Pesquisa Ibope aponta candidatos à reeleição da bancada evangélica entre os cinco mais bem colocados

16

Uma pesquisa do Ibope mostrou que a candidatura de figuras da bancada evangélica à reeleição vem sendo bem aceita por parte da sociedade. Em São Paulo e Rio de Janeiro, líderes evangélicos despontam entre os mais mencionados pelos eleitores sobre a intenção de voto para deputado federal.

O pastor Marco Feliciano (PSC) está entre os cinco primeiros candidatos a deputado mais mencionados pelos entrevistados. Em 2010, o líder da Assembleia de Deus Catedral do Avivamento obteve pouco mais de 212 mil votos e ficou em 12º lugar entre os mais votados.

“Feliciano, 12º mais votado há quatro anos, foi alçado ao top 5 após ficar famoso por declarações de tom homofóbico”, escreveu o jornalista Bernardo Mello Franco, na coluna Painel do jornal Folha de S. Paulo.

À frente de Feliciano aparecem apenas Tiririca (PR) – eleito em 2010 com o recorde de 1,3 milhão de votos -; Celso Russomano (PRB); Paulo Maluf (PP) e Baleia Rossi (PMDB). “Maluf e Russomanno são velhos conhecidos do eleitor. Baleia Rossi é filho de Wagner Rossi, o ex-ministro da Agricultura ‘faxinado’ no início do governo Dilma sob suspeita de irregularidades”, relembrou o jornalista.


Já no Rio de Janeiro, a filha do candidato a governador Anthony Garotinho (PR), Clarissa Garotinho é a primeira colocada nas intenções de voto dos eleitores para o cargo de deputado federal

O parlamentar evangélico Eduardo Cunha, líder da bancada do PMDB na Câmara dos Deputados, aparece em terceiro lugar nas pesquisas, atrás do católico Jair Bolsonaro (PP), que é conhecido por declarações polêmicas contra a homossexualidade e os ativistas gays.

Bolsonaro se popularizou entre o eleitorado evangélico quando manifestou apoio a Marco Feliciano durante a crise política na Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) provocada por protestos dos ativistas gays, que pediam a saída do pastor da presidência da pasta.


16 COMENTÁRIOS

  1. Claro, feliciano, bolsonaro e tiririca são votos de protesto quem vota consciente vota em Jean Willys esse sim que é um deputado compromissado com os menos favorecidos Jean vc me representa 2 vezes considerado o melhor deputado do Brasil

  2. Além dos citados em São Paulo Eduardo Bolsonaro pelo PSC outros dois católicos praticantes que estão na preferência no RJ são Otavio Leite, Índio da Costa, além Rodrigo Maia, Leonardo Picciani, a probabilidade é que católicos e evangélicos formem 85% do poder legislativo. Oremos para que os mesmos promovam o bem comum e lutem contra a praga da corrupção que parece ter se tornado uma epidemia.

  3. Por favor, candidatos, divulguem o que vocês fizeram. Vocês fiscalizaram os escalalos de corrupção na Petrobras, na CEF, mensalão, fiscalizaram o Lula? Vocês lutam contra os projetos que beneficiam somente uma minoria, como construção de aeroporto dentro de propriedade particular? Voces fiscalizam a receita federal que nunca faz descobre nada de politicos, só de pessoas comuns ? Quero saber se são evangelicos de corpo e alma, ou uma fachada para ganhar votos das ovelhas.

  4. Políticos(as) evangélicos(as) deveriam ser os(as) primeiros(as) a exigir justiça social para todos; entretanto, eles não têm tempo nem disposição para isso, já que só vivem para atazanar os gays!

    • Sandro

      Provavelmente se seus ídolos gays como o tal do Jean lixo Wyllys, não tivessem ideias imbecis como por exemplo, obrigar os pais a autorizar cirurgias de mudança de sexo em crianças, creio que não pegariam tanto no pé de vocês!

      Se eu fosse você reavaliaria seu conceito de “herói”, pois ele está totalmente distorcido!

        • “A independência entre os tratamentos hormonais e as cirurgias, isto é, a garantia do direito das pessoas travestis que quiserem realizar terapias hormonais e/ou intervenções cirúrgicas parciais para adequar seus corpos à identidade de gênero autopercebida, mas não desejarem realizar a cirurgia de transgenitalização; “A gratuidade no sistema público (SUS) e a cobertura nos planos de saúde particulares; A não-judicialização dos procedimentos, isto é, a livre escolha da pessoa para realizar ou não este tipo de tratamentos e/ou intervenções. A lei também regulamenta o acesso das pessoas que ainda não tenham de dezoito anos aos direitos garantidos por ela, entendendo que a identidade de gênero se manifesta muito antes da maioria de idade e essa realidade não pode ser omitida”,

          Você é burro, jumento ou os dois juntos?

  5. bancada evangélica é a “mais ausente, inexpressiva e processada” do Congresso Nacional. Leia na íntegra
    Publicado por Tiago Chagas em 6 de junho de 2012

    Comentando dados divulgados pelo portal Transparência Brasil sobre a bancada evangélica no Congresso Nacional, o jornalista Joel Bento Carvalho criticou a conduta dos parlamentares religiosos: “Bancada evangélica: a mais ausente, inexpressiva e processada”
    Segundo Carvalho, “fica difícil defender a chamada bancada dita Religiosa ou Evangélica”, com a divulgação dos dados, segundo os quais, os parlamentares da Frente Parlamentar Evangélica constam dos mais faltosos e processados do Congresso Nacional.
    O jornalista afirma que muitos dos parlamentares parecem usar o cargo público apenas para promoção pessoal: “Pelo que se vê a locupletação é ampla, geral e irrestrita. Parecem ter percebido outro veio fácil de enriquecer além da religião. Aliás, não tem nada de evangélica . Evangelizar é o ato de levar o evangelho às ovelhas”.
    Referindo-se às igrejas protestantes tradicionais como exemplo, o jornalista questiona o motivo de igrejas apoiarem candidatos: “Por que essas que são igrejas seculares não entram na política? Por que só alguns Padres, alguns militantes da Opus Dei e os pastores das igrejas não alinhadas entram para a política?”, questiona.
    Joel Bento Carvalho afirma ainda que não se deve vincular fé com política: “Qualquer um pode se candidatar a cargos eletivos, mas sem usar a religião. Um religioso verdadeiro mantém distância da política: ‘Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus’. Se não for isso, é falcatrua usando a Religião ou será Deus um pulha também?”.
    Confira abaixo a íntegra do artigo do jornalista Joel Bento de Carvalho, para o portal Luis Nassif:
    Bancada religiosa: a mais ausente, inexpressiva e processada ou será Deus um pulha também?
    Meu Pitaco: Fica difícil defender a chamada bancada dita Religiosa ou Evangélica.
    Pelo que se vê a locupletação é ampla, geral e irrestrita. Parecem ter percebido outro veio fácil de enriquecer além da religião. Aliás, não tem nada de evangélica . Evangelizar é o ato de levar o evangelho às ovelhas perdidas, coisas que só as as igrejas seguidoras de Luthero fazem.
    Por que essas que são igrejas seculares não entram na política? Por que só alguns Padres, alguns militantes da Opus Dei e os Pastores das igrejas não alinhadas entram para a política? Qualquer um pode se candidatar a cargos eletivos, mas sem usar a religião.
    Um religioso verdadeiro, mantém distância da Política: Daí a César o que é de César e a Deus o que é de Deus. Se não for isso, é falcatrua usando a Religião ou será Deus um pulha também?
    JBC

    • “O jornalista afirma que muitos dos parlamentares parecem usar o cargo público apenas…” bem precisa essa informação não é? Coisa de opositores a tudo que se chama de Deus (O qual se opõe, e se levanta contra tudo o que se chama Deus 2 Tessalonicenses 2:4)

      Fiquem tranquilos, raça de víboras, para onde vcs vão não vão encontrar os “evangegues” que vcs tanto perseguem!!!

DEIXE UMA RESPOSTA