quando reclamei me disseram pra falar com Deus, ou fosseembora. E, por esta razão, os lideres da IURD somente querem garotos jovens, pois estes dão resultado, meninos de 18, 20 anos recebem o treinamento e vão para as igrejas e arrancam ate a alma das pessoas sem pena, segundo lhes ensinam é para abençoar as pessoas. E eles ensinam que o garoto tem que arrebentar na oferta, que a única maneira daquele jovem também mudar de vida. Vai assumir responsabilidade grande na igreja, vai ganhar mais.

    O Jornal Para dar um ‘incentivo’ aos pastores e lideres, a IURD fez do jornal da igreja que aparentemente é um instrumento de evangelização, um meio de premiar o pastor e dar a ele uma maneira de ter um dinheiro a parte do salário para seu mantimento. O jornal que aqui na América é proibido de vender, por lei, se passa ao povo por $1,00, e os pastores que tem por exemplo 150 pessoas em suas igreja passa semanalmente 3000 jornais, ou seja arrecada $3.000,00. Desse valor, 40% vai para o pastor da igreja local, e os outros 60% vai para o bispo ou pastor responsável local. Imagina aqui por exemplo, agora o bispo estava com quase $200.000,00, de comissão do jornal. Ou seja, o trabalho da igreja se resume a pedir oferta, dar envelopes altos em campanhas, para arrebentar e supostamente “CRESCER” na obra, e assim esta sempre “DE BEM COM OS HOMENS”, e arrancar o dinheiro do jornal para ter um dinheirinho por fora. Já os lideres colocam um fardo sobre os pastores, aumentando constantemente o valor e o numero de jornais, para terem mais nos seus 60%. E se o pastor reclama, e diz que não aceita ter que ficar praticamente vendendo jornal dentro da igreja, (que é ILEGAL) ele também recebe ameaças de esses ‘supostos lideres’, quer dizer, já não basta a pressão que o pastor recebe todos os meses em ter que apresentar um resultado crescente dos valores das ofertas, também tem que apresentar valor de venda de jornal, para dar boa vida para lideres que só querem saber de dinheiro e nada mais.

    Na verdade a conclusão é simples você diria, porque você não sai desta igreja e continua pregando em outro lugar, e deixa estes mercenários continuarem a enganar e explorar a fé das pessoas? Parece realmente a melhor solução como fez mui recentemente o bispo Sergio Von Helder ( aquele do chute na santa). Ele estava cuidando das igrejas em Nova York, e recebeu ameaças do bispo Macedo que se não desse um resultado econômico na campanha de Israel ele ia perder. Veio a campanha e não arrebentou (não cresceu $), então o mandaram cuidar das igrejas no Texas , como uma forma de castigo, ele já não foi chamado para as reuniões dos bispos principais. E quando se aproximou outra campanha de Israel outra vez ele recebeu as mesmas ameaças, ele não cresceu de novo, já ai dizem os pastores que estavam no Texas, que ele já estava contra e criticando este sistema de somente dinheiro. Agora por fim ele estava no Maranhão e deixou a igreja. Parece a melhor solução, e eles vão mudar o sistema por causa da saída de um bispo ou pastor? Não! Se eles não se importam com as pessoas que entregam tudo o que tem no altar confiando nas pregações deles. Mesmo que às vezes aquelas pessoas possam ficar dias sem ter o que comer e leite para seu filho. Pessoas que acabam despejadas, ou não tem nem uma cama para dormir, porque deram o que tinham e o que não tinham nas campanhas. Não, eu prefiro continuar aqui e combater, lutar até que o bispo Macedo saia do seu reino de riqueza e luxuria, e veja a realidade das pessoas que formam esta igreja. Até que ele veja a maldade que esse lideres que ele diz serem de sua inteira confiança estão fazendo com a igreja que um dia ele (Macedo) levantou para salvar e evangelizar o mundo. Segundo alguns pastores o bispo Macedo já fez a partilha da IURD entre os bispos mais antigos, que se acontecendo alguma coisa com ele eventualmente morte ou uma enfermidades que o impossibilite de liderar a IURD, esses bispos já tem divididos entre si em fatias a IURD. E por esta razão e que já esta havendo uma divisão e descontentamento principalmente com alguns dos bispos mais antigos (como o caso do próprio VON HELDER) que foram deixados de fora. E que também pelo fato dele já haver deixado para os seus genros: bispo Julio e bispo Renato fatias bem generosas da IURD, despertando uma rebelião nos corredores da IURD. Já que estes dois não tem nenhuma historia dentro da IURD, e somente são bispos porque se casaram com as filhas do bispo Macedo. Pois esta igreja esta sim destruindo a vida de milhares de pessoas que estão sofrendo nas garras desses líderes mercenários, e maldosos. Espero que vocês nos ajudem enviando esta mensagem para todo o mundo, para todos os contatos que vocês, para que façam pressões em cima da igreja, e que alguma coisa mude, faça com que a direção da IURD, reflita principalmente nos erros que vem cometendo ultimamente. Peço a todos os irmãos que orem pelos pastores e bispos e obreiros honestos que estão dentro da IURD, pessoas que mantém uma vida em comunhão com Deus e que na pele sofrem muito com toda esta situação difícil que estamos vivendo nos últimos anos. Vermos uma igreja tão bonita que sempre fez um trabalho tão forte na recuperação e salvação de pessoas, verem esta igreja se convertendo em organização podre e corrompida por dentro, como Nosso Senhor diz na sua palavra: “como sepulcros caiados, bonitos e brancos por fora, e por dentro cheio de ossos de mortos.” Que Ele tenha misericórdia de todos nós e venha a provermos de uma saída e uma solução para todos.

    Pastor A.A. dos Santos

  2. Introdução sobre minhas experiências na IURD
    Olá..
    Irei comentar um pouco sobre minhas experiências na IURD e explicar porque Não Sou a Universal.
    Frequentei a Igreja Universal por aproximadamente 10 anos. Na igreja eu fui curada.
    Quanto a algumas questões de libertação, cura e salvação, particularmente não tenho muito o que reclamar da IURD, pois pelo menos nas quartas e domingos, na reunião busca-se o Espirito Santo, embora ultimamente até essa busca está distorcida, pois Deus agora virou Deus do templo. Bom, conforme o tempo foi passando, fui presenciando fatos que aos poucos foram me decepcionando, abrindo os meus olhos contra ensinamentos não bíblicos e atitudes não éticas.
    Um deles é sobre a pressão psicológica que muitos pastores usam para fazer os membros participarem de Campanhas de fé. Cansei de ouvir muitas pregações ameaçadoras, como do tipo: se você não der para Deus, acabará dando para o diabo, ou mesmo chantagistas como : tal pessoa deu o carro, a casa para os demônios e você oferecerá o que para Deus?Isso quando alguns pastores, em um clima de “fé”, chegavam a falar que quem não estivesse na fé da campanha vigente, que nem aparecesse na igreja naquela época. Nessa sede de campanhas, já vi também um pastor descer do altar, largar o povo na reunião sem se despedir, só porque ninguém pegou o envelope que ele ofereceu no valor de $100,00.
    Mesmo presenciando essas atitudes estranhas, decidi participar do grupo jovem da igreja, pois tinha um desejo sincero de servir a Deus. No grupo participei de reuniões edificantes, mas fui ensinada também a agir como um “soldado da fé”. Dependendo do obreiro e pastor que cuidava dos jovens, se você não trouxesse jovens para a igreja, você era chamado de mole, derrotado e outras palavras” incentivadoras”. Ah, e tudo isso na frente de outras pessoas. O pior é que não podíamos retrucar, senão teríamos maus olhos e eramos rebeldes. Já fui até acusada de furto por um pastor e muitos conhecendo o meu caráter por anos, não tiveram a coragem de me defender, tudo por esse medo que a igreja fixava na cabeça deles, que não podíamos ir contra os “ungidos de Deus”.
    A IURD também tinha e ainda tem receio de quando visitamos outras igrejas. O argumento é que não podemos misturar o vinho. Em partes eu concordava, mas achei um absurdo quando fui retirada do grupo jovem só porque um dia, fui com 4 colegas conhecer a igreja Renascer em Cristo. Na época foi feita até uma reunião com os jovens, onde a obreira comunicou o motivo da nossa saída e ainda alertou os jovens que quem andasse comigo e meus amigos, daria a entender que também queria sair do grupo( tipo, uma ameaça básica). Eu não aceitava esses acontecimentos e muitas das vezes criticava. Por muitos verem que eu tinha maneira diferente de pensar e até de agir, começaram a dizer para os jovens que eu não era a pessoa certa para se ter uma amizade, pois poderia “contaminar” os outros jovens.
    Nesse intervalo, explodia a fama da Igreja Mundial. Muitos membros, obreiros e até pastores, começaram a ir para lá e muitos relatavam mudanças de vida sem precisarem fazer Fogueiras Santas. Nunca frequentei a IMPD, mas reconheço que muitas pregações do apóstolo, me ajudaram a entender o porquê de muitas injustiças acontecerem comigo e um fardo enorme saiu das minhas costas. Um deles, foi o de me sentir inferior por ser diferente dos outros jovens e o outro foi de saber que Deus me ouvia, mesmo eu sem participar de desafios de fé.
    Assim, comecei a ouvir pregações de outras igrejas e confrontar se estavam de acordo com os princípios bíblicos. Isso tudo não foi fácil, pois mesmo com tantas tribulações dentro da igreja, eu defendia a IURD, sempre quando alguém criticava o seu trabalho. Precisei reconhecer que precisaria me converter da crença atual que tinha das doutrinas da IURD.Essa crença atualmente tem feito pessoas retornarem a lei, pensando que estão seguindo aos ensinamento de Jesus.

    Bom, de início é isso. Aos poucos darei meus relatos, senão o post ficará muito grande e único. O intuito não é denegrir a igreja, mas fazer com que um dia ela possa mudar em relação a essas más práticas que podem sim serem mudadas.
    Por esses motivos e por outros que eu Não Sou a Universal!
    Que Deus nos ilumine e nos guie!

    Daniele da Silva

  3. Alguns princípios de teologia bíblica para identidade do cristão. O Senhor Jesus ao tratar com a mulher acusada de adultério, disse: “… nem eu te condeno, vá e NÃO PEQUES mais”, ou seja, mude de vida, de atitude! Pedro, após seu sermão em Atos 2, desafiou os ouvintes a arrependerem-se (crer) e identificarem-se com Cristo pelo batismo. Paulo falando aos Romanos, desafiou-os a uma mudança (metamorfose) de mente, refletida na atitude (apresenteis os vossos corpos) como demonstração do entendimento e compromisso com Cristo (Rm. 12:1,2). O mesmo Paulo, falando aos Coríntios, demonstrou como eles eram/agiam no passado, e o que a graça de Cristo fez “… mas fostes lavados… justificados” (1ª Co. 6:9-12). Aos Tessalonicenses, falou do viver segundo a vontade de Deus: “essa é a vontade de Deus… a vossa santificação… abstenhais da prostituição… defraudação” (1ª Tes. 4:1-11). O apóstolo orientou Tito a desafiar os crentes da ilha de Creta, a mudarem de atitude, eles (Cretenses) que eram “… sempre mentirosos, bestas ruins, glutões preguiçosos.” (Tito 1:12), “… éramos… insensatos, desobedientes, extraviados, servindo a várias paixões e deleites, vivendo em malícia e inveja, odiosos e odiando-nos uns aos outros. Mas quando apareceu a bondade de Deus, nosso Salvador… segundo a sua misericórdia, nos salvou… por Jesus Cristo, nosso Salvador; para que, sendo justificados pela sua graça, fôssemos feitos herdeiros segundo a esperança da vida eterna.” À luz deste princípios bíblicos, ser “evangélico” hoje, não é sinônimo de ser um cristão genuíno. Por isso não me identifico como evangélico!

  4. Se procurar alguma falha vai achar, todos sabem que os seres humanos são sujeitos a falhas, não tem ninguém perfeito, todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus, principalmente se pender para o lado da carnalidade. Enquanto a mulher tornou-se uma vencedora na imitação do homem como (pastor), ela que não tinha oportunidade pra nada dentro da igreja hoje através da imitação está sentada no Púlpito da Igreja, já pode ser Pastora? Porque aconteceu isso? Porque o homem era para crescer imitando Jesus e não o fez, ficou paralisado pela deusa da fortuna, prevaleceu o dinheiro e a carnalidade, mostre um Pastor que saiba transformar a água em vinho que foi o primeiro milagre de Jesus. Os Pastores se tornaram (alguns) grandes empresários, mas nunca um Jesus Cristo só estão interessados na lã das ovelhas, não sabem nem para eles e posam de grandes professores da Palavra de Deus. São persistentes imitadores dos costumes mundanos no lugar de ensinar o Poder de Deus, e como trabalhar com ele. É aquele tipo que fica na porta não entra e não deixa ninguém entrar. Mas, Deus não dorme isso vai ter um fim e muito triste para eles. Se o nome de Deus está sendo vilipendiado por causa deles fica claro que vão pagar caro: Horrenda coisa é cair nas mãos do Deus vivo. E mais, é isso que dá motivo que se instale um clima de perseguição a toda igreja principalmente a igreja evangélica. Entre escolher posar como pessoa de grande valor social, muito interessado em dinheiro e sexo, poder e glória e o sacrifício de pagar o preço para obter o poder de Deus procurando saber como Jesus fez os seus milagres e adquirir conhecimento para também fazê-los sabendo que este conhecimento já está disponível, escolheram a primeira opção que vem do desejo da carne. Depois a pessoa pergunta: De onde vem tanto sofrimento?
    Da desobediência a Deus, do desprezo à Palavra de Deus. E, mais, não tenho boas notícias, o cerco vai apertar cada vez mais ou se obedece a Deus procurando viver os seus ensinamentos ou o sofrimento vai aumentar até um ponto insuportável. Está escrito: Sai dela povo meu! Sai dessa Babilônia. Babilônia não é seu lugar. Vai sair ou vai ficar?

DEIXE UMA RESPOSTA