Pastor afirma que projeto do Templo de Salomão é “um retrocesso, um monumento à ignorância”; Confira

69

O Templo de Salomão erguido pela Igreja Universal do Reino de Deus vem sendo duramente criticado por parte dos líderes cristãos brasileiros, que dizem não haver coerência na ideia de erguer um megatemplo semelhante ao que foi construído pelo rei Salomão.

O pastor e teólogo Bruno dos Santos afirmou num artigo que o “projeto não é bíblico”, e apontou razões teológicas para sua análise. Anteriormente, Santos já havia apontado oito razões para não visitar o megatemplo da Igreja Universal.

“Deus jamais pediu ou disse que Salomão ergueria um templo para Ele”, diz Santos em seu artigo, antes de reproduzir um trecho do livro de 2 Samuel, em que o profeta entrega a Davi uma mensagem divina. Muitos teólogos apontam para essa mensagem como uma profecia messiânica, em que Deus fala de Jesus como o responsável pelo novo templo.

“Agora, pois, diga ao meu servo Davi: ‘Assim diz o Senhor dos Exércitos: Eu o tirei das pastagens, onde cuidava dos rebanhos, para ser o soberano do meu povo Israel. Sempre estive com você por onde você andou, e eliminei todos os seus inimigos. Agora eu o farei tão famoso quanto os homens mais importantes da terra. E providenciarei um lugar para o meu povo Israel e os plantarei lá, para que tenham o seu próprio lar e não mais sejam incomodados. Povos ímpios não mais os oprimirão, como fizeram no início e têm feito desde a época em que nomeei juízes sobre o meu povo Israel. Também subjugarei todos os seus inimigos. Saiba também que eu, o Senhor, lhe estabelecerei uma dinastia. Quando a sua vida chegar ao fim e você descansar com os seus antepassados, escolherei um dos seus filhos para sucedê-lo, um fruto do seu próprio corpo, e eu estabelecerei o reino dele. Será ele quem construirá um templo em honra do meu nome, e eu firmarei o trono dele para sempre. Eu serei seu pai, e ele será meu filho. Quando ele cometer algum erro, eu o punirei com o castigo dos homens, com açoites aplicados por homens. Mas nunca retirarei dele o meu amor, como retirei de Saul, a quem tirei do seu caminho. Quanto a você, sua dinastia e seu reino permanecerão para sempre diante de mim; o seu trono será estabelecido para sempre’. E Natã transmitiu a Davi tudo o que o Senhor lhe tinha falado e revelado (2 Samuel 7:8-17)”.


“Além de Deus não permitir que Davi construa um Templo em seu nome, Deus ainda afirma pelo profeta que depois da morte de Davi, Deus levantaria alguém da sua descendência para erguer um Templo que honrasse o Senhor, e que este seria tratado como Filho de Deus. Davi deveria morrer para que este Escolhido do Senhor surgisse. Devemos lembrar que nesta época Salomão já havia nascido da união de Davi com Bate-Seba”, frisa o pastor Bruno Santos, antes de acrescentar que “o próprio Salomão, mesmo após ter construído o templo, declara que Deus não pode habitar nele”, fazendo referência à passagem de 2 Crônicas 6:16-18.

O pastor segue a linha de raciocínio e afirma que “obviamente a mensagem dada por Natã a Davi não se tratava de Salomão, mas de Nosso Senhor Jesus Cristo”, que humanamente falando, descende da linhagem real e que ergueu “um templo espiritual em honra ao Senhor” quando foi crucificado.

“Edir Macedo está reforçando uma heresia pagã chamada ‘templocentrismo’, onde o conceito de adoração a uma divindade está relacionada apenas com o templo físico, assim como se fazia no Egito antigo e em outras religiões e culturas politeístas. Devemos lembrar que o templo era destinado apenas para atos religiosos e sacrifícios, e administrado pelo sumo sacerdote. Já as sinagogas eram várias, e eram destinadas à oração, ensino, leitura da Palavra, e interpretação do Velho Testamento. Muito mais parecido com qualquer igreja séria de nossos dias. O templo apenas reforçava a religiosidade do povo, coisa que Jesus repreendeu veementemente em seus dias”, afirmou o pastor Bruno dos Santos.

No texto, o pastor ressalta que na Nova Aliança, não há lugar restrito para adoração a Deus, ou local onde as orações tenham mais efeito ou o poder divino se manifeste de forma mais intensa: “Jesus revolucionou conceitos e padrões impostos pela interpretação da Lei e o rigor religioso judaico. Jesus usava as sinagogas, mas também os campos e os montes. Ele jamais impôs um lugar apropriado para adorar a Deus. Por isso temos a liberdade de adorarmos o Senhor num templo ou mesmo em nossos lares. Em uma fazenda ou dentro da mais humilde e simples igreja construída. Jesus não aprovou um lugar específico. Por isso podemos ser discípulos de Jesus onde estivermos”, orientou Santos.

Em sua conclusão dos motivos que considera o Templo de Salomão uma construção alheia à Bíblia, Santos afirma que o megatemplo se encaixa no provérbio popular que diz “Por fora bela viola, por dentro pão bolorento”: “Isso é o que significa para a fé cristã paulista este monumento à ignorância bíblica financiado pelas campanhas da IURD. É um retrocesso cristão, compreender que qualquer coisa neste templo está relacionada com Jesus de Nazaré, que pregou uma ética de justiça social, e de envolvimento com os necessitados em todas as áreas. A IURD não zomba apenas da fé judaica, como fez uma vez com a fé católica,mas principalmente com a fé evangélica, que não pode estar relacionada com este exibicionismo egocêntrico e grotesco de poder e força financeira”.


69 COMENTÁRIOS

    • Então vamos congregar dentro dos cristãos.

      E quando a gente quiser ir ao banheiro, basta fazer xixi na veia do cristão?

      Você é igual os judeus fundamentalistas, pois enquanto estes dizem que Deus se encontra apenas no templo, você denega qualquer espécie de cobertura para fazer reunião, eta homem sabido, achar que os outros acham que Deus vive internado em templos, é muita doideira, meu caro stude, mas stude mesmo, pois pra quatro patas, orelhas grandes e rinchar, tá mais perto que longe, faltando apenas que os asnos venham reivindicar convivência conosco em face do seu mau exemplo de pouca esperteza e sagacidade, cuidado quando encontrar milho.

    • Então vamos congregar dentro dos cristãos, já que Deus vive dentro deles?

      E quando a gente quiser ir ao banheiro nos dias de cultos, basta fazer xixi na veia, no coração do cristão em que estamos como parasitas, já imaginou o hospedeiro recebendo uma descarga tão de grade de lixo, de dejetos?

      Você é igualzinho aos judeus fundamentalistas, pois enquanto estes dizem que Deus somente se encontra no templo, tu denega qualquer espécie de cobertura(alvenaria, madeira, palha) para fazer uso nas reuniões.

      Eta, homem sabido és, o que acha que quando se fala em templo, é sinônimo de Deus morando e internado em estruturas feitas pelos homens, o Deus eterno rendido dentre de prisões humanas, com todo o respeito, é muita doideira essa tua, meu caro stude.

      Mas estude, pois pra você se equiparar aos que usam quatro patas, orelhas grandes e rinchar, tá mais perto que longe, daqui a pouco os asnos haverão de reivindicar convivência conosco em face do seu mau exemplo de pouca esperteza e sagacidade, cuidado quando encontrar um mói de milho, vai se fartar como se fosse um pedaço de filé.

  1. Jesus disse Assim nós, que somos muitos, somos um só corpo em Cristo, mas individualmente somos membros uns dos outros.
    Um só é o vosso Mestre, a saber, o Cristo, e todos vós sois irmãos
    (Romanos 12:5; Mateus 23:8).
    UMA ORGANIZAÇÃO OU UM CORPO?
    Os membros de um clube ou associação estão vinculados entre si porque querem, porque estão de acordo com as metas propostas ou porque aceitaram as regras de conduta adotadas.
    O caso dos redimidos é muito diferente; estão unidos entre si não por sua vontade, mas porque têm uma relação comum com Deus (Pai, Filho e Espírito Santo).
    O Deus: os que crêem em Jesus Cristo, que morreu por eles na cruz, recebem o direito de serem chamados “filhos de Deus” (João 1:12). Sendo membro desta família, cada cristão salvo é irmão dos demais salvos.
    Jesus Cristo, o Filho de Deus: é o meu Salvador, como o é de cada um dos meus irmãos salvos. É também meu Senhor, de quem sou discípulo e a quem sirvo. Ele disse: “Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis” (João 13:34). Além disso, sou membro do corpo de Cristo, unido de maneira inseparável aos demais membros (1 Coríntios 12:12-27).
    O Espírito Santo nos dá consciência de que nós, “santificados em Cristo, estamos unidos em um só corpo (1 Coríntios 12:13).
    Já que nossas relações fraternais têm sua fonte em Deus, que cuidado deveríamos ter a fim de viver para a glória de Deus e para o bem dos demais membros do corpo de Cristo!

    • Quer dizer meu pai é minha cabeça eu sou a cabeça da igreja e vós sois meus membros, como fazer para manter os membros no corpo se não for em um lugar chamado igreja templo, lembrem o dedo fora do corpo não tem vida em si mesmo.

  2. e o que vocês estão a fazer?
    porque todos vocês discordan deste feito,mas de modo e forma alguma buscan ter comunhão com vocês mesmos,e quando se reunen é sempre focados en vocês,nos seus grupinhos,nas ideologias de vocês, que tira DEUS do lugar DELE para que vocês se acenten no seu lugar ou acrescenta como se o de DEUS não fosce o suficiente,cada um de vocês ten visado o próprio interece próprio,cada um de vocês acredita en um cristo que não é o das escrituras,cada um de vocês deixa hà distâncias o EVANGELHO de JESUS CRISTO para anunciar a boa nova da instituição da qual vocês pertencen e se comprazen en ser escravizados por ela e por conta disso aprenden e tomam gosto en escravizar também.
    vocês tornan pessoas deuses e deusas para vocês,vocês queren exigir mudanças da casa alheia,mas a casa de vocês estão todas bagunçadas,vocês se achan tão espirituais,que a unica santidade que esse tipo de espiritualidade pode trazer para vocês e isto é tão notório para uma pessoa como eu é aquilo que é costumeiro de se ouvir dos vossos próprios lábios :santa hipocresia
    pessoas que passan fome,passan sede,que MORREN DE fome E TAMBÉM DE SEDEdas coisas espirituais de um único DEUS estão fadadas a morreren.

  3. Eu acho que na minha opinião as outras igreja não digo todos mais a maioria se fosse na sua estariam falando tudo ao contrario mas e na universal todos tem uma desculpa pra não aceitar o templo dos cristãos,PURA INVEJA FATA DO QUE FAZER,NÃO SOU DA UNIVERSAL,MAIS VEJO O ESFORÇO DESSES HOMENS PRA LEVAR A PALAVRA DE DEUS A MUITOS LUGARES E VEJO MAIS UMA IDEIA PARA TODO MUNDO PELO MENOS AQUELES QUE NÃO CONHECE A PALAVRA VER O QUE DEUS PODE FAZER NA VIDA DOS QUE REALMENTE O SERVE.VÃO PROCURAR O QUE FAZER SEUS BANDOS DE INVEJOSOS CHEIOS DE DOUTRINAS ANDAM COM A ROUPA ATE OS PÉS MAIS POR DENTRO ESTÃO CORROMPIDOS O CORAÇÃO..

  4. O Deus que fez o mundo e tudo que nele há, sendo Senhor do céu e da terra, não habita em templos feitos por mãos de homens;

    Atos 17:24

    Deus gostaria mais, se toda essa ostentação fosse trocada por quem sabe pessoas do Brasil (filhos de Deus) que estão abaixo do nível da miséria, que só podem se alimentar 1 vez no dia, nossa, se esses 400 milhões fossem investidos em vidas, os céus estariam em festa!

  5. DEUS não habita em templos feitos por mãos de homens (Atos.17:24).

    O Nosso SENHOR e DEUS construiu um Templo para habitar nele para sempre – nosso Corpo é o Templo onde habita o Espírito do SENHOR! Amen …
    Este “Templo de Salomão” é uma heresia … Os verdadeiros Pastores de nosso SENHOR e SALVADOR JESUS CRISTO não devem participar desta festa pagã! Amen …

  6. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    pedir maiscedo ostentando sua grana e sua barba branca
    e o povo sempre pobreeeeeeeeee!!!
    ladrao deveria pensar 2x onde ir roubar
    fica roubando de trabalhador que nao tem nada,
    vai roubar o templo do pedir maiscedo , ladrao que rouba ladrao é 100 anos de perdao

  7. DEUS QUER ADORAÇÃO AS 24 HORAS DO DIA E EM QUALQUER LUGAR, POIS ONDE ESTIVER DOIS OU MAIS FALANDO DO MEU NOME AÍ ESTOU NO MEIO DELES.
    ESSA MEGA-CASA, É APENAS STATUS, UM GASTO QUE PODERIA TER REVERTIDO EM COMIDA PARA OS POBRES, JÁ QUE É DINHEIRO DO POVO;
    VEM O ARREBATAMENTO E ESSA CASA PARA QUEM VAI FICAR;
    ISSO AÍ É SÓ DINHEIRO ENTERRADO, SEM VALOR ALGUM DIANTE DE DEUS NO NOVO TESTAMENTO, PORQUE ISSO FAZ ALUSÃO AO VELHO TEST. ESTÃO REJEITANDO A NOVA ALIANÇA ESTABELECIDA POR JESUS, JEREMIAS 31.31-34; EFÉSIOS 2.11-22; PRIMEIRA CARTA AOS CORINTIOS 6.19.

  8. A VERDADE QUE STARDUST NÃO QUER QUE VC. CONHEÇA.
    Um estudo realizado nos Estados Unidos pelo State of the Plate, apontou que as pessoas que os dizimistas têm um maior controle de sua vida financeira do que as pessoas que não adotam a prática. O objetivo do estudo foi lançar um olhar mais atento sobre as práticas financeiras, espirituais e práticas de doação de pessoas que dão 10 por cento ou mais do seu rendimento para igrejas e instituições de caridade a cada ano.

    Os resultados foram classificados como ‘sem precedentes’ por seus organizadores, que compararam dizimistas com não-dizimistas através de nove indicadores de saúde financeira, descobrindo que os dizimistas apresentavam resultados melhores em cada uma das categorias.

    Entre os indicadores medidos pelo estudo, foi constatado que entre os dizimistas 80 por cento não têm contas de cartão de crédito não pagos, 74 por cento não devem nada em seus carros, 48 por cento possuem sua casa própria e 28 por cento estão livre da dívida.

    – O estranho é, um dizimista olha para aquilo e diz para si mesmo: ‘Bem, eu estou melhor porque eu dou.’ O não-dizimista olha para aquilo e diz, ‘Oh, eles dão porque estão melhores”, disse Brian Kluth, responsável pelo estudo.

    – Nunca antes este grupo foi estudado, e acho que para cada pastor e líder da igreja e líder eclesiásticos seria útil se eles entendem isso – afirmou Kluth ao The Christian Post.

    – Estamos no meio de um declínio de 40 anos no percentual que os cristãos dão, e precisamos ver um movimento de generosidade nos Estados Unidos, que os cristãos abracem novamente a generosidade como um valor espiritual, mas não por causa do orçamento igreja, mas por causa da Bíblia. As igrejas tornaram o dar em torno do orçamento, e não se trata de orçamento, se trata da Bíblia. – completou.

    A pesquisa, que foi conduzida pela “Generosidade Máxima”, entidade fundada por Kluth, e co-patrocinada por ECFA, Christianity Today and Evangelical Christian Credit Union, gerou um relatório completo de 27 páginas, intitulado “20 Verdades sobre dizimistas”, que mostrou também que entre os cristãos que não dizimam e têm dificuldade em dar, 38 por cento dizem que é porque eles não podem pagar, 33 por cento dizem que tem muita dívida e 18 por cento dizem que o seu cônjuge não concorda com o dízimo.

    Outro dado levantado pelo estudo foi que 70 por cento fazem suas doações com base em sua renda bruta ao invés de seus rendimentos líquidos, e 77 por cento dão mais do que os 10 por cento tradicional.

      • ESTUDO BÍBLICO:

        “AS 10 MAIORES MENTIRAS SOBRE OS 10 POR CENTO DOS DÍZIMOS”

        Muitas igrejas insistem no ensino errôneo de que os dízimos ainda são obrigatórios mesmo para os cristãos que vivem debaixo da graça de Jesus Cristo, e se utilizam de argumentos que se tornaram verdadeiros mitos dentro da comunidade evangélica, porém como eles dizem que o dízimo é 10 por cento, vamos usar o mesmo princípio numérico e verificar biblicamente as 10 argumentações mentirosas mais difundidas a respeito do dízimo.

        1º MENTIRA – “O DÍZIMO FOI ORDENADO POR DEUS NO JARDIM DO ÉDEN, POIS A ÁRVORE DO CONHECIMENTO REPRESENTA O DÍZIMO”

        Na verdade, biblicamente o dízimo foi ordenado no monte sinai (levíticos 27:30-32; Números 18:21-24) e portanto, não foram instituidos no Jardim do Éden, pois sequer é mencionado que Adão e Eva receberam o mandamento de dizimar. A associação que muitos religiosos que insistem em receber dízimos fazem de que a árvore do conhecimento do bem e do mal (Gênesis 2:9), pois não era permitido a Adão e Eva comer dela (Gênesis 2:17) portanto ela seria segundo eles um “símbolo” do dízimo, mas isso é uma associação esdrúxula, pois sequer há um texto bíblico que faça uma ligação entre essa árvore do Jardim do Éden e o dízimo da lei de moisés, sequer se diz que a árvore ocupava 10% do espaço do Jardim do Éden. Trata-se portanto de mais um argumento ridículo usado pelos líderes religiosos para levar o povo a acreditar que o dízimo não era somente obrigatório perante a lei de moisés.

        2º MENTIRA – “O DÍZIMO SEMPRE FOI OBRIGATÓRIO MESMO ANTES DA LEI DE MOISÉS”

        O dízimo antes de sua ordenança no Sinai era voluntário, sendo mencionado apenas 2 vezes antes de se tornar obrigatório, Abraão deu uma única vez um dízimo do despojo de guerra quando resgatou seu sobrinho ló e jacó fez um voto a Deus (gênesis 14:17-20, gênesis 28:20-22)

        Pelas seguintes razões, Gênesis 14:20 não pode ser usado como exemplo para os cristãos dizimarem: 1º – A Bíblia não diz que Abraão deu obrigatoriamente esse dízimo. 2º – O dízimo de Abraão não foi um dízimo santo, da Terra Santa de Deus, produzido pelo povo santo de Deus. 3º – O dízimo de Abraão foi somente do despojo de guerra (hebreus 7:4). 4º – O dízimo de Abraão a Melquisedeque aconteceu apenas uma vez e Abraão mudava sempre de lugar. 5º – O dízimo de Abraão não proveio de sua riqueza pessoal. 6º – O dízimo de Abraão não é mencionado em nenhuma parte da Bíblia, seja no velho ou no novo testamento a fim de respaldar o ato de dizimar. 7º – Visto como nem Abraão nem Jacó tinham um sacerdócio levítico para manter, eles não tinham lugar algum onde entregar os dízimos, durante os seus muitos deslocamentos.

        No caso específico de Jacó, lemos o seguinte: “Fez também Jacó um voto, dizendo: Se Deus for comigo, e me guardar nesta jornada que empreendo, e me der pão para comer e roupa que me vista,de maneira que eu volte em paz para a casa de meu pai, então, o SENHOR será o meu Deus;e a pedra, que erigi por coluna, será a Casa de Deus; e, de tudo quanto me concederes, certamente eu te darei o dízimo” (Gênesis 28:20-22). O texto bíblico é claro, que Jacó fez um propósito particular (um voto) de que se Deus fosse favorável à ele, que ofereceria à Deus o dízimo. Não se vê também neste caso nenhuma ordem explicita de Deus ou algum sacerdote a mando Dele, para que Jacó dizimasse, e vemos que foi uma promessa de Jacó para Deus, não há relatos posteriores na Bíblia que ele tenha de fato dizimado, apenas se observa a sua promessa, seu compromisso de entregar o décimo de tudo que viesse a obter daquele momento em diante. Outra vez, não vemos na Bíblia nenhuma passagem em que vemos escrito que devemos dizimar como Jacó fez, portanto trata-se de mais uma mentira que os líderes criaram para tentar fazer parecer que os dízimos eram obrigatórios antes mesmo da lei de moisés.

        3º MENTIRA – “O DÍZIMO DOS ALIMENTOS DO VELHO TESTAMENTO FOI SUBSTITUÍDO POR DÍZIMO DO DINHEIRO NOS DIAS ATUAIS”

        Não há um versículo na biblia informando que dízimo obrigatório da lei de moisés possa ser ouro, prata, moeda, dinheiro, etc. Dízimo sempre foi apenas alimento do campo vegetal ou animal (levíticos 27:30 e 32) mesmo quando havia metais preciosos como moeda corrente. Abraão no seu tempo comprou uma sepultura para sua esposa por 400 ciclos de prata (gênesis 23:16)

        Embora já existisse dinheiro, a substância do dízimo divino jamais foi dinheiro. Ele era o “dízimo do alimento”. Isso é muito importante. Os verdadeiros dízimos bíblicos eram sempre somente o alimento proveniente das fazendas e rebanhos, somente dos israelitas que vivessem exclusivamente dentro da Terra Santa de Deus, as fronteiras nacionais de Israel. A fartura provinha de Deus e não da manufatura ou habilidade do homem.

        Existem 15 versículos de 11 capítulos e 8 livros, de Levítico 27 a Lucas 11, que descrevem o conteúdo do dízimo. E o conteúdo jamais, repito, jamais incluía dinheiro, prata, ouro ou qualquer outra coisa, além de alimento. Mesmo assim, a definição incorreta de “dizimar” é a maior mentira que está sendo pregada sobre esse ato, hoje em dia. (Veja Levítico 27:30,32; Números 18:27,28; Deuteronômio 12:17; 14:22, 23, 26; 2 Crônicas 31:5; Neemias 10:37; 13:5; Malaquias 3:10; Mateus 23:23 e Lucas 11:42).

        Não se observa portanto em toda a bíblia, alguém entregando dízimo em dinheiro, pois dízimo era décima parte dos alimentos ( agropecuários ou agrícolas ), e jamais foi entregue em dinheiro. E o dinheiro já era corrente nos tempos bíblicos, pois o próprio moisés que recebeu a lei para o povo lidou com dinheiro: “Então, Moisés tomou o dinheiro do resgate dos que excederam os que foram resgatados pelos levitas.Dos primogênitos dos filhos de Israel tomou o dinheiro, mil trezentos e sessenta e cinco siclos, segundo o siclo do santuário. E deu Moisés o dinheiro dos resgatados a Arão e a seus filhos, segundo o mandado do SENHOR, como o SENHOR ordenara a Moisés” (Números 3:49-51)

        Mais uma prova de que o dízimos sempre foram alimentos podem ser vista nessa passagem bíblica: “DOS DÍZIMOS NÃO COMI no meu luto e deles nada tirei estando imundo, nem deles dei para a casa de algum morto; obedeci à voz do SENHOR, meu Deus; segundo tudo o que me ordenaste, tenho feito” (Deuteronômio 26:14)

        Portanto, mais uma mentira dos líderes que ensinam sobre a obrigatoriedade dos dízimos é revelada, quando dizem que nos tempos bíblicos dízimos eram entregues em alimentos porque dinheiro ainda não existia, mas abraão e até moisés lidavam com dinheiro, e mesmo assim na obrigatoriedade da lei de moisés nunca se pagava dízimos em dinheiro, pois dízimo sempre foi a décima parte dos alimentos, do campo e animais, e nada tem a ver com a exigência de entrega de 10% do dinheiro que os cristãos recebem para esses líderes que ensinam erradamente sobre dízimos. Dízimo nunca foi pago em dinheiro, apenas em alimentos. Se o seu pastor ou líder insistir em dizer que pode ser pago em dinheiro exija que ele mostre alguém dizimando em dinheiro na bíblia, pois dinheiro já existia e era usado naquela época.

        4º MENTIRA – “O DÍZIMO FOI DADO POR DEUS AOS LEVITAS DA VELHA ALIANÇA E HOJE OS PASTORES DA NOVA ALIANÇA SUBSTITUIRAM ESSES LEVITAS PORTANTO DEVEM RECEBER DÍZIMOS”

        O dízimo foi dado aos levitas, mas para que eles fizessem todo o trabalho da tenda da congregação (Números 18:21-23). Se hoje os membros leigos fazem mais de 90 % do trabalho e os pastores recebem todo o dízimo isso não é biblico, é humano. Na igreja primitiva de atos, um levita, chamado josé de sobrenome barnabé dava ofertas ao invés de receber dízimos dos apóstolos e membros da igreja cristã: “José, a quem os apóstolos deram o sobrenome de Barnabé, que quer dizer filho de exortação, LEVITA, natural de Chipre, como tivesse um campo, vendendo-o, trouxe o preço e o depositou aos pés dos apóstolos” (atos 4:36-37) Portanto fica evidente que com a mudança do sacerdócio mudou a lei: “Pois, quando se muda o sacerdócio, necessariamente há também mudança de lei” (hebreus 7:12)

        Na economia hebraica, o dízimo era usado de maneira totalmente diferente da que hoje é pregada. Mais uma vez, os levitas que recebiam o dízimo inteiro nem sequer eram ministros ou sacerdotes – eles eram apenas servos dos sacerdotes. Números 3 descreve os levitas como sendo carpinteiros, fundidores de metal, artesãos de couro e artistas, que mantinham o pequeno santuário. E 2Crônicas 23-27, durante o tempo dos reis Davi e Salomão, os levitas também foram peritos artesãos, os quais inspecionavam as obras do Templo. Vinte e quatro mil deles trabalhavam no Templo como construtores e supervisores; seis mil eram oficiais e juízes; quatro mil eram guardas e quatro mil eram músicos. Como representantes políticos do rei, os levitas usavam o seu dízimo para servir aos oficiais, juízes, coletores de impostos, tesoureiros, guardas do Templo, músicos, padeiros, cantores e soldados profissionais (1Crônicas 12:23,26; 27:5). É obvio que esses exemplos do uso bíblico da entrada do dízimo nunca se tornam exemplos para a igreja de hoje. É importante saber que na Antiga Aliança os dízimos nunca eram usados para evangelizar os não israelitas. Neste ponto o dízimo falhou. Vejam Hebreus 7:12-19. Os dízimos jamais estimularam os levitas e sacerdotes da Antiga Aliança a estabelecer uma única missão fora do país, para encorajar um só gentio a se tornar israelita (Êxodo 23:32; 34:12,15; Deuteronômio 7:2). O dízimo da Antiga Aliança era motivado e exigido por lei, não pelo amor. De fato, durante a maior parte da história de Israel, os profetas foram os principais portadores da Palavra de Deus e não os levitas e os sacerdotes que recebiam o dízimo.O falso ensino é que os anciãos e pastores da Nova Aliança estão simplesmente continuando de onde os sacerdotes da Antiga Aliança deixaram e por isso devem receber o dízimo. A função e o propósito dos sacerdotes da Antiga Aliança foram substituídos, não pelos anciãos e pastores, mas pelo sacerdócio de todos os crentes. Como outras ordenanças da Lei, o dízimo foi apenas uma sombra temporária, até a vinda de Cristo (Efésios 2:14-16; Colossenses 2:13-17; Hebreus 10:1). Na Nova Aliança cada crente é um sacerdote de Deus (1 Pedro 2:9-10; Apocalipse 1:6; 5:10). E como sacerdote cada crente oferece sacrifícios a Deus (Hebreus 4:16; 10:19-22; 13:15-16). Então, cada ordenança que havia sido previamente aplicada ao antigo sacerdócio foi anulada no Calvário. Visto não pertencer à Tribo de Levi, até mesmo Jesus Cristo foi desqualificado. Desse modo, o propósito original de dizimar já não existe (Hebreus 7:12-19; Gálatas 3:19, 24, 25; 2Coríntios 3:10).

        Portanto, não há nenhum mandamento no novo mandamento do cristão entregar os dízimos aos pastores, pois o dízimo somente podia ser recebido pelos levitas: “Ora, os que dentre os filhos de Levi recebem o sacerdócio têm mandamento de recolher, de acordo com a lei, os dízimos do povo, ou seja, dos seus irmãos, embora tenham estes descendido de Abraão” (hebreus 7:5), e os levitas só existiam na velha aliança da lei de moisés, pastores não são substitutos deles pois são ministros de Deus (I Coríntios 4:1) e nem sequer é ordenado que se deva entregar dízimos em favor da obra de Deus, pois ela é sustentada pelas ofertas voluntárias (2Coríntios 9:7).

        5º MENTIRA – “O DÍZIMO RECEBIDO É SOMENTE PARA USO DOS PASTORES”

        Biblicamente, o dízimo pertencia aos levitas (números 18:21-23), mas também para se fazer um festival ao Senhor (deuteronômio.14:22-27) e a cada terceiro ano, para os levitas, órfãos, viúvas e estrangeiros, os quais comiam o dízimo ajuntado dentro das suas portas (deuteronômio14:28-29). Se ofertas e dízimos eram sagrados ao Senhor e não podiam ser comidos por pessoas comuns neste caso Deus abre um exceção, visto que para ele misericórdia é melhor que sacrificio (Oséias 6:6; Mateus 12:7), a vida dos carentes é preciosa ao senhor (veja um exemplo disso em Lucas 6:1-10)

        Portanto mais uma vez, é biblicamente demonstrado que os dízimos recebidos pelos levitas não eram de uso exclusivo deles… os necessitados ( órfãos, viúvas e os de fora de israel ), também se beneficiavam dos dízimos dos alimentos recebidos pelos levitas. Essa conversa de que só os pastores e líderes religiosos podem hoje usufruir dos dízimos não encontra respaldo bíblico. Trata-se de mais uma doutrina de homem.

        6º MENTIRA – “CRISTÃO QUE NÃO DÁ O DÍZIMO SERÁ VITIMA DO “DEVORADOR”
        Se você é evangélico provavelmente já deve ter ouvido alguém falar a respeito do devorador. Muitas igrejas pregam a respeito desse ser. Mas o que os líderes religiosos gananciosos não fazem é mostrar aos membros que a admoestação de Malaquias é dirigida somente à nação de Israel, e não aos cristãos de hoje que não dizimam:

        “Sentença pronunciada pelo Senhor CONTRA ISRAEL contra Israel, por intermédio de Malaquias” (Malaquias 1:1)

        e, se destina especificamente, aos SACERDOTES CORRUPTOS:

        “Agora, ó sacerdotes, para vós outros é este mandamento.Se o não ouvirdes e se não propuserdes no vosso coração dar honra ao meu nome, diz o SENHOR dos Exércitos, enviarei sobre vós a maldição e amaldiçoarei as vossas bênçãos; já as tenho amaldiçoado, porque vós não propondes isso no coração” ( Malaquias 2:1-2)

        Eles estavam ofertando ANIMAIS coxos, cegos mudos, e defeituosos:

        “Ofereceis sobre o meu altar pão imundo e ainda perguntais: Em que te havemos profanado? Nisto, que pensais: A mesa do SENHOR é desprezível. Quando trazeis animal cego para o sacrificardes, não é isso mal? E, quando trazeis o coxo ou o enfermo, não é isso mal? Ora, apresenta-o ao teu governador; acaso, terá ele agrado em ti e te será favorável? – diz o SENHOR dos Exércitos.” (Malaquias1:7-8)

        Quanto a Malaquias 3, notamos que Deus manda trazer somente “DÍZIMOS” para as câmaras do depósito do templo, para que haja “comida” ( alimento, ou mantimento ) em minha casa. Isto é , mantimento = produtos alimentares (ver dicionário da língua portuguesa)

        O texto mais famoso citado para falar a respeito do devorador é Malaquias 3:11, que diz: “Por vossa causa, repreenderei o devorador, para que não vos consuma o fruto da terra; a vossa vide no campo não será estéril, diz o SENHOR dos Exércitos.” Esse texto é a continuação de Malaquias 3:10, o tão famoso texto que fala a respeito de dízimos no Antigo Testamento. os líderes gananciosos dizem que o “devorador” mencionado nesse texto é um demônio que destrói as finanças daqueles que não dão os 10%, ou seja, que não são dizimistas. As pessoas que pregam nessa linha trazem ameaças de destruição financeira aos seus ouvintes se os mesmos não forem dizimistas fiéis.

        O DEVORADOR É MESMO UM DEMÔNIO? A resposta é não! Os que afirmam que esse devorador citado no texto é um demônio, no mínimo, faltaram em algumas aulas de interpretação da Bíblia. A primeira coisa a sabermos é que no Antigo Testamento, a aliança que vigorava era uma aliança baseada na obediência. Se o povo fosse obediente às leis de Deus seriam abençoados. Essas bênçãos eram visivelmente mandadas em forma de paz e boas colheitas e prosperidade. Se fossem desobedientes, seriam amaldiçoados. Falta de paz e colheitas ruins estavam em vista aqui. (Deuteronômio 28). Em uma das ameaças de maldições em suas colheitas, que Deus manda ao povo através do profeta Joel, vemos que: “O que deixou o gafanhoto cortador, comeu-o o gafanhoto migrador; o que deixou o migrador, comeu-o o gafanhoto devorador; o que deixou o devorador, comeu-o o gafanhoto destruidor.” (Joel 1:4). Uma maldição que tinha em vista a destruição da lavoura.

        O texto de Malaquias 3:11 diz a mesma coisa: “Por vossa causa, repreenderei o devorador, para que não vos consuma o fruto da terra; a vossa vide no campo não será estéril, diz o SENHOR dos Exércitos.”. Esse devorador certamente se tratava de um tipo de gafanhoto altamente destrutivo ou outro “bicho” que acabava com as plantações (que eram a base da economia do povo de Israel). A ação devastadora desse “ser” acabava com a prosperidade do povo em pouco tempo atacando suas lavouras. Quando o povo era obediente a Deus e cumpria a Sua lei, que no caso desse texto é a lei de dizimar, Deus abençoava suas colheitas e negócios. Esse é o sentido desse texto. Assim, não faz sentido usar esse texto para afirmar que o devorador era um demônio ou coisa parecida. Nem faz sentido ameaçar as pessoas hoje em dia com esse “devorador”

        “repreenderei o devorador” Versículo 11 (Não é dinheiro que faz isto, é o próprio Deus)

        Devorador, segundo a bíblia, nunca foi demônio, e sim, gafanhotos, que Deus enviava como pragas a terra para castigar o povo, e estes gafanhotos, Deus os chamavam de “O meu grande exercito” (Joel 2:22-27) …”repreenderei o devorador ” significa… espantarei a praga do meio da vossa plantação (gafanhotos), veja também Levítico 11:22 e Naum 3:16.

        Os líderes gananciosos que ensinam que esses “devoradores” são demônios que irão causar doenças na família, o carro vai viver quebrando etc, aproveitam o desconhecimento dos cristãos do verdadeiro devorador ao qual Malaquias se refere, o gafanhoto que devorava as colheitas da nação de israel. Não há confirmação nenhuma no novo testamento de que quem não dizima será vitima desse “devorador”… quando um ladrão quer tomar o dinheiro de uma pessoa, ele a ameaça, pois se pedir provavelmente a vítima não entregará o seu dinheiro, e por conta disso o ladrão usa o recurso da ameaça, para forçá-la, da mesma forma agem esses pastores que insistem em receber dízimos pois usam um texto fora de seu real contexto para ameaçar dizendo que o mesmo “devorador” que viria sobre a nação de israel se não dizimasse virá para aqueles que não entregam seus dízimos a eles.Trata-se portanto de mais um ensino distorcido da bíblia para forçar os cristãos que não estudam a bíblia a dizimarem.

        Hoje em dia, a classe mais pobre é a que mais contribui para beneficência. E, mesmo assim, ela permanece na pobreza. Os dízimos não são uma garantia para alguém enriquecer depressa, em vez da educação, da determinação e do árduo trabalho. Se Malaquias 3:10 funcionasse realmente com os cristãos da Nova Aliança, nesse caso milhões de cristãos dizimistas já teriam escapado da pobreza e se tornado o grupo mais rico do mundo, em vez de continuar sendo pobre. Portanto, não existe evidência alguma de que a vasta maioria dos pobres “pagadores do dízimo” tenha sido abençoada pelo mero fato de o entregar. As bênçãos da Antiga Aliança já não estão em efeito (Hebreus 7:18-19; 8:6-8,13).

        Portanto, não há nenhuma possibilidade de um cristão ser vítima do “devorador” (demônio) por causa de não ser dizimista, pois nenhuma maldição da antiga aliança pode atingir aos cristãos da nova aliança em Jesus ( gálatas 3:13 )

        7º MENTIRA – O DÍZIMO SERVE PARA MANTER A IGREJA FÍSICA HOJE, POIS ELA SUBSTITUIU O TEMPLO JUDAÍCO ONDE SE ENTREGAVAM OS DÍZIMOS.

        Nada poderia estar mais longe da verdade. Trata-se de outro falso ensino os religiosos que exigem dízimos de que os edifícios chamados “igrejas”, “tabernáculos” ou “templos”, substituíram o Templo do Velho Testamento como locais de habitação divina.

        A Palavra de Deus jamais descreve os grupos da Nova Aliança como ”tabernáculos”, “templos” ou “edifícios”. Os cristãos não “vão à igreja”. Eles se “reúnem para adorar”. Também, visto que os sacerdotes do Velho Testamento pagavam o dízimo, então, logicamente, o dízimo não pode continuar. Nesse caso, é errado chamar um edifício de “armazém do Senhor” para receber os dízimos (1 Coríntios 3:16-17; 6:19-20; Efésios 1:22-23; 2:21; 4:12-16; Apocalipse 3:12). Com respeito à palavra “armazém” comparem a 1 Coríntios 16:2 com a 2 Coríntios 12:14 e Atos 20:17, 32-35. Durante vários séculos após o Calvário, os cristãos nem mesmo possuíam um edifício próprio (que chamassem de armazém), visto como o Cristianismo era uma religião ilegal e sofria perseguições.

        Após o sacrifício de Jesus, o véu do santuário se rasgou: “E o véu do santuário rasgou-se em duas partes, de alto a baixo” (Marcos 15:38) e hoje, cada cristão é um santuário onde habita o Espírito Santo: “Não sabeis que sois santuário de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós?” (I Coríntios 3:16) Não há sequer um Templo ou santuário físico para que os cristãos levem os dízimos pois: “O Deus que fez o mundo e tudo o que nele existe, sendo ele Senhor do céu e da terra, não habita em santuários feitos por mãos humanas” (Atos 17:24). Jesus sequer fundou uma igreja física, pois a verdadeira igreja é espiritual.

        1. Que autoridade nos dá a Palavra de Deus para estabelecermos igrejas denominacionais ou não denominacionais em meio ao testemunho cristão, quando as Escrituras condenam a criação de divisões entre os crentes? (1 Coríntios 1:10; 3:3; 11:18-19)

        2. Com que autoridade vinda de Deus os cristãos denominam suas assim chamadas “igrejas” como Presbiteriana, Batista, Pentecostal, Aliança, Cristã Reformada, Anglicana etc., quando não há na Bíblia instruções para nos reunirmos em qualquer outro nome além do nome do Senhor Jesus Cristo? (Mateus 18:20; 1 Coríntios 5:4)

        3. Será que existe qualquer base na Palavra de Deus para chamar esses edifícios de “igrejas”? A definição bíblica de “igreja” é de uma reunião de crentes que, pelo evangelho, foram chamados para fora, tanto dentre os judeus como dentre os gentios, e são unidos em um único corpo a Cristo, sua Cabeça no céu, pela habitação do Espírito Santo. (Atos 11:22; 15:14; 20:28; Romanos 16:5; 1 Coríntios 1:2; Efésios 5:25)

        4. Onde há no Novo Testamento uma referência mandando os Cristãos construírem templos e chamarem esses locais de “Cada de Deus”, sendo que Deus não habita em templos feito por mãos humanas? (Atos 7:48 e 17:24).

        Dizer que os dízimos são necessários para manter a igreja e sustentar os pastores e líderes não tem fundamentação bíblica neotestamentária, O apóstolo Paulo estava entre os que insistiam em trabalhar com as próprias mãos pelo seu sustento (Atos 18:3; 1Tessalonicenses 2:9-10; 2Tessalonicenses 3:8-14). Embora ele não tenha condenado os que recebiam sustento pela obra em tempo integral, também não ensinou que tal sustento fosse ordenado por Deus, para difusão do Evangelho. (1 Coríntios 9:12). De fato, duas vezes em Atos 20:29, 35 e também em 2 Coríntios 12:14, ele até mesmo encoraja os anciãos da igreja a trabalharem para manter os necessitados da igreja (Eu só queria ver um dos pastores atuais trabalhando para ajudar os pobres da igreja!).

        Para Paulo, a expressão “viver do evangelho” significava “viver segundo os princípios da fé, do amor e da graça” (1 Coríntios 9:14). Conquanto verificasse ter “direito” a alguma ajuda, ele concluía que a “liberdade” de pregar o seu evangelho era mais importante, a fim de cumprir a sua vocação de Deus (1 Coríntios 9:15; 11:7-13; 12:13,14; 1 Tessalonicenses 2:5-6). Enquanto trabalhava como artesão de tendas (atos 18:3), Paulo aceitou uma certa ajuda, porém se gloriava de que o seu pagamento ou salário era o fato de poder pregar livremente, sem se tornar um fardo para os outros (1 Coríntios 9:16-19).

        Em nenhum lugar desde Atos 7:58 (onde Paulo é mencionado pela primeira vez) até suas epístolas, não vemos o apóstolo Paulo orientando alguém a dizimar nem recebendo dízimos dos cristãos, portanto uma prova clara que a igreja primitiva não tinha o dízimo como uma doutrina cristã e inquestionável como se vê hoje nessas igrejas que dizem seguir fielmente as Escrituras.

        Paulo deixou claro que os que pregavam o evangelho tinham todo o direito de serem supridos com as ajudas e doações voluntárias dos cristãos (I Coríntios 9:11 e 14, Filipenses 4:18 ), mas nunca disse que seria dos dízimos! Sequer há mandamento seja do Senhor Jesus ou de seus apóstolos dos cristãos entregarem seus dízimos nos “templos” que hoje conhecemos como igreja, pois Jesus nunca fundou uma igreja física, nem ordenou que se fizessem construções para ali os seus seguidores se reunirem! Se o dízimo fosse tão necessário e importante como esses líderes gananciosos querem fazer parecer, teria o apóstolo Paulo esquecido de mencionar algo tão importante? obviamente que não, pois ele é categórico ao dizer: ” jamais deixando de vos anunciar coisa alguma proveitosa e de vo-la ensinar publicamente e também de casa em casa” e ” porque jamais deixei de vos anunciar todo o desígnio de Deus” (atos 20:20 e 27)… ou seja, tudo que era necessário ele, Paulo, ensinou e o Apóstolo Paulo nunca incentivou ou ensinou os cristãos a dizimarem!

        Portanto comprovadamente os dízimos não são obrigatórios serem entregues, muito menos nas igrejas físicas de hoje.

        8º MENTIRA – “DAR OFERTAS, MESMO ACIMA DE 10% DA SUA RENDA, NÃO TEM O MESMO VALOR ESPIRITUAL, POIS QUEM NÃO DÁ O DÍZIMO ROUBA A DEUS E NÃO SERÁ SALVO POIS ESTÁ DEBAIXO DE MALDIÇÃO”

        Tanto a bênção como a maldição de Malaquias 3:9-11, perduraram somente até o término da antiga Aliança, ou seja, até o Calvário. A audiência de Malaquias havia voluntariamente reafirmado a Antiga Aliança (Neemias 10:28-29. “Maldito aquele que não confirmar as palavras desta lei, não as cumprindo. E todo o povo dirá: Amém” (Deuteronômio 27:26, citado em Gálatas 3:10). E Jesus Cristo deu um fim a essa maldição, conforme Gálatas 3:13: “Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós; porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro”. Portanto nenhuma maldição proveniente da não observância da lei de moisés (e o dízimo pertencia a ela) atinge aos cristãos. Mas os lideres gananciosos que recebem dízimos escondem isso dos membros.

        Mas não é porque o Cristão não seja mais obrigado a dizimar que ele esteja isento de ajudar na propagação do evangelho e em favor dos necessitados pois: “Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria” (2coríntios 9:7).

        “Também, irmãos, vos fazemos conhecer a graça de Deus concedida às igrejas da Macedônia; porque, no meio de muita prova de tribulação, manifestaram abundância de alegria, e a profunda pobreza deles superabundou em grande riqueza da sua generosidade.Porque eles, testemunho eu, na medida de suas posses e mesmo acima delas, se mostraram voluntários” (2coríntios 8:1-3) Essa era a prática da igreja de Deus que Cristo estabeleceu.

        Os princípios de dar no Novo Testamento, na 2Coríntios capítulos 8 e 9 são superiores ao dizimar, que não é obrigatório aos cristãos.

        Os seguintes princípios de dar voluntariamente na Nova Aliança estão fundamentados na 2 Coríntios 8 e 9 (1). Dar é uma “graça”. A 2 Coríntios 8 usa oito vezes a palavra “graça”, referindo-se à ajuda aos santos pobres (2). Dar primeiro a Deus (8:5). (3) Dar-se a si mesmo para conhecer a vontade de Deus (8:5) (4) Dar em resposta ao dom de Cristo (8:9 e 9:15). (5) Dar com desejo sincero (8:8, 10, 12 e 9:7) (6) Não dar por causa de mandamento algum (8:8,10; 9:7). (7) Dar além de sua capacidade (8:3, 11, 12) (8) Dar para produzir igualdade. Isso quer dizer que os que têm mais devem dar mais, a fim de suprir a incapacidade dos que não podem dar mais (8:12,14) (9) Dar com alegria (8:2). (10) Dar porque está crescendo espiritualmente (8:3,4,7). (11) Dar porque deseja crescer espiritualmente (9:8, 10, 11). (12) Dar porque está ouvindo o Evangelho ser pregado (9:13).

        9º MENTIRA – “JESUS MANDOU OS CRISTÃOS DAREM O DÍZIMO NO NOVO TESTAMENTO”

        O falso ensino é que Jesus ensinou a dizimar, em Mateus 23:23, dizendo que isso está claro no Novo Testamento.

        Em primeiro lugar, A Nova Aliança (o novo testamento) não teve princípio no nascimento de Jesus, mas na Sua morte (Gálatas 3:19, 24, 25; 4:4). O dízimo não é ensinado na igreja, depois do Calvário. Quando Jesus falou sobre o assunto em Mateus 23:23, Ele estava simplesmente ordenando a obediência às leis da Antiga Aliança, a qual ele endossou e obedeceu até chegar ao Calvário.

        Não existe um único texto do Novo Testamento que ensine a dizimar após o período do Calvário. (Atos 2:42-47 e 4:32-35 não são exemplos para se dizimar, a fim de sustentar os líderes da igreja). Conforme Atos 2:46, os cristãos judeus continuavam a adorar no Templo. E conforme Atos 2:44 e 4:33,34, os líderes da igreja compartilhavam igualmente o que recebiam com todos os membros da igreja (o que hoje os líderes gananciosos que recebem dízimos não fazem).

        Aliás, Jesus sequer é mencionado dizimando ou recebendo dízimos… e porque os líderes gananciosos pedem dízimos em nome de Jesus sendo que o próprio Jesus disse: “em meu nome, expelirão demônios; falarão novas línguas;pegarão em serpentes; e, se alguma coisa mortífera beberem, não lhes fará mal; se impuserem as mãos sobre enfermos, eles ficarão curados” (Marcos 16:17-18)… Ele nunca disse ” em meu nome receberão dízimos…”

        Portanto comprovadamente mais uma mentira desses homens que se dizem ordenados por Deus a exigirem dízimos dos cristãos incautos foi desmascarada! Jesus nunca ordenou que os seus discípulos e futuros apóstolos recolhessem dízimos… e porque esses líderes acham que podem fazer diferente? Bem o Senhor Jesus profetizou sobre esses tipos: “Acautelai-vos dos falsos profetas, que se vos apresentam disfarçados em ovelhas, mas por dentro são lobos roubadores” (Mateus 7:15)

        10º MENTIRA – “JESUS RECEBE DÍZIMOS DOS CRISTÃOS CONFORME HEBREUS 7:8″

        O início do capítulo 7 de hebreus é apenas citação do Antigo Testamento, onde fala do sacerdócio de Melquisedeque. Em Hebreus 7:5 diz: ” E os que dentre os filhos de Levi receberam o sacerdócio tem ordem, segundo a lei, de tomar os dízimos do povo, isto é, de seus irmãos, ainda que tenham saído dos lombos de Abraão”

        A lei foi dada por intermédio de Moisés, ao povo, direcionada aos filhos de Levi, especificamente aos que receberam sacerdócio para trabalhar nas tendas das congregações ( montagem e desmontagem de tendas no deserto), os quais tinham ordem, segundo a lei de receber os dízimos dos seus irmãos. Agora note o relato do versículo 11 e 12:

        Hebreus 7:11: De sorte que, se a perfeição fosse pelo sacerdócio Levítico (porque sob ele o povo recebeu a lei), que necessidade se havia logo de que outro sacerdote se levantasse, segundo a ordem de Melquisedeque (referindo-se ao Salvador) e não fosse chamado segundo a ordem de Arão? (menção a Moisés, o qual introduziu a lei ao povo).

        Hebreus 7:12: Porque mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também mudança na lei.

        Meditando no texto acima, especificamente nestes versículos, onde a palavra assegura que os sacerdotes Levíticos recebiam os dízimos segundo a lei (Hebreus 7:5), Porque através deles (sacerdotes Levíticos) o povo recebeu a lei (Hebreus 7:11) e mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também, mudança na lei (Hebreus 7:12), porque se a perfeição fosse pelo sacerdócio Levítico (pelo qual o povo recebeu a lei), qual a necessidade de que enviasse outro Sacerdote? Mudou o Sacerdócio, necessariamente se faz mudança na Lei.

        A lei dos dízimos foI direcionada especificamente aos filhos de Levi, aos que receberam o sacerdócio e não havendo mais “Levitas”, nem “templo”, nem sacerdote a oferecer sacrifícios, pois O Salvador já o fez, logo,se aplicada aos crentes hoje, ela torna-se intempestiva e ilegítima, porque os “pastores” de hoje não são levitas nem foram proibidos de trabalhar, nem menos tiveram promessas de herança de dízimos para sustento por não ter tido herança nas distribução de terras prometidas ao povo israelita por herança.

        Outra particularidade, no capítulo 18 do livro de Números, o Senhor Deus adverte aos sacerdotes levitas dizendo: Na sua terra, possessão nenhuma terás, e no meio deles nenhuma parte possuirás; eu sou a tua parte e a tua herança no meio dos filhos de Israel.

        Gostaria de recomendar aos pregadores contemporâneos (os que querem se assemelhar aos sacerdotes levitas que recebiam dízimos), seria bom que guardassem os mandamentos do Senhor para aquela tribo, os quais não possuíam bens materiais, pois o Senhor era a herança dos sacerdotes levitas.

        Recapitulando: Hebreus 7 apenas faz a menção pós-Calvário de dizimar, numa explanação de porque o sacerdócio levítico deve ser substituído pelo sacerdócio de Cristo, porque o sacerdócio levítico era fraco e ineficiente. Estude Hebreus 7 e sigam a progressão do versículo 5 ao versículo 12 e ao versículo 19.

        Porém, líderes gananciosos insistem em apenas mostrar hebreus 7:8 aos membros, onde segundo eles, Jesus receberia dízimos dos cristãos: “Aliás, aqui são homens mortais os que recebem dízimos, porém ali, aquele de quem se testifica que vive” (hebreus 7:8)

        Apenas mostrando esse versículo isoladamente aos membros desavisados, querem dar a entender que esse versículo manda os cristãos ainda dizimarem, sem ler todo o real contexto do capítulo 7 de hebreus.

        Portanto hebreus 7:8 não fala de Jesus recebendo ainda dízimos dos cristãos, pois o contexto do capítulo 7 de hebreus fala na verdade da superioridade do sacerdócio de melquisedeque em relação ao levítico que era sustentado pelos dízimos. Cristãos não tem o mandamento bíblico de dizimarem.

        Considerações finais:

        Em Hebreus 7,8,9 e 10, neste 4 capítulos deixa bem claro a questão do sacerdócio perfeito, que, quando mudado o sacerdote Levítico, veio o Cristo, e mudando o sacerdócio se muda a lei ( Hebreus 7:12 ) portanto, notamos, que no novo testamento, não há ninguém dando dizimos em dinheiro, sendo que já existia, porque, Jesus foi traído por moedas, e a viúva ofertou moedas, mas dízimos, foi mencionado em alimentos, hortaliças ( Mateus 23.23 ) jamais em dinheiro, e o próprio Senhor Jesus, relatou que o dízimo era da lei para o povo de Israel , …”o mais importante DA LEI “. (Mateus 23:23)

        Paulo não mencionou dízimos, nem outro apóstolo qualquer deixou exemplo de tal prática. Em Corintios 9, Paulo pede donativos para suprir necessitados e não para manter despesas de instituições religiosas. Em Atos 4:32 em diante, notamos a generosidade dos irmãos,vendendo tudo e depositando aos pés dos apóstolos, para que se fosse feita DISTRIBUIÇÃO AOS NECESSITADOS, de forma a não haver necessitados entre eles ( esta é a justiça que excede a dos fariseus religiosos que apenas punham seus dízimos das hortaliças e achavam que estava, cumprindo sua parte) em Mateus 23:23 e Lucas 18:12. Tal prática dos fariseus, mostra religiosidade e eles não praticavam a fé, de fato, que , quem diz que dizimar é um ato de fé, é engano, porque os fariseus dizimavam , mas não praticavam a fé. O jovem rico, não foi indicado por JESUS a dizimar, e sim, vender e REPARTIR com os pobres. Jó nunca dizimou, e mesmo assim era próspero.

        Abraão só deu o dízimo uma só vez, e não foi em dinheiro, foi despojos, sobras de conquistas de guerra, dizimo de sangue, após matar os reis e tomar seus bens.

        Jacó prometeu dar o dízimo, ( um voto particular dele ) em Gênesis 28:20-22 , mas a bíblia não fala que ele cumpriu…

        Abraão não foi a “suposta” casa do tesouro ( igreja ) mas Melquisedeque lhe saiu ao encontro para receber sua parte, devido ser rei de Salém e receber por que passava em tal parte, imposto semelhante ao que Jesus nos ensinou a pagar a César (Mateus 22:21). Isto é, JESUS mandou sermos fiéis ao estado e não sonegar impostos.

        Os cobradores de impostos ao se converter, restituíram 4 vezes mais aos que haviam defraudado, e foi nisto que Jesus afirmou: “hoje houve salvação nesta casa” (Lucas 19:9)Repare que o Salvador não o mandou dar dízimos.Todas as vezes que você quiser dar algo á Deus, e restituir a Deus com gratidão, faça isto dando ao seu próximo, pois assim,estará cumprindo a palavra na íntegra, conforme Mateus 25 deixa bem claro esta questão.

        No sétimo ano, Israel, não trazia dízimos, devido ser o ano sabático,a terra descansava (Levítico 25:4) Mas e será que a igreja atual faz isto? Fica sem receber dizimos no sétimo ano?

        O DÍZIMO era vendido POR DINHEIRO,devido a distância de levar onde o Senhor escolhera, para santificar seu nome, e o próprio dizimista COMIA DOS SEUS DÍZIMOS, administrava o dízimo, hoje em dia quem come dos dízimos são os pastores, que administram os dízimos, dando ordem quê e no que será empregado os dízimos do povo. Estes ditos “sacerdotes” ( pastores) não são levíticos, nem exercem função sacerdotal superior a qualquer irmão que seja, e muito menos têm eles o direito de administrar o dízimo pessoal de cada um.

        Quanto a sacerdotes, sabemos todos nós somos, depois de Cristo nos fazer um sacerdócio real, nação santa , povo eleito de DEUS, passamos a ter livre acesso ao Pai através de CRISTO que , na sua morte, o que nos separava foi rasgado do alto abaixo, a saber o véu que separava o lugar santo,( local onde entravam os sacerdotes) do lugar santíssimo (onde só entrava o sumo sacerdote 1 vez por ano para pferecer acrificio pelo pecado do povo).

        Paulo recebeu muitas vezes ajuda da igreja, mas era para se manter, e não era salário mensal como se estivesse numa empresa. Paulo trabalhava (atos 18:3) , e em nada pesava os irmãos e a igreja.

        Se Paulo disse: “sede meus imitadores como eu sou de Cristo”, será que nesta parte, os pastores que exigem dízimos imitam à Paulo? Vemos Jesus ou Paulo recolhendo ou ensinando sobre dízimos?Em 2Coríntios 9:9, Paulo cita o salmo 112:9, onde fala da generosidade com os mais pobres: “Conforme está escrito: Espalhou, deu aos pobres; A sua justiça permanece para sempre”. (2 Coríntios 9:9)

        Nada falou de dízimos em dinheiro, e sim, contribuições voluntárias , para “suprir” os que não tem, algo que, é totalmente visto por Deus. Paulo faz uma coleta para “DISTRIBUIR”, hoje em dia se faz uma distribuição (de envelopes) para ajuntar, não para os pobres, mas, para os cofres de uma instituição, que se preocupa mais com a posição social, status, templos, fama, nome, competição, horários de TV, rádios, sites, eventos, shows, viagens, lazer para líderes, carrões, mansões, aviões, e ainda se diz que é expansão da obra de Deus…

        Cada dia os patrimônios religiosos estão ainda maiores, e o evangelho mais distante do que a igreja primitiva pregava e vivia, tudo por causa de dinheiro. A biblia fala para não reter e sim dar. Será que a igreja faz isto? Ou antes retém,para construir seu império e se fortalecer mais e mais, visando dominar a maior parte possível do globo terrestre, e arrebanhar o maior número de pessoas possível, como se tudo fosse uma partida de competição: “Quem tiver mais membros é o vencedor”

        Paulo afirma: “Porque nós não estamos, como tantos outros, mercadejando a palavra de Deus; antes, em Cristo é que falamos na presença de Deus, com sinceridade e da parte do próprio Deus” (2Coríntios 2:17)

        Deus abençoe a todos que leram este estudo e que o Espírito Santo tenha conduzido a leitura e o entendimento para compreender que dízimos não são mais obrigatórios.

        “Antes, crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A ele seja a glória, tanto agora como no dia eterno” (2Pedro 3:18)

        • Jesus disse: Ai de vós, escribas e fariseus hipócritas! pois que dizimais a hortelã, o endro e o cominho, e desprezais o mais importante da lei, o juízo, a misericórdia e a fé; DEVEIS, PORÉM, FAZER ESTAS COISAS E NÃO OMITIR AQUELAS. Mateus 23:23.

          • Jesus disse isso aos fariseus que assim como Ele eram judeus e tinham o mandamento de dizimar. Na bíblia vemos alguém que não fosse de israel dando dízimo???

            E após a morte de Cristo na cruz, vemos alguém na igreja primitiva dizimando?

            claro que não, pq o dízimo era mandamento da lei, e quem está em Cristo não segue a lei. Não tem mais que guardar sábado, deixar de comer carne de porco nem precisa dar dízimo.

          • Mas nos queremos dar o dizimos e vamos dar até a volta de JESUS.
            quem gostou bem .
            quem não gostou que tire as calças pela cabeça.

          • e verdade foi isso mesmo.
            OU DÁ OU DESCE…
            Ou então tire as calças pela cabeça.
            ou é ou não é.
            ou vai ou racha.
            ou quem achou ruim que coma menos.

          • Errado. vou comer menos para enriquecer o macedo? vc é que tem que se contentar com as migalhas que caem da mesa dele.

          • Pois é, e se ainda assim eu estivesse comendo das migalhas que caem da mesa do bispo,
            AINDA ASSIM EU ESTARIA ME ALIMENTANDO MIL VEZES MELHOR DO QUE VOCÊ. MIL VEZES,
            Tenho saúde, paz, prosperidade, família abençoada, e muito mais.

          • Stardust.

            Você é gordo porque segundo você só come besteira.
            Inclusive pernil de porco cheio de gordura do dinheiro do dizimo.
            Seu gordo.

    • Uma coisa é certa e comprovadamente provado amigo. Quem dá dízimo não posso categoricamente afirmar que estão melhores, mas, uma coisa tenho a mais absoluta e convicção certeza que, quem recebe o dízimo está disparadamente e a perder de vista muito melhor que todos nós e um dos melhores do mundo.

      • VC, É A MENTIRA
        Não leu a reportagem quem da o dízimo está melhor de quem não da seu ateuzinho safado e ignorante va estudar.Um estudo realizado nos Estados Unidos pelo State of the Plate, apontou que as pessoas que os dizimistas têm um maior controle de sua vida financeira do que as pessoas que não adotam a prática. O objetivo do estudo foi lançar um olhar mais atento sobre as práticas financeiras, espirituais e práticas de doação de pessoas que dão 10 por cento ou mais do seu rendimento para igrejas e instituições de caridade a cada ano.

        • E um levantamento feito pela revista forbes elenca os 5 religiosos mais ricos do brasil. Em comum: todos evangélicos que ensinam sobre dízimo e recebem dízimo.

          • Stardust,

            Todos os pastores falam do dízimo, um ou outro que não.

            Você acredita na forbes e nas conclusões dela, então escreva e peça para ele elencar o papa francisco, vai ser o homem mais rico do mundo, pois do que se vê, ela confunde e mistura patrimônio da igreja com o pessoal.

            Outra coisa, nos grandes centros, ninguém mais vive da agricultura e da pecuária, então como resolver a parte financeira da igreja?

            Se dízimo era na época de cristo in natura, então o que motivou Ele não pegar um boi para mostrar os dois lados da moeda, epa, quer dizer, do boi. Tá vendo? É isso que dá, a gente vai ouvir besteiras, aí se engancha.

            Quer acabar com a evangelização, né meu caro, aí vai na raiz. Espertinho.

            Vai ser covarde como sempre e vai me censurar?

  9. e impressionante o desespero que esta tomando conta desses ditos pastores e teólogos.
    que se dizem cristão só porque estudou a letra da bíblia em uma faculdade de teologia.
    Isso é sinal do medo que eles estão do povo deles saírem de suas igrejas e irem ao templo, coisa essa que eles não vão dar conta de impedir, pois eles até ajudaram a universal, pois quanto mais falarem mal do templo, mais aguçaram o desejo nas pessoas de entrarem lá, principalmente DEPOIS delas ouvirem relatos de pessoas que estiveram ali dentro.
    1º este tal bruno santos disse:
    Davi deveria morrer para que este Escolhido do Senhor surgisse. Devemos lembrar que nesta época Salomão já havia nascido da união de Davi com Bate-Seba”

    ESPERE AI, TEM ALGUMA COISA ERRADA NISSO .
    O desejo que Davi mostra em construir o templo, esta registrado em (2 Samuel: cap:7) e DEUS fala do filho que iria nascer dele para edificar o templo, em (2 samuel cap: 7 versículo 12,13)

    e O bruno disse que ele não estava falando de salomão, pois salomão ja teria nascido…
    SO SE FOR NA CABEÇA DELE.
    Pois esta registrado que Davi caiu com bate-seba NO cap 11 de segundo Samuel, e só no cap: 12-24 e que relata o nascimento de salomão.

    Sinceramente eu não sei da onde este bruno tirou a ideia que salomão ja tinha nascido, Pois o próprio davi quando chama salomão para lhe dar a ordem de construir o templo ele disse:
    Eis que te nascerá um filho, que será homem sereno, porque lhe darei descanso de todos os seus inimigos, em redor: portanto salomão será o seu nome: Paz e tranquilidade darei a israel em seus dias, Este edificará casa ao meu nome ele me será por filho, e eu lhe serei por pai: estabelecerei para sempre o teu trono e o teu reino em israel .( 1 cr: 22-9,10)
    DAVI DEIXA MUITO CLARO A SALOMÃO QUE QUANDO DEUS FALOU COM ELE, SALOMÃO AINDA NÃO TINHA NASCIDO: Olha só as palavras de Davi:
    Eis que te nascerá um filho, que será homem sereno, porque lhe darei descanso de todos os seus inimigos, em redor: portanto salomão será o seu nome;
    AS PALAVRAS, ELE SERÁ homem sereno, Portanto Salomão SERÁ o seu NOME,
    isso indica claramente que DEUS estava falando de alguém que ainda não tinha nascido e que chamaria SALOMÃO. Portanto esse bruno e teólogo de internet não sabe nada.

    E ainda tem coragem de maldizer o templo, Sendo que NEM JESUS FEZ ISSO.
    Pois JESUS nem permitia que carregassem coisas no patio do templo de sua época.

    16 E não consentia que alguém levasse algum vaso pelo templo.
    17 E os ensinava, dizendo: Não está escrito: A minha casa será chamada, por todas as nações, casa de oração? Mas vós a tendes feito covil de ladrões.

    E TEM CORAGEM DE DIZER QUE A CONSTRUÇÃO DO TEMPLO É IGNORÂNCIA BÍBLICA.

    O CAMARADA TEM CORAGEM DE DIZER QUE SALOMÃO JÁ HAVIA NASCIDO NA ÉPOCA QUE DAVI
    RECEBEU A INSTRUÇÃO QUE SEU DESCENDENTE Construiria o templo,
    E VEM FALAR DE IGNORÂNCIA BÍBLIA?
    Ha ha ha ha ha ha ha
    DEUS DEVE QUE ESTAVA BRINCANDO COM SALOMÃO QUANDO DISSE:
    15 Agora estarão abertos os meus olhos e atentos os meus ouvidos à oração deste lugar.
    16 Porque agora escolhi e santifiquei esta casa, para que o meu nome esteja nela perpetuamente; e nela estarão fixos os meus olhos e o meu coração todos os dias.

    Ops : eu ia me esquecendo Uma pergunta se DEUS realmente não estava falando do filho carnal de davi, que iria construir o templo, POR QUE ELE DISSE ISSO?
    Quando ele cometer algum erro, eu o punirei com o castigo dos homens, com açoites aplicados por homens. Mas nunca retirarei dele o meu amor, como retirei de Saul, a quem tirei do seu caminho.

    ELE DISSE: Quando Ele cometer um erro eu o punirei, ISSO MOSTRA QUE DEUS JA TINHA CONSCIÊNCIA QUE ESSE DESCENDENTE DE DAVI IRIA COMETER ERROS, Pois ali ele estava falando de um homem, que iria ser castigado como homem.
    E QUANDO DEUS FALA DO FILHO DELE JESUS, ELE DEIXA CLARO QUE ELE NÃO COMETERIA ERROS;
    Isaías 53:9
    E puseram a sua sepultura com os ímpios, e com o rico na sua morte; ainda que nunca cometeu injustiça, nem houve engano na sua boca.

    VEJA QUE DEUS DEIXA CLARO QUANDO ELE FALA DE JESUS QUE ELE NÃO IRIA PECAR NEM COM A BOCA.

    O BRUNO vai ser ruim de teologia assim bem longe.

  10. Discordo totamente das criticas sobre o templo que o Edir Macedo construiu. Analisando os argumantos citados pude perceber quanta inveja e falsidade. O povo de Israel ao sair do Egito, passou a morar em tendas, pois nao tem casas no dezerto. O tabernaculo de Deus, foi construido de acordo com a vontade de Deus. Durante o seu reinado, Davi se manifestou o interece em construir um templo para Deus, ou seja, Deus nao pediu que construisse templo nenhum. Se este templo for um lugar de adoraçao como nas igrejas, nao faz nenhuma diferença se e semelhante ao de salomao ou nao. Jesus nao especificou o lugar da adoraçao, mesmo porque pessoas teriam que vir de muito longe. Mas examinem o que ele disse a mulher samaritana; A salvaçao vem dos Judeus, chegara o tempo que nem em jerusalem, nem em samaria adoraram a Deus. Irmaos parem de contenda, Jesus procura e os verdadeiros adoradores. Amem?

  11. É, esse assunto é polêmico por demais, embora no momento seja mais necessário a unção de Deus do que as ditas campanhas da prosperidade. Todavia é melhor a pessoa estar na igreja trabalhando a sua fé do que no mundo sem compromisso com nada. No momento algumas igrejas evangélicas estão buscando fazer o primeiro milagre que Jesus fez quando esteve entre nós. E, atenção, já foi descoberto como se faz, contudo, da teoria para a prática ainda existe uma distância, embora a descoberta seja uma autêntica luz no fim do caminho, sim, porque esse sistema já está esgotado, temos que sair dessa mesmice, proponho o estudo de como fazer milagres a primeira pergunta que surge é: Temos respaldo bíblico? Sim, temos, em João 14:12 Jesus esclarece: Tudo o que eu faço vocês podem fazer também e até mais porque eu vou para o Pai. Mas os crentes não costumam dizer que quem faz milagres é Jesus? Como se explica as palavras de Jesus neste versículo acima citado, é isso que devemos estudar e nos preocupar. Quer fazer templo de Salomão? Deixa fazer, a gente não colhe o que planta? Então, está preocupado com o quê? Vamos buscar a unção de Deus que é bem melhor. A Paz!

  12. Tem gente q so nao rouba pq tem medo de ser preso, ou seja, por dentro e um ladrao, tem coraçao de ladrao. Assim tb tinha gente que so fazia as boas obras por força da Lei. So pq dizimo n e mais Lei se recusam a honrar a Deus com o seu melhor. Quem dizima de coraçao tem prosperidade sim, pq a Lei foi abolida, mas as promessas e bençaos nao. Tem gente q acha q Deus e homem pra ter duas palavras, Deus e o mesmo ontem e sempre. Se dizimo foi instituido por Deus, e pq e coisa boa, pq a Lei e santa. Independente de ser abolida, Deus n ia nos dar uma lei ruim, entao o dizimo e coisa boa, e as bençaos e promessas n foram cravadas na Cruz. Alguem conhece um judeu analfabeto e miseravel? Sao menos de 2% da populaçao e tem mais de 30% dos premios Nobel. Mesmo estando perdidos da salvaaao eles prosperam pq seguem a lei de Deus q so faz bem ao homem. Imagina nos que temos Cristo, se sem ter a obrigaçao de dizimar, o fizermos por amor e fe? Dizimo e coisa boa sim, tem q confiar mto em Deus para decidir honra-lo acima de tudo.

    • Se a religião evangélica sugerisse que os fiéis usassem 10% de sua renda em favor dos necessitados, eu até apoiaria.

      Mas a religião evangélica ensina que se deve dar no templo físico, e que eles devem ser mantidos, coisa que a bíblia nunca mencionou.

      Na igreja primitiva, todas as ofertas eram para ajudar aos necessitados, mas hoje os pastores querem tomar os dízimos para si.

      Graças a Deus eu deixei o engano evangélico!

    • Excelente comentário celia .
      excelente mesmo.
      Hoje aprendi mais uma coisa bacana no que você disse:
      e dizimo foi instituido por Deus, e pq e coisa boa, pq a Lei e santa. Independente de ser abolida, Deus n ia nos dar uma lei ruim, entao o dizimo e coisa boa, e as bençãos e promessas n foram cravadas na Cruz. Alguém conhece um judeu analfabeto e miserável? São menos de 2% da população e tem mais de 30% dos prêmios Nobel.

      REALMENTE VOCÊ TEM TODA RAZÃO, no que disse:
      a lei da obrigação foi encravada na cruz, MAS AS PROMESSAS NÃO.
      Isso é uma grande verdade.
      e outra eu não sabia que o nº de analfabetos em israel era tão pequeno.
      Mais uma coisa que aprendi.

      • ESTUDO BÍBLICO:

        “AS 10 MAIORES MENTIRAS SOBRE OS 10 POR CENTO DOS DÍZIMOS”

        Muitas igrejas insistem no ensino errôneo de que os dízimos ainda são obrigatórios mesmo para os cristãos que vivem debaixo da graça de Jesus Cristo, e se utilizam de argumentos que se tornaram verdadeiros mitos dentro da comunidade evangélica, porém como eles dizem que o dízimo é 10 por cento, vamos usar o mesmo princípio numérico e verificar biblicamente as 10 argumentações mentirosas mais difundidas a respeito do dízimo.

        1º MENTIRA – “O DÍZIMO FOI ORDENADO POR DEUS NO JARDIM DO ÉDEN, POIS A ÁRVORE DO CONHECIMENTO REPRESENTA O DÍZIMO”

        Na verdade, biblicamente o dízimo foi ordenado no monte sinai (levíticos 27:30-32; Números 18:21-24) e portanto, não foram instituidos no Jardim do Éden, pois sequer é mencionado que Adão e Eva receberam o mandamento de dizimar. A associação que muitos religiosos que insistem em receber dízimos fazem de que a árvore do conhecimento do bem e do mal (Gênesis 2:9), pois não era permitido a Adão e Eva comer dela (Gênesis 2:17) portanto ela seria segundo eles um “símbolo” do dízimo, mas isso é uma associação esdrúxula, pois sequer há um texto bíblico que faça uma ligação entre essa árvore do Jardim do Éden e o dízimo da lei de moisés, sequer se diz que a árvore ocupava 10% do espaço do Jardim do Éden. Trata-se portanto de mais um argumento ridículo usado pelos líderes religiosos para levar o povo a acreditar que o dízimo não era somente obrigatório perante a lei de moisés.

        2º MENTIRA – “O DÍZIMO SEMPRE FOI OBRIGATÓRIO MESMO ANTES DA LEI DE MOISÉS”

        O dízimo antes de sua ordenança no Sinai era voluntário, sendo mencionado apenas 2 vezes antes de se tornar obrigatório, Abraão deu uma única vez um dízimo do despojo de guerra quando resgatou seu sobrinho ló e jacó fez um voto a Deus (gênesis 14:17-20, gênesis 28:20-22)

        Pelas seguintes razões, Gênesis 14:20 não pode ser usado como exemplo para os cristãos dizimarem: 1º – A Bíblia não diz que Abraão deu obrigatoriamente esse dízimo. 2º – O dízimo de Abraão não foi um dízimo santo, da Terra Santa de Deus, produzido pelo povo santo de Deus. 3º – O dízimo de Abraão foi somente do despojo de guerra (hebreus 7:4). 4º – O dízimo de Abraão a Melquisedeque aconteceu apenas uma vez e Abraão mudava sempre de lugar. 5º – O dízimo de Abraão não proveio de sua riqueza pessoal. 6º – O dízimo de Abraão não é mencionado em nenhuma parte da Bíblia, seja no velho ou no novo testamento a fim de respaldar o ato de dizimar. 7º – Visto como nem Abraão nem Jacó tinham um sacerdócio levítico para manter, eles não tinham lugar algum onde entregar os dízimos, durante os seus muitos deslocamentos.

        No caso específico de Jacó, lemos o seguinte: “Fez também Jacó um voto, dizendo: Se Deus for comigo, e me guardar nesta jornada que empreendo, e me der pão para comer e roupa que me vista,de maneira que eu volte em paz para a casa de meu pai, então, o SENHOR será o meu Deus;e a pedra, que erigi por coluna, será a Casa de Deus; e, de tudo quanto me concederes, certamente eu te darei o dízimo” (Gênesis 28:20-22). O texto bíblico é claro, que Jacó fez um propósito particular (um voto) de que se Deus fosse favorável à ele, que ofereceria à Deus o dízimo. Não se vê também neste caso nenhuma ordem explicita de Deus ou algum sacerdote a mando Dele, para que Jacó dizimasse, e vemos que foi uma promessa de Jacó para Deus, não há relatos posteriores na Bíblia que ele tenha de fato dizimado, apenas se observa a sua promessa, seu compromisso de entregar o décimo de tudo que viesse a obter daquele momento em diante. Outra vez, não vemos na Bíblia nenhuma passagem em que vemos escrito que devemos dizimar como Jacó fez, portanto trata-se de mais uma mentira que os líderes criaram para tentar fazer parecer que os dízimos eram obrigatórios antes mesmo da lei de moisés.

        3º MENTIRA – “O DÍZIMO DOS ALIMENTOS DO VELHO TESTAMENTO FOI SUBSTITUÍDO POR DÍZIMO DO DINHEIRO NOS DIAS ATUAIS”

        Não há um versículo na biblia informando que dízimo obrigatório da lei de moisés possa ser ouro, prata, moeda, dinheiro, etc. Dízimo sempre foi apenas alimento do campo vegetal ou animal (levíticos 27:30 e 32) mesmo quando havia metais preciosos como moeda corrente. Abraão no seu tempo comprou uma sepultura para sua esposa por 400 ciclos de prata (gênesis 23:16)

        Embora já existisse dinheiro, a substância do dízimo divino jamais foi dinheiro. Ele era o “dízimo do alimento”. Isso é muito importante. Os verdadeiros dízimos bíblicos eram sempre somente o alimento proveniente das fazendas e rebanhos, somente dos israelitas que vivessem exclusivamente dentro da Terra Santa de Deus, as fronteiras nacionais de Israel. A fartura provinha de Deus e não da manufatura ou habilidade do homem.

        Existem 15 versículos de 11 capítulos e 8 livros, de Levítico 27 a Lucas 11, que descrevem o conteúdo do dízimo. E o conteúdo jamais, repito, jamais incluía dinheiro, prata, ouro ou qualquer outra coisa, além de alimento. Mesmo assim, a definição incorreta de “dizimar” é a maior mentira que está sendo pregada sobre esse ato, hoje em dia. (Veja Levítico 27:30,32; Números 18:27,28; Deuteronômio 12:17; 14:22, 23, 26; 2 Crônicas 31:5; Neemias 10:37; 13:5; Malaquias 3:10; Mateus 23:23 e Lucas 11:42).

        Não se observa portanto em toda a bíblia, alguém entregando dízimo em dinheiro, pois dízimo era décima parte dos alimentos ( agropecuários ou agrícolas ), e jamais foi entregue em dinheiro. E o dinheiro já era corrente nos tempos bíblicos, pois o próprio moisés que recebeu a lei para o povo lidou com dinheiro: “Então, Moisés tomou o dinheiro do resgate dos que excederam os que foram resgatados pelos levitas.Dos primogênitos dos filhos de Israel tomou o dinheiro, mil trezentos e sessenta e cinco siclos, segundo o siclo do santuário. E deu Moisés o dinheiro dos resgatados a Arão e a seus filhos, segundo o mandado do SENHOR, como o SENHOR ordenara a Moisés” (Números 3:49-51)

        Mais uma prova de que o dízimos sempre foram alimentos podem ser vista nessa passagem bíblica: “DOS DÍZIMOS NÃO COMI no meu luto e deles nada tirei estando imundo, nem deles dei para a casa de algum morto; obedeci à voz do SENHOR, meu Deus; segundo tudo o que me ordenaste, tenho feito” (Deuteronômio 26:14)

        Portanto, mais uma mentira dos líderes que ensinam sobre a obrigatoriedade dos dízimos é revelada, quando dizem que nos tempos bíblicos dízimos eram entregues em alimentos porque dinheiro ainda não existia, mas abraão e até moisés lidavam com dinheiro, e mesmo assim na obrigatoriedade da lei de moisés nunca se pagava dízimos em dinheiro, pois dízimo sempre foi a décima parte dos alimentos, do campo e animais, e nada tem a ver com a exigência de entrega de 10% do dinheiro que os cristãos recebem para esses líderes que ensinam erradamente sobre dízimos. Dízimo nunca foi pago em dinheiro, apenas em alimentos. Se o seu pastor ou líder insistir em dizer que pode ser pago em dinheiro exija que ele mostre alguém dizimando em dinheiro na bíblia, pois dinheiro já existia e era usado naquela época.

        4º MENTIRA – “O DÍZIMO FOI DADO POR DEUS AOS LEVITAS DA VELHA ALIANÇA E HOJE OS PASTORES DA NOVA ALIANÇA SUBSTITUIRAM ESSES LEVITAS PORTANTO DEVEM RECEBER DÍZIMOS”

        O dízimo foi dado aos levitas, mas para que eles fizessem todo o trabalho da tenda da congregação (Números 18:21-23). Se hoje os membros leigos fazem mais de 90 % do trabalho e os pastores recebem todo o dízimo isso não é biblico, é humano. Na igreja primitiva de atos, um levita, chamado josé de sobrenome barnabé dava ofertas ao invés de receber dízimos dos apóstolos e membros da igreja cristã: “José, a quem os apóstolos deram o sobrenome de Barnabé, que quer dizer filho de exortação, LEVITA, natural de Chipre, como tivesse um campo, vendendo-o, trouxe o preço e o depositou aos pés dos apóstolos” (atos 4:36-37) Portanto fica evidente que com a mudança do sacerdócio mudou a lei: “Pois, quando se muda o sacerdócio, necessariamente há também mudança de lei” (hebreus 7:12)

        Na economia hebraica, o dízimo era usado de maneira totalmente diferente da que hoje é pregada. Mais uma vez, os levitas que recebiam o dízimo inteiro nem sequer eram ministros ou sacerdotes – eles eram apenas servos dos sacerdotes. Números 3 descreve os levitas como sendo carpinteiros, fundidores de metal, artesãos de couro e artistas, que mantinham o pequeno santuário. E 2Crônicas 23-27, durante o tempo dos reis Davi e Salomão, os levitas também foram peritos artesãos, os quais inspecionavam as obras do Templo. Vinte e quatro mil deles trabalhavam no Templo como construtores e supervisores; seis mil eram oficiais e juízes; quatro mil eram guardas e quatro mil eram músicos. Como representantes políticos do rei, os levitas usavam o seu dízimo para servir aos oficiais, juízes, coletores de impostos, tesoureiros, guardas do Templo, músicos, padeiros, cantores e soldados profissionais (1Crônicas 12:23,26; 27:5). É obvio que esses exemplos do uso bíblico da entrada do dízimo nunca se tornam exemplos para a igreja de hoje. É importante saber que na Antiga Aliança os dízimos nunca eram usados para evangelizar os não israelitas. Neste ponto o dízimo falhou. Vejam Hebreus 7:12-19. Os dízimos jamais estimularam os levitas e sacerdotes da Antiga Aliança a estabelecer uma única missão fora do país, para encorajar um só gentio a se tornar israelita (Êxodo 23:32; 34:12,15; Deuteronômio 7:2). O dízimo da Antiga Aliança era motivado e exigido por lei, não pelo amor. De fato, durante a maior parte da história de Israel, os profetas foram os principais portadores da Palavra de Deus e não os levitas e os sacerdotes que recebiam o dízimo.O falso ensino é que os anciãos e pastores da Nova Aliança estão simplesmente continuando de onde os sacerdotes da Antiga Aliança deixaram e por isso devem receber o dízimo. A função e o propósito dos sacerdotes da Antiga Aliança foram substituídos, não pelos anciãos e pastores, mas pelo sacerdócio de todos os crentes. Como outras ordenanças da Lei, o dízimo foi apenas uma sombra temporária, até a vinda de Cristo (Efésios 2:14-16; Colossenses 2:13-17; Hebreus 10:1). Na Nova Aliança cada crente é um sacerdote de Deus (1 Pedro 2:9-10; Apocalipse 1:6; 5:10). E como sacerdote cada crente oferece sacrifícios a Deus (Hebreus 4:16; 10:19-22; 13:15-16). Então, cada ordenança que havia sido previamente aplicada ao antigo sacerdócio foi anulada no Calvário. Visto não pertencer à Tribo de Levi, até mesmo Jesus Cristo foi desqualificado. Desse modo, o propósito original de dizimar já não existe (Hebreus 7:12-19; Gálatas 3:19, 24, 25; 2Coríntios 3:10).

        Portanto, não há nenhum mandamento no novo mandamento do cristão entregar os dízimos aos pastores, pois o dízimo somente podia ser recebido pelos levitas: “Ora, os que dentre os filhos de Levi recebem o sacerdócio têm mandamento de recolher, de acordo com a lei, os dízimos do povo, ou seja, dos seus irmãos, embora tenham estes descendido de Abraão” (hebreus 7:5), e os levitas só existiam na velha aliança da lei de moisés, pastores não são substitutos deles pois são ministros de Deus (I Coríntios 4:1) e nem sequer é ordenado que se deva entregar dízimos em favor da obra de Deus, pois ela é sustentada pelas ofertas voluntárias (2Coríntios 9:7).

        5º MENTIRA – “O DÍZIMO RECEBIDO É SOMENTE PARA USO DOS PASTORES”

        Biblicamente, o dízimo pertencia aos levitas (números 18:21-23), mas também para se fazer um festival ao Senhor (deuteronômio.14:22-27) e a cada terceiro ano, para os levitas, órfãos, viúvas e estrangeiros, os quais comiam o dízimo ajuntado dentro das suas portas (deuteronômio14:28-29). Se ofertas e dízimos eram sagrados ao Senhor e não podiam ser comidos por pessoas comuns neste caso Deus abre um exceção, visto que para ele misericórdia é melhor que sacrificio (Oséias 6:6; Mateus 12:7), a vida dos carentes é preciosa ao senhor (veja um exemplo disso em Lucas 6:1-10)

        Portanto mais uma vez, é biblicamente demonstrado que os dízimos recebidos pelos levitas não eram de uso exclusivo deles… os necessitados ( órfãos, viúvas e os de fora de israel ), também se beneficiavam dos dízimos dos alimentos recebidos pelos levitas. Essa conversa de que só os pastores e líderes religiosos podem hoje usufruir dos dízimos não encontra respaldo bíblico. Trata-se de mais uma doutrina de homem.

        6º MENTIRA – “CRISTÃO QUE NÃO DÁ O DÍZIMO SERÁ VITIMA DO “DEVORADOR”
        Se você é evangélico provavelmente já deve ter ouvido alguém falar a respeito do devorador. Muitas igrejas pregam a respeito desse ser. Mas o que os líderes religiosos gananciosos não fazem é mostrar aos membros que a admoestação de Malaquias é dirigida somente à nação de Israel, e não aos cristãos de hoje que não dizimam:

        “Sentença pronunciada pelo Senhor CONTRA ISRAEL contra Israel, por intermédio de Malaquias” (Malaquias 1:1)

        e, se destina especificamente, aos SACERDOTES CORRUPTOS:

        “Agora, ó sacerdotes, para vós outros é este mandamento.Se o não ouvirdes e se não propuserdes no vosso coração dar honra ao meu nome, diz o SENHOR dos Exércitos, enviarei sobre vós a maldição e amaldiçoarei as vossas bênçãos; já as tenho amaldiçoado, porque vós não propondes isso no coração” ( Malaquias 2:1-2)

        Eles estavam ofertando ANIMAIS coxos, cegos mudos, e defeituosos:

        “Ofereceis sobre o meu altar pão imundo e ainda perguntais: Em que te havemos profanado? Nisto, que pensais: A mesa do SENHOR é desprezível. Quando trazeis animal cego para o sacrificardes, não é isso mal? E, quando trazeis o coxo ou o enfermo, não é isso mal? Ora, apresenta-o ao teu governador; acaso, terá ele agrado em ti e te será favorável? – diz o SENHOR dos Exércitos.” (Malaquias1:7-8)

        Quanto a Malaquias 3, notamos que Deus manda trazer somente “DÍZIMOS” para as câmaras do depósito do templo, para que haja “comida” ( alimento, ou mantimento ) em minha casa. Isto é , mantimento = produtos alimentares (ver dicionário da língua portuguesa)

        O texto mais famoso citado para falar a respeito do devorador é Malaquias 3:11, que diz: “Por vossa causa, repreenderei o devorador, para que não vos consuma o fruto da terra; a vossa vide no campo não será estéril, diz o SENHOR dos Exércitos.” Esse texto é a continuação de Malaquias 3:10, o tão famoso texto que fala a respeito de dízimos no Antigo Testamento. os líderes gananciosos dizem que o “devorador” mencionado nesse texto é um demônio que destrói as finanças daqueles que não dão os 10%, ou seja, que não são dizimistas. As pessoas que pregam nessa linha trazem ameaças de destruição financeira aos seus ouvintes se os mesmos não forem dizimistas fiéis.

        O DEVORADOR É MESMO UM DEMÔNIO? A resposta é não! Os que afirmam que esse devorador citado no texto é um demônio, no mínimo, faltaram em algumas aulas de interpretação da Bíblia. A primeira coisa a sabermos é que no Antigo Testamento, a aliança que vigorava era uma aliança baseada na obediência. Se o povo fosse obediente às leis de Deus seriam abençoados. Essas bênçãos eram visivelmente mandadas em forma de paz e boas colheitas e prosperidade. Se fossem desobedientes, seriam amaldiçoados. Falta de paz e colheitas ruins estavam em vista aqui. (Deuteronômio 28). Em uma das ameaças de maldições em suas colheitas, que Deus manda ao povo através do profeta Joel, vemos que: “O que deixou o gafanhoto cortador, comeu-o o gafanhoto migrador; o que deixou o migrador, comeu-o o gafanhoto devorador; o que deixou o devorador, comeu-o o gafanhoto destruidor.” (Joel 1:4). Uma maldição que tinha em vista a destruição da lavoura.

        O texto de Malaquias 3:11 diz a mesma coisa: “Por vossa causa, repreenderei o devorador, para que não vos consuma o fruto da terra; a vossa vide no campo não será estéril, diz o SENHOR dos Exércitos.”. Esse devorador certamente se tratava de um tipo de gafanhoto altamente destrutivo ou outro “bicho” que acabava com as plantações (que eram a base da economia do povo de Israel). A ação devastadora desse “ser” acabava com a prosperidade do povo em pouco tempo atacando suas lavouras. Quando o povo era obediente a Deus e cumpria a Sua lei, que no caso desse texto é a lei de dizimar, Deus abençoava suas colheitas e negócios. Esse é o sentido desse texto. Assim, não faz sentido usar esse texto para afirmar que o devorador era um demônio ou coisa parecida. Nem faz sentido ameaçar as pessoas hoje em dia com esse “devorador”

        “repreenderei o devorador” Versículo 11 (Não é dinheiro que faz isto, é o próprio Deus)

        Devorador, segundo a bíblia, nunca foi demônio, e sim, gafanhotos, que Deus enviava como pragas a terra para castigar o povo, e estes gafanhotos, Deus os chamavam de “O meu grande exercito” (Joel 2:22-27) …”repreenderei o devorador ” significa… espantarei a praga do meio da vossa plantação (gafanhotos), veja também Levítico 11:22 e Naum 3:16.

        Os líderes gananciosos que ensinam que esses “devoradores” são demônios que irão causar doenças na família, o carro vai viver quebrando etc, aproveitam o desconhecimento dos cristãos do verdadeiro devorador ao qual Malaquias se refere, o gafanhoto que devorava as colheitas da nação de israel. Não há confirmação nenhuma no novo testamento de que quem não dizima será vitima desse “devorador”… quando um ladrão quer tomar o dinheiro de uma pessoa, ele a ameaça, pois se pedir provavelmente a vítima não entregará o seu dinheiro, e por conta disso o ladrão usa o recurso da ameaça, para forçá-la, da mesma forma agem esses pastores que insistem em receber dízimos pois usam um texto fora de seu real contexto para ameaçar dizendo que o mesmo “devorador” que viria sobre a nação de israel se não dizimasse virá para aqueles que não entregam seus dízimos a eles.Trata-se portanto de mais um ensino distorcido da bíblia para forçar os cristãos que não estudam a bíblia a dizimarem.

        Hoje em dia, a classe mais pobre é a que mais contribui para beneficência. E, mesmo assim, ela permanece na pobreza. Os dízimos não são uma garantia para alguém enriquecer depressa, em vez da educação, da determinação e do árduo trabalho. Se Malaquias 3:10 funcionasse realmente com os cristãos da Nova Aliança, nesse caso milhões de cristãos dizimistas já teriam escapado da pobreza e se tornado o grupo mais rico do mundo, em vez de continuar sendo pobre. Portanto, não existe evidência alguma de que a vasta maioria dos pobres “pagadores do dízimo” tenha sido abençoada pelo mero fato de o entregar. As bênçãos da Antiga Aliança já não estão em efeito (Hebreus 7:18-19; 8:6-8,13).

        Portanto, não há nenhuma possibilidade de um cristão ser vítima do “devorador” (demônio) por causa de não ser dizimista, pois nenhuma maldição da antiga aliança pode atingir aos cristãos da nova aliança em Jesus ( gálatas 3:13 )

        7º MENTIRA – O DÍZIMO SERVE PARA MANTER A IGREJA FÍSICA HOJE, POIS ELA SUBSTITUIU O TEMPLO JUDAÍCO ONDE SE ENTREGAVAM OS DÍZIMOS.

        Nada poderia estar mais longe da verdade. Trata-se de outro falso ensino os religiosos que exigem dízimos de que os edifícios chamados “igrejas”, “tabernáculos” ou “templos”, substituíram o Templo do Velho Testamento como locais de habitação divina.

        A Palavra de Deus jamais descreve os grupos da Nova Aliança como ”tabernáculos”, “templos” ou “edifícios”. Os cristãos não “vão à igreja”. Eles se “reúnem para adorar”. Também, visto que os sacerdotes do Velho Testamento pagavam o dízimo, então, logicamente, o dízimo não pode continuar. Nesse caso, é errado chamar um edifício de “armazém do Senhor” para receber os dízimos (1 Coríntios 3:16-17; 6:19-20; Efésios 1:22-23; 2:21; 4:12-16; Apocalipse 3:12). Com respeito à palavra “armazém” comparem a 1 Coríntios 16:2 com a 2 Coríntios 12:14 e Atos 20:17, 32-35. Durante vários séculos após o Calvário, os cristãos nem mesmo possuíam um edifício próprio (que chamassem de armazém), visto como o Cristianismo era uma religião ilegal e sofria perseguições.

        Após o sacrifício de Jesus, o véu do santuário se rasgou: “E o véu do santuário rasgou-se em duas partes, de alto a baixo” (Marcos 15:38) e hoje, cada cristão é um santuário onde habita o Espírito Santo: “Não sabeis que sois santuário de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós?” (I Coríntios 3:16) Não há sequer um Templo ou santuário físico para que os cristãos levem os dízimos pois: “O Deus que fez o mundo e tudo o que nele existe, sendo ele Senhor do céu e da terra, não habita em santuários feitos por mãos humanas” (Atos 17:24). Jesus sequer fundou uma igreja física, pois a verdadeira igreja é espiritual.

        1. Que autoridade nos dá a Palavra de Deus para estabelecermos igrejas denominacionais ou não denominacionais em meio ao testemunho cristão, quando as Escrituras condenam a criação de divisões entre os crentes? (1 Coríntios 1:10; 3:3; 11:18-19)

        2. Com que autoridade vinda de Deus os cristãos denominam suas assim chamadas “igrejas” como Presbiteriana, Batista, Pentecostal, Aliança, Cristã Reformada, Anglicana etc., quando não há na Bíblia instruções para nos reunirmos em qualquer outro nome além do nome do Senhor Jesus Cristo? (Mateus 18:20; 1 Coríntios 5:4)

        3. Será que existe qualquer base na Palavra de Deus para chamar esses edifícios de “igrejas”? A definição bíblica de “igreja” é de uma reunião de crentes que, pelo evangelho, foram chamados para fora, tanto dentre os judeus como dentre os gentios, e são unidos em um único corpo a Cristo, sua Cabeça no céu, pela habitação do Espírito Santo. (Atos 11:22; 15:14; 20:28; Romanos 16:5; 1 Coríntios 1:2; Efésios 5:25)

        4. Onde há no Novo Testamento uma referência mandando os Cristãos construírem templos e chamarem esses locais de “Cada de Deus”, sendo que Deus não habita em templos feito por mãos humanas? (Atos 7:48 e 17:24).

        Dizer que os dízimos são necessários para manter a igreja e sustentar os pastores e líderes não tem fundamentação bíblica neotestamentária, O apóstolo Paulo estava entre os que insistiam em trabalhar com as próprias mãos pelo seu sustento (Atos 18:3; 1Tessalonicenses 2:9-10; 2Tessalonicenses 3:8-14). Embora ele não tenha condenado os que recebiam sustento pela obra em tempo integral, também não ensinou que tal sustento fosse ordenado por Deus, para difusão do Evangelho. (1 Coríntios 9:12). De fato, duas vezes em Atos 20:29, 35 e também em 2 Coríntios 12:14, ele até mesmo encoraja os anciãos da igreja a trabalharem para manter os necessitados da igreja (Eu só queria ver um dos pastores atuais trabalhando para ajudar os pobres da igreja!).

        Para Paulo, a expressão “viver do evangelho” significava “viver segundo os princípios da fé, do amor e da graça” (1 Coríntios 9:14). Conquanto verificasse ter “direito” a alguma ajuda, ele concluía que a “liberdade” de pregar o seu evangelho era mais importante, a fim de cumprir a sua vocação de Deus (1 Coríntios 9:15; 11:7-13; 12:13,14; 1 Tessalonicenses 2:5-6). Enquanto trabalhava como artesão de tendas (atos 18:3), Paulo aceitou uma certa ajuda, porém se gloriava de que o seu pagamento ou salário era o fato de poder pregar livremente, sem se tornar um fardo para os outros (1 Coríntios 9:16-19).

        Em nenhum lugar desde Atos 7:58 (onde Paulo é mencionado pela primeira vez) até suas epístolas, não vemos o apóstolo Paulo orientando alguém a dizimar nem recebendo dízimos dos cristãos, portanto uma prova clara que a igreja primitiva não tinha o dízimo como uma doutrina cristã e inquestionável como se vê hoje nessas igrejas que dizem seguir fielmente as Escrituras.

        Paulo deixou claro que os que pregavam o evangelho tinham todo o direito de serem supridos com as ajudas e doações voluntárias dos cristãos (I Coríntios 9:11 e 14, Filipenses 4:18 ), mas nunca disse que seria dos dízimos! Sequer há mandamento seja do Senhor Jesus ou de seus apóstolos dos cristãos entregarem seus dízimos nos “templos” que hoje conhecemos como igreja, pois Jesus nunca fundou uma igreja física, nem ordenou que se fizessem construções para ali os seus seguidores se reunirem! Se o dízimo fosse tão necessário e importante como esses líderes gananciosos querem fazer parecer, teria o apóstolo Paulo esquecido de mencionar algo tão importante? obviamente que não, pois ele é categórico ao dizer: ” jamais deixando de vos anunciar coisa alguma proveitosa e de vo-la ensinar publicamente e também de casa em casa” e ” porque jamais deixei de vos anunciar todo o desígnio de Deus” (atos 20:20 e 27)… ou seja, tudo que era necessário ele, Paulo, ensinou e o Apóstolo Paulo nunca incentivou ou ensinou os cristãos a dizimarem!

        Portanto comprovadamente os dízimos não são obrigatórios serem entregues, muito menos nas igrejas físicas de hoje.

        8º MENTIRA – “DAR OFERTAS, MESMO ACIMA DE 10% DA SUA RENDA, NÃO TEM O MESMO VALOR ESPIRITUAL, POIS QUEM NÃO DÁ O DÍZIMO ROUBA A DEUS E NÃO SERÁ SALVO POIS ESTÁ DEBAIXO DE MALDIÇÃO”

        Tanto a bênção como a maldição de Malaquias 3:9-11, perduraram somente até o término da antiga Aliança, ou seja, até o Calvário. A audiência de Malaquias havia voluntariamente reafirmado a Antiga Aliança (Neemias 10:28-29. “Maldito aquele que não confirmar as palavras desta lei, não as cumprindo. E todo o povo dirá: Amém” (Deuteronômio 27:26, citado em Gálatas 3:10). E Jesus Cristo deu um fim a essa maldição, conforme Gálatas 3:13: “Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós; porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro”. Portanto nenhuma maldição proveniente da não observância da lei de moisés (e o dízimo pertencia a ela) atinge aos cristãos. Mas os lideres gananciosos que recebem dízimos escondem isso dos membros.

        Mas não é porque o Cristão não seja mais obrigado a dizimar que ele esteja isento de ajudar na propagação do evangelho e em favor dos necessitados pois: “Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria” (2coríntios 9:7).

        “Também, irmãos, vos fazemos conhecer a graça de Deus concedida às igrejas da Macedônia; porque, no meio de muita prova de tribulação, manifestaram abundância de alegria, e a profunda pobreza deles superabundou em grande riqueza da sua generosidade.Porque eles, testemunho eu, na medida de suas posses e mesmo acima delas, se mostraram voluntários” (2coríntios 8:1-3) Essa era a prática da igreja de Deus que Cristo estabeleceu.

        Os princípios de dar no Novo Testamento, na 2Coríntios capítulos 8 e 9 são superiores ao dizimar, que não é obrigatório aos cristãos.

        Os seguintes princípios de dar voluntariamente na Nova Aliança estão fundamentados na 2 Coríntios 8 e 9 (1). Dar é uma “graça”. A 2 Coríntios 8 usa oito vezes a palavra “graça”, referindo-se à ajuda aos santos pobres (2). Dar primeiro a Deus (8:5). (3) Dar-se a si mesmo para conhecer a vontade de Deus (8:5) (4) Dar em resposta ao dom de Cristo (8:9 e 9:15). (5) Dar com desejo sincero (8:8, 10, 12 e 9:7) (6) Não dar por causa de mandamento algum (8:8,10; 9:7). (7) Dar além de sua capacidade (8:3, 11, 12) (8) Dar para produzir igualdade. Isso quer dizer que os que têm mais devem dar mais, a fim de suprir a incapacidade dos que não podem dar mais (8:12,14) (9) Dar com alegria (8:2). (10) Dar porque está crescendo espiritualmente (8:3,4,7). (11) Dar porque deseja crescer espiritualmente (9:8, 10, 11). (12) Dar porque está ouvindo o Evangelho ser pregado (9:13).

        9º MENTIRA – “JESUS MANDOU OS CRISTÃOS DAREM O DÍZIMO NO NOVO TESTAMENTO”

        O falso ensino é que Jesus ensinou a dizimar, em Mateus 23:23, dizendo que isso está claro no Novo Testamento.

        Em primeiro lugar, A Nova Aliança (o novo testamento) não teve princípio no nascimento de Jesus, mas na Sua morte (Gálatas 3:19, 24, 25; 4:4). O dízimo não é ensinado na igreja, depois do Calvário. Quando Jesus falou sobre o assunto em Mateus 23:23, Ele estava simplesmente ordenando a obediência às leis da Antiga Aliança, a qual ele endossou e obedeceu até chegar ao Calvário.

        Não existe um único texto do Novo Testamento que ensine a dizimar após o período do Calvário. (Atos 2:42-47 e 4:32-35 não são exemplos para se dizimar, a fim de sustentar os líderes da igreja). Conforme Atos 2:46, os cristãos judeus continuavam a adorar no Templo. E conforme Atos 2:44 e 4:33,34, os líderes da igreja compartilhavam igualmente o que recebiam com todos os membros da igreja (o que hoje os líderes gananciosos que recebem dízimos não fazem).

        Aliás, Jesus sequer é mencionado dizimando ou recebendo dízimos… e porque os líderes gananciosos pedem dízimos em nome de Jesus sendo que o próprio Jesus disse: “em meu nome, expelirão demônios; falarão novas línguas;pegarão em serpentes; e, se alguma coisa mortífera beberem, não lhes fará mal; se impuserem as mãos sobre enfermos, eles ficarão curados” (Marcos 16:17-18)… Ele nunca disse ” em meu nome receberão dízimos…”

        Portanto comprovadamente mais uma mentira desses homens que se dizem ordenados por Deus a exigirem dízimos dos cristãos incautos foi desmascarada! Jesus nunca ordenou que os seus discípulos e futuros apóstolos recolhessem dízimos… e porque esses líderes acham que podem fazer diferente? Bem o Senhor Jesus profetizou sobre esses tipos: “Acautelai-vos dos falsos profetas, que se vos apresentam disfarçados em ovelhas, mas por dentro são lobos roubadores” (Mateus 7:15)

        10º MENTIRA – “JESUS RECEBE DÍZIMOS DOS CRISTÃOS CONFORME HEBREUS 7:8″

        O início do capítulo 7 de hebreus é apenas citação do Antigo Testamento, onde fala do sacerdócio de Melquisedeque. Em Hebreus 7:5 diz: ” E os que dentre os filhos de Levi receberam o sacerdócio tem ordem, segundo a lei, de tomar os dízimos do povo, isto é, de seus irmãos, ainda que tenham saído dos lombos de Abraão”

        A lei foi dada por intermédio de Moisés, ao povo, direcionada aos filhos de Levi, especificamente aos que receberam sacerdócio para trabalhar nas tendas das congregações ( montagem e desmontagem de tendas no deserto), os quais tinham ordem, segundo a lei de receber os dízimos dos seus irmãos. Agora note o relato do versículo 11 e 12:

        Hebreus 7:11: De sorte que, se a perfeição fosse pelo sacerdócio Levítico (porque sob ele o povo recebeu a lei), que necessidade se havia logo de que outro sacerdote se levantasse, segundo a ordem de Melquisedeque (referindo-se ao Salvador) e não fosse chamado segundo a ordem de Arão? (menção a Moisés, o qual introduziu a lei ao povo).

        Hebreus 7:12: Porque mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também mudança na lei.

        Meditando no texto acima, especificamente nestes versículos, onde a palavra assegura que os sacerdotes Levíticos recebiam os dízimos segundo a lei (Hebreus 7:5), Porque através deles (sacerdotes Levíticos) o povo recebeu a lei (Hebreus 7:11) e mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também, mudança na lei (Hebreus 7:12), porque se a perfeição fosse pelo sacerdócio Levítico (pelo qual o povo recebeu a lei), qual a necessidade de que enviasse outro Sacerdote? Mudou o Sacerdócio, necessariamente se faz mudança na Lei.

        A lei dos dízimos foI direcionada especificamente aos filhos de Levi, aos que receberam o sacerdócio e não havendo mais “Levitas”, nem “templo”, nem sacerdote a oferecer sacrifícios, pois O Salvador já o fez, logo,se aplicada aos crentes hoje, ela torna-se intempestiva e ilegítima, porque os “pastores” de hoje não são levitas nem foram proibidos de trabalhar, nem menos tiveram promessas de herança de dízimos para sustento por não ter tido herança nas distribução de terras prometidas ao povo israelita por herança.

        Outra particularidade, no capítulo 18 do livro de Números, o Senhor Deus adverte aos sacerdotes levitas dizendo: Na sua terra, possessão nenhuma terás, e no meio deles nenhuma parte possuirás; eu sou a tua parte e a tua herança no meio dos filhos de Israel.

        Gostaria de recomendar aos pregadores contemporâneos (os que querem se assemelhar aos sacerdotes levitas que recebiam dízimos), seria bom que guardassem os mandamentos do Senhor para aquela tribo, os quais não possuíam bens materiais, pois o Senhor era a herança dos sacerdotes levitas.

        Recapitulando: Hebreus 7 apenas faz a menção pós-Calvário de dizimar, numa explanação de porque o sacerdócio levítico deve ser substituído pelo sacerdócio de Cristo, porque o sacerdócio levítico era fraco e ineficiente. Estude Hebreus 7 e sigam a progressão do versículo 5 ao versículo 12 e ao versículo 19.

        Porém, líderes gananciosos insistem em apenas mostrar hebreus 7:8 aos membros, onde segundo eles, Jesus receberia dízimos dos cristãos: “Aliás, aqui são homens mortais os que recebem dízimos, porém ali, aquele de quem se testifica que vive” (hebreus 7:8)

        Apenas mostrando esse versículo isoladamente aos membros desavisados, querem dar a entender que esse versículo manda os cristãos ainda dizimarem, sem ler todo o real contexto do capítulo 7 de hebreus.

        Portanto hebreus 7:8 não fala de Jesus recebendo ainda dízimos dos cristãos, pois o contexto do capítulo 7 de hebreus fala na verdade da superioridade do sacerdócio de melquisedeque em relação ao levítico que era sustentado pelos dízimos. Cristãos não tem o mandamento bíblico de dizimarem.

        Considerações finais:

        Em Hebreus 7,8,9 e 10, neste 4 capítulos deixa bem claro a questão do sacerdócio perfeito, que, quando mudado o sacerdote Levítico, veio o Cristo, e mudando o sacerdócio se muda a lei ( Hebreus 7:12 ) portanto, notamos, que no novo testamento, não há ninguém dando dizimos em dinheiro, sendo que já existia, porque, Jesus foi traído por moedas, e a viúva ofertou moedas, mas dízimos, foi mencionado em alimentos, hortaliças ( Mateus 23.23 ) jamais em dinheiro, e o próprio Senhor Jesus, relatou que o dízimo era da lei para o povo de Israel , …”o mais importante DA LEI “. (Mateus 23:23)

        Paulo não mencionou dízimos, nem outro apóstolo qualquer deixou exemplo de tal prática. Em Corintios 9, Paulo pede donativos para suprir necessitados e não para manter despesas de instituições religiosas. Em Atos 4:32 em diante, notamos a generosidade dos irmãos,vendendo tudo e depositando aos pés dos apóstolos, para que se fosse feita DISTRIBUIÇÃO AOS NECESSITADOS, de forma a não haver necessitados entre eles ( esta é a justiça que excede a dos fariseus religiosos que apenas punham seus dízimos das hortaliças e achavam que estava, cumprindo sua parte) em Mateus 23:23 e Lucas 18:12. Tal prática dos fariseus, mostra religiosidade e eles não praticavam a fé, de fato, que , quem diz que dizimar é um ato de fé, é engano, porque os fariseus dizimavam , mas não praticavam a fé. O jovem rico, não foi indicado por JESUS a dizimar, e sim, vender e REPARTIR com os pobres. Jó nunca dizimou, e mesmo assim era próspero.

        Abraão só deu o dízimo uma só vez, e não foi em dinheiro, foi despojos, sobras de conquistas de guerra, dizimo de sangue, após matar os reis e tomar seus bens.

        Jacó prometeu dar o dízimo, ( um voto particular dele ) em Gênesis 28:20-22 , mas a bíblia não fala que ele cumpriu…

        Abraão não foi a “suposta” casa do tesouro ( igreja ) mas Melquisedeque lhe saiu ao encontro para receber sua parte, devido ser rei de Salém e receber por que passava em tal parte, imposto semelhante ao que Jesus nos ensinou a pagar a César (Mateus 22:21). Isto é, JESUS mandou sermos fiéis ao estado e não sonegar impostos.

        Os cobradores de impostos ao se converter, restituíram 4 vezes mais aos que haviam defraudado, e foi nisto que Jesus afirmou: “hoje houve salvação nesta casa” (Lucas 19:9)Repare que o Salvador não o mandou dar dízimos.Todas as vezes que você quiser dar algo á Deus, e restituir a Deus com gratidão, faça isto dando ao seu próximo, pois assim,estará cumprindo a palavra na íntegra, conforme Mateus 25 deixa bem claro esta questão.

        No sétimo ano, Israel, não trazia dízimos, devido ser o ano sabático,a terra descansava (Levítico 25:4) Mas e será que a igreja atual faz isto? Fica sem receber dizimos no sétimo ano?

        O DÍZIMO era vendido POR DINHEIRO,devido a distância de levar onde o Senhor escolhera, para santificar seu nome, e o próprio dizimista COMIA DOS SEUS DÍZIMOS, administrava o dízimo, hoje em dia quem come dos dízimos são os pastores, que administram os dízimos, dando ordem quê e no que será empregado os dízimos do povo. Estes ditos “sacerdotes” ( pastores) não são levíticos, nem exercem função sacerdotal superior a qualquer irmão que seja, e muito menos têm eles o direito de administrar o dízimo pessoal de cada um.

        Quanto a sacerdotes, sabemos todos nós somos, depois de Cristo nos fazer um sacerdócio real, nação santa , povo eleito de DEUS, passamos a ter livre acesso ao Pai através de CRISTO que , na sua morte, o que nos separava foi rasgado do alto abaixo, a saber o véu que separava o lugar santo,( local onde entravam os sacerdotes) do lugar santíssimo (onde só entrava o sumo sacerdote 1 vez por ano para pferecer acrificio pelo pecado do povo).

        Paulo recebeu muitas vezes ajuda da igreja, mas era para se manter, e não era salário mensal como se estivesse numa empresa. Paulo trabalhava (atos 18:3) , e em nada pesava os irmãos e a igreja.

        Se Paulo disse: “sede meus imitadores como eu sou de Cristo”, será que nesta parte, os pastores que exigem dízimos imitam à Paulo? Vemos Jesus ou Paulo recolhendo ou ensinando sobre dízimos?Em 2Coríntios 9:9, Paulo cita o salmo 112:9, onde fala da generosidade com os mais pobres: “Conforme está escrito: Espalhou, deu aos pobres; A sua justiça permanece para sempre”. (2 Coríntios 9:9)

        Nada falou de dízimos em dinheiro, e sim, contribuições voluntárias , para “suprir” os que não tem, algo que, é totalmente visto por Deus. Paulo faz uma coleta para “DISTRIBUIR”, hoje em dia se faz uma distribuição (de envelopes) para ajuntar, não para os pobres, mas, para os cofres de uma instituição, que se preocupa mais com a posição social, status, templos, fama, nome, competição, horários de TV, rádios, sites, eventos, shows, viagens, lazer para líderes, carrões, mansões, aviões, e ainda se diz que é expansão da obra de Deus…

        Cada dia os patrimônios religiosos estão ainda maiores, e o evangelho mais distante do que a igreja primitiva pregava e vivia, tudo por causa de dinheiro. A biblia fala para não reter e sim dar. Será que a igreja faz isto? Ou antes retém,para construir seu império e se fortalecer mais e mais, visando dominar a maior parte possível do globo terrestre, e arrebanhar o maior número de pessoas possível, como se tudo fosse uma partida de competição: “Quem tiver mais membros é o vencedor”

        Paulo afirma: “Porque nós não estamos, como tantos outros, mercadejando a palavra de Deus; antes, em Cristo é que falamos na presença de Deus, com sinceridade e da parte do próprio Deus” (2Coríntios 2:17)

        Deus abençoe a todos que leram este estudo e que o Espírito Santo tenha conduzido a leitura e o entendimento para compreender que dízimos não são mais obrigatórios.

        “Antes, crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A ele seja a glória, tanto agora como no dia eterno” (2Pedro 3:18)

  13. ATENÇÃO: DEVIDO A REPERCUSSÃO DO ESTUDO QUE DESMASCARA A FARSA DOS DÍZIMOS TER CAUSADO POLÊMICA E ATAQUES FEROZES DOS QUE SE RECUSAM A ACEITAR A VERDADE BÍBLICA SOBRE ESSA DOUTRINA MERCANTILISTA, VAMOS FAZER UM DESAFIO AOS “PRÓ-DÍZIMOS”…

    A falsa doutrina dos dízimos nos dias de hoje, ensina basicamente isso: Que todo cristão tem o mandamento bíblico de separar 10% de sua renda ( salários e ganhos diversos ) e entregar numa denominação evangélica aos cuidados de um suposto homem de Deus (notadamente, um pastor ou similar). A não entrega desse valor, chamado por eles de dízimo, pode acarretar, segundo essa doutrina, a sujeição do cristão aos ataques de um demônio chamado “devorador”, ser espiritual este, segundo ainda esta doutrina o mesmo mencionado em malaquias 3:11. O que não se sujeita a entregar os dízimos conforme especificado acima, também estaria pondo sua própria salvação em risco, pois ainda segundo essa doutrina, quem não dá dízimo é ladrão.

    Agora, porém, em confronto com essa doutrina de dízimos ainda perdurar e segundo eles ser obrigatória aos cristãos, estaremos fazendo 10 perguntas que os pastores que insistem em receber dizimos não conseguem responder:

    1 – Dízimo na bíblia sempre foi alimento (Levíticos 27:30,32 ; Deuteronômio 12:17)… aonde na bíblia ele se tornou dinheiro?

    2 – Dízimo era mandamento do velho testamento somente para os israelitas ( Levíticos 27:30-34) … aonde no novo testamento da bíblia, foi confirmado esse mesmo mandamento aos cristãos?

    3 – Dízimo deveria ser entregue somente aos sacerdotes levitas (Números 18:26, hebreus 7:5)… aonde na bíblia, os pastores de hoje substituiram esses sacerdotes levitas para poderem tomar dízimos?

    4 – Dízimo era destinado ao sustento dos levitas, dos órfãos, estrangeiros e viúvas (Deuteronômio 26:12)… aonde na bíblia ele se tornou exclusivo dos pastores e bispos das denominações evangélicas?

    5 – Se o mandamento do dízimo é anterior a lei de moisés, e abraão é exemplo de “dizimista fiel” antes da lei, então porque Abraão entregou dízimo somente dos despojos da guerra que ele venceu ( genesis 14:20; hebreus 7:4 ), e não de toda a sua riqueza já acumulada? (genesis 13:2 )

    6 – Se ” a césar o que é de césar e a Deus o que é de Deus “, é uma citação de Jesus sendo favorável ao pagamento de impostos desse mundo e da mesma forma pagamento de dízimos à Deus, então porque Jesus mencionou o pagamento do imposto de césar antes do “imposto de Deus”, visto que o dízimo deveria ser a primeira coisa a ser separada? Jesus disse ” a césar o que é de césar” e Jesus deu exemplo disso, ao pagar o imposto de césar (Mateus 17:24-27), para dar o exemplo que se deve pagar o imposto de césar ( impostos desse mundo ) mas se “a Deus o que é de Deus” se refere à dízimo, aonde Jesus devolveu dízimo, para nos esse exemplo, da mesma forma que fez ao pagar o imposto de césar?

    7 – Se devemos dizimar porque Jesus não falou nada contra o dízimo, então devemos nos circuncidar também? visto que Jesus também não falou contra a circuncisão aos israelitas e a circuncisão também é mencionada antes da lei de moisés (genesis 17:10).

    8 – Se quem é dizimista será salvo, então porque o Senhor Jesus precisou vir aqui na terra, cumprir a lei de moisés e morrer pelos nossos pecados? os israelitas já tinham o mandamento de dizimar (levíticos 27:30-32)… não bastava eles somente continuarem dizimando para serem salvos? quem nos dá a salvação? Quem salva é Jesus ou o dízimo ?

    9 – Aonde vemos Jesus e/ou os apóstolos, recebendo dízimos dos cristãos para que a obra de Deus fosse feita? aonde vemos no novo testamento que o dízimo é obrigatório para manutenção de um templo físico ?

    10 – No velho testamento vemos claramente os israelitas recebendo o mandamento de dizimarem e entregando o dízimo ( Levítico 27:30-32; II Crônicas 31:6; Neemias 13:12 ), Mas aonde no novo testamento vemos os cristãos recebendo a ordem de dizimar e um seguidor de Jesus, ou seja, um cristão dizimando?

    CONCLUSÃO: Eu já fiz estas 10 perguntas à vários pastores que insistem no erro de ensinar que dízimos são obrigatórios para os cristãos, mas nunca obtive uma resposta. O que comprova que realmente, essa doutrina mercantilista dos dízimos não passa de doutrina criada por homens, sem embasamento bíblico.

    O Senhor Jesus já advertiu sobre esse tipo de erro: “E em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos de homens” (Marcos 7:7)

    Mas graças a Deus, cada vez mais as pessoas estão conhecendo a verdade sobre a mentira que é a doutrina do dízimo, e deixando de dizimar por obrigação conforme malaquias 3:10, que era uma advertência que dizia a respeito somente ao povo de israel e passando a ofertar por amor e liberalidade conforme 2 corintios 9:7.

  14. Cesar, é uma honra receber um elogio seu, n deixem a soberba dominar vcs, mas vc, o meu amado Clamando, o jose, o sumido JEANN são realmente homens de Deus, muito inteligentes, que Deus os abençoe.

    Eu ainda n tenhu entendimento da Biblia, mas me sujeito aos servos de Dus em humildade pra aprender, pois se eu n for fiel a meus irmãos mais velhos q eu posso ver, como serei fiel a Deus q é invisível? Se eu n me sujeito a autoridades na Terra que eu vejo, como serei submissa ao Deus espiritual e invisível? Não foi Davi pastor de ovelhas antes de guiar uma nação?

    Não desanimem xom esses cerscículos decorados, até o Diabo sabe citar a Bíblia.

    Se Deus abenç9ou os que dizimavam por obrigação, quanto mais o farå com os que dizimam por amor e gratidão.

    Deus abençoe vc Cesar, n desista.

    José seu fofo.

    Clamando, voltaaaaaaaaaaa…..

  15. Stardust,

    Todos os pastores falam do dízimo, um ou outro que não.

    Você acredita na revista forbes e nas conclusões dela, então escreva e peça para ela elencar o papa francisco. Haverá de ser o homem mais rico do mundo, pois do que se vê, a revista confunde e mistura patrimônio da igreja com o pessoal.

    Outra coisa, nos grandes centros, ninguém mais vive da agricultura e da pecuária, então como resolver a parte financeira da igreja?

    Se dízimo era na época de cristo in natura, então o que motivou Ele não pegar um boi para mostrar os dois lados da moeda? Epa, quer dizer, do boi? Tá vendo? É isso que dá, a gente fica ouvindo tolices, aí se engancha.

    Quer acabar com a evangelização, né meu caro? Aí, espertinho, vai na raiz.

    Vai ser covarde como sempre, ou seja, somente à base da censura às minhas participações?

    • Tinha esquecido,

      Se a lei não mais deve ser cumprida, então liberado assassinar, roubar, desonrar pai e mãe, não amar a Deus, não amar ao próximo, cobiçar a mulher, a casa, a propriedade do próximo?

      Pode ser mais claro? Pois as suas ilações são infantis, caro e ilustre homem das estrelas.

      • Querido! Não roubar, não matar, etc. não é da lei, são mandamentos do próprio Deus, são bases morais e não legais. Não precisa ser cristão ou judeu para isso. Por favor leia a bíblia e use o texto no contexto e não apenas o texto para pretexto!

        • Que leis de moisés são essas? Quer dizer que Moisés fez leis dissonante da vontade de Deus? Acaso não estava ele inspirado por Deus ao fazer as leis que são da autoria dele? Se são da autoria dele, então o que motivou Deus não inspirá-lo? Acaso o culto ao sábado não antecede Moisés? Será que não havia nenhuma recomendação antes de Moisés sobre esse assunto? Você embaralhou tudo agora. E agora?

          • E tão claro essa sua pergunta… Jesus disse, todas as outras leis já não teriam mais valor com sua vinda. Ele deixou só duas lei.
            “Amar a Deus em primeiro lugar” e “Amar o outro como a si mesmo”. Se você entender esse ultimo saberá que quem ama, não mata, não rouba, não cobiça, não menti entre outros. É simples, Jesus veio para renovar e não para voltar para os antigos padrões.

          • Rodrigo,

            Você está dando volta feito peru. Pergunto, se as leis se resumem a dois mandamentos, então as leis não findaram, apenas passou-se a aplicar de modo racional.

            Bom se assim é, então você pensa diferente do internauta anterior, pois disse que Cristo revogou a lei de moisés, como fazer se agora são pensamentos distintos sobre o mesmo fato?

    • errado Levi…

      a revista esta correta..
      vcs é que misturam as coisas..

      se a revista for “elencar” o papa amigo, ela fale, pois será a maior piada…

      o papa não tem patrimonio.. o papa somente administra, junto com uma equipe inteira o patrimonio que é da Igreja…

      mas vc falou que a revista confundiu o patrimonio pessoal dos pa$tores com o da Igreja…

      ora Levi..

      mais uma falha sua amigão…

      se fosse assim o $ilas teria mesmo processado a forbes como disse que faria.. mas não fez…

      o que a forbes fez Levi,, foi elencar o patrimonio pessoal E DAS EMPRESAS QUE ESTÃO NO NOME DOS PA$TORES…

      ora bolas…

      os tais pa$tores dizem que seu patrimonio é um…

      mas se esquecem de declarar o patrimonio das empresas que possuem..

      vou lhe dar um exemplo Levi..

      meu salário hj está na casa dos 6000 reais.

      a minha esposa tem uma empresa.

      declaramos IR juntos, o que eu ganho e o que ela retira da empresa…

      a declaração da empresa é separada..

      a empresa fatura muito mais que eu…

      ou seja.. eu posso dizer que meu patrimonio é o que eu ganho e o que eu tenho em meu nome..

      mas a empresa da familia (que é da minha esposa e por consequencia é minha também), tem seu próprio patrimonio… imovel, móveis, conta bancária. etc. etc. etc.

      e é exatamente os que os pa$tores fazem.. divulgam seu IR como “ovelhinhas inocentes” para contradizer a revista.. mas se esquecem de dizer que são proprietários de empresas…

      ora Levi.. sabe de nada inocente kkkkk

      • Reinaldo,

        Inocente de Deus, como você é ingênuo.

        Quando a noticia saiu, a FORBES via seus representantes disse que a informação teria sido objeto de dados da Receita e processos, ou coisa que o valha, sendo tal mentira posta abaixo, por exemplo, por Silas Malafaia, o que é verdade, ao rebater dizendo que os dados da receita são sigilosos, como ocorre com feitos judiciais, e aí fez leitura da renda dela via sua declaração anual.

        Inocente de Deus, na declaração consta os recursos auferidos com as pessoas jurídicas, e vc vir com essa de miguel pra mim?

        O pastor é possuidor de uma empresa que produz livros e revistas de temas evangélicos, a bem da verdade, tal adquirido quando apenas carregava o título de pastor, pois não tomava conta de nenhuma, sim seu sogro, sim seu pai. Ele era um empresário que começou do nada pregando o evangelho, tendo conseguido as duas coisas, pregado e ganho dinheiro com isso, tudo de forma lícita. Igual a padre zezinho, fabio, marcelo, chico xavier, divergindo apenas no fato de que alguns doam para a igreja tudo, outros apenas parte, outros ficam com o todo, não sabendo eu precisar. Mas garanto a você, se fosse obra do desvio de recursos da igreja, esta e também o MP estariam no encalço dele, padre zezinho, antonio maria, fábio…

        Aprenda a falar a verdade, vai longe nas asas dela.

        • Levi.. preste atenção…

          como a revista conseguiu os dados eu não sei.. eles tem seus métodos..

          mas o fato é que…

          as informações estão lá.. o Pa$$tor para tentar desmentir a revista, mostrou seus rendimentos de pessoa física…

          disse que processaria a revista..

          o que não fez…

          justamente porque ele não é INOCENTE e sabe bem que tal processo não vingaria… pois a revista não mentiu…

          ou seja Levi…

          juntando a renda de pessoa física com a renda das empresas dele, pessoa jurídica, forma o montante que a revista mostrou amigão..

          mas nas entrevistas, malandramente o pa$tor falava de boca cheia que seu imposto de renda era de tanto e que só possuia uma casa de poucos mil reais e um ou dois carros (não me lembro bem)…

          mas não fez uma mençãozinha sequer as suas empresas…

          ora Levi…

          porque ele não falou quanto as empresas dele fatura??

          aliás…

          interessante como as empresas dele vão bem não é??

          kkkk

          mas como nada posso provar, não vou comentar aqui…

          SABE DE NADA INOCENTE KKKK

          • Reinaldo,

            Vão bem, aliás, a graça superabunda e abençoa até o padre marcelo que ganha muito dinheiro com as músicas evangélicas, cem por cento do cd dele.

            Então voltando ao assunto, como padre marcelo ganha dinheiro, ele também com a venda de material didático gospel, ajudando a pessoas carentes, assistência educativa a prisioneiros…, construindo igrejas sem precisar pedir terreno e nem lançar mão do dinheiro público como tua igreja, a que não assenta um tijolo sem que não seja num terreno público…

            Assim continuo dizendo, confusão da revista em juntar o do povo com o que é dele, resultado do labor, aliás, eu mesmo, em 2004, adquiri de uma vez só todas as fitas com as mensagens pregadas por ele.

            É muita inocência mesmo.

          • Bem Levi.. vejo que voltou a fazer acusações sem provas…

            quer usar o Pe Marcelo como bode expiatório kkkk

            mas porque falar do Pe. Marcelo??? afinal, ele não fez fortuna para aparecer na FORBES.. ele vem de familia de classe média e ganha seu salário honestamente.. e veja que maravilha.. é Cristão e por isso doa quase todo seu salário para a obra de Deus..

            achei interessante vc dizer que ele tem musicas “evangélicas” no CD kkkk

            que egoísmo Levi.. as musicas são Cristãs… e se fossem exclusivas dos protestantes, ele não tocaria, afinal, para se tocar uma musica, ele deve pagar os direitos autorais, não é assim??
            se é exclusiva de protestantes, porque o autor autoriza?? kk

            mas vamos voltar ao assunto Levi…

            primeiro que o $ilas não constrói Igrejas com dinheiro particular dele… diferente do Pe Marcelo, que já contribui com a construção de templo para Igreja Católica..

            segundo Levi,

            não seja desonesto amigão..

            a revista não vinculou a renda do $ilas malafaia a renda da Igreja, mas sim a renda das empresas que estão no nome dele…

            é simples Levi, vc que finge não entender… faz acusações contra a Igreja Católica sem fontes para desviar o assunto kkkk

            mas é isso Levi..

            o $ilas apareceu na forbes por conta de um mega salário e de uma empresa “que vende material didático gospel” (kkk) e rende muito.. tanto que o fez aparecer na FORBES…

            e “esbravejou” publicamente que iria processar a revista por essa “calunia”.. kkkkkk

            mas enfiou o rabinho entre as pernas e ficou caladinho..

          • Reinaldo.

            Padre Marcelo ganha honestamente? Ele põe as músicas pra tocar, aí os católicos se agradam, aí quando algum evangélico fala na internet que cantava a música em sua igreja, eis que é contestado pelo católico que engoliu a canção achando ser obra dos autores da igreja deles, aí eu pergunto, ganhar honestamente enganando meio mundo e meio católico?

            Quer dizer que é mais cristão quem doa tudo? Então o discípulo de Cristo José Arimateia não tem a mesma qualidade que padre Marcelo?

            Você confunde tudo.

            O templo construído por padre marcelo foi construído a partir da inspiração das músicas evangélicas.

            Ele pode construir o templo, mas o Silas não? Silas usou dinheiro desonesto, não aplicou dinheiro dele, é isso que você afirma. Parabéns, agora é o contador da igreja e de Silas, o sabe tudo.

            Já vi padre ajuizar ação de despejo por falta de pagamento de inquilina, tendo eu perguntado ao advogado que ação era, eis que veio com essa pérola, e eu igual vc, achando que faziam valer o voto de pobreza, que nada, e ainda tem o padre alemão que construiu uma simples casa por 90 milhões de euros, tendo os outros padres se calado, por achar que um dia morariam no castelo.

            Tua igreja não precisa sair na forbes por ser explícita a riqueza dela, estranho mesmo essa riqueza, pois justo ela que prega a pobreza como virtude;

            Coloque o r.. e fique calado, pois tua igreja é a instituição mais rica do mundo, quando o seu criador era pobre, e ela faz apologia à pobreza.

            Incongruência total.

          • Levi, vc está desvinando o assunto meu querido..que coisa chata kkk

            Levi…

            se as musicas fossem exclusivas “evangélicas” o autor não autorizaria a reprodução por outras religiões..

            é simples Levi.. só vc que acredita que se ouve uma musica pensando se ela foi feita por um envangélico ou por um católica kkkk

            Levi, se a musica fala em Deus e não diz heresias, é para louvar a Deus, pronto.. não tem problemas de ouvirmos…

            é como vcs.. já vi muitas musicas católicas sendo tocadas em igrejas protestantes, mas as que falam em Maria não tocam.. simplesmente porque para eles é heresias…

            se vcs criarem uma musica com coisas consideradas por nós heresias, também não vai tocar uai..

            kkkk

            mas acredito que poderiamos voltar ao assunto…

            FORBES…

            estavamos falando de pa$$tores que apareceram na forbes e apesar de tentarem negar, não foram capazes de provar que não são milionários… e que a origem de seus bens é estranha, até porque, se não fosse “estranha”, não teria problemas em aparecer na forbes…

            se a minha empresa crescer ao ponto de me colocar na forbes, vou é ter alegria de dizer isso.. kkkk

          • Reinaldo,

            Não falei de exclusividade, são os católicos aceitar hinos feitos pelos desviados, pelos que a tua igreja condena, os repele.

            Outra coisa, é não informa a origem do hino, pois muitos católicos seguem a ferro e a fogo o que os padres falam, portanto não aceitariam cantar em suas igrejas as canções nascidas nas igrejas evangélicas, me vindo à cabeça o velho adágio popular: comprar gato por lebre.

            Ou seja, gigante do disfarce, a questão não é quanto a autoria e muito menos o seu conteúdo, sim a embromação a que são submetidos os católicos, e o que é pior, quando ouvem as canções cantadas pelos evangélicos, agem com arrogância dizendo que os evangélicos é que estão tomando pra si as deles. Tô cansado de ser interpelado sobre esse assunto, aí que eu vejo sim a embromação.

            Quanto a evangélicos cantar as canções comprovadamente de cunho católico, com ou sem restrições da letra, tenha como certo, há sim uma resistência danada, embora eu não concorde, haja vista que nunca você ouviu uma música de padre zezinho, como: um belo dia, à beira mar…, e outras, mas não cantam mesmo, a não ser enganados.

            A bem da verdade, a célebre canção usada pela católica nos cerimoniais de entrada dos noivos, essa também foi da patente evangélica, isso lá nos séculos passados. Verifique, vai ficar desconsolado, mas é da autoria de um evangélico.

            Um dia a forbes vai lançar os nomes das pessoas jurídicas mais ricas, aí a católica, que prega a pobreza, vai ficar em dificuldades, pois possuidora de apartamentos de luxo em París, ações da fiat,,, aparecerá como a de longe, a mais rica das instituições do mundo.

          • Levi tá irritado porque ouvimos musicas que louvam a Deus kkk

            Levi…

            vc é muito bom em desviar dos assuntos kkkk

            mas vamos lá.. Padre Marcele e outros catam as canções que eles acham que tem a possibilidade de ajudar na evangelização… desde que paguem os devidos direitos autorais, não estão cometendo crimes algum…

            e se eu quizesse ouvir um protestante canta a musica, eu compraria o cd do protestante.. mas sei que a pregação dele depois vai ser diferente do que eu acredito, então, se gosto da canção, a ouço com um cantor cuja fé esta em alinhamento com a minha uai kkkk

            fica irritado não Levi, é só vc orientar seus protestante a se tornarem egoistas e não cederem os direitos de reprodução de suas musicas aos católicos uai.. kkk

            mas vamos voltar ao assunto Levi… não vamos desviar a atenção para esse seu ciume bobo..

            vamos fazer assim Levi…

            vc conversa com um contador e pergunte e ele como funciona a declaração de IR física do proprietário de uma empresa que faz a declaração Juridica..

            veja também sobre o Bi$po Ma$$edo , que levantou grana até para comprar uma emissora de Televisão.. diziam que era da Igreja, depois não era mais.. sei lá.. muito enrolado kkkkk

            mas os Padres “artistas” vc pode ter certeza que não vão aparecer na forbes Levi…

            mas de fato se a forbes fosse fazer o tal levantamento relacionando também instituições como as Igrejas, ai a Igreja Católica talvez apareceria, claro sendo a maior instituição de caridade do mundo, a maior Igreja Cristã do mundo (em numero de fiéis, porque em relação a tamanho de templo a IURDI ficou com inveja e resolveu fazer um grandão kkk), a mais antiga instituição Cristã do mundo, ela tem seu patrimonio…

            mas ao menos, o patrimonio é da Igreja e não do Papa ou do Bispo ou do Padre..

            mas vamos lá Levi… vc vai desviar o assunto para que lado agora:??

  16. Acomodados Essa é a nossa FÉ, Se não vos agrada meus caros! Sinto Muito, COMAM MENOS.
    Temos FÉ para SER e FAZER A DIFERENÇA! HAHAH Estamos no caminho certo.

  17. Povo de Deus,

    Assim diz o Senhor Deus,

    Eu seu Deus abito sim em cada um de vocês que me obedecem e aceitam o meu filho como Senhor e Salvador da vida de cada um de vocês, Meu nome é eu SOU e não abito em templos feitos por homens, não aceito este templo como presente de homens que dizem estar apascentando meu povo e na verdade são como lobos tirando a lâ das minhas ovelhinhas.

    Se arrependam e peçam pêrdao, misericórdia, piedade em nome do meu amado filho Jesus Cristo e eu voltarei para vocês.

    Senhor Deus, Abençoe a Cidade de Jerusalém e todo o povo e toda terra de Israel em nome de Jesus Cristo .

    Amem, Aleluia, Gloria Deus !!!!!!!

  18. Não entendo porque tanta crítica a esse templo, se tiveram dinheiro suficiente para construí-lo e acham que está correto, deixem pra lá, pra que ficar criticando. Cada um constrói como pode, o mesmo Deus que pode estar dentro desse templo também é o mesmo que pode estar em um barracão, Jesus disse que onde estiverem dois ou três reunidos no nome dEle ele lá está.

  19. Houve um tempo que queriamos apenas pregar o puro evangelho, simples porém poderoso, aí perdemos o foco e “passamos” a fazer parte dos vendedores no “templo”. Então dentro desse “caldeirão” que cresce e se mistura, todos falam do evangelho. Há o evangelho da prosperidade, o evangelho segundo o espiritismo, enfim evangelho pra tudo o que é gosto ou desgosto. Mas evangelho é uma palavra que vem do grego e significa boa nova,boa notícia e na verdade após a queda do homem, Deus prometeu um segundo Adão (Jesus Cristo). O evangelho para o apóstolo Paulo era motivo de honra pois era o poder de Deus para salvação de todo aquele que crer. O evangelho é simples e é dinamus (dinamite) explosão, ressurreição, da morte para a vida; levantar-se,erguer-se, lutar, trabalhar. Deus quer que todos sejam felizes, mas é o homem quem faz a sua escolha.O evangelho é viver em corpo, congregação, vida comum e não luta desigual, injusta e acumuladora de bens. Esse evangelho que a Igreja Universal e outras igrejas que se levantam por aí afora apenas são portas para arrecadar dizimos e ofertas. Suas praticas e discursos são anticristãs, antibiblicas, antievangelho. O evangelho ensina a repartir, ensina a não acumular, ensina a esperar, ser paciente, ensina a não ser arrogante, a não nos acharmos melhores que os outros. Jesus e seus discipulos foram exemplos de vida simples, não almejaram duas casas, duas fazenda. tudo era repartido. Assim como foi a comunidade de fé primeira eram as tribos indigenas e ainda o são alguns indigenas afastados da chamada civilização, vida em comum. Alguns templos são agencias do capitalismo selvagem e servem apenas ao deus capital (mamom). Dai a Cesar o que é de Cesar e a Deus o que é Deus. Vamos viver verdadeiramente a nossa fé genuina e deixar que eles os futuros dono dessa era ganhem esta era, pois o nosso mundo Jesus foi preparar e virá nos buscar, isso é fé. E fé não é magia, não é um pulo no escuro, não é irresponsabilidade. Viver positivamente é viver bem e viver com Deus. Maranata.

DEIXE UMA RESPOSTA