Pastores e líderes evangélicos criam manifesto favorável à descriminalização das drogas no Brasil

61

Um grupo de pastores e líderes evangélicos divulgou um documento de manifestação à favor da legalização das drogas no país, e pretende promover um debate sobre o tema num evento que aconteceria na Sociedade Bíblica do Brasil, mas que acontecerá no Seminário Teológico Betel.

A informação foi veiculada pelo jornalista Ancelmo Góis no jornal O Globo. De acordo com a nota, o grupo que subscreve o documento é grande: “Uma centena de pastores e líderes evangélicos divulga amanhã, na Sociedade Bíblica do Brasil, manifesto a favor da descriminalização das drogas. Eu apoio”, escreveu Ancelmo Góis.

No entanto, o evento que estava agendado para ocorrer hoje, 13 de junho, foi adiado para o próximo dia 25 de junho, no Seminário Teológico Betel, no Rio de Janeiro, segundo informações do Pavablog. Estarão presentes no evento, os pastores Ariovaldo Ramos e Edvandro Machado, e o evangelista André Guimarães.

O texto do documento que foi apresentado ao presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves, como manifesto, foi publicado pelo site VivaRio, e demonstra preocupação com a questão social em torno das drogas.


“Preocupados com o agravamento e a dimensão que a questão das drogas tomou no cenário brasileiro, achamos por bem manifestar nossa contribuição […] As arbitrariedades permitidas em casos de prisão por tráfico criam um hiato entre o encarcerado e a ajuda, salvo os esforços de vocação missionária das diversas pastorais carcerárias, missões de capelania e de evangelismos com detentos”, contextualiza o manifesto.

Os líderes evangélicos que assinam o documento ressaltam a necessidade de que as ações governamentais sejam no objetivo de recuperar os dependentes: “Influenciados pelo que nos afirma o apóstolo Paulo em sua carta aos Efésios, ‘Porque o fruto do Espírito está em toda bondade, e justiça e verdade (5:9)’, afirmamos que cremos neste tripé, bondade-justiça-verdade, como orientação para a construção de uma nova política pública sobre drogas e para uma mudança na lei 11.343/2006, que descriminalize o usuário e estabeleça critérios mais claros e objetivos para distinguir usuário e dependente, do traficante, assegurando ao usuário e dependente o direito constitucional á saúde, educação e projetos de requalificação profissional visando sua reintegração social”.

Confira abaixo a íntegra do documento divulgado e o nome dos pastores e demais líderes que assinam o manifesto:

“E tudo isto provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por Jesus Cristo e nos deu o ministério da reconciliação, isto é, Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não lhes imputando os seus pecados, e pôs em nós a palavra da reconciliação.”-2 Co 5,18-19

Prezados irmãs e irmãos,

Nós, abaixo assinados (pastores e líderes de igrejas e instituições evangélicas de ação social, capelania e evangelismo no território nacional), preocupados com o agravamento e a dimensão que a questão das drogas tomou no cenário brasileiro, achamos por bem manifestar nossa contribuição.

Dados do Instituto Pro Bono revelam que só em São Paulo, cuja população é de cerca de 41 milhões de habitantes, 29 milhões de pessoas são identificadas como “potenciais usuários” dos serviços de um defensor público, ou seja, há quase 30 milhões de pessoas que não terão, segundo a sua renda e condição social, condições de pagar os serviços de um advogado para defender a sua causa.

Por outro lado, segundo dados do Infopen, publicado em um estudo do Núcleo de Estudos da Violência da USP (NEVUSP) sobre prisão provisória e lei de drogas, o número de presos provisórios enquadrados na lei de drogas no Brasil teve um aumento de 61,5% em cinco anos, entre 2005 e 2010.

O cruzamento desses dados indica que, nos casos em que os presos provisórios pertençam às camadas mais pobres, de bairros periféricos, e em sua maioria sejam negros e subempregados, dificilmente terão condições de lutarem pela sua liberdade e defesa de sua inocência. As arbitrariedades permitidas em casos de prisão por tráfico criam um hiato entre o encarcerado e a ajuda, salvo os esforços de vocação missionária das diversas pastorais carcerárias, missões de capelania e de evangelismos com detentos.

Influenciados pelo que nos afirma o apóstolo Paulo em sua carta aos Efésios, “Porque o fruto do Espírito está em toda bondade, e justiça e verdade (5:9)”, afirmamos que cremos neste tripé, bondade-justiça-verdade, como orientação para a construção de uma nova política pública sobre drogas e para uma mudança na lei 11.343/2006, que descriminalize o usuário e estabeleça critérios mais claros e objetivos para distinguir usuário e dependente, do traficante, assegurando ao usuário e dependente o direito constitucional á saúde, educação e projetos de requalificação profissional visando sua reintegração social.

Da Bondade: a vocação da Igreja é para transformação de vidas, sem perder a esperança e a disposição para a misericórdia. A reconstrução da vida de um “criminoso” é sempre mais difícil socialmente do que a de um doente, de alguém que tenha passado por um tratamento.

Da Justiça: a justiça bíblica não é referenciada na punição, mas no resgate. Não viola direitos do indivíduo, mas o orienta para o convívio. Não impõe formas de agir, mas chama a atenção para a presença do outro no relacionamento. A justiça deve valorizar a liberdade, e a liberdade é para o que Cristo nos resgatou. Nossas comunidades, atores importantes no acolhimento, na recuperação e no cuidado com a integralidade do ser humano (alma, corpo e espírito), não desejam serem usadas como instrumentos de privação e isolamento.

Da Verdade: a verdade deve iluminar o caminho. Isso significa não se orientar pelo medo, que muitas vezes inspira ações desesperadas, mas pelo amor, que lança fora todo o medo e busca soluções que de fato visam a recuperação, o cuidado, a dignidade, a saída dos caminhos de morte.

Pedimos portanto, a não votação do projeto 7663/2010, para que possam ser reparados e rediscutidos, artigos controversos e que comprometem a justiça e a dignidade, como a internação compulsória, a restrição de direitos, a criminalização do usuário, o fichamento dos internos e o envolvimento das instituições de ensino, além do endurecimento da pena e nenhum avanço em direção a superação dos estigmas e da marginalização, que transforma a população pobre no maior efetivo de nossas penitenciárias.

Assim portanto cremos, e em Cristo, despedimos-nos,

Abel Alves de Moraes – pastor, Comunidade Evangélica Nova Aliança

Adriano Trajano – pastor batista

Alexandre Demidoff – pastor, Igreja Cristã da Aliança

Alfredo Luiz da Costa Filho – reverendo, Igreja Presbiteriana do Brasil, Campinas, SP

André Guimarães – evangelista metodista, Rede Fale, RJ

André Marçal – pastor, Igreja Cristã da Família, SP

Anivaldo Padilha – pastor metodista, Koinonia

Ariovaldo Ramos – pastor batista

Antonia Leonora van der Meer – teóloga professora, Centro Evangélico de Missões, CEM

Caio Marçal – missionário batista, sec. executivo Rede Fale

Carlos Arnóbio – pastor, Assembléia de Deus

Carlos Eduardo de Sousa e Silva – pastor, Igreja Cristã de Ipanema, RJ

Carlos Henrique Machado – líder Igreja Presbiteriana Aliança

Cláudio Silva – pastor de jovens, batista, RJ

Claudiniz Braga – diretor Escola de Missões Urbanas Avalanche, ES

Clemir Fernandes – pastor batista, RENAS Nacional, ISER, RJ

Daniel Checchio – pastor, Comunidade Evangélica do Bexiga, e Rede Social do Centro, SP

Daniel Moura – pastor, Missão Vida

Davi Lenço – pastor batista

Davina Castro – pastora, Igreja Batista Betânia de Sulacap, Centro de Cidadania e Ação Social (CCAS), RJ

Derval Dasilio – pastor, Igreja Presbiteriana Unida, Maruípe, ES

Devanir Oliveira – professor batista

Diego Machado – pastor batista, coordenador projeto Cristolândia Rio de Janeiro

Edval Campos Jr – pastor, coordenador ABENFI, SP

Edvandro Machado Cavalcante – pastor Metodista, coordenador Pastoral Carcerária Metodista, RJ

Edwin Ferraz – pastor batista

Eliezer de Souza da Silva – articulador Rede FALE Campinas, SP

Elizabeth de Almeida Silva – missionária, Jornal Recomeço, Leopoldina, MG

Erivaldo de Moura – pastor presbiteriano, SP

Fábio Py Murta de Almeida – professor, Seminário Batista do Sul

Gilson Batista Sobral – pastor batista, SP

Hélio Osmar Fernandes – pastor presbiteriano

Hernani Francisco da Silva – rede Afrokut, movimento Negros e Negras Cristãos

Humberto Costa – pastor batista, coordenador projeto Cristolândia São Paulo

Ianê Nohueira do Vale – presbítera, Igreja Presbiteriana do Brasil

Ingrid Sanchez Medeiros – Igreja Presbiteriana do Brasil

Ilson Ferreira de Souza Jr – líder juventude batista, SP

Jair de Castro Araújo – pastor, Igreja Presbiteriana de Sousas, Campinas, SP

Joel Zeferino – pastor batista

John Philip Medcraft – pastor, ACEV, Ação Evangélica, PB

Jorjão Rodrigues – adm. da Rede Cristã de Responsabilidade Social

José do Carmo da Silva (Zé do Egito) – reverendo metodista, MS

José Martins Júnior – pastor júnior, Igreja Batista Vila das Belezas

Júlio Oliveira – pastor Igreja Batista da Orla, São Gonçalo, RJ

Leandro Silva – pastor missionário, Associação de líderes evangélicos de Felipe Camarão (ALEF), RN

Leandro Barbosa – líder Comunidade Cristã Caverna de Adulão, MG

Leonara Almeida – articuladora Rede Fale São Paulo

Luciene Redondo de Freitas – assistente social, Igreja Batista do Povo

Luiz Paulo Saldanha – pastor presbiteriano

Marcelo Jaccoud da Costa – assistente social, Primeira Igreja Batista de Campo Grande, RJ

Márcia Torres – Igreja Apostólica Yaweh Shamah

Marco Davi – pastor batista

Marcos Custódio – diretor executivo ong CADI-Origem, Manaus, AM

Marcos Ribeiro – pastor, Escola Verbalizando Missões Urbanas, RJ

Narcus Vinícius Matos – rede FALE

Marli Marcandali – pastor, ministério JEAME, SP

Miguel Adailton da Silva – missionário Missão Ágape Brasil

Morgana Boostel – sec. executiva rede FALE

Narcy Wutzki – teólogo professor, Seminário Teológico Batista Independente

Natan de Castro – missionário ABU-Aliança Bíblica Universitária

Neil Barreto – pastor, Igreja Batista Betânia em Sulacap, RJ

Neto – pastor, Igreja Batista da Redenção

Nilton Lind – pastor batista, ES

Nelson Bento de Carvalho – pastor emérito, Igreja Evangélica Batista em Vila Guarani

Otildes Maria Michel Sanchez – presidente da FEPAS

Paulo Cesar Borges – pastor presbiteriano

Paulo Santiago – secretário, RENAS Campinas

Paulo Sérgio Falcarella – pastor da Igreja Batista do Povo, Curicica, RJ

Paulo Felipe da Penha – pastor batista

Rafael Lira – líder de Juventude Batista do Estado de São Paulo

Rafael Simões Vaillant – pastor batista, Coroado, Gauarapari, ES

Raul Nogueira – pastor Batista

Regina Meire do Nascimento – diretora ministério JEAME, SP

Reinaldo Júnior – pastor, Primeira Igreja Batista de São paulo

Remy Damasceno Lopes – pastor batista

Renan Porto – articulador rede FALE Uberaba

Renato de Arruda – pastor presbiteriano

Renato Saidel – pastor, sec. exec. Ação social Igreja Metodista 3ª região eclesiástica

Ricardo Ramos – pastor batista, coordenador de ação social PIB Campo Grande, RJ

Rodrigo Lins – pastor batista

Ronaldo Guimarães – pastor, Comunidade Cristã S8, RJ

Ronaldo Rutter – pastor batista

Ronilso Pacheco – Comunidade Cristã S8, RJ

Rosa Bonfim – líder Igreja Batista Independente de Gravataí – RS

Ruth Silva – reverenda metodista, pastoral da 3ª Idade, RJ

Sandra Mederos de Campos – pastora batista

Sérvulo Costa – pastor presbiteriana, Igreja Presbiteriana, PE

Sérgio Lun M. Santos – pastor, representante legal Aliança Evangélica Brasileira – AEB

Sérgio Oliveira – pastor batista

Sérgio Toledo – pastor metodista, SP

Silvana Grandi – coordenadora sócioambiental, Igreja Batista da Liberdade, SP

Silas Andrade, pastor batista, PIB em Ponto Chic, Nova Iguaçu, RJ

Tânia Wtzki, coordenadora FEPAS – Federação das Entidades e Projetos Assitencias da CIBI – Convenção Batista Independente

Tércio Sá Freire – pastor, Rede Evangélica Nacional de Ação Social, RENAS, SP

Tereza Cassab – pastora, coordenadora Desperta Débora, SP

Ubiratan da Silva – pastor, grupo gestor Rede de Agentes de proteção e Prevenção as Drogas, REAGE, PR

Valdimir Andrede Julio – pastor, Comunidade Evangélica O Grande Amor de Deus

Walcir Gomes da Silva – pastor batista

Waldir Luiz – pastor batista

Wellinton Pereira – pastor metodista, Visão Mundial Brasil

Wilma Rodrigues Ribeiro – Assistente social Igreja Evangélica O Mundo Para Cristo

Wilton Silva dos Santos – pastor PIB de Guaratinguetá

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

ERRAMOS: Diferente do publicado aqui pelo Gospel+, a Sociedade Bíblica do Brasil informa que não é a organizadora do evento, sendo apenas sede para a realização do mesmo. Matéria atualizada às 21:02 de 14 de Junho de 2013.

61 COMENTÁRIOS

  1. Lamentável

    +++

    O médico especialista em neonatologia e bioeticista italiano, Dr. Carlo Bellieni, assinala que a despenalização das drogas não resolve os muitos problemas que estas geram.

    No artigo “A verdadeira cura é a prevenção”, publicado esta semana pelo jornal vaticano L’Osservatore Romano, o perito responde assim ao chamado “Comitê Global de Políticas Antidrogas” que sugeriu no último 2 de junho despenalizar o consumo da maconha como uma medida para a luta contra as drogas.

    Neste grupo participam o ex-presidente brasileiro Fernando Henrique Cardoso; o ex-secretário geral da ONU, Kofi Annan, o ex-presidente colombiano César Gaviria, o ex-presidente mexicano, Ernesto Zedillo, a ex-mandatária a Suíça Ruth Dreifuss, o escritor mexicano Carlos Fontes e o peruano que obteve o prêmio Nobel de Literatura 2011, Mario Vargas Llosa; entre outros.

    O médico italiano explica que existem dois grupos de promotores da despenalização: uns que usam os meios televisivos para ter mais audiência e outros como o comitê, que acreditam que “liberalizando a droga se reduz o mercado da delinquência”.

    “Ambos se equivocam”, afirma. Os primeiros porque especulam de má fé com a debilidade da adolescência, os segundos porque a liberalização não tem feito desaparecer, por exemplo, os jogos de azar clandestinos e não reduziu o consumo de álcool”.

    Para o perito, “a droga não é em primeiro lugar um problema de delinquência mas sim de um vazio de desesperança e de projeção, repleto de uma felicidade artificial que destrói o cérebro”.

    Depois de citar dois recentes estudos internacionais, um na Suíça e outro em Reino Unido, que mostram os efeitos nefastos da droga nos jovens, o Dr. Bellieni recorda que em julho de 2007 o jornal Lancet “mostrava que eliminando a maconha, a psicose da população diminuiria em 14%”.

    Por estes motivos e pelo fracasso das políticas de despenalização, a American Academy of Pediatrics “pronunciou-se claramente contra a liberalização da cannabis (maconha). Por causa de seus efeitos nos jovens, além disso do risco de tumores, é contrária à idéia de uma cannabis terapêutica, que uma última análise a revela apenas como uma porta aberta à liberalização mais que como uma arma real contra a dor”.

    O perito explica que não se pode comparar a droga ao vinho ou ao tabaco porque o primeiro é um alimento e o segundo “não faz perder a cabeça”, como a maconha o faz.

    Neste sentido, adverte, “a liberalização de uma substância nociva termina por fazer sentir injusta a luta contra as outras. E pode ser querida apenas por uma ideologia rançosa, a daqueles veteranos da resposta, que ainda pregam a falta de responsabilidade, ignorando o pranto das vítimas dos acidentes de trânsito causados por jovens drogados, os lamentos dos pais de suicidas ou as lágrimas dos intoxicados acabados, quando no melhor dos casos, estão em algum centro de reabilitação”.

    Para o médico italiano, esta perspectiva que busca a despenalização do consumo de maconha “é a ideologia de quem, como escrevia Pier Paolo Passolini, brincou de bancar o revolucionário e, chegado à velhice, lembra-se de ‘ter servido o mundo contra o qual, com zelo, levou adiante a luta’. E deixa aos jovens como presente apenas a solidão, cheia de droga”.

    O Dr. Bellieni qualifica esta maneira de pensar como uma “ideologia manca” que fracassa na luta e cujos resultados são vistos na Holanda, onde com políticas de abertura às drogas desde 1976 triplicou-se o consumo de maconha e heroína; ou na Suíça, onde experiências similares “acabaram em terminantes fracassos”.

    “A sede de significado e de amor não se preenche com álcool ou droga. Assim só se gera marginalização”, conclui.

  2. isso ai é só o começo, muitos desses não merecem o titulo de pastor, depois vai ser cocaína a prostituição legalizada e muito mais a gente pensa que não mais o anticristo ja esta reinando só não deus as caras ” apareceu”
    mais tudo isso é obra dele, quem concorda com isso tem parte com ele, diz a bíblia quem é amigo do mundo é inimigo de DEUS!

  3. Mais um bom artigo:

    O Brasil é o único país que faz fronteira com os três maiores produtores de coca do mundo: Peru, Colômbia e Bolívia. Dos três, apenas a Colômbia tem uma política agressiva de combate às drogas. A Bolívia é governada por um ex-cocalero, e o Peru será apontado na próxima semana pela ONU como o maior produtor mundial da droga. O plantio da coca, antes concentrado nos vales andinos, já chegou à Amazônia peruana, ao lado do Brasil. No total, as fronteiras brasileiras somam mais de 24000 quilômetros. Mesmo que o país contasse com o mais eficiente sistema de segurança do mundo, seria impossível barrar a entrada de drogas por tal vastidão – que dirá, então, com os míseros 27 postos da Polícia Federal instalados para vigiá-la. Sofremos, ainda, com corrupção generalizada e verticalizada, que atinge todos os escalões de todas as instituições. A alta taxa de informalidade da economia é outra grande amiga dos criminosos: permite ao tráfico fincar estacas em rodas as regiões do país, cooptando jovens sem instrução, de famílias pobres e desestruturadas. Da geografia às mazelas crônicas do país, portanto, tudo conspira para que no Brasil o tráfico floresça e produza sua horda de viciados. Que, nem adianta enganar-se, não ganhariam nenhum amparo real de um sistema de saúde tão falido que, em certas regiões, não consegue atender a queixas básicas.

    Países que já solucionaram essas questões provavelmente teriam a ganhar em ao menos examinar argumentos como os expostos em Quebrando o Tabu antes de descartá-las. Mas, mesmo nesses, a descriminalização deixaria a descoberto uma questão essencial. Veja-se o caso da Holanda, onde a venda varejista de maconha e haxixe em coffee shops é aceita e regulada e a venda no atacado, por assim dizer, é crime. Como a droga segue abastecendo o comércio, é óbvio que há uma medida de conivência do estado com o tráfico. Que, sim, é um problema do qual os holandeses têm de se defender ferozmente. Por isso países como a Suécia reverteram suas políticas liberalizantes. No início da década de 60, os suecos estiveram entre os primeiros a aceitar o uso de entorpecentes. Mas o afrouxamento fez explodir o número de usuários e congestionou o sistema de saúde. Na década seguinte, então, o país endureceu a legislação e voltou a proibir ouso e a impor penas tanto a traficantes como a usuários. Hoje, a Suécia tem um terço da média europeia de usuários de drogas. Na Suíça, na década de 80, foram criados os “parques da seringa”, onde se podia consumir qualquer tipo de droga sem ser incomodado. A ex-presidente Ruth Dreifuss (1999) admite o fracasso: “Perdemos o controle dos parques: os criminosos os aproveitavam para trazer drogas para os viciados”. Por dez anos seguidos, nos Estados Unidos, a política da tolerância zero fez cair o consumo de maconha entre os estudantes. Há três anos, ele voltou a subir: segundo especialistas, efeito direto da liberação da maconha para fins medicinais na Califórnia e em outra dezena de estados – a qual favoreceu o surgimento de uma rede de “médicos-traficantes” que prescrevem a erva a qualquer um que pague entre 100 e 500 dólares por uma receita.

    No Brasil, qualquer discussão que vise a mitigar o problema das drogas tem de reconhecer a tragédia pandêmica e assassina do crack. Essa forma de consumir cocaína, antes restrita às grandes cidades, hoje está espalhada pelo país. Mais destrutivo ainda, o óxi chegou aos centros urbanos a 2 reais a pedra. “Não há dúvida de que a maconha é uma porta de entrada. Ninguém começa direto no crack. Primeiro é o cigarro, depois uma cervejinha, um baseado…”, diz o psiquiatra André Malbergier, da Universidade de São Paulo. Segundo essa visão, qualquer tolerância ao uso da maconha provocaria, de imediato, um aumento do consumo, alargando a porta de entrada a que se refere o psiquiatra Malbergier.
    […]
    O tráfico tem a maconha como seu produto mais vendido, embora menos lucrativo que a cocaína e o crack. Tráfico que sitia partes de cidades, arregimenta jovens para o crime, decreta toque de recolher, substitui o estado e abre portas para outros tipos de delito, como tráfico de armas, sequestro, homicídio e roubo de carros. Em suma, quem fuma maconha está ajudando a movimentar a roda do crime. Ela é também um problema de saúde pública. Pelo menos 6% dos usuários se tornam viciados. É menos que o álcool (15%) e a cocaína (40%), mas o índice não pode ser desprezado. No período de uso intenso, há alteração da memória e da capacidade de concentração. Se for muito utilizada na adolescência, pode antecipar transtornos psíquicos. “Em meu consultório, atendo garotos que perderam o controle. Como acham que a maconha não traz problemas, eles usam de manhã, de tarde e à noite. Saem do eixo, deixam a escola”, alerta Arthur Guerra.

  4. Quando Jesus ditou a carta que João deveria enviar a igreja de laodicéia, ele disse: Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, eu entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele comigo. (Ap: 3-20). Esse alerta de JESUS a essa igreja e mais forte que imaginamos, pois nessa época no médio oriente não se tinha o habito de bater a porta de uma pessoa, a não ser em extrema necessidade. Pois quando uma pessoa chegava à casa de outra, ela anunciava que estava ali em alta voz, e só assim a pessoa La dentro vinha, atende-lo ou não. Quando a pessoa chegava ao ponto de bater, na porta do outro era porque, algo muito grave tinha acontecido ou porque o perigo estava chegando e a situação era de emergência. É Jesus disse aquela igreja que ele estava batendo a porta, nisso dava para aquele povo entender que a situação deles era mui grave, e Jesus precisava entrar ali para salva-los. E a igreja nos dias de hoje tem vivido situação semelhante, a de laodiceia. ESSA cidade laodiceia antes se chamava Dióspolis que significa cidade de DEUS, e um homem chamado Antioco ll theos, após a ter conquistado mudou o seu nome para laodiceia, em homenagem a sua esposa que se chamava Laodice. Então a cidade que outrora se chamava Dióspolis cidade de DEUS, agora passou a se chamar laodiceia que significa julgamento do povo ou o povo que julga. Infelizmente, a igreja hoje parece estar vivendo a mesma situação, pois a igreja que antes fazia de tudo para atender a voz de DEUS, e aceitava ser julgada por DEUS, hoje já preferem ouvir o julgamento do povo, pois procuram fazer de tudo para agradar mais o povo do que a DEUS, tanto que hoje já ouvimos a expressão; tem igreja para todo gosto! Igreja que quem julga o que é certo ou errado é o povo e não o Espírito Santo. Mas essa igreja laodiceia onde quem julga é o povo, JESUS esta do lado de fora dela, Mas pela misericórdia de DEUS, ele esta batendo a porta querendo entrar, mostrando que a situação é urgente, e que ele quer mais do que tudo salva-la. Derrepente isso também esta acontecendo com você em particular, pois você que outrora era governado por DEUS, vem deixando o orgulho, lhe governar, o seu eu , a sua carne, e a sua vontade própria e que tem decidido, o que e melhor para você. Mas saiba que JESUS, mais que uma mãe desesperada para entrar em uma casa incendiada pelo fogo, para salvar seu bebe, Ele JESUS esta a porta batendo querendo entrar para lhe salvar, e cear contigo e lhe dar vida nova.

    • TEMOS IGREJAS EVANGÉLICAS COMANDADAS POR SURFISTAS, IGREJAS EVANGELICAS COMANDADAS POR GAYS, POR LÉSBICAS, POR UM TAL CULTO DAS PRINCESAS, IGREJAS EVANGÉLICAS COMANDADAS POR ROQUEIROS, ETC… AGORA TEREMOS UMA IGREJA COMANDADA POR DROGADOS.

  5. unica explicação razoavel seria para acabar com o trafico e manter um controle sobre os drogados, diminuiria em muito os crimes, titando isto estes pastores tem grande problema

      • verdade realmente corremos este perigo mas contrario com certeza o narco trafico também perderia força, o governo arrecadaria mais e poderia investir mais em saude e segurança, o crime organizado perderia força com certyeza

  6. Lamentável, será que estes pseudos pastores tem dimensão da descriminalização das drogas ?, creio que não, se tivessem as perspectivas futuras da causa ora abraçada, jamais entrariam neste barco furado.

    Que uma revolução gramsciana esta em curso não há mais dúvida, e as drogas fazem parte desta agenda “cultural”, como em toda revolução existem sempre os idiotas úteis (inocentes).

    A liberação das drogas logo acontecerá, disto ninguém tenha dúvidas, deste o foro de São Paulo em 1992, com a participação do Sr. LULA, com toda a esquerda da América Latina, com participação marcante das principais lideranças das FARCS, e todos o grupos terroristas assassinos esquerdista, que ninguém ouse duvidar que a liberação das drogas é compromisso nacional.

    Sendo assim vale lembrar aos desavisados que no dia que as drogas forem liberadas, elas necessariamente serão fabricadas pelas FARCS a qual detém a expertise e o know-how deste produto.

    Aqui nas terras tupiniquins os distribuidores serão os próprios bandidos já conhecidos da população.

    Se não for assim como escrevi acima, haverá guerra pela distribuição do entorpecente, além do fato que em todo o comércio sempre haverá o seu paralelo.

    Portanto os inocentes úteis (Fernando Henrique, os pastores, etc), estão trabalhando não para interesses nacionais mas para interesses obscuros para a maior parte da população.

    Em relação ao ex presidente Fernando Henrique, ele não é exatamente um inocente útil, pois este homem é o maior estrategista gramsciano do nosso país, além de porta voz do CFR; portando nesta história ele sabe muito bem o que esta fazendo.

    Se dúvida do que falo, consulte o site midiasemmascara, no menu suspenso procure por “arquivo” e atas do foro de São Paulo; toda a agenda esquerdista esta documentada.
    Acorda Brasil
    MARANATA

  7. Primeiro,

    Que o mundo está sendo arrastado para um buraco só por causa da droga, isto está, mas tudo sob o domínio de leis que proíbem, mas hoje totalmente ineficazes, a não ser que se execute os traficantes e os usuários como fazem alguns países totalitários.

    Enquanto não se consegue meios medicinais para a cura dos viciados e dos usuários, que se garanta um uso regulamentado, não legalização em si.

    Mas como? O mesmo que o Brasil fez com o Jogo, pois sabiamente o regulamentou, por consequência acabou o desconforto das famílias dos viciados, exceto o jogo do bicho, que dele resultou boa parte da criminalidade que permeia o Rio.

    Sim, o pais proceda grande levantamento dos usuários e viciados, evidente com exames de sangue, daí o estado forneça gratuitamente, de forma ordeira, moderada e acompanhado por profissionais que não apenas lidarão com as crises pelo uso como trabalharão psicologicamente induzindo a abandonar o vício.

    O estado produza em terras públicas previamente determinadas para o cultivo, evidentemente com cultivo e transporte apenas por servidores públicos.

    O fornecimento gratuito aniquilará em prazo rápido o tráfico e suas consequências, podendo o estado suspender a pena dos atuais apenados por força do tráfico, perdendo este benefício se retornar ao tráfico, se bem que não terá mais consumidores, podendo os recursos serem canalizados pra formar as estruturas médicas de apoio ao doente(viciado e usuário).

    Quem manter cultivo de alucinógenos em área própria, seja em casa ou terras, responderá pelo cultivo e comercialização, pois somente o estado tem o direito de manusear, algo muito parecido com o sistema bancário, o único com prerrogativa de conceder empréstimo, os demais, agiotas, portanto passíveis das penalidade legais.

    Todos os países assim agindo, pode-se pensar e sonhar em paz.

    • Mesmo regularizando, o tráfico continuará, pois a grande maioria q está envolvida nisso (traficantes e usuários) vivem a margem da lei, ñ são de respeitar qq tipo de regulamento ou lei q autorize tal coisa… O q veremos é a situação piorar! Ñ podemos pegar o exemplo de países de 1 mundo e colocar para nós aki. A mentalidade do povo é totalmente diferente (ñ dizendo q sejam melhor do q nós)… Fornecimento gratuito é uma coisa q nem podemos discutir! Como o estado vai combater a ilegalidade dando ao usuário a matéria dessa mesma?

      • Irraimundo,

        Lembra-se quando linhas telefônicas eram caras e muitos eram ricos com a compra, venda e locação?

        O governo satisfizendo o viciado no limite exato, racionalmente, com responsabilidade, critério rígido e educativo, quem haverá de procurar os fornecedores? Assim vai acabar a extorsão do viciado aos parentes por dinheiro ou roubar pra adquirir das mãos de bandidos.

        Ora, se piorar, revoga-se a lei. O que não pode é essa guerra civil em nível de mundo onde morrem os usuários, traficantes e quem não tem nada haver como as pessoas do povo e grande número de militares, enriquecendo a governantes que fecham os olhos para as festas onde corre solta a droga, as escolas totalmente dominadas, em síntese, ponto a ponto do mundo sofrendo com isso.

        Quando Deus planejou a redenção via morte de cruz, é que Ele queria vê a morte, por exemplo, de seu filho, Cristo?

        Claro, que não. Fez isso em face de que essa era a linguagem que a gente conhecia, aliá até hoje muita gente executa inocentes oferecendo sangue como forma de agradar aos seus deuses.

        Outro exemplo que nós fazemos de modo parecido é o veneno da cobra como forma de nos curar do envenenamento da picada.

        • Levi Não é dando veneno para quem quer suicidar que vai resolver o problema e sim tirando o veneno do alcance da pessoa, não é liberando a droga que vai diminuir o usuario isso irá aumentar, pois trabalho incentivando dependente quimico a internar para tratamento, o que tem surtido efeito. por ter pessoas que rouba vai liberar e não reprimir o roubo. Deus Abençoe.

          • Ruy,

            Qualquer um se escandalizava em passado recente quando se ouvia que mães ensinavam as filhas a usarem anticonceptivos e camisinhas ante a possibilidade de estupros ou da possível iniciação sexual, tudo para evitar gravidez indesejada.

            Aí a pergunta, será que as mães estavam sendo irresponsáveis ou realistas?

            Meu caro,

            Tratamento a viciados sem medicamentos que evitem os dissabores da abstinência é inoperante, e do que se sabe inexiste no mercado ainda.

            É que a comunidade médica prega da não suspensão imediata de medicamentos a pacientes com fragilidade psíquica, pois causa efeitos colaterais por falta do princípio ativo no organismo do paciente.

            Por inteligência, tais clínicas deveriam possuir certa quantidade de drogas para fins de ministra-las durante o tratamento, pois a lei permite o uso quando para fins científicos, mas por medo ou ética demais não fazem uso, consequentemente engodo e desrespeito ao direito do consumidor.

            Temos que nos desarmar, meu caro, deixar de olhar de banda, deixar de sermos hipócritas.

          • Levi; Não é dando droga que se trata de dependente quimico e sim tirando do meio da mesma e tratando da espiritualidade, em reunião representante Governamental reconheceu que o trabalho executado pelo governo não tem surtido efeito como as casas onde trata a espiritualidade. o que o dependente precisa é atenção e ocupação, e não droga isso ele ja consegue nas ruas. Deus Abençoe.

          • Ruy,

            Você já falou que não é dando drogas.

            Meu caro, quem dar as drogas para os nossos filhos nas escolas são os coleguinhas deles com a mesma idade, treze e quatorze anos.

            O problema é que depois dos nossos filhos serem maculados por quem somente faz isso por ganância, por dinheiro, nossos filhos, pobres ou ricos, ficam comprando depois a eles, e é aí que a sociedade paga o preço, perde a paz.

            A minha sugestão é usar de sabedoria, a não ser que você tenha algo que nos tire da escravidão das drogas, pois tudo hoje em termos de crime está diretamente ligado ao uso e tráfico.

            Enquanto o estado faz o que sugiro, é dada assistência psicológica, social e religiosa, não é apenas o que você falou, pois a questão não é apenas social, pois filhos de pais financeiramente bem, também fazem uso de drogas, aliás nas festas e noutros momentos. Estude o assunto melhor, meu caro, não é simples.

            Simples é ficar fazendo o mesmo sem ter eficácia, um ou outro que consegue sair disso, a exceção da exceção enquanto milhares são mortos, milhares são presos.

            O estado pode pegar todo o dinheiro do SUS pra isso que mesmo assim também não resolve, pois quando cura um, adoece cem. Basta de ingenuidade.

            Você quer que seja permitida a comercialização? Eu não me sinto á vontade vê tal mercadoria nos supermercados ou farmácias, muito menos receber dinheiro na forma de impostos do sofrimento de quem é viciado. Outra coisa, vamos comprar de quem, lá da Colombia?

            Também não se pode permitir que seja cultivada em casa, pois é de perigo mais que conhecido.

            Vá com calma.

          • Levi. você não entendeu ou não quer entender minha tese, não disse que tem que liberar drogas sou contra a liberação pode ver no meu comentario. o que tem que fazer é punir tanto o traficante como o usuario, essa lei que existe é ipocrisia pode usar e não pode vender, o certo é não poder vender e nem usar, os usuarios zombam da Lei. Lê o que escrevi com atenção para não interpletar do jeito que você quer houvir. pois tenho lutado para evitar que as peçoas venha usar as drogas e o que ja usa tiralo desse vicion. Deus abençoe

  8. TEMOS IGREJAS EVANGÉLICAS COMANDADAS POR SURFISTAS, IGREJAS EVANGELICAS COMANDADAS POR GAYS, POR LÉSBICAS, POR UM TAL CULTO DAS PRINCESAS, IGREJAS EVANGÉLICAS COMANDADAS POR ROQUEIROS, ETC… AGORA TEREMOS UMA IGREJA COMANDADA POR DROGADOS.

    • É isso aí, meu irmão.

      No ministério de Cristo, ou seja, entre os seus discípulos tinham ladrão, homicida, prostituta, mentiroso, descrente, ganancioso, suicida, afinal ele veio pra doentes. Quem foi que disse a você que era tudo lindo e maravilhoso?

      Você é direito, por ser assim vai direto para o céu, não precisando de Cristo, mas se continuar com esses julgamentos, vai ter que se curvar à cruz de Cristo, pois mentiroso, hipócrita, denegridor, apontador, desfazedor, implicante, é acho que vc precisa de um banho de sangue que flui da cruz de Jerusalém, se não a condenação é certa.

  9. Esse pessoal quer viver em paz com Deus e com o diabo..Esse trabalho é de governo e não da Igreja de Jesus.O PT agradece essa oportunidade de poder tirar o corpo e jogar em cima dos Cristãos.O nosso dever com Jesus é de anunciar o Evangelho, a mudança de vida vem a partir da conversão de cada um , independente da situação que ele se encontre.A citação desses fariseus está fora de contexto.O que voces querem é ser pioneiro, isto não é novidade.Fernando Henrique e outros já propuseram isso.A ação do Evangelho é mais rápida e sem custo.Jesus está chegando.

  10. Olha que mais de 70% dos pastores ali na relação; são pastores batista ,presbiterianos ,metodistas , principalmente este Pastor Ariovaldo Ramos, este é um comunista trabalhando a igreja para engolir as idéias esquerdistas e agenda Gay, tudo que contraria a palavra de DEUS este Ariovaldo está encabeçando estes assuntos, descem a lenha na igreja pentecostal nos chama de povo sem cultura e atrasados por não concordar com o que eles defendem !.
    As igrejas tradicionais ja ja estarão desacreditada , ex: presbiteriana , batista , metodista , luterana , essa está qualhada de esquerdopatas.

  11. São pais e mães cansadas de buscar seus filhos na cadeia, enquanto os verdadeiros bandidos, os traficantes, ficam soltos na rua para viciarem mais e mais jovens !!!!!!

  12. São pais e mães cansadas de buscar seus filhos na cadeia por causa de uma baseadinho, enquanto os verdadeiiros bandidos, os traficantes, ficam soltos na rua pra viciar mais e mais jovens !!!!!!

  13. Estes (as) se caírem no mar, durante uma tempestade jamais afundarão. Óbvios os motivos. São pastores, pastoras? – onde? quando? – são sim asseclas de satanás em sinagogas satânicas, com toda certeza. Alguns ainda ousam se dizerem batistas, presbiterianos, metodistas. Dever ser,naturalmente, todos ” renovados”. Os restantes pentecas oriundos todos da casa rebelde. É sendo assim, plenamente aceitável a proposição…

  14. aff esses ditos pastores ao invez de estarem se preocupando em pregar a palavra de Deus…em tirar as pessoas do vicio …tao se preocupando com a liberaçao da maconha…se ainda proibida os maconheiros ja fuma na frente de td mundo… imagine entao se liberar geral… vamos tds ficar na noia por tabela…eu sei se eles perceberam mais aqui nao e pais de primeiro mundo nao onde existe os fumodromos deles …aqui vai ser na rua mesmo …dentro das casas…eu nao suporto nem a fumaça catinguenta do cigarro… imagina da maconha …sem noçao esses pastores

  15. Quem disse que o título de “pastor” hoje significa obediência à Palavra de Deus???? Um exemplo são os que se dizem pastores e pregam que a homossexualidade é aceita por Deus. Infelizmente esses serão mais uma turma para manchar a imagem da igreja evangélica brasileira. Mas, como eu disse, o simples fato da pessoa se entitular pastor não lhe dá autoridade ou representatividade da vontade de Deus. É preciso ver o estilo de vida e obediência da pessoa para depois dizer se realmente é ou não um servo de Deus. É pelos frutos que se conhece a árvore. Se defende liberação de drogas, logo presumo que todos esses nomes aí não são ovelhas, mas lobos. Lamentável!

  16. Sou pastor e teólogo…. misericórdia… Trabalho em dois centros de recuperação um fundado pela minha igreja…. Não creio que estes pastores trabalhem diretamente com o problema… Se comprar nos becos escuros já está esta grande epidemia imagina comprar crack na farmácia…

  17. Esses pastores são iguais a Deus.

    É que Deus ao criar um plano redentor, o fez com pilastras num homicídio e da pior forma possível, é que Ele gostava de fazer os outros sofrerem, ou seja, Deus é masoquista, em especial quando introduziu o próprio filho.

    Vou falar mais nada não, quem quiser que leia abaixo dois comentários que fiz, aí venham e critiquem-me, pois de santo de meia tigela, santo de meio burro, santo ingênuo, santo falador, santo meio idiota, santo desorientado e que não consegue vê além do nariz, o mundo tá cheio, e aqui embaixo se vê muitos.

    Leiam o que escrevi, e venham com força total, prometo não deixar um argumento sequer de pé, pois rebaterei a todos.

  18. UMA COISA É VC LIBERAR O USO DAS DROGAS, COMO É O CASO DAS DROGAS LICITAS TIPO: CIGARRO, BEBIDAS A BASE DE ALCOOL, OUTRA COISA É ABRIR ESPAÇO PARA OS QUE QUEREM SE TRATAR TER CLINICAS ESPECIALIZADAS PARA PROVER A CURA DESTAS DROGAS SEJAM LICITAS OU NÃO, EU PARTICULAMENTE NÃO CONCORDO COM A LIBERAÇÃO, ASSIM COMO REPROVO AS LICITAS, POIS NO FINAL DAS CONTAS QUEM PAGA O TRATAMENTO E A APOSENTADORIA DE TODOS QUE OPTARAM PELO USO É A SOCIEDADE, E O CUSTO É ALTO, TODOS OS USUARIOS DE DROGAS LICITAS DEVERIAM PAGAR MAIS CARO, OU PAGAR CLINICAS PARTICULARES POIS NO FINAL DO QUE SE QUEIXA O HOMEM? QUEIXE-SE DOS SEUS PRÓPRIOS PECADOS, QDO SE DIZ: A VIDA É MINHA E NINGUEM TEM NADA COM ISTO, OU O DINHEIRO É MEU E NINGUEM TEM NADA COM ISTO, OU DIZEM: NÃO ESTOU FAZENDO MAL PARA NINGUEM, ETC….. ESTÃO DIZENDO QUE TAMBÉM DEVEM ASSUMIR PAGAR DOS SEUS PRÓPRIOS BOLSOS O CUSTO DE SUAS APOSENTADORIAS POR QUESTÕES DE SAÚDE PROVINIENTE DO USO DAS DROGAS LICITAS OU NÃO, ASSIM COMO OS QUE APROVAM QUE EMPRESAS DO SEGUIMENTO TENHAM LIBERDADE DE FABRICAREM E COMERCIALIZAR DEVERIAM REFLETIR SOBRE O FATO QUE A SOCIEDADE NUM TODO NÃO RECEBER NENHUM BENEFICIOS DESTAS EMPRESAS, POIS OS TRIBUTOS QUE ELAS PAGAM NÃO CHEGA NEM PERTO DA DESGRAÇAS QUE PROMOVEM NESTA NAÇÃO, ASSIM COMO O ALTO CUSTO PARA SE TRATAR UM DEPENDENTE, TEM QUE ACABAR COM ESTAS INDUSTRIAS, OS QUE NELAS TRABALHAM, TRABALHAM PELA MISÉRIA DO PAIS, POIS OS SEUS SALÁRIOS SÃO CORROIDOS PARA TRATAR OS MESMOS, ENQUANTO SE FOSSE INVESTIDO NA EDUCAÇÃO, NO ESPORTE, NA FAMILIA, NA SOCIEDADE NUM TODO, O DINHEIRO GASTOS PARA TRATAR ESTES DEPENDENTES, TODOS SAIRAM GANHANDO, DESCULPE-ME SE AGRADEI, POIS É MINHA OPINIÃO. QTO AO TRABALHAR PARA TAIS INDUSTRIAS, PODEM MUITO BEM APRENDEREM OU DIRECIONAR OS CONHECIMENTOS PARA UMA ARÉA MAIS NOBRE.

    • Pastor,

      No final da década de sessenta, meus irmãos mais velhos se envolveram com drogas.

      Eles não tinham opinião formada nem sobre eles mesmos, imagine do mundo como o senhor julga e até acho que em parte tem, sabe o porquê? Eram adolescentes de treze e quatorze anos, dentro da escola, tudo levado por quem queria ganhar dinheiro com eles, coisa que não mais existiria se o estado, depois de detectar os usuários, fornecesse de forma respeitosa com vistas a duas coisas, não vê seu filho morrendo por overdose, não vê seu filho roubando pra comprar drogas, não vê seu filho usando drogas trazidas dentro das partes íntimas e até de estômagos, e geralmente misturada com produtos outro pra dar volume e ganharem mais dinheiro,

      Pastor, a maior parte que se droga não saiu de casa dizendo que naquela data ia iniciar, sim foram induzidos por colegas que pra manter o vício atuam na busca de mais clientes, apelando pra macheza, nas festas com suaves palavras, nas balas vendidas defronte às escolas, nas festas depois de tomarem algum gole de bebida e portanto meio ou totalmente bêbados.

      Pastor, a prova de que é sério é tanta, que são poucos os que estão nas igrejas como resultado da palavra. pois por lesarem o cérebro muitos não a compreendem, tornaram-se loucos, em verdade estão nos cemitérios e ainda na droga trazendo saudades e angústias para os pais e filhos, entendendo o senhor que são tais pessoas, de acordo com a lei penal, enfermas, e do que se sabe não se deve dar as costas, mas tudo fazer pra curar, arrebatar, coisa que nem sempre só a palavra e nem sempre a autoridade dar jeito, precisa que nos ponhamos no patamar em que se encontram, depois subirmos com eles, aliás igual a Cristo quando visitou e fez refeições com os pecadores, tendo inclusive aceitado presente na forma de perfume comprado com dinheiro da exploração sexual dela. Cristo, em vista disso, concordou e se teve apreço em receber algo com essa mácula?

      Pastor, Cristo morreu pela gente sabendo que éramos pior do que essa gente que o senhor despreza, que o senhor não quer se sentar para arranjar um meio de salvá-la.

  19. Mais uma vez estamos vendo pessoas que se dizem pastores, frustrados por não conseguir ser usado por Deus pois seus atos não condiz com o verdade que é a palavra de Deus, Passam ser usado pelo satanaz. Deus chamou Moisés ao monte para passar orientação a Moisés as Leis para o povo seguir. o povo viu que Moisés estava demorando pediu que Arão fizesse um Deus para eles, por não esta firmado em Deus ouviu o povo fazendo um bezerro de ouro para ser deu. isso trouxe uma consequencia muito grande para o povo. isso tem acontecido com esses que se intitulam pastores não tem a direção nem conhecimento da vontade de Deus querem aparecer então começa a fazer deus de ouro para agradar e enganar o povo. Observe o que Pedro disse não tenho prata nem ouro mas o que tenho te dou em nome de Jesus Levanta e anda e o coxo andou. Hoje tem varias pessoas que tem prata e tem ouro mas não tem comunhão e nem o poder de Deus, Deus Abençoe

    • Ruy,

      Quando Deus mandou Cristo, e este disse que Deus perdoaria quantas vezes a gente pecasse e se arrependesse, será que Deus estava estimulando o cometimento de pecados, a pecar mais, a ficar a vontade?

      Os pastores, embora sem procuração deles e sendo este o meu intuito, quando esses pastores falam numa suposta legalização, será que estão querendo o pior para o Brasil, para a humanidade?

      Vamos deixar de ser hipócritas, afinal estamos julgando com essa medida o próprio Deus, afinal percebendo que os meios usados de repressão do pecado não tinham surtido os efeitos, do contrário o diabo inseriu culpa nos corações das pessoas pelo muito pecar, a ponto de cometer suicídios, a se mutilar, a se desesperar, mandou Cristo pregando paz, pregando arrependimento, pregando que Deus é amor, que Deus é misericordioso.

      Ora, será que esses pastores buscam o degradar total da sociedade?

      Lembro da primeira vez que ouvi recomendação médica de banho pra diminuir febre, ou seja, o inverso, afinal se usava colcha quente, muitos lençóis.

      A sociedade está sofrendo com tantos drogados, aí vem esses pastores com uma mensagem sutil, estendedora de mãos, não discriminadoras, não repelentes ao usuário, aliás é a coisa que mais fazem, denegar o uso, coisa que não mais aconteceria se pastores tomassem à frente, e depois, juntos com a famílias e o estado, encontrarem um meio de solucionar quem tem está dominado pela pílula do diabo.

  20. Faltou apenas as assinaturas dos traficantes e dos integrantes da marcha da maconha na relação da manifestação. As drogas sejam elas lícitas ou ilícitas causam problemas familiares, sociais e outros males e deve ser combatido. Descriminalizar os usuários de drogas ilícitas é um tapa no rosto da sociedade, basta verificar os valores citados por um respeitável jornal em 2010; Tráfico de drogas fatura R$ 1,4 bilhão por ano no país. No mercado interno, a venda de cocaína, maconha, crack, ecstasy e heroína movimenta o suficiente para comprar 13 bancos Mercantil do Brasil, 19 fábricas de brinquedo Tectoy ou 13 refinarias de petróleo Manguinhos, tomando como referência o valor de mercado dessas empresas no fim do ano passado (2009). Não há como ignorar que o usuário é um dos patrocinadores do crime no país, se não há comprador não há fornecedor. Pois a droga é o combustível do crime, é atraves desses bilhões de reais que é comprado as armas de guerra que matam inocentes diariamente exibido nos telejornais. Assim como o receptador de carros roubados é um crimonoso perante a lei, assim também deve proceder em relação ao usuário e pequeno traficante. Infelizmente vivemos uma era de apostasia e inversão de valores.Lc 14.34 Bom é o sal, mas, se ele degenerar, com que se adubará?
    Para o triunfo do mal só é preciso que os bons homens não façam nada.
    Edmund Burke

    • Caro, a liberação da maconha jamais será apoiada pelos traficantes. eles são o que são justamente por que a droga é proibida. Aí vc me diz: “ah, mas as outras dorigas continuarão sendo traficadas”. É verdade. Mas vá em qualquer boca e pergunte qual a droga que mais vende e mais dá lucro pra eles? MACONHA. Aqui no Brasil e no resto do mundo.

      • São tão absurdos e cheios de preconceitos obtusos os argumentos contra a maconha que fica claro que os contra são contra porque não querem deixar a ignorância e o desconhecimento. Tem um bloco de cimento no lugar do cerébro.
        A Maconha é uma planta. Uma erva. Foi proíbida por unica e exclusivamente questões de ordem política e financeira há cerca de cem anos. Existe há pelo pelo mais de 1500 anos. E utilizada por todos os povos dessas eras.
        Nunca ninguem morreu por overdose de maconha. Nunca ninguem ficou doidão e saiu matando por causa de maconha. E não é a maconha que destroí lares. o que os destrói é a ignorancia e preconceito, que não abre brechas para o dialágo. Indenpendente dos beneficíos medicinais cientificamente comprovados dos componentes da canabis sativa (vulgo maconha), não possuí capacidade de destruír cerebros e fisicos. O relaxamento leva ao desistimulo de estudar, trabalhar? Sim; Tanto quanto tudo o que for usado ou feito em excesso. Seja beber em excesso, comer em excesso, transar em excesso, até ficar o dia inteiro orando; Pois ninguem vai ter mais tempo para fazer outra coisa. Maconha abre portas para outras drogas pesadas? Mentira. Abre tanto quanto comer uma banana abre a porta para comer uma melancia. Permitir-se ler, pesquisar seriamente sobre a historia da canabis, de onde surgiu, por que proíbiram, seus efeitos, etc… é dar espaço ao conhecimento. Remédios são drogas potentes e matam. Alcool e cigarro idem. Comida errada idem. Sedentárismo idem. Ignorância idem.

      • São tão absurdos e cheios de preconceitos obtusos os argumentos contra a maconha que fica claro que os contra são contra porque não querem deixar a ignorância e o desconhecimento. Tem um bloco de cimento no lugar do cerébro.
        A Maconha é uma planta. Uma erva. Foi proíbida por unica e exclusivamente questões de ordem política e financeira há cerca de cem anos. Existe há pelo pelo mais de 1500 anos. E utilizada por todos os povos dessas eras.
        Nunca ninguem morreu por overdose de maconha. Nunca ninguem ficou doidão e saiu matando por causa de maconha. E não é a maconha que destroí lares. o que os destrói é a ignorancia e preconceito, que não abre brechas para o dialágo. Indenpendente dos beneficíos medicinais cientificamente comprovados dos componentes da canabis sativa (vulgo maconha), não possuí capacidade de destruír cerebros e fisicos. O relaxamento leva ao desistimulo de estudar, trabalhar? Sim; Tanto quanto tudo o que for usado ou feito em excesso. Seja beber em excesso, comer em excesso, transar em excesso, até ficar o dia inteiro orando; Pois ninguem vai ter mais tempo para fazer outra coisa. Maconha abre portas para outras drogas pesadas? Mentira. Abre tanto quanto comer uma banana abre a porta para comer uma melancia. Permitir-se ler, pesquisar seriamente sobre a historia da canabis, de onde surgiu, por que proíbiram, seus efeitos, etc… é dar espaço ao conhecimento. Remédios são drogas potentes e matam. Alcool e cigarro idem. Comida errada idem. Sedentárismo idem. Ignorância idem.

  21. O que é isso gente? estou chocado, em 20 anos de evangelho e vendo pastores e igrejas apoiando a descriminalização das drogas! o viciado e doente de hoje, foi desobediente ontem, é consequência do pecado, e a entrada das drogas no Brasil e sua proliferação é por causa da corrupção e não por causa da criminalização das drogas.

  22. O que é isso gente? estou chocado, em 20 anos de evangelho e vendo pastores e igrejas apoiando a descriminalização das drogas! o viciado e doente de hoje, foi desobediente ontem, é consequência do pecado, e a entrada das drogas no Brasil e sua proliferação é por causa da corrupção e não por causa da criminalização das drogas.

  23. Lideres ?
    A palavra do Senhor relata Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas edificam (1 Coríntios 10:23)
    A palavra do Senhor relata sobre pecado .
    E Deus abita no pecado ?
    Quem usa , depende e trafica esta com Cristo ???
    Poxa Jesus esta voltando ! Existem coisas que evangélico não tem que se enfiar.

    • Achei seu comentário importante Maison.
      a ultima frase evangélicos não tem que se enfiar nestes assuntos, concordo.
      Ontem estava ouvindo uma pregação e falava sobre sermos radicais, o pregador
      comentava que existe vários grupos formados que são radicais não aceitam mesmo outra forma de ser, porém nos evangélicos com as criação de varias igrejas hoje em dia que ao meu pensar são pessoas que não aceitam regras e montão igrejas com regras próprias ou seja do próprio homem, deixamos de lado nossa identidade Evangelística deixamos de cumprir o IDE e infelizmente da nisso ai. NÃO VI NESTE MANIFESTO nenhum amparo bíblico, citar apenas um versículo e se basear nele é tolice. engraçado que também não vi ninguém ai preocupado com os usuários, deveriam tomar como exemplo o Trabalho que a Igreja Batista faz na Cracolândia, nosso dever é resgatar vidas. Pastores regras leis foram feitas para ser cumpridas e o ser humano com regra e leis já apronta imagine vocês se não existissem. Nos precisamos mostrar a essas pessoas e conscientiza-las a não usar, auxiliar, ter oficinas em nossas próprias igrejas, orar com elas. Duvido se chegar uma pessoa suja fedendo viciada em uma igreja ela será bem recebida. nos precisamos amar as pessoas e não o pecado este é o exemplo que Cristo nos deixou,o que precisamos mesmo e orar mais e pedir a Deus direção, pois ele é o caminho a verdade e a vida.

  24. Humberto Costa – pastor batista, coordenador projeto Cristolândia São Paulo

    Esse cara sabe do está falando, se tem alguém que convive com as drogas diariamente e sabe dos problemas causados pela proibição é esse. Ele está no submundo das drogas pregando o evangelho ao contrário de muitos aqui que estão xingando e se acham mais crentes do que esses pastores que vivem para pregar o evangelho e se cagam de medo e nojo ao chegar perto de alguém que necessita tanto ouvir do amor de Deus. Drogas são problemas de saúde e não me importo se meus impostos vão para o tratamento desses dependentes, não mesmo, prefiro que seja assim do que nos bolsos de pastores que só se importam com o dinheiro e claro nossos queridos políticos que não se importam nem um pouco com a população. A proibição das drogas é uma guerra étnica e socioeconômica. a proibição gera um sistema de lucro que começa desde o mula até o politico que se embebeda e enche o nariz de pó ao final do dia.

  25. aos caros amigos que se dizem pastores…peço que retirem suas bundas das cadeiras e das tribunas e venham viver um dia no meio das ruas e dos patrocinadores do crime organizado, pois é isso que são.
    deixo uma dica vão orar e peguem eles levem para suas igrejas preparem um lugar propio para o uso de drogas e coloquem todos no roll de menbros de suas congregaçoes.

  26. A intenção é boa! Mas surge uma dúvida, com o grande governo ineficaz e incompetente na área da saúde, não seria parecido com a idéia de legalizarmos a pena de morte no Brasil? onde serviria pra matar mais inocentes do que culpados? Ou será que a igreja não tem um modo mas eficaz de ajudar e prefere entrar em uma onda que o Brasil ainda não tem a menor condição de pegar? Desfecho da situação como sempre, o governo terminará jogando inteiramente a responsabilidade pra os outros. Lembrando quem usa drogas é escravo delas e também de quem as fornece, pela situação deprorável que vivem, sendo obrigados a se sustentarem na esmagadora maioria das vezes de forma marginal. A situação é: não vamos acabar com o problema, porque o nosso governo não tem capacidade de acabar com a causa, e prefere atacar o efeito, e até agora sem sucesso.

    • Caríssimo, o senhor está enganado. O medo está tomando seu coração e cegando-o para a realidade. Se informe, parece uma “imensa maioria” porque o medo põe uma lente de aumento em seus olhos

  27. A Maconha nunca matou ninguém mas sua proibição aniquilou milhares de vidas!!! Marisa Lobo saia de seu escritório e vá para as ruas. Chega de mentira sua assassina!!! Vc é uma assassina sim!!! Pois tem condição de verificar a mentira que vc esta defendendo. Chega de guerra. Vc quer acabar com o mato com as armas, o que acontece: GUERRA!!! Chega disto, chega de ignorância e interesses mesquinhos. Problemas com drogas devem ser tratados com medicina ou com religião. Nunca com a Polícia Militar ou armas. Chega de hipocrisia e mentira. Isto esta causando muitas mortes e vc MARISA LOBO compactua e defende PUBLICAMENTE estas mortes. ASSASSINA!!!

  28. Será que esses que se dissem pastores , não leram essa matéria, não ou melhor que Bíblia que é a deles, é um absurdo, imagino que eles ensinam aos seus fiéis, e como evangelizar e libertar alguém das drogas, eles não querem é mais serem pastores ter trabalho e largar as 99 e buscar as perdidas, querem só ganhar dinheiro com a falto cristianismo, um bando de falto pastores , lobos em pele de cordeiros, que enganariam até os da mesma fé.

  29. Baruch Spinoza: DEUS SEGUNDO SPINOZA “Pára de ficar reza…
    DEUS SEGUNDO SPINOZA

    “Pára de ficar rezando e batendo o peito! O que eu quero que faças é que saias pelo mundo e desfrutes de tua vida.
    Eu quero que gozes, cantes, te divirtas e que desfrutes de tudo o que Eu fiz para ti.

    Pára de ir a esses templos lúgubres, obscuros e frios que tu mesmo construíste e que acreditas ser a minha casa.
    Minha casa está nas montanhas, nos bosques, nos rios, nos lagos, nas praias. Aí é onde Eu vivo e aí expresso meu amor por ti.

    Pára de me culpar da tua vida miserável: Eu nunca te disse que há algo mau em ti ou que eras um pecador, ou que tua sexualidade
    fosse algo mau.
    O sexo é um presente que Eu te dei e com o qual podes expressar teu amor, teu êxtase, tua alegria. Assim, não me culpes por tudo
    o que te fizeram crer.

    Pára de ficar lendo supostas escrituras sagradas que nada têm a ver comigo. Se não podes me ler num amanhecer, numa paisagem,
    no olhar de teus amigos, nos olhos de teu filhinho… Não me encontrarás em nenhum livro!
    Confia em mim e deixa de me pedir. Tu vais me dizer como fazer meu trabalho?

    Pára de ter tanto medo de mim. Eu não te julgo, nem te critico, nem me irrito, nem te incomodo, nem te castigo. Eu sou puro amor.

    Pára de me pedir perdão. Não há nada a perdoar. Se Eu te fiz… Eu te enchi de paixões, de limitações, de prazeres, de sentimentos,
    de necessidades, de incoerências, de livre-arbítrio. Como posso te culpar se respondes a algo que eu pus em ti?
    Como posso te castigar por seres como és, se Eu sou quem te fez? Crês que eu poderia criar um lugar para queimar
    a todos meus filhos que não se comportem bem, pelo resto da eternidade? Que tipo de Deus pode fazer isso?

    Esquece qualquer tipo de mandamento, qualquer tipo de lei; essas são artimanhas para te manipular, para te controlar,
    que só geram culpa em ti.

    Respeita teu próximo e não faças o que não queiras para ti. A única coisa que te peço é que prestes atenção a tua vida,
    que teu estado de alerta seja teu guia.

    Esta vida não é uma prova, nem um degrau, nem um passo no caminho, nem um ensaio, nem um prelúdio para o paraíso.
    Esta vida é o único que há aqui e agora, e o único que precisas.

    Eu te fiz absolutamente livre. Não há prêmios nem castigos. Não há pecados nem virtudes. Ninguém leva um placar.
    Ninguém leva um registro.
    Tu és absolutamente livre para fazer da tua vida um céu ou um inferno.
    Não te poderia dizer se há algo depois desta vida, mas posso te dar um conselho. Vive como se não o houvesse.
    Como se esta fosse tua única oportunidade de aproveitar, de amar, de existir. Assim, se não há nada,
    terás aproveitado da oportunidade que te dei.
    E se houver, tem certeza que Eu não vou te perguntar se foste comportado ou não. Eu vou te perguntar se tu gostaste,
    se te divertiste… Do que mais gostaste? O que aprendeste?

    Pára de crer em mim – crer é supor, adivinhar, imaginar. Eu não quero que acredites em mim. Quero que me sintas em ti.
    Quero que me sintas em ti quando beijas tua amada, quando agasalhas tua filhinha, quando acaricias
    teu cachorro, quando tomas banho no mar.

    Pára de louvar-me! Que tipo de Deus ególatra tu acreditas que Eu seja? Me aborrece que me louvem. Me cansa que agradeçam.
    Tu te sentes grato? Demonstra-o cuidando de ti, de tua saúde, de tuas relações, do mundo.
    Te sentes olhado, surpreendido?… Expressa tua alegria! Esse é o jeito de me louvar.

    Pára de complicar as coisas e de repetir como papagaio o que te ensinaram sobre mim. A única certeza é que tu estás aqui,
    que estás vivo, e que este mundo está cheio de maravilhas. Para que precisas de mais milagres?
    Para que tantas explicações?
    Não me procures fora! Não me acharás. Procura-me dentro… aí é que estou, batendo em ti.

  30. Vejam bem, o que devemos focar é: a guerra às drogas acabou com as drogas? A proibição e guerra que ela causa resolveu o problema? A resposta me parece óbvia: não. Então o que temos com a fracassada guerra às drogas? Aumento da população carcerária e inclusive pessoas inocentes, entre elas crianças, que morrem em decorrência da guerra do tráfico.

DEIXE UMA RESPOSTA