Mundo Cristão

Pesquisa: os católicos lêem mais a Bíblia

Comentários (306)
  1. Alex disse:

    Sensato é o homem que le a palavra de Deus e aplica no seu dia a dia a vontade Dele.

    Deus abençoe a todos

  2. Lucas disse:

    Interessante que todos leiamos a palavra do Senhor, mas, ler não significa entender… por que continuam adorando a estátuas e figuras de barro? Da minha parte, existe controvérsia sobre essa afirmação…

    fiquem com Deus.

  3. eliane disse:

    concordo com irmão lucas….
    a leitura não significa entendimento,
    pois se entendessem largariam as praticas religiosas,
    no entanto, não devemos parar de orar por eles,
    são almas sedentas por JESUS…..

    ABRAÇÃO!

  4. Adriana disse:

    Eu não posso agreditar nessas pesquisa, não estou devendo os evangélicos , mais dificilmente você encontra uma catolico falando de Jesus quando mais lendo as escrituras sagradas.

  5. ELIAS LEAO disse:

    AMADOS A PALAVRA DO SENHOR QUANDO CRISTO DIZ,,ERRAIS POR NAO CONHECER AS ESCRITURAS POIS CUIDAI TER NELAS A VIDA ETERNA E SAO ELAS QUE TESTIFICAM DE MIM,,POIS DIGO COM MUITA SERTEZA UMA VEZ QUE NOS MEDITAMOS NA BIBLIA E COMO DIZEM POR AI MAIS DO MUITOS OUTROS,,NOS TEMOS QUE PELO MENOS. CONHECER A CRISTO: A ESCRITURA NOS DA CONHECIMENTO..MAS COMO QUE ESTE POVO CATOLICO TA LENDO BIBLIA E MEDITANDO NELA ,,AINDA, HA!HA! MAIS DO MUITA GENTE COMO DIZ ESTA PESQUIZA, E NAO DEIXA IDOLATRIA,PEDOFILIA,PROSTITUIÇAO,E MUITOS OUTROS PECADOS QUE QUEM LE BIBLIA E CONHECE A CRISTO NAO PODE PRATICAR POIS ESTA NA PALAVRA DE DEUS QUE E BIBLIA,,HU!ISTO E MENTIRA ABERRADORA ,,,VIU..ME PERDOE ,,MAS SOU FRANCO..ELIAS LEAO IPATINGA MG ..BRASIL…EMAIL..LEAO-FILHO@HOTMAIL.COM//OU BENAIA1973@GMAIL.COM…MINSTRO DO EVANGELHO…DESDE QUE CONHECI A CRISTO EM LEITURA DA BIBLIA DEVICIONAL…

  6. Pr Écio Pousas disse:

    Essa é boa! Tomara que estejam lendo mesmo… Mas eles precisam ler mais, outras partes da Bíblia, que não seja Salmos, Evangelhos, etc…, e sim, Êxodo 20, Salmo 115 (na Bíblia católica é 113), Isaías 44, 1 aos Corintios 10, etc… Além disso, desafio a qualquer católico, padre ou não, a encontrar na Bíblia, as palavras: missa, padre, nossa senhora, mãe de Deus… Qualquer católico, crente, espírita ou de outro credo que tenha dúvida e curiosidade para aprender sobre estas partes bíblicas citadas, podem entrar em contato comigo pelo e-mail: pastoreciopousas@hotmail.com. Que Deus ajude a todos entenderem estas porções bíblicas e que abençoe a todos indistintamente com a salvação EM CRISTO JESUS, somente NELE (1 Timóteo 2:1-7). Obs.: Pode-se ler estas porções bíblicas citadas em qualquer versão, inclusiva a Bíblia católica.

  7. Benedito Inácio disse:

    Eu quero acrescentar que,graças ao nosso Bom Deus, que eles estejam lendo as Sagradas Escrituras, porque a Palavra diz:CONHECEREIS A VERDADE,QUE A VERDADE VOS LIBERTARÁ.(jo.8.32)

  8. Viviane Balbino disse:

    As vezes ficamos fazendo apologia e agindo com só nós fôssemos ser salvos Jesus veio para todos. Um outro ponto será que só os católicos são pedófilos adúlteros prostitutos, em todas as religiões vamos encontra os bons crentes e maus crentes. Devemos sim mostrar a verdade pois ela liberta o Homem como já diz a palavra de Deus. Vamos evangelizar anunciar a palavra e não ficar jogando pedras nos outros.

    Fiquem com Deus… Vamos Ora pela Paz em Jerusalém..

  9. Hadassa disse:

    Shalom ….
    Que bom que nossos amados católicos estejam lendo a Palavra de D’us Eterno…oraremos pela Paz em Jerusalém ( que é uma ordenança divina )mas que poucas igrejas têm essa conciência, e tb pela libertação de todos os perdidos …
    Julgar , demonstra o quão distante estamos da presença de D’us Pai, pois somente Ele pode julgar…e vai aqui um alerta independente se essa pesquisa é verdadeira ou não…a igreja católica está DESPERTANDO (B’H) mas as igrejas evangélicas IDOLATRANDO tudo qto é lider…tomemos CUIDADO!!!
    Fiquem na Paz de Nosso Senhor Y’shua Ha Mashiach( Nosso Senhor Jesus Cristo )

  10. Rodrigo disse:

    Todos nós sabemos que o julgamento pertence a Deus, mais existe práticas abominada pela bíblia que Deus não nos intruiu, e que as algumas pessoas usam esse tipo de frase para se defende: ” O julgamento é de Deus”. Meus irmãos, creio plenamente nessa palavra, mais não podemos ser “inocentes” em usá-la essa palavra para justificar um ato que Deus não se agrada. Deus deixou em suas escrituras sua mensagem, clara e objetiva! Não vamos complicar as coisas!
    Deus esteja com vocês!

  11. Vinícius disse:

    Ele Revela!

    Fui criado em um lar católico e sempre tive acesso a Bíblia, porém, não costumava ler e não via minha família lendo. Em 2005 resolvi fazer minha vida valer a pena, e passei a buscar o sentido da mesma. Parei de beber e comecei a ler a Bíblia, era da minha mãe tinha escrito “Ave Maria” na capa. Passei acompanhar minha mãe nas missas. Resultado? A contradição entre o que me era revelado na bíblia era gritante em relação ao que eu via e ouvia nas missas.
    Hoje! Congrego na Bola de Neve, minha mãe que me chamou de louco no início, já até falou que me irmã deveria me acompanhar.

  12. Na verdade, a leitura da bíblia de forma cautelosa sistemática e metódica está muito escassa nos meios cristãos, seja católicos ou denominacionais. Salvo, alguns Padres, Pastores que no decurso da história deixaram o histórico de ótimos leitores da Biblia. Ex:Luthero, João Wesley, João Calvino, Bily graw e tantos outros…

    Professor, Jeová R. Barbosa

  13. arceu marcal disse:

    fico feliz em saber que os catolicos estão lendo a biblia.o Senhor Jesus disse conhecereis a verdade e averdade vos lbertara que o Espirito Santo venha abrir suas mentes

  14. naty disse:

    eu tbm fico feliz irmão arceu cocondo com vc mas para isso devemos orar pra eles pois estão escravizados pelo diabo devemos orar pra q deus abra os olhos delas[e]e esclareça a mente pra q venham entender oq diz a palavra dele devemos somente orar pois são almas sedentas por CRISTO JESUS orar somente e não criticar q o SENHOR JESUS oa abençoe

    FIQUEM COM DEUS E NÃO SE ESQUECAM SOMENTE ORE E PREGUE PORQ QUEM FAZ A OBRA É O ESPIRITO SANTO AMEM IRMÃOS

    ATE MAIS Q DEUS OS ABENÇOEM FIQUEM COM ELE
    XAU

  15. arceu marçal disse:

    fico feliz em saber que os catolicos estão lendo abiblia porque eu tambem fui catolico e foi lendo apalavra de Deus que fui liberto da maldição que é a idrolatria JESUS DISSE CONHECEREI A VERDADE E A VERDADE VOS LIBERTARA JOÃO 8.32

  16. arceu marçal disse:

    fico felis em saber que os catolicos estão lendo a biblia tambem fui criado em um lar catolico,meu pai bebia muito, e brigas eram cosntante dentro de casa,eu sempre rezava pedindo a senhora aparecida para que ouvece paz dentro de casa, e ficava frustado poque quanto mais eu rezava mais as coisas piorava, foi então que comecei a ler abiblia e então deixei de rezar e comecei a orar, pesso que se algum catolico ler meu comentario esperimenta orar fale diretamente com Deus em nome de Jesus e vera que as cisas vão tomar rumos diferente. O Senhor Jesus disse que para nossas orações ser ouvida tem que ser feita em seu nome. joão 16,24

  17. Franco Marcolin disse:

    Infelizmente a Bíblia de Moisés, ou melhor, dos hebreus, nem sempre cai em mãos certas; e isto é um perigo!
    Veja a quantidade de “pregadores” que usam a Bíblia apenas para extorquir dinheiro dos fiéis. Acho que está na hora de trocar a Bíblia dos hebreus, pelo Evangelho de Jesus.
    Hoje, as pessoas instruidas já não aceitam mais o absurdo de que Adão e Eva foram os primeiros seres que Deus criou, não acreditam mais na história do dilúvio universal e muito menos no diabo.
    A história de Adão e Eva e do dilúvio nos é contada no livro ” A Epopéia de Gilgamesh”, considerado o livro mais antigo da humanidade, escrito 1.300 anos antes da Bíblia. Veja no Google.
    A ciência já provou que o homem existe a milhares e milhares de anos, e o diabo para existir teria de ter sido criado por Deus, o que é um absurdo, Deus ter um adversário quase à sua altura.

  18. Sandro disse:

    Tomara que os catolicos leem mesmo a bíblia, só assim serão liberto de algumas práticas q Deus não aprova. Devemos acreditar somente no que a bíblia diz, e não documentos feitos por religiosos.
    Jesus é o único Nome digno de ser chamado de Santo. Porq Só Ele é Santo. Que Deus abençõe a todos e nos faça ser humildes de coração, para impactarmos esse mundo q já és do malígno!

  19. myrian disse:

    não entendo muito ,mais acho que devemos nos ajudar mais , só fazemos criticas ,fui catolica por 40 anos . hoje sou evangelica ,nem por isso desfaço dos catolicos acrdito que ler a biblia não seja algo tão comun assim entre catolicos mais….

  20. walber disse:

    os catolicos temem o salmo 115
    pois se ele ser lido ……..

  21. levero disse:

    que bom! logo logo que começarem ler a biblia conheceram a verdade.
    joao 14:6

  22. Gladstonier disse:

    Maria foi uma serva dedicada e que louvava e engrandecia o nome do Senhor, tenho certeza de que se ela pudesse ver a forma com que os catolico a adoram ficaria muito triste pois ela sabia que toda a gloria deve ser dada a Deus.
    Em lucas 1 Maria disse algumas palavras nos versículos abaixo que achei interessantes:

    46 Disse então Maria: A minha alma engrandece ao Senhor, (ela engradeceu ao Pai e não a si mesma)
    47 E o meu espírito se alegra em Deus meu Salvador;(ela precisa da salvação de Deus, portanto não pode salvar a outros)
    48 Porque atentou na baixeza de sua serva; Pois eis que desde agora todas as gerações me chamarão bem-aventurada,(quando diz a baixeza de sua serva, se humilha e não quer ser exaltada)
    49 Porque me fez grandes coisas o Poderoso; E santo é seu nome.(glorifica mais uma vez o nome do Senhor)
    50 E a sua misericórdia é de geração em geração Sobre os que o temem.
    Graça e paz a todos, e se amam Maria cumpram a sua vontade e não a adorem.

  23. Gladstonier disse:

    De mesmo modo Pedro disse a cornélio nos versiculos abaixo:

    AT 10:25 “E aconteceu que, entrando Pedro, saiu Cornélio a recebê-lo, e, prostrando-se a seus pés o adorou.”
    AT 10:26 “Mas Pedro o levantou, dizendo: Levanta-te, que eu também sou homem.”
    Pedro e os outros apostolos tambem estariam muito tristes ao saber que os catolicos os adoram.

    Graça e paz a todos

  24. diego disse:

    em primeiro lugar os fiéis de hoje em dia costumam discutir mais sobre suas religiões, falando que são a religião correta, e terminam esquecendo de deus que é o unico objetivo de uma religião.
    e para essas pessoas que gostam de falar de nóis catolicos, a única coisa que posso dizer para essas mentes pertubadas é que a igreja católica é a única igreja de cristo, programada por jesus cristo no apóstolo pedro e sendo o apostolo pedro o nosso primeiro papa. mateus capitulo 16 versiculo, 18 :E eu te declaro: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja; as portas do inferno não prevalecerão contra ela.
    19. Eu te darei as chaves do Reino dos céus: tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus.
    ora jesus foi bem claro aqui gente, vou ser mais especifico quando jesus disse em aramaico que era a lingua que jesus falava, “tu és Kephas e sobre essa Kephas edificarei a minha igreja”, não há mais duvidas jesus programou a igreja em pedro e pedro fundou e se tornou o nosso primeiro papa sendo bento xvl seu sucessor.
    agora vocês que escolhem se vão seguir uma igreja programada por jesus ou programada pelas mãos de um homem qualquer?
    e mais, nóis católicos não adoramos imagem de barro, essas imagens são apenas representação da santa mãe de jesus a virgem maria,que foi arrebatada aos céus e que se encontra hoje no céu, veem antes de falar, estudem e vão atrás da verdade não acreditem no que humanos dizem para enganar pessoas em busca de mais fiéis para montarem suas emissoras ou usarem a biblia para transportar dinheiro de fiéis para seus enriquecimento próprio.

    “ao fim dos tempos muitos falarão em meu nome” : isso diz tudo né, estudem e busquem a verdade.

  25. diego disse:

    esqueci de dizer “kephas”, traduzindo do aramaico para o português significa duas coisas: pedro e pedra tudo numa única palavra.Então repito cristo foi bem claro tu és kephas e sobre essa kephas eu erquirei a minha igreja.

  26. diego disse:

    lutero, quem começõu com o protestantismo no seculo xv, para os que o seguem seculo xv se refere-se ao ano de 1500 dc, e dc significa depois de cristo, onde agora posso falar que as mentes menos desenvolvidas preferem seguir ao que diz esse senhor e não a verdadeira igreja que é a igreja de cristo programada por cristo no apostolo pedro que é a católica postolica romana, então vocês estão dizendo que jesus errou em programar a igreja no apostolo pedro e só depois de 1500 anos da vinda de jesus é que jesus achou melhor colocar alguem para mudar a situação!!!!
    a deixem de serem hipócritas, jesus é um deus sem erros jamais jesus errará, daqui uns anos vocês estarão dizendo que os cientistas que não acreditam em deus estarão certos.
    gente jesus não erra muito menos 1500 anos, só mente pertubada pra falar uma asneira dessa.
    fiquem com deus e que deus os perdoe por julgar por palavras de seres revolucionalistas.

  27. diego disse:

    para finalizar a reflexão, quando jesus programou a igreja católica, postólica e romana em pedro, não era por que não existia igreja naquela época não, muito pelo contrario ele programou a igreja em pedro por que existia muitas igrejas espalhadas na época, então jesus achou que deveria criar uma igreja, que é a igreja de cristo para diferenciar das igrejas existente.
    e isso é o que nóis vemos hoje muitas igrejas sendo criadas, todos os dias se ve uma porta sendo aberta, e de 1500 até os dias de hoje podemos ver o quanto o ser humano é capaz de fazer para conseguir as suas façanhas.
    queres seguir a sua religião,siga, não estou aqui para te julgares, mais não jogues pedra na igreja de cristo pois um dia ele vai te cobrar pelas pedras mau atiradas!!!!
    deus os abençoe!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  28. Gladstonier disse:

    Caro Diego o Deus que eu sirvo é um Deus com letra maiuscula, pra começar.
    Quanto ao fato de Pedro se o primeiro papa, se ele foi o primeiro papa porque os outros papas não o copiaram?
    1 Em Mateus 8 :14 e 15 vemos a cura da SOGRA de Pedro sendo assim Pedro era casado, porquê os papas não se casam?
    2 O novo testamento foi escrito em grego, não em aramaico como Diego disse: e a frase de Jesus com relação a Pedro foi: “Tu és PETRUS e sobre esta “PETRA” edificarei a minha igreja.”
    PETRUS = pequenos pedaços de pedra
    PETRA = Grande rocha
    Quando Jesus disse “sobre esta PETRA” ele estava se referindo à frase de Pedro em Mateus 16:16 “E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo.” a PETRA poderia referir-se a pedra angular, que era a base das construções da terra.

  29. Gladstonier disse:

    Porque Pedro não foi o primeiro papa

    3 Dizem que o papa de ve ser irreprensível, Pedro foi repreendido por Paulo, como narra à carta de Paulo aos Gálatas no capítulo 2
    11 E, chegando Pedro à Antioquia, lhe resisti na cara, porque era repreensível.
    12 Porque, antes que alguns tivessem chegado da parte de Tiago, comia com os gentios; mas, depois que chegaram, se foi retirando, e se apartou deles, temendo os que eram da circuncisão.

    4 O papa é lider de uma das mais ricas instituições da terra, Pedro não era palpérrimo como podemos ver em
    Atos 3:6 E disse Pedro: Não tenho prata nem ouro; mas o que tenho isso te dou. Em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, levanta-te e anda.

  30. Gladstonier disse:

    Graça e paz a todos!!!
    E leia mais a bíblia Diego, e talvez note que a Igreja de Cristo não teve denominação alguma. Cristo chamava de igreja duas ou mais pessoas reunidas com o propósito de adorar a Deus. Templo e denominação religiosa não foram deixados por Cristo.

    Leia a história e vai descobrir que pelos primeiros 280 anos da história cristã, o Cristianismo foi banido pelo Império Romano, e os cristãos foram terrivelmente perseguidos. Isto mudou depois da “conversão” do Imperador Romano Constantino. Constantino “legalizou” o Cristianismo pelo Edito de Milão, em 313 d.C. Mais tarde, em 325 d.C., Constantino conclamou o Concílio de Nicéia, em uma tentativa de unificar o Cristianismo. Constantino imaginou o Cristianismo como uma religião que poderia unir o Império Romano, que naquela altura começava a se fragmentar e a se dividir.
    A igreja católica começou com a conversão de Constantino.

  31. Gladstonier disse:

    A pra completar não disse que os católicos adoram imagens de barro nos textos acima, o que não deixa de ser verdade, mas o fato de adorar os santos é errado visto que todo louvor, toda honra e toda glória devem se dados ao
    Senhor nosso Deus.

    De mesmo modo Pedro disse a cornélio nos versiculos abaixo:

    AT 10:25 “E aconteceu que, entrando Pedro, saiu Cornélio a recebê-lo, e, prostrando-se a seus pés o adorou.”
    AT 10:26 “Mas Pedro o levantou, dizendo: Levanta-te, que eu também sou homem.”
    Pedro e os outros apostolos tambem estariam muito tristes ao saber que os catolicos os adoram.

    Graça e paz a todos

  32. diego disse:

    hauhauhauhauahauhauahu!!!!!!!!!!!!
    rsrsrsrsrsrsrs
    meu caro amigo gladstonier, em primeiro lugar independente de maiúscula ou minúscula não diferenciará seu Deus do meu deus, muito pelo contrário meu deus é um deus de linhas tortas não de fachada, e maiúscula tem acento, e vou começar a explicar por partes para dar tempo de você aprender, e ir atrás dos verdadeiros fatos e ver como estais equivocado, vou colocar aqui perante o texto diálogos de um protestante e de um católico!!!!

  33. diego disse:

    antes de mais nada, quero ressaltar que não disse que O novo testamento não tinha sido escrito em grego, “e sim que jesus falou em aramaico o que é diferente”.
    caro amigo gladstonier, estais lendo muito rapido e estais colocando palavras não dita em minha boca prestais mais atenção…….

  34. diego disse:

    voltando ao assunto:

    O diálogo a seguir ilustra muito bem um debate entre um católico e um protestante quando este argumenta que a “Pedra” citada por Jesus em Mt 16,18 jamais poderia referir-se a Pedro, mas sim ao próprio Jesus, uma vez que as Sagradas Escrituras em muitas passagens identifica Jesus como a “rocha”, a “pedra angular”.

    Antes de apresentar o diálogo, a Barca de Jesus observa que embora na maioria das passagens bíblicas “pedra” ou “rocha” realmente se refira a Jesus, existem exceções. O próprio Jesus que disse ser a “Luz do Mundo” (Jo 8,12) disse aos apóstolos que também eles deveriam ser “Luz do Mundo” (Mt 5,13). Além da passagem de Mt 16,18 onde a “pedra” referida não se trata de Jesus, como veremos claramente no diálogo abaixo, temos também, por exemplo, Is 51,1-2 (a “pedra” é Abraão) e 1Pd 2, 4-5 (”pedras vivas” é Jesus e também são os cristãos).

    O fato de Jesus aplicar a Pedro uma figura que a Bíblia exaustivamente aplica a Jesus, bem mostra a intenção de Jesus em fazer de Pedro um representante de Cristo na terra. O que, por sinal, Ele confirmou explicitamente ao dar autoridade a Pedro não apenas de ligar e desligar na terra, mas também no Céu. Vamos, então, ao diálogo:

    Protestante:

    Em grego, a palavra para pedra é petra, que significa uma rocha grande e maciça. A palavra usada como nome para Simão, por sua vez, é petros, que significa uma pedra pequena, uma pedrinha.

    Católico:

    Na verdade, todo este discurso é falso. Como sabem os conhecedores de grego (mesmo os não católicos), as palavras petros e petra eram sinônimos no grego do primeiro século. Elas significaram “pequena pedra” e “grande rocha” em uma velha poesia grega, séculos antes da vinda de Cristo, mas esta distinção já havia desaparecido no tempo em que o Evangelho de São Mateus foi traduzido para o grego. A diferença de significados existe, apenas, no grego ático, mas o NT foi escrito em grego Koiné – um dialeto totalmente diferente. E, no grego koiné, tanto petros quanto petra significam “rocha”. Se Jesus quisesse chamar Simão de “pedrinha”, usaria o termo lithos. (para a admissão deste fato por um estudioso protestante, veja D. Carson, The expositors Bible Commentary [Grand Rapids: Zondervan, 1984], Frank E. Gaebelein, ed., 8: 368).

    Porém, ignorando a explicação, insiste o protestante:

    Vocês, católicos, por desconhecerem o grego, pensam que Jesus comparava Pedro à rocha. Na verdade, é justamente o contrário. Ele os contrastava. De um lado, a rocha sobre a qual a Igreja seria construída: o próprio Jesus (”e sobre esta PETRA edificarei a Minha Igreja”). De outro, esta mera pedrinha (”Simão tu és PETROS”). Jesus queria dizer que ele mesmo seria o fundamento da Igreja, e que Simão não estava sequer remotamente qualificado para isto.

    Católico:

    Concordo que devemos ir do português para o grego. Mas, com certeza, você concordará que, igualmente, devemos ir do grego para o aramaico. Como você sabe, esta foi a língua falada por Jesus, pelos apóstolos e por todos os judeus da Palestina. Era a língua corrente da região.

    Muitos, talvez a maioria, soubessem grego, pois esta era a língua franca do Mediterrâneo. A língua da cultura e do comércio. A maioria dos livros do NT foi escrita em grego, pois não visavam apenas os cristãos da Palestina, mas de outros lugares como Roma, Alexandria e Antioquia, onde o aramaico não era falado.

    Sabemos que Jesus falava aramaico devido a algumas de suas palavras que nos foram preservadas pelos Evangelhos. Veja Mt 27,46, onde ele diz na cruz, “Eli, Eli, Lama Sabachtani”. Isto não é grego, mas aramaico, e significa, “meu Deus, meu Deus, porque me abandonaste?”

    E tem mais: nas epístolas gregas de S. Paulo (por 4 vezes em Gálatas e outras 4 vezes em 1Coríntios), preservou-se a forma aramaica do novo nome de Simão. Em nossas bíblias, aparece como Cefas. Isto não é grego, mas uma transliteração do aramaico Kepha (traduzido por Kephas na forma helenística).

    E o que significa Kepha? Uma pedra grande e maciça, o mesmíssimo que petra. A palavra aramaica para uma pequena pedra ou pedrinha é evna. O que Jesus disse a Simão em Mt 16,18 foi “tu és Kepha e sobre esta kepha construirei minha igreja.”

    Quando se conhece o que Jesus disse em aramaico, percebe-se que ele comparava Simão à rocha; não os estava contrastando. Podemos ver isto, vividamente, em algumas versões modernas da bíblia em inglês, nas quais este versículo é traduzido da seguinte forma: ‘You are Rock, and upon this rock I will build my church’. Em francês, sempre se usou apenas pierre tanto para o novo nome de Simão, quanto para a rocha.

    Protestante:

    Se kepha significa petra, porque a versão grega não traz “tu és Petra e sobre esta petra edificarei a minha Igreja”? Por que, para o novo nome de Simão, Mateus usa o grego Petros que possui um significado diferente do petra?

    Católico:

    Porque não havia escolha. Grego e aramaico têm diferentes estruturas gramaticais. Em aramaico, pode-se usar kepha nas duas partes de Mt 16,18. Em grego, encontramos um problema derivado do fato de que, nesta língua, os substantivos possuem terminações diferentes para cada gênero.

    Existem substantivos femininos, masculinos e neutros. A palavra grega petra é feminina. Pode-se usá-la na segunda parte do texto sem problemas. Mas não se pode usá-la como o novo nome de Simão, porque não se pode dar, a um homem, um nome feminino. Há que se masculinizar a terminação do nome. Fazendo-o, temos Petros, palavra já existente e que também significava rocha. (Obs da Barca de Jesus: Estrutura semelhante ocorre na língua portuguesa: Pedro e pedra.)

    Por certo, é uma tradução imperfeita do aramaico; perdeu-se parte do jogo de palavras. Mas, em grego, era o melhor que poderia ser feito.

    Além da evidência gramatical, a estrutura da narração não permite uma diminuição do papel de Pedro na Igreja. Veja a forma na qual se estruturou o texto de Mt 16,15-19. Jesus não diz: “Bendito és tu, Simão. Pois não foi nem a carne nem o sangue que te revelou este mistério, mas meu Pai, que está nos céus. Por isto, eu te digo: és uma pedrinha insignificante, e sobre a rocha edificarei a minha Igreja. … Eu te darei as chaves do reino dos céus.”

    Ao contrário, Jesus abençoa Pedro triplamente, inclusive com o dom das chaves do reino, mas não mina a sua autoridade. Isto seria contrariar o contexto. Jesus coloca Pedro como uma forma de comandante ou primeiro ministro abaixo do Rei dos Reis, dando-lhe as chaves do Reino. Como em Is 22,22, os reis, no AT, apontavam um comandante para os servir em posição de grande autoridade, para governar sobre os habitantes do reino. Jesus cita quase que verbalmente esta passagem de Isaías, o que torna claríssimo aquilo que Ele tinha em mente. Ele elevou Pedro como a figura de um pai na família dos cristãos (Is 22,21), para guiar o rebanho (Jo 21,15-17). Esta autoridade era passada de um homem para outro através dos tempos pela entrega das chaves, que se usavam sobre os ombros em sinal de autoridade. Da mesma forma, a autoridade de Pedro foi transmitida, nestes dois mil anos, através do papado.

  35. diego disse:

    quanto pedro ser casado ou não, jesus, quando chamou os apóstolos para o seguir, jesus falou para eles largarem tudo, até mesmo a familia, quem tinha mulher a largou quem tinha mãe e pai os largou para servir a jesus somente a jesus!!!!
    ja de a igreja católica ter começado apartir de constantine, isso não é realidade a igreja como foi explicado acima começou com jesus programando ela em kephas ou PETRUS, como tambem foi expicado acima, e mesmo após a ascensão de jesus aos céus a igreja católica postólica romana sofreu muitas perseguição, e jesus não mente por mais perseguição que a igreja de cristo venha sofrer, como nosso senhor jesus falou as portas do inferno não prevalecerão contra ela….
    já constantino foi o último imperador pagão e que se converteu ao cristianismo coisa que muitos deveria fazer, se converter de verdade não fazer igual a muitos católicos e evangélicos que dizem seguir um deus da boca pra fora.
    obrigado pela atenção irmão gladstonier foi bom colocar a limpo algumas controversas deus o abençoe e que faça de você um grande pregador…………

  36. Gladstonier disse:

    O acento em “maiuscula” não é importante em um texto informal como este, mas usar letra minúscula para referir-se a Deus é falta de respeito como ele, é uma forma de reduzir a importância de Seu santo nome.
    E quanto ao fato de Pedro ser repreensível, o papa também o pode ser?
    Como pode a ” pedra angular” pode ser repreensível?
    Jesus, o qual afirmamos ser a pedra angular não era.

  37. Gladstonier disse:

    A pedra (PETRA) a qual Jesus se referiu foi à frase que Pedro disse a seu respeito e não ao próprio Pedro.

  38. Gladstonier disse:

    Algo que também achei interessante foi o fato de você não se pronunciar sobre os apóstolos não aceitarem ser adorados e mesmo assim os católicos insistirem em adorá-los:

    AT 10:25 “E aconteceu que, entrando Pedro, saiu Cornélio a recebê-lo, e, prostrando-se a seus pés o adorou.”
    AT 10:26 “Mas Pedro o levantou, dizendo: Levanta-te, que eu também sou homem.”
    Pedro e os outros apostolos tambem estariam muito tristes ao saber que os catolicos os adoram.

  39. Gladstonier disse:

    Você disse que não a adoram imagens: “…nóis católicos não adoramos imagem de barro, essas imagens são apenas representação…”

    Se não adoram as imagens porque as carregam em procissões? porque beijam os seus pés? porque se prostam diante delas? porque carregam elas em terços, camisas, cordões, etc?
    é mais que comprovado que os católicos realmente adoram tais imagens de barro.

    A adoração à imagens é uma herança das culturas Romana e grega.

  40. diego disse:

    rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrr!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    texto informal!!!!!!!!!
    rsrsrsrsrsrsrsrsrssssssssssss!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    carambaaaaaaaaaaaaaaa, depois de um texto tão grande explicando a respeito de kephas, você ainda não prestou atenção e diz que nessa passagem jesus se refere a ele próprio, ja vi que com você não tem jeito mesmo, expliquei tão bem explicado qualquer ser com o minimo de inteligência seria capaz de entender pois os fatos que coloquei em minhas postagens são claro, e o melhor, são fatos mostrados pela raiz dos acontecimentos, e não por palavras ouvidas de qualquer homem e repassadas para outras pessoas com o intuito de se estar com a razão, já ti disse uma vez e vou ti dizer dinovo leia com atenção e tente entender os fatos como eles são!!!!!!!!!!!!!
    você parece dois mineiros amigos meu pô, que são cabeça dura pra caramba………

  41. diego disse:

    quanto a adoração gladstonier, VAMOS VER O QUE DIZ O CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA (Livro que ensina sobre a fé católica), VEJA:

    VENERAÇÃO E NÃO ADORAÇÃO

    971 “Toda as gerações me chamarão de Bem-Aventurada” (Lc 1, 48). A piedade da igreja com a Virgem Maria é intríseca ao culto cristão.A Virgem Maria é legitimamente honrada com culto de veneração (culto de homenagem, adoração só para Deus) pela Igreja. Com efeito, desde remotíssimos tempos, a bem-aventurada Virgem é venerada sob título de ” Mãe de Deus”, sob cuja proteção aos fiéis suplicantes(pedem intercessão, isto é, pedem pela providência Divina, não pela graça, porque Maria não santifica nada, só Deus que santifica (1tm 1, 1-4))… esse culto de homenagem… embora inteiramente singular, difere essencialmente do CULTO DE ADORAÇÃO que se presta ao Verbo Encarnado e igualmente ao Pai e ao Espírito Santo, mas o favorece, este culto encontra sua expressão nas festas litúrgicas dedicadas à Mãe de Deus e na oração mariana, tal como o Santo Rosário, ” resumo de todo Evangelho”.

    PORTANTO, PESSOAS QUE ADORAM:

    MARIA, DINHEIRO, PASTOR, PE.CÍCERO E OUTROS NÃO SÃO CRISTÃOS!!!!!

    SI VOCÊ LEVANTOU ISSO PARA PROVOCAR OS CATÓLICOS ENTÃO VOCÊ LEVANTOU FALSO TESTEMUNHO!!! É PECADO!!! VOCÊ SABIA???
    Fonte(s):
    Catecismo da Igreja Católica

  42. diego disse:

    e isso que eu disse serve para pedro, são paulo, são joão etc………
    aliás qual é a sua religião gladstonier?
    você parece ser um rapaz que tem muita vontade de compreender sobre a palavra de nosso senhor salvador………
    continue indo atrás da verdade, mais antes deverás tirar essa venda dos seus olhos, por que se não numca compeenderás o que estais diante de seus olhos…………..
    deus o abençoe, e que te ilumine muito em sua vida……………..

  43. Gladstonier disse:

    Caro Diego,

    Respondendo a sua pergunta sou Cristão Protestante, presbiteriano.

    Sinto muito te desapontar, mas se os católicos não adoram as imagens e os santos, então eu não conheço muitos católicos. Pois as pessoas que eu conheço que se dizem católicas ADORAM os santos e as imagens sim. Beijar os pés de uma imagem, não é adorar? Carregar uma imagem em um procissão não é adorar? Louvar um santo com cânticos não é uma forma de adoração?
    Lembre-se que todo louvor deve ser dado a Deus.

    Sem contar que as pessoas dimiuem a glória de Deus ao atribuir curas aos santos: “eu pedi com fé e santo Expedito, o santo das causas impossíveis me atendeu”; “óh Maria Mãe de Deus tende piedade de mim”; você conhece esta música: “Cubra-me com seu manto de amor Guarda-me na paz desse olhar Cura-me as feridas e a dorme faz suportar” (não é Deus quem cura as feridas?).

    Não precisamos de intercessores junto a Jesus, pois a morte de Jesus nos deu livre acesso ao Pai.

    O que falo não é falso testemunho pois o que digo é o que vejo. Se você não adora aos santos e as imagens não cante a música nossa senhora. Meus parabéns, estou surpreso por conhecer um católico que não adora as imagens e nem os santos.

    Desejo que Deus lhe mostre o único caminho para a salvação, Jesus. Pois aquele que usa outro meio para “complementar” a salvação de Jesus não conhece a verdade. E tentar usar outro meio para a salvação seria duvidar da obra salvívica de Jesus Cristo.

    Conheço até mesmo alguns padres que se converteram, verdadeiramente, a Cristo. Acredito que seja possível a sua conversão.

    E sinceramente, adoraria ter um irmão como você pregando o evangélho de forma verdadeira, pois já vi que você busca conhecimento, pena ter sido enganado. Mas vou orar para que Deus tenha piedade de você e se for da vontade dEle, que você se converta.

    Graça e paz!!!

    fique com Deus.

  44. diego disse:

    irmão gladstonier, tudo que coloquei aqui tem fundamento e o melhor, eu não falo o que dizem, mais sim eu mesmo vou atrás da verdade buscando em livros, pesquisando também nos livros apócrifos que são livros escritos ainda no seculo I e que apesar de não serem incluídos no canôn bíblico são indispensaveis para um entendimento a respeito da igreja católica postólica romana onde se podem ver a existencia de nossa igreja católica postolica romana, ainda no primeiro século, já para mostrar à aqueles que acreditam que a igreja católica não é a igreja de cristo….
    e quando disse a respeito de venerar e adorar você deveria prestar mais uma vez a atenção, pois está explicado a respeito de venerar e adorar, quanto as pessoas que você conhece que adoram como você está dizendo, eu também disse na postagem acima que pessoas que adoram maria,dinheiro, pastor e outros não são cristão!!!!!!!!
    repito não são cristão!!!!!!!!!!!!!!!!!
    e mais uma vez ti digo levantais falso testemunho uma vez, e agora estais levantando falso testemunho dinovoooooooooooo!!!!!!!!!!!
    estais pecando dinovo por levantar falso testemunho, errar é próprio do ser humano persistir no erro é tolice……..
    o melhor que você deve fazer agora é abrir os olhos dos cristãos que você conhece e mostrar a eles o que é venerar e adorar, para eles não errarem mais, mais não tente fazer eles mudarem de religião, pois você estará sendo pretencioso……………..

  45. diego disse:

    como eu disse você costuma julgar por palavras de um homem qualquer, como na musica que sitou, quem as escreveu foi um homem qualquer não importa se é roberto carlos ou não, pra mim é um homem quaquer e não diferenciará coisa alguma pra mim, pra mim o que importa é jesus se você costuma ir por palavras de seres humano, a única coisa que posso ti dizer é que na biblia diz maldito o homem que confia no outro homem, se você confia em roberto carlos, pastor ou padre tens que começar a mudar essa mente irmão gladstonier!!!!!!

  46. Gladstonier disse:

    Caro irmão Diego,
    Você disse que pesquisa em livros mas não confia em homens, estes livros que você lê são escritos por algum ser sobre-humano?
    Eu não acredito que os livros apócrifos foram inspirados por Deus, por tanto não confio no que dizem nos mesmos.
    Não dei falso testemunho visto que o que disse é que não conheço muitos católicos, se não é pratica do catolicismo adorar imagens e santos, poderia dizer ainda que não conheço nenhum padre católico, pois os que conheço adoram as imagens e santos.
    Sem contar o ato da igreja católica de canonizar pessoas tornando-as santas. Santo no conceito bíblico é separado. E todos os irmão são considerados santos (Efésios : 1 Paulo, apóstolo de Cristo Jesus por vontade de Deus, aos santos que vivem em Éfeso e fiéis em Cristo Jesus…), por que dar mais importância a alguns se “não há um justo sequer” (romanos 3:10).
    Confio no pastor, padre ou quem quer que seja que me provar que o que diz condiz com a verdade bíblica.
    Caro irmão você é quem precisa tirar esta milenar venda dos olhos, esta venda passada de geração pra geração.
    Mas se queres continuar enganado, sinto muito. Mas o que posso fazer se o desejo de adorar a Deus vem do próprio Deus(salmos 22:25 e 50:14) .

  47. Gladstonier disse:

    Ainda com relação a pedra angular existem diversas passagens na bíblia que apontam para Jesus como a pedra angular.
    Mas podemos ver a resposta de Pedro para esta pergunta (quem é a pedra angular?): Atos dos apóstolos 4 – 11 Ele é a pedra que foi rejeitada por vós, os edificadores, a qual foi posta como pedra angular.
    12 E em nenhum outro há salvação; porque debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, em que devamos ser salvos.

    Acho que Pedro não tinha sido informado que a igreja catolica, supostamente primitiva, considerava ele a pedra angular.

    Graça e paz!!!

    E busque a verdade com a intenção de encontrá-la e não com medo.
    Fique com Deus!!!

  48. Gladstonier disse:

    Só pra não deixar dúvidas sobre Atos 4, aqui está um trecho mais completo onde pode-se tirar melhores conclusões:
    Atos 4:

    8 Então Pedro, cheio do Espírito Santo, lhes disse: Autoridades do povo e vós, anciãos,
    9 se nós hoje somos inquiridos acerca do benefício feito a um enfermo, e do modo como foi curado,
    10 seja conhecido de vós todos, e de todo o povo de Israel, que em nome de Jesus Cristo, o nazareno, aquele a quem vós crucificastes e a quem Deus ressuscitou dentre os mortos, nesse nome está este aqui, são diante de vós.
    11 Ele é a pedra que foi rejeitada por vós, os edificadores, a qual foi posta como pedra angular.
    12 E em nenhum outro há salvação; porque debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, em que devamos ser salvos.
    13 Então eles, vendo a intrepidez de Pedro e João, e tendo percebido que eram homens iletrados e indoutos, se admiravam; e reconheciam que haviam estado com Jesus.

    Vejamos no capítulo 8 que ele disse por que estava cheio do Espírito Santo.
    Graça e Paz a todos!!!

  49. diego disse:

    caro irmão gladstonier, quando escrevi a respeito dos livros apócrifos, foi apenas para le informar quanto da existencia da igreja católica postólica romana que é sitada ainda no primeiro século no ano de 93 d.c. 120 d.c., obs: apenas pra le informar que ela já existia, e sempre existiu apartir de cristo edificando-a em pedro, “ao contrario do que você falou que a igreja católica postólica romana tinha começado apartir do imperador constantino”,que como você sabe constantino foi um imperador apartir do final do séculoII PARA SÉCULOIII, então já se ve que está provado da existencia da igreja católica postólica romana e que não tem como descutir sobre a existencia de nossa igreja…
    e mais não falei pra você confiar nos livros apócrifos, eles só foram sitados para mostrar algo que já se falava no primeiro século e não para os seguirem o que é diferente,muito pelo contrario como eu disse nas postagens anteriores, os livros apócrifos apesar de terem muita coisa interessante a respeito dos anos que jesus esteve com nosco aqui na terra, eles não são reconhecido pela santa igreja católica para serem adicionados ao canon biblico, pois não tem uma autenticidade reconhecida e comprovada……
    e ja é a terceira vez que vou ti dizer irmão gladstonier, as pessoas que adoram como você insiste em sitar em suas postagens, elas não são católicas, ou melhor são católicas da boca pra fora, então irmão gladstonier, não se pode matar um rebanho todo por causa de um boi doente se você tivesse um pingo de respeito por nóis católicos não levantaria tantas falsas injurias…
    e mais estais julgando por antecipação pois não sabes o que tem no coração das pessoas que você diz que adoram, apenas nosso senhor jesus cristo quem conhece de verdade os corações dessas pessoas, e é o único que pode julga-las…

  50. diego disse:

    e mais, como eu e todo mundo você irmão gladstonier, tambem teve uma mãe e um pai e se vocÊ tiver um pingo de amor nesse coração, verás que ja beijou a sua mãe algumas vezes, então irmão gladstonier, nem tudo que a gente ve é o que parece quando você beijou a sua mãe, você não estava adorando a sua mãe, mais sim demonstrando um certo afeto de veneração à aquela quem o colocou na terra e ti amou como ninguem te ama,então irmão quando falei que você estava levantando falso testemunho confirmo denovo, julgas sem conhecer os corações das pessoas…
    a não ser que os momentos de afeto que tens com sua mãe é de “cão e gato”…
    rsrsrsrrssssssss……

  51. diego disse:

    já a respeito da pedra angular gladstonier, em varias passagens biblicas se mostra que jesus é a pedra angular como você disse, mais no vesículo que te mostrei a respeito de kephas veis que a pedra que jesus se refere é a de pedro, e como eu disse basta ter um minimo de intelilencia para se entender essa passagem que coloquei em postagem anterior a respeito da santa igreja católica…
    repito não disse que a pedra angular é pedro irmão gladstonier mais sim que nessa passagem jesus se refere a pedro o que é diferente irmão gladstonier, nunca tive dúvida de que jesus é a pedra angular, tens que parar de tentar colocar palavras em minha boca irmão gladstonier!!!!!!!!!!!

  52. Gladstonier disse:

    Insisto em dizer que quando Jesus disse: “tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja” ele se referia ao que Pedro disse no versículo 16: E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo. O que acrescido dos diversos trechos que chamam Jesus de a “pedra angular” seria mais lógico. Esta é a hermeneutica protestante na qual me embaso e que, a meu ver é mais lógica.

    Quanto a adoração e atribuição de milagres e curas a santos, não disse que os católicos que você denomina “verdadeiros” que praticam. Mas você diss que “não se pode matar um rebanho todo por causa de um boi doente”, mas eu só conheço, antes de te ter ouvido falar, bois doentes. Se perguntar aos “católicos” que conheço eles vão admitir que adoram e dizer que Jesus ficaria feliz, visto que ela é a mãe dele.

    Nunca existiu este laço todo entre Maria e Jesus, visto que ele já existia antes de usá-la como instrumento para fazê-lo virar carne. Ele é o Deus filho, que desde o principio esteve com o Deus Pai.

    57 Disseram-lhe, pois, os judeus: Ainda não tens cinqüenta anos,
    e viste Abraão?
    58 Disse-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que antes que Abraão existisse, eu sou.

  53. Gladstonier disse:

    Jesus diminuiu muito a importância de Maria como santa quanto disse no trecho abaixo:

    Mateus 12:
    46 E, falando ele ainda à multidão, eis que estavam fora sua mãe e seus irmãos, pretendendo falar-lhe.
    47 E disse-lhe alguém: Eis que estão ali fora tua mãe e teus irmãos, que querem falar-te.
    48 Ele, porém, respondendo, disse ao que lhe falara: Quem é minha mãe? E quem são meus irmãos?
    49 E, estendendo a sua mão para os seus discípulos, disse: Eis aqui minha mãe e meus irmãos;
    50 Porque, qualquer que fizer a vontade de meu Pai que está nos céus, este é meu irmão, e irmã e mãe.
    Maria foi um mulher muito digna, mas foi uma mulher e não tem poder nenhum. Ela foi serva do Senhor assim como nós somos. Mas foi bem-aventurada (felicissima) de ter sido o ventre escolhido para tornar o Verbo carne.

  54. diego disse:

    exatamente estais começando a compreender irmão gladstonier, fico feliz em ver que você começa a ter a mente sendo aberta e como você diz esses católicos que dizem em adorar,só nosso senhor jesus para ter piedade deles, e tambem como você disse e eu falei maria não santifica nada quem santifica é jesus…..
    quanto a pedra que você ensiste em dizer o que posso ti falar,o que eu disse ja ti falei e expliquei cabe a quem viu a explicação tomar a sua decisão pois a salvação é individual……
    fica com deus irmão gladstonier e que um dia nóis se encontre no lugar em que deus tem de nos prepara!!!!!!!!!!

  55. diego disse:

    a irmão gladstonier,
    Gostaria de lhe explicar, um pouco mais, o que significam as palavras do anjo a Nossa Senhora, quando a saudou, anunciando-lhe que ela seria a Mãe do Redentor.

    O anjo disse a Maria: “Deus te salve, ó cheia de graça”. Essa expressão “cheia de graça”, é um vocativo. É como um nome que o anjo deu a ela.

    A palavra que expressa isso, em grego, é kekaretome, palavra que significa ser que foi desde sempre, que é ainda agora, e que continua sendo cheia de graçai, isto é Imaculada.

    Portanto, o anjo diz, no Evangelho, que Nossa Senhora foi, é, e sempre será.

    como dissemos ela não santifica nada mais deve ter o meu respeito o seu e de todo mundo……

    e quando um crente a chinga, ele esta demostrando o que tem de verdade no seu coração, pois se chinga ela que foi a mãe de jesus a cheia de graça, chinga até mesmo eu você e qualquer pessoa….

    que a paz do senhor esteja contigo irmão gladstonier……

  56. diego disse:

    vamos colocar desde o versículo 13.

    13. Chegando ao território de Cesaréia de Filipe, Jesus perguntou a seus discípulos: No dizer do povo, quem é o Filho do Homem?

    14. Responderam: Uns dizem que é João Batista; outros, Elias; outros, Jeremias ou um dos profetas.

    15. Disse-lhes Jesus: E vós quem dizeis que eu sou?

    16. Simão Pedro respondeu: Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo!

    17. Jesus então lhe disse: Feliz és, Simão, filho de Jonas, porque não foi a carne nem o sangue que te revelou isto, mas meu Pai que está nos céus.

    18. E eu te declaro: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja; as portas do inferno não prevalecerão contra ela.

    agora tirem as conclusões vou postar dinovo a postagem que coloquei anteriormente referente ao versículo 18. que foi dito por jesus em aramaico: e eu te declaro: tu és kephas, e sobre essa kephas edificarei a minha igreja; as portas do inferno não prevalecerão contra ela.

    e como vemos a igreja católica é persseguida desde sua edificação em pedro até os dias de hoje, mais jesus não mente as portas do inferno não prevalecerão contra ela.

  57. diego disse:

    leia dinovo irmão gladstonier, quem sabe agora você ja esteja preparado para se redimir e assumir o erro que te persegue irmão, mais não tenha preguiça, leia com calma sinta jesus falar com você irmão, e assuma o erro…..

    O diálogo a seguir ilustra muito bem um debate entre um católico e um protestante quando este argumenta que a “Pedra” citada por Jesus em Mt 16,18 jamais poderia referir-se a Pedro, mas sim ao próprio Jesus, uma vez que as Sagradas Escrituras em muitas passagens identifica Jesus como a “rocha”, a “pedra angular”.

    Antes de apresentar o diálogo, a Barca de Jesus observa que embora na maioria das passagens bíblicas “pedra” ou “rocha” realmente se refira a Jesus, existem exceções. O próprio Jesus que disse ser a “Luz do Mundo” (Jo 8,12) disse aos apóstolos que também eles deveriam ser “Luz do Mundo” (Mt 5,13). Além da passagem de Mt 16,18 onde a “pedra” referida não se trata de Jesus, como veremos claramente no diálogo abaixo, temos também, por exemplo, Is 51,1-2 (a “pedra” é Abraão) e 1Pd 2, 4-5 (”pedras vivas” é Jesus e também são os cristãos).

    O fato de Jesus aplicar a Pedro uma figura que a Bíblia exaustivamente aplica a Jesus, bem mostra a intenção de Jesus em fazer de Pedro um representante de Cristo na terra. O que, por sinal, Ele confirmou explicitamente ao dar autoridade a Pedro não apenas de ligar e desligar na terra, mas também no Céu. Vamos, então, ao diálogo:

    Protestante:

    Em grego, a palavra para pedra é petra, que significa uma rocha grande e maciça. A palavra usada como nome para Simão, por sua vez, é petros, que significa uma pedra pequena, uma pedrinha.

    Católico:

    Na verdade, todo este discurso é falso. Como sabem os conhecedores de grego (mesmo os não católicos), as palavras petros e petra eram sinônimos no grego do primeiro século. Elas significaram “pequena pedra” e “grande rocha” em uma velha poesia grega, séculos antes da vinda de Cristo, mas esta distinção já havia desaparecido no tempo em que o Evangelho de São Mateus foi traduzido para o grego. A diferença de significados existe, apenas, no grego ático, mas o NT foi escrito em grego Koiné – um dialeto totalmente diferente. E, no grego koiné, tanto petros quanto petra significam “rocha”. Se Jesus quisesse chamar Simão de “pedrinha”, usaria o termo lithos. (para a admissão deste fato por um estudioso protestante, veja D. Carson, The expositors Bible Commentary [Grand Rapids: Zondervan, 1984], Frank E. Gaebelein, ed., 8: 368).

    Porém, ignorando a explicação, insiste o protestante:

    Vocês, católicos, por desconhecerem o grego, pensam que Jesus comparava Pedro à rocha. Na verdade, é justamente o contrário. Ele os contrastava. De um lado, a rocha sobre a qual a Igreja seria construída: o próprio Jesus (”e sobre esta PETRA edificarei a Minha Igreja”). De outro, esta mera pedrinha (”Simão tu és PETROS”). Jesus queria dizer que ele mesmo seria o fundamento da Igreja, e que Simão não estava sequer remotamente qualificado para isto.

    Católico:

    Concordo que devemos ir do português para o grego. Mas, com certeza, você concordará que, igualmente, devemos ir do grego para o aramaico. Como você sabe, esta foi a língua falada por Jesus, pelos apóstolos e por todos os judeus da Palestina. Era a língua corrente da região.

    Muitos, talvez a maioria, soubessem grego, pois esta era a língua franca do Mediterrâneo. A língua da cultura e do comércio. A maioria dos livros do NT foi escrita em grego, pois não visavam apenas os cristãos da Palestina, mas de outros lugares como Roma, Alexandria e Antioquia, onde o aramaico não era falado.

    Sabemos que Jesus falava aramaico devido a algumas de suas palavras que nos foram preservadas pelos Evangelhos. Veja Mt 27,46, onde ele diz na cruz, “Eli, Eli, Lama Sabachtani”. Isto não é grego, mas aramaico, e significa, “meu Deus, meu Deus, porque me abandonaste?”

    E tem mais: nas epístolas gregas de S. Paulo (por 4 vezes em Gálatas e outras 4 vezes em 1Coríntios), preservou-se a forma aramaica do novo nome de Simão. Em nossas bíblias, aparece como Cefas. Isto não é grego, mas uma transliteração do aramaico Kepha (traduzido por Kephas na forma helenística).

    E o que significa Kepha? Uma pedra grande e maciça, o mesmíssimo que petra. A palavra aramaica para uma pequena pedra ou pedrinha é evna. O que Jesus disse a Simão em Mt 16,18 foi “tu és Kepha e sobre esta kepha construirei minha igreja.”

    Quando se conhece o que Jesus disse em aramaico, percebe-se que ele comparava Simão à rocha; não os estava contrastando. Podemos ver isto, vividamente, em algumas versões modernas da bíblia em inglês, nas quais este versículo é traduzido da seguinte forma: ‘You are Rock, and upon this rock I will build my church’. Em francês, sempre se usou apenas pierre tanto para o novo nome de Simão, quanto para a rocha.

    Protestante:

    Se kepha significa petra, porque a versão grega não traz “tu és Petra e sobre esta petra edificarei a minha Igreja”? Por que, para o novo nome de Simão, Mateus usa o grego Petros que possui um significado diferente do petra?

    Católico:

    Porque não havia escolha. Grego e aramaico têm diferentes estruturas gramaticais. Em aramaico, pode-se usar kepha nas duas partes de Mt 16,18. Em grego, encontramos um problema derivado do fato de que, nesta língua, os substantivos possuem terminações diferentes para cada gênero.

    Existem substantivos femininos, masculinos e neutros. A palavra grega petra é feminina. Pode-se usá-la na segunda parte do texto sem problemas. Mas não se pode usá-la como o novo nome de Simão, porque não se pode dar, a um homem, um nome feminino. Há que se masculinizar a terminação do nome. Fazendo-o, temos Petros, palavra já existente e que também significava rocha. (Obs da Barca de Jesus: Estrutura semelhante ocorre na língua portuguesa: Pedro e pedra.)

    Por certo, é uma tradução imperfeita do aramaico; perdeu-se parte do jogo de palavras. Mas, em grego, era o melhor que poderia ser feito.

    Além da evidência gramatical, a estrutura da narração não permite uma diminuição do papel de Pedro na Igreja. Veja a forma na qual se estruturou o texto de Mt 16,15-19.
    Jesus não diz: “Bendito és tu, Simão. Pois não foi nem a carne nem o sangue que te revelou este mistério, mas meu Pai, que está nos céus. Por isto, eu te digo: és uma pedrinha insignificante, e sobre a rocha edificarei a minha Igreja. … Eu te darei as chaves do reino dos céus.”

    Ao contrário, Jesus abençoa Pedro triplamente, inclusive com o dom das chaves do reino, mas não mina a sua autoridade. Isto seria contrariar o contexto. Jesus coloca Pedro como uma forma de comandante ou primeiro ministro abaixo do Rei dos Reis, dando-lhe as chaves do Reino. Como em Is 22,22, os reis, no AT, apontavam um comandante para os servir em posição de grande autoridade, para governar sobre os habitantes do reino. Jesus cita quase que verbalmente esta passagem de Isaías, o que torna claríssimo aquilo que Ele tinha em mente. Ele elevou Pedro como a figura de um pai na família dos cristãos (Is 22,21), para guiar o rebanho (Jo 21,15-17). Esta autoridade era passada de um homem para outro através dos tempos pela entrega das chaves, que se usavam sobre os ombros em sinal de autoridade. Da mesma forma, a autoridade de Pedro foi transmitida, nestes dois mil anos, através do papado.

    compeendesse irmão gladstonier, não tem pra onde correr, por mais que os protestantes coloquem barreiras para corromper a igreja católica ela jamais sera corrompida, pois como expliquei, e como jesus disse, repito mais uma vez jesus disse: as portas do inferno não prevalecerão contra ela, não adianta tentar prevalecer contra a igreja católica postólica romana que é a igreja de cristo, pois jesus não permetiu nesses 2 mil anos, não será agora que alguem derrubara a igreja de cristo…..

  58. Patricia disse:

    Parabéns Diego, fiquei muito feliz com sua colocação, e que esse irmão assim como muitos outros protestantes que usam de seu tempo para disseminar mentiras na internet, possam pensar em criar um mundo mais humano para tantos filhos de Deus que necessitam de ajuda. Eles se apegam a falsas ideologias e o que Jesus mais enfatizou que é amar o próximo como a nós mesmos deixam de lado. Empenhem-se em obras sociais e humanitárias e deixem de lado essas falsas idéias.
    Abraço fraterno católico!

  59. diego disse:

    só para finalizar irmão gladstonier, voltando um pouco a falar de nossa senhora, você sabia que o criador do protestantismo, “lutero” homem que vocês o seguem de 1500 até os dias de hoje era um homem que admirava nossa senhora e muito, e se você for atrás de muitos escritos que foram escritos por ele próprio “lutero”, verás que ele exalta nossa senhora e muito, e que depois que começaram a vir outros protestantes é que começaram essa grande perseguição a mãe de deus, a cheia de graça, e que todos protestantes hoje usa isso como uma arma para crescerem com suas igrejas, e deixarem as mentes das pessoas que não tem o conhecimento da palavra totalmente confusa!!!!

    veis um trecho de que lutero escreveu:

    ”Quem são todas as mulheres, servos, senhores, príncipes, reis, monarcas da Terra comparados com a Virgem Maria que, nascida de descendência real (descendente do rei Davi) é, além disso, Mãe de Deus, a mulher mais sublime da Terra? Ela é, na cristandade inteira, o mais nobre tesouro depois de Cristo, a quem nunca poderemos exaltar bastante (nunca poderemos exaltar o suficiente), a mais nobre imperatriz e rainha, exaltada e bendita acima de toda a nobreza, com sabedoria e santidade.”

    (Martinho Lutero, ”Comentário do Magnificat”, cf. escritora evangélica M. Basilea Schlink, revista ”Jesus vive e é o Senhor”).

    veja outro aqui irmão gladstonier:

    ”Por justiça teria sido necessário encomendar-lhe [para Maria] um carro de ouro e conduzi-la com quatro mil cavalos, tocando a trombeta diante da carruagem, anunciando: ‘Aqui viaja a mulher bendita entre todas as mulheres, a soberana de todo o gênero humano’. Mas tudo isso foi silenciado; a pobre jovenzinha segue a pé, por um caminho tão longo e, apesar disso, é de fato a Mãe de Deus. Por isso não nos deveríamos admirar, se todos os montes tivessem pulado e dançado de alegria.” (Martinho Lutero – Comentário do Magníficat).

    pra concluir os protestantes de hoje em dia não veem a reforma do protestantismo, mais sim veem o que é melhor para atacar a igreja de cristo ” catolica postolica romana ” e conseguirem mais fiéis para as suas igrejas.

  60. diego disse:

    e para explicar mais a respeito do falso testemunho seu gladstonier, que diz que nóis católicos adoramos imagens, o que não é verdade e que tambem já expliquei aqui, acho que já é hora de colocar a explicação através de um ex. protestante, que era igual a você e a todos protestantes, pesso por favor que entre nesse link que colocarei aqui para que veja um video a respeito da injuria que você colou aqui sobre a idolatria….

    http://blog.veritatis.com.br/index.php/2009/09/07/a-idolatria-na-igreja-catolica-parte-1/

    copie e cole no seu navegador gladstonier e veja que pessoas como você são enroladas discaradamente, quando dizem tantos falsos testemunhos…..

  61. Gladstonier disse:

    Se Letero exaltou Maria ele errou ao fazê-lo. Não é porque ele deu início ao protestantismo que suas idéias eram perfeitas, ele errou e feio ao exaltá-la veja abaixo o que o próprio Cristo disse sobre isso:
    Lucas 11:
    27 E aconteceu que, dizendo ele estas coisas, uma mulher dentre a multidão, levantando a voz, lhe disse: Bem-aventurado o ventre que te trouxe e os peitos em que mamaste.
    28 Mas ele disse: Antes bem-aventurados os que ouvem a palavra de Deus e a guardam.
    Maria não foi superior a nós, foi felicíssima, mas não digna de adoração, veneração, exaltação ou seja lá o que for.
    Graça, paz e Jesus!!!

  62. Gladstonier disse:

    Para terminar esta discussão, que pelo visto não nos levará a lugar nenhum deixo alguns versículos.

    “Pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar-se-ão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos” 2 Timóteo 4:3

    ” e se recusarão dar ouvidos a verdade entregando-se às fabulas” 2timoteo 4:4

    “Não deis aos cães o que é santo, nem lanceis ante os porcos as vossas pérolas, para que não as pisem com os pés e, voltando-se, vos dilacerem.”
    MATEUS 7:6

    Graça e paz!!!

  63. diego disse:

    como que você disse sercarão de mestres!!!!!
    quem são os mestres hoje de suas próprias cobiças?
    rsrsrsrsrsrsrsrss…….
    os seres que agarraram suas profissões atrás da imagem de jesus para sustentar suas familias em busca de um salário de pastores, onde muitos se quer estudam a palavra e tem a cara de pau em dizer que o espirito santo os ilumina, é a essas pessoas que você está se referindo irmão gladstonier?
    veis agora aonde o protestantismo o leva irmão, e quando você diz que maria não é digna de “adoração” isso ja ti disse que nem ela nem ninguem é digna, a não ser o nosso senhor jesus cristo. Agora se eu “venero” a minha mãe e meu pai é por que eu os amo e muito, e se você não tem a dignidade de amar ninguem como podes seguir jesus?
    sendo que o próprio diz “AMAI-VOS UNS AOS OUTROS COMO EU VOS AMEI”.
    se não tem a dignidade de venerar ninguem com seu coração, quem éis tu irmão, que exalta um deus com coração de pedra, será que estais querendo ser igual a muitos que querem se casar e ter um salário de pastor?, e se esconder atrais de cristo também?
    irmão, vou ti dar um conselho, não se sujeita a cobiça do dinheiro, não se auto rebaixe perante a sociedade em beneficio próprio pois quem procura essa cobiça não será feliz perante o “salvador”, e quando digo que não a estudo entre os pastores não estou genaralizando, mais muitos que conheço não tem o conhecimento de nada e se dizem ser iluminados pelo espirito santo.
    pois um dia irmão, jesus à de separar esses falsos profetas, e jesus dirá: mateus 25:41 Voltar-se-á em seguida para os da sua esquerda e lhes dirá: – Retirai-vos de mim, malditos! Ide para o fogo eterno destinado ao demônio e aos seus anjos.

  64. diego disse:

    e para finalizar com chave de ouro!!!!!!!
    rsrsssssss….
    veja o que estais escrito em salmos 126:1 :Salmo 126

    1. Cântico das peregrinações. De Salomão. Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a constroem. Se o Senhor não guardar a cidade, debalde vigiam as sentinelas.

    aqui completo irmão gladstonier, como eu disse que ta escrito jesus edificou a nossa santa igreja “católica postolica romana” em pedro, e como você pode ver no salmo 126 ” se o senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a constroem, e esta provado o senhor edificou a santa igreja católica, agora eu te pergunto:
    o senhor edificou a sua igreja?
    o senhor edificou todas as igrejas?
    a igreja da graça?
    a igreja universal?
    a igreja adventista?
    a assembléia?
    são todas edificadas por cristo?, e isso esta escrito?
    quando jesus edificou a nossa igreja ele não colocou a palavra “igreja” no singular?
    ou ele colocou igrejassssssssssssss e eu não vi?
    a sua igreja irmão é edificada por cristo?

    então irmão gladstonier, Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a constroem.

    quem construiu sua igreja não está trabalhando em vão?

    a pra terminar, no futuro irmão, não vais você tambem construir uma igreja não ta!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    fiquem com deus, que o senhor abençoe a todos……..

  65. ANA CAROLINA disse:

    BOM,A PAZ DO Senhor para todos!!!
    Eu só quero dizer que num dia em que alguma “padre ou membro da igreja católica” for em algum debate com um cristão protestante e eles “padre e o membro levarem a biblia para debater me avizem por favor!!!
    por que até hoje nuna vii isso,rsrsrs

  66. diego disse:

    é ana carolina padre não pode perante as leis de deus ficar debatendo com quem não queres conhecer a verdade, ja que não fara diferença para esses falsos profetas,e ao em vez de você colocar padre, por que você não coloca dois protestantes juntos de diferentes denominações, ai veras que o que eles pregam não são a verdade total, mais sim a verdade de suas igrejas, pois o que eles querem é “fiéis”, ja que ser protestante todos são mais o que importa de verdade é a conquista de fieis!!!!!!!!
    qual sua religião irmã?
    fica com deus, e abra os olhos irmão, aqui em cima coloquei postagens com explicações referentes a injurias que os protestantes colocam sobre a igreja de cristo que é a católica postolica romana, se for de seu interesse ver a realidade que os protestantes não colocam volte e analize e só então vveja quem tem a realidade…….

  67. diego disse:

    achei interessante o que esse padre colocou em um artigo em um blog católico e achei que deveria postar aqui:

    Autor: Pe. Alessander Carregari Capalbo
    Paróquia Santa Maria dos Pobres – Paranoá – DF
    Pároco
    Fonte: http://www.santamaria.org.br

    Sem dúvida nenhuma, despertou no meu interior o desejo de escrever este artigo, baseado numa matéria publicada no dia 23 de junho do corrente ano, que fazia referência a proliferação das seitas em locais carentes.

    O primeiro susto, ou melhor, a primeira pergunta que nasceu dentro de mim foi: será que Cristo fundou 300 igrejas (seitas) numa cidade satélite com um pouco mais de 100.000 habitantes? A coerência diante da História rapidamente respondeu minha pergunta através dos fatos ocorridos. Um dos grandes erros da Reforma foi afirmar que só a escritura basta, levando como conseqüência a livre interpretação da palavra de Deus. Neste fato já respondemos ao porquê da proliferação de tantas “igrejinhas”. É muito simples de fundar: aluga uma garagem, ou na própria casa, pega a bíblia e começa o grande empreendimento.

    Faço esta afirmação porque por detrás de tantas seitas está o dinheiro e o engano das pessoas, alcançado durante sua permanência no culto numa verdadeira lavagem cerebral. Tudo começa com a afirmação de que a pessoa está endemoninhada, que sua vida está amarrada (pela falta de emprego, por ser pobre, por passar dificuldades, etc.). Então a pessoa é chamada a arriscar. Neste momento o pastor usa uma voz distorcida imitando as “vozes do além”, a música e os focos de luzes do teatro estão estrategicamente a postos para provocar a histeria coletiva: pessoas desmaiam, têm ataques psicológicos que produzem efeitos no subconsciente e a conclusão sempre é a mesma: o demônio. É até engraçado!…
    Estes dias passando diante de uma destas seitas parei e fiquei olhando: apagaram todas as luzes do “templo” e acenderam uma luz vermelha que piscava, parecia filme de terror. Muitas pessoas naquele momento como afirmava o pastor estavam possuídas e por quem? Pelo diabo, é claro. Mas o mais importante é o que vem depois do “desencapetamento”: as promessas das bênçãos. Aqui deve entrar uma boa oferta porque o dinheiro é do demônio. Então tens que pagar o dízimo, tens que fazer oferta para ser levada à fogueira santa ou até mesmo para ser queimada (apesar de nunca ter escutado ou visto uma seita que queimasse o dinheiro).

    Aqui começa tudo, a pessoa cada vez mais tem a necessidade de dar porque quer um emprego, tudo gira em torno do ser rico, ganhar muito, ter muito dinheiro, saúde, amor, etc.

    Aqui está a explicação das “igrejas” que ficam o dia inteiro com as portas abertas: quanto mais pessoas, mais dinheiro e mais sucessos. Pessoas que diante do sofrimento de cada dia vão buscar um consolo e não sabem onde estão caindo!…

    No mesmo dia 23 deste mês, num site de noticias (ACI) se publicava uma matéria da KIRCHE IN NOT (Organização Internacional), sobre uma análise desta realidade, onde estas seitas oferecem roupas, comida, sapatos, etc.. Tudo para as pessoas começarem a freqüentar tal estabelecimento. Parece brincadeira, mas é assim que começam a comprar e a induzir as pessoas fragilizadas pela vida que se aproximam, e como estas são simples, caem facilmente no conto do “chapeuzinho vermelho”.

    Há mais ou menos três semanas atrás, recebi uma pessoa que freqüentou por seis anos uma destas seitas onde tudo lhe foi prometido. Foi “desencapetada” e era fiel no seu dízimo, passando até por privações em sua casa porque Deus precisava do seu dinheiro para abençoá-la. Depois de um tempo não tendo mais nada para ofertar, fez empréstimos no banco. Final da história: ficou com uma dívida grandíssima.
    Preocupada com a situação, procurou o pastor da igreja que freqüentava e lhe perguntou onde estavam as bênçãos que Deus lhe prometera… Estava cheia de dividas e não tivera nenhuma prosperidade na vida… Resposta do pastor: ”você é filha do demônio, por isso você não foi abençoada”.

    Agora termino com duas simples perguntas:

    1 – Parece séria uma resposta destas a uma mulher que fez tudo inocentemente e enganada?

    2 – Você já se perguntou quantas vezes a “igreja” que você pertence já se dividiu?

    Na tradução grega a palavra Diabolus significa divisor. Na origem de novas seitas, estão quase sempre divisões e desentendimentos entre pastores, e por isso proliferam. Ao não se entender com o outro pastor, logo forma a sua “igrejinha”. E o pior, ao invés de ajudarem, enganam pessoas simples que pensam estar no caminho certo. Formam-se seitas para todos os gostos do mercado: numa “igreja” é permitido aos jovens fazerem de tudo, na outra é possível casar várias vezes, na outra é fazer política partidária… E assim vai…
    A religião tem se tornado um meio de enriquecimento para poucos, enquanto os simples e pobres bancam tudo isso na esperança de uma mudança.

    Na escritura, Cristo faz uma afirmação muito categórica: “Guardai-vos dos falsos profetas… eles falam em meu nome… mas são lobos vorazes…” (Mt 7,15), prontos para devorar os que sofrem, os “pequenos” de quem fala o Evangelho. Mas será que Cristo ensinou a divisão, ensinou uma vida tranqüila?

    Pare e pense, porque você pode ser uma pessoa que está sendo enganada.

  68. Gladstonier disse:

    Irmão Diego, já havia encerrado o assunto mas não pude me calar mediante sua acusação infundada. Em primeiro lugar, sei que não generalizou, mas só pra constar sou presbiteriano e pra ser pastor presbiteriano é exigido o seminário.
    Igreja no conceito bíblico é a união de duas pessoas ou mais com o propósito de adorar a Deus e não a denominação, a corrompida denominação católica.
    E tenho dito,
    Graça e paz!!!

  69. Gladstonier disse:

    AS HERESIAS DOS LIVROS APÓCRIFOS

    Uma das grandes razões, talvez a principal delas, pelas quais os evangélicos rejeitam os Apócrifos, é devido a grande quantidade de heresias que tais livros apresentam. Fora isso, existem também lendas absurdas e fictícias e graves erros históricos e geográficos, o que fazem os Apócrifos serem desqualificados como palavra inspirada de Deus. A seguir daremos um resumo de cada livro e logo a seguir mostraremos seus graves erros.

    RESUMO DOS LIVROS

    TOBIAS – (200 a.C.)
    É uma história novelística sobre a bondade de Tobiel (pai de Tobias) e alguns milagres preparados pelo anjo Rafael.
    Apresenta:
    • justificação pelas obras – 4:7-11; 12:8
    • mediação dos Santos – 12:12
    • superstições – 6:5, 7-9, 19
    • um anjo engana Tobias e o ensina a mentir 5:16 a 19

    JUDITE – (150 a.C.) É a História de uma heroína viúva e formosa que salva sua cidade enganando um general inimigo e decapitando-o. Grande heresia é a própria história onde os fins justificam os meios.

    BARUQUE – (100 d.C.) – Apresenta-se como sendo escrito por Baruque, o cronista do profeta Jeremias, numa exortação aos judeus quando da destruição de Jerusalém. Porém, é de data muito posterior, quando da segunda destruição de Jerusalém, no pós-Cristo.
    Traz entre outras coisas, a intercessão pelos mortos – 3:4.

    ECLESIÁSTICO – (180 a.C.) – É muito semelhante ao livro de Provérbios, não fosse as tantas heresias:
    • justificação pelas obras – 3:33,34
    • trato cruel aos escravos – 33:26 e 30; 42:1 e 5
    • incentiva o ódio aos Samaritanos – 50:27 e 28

    SABEDORIA DE SALOMAO – (40 d.C.) – Livro escrito com finalidade exclusiva de lutar contra a incredulidade e idolatria do epicurismo (filosofia grega na era Cristã).
    Apresenta:
    • o corpo como prisão da alma – 9:15
    • doutrina estranha sobre a origem e o destino da alma 8:19 e 20
    • salvação pela sabedoria – 9:19

    1 MACABEUS – (100 a.C.) – Descreve a história de 3 irmãos da família dos “Macabeus”, que no chamado período ínterbíblico (400 a.C. 3 a.D) lutaram contra inimigos dos judeus visando a preservação do seu povo e terra.

    II MACABEUS – (100 a.C.) – Não é a continuação do 1 Macabeus, mas um relato paralelo, cheio de lendas e prodígios de Judas Macabeu.
    Apresenta:
    • a oração pelos mortos – 12:44 – 46
    • culto e missa pelos mortos – 12:43
    • o próprio autor não se julga inspirado -15:38-40; 2:25-27
    • intercessão pelos Santos – 7:28 e 15:14

    ADIÇÕES A DANIEL:
    capítulo 13 – A história de Suzana – segundo esta lenda Daniel salva Suzana num julgamento fictício baseado em falsos testemunhos.
    capítulo 14 – Bel e o Dragão – Contém histórias sobre a necessidade da idolatria.
    capítulo 3:24-90 – o cântico dos 3 jovens na fornalha.

    LENDAS, ERROS E HERESIAS

    1. Histórias fictícias, lendárias e absurdas
    Tobias 6.1-4 – “Partiu, pois, Tobias, e o cão o seguiu, e parou na primeira pousada junto ao rio Tigre. E saiu a lavar os pés, e eis que saiu da água um peixe monstruoso para o devorar. À sua vista, Tobias, espavorido, clamou em alta voz, dizendo: Senhor, ele lançou-se a mim. E o anjo disse disse-lhe: Pega-lhe pelas guerras, e puxa-o para ti. Tendo assim feito, puxou-o para terra, e o começou a palpitar a seus pés

    2. Erros Históricos e Geográficos
    Os Apócrifos solapam a doutrina da inerrância porque esses livros incluem erros históricos e de outra natureza. Assim, se os Apócrifos são considerados parte das Escrituras, isso identifica erros na Palavra de Deus. Esses livros contêm erros históricos, geográficos e cronológicos, além de doutrinas obviamente heréticas; eles até aconselham atos imorais (Judite 9.10,13). Os erros dos Apócrifos são freqüentemente apontados em obras de autoridade reconhecida. Por exemplo:
    O erudito bíblico DL René Paehe comenta: “Exceto no caso de determinada informação histórica interessante (especialmente em 1. Macabeus) e alguns belos pensamentos morais (por exemplo Sabedoria de Salomão),
    Tobias… contém certos erros históricos e geográficos, tais como a suposição de que Senaqueribe era filho de Salmaneser (1 .15) em vez de Sargão II, e que Nínive foi tomado por Nabucodonosor e por Assuero (14.15) em vez de Nabopolassar e por Ciáxares… Judite não pode ser histórico porque contém erros evidentes… [Em 2 Macabeus] há também numerosas desordens e discrepâncias em assuntos cronológicos, históricos e numéricos, os quais refletem ignorância ou confusão..

    3. Ensinam Artes Mágicas ou de Feitiçaria como método de exorcismo
    a) Tobias 6.5-9 – “Então disse o anjo: Tira as entranhas a esse peixe, e guarda, porque estas coisas te serão úteis. Feito isto, assou Tobias parte de sua carne, e levaram-na consigo para o caminho; salgaram o resto, para que lhes bastassem até chegassem a Ragés, cidade dos Medos. Então Tobias perguntou ao anjo e disse-lhe: Irmão Azarias, suplico-lhe que me digas de que remédio servirão estas partes do peixe, que tu me mandaste guardar: E o anjo, respondendo, disse-lhe: Se tu puseres um pedacinho do seu coração sobre brasas acesas, o seu fumo afugenta toda a casta de demônios, tanto do homem como da mulher, de sorte que não tornam mais a chegar a eles. E o fel é bom para untar os olhos que têm algumas névoas, e sararão”
    b) Este ensino que o coração de um peixe tem o poder para expulsar toda espécie de demônios contradiz tudo o que a Bíblia diz sobre como enfrentar o demônio.
    c) Deus jamais iria mandar um anjo seu, ensinar a um servo seu, como usar os métodos da macumba e da bruxaria para expulsar demônios.
    d) Satanás não pode ser expelido pelos métodos enganosos da feitiçaria e bruxaria, e de fato ele não tem interesse nenhum em expelir demônios (Mt 12.26).
    e) Um dos sinais apostólicos era a expulsão de demônios, e a única coisas que tiveram de usar foi o nome de Jesus (Mc 16.17; At 16.18)

    4. Ensinam que Esmolas e Boas Obras – Limpam os Pecados e Salvam a Alma
    a) Tobias 12.8, 9 – “É boa a oração acompanhada do jejum, dar esmola vale mais do que juntar tesouros de ouro; porque a esmola livra da morte (eterna), e é a que apaga os pecados, e faz encontrar a misericórdia e a vida eterna”.
    Eclesiástico 3.33 – “A água apaga o fogo ardente, e a esmola resiste aos pecados”
    b) Este é o primeiro ensino de Satanás, o mais terrível, e se encontrar basicamente em todas a seitas heréticas.
    c) A Salvação por obras, destrói todo o valor da obra vicária de Cristo em favor do pecador. Se caridade e boas obras limpam nossos pecados, nós não precisamos do sangue de Cristo. Porém, a Bíblia não deixa dúvidas quanto o valor exclusivo do sangue como um único meio de remissão e perdão de pecados:
    – Hb 9:11, 12, 22 – “Mas Cristo… por seu próprio sangue, entrou uma vez por todas no santo lugar, havendo obtido uma eterna redenção …sem derramamento de sangue não há remissão.”
    – I Pe 1:18, 19 – “sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver, que por tradição recebestes dos vossos pais, mas com precioso sangue, como de um cordeiro sem defeito e sem mancha, o sangue de Cristo,”
    d) Contradiz Bíblia toda. Ela declara que somente pela graça de Deus e o sangue de Cristo o homem pode alcançar justificação e completa redenção:
    – Romanos 3.20, 24, 24 e 29 – “Ninguém será justificado diante dele pelas obras da lei.. sendo justificados gratuitamente por sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus. A quem Deus propôs no seu sangue…. Concluímos, pois, que o homem é justificado pela fé, independentemente das obras da lei”.

    5. Ensinam o Perdão dos pecados através das orações
    a) Eclesiástico 3.4 – “O que ama a Deus implorará o perdão dos seus pecados, e se absterá de tornar a cair neles, e será ouvido na sua oração de todos os dias”.
    b) O perdão dos pecados não está baseado na oração que se faz pedindo o perdão, não é fé na oração, e sim fé naquele que perdoa o pecado, a oração por si só, é uma boa obra que a ninguém pode salvar. Somente a oração de confissão e arrependimento baseadas na fé no sacrifício vicário de Cristo traz o perdão (Pv. 28.13; I Jo 1.9; I Jo 2.1,2)

    6. Ensinam a Oração Pelos Mortos
    a) 2 Macabeus 12:43-46 – “e tendo feito uma coleta, mandou 12 mil dracmas de prata a Jerusalém, para serem oferecidas em sacrifícios pelos pecados dos mortos, sentindo bem e religiosamente a ressurreição, (porque, se ele não esperasse que os que tinham sido mortos, haviam um dia de ressuscitar, teria por uma coisa supérflua e vã orar pelos defuntos); e porque ele considerava que aos que tinham falecido na piedade estava reservada uma grandíssima misericórdia. É, pois, um santo e salutar pensamento orar pelos mortos, para que sejam livres dos seus pecados”.
    b) É neste texto falso, de um livro não canônico, que contradiz toda a Bíblia, que a Igreja Católica Romana baseia sua falta e herege doutrina do purgatório.
    c) Este é novamente um ensino Satânico para desviar o homem da redenção exclusiva pelo sangue de Cristo, e não por orações que livram as almas do fogo de um lugar inventado pela mente doentia e apostata dos teólogos católicos romanos.
    d) Após a morte o destino de todos os homens é selado, uns para perdição eterna e outros para a Salvação eterna – não existe meio de mudar o destinos de alguém após a sua morte. Veja Mt. 7:13,13; Lc 16.26
    7. Ensinam a Existência de um Lugar Chamado PURGATÓRIO
    a) Este é o ensino herético e satânico inventado pela Igreja Católica Romana, de que o homem, mesmo morrendo perdido, pode ter uma Segunda chance de Salvação.
    b) Sabedoria 3.1-4 – “As almas dos justos estão na mão de Deus, e não os tocará o tormento da morte. Pareceu aos olhos dos insensatos que morriam; e a sua saída deste mundo foi considerada como uma aflição, e a sua separação de nós como um extermínio; mas eles estão em paz (no céu). E, se eles sofreram tormentos diante dos homens, a sua esperança está cheia de imortalidade”.
    c) A Igreja Católica baseia a doutrina do purgatório na ultima parte deste texto, onde diz: ” E, se eles sofreram tormentos diante dos homens, a sua esperança está cheia de imortalidade”.
    – Eles ensinam que o tormento em que o justo está, é o purgatório que o purifica para entrar na imortalidade.
    – Isto é uma deturpação do próprio texto do livro apócrifo. De modo, que a igreja Católica é capaz de qualquer desonestidade textual, para manter suas heresias.
    – Até porque, ganha muito dinheiro com as indulgências e missas rezadas pelos mortos.
    d) Leia atentamente as seguinte textos das Escrituras, que mostram a impossibilidade do purgatório : I Jo 1.7; Hb 9.22; Lc 23.40-43; I6: 19-31; I Co 15:55-58; I Ts 4:12-17; Ap 14:13; Ec 12:7; Fp 1:23; Sl 49:7-8; II Tm 2:11-13; At 10:43)

    8. Nos Livros Apócrifos Os Anjos Mentem
    a) Tobias 5.15-19 – “E o anjo disse-lhe: Eu o conduzirei e to reconduzirei. Tobias respondeu: Peço-te que me digas de que família e de tribo és tu? O anjo Rafael disse-lhe: Procuras saber a família do mercenário, ou o mesmo mercenário que vá com teu filho? Mas para que te não ponhas em cuidados,, eu sou Azarias, filho do grande Ananias. E Tobias respondeu-lhe: Tu és de uma ilustre família. Mas peço-te que te não ofendas por eu desejar conhecer a tua geração.
    b) Um anjo de Deus não poderia mentir sobre a sua identidade, sem violar a própria lei santa de Deus. Todos os anjos de Deus, foram verdadeiros quando lhes foi perguntado a sua identidade. Veja Lc 1.19

    9. Mulher que Jejuava Todos os Dias de Sua Vida
    a) Judite 8:5,6 – “e no andar superior de sua casa tinha feito para si um quarto retirado, no qual se conservava recolhida com as suas criadas, e, trazendo um cilício sobre os seus rins, jejuava todos os dias de sua vida, exceto nos sábados, e nas neomênias, e nas festas da casa de Israel”
    b) Este texto legendário tem sido usado por romana relacionado com a canonização dos “santos” de idolatria. Em nenhuma parte da Bíblia jejuar todos os dias da vida é sinal de santidade. Cristo jejuou 40 dias e 40 noites e depois não jejuou mais.
    c) O livro de Judite é claramente um produção humana, uma lenda inspirada pelo Diabo, para escravizar os homens aos ensinos da igreja Católica Romana.
    10. Ensinam Atitudes Anticristãs, como: Vingança, Crueldade e Egoísmo
    a) VINGANÇA – Judite 9:2
    b) CRUELDADE e EGOÍSMO – Eclesiástico 12:6
    c) Contraria o que a Bíblia diz sobre:
    – Vingança (Rm 12.19, 17)
    – Crueldade e Egoísmo ( Pv. 25:21,22; Rm 12:20; Jo 6:5; Mt 6:44-48)
    A igreja Católica tenta defender a IMACULADA CONCEIÇÃO baseando em uma deturpação dos apócrifos (Sabedoria 8:9,20) – Contradizendo: Lc. 1.30-35; Sl 51:5; Rm 3:23)
    Diante de tudo isso perguntamos: Merecem confiança os livros Apócrifos ? A resposta obvia é, NÃO.

  70. diego disse:

    caramba mais uma vez você sabe ler?
    e consegue compreender alguma coisa?
    eu ti disse irmão gladstonier, os livros apócrifos só foram citados para mostrar que se falavam na santa igreja católicas no primeiro seculo assim como escritos dos primeiros papas do 1 seculo, apenas mostrar que ja citava a igreja de cristo no primeiro seculo não para seguirem pois como te disse eles não tem uma comprovação de uma autenticidade legitima, então irmão você esta demostrando que não consegue ententer nada e esta se subjeitando aos que os protestantes fazem, pare e pense.
    estais fazendo o jogo deles ou não?
    como queres entender alguma coisa irmão se eu falo portuguÊs e vocÊ entende grego?
    ou vocÊ tem algum disvio intelectual?
    pois se tiveres me diga que eu manero um pouco!!!!!!
    deus o abençoe e abra mais a sua mente……..

  71. diego disse:

    agora se sua parte intelectual queira seguir os livros apócrifos, ai é problema seu, pois de você eu ja não espero mais nada, tem demostrado que gosta seguir tudo que é dito por ai….

  72. diego disse:

    agora te digo por que não faz igual a alguns ex-pastores presbiterianos que estudaram assim como você disse que os presbiteros estudam, certo, e que agora se converteram ao catolicismo novamente por verem que é a unica igreja de cristo?
    isso que estou dizendo é muito serio irmão gladstonier, coloca a realidade de suas igrejas irmão!!!!
    e vou dar exemplos de pastores presbiterianos agora, preste atenção ontem eles eram pastores presbiteriano contra o catolicismo hoje são católicos que mostram o erro que estavam e o pior o erro que eles colocaram as pessoas que o seguiammmmmmmmmmmmm!!!!!!!!!!!!!!

  73. diego disse:

    Dr. Scott Hahn ex-pastor presbiteriano, hoje é professor na Franciscan University of Steubenville – Ohio. Tornou-se um dos maiores pregadores católicos dos EUA. Ele foi um ferrenho aliciador de jovens católicos para o protestantismo, tendo distribuído inúmeras cópias do livro Roman Catholicism, de Loraine Boettner , conhecido como a bíblia do anti-catolicismo, mais de 450 páginas contendo todo o tipo de distorções e mentiras sobre a Igreja Católica. O cd do seu testemunho de conversão atingiu o maior número de cópias distribuídas em todos os tempos.

    hoje um grande pregador católico, e nada mais, para a furia dos protestantes que andava nos mesmos erros dele!!!!!!!!!!!

    você tambem não estais andando no mesmo erro dos que seguiam ele irmão gladstonier?

  74. diego disse:

    – Marcus Grodi – ex-pastor presbiteriano, tem um programa às segundas-feiras, às 20h, na televisão EWTN (católica) com uma ótima audiência, no qual sempre entrevista um ex-protestante convertido. Muitos ligam durante o programa para perguntar algo e terminam dizendo que já estão se convertendo.

    É importante dizer que eles cresceram e receberam formação no meio protestante, odiando mesmo a Igreja Católica, num ambiente onde ela é denominada “prostituta da Babilônia” e, de repente, sentem que foram enganados nos seus ensinamentos, principalmente quando falam da fundação da Igreja (Mt 16:18-19) e na transformação do pão e do vinho em Corpo e Sangue de Jesus (Mt 26:26-28).

    estais entendendo gladstonier, onde estais entrando com sua mente fechada………..

  75. diego disse:

    O pe. Tobin considera isso um fenômeno interessante porque: “nos últimos 20 anos enquanto alguns membros católicos se vão, um número crescente de ex-ministros liderados pelo Espírito Santo, se convertem ao catolicismo. Também um grande número de leigos protestantes está se juntando a nós”. Isso é fantástico, porque: “Quase todos os ministros protestantes, agora católicos, cresceram numa atmosfera anti-católica; foram muito bem educados nas crenças de suas religiões; juntando-se à Igreja Católica, significava perderem os seus trabalhos, as suas regalias; muitos deixaram comunidades de fé vibrante para se juntarem a uma paróquia que poderia não ser muito viva espiritualmente; agora, perguntemo-nos: por que, então, esses ministros vieram para a nossa Igreja? Porque eles sentiram insipiência na sua doutrina. Nos seus testemunhos, percebemos que coisas pequenas é que começaram a suscitar dúvidas em seus corações. E nos seus questionamentos, como não obtinham resposta lá, procuravam-na no catolicismo e assim adentravam nas raízes do cristianismo, só encontradas na Igreja Católica, a Igreja fundada por Jesus Cristo”.

  76. arceu disse:

    oi diego gostaria que falace um pouco sobre opulgatorio

  77. ARCEU disse:

    Então falou Deus todas estas palavras, dizendo:eu sou o Senhor teu Deus, que te tirei da terra do egito, da casa da servidão. não teras outros deuses diante de mim. Não farás para ti imagem de esculturas,nem alguma semehlança do que há em cima nos céus,nem enbaixo na terra, nem nas águas debaixo da terra.{ ÊX. 20: 1-4

  78. ARCEU disse:

    TRECHO da BIBLIA Atos. 19: 26 e bem vedes e ouvis que não só em Éfeso, mas até quase em toda a Àsia,este Paulo tem convencido e afastado uma grande multidão,dizendo que não são deuses os que se fazem com as mãos. Isaias. 45: 20 congregai-vos,e vinde;chegai-vos juntos, os que escapastes das nações: nada sabem os que conduzem em procissão as suas imagens de escultura, feita de madeira,e rogam a um deus que não pode salvar. jeremias 10: 14 todo o homem se embruteceu,e não tem ciência;envergonha-se todo o fundidor da sua imagem de escultura;porque suas imagem fundida mentira é,e não há espirito nelas.

  79. ARCEU disse:

    veja porque a maioria dos padres são gai.E disse o Senhor Deus:Não é bom que o homem esteja só:far-lhe-ei uma adjuntora que esteja como diante dele. como pode um homem viver sem mulher

  80. Gladstonier disse:

    Interessante que o primeiro pastor presbiteriano no Brasil foi José Manuel da Conceição, ex sarcedote católico. Não consegui encontrar detalhes no google dos pastores citados, senão em sites católicos, que não são informações confiáveis visto que postaram informações com interesses próprios. Deve-se analisar se os pastores citados eram pastores da Igreja Presbiterina tradicional, renovada ou independente. As igrejas renovada e independente se desligaram de tradicional devido a divergências doutrinárias e têm muitas falhas teológicas, sendo assim não ficaria admirado se pastores destas igrejas se convertessem ao catolicismo.
    Agora sobre o pe José Manuel da Conceição se encontra muita coisa sobre ele no google, pode pesquisar.
    Graça e paz!!!

  81. diego disse:

    é veis o agora o quanto suas igrejas se dividiram né?
    então irmão gladstonier como você disse que não achou nada no google eu fui dar uma pesquisadinha por você, mais o impressionante foi que logo de cara ja aparece não apenas um site católico, mais sim um site criado pelo próprio Dr. Scott Hahn clica ai nesse link que você sera direcionado para ele:

    http://www.scotthahn.com/

    esse site foi criado por ele mesmo irmão gladstonier…
    sabes qual é a diferença do Dr. Scott Hahn com seus pastores irmão?
    a diferença é que ele alem de ter cido pastor ele é teólogo e o que ele queria não era a realidade de sua igreja mais sim a verdade, e indo atrás da verdade depois de muito estudo ele viu quem mentia irmão, e a única coisa que ele podia fazer diante da verdade era se converter ao católicismo…..

    se quiseres saber mais sobre o Dr. Scott Hahn clica nesse outro link, aqui veras mais sobre a vida dele:

    http://en.wikipedia.org/wiki/Scott_Hahn

    esse site “wikipedia” mostra não só do Dr. Scott Hahn mais de qualquer pessoa que venha ter um fama grande e é claro que o Dr. Scott Hahn não poderia ficar de fora com tantas qualidades!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  82. diego disse:

    bom irmão arceu, quanto as imagens e deuses que a sua pessoa citou acima, possso ti falar que em postagens anteriores respondendo ao irmão gladstonier, eu expliquei tudo isso em postagens anteriores, basta você ter boa vontade e voutar e ler as postagens e compreenderás o que digo….
    ja de todos os padres serem gays, estais generalizando, e o pior que é mais feio de sua pessoa, estais julgando todos por causa de poucos que se disviam do objetivo da igreja de cristo que é a igreja católica postolica romana edificada por cristo no apostolo pedro!!!!!
    ja para relatar o purgatorio irmão arceu é preciso muito mais muito estudo da biblia para chegar a certeza da existencia do purgatório, então seria conveniente se perguntar a um padre com muito entendimento ou melhor perguntar a um teólogo renomado, mais mesmo sem esse conhecimento vou colocar algumas passagens biblicas aqui :

    (2 mac 12,44s) 44. porque, se ele não julgasse que os mortos ressuscitariam, teria sido vão e supérfluo rezar por eles.
    45. Mas, se ele acreditava que uma bela recompensa aguarda os que morrem piedosamente,
    46. era esse um bom e religioso pensamento; eis por que ele pediu um sacrifício expiatório para que os mortos fossem livres de suas faltas.

  83. diego disse:

    veis onde jesus foi após a sua morte,,,,

    (1 Pd 3,19-20),,,

    19. É neste mesmo espírito que ele foi pregar aos espíritos que eram detidos no cárcere, àqueles que outrora, nos dias de Noé, tinham sido rebeldes,
    20. quando Deus aguardava com paciência, enquanto se edificava a arca, na qual poucas pessoas, isto é, apenas oito se salvaram através da água.

    tem mais uma aqui:

    (Mt 5,25-26),,,

    25. Entra em acordo sem demora com o teu adversário, enquanto estás em caminho com ele, para que não suceda que te entregue ao juiz, e o juiz te entregue ao seu ministro e sejas posto em prisão.
    26. Em verdade te digo: dali não sairás antes de teres pago o último centavo.

    aqui em lucas é parecido também:

    (Lc 12,58-59)

    58. Ora, quando fores com o teu adversário ao magistrado, faze o possível para entrar em acordo com ele pelo caminho, a fim de que ele te não arraste ao juiz, e o juiz te entregue ao executor, e o executor te ponha na prisão.
    59. Digo-te: não sairás dali, até pagares o último centavo

  84. diego disse:

    e quando eu disse para perguntar a um padre ou teólogo reformado, não estou dizendo para acreditar nele, mais sim para ver o que eles tem a dizer e só então com uma analize bem profunda, e com muito estudo das escrituras por sua parte irmão arceu, é que vocÊ deve chegar a uma conclusão de sabedoria, não colocando sua religião a frente mais pelo contrario, coloca a verdade a frente e só então depois de chegar a verdade deves dar alguma conclusão……

    mais pelas muitas passagens biblicas que tem a respeito de se rezar pelos mortos, entre tantas outras, não será dificio de você chegar a uma conclusão!!!!!!!!!!

    deus o abençoe irmão arceu, e não faça como muitos católicos e evangelicos que se acham serem os certos sem ao menos irem atrás da verdade…….

  85. Thaynha disse:

    Meu querido amigo Diego vou citar algumas verdades que o catolicismo não conhece:Arrebatamento da Igreja,A grande tribulação,A segunda volta de Cristo,O milênio e que Deus condena a idolatria.

  86. Gladstonier disse:

    Caro diego, verifiquei o link que você posto e pude comprovar a veracidade da informação. Mas existem diversos ex-padres e teólogos que hoje são pastores ou professores protestantes. Um exemplo que citei acima é o pr. José Manuel da Conceição, primeiro Pr. Presbiteriano brasileiro, ex sacerdote católico ( http://pt.wikipedia.org/wiki/Jos%C3%A9_Manuel_da_Concei%C3%A7%C3%A3o ).

  87. Gladstonier disse:

    O fato de um pr. presbiteriano deixar de sê-lo é sinal de que não buscou conhecer com afinco o que ensina a nossa confissão de fé, a confissão de fé de Westminster, onde temos todas as nossas regras de fé baseadas na bíblia. Sou presbiterino calvinista e tenho minha fé embasada em profundos estudos de grandes teólogos e esta não se abalará tão fácil.
    Graça e paz!!!

  88. diego disse:

    grande irmão gladstonier, digo a você irmão que realmente não deixas a sua fé ser abalada pois demonstra que éis uma pessoa persistente na palavra da salvação colocando assim você as auturas por proteger e busacar mais conhecimento!!!!!!!!!!
    agora a respeito dos padres que saem de nossa igreja católica, esses eu conheço muitos que não tiveram a capacidade de seguir naquele caminho que achavam ter força pois é muito dificio ser um padre do começo até o fim da vida, muitos tentam mais não conseguem por verem os pecados da carne os corroerem, e não terem força em deus para seguir em frente sem pecar, ja que para nóis não é permetido que os padres se casem, e para não ficarem para trás eles terminam caindo em um pecado maior, ja que começam a contrariar a nossa igreja por serem fracos perante deus……….
    e isso ja não acontece com alguns pastores já que eles podem serem casados e a única coisa que podem tirar eles de suas igreja é a verdade sobre tudo que se encobre, tendo em vista que todos foram bem educados em suas religiões odiando assim a santa igreja católica postolica romana…….
    ja o padre josé manuel da conceição, uma que não posso ficar julgando mais ele viu no protestantismo o que a igreja católica não era, na época a igreja católica era “fria”, e isso deve ter feito toda diferença para sua ficção pelo protestantismo…..
    a paz esteja com tigo irmão gladstonier……..

  89. diego disse:

    oi minha querida bonitinha Thaynha, idolatria ja foi explicado aqui em postagens anteriores só voltar e lê,…..
    um beijo thaynhaaaaaaa………………………………….
    rsrsrsrssrsrs

  90. arceu disse:

    meu caro amigo Diego deu pra perceber que você é mesmo um defensor do catolicismo não posso te condenar por causa disso afinal de conta eu também fui, mas foi defendendo o catolicismo que comecei a examinar as escrituras e então pude perceber o quanto estava enganado…….. quero dizer pra você que Jesus tem um maravilhoso plano na sua vida, você pode ser uma ferramenta muito util nas mãos do Senhor leia a bíblia pois somente nela esta a verdade. { joão 8.44}

  91. diego disse:

    é arceu veja em (mt 7,15)

    15. Guardai-vos dos falsos profetas. Eles vêm a vós disfarçados de ovelhas, mas por dentro são lobos arrebatadores.
    16. Pelos seus frutos os conhecereis. Colhem-se, porventura, uvas dos espinhos e figos dos abrolhos?

    a paz esteja com vosco irmão arceu……

  92. diego disse:

    e essa aqui em (mateus capitulo 24/4,5,11,13,23,24)

    4. Respondeu-lhes Jesus: Cuidai que ninguém vos seduza.
    5. Muitos virão em meu nome, dizendo: Sou eu o Cristo. E seduzirão a muitos.

    11. Levantar-se-ão muitos falsos profetas e seduzirão a muitos.

    13. Entretanto, aquele que perseverar até o fim será salvo.

    23. Então se alguém vos disser: Eis, aqui está o Cristo! Ou: Ei-lo acolá!, não creiais.
    24. Porque se levantarão falsos cristos e falsos profetas, que farão milagres a ponto de seduzir, se isto fosse possível, até mesmo os escolhidos.

    abram os olhosssss……………..

  93. ARCEU disse:

    é Diego como a nossa querida irmã Thaynha disse tem mesmo muitas verdades nas escrituras que o catolicismo não sabem,posso dizer que nunca ouvi o padre falar sobre arrebatamento da igreja,a volta de Cisto,a grande tribulação, milênio, juízo final……….disse Jesus examinai as escrituras,porque vós cuidar ter nelas a vida eterna,e são elas que de mim testificam. joão.5.39

  94. diego disse:

    mais tem um porem irmão arceu os padres não falam isso, mais os padres não falam praticamente nada, tudo que eu sei a respeito de idolatria, fundação da igreja católica no apostolo pedro, entre outras coisas, são de pesquisa minha indo a fundo no assunto até achar a verdade, não é um padre que me diz, mais sim eu quem vou ver quem tem a verdade, se for para a minha pessoa ir pelo o que dizem por ai eu seria igual a muitos que ficam pulando de igreja e igreja sem saber onde esta a verdade…..
    é muito facio enganar uma pessoa arceu, se eu quisesse enganar eu enganaria até mesmo aos fieis, tanto da igreja católica quanto das evangelicas, eu até poderia ficar debatendo com uma pessoa com o mesmo intendimento que o meu ou superior, e o pior mesmo que essa pessoa fosse católica é possivel eu levar um assunto na labia por uma eternidade sem chegar a um fim, então enganar ou enrolar, é muito facio, pois o ser humano é digno do erro…..
    todas injurias que comentaram aqui sobre idolatria eu expliquei, mais expliquei a fundo, e como eu disse muitos usam a artimanha de levar o assunto adiante sem deixar chegar a um fim, e como podes ver nos comentarios quando viam a verdade em determinado assunto a primeira coisa que se faz é o que se ver por ai mudar para outro assunto para tentar incobrir e deixar no esquecimento a verdade…..

    deus o abençoe arceu, e anlize as escrituras para ver a verdade verdadeira…..

  95. ARCEU disse:

    meu caro amigo Diego estive lendo um de seu comentário acima e pude entender seu desabafo realmente existe igrejas que usa a palavra de Deus para enganar as pessoas e ate mesmo tirar dinheiro delas é revoltante mas devemos atentar para o que Jesus disse,que haveria falsos mestres e falsos pastores que enganaria a muitos e que nem todos que diz Senhor Senhor entrara no reino dos céus e que podemos conhecer uma arvore pelos seus frutos, quero dizer pra você que antes de me converter ao Senhor Jesus Cristo tive a oportunidade de assistir um culto desses e confesso que ficava furioso quando ouvia frase do tipo quem pode dar 500 quem pode dar 400 e por ai vai………. o pior é que as pessoas fazem uma troca imaginando o seguinte vou dar 100 que Deus vai me dar 200 para mim isso é avareza e a palavra de Deus diz que os avarentos não herdarão o reino de Deus….

  96. diego disse:

    você esta compreendendo o que digo arceu, e quando eu comecei a postar comentario aqui irmão, não foi com o intuito de converter os evangelicos para o catolicismo, isso não me interessa, mais sim fazer os falsos evangelicos que ao inves de tentar converter os não cristões, as pessoas que não acredita em jesus, eles ficam brigando, discutindo, e brasfemando dizendo que suas religiões são as certas e que todos que não são de suas religiões vão para o inferno, a minha luta na verdade são contra essas pessoas….
    pois quando vejo esse tipo de pessoa é que eu começo a colocar a igreja católica acima deles, mostrando que foi a única igreja edficada por nosso senhor jesus cristo no apostolo pedro, para que parem de tentar corromper a santa igreja de cristo, assim como disse em postagens anteriores, onde eu disse: “queres seguir suas religiões, siga, mais não jogues pedras na igreja de cristo pois um dia cristo te cobrarás pelas pedras mal atiradas……”

    qual sua religião irmão arceu?

  97. arceu disse:

    meu caro amigo Diego apenas sirvo ao Senhor, não tenho uma religião,creio na bíblia como sendo a palavra de Deus e a unica verdade. abraço

  98. diego disse:

    ótimo arceu, só assim não tens a influência desses maus intencionados, onde pensam que não existe uma explicação para as benfeitorias de deus, e que para essas pessoas eu digo, sempre existirá explicações para o fundamento da nossa igreja católica seja qual for o assunto idolatria, fundação da igreja católica por cristo, supostos filhos de maria, seja qual for o assunto existe uma explicação a fundo do mesmo, onde cabe a todos procurarem a verdade pois só ela os libertarás……

    não sejas enfluênciados nem por pastores, padres, ou seja lá o que for, vão atrás da verdade e verás o quanto as pessoas tentam encobri-la em beneficio próprio……

  99. leticia disse:

    sou católica mas não leio mito a bíblia acredito que seja mesmo a palavra de Deus,como meu irmão Diego disse gosto de correr atrais da verdade,mesmo que contradiz aquilo que sou,por isso gostaria que alguem me provace nas escrituras algo sobre: inferno, quem vai para la? abiblia fala sobre arrebatamento,onde? Jesus vai mesmo voltar,quando?a biblia fala sobre a marca da besta,onde?e essa historia que o anti-cristo vai governar a terra,esta na bíblia,onde?aguardo resposta………..

  100. diego disse:

    oi irmã leticia, legal ver alguem que busca conhecimento ao invés de igrejas diferentes, ja estais meio caminho andado!!!!!!
    rsrsrsrsrs
    sobre o inferno não é preciso falar, pois todos sabem que para lá irá os não justos, ja o arrebatamento referente aos fim dos tempos devemos falar sobre o apocalipse, eu acredito em um arrebatamento pois seremos arrebatados de uma forma ou de outra….

    o apocalipse irmã, é um livro muito compricado até mesmo grandes evangélicos pastores e bispos como nosso amigo r.r. soares que diz,
    que não tem um compreendimento certo do mesmo, por ser de dificio entendimento….

    mais o que importa de verdade irmã, é que sigas jesus a finco sem exaltar em sair do caminho de cristo, deves sequir os mandamentos, ler a palavra e o que niguem faz, não apenas ler mais sim praticar no dia a dia, praticar isso é fundamental irmã pois só sendo uma justa a finco passaras pelos fim dos tempos sem medo, ja que não precisará temer nada pois morrerás com cristo nosso salvador, e o que vier depois arrebatamento, fim dos dias, apenas passará…..

    então o importante é o hoje o agora, se tens inimigos que entre em acordo com eles hoje não o amanhã pois podes ser tarde, só conquistaremos o reino dos ceus se formos justos e morremos em cristo, só assim viveremos eternamente com cristo em teu reino….

  101. diego disse:

    O Apocalipse foi escrito pelo Apóstolo São João, já no final de sua vida, por volta do ano 100, sob a forma de uma carta escrita às Igrejas da Ásia menor, que viviam tempos difíceis de perseguição romana. É um livro bastante enigmático e difícil de ser entendido, e que pode gerar muitos erros de interpretação \\\’ como já ocorreu muitas vezes na história da Igreja \\\’ se não observarmos com cuidado como a Igreja o interpreta. O imperador romano Domiciano (81\\\’96) moveu forte perseguição aos cristãos, tendo deportado S. João, que era o bispo de Éfeso, para a ilha de Patmos . Ao mesmo tempo os cristãos eram hostilizados pelo judeus e aguardavam a volta de Cristo, que não acontecia, para livrá\\\’los de todos os males. Foi neste contexto que o Apóstolo escreveu o Apocalipse para confortar e animar os cristãos das já inúmeras comunidades da Ásia Menor. Apocalipse, em grego “apokálypsis”(= revelação), era um gênero literário que se tornou usual entre os judeus após o exílio da Babilônia (587\\\’535 aC), e descreve os fins dos tempos onde Deus vai julgar os homens. Essa intervenção de Deus abala a natureza (fenômenos cósmicos), com muita simbologia e números. O Apocalípse não pretende dar uma descrição antecipada dos acontecimentos do futuro, mas de apresentar uma mesma realidade sob vários símbolos diferentes; e tudo é feito com uma linguagem intencionalmente figurada para despertar a atenção do leitor, que estava acostumado ao gênero apocalíptico usado pelos judeus. Alguns símbolos tem significado preciso: o Cordeiro simboliza o Cristo; a mulher, a Igreja ou a Virgem Maria; o dragão, as forças hostis ao reino de Deus; as duas feras (cap.13), o império romano e o culto imperial; a fera (cap.17), simboliza Nero; Babilônia, a Roma pagã; as vestes brancas, a vitória; o número três e meio, coisa nefasta ou caduca. Mas esses símbolos não são exclusivos; o Cristo é, às vezes representado como “filho do homem”ou cavaleiro. O Apocalípse é uma revelação sobrenatural, velada, sob símbolos, representando tanto o passado, quanto o presente da Igreja, e também o futuro. Se refere a um período indefinido que separa a Ascensão de Cristo de sua volta gloriosa. Deixa claro da impossibilidade de escapar à luta e ao sofrimento, às perseguições e ao fracasso aparente no plano terrestre, à realidade da salvação que lhe será concedida no meio de suas obrigações, e à vitória final, que é obra de Cristo ressuscitado que venceu o pecado e a morte. A mensagem principal do livro é que Deus é o Senhor da História dos homens, e no final haverá a vitória dos justos, em que pese o sofrimento e a morte. Mostra a vida da Igreja na terra como uma contínua luta entre Cristo e Satanás, mas que no final haverá o triunfo definitivo do Reino de Cristo, triunfo que implica na ressurreição dos mortos e renovação da natureza material. As calamidades que são apresentadas não devem ser interpretadas ao pé da letra. Deus sabe e saberá tirar de todos os sofrimentos da humanidade a vitória final do Bem sobre o Mal.

    Felipe Aquino

  102. arceu disse:

    minha querida amiga Letícia,como disse em comentários a cima existe muitas coisas que o catolicismo não sabem,fui católico a 28 anos e nunca ouvi na missa ou até mesmo no catecismo,nada sobre estes assuntos,vou deixar aqui alguns versículos,examine você mesma,salmos.9,17, gálatas(5,19-21), apocalipse(21,8) esses versículos vai dizer quem vai para o inferno,agora sobre o arrebatamento leia, (1Ts cap 4).beijos querida

  103. diego disse:

    esses versiculos que o irmão arceu colocou mostra bem o que queres saber irmã leticia, mais não se esqueça de fazer hoje o que tem que ser feto para deus, por que se não será em vão saber o amanhã se não fizer o bem de cristo hoje!!!!!!!!!
    se quiser entrar no reino de deus faça o bem hoje….
    não basta saber o que tem no inferno ou no ceu tem que agir hoje para que não caias no inferno…
    deus a abençoe irmã leticia bjos…

  104. diego disse:

    o numero da besta se encontra aqui leticia:

    (Apocalipse 13:16-18)

    16. Conseguiu que todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e escravos, tivessem um sinal na mão direita e na fronte,
    17. e que ninguém pudesse comprar ou vender, se não fosse marcado com o nome da Fera, ou o número do seu nome.
    18. Eis aqui a sabedoria! Quem tiver inteligência, calcule o número da Fera, porque é número de um homem, e esse número é seiscentos e sessenta e seis.

  105. arceu disse:

    bom leticia sobre a sua pergunta a respeito da volta de Cristo e de quando será…… observe que no verso 3 do capitulo 24 de mateus os discípulos fazem uma pergunta a Jesus e a resposta de Jesus esta nos versículos( 27,30 e 39 do cp 24 de Mt)e tambem em atos dos apostulo (cp 1 ver 11)os anjos confirmando isso.beijos

  106. diego disse:

    para tudo é preciso muito estudo mais vamos falar um pouco do anticristo irmã leticia!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    1. A pretenção do anticristo – Satanás, embora derrotado (Ap 12), ainda recebe permissão para perseguir a igreja com sua fúria mais terrível. Ele sempre quis imitar a Deus. O dragão quis ser igual a Deus, numa tentativa de imitar a Deus Pai. A besta que surge da terra, o Anticristo tentará imitar Jesus Cristo. Como o Filho encarnou-se, morreu e ressuscitou, o Anticristo – será uma espécie de encarnação de Satanás, que passará por uma experiência de morte e um simulacro da ressurreição. A besta que surge da terra, o falso profeta, levará os homens a adorarem a primeira besta, numa tentativa de imitar o Espírito Santo que leva os homens a adorarem a Cristo. A Grande Meretriz, a falsa igreja, é uma imitação da Mulher Celestial, da Noiva do Cordeiro, a igreja fiel.Onde quer que um poder civil despótico dê as mãos a alguma religião falsa, aí temos uma reprodução dessas duas bestas.

    2. O tempo da aparição do anticristo – Embora o mistério da iniquidade já esteja operando (2 Ts 2:7), o anticristo como pessoa que encarnará o poder dos reinos ímpios e também todo o poder de Satanás, emergirá no breve tempo do fim, visto na Bíblia de várias formas: a) A apostasia (2 Ts 2:3); b) A grande tribulação (Mt 24:21-22); c) A revelação do homem da iniquidade (2 Ts 2:3); d) O pouco tempo de Satanás (Ap 20:3).

    I. AS VÁRIAS FACETAS DO ANTICRISTO

    1. O anticristo no Livro de Daniel
    a) Dn 7:1-6,17-18 – O anticristo é representado inicialmente não como uma pessoa, mas como quatro reinos (leão, urso, leopardo e outro terrível) – Os impérios da Babilônia, Medo-Persa, Grego e Romano.
    b) Dn 7:21,25 – 1) Antíoco Epifanes – profanou o templo quando o consagrou ao deus grego Zeus e mais tarde sacrificou porcos no altar do templo.

    2. O anticristo no Ensino de Jesus
    a) Mt 24:15-28 – 1) O anticristo é visto como o imperador romano Tito que no ano 70 d.C., destruiu a cidade de Jerusalém e o templo (v. 15-20), 2) O anticristo é visto como um personagem escatológico (v. 21-22). A profecia bíblica vai se cumprindo historicamente e avança para a sua consumação final.

    3. O anticristo nas Cartas de João
    a) Definição – A palavra “anticristo” = cristo substituto ou cristo rival. Ele será um adversário jurado de Cristo.
    b) 1 Jo 4:2-3 – O termo anticristo é usado em um sentido impessoal.
    c) 1 Jo 2:22; 2 Jo 7 – João refere-se ao anticristo de forma pessoal. Mas João vê o anticristo como uma pessoa que já está presente, ou seja, como alguém que representa a um grupo de pessoas. Assim, o anticristo é um termo utilizado para descobrir uma quantidade de gente que sustenta uma heresia fatal.
    d) 1 Jo 2:28 – João fala tanto do anticristo que virá e do anticristo que já está presente. Assim, João esperava um anticristo que viria no tempo do fim – Os anticristos são precursores do Anticristo.
    e) Conclusão sobre o entendimento de João sobre o anticristo – Para João o anticristo sempre esteve presente nos seus precursores, mas ele se levantará no tempo do fim como expressão máxima da oposição a Cristo e sua igreja.

    4. O anticristo como o homem do pecado na teologia de Paulo – 2 Ts 2:1-12
    a) Surgirá da grande apostasia (v. 3);
    b) Será uma pessoa (v. 3);
    c) Será objeto de adoração (v. 4);
    d) Usará milagres falsos (v. 9);
    e) Só pode ser revelado depois que aquilo e aquele que o detém for removido (v. 6,7);
    f) Será totalmente derrotado por Cristo (v. 8);

    II. A DESCRIÇÃO DO ANTICRISTO – (Ap 13:1-18)

    1. Sua ascensão se dará num tempo de muita turbulência – v. 1
    • “Vi emergir do mar uma besta” (v. 1). O que significa isso? As águas do mar são multidões, as nações e os povos na sua turbulência político-social (Ap 17:5). As águas são símbolo das nações não regeneradas em sua agitação (Is 57:20). Antes do levantamento do anticristo, o mundo estará em desespero, num beco sem saída. Ele emerge desse caos. O pequeno chifre de Daniel, o homem de desolação citado por Jesus, o homem da iniquidade citado por Paulo, o anticristo citado por João e a besta que emerge do mar são a mesma pessoa. Esse personagem encarnou-se na figura dos imperadores (Dominus et Deus) e também em outros reis e reinos despóticos, mas se apresentará no fim como o anticristo escatológico. Ele com seu grande poder vai seduzir as pessoas e conquistar as nações.
    a) Ele se levantará num contexto de grandes convulsões naturais – Terremotos, epidemias e fomes.
    b) Ele aparecerá num tempo de grande convulsão social – Será um tempo de guerras e rumores de guerras, onde reinos se levantarão contra reinos. O mundo será um campo de guerra.
    c) Ele surgirá num tempo de profunda inquietação religiosa – Ele brotará do ventre da grande apostasia. Os homens obedecerão ensinos de demônios. Os falsos mestres e os falsos cristos estarão sendo recebidos com entusiasmo. Nesse tempo haverá duas igrejas: a apóstata e a fiel.
    d) Ele surgirá oferecendo solução aos problemas mundiais – O mundo estará seduzido pelo seu poder. Os homens estarão dizendo: “Paz, paz”, quando lhes sobrevirá repentina destruição. O historiador Arnold Toynbee disse: “O mundo está pronto para endeusar qualquer novo Cesar que consiga dar à sociedade caótica unidade e paz”.
    e) Ele surgirá num tempo de profunda desatenção à voz do juízo de Deus (Mt 24:37-39) – Esse tempo será como nos dias de Noé.

    2. Ele incorpora todo o poder, força e crueldade dos grandes impérios do passado (v. 2)
    a) Daniel viu quatro animais ferozes, represetando quatro reinos – A força anticristã foi vista por Daniel como quatro reinos que dominaram o mundo (Babilônia, Medo-Persa, Grécia e Roma).
    b) O Anticristo incorpora todo o poder dos impérios anticristãos – O anticristo é o braço de Satanás, enquanto o falso profeta é a mente de Satanás. Ele será um ser totalmente mau, prodigiosamente conquistador. Ele terá a ferocidade do leão, a força do urso e velocidade do leopardo. A besta que sobe do mar simboliza o poder perseguidor de Satanás incorporado em todas as nações e governos do mundo através de toda a história. Essa besta toma diferentes formas. No fim se manifestará na pessoa do homem da iniquidade.

    3. Ele agirá no poder de Satanás (v. 2-4; 2 Ts 2:9,10)
    a) O anticristo vai manifestar-se com um grande milagre (v. 3) – Ele vai distinguir-se como uma pessoa sobrenatural, por um ato que será um simulacro da ressurreição. Esse fato é tão importante que João o registra três vezes (v. 3,12,14). Certamente não será uma genuína ressurreição dentre os mortos, mas será o simulacro da ressurreição, produzido por Satanás. O propósito dessa misteriosa transação será conceder a Satanás um corpo. Satanás governará em pessoa. O anticristo será uma espécie de encarnação de Satanás. O maioria dos estudiosos vê nessa figura a lenda do Nero redivivo. Nero se suicidou em 68 d.C., em um ano no meio de golpes surgiram 4 imperadores: Galba, Oto, Vitélio e finalmente Vespasiano. Depois surgiu a lenda de que Nero não tinha morrido, mas escapado para o oriente, e que voltaria em triunfo. No tempo de João, Domiciano foi chamado o segundo Nero.
    b) O anticristo vai realizar grandes milagres (2 Ts 2:9,10) – “Ora o aparecimento do iníquo é segundo a eficácia de Satanás, com todo poder, e sinais e prodígios da mentira”. Hoje vivemos numa sociedade ávida por milagres. As pessoas andam atrás de sinais e serão facilmente enganadas pelo anticristo.
    c) O anticristo vai ditar e disseminar falsos ensinos (2 Ts 2:11) – Nesse tempo os homens não suportarão a sã doutrina (2 Tm 4:3), mas obedecerão a ensinos de demônios (1 Tm 4:1). As seitas heréticas, o misticismo e o sincretismo de muitas igrejas pavimentam o caminho para a chegada do anticristo.
    d) O anticristo vai governar na força de Satanás (Ap 13:2) – “Deu-lhe o dragão o seu poder, o seu trono e grande autoridade”. Na verdade quem vai mandar é Satanás. Os governos subjugados por ele vão estar sujeitos a Satanás. Será o pouco tempo de Satanás. O período da grande tribulação. O governo do anticristo vai ser universal, pois o Satanás é o príncipe deste mundo. O mundo inteiro jaz no maligno. Aquele reino que Satanás ofereceu a Cristo, o anticristo o aceitará. Ele vai dominar sobre as nações. “Deu-se-lhe ainda autoridade sobre cada tribo, povo, língua e nação” (Ap 13:7). O governo universal do anticristo será extremamente cruel e controlador (Ap 13:16,17). O seu poder será irresistível (Ap 13:4). A grande pergunta será: “Quem é semelhante à besta? Quem pode pelejar contra ela?”
    e) O anticristo vai se tornar irresistível (v. 4) – Ele será singular e irresistível. Terá a aparência de um inimigo invencível. Contra Deus e os santos que estão no céu vai blesfemar (v. 6). Contra a igreja que estará na terra, ele vai perseguir e matar (v. 7,15b).

    4. Ele será objeto de adoração em toda a terra (Ap 13:3,4,8,12; 2 Ts 2:4)
    a) A adoração ao anticristo é o mesmo que adoração a Satanás (v. 4) – Adoração é um tema central no livro de Apocalipse: a noiva está adorando o Cordeiro, e a igreja apóstata está adorando o dragão e o anticristo. O mundo está ensaiando essa adoração aberta ao anticristo e Satanás. O Satanismo e o ocultismo estão em alta: As seitas esotéricas crescem. A Nova Era proclama a chegada de um novo tempo, em que o homem vai curvar-se diante do “Maitrea”, o grande líder mundial. A adoração de ídolos é uma espécie de adoração de demônios (1 Co 10:19,20). A necromancia é uma adoração de demônios. O grande e último plano do anticristo é levar seus súditos a adorarem a Satanás (Ap 13:3,4). Esse será o período da grande apostasia. Nesse tempo os homens não suportarão a verdade de Deus e obecerão a ensinos de demônios. O Humanismo idolátrico – O endeusamento do homem e sua consequente veneração é uma prática satânica. Adoração ao homem e adoração a Satanás são a mesma cousa.
    b) O anticristo fará forte oposição a toda adoração que não seja a ele mesmo (2 Ts 2:4) – Ele vai se opor e se levantar contra tudo que se chama Deus, ou objeto de culto. Assim agiram os imperadores romanos que viam no culto ao imperador o elo de união e fidelidade dos súditos do império. Deixar de adorar o imperador era infidelidade ao Estado. O anticristo também se assentará no templo de Deus, como Deus, fazendo-se passar por Deus. Ele vai usurpar a honra honra e a glória só devida a Deus.
    c) A adoração do anticristo será universal (Ap 13:8,16) – Diz o apóstolo João que “adorá-lo-ão todos os que habitam sobre a terra, aqueles cujos nomes não foram escritos no livro da vida do Cordeiro”. Satanás vai tentar imitar Deus também nesse aspecto. Ao saber que Deus tem os seus selados, ele também selará os seus com a marca da besta (Ap 13:8, 16-18). Todas as classes sociais se acotovelarão para entrar nessa igreja apóstata e receber a marca da besta (13:16).
    d) O anticristo perseguirá de forma cruel aqueles que se recusarem a adorá-lo (Ap 13:7,15) – Esse será um tempo de grande angústia (Jr 30:7; Dn 12:1; Mt 24:21-22). A igreja de Cristo nesse tempo será uma igreja mártir (13:7,10). Mas os crentes fiéis vão vencer o diabo e o anticristo, preferindo morrer a apostatar (Ap 12:11).

    5. Ele fará oposição aberta a Deus e à igreja de Cristo (Ap 13:6,7; 2 Ts 2:4)
    a) O anticristo será um opositor consumado de Deus (Dn 7:25; 11:36; 2 Ts 2:4; 1 Jo 2:2; Ap 13:6) – “Proferirá palavras contra o Altíssimo”; “contra o Deus dos deuses, falará cousas incríveis”. O apóstolo Paulo diz que ele “se opõe e se levanta contra tudo que se chama Deus, ostentando-se como se fosse o próprio Deus”. João declara: “e abriu a sua boca em blasfêmias contra Deus, para lhe difamar o nome”. Diz ainda: “Este é o anticristo, o que nega o Pai e o Filho”. O anticristo vai usar todas as suas armas para ridicularizar o nome de Deus. Ele vai fazer chacota com o nome do Altíssimo.
    b) O anticristo fará violenta e esmagadora oposição contra a igreja (Dn 7:25; 7:21; Ap 12:11; 13:7) – “Ele magoará os santos do Altíssimo e cuidará em mudar os tempos e a lei; e os santos lhe serão entregues nas mãos”. “Ele fará guerra contra os santos e prevalecerá contra eles”. Mas, mediante a morte os santos o vencerão (Ap 12:11). João diz: “Foi-lhe dado também que pelejasse contra os santos e os vencesse” (13:7). O anticristo se levantará contra a igreja, contra o culto e contra toda expressão de fidelidade a Deus. Esse será o ponto mais intenso da grande tribulação (Mt 24:15-22).

    6. O anticristo será apoiado pela segunda besta, o falso profeta (Ap 13:11-18; 16:13; 19:20)
    a) A segunda besta seduzirá o mundo inteiro a adorar a primeira besta (Ap 13:11-15) – Se a primeira besta é o braço de Satanás, a segunda é a mente de Satanás. Ela é o falso profeta. A primeira besta age no campo político, a segunda no campo religioso. O Falso Profeta vai preparar o terreno para o anticristo e vai preparar o mundo para adorá-lo. A primeira besta será conhecida pelo seu poder conquistador, pela sua força (v. 4). A segunda besta será conhecida pelo seu poder sobrenatural, de fazer grandes milagres (v. 13-16).
    b) A segunda besta usará também a arma do controle para garantir a adoração da primeira besta (Ap 13:16-18) – Esse será um tempo de cerco, de perseguição, de controle, de vigilância, de monitoramento das pessoas, no aspecto político, religioso e econômico. Todo regime totalitário busca controlar as pessoas e tirar delas a liberdade. A recusa na adoração à primeira besta implica em morte (v. 15b).
    c) A segunda besta usará um selo distintivo para os adoradores da primeira besta (Ap 13:18; 14:9-11) – Assim como a noiva do Cordeira recebe um selo (7:3; 9:4), também os adoradores da besta recebem uma marca (13:16). Então só haverá duas igrejas na terra, aquela que adora a Cristo e aquela que adora o anticristo. Assim como os que recebem o selo de Deus terão a vida eterna, os que recebem a marca da besta vão perecer eternamente (Ap 14:11; 20:4).

    III. A MANIFESTAÇÃO DO ANTICRISTO

    1. Sua presente dissimulação e futura revelação (2 Ts 2:6-8)
    • Diz o apóstolo Paulo que o anticristo está sendo detido por ALGO (v. 6) e por ALGUÉM (v. 7). “E, agora, sabeis o que o detém, para que ele seja revelado somente em ocasião própria. Com efeito o mistério da iniquidade já opera o aguarda somente que seja afastado aquele que agora o detém” (2 Ts 2:6-7). O que é esse ALGO? Quem é esse ALGUÉM? A maioria dos estudiosos entende que o algo é a LEI e que o ALGUÉM é AQUELE QUE FAZ A LEI SE CUMPRIR.
    • É por isso que o anticristo vai surgir no período da grande apostasia, quando os homens, não suportarão leis, normas nem absolutos. Então, eles facilmente se entregarão ao homem da ilegalidade, o filho da perdição.

    2. O número de sua identificação (Ap 13:18; 2 Ts 2:3)
    • O anticristo no seu cumprimento profético foram governos anticristãos e totolitários ao longo dos séculos que perseguiram a igreja, assim, como o falso profeta simboliza as religiões e as filosofias falsas deste mundo que desviaram os homens de Deus para adorarem o anticristo e o dragão. Ambas as bestas se opoem a igreja durante toda a dispensação.
    • Mas, o anticristo aponta para um personagem escatológico que reunirá toda a maldade dos impérios e governos totalitários.
    • O anticristo será uma pessoa, ele é o homem da iniquidade, o filho da perdição, o abominável da desolação, a besta que emerge do mar, a encarnação de Satanás: Os cristãos primitivos entenderam que ele era Nero. Os reformadores entenderam que ele era o Papa romano. Estudiosos modernos disseram que foi representado por Napoleão, Hitler, Mussoline.
    • Seu número é 666. Sete é o número perfeito, seis o número imperfeito. Seis é o número do homem, o número incompleto, imperfeito, o número do fracasso. O número do anticristo é fracasso, sobre fracasso, sobre fracasso. Ele incorporará a plenitude da imperfeição, a consumação da maldade.

    3. A limitação do anticristo (Ap 13:5)
    a) O anticristo tem um poder limitado – visto que pode matar os santos, mas não vencê-los (12:11; 20:4). Os verdadeiros crentes preferirão a morte à apostasia (13:8), vencendo assim a besta (15:2). Eles não temem aquele que só pode matar o corpo e não a alma. O anticristo também não pode fazer nada contra Deus e contra os remidos na glória, a não ser falar mal (13:6).
    b) O anticristo tem um tempo limitado (13:5) – Quando o seu tempo acabar, ele mesmo será lançado no lago do fogo (19:20).

    4. Sua total destruição (2 Ts 2:8)
    • Jesus o matará com o sopro da sua boca e o destruirá pela manifestação da sua vinda (2 Ts 2:8).
    • Ele será quebrado sem esforço de mãos humanas (Dn 8:25).
    • Jesus vai tirar o domínio do anticristo para o destruir e o consumir até o fim (Dn 7:26).
    • O anticristo será lançado no lago do fogo que arde com enxofre (Ap 19:20).
    • Cristo colocará todos os seus inimigos debaixo dos seus pés (1 Co 15:24-25).
    • A igreja selada por Deus (Ap 9:4), preferirá a morte à apostasia e assim vencerá o dragão e o anticristo (Ap 12:11). Aqueles cujos nomes estão no livro da vida não adorarão o anticristo (Ap 13:8). Esses reinarão com Cristo para sempre.

  107. leticia disse:

    ouvi dizer que o mundo esta sendo preparado para o governo do anti cristo,sera isso verdade?fiquei assustada quando pesquisei no Google sobre, (mondex o chip). sera que Bíblia esta se cumprindo??

  108. arceu disse:

    olha Leticia,vou indicar pra você um documentário,muito bom que fala a respeito do anti cristo e do fim dos tempo, totalmente baseado na bíblia, este documentário tem cerca de uma hora de duração mas esta dividido por partes,veja todas principalmente o final……… http://video.google.com.br/videosearch?hl=pt-BR&resnum=0&q=contagem+regressiva+para+o+armaged

  109. leticia disse:

    É irmão Arceu Muito interessante estes videos, gostei bastante!

  110. diego disse:

    isso que vocÊ viu na internet a respeito desse “mondex o chip” não passa de especulações, e mais não passa de invenções de pessoas que com a cabeça de minhoca, e iludidas por outras com o mesmo nivel de esperteza, que ficam usando passagens biblicas para fantasiar algo, e na internet você encontra muito essas coisas…

    esses mondex o chip, vamos falar um pouco dele:

    logo de começo, esses micros chips, não serão nada barato ter algo desse tipo, ja que é um sistema de rastreamento via satélite, com baterias de litio, e milimetricos entre outras coisas. então vamos imaginar que no planeta existe 7 bilhões de habitantes, e vamos “supor” que essa tecnologia fosse “barata”, apenas “supor”, e que custasse em torno de 5 dólares cada um, verás que era necessario 35 bilhões de dólares para todos do planeta ter, claro que esse valor é ficticio e jamais sera esse valor, e quem inventou, inventou para faturar e não para doar, sem contar que não seria todos que iriam por um desses ja que veis o tanto de miséria que existe no mundo, e o anticristo virá para tentar dominar a todos, não a minoria que tem um poder aquisitivo a mais que outros……
    então essas besteiras que saem na internet, e que não são poucas, não devem levar os votos de ninguem, e devem ser descartadas de cara minha querida leticia…..

    um abraço minha querida leticia, e não fique com medo do que colocam na internet, pois existem muitas coisa um tanto assustadoras para alguns, mais para quem tem deus de verdade no coração nada o poderá abalar……

  111. diego disse:

    para te dar uma noção perfeita do anticristo minha querida leticia, basta você imaginar a mistura do: inri cristo + jorge w. busch + adolf hitler + o vingador do caverna dos dragões……
    rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs

    desculpa a brincadeira, mais não pude resistir, diante de tanta invenção que vemos por ai a fora…….

  112. Nathalia disse:

    Olá bem estive vendo esse debate ,tambem sou catolica já ouvi falar do mondex o chip e resolvi ver se realmente há numa biblia sobre o assunto tive duvidas alias encontrei na biblia sobre uma tal marca da besta e me disseram ser esta o chip que leva os numeros 666 mas vi que o irmão diego esclareceu que isso de chip é invenção!Oque é a marca da besta na realidade que nos fins dos tempos sera implantada na mão ou na testa?aguarda a resposta.

  113. diego disse:

    bom na verdade irmã nathalia, essA MARCA DA BESTA SERÁ ALGO QUE CONFRONTE TODA HUMANIDADE, mais como eu disse, esse anticristo vira para dominar toda humanidade, então por tentar parecer com cristo, o anticristo vira para fazer com que as pessoas acreditem que seja o cristo verdadeiro, mais na verdade seja o grande senvergonha que todo mundo tem medo “satanas”, que encobre todos com a sua falsidade de corrrupito, e sarcanisto de anfitrião, ja que não passa de um safado, que por ver que errou em ter não seguido o deus verdadeiro, e que não terá uma chance de se redimi por ter causado tanta desgraça por ai a fora…….ja que sabemos que anjos não é igual ao ser humano que erra e pode voltar atrás, sendo que os anjos são perfeitos e se desejam em seguir o caminho do bem seguirão o caminho do bem para sempre, e se desejarem em seguir o caminho do mal os seguirão para sempre, então humanos, sigam o deus vivo em quanto deus te da a oportunidade de ir em frente sabendo assim que a igreja de cristo que deus edificou em pedro, esta ai para salvar os não justos, ja que muitos falarão em seu nome, e que, ao contrario de que muitos falam que os catolicos não sabem nada, veis que na verdade os protestantes que se julgam em saber tudo não sabem nada e que qualquer protestante que se achem que tem a verdade absoluta que se prostem aqui para que eu com a minha simplicidade e admiração ao deus pai mostre a eles o quanto estão enganados e que com suas sabedorias em deus quem dizem em ter, e que humilha pobres católicos que não tem o conhecimento de nada com suas obtenção de converter os católicos que não tem nada de conhecimento, venham aqui para que eu com minha simplicidade mostre a eles o tanto que eles são errados perante deus e as escrituras, sejas quem for, eu mostrarei a eles, mais a fundo, no verbo da salvação, seja pastor ou fiel metido a inteligente venham que eu ti mostrarei o erro que estais…..
    e sabes que não virás, pois não tens conhecimento da raiz de deus salvador, e o que os protestantes falam é a inigualdade das suas injurias perante deus vivo o salvador,,,,,,,,,
    venham e mostre alguma injuria e eu te desmascarei perante deus, vivo, sejas ousados e eu te subirdinarei perante deus vivo…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

  114. diego disse:

    vou examinar leticia, tenho que fazer uns trabalho aqui mais até amanhã postarei algo, a paz do senhor esteja com tigo irmã, e até mais leticia……..

  115. diego disse:

    vamos lá minha querida leticia, analizei os videos que mandastes eu ver, e pude ver que é um video onde se tenta colocar um pouco de medo nas pessoas, ja que não precisa a você e a ninguem ter medo pois como eu disse aquele que tem deus de verdade nos corações passarás por tudo sem dores maiores, agora devemos lembrar minha querida que quando os discipulos perguntaram para jesus a respeito de quando seria o sinal da tua volta e do fim do mundo, jesus disse:
    4. Respondeu-lhes Jesus: Cuidai que ninguém vos seduza.
    5. Muitos virão em meu nome, dizendo: Sou eu o Cristo. E seduzirão a muitos.
    6. Ouvireis falar de guerras e de rumores de guerra. Atenção: que isso não vos perturbe, porque é preciso que isso aconteça. Mas ainda não será o fim.
    7. Levantar-se-á nação contra nação, reino contra reino, e haverá fome, peste e grandes desgraças em diversos lugares.
    8. Tudo isto será apenas o início das dores.
    então irmã, tudo isso que vemos hoje não é o fim mais apenas o começo das dores, não te pertubes com o que dizem pois o dia certo mesmo não sabemos pois jesus virá como o relâmpago que sai por oriente e brilha até ocidente, assim será a vinda do Filho do Homem….
    mais devemos enfatizar que jesus ao falar aos discipulos dessas coisas, jesus alerta claramente sobre os falsos profetas, Então, se algum lhes disser: “olhem, o Cristo está aqui ou alí”, não acreditem. Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas, que farão grandes sinais e prodígios, capazes de enganar, se fosse possível, os mesmos eleitos.
    e devemos estar sempre atentos irmã leticia, Dado que ninguém sabe nem o dia nem a hora, Jesus termina seu discurso convidando a seus discípulos a permanecer fiéis e a estar sempre preparados, pois sua segunda vinda será de surpresa. Podemos concluir que à pergunta feita por seus discípulos sobre quando será o fim do mundo e quais seriam os sinais para reconhecer que o final está perto, Jesus conclue dizendo: Quanto ao dia e a hora: ninguém o sabe; e pelo que toca aos sinais que o precederão, o sinal fundamental é que não haverá sinais, será ao improviso, pelo que há que viver sempre preparados.

    até mais leticia espero que compriendas e não se pertubes pelo que dizem siga deus afinco até o ultimo dia de vida……..

  116. le disse:

    acho legal que os católicos estão lendo a biblia e gostaria que eles pudesse ver este debate clique aqui: http://video.google.com.br/videosearch?hl=pt-BR&source=hp&q=silas+malafaia&um=1&ie=UTF-8&ei=Ffj6Su

  117. ARCEU disse:

    olha le foi dimais, gostei muito destes videos principalmente aquela
    Entrevista TV CANAL LIVRE com Pastor Silas Malafaia Duração: 51Min abraço fique com Deus.

  118. ARCEU disse:

    bom seria que todos os católicos tivesse a oportunidade de ouvir este debate, entre um padre e um pastor. clique aqui e veja: http://video.google.com.br/videosearch?hl=pt-BR&q=debate+de+siilas+malafaia+e+um+padre&um=1&ie=U

  119. diego disse:

    eu desafio qualquer padre, pastor ou seja lá o que for para que venha aqui colocar alguma injuria contra a igreja católica que eu desmascarei aqui ou pessoalmente, basta se prostar aqui se tiver coragem claro, pois todos que tentaram algo contra a santa igreja católica, foi umilhados perante a verdade.
    verdade essa que nenhum conhece, esta lançado o desafio venham aqui pastores ou padres, e eu te desmentirei caros amigos.

  120. diego disse:

    ja que vamos colocar videos de outras pessoas, e se isso tem valor para vocês, ja que gostam de ouvir o que as pessoas pensan e não a verdade, vamos colocar os videos de caio fabio que foi pastor iqual a vocês pastores, mais que ele não esconde a verdade, muito pelo contrario, ele chama o silas malafaia, edir macedo, entre outros para impor algo perante a biblia, e o pior eles não tem coragem de debater com caio fabio, rsrsrsrsrsrrs…….
    é de dar risada né………
    veja esse video, e existe muitos outros videos no yuotube, basta procurar e parar de seguir o que as pessoas dizem…..
    rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrrsskkkkkkkkkkkkkk

    clica ai pessoal vamos ver videos feitos por eles próprios………rsrsrrsrsrsrsrrsrs………………………………………………….

    http://www.youtube.com/watch?v=HAB6YCnHw7k

    e os desafios que eu coloquei aqui serve para silas malafaia tambem, se ele tiver coragem de vir aqui debater venha, silas malafaia, ja que não tens coragem de debater com caio fabio…………….rsrsrsrrsrsrsrsrrsrsrsrsrrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrrssrrsrsrsrsrsrsrsrrsrssrskkskssrrsrsrksrksrsrksrsrsrskrksrskrsrsrrksrkrskrskrskrsrsrsrkkrskrskrsrksrksrkrskrskrskrskrskrskrskrkrskrskrskrskrskrskrskrskrskrskrskrskrskrksrkrskrskrskrskrskrskrskrskrskrskrksrkrskrskrskrskrskrskrskrskrskrsrksrksrsrkskrsrksrksrkkrskrsrkskrsrkskrsrkskrskrskrskrskrskrsrksrksrkskrksrrksrkskrsrksrksrksrsrsrkskrsrksrkskrskrskrksrrksrksrksrksrksrksrksrksrkskrskrskrksrkrkrskrskrskrskrskrskrskrskrsrkskrksrkrskrskrsrksrsrksrksrkskrskrkrskrsrksrksrksrksrksrksrkskrrksrkskrskrskrskrskrskrsrkskrskrskrskrskrsrkskrkrskrskrsrkskrsrrskrkskrskrskrskrskrsrksrkrsrsrksrksrksrksrksrksrkrksrksrksrksrksrksrkrksrksrksrksrksrksrkrksrksrksrksrksrkksrkrskrskrsrkskrsrksrksrkskrrksrksrksrksrsrksrksrsrksrksrsrkrksrksrksrkskrsrkrksrksrksrksrkkrskrskrskrskrskrskrksrrksrksrksrksrksrksrksrksrksrksrkrksrksrkkrsrksrksrkskrskrsrksrksrksrrskrksrksrksrkskrsrksrkrkskrsrksrskrkssrsrrksrkskrskrsrkskrskrskrskrkrskrsrkskrsrksrksrksrksrksrkskrskrrksrksrksrkskrskrskrskrkrskrskrskrskrkrsrksrksrsrkkrskrskrskrkrskrskrskrsrksrksrksrksrkrksrksrksrksrksrksrksrksrksrkskrrksrksrsrsrksrksrksrksrrsr…………………………………………………………………………….

  121. le disse:

    15 RAZÕES PORQUE DEIXEI DE SER CATÓLICO ROMANO
    Confissões de um Ex-padre

    “E ouvi outra voz do céu que, que dizia sai dela povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas. Apocalipse 18:4”.

    Ex Padre Josias de Souza Lima

    1- Porque Jesus disse “Examinai as Escrituras porque cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de Mim testificam” (João 5:39).
    Se é pelo intermédio das Escrituras e mediante os ensinos de Jesus que “uma vez aceitando-O alcançamos a salvação” exclui-se, portanto que seja pela igreja católica.

    2 – Não sou católico romano porque sendo a religião cristã fundada por Cristo, foi durante 200 anos divulgada sem modificações nem acréscimos, mas dali pra cá surgiram novas doutrinas, falsificações, e toda a sorte de cerimônias estranhas ao Novo Testamento, que foram discutidas em concílios e aprovadas por homens, daí nascendo a Igreja Católica Romana.“Mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviam mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente” (Romanos 1:25).

    3 – Não sou Católico Romano, porque atendendo ao pedido de Jesus no que Ele diz examinai as Escrituras, isso tenho feito e nunca encontrei nos livros sagrados do Novo Testamento o “Ofício da Missa”.
    A razão porque não encontrei, é que foi composto pelo Papa Gregório I uns 600 anos depois de Cristo.

    4 – Não sou Católico Romano, porque não encontrei uma passagem no novo testamento que mostre algum dos apóstolos diante do altar incensando imagens.
    A razão porque não encontrei, é que o culto das imagens foi decretado pelo 2.º Concilio de Nicéia 787 depois de Cristo.

    5 – Não sou Católico Romano, porque não encontrei no Novo Testamento um só trecho que fale de ter havido na Igreja primitiva alguma procissão eucarística.
    A razão porque não encontrei, é que começou em 1360 anos depois de Cristo.

    6 – Não sou Católico Romano, porque não encontrei um versículo qualquer na Bíblia que recomende o uso do rosário. A razão porque não encontrei, é que apareceu com o Pedro Eremita em 1090 depois de Cristo.

    7 – Não sou Católico Romano, porque não encontrei na Bíblia Sagrada um só mandamento que proíba o casamento dos ministros da religião.
    A razão porque não encontrei, é que foi proibido pelo Papa Gregório VII em 1074 depois de Cristo.

    8 – Não sou Católico Romano porque não encontrei nas Escrituras Sagradas a palavra “Purgatório”.
    A razão porque não encontrei, é que não existe e só foi promulgado pelo concílio de Trento, em 1563 depois de Cristo. Antes desta data não havia nenhuma alma no purgatório, pois não havia sido criado pelo Papa.

    9 – Não sou Católico Romano porque não encontrei uma só passagem no Novo Testamento que mostre algum ministro de Deus aspergindo água benta no caixão de um morto e fazendo-lhe recomendação.
    A razão porque não encontrei, é que foi criado pela Igreja Católica, a fabricação da água benta apareceu 1000 anos depois de Cristo.

    10 – Não sou Católico Romano porque não encontrei na Palavra de Deus que se deve orar e render culto aos Santos e aos Anjos.
    A razão porque encontrei, é que foi criado pela Igreja no ano 788 depois de Cristo. E o culto das imagens foi decretado pelo 2º Concilio de Nicéia em 787 depois de Cristo.

    11 – Não sou Católico Romano, porque não encontrei nas Escrituras Sagradas que entre Deus e os homens há outro mediador e intercessor fora de Jesus Cristo (I Tim 2:5).

    12 – Não sou Católico Romano porque não encontrei na Bíblia Sagrada a ”confissão auricular”. A razão porque não encontrei, é que foi estabelecida como doutrina pelo 4º concilio de Latrão Roma em 1215 depois de Cristo.

    13 – Não sou Católico Romano porque não encontrei na Escrituras Sagradas a “Transubstanciação” doutrina da hóstia transformada no corpo de Cristo (osso, carne, nervos, unhas, cabelos, sangue, espírito e divindade).
    A razão porque não encontrei, é que esta inovação foi criada no concilio de Latão em 1215 depois de Cristo.

    14 – Não sou Católico Romano porque a Bíblia diz que “se alguém ouvir as palavras deste livro vivera, mas se alguém lhe acrescentar mais alguma coisa. Deus lhe fará vir sobre eles as pragas escritas neste livro. E se alguém “Tirar quaisquer palavra do livro desta profecia, Deus lhe tirara a sua parte da arvore da vida e da cidade Santa.” (Apocalipse 22:18,19).

    15 – Não sou Católico Romano, porque disse Jesus em Apocalipse “sai dela povo Meu para que não sejas participante dos seus pecados e não tomes partes nas suas pragas” (Apoc. 18:4).
    Ao leitor inteligente, bastam estas advertências, uma vez que provamos que Roma Papal incorre nas condenações de Deus. Ela mudou, acrescentou, e diminuiu a palavra divina em concílios e decretos, por estas razoes não sou Católico Romano.
    E no dia que encontrar qualquer Católico Romano Padre ou leigo que provar com versículos a autenticidade para tais doutrinas, deixo de ser Cristão Evangélico para ser Católico Romano.

    Josias de Souza Lima ministro evangélico
    Caixa postal 859 CEP 80.000 Curitiba – PR

  122. diego disse:

    Vamos lá “le”.
    Antes de qualquer coisa, qual sua religião?

    Razões por que não sou protestante seja lá qual for à denominação.

    Antes de qualquer coisa, essa resposta que vou te dar le, foi uma resposta que tirei da própria internet já que de começo você também não teve a capacidade de debater com palavras suas.
    Este link corresponde com todo artigo.

    http://www.veritatis.com.br/article/4953

    Pax Christi!
    Agradecemos muito o encaminhamento desse artigo do “ex-padre” Josias. Em uma primeira leitura já é possível identificar inúmeros erros históricos, anacronismos e ironias infundadas… Espantalhos que não correspondem à Igreja Católica…
    Esse texto, porém, já se encontra refutado aqui mesmo no Veritatis Splendor. Basta ler o seguinte artigo:
    – RESPOSTAS A UM ADVENTISTA
    Com efeito, de duas uma: ou o tal “padre” Josias nunca foi padre ou, se foi, desconhecia POR COMPLETO a doutrina e a disciplina católicas e – pior ainda – a própria História da Igreja… Apenas um católico muito DESPREPARADO poderia se deixar levar pelas “razões” (???) apontadas por ele.
    Mas como você nos fez a gentileza de encaminhar esse artigo, retribuímos a sua gentileza encaminhando a você DIVERSAS razões porque não somos, nem queremos ser protestantes (e vc deveria ler estas razões com calma e muita atenção, já que isto está sendo remetido a você por um Apostolado constituído por diversos EX-PROTESTANTES):

    Então le entra no link que eu coloquei acima e veja o resto dos textos já que você acabou de demostrar que não conhece a palavra, mais sim ouvi o que dizem por ai e sai falando sem ao menos ir atrás da verdade.

    Deus o abençoe, e vai atrás da verdade meus amigos parem de serem controlados por palavras de terceiros.

  123. diego disse:

    então le veja as 12 verdades contra os protestantes:

    12 VERDADES CONTRA OS PROTESTANTES

    Por Martin Zavala

    Fonte: http://www.defiendetufe.org

    São 12 verdades do Evangelho, que como autênticos cristãos, devemos conhecer.

    Os “Protestantes” dizem:

    1.- Já estou salvo e se morro vou pro céu, não posso perder a salvação.

    O Evangelho ensina:

    1.- “Mas aquele que persevere até o final, esse se salvará” Mt 24,13

    Os “Protestantes” dizem:

    2.- Sou salvo somente pela fé, nem as obras nem a obediência nos salva.

    O Evangelho ensina:

    2.- “Não todos aqueles que me dizem: Senhor, Senhor, entrarão no Reino dos Céus: mas, sim aquele que fizer a vontade do meu Pai que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, mas nós não profetizamos em teu nome, e em teu nome lançamos demônios, e em teu nome fizemos muitos milagres?

    E então lhes protestarei: “Nunca os conheci; apartem-se de mim, servidores do mal.” Mt 7,21-23

    “E quando o Filho do homem vir em sua glória, e todos os santos anjos com Ele, então se sentará sobre o trono da sua glória. E serão reunidas frente a Ele todas as gentes: e os separará uns dos outros, como separa o pastor as ovelhas das cabras. E colocará as ovelhas a sua direita, e as cabras a sua esquerda. Então o Rei dirá aos que estão a sua direita: Venham, abençoados do meu Pai, entrem no reino preparado para vocês desde a fundação do mundo. Porque tive fome, e me destes de comer, tive sede, e me destes de beber; fui hóspede, e me aconchegastes; estive sem abrigo e me cubristes; doente, e me visitastes; preso, e viestes a mim.” Mt 25,31-36

    Os “Protestantes” dizem:

    3.- Cristo não está presente na Eucaristia, isso é somente algo simbólico.

    O Evangelho ensina:

    3.- “Eu sou o pão vivo que desceu do céu: se alguém come deste pão, viverá para sempre; e o pão que lhes darei é minha carne, a qual darei pela vida do mundo.” Então os judeus discutiam entre eles, dizendo: ” Como pode este dar a sua carne para comer?” Jo 6,51-52

    “E Jesus lhes disse: Em verdade, em verdade lhes digo: Se não comer a carne do Filho do homem, e não beber seu sangue, não terás vida em vós. Aquele que come minha carne e bebe meu sangue, tem vida eterna: e eu o ressuscitarei no último dia. Porque minha carne é verdadeira comida, e meu sangue é verdadeira bebida. Aquele que come minha carne e bebe meu sangue, permanece em mim, e eu nele.” Jo 6,53-56

    “E muitos dos seus discípulos escutando-o, disseram: Duro é esta palavra: quem pode ouvi-la?” Jo 6,60

    “Desde então, muitos dos seus discípulos voltaram para trás, e já não andavam com Ele”. Jo 6,66

    “Disse então Jesus aos doze: Querem voltar atrás também? E respondendo-lhe Simão Pedro: Senhor, a quem iremos? Só o senhor tem palavras de vida eterna.” Jo 6,67-68

    Os “Protestantes” dizem:

    4.- Tenho que me confessar direto com Deus, não com homens pecadores.

    O Evangelho ensina:

    4.- “Então lhes disse Jesus outra vez: A paz estejam com todos: como o Pai me enviou, assim também eu os envio. Recebam o Espírito Santo: Aos que perdoais os pecados, ficam perdoados: e a quem lhes reter, serão retidos.” Jo 20,21-23

    “Na verdade lhes digo que tudo o que vocês ligarem aqui na terra, será ligado no céu, e tudo o que desligarem na terra, será desligado no céu.” Mt 18,18

    Os “Protestantes” dizem:

    5.- Não tenho que chamar de “Pai a ninguém”, a Bíblia me proíbe.

    O Evangelho ensina:

    5.- “Então Ele, dando sua voz , disse: Pai Abraão, tem misericórdia de mim, e envia a Lázaro que molhe a ponta do seu dedo em água, e refresque minha língua; porque sou atormentado nesta chama.” Lc 16,24

    “Conheces os mandamentos: Não mates, não cometas adultério, não cometas roubo, não dês falso testemunho. Honra ao teu pai e a tua mãe.” Lc 18,20

    “Me levantarei, e irei ao meu pai e lhe direi: Pai, pequei contra o céu e contra ti.” Lc 15,18

    Os “Protestantes” dizem:

    6.- Tudo está escrito na Bíblia,se não está, não vale.

    O Evangelho ensina:

    6.- “E tem também muitas outras coisas que fez Jesus, que se fossem escritas cada uma delas, não caberiam no mundo tantos livros que se haveriam de escrever. Amém.” Jo 21,25

    “E lhes disse: Vão por todo o mundo; ensinem o Evangelho a toda criatura.” Mc 16,15

    “E eles, saindo, ensinaram em todas partes”. Mc 16,20

    Os “Protestantes” dizem:

    7.- Não temos que batizar as crianças, elas não necessitam. Aliás, se deve fazer a imersão em um rio porque Jesus Cristo recebeu o Espírito Santo quando desceu na água.

    O Evangelho ensina:

    7.- ” Respondeu Jesus: Na verdade, na verdade, te digo, que o que não nasce da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus. O que é nascido da carne, carne é; e o que é nascido do Espírito, espírito é.” Jo 3,5-6

    “E logo, saindo da água, viu abrir-se os céus, e ao Espírito como pomba, que descia sobre Ele” Mc 1,10.

    Os “Protestantes” dizem:

    8.- Maria é uma mulher como as outras, não deve ser venerada pois a Bíblia não a menciona.

    O Evangelho ensina:

    8.- “E entrando o anjo onde estava, disse, Ave, favorecidíssima! O Senhor esteja contigo: bendita tu es entre as mulheres “. Lc 1,28

    “E aconteceu, que como escutou Elisabete o cumprimento de Maria, a criatura pulou em seu ventre; e Elisabete ficou cheia do Espírito Santo, E exclamou em alta voz, e disse: Bendita tu es entre as mulheres, e bendito o fruto do teu ventre”. Lc 1,41-42

    “Porque aqui, desde agora me dirão bem-aventurada todas as gerações”. Lc 1,48

    Os “Protestantes” dizem:

    9.- Maria não pode fazer nada porque está morta igual aos santos, e aliás a Bíblia não diz que ela possa interceder por nós.

    O Evangelho ensina:

    9.- “Eu sou o Deus de Abraão, e o Deus de Isaac, e o Deus de Jacob? Deus não é Deus dos mortos, senão dos vivos.” Mt 22,32

    “E lhes apareceu Elias com Moisés, que conversavam com Jesus.” Mc 9,4

    “E faltando o vinho, a mãe de Jesus lhe disse: O vinho acabou. e disse-lhe Jesus: Que tenho eu contigo, mulher? Ainda não é chegado minha hora. Sua mãe disse aos que serviam: Façam tudo o que ele disser… E como o mestre-sala gostou da água feita vinho”. Jo 2,3-9

    Os “Protestantes” dizem:

    10.- Não se deve dizer as mesmas palavras ao rezar, como no terço. Repetir não é bíblico.

    O Evangelho ensina:

    10.- “E (Jesus) voltando a irse, orou, repetindo as mesmas palavras.” Mc 14,39

    Os “Protestantes” dizem:

    11.- Todos os Apóstolos foram iguais. Isso sobre o Papa é um invenção que não está na Bíblia. Pedro foi igual aos onze.

    O Evangelho ensina:

    11.- “E lhe trouxe a Jesus. E olhando-o, Jesus, disse: Tu es Simão, filho de Jonas: tu serás chamado Cephas (que quer dizer, Pedra)”. Jo 1,42

    “Mas eu também te digo, que tu es Pedro, e sobre esta pedra edificarei minha igreja; e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. E a ti darei as chaves do reino dos céus; e tudo o que ligares na terra será ligado nos céus; e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus.” Mt 16,18-19

    “Disse também o Senhor: Simão, Simão, olha que Satanás pediu para crivaros como o trigo; mas eu roguei por ti para que tua fé não falte: e tu, uma vez de volta, confirma aos teus irmãos.” Lc 22,31-32

    “E veio e os encontrou dormindo; e disse a Pedro: Simão, dormes? Não velastes uma hora?” Mc 14,37

    “E quando comeram, Jesus disse a Simão Pedro: Simão, filho de Jonas, tu me amas mais que estes? Disse-lhe; Sim Senhor: tu sabes que te amo. Disse-lhe: Apascenta meus cordeiros. Volta a dizer-lhe a segunda vez: Simão, filho de Jonas, tu me amas? Respondeu-lhe: Sim, Senhor: tu sabes que te amo. Disse-lhe: Apascenta minhas ovelhas. Disse-lhe a terceira vez: Simão, filho de Jonas, tu me amas? Entristeceu-se Pedro de que Ele dissesse pela terceira vez: Me amas? e disse-lhe: Senhor, tu sabes todas as coisas; tu sabes que te amo. Disse-lhe Jesus: Apascenta minhas ovelhas.” Jo 21,15-17

    “Reuniram-se os apóstolos e os anciãos para tratar desta questão. (ver At 15) Ao fim de uma grande discussão, Pedro levantou-se e lhes disse: Irmãos, vós sabeis que já há muito tempo Deus me escolheu dentre vós, para que da minha boca os pagãos ouvissem a palavra do Evangelho e cressem. Ora, Deus, que conhece os corações, testemunhou a seu respeito, dando-lhes o Espírito Santo, da mesma forma que a nós.” At 15, 6-8

    Os “Protestantes” dizem:

    12.- A Igreja não importa, somente Cristo salva. É a mesma coisa estar em qualquer uma. O único necessário é aceitar a Cristo, não a Igreja.

    O Evangelho ensina:

    12.- ” Aquele que os escuta, a mim escuta; e aquele que os despreza, a mim despreza; e aquele que a mim despreza, despreza aquele que me enviou.” Lc 10,16

    “Aquele que recebe a vocês, a mim me recebe; e aquele que a mim recebe, recebe ao que me enviou.” Mt 10,40

    “Por tanto, se teu irmão peca contra ti, vai, e redarguie-lhe entre ti e ele só: se te escuta, ganhaste ao teu irmão. Mas se não te escuta, consegue-te dois mais, para que na boca de dois ou de três testemunhas conste toda palavra. E se não escuta a estes, diga a Igreja: e se não escutar a Igreja, considera-o como publicano.” Mt 18,15-17

    “Mas eu também te digo, que tu es Pedro, e sobre esta pedra edificarei minha igreja; e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.” Mt 16,18

    É tempo de nos decidir a aceitar o Evangelho Completo de Jesus Cristo tal como está e não adaptá-lo segundo o gosto de cada um.

    Jesus Cristo disse:

    “Qualquer um, pois, que escuta estas palavras, e as pratica, o compararei a um homem prudente, que edificou sua casa sobre a Rocha”

    Mt 7,24

    Se você é protestante, esse é o convite por parte de Nosso Senhor. Se você é católico, esse é o convite por parte do Nosso Senhor. Vive-o para ser um autêntico cristão.

    Da minha parte, como católico, em vez do credo dos grupos protestantes, prefiro o ensinamento do Evangelho. Mesmo que ao dizer isto aconteça como o Apóstolo Paulo disse:

    “Me tornei inimigo de vocês por haver dito a verdade?” Gal 4,16

    Que a Virgem Maria interceda por cada um de nós para que sejamos fiéis ao Evangelho do seu Filho Jesus Cristo e ser fiéis a Igreja que Ele fundou: a Católica.

  124. le disse:

    olha querido diego nunca vi tantas aberrações,cara se ta por fora, em breve te darei uma resposta a altura.rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs fui

  125. diego disse:

    vamos lá novamente “le”, você colocou as 15 razões por que deixou de ser católico, vamos colocar as razões por que dave armstrong deixou o protestantismo e se tornou católico, para a furia dos protestantes.

    e o pior não são 15 razões que irei colocar mais sim 150 razões contundentes.

    150 RAZÕES PORQUE ME TORNEI UM CATÓLICO

    Por Jaime Francisco de Moura

    Fonte: Por que estes ex-protestantes se tornaram Católicos?

    Testemunho de Conversão de Dave Armstrong

    Depois de se enveredar na busca pela verdade, Dave Armstrong é recebido na Igreja Católica, em 1992 junto com sua esposa Judy. Eis alguns motivos porque deixou o protestantismo.

    1. A Igreja católica oferece a única visão coerente da história do Cristianismo (Tradição Cristã, Apostólica) e possui a moralidade cristã mais profunda e sublime: espiritual, social moral, e filosófica.

    2. Eu me tornei um católico porque acredito sinceramente, em virtude de muita prova cumulativa, que o Catolicismo é a verdade, e que a Igreja católica é a Igreja visível divina estabelecida por Jesus contra o qual as portas do inferno não podem e não prevalecerão (Mt 16,18).

    3. Eu deixei o Protestantismo porque era seriamente deficiente na interpretação da Bíblia “somente a fé”. É inconsistente na adoção de várias Tradições católicas (por exemplo, o Cânon da Bíblia, falta uma visão sensata da história Cristã. Chegou a um acordo moralmente anárquico e relativístico. Essas são algumas das deficiências principais que eu vi eventualmente como fatal para a “teoria” do Protestantismo).

    4. O Catolicismo não é dividido formalmente, nem é sectário (Jo 17, 20-23) (Rm 16, 17) (1 Cor 1, 10-13).

    5. A Unidade católica faz o Cristianismo e Jesus mais acreditáveis para o mundo (Jo 17, 23).

    6. Por causa do Catolicismo se unificou, a visão Cristã completamente do sobrenatural.

    7. O Catolicismo evita um individualismo que arruína a comunidade Cristã (1 Cor 12, 25- 26).

    8. O Catolicismo evita o relativismo teológico, por meio da certeza dogmática, que é centralizada no papado.

    9. O Catolicismo evita anarquismo doutrinário, impedindo assim a divisão do verdadeiro Cristianismo.

    10. O Catolicismo formalmente previne o relativismo teológico que conduz às incertezas dentro do sistema protestante.

    11. O Catolicismo rejeita a ?Igreja Estatal” que conduziu os governos a dominar politicamente o Cristianismo.

    12. Protestantes de Igrejas Estatais influenciaram a elevação do nacionalismo que mitigou contra a igualdade e o Cristianismo universal.

    13. A Cristandade católica unificada – antes do século XVI não tinha sido infestada pelas trágicas guerras religiosas.

    14. O Catolicismo retém os elementos do mistério, do sobrenatural e do sagrado no Cristianismo, se opondo assim à secularização onde a esfera do religioso em vida se torna muito limitada.

    15. O individualismo protestante conduziu à privatização do Cristianismo, por meio do que é pouco respeitado em vida de sociedade e política, deixando o “quadro público” estéril de influência Cristã.

    16. A falsa dicotomia secular protestante conduziu cristãos a se comprometerem, em geral, com políticas vazias. O Catolicismo oferece um vigamento no qual chega a responsabilidade estatal e cívica.

    17. O Protestantismo se apóia muito em meras tradições de homens (toda denominação origina da visão de um fundador. Assim que dois ou mais destes se contradizem um ao outro, o erro está presente).

    18. Igrejas protestantes, de um modo geral, são culpadas em colocar os pastores num pedestal muito alto. Por causa disso, congregações evangélicas experimentam uma severa crise, dividindo-se em outras quando um pastor vai embora, provando-se que suas filosofias e doutrinas são centradas no homem, em lugar de Deus.

    19. O Protestantismo, devido à falta da real autoridade e estrutura dogmática, vem se diluindo a cada dia, surgindo então milhares e milhares de denominações. Existem hoje, 33.800 denominações religiosas, cada uma ensinando coisas opostas às outras.

    20. O Catolicismo retém a Sucessão Apostólica, necessária para saber o que é a verdadeira Tradição Apostólica. Era o critério da verdade usado pelos primeiros Cristãos.

    21. Muitos protestantes levam uma visão escura em geral da história Cristã, especialmente os anos de 313 (a conversão de Constantino) para 1517 (a chegada de Lutero). Essa ignorância e hostilidade conduzem ao relativismo teológico, ao anticatolicismo, e a um constante processo desnecessário de “reinventar a roda”.

    22. O Protestantismo no início era anticatólico e permanece assim até os dias atuais. Isso está obviamente errado e é antibíblico. O Catolicismo realmente é Cristão (se não é, então – logicamente ? o Protestantismo que herdou a teologia do Catolicismo também não é). Por outro lado, a Igreja católica não é antiprotestante.

    23. A Igreja católica aceita a autoridade dos grandes Concílios Ecumênicos (At 15) o qual definido, desenvolveu a doutrina Cristã e os demais concílios.

    24. A maioria dos protestantes não tem bispos, uma hierarquia Cristã que é bíblica (1 Tm 3,1- 2) e que existiu na história dos primeiros Cristãos e na Tradição.

    25. O Protestantismo não tem nenhum modo de resolver assuntos doutrinais definitivamente. A doutrina protestante só leva em conta uma visão individual na Doutrina X, Y, ou Z, não tem nenhuma Tradição protestante unificada.

    26. O Protestantismo surgiu em 1517. Então não pode ser possivelmente a “restauração do puro”, “primitivo” Cristianismo, desde que isso está fora de governo, pelo fato de seu absurdo recente aparecimento. O Cristianismo tem que ter continuidade histórica ou não é Cristianismo. O Protestantismo necessariamente é um “parasita” do Catolicismo.

    27. A noção protestante da “igreja invisível” também é moderna na história do Cristianismo e estranho à Bíblia (Mt 5,14; 16,18), então é falso.

    28. Quando os teólogos protestantes falam do ensino do Cristianismo primitivo (por exemplo, ao refutar “cultos”), eles dizem “a Igreja ensinada?. . . mas quando eles recorrem ao presente, eles instintivamente se contêm de tal terminologia, como autoridade pedagógica universal que só reside na Igreja católica.

    29. O princípio protestante de julgamento privado criou um ambiente (especial na América protestante) no qual invariavelmente o homem centralizou “cultos” como as Testemunhas de Jeová, Mormonismo, Ciência Cristã etc.

    30. A falta de uma autoridade pedagógica definitiva no protestantismo (como no magistério católico) faz muitos protestantes individuais pensarem que eles têm uma linha direta com Deus. Basta uma Bíblia, o Espírito Santo e uma mentalidade individual. Não têm nenhuma segurança e garantia em dizer que são “infalíveis” sobre a natureza do Cristianismo.

    31. As “técnicas” de evangelismo são freqüentemente inventadas e manipuladas, certamente não derivaram diretamente do texto da Bíblia. Algumas técnicas se igualam e se assemelham à lavagem cerebral.

    32. O evangelho orado por muitos evangelistas protestantes e pastores é truncado e abreviado, é individual e diferente do evangelho bíblico como é proclamado pelos Apóstolos.

    33. O protestantismo separa profundamente, a vida transformada no arrependimento para uma disciplina radical. “Um próprio ditado” luterano chama isso de “graça barata.”

    34. A ausência de uma idéia de submissão a uma autoridade espiritual no Protestantismo caiu no meio político onde as idéias de “liberdade” pessoal, “propriedade”, e “escolha” tem agora, uma extensão de dever cívico.

    35. O Catolicismo retém o senso do sagrado, o sublime, o santo, e o bonito em espiritualidade. As idéias de altar, e “espaço sagrado” são preservadas. Muitas igrejas protestantes são corredores, se encontrando em locais, como “ginásios”. A maioria das casas dos protestantes é mais esteticamente notável que suas próprias igrejas. Os protestantes, são viciados freqüentemente pela mediocridade na avaliação de arte, música, arquitetura, drama, imaginação, etc.

    36. O Protestantismo negligenciou o lugar da liturgia em grande parte da adoração (com exceções notáveis como Anglicanismo e Luteranismo). Esse é o modo que os cristãos sempre seguiram durante séculos e não pode ser despedido assim ligeiramente.

    37. O Protestantismo tende a opor matéria e espírito, enquanto favorecendo o posterior, é um pouco Gnóstico nesta consideração.

    38. O protestantismo critica a prática das procissões Católicas, indo contra a Igreja primitiva e a Bíblia (Js 3, 5-6) ( Nm 10, 33-34) ( Js 6,4) (Js 3, 14-16) (Ex 25, 18-21) (Js 4, 4-5) (Js 4, 15-18)

    39. O Protestantismo limita ou descrê no sacramentalismo que simplesmente é a extensão do princípio e a convicção de que a matéria pode ser veículo da graça. Algumas seitas (por exemplo, muitos pentecostais) rejeitam todos os sacramentos.

    40. Os Protestantes excessivamentes desconfiam da carne (“carnalidade”), freqüentemente caem no fundamentalismo, um legalismo absurdo não podem dançar, jogar cartas, escutar músicas convencionais, etc.

    41. Muitos protestantes tendem a separar vida em categorias de “espiritual” e “carnal”, como se Deus não fosse Deus de tudo e da vida. Esquecem que os empenhos de todos os pecadores são, no final das contas, espirituais.

    42. O Protestantismo removeu a Eucaristia do centro e foco de adoração. Alguns protestantes só observam isto, uma vez mensalmente, ou até mesmo trimestralmente. Isto está contra a Tradição da Igreja Primitiva.

    43. A maioria dos protestantes considera a Eucaristia como um símbolismo que contraria a Tradição Cristã universal até 1517 e a Bíblia (Mt 26, 26-28) (Jo 6, 47-63) (1 Cor 10, 14-22; 11, 23-30), onde estes textos confirmam à Real Presença.

    44. O Protestantismo deixou de considerar o matrimônio como um sacramento virtualmente, ao contrário da Tradição Cristã e a Bíblia (Mt 19, 4-5) (1 Cor 7, 14,39) (Efésios 5, 25-33).

    45. O Protestantismo aboliu o sacerdócio (Mt 18, 18) e o sacramento da ordenação, ao contrário da Tradição Cristã e da Bíblia (At 6, 1-6; 14,22) (1 Tm 4, 14) (2 Tm 1,6).

    46. O Catolicismo retém a noção de Paulo da viabilidade espiritual de um clero celibatário (1 Cor 7, 8; 7, 27 ; 7, 32) (Mt 19,12).

    47. O Protestantismo rejeitou o sacramento da confirmação em grande parte. (At 8,18) (Hb 6, 2-4), ao contrário da Tradição Cristã e da Bíblia.

    48. Muitos protestantes negaram o batismo infantil, ao contrário da Tradição Cristã e da Bíblia (At 2, 37-39; 16,15; 16, 33; 18,8) (1Cor 1,16) (Cl 2,11-12). O Protestantismo é dividido em cinco acampamentos principais na questão do batismo.

    49. A grande maioria dos protestantes nega a regeneração batismal, ao contrário da Tradição Cristã e a Bíblia (Mc 16,16) (Jo 3,5) (At 2,38; 22,16) (Rm 6,3-4) (1 Cor 6,11) (Tt 3,5).

    50. Os Protestantes rejeitaram o sacramento de ungir o doente (Extrema Unção Últimos Ritos), ao contrário da Tradição Cristã e da Bíblia (Mc 6,13) (1 Cor 12,9,30) (Tg 5,13-16).

    51. O Protestantismo nega a indissolubilidade do matrimônio sacramental e permite divórcio, ao contrário da Tradição Cristã e da Bíblia (Gen 2,24) (Ml 2,14-16) (Mt 5,32) (Mt 19,6,9) (Mc 10,11-12) (Lc 16,18) (Rm 7,2-3) (1 Cor 7,10-14,39).

    52. O Protestantismo não acredita que procriação é o propósito primário e benefício do matrimônio (não faz parte dos votos, como no matrimônio católico), ao contrário da Tradição Cristã e da Bíblia (Gn 1,28; 28,3; 127,3-5).

    53. O Protestantismo aprova a contracepção, em desafio à Tradição Cristã universal. (Gn 38,8-10; 41,52 (Lv 26, 9) (Dt 7,14) (Rt 4,13) (Lc 1,24-5). Agora, só o Catolicismo retém a Tradição antiga.

    54. O Protestantismo principalmente com sua asa liberal, em 1930, aceitou o aborto como uma opção moral, ao contrário da Tradição Cristã universal e da Bíblia. (Ex 20,13) (Is 44,2; 49, 5) (Jr 1,5; 2,34) (Lc 1,15,41) (Rm 13,9-10).

    55. O Protestantismo (de denominações largamente liberais) permite mulheres como pastoras (e até mesmo bispos, como no Anglicanismo), ao contrário da Tradição Cristã, teologia protestante tradicional e da Bíblia (Mt 10,1-4) (1 Tm 2,11-15; 3,1-12) Tt 1,6).

    56. O Protestantismo , cada vez mais, chega a um acordo formal e oficialmente com o feminismo radical à moda que nega os papéis de homens e mulheres como é ensinado na Bíblia (Gn 2,18-23) (1 Cor 11,3-10) e na Tradição Cristã.

    57. Atualmente o Protestantismo nega com freqüência crescente, o papel do marido no matrimônio contrário da Tradição Cristã e da Bíblia (1 Cor 11,3) (Ef 5,22-33) (Cl 3,18-19). Isso também está baseado em uma relação de igualdade (1 Cor 11,11-12) (Gl 3,28) (Ef 5,21).

    58. O Protestantismo liberal (notavelmente o Anglicanismo) ordenou os homossexuais praticantes até mesmo como pastores, permitindo o “matrimônio” entre sí, sendo contrário a antiga Tradição Cristã universal, e à Bíblia (Gn 19,4-25) (Rm 1,18-27) (1 Cor 6,9). O Catolicismo ficou firme na moralidade tradicional.

    59. O Protestantismo liberal aceitou métodos críticos” mais altos” de interpretação bíblica que conduzem à destruição da reverência Cristã tradicional.

    60. Muitos protestantes liberais jogaram fora várias doutrinas cardeais do Cristianismo, como a Encarnação, Nascimento da Virgem, a Ressurreição Corporal de Cristo, a Trindade, Pecado Original, inferno, a existência do diabo, milagres etc.

    61. Os fundadores do Protestantismo negaram, e Calvinistas negam hoje, a realidade da livre vontade humana.

    62. O Protestantismo clássico teve uma visão deficiente do passado do Homem, pensando que o resultado era depravação total. De acordo com Lutero, Zwingli, Calvino, o homem poderia fazer só o mal da própria vontade dele, e não teve nenhuma livre vontade para fazer o bem. Ele agora tem uma “natureza de pecado”. O Catolicismo acredita que, de um modo misterioso, o homem coopera com a graça que sempre precede todas as boas ações. Retém ainda, a natureza de algum homem bom, embora ele tenha uma tendência para pecar (“concupiscência”).

    63. O Protestantismo clássico e o Calvinismo de hoje põem Deus como o autor do mal. Eles alegam supostamente que os homens fazem o mal e violam seus preceitos sem ter qualquer vontade livre para fazer. Isso é blasfemo, e torna Deus em um demônio.

    64. No Protestantismo e pensamento Calvinista, o homem não tem livre vontade para escolher entre o bem e o mal. Quando eles pecam, é porque Deus os predestinou ao inferno, embora eles não tenham nenhuma escolha!

    65. O Protestantismo clássico e o Calvinismo, ensina falsamente que Jesus só morreu para os eleitos

    66. O Protestantismo clássico especialmente o Luterano, e o Calvinismo, devido à falsa visão, nega a eficácia e a capacidade da razão humana para conhecer Deus até certo ponto, e opõe isto a Deus e fé, ao contrário da Tradição Cristã e da Bíblia (Mc 12,28) (Lc 10,27) (Jo 20,24-29) (At 1,3; 17,2,17,22-34; 19,8). Os melhores Apologistas protestantes hoje simplesmente voltam atrás para a herança católica de São Tomás de Aquino, Santo Agostinho e muitos outros grandes pensadores.

    67. O Pentecostalismo ou Protestantismo carismático coloca muito alto uma ênfase na experiência espiritual, não equilibrando isso corretamente com a lógica, a razão, a Bíblia e a Tradição.

    68. Outros protestantes por exemplo, muitos batistas, negam que presentes espirituais como curar estão presentes na idade atual (supostamente eles cessaram com os Apóstolos).

    69. O Protestantismo tem visões contraditórias do governo da igreja, pois não possui nenhuma autoridade coletiva, assim, não existe ordem e unidade. Algumas seitas reivindicam ter “apóstolos” ou “profetas” entre eles, com todos os abusos de autoridade e poder.

    70. O Protestantismo especialmente o pentecostalismo, tem uma fascinação imprópria para o “fim do mundo” muita tragédia humana é o resultado de tais falsas profecias.

    71. A ênfase do pentecostalismo conduz a um detrimento de sensibilidades sociais, políticas, éticas e econômicas aqui na terra.

    72. O Pensamento protestante separa idéias em acampamentos mais exclusivos e mutuamente hostis, quando na realidade muitas das dicotomias (divisão em dois) são simplesmente complementares em lugar do contraditório.

    73. O Protestantismo se contradiz a Bíblia indo contra aos sacramentos.

    74. O Protestantismo monta devoção interna e devoção contra a Liturgia.

    75. O Protestantismo opõe adoração espontânea para formar suas próprias orações.

    76. O Protestantismo separa a Bíblia da autoridade que Jesus deixou a sua Igreja.

    77. O Protestantismo cria a falsa dicotomia de versões da Bíblia.

    78. O Protestantismo é contra a Tradição, sendo que ela é obra do Espírito Santo.

    79. O Protestantismo considera autoridade da Igreja e liberdade individual.

    80. O Protestantismo (especialmente Lutero) joga para cima o Velho Testamento contra o Novo Testamento, embora Jesus não fizesse assim (Mt 5,17-19) (Mc 7,8-11) (Lc 24,27,44) (Jo 5,45-47).

    81. O Protestantismo impõe leis para enfeitar sendo inseguras e sem sobrevivência.

    82. O Protestantismo cria uma falsa dicotomia entre simbolismo e realidade sacramental (por exemplo, batismo, Eucaristia).

    83. O Protestantismo separa o Indivíduo da comunidade Cristã. É só conferir as milhares e milhares de denominações diferentes umas das outras (1 Cor 12,14-27).

    84. O Protestantismo descarta a reverência dos santos. A Teologia católica não permite adoração dos santos na mesma moda como é dirigida para Deus. São venerados os santos e são honrados, não adorados.

    85. Muitas dianteiras de protestantes pensam que o Espírito Santo só fala com eles, e não com as multidões de cristãos durante 1500 anos antes que o Protestantismo começasse!

    86. Falhas no pensamento protestante original conduziram a erros até piores. Por exemplo, a justificação extrínseca, inventada para assegurar a predominância da graça, veio proibir qualquer sinal externo de sua presença (“sola fide “).O Calvinismo com seu Deus cruel, os homens foram virados para uma tal extensão que eles se tornaram unitários (como na Nova Inglaterra). Muitos fundadores de cultos recentes partiram o Calvinismo, por ex: (as Testemunhas de Jeová, Ciência Cristã, O Modo Internacional, etc.).

    87. O pentecostalismo obcecado, em moda tipicamente americana, sempre aparece com celebridades (os evangelistas de televisão).

    88. O pentecostalismo se apaixona com a falsa idéia de que grandes números em uma congregação (ou crescimento rápido) é um sinal da presença de Deus de um modo especial. Eles esquecem que Deus nos chama à fidelidade em lugar de ir para o “sucesso”, não estatísticas lisonjeiras.

    89. O pentecostalismo enfatiza freqüentemente o crescimento numérico em lugar de crescimento espiritual individual.

    90. O pentecostalismo é presentemente obcecado com ego-cumprimento, ego-ajuda, e o egoísmo no lugar de uma tensão Cristã tradicional em sofrer, sacrificar, etc.

    91. O protestantismo tem uma visão truncada e insuficiente do lugar de sofrer na vida Cristã. Tudo em “nome-disto-e-reivindicação-daquilo” movimentos dentro do Protestantismo pentecostal estão florescendo, mas não estão em harmonia com a Bíblia, Cristianismo e Tradição.

    92. O protestantismo, em geral, adotou uma forma mais capitalista que o Cristianismo. Riqueza e ganho pessoal são buscados mais que piedade, e são vistos como uma prova do favor de Deus, como o puritano, que secularizou o pensamento americano, indo contra a Bíblia e ensinamento Cristão.

    93. O protestantismo crescentemente não tolera perspectivas políticas de esquerda em acordo com visões do Cristianismo, especialmente. em seus seminários e faculdades.

    94. O protestantismo tolera heterodoxia crescentemente teológica e liberalismo, para tal uma extensão que muitos líderes evangélicos estão alarmados e prediz uma decadência adicional dos padrões ortodoxos.

    95. Os pentecostais adotaram visões de Deus sujeitas aos caprichos frívolos do homem e desejos do momento.

    96. Também as seitas anteriores aos pentecostais, ensinam totalmente ao contrário da Tradição Cristã e a Bíblia.

    97. O evangelho, especialmente na televisão, é vendido da mesma forma que McDonalds vende hambúrgueres. Tecnologia de mercado e técnicas de relações públicas substituíram cuidado da pastoral pessoal e preocupação social em grande parte pelo religioso.

    98. ?Pecar?, em algumas denominações protestantes, crescentemente, é visto como um fracasso psicológico ou uma falta de amor próprio, em lugar da revolta voluntariosa que é contra Deus.

    99. O Protestantismo, em todos os elementos essenciais, somente pede emprestado por atacado da Tradição católica ou torce o mesmo. Todas as doutrinas nas quais os católicos e protestantes concordam, são claramente católicas em origem (Trindade, Nascimento da Virgem, Ressurreição, 2ª Vinda, Cânon da Bíblia, céu, inferno, etc.). Qualquer verdade que está presente em cada idéia protestante sempre é derivada do Catolicismo que é o cumprimento das aspirações mais fundas e melhores dentro do Protestantismo.

    100. Um dos princípios fundamentais do Protestantismo é a sola scriptura que não é bíblico e também é inexistente até o 16º século. Na própria Bíblia, não se encontra essa palavra, ou outra com o mesmo significado. Porém é uma falsa tradição humana protestante.

    101. A Bíblia não contém todos os ensinamentos de Jesus. (Mc 4,33; 6,34) (Lc 24,25-27) ( Jo 16,12-13; 20,30; 21,25) (At 1,2-3). Mesmo assim os protestantes passam por cima dessas passagens dizendo que todo ensinamento de Cristo está registrado nas Escrituras.

    102. A sola scriptura é um abuso da Bíblia. Uma leitura objetiva da Bíblia, conduz a pessoa para a Tradição e a Igreja católica, em lugar do oposto.

    103. O Novo Testamento não foi escrito nem recebeu no princípio como a Bíblia, só gradualmente, e o Cristianismo primitivo não poderia ter acreditado na sola scriptura.

    104. Tradição não é uma palavra ruim na Bíblia, ela recorre a algo passado de um para outro. A Tradição é falada em (1 Cor 11,2) (2 Ts 2,15, 3,6) (Cl 2,8). Mesmo assim, os protestantes não aceitam a Tradição. Eles confundem tradição humana com a Tradição que os próprios Apóstolos deixaram aos sucessores.

    105. A Tradição Cristã, de acordo com a Bíblia, pode ser oral ou escrita (2 Ts 2,15) (2 Tm 1,13-14; 2,2). São Paulo não faz nenhuma distinção entre as duas formas.

    106. Em Atos e as Epístolas, muitas coisas da Bíblia eram originalmente orais (por exemplo, todo o ensino de Jesus) – Ele não escreveu nada.

    107. Ao contrário de muitas reivindicações protestantes, Jesus não condenou a Tradição. (Mt 15,3,6) (Marcos 7,8-9,13) Ele só condena a tradição humana corrupta, não a Tradição deixada aos 12 Apóstolos.

    108. Tradição cristã, apostólica (Lc 1,1-2) (Rm 6,17) (1 Cor 11,23 15,3) (Jd 1,3), ou Tradição Cristã “receptora” acontece em (1 Cor 15,1-2) (Gl 1,9,12) (1 Tess 2,13).

    109. Os conceitos de “Tradição”, “evangelho”, “palavra de Deus”, “doutrina”, e “a Fé” são essencialmente sinônimas, e tudo é predominantemente oral. (2 Ts 2,15; 3, 6) (1 Ts 2,9,13) (Gl 1,9) (At 8,14). Se Tradição é uma palavra suja,como se afirma no protestantismo, então assim é o “evangelho” e “palavra de Deus!”

    110. São Paulo, em (1 Tm 3,15) põe a Igreja sobre a Bíblia como coluna e fundamento da verdade, e como ensina o Catolicismo.

    111. Os protestantes defendem a sola Scriptura em (2 Tm 3,16). O Catolicismo concorda em grande parte para estes propósitos, mas não exclusivamente, como no Protestantismo. Secundariamente, quando São Paulo fala aqui de “Bíblia”, o NT ainda não existia (não definitivamente durante mais de 300 anos depois dos Apóstolos), assim ele só está recorrendo ao Antigo Testamento. Isto significaria que o Novo Testamento não era necessário para a regra de fé.

    112. O Catolicismo mantém a Tradição que é consistente com a Bíblia, até mesmo onde ela é muda em alguns assuntos. Para o Catolicismo, toda necessidade da doutrina não é achada somente na Bíblia, e o princípio do Protestantismo é a Sola Scriptura. Por outro lado, a maioria dos teólogos católicos reivindicam que todas as doutrinas católicas podem ser achadas na Bíblia, em forma de núcleo, ou por uso extenso e conclusão.

    113. Estudantes protestantes pensativos mostraram, que uma posição irrefletida da Sola Scriptura pode se transformar em “bibliolatria”, quase uma adoração da Bíblia em lugar de Deus que é seu Autor. Esta mentalidade é semelhante à visão muçulmana, onde a revelação para eles, está somente no Alcorão.

    114. O Cristianismo é inevitavelmente histórico. Todos os eventos da vida de Jesus (Encarnação, Crucificação, Ressurreição, Ascensão, etc.) eram históricos, como era a oração dos apóstolos. Então, a tradição de algum tipo, é inevitável, ao contrário de numerosos protestantes míopes que reivindicaram que sola Scriptura aniquila Tradição. Toda negação de uma tradição particular envolve um preconceito (escondido ou aberto) para a própria tradição alternada da pessoa por exemplo, se toda a autoridade da Igreja é rejeitada, até mesmo a autonomia individualista é uma “tradição”.

    115. A Sola Scriptura não poderia ter sido literalmente verdade, falando praticamente, para a maioria dos cristãos ao longo da história. A Tradição oral, junto com as práticas devotas, os feriados Cristãos, a arquitetura de igrejas a arte sagrada, eram os portadores primários do evangelho durante 1400 anos. Durante todos estes séculos, a Sola Scriptura teria sido considerada como uma abstração absurda e impossível.

    116. O Protestantismo diz que a Igreja católica acrescentou à Bíblia.Isto não é verdade porque ela tirou somente as implicações da Bíblia (desenvolvimento da doutrina) e seguiu a compreensão da Igreja primitiva, e que os protestantes subtraíram da Bíblia ignorando grandes porções que sugestionam posições católicas.

    117. A Sola Scriptura é o calcanhar de Aquiles do Protestantismo. Invocando somente a Sola Scriptura, não há nenhuma solução ao problema da autoridade, contanto que as interpretações múltiplas existam. Se a Bíblia estivesse tão clara, os protestantes simplesmente concordariam entre si, pois existem a multiplicidade de denominações.

    118. A interpretação da Bíblia é inevitável sem a Tradição. É necessário então falar na Igreja Católica, ela é a que evita a confusão, o erro, a anarquia e a divisão.

    119. O Catolicismo não considera a Bíblia inacessível aos leigos, como se afirma no protestantismo, mas é vigilante para proteger-se de uma exegese toda arbitrária e aberrante. As melhores tradições protestantes buscam fazer o mesmo, mas é inadequado e ineficaz desde que eles são divididos.

    120. O Protestantismo tem um problema enorme com o Cânon Bíblico. O processo de determinar os livros exatos que constituem a Bíblia durou até o ano de 397 D.C., o Concílio de Cartago provou que a Bíblia não está autenticada, como acredita o Protestantismo. Alguns cristãos sinceros, devotos e instruídos duvidaram da canocidade de alguns livros que estão agora na Bíblia e outros consideraram livros que não estavam incluídos no Cânon.

    121. O Concílio de Cartago, decidindo o Cânon da Bíblia inteira em 397, incluiu os livros “Deuterocanônicos” que os protestantes chutaram para fora da Bíblia. Antes do 16º século os cristãos consideravam esses livros, e eles não eram separados, como se vê no protestantismo que aceita a autoridade deste Concílio para o NT, mas não para AT.

    122. A Igreja católica venerou sempre a Bíblia. Isso é provado pelo laborioso cuidado dos monges, protegendo e copiando manuscritos, e as traduções constantes em línguas vernáculas (ao invés das falsidades sobre só Bíblias latinas), entre outras evidências históricas abundantes e indisputáveis. A Bíblia é um livro católico, e não importa quantos protestantes estudam e proclamam isso peculiarmente, eles têm que reconhecer a dívida inegável com a Igreja católica por ter decidido o Cânon e por preservar a Bíblia intacta durante 1400 anos.

    123. O Protestantismo nega o Sacrifício da Missa, ao contrário da Tradição Cristã e da Bíblia (Gn 14,18) (Is 66,18,21) (Ml 1,11) (Hb 7, 24-25; 13,10; 5,1-10; 8,3; 13,8). que transcede espaço e tempo.

    124. O Protestantismo descrê, em geral, no desenvolvimento da doutrina, ao contrário da Tradição Cristã e muitas indicações bíblicas implícitas, mas seguem a Doutrina da Trindade, que foi desenvolvida na história, nos três primeiros séculos do Cristianismo. É tolice negar isso. A Igreja é o “Corpo” de Cristo, um organismo vivo que cresce e desenvolve como corpos todo vivos. Não é uma estátua, simplesmente para ser limpada e polida com o passar do tempo, como muitos protestantes parecem pensar.

    125. O Protestantismo separa justificação de santificação, ao contrário da Tradição Cristã e da Bíblia (Mt 5,20; 7,20-24) (Rm 2,7-13) (1 Cor 6,11).

    126. O Protestantismo desconsidera que as obras contribuam para a salvação, rejeitando assim a Tradição Cristã e o ensino explícito da Bíblia (Mt 25,31-46) (Lc 18,18-25) (Jo 6,27-29) (Gl 5,6) (Ef 2,8-10) (Fl 2,12-13; 3,10-14) (1 Ts 1,3) (2 Ts 1,11) (Hb 5,9) (Jd 1,21) Essas passagens também indicam que a salvação é um processo, não um evento instantâneo, como no Protestantismo.

    127. O protestantismo rejeita a Tradição Cristã e ensino bíblico que sempre foi ensinado na Igreja Católica, onde as boas ações feitas na fé contribuem para a salvação (Mt 16,27) (Rm 2,6) (1 Cor 3,8-9).

    128. Os protestantes têm convicção de que aceitando Jesus como Salvador já estão salvos. Não é bem isso que a Igreja Primitiva e a Bíblia ensinam (Fl 3,11-14) (Hb 4,1) (Tt 1,2) (1 Ts 5,8) ( Tt 3,7) (Mt 25,1-13) onde se diz, que devemos ser sempre vigilantes. Vigilante não é o mesmo que certeza.

    129. Muitos protestantes (especialmente os presbiterianos, calvinistas e batistas) acreditam em segurança eterna, ou, perseverança dos santos (convicção daquele que não pode perder a “salvação”. Isto está ao contrário da Tradição Cristã e a Bíblia: (1 Cor 9,27) (Gl 4,9; 5,1,4) (Cl 1,22-3) (1 Tm 1,19-20; 4,1; 5,15) (Hb 3,12-14; 6,4-6; 10,26,29,39; 12,14-15).

    130. Ao contrário do mito protestante, a Igreja Católica não ensina que ninguém é salvo através de trabalhos a parte, porque a fé e obras são inseparáveis. Esta heresia da qual o Catolicismo é acusado freqüentemente estava na realidade condenada pela Igreja católica, em 529 D.C. é conhecido como Pelagianismo (visão que o homem pudesse se salvar pelos próprios esforços naturais dele, sem a graça sobrenatural necessária de Deus). Continuar acusando a Igreja católica desta heresia é um sinal de preconceito e ignorância do manifesto da história da teologia, como também o ensino católico é claro no Concílio de Trento (1545-63). Ainda o mito é estranhamente prevalecente.

    131. O Protestantismo eliminou virtualmente a prática da confissão a um sacerdote (ou pelo menos pastor), ao contrário da Tradição Cristã e da Bíblia (Mt 16,19; 18,18; Jo 20,23). (At 19,18) (Tg 5 15-16) (Ne 9,2) (Ne 1, 6). (Jo 3,6).

    132. O Protestantismo descrê na penitência ou castigo temporal para perdoar pecado, indo contra a Tradição Cristã e a Bíblia por exemplo, (Nm 14,19-23) (2 Sm 12,13-14) (1 Cor 11,27-32) (Hb 12,6-8).

    133. O Protestantismo tem pouco conceito da Tradição e doutrina bíblica de mortificar a carne, ou, sofrer com Cristo: (Mt 10,38; 16,24) (Rm 8,13,17) (1 Cor 12,24-6) (Fl 3,10) (1 Pd 4,12,13).

    134. Igualmente, o Protestantismo perdeu a Tradição e doutrina bíblica de compensação vicária, ou sofrimento remissório de Cristãos com Cristo, por causa de um ao outro, (Ex 32,30-32) (Nm 16,43-8; 25,6-13) (2 Cor 4,10) (Cl 1,24) (2 Tm 4,6).

    135. O Protestantismo rejeitou a Tradição e doutrina bíblica do purgatório, como conseqüência de sua falsa visão de justificação e penitência, apesar de evidências suficientes na Bíblia: (Mq 7, 8-9) (Ml 3,1-4) (2 Mc 12, 39-45) (Mt 5, 25-6; 12,32) (Lc 16,19-31) (1 Pd 3,19-20) (1 Cor 3,11-15) (2 Cor 5,10).

    136. O Protestantismo rejeitou a doutrina das indulgências que são simplesmente o perdão do castigo temporal para pecado (penitência), pela Igreja (aqui na terra, Mt 16,19; 18,18, e Jo 20,23). Isso não é diferente do que São Paulo fez em relação a um irmão errante na Igreja de Corinto. Primeiro, ele impôs uma penitência a ele (1 Cor 5,3-5) (2 Cor 2, 6-11). Só porque aconteceram alguns abusos antes da Revolta protestante (admitida e retificada pela Igreja católica), não tem nenhuma razão para lançar fora contudo outra doutrina bíblica. É típico do Protestantismo queimar completamente uma casa no lugar de limpá-la, “joga-se fora o bebê com a água de banho?.

    137. O Protestantismo jogou fora as orações para os mortos, em oposição à Tradição Cristã e à Bíblia (Tb 12,12) (2 Mc 12, 39-45) ( 2 Tm 1, 16-18). Já no primeiro século, da Era Cristã, a prática de orar pelos mortos já era registradas em muitas inscrições gravadas nos túmulos de santos cristãos e mártires da fé.

    138. O Protestantismo rejeita, em chãos inadequados, a intercessão dos santos. Por outro lado, a Tradição Cristã e a Bíblia apoiaram esta prática. (Mt 22, 30) (1 Cor 15, 29) (Mt 17, 1-3; 27,50-53) eles podem interceder por nós (2 Mc 15,14) (Ap 5, 8; 6, 9-10).

    139. Alguns protestantes descrêem nos Anjos da guarda, apesar da confirmação Bíblica e a Tradição Cristã (Mt 18,10) (At 12,15) ( Hb 1,14) (Ap 8, 3-5).

    140. A maioria dos protestantes nega que os anjos possam interceder por nós, ao contrário da Tradição Cristã e da Bíblia (Ap 1,4; 5,8; 8,3-4) (Zc 1,12-13) (Os 12,5) (Gn 19, 17-21).

    141. O protestantismo rejeita a Imaculada Concepção de Maria, apesar da Tradição Cristã desenvolvida e indicada pela Bíblia,: (Gn 3,15) (Lc 1,28) (“cheia de graça” interpretam os católicos, em chãos lingüísticos, significa “sem pecado”); Maria representando a Arca da Aliança (Lc 1,35) (Ex 40,34-8) (Lc 1,44) (2 Sm 6,14-16) (Lc 1,43) (2 Sm 6,9) A Presença de Divina requer santidade extraordinária) pois Deus não habitaria no meio do pecado.

    142. O protestantismo rejeita a Assunção de Maria, apesar da Tradição Cristã desenvolvida e indicações bíblicas. Ocorrências semelhantes na Bíblia não fazem a suposição improvável. (Henoc em Gn 5,24 e Hb 11,5) (Elias em 2 Rs 2,11) (Paulo em 2 Cor 12, 2-4) (“Êxtase” em 1 Ts 4,15-17) (subindo os santos em Mt 27,52-53).

    143. Muitos protestantes negam a virgindade perpétua de Maria, apesar da Tradição Cristã e o acordo unânime dos fundadores protestantes Lutero, Calvino, Zwingli, etc.

    144. O protestantismo nega a Maternidade Espiritual de Maria, ao contrário da Tradição Cristã e da Bíblia (João 19, 26-27) “Veja a mulher do Céu? (Ap 12, 1,5,17). Os Católicos acreditam que Maria é uma santa, e as orações dela são de grande efeito para nós. (Ap 5,8; 8,4; 6,9-10).

    145. O Protestantismo rejeita o papado, apesar da Tradição Cristã profunda, e da forte evidência na Bíblia da preeminência de Pedro como a pedra da Igreja. Ninguém nega que ele fosse algum tipo de líder entre os apóstolos. Como sabemos, o papado é derivado desta primazia: (Mt 16,18-19) (Lc 22,31-2) (Jo 21,15-17) são as passagens “papais” mais diretas. O nome de Pedro aparece primeiro em todas as listas dos apóstolos; até mesmo um anjo insinua que ele é o líder deles (Mc 16,7), e ele andou pelo mundo como tal (At 2,37-8,41). Ele faz o primeiro milagre na Igreja (At 3,6-8), profere o primeiro anátema (At 5,2-11), é o primeiro a ressuscitar um morto (At 9,40-41), o primeiro a receber os Gentios (At 10,9-48), O nome dele é mencionado mais freqüentemente que todos os outros discípulos reunidos (191 vezes). Essas são algumas evidências que destacam Pedro dos outros Apóstolos.

    146. Desde o princípio, a Igreja de Roma e os papas têm o governo e a direção teológica e a ortodoxia da Igreja Cristã. Isso é inegável. Nenhum protestante imparcial teve a coragem e a ousadia de contestar tudo isso, pois só o que Cristo transmitiu aos Apóstolos e o que se herdou destes numa sucessão ininterrupta da Igreja Católica, tem foros de verdade revelada, portanto digna de fé.

    147. O Protestantismo, em seu desespero, tenta suprir algum tipo de continuidade histórica a parte da Igreja católica, às vezes tenta reivindicar uma linhagem de seitas medievais como os Valdenses, Cátaros, Montanistas ou Donatistas. Porém, este empenho é sentenciado a um fracasso quando a pessoa estuda de perto no que estas seitas acreditam.

    148. Os Católicos têm o Cristianismo mais sofisticado e pensativo da filosofia sócio-econômica-política, uma mistura de elementos “progressivos” e “conservadores” distinto da retórica que tipicamente dominam a arena política. O Catolicismo tem a melhor visão da igreja em relação ao estado e cultiva como bem.

    149. O Catolicismo tem a melhor filosofia cristã. Trabalhou por vários séculos de reflexão e experiência. Como em sua reflexão teológica e desenvolvimento, a Igreja Católica é sábia e profunda, para uma extensão que verdadeiramente tem um selo divino e seguro. Eu já me maravilhava, logo antes da minha conversão, de como a Igreja católica poderia ser tão certa sobre tantas coisas. Eu fui acostumado a pensar, como um bom evangélico, que a verdade sempre era uma pluralidade de idéias de muitas denominações protestantes, “todas juntas.” Mas afinal de contas, a Igreja católica faz a diferença!

    150. Por último, o Catolicismo tem a espiritualidade mais sublime e espírito de devoção, manifestado de mil modos diferentes. Do ideal monástico, para o celibato heróico do clero e religioso, os hospitais católicos, a santidade completamente de um Thomas, um Kempis ou um Santo Inácio, os santos incontáveis canonizados e ainda, Madre Teresa, Papa João Paulo II, Papa João XXIII, os mártires primitivos, São Francisco de Assis, os eventos a Lourdes e Fátima, o intelecto deslumbrante de John Henry Newman, a sabedoria e perspicácia do Arcebispo Sheen de Fulton, São João da Cruz, a inteligência santificada de um Chesterton ou um Muggeridge, mulheres anciãs que fazem as Estações da Cruz ou o Rosário. Este espírito devoto é incomparável em sua extensão e profundidade, apesar de muitas contraposições protestantes.

  126. diego disse:

    E diante de tudo isso que eu coloquei aqui “le”, qual é a sua religião mesmo?
    Ou melhor, deixa-me ser mais especifico perante o texto que eu coloquei acima das 150 razões por não ser protestante, qual das 33800 denominações você pertence “lê”?
    Ou melhor, qual dos 33800 fundadores de igrejas você segue “lê”?
    Nossa como o protestantismo se dividiu né?
    Por que será?
    Deus o abençoe.

  127. le disse:

    Olá queridos irmão Diego, a pedidos estarei postando hoje um estudo apologético que abrange a religião denominada Católica.

    Em primeiro plano a Bíblia nos adverte em 1 Timóteo 4.1-4 o seguinte: “Ora, o Espírito afirma expressamente que nos últimos tempos, alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios, pela hipocrisia dos que falam mentiras, e que têm cauterizada a própria consciência, que proíbem o casamento, exigem abstinência de alimentos, que Deus criou de graça, pelos fiéis e por quantos conhecem plenamente a verdade; pois tudo que Deus criou é bom, e recebido com ações de graça, nada é recusável.”

    É muito comum encontrarmos nas publicações da Igreja Católica, principalmente nos panfletos populares o seguinte o termo: “A Igreja católica apóstólica romana foi fundada por nosso senhor Jesus Cristo, em Jerusalém, por volta do ano 29 d.C e as demais denominações foram inventadas por homens”. Isso o fazem para persuadir aos seus leitores de que o Catolicismo Romano veio de Deus e as demais denominações dos homens.

    Sabemos que o Catolicismo Romano é um dos três ramos do Cristianismo, juntamente com os Protestantes e Ortodoxos e não é necessário, sequer, estudar os dogmas da Igreja Católica para se perceber o seu desvio do Cristianismo autêntico, basta assistir a uma missa. Todo aquele aparato e ritual é característica do paganismo, pois ninguém encontra esse modelo de culto no Novo Testamento. No culto judaico, do Antigo Testamento, havia um certo ritual rígido por causa do significado e da simbologia com a vida e a obra do Messias, isso está explicado na carta aos Hebreus. Além disso, esses ritos judaicos eram apenas no tabernáculo e depois no templo de Jerusalém, nunca nas sinagogas. Nada há em comum entre a missa da Igreja católica e o culto cristão, registrado no Novo Testamento.

    Não tenho a intenção de atacar nenhuma religião, pois devemos amar e respeitar a todos. Muitos deles são tementes a Deus e estão preocupados com a salvação. O problema é a mentira que fora plantada dentro de seus corações e por isso precisamos reenvangelizá-los. É dever de todos respeitar a religião do próximo e ser apologista não é sinônimo de desrespeitar a outra religião ou lideres.

    Mentiras ensinadas pela religião Católica

    O Culto aos santos e Mariolatria
    Há alguma diferença entre adorar e prestar culto? Prostrar-se diande de um ser, dirigir a ele orações e ações de graça, fazer-lhe petições, cantar-lhe hinos de louvor, se não for adoração, fica difícil saber o que os papistas entendem por adoração. Chamar isso de simples veneração é subestimar a inteligência humana. A Bíblia nos ensina que há um só mediador entre Deus e os homens – Jesus Cristo 1 Tm. 2.5), entretanto, a religião católica aprendeu a orar pedindo a intercessão a Maria.

    A Bíblia proíbe fazer imagens de escultura “Não terás outros deuses diante de mim. Não farás para ti imagens de escultura, nem de alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem embaixo da terra, nem nas águas debaixo da terra Não te encurvarás a elas e nem as servirás, porque eu, o Senhor, teu Deus, sou Deus zeloso”. (Êx.20.3-5)

    A Bíblia condena terminantemente o uso de imagens e esculturas como meio de cultuar a Deus ou aproximá-lo dEle. Esse culto à luz da Bíblia, desclassifica o catolicismo romano como religião cristã, não tem nada haver com o Cristianismo. É pura idolatria! “Filhinhos, guardai-vos dos ídolos” (1 Jo.5.21)

    O livro publicado em mais de 80 línguas e conhecido como “As Glórias de Maria”, atribui a Maria toda honra e toda glória que a Bíblia confere ao Senhor Jesus Cristo. Chama Maria de onipotente e por outros atributos divinos, chega até mesmo afirmar que o próprio Deus está sujeito à ela, sendo está nossa única advogada no ceú. (pág 162)

    O Senhor Jesus ensinou o contrário, Ele disse: ” É-me dado todo o poder no céu e na terra (Mt 28.18)”, sendo assim é Jesus o Todo Poderoso e não Maria. Apóstolo deixou registrado em Filipenses 2.9-11 que nosso único advogado é Jesus.

    Fica claro que Maria não é mãe de Deus, antes fora escolhida por Deus para ser mãe do Salvador, nosso Senhor Jesus Cristo. Maria foi mãe biológica de Jesus quando homem.

    O Celibato
    Foi instituído em 386, por Sirício, bispo de Roma e mantido ainda hoje pela Igreja Católica. Consiste na proibição do casamento aos padres, monges, freiras e superiores. (é o voto de castidade).

    Convém lembrar que os apóstolos eram casados (Pedro era casado). A Bíblia chama o sistema celibatário de “doutrina de demônios” ( 1 Tm 4.1-3). O celibato deve ser algo voluntário e não como condição para se tornar padre. Nem a igreja, nem o papa e ninguém tem o direito de proibir um direito concedido por Deus ao homem em Gên.2.18 e 1 Cor.7.2.
    “Convém, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma mulher…( 1 Tm 3.2)

    O Purgatório
    Aprovada em 1439 no Concílio de Florença, mas já existia desde 1070. Ensina que cada cristão parcialmente santificado, passa por um processo de purificação através de um sofrimento punitivo para depois entrar no céu. Essa crença veio do paganismo e é muita antiga, não há espaço para ela na Bíblia. É uma doutrina que compromete todo o pensamento bíblico sobre a expiação dos pecados e obra da salvação que Jesus realizou no calvário.

    Tal crença neutraliza o sacrifício de redenção e ensina que tal sacríficio feito por Cristo não fora suficiente para resgatar o homem. (1 João 1.17)
    E por fim não há salvação após a morte. Devemos buscar a salvação enquanto há vida (Is 55.6). P Perdão dos pecados é só na terra.

    O Papismo
    Ninguém pode negar a influência política do papa entre as nações, por ser sozinho o chefe da segunda maior religião do planeta e por se tratar de um político religioso, mas biblicamente falando, esse cargo não existe. (desculpem-me).
    A teoria de que Pedro foi o primeiro papa não resiste à análise bíblica, pois nunca pôde ser confirmado nem na Bíblia e nem na história.

  128. le disse:

    A, desculpa Diego é que não da para ficar calado diante de tantas baboseiras que não tem nenhum respaldo biblico, apesar de que você incites em colocar versículo como base,cara se ta mesmo por fora.

  129. diego disse:

    Bobeiras essa meu caro “le”, que Lutero começou no século XV, em se distanciar da santa igreja católica que vemos realmente por grandes estudos seja por parte de teólogos, padres ou pastores de que é realmente a igreja edificada por cristo como vemos a sua edificação em Pedro.
    Você ta por fora cara?

    (mateus16/18)

    18. E eu te declaro: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja; as portas do inferno não prevalecerão contra ela.
    Você ta por fora cara?

    Como podes ver “le”, Jesus edificou “uma igreja” e não varias igrejas como vemos por ai a fora e citado por mim no comentário acima onde menciono 33800 igrejas diferentes existente no mundo a fora.
    Você ta por fora cara?

    E também devemos salientar “le”, que Jesus cristo depois de ter edificado a santa igreja católica no apostolo Pedro, ele não mente e muito menos erra, pois como cristo disse: as portas do inferno não prevalecerão contra ela, e tem mais, Jesus não ia edificar uma igreja “le”, e esperar 1500 anos para parar e dizer a si próprio, “caramba errei em edificar essa igreja vou enviar Lutero para acertar o meu erro”, jamais “le” Jesus não erra, então se você, Lutero quem inventou o protestantismo como todos nóis sabemos né ou qualquer pastor colocar isso para atacar os católicos despreparados, meu caro amigo “le”, não se esqueça dessas palavras que irei te dizer:
    Não se rebaixem perante os seres humanos em levantar falsos testemunhos contra a igreja de cristo, pois falso testemunho é pecado e Deus irá de te cobrar caro amigo.
    Você ta por fora cara?

    Já a respeito de Pedro ser casado, a respeito da sogra dele citada nas escrituras amigos, eu já tinha falado aqui em comentários anteriores, onde eu disse que quando Jesus chamou os apóstolos para o seguir caros amigos, Jesus foi convicto em algo, Jesus falou para todos largarem tudo para seguir a Jesus e somente a Jesus, então quem tinha mãe e pai os largou quem tinha mulher a largou para servir a cristo todo poderoso somente.
    Você ta por fora cara?

    Já das imagens caros amigos, isso não passa de falso, pois os protestantes esquecem ou não “sabem” que a igreja católica, em o nosso catecismo, condena qualquer tipo de adoração seja qual for à imagem, pois devemos adorar a Deus pai e a mais ninguém.
    Estão vendo até aonde os falsos testemunho que vocês protestantes tentam colocar contra a igreja católica os leva, vocês estão sendo usados como marionetes de seus pastores a ponto de se ridicularizarem com falsos testemunhos?
    Você ta por fora cara?

    Repito falso testemunho é pecado, não se sujeitem a serem marionetes desse pessoal.

    Já a respeito do papado pessoal, quem realmente estuda, pesquisa, e vai atrás da verdade como ela é e não como justificam em denominações diferentes, deve saber mais que todos que depois que Jesus morreu na cruz sendo açoitado, apredejado entre tantas outras barbaridades como sabemos, mesmo depois de sua morte as perseguições contra os cristãos não pararam, e a igreja católica foi muita perseguida, e andava crescendo mais ainda de baixo dos panos, mais firme com a proteção de cristo, para não sofrer algum tipo de repressão, então meus queridos, todos devem saber que a igreja católica só começou a ser a igreja que conhecemos hoje, em forma de “construção”, depois que o ultimo imperador pagão se converteu ao cristianismo depois de ter feito vários massacres pelo poder a ponto de matar filho, sobrinho e qualquer um que atravessasse seu caminho. Imperador esse conhecido como “Constantino”, onde depois de sua conversão ao cristianismo, é que obtivemos a vitória da santa igreja católica, onde começamos a ter mais direitos, sem contar da proteção de Jesus, onde o próprio cristo disse:
    As portas do inferno não prevalecerão contra ela….
    Você ta por fora cara?

    Então “le”, como você disse, cara você ta por fora?

    Sendo que na verdade vocês não conhecem nada das escrituras, e mais, você ta se rebaixando no que os protestantes falam, você se tornou uma marionete deles, e esta sendo controlado dia a dia mais por essas pessoas…

    Esqueci, qual a sua religião mesmo?

    “Você ta por fora cara…”

  130. diego disse:

    Agora veja o que você disse “le”:

    “le” disse:

    Em primeiro plano a Bíblia nos adverte em 1 Timóteo 4.1-4 o seguinte: “Ora, o Espírito afirma expressamente que nos últimos tempos, alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios.

    E eu ti falo “le”:

    A igreja católica tem quais o seus 2000 mil anos, e devemos lembrar “le”, que Jesus bateu em um única tecla meus queridos, ele sempre orientou sobre os falsos profetas que viriam em seu nome, e que todos deveriam ficar atentos, e diante das 33800 denominações espalhadas pelo mundo, denominações essas edificadas pelas mãos dos homens, e seguidas por pessoas como você “le”. Qual a conclusão que devemos chegar?

    Vamos refletir um pouco, ao fim dos tempos muitos virão em meu nome!
    A igreja católica não foi fundada depois de 1500, nem por Lutero e muito menos por outros aborradores, que criaram suas igrejas apartir de Lutero em 1500.

    No (salmo 126) meus amigos está escrito as seguintes palavras:

    1. Cântico das peregrinações. De Salomão. Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a constroem. Se o Senhor não guardar a cidade, debalde vigiam as sentinelas.

    Então “le”, como eu coloquei em (Mateus 16/18), Jesus edificou uma igreja em Pedro, igreja essa que nós católicos seguimos até hoje, e eu te pergunto “le”, Jesus edificou a sua igreja?
    Ou foi Lutero quem edificou a sua igreja?
    Ou foi Edir Macedo quem edificou a sua igreja?
    Ou foi Silas malafaia quem edificou a sua igreja?

    Nesse versículo do livro dos salmos já diz tudo: Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a constroem.
    A católica é edificada e a sua?
    Fala qual é a sua religião “le”?
    Tens medo de expor as pessoas que você segue?

    Eu poderia ficar colocando aqui o dia todo sobre versículos da bíblia, mais vamos encurta “le”, veja esse aqui no (evangelho de são João 10/16):

    16. Tenho ainda outras ovelhas que não são deste aprisco. Preciso conduzi-las também, e ouvirão a minha voz e haverá um só rebanho e um só pastor.

    “… Rogo-vos, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que todos estejais em pleno acordo e que não haja entre vós divisões. Vivei em boa harmonia, no mesmo Espírito e no mesmo sentimento” (1Coríntios 1,10).
    Quantas vezes que eu falei que o protestantismo se dividiu?
    A foi 33800 vezes que eu falei?

    Meus amigos têm muita gente que ta por fora cara!!!

  131. diego disse:

    Agora vamos lá atrás e veja:

    Nós não deixamos Pedro e o resto dos Apóstolos por causa dos trabalhos de Judas. Ao longo da história Bíblica, pecaram os líderes e as pessoas escolhidas de Deus, contudo a comunidade de Deus sobreviveu com uma só voz e um só pastor…
    Abrão mentiu (Gêneses 12,13), contudo Deus o escolheu mudando seu nome para Abraão tornando, o pai de uma multidão de nações (Gênese 17,4).
    Isaac mentiu (Gêneses 26,7-11), contudo o rebanho dele sobreviveu intato.
    Jacó mentiu e enganou (Gêneses 27,24), porém, as pessoas escolhidas de Deus sobreviveram.

    Vens direito e analisem as escrituras a fundo não por palavras de aborradores!

    ”Sei que depois da minha partida se introduzirão entre vós lobos cruéis que não pouparão o rebanho” (Atos 20, 29-30)

    “Principalmente aqueles que correm com desejos impuros atrás dos prazeres da carne e desprezam a Autoridade” (2 Pedro 2,10)

  132. diego disse:

    Aqui é uma pequena amostragem das 33.800 denominações de protestantes, e as datas de fundação:

    1521, Martinho Lutero começou os luteranos quando ele rompeu com a verdadeira Igreja que já tinha existido durante 15 séculos. Antes desta época, a falsa doutrina da “Sola Scriptura” ou ” Só a Bíblia”, não tinha existido, e nem o falso homem não tinha feito a doutrina da “Interpretação Individual” da Bíblia Sagrada.
    1521, Thomas Munzer começou os Anabatistas rompendo com o Luteranismo no mesmo ano.
    1534, O Rei Henrique VIII começou a Igreja da Inglaterra. (Anglicano)
    1536, John Calvino, predestinação pedagógica, formou o Calvinismo.
    1560, John Knox que estudou depois de Lutero começa com os presbiterianos
    1582, Congregacionalistas começou por Robert Browne, como uma filial de Puritanismo.
    1609, John Smyth formou os batistas. Eles subdividiram severamente desde então.
    1739, John Wesley começou os Metodista, em uma divisão do Anglicanismo.
    1774, Theophilus Lindley começou a igreja Unitária.
    1789, Samuel Seabury começou com os Episcopais.
    1793-1809, igrejas de Cristo tiveram quatro fundadores separados.
    1830, Joseph Smith fundou os mórmons em Palmyra Nova Iorque.
    1860, William Miller, um fazendeiro, começou o Adventismo.
    1863, Ellen Gould White começou os Adventistas do Sétimo dia.
    1865, William Booth começou o Exército de Salvação.
    1875, Idade nova foi começada por Helena Blavatsky. Confira: (Colossenses 2,8)
    1879, Mary Padeiro Eddy começou os Cientistas Cristãos.
    1879, Charles Russell começou as Testemunhas de Jeová.
    1895, Abbe francês, Alfred Loisy e , George Tyrrell começou o Modernismo.
    1900-1920, Episcopalianos conservadores, luteranos, presbiterianos, e Metodistas, formam um consórcio, e começam o Fundamentalismo.
    1901, Pentecostalismo foi começado nos Estados Unidos. Dividiu desde então em muitas denominações independentes.
    1914, Felix Manalo começou Iglesia de Cristo.
    1930, Igrejas independentes de América (IFCA), foi formado por um consórcio de igrejas.
    1952, L. Ron Hubbard começou a Igreja da Scientology.
    1965, Smith pancada começou Capela do Calvário.
    1968, discípulos de Cristo, começados como uma divisão de Igrejas de Cristo.
    1974, Ken Gullickson começou o Vinhedo Companheirismo Cristão.
    20º século Assembléias de DEUS, e outras divisões de Pentecostais se juntam. É algumas das milhares de seitas novas fundadas por meros homens.

    Será que Deus examinou e aprovou tudo isso?

    “Não fareis nesse lugar o que nós fazemos hoje aqui, onde cada um faz o que bem lhe parece)… ” (Deuteronômio 12,8)

  133. le disse:

    olha Diego fui catolico a mais de 25 anos,assim como você eu defendia de unhas e dentes a igreja catolica,agradeço a Deus porque o Senhor Jesus Cristo teve misericórdia da minha vida e atraves do seu Espirito Santo me convenceu de quanto estava errado. a não sirvo a uma religião mas sim ao Senhor Jesus,não sigo mais mandamento de homens que não tem tem compromisso com a verdade.

  134. diego disse:

    Esta certo “le”, só que você esta colocando a igreja católica a prova e não eu, então não sigas palavras de seres “fundamentalista”, siga Deus a finco e não jogues pedras na igreja, pois ela é a única que tem prova de todas as injurias que colocam contra ela seja mais esperto vai atrás da verdade primeiro e esqueça o que os seres humanos dizem.

    E para finalizar “le”, veja isso:

    “Jesus, porém, penetrando nos seus pensamentos, disse:” Todo reino dividido contra si mesmo será destruído. Toda cidade, toda casa dividida contra si mesma não pode subsistir ” (Mateus 12, 25) Isto não é exatamente o que está acontecendo com as comunidades protestantes?

    Eles estão explodindo devido a estas divisões sem fim. As comunidades estão cada vez menores e menores, e eventualmente se isto continuar, cada membro será teoricamente a própria comunidade eclesial e individual.

    Com tanta divisão “le”, num futuro próximo seus netos e descendentes podem ser a sua própria igreja cuidado!!!

    E acho que te enrolaram “le”, pare e comece a questionar os fatos desde da raiz, e faça como vários protestantes que como ex-pastores de denominações diferentes eram, quando pararam para ir atrás da raiz da verdade viram os erro que eles estavam, restando apenas saírem de seus aposentos e regalias que tinham, para se tornar católicos novamente para a fúria dos protestantes que seguia ele.

    Deus o abençoe e pense e vai atrás da verdade…….

  135. diego disse:

    E quero deixar ressaltado aqui para você “le”, e para todos que não faço isso por que acho legal defender a igreja católica com unhas e dentes, mais sim por que ouvi muitas idéias de protestantes em minha vida contra a santa igreja católica, foi quando deixei as idéias meu caro amigo e fui atrás da verdade somente, sem pensar em padres, pastores, ou seja, lá o que for, e indo atrás da verdade veio o meu susto que essa verdade só se encontra na igreja católica postólica romana, pois é a única que se tem à raiz dos fatos, e diante de tantas injurias meu amigo, o que eu consegui descobrir, descobri que era injurias infundadas, inventadas para se poder atacar essa santa igreja.

    Pois é atacando que as denominações crescem, pois quanto mais se ataca mais se tem divulgação, não se iludam com o que vêem, já que cristo disse:

    (Mateus capitulo 24/4,5,11,13,23,24)
    4. Respondeu-lhes Jesus: Cuidai que ninguém vos seduza.
    5. Muitos virão em meu nome, dizendo: Sou eu o Cristo. E seduzirão a muitos.
    11. Levantar-se-ão muitos falsos profetas e seduzirão a muitos.
    13. Entretanto, aquele que perseverar até o fim será salvo.
    23. Então se alguém vos disser: Eis, aqui está o Cristo! Ou: Ei-lo acolá!, não creiais.
    24. Porque se levantarão falsos cristos e falsos profetas, que farão milagres a ponto de seduzir, se isto fosse possível, até mesmo os escolhidos.

  136. le disse:

    Bom Diego vou falar um pouquinho essa heresia: “Maria, mãe da igreja”, gostaria de fazer algumas considerações que acho pertinentes e para isto quero tomar como base de minha argumentação as ESCRITURAS SAGRADAS uma vez que é nela que encontramos, como CRISTÃOS, se afirmamos que o somos, todas as orientações para a nossa vida religiosa. Refutá-la ou esquivar-se do que ensina a BÍBLIA neste assunto coloca sob suspeita as intenções de qualquer religião quando o tema é fé em JESUS CRISTO.

    O primeiro ponto que quero levantar é quanto à “participação da mulher” no Ministério Sacerdotal da Igreja Católica. Se o catolicismo venera Maria por ser ela mãe BIOLÓGICA de Jesus dando a ela o status de Santa – fato que não encontra respaldo nas Escrituras – porque não permitir que outras mulheres possam exercer o MINISTÉRIO SACERDOTAL? Que argumentação há quanto esta proibição? Seriam as outras mulheres do mundo INCAPAZES para lidar com as questões pertinentes à fé do povo? Não há nesta atitude um ato deliberado de “DISCRIMINAÇÃO” por parte da Igreja católica? Porque o Vaticano, usando Maria como modelo, não abre as suas portas às mulheres?

    Afirmar que Maria é a “mãe da igreja”(?) é no mínimo contraditório, pois nem mesmo Pedro o “PAPA” usa este argumento, até porque até onde sei a igreja não tem mãe, tem CABEÇA que é CRISTO!. Se assim o fosse com certeza absoluta a BÍBLIA teria alguma referência sobre o assunto o que não é o caso. Partindo do argumento de que ela é mãe de Jesus, Eva então é mãe de Maria e, portanto é por afinidade, mãe de todos sendo Adão o pai. Ou será que a história começa no Novo Testamento? Neste caso, a quem deveria a igreja fidelidade, a Pedro ou a Maria? Ou seria a Cristo?

    Porque só em 1964 o Papa Paulo VI resolveu dar a ela este título? Não há algo estranho nesta atitude do Papa? Será que outros religiosos não a reconheciam como tal? Porque só em 1964 ela passou a ser mãe da Igreja Católica? A BÍBLIA diz: “Só ao Senhor Deus adorarás e só a Ele servirás”, isto faz com que qualquer outra forma de culto se coloque na contramão deste MANDAMENTO. Deus é Deus, Maria é uma criatura como qualquer outra formada de carne e osso sem qualquer PODER para realizar qualquer ação junto ao Pai. Isto está muito claro para qualquer leigo que queira levar a sério os ensinos de Jesus, para quem não quer, vale os argumentos distorcidos, criados por pessoas que ignoram o sacrifício de Cristo na Cruz. O que tem isto com Maria, você deve estar perguntando? Foi Jesus que pagou o PREÇO PELOS NOSSOS PECADOS, portanto, não há qualquer possibilidade de a sua mãe, por mais pura que fosse, interferir no processo de salvação e de aproximação do homem a Deus. Ela apenas CEDEU seu ventre para gerar no seu interior o homem que mais tarde seria o Libertador da humanidade. Nada mais! Concebida sem pecado? Como? Se o pecado é inerente do ser humano, seria ela sem esta herança vinda do Éden? É a BÍBLIA que afirma peremptoriamente que TODOS pecaram… – Romanos 3:23.

    Porque seria ela parte deliberada da igreja? Quais os argumentos que respaldam esta afirmativa? É uma HERESIA muito grande afirmar que Maria está dentro da igreja e pelo que sei e a BÍBLIA é muito clara neste aspecto, quem está diretamente ligado à igreja é o Espírito Santo. Maria, até onde consigo enxergar é apenas uma mulher como qualquer outra que foi agraciada para conceber e dar a luz ao filho de Deus. Morreu e não foi ascendida ao céu como seu filho. Com certeza absoluta ela foi ENTERRADA em algum lugar e por lá ficou até hoje. Ou será que estou errado? Porque não há qualquer relato sobre a “SUA SUBIDA AO CÉU” mencionado pelos Discípulos de Jesus? Será que esqueceram? De fato ela participou na salvação do homem sendo mãe de Jesus e para por aí, até porque sequer é lembrada pelos Apóstolos após a morte de Cristo. fique com Deus querido…………….

  137. diego disse:

    uhnn!!!
    Você disse: participação da mulher “no Ministério Sacerdotal da Igreja Católica.
    Ora, ora “le”, só uma colocação minha antes da explicação, por que você não vai cobrar de Jesus por ele ter colocado 12 apóstolos homens e não mulheres?
    rsrsrsrrsrsrsrsr, ta vendo como é fácil descobrir alguém que tem opinião de terceiros e não da verdade verdadeira?
    uhnnn, “le”, pare de sair repassando o que dizem para você, ta deixando muito na cara o seu conhecimento…
    Agora veja a carta do papa João Paulo II sobre o assunto.

  138. diego disse:

    ORDINATIO SACERDOTALIS (Sobre a Ordenação de Mulheres)

    Por Papa João Paulo II

    Ordinatio Sacerdotalis

    CARTA APOSTÓLICA

    ORDINATIO SACERDOTALIS DO PAPA JOÃO PAULO II SOBRE A ORDENAÇÃO SACERDOTAL RESERVADA SOMENTE AOS HOMENS

    Veneráveis Irmãos no Episcopado!

    (Esta transcrição é feito do Jornal L´Osservatore Romano, ou do site do Vaticano, edição em português, de Portugal )

    1. A ordenação sacerdotal, pela qual se transmite a missão, que Cristo confiou aos seus Apóstolos, de ensinar, santificar e governar os fiéis, foi na Igreja Católica, desde o início e sempre, exclusivamente reservada aos homens. Esta tradição foi fielmente mantida também pelas Igrejas Orientais. Quando surgiu a questão da ordenação das mulheres na Comunhão Anglicana, o Sumo Pontífice Paulo VI, em nome da sua fidelidade o encargo de salvaguardar a Tradição apostólica, e também com o objectivo de remover um novo obstáculo criado no caminho para a unidade dos cristãos, teve o cuidado de recordar aos irmãos anglicanos qual era a posição da Igreja Católica: ´´Ela defende que não é admissível ordenar mulheres para o sacerdócio, por razões verdadeiramente fundamentais. Estas razões compreendem: o exemplo ´ registado na Sagrada Escritura ´ de Cristo, que escolheu os seus Apóstolos só de entre os homens; a prática constante da Igreja, que imitou Cristo ao escolher só homens; e o seu magistério vivo, o qual coerentemente estabeleceu que a exclusão das mulheres do sacerdócio está em harmonia com o plano de Deus para a sua Igreja´´ (1). Mas, dado que também entre teólogos e em certos ambientes católicos o problema fora posto em discussão, Paulo VI deu à Congregação para a Doutrina da Fé mandato de expor e ilustrar a este propósito a doutrina da Igreja. Isso mesmo foi realizado pela Declaração Inter Insigniores, que o mesmo Sumo Pontífice aprovou e ordenou publicar (2).

    2. A Declaração retoma e explica as razões fundamentais de tal doutrina, expostas por Paulo VI, concluindo que a Igreja «não se considera autorizada a admitir as mulheres à ordenação sacerdotal»(3). A tais razões fundamentais, o mesmo documento junta outras razões teológicas que ilustram a conveniência daquela disposição divina, e mostra claramente como o modo de agir de Cristo não fora ditado por motivos sociológicos ou culturais próprios do seu tempo. Como sucessivamente precisou o Papa Paulo VI, «a verdadeira razão é que Cristo, ao dar à Igreja a Sua fundamental constituição, a sua antropologia teológica, depois sempre seguida pela Tradição da mesma Igreja, assim o estabeleceu»(4). Na Carta Apostólica Mulieris dignitatem, eu mesmo escrevi a este respeito: «Chamando só homens como seus apóstolos, Cristo agiu de maneira totalmente livre e soberana. Fez isto com a mesma liberdade com que, em todo o seu comportamento, pôs em destaque a dignidade e a vocação da mulher, sem se conformar ao costume dominante e à tradição sancionada também pela legislação do tempo» (5). De facto, os Evangelhos e os Actos dos Apóstolos atestam que este chamamento foi feito segundo o eterno desígnio de Deus: Cristo escolheu os que Ele quis (cfr Mc 3,13´14; Jo 15,16) e fê´lo em união com o Pai, «pelo Espírito Santo» (Act 1,2), depois de passar a noite em oração (cfr Lc 6,12). Portanto, na admissão ao sacerdócio ministerial (6), a Igreja sempre reconheceu como norma perene o modo de agir do seu Senhor na escolha dos doze homens que Ele colocou como fundamento da sua Igreja (cfr Ap 21,14). Eles, na verdade, não receberam apenas uma função, que poderia depois ser exercida por qualquer membro da Igreja, mas foram especial e intimamente associados à missão do próprio Verbo encarnado (cfr Mt 10,1.7´8; 28,16´20; Mc 3,13´16; 16,14´15). O mesmo fizeram os Apóstolos, quando escolheram os seus colaboradores (7) que lhes sucederiam no ministério (8). Nessa escolha, estavam incluídos também aqueles que, ao longo da história da Igreja, haveriam de prosseguir a missão dos Apóstolos de representar Cristo Senhor e Redentor (9).

    3. De resto, o facto de Maria Santíssima, Mãe de Deus e Mãe da Igreja, não ter recebido a missão própria dos Apóstolos nem o sacerdócio ministerial, mostra claramente que a não admissão das mulheres à ordenação sacerdotal não pode significar uma sua menor dignidade nem uma discriminação a seu respeito, mas a observância fiel de uma disposição que se deve atribuir à sabedoria do Senhor do universo. A presença e o papel da mulher na vida e na missão da Igreja, mesmo não estando ligados ao sacerdócio ministerial, permanecem, no entanto, absolutamente necessários e insubstituíveis. Como foi sublinhado pela mesma Declaração Inter Insigniores, ´´a Santa Madre Igreja auspicia que as mulheres cristãs tomem plena consciência da grandeza da sua missão: o seu papel será de capital importância nos dias de hoje, tanto para o renovamento e humanização da sociedade, quanto para a redescoberta, entre os fiéis, da verdadeira face da Igreja´´ (10) Os Livros do Novo Testamento e toda a história da Igreja mostram amplamente a presença na Igreja de mulheres, verdadeiras discípulas e testemunhas de Cristo na família e na profissão civil, para além da total consagração ao serviço de Deus e do Evangelho. ´´A Igreja defendendo a dignidade da mulher e a sua vocação, expressou honra e gratidão por aquelas que ´ fiéis ao Evangelho ´ em todo o tempo participaram na missão apostólica de todo o Povo de Deus. Trata´se de santas mártires, de virgens, de mães de família, que corajosamente deram testemunho da sua fé e, educando os próprios filhos no espírito do Evangelho, transmitiram a mesma fé e a tradição da Igreja´´ (11) Por outro lado, é à santidade dos fiéis que está totalmente ordenada a estrutura hierárquica da Igreja. Por isso, lembra a Declaração Inter Insigniores, ´´o único carisma superior, a que se pode e deve aspirar, é a caridade (cfr 1 Cor 12´13). Os maiores no Reino dos céus não são os ministros, mas os santos´´ (12)

    4. Embora a doutrina sobre a ordenação sacerdotal que deve reservar´se somente aos homens, se mantenha na Tradição constante e universal da Igreja e seja firmemente ensinada pelo Magistério nos documentos mais recentes, todavia actualmente em diversos lugares continua´se a retê´la como discutível, ou atribui´se um valor meramente disciplinar à decisão da Igreja de não admitir as mulheres à ordenação sacerdotal. Portanto, para que seja excluída qualquer dúvida em assunto da máxima importância, que pertence à própria constituição divina da Igreja, em virtude do meu ministério de confirmar os irmãos (cfr Lc 22,32), declaro que a Igreja não tem absolutamente a faculdade de conferir a ordenação sacerdotal às mulheres, e que esta sentença deve ser considerada como definitiva por todos os fiéis da Igreja. Invocando sobre vós, veneráveis Irmãos, e sobre todo o povo cristão, a constante ajuda divina, concedo a todos a Bênção Apostólica.

  139. diego disse:

    Então caro “le”, a respeito de Maria ser considerada mãe da igreja, como todos protestantes por não ter o que fazer e ficam tentando achar algo para derrubar essa santa igreja a católica vamos falar dela então:

    Essas acusações são refutadas para nós da igreja católica, pois são acusações fracas de pessoas fracas perante Deus, sei que a pesar de você “le”, dizer não seguir ninguém apenas a bíblia, esta entrando muito em contradição por que são perguntas infundadas de protestantes infundados, ou você “le”, tem vergonha de expor os seus comandantes celestiais, ou tem vergonha de sua igreja por algum motivo claro, e você sabe que não pode mentir diante de Deus.

    Deves saber uma coisa “le”, de Maria ser considerada mãe da igreja, isso é algo singular, não a mãe que salva, que cura, que julga, claro que não meu caro amigo, é simplesmente singular, sabemos que cristo é o único e você deve saber disso também meu amigo.

    Veja:

    9. MARIA, MÃE DE JESUS E MÃE DA IGREJA

    Por —
    Fonte: Ed. Santuário/Mundo Católico
    No seu livro Maria em Sua Vida Diária, o teólogo Bernardo Häring observa: “O Concílio Vaticano II coroou a Constituição Dogmática sobre a Igreja com um belo capítulo sobre Maria, como protótipo e modelo da Igreja. A Igreja não pode chegar a entender plenamente a união com Cristo e o serviço a seu Evangelho, sem um amor e um conhecimento profundos de Maria, Mãe de Nosso Senhor e nossa Mãe”. Com uma visão penetrante na natureza profundamente pessoal da salvação, o Vaticano II abordou o influxo de Maria em nossas vidas.
    Por ser mãe de Jesus, Maria é a Mãe de Deus. É o que afirma o Vaticano II: “Na Anunciação do Anjo, a Virgem Maria recebeu o Verbo de Deus no coração e no corpo, e trouxe ao mundo a Vida. Por isso, é reconhecida e honrada como verdadeira Mãe de Deus e do Redentor”(Lumen Gentium, nº 53).
    Como Mãe do Senhor, Maria é uma pessoa inteiramente singular. Como seu Filho, ela foi concebida como ser humano (e viveu toda a sua vida) isenta de qualquer vestígio do pecado original, isto se chama sua Imaculada Conceição.
    Antes, durante e após o nascimento de seu filho Jesus, Maria permaneceu fisicamente virgem.
    No final da sua vida Maria foi assunta – isto é, elevada – ao céu, de corpo e alma; a isso chamamos sua Assunção.
    Na qualidade de Mãe de Cristo, cuja vida vivemos, Maria é também a mãe de toda a Igreja. Ela é membro da Igreja, mas um membro totalmente singular. O Vaticano II exprime sua relação conosco como a de um membro supereminente e de todo singular da Igreja, como seu modelo… na fé e na caridade. “E a Igreja católica, instruída pelo Espírito Santo, honra-a com afeto de piedade filial como mãe amantíssima”(Lumen Gentium, nº 53).
    Como uma mãe que aguarda a volta dos seus filhos adultos para casa, Maria nunca cessa de influenciar o curso de nossas vidas. Diz o Vaticano II: “Ela concebeu, gerou, nutriu a Cristo, apresentou-o ao Pai no templo, compadeceu com seu Filho que morria na cruz… Por tal motivo ela se tornou para nós Mãe, na ordem da graça”(Lumen Gentium, nº 61). “por sua maternal caridade cuida dos irmãos de seu Filho, que ainda peregrinam na terra rodeados de perigos e dificuldades, até que sejam conduzidos à feliz pátria”(Lumen Gentium, nº 62).

  140. le disse:

    bom Diego infelizmente tem cego que nasce cego,fazer o que faz parte da vida,agora dizer que maria não teve filhos alem de Jesus,so mesmo um cego para não enxergar. vamos ver oque diz a bíblia:O fato de Lucas ter usado a expressão grega pro totokos, que significa “Primogênito”, em relação ao nascimento de Cristo: “e teve a seu filho primo gênito…” (Lc 2.7).

    Se Lucas quisesse dizer que Jesus foi o único filho de Maria, teria usado, de modo inequívoco, a expressão monogenes (unigênito, em português) que significa “[filho] único gerado”, como acontece em João 3.16. Mas não, ele usou, de modo consciente, o termo certo: “primogênito”, indicando que Jesus foi apenas o “primeiro” filho de Maria, e não o “único”.
    Se Jesus tivesse sido o único filho de Maria, os evangelistas mostrariam isso, de modo explícito, em seus escritos. Mas não é isso que constatamos no Novo Testamento.
    é Diego a verdade as vezes dói cara, mas não posso me calar.
    presta atenção diego, não fique triste cara, mas tenho que dizer a verdade, se eu pudesse juro que concordaria com estas baboseiras, que você escreve, mas não posso. vamos continuar então
    Uma leitura superficial do Novo Testamento, em especial dos evangelhos, mostrará, sem sombra de dúvida, que Jesus Cristo teve irmãos e irmãs (Mt 12.46,47, 13.55-56; Mc 6.3). E ainda nos dão os nomes dos irmãos: Tiago, José, Simão e Judas. E essas pessoas aparecem sempre relacionadas com Maria, mãe de Jesus, o que nos dá a impressão de que os escritores e os evangelistas quiseram nos transmitir o quadro de uma família composta por mãe e filhos. Vejamos: “Enquanto ele ainda falava às multidões, estavam do lado de fora sua mãe e seus irmãos, procurando falar-lhe. Disse-lhe alguém: Eis que estão ali fora tua mãe e teus irmãos, e procuram falar contigo” (Mt 12.46-47).

    Depois do milagre em Caná, Maria e os irmãos do Senhor aparecem juntos: “Depois disso desceu a Cafarnaum, ele, sua mãe, seus irmãos, e seus discípulos; e ficaram ali não muitos dias” (Jo 2.12).

    Em outra ocasião, Maria e seus irmãos mandam chamá-lo: “Chegaram então sua mãe e seus irmãos e, ficando da parte de fora, mandaram chamá-lo” (Mc 3.31). João acrescenta que nem os seus criam em Jesus: “Pois nem seus irmãos criam nele” (Jo 7.5). E, por último, os irmãos de Jesus aparecem no cenáculo orando com Maria: “Todos estes perseveravam unanimemente em oração, com as mulheres, e Maria, mãe de Jesus, e com os irmãos dele” (At 1.14).

    conclusão; Jesus é o filho primogênito(Lc 2.7)portanto é o primeiro de muitos,em (Mt1,24,25)diz que José teve relações sexual com Maria sua esposa,que foi virgem até o nascimento de Jesus.
    Abraços fui…………………………………..

  141. diego disse:

    Nossa “le” pensei que nunca iria perguntar isso, a respeito dos irmãos de Jesus, pois é o que eu mais gosto de explicar, é sobre os falsos irmãos de sangue de cristo que os protestantes falam, pois não tem estudo da bíblia, eles simplesmente lêem a bíblia e explica como querem, ai esta a confirmação de que você “le”, se tornou uma marionete deles, preste atenção “le”, no que é um estudo a fundo no assunto ta, presta atenção você e todas as outras marionetes que são controlados por falsos profetas…

    Ah e o próximo comentário foi uma explicação que eu enviei para alguns pastores de algumas denominações, só que já faz três meses que enviei e mostrei mais diante desses fatos postos não quiseram comentar mais nada.

    Agora cego é quem lê um versículo e não estuda ta “lê”!
    Ou sai falando o que os cegos dizem por ai!

  142. diego disse:

    Mt 13,55-56 e Mc 6,3 igualmente dizem:

    “Este não é o carpinteiro, o filho de Maria, o irmão de Tiago, José, Judas e Simão? E suas irmãs não estão entre nós?”

    Observe: apenas o “carpinteiro” é chamado de “o filho de Maria” e não “um dos filhos de Maria”.

    Algumas pessoas utilizam esses versículos para “provar” que Maria teve outros filhos. Veja também as seguintes passagens: Mt 12,46, Mc 3,31, Lc 8,19 e Jo 7,5.

    Examinemos agora, com mais atenção, a Bíblia…

    A palavra “irmãos” aparece aproximadamente 530 vezes na Bíblia; “irmão” aparece aproximadamente 350 vezes; uma variação de “irmãos” aparece uma única vez em Nm 36,11; “irmã” aparece aproximadamente 100 vezes; e “irmãs” aparece aproximadamente 15 vezes.

    Irmãos: é o plural da palavra “irmão”, conforme definem os dicionários.
    Irmão: a palavra hebraica “Ha” é geralmente traduzida para “irmão”. Já que o hebraico e o aramaico (no qual o evangelho segundo Mateus foi escrito) possuem bem menos palavras que o inglês ou o português, os judeus daquele tempo empregavam essa palavra num sentido mais amplo para expressar parentesco. Não existiam termos em hebraico para expressar os diferentes níveis e graus de parentesco. “Irmão” pode significar os filhos do mesmo pai e todos os membros masculinos da mesma clã ou tribo.

    Em grego, no qual o evangelho segundo Marcos foi escrito, a palavra “irmão” é escrita como “adelphói”, do grego “adelphós”, significando membro seguidor de uma clã. Mesmo hoje, a palavra “irmão” é empregada com um significado mais extenso, incluindo amigos, aliados, discípulos e compatriotas. Não era diferente na época de Cristo. Em quatro dicionários que pesquisei, encontrei de três a quatro classes de significados para a palavra “irmão”.

    A primeira classe diz respeito aos filhos dos mesmos pais. As outras duas ou três classes se referem a parentesco, discípulos, uma pessoa íntima, um amigo, membro de uma ordem religiosa, membro de alguma igreja cristã, etc…

    Quantas vezes você tem visto os tele-evangelizadores chamarem seus telespectadores de “nossos irmãos e irmãs”? Os adversários de Maria aceitam os três últimos significados para satisfazerem a si mesmos, mas quando se trata de Maria, a Mãe de Deus, eles sempre utilizam o primeiro significado. Isso seria sincero para com ela? Como você explica isso? Veja Nm 8,26, 1Sm 30,23, 2Sm 1,26, 1Rs 9,13, 2Cr 29,34.

    Por exemplo, se lermos Gn 29,15: “Então Labão disse a Jacó: por seres meu irmão…”, certamente pensaremos que Jacó e Labão eram irmãos de sangue. Agora, se compararmos Gn 29,5: “…Conheceis Labão, filho de Nacor?…” com Gn 25,21-26, perceberemos que Jacó era o filho de Isaac e Rebeca. Labão era o filho de Nacor. Eles não eram irmãos de sangue, mas parentes.

    Cristo diz à multidão e aos seus discípulos em Mt 23,1-8: “E vós todos sereis irmãos”. Em Mt 12,50 e Mc 3,35, Jesus diz: “Todo aquele que faz a vontade de meu Pai que está no céu, é meu irmão, irmã e mãe”. Este versículo diz isso tudo! Em 1Cor 15,6 fala-se que Jesus apareceu a quinhentos “irmãos” de uma só vez. Poderiam todos eles serem irmãos consaguíneos? Dificilmente. Também vemos Pedro falando diante de 120 irmãos em At 1,15-16. Paulo fala de alguém ser “chamado de irmão” em 1Cor 5,11. A Bíblia possui muitos outros versículos semelhantes.

    Vamos agora considerar os quatro “irmãos” citados em Mc 6,3: Tiago, José, Simão e Judas…

    Mc 15,40: “E também estavam ali algumas mulheres, olhando de longe. Entre elas estavam Maria Madalena e Maria, mãe de Tiago o menor e de José, e Salomé”. Estas eram as pessoas que estavam durante a crucifixão.
    Jo 19,25: “Perto da cruz de Jesus, permaneciam de pé sua mãe (Maria), a irmã de sua mãe, Maria, mulher de Cleofas e Maria Madalena”.
    Mt 10,2-3: …TIAGO, o filho de Alfeu, e “Lebbaeus”, cujo apelido era Tadeu”. Alfeu é uma tradução alternativa de Cleofas ou Clopas, tratando-se, assim, da mesma pessoa.
    At 1,13: “…TIAGO, o filho de Alfeu e SIMÃO zelota e JUDAS, o irmão de TIAGO.”

    A partir dessas quatro passagens, percebemos que existia uma “outra Maria”, que era a esposa de Cleofas (Alfeu), e a mãe dos três “irmãos” de Jesus: Tiago Menor, José e Judas. Isso claramente mostra que Maria, a mãe de Jesus, não era a mãe de Tiago, José e Judas apresentados em Mc 6,3. Para manter Mc 6,3 em harmonia, já que os três não são filhos de Maria, mãe de Jesus, então SIMÃO também não é. SIMÃO é o cananita citado em Mc 3,18, também chamado de zelota em Mt 10,4, Lc 6,15 e At 1,13. Judas, que escreveu a Epístola de Judas, diz que é irmão de Tiago em Jd 1,1. Judas também é chamado de Tadeu em Mt 10,3 e em Mc 3,18. Isso foi feito para distingüí-lo de Judas Iscariotes. Lc 6,16 também distingue os dois ao dizer: “E Judas, o irmão de Tiago, e Judas Iscariotes, que foi o traidor”.

    Ainda sobre o tópico “Os outros filhos de Maria”, tenho um outro ponto a destacar:

    Jo 19,26-27: Quando Jesus viu sua mãe e, perto dela, o discípulo que ele amava…” – o discípulo era João, o autor do Evangelho segundo João – “… então ele disse ao discípulo: ‘Eis a tua mãe’”. Por acaso era João filho de Maria e irmão consanguíneo de Jesus?

    Leia os seguintes versículos para conferir:

    Mc 1,19: “…ele viu Tiago, o filho de Zebedeu, e JOÃO, seu irmão.”
    Mc 3,17: “E Tiago, o filho de Zebedeu, e JOÃO, o irmão de Tiago.”

    Em nenhuma dessas passagens é dito que Jesus viu um irmão consanguíneo ou assim os reconheceu.

    Mt 27,56: “Entre elas estavam Maria Madalena e Maria, a mãe de Tiago.”
    Mt 20,20: “Tiago (o menor), e José e a mãe dos filhos de Zebedeu.”
    Mc 15,40: “…entre as quais estavam Maria Madalena e Maria, a mãe de Tiago (o menor) e Salomé, (mãe dos filhos de Zebedeu)”.
    Lc 24,10: “Eram Maria Madalena… e Maria (a “outra Maria”) a mãe de Tiago (o menor).

    Uma comparação entre Mt 27,56 e Mc 15,40, claramente mostra que Zebedeu tinha uma esposa que se chamava Salomé. Ela é chamada de “mãe dos filhos de Zebedeu” em Mt 27,56 e Salomé em Mc 15,40. Eles tiveram dois filhos, João e Tiago, conforme Mc 3,17. O JOÃO que está aos pés da cruz e a quem Jesus confia sua mãe, não era filho de Maria, mãe de Jesus, mas do casal Zebedeu e Salomé. Se Jesus tivesse irmãos consanguíneos, por que ele não confiaria Maria aos cuidados destes seus “irmãos”? Seria assim que a lei judaica ordenaria…

    Genealogia:

    1.

    Zebedeu e Salomé: geraram Tiago e João
    2.

    Cleofas (Alfeu) e Maria1: geraram Tiago (o menor), José e Judas
    3.

    Espírito Santo e Maria: geraram Jesus, o Cristo

    Esta “genealogia” apresenta qual é o verdadeiro parentesco dos “irmãos” apresentados em Mc 6,3 e Mt 13,55, tornando sem efeito o argumento da existência de “irmãos consaguíneos” do Senhor.

    Notas Adicionais:

    Mt 1,25: “E não a conheceu até que…”. O antigo significado da palavra “até” ou “até que” informa uma ação que não ocorreu até certo ponto. Isso não implica que a ação tenha ocorrido depois. Veja Gn 8,7: “Soltou o corvo que foi e não voltou até que as águas secassem sobre a terra” e 2Sm 6,23: “E Micol, a filha de Saul não teve filhos até o dia de sua morte”; será que ela teve filhos após sua morte?.
    Lc 1,34: “Então Maria disse ao anjo: ‘como isso poderá acontecer se eu não conheço2 varão?’”. Isso significa que Maria não tivera relacionamentos com um homem antes da Anunciação e que, portanto, era virgem.
    Lc 2,7: “E ela deu à luz o seu filho primogênito, envolvendo-o com faixas…”. Na época da redação dos Evangelhos, a palavra “primogênito” significava o filho que abriu o útero. Veja: Ex 13,2 e Nm 3,12. O fato de Jesus ser primogênito não implica que Maria tenha tido outros filhos; o filho único também é primogênito (é o caso do autor [e – curiosamente – também do tradutor deste artigo]).

    Em lugar algum da Bíblia está escrito que Maria, a Mãe de Jesus, teve outros filhos. Então, por que alguns ainda insistem em dizer que ela os teve??

    Outras referência bíblicas: Gn 8,7; 25,21-26; 29,5.15; Ex 13,2; Nm 3,12; 8,26; Dt 23,7; 1Sm 30,23; 2Sm 1,26; 6,23; 1Rs 9,13; 2Rs 10,13-14; 2Cr 29,34; Mt 1,25; 4,21; 10,2-4; 12:46; 12,50; 13,55-56; 20,20; 26,26; 27,56.61; 28,1; Mc 1,19; 2,14; 3,17-21.31.35; 6,3; 15,40.47; Lc 1,34; 2,7; 2,41-51; 5,10; 6,16; 8,19; 24,10; Jo 7,2-7, 19,25-27; At 1,13-16; Rm 8,29; 1Cor 5,11; 9,5; 15.6; Gl 1,19; 1Pd 5,12; Jd 1,1.

  143. diego disse:

    Primogênitos para os cegos e surdos!

    Escrito por Prof. Alessandro Lima

    Introdução
    Os cristãos protestantes costumam ensinar que Maria, Mãe de Jesus, teve outros filhos além de Nosso Senhor. Que o Verdadeiro Espírito Santo nos permita mostrar aos nossos irmãos separados a verdade sobre os “irmãos” do Senhor.
    Jesus, o primogênito
    No Evangelho de São Lucas lemos: “Maria deu à Luz o seu filho primogênito” (Lc 2,7). Aqui os protestantes enxergam indícios de que o Senhor foi somente o primeiro filho de Maria. Ora, a palavra “primogênito” só significa primeiro filho, podendo ele ser filho único ou não.

    A própria Escritura Sagrada dá testemunho disto, vejamos:

    “O Senhor disse a Moisés: ‘Faze o recenseamento de todos os primogênitos varões entre os israelitas, da idade de um mês para cima, e faze o levantamento dos seus nomes.’” (Num 3,40) (grifos meus).
    Se para que seja primogênito é preciso que haja outros irmãos, como pode haver primogênitos “da idade de um mês para cima”?

    Ou é aqui já mostra que o primogênito não é necessariamente o primeiro de muitos mais sim o primeiro entendeu “le”.

    Um outro exemplo está no livro do Êxodo: “e morrerá todo primogênito na terra do Egito, desde o primogênito do faraó, que deveria assentar-se no seu trono, até o primogênito do escravo que faz girar a mó, assim como todo primogênito dos animais.” (Ex. 11,5).
    E a promessa de Deus se cumpre, onde lemos: “Pelo meio da noite, o Senhor feriu todos os primogênitos no Egito, desde o primogênito do faraó, que devia assentar-se no trono, até o primogênito do cativo que estava no cárcere, e todos os primogênitos dos animais. O faraó levantou-se durante a noite, assim como todos os seus servos e todos os egípcios e fez-se um grande clamor no Egito, porque não havia casa em que não houvesse um morto” (Ex. 12,29-30).

    Essa aqui também é forte “lê”, veja também:

    A própria tradição ensina que o Faraó só tinha um único filho. Desta forma, a palavra “primogênito” em Lc 2,7 não prova que o Senhor teve outros irmãos.

  144. diego disse:

    Para finalizar “le”, se tinha um costume de se chamar os parentes próximos de irmão, então “le”, se você for lá em (gênesis 13/8), verás que Abraão diz ser irmão de ló veja:

    8. Abrão disse a Lot: “Rogo-te que não haja discórdia entre mim e ti, nem entre nossos pastores, pois somos irmãos.

    E para vocês protestantes que gostam de ler um versículo e sair evangelizando seria um prato cheio, mais todos nós católicos que conhecemos as escrituras claro, sabemos que ló era sobrinho de Abraão, basta ver em (gênesis 11/27,28), :

    27. Eis a descendência de Taré: Taré gerou Abrão, Nacor e Arão.
    28. Arão gerou Lot. Arão morreu em presença de Taré, seu pai, em Ur da Caldéia, sua terra natal.

    Eis ai a arvore genealógica de terá pai de Abraão.

  145. diego disse:

    Caro “le”, diante de tanta desordem de fatos imposto por você, de tantas falsas injurias colocadas aqui sem fundamentos bíblicos, no caso repassado por você já que ouviste tudo isso de um protestante, é impossível você dizer que não segue ninguém, esta claro que você segue alguém, basta você colocar quem “le”, desde o começo eu te pergunto sua religião, e você foge em dizer, não tenhas medo “le”, estou aqui para te ajudar caro amigo, basta você querer caro amigo.

  146. diego disse:

    E como você disse: “tem cego que nasce cego”, e diante de tudo que você colocou aqui, que são questões colocadas por meros protestantes, já que conheço essas questões de cór, e que não foram elaboradas por sua mente, mais sim por ideologias que insistem em si dividir, a única coisa que tenho para ti falar amigo, é que:

    “Jesus, porém, penetrando nos seus pensamentos, disse:” Todo reino dividido contra si mesmo será destruído. Toda cidade, toda casa dividida contra si mesma não pode subsistir “(Mateus 12, 25)”.

    E como eu coloquei que depois que Lutero começou com o protestantismo em 1521, vocês vêem se dividindo a cada dia mais, as palavras citadas acima por Jesus cristo, cabem bem para que você veja o reino que você pertence.

    Caso tenha mais alguma mentira contra a igreja católica, venha expor ela aqui, para que eu te desminto mais uma vez, e mostre para todos que lêem os comentários, e veja como os protestantes mentem e enganam os seus fieis a ponto de transforma-los em suas marionetes.

    Deus abençoe a todos.

  147. le disse:

    bom Diego queria muito abrir seus olhos mas cheguei a conclusão que é perca de tempo,que o Senhor Jesus Cristo atraves de seu Espírito Santo possa fazer isso por mim. a sou evangélico porque crio no evangelho ..   abraço querido fique com Deus

  148. diego disse:

    Nossa que saída sua “le”.

    Os pastores que eu debati as escrituras a fundo tiveram a mesma saída de mansinho, legal vocês fazerem isso, pois quando os argumentos acabam diante da verdade, é o melhor a fazer.
    Mais foi bom sei que daqui para frente ao invés de atacar a igreja católica você ira parar antes e refletir para ver se compensa defender “igrejas” novas.

    Fique com Deus também meu amigo, mais diante de todos os fatos meu querido, você não teve argumentos suficientes diante das escrituras, para poder provar nada, e resta a quem tiver vim aqui para tentar ser melhor do que você.
    Pois melhor do que a minha afirmação já sabe que não pode, pois o que eu coloco é de dentro das escrituras mais a fundo, se alguém disser que é mentira, esta dizendo que Deus mente e eu ainda continuo desafiando, traga o seu pastor por que os fies como o nosso amigo “le”, já demonstrou que não deixará de seguir esses pastores, mesmo ele demonstrando que tem vergonha da própria igreja dele, já que ele escondeu essa igreja desde o começo.

    Deus abençoe a todos.

  149. diego disse:

    Análises contundentes:

    Depois de minha pessoa debater com algumas pessoas aqui que se achavam ter o conhecimento premo da verdade já que ninguém quer assumir que esta errado voltamos lá atrás para fazer uma análise dos fatos imposto por mim.

    1- Eu coloquei a igreja católica como igreja edificada por cristo, e o que vemos, vemos pessoas contestando fatos mais sem estudo algum, e depois de colocado os fatos desde a raiz com as escrituras claro, sempre com as escrituras, como eu coloquei, e ao verem que estão errados, automaticamente não querendo demonstrar o erro que anda os debatentes mudam de assunto para voltar a atacar a igreja e desviar a verdade das pessoas que lêem os comentários.
    2- Eu mostrei a edificação da igreja católica em Pedro, tudo com as escrituras, mostrei que idolatria é algo infundado pelos protestantes para enrolarem os fiéis e converte-los para suas igrejinhas, mostrei o por que do não Ministério Sacerdotal da Igreja Católica das mulheres, falei do purgatório que como sabemos é realmente uma palavra que não tem na bíblia, mais é a palavra que usamos para identificar o lugar aonde as pessoas vão após a morte, repito tudo isso com base nas escrituras, mostrei a descendência dos protestantes após Lutero ter feito a sua pior burrice de se desviar da santa igreja católica, e descendência essa totalmente absurda, pois vemos como o homem é arrogante em querer ser diferente dos outros, mais como eu disse pelas escrituras e Jesus disse e esta escrito: “Jesus, porém, penetrando nos seus pensamentos, disse:” Todo reino dividido contra si mesmo será destruído. Toda cidade, toda casa dividida contra si mesma não pode subsistir “(Mateus 12, 25) Isto não é exatamente o que está acontecendo com as comunidades protestantes? Repito são mais de 33800 denominações de igrejas diferentes espalhadas pelo mundo.

    E diante de tantos fatos entre outros que também foram abordados aqui e em outros lugares que eu debato a única prova e contestação que cheguei foi de que as pessoas são as piores culpadas por que preferem dar ouvidos ao que dizem por ai do que realmente irem atrás da verdade, e isso é que me deixa muito triste, por ver que Jesus alertou e muito sobre os falsos profetas que viriam em seu nome veja:

    (Mateus capitulo 24/4,5,11,13,23,24)

    4. Respondeu-lhes Jesus: Cuidai que ninguém vos seduza.
    5. Muitos virão em meu nome, dizendo: Sou eu o Cristo. E seduzirão a muitos.
    11. Levantar-se-ão muitos falsos profetas e seduzirão a muitos.
    13. Entretanto, aquele que perseverar até o fim será salvo.
    23. Então se alguém vos disser: Eis, aqui está o Cristo! Ou: Ei-lo acolá!, não creiais.
    24. Porque se levantarão falsos cristos e falsos profetas, que farão milagres a ponto de seduzir, se isto fosse possível, até mesmo os escolhidos.

    Termino esperando e rezando que o espírito santo venha mostrar a verdade não apenas para os fiéis dessas denominações que eu coloquei mais sim iluminar os chefes celestiais dessas igrejas como já vemos os grandes “pastores teólogos” que estão saindo do protestantismo, pois quando eles foram atrás da verdade viram que o que eles faziam era apenas contestar e não impor a verdade, verdade essa que só encontraram na igreja edificada por cristo, a igreja católica postolica romana.

    Deus abençoe a todos.

  150. le disse:

    O DOGMA DA IMACULADA CONCEIÇÃO DE MARIA
    Foi no dia 8 de dezembro de 1854, na presença de 54 cardeais e 140 bispos, que o papa Pio IX declarou na bula INEFFABILIS DEUS o seguinte dogma: “É de Deus revelada a doutrina que sustenta que a bem-aventurada Virgem Maria, no primeiro instante de sua conceição, por singular graça e privilégio do Deus onipotente, em vista dos méritos de Jesus Cristo, o Salvador do gênero humano, foi preservada imune de toda mancha de pecado original, e dessa maneira deve ser crida por todos os fiéis.” A partir daí, oficialmente, os católicos passaram a crer que Maria nasceu imaculada, sem pecado, não tendo herdado o pecado de Adão, comum a toda criatura.

    Todavia, o que os católicos ignoram é que essa crença foi rejeitada durante séculos por grandes líderes da própria Igreja Católica Apostólica Romana. Eles defendiam que somente um ser humano poderia ter nascido sem pecado, e esse é JESUS CRISTO, o DEUS ENCARNADO. Ninguém mais! Nem mesmo Maria. Essa era a posição de SANTO ANSELMO que disse o seguinte: “Mesmo sendo imaculada a conceição de Cristo, não obstante, a mesma Virgem, da qual ele nasceu, foi concebida na iniquidade e nasceu com o pecado original, porque ela pecou em Adão, assim como por ele todos pecaram.”

    SÃO TOMÁS DE AQUINO, o mais importante dos teólogos católicos, não aceitava essa doutrina. Ele disse: ‘A bem-aventurada Virgem foi santificada antes de receber vida? (…) se a bem-aventurada Virgem houvesse sido santificada de qualquer modo antes de receber a vida, nunca teria incorrido na mancha do pecado original; e, portanto, não teria necessidade da redenção e da salvação que é por Cristo, de quem se diz: Ele salvará o seu povo dos seus pecados. (…) logo a santificação da bem-aventurada Virgem foi depois de receber a vida. “, E SÃO BERNARDO declarou que “Só o Senhor Jesus Cristo foi concebido do Espírito Santo, porque era o único santo antes da sua conceição.”

    Certamente, por causa desse dogma, a Igreja viu-se obrigada a criar um outro dogma quase cem anos depois, ou seja: O DA ASSUNÇÃO DE MARIA EM CORPO AO CÉU. A Bíblia declara que o salário do pecado é a morte, e por causa do pecado o homem morrerá e seu corpo se desfará na terra voltando ao pó donde era (veja Romanos O:23 e Eclesiastes 12:7); A questão levantada, então, era: Poderia o corpo de Maria corromper-se na sepultura após sua morte?

    Se de fato ela era imaculada (sem pecado), poderia ela sofrer a penalidade do pecado? Por causa disso em 1º de novembro de 1950 a Igreja criou o dogma de que Maria foi assunta ao Céu em corpo, ou seja seu corpo não foi consumido na sepultura. E a Igreja ainda diz que tais dogmas são revelações de Deus que devem ser cridas por todos os fiéis, e que, se não o fizerem, naufragarão na fé e se condenarão a si mesmos!

    Caro leitor, a Bíblia é a única Palavra Revelada de Deus aos homens, e a Tradição da Igreja Católica não deve nem pode contradizê-la em nenhuma doutrina. PERGUNTA-SE:

    Por que nem um só dos escritores bíblicos fez a mínima alusão ao nascimento imaculado de Maria e à sua assunção em corpo ao Céu? Por que não? Questiona-se assim porque eles escreveram os livros da Bíblia (os evangelhos e as cartas) após a morte de Maria, e é estranho que tenham omitido tais fatos a seu respeito. Se de fato isto tivesse ocorrido e Maria fosse colocada por Deus como nossa co-Redentora e Rainha nos Céus, seria para os cristãos de todas as épocas uma grande fonte de consolo poder dirigir suas preces à mãe de Deus! Mas … na verdade nada disso aconteceu, pois não há evidência histórica nem teológica de tais fatos.

    ‘ O que foi então que os apóstolos escreveram na Santa Palavra de Deus? Escreveram que há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens, e este é Jesus Cristo. Ele é o nosso Salvador, e é o nosso advogado que vive para interceder por nós (veja em I Tim. 2:5, e Hebreus 7:25). “Porque nos convinha tal Sumo Sacerdote, santo, inocente, imaculado, separado dos pecadores, e feito mais sublime do que os céus” (Hebreus 7:26). Toda a honra, e a glória, e o louvor deve ser dado somente a JESUS CRISTO!

    MARIA PRECISAVA DE UM SALVADOR?

    Amigo, a Virgem Maria disse: “o meu espírito se alegra em Deus meu Salvador” (Evang. de Lucas i:47). PERGUNTA-SE: Se ela não fosse pecadora como todos os homens você acha que ela precisaria de um Salvador? Veja que é ela mesma que fala do seu Salvador. Logo, ela não pode ter tido uma conceição imaculada e muito menos ter subido aos céus em corpo. Pois a Bíblia diz que todos pecaram, que não há um justo sequer (Romanos 8: 10, 23). E quem foi o Salvador de Maria? Aquele que é o Salvador de todos os homens. Isto mesmo, Jesus Cristo!

    Jesus Cristo derramou seu sangue precioso na Cruz do Calvário por mim e por você. Você já o aceitou como Salvador de sua vida? Já declarou sua fé nele? Crê que Jesus é o único caminho pelo qual você poderá chegar a Deus? Já obteve o perdão dos seus pecados pela fé em Jesus? O apóstolo São João declara: “O sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado” (1’ Jo. 1:7).

    LEIA A BÍBLIA “CREIA SOMENTE EM JESUS”

    Obs.: Se o leitor desejar confirmar as declarações aqui feitas, fale com o padre ou bispo da sua localidade.

  151. le disse:

    Idolatria

    O Que diz A Lei de Moisés?

    Êx. 20:4,5, “Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não te encurvarás a elas nem as servirás; porque Eu, o SENHOR teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos, até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam.”

    Deus quer toda a gloria que o homem pode prestar (Rom 11:36-39; Mat. 6:13). A sua gloria Ele não dá a imagem nenhuma (Isa 42:8). Deus recebe a glória pela obediência da Sua Palavra (Ecl 12:13; Mar 12:29,30; João 15:8-10; I Cor 10:31). A Lei de Moisés dirige, de forma organizada e permanente, os desejos de Deus e do que Ele espera do homem que Ele mesmo criou. Também foram dadas para mostrar ao homem o pecador que é. O que Deus deseja, o homem não deseja. O que a Lei proíbe, o homem pecador deseja (Rom 7:12,13).

    No Novo Testamento, aprendemos que a atitude de Deus é a mesma. Nenhuma idolatria deve ser entre os que servem Cristo como Senhor: I Cor 5:11; 10:7,14; Efés 5:5; Col 3:5; I João 5:21.

    Idolatria é Abominação ao Senhor?

    Abominação definida: Verbete: abominação [Do lat. Abominatione.] S. f.

    1. Ação ou efeito de abominar; repulsão.

    2. Coisa abominável, execrável: Calçava uns sapatos que eram uma abominação. (Dicionário Aurélio Eletrónico, Ver 2.0)

    Abominar significa: Verbete: abominar [Do lat. Abominare.]

    V. t. d.

    1. Sentir horror a; detestar; odiar; aborrecer: “Ó meu passado, ruinaria sem beleza! / Eu abomino a tua obscura soledade.” (Manuel Bandeira, Estrela da Vida Inteira, p. 41); “Mas quando você me viu usar lapiseira? Abomino lapiseiras!” (Marques Rebelo, A Mudança, p. 582).

    V. p.

    2. Ter horror a si mesmo; detestar-se, odiar-se. (Dicionário Aurélio Eletrónico, Ver 2.0).

    Por Deus incluir a proibição até a fabricação de ídolos na Sua lei que é santa e boa (Rom 7:12) podemos entender o quanto isso para Ele é desgostoso. Deus sente horror, odeia, aborreça aos ídolos de qualquer forma. Podemos entender também que é abominação a Deus pela atitude e ação que Ele tomou diante os que insistiram em tê-los (I Reis 21:26; II Reis 21:11; I Cor 6:9-10; Gal 5:10)

    As Conseqüências de Idolatria

    Leva para corrupção – Deut 4:16,23
    Leva para vergonha – Isa 42:17; 44:9
    Provoca o Senhor – Sal 78:58
    Confundem – Sal 97:7
    É atividade de ignorantes – Isa 44:15-17; 45:20
    Esbarra Deus de ouvir – Ezequiel 20:16-39
    Crer em Mentiras – Jer 10:14; 51:17; Sal 115:4; 135:15
    Traz a ira de Deus – Levítico 26:30; Jer 51:47-52
    O que Estou Adorando pelos Ídolos?

    Muito podemos aprender sobre o assunto comparando versículos da Palavra de Deus em uma lugar com os versículos da Palavra de Deus em outro lugar. Compare estes versículos e verá que os próprios demônios tem a pratica de habitar nos ídolos: Lev 17:7; Deut 32:17: I Cor 10:20.

    Pode ser que a pessoa que usa ídolos na sua adoração não intenta orar aos demônios, mas na pratica, é isso que está fazendo..

    Não somente os que tem as imagens de escultura, mas os que tem imagens nos corações comete abominação: Ezequiel 14:3-7; 20:16

    Idolatria é Pela Fé?

    O que agrada Deus é de ser servido pela fé (Heb 11:6). A fé que agrada Deus não é o grau de crença que temos nas nossas intenções ou nas doutrinas da nossa igreja. A fé que agrada Deus não é a quantidade de esperanças que temos no nosso íntimo ou quanto suamos em sermos devotos. A fé que agrada Deus é aquela que confia e obedeça no que ELE diz e manda (João 15:8-10).

    Se a nossa adoração às coisas de Deus é estimulada pela que o olho vê ou pelo que o coração sente, não estamos andando pela fé (Rom 8:24,25; II Cor 4:18; Heb 11:1). Isso revela que a idolatria não é pela fé.

    O Que Deus Deseja?

    Jesus mesmo falou o que o Seu Pai deseja pela adoração em João 4:24, “Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade.” Não é pela coisas exteriores que agrada Deus mas pelas interiores, em Espírito. A verdade, a Palavra de Deus, nos guia nesta adoração íntima. Deus é adorado pelo Seu Filho Jesus Cristo. Se estamos confiando somente em Cristo como nosso Senhor e Salvador, Deus é supremamente adorado, pois Cristo é a Verdade (João 14:6).

    Entre os povos que usavam ídolos, os povos podiam mostrar o seu arrependimento pela ação de tirar entre eles todos os ídolos (Ezequiel 20:7; 37:23) e viverem uma vida santa diante de Deus (I Tess 1:9; Tito 2:12).

    A Salvação de Deus

    Salvação não é uma ação, sentimento, intenção, estilo de vida, religião ou filosofia; é uma pessoa. A Palavra de Deus revela que essa pessoa que é salvação é o próprio Filho Unigênito de Deus, o Jesus Cristo (João 3:16; 14:6; Atos 4:12). Se colocamos outra pessoa, objeto, esperança ou obra qualquer junto com Jesus Cristo, estamos desprezando a salvação que Deus nos deu e assim, estamos ainda em nossos pecados sem esperança (I Cor 3:10). “Crê no Senhor Jesus Cristo, e serás salvo, tu e a tua casa” Atos 16:31.

    Jesus Cristo é suficiente para Deus. Ele é suficiente para você?

  152. le disse:

    A palavra católico vem do grego katholikos, que quer dizer “universal”. No nome catolicismo romano já observamos uma contradição. Lorraine Boetner, em seu livro “Catolicismo Romano”, cita o Dr. John Gerstner que escreveu: “…rigorosamente falando, católica romana é uma contradição de termos. Católico significa universal; romano significa particular”.
    Quero, neste estudo, analisar as principais doutrinas católicas com as Escrituras e mostrar a total incompatibilidade que existe entre a fé dos evangélicos e a fé dos católicos. O profeta Amós perguntou: “Andarão dois juntos, se não estiverem de acordo?” (Am 3.3) Não estou pregando a intolerância religiosa, o respeito pelo próximo é uma marca cristã, o direito a escolha religiosa é um direito inegociável. Refiro-me a tentativa ecumênica de unir evangélicos e católicos numa só igreja. Um artigo na Internet divulgou que “João Paulo II vem manifestando interesse em aproximar-se de judeus e evangélicos”. A proposta ecumênica dos católicos é de mão única. Estes estão interessados que os evangélicos, por exemplo, aceitem o Papa como cabeça da igreja e muito mais. A meta do ecumenismo é a união de todas as igrejas em uma só Igreja Mundial. É impossível aceitar essa proposta sem abrir mão daquilo que é básico em nossa fé. Sabemos, pelas Escrituras, que o Anticristo virá sobre as asas do ecumenismo se colocando como líder religioso mundial dizendo ser o Cristo.

    PEQUENO HISTÓRICO

    A igreja católica, que conhecemos hoje, é o resultado de alterações feitas à partir da igreja primitiva. Segundo Aurélio, “…o catolicismo romano é a religião que reconhece o Papa como autoridade máxima, que se expande por meio de sacramentos, que venera a virgem Maria e os santos, que aceita os dogmas como verdades incontestáveis e fundamentais e que tem como ato litúrgico mais importante a missa”. O que essa igreja tem em comum com a igreja primitiva? Nada!
    Durante os primeiros séculos cristãos ocorreram muitas perseguições, isto cooperou para que a igreja se mantivesse fiel as Escrituras. Este período é chamado de era patrística, ou era dos pais da igreja. Halley fala de Policarpo (69-156 d.C.), discípulo de apóstolo João que foi queimado vivo por se recusar a amaldiçoar a Cristo. Policarpo falou: “oitenta e seis anos faz que sirvo a Cristo e Ele só me tem feito bem, como podia eu, agora, amaldiçoá-lo, sendo Ele meu Senhor e Salvador?”
    A corrupção no cristianismo começou já em meados do século III, onde houve o primeiro rompimento sério dos cristãos, por causa da introdução dos batismos de crianças. O rompimento foi chamado de “desfraternização”. No século IV, Constantino ascendeu ao posto de Imperador. Este apoiou o cristianismo e fez o mesmo religião oficial do Império Romano. Assim sendo, muitos ímpios se tornaram cristãos por motivos políticos e escusos. Constantino convocou em 325 d.C. o Concílio de Nicéia onde surgiu o catolicismo romano influenciado por doutrinas pagãs. Como pôde haver essa junção entre o cristianismo e Roma? Roma que sempre foi centro de idolatria em que seus imperadores eram considerados deuses. Alcides Peres conta que em 326 d.C., um ano depois do Concílio, Constantino vai a Roma para celebrar o vigésimo ano de seu reinado. Por intriga palaciana, manda prender seu filho Crispo, que é logo julgado, condenado e morto pelo próprio pai… Foi esse homem que deu origem a esta junção do catolicismo com o romanismo.
    Muitas doutrinas estranhas continuaram a penetrar no catolicismo romano. Fazendo que cada vez mais a igreja católica se distanciasse de sua origem. Citarei alguns exemplos dando datas aproximadas.
    A oração pelos mortos começou a ser aceita por volta de 300 d.C. O começo da exaltação a Maria onde o termo “mãe de Deus” surgiu pela primeira vez em 431 d.C. A doutrina do purgatório em 593 d.C. A adoração da cruz, imagens e relíquias em 786 d.C. A canonização dos santos mortos em 995 d.C. O celibato do sacerdócio em 1079 d.C. E assim em diante…

    No século XVI ocorreu a tão conhecida reforma protestante que é sempre lembrada no dia 31 de outubro por ser a data que Lutero em 1517 d.C. colocou suas 95 teses na porta da Igreja do Castelo de Wittenberg. Essas teses combatiam principalmente a compra de indulgências. Segundo Earle E. Cairns: “A indulgência era um documento que se adquiria por uma importância em dinheiro e que livrava aquele que a comprasse da pena do pecado.” O pecador deveria arrependendo-se, confessar o seu pecado ao sacerdote, e ainda pagar uma certa quantia para assim obter o perdão, tratando desta forma o sacrifício na cruz como nada. Lutero combateu isto com veemência baseando-se em Romanos 1:17, ensinando que só a fé em Cristo justifica. Com a reforma a Bíblia foi traduzida para a língua do povo. Antes a Bíblia era negada ao povo sob a desculpa que só o sacerdote podia interpretá-la corretamente. A supremacia da Bíblia em todas as questões de fé e prática foi enfatizada (sola scriptura) assim combatendo a idéia que a tradição e as interpretações dos clérigos teriam o mesmo valor que as Escrituras.
    Lorraine Boettiner escreveu: “O protestantismo como surgiu no século dezesseis não foi o começo de alguma coisa nova, mas o retorno ao cristianismo bíblico e à simplicidade da igreja apostólica da qual a igreja católica se afastou há muito tempo.”

    Voltar
    A autoridade das Escrituras

    Para começo de conversa é bom falarmos sobre a autoridade da Bíblia segundo o catolicismo. Segundo o catolicismo existem três grandes autoridades para o ensino: a tradição da igreja, o magistério e as Escrituras Sagradas. Para eles a Bíblia sozinha não é suficiente. Raimundo F. de Oliveira cita o Padre Benhard que em 1929 escreveu: “A Bíblia não é a única fonte de fé, como Lutero ensinou no séc. XVI, porque sem a interpretação de um apostolado divino e infalível, separado da Bíblia, jamais poderemos saber, com certeza, quais são os livros que constituem as Escrituras inspiradas, ou se as cópias que hoje possuímos concordam com os originais. A Bíblia em si mesma, não é mais do que letra morta, esperando por um intérprete divino… Certo número de verdades reveladas têm chegado a nós, somente por meio da tradição divina.”

    “Porque eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro que, se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro; e se alguém tirar quaisquer palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte da árvore da vida, e da cidade santa, que estão escritas neste livro.” (Ap. 22.18 e 19)
    Conforme temos visto, para o catolicismo romano, a Bíblia não é a única regra de fé. A revelação, segundo eles, está apoiada no seguinte tripé: as escrituras, a tradição da Igreja e o magistério. Ainda tiram da Bíblia o valor de ser a autoridade final. Observe a declaração do catecismo de 1994: “O ofício de interpretar autenticamente a Palavra de Deus escrita ou transmitida (tradição) foi confiado unicamente ao magistério vivo da Igreja, cuja autoridade se exerce em nome de Jesus Cristo, isto é, aos bispos em comunhão com o sucessor de Pedro, o bispo de Roma.” Ou seja, para os católicos, a interpretação dos magistrados é superior as Escrituras Sagradas. Paulo nos advertiu: “Mas ainda a que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já tenho anunciado, seja anátema.” (Gl 1.8). E em Rm 3.4 está escrito “…sempre seja Deus verdadeiro e todo o homem mentiroso.”
    Além desse tripé errôneo, existe o fato da Igreja Católica possuir livros apócrifos em sua Bíblia. A palavra “apócrifo” vem do grego apokrupha que significa “coisas ocultas”. Porém com o decorrer do tempo foi adquirindo o significado de “espúrio” e “não-puro”. Os livros apócrifos estão inseridos no Velho Testamento fazendo que o Velho Testamento deles tenham 46 livros enquanto o nosso têm 39 livros. Os apócrifos são: Tobias, Judite, Sabedoria, Eclesiástico, Baruque, 1º e 2º de Macabeus, seis capítulos e dez versículos acrescentados no livro de Ester e dois capítulos de Daniel. Foi no Concílio de Trento em 15 de abril de 1546, em sua quarta sessão que a Igreja Católica declarou estes livros sagrados.
    Quero dar quatro razões para não aceitarmos esses livros como inspirados por Deus.

    1ª) Esses livros não estão no cânon hebraico. A palavra “cânon” significa literalmente “cana” ou “vara de medir”. Esta palavra, com o tempo, passou a classificar os livros que são considerados genuínos e inspirados por Deus. Sendo assim os hebreus consideram os livros apócrifos como não inspirados por Deus.

    2ª) Não há no Novo Testamento nenhuma citação desses livros. Jesus e os apóstolos não citaram uma vez sequer um trecho incluído nesses livros. Assim mostrando que não eram considerados genuínos por Cristo ou pelos apóstolos.

    3ª) Doutrinas contrárias as escrituras são baseadas nesses livros, tais como: a intercessão pelos mortos, a intercessão dos santos, a salvação pelas obras, etc.

    4ª) Os católicos não foram unânimes quanto a inspiração divina nesses livros. No Concílio de Trento houve luta corporal quando este assunto foi tratado. Lorraine Boetner (in Catolicismo Romano) cita o seguinte: “O papa Gregório, o grande, declarou que primeiro Macabeus, um livro apócrifo, não é canônico. O cardeal Ximenes, em sua Bíblia poliglota, exatamente antes do Concílio de Trento, exclui os apócrifos e sua obra foi aprovada pelo papa Leão X. Será que estes papas se enganaram? Se eles estavam certos, a decisão do Concílio de Trento estava errada. Se eles estavam errados, onde fica a infalibilidade do papa como mestre da doutrina?”
    Voltar Salvação
    Como o Catolicismo Romano vê a salvação? Adolfo Robleto (in: O Catolicismo Romano) destaca: “Na Igreja Católica, no entanto, o tema da salvação não ocupa um lugar proeminente. Os esforços se encaminham para o sentido de que o povo católico, não falte à igreja e faça obras de caridade.” Segundo o catolicismo a salvação é adquirida de três formas básicas: 1ª) graça de Deus, 2ª) fé e obras e 3ª) a igreja e seus sacramentos.

    1ª) Graça de Deus – A palavra graça significa favor imerecido e gratuito. É algo concedido por Deus de forma gratuita sem qualquer mérito humano. “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus. Não vem das obras para que ninguém se glorie.” (Ef 2.8 e 9). Por sua vez, a Igreja Católica não vê a graça como um favor gratuito e imerecido. O fiel para receber a graça de Deus precisa ser ligado a Igreja Católica e participar dos sacramentos, sendo só desta forma que Ele pode receber a graça de Deus. Caso não receba a graça, o fiel não poderá ser salvo. Mas as Escrituras deixam bem claro que sendo a salvação pela graça, não pode ser ao mesmo tempo pelas obras. “E se é pela graça, já não é pelas obras; do contrário, a graça já não é graça.” (Rm 11.6).

    2ª) Fé e obras – Segundo o catolicismo a fé em Cristo não é suficiente para se adquirir a salvação. É necessário também realizar caridades, esmolas e participar dos sacramentos. No Concílio de Trento (1546-1563) saiu o seguinte decreto: “Se alguém disser que a fé é justificadora não é nada mais que confiança na misericórdia divina que cancela o pecado em nome de Cristo somente; ou que esta confiança sozinha basta para sermos justificados, que seja anátema.” O catolicismo chama de maldito aquele que crê que a fé em Cristo sozinha é suficiente para justificá-lo diante de Deus. Mas nas Escrituras está escrito: “Sendo pois justificados pela fé, tenhamos paz com Deus por nosso Senhor Jesus Cristo.” Cristo pouco antes de morrer na cruz disse: “…está tudo consumado”. Mostrando assim que o homem não precisaria fazer mais nada para adquirir a salvação. Pois Ele “veio buscar e salvar o que se havia perdido” (Lc 19.10).
    A salvação não pode ser comprada pelas obras humanas. “Ou quem lhe deu primeiro a Ele, para que seja recompensado?” (Rm 11.35). Quem crê na salvação pela fé em obras está dizendo que Cristo morreu em vão (Gl 2.21).
    Adolfo Robleto escreveu: Qual é então a relação entre a fé e as obras? É a seguinte: a fé é a raiz; as obras são o fruto. A fé nos justifica para com Deus; as obras evidenciam essa fé diante dos homens. Deus vê o coração; os homens vêem as obras da fé no viver. Fazemos boas obras depois que cremos que somos salvos, e não antes da fé para sermos salvos. Em conclusão: as obras não produzem a salvação, mas, sim, são um resultado um resultado dela.” Veja Ef 2.10.

    3ª) A igreja e seus sacramentos – No catecismo de 1994 está escrito: “Toda salvação vem de Cristo–cabeça, através da igreja, a qual é o seu corpo; apoiado na Sagrada Escritura e na tradição (o Concílio) ensina que esta igreja, agora peregrina na terra, é necessária a salvação… por isso não podem salvar-se, aqueles que, sabendo que a igreja católica foi fundada por Deus através de Jesus Cristo, como instituição necessária, apesar disso não quiserem entrar nela ou perseverar.”
    Nas Escrituras não há nenhuma indicação que alguém deve entrar numa igreja para obter salvação. A salvação só é por meio de Cristo (At 4.12; Jo 3.36; Jo 5.24; Jo 20.31; At 10.43; I Ts 5.9 etc.). Depois de salvo o cristão deve se ligar a uma igreja realmente cristã para ter comunhão com seus irmãos em Cristo (Hb 10.25, I Jo 1.5-7 e I Jo 4.20 e 21).
    A palavra sacramento vem do latim sacramentum que antigamente tinha dois significados básicos:

    1.º) Algo que era separado para um propósito sagrado

    2.º) Era um juramento que o soldado fazia ao Imperador de Roma ao ingressar no exército. No século V, Agostinho começou a elaborar as doutrinas dos sacramentos, que ele definiu como “a forma visível de um graça invisível” (signum visible de gratia invisible). Só no ano de 1439, no Concílio de Florença, foi que os sete sacramentos foram oficializados pelo catolicismo. Sendo os sete sacramentos: batismo, crisma ou confirmação, penitência, eucaristia ou missa, matrimônio, unção de enfermos ou extrema-unção e santas ordens. Segundo o catecismo de 1994, “a Igreja afirma que para os crentes os sacramentos da nova aliança são necessários à salvação.” Os sete sacramentos são nada menos que uma séria de boas obras que os católicos crêem que precisam fazer para alcançar a salvação. Mas em Rm 3.20 está escrito: “Por isso nenhuma carne será justificada diante Dele pelas obras…”
    Ao criar esta doutrina o catolicismo forma uma espécie de salvação sacerdotal, pois os sacramentos só podem ser ministrados pelos “sacerdotes” católicos. Transformando os sacerdotes católicos em mediadores entre Deus e os homens. O que é uma tremenda heresia: “Porque há um só Deus, e um só mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem.” Analisaremos brevemente cada sacramento.

    Batismo

    Os católicos crêem que o batismo é necessário a salvação, que sem o batismo a pessoa está condenada ao inferno. No concílio de Trento foi decretado: “As crianças se não forem regeneradas para Deus através da graça do batismo, quer seus pais sejam cristãos ou infiéis, nascem para miséria e perdição eternas.” Quão terrível é esta doutrina! Já nós, evangélicos, cremos que estando a criança na fase da inocência vindo falecer esta irá para o céu. “Por que dos tais é o reino dos céus.” (Mt 19.14). O batismo é para quem crê. Enquanto a criança não tiver como decidir sobre a sua fé em Cristo, esta não pode ser batizada. A afirmação que o batismo salva é totalmente equivocada. O batismo é para os salvos e só a ausência de fé em Cristo é que condena. “Quem crer e for batizado será salvo, quem não crê será condenado.” (Mc 16.16)

    Crisma ou Confirmação

    Segundo eles, é um ato de aprofundamento em Cristo para todos aqueles que já foram batizados. No catecismo de 1994 está escrito: “a confirmação aperfeiçoa a graça batismal; é o sacramento que dá o Espírito Santo para enraizar-nos mais profundamente na filiação divina; incorporar-nos mais firmemente a Cristo, tornar mais sólida a nossa vinculação com a Igreja…” Preste atenção! Segundo eles, este sacramento concede o Espírito Santo. Por isto no crisma o bispo impõe suas mãos sobre a cabeça da pessoa com o propósito de transmitir o Espírito Santo. Não existem nenhum ritual, nas Escrituras, que aprofunde alguém espiritualmente. A filiação divina não é aprofundada por um ritual mas é conseguida plenamente no momento em que se crê em Cristo. É o que está escrito em João 1.12: “Mas a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus; aos que crêem no Seu nome.” E é neste momento que recebemos o Espírito Santo. “Pois todos nós fomos batizados em um Espírito formando um corpo, quer judeus, quer gregos, quer servos, quer livres e todos temos bebidos de um Espírito.”

    Penitência

    Segundo o catolicismo é a maneira de remover a penalidade dos pecados cometidos depois do batismo e crisma. O padre depois de ouvir a confissão dos pecados recomenda aos fiéis penitências como: orações, ofertas, ajuda ao próximo ou algum tipo de privação. No catecismo de 1994 está escrito: “A absolvição tira o pecado, mas não remedia todas as desordens que ele causou. Liberto do pecado, o pecador deve ainda recobrar a plena saúde espiritual. Deve, portanto, fazer alguma coisa mais para reparar seus pecados; deve satisfazer de modo apropriado ou expiar seus pecados. Esta satisfação chama-se também penitência.” Esta doutrina é uma verdadeira aberração. O sacrifício de cristo é único e suficiente (Hb 10.12).

    Eucaristia ou missa

    Lorraine Boetner cita o catecismo de Nova York que diz o seguinte:

    “Jesus Cristo nos deu o sacrifício na cruz da missa para que a sua Igreja tenha um sacrifício visível que prolongue o Seu sacrifício na cruz até o fim dos tempos. A missa é o mesmo sacrifício que o sacrifício da cruz. A santa comunhão é participar do corpo e do sangue de Jesus Cristo sob a aparência de pão e vinho”.
    Vemos que para os católicos a eucaristia ou missa é onde Cristo volta a ser crucificado para que os benefícios da cruz se apliquem continuamente aos seus participantes. Na epístola aos Hebreus capítulo 9 vemos Jesus sendo comparado aos sacerdotes no templo. Porém o autor mostra que Cristo é superior aos sacerdotes, sendo Ele o Sumo Sacerdote perfeito que ofereceu-se uma vez.
    Observe:

    “Nem também para si mesmo oferecer muitas vezes, como o sumo sacerdote cada ano entra no santuário com sangue alheio. Doutra maneira, necessário lhe fora padecer desde a fundação do mundo; mas agora na consumação dos séculos uma vez se manifestou, para aniquilar o pecado pelo sacrifício de si mesmo. E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez vindo depois disso o juízo, assim também Cristo, oferecendo-se uma vez para tirar os pecados de muitos…” (Hb 9.25-28).
    No versículo 12 afirma que entrou “uma vez no santuário, havendo efetuado uma eterna redenção.” A redenção é eterna então não há necessidade de rituais para que a redenção continue.
    Ensina a teologia católica a transubstanciação (alteração de substância) durante a eucaristia. Após a consagração dos elementos, pão e vinho, e a recita feita pelo padre das palavras de Cristo, “isto é o meu corpo” e “isto é o meu sangue”, o pão se transforma na carne de Cristo e o vinho no sangue de Cristo. Esquecem os católicos que Jesus Cristo, em pessoa, institui a ceia do Senhor e pronunciou as palavras: “isto é o meu corpo e o meu sangue.” Se a transubstanciação fosse verdadeira, Cristo teria comido a sua própria carne e bebido do seu próprio sangue. Isso seria impossível, pois Cristo estava em pessoa celebrando a ceia e seria um absurdo comer o próprio corpo e beber do próprio sangue. Cristo foi bem claro “fazei isto em memória de mim”. Se é “em memória” é forçoso admitir que Cristo não estava presente nos elementos: pão e vinho. (Lc 22.19 e 20).
    Paulo ao instruir sobre a ceia do Senhor chamou o pão de pão e vinho de vinho. Note bem: “Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice anunciais a morte do Senhor, até que venha” (I Co 11.26). E ainda, em algumas passagens da Bíblia vemos a ceia do Senhor sendo chamada de “o partir do pão” e não o partir do corpo (At 2. 46). Os católicos costumam usar como base bíblica para a eucaristia, as seguintes palavras de Cristo: “Porque a minha carne verdadeiramente é comida e o meu sangue verdadeiramente é bebida” (Jo 6.55). É claro que Cristo falou estas palavras no sentido figurado, ou será, que Cristo pregou o canibalismo. Mas os católicos, ainda insistem, pois Cristo falou “verdadeiramente”. Como Cristo também falou: “Eu sou a videira verdadeira e meu Pai é o lavrador.” (Jo 15.1) Cristo é uma planta? Não. Fica evidente que Ele usou o sentido figurado como usou em Jo 6.55. O capítulo 6 de João é o registro da multiplicação de pães. A multidão começou a seguir a Jesus por causa do pão terreno. Mas Cristo queria lhes oferecer o pão espiritual: “Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim não terá fome; e quem crê em mim nunca terá sede” (Jo 6.35). É claro que Jesus falou no sentido espiritual como também falou em Jo 6.55.
    Os católicos ainda crêem que ao participar da eucaristia os fiéis têm a purificação dos pecados presentes, preservação dos pecados futuros e ainda ajudam os mortos. No catecismo de 1994 está escrito: “O sacrifício eucarístico é também oferecido pelos fiéis defuntos que morreram em Cristo e não estão ainda plenamente purificados, para que possam entrar na luz e na paz de Cristo.” As Escrituras são claras ao dizer que todos os pecados são removidos através do sangue de Cristo (veja I Jo 1.7 e Ap 1.5.)

    Matrimônio

    Sem dúvida alguma, Deus institui o casamento, sendo este a primeira instituição divina, quando uniu Adão e Eva (Gn 2.23 e 24). Uma coisa é considerar o casamento uma instituição divina. Outra coisa, totalmente diferente, é considerar o casamento como sacramento (meio de graça). Os católicos crêem que quando seus “sacerdotes” realizam seus casamentos, a graça de Deus vem através dos mesmos.
    Com este tipo de pensamento, os católicos só consideram os casamentos realizados pelos seus sacerdotes. O erro de considerar o casamento como um sacramento se deu por um erro de tradução da Vulgata (versão latina das Escrituras, traduzida por Jerônimo) que traduziu Efésios 5.32 como “Este é um grande sacramento” enquanto a tradução correta é “Este é um grande mistério”. Sabemos que a Igreja Católica costuma cobrar uma taxa para realizar casamentos.

    Unção dos enfermos ou extrema unção

    Segundo o catolicismo, é um meio de conferir graças aos enfermos, anciãos e moribundos, ajudando assim no perdão dos pecados. Normalmente é ministrado pelo “sacerdote” a pessoa que está à beira da morte. O “sacerdote” unge os olhos, nariz, mãos e pés enquanto recita uma “oração especial” em latim. Este ritual visa diminuir a quantidade de pecados da pessoa devendo o restante ser “pago” pelos parentes através das missas.
    Em nenhum lugar das Escrituras vemos a recomendação para a realização desse ritual. O sangue de Cristo é suficiente para perdoar os pecados e não precisa de “óleo sagrado” para aperfeiçoar este. Na Bíblia, existe a recomendação de orar pelo enfermo com o uso do óleo (sendo o óleo apenas um símbolo do Espírito Santo) mas não para o perdão dos pecados, e sim, para cura do corpo. (Tg 5.14-16)

    Santas ordens

    Segundo o catolicismo é ato de conferir graça especial e poder espiritual aos padres, bispos, arcebispos, cardeais e papas. Fazendo destes sacerdotes, portanto, representantes de Cristo na terra. A idéia do sacerdócio é do Antigo testamento, onde os sacerdotes basicamente exerciam três funções:

    1.ª) Ofereciam sacrifícios no santuário diante de Deus em benefício do povo.

    2.ª) Ensinavam a lei de Deus.

    3.ª) Buscavam a vontade de Deus.

    O sacerdócio era uma sombra ou tipo daquele que haveria de vir – Cristo. Com a vinda de Cristo não há necessidade nenhuma de sacerdotes. Em Hb 9.11 e 12 está escrito: “Mas, vindo Cristo, o sumo sacerdote dos bens futuros, por um maior e mais perfeito tabernáculo, não feito de mãos, isto é, não desta criação, nem por sangue dos bodes e bezerros, mas por seu próprio sangue, entrou uma vez no santuário, havendo efetuado uma eterna redenção”. E em Hb 9.24 está escrito: “Porque Cristo não entrou num santuário feito por mãos de homens, figura do verdadeiro, porém no mesmo céu, para comparecer por nós perante a face de Deus.”
    O sacerdote era uma espécie de mediador dos homens diante de Deus. Hoje temos um único mediador: “Porque há um só Deus, e um só mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem.” (I Tm 2.5). Hoje cada crente pode ir a Deus através de Cristo. “Pedi e dar-se-vos-á; buscai, e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á. Porque, aquele que pede, recebe; e o que busca, encontra; e o que bate, se abre.” (Mt 7. 7 e 8). Diante dessas irrevogáveis verdades bíblicas, pasmem com que está escrito no Concílio de Trento:

    “O sacerdote é o homem de Deus, o ministro de Deus… Aquele que despreza o sacerdote despreza Deus; aquele que o ouve, ouve a Deus. O sacerdote perdoa pecados como Deus, e aquilo que ele chama de seu corpo no altar é adorado como Deus por ele mesmo e pela congregação… Está claro que a sua função é tal que não se pode conceber nenhuma maior. Portanto, eles não são simplesmente chamados de anjos, mas também de Deus, mantendo como fazer o poder e autoridade do Deus imortal em nós.”
    Pura blasfêmia! Ainda leia o que está escrito num livro romano citado por Lorraine Boettner:

    “Sem o sacerdote, a morte e a paixão de nosso Senhor não teria nenhum valor para nós. Veja o poder do sacerdote! Através de uma palavra dos seus lábios ele transforma um pedaço de pão em Deus! Um fato maior que a criação do mundo. Se eu me encontrasse com um sacerdote e um anjo, eu saudaria o sacerdote antes de saudar o anjo. O sacerdote ocupa o lugar de Deus.” Pura blasfêmia!

    Purgatório

    A doutrina do purgatório teve o seu início no Concílio de Florença (1439). Lá foi estabelecido a diferença entre o pecado cometido e a tendência inata para o pecado. Chegando-se a conclusão que o perdão (conseguido através da confissão ao sacerdote e a participação dos sacramentos) acaba com o pecado, mas não acaba com a má tendência. Há portanto, a necessidade do purgatório, um lugar intermediário entre o céu e a terra, onde os fiéis que ainda tenham alguma dívida e a má tendência para o pecado, irão sofrer no fogo do purgatório, até a purificação completa.
    O autor John M. Haffert (livro: Saturday in Purgatory) escreveu: “Não há menor dúvida que os sofrimentos do purgatório em alguns casos duram através de séculos inteiros.” Sobre o sofrimento do purgatório, o manual da sociedade do purgatório registra: “Segundo os santos padres da igreja, o fogo do purgatório não difere do fogo do inferno, exceto quanto à sua duração. É o mesmo fogo, diz S. Tomás de Aquino, que atormenta os réprobos no inferno e o justo no purgatório. A dor mais amena no purgatório, ele diz, ultrapassa os maiores sofrimentos desta vida. Nada além da duração eterna torna o fogo do inferno mais terrível do que o purgatório.” Segundo os católicos as orações e esmolas dos vivos e o “sacrifício da missa” ajudam a diminuir o tormento do purgatório. Como será que os católicos encaram a morte? Se eles pensam que depois da morte vão encarar o purgatório.
    Os teólogos tentam basear a doutrina do purgatório nos livros de Macabeus e em algumas passagens das Escrituras. Sabemos que Macabeus é um livro apócrifo e espúrio. Quanto às passagens das Escrituras, os católicos usam o fato de existir um pecado imperdoável (blasfêmia contra o Espírito Santo) e a passagem de I Co 3.15. Quando Cristo chama a blasfêmia contra o Espírito Santo de pecado imperdoável, não faz referência nenhuma ao purgatório, que segundo os católicos seria, o lugar onde este pecado seria perdoado. Pelo contrário, Jesus disse: “Não lhe será perdoado, nem neste século nem no futuro” (Mt 12.32) e “nunca obterá perdão, mas será réu do eterno juízo.” (Mc 3.29). Quanto a passagem de Coríntios, Paulo trata da questão dos galardões e não da salvação. Tanto que mesmo que as obras se queimem “o tal será salvo, todavia como pelo fogo.”
    Quero destacar três argumentos bíblicos que liquidam a doutrina do purgatório:

    1.º) A suficiência do sacrifício de Cristo

    Não há como crer na suficiência do sacrifício de Cristo e na doutrina do purgatório ao mesmo tempo. Só pode se crer em um e descartar o outro. Cristo falou: “Porque o filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido” (Lc 19.10). Ele veio salvar, não se tem nenhuma necessidade do purgatório para aperfeiçoar a salvação que Cristo trouxe. Paulo escreveu: “Esta é uma palavra fiel, e digna de toda a aceitação, que Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais eu sou o principal.” (I Tm 1.15). Cristo na cruz disse: “Está tudo consumado”, mostrando assim que cumpriu a sua missão.

    2.º) Nenhuma condenação há para os que estão em Cristo (Rm 8.1 e Jo 3.18).

    3.º) É na presente vida que a salvação ou a condenação é definida (Hb 9.27).

    Observamos que o catolicismo não fica satisfeito com nada. Não crê que o sacrifício de Cristo foi o suficiente para a nossa salvação, nem fica satisfeito com a sua própria mirabolante doutrina dos sacramentos. Para eles há necessidade do purgatório, enquanto a Bíblia é bem mais simples afirmando que Cristo satisfez a justiça divina (Rm 3.21-26), não havendo necessidade de mais nada.

    Voltar
    O Papado
    Os primeiros aspectos que quero analisar sobre o papado são os títulos que estes carregam e as reivindicações que fazem para si. A palavra “papa” vem do latim papa que significa “pai”. Cristo foi bem claro que ninguém poderia ser chamado de pai espiritual a não ser Deus: “E a ninguém na terra chameis vosso pai, porque um só é o vosso pai, o qual está nos céus. Nem vos chameis mestres, porque um só é o vosso mestre, que é o Cristo.” (Mt 23.9 e 10).
    O papa também é chamado de “doutor supremo de todos os fiéis”, o que vai contra o que Cristo ordenou, citado logo acima. São muitos títulos equivocados e arrogantes que o papa carrega em seus ombros. Estarei comentando mais alguns, tais como: “vigário de Cristo”, “sumo-pontífice” e “santo padre”.
    A palavra “vigário” quer dizer “substituto”. O papa é chamado de “vigário de Cristo”, ou seja, “substituto de Cristo”. Cristo afirmou claramente que o seu substituto na terra seria a pessoa do Espírito Santo (Jo 14.16-18, Jo 15.26 e Jo 16.7 e 13). O título “pontífice”, que quer dizer literalmente “construtor de pontes”, não veio da Bíblia mas do romanismo, onde o imperador declarava-se o elo de ligação a Deus. O papa é chamado de sumo-pontífice, ou seja, o máximo elo de ligação a Deus. É uma blasfêmia e arrogância um homem se colocar nesta posição. Só Cristo é a ponte para Deus (Jo 14.6 e I Tm 2.5) e o cabeça da Igreja (Ef 1.22 e 23 e Cl 1.18). O título “santo padre” quer dizer “santo pai”, ou obviamente “pai santo”. Sem dúvida alguma este título só deve ser dado a Deus (Ap 15.4). Pois Deus não divide a Sua glória com ninguém (Is 42.8). Para resumir as pretensões papais, quero citar o catecismo de New York citado por Lorraine Boettner:

    “O papa assume o lugar de Jesus Cristo sobre a terra… Por direito divino o papa tem poder supremo e total na fé e na moral sobre cada e todo pastor e seu rebanho. Ele é o verdadeiro vigário de Cristo, o cabeça de toda a igreja, o pai e o mestre de todos os cristãos. Ele é o governador infalível, o instituidor dos dogmas, o autor e o juiz dos concílios; o soberano universal da verdade, o árbitro do mundo, o supremo juiz do céu e da terra, o juiz de todos, sendo julgado apenas por um, o próprio Deus na terra.”
    No apogeu do papado, foi “consagrado” ao papado o monge Hildebrando que exerceu o papado no período de 1073 a 1075 como título de Gregório VII. Assim que assumiu, Gregório VII publicou as suas máximas que ficaram sendo conhecidas como “máximas de Hildebrando”. Segundo o autor Abraão de Almeida (in: Lições da História) essas máximas são consideradas a essência do papado. Este mesmo autor citas as máximas das quais transcrevi algumas:
    Nenhuma pessoa pode viver debaixo do mesmo teto com outra excomungada pelo papa. É o papa a única pessoa cujo os pés devem ser beijados por príncipes e soberanos. A sua decisão não pode ser contestada por ninguém e que somente ele pode revisar. A Igreja Romana nunca errou nem jamais errará, como as Escrituras testifica (Leia Obadias nos versículos 3 e 4).

    Pedro como o primeiro papa

    Vimos os títulos equivocados e arrogantes que o papa carrega sobre si. Agora veremos que a própria existência do papado é uma deturpação das Escrituras. É impossível abordar este assunto sem falar a respeito do trecho bíblico em que os católicos se baseiam para firmar a doutrina do papado: “Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja” (Mt. 16.13-20). Os católicos pegam esta afirmação de Cristo para afirmar que Pedro é a pedra ou rocha em que Cristo fundamentou a sua igreja, sendo assim o primeiro papa da igreja. Quando Cristo falou “…esta pedra…” não estava se referindo a Pedro, mas sim à anterior declaração de Pedro a respeito de Jesus – “Tu és o Cristo, O Filho do Deus vivo”. Cristo é a pedra fundamental da igreja. Paulo afirmou: “Porque ninguém pode pôr outro fundamento, além do que já esta posto, o qual é Jesus Cristo.” (I Co 3.11). No grego, a palavra Pedro é petros, do gênero masculino, enquanto pedra ou rocha é petra, do gênero feminino. O que Cristo disse: “Tu és Petros (masculino), e sobre esta petra (feminino) eu edificarei a minha igreja.”
    Mostra-se assim que Cristo não estava falando de Pedro como a pedra ou rocha, mas sim a respeito da declaração de Pedro – “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo.” Se Pedro fosse a rocha, Cristo teria dito: “sobre ti edificarei a minha igreja”, mas não disse. É interessante observar que na narrativa de Marcos a frase de Cristo: “Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja”, é omitida (Mc 8.27-30). Marcos por muito tempo foi companheiro de Pedro e no seu evangelho há uma profunda influência do mesmo. Pedro chamava Marcos de filho (I Pe 5.13). Pedro em nenhum momento disse de si mesmo como a rocha ou pedra da igreja. Pelo contrário, sempre mostrou a Cristo como a pedra: “Ele é a pedra que foi rejeitada por vós, os edificadores, a qual foi posto como cabeça de esquina” (At 4.11). Veja também I Pe 2.4-8.
    Há também a afirmação católica que Pedro teria recebido as chaves do céu. É outra deturpação das Escrituras, baseada em Mateus 16.19: “Eu te darei as chaves do reino dos céus; e tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus.” Não podemos entender a declaração de Cristo como se esta fosse somente dirigida a Pedro, mas esta é dirigida a toda igreja. Veja Mateus 18.15 a 18. Fica então patente aos nossos olhos que o ligar e desligar não refere-se apenas a um homem, mas à toda igreja, que têm a Cristo como cabeça , “…o que tem a chave de Davi; o que abre, e ninguém fecha; e fecha, e ninguém abre” (Ap 3.7). O que seria abrir e fechar ou ligar e desligar que Cristo fala que a igreja realizaria com respeito as pessoas? O que se segue: quando a igreja prega o evangelho, abre o reino; quando deixa de pregar, o fecha. Isto fica bem claro quando observamos o “ai” de Cristo a respeito dos fariseus. “Mais ai de vós escribas e fariseus, hipócritas! Pois que fechais aos homens o reino dos céus; e nem vós entrais nem deixais entrar aos que estão entrando.” (Mt 23.13). Porque os fariseus fechavam o reino? Por não divulgarem corretamente as Escrituras, o Antigo Testamento, naquela época. Veja: “ai de vós, doutores da lei, que tiraste a chave da ciência; vós mesmos não entrastes, e impedistes os que entravam.” (Lc 11.52). Assim observamos que quando a igreja prega o evangelho genuíno esta abre o reino dos céus, quando não, fecha o reino.
    Ao analisarmos o trecho bíblico de Mt 16.13-20, devemos partir para a análise da afirmação católica que Pedro foi o primeiro papa. Se ele realmente foi o primeiro papa, o foi de maneira totalmente diferente dos padrões papais. Há um abismo enorme entre Pedro e os seus pretensos sucessores. A verdade é que Pedro não foi o primeiro papa e a ordenação de um dirigente humano universal para a igreja está totalmente contrária às Escrituras.
    Jorge Buarque Lyra (in: Catolicismo Romano) argumentou muito bem: “Poderia, acaso, de alguma forma, um homem ser fundamento de uma obra divina? Se pudesse (admitindo-se o absurdo), tal obra deixaria de ser divina.”
    Vejamos as seguintes características de Pedro:

    1.ª) Pedro não era celibatário. Tanto que teve sogra curada por Cristo (Mc 1.29-31). O papa é celibatário, sendo o celibato uma imposição a todo o clero. Em I Timóteo está escrito: “Mas o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e doutrinas de demônios; …proibindo o casamento.”

    2.ª) Pedro era pobre. “E disse Pedro: Não tenho prata nem ouro…” (At 3.6). O papa está cercado de riquezas.

    3.ª) Pedro nunca esteve em Roma. Não é interessante observar que o chefe da igreja de Roma nunca esteve em Roma? Os católicos lançam mão de fontes extra-bíblicas para afirmar que Pedro esteve em Roma.

    4.ª) Pedro nunca consentiu que ninguém se ajoelhasse a seus pés. “E aconteceu que, entrando Pedro, saiu Cornélio a recebê-lo, e, prostrando-se a seus pés, o adorou. Mas Pedro o levantou, dizendo: Levanta-te, que eu também sou homem.” (At 10.25 e 26). O papa constantemente recebe este tipo de reverência e adoração.

    5.ª) Pedro não era infalível. “E, chegando Pedro a Antioquia, lhe resisti na cara, porque era repreensível. Porque antes que alguns tivessem chegado da parte de Tiago, comia com os gentios; mas, depois que chegaram, se foi retirando, e se apartando deles, temendo os que eram da circuncisão.” (Gl 2.11 e 12). O papa é considerado infalível. A infalibilidade papal foi definida e aceita oficialmente em 1870 no Concílio do Vaticano I. A Igreja Católica demorou 1870 anos para considerar o papa infalível. É importante observar que não foi Deus que decidiu mas foram homens pecadores reunidos que chegaram a conclusão que o papa era infalível. Na Bíblia está escrito: “porque todos pecaram e destituídos da glória de Deus” (Rm 3.23) e ainda está escrito que quando dizemos que não temos pecado fazemos a Deus mentiroso. Veja: “Se dissermos que não pecamos fazemo-lo mentiroso, e a Sua palavra não está em nós.” (I Jo 1.10).

    6.ª) Pedro não tinha a primazia na igreja. Observe o que Pedro escreveu: “Aos presbíteros, que estão entre vós, que sou também presbítero como eles e testemunha das aflições de Cristo…” (I Pe 5.1). Em At 8.14 está escrito: “Os apóstolos, pois, que estavam em Jerusalém, ouvindo que Samaria recebera a Palavra de Deus, enviaram para lá Pedro e João.” Note bem: não foi Pedro que enviou alguns dos apóstolos, mas foram os apóstolos que lhe enviaram. Onde está a primazia de Pedro? Em At 11.1-18 vemos Pedro justificando-se perante a igreja. Quero destacar principalmente o versículo 2: “E subindo Pedro a Jerusalém, disputavam com ele os que eram da circuncisão.” Enquanto que a igreja Católica afirma que as decisões do papa não podem ser questionadas.

  153. diego disse:

    Engraçado você colocar todo esse texto, vou falar para todos novamente, sua colocação de um texto tão grande reunindo todas mentiras contra a igreja católica, vou ti falar uma coisa só “le”:

    Veja o que Lutero escreveu a respeito de nossa senhora, lembrando Lutero é o cara de pau que vocês começaram a seguir no século XV:

    veis um trecho de que Lutero escreveu:

    ”Quem são todas as mulheres, servos, senhores, príncipes, reis, monarcas da Terra comparados com a Virgem Maria que, nascida de descendência real (descendente do rei Davi) é, além disso, Mãe de Deus, a mulher mais sublime da Terra? Ela é, na cristandade inteira, o mais nobre tesouro depois de Cristo, a quem nunca poderemos exaltar bastante (nunca poderemos exaltar o suficiente), a mais nobre imperatriz e rainha, exaltada e bendita acima de toda a nobreza, com sabedoria e santidade.”
    (Martinho Lutero, ”Comentário do Magnificat”, cf. escritora evangélica M. Basilea Schlink, revista ”Jesus vive e é o Senhor”).

    veja outro aqui irmão:

    ”Por justiça teria sido necessário encomendar-lhe [para Maria] um carro de ouro e conduzi-la com quatro mil cavalos, tocando a trombeta diante da carruagem, anunciando: ‘Aqui viaja a mulher bendita entre todas as mulheres, a soberana de todo o gênero humano’. Mas tudo isso foi silenciado; a pobre jovenzinha segue a pé, por um caminho tão longo e, apesar disso, é de fato a Mãe de Deus. Por isso não nos deveríamos admirar, se todos os montes tivessem pulado e dançado de alegria.” (Martinho Lutero – Comentário do Magníficat).

  154. diego disse:

    Agora veja a mentalidade frágil de vocês protestantes:

    Você colocou acima que ao Jesus dar as chaves do reino do céu para Pedro ele tava se referindo a toda igreja?

    Kkkkkkkkkkkkkkkk
    Kkkkkkkkkkkkkk
    Kkkkkkkkkkkkkk

    Que contestação frágil essa irmão, leia com atenção o que significa essas palavras e com as escrituras, pois eu te repito só imponho fatos verídicos pela escritura não de que alguém me diz alguma coisa e eu saio falando igual você colocou acima, que incompetência de quem te passou isso “le”.

    Veja:

  155. diego disse:

    Em Isaias no antigo testamento meu querido se elegia um chefe que comandaria os exércitos, e se dava às chaves que se usaria nos ombros em sinal de autoridade e respeito então irmão “le”, Jesus diz essa passagem bíblica que tem em Isaias claramente, não tem nem o que contestar cara, pois Jesus disse claramente e verbalmente essa passagem em Isaias, mais uma vez você foi enganado cara, e a cada dia e postagem eu te desminto com a própria escritura cara.
    aonde esta a sua cara agora “le”?
    Você foi enrolado discaradamente e com nenhum estudo, só palavras de pastores mau intencionados.
    Rsrsrsrsrsrsrsrsrskkkkkkkkkk
    Kkkkkkkkkkkkkkkkrsrsrsrsrsrr
    Rsrsrsrsrsrsrsrrs
    Kkkkkkkkkkk
    Rsrsrsrsrrsrs
    kkkkkkk

    Veja isso eu já tinha explicado anteriormente, quando eu falavo da edificação da igreja católica mais você não quis ler, e sim confiar em um pastor…..
    rsrsrsrsrsrsr

    veja um trecho:

    inclusive com o dom das chaves do reino, mas não mina a sua autoridade. Isto seria contrariar o contexto. Jesus coloca Pedro como uma forma de comandante ou primeiro ministro abaixo do Rei dos Reis, dando-lhe as chaves do Reino. Como em Is 22,22, os reis, no AT, apontavam um comandante para os servir em posição de grande autoridade, para governar sobre os habitantes do reino. Jesus cita quase que verbalmente esta passagem de Isaías, o que torna claríssimo aquilo que Ele tinha em mente. Ele elevou Pedro como a figura de um pai na família dos cristãos (Is 22,21), para guiar o rebanho (Jo 21,15-17). Esta autoridade era passada de um homem para outro através dos tempos pela entrega das chaves, que se usavam sobre os ombros em sinal de autoridade. Da mesma forma, a autoridade de Pedro foi transmitida, nestes dois mil anos, através do papado.

    Kkkkkkkkkkkk.

  156. diego disse:

    veja aqui a carta do bispo de esmirna, “inacio de esmirna”, nosso bispo de esmirna e carta essa destinada a igreja em roma:

    CARTA DE SANTO INÁCIO DE ANTIOQUIA AOS ROMANOS

    Por Santo Inácio de Antioquia

    Tradução: Ivo Storniolo, Euclides M. Balancin

    Fonte: Padres Apostólicos, Volume I, Coleção Patrística. Ed. Paulus

    Saudação

    Inácio, também chamado Teóforo, à Igreja que recebeu a misericórdia, por meio da magnificência do Pai Altíssimo e de Jesus Cristo, seu Filho único; à Igreja amada e iluminada pela bonbade daquele que quis todas as coisas que existem, segundo fé e amor dela por Jesus Cristo, nosso Deus; à Igreja que preside na região dos romanos, digna de Deus, digna de honra, digna de ser chamada feliz, digna de louvor, digna de sucesso, digna de pureza, que preside o amor, que porta a lei de Cristo, que porta o nome do Pai; eu a saúdo em nome de Jesus Cristo, o Filho do Pai a. Àqueles que física e espiritualmente estão unidos a todos os seus mandamentos, inabalavelmente repletos da graça de Deus, pufificados de toda coloração estranha, eu lhes desejo alegria pura em Jesus Cristo, nosso Deus.

    Ver a comunidade e ir a Deus

    1. 1Depois de rezar a Deus, obtive dele ver vossos rostos santos, pois eu tinha pedido insistentemente receber esse favor. Acorrentado em Jesus Cristo, espero saudar-vos, se é vontade de Deus que eu seja encontrado digno de ir até o fim. 2Com efeito, o começo é fácil, mas eu queria obter a graça de receber, sem obstáculo, a minha herança. Receio porém, que o vosso amor me faça mal. De fato, para vós, é fácil fazer o que quereis; para mim, porém, é difícil alcançar a Deus, se não me poupardes.

    Não impedir o martírio

    2. 1Não desejo que agradeis aos homens, mas que agradeis a Deus, como de fato o fazeis. Eu não teria outra ocasião como esta de alcançar a Deus, e vós, se ficásseis calados, poderíeis assinar obra melhor. Se guardásseis o silêncio a meu respeito, eu me tornaria pertencente a Deus. Se amais minha carne, porém, ser-me-à preciso novamente correr. 2Não desejeis nada para mim, senão ser oferecido em libação a Deus, enquanto ainda existe altar preparado, a fim de que, reunidos em coro no amor, canteis ao Pai, por meio de Jesus Cristo, por Deus se ter dignado fazer com que o bispo da Síria se encontrasse aqui, fazendo-o vir do Oriente para o Ocidente. É bom deitar-se, longe do mundo, em direção a Deus, para depois se levantar.

    Ser cristão de fato

    3. 1Nunca tiveste inveja de ninguém; ensinastes a outros. Quanto a mim, quero que permaneça firme o que ensinastes. 2Para mim peçam apenas a força interior e exterior, para que eu não só fale, mas também queira; para que eu não só me diga cristão, mas de fato seja encontrado como tal. Se eu de fato sou, poderei também ser chamado como tal, e ser verdadeiramente fiel, quando não for mais visível para o mundo. 3Nada do que é visível é bom. De fato, nosso Deus Jesus Cristo, estando agora com seu Pai, torna-se manifesto ainda mais. O cristianismo, ao ser odiado pelo mundo, mostra que não é obra de persuasão, mas de grandeza.

    Sou trigo de Deus

    4. 1Escrevo a todas as Igrejas e anuncio a todos que, de boa vontade, morro por Deus, caso vós não me impeçais de o fazer. Eu vos suplico que não tenhais benevolência inoportuna por mim. Deixai que eu seja pasto das feras, por meio das quais me é concedido alcançar a Deus. Sou trigo de Deus, e serei moído pelos dentes das feras, para que me apresente como trigo puro de Cristo. 2Ao contrário, acariciai s feras, para que se tornem minha sepultura, e não deixem nada do meu corpo, para que, depois de morto, eu não pese ninguém. Então serei verdadeiramente discípulo de Jesus Cristo, quando o mundo não vir mais meu corpo. Suplicai a Cristo por mim, para que eu, com eses meios, seja vítima oferecida a Deus. 3Não vos dou ordens como Pedro e Paulo; eles eram apóstolos, eu sou um condenado. Eles eram livres, e eu até agora sou um escravo. Contudo, se eu sofro, serei um liberto de Jesus Cristo, e ressurgirei nele como pessoa livre. Acorrentado, aprendo agora a não desejar nada.

    5. 1Desde a Síria até Roma, luto contra as feras, por terra e por mar, de noite e de dia, acorrentado a dez leopardos, a um destacamento de soldados; quando se lhes faz bem, tornam-se piores ainda. Todavia, por seus maus tratos, eu me torno discípulo melhor, mas “nem por isso sou justificado”.

    2Possa eu alegrar-me com as feras que me estão sendo preparadas. Desejo que elas sejam rápidas comigo. Acariciá-las-ei, para que elas me devorem logo, e não tenham medo, como tivem de alguns e não ousaram tocá-los. Se, por má vontade, elas se recusarem, eu as forçarei. Perdoai-me; sei o que me convém. 3Agora estou começando a me tornar discípulo. Que nada de visível e invisível, por inveja, me impeça de alcançar Jesus Cristo. Fogo e cruz, manadas de feras, lacerações desmembros, trituração de todo o corpo, que os piores flagelos do diabo caiam sobre mim, com a única condição de que eu alcançe Jesus Cristo.

    Imitar a paixão Cristo

    6. 1Para nada me serviram os encantos do mundo, nem os reinos deste século. Para mim, é melhor morrer para Cristo Jesus do que ser rei até os confins da terra. Procuro aquele que morreu por nós; quero aquele que por nós ressuscitou. Meu parto se aproxima. 2Perdoai-me, irmãos. Não me impeçais de viver, não queirais que eu morra. Não me abandoneis ao mundo, não seduzais com a matéria quem quer pertencer a Deus. Deixai-me receber a luz pura; quando tiver chegado lá, serei homem. 3Deixai que seja imitador da paixão do meu Deus. Se alguém tem Deus em si mesmo, compreenda o que quero e tenha compaixão de mim, conhecendo aquilo que me oprime.

    7. 1O príncipe deste mundo quer arrebatar-me e corromper o meu pensamento dirigido a Deus. Que ninguém dos que aí estão presentes o ajude. Antes, colocai-vos do meu lado, isto é, do lado de Deus. Não tenhais Jesus Cristo na boca, desejando, ao mesmo tempo, o mundo. Que a inveja não habite em vosso meio. 2Mesmo se eu estiver jundo de vós e vos implorar, não vos deixeis persuadir. Persuada-vos aquilo que vos escrevo. É vivo que eu vos escrevo, mas com anseio de morrer. Meu desejo terrestre foi crucificado, e não há mais em mim fogo para amar a matéria. Dentro de mim, há uma água viva, que murmura e diz: “Vem para o Pai.” 3Não sinto prazer pela comida corruptível, nem me atraem os prazeres desta vida. Desejo o pão de Deus, que é a carne de Jesus Cristo, da linhagem de Davi, e por bebida o sangue dele, que é o amor incorruptível.

    O amor crucificado

    8. 1Não quero mais viver conforme os homens. Se quiserdes, assim o será. Desejai isso, para que também vós possais ser amados por Deus. Eu vo-lo peço em poucas palavas: 2Crede em mim. Jesus Cristo vos manifestará que estou falando sinceramente. Ele é a boca que não mente, pela qual o Pai verdadeiramente falou. 3Rogai por mim, para que eu alcance a meta. Não vos escrevi segundo a carne, mas conforme o pensamento de Deus. Se eu sofrer, vós me tereis amado; se eu for recusado, vós me tereis odiado.

    Recomendações

    9. 1Em vossa oração, lembrai-vos da Igreja da Síria que, em meu lugar, tem Deus por pastor. Somente Jesus Cristo e o vosso amor serão nela o bispo. 2De minha parte, sinto-me envergonhado de se contado entre seus fiéis. Não sou digno disso, pois sou o último entre eles, e um abortivo. Contudo, se eu alcançar a Deus, terei recebido a misericórdia de ser alguém. 3Meu espírito vos saúda, bem como o amor das Igrejas que me receberam em nome de Jesus Cristo, e não como simples viajante. Embora não as tenha encontrado fisicamente em meu caminho, elas me precederam de cidade em cidade.

    10. 1De Esmirna, eu vos escrevo essas coisas, por meio de efésios dignos de serem chamados felizes. Entre muitos outros, está comigo Croco, nome que me é caro. 2Creio que conheceis os que foram à minha frente da Síria até Roma, para a glória de Deus. Avisai-os que estou perto. Todos eles são dignos de Deus e de vós, e é bom que os reconforteis em todas as coisas.

    2Eu vos escrevo nove dias antes das calendas de setembrob. Passai bem até o fim, perseverando em Jesus Cristo.

    aForte testemunho do Primado da Igreja de Roma sobre as demais.

    bÉ a única carta de Inácio, datada. Estes “nove dias das Calendas de setembro” correspondem a 24 de agosto.

    seu martirio é conhecido no ano 110, então “le”, mais uma comprovação de que a igreja católica ja existia.

  157. diego disse:

    Só uma colocação “le”, entre o ano 96 e 104 o apostolo João concluiu o quarto evangelho, então eu te pergunto:

    por que João não contestou essa igreja que nós católicos seguimos até hoje sendo que ele viveu ainda na época desses bispos?

    Simples, por que ele fazia parte dessa igreja meu amigo.

    Inclusive, ele elegeu policarpo bispo de esmirna.

    Obs:
    Desculpa por eu ter colocado Inácio de esmirna foi um erro de digitação meu: Inácio foi bispo de Antioquia e policarpo bispo de esmirna, erro corrigido peço mais uma vez desculpas pelo meu erro de digitação.

  158. diego disse:

    “le”, são muitas contestações sem fundamentos meu amigo, você ta demonstrando que não sabe nada cara, muito vago o seu entendimento meu amigo, mesmo eu sabendo que não são palavras suas, mais sim copiadas de algum lugar e exposta aqui sem estudo e muito menos compreendimento.

    Até quando você vai querer enrolar as pessoas sem ter algum fundamento bíblico?

    Não vou te perguntar a sua religião, já que inciste em esconder ela já que tem vergonha dela, mais vou te perguntar o seguinte:

    Você ta querendo ser um pastor cara?

    Tem algum irmão que quer ser pastor?

    Tem algum primo que quer ser pastor?

    Por que estou achando que sim, acho que você esta tentando se esconder atrás de um salário de pastor, é a única conclusão que eu estou chegando.

    E se for isso meu amigo, com você é perdido debater mesmo você e todos vendo as mentiras que você esta colocando aqui e mesmo eu mostrando a verdade pelas escrituras.

    Sempre escrituras, com razão, fundamento e verdade acima de tudo.

  159. diego disse:

    respostas das calunias que os protestantes colocam contra a igreja católica.

    O diálogo a seguir ilustra muito bem um debate entre um católico e um protestante quando este argumenta que a “Pedra” citada por Jesus em Mt 16,18 jamais poderia referir-se a Pedro, mas sim ao próprio Jesus, uma vez que as Sagradas Escrituras em muitas passagens identifica Jesus como a “rocha”, a “pedra angular”.

    Antes de apresentar o diálogo, a Barca de Jesus observa que embora na maioria das passagens bíblicas “pedra” ou “rocha” realmente se refira a Jesus, existem exceções. O próprio Jesus que disse ser a “Luz do Mundo” (Jo 8,12) disse aos apóstolos que também eles deveriam ser “Luz do Mundo” (Mt 5,13). Além da passagem de Mt 16,18 onde a “pedra” referida não se trata de Jesus, como veremos claramente no diálogo abaixo, temos também, por exemplo, Is 51,1-2 (a “pedra” é Abraão) e 1Pd 2, 4-5 (”pedras vivas” é Jesus e também são os cristãos).

    O fato de Jesus aplicar a Pedro uma figura que a Bíblia exaustivamente aplica a Jesus, bem mostra a intenção de Jesus em fazer de Pedro um representante de Cristo na terra. O que, por sinal, Ele confirmou explicitamente ao dar autoridade a Pedro não apenas de ligar e desligar na terra, mas também no Céu. Vamos, então, ao diálogo:

    Protestante:

    Em grego, a palavra para pedra é petra, que significa uma rocha grande e maciça. A palavra usada como nome para Simão, por sua vez, é petros, que significa uma pedra pequena, uma pedrinha.

    Católico:

    Na verdade, todo este discurso é falso. Como sabem os conhecedores de grego (mesmo os não católicos), as palavras petros e petra eram sinônimos no grego do primeiro século. Elas significaram “pequena pedra” e “grande rocha” em uma velha poesia grega, séculos antes da vinda de Cristo, mas esta distinção já havia desaparecido no tempo em que o Evangelho de São Mateus foi traduzido para o grego. A diferença de significados existe, apenas, no grego ático, mas o NT foi escrito em grego Koiné – um dialeto totalmente diferente. E, no grego koiné, tanto petros quanto petra significam “rocha”. Se Jesus quisesse chamar Simão de “pedrinha”, usaria o termo lithos. (para a admissão deste fato por um estudioso protestante, veja D. Carson, The expositors Bible Commentary [Grand Rapids: Zondervan, 1984], Frank E. Gaebelein, ed., 8: 368).

    Porém, ignorando a explicação, insiste o protestante:

    Vocês, católicos, por desconhecerem o grego, pensam que Jesus comparava Pedro à rocha. Na verdade, é justamente o contrário. Ele os contrastava. De um lado, a rocha sobre a qual a Igreja seria construída: o próprio Jesus (”e sobre esta PETRA edificarei a Minha Igreja”). De outro, esta mera pedrinha (”Simão tu és PETROS”). Jesus queria dizer que ele mesmo seria o fundamento da Igreja, e que Simão não estava sequer remotamente qualificado para isto.

    Católico:

    Concordo que devemos ir do português para o grego. Mas, com certeza, você concordará que, igualmente, devemos ir do grego para o aramaico. Como você sabe, esta foi a língua falada por Jesus, pelos apóstolos e por todos os judeus da Palestina. Era a língua corrente da região.

    Muitos, talvez a maioria, soubessem grego, pois esta era a língua franca do Mediterrâneo. A língua da cultura e do comércio. A maioria dos livros do NT foi escrita em grego, pois não visavam apenas os cristãos da Palestina, mas de outros lugares como Roma, Alexandria e Antioquia, onde o aramaico não era falado.

    Sabemos que Jesus falava aramaico devido a algumas de suas palavras que nos foram preservadas pelos Evangelhos. Veja Mt 27,46, onde ele diz na cruz, “Eli, Eli, Lama Sabachtani”. Isto não é grego, mas aramaico, e significa, “meu Deus, meu Deus, porque me abandonaste?”

    E tem mais: nas epístolas gregas de S. Paulo (por 4 vezes em Gálatas e outras 4 vezes em 1Coríntios), preservou-se a forma aramaica do novo nome de Simão. Em nossas bíblias, aparece como Cefas. Isto não é grego, mas uma transliteração do aramaico Kepha (traduzido por Kephas na forma helenística).

    E o que significa Kepha? Uma pedra grande e maciça, o mesmíssimo que petra. A palavra aramaica para uma pequena pedra ou pedrinha é evna. O que Jesus disse a Simão em Mt 16,18 foi “tu és Kepha e sobre esta kepha construirei minha igreja.”

    Quando se conhece o que Jesus disse em aramaico, percebe-se que ele comparava Simão à rocha; não os estava contrastando. Podemos ver isto, vividamente, em algumas versões modernas da bíblia em inglês, nas quais este versículo é traduzido da seguinte forma: ‘You are Rock, and upon this rock I will build my church’. Em francês, sempre se usou apenas pierre tanto para o novo nome de Simão, quanto para a rocha.

    Protestante:

    Se kepha significa petra, porque a versão grega não traz “tu és Petra e sobre esta petra edificarei a minha Igreja”? Por que, para o novo nome de Simão, Mateus usa o grego Petros que possui um significado diferente do petra?

    Católico:

    Porque não havia escolha. Grego e aramaico têm diferentes estruturas gramaticais. Em aramaico, pode-se usar kepha nas duas partes de Mt 16,18. Em grego, encontramos um problema derivado do fato de que, nesta língua, os substantivos possuem terminações diferentes para cada gênero.

    Existem substantivos femininos, masculinos e neutros. A palavra grega petra é feminina. Pode-se usá-la na segunda parte do texto sem problemas. Mas não se pode usá-la como o novo nome de Simão, porque não se pode dar, a um homem, um nome feminino. Há que se masculinizar a terminação do nome. Fazendo-o, temos Petros, palavra já existente e que também significava rocha. (Obs da Barca de Jesus: Estrutura semelhante ocorre na língua portuguesa: Pedro e pedra.)

    Por certo, é uma tradução imperfeita do aramaico; perdeu-se parte do jogo de palavras. Mas, em grego, era o melhor que poderia ser feito.

    Além da evidência gramatical, a estrutura da narração não permite uma diminuição do papel de Pedro na Igreja. Veja a forma na qual se estruturou o texto de Mt 16,15-19.

    Jesus não diz:

    “Bendito és tu, Simão. Pois não foi nem a carne nem o sangue que te revelou este mistério, mas meu Pai, que está nos céus. Por isto, eu te digo: és uma pedrinha insignificante, e sobre a rocha edificarei a minha Igreja. … Eu te darei as chaves do reino dos céus.”

    Ao contrário, Jesus abençoa Pedro triplamente, inclusive com o dom das chaves do reino, mas não mina a sua autoridade. Isto seria contrariar o contexto. Jesus coloca Pedro como uma forma de comandante ou primeiro ministro abaixo do Rei dos Reis, dando-lhe as chaves do Reino. Como em Is 22,22, os reis, no AT, apontavam um comandante para os servir em posição de grande autoridade, para governar sobre os habitantes do reino. Jesus cita quase que verbalmente esta passagem de Isaías, o que torna claríssimo aquilo que Ele tinha em mente. Ele elevou Pedro como a figura de um pai na família dos cristãos (Is 22,21), para guiar o rebanho (Jo 21,15-17). Esta autoridade era passada de um homem para outro através dos tempos pela entrega das chaves, que se usavam sobre os ombros em sinal de autoridade. Da mesma forma, a autoridade de Pedro foi transmitida, nestes dois mil anos, através do papado.

  160. diego disse:

    as mentiras da idolatria que doentes da cabeça colocam contra a igreja católica.

    VAMOS VER O QUE DIZ O CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA (Livro que ensina sobre a fé católica), VEJA:

    VENERAÇÃO E NÃO ADORAÇÃO

    971 “Toda as gerações me chamarão de Bem-Aventurada” (Lc 1, 48). A piedade da igreja com a Virgem Maria é intríseca ao culto cristão.A Virgem Maria é legitimamente honrada com culto de veneração (culto de homenagem, adoração só para Deus) pela Igreja. Com efeito, desde remotíssimos tempos, a bem-aventurada Virgem é venerada sob título de ” Mãe de Deus”, sob cuja proteção aos fiéis suplicantes(pedem intercessão, isto é, pedem pela providência Divina, não pela graça, porque Maria não santifica nada, só Deus que santifica (1tm 1, 1-4))… esse culto de homenagem… embora inteiramente singular, difere essencialmente do CULTO DE ADORAÇÃO que se presta ao Verbo Encarnado e igualmente ao Pai e ao Espírito Santo, mas o favorece, este culto encontra sua expressão nas festas litúrgicas dedicadas à Mãe de Deus e na oração mariana, tal como o Santo Rosário, ” resumo de todo Evangelho”.

    PORTANTO, PESSOAS QUE ADORAM:

    MARIA, DINHEIRO, PASTOR, PE.CÍCERO E OUTROS NÃO SÃO CRISTÃOS!!!!!

    SI VOCÊ LEVANTOU ISSO PARA PROVOCAR OS CATÓLICOS ENTÃO VOCÊ LEVANTOU FALSO TESTEMUNHO!!! É PECADO!!! VOCÊ SABIA???
    Fonte(s):
    Catecismo da Igreja Católica

  161. le disse:

    desculpe me clique e veja você mesmohttp://translate.google.com.br/translate?hl=pt-BR&langpair=en|pt&u=http://www.jesus-is-savior.com/False%25

  162. diego disse:

    Como eu disse acima “le”, onde eu coloquei a doutrina da igreja católica, onde explica sobre “veneração e idolatrar”, aquele que idolatra tanto faz de ser Maria, apostolo Pedro, padre Cícero, pastor ou dinheiro não são católicos, repito “não são católicos”, não importa quem seja idolatrar apenas: “Verbo Encarnado e igualmente ao Pai e ao Espírito Santo”, aquele que idolatra nossa santa mãe Maria, padre Cícero, ou seja lá o que for, não são cristãos católicos, e muito menos conhece o que é ser católico postolico romano, então “le”, essas pessoas que idolatram são pessoas que dizem ser católicos da boca pra fora, pois não conhecem a verdade.
    Verdade essa que eu estou aqui para mostrar, como eu disse anteriormente, doe a quem doer.

    Agora existe um porem meu amigo não devemos julgar sem ao menos saber o que se passa no coração dessas pessoas, pois devemos entender como eu disse acima que existe veneração e adoração e não devemos confundir um com o outro.

    Veja esse vídeo de um ex-pastor protestante que explica sobre a idolatria:

    Clica ai meu amigo:

    http://blog.veritatis.com.br/index.php/2009/09/07/a-idolatria-na-igreja-catolica-parte-1/

    Repito esse é um ex-pastor protestante que resolveu ir atrás da verdade, coisa que todos deveriam fazer e parar de dar ouvidos a pastores que não tem estudo algum das escrituras sagradas.

  163. le disse:

    tive a oportunidade de conhecer esse homem de Deus pessoalmente,veja você mesmo clique http://libertosdoopressor.blogspot.com/2009/08/testemunho-ex-padre-nivaldo.html

  164. diego disse:

    sabe por que os padres saem da igreja católica “le”,?

    eles saem por que não tem força e muito menos fé em Deus para seguir a santa igreja católica sem ter uma esposa, então essas mau ovelhas são fatos baixos de padres baixos e fracos perante Deus.

    queres seguir esse padre?

    podes seguir, só que tem um porem e eu vou ti falar como ja falei anteriormente, padres que saem da igreja católica são padres que quiseram se casar meu irmão e nós da igreja católica não admitimos o casamento de padres, então “le” eu vou ti falar:

    eles saem da igreja católica pois a cobiça da carne e do dinheiro foi maior para eles, “e assim colocaram Deus em segundo plano”.

    kkkkkkkkkkkkkkk

    você colocaria Deus em segundo plano por causa de mulher e dinheiro”le”?

  165. le disse:

    Verdades Bíblicas sobre Adoração e Idolatria

    Introdução:

    O que entendemos como adoração e idolatria? Bom, o propósito desta resenha, é justamente chegarmos ao ponto de entender e conciliar em nossa mente o que poderia ser adoração, veneração, intercessão e idolatria. Através de comparações entre o universo de hoje e todo o período bíblico, vamos explanar, com cautela e coerência, e principalmente, mergulhando nas Escrituras, que sempre foram a nossa “regra de fé e prática”, este assunto.

    Retornando na História, após a formação da Igreja Católica (não a Igreja Católica Romana, mas uma igreja primitiva, dirigida por homens cheios do Espírito Santo), muitos conceitos ainda eram guardados e observados pelos primeiros cristãos, conceitos estes que foram esquecidos após a união do Estado e Igreja (século III d.C.), que transformou a humilde Igreja Católica, no poderoso Império Católico Romano. Este, ao admitir uma aliança forçada com os bárbaros, permitiu a inclusão de suas doutrinas politeístas em seu conjunto de dogmas religiosos. Como resultado de uma aliança politicamente poderosa, mas religiosamente fracassada, a Igreja se afastou da sua doutrina genuína ao incluir culto e quaisquer outras formas de veneração e adoração a tudo aquilo que não era Deus. Confeccionando imagens de homens e anjos, a Igreja passou a espalhar estas por todo o templo. Logo, o espaço que deveria ser somente dedicado a Deus, passou a ser divido com imagens de pessoas, pecadores como nós mesmos. Mais um erro, mais um degrau à baixo, mais um vão aberto entre Deus e a Igreja.

    Nesta mesma época, havia grupos de cristãos que permaneciam fieis à doutrina de Jesus Cristo e dos Apóstolos, mas eram perseguidos e exterminados por serem considerados infiéis e hereges. Mas, através de homens inspirados e levantados por Deus, como Lutero, Calvino, Wycliffe, Huss e outros, aconteceu a grande Reforma Religiosa, que deu o passo principal para que os cristãos acordassem de um sono que os aprisionava. Uma das primeiras atitudes tomadas foi retirar as imagens (isso incluía anjos, santos, Maria e etc.) das igrejas “cristãs”. A Igreja estava retornando às veredas da justiça, estava retornando a Deus. E embora alguns chamem os reformadores de revolucionários, não é bem assim. Eles perseveravam em corrigir um erro que a Igreja não admitia. Eles foram expulsos e muitos mortos na fogueira, como João Huss.

    O que é idolatria?

    “Os que fazem imagens não prestam, e os seus deuses, que eles tanto amam, não valem nada. Os que adoram imagens são tolos e cegos e por isso serão humilhados. É uma grande tolice fazer uma imagem para ser adorada como se fosse um deus. Todos os que a adoraram serão humilhados. Os que fazem ídolos são apenas seres humanos; nada mais. Que eles se reunam e se apresentem no tribunal! Ali ficarão apavorados e serão humilhados”. Isaías 44.9-11 BLH

    Agora que demos uma passada na história de como a Igreja se destruiu e como Deus à levantou, devemos entender, exatamente, o que quer dizer o termo idolatria. Esta palavra vem do grego eidolon, que se traduz “ídolo”, e latreuein, do grego “adorar”. Por tanto, idolatria se refere, no seu sentido primário, adorar a um ídolo ou imagem. Em um sentido mais substancial, diríamos que idolatria é qualquer forma de culto, veneração ou servidão a um ídolo, imagem, pessoa, instituição, sentimento ou lugar. Isso não quer dizer, então, que idolatria se refira apenas a ídolos, mas a qualquer coisa que não seja Deus, sendo físico ou não, abstrato ou concreto.

    Ao povo de Israel era estritamente proibido fabricar qualquer imagem esculpida ou fundida para adoração, nem de coisas da Terra, nem das do céu (“Não farás para ti imagem esculpida, nem figura alguma do que há em cima no céu, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra.” Êxodos 20.4; Deuteronômio 5.8). Isso não impedia que o povo exercitasse as artes plásticas, afinal, eles faziam seus ornamentos, mas se o objetivo fosse adoração, como ao bezerro de ouro (Ver Êxodos 32), o veredicto de Deus seria empregado, morrer ao fio da espada. Outro exemplo que podemos observar foi a chash nechosheth, no hebraico, Serpente de Bronze. Esta expressão pode ser encontrada em II Reis 18.4 (“Tirou os altos, quebrou as colunas, e deitou abaixo a Asera; e despedaçou a serpente de bronze que Moisés fizera (porquanto até aquele dia os filhos de Israel lhe queimavam incenso), e chamou-lhe Neüstã.”), mas a história pode ser vista em Números 21.4-9. O Povo de Israel queixava-se do tratamento imposto por Deus. Eles haviam se esquecido do seu próprio passado e do que essa queixa poderia lhes render. Deus então os castiga com serpentes venenosas que mataram vários israelitas. O povo então se arrepende e Deus manda que Moisés construa uma serpente de bronze. Ao contemplar a serpente, movidos pela fé, os israelitas seriam curados da morte. Isso não era adoração, mas sim, obediência a Deus e também um sinal para os israelitas lembrarem-se do seu próprio erro. Com o tempo, alguns supersticiosos entre o povo, começaram a adorar a serpente. Isso aconteceu no tempo do Rei Ezequias. Ele chamou-a de Neustã, que quer dizer pedaço de bronze, dando a entender que era apenas metal e nada mais. Por isso, a serpente foi destruída para sempre.

    Há ainda exemplos da diferença entre ornamentação e adoração na construção do Templo por Salomão (I Rs. 6.17-36, II Cr. 3.5-17, 4.1-22) e na profecia de restauração do Templo (Ez. 41.17-26).
    Falsos Profetas – Adoração a Ídolos, Santos…

    Existem, hoje em dia, muitos conceitos sobre a forma como a Bíblia expõe a devoção e adoração a ídolos, imagens, “santos”… Algumas religiões e seitas, como a Igreja Católica, com o propósito de defender suas teses, de forma a confundir o povo de Deus, tentaram justificar biblicamente essas heresias, e difundiram essas heresias como doutrinas Espirituais, mas que não podemos considerar assim, pois é totalmente contrário aos dogmas bíblicos.

    Um dos textos bíblicos que ressaltam essa veracidade se encontra no livro de Isaías 42.8,9: “Eu sou o SENHOR, este é o meu nome; a minha glória, pois, não a darei a outrem, nem a minha honra, às imagens de escultura. Eis que as primeiras predições já se cumpriram, e novas coisas eu vos anuncio; e, antes que sucedam, eu vo-las farei ouvir”

    Existem dois pontos muito fortes neste texto. Primeiramente, Deus (Javé, no texto original, quer dizer “Eterno” ou “O Deus Eterno”) simplifica toda uma dúvida. Ele, e só Ele é digno de todo louvor e glória. Inacreditável como ainda em algumas preces de algumas religiões expõem-se claramente a glória a suas imagens e ídolos. Deus que não divide sua glória com ninguém. O outro ponto que deve ser respeitado é o fato de Deus revelar que primeiro anunciaria o que vai acontecer, e, logo então, aconteceria. Muitos podem não atentar para a profundidade do texto, mas tem uma grande lição. Todas as coisas que acontecem hoje (falo das coisas espirituais), a menos que sejam biblicamente citadas, é profano aos olhos do Senhor, afinal, foi a sua própria pessoa que o disse! Por isso sempre usamos o termo: “Pois a Bíblia diz assim…” ou “A Palavra de Deus cita isso em…”.

    Não é de se espantar com tais fatos. A Bíblia, com toda autoridade que lhe é cabível admite que nos últimos dias tais coisas aconteceriam. Devemos pois estar preparados para não sermos consumidos por tal artimanha maquiavélica do Diabo. O texto abaixo é só mais um em dezenas deles. O Espírito de Deus diz claramente que, nos últimos tempos, alguns abandonarão a fé. Eles darão atenção a espíritos enganadores e a ensinamentos que vêm de demônios em I Timóteo 4.1 (“Mas o Espírito expressamente diz que em tempos posteriores alguns apostatarão da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios.”).

    Será que devemos dar tanta ênfase aos que vieram antes de nós, ou que fizeram algum bem para humanidade? Será que tais pessoas tem algum poder ou hierarquicamente tem diante de Deus alguma tarefa quanto a nós? O Salmista Davi, em Salmos 146.3,4, relata a revelação do Senhor Deus quanto a esta dúvida: “Não confieis em príncipes, nem no filho do homem (referindo-se a carne humana), em quem não há salvação. Sai-lhe o espírito, volta para a terra; naquele mesmo dia perecem os seus pensamentos”.

    É bem verdade que muitas destas pessoas que confiam em outros que não sejam o próprio Deus, acreditam que eles podem, de alguma forma, ajudá-los nas dificuldades aqui na Terra, mas, pelo menos 120 textos bíblicos pesquisados que se referiam aos termos “ajuda”, “consolação” e “intercessão” nenhum se quer se referia a uma ajuda sobrenatural que não fosse o próprio Pai, o Filho, o Espírito Santo ou os anjos! Outros textos sobre o assunto estão abaixo: “Pois os vivos sabem que morrerão, mas os mortos não sabem coisa nenhuma, nem tampouco têm eles daí em diante recompensa; porque a sua memória ficou entregue ao esquecimento. Tanto o seu amor como o seu ódio e a sua inveja já pereceram; nem têm eles daí em diante parte para sempre em coisa alguma do que se faz debaixo do sol”. “Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças; porque o lugar para onde tu vais, não há obra, nem projeto, nem conhecimento, nem sabedoria alguma”. Eclesiastes 9.5,6,10

    Existe ainda, uma corrente teológica que afirma que os judeus, no período do Velho Testamento, não tinha ainda uma concepção da possível vida pós-morte. Bem, mas se Jesus Cristo, o Filho de Deus, a segunda pessoa da Trindade disser algo sobre isso.

    No Evangelho de Lucas 16, Jesus conta a história em que morreram o “Rico e o Lázaro”. O Rico foi para o inferno (Hades) e o Lázaro foi para o céu (Seio de Abraão). O sofrimento do Rico era tanto que ele pediu a Abraão que deixasse que Lázaro molhasse a ponta de seu dedo na água, e então, deixasse que uma gota de água refrescasse a sua sede. Abraão então nega o pedido do Rico. Este então pede que Lázaro volte à Terra, ou seja, ao convívio dos homens, para que testificasse aos seus familiares o que havia acontecido. A resposta foi negada novamente. Abraão alegou que os vivos tinham Moisés e os Profetas e que eles já haviam alertado sobre isso. Abraão ainda diz que existe uma barreira entre nós e eles, que não poderia ser traspassada. Moisés representa a Lei Mosaica, ou seja, o Pentateuco. Os Profetas, representam a revelação de Deus. Isso quer dizer que temos o necessário aqui, e que não é preciso e nem permitido que Lázaro ou qualquer outra pessoa se retirar do céu ou do Hades para tal absurdo. Não existe vontade permissiva de Deus para isso. Essas foram palavras de Jesus Cristo, Onisciente, Onipresente e Onipotente.

    Os “SANTOS” podem nos ajudar?

    Seria possível alguém que já morreu, por melhor pessoa que tenha sido, estar nos vigiando ou atento as nossas necessidades aqui na Terra? Onde estariam eles? Existe comunicação entre eles e nós? Se há, disso Deus se agrada? Bem, temos sérias razões para acreditar que não. Vamos partir do princípio que o nome “santo” não é bem o que todos imaginam. O Apóstolo Paulo nos chama de santos, nos ensina a orar por todos os santos, na ideologia em que todos os cristãos são santos porque buscam a santificação em um processo diário e contínuo, renegando-se ao pecado, assim como as coisas supérfluas, descontroladas e desordenadas. Mas, vamos então tratar este nome, santo, dentro do nosso contexto, isto é, “as pessoas que foram muito boas aqui na Terra, e por isso Deus os colocou em um posto mais elevado e que possuem uma tarefa quanto a nós, a de interceder por nós diante de Deus”.

    Bom, já que tocamos no assunto, a Bíblia diz que “existe um só Senhor e um só mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem”, I Tm. 2.5. Embora muito imaginem que Deus só nos ouve se citarmos o nome “Jesus Cristo”, não é bem assim. A verdade é que, no mar de religiões em navegamos encontramos milhares delas, cada uma com seu “deus”. Algumas insistem em acreditar que trata-se do mesmo Deus que nós servimos. Claro que não é bem assim. Um dos propósitos de Deus ter mandado Jesus à Terra, seria o de separar pessoas de pessoas, judeus de judeus, isso quer dizer que através de Jesus Cristo e seu sacrifício, podemos nos chegamos a Deus de uma forma íntima, amigável e familiar. Pelo fato de acreditarmos, confiarmos e depositarmos toda nossa fé em Jesus, temos livre acesso ao Pai. São muitos os que ainda imaginam que nós pedimos a Jesus e Ele vai levar nosso pedido para Deus. Que ingenuidade! Que falta de discernimento bíblico! Por causa disso, difundiram uma doutrina em que, se pedirmos aos “santos”, eles vão até Jesus e Jesus vai até Deus. Nós encontramos isso na reza, ou oração, à Maria: “Santa Maria Mãe de Deus, rogai por nós; agora como na hora de nossa morte”. Supostamente seria assim: “Eu peço ajuda à Maria, então, na hora de minha morte ela iria até Jesus Cristo, contaria para ele todas as minhas dificuldades em vida, tudo que sofri, mesmo esquecendo do que fiz de errado. Jesus então, como meu advogado que não sabe nada sobre minha vida iria até Deus e tentaria suavizar a minha pena. Deus, então, daria o veredicto”. Misericórdia! De onde tiraram isso? Com certeza não foi da Bíblia.

    A Igreja Católica, por vários séculos, tem se beneficiado da falta de sabedoria e discernimento de seus fieis para espalhar a doutrina dos santos e das imagens. Eles alegam que não existe adoração ou veneração a estes, mas não é o que se vê por ai. Expressões como: “Servos da Rainha”, “Procissão de São Sebastião”, “São … rogai por nós”, são vistas e ouvidas em todos os lugares. Mesmo que não seja o princípio desta Igreja, seus fiéis são incapazes de distinguir veneração, adoração e culto de respeito e exemplo. Os fieis correm, se batem e se abatem na tentativa de tocar em uma imagem, e dela receber uma virtude irreal, vã e vazia. Perdem-se, e aos poucos se afundam em mar de doutrinas furadas, pura apostasia. Um charco de mentiras que mais parece misticismo do que cristianismo.

    Mesmo assim, com o passar dos anos, esses desobedientes aos preceitos bíblicos, devido a um excesso de confiança em si mesmo, acabaram por humanizar Deus. Este passou a não ser mais o onisciente, onipresente e onipotente. Ele agora, segundo muitos hereges, precisa de uma certa ajuda daqueles que não passam de seres humanos, pecadores (como todos nós). Criaram uma hierarquia celestial, onde Deus, agora mais do que nunca distante de seu povo, comanda vários homens e mulheres a ajudarem aos que estão na Terra. Onde se encontra Jesus Cristo nessa empresa chamada céu? E os anjos que desde os primórdios têm atuado como serviçais de Deus? E o Espírito Santo que foi mandado como consolador e ajudador? Onde Deus descreveu tais coisas? Onde estão as profecias indagando que essas coisas iriam acontecer e seriam benditas?

    Em que Deus você acredita? Um Deus Soberano, que tudo vê? Que está atento para te ouvir a todo momento? O Deus que criou tudo e todos? Ou apenas um deus imperfeito, que não pode tomar conta de sua própria criação?

    Conclusão

    Durante estes 2000 anos, a Igreja se desviou dos seus verdadeiros princípios, isso acarretou problemas de gravidade incrível e devastadora. Muitos se desviaram da sua verdadeira fé, dando ouvidos a espíritos enganadores. A doutrina dos santos e ídolos é apenas mais uma neste universo dispendioso e avassalador. Esta não foi a missão de Jesus e dos apóstolos. Estes (Jesus e os apóstolos) foram aqueles que tiraram a venda dos olhos de um povo humilde e ignorante. A Igreja Católica Romana, assim como outras seitas, colocaram-na de volta. Mas a Bíblia adverte aqueles que fizerem os cristãos tropeçarem!

    “Qualquer, porém, que fizer tropeçar a um destes pequeninos que crêem em mim, melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma grande pedra de moinho, e fosse afogado na profundeza do mar”. (Mateus 18:6)

    Cabe a cada um meditar e repensar no que tem feito e acreditado. Nós não precisamos de uma fé palpável, nem das chamadas “catapultas celestiais” para nos aproximarem de Deus. Devemos fixar em nosso coração o que é a verdadeira fé em Hebreus 11.1: “É aprova das coisas que se esperam e a prova das coisas que não se vêem”.

    Nesta odisséia, vamos retornar ao início de tudo, vamos encontrar com Jesus novamente, assim como, com seus ensinamentos, onde existe um só alvo de adoração, onde Deus é o centro de tudo, onde ao fechar os olhos, não existirá mais escuridão, mas somente a luz de Cristo brilhará.

    Está na hora de tirarmos as vendas dos olhos. É hora de ser cristão.

  166. le disse:

    Em breve estarei postando um estudo detalhado sobre a virgem Maria.

  167. diego disse:

    Você costuma colocar muitos fatos controversos juntos para tirar a atenção das pessoas e assim enrolar elas meu caro amigo “le”, mais mesmo assim vou ti dizer umas boas verdades:

    Você colocou que no século lll d.C., aliança forçada com os bárbaros?

    Meu amigo se você esta se referindo a “Constantino”, posso ti dizer que não foi união que ouve com ele mais sim uma converção total de Constantino, depois claro dele ter feito barbaridades mundo a fora, barbaridades essa onde matou até seu filho, primo entre outro por causa do poder.

    Você voltou a falar dos revolucionalistas do protestantismo como Lutero?

    E como eu disse esse senhor sem escrúpulos algum, foi o homem que criou o protestantismo onde é seguido por você ate hoje.

    Então eu ti pergunto:

    Jesus é mentiroso “le”?
    R: claro que não, Jesus não ia edificar uma igreja e esperar 1500 anos até Lutero aparecer e Jesus falar: pô errei em edificar essa igreja vou acabar com ela, se você acredita nisso esta assumindo que esta chamando Jesus de mentiroso, e se você chama Jesus de mentiroso deve se arrepender e logo meu amigo, pois é a maior tolice acreditar em um cristo que mente.

    Idolatria?
    R: eu coloquei o que o catecismo diz a respeito da idolatria e veneração, mais você não prestou atenção mais uma vez e veio agora com os mesmos argumentos tolos e que não são aceitáveis pela igreja católica, pois a doutrina da igreja católica não permite, as imagens citadas por ti de outros Deuses, acho que deve ter só em sua igreja, pois nunca vi uma imagem de um outro Deus na igreja católica, ou você já viu?
    Se vir me diz qual é esse outro Deus que eu não conheço.
    Sem contar que as “imagens citadas por você acima, não são uma forma de adoração para nós católicos afinco mais sim uma forma de lembrar, o que seria mais parecido como se tivéssemos uma foto da nossa santa mãe Maria, e adorar eu falei que não pode mais você não presta atenção e quer tentar desviar a atenção dos leitores, essas imagens não tem poder algum e muito menos se refere a outros Deuses pois só temos um Deus,
    agora eu te pergunto você deve ter alguma foto de um ente querido que já faleceu?
    Então raciocina comigo, quando você olha para essa foto, automaticamente você já não lembra desse ente querido?
    Mais se tem um porem, você apenas lembra desse ente querido, você ao ter esse sentimento você não esta adorando ele pois ele não é Deus, então se deve ter bom censo e ver as falsa idéias que os protestantes tem em relacionar as imagens com adoração, isso é apenas para enrolar os leigos para levar esses leigos para suas igrejinhas e assim terem mais recursos para crescerem.

    Concluindo imagem não tem poder, não pode salvar ninguém, e muito menos é outro Deus, e aquele que diz ser todas essas coisas esta levantando falso testemunho coisa que você “le”, fez acima levantou falso testemunho mais uma vez e eu repito isso é pecado.

  168. diego disse:

    E para mostrar a todos que você esta colocando coisas que ouviu da boca de outros homens ou escritas em algum lugar aqui vai uma análise de sua pessoa:

    Você diz que a igreja católica não foi fundada por Pedro, mais acima já esta assumindo que a igreja católica tem os seus 2000 anos contradição brusca essa sua onde vemos que você não tem o mínimo de noção do que diz por que se alto entrega nos próprios fatos.

    Veja qual é a sua ideologia meu amigo e reforme ela igualmente como Lutero fez “reformule”, pois é típico de vocês protestantes, já não sabem mais o que falar, entrando em contradições fracas e toscas.

  169. diego disse:

    Erros litúrgicos cometidos pelo nosso irmão “le”.

    Você acabou de assumir que a igreja católica existe há 2000 anos, então o que queres debater se não tem nem ao menos bom censo em assumir que não sabes o que diz?

    Uma hora diz uma coisa, outra hora diz outra se alto confrontando, você já parou para ter noção das barbaridades que você esta cometendo com os seus erros grotescos?

    Você conseguiu se igualar a Lutero, se era isso que você tinha em mente, agora para completar o seu fascismo por Lutero só tem que fazer uma coisa meu amigo, montar a sua própria igrejinha e sair com seu falso idealismo pregando para os leigos.

  170. diego disse:

    mais uma vez, qual é a sua religião mesmo?

    por que tem tanto medo de falar da sua religião?

    sera que ela é tão barbara assim a ponto de você esconder ela afinco?

    responde “le”, a essa que parece ser uma pergunta tão facil de falar?

  171. le disse:

    É preciso prestar mais atenção meu amigo, eu nuca disse que a igreja católica não existe a 2000 mil anos, e sim a igreja católica romana, que você insiste em dizer que Pedro foi o primeiro papa.

  172. le disse:

    ja disse que não sirvo uma religião e sim ao Senhor dos Senhores,fui liberto da religião chamada catolicismo,que consiste em mandamento de homens e não de Deus.

  173. le disse:

    EU ACHO QUE A IGREJA CATÓLICA INCENTIVA O POVO À IDOLATRIA, POIS SE OS PADRES QUE SÃO FORMADOS EM TEOLOGIA, QUE CONHECEM OS PRECEITOS BÍBLICOS TANTO DO ANTIGO COMO DO NOVO TESTAMENTOS, NÃO ACABAM COM ESTA PRÁTICA DENTRO DA IGREJA CATÓLICA É PORQUE NÃO CREEM NA BÍBLIA OU TEM MEDO DE FALAR A VERDADE E PERDER OS SEUS “FIÉIS” PARA OUTRAS DENOMINAÇÕES.A VOCÊ DISSE QUE COLOCOU O QUE O TAL CATECISMO DIZ A RESPEITO DA IDOLATRIA E VENERAÇÃO, ENTÃO PORQUE OS PADRES NÃO ENSINA ISSO NAS MISSAS????????

  174. le disse:

    Se conversa com fotos?
    EXISTE FOTO 3D?kkKKKKkkkkkKK

    Já leram o que ocorreu no concílio de Jerusalém, e o que os apóstolos decidiram:
    – Nenhum tipo de idolatria seria aceita na igreja.
    Já leram o escarcéu que fizeram os artíficies (fabricante das imagens dos santos) em Éfeso contra Paulo? O motivo do escândalo: os seus pedidos de serviço estavam diminuindo! Porque as pessoas aceitavam a Jesus!

    E agora vem os artíficies e se reunem em igreja para vender seus produtos!
    Não sabem que a história revelou que a igreja primitiva não possuia santos? (santo, quer dizer “lavado pelo sangue de Jesus”, “tocado por Deus”) E que a Igreja católica ROMANA que trouxe esta maldição para dentro da igreja.

    A cada santo que se faz cobra-se mil reais.
    Tempos atrás, passou uma reportagem no Globo Rural sobre uma família que está pagando para o vaticano para fazer a sua filha uma santa.

  175. diego disse:

    Ou é se a igreja existe há 2000 anos, se os bispos da época escreveram varias cartas à igreja de Roma, cartas essa que estão ainda no vaticano para qualquer teólogo ver a veracidade da época e de que são cartas escritas mesmo pelos bispos do primeiro século, ano este onde viviam os apóstolos e ano este onde esses bispos foram eleitos pelos os apóstolos da santa igreja católica, onde eu citei em comentários anteriores que o apostolo João elegeu policarpo bispo de esmirna, e sem contar que os Papas conseguintes citaram constantivamente a autoridade do apostolo Pedro, pois como vemos autoridade essa que Jesus pessoalmente mostrou no evangelho de são Mateus e que eu também coloquei aqui.

    Tem como contestar que o apostolo Pedro não foi o nosso chefe celestial dessa igreja edificada por cristo no próprio aposto Pedro?

    Tem como se contestar que a igreja católica não existiu?

    E para quem insiste em dizer do apostolo Pedro não ter sido o nosso primeiro chefe celestial, por que o apostolo Pedro não criticou essa igreja?. O mínimo que ele deveria ter feito assim como os estudos dos grandes teólogos sobre a historia da igreja e dos apóstolos onde se viu o apostolo Paulo rompendo com os judeus por que eles não queria deixar de praticar a circuncisão sendo que para nós católicos o batismo veio para enterrar a circuncisão veja:

    (colossenses 2/11,12).

    11. Nele também fostes circuncidados com circuncisão não feita por mão de homem, mas com a circuncisão de Cristo, que consiste no despojamento do nosso ser carnal.
    12. Sepultados com ele no batismo, com ele também ressuscitastes por vossa fé no poder de Deus, que o ressuscitou dos mortos.

  176. diego disse:

    Mais uma vez você disse que não segue nenhuma religião, então “le”, por que insiste em dizer as mesmas palavras que os protestantes falam, ou melhor as mesmas palavras elaboradas pelos protestantes?

    Se você não segue nenhuma religião o mínimo e mais conivente seria a sua pessoa fazer um estudo litúrgico profundo sem opiniões de ninguém, e parar de tentar colocar a mão no fogo por causa desses azurradores de almas.

  177. diego disse:

    Outra, padre não incentiva idolatria meu amigo, pois todos sabem que idolatria é pecado e se houver algum maldito de algum padre que ousar em defender essa tese de idolatria, manda ele vim aqui conversar comigo, para eu falar umas boas verdades para esse doentes da cabeça.

  178. le disse:

    você disse(Tem como contestar que o apostolo Pedro não foi o nosso chefe celestial dessa igreja edificada por cristo no próprio aposto Pedro?) eu digo,esse é o ponto de vista católico.

  179. le disse:

    você disse (Outra, padre não incentiva idolatria meu amigo, pois todos sabem que idolatria é pecado e se houver algum maldito de algum padre que ousar em defender essa tese de idolatria, manda ele vim aqui conversar comigo, para eu falar umas boas verdades para esse doentes da cabeça.) eu te digo, você deveria começar pelo papa ou quem sabe dar um pulinho até aparecida do norte,tenho certeza que vai mudar de idéia.

  180. diego disse:

    E mais uma vez idolatria é pecado meu amigo, as fotos que eu coloquei de algum ente querido que você pudesse ter foi simplesmente para ti mostrar e abrir os seus olhos de que quando uma pessoa vê uma foto de um parente que já faleceu, o sentimento que se tem é de veneração e não de idolatria meu amigo, e mais você já beijou a sua mãe biológica algumas vezes, e quando beijou ela você não tava idolatrando ela mais sim estava venerando, basta ter um pingo de bom censo para perceber o que significa veneração e idolatria.

    Pagar para ser santo?

    R: meu amigo até mesmo o Silvio santos se desse todo o dinheiro dele para transformar a filha dele em santo ele não conseguiria, pois para se canonizar um santo, é preciso muito estudo dos milagres relacionados pela a suposta intercisão dele, estudos esse que tem que ser milagres comprovadamente que não são algo comum, mais sim algo sobrenatural que não se vê por ai a fora de milagres toscos que podem ser comprovados por qualquer médicos, parapsicólogos, tem que ser algo totalmente fora de nossa realidade e que não haja comprovação humana.

    Então não adianta os homens mais ricos do mundo quererem ser santos, pois existe uma igreja para derruba-los e rebaixa-los a pó.

  181. diego disse:

    Vou sempre na aparecida, igrejas daqui de são Paulo mesmo, e já fui em muitas no nordeste e em Brasília e o que você disse acima é falso não tem veracidade, todos esses padres que pude conhecer e colocar as minhas opiniões não impuseram nada dessas falsas palavras sua aqui.

  182. le disse:

    você disse (Mais uma vez você disse que não segue nenhuma religião, então “le”, por que insiste em dizer as mesmas palavras que os protestantes falam, ou melhor as mesmas palavras elaboradas pelos protestantes?

    Se você não segue nenhuma religião o mínimo e mais conivente seria a sua pessoa fazer um estudo litúrgico profundo sem opiniões de ninguém, e parar de tentar colocar a mão no fogo por causa desses azurradores de almas.)e eu te digo,quando eu disse que não sirvo a uma religião,isso não quer dizer que não sou protestante.

  183. diego disse:

    A meu amigo, você então se dividiu, como Lutero e todos os outros pastores protestantes?

    Lembra que eu disse que esta escrito sobre divisões?

    “… Rogo-vos, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que todos estejais em pleno acordo e que não haja entre vós divisões. Vivei em boa harmonia, no mesmo Espírito e no mesmo sentimento” (1Coríntios 1,10).

    Você caiu na própria armadilha “le”, você se alto se dividiu meu amigo e divisão como veis acima em 1Coríntios 1,10, a carapuça deve servir bem para ti cara.

  184. le disse:

    Amigo.
    Primeiramente amado, gostaria de dizer, que a Bíblia é a palavra de Deus, e se você discorda dela, chama Deus de mentiroso. Cuidado!
    Ninguém consegue fazer um “deus” em suas próprias mãos, o que a Bíblia diz é que as pessoas fazem imagens e as adoram fazendo delas um “deus”, pois só o verdadeiro e único Deus é digno de Adoração. A Bíblia cita isto varias vezes. Eu era católico, mas o Espírito Santo de Deus me acordou a tempo. Veja por ex. este versículo que testifica isto, dentre milhares que tem em suas bíblias.
    »LEVÍTICO [26]
    1 Não fareis para vós ídolos, nem para vós levantareis imagem esculpida, nem coluna, nem poreis na vossa terra pedra com figuras, para vos inclinardes a ela; porque eu sou o Senhor vosso Deus.
    »ÊXODO [20]
    1 Então falou Deus todas estas palavras, dizendo:
    2 Eu sou o Senhor teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão.
    3 Não terás outros deuses diante de mim.
    4 NÃO FARÁS para ti IMAGEM esculpida, nem FIGURA alguma do que há em cima no céu, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra.
    5 NÃO te ENCURVARÁS diante delas, nem as servirás; porque eu, o Senhor teu Deus, sou Deus CIUMENTO, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam.
    6 e uso de misericórdia com milhares dos que me amam e guardam os meus mandamentos.
    VIU?
    imagem, idolo ou deuses, é a mesma coisa, quer saber mais, olhe no dicionario da propria biblia catolica e lá estara escrito que Idolo é uma imagem de algo ou alguem feito pelas mãos de um homem.
    E se você procurar no dicionario Aurelio, venerar e Adorar é a mesma coisa.
    Outra, nem imagens, nem anjos devemos adorar, pois em Apocalipse 19:10 quando João se ajoelhou para adorar a um anjo, o mesmo lhe disse: Não faça isto, adore apenas a Deus, pois eu sou teu conservo. Ou seja, um servo de Deus, como nós, os filhos de Deus somos.
    Mas nem todo mundo é filho de Deus, só os que o aceitam, antes somos criaturas, veja:
    João 1: 11-12
    11 Veio para o que era seu, e os seus não o receberam.
    12 Mas, a todos quantos o receberam, aos que crêem no seu nome, deu-lhes o poder de se tornarem filhos de Deus;
    SABE QUAL O PODER DE UMA IMAGEM?
    Jeremias 10
    4 Com prata e com ouro o enfeitam, com pregos e com martelos o firmam, para que não se mova.
    5 São como o espantalho num pepinal, e não podem falar; necessitam de quem os leve, porquanto não podem andar. Não tenhais receio deles, pois não podem fazer o mal, nem tampouco têm poder de fazer o bem.
    Ou seja, nenhum, pois precisam ser carregadas e se quebram quando nao sao bem pregadas, como aconteceu com São Jorge, ele caiu literalmente do cavalo no Parque São Jorge do Coríntias agora neste ano de 2008.
    Veja no portal G1.com esta noticia.
    E se você não quizer receber o Espirito Santo de Deus em sua vida, veja o que acontecerá com o futuro dos idólatras:
    Apocalipse 21
    7 Aquele que vencer herdará estas coisas; e eu serei seu Deus, e ele será meu filho.
    8 Mas, quanto aos medrosos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos adúlteros, e aos feiticeiros, e aos idólatras, e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago ardente de fogo e enxofre, que é a segunda morte.
    Ou seja, diz neste versiculo acima, aquele que vencer sera meu filho. Portanto todos que estão no versiculo 8 nao sao filhos de Deus, já que serão jogados no inferno, pois não obedecem a sua palavra.
    Aceite a Jesus como seu unico e suficente salvador e intercessor, nao ha outro que morreu na cruz por voce, nao ha outro que ressucitou entre os mortos e subiu ao ceu. Nem outra. Só um Senhor.
    Se crê e quer entregar sua vida pra cristo faça esta oração:
    Detalhe, ore falando, é preciso confessar a Jesus Cristo com sua própria boca, ta na Biblia
    Senhor Jesus Cristo de Nazaré, creio em tua palavra e que o Senhor é o meu único e suficiente Senhor e Salvador. Entrego em tuas mãos hoje minha vida. Sonda-me e tira de mim tudo que não provém do Senhor para que assim sendo eu possa morrer(espiritualmente) para o mundo me arrependendo dos meus pecados e perdoando as pessoas que me ofenderam para que eu possa nascer em cristo para o Reino de Deus. O qual assim terei meu nome escrito no Livro da Vida, onde estão os nomes dos santos salvos que viverão no céu e Te adorarão para todo o sempre. Amém.
    Romanos 8
    1 Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus.

  185. le disse:

    trechos da bíblia para meditação….. (porque certo ourives, por nome Demétrio, que fazia da prata miniaturas do templo de Diana, proporcionava não pequeno negócio aos artífices,
    Atos dos Apóstolos 19:25 os quais ele ajuntou, bem como os oficiais de obras semelhantes, e disse: Senhores, vós bem sabeis que desta indústria nos vem a prosperidade,
    Atos dos Apóstolos 19:26 e estais vendo e ouvindo que não é só em Éfeso, mas em quase toda a Ásia, este Paulo tem persuadido e desviado muita gente, dizendo não serem deuses os que são feitos por mãos humanas.
    Atos dos Apóstolos 19:27 E não somente há perigo de que esta nossa profissão caia em descrédito, mas também que o templo da grande deusa Diana seja estimado em nada, vindo mesmo a ser destituída da sua majestade aquela a quem toda a Ásia e o mundo adoram.
    Atos dos Apóstolos 19:28 Ao ouvirem isso, encheram-se de ira, e clamavam, dizendo: Grande é a Diana dos efésios!
    Atos dos Apóstolos 19:29 A cidade encheu-se de confusão, e todos à uma correram ao teatro, arrebatando a Gaio e a Aristarco, macedônios, companheiros de Paulo ).

  186. diego disse:

    Kkkkkk

    Você não entendeu ainda meu amigo, ou não tem cabeça para entender?
    Eu ti falei que as imagens não são para adorar e sim para se lembrar de alguém como eu citei a respeito das fotos, mais sua mente insiste em tentar colocar palavras não ditas em minha boca meu amigo.
    Aonde é que a sua mente esta vendo outro Deus?
    Só existe um Deus cara que deve ser idolatrado afinco até o fim dos tempos, ou você não consegue entender isso?
    Não se pode se curvar diante de imagem alguma meu amigo ou você não tem mente para entender isso.
    Onde veis alguma coisa que esta em cima do céu ou de baixo da terra, pois as imagem feitas de cristo, de Maria, ou qualquer outra são representações que são vista como uma foto citada por mim em postagens anteriores.

    Ou você acha que Jesus esta no céu pregado em uma cruz?

    Já que as maiorias das imagens de cristo ele esta pregado na cruz.

    Se você acha que Jesus esta pregado em uma cruz no céu só basta-me dar risada da sua cara meu amigo…..kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Latria: significa adoração e é o culto devido exclusivamente ao verdadeiro e único Deus, nosso Criador e Salvador. Na adoração, reconhecemos Deus como Todo-Poderoso e Senhor do universo..

    Dulia: significa homenagem, veneração. São dignas de veneração, no campo religioso, os santos e todas as criaturas que, neste mundo, fizeram e fazem a vontade do Pai, por se tornarem nossos modelos de fé e caridade.

  187. diego disse:

    Agora vamos aprofundar no estudo das imagens já que quisestes entrar em detalhes meu amigo.

    Antes de qualquer coisa, quero dizer que igreja católica ficou responsável pelo depósito da fé, em especial das sagradas escrituras, então eu te pergunto por que a igreja católica não fraudou as escrituras?

    Sabes por que ela não fez isso?

    Por que existem diferenças meu amigo e diferenças essas que eu colocarei agora presta atenção!

  188. le disse:

    trecho da bíblia primeiro coríntios cp 6 (Não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas,
    I Coríntios 6:10 nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbedos, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus.
    I Coríntios 6:11 E tais fostes alguns de vós; mas fostes lavados, mas fostes santificados, mas fostes justificados em nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito do nosso Deus.

  189. diego disse:

    A BÍBLIA CONDENA O USO DE IMAGENS? DEUS PERMITE A FABRICAÇÃO DE IMAGENS?

    Por Carlos Martins Nabeto

    Fonte: Agnus Dei

    INTRODUÇÃO

    Uma das maiores disputas entre católicos e protestantes é, sem dúvida alguma, quanto ao uso das imagens sagradas na Igreja de Deus. Desde o princípio, a Igreja Católica sempre defendeu seu uso, ao contrário da esmagadora maioria das igrejas protestantes que preferem encarar o problema como um insulto ao Mandamento divino que proíbe confeccionar imagens (Ex 20,4). Não raro, costumam a chamar os católicos de idólatras, ou seja, adoradores de ídolos, como se as imagens fossem algum tipo de ídolo ou – pior ainda – dando a entender que a Igreja Católica ordena adorar essas imagens.

    Diante de tal matéria, qual dos lados estaria com a razão? Estaria a Igreja Católica infringindo o Mandamento de Ex 20,4 ou estaria a Igreja aplicando-o conforme a vontade de Deus? Este artigo visa, especificamente, esclarecer tal questão, tomando como base as dezenas de perguntas que já respondi, principalmente aquelas formuladas por nossos irmãos separados.

    IMAGEM

    Antes de mais nada, convém explicar o que é uma imagem.

    A imagem é muito mais do que uma simples escultura: na verdade é qualquer coisa que permite excitar a nossa vista, pouco importando se é uma escultura, um desenho, uma pintura, um objeto. Até mesmo os dicionários não religiosos são unânimes em afirmar que a imagem é a representação de um objeto pelo desenho, pintura, escultura, etc. Logo, uma pintura de Michelangelo é uma imagem da mesma forma que o desenho do tio Patinhas e o busto do Duque de Caxias também o são, de modo que não importa se a imagem está em “segunda dimensão” (podendo ser representada num plano x-y) ou em “terceira dimensão” (representada no plano x-y-z), mas que ela excite a vista e, por consequência, a imaginação, que é a capacidade de conceber abstratamente aquilo que é concreto, real.

    Desta forma, uma imagem – principalmente a imagem religiosa – encerra um sentido muito mais profundo do que o próprio objeto. Ela, sem precisar – necessariamente – fazer uso da palavra, consegue falar e sensibilizar as pessoas com muito mais facilidade que ótimos oradores, pois carrega uma linguagem própria que nem sempre precisa excitar nossos ouvidos. É inegável o poder de persuasão da imagem: a TV (imagem) não suplantou o rádio (palavra)? São Paulo não se converteu ao Evangelho graças à visão resplandescente de Cristo no caminho de Damasco? Quantos homens também não se converteram por um simples olhar para uma imagem ou crucifixo mudos no interior de uma igreja? Até mesmo a Bíblia afirma que o homem foi feito à imagem e semelhança de Deus (cf. Gn 1,26-27). Vemos, assim, que o velho ditado “uma imagem vale mais do que mil palavras” é mais do que verdadeiro: é uma realidade.

    ÍDOLO

    Ídolo não é – e jamais foi! – sinônimo de imagem. Ambos são distintos e inconfundíveis…

    Ao contrário da imagem, que excita a vista, o ídolo é aquilo que substitui o único e verdadeiro Deus. Um bom exemplo, que confirma a nossa tese, é o episódio do bezerro de ouro narrado em Ex 32: como Moisés demorava para descer do Monte Sinai, os hebreus fugitivos do Egito não tardaram a confeccionar um bezerro em ouro, a quem cultuaram como se fosse o verdadeiro Deus.

    “O povo reuniu-se em torno de Aarão e lhe disse: ‘Vamos! Faze-nos deuses que caminhem à nossa frente…’. Aarão lhes disse: ‘Tirai os brincos de vossas mulheres, vossos filhos e vossas filhas, e trazei-os a mim’. […] Recebendo o ouro, ele o moldou com o cinzel e fez um bezerro fundido. Então eles disseram: ‘Aí tens, Israel, os deuses que te fizeram sair do Egito!’ […] Levantando-se na manhã seguinte, ofereceram holocaustos e apresentaram sacrifícios pacíficos” (Ex 32,1b-2.4.6a).

    Esses versículos permitem-nos distinguir os elementos que caracterizam o ídolo:
    # Confunde-se com o verdadeiro e único Deus.
    # São-lhe atribuídos poderes exclusivamente divinos.
    # São-lhe oferecidos sacrifícios devidos ao verdadeiro Deus.

    Percebamos bem como o milagre da fuga do Egito foi atribuído ao objeto que tinha a imagem de um bezerro de ouro. Notemos também como esse bezerro passa a substituir o verdadeiro e único Deus assim como também lhe são oferecidos sacrifícios devidos a Deus.

    Observando isto com muito cuidado e sem preconceitos, podemos reparar que o culto prestado ao bezerro de ouro bem como a proibição bíclica de confeccionar imagens de ídolos não podem ser confundidos contra as imagens cristãs, uma vez que falta-lhes os elementos que as constituam como ídolos: quando a Igreja Católica afirmou que devemos adorar as imagens dos santos? Quando a Igreja atribui-lhes poderes de salvar a humanidade do pecado ou conferiu-lhes título de todas-poderosas? Quando a Igreja prestou-lhes culto de adoração?

    Vemos, assim, que a imagem não implica na superstição como obriga o ídolo, que substitui Deus atribuindo ao objeto ou à coisa imaterial poderes que ele por si só não possui. A imagem é um objeto que lembra algo fora dele; o ídolo é o ser em si mesmo. A quebra de uma imagem não destrói o ser que representa; já a destruição de um ídolo implica da destruição da falsa divindade.

    LATRIA x DULIA

    Uma vez apresentadas as diferenças entre imagem e ídolo, faz-nos necessário situá-los em seu verdadeiro contexto religioso, isto é, demonstrar o respeito que cabe a cada um deles.

    Para isto, precisamos distinguir entre latria e dulia. Antes, porém, gostaria de observar que, oportunamente, pretendo disponibilizar um artigo onde são estudadas mais profundamente as diferenças entre os dois tipos de conceito. Para o momento, entretanto, basta mencionar a diferença básica.

    # Latria: significa adoração e é o culto devido exclusivamente ao verdadeiro e único Deus, nosso Criador e Salvador. Na adoração, reconhecemos Deus como Todo-Poderoso e Senhor do universo.
    # Dulia: significa homenagem, veneração. São dignas de veneração, no campo religioso, os santos e todas as criaturas que, neste mundo, fizeram e fazem a vontade do Pai, por se tornarem nossos modelos de fé e caridade.

    Uma visão clara sobre o assunto pode ser retirada de um antigo manual de religião publicado em 1858 em Portugal:

    “Cumpre venerar (=dulia) todos os Sanctos que estão no céo, como a servos e amigos de Deus; porem invocando-os e venerando-os (=dulia), não os adoramos (=latria), e fazemos sempre grande differença entre Deus e as creaturas. Rogando aos Sanctos não os olhamos nem consideramos senão como nossos intercessores para com Jesu-Christo, que é o Medianeiro que nos remio com seu sangue, e por quem podemos sêr ouvidos e alcançar a salvação” (Manual Portuguez, ed. d’Aguiar Vianna, Lisboa, Portugal, 1858, pág. 17).

    Tal texto é muito interessante porque explica em poucas linhas, mas com grandes detalhes a diferença básica entre adoração/latria e veneração/dulia: a primeira é destinada ao Criador, a segunda – bem inferior à primeira – às criaturas servas e amigas de Deus. Adoramos a Deus porque Ele é todo-poderoso e nosso Salvador; veneramos os santos – representados nas imagens – porque seus exemplos de vida nos apontam para o verdadeiro caminho: Jesus Cristo (cf. Jo 14,6), único Mediador e Redentor da humanidade.

    Assim, se passarmos a adorar uma criatura (seja ela criatura de Deus ou criatura do próprio homem) estaremos cometendo o pecado da idolatria, severamente punido por Deus. Um bom exemplo disto são as pessoas que atribuem todo poder ao dinheiro, acreditando que ele pode com tudo neste mundo: um caso não muito raro de idolatria nos dias de hoje!

    A BÍBLIA CONDENA AS IMAGENS?

    Depende do contexto!

    Se folhearmos a Bíblia, encontraremos várias passagens onde as imagens são condenadas. Por ex.: Ex 20,4-5; Lv 26,1; Dt 7,25; Sl 97,7; 115,8…

    Estaria, portanto, a Igreja Católica errada ao permitir a colocação e o uso de imagens em seus templos e nas casas dos fiéis?

    Ora, a Igreja Católica é a única Igreja que possui ligação direta com os tempos apostólicos; ela também ficou responsável pela guarda do depósito da fé, em especial das Sagradas Escrituras. Certamente, se quisesse mesmo agir contra a Palavra de Deus, adulteraria a Bíblia nessas passagens que condenam as imagens. O livro da Sabedoria – não reconhecido como Inspirado pelos protestantes, mas apenas pelos cristãos católicos e ortodoxos – condena, como nenhum outro livro do Antigo Testamento, a idolatria (cf. Sb 13-15). Não seria mais fácil para ela fazer como os protestantes e repudiar o citado livro?

    E por que não o fez? Simplesmente porque a Bíblia deve ser lida dentro de seu contexto e de forma completamente imparcial!

    Dessa forma, perceberemos que a própria Bíblia também defende o uso de imagens! Veja-se, por exemplo: Ex 25,17-22; 37,7-9; 40,18; Nm 21,8-9; 1Rs 6,23-29.32; 7,26-29.36; 8,7; 1Cr 28,18-19; 2Cr 3,7.10-14; 5,8; 1Sm 4,4; 2Sm 6,2; Sb 16,5-8; Ez 41,17-21; Hb 9,5…

    Como compreender essa curiosa “contradição”, já que o texto do Êxodo parece ser tão contundente:

    “Não farás para ti ídolos, nem figura alguma do que existe em cima, nos céus, nem embaixo, na terra, nem do que existe nas águas, debaixo da terra” (Ex 20,4)

    Fácil… Observando sempre os critérios de contexto e imparcialidade, devemos saber quando e em quais casos as imagens são proibidas ou aceitas.

    Analisemos, primeiro, o mandamento acima, repetido novamente em Dt 5,8 fala explicitamente de ídolo que, conforme vimos, é aquela coisa material ou imaterial que é colocado para substituir o verdadeiro Deus. Em Dt 13, temos a confirmação de que a função do ídolo é ser Deus; são os chamados falsos deuses. Mesmo com o mandamento acima, podemos perceber que os israelitas eram inclinados à idolatria, tendo-se em vista que eram escravos no Egito onde, mesmo mantendo a fé, assimilaram muitos costumes religiosos desse país, como prova a passagem do bezerro de ouro, onde este é confeccionado em virtude de uma simples demora da parte de Moisés.

    Isto justifica a existência de um mandamento contra a idolatria: Israel estava cercada de nações pagãs, politeístas e idólatras; cultuava-se o sol, os astros, os crocodilos, os reis, os gatos, etc. O verdadeiro povo de Deus devia se afastar de tudo isso pois era monoteísta!

    Tentemos, agora, compreender porque a mesma Bíblia que proíbe, também permite a confecão de imagens. Para isso, vamos recorrer a Nm 21,4-9, onde o próprio Deus ordena a Moisés a fabricar uma serpente de bronze para curar todos aqueles que para ela olhassem e tivessem sido picados por cobras no deserto. Neste caso a imagem não serviu para afastar o povo de Deus, mas para aproximá-lo, para demonstrar o Seu poder, sem contudo fazer esquecer o real motivo das picadas: o descontentamento de Deus com a teimosia de seu povo (v.5).

    Alguém poderia objetar: “Mas 2Rs 18,4 mostra que essa serpente foi depois destruída por Ezequias e que esse gesto agradou a Deus (v.3)!”. Contudo, tal argumentação é descabida porque em Ex 21,8 vemos que a serpente também foi confeccionada por ordem direta do Senhor a Moisés… Na verdade, o gesto de Ezequias pode ser compreendido pelo contexto do mesmo versículo 4 de 2Rs 18: a serpente de bronze deixara de cumprir a função de aproximar o povo de Deus e passara a ser vista como uma deusa: adquirira o nome de Noestã e incenso (símbolo de culto à divindade) era-lhe dedicado. Em outras palavras, a imagem da serpente (símbolo da compaixão de Deus Salvador para com seu povo) virara ídolo, substituindo o verdadeiro Deus Javé pela nova deusa “salvadora” Noestã: um crime flagrante contra o Mandamento que condena a idolatria. É desnecessário mencionar que esse desvirtuamento da função da serpente de bronze foi culpa única e exclusiva do povo que passou a idolatrá-la. Isso, porém, de forma alguma legitima ou justifica a destruição ou retirada das imagens sagradas!

    Logo, o que a Bíblia condena é a idolatria, a substituição de Deus por uma criatura, isto é, o uso negativo da imagem que fazem as pessoas a terem uma idéia errônea sobre Deus. Se o uso for positivo, aproximando as pessoas do verdadeiro Deus, então seu uso é justificado e permitido. A imagem simplesmente ajuda a criar um clima favorável à oração e é um meio eficaz de evangelizar principalmente os pobres e iletrados.

    APENAS OS CATÓLICOS E ORTODOXOS CONFECCIONAM IMAGENS?

    Antes de tratarmos sobre este tema, é interessante citar que os próprios judeus entenderam muito bem o tipo de proibição que a Bíblia impõe quanto ao uso das imagens: confeccionaram querubins de ouro para colocar sobre a Arca da Aliança (Ex 25,17-22), ornamentaram seus palácios e templos com imagens de bois, touros, leões e querubins (1Rs 23-29). Também famosa foi a sinagoga de Dura-Eurôpos, na Babilônia, cujo interior apresentava imagens de Moisés e a sarça ardente, a saída do Egito, o sacrifício de Abraão e a visão de Ezequiel.

    Entre os cristãos também não foi diferente: a partir do momento em que se crê e se adora um Deus único passa a ser contraditório e impossível oferecer o mesmo grau de adoração para qualquer outro ser (material ou imaterial) sem cair no pecado da idolatria.

    As imagens sempre foram usadas por Jesus e pelos apóstolos como instrumentos eficazes e reveladores da realidade invisível: para anunciar o Reino de Deus usaram imagens de lírios, pássaros, sal, luz, etc., coisas que estimulavam a compreensão do abstrato através de imagens retiradas do mundo concreto. São Paulo também nos ensina que o Deus invisível tornou-se vísivel em Jesus Cristo (cf. Cl 1,15). As catacumbas cristãs também apresentam, nas mais difersas formas (esculturas, pinturas e desenhos) imagens bíblicas como a multiplicação dos pães, o Bom Pastor, Noé e o dilúvio, a Virgem Maria, etc.

    Os cristãos orientais (ortodoxos) também devotam grande respeito às imagens, as quais chamam de ícones. Os ícones gregos e russos são tidos como os mais belos da iconografia cristã. Também os mosaicos gregos e latinos são exemplos de imagens da arte cristã à serviço da evangelização.

    Aliás, o uso catequético das imagens sempre foi defendido pelos doutores da Igreja principalmente para ensinar a fé cristã às crianças e analfabetos. Já em 394, São Gregório de Nissa, escreveu:

    “A figura muda sabe falar nas paredes das igrejas e muito ajuda” (Panegírico de São Tenório).

    Depois, em 604, o papa São Gregório Magno escreveu o seguinte ao bispo de Marselha:

    “Vós não devieis quebrar o que foi posto nas igrejas, não para ser adorado, mas simplesmente venerado. Uma coisa é adorar uma imagem e outra coisa é aprender, através dessa imagem, a quem as tuas orações são dirigidas. O que as Escrituras representam para os letrados, a imagem o é para os iletrados: são por essas imagens que aprendem o caminho a seguir. A imagem é o livro dos que não sabem ler” (Epístola XI,13).

    São João Damasceno (749) também defendia o uso didático das imagens. Com a eclosão da iconoclastia (isto é, a destruição das imagens sagradas) nos séculos VIII e IX, o Segundo Concílio de Nicéia, em 787, reafirmou solenemente a validade da veneração das imagens, não pelo valor do material em si, mas pelo valor das figuras que representam; seu culto, assim, é relativo, explicando-se pelo oferecimento indireto das orações àqueles que as imagens representam. Assim se definiram os padres conciliares na Sessão de 13 de outubro de 787:

    “Definimos […] que, como as representações da Cruz, […] assim também as veneráveis e santas imagens, em pintura, em mosaico ou de qualquer outra matéria adequada, devem ser expostas nas santas igrejas de Deus, nas casas e nas estradas. O mesmo se faça com a imagem de Deus Nosso Senhor e de Jesus Cristo Salvador, com as da […] Santa Mãe de Deus, com as dos Santos anjos e as de todos os Santos e justos. Quanto mais os fiéis contemplarem essas representações, mais serão levados a se recordar dos modelos originais, a se voltar para eles, a lhes testemunhar… uma veneração respeitosa, sem que isso seja adoração, pois esta só convém, segundo a nossa fé, a Deus”.

    TODOS OS PROTESTANTES REPUDIAM AS IMAGENS?

    No séc. XVI, a Reforma Protestante retomou a luta contra as imagens e passou a arrancar e destruir as imagens sacras. Alguns historiadores indicam Martinho Lutero como o responsável por tal “violência”, ao combater o culto aos santos. Entretanto, tomando contato com livros luteranos, parece-me que a versão tradicional não condiz com a realidade, já que os luteranos parecem não se posicionar contra o uso das imagens.

    Muito pelo contrário, o teólogo e historiador luterano Martin N. Dreher, em sua obra “A Crise e a Renovação da Igreja no Período da Reforma” sustenta uma posição bem favorável ao uso das imagens. Seguem alguns trechos dessa sua obra, em especial do capítulo 5, entitulado “Palavra e Imagem”:

    “Na primavera de 1522 aconteceu, em Wittenberg, o início de uma das maiores catástrofes na história da humanidade. O conselho da cidade determinara a retirada das imagens das igrejas. Quando se começou a executar a decisão dos conselheiros municipais, a multidão reunida na frente da igreja da cidade invadiu o templo, arrancou as imagens das paredes, quebrou-as e terminou por queimar tudo do lado de fora. Em questão de minutos, uma paixão brutal destruiu o que para gerações de cristãos fora objeto de veneração religiosa. […] Onde os iconoclastas passaram, os templos ficaram como lavouras após uma chuva de granizo. […] Igual a uma epidemia o iconoclasmo se alastrava por todas as regiões. […] E o mais interessante é que são poucos os historiadores que se referem a ele, permitindo que o iconoclasmo continue a ser praticado até os nossos dias. […] O terrível disso tudo é que cristãos, munidos de machados e martelos, se levantaram contra objetos sacros, em locais consagrados, ante os quais até há pouco se haviam ajoelhado. […] Cristãos destruíram a linguagem da imagem que durante séculos havia orientado os cristãos. E o culpado pela destruição não foi o povo, mesmo que ele tenha realizado a ação; os culpados foram os pregadores que, a partir do púlpito, incitaram ao iconoclasmo. […] O mentor intelectual do iconoclasmo em Wittemberg foi Andreas Bodenstein, de Karlstadt. […] Ardoroso em sua maneira de ser, mas falho no tocante à reflexão sobre a consequência de seus atos, Karlstadt assumiu a direção do movimento reformatório em Wittemberg enquanto Lutero se encontrava no Wartburgo. […] No inverno de 1521/22, [Karlstadt] escreveu e publicou livreto com o título ‘Da Eliminação das Imagens’. O livro é diminuto, tem poucas páginas, mas teve grandes consequências, provocando a destruição de muitas obras-de-arte. Segundo Karlstadt, não se pode tolerar imagens nas igrejas, pois afrontam o primeiro mandamento. Os ‘ídolos de óleo’ colocados sobre os altares, são invenção do demônio. Karlstadt tomou posição não somente contra esculturas, mas contra pinturas, a nova tendência na arte do Renascimento e da Reforma. […] Há autores que consideram Karlstadt o primeiro puritano. Assim, o emergente puritanismo seria responsável pelo iconoclasmo. […] Um outro momento parece ser importante para entender a onda iconoclasta: o biblicismo. […] Na Reforma se expressou a convicção de que somente a palavra havia de vencer. […] Para o mundo da Reforma, que tomava o cristianismo primitivo como norma e exemplo, não podia haver lugar para a imagem. Não é de se admirar que parte considerável do protestantismo tenha assumido as concepções de Karlstadt e que Calvino tenha em sua ‘Institutas’ um capítulo dedicado a todos os argumentos que podem ser usados contra as imagens. […] Quais as consequências desse fato? O século XVI não mais entendeu a linguagem das imagens e, por isso, as destruiu, produzindo consequências caóticas e cegueira. […] Com a retirada das imagens do interior das igrejas protestantes destruiu-se o pensamento simbólico tão constitutivo para o cristianismo. E o pensamento simbólico é pensamento religioso propriamente dito. É na linguagem simbólica que se expressa a experiência do espiritual. Quando essa forma de pensamento não-conceitual deixa de ser usada ou é ridicularizada, produz-se a destruição de uma das disposições religiosas do ser humano. Quando se destruíram as imagens, destruiu-se o elemento que deixa o que é cristão transformar-se em sentimento. A imagem provoca e confirma o pensamento simbólico, sem o qual não se pode imaginar religiosidade viva. Observando imagens religiosas aprendemos a sentir simbolicamente. A melhor forma de introduzir crianças no mundo de concepções cristãs é através de imagens. Quando aprendemos a ver a imagem apenas como ‘ídolo’, destruímos a percepção para o pensamento simbólico. […] Quando o ser humano não é mais capaz de pensar e de ver símbolos em uma tradição cristã viva, sua consciência religiosa fica esclerosada. […] No início, Lutero tinha dificuldades com as imagens e afirmava que seria melhor se não existissem. […] Mas quando Karlstadt deu início à onda iconoclasta, nela nada mais viu do que vandalismo, que estava prestes a destruir a liberdade evangélica e a reintroduzir a lei. Por isso, Lutero passou pouco depois a afirmar que imagens são memoriais e testemunhos e como tais devem ser toleradas. Além disso, chegou a afirmar que, se pudesse, mandaria pintar toda a Bíblia dentro e fora das casas. Sua postura em favor da pintura e das imagens tornou-se mais do que evidente desde a publicação dos catecismos (1529). As imagens movem a fé das crianças e dos simples. A fé cristã não se dirige, para ele, apenas aos ouvidos, mas também aos olhos das pessoas. […] A arte sacra deve ser meditada, e meditação não é pensamento lógico. Meditar é silenciar para que Deus possa falar. Nos últimos 500 anos, em razão do iconoclasmo, o pecado humano não tem deixado Deus falar; só fala o homem” (autor e obra citados, ed. Sinodal, São Leopoldo/RS, 1996, págs. 53-57; grifos nossos).

    As palavras acima demonstram que o mundo protestante vem se abrindo para o uso das imagens. É interessante notar como a posição de Dreher é semelhante à da Igreja Católica, especialmente por repudiar o iconoclasmo e por reconhecer a importância que as imagens representam para o pensamento abstrato e catequético. Antes disso, em 1956, um congresso luterano lançou a questão: “por que admitir as impressões auditivas na catequese e rejeitar as impressões visuais? Estas parecem ainda mais eficientes do que aquelas”.

    CONTRADIÇÕES DO MUNDO PROTESTANTE

    Ainda que alguns protestantes se manifestem a favor do uso de imagens, é muito comum encontrarmos posições críticas a esse respeito. Mesmo assim, o mundo protestante apresenta algumas inconsistências dignas de serem observadas:

    * A própria Bíblia é uma imagem: as palavras impressas sobre o papel nada mais são do que símbolos gráficos que excitam os olhos resultando na imaginação responsável pela compreensão do texto. Em verdade, a Bíblia é a imagem da Palavra de Deus.
    * Imagem não é apenas escultura: muito pelo contrário, abrange também pinturas, gravuras, desenhos e quaisquer outras formas que estimulem a visão. É, portanto, inconcebível que as mesmas igrejas que atacam as imagens sacras defendidas pelos católicos distribuam folhetos, Bíblias e estudos bíblicos ilustrados, quer para crianças, quer para adultos – pois senão também estarão afrontando o Mandamento divino de Ex 20,4, como dizem que os católicos afrontam…

    Abaixo, apresento algumas imagens distribuídas pelos protestantes que costumam a acusar os católicos de idólatras:

    Ele é a Solução Imagem do rosto de Cristo no folheto “Ele é a solução”, produzido e distribuído pelos Adventistas do 7º Dia: qualquer semelhança com as imagens católicas de Cristo não é mera coincidência.
    Quem governa este mundo? Imagem de Jesus Cristo no folheto “Quem realmente governa o mundo”, produzido pela Sociedade Torre da Vigia e distribuído pelas Testemunhas de Jeová: Cristo representado com barba e cabelos longos concordam com as imagens católicas.
    Anjo sobre templo mórmon Estátua de um anjo sobre o templo Mórmon de Salt Lake City, segundo revista “Despertai”, de 08.11.1995: exemplo de imagem em escultura no meio protestante.
    Presépio protestante Imagem desenhada representando a visita dos Reis Magos no “Caderno Bíblico nº 1/NT” da Sociedade Bíblica do Brasil: a cena se refere a Mt 2,1-12, porém concorda com a tradição católica de 3 reis magos, já que esse número não é explicitamente citado pela Bíblia. Bom exemplo do uso de imagens para a catequese.
    Moisés atravessando o mar Vermelho Marcador de livro distribuído por um candidato membro da Assembléia de Deus de Santos, durante as Eleições’98: a cena apresenta Moisés e os hebreus atravessando o Mar Vermelho. Outro ótimo exemplo do uso de imagens para fins catequéticos.
    Maria protestante História em quadrinhos produzida pelo americano J.T.C. e distribuída por diversas igrejas protestantes: embora sua real intenção seja combater Maria Santíssima, acaba retrantando-a de acordo com a tradição católica.

    A DOUTRINA OFICIAL CATÓLICA

    Falta-nos ver, finalmente, a posição oficial da Igreja sobre as imagens. Esta pode ser retirada do Catecismo da Igreja Católica:

    * 476. Visto que o Verbo se fez carne assumindo uma verdadeira humanidade, o corpo de Cristo era delimitado. Em razão disto, o rosto humano de Jesus pode ser ‘representado’ (Gl 3,1). No VII Concílio Ecumêncio [=II Concílio de Nicéia] a Igreja reconheceu como legítimo que Ele seja representado em imagens sagradas.
    * 1159. A imagem sacra, o ícone litúrgico, representa principalmente Cristo. Ela não pode representar o Deus invisível e incompreensível; é a encarnação do Filho de Deus que inaugurou uma nova ‘economia’ das imagens: “Antigamente Deus, que não tem nem corpo nem aparência, não podia em absoluto ser representado por uma imagem. Mas agora, que se mostrou na carne e viveu com os homens, posso fazer uma imagem daquilo que vi de Deus. (…) Com o rosto descoberto, contemplamos a glória do Senhor” (São João Damasceno, Imag. 1,16).
    * 1160. A iconografia cristã transcreve pela imagem a mensagem evangélica que a Sagrada Escritura transmite pela palavra. Imagem e palavra iluminam-se mutuamente: “Para proferir sucintamente a nossa profissão de fé, conservamos todas as tradições da Igreja, escritas ou não escritas, que nos têm sido transmitidas sem alteração. Uma delas é a representação pictórica das imagens, que concorda com a pregação da história evangélica, crendo que, de verdade e não na aparência, o Verbo de Deus se fez homem, o que é também útil e proveitoso, pois as coisas que se iluminam mutuamente têm sem dúvida um significado recíproco” (II Concílio de Nicéia, DOC 111).
    * 1161. Todos os sinais da celebração litúrgica são relativos a Cristo: são-no também as imagens sacras da santa mãe de Deus e dos santos. Significam o Cristo que é glorificado neles. Manifestam a ‘nuvem de testemunhas’ (Hb 12,1) que continuam a participar da salvação do mundo e às quais estamos unidos, sobretudo na celebração sacramental. Através dos seus ícones, revela-se à nossa fé o homem criado ‘à imagem de Deus’ e transfigurado ‘à sua semelhança’, assim como os anjos, também recapitulados por Cristo […].
    * 1162. “A beleza e a cor das imagens estimulam a minha oração. É uma festa para os meus olhos, tanto quanto o espetáculo do campo estimula meu coração a dar glória a Deus” (São João Damasceno, Imag. 1,27). A contemplação dos ícones santos, associada à meditação da Palavra de Deus e ao canto dos hinos litúrgicos, entra na harmonia dos sinais da celebração para que o mistério celebrado se grave na memória do coração e se exprima em seguida na vida nova dos fiéis.
    * 2129. O mandamento divino incluía a proibição de toda representação de Deus por mão do homem. O Deuteronômio explica: “Uma vez que nenhuma forma vistes no dia em que o Senhor vos falou no Horeb, do meio do fogo, não vos pervertais, fazendo para vós uma imagem esculpida em forma de ídolo…” (Dt 4,15-16). Eis aí o Deus absolutamente transcendente que se revelou a Israel. “Ele é tudo” mas, ao mesmo tempo, ele está “acima de todas as suas obras” (Eclo 43,27-28). Ele é a própria fonte de toda beleza criada” (Sb 13,3).
    * 2130. No entanto, desde o Antigo Testamento Deus ordenou ou permitiu a instituição de imagens que conduziriam simbolicamente à salvação através do Verbo encarnado, como são a serpente de bronze (cf. Nm 21,4-9; Sb 16,5-14; Jo 3,14-15), a arca da aliança e os querubins (cf. Ex 25,10-22; 1Rs 6,23-28; 7,23-26).
    * 2131. Foi fundamentando-se no mistério do Verbo encarnado que o sétimo Concílio Ecumênico, em Nicéia (em 787), justificou, contra os iconoclastas, o culto dos ícones: os de Cristo, mas também os da Mãe de Deus, dos anjos e de todos os santos. Ao se encarnar, o Filho de Deus inaugurou uma nova ‘economia’ de imagens.
    * 2132. O culto cristão de imagens não é contrário ao primeiro mandamento que proíbe os ídolos. De fato, “a honra prestada a uma imagem se dirige ao modelo original” (São Basílio, Spir. 18,45), e “quem venera uma imagem, venera nela a pessoa que nela está pintada” (II Concílio de Nicéia, DS 601). A honra prestada às santas imagens é uma ‘veneração respeitosa’, e não uma adoração, que só compete a Deus: “O culto da religião não se dirige às imagens em si como realidades, mas as considera em seu aspecto próprio de imagens que nos conduzem ao Deus encarnado. Ora, o movimento que se dirige à imagem enquanto tal não termina nela, mas tende para a realidade da qual é imagem” (São Tomás de Aquino, S.Th. 2-2,81,3,ad 3).
    * 2691. […] A escolha de um lugar favorável não é sem importância para a verdade da oração: para oração pessoal, pode ser um ‘recanto de oração’, com as Sagradas Escrituras e imagens sagradas, para aí estar ‘no segredo’ diante do Pai. Numa família cristã, essa espécie de pequeno oratório favorece a oração em comum; […]
    * 2705. A meditação é sobretudo uma procura. O espírito procura compreender o porquê e o como da vida cristã a fim de aderir e responder ao que o Senhor pede. Para tanto é indispensável uma atenção difícil de ser disciplinada. Geralmente, utiliza-se um livro, e os cristãos dispõem de muitos: as Sagradas Escrituras, o Evangelho especialmente, as imagens sagradas, os textos litúrgicos do dia ou do tempo, os escritos dos Padres espirituais, as obras de espiritualidade, o grande livro da criação e o da história, a página do ‘Hoje’ de Deus.

    Vemos, assim, que o ensino oficial da Igreja não escapa ao que dissemos neste artigo. Logo, não se pode acusar a Igreja Católica de praticar idolatria.

    OBSERVAÇÃO E COMENTÁRIO FINAL

    A questão das imagens está intimamente relacionada à comunhão dos santos. Assim que possível, também disponibilizarei um artigo sobre os santos e o assunto ficará melhor esclarecido. No entanto, como ficou bem claro neste artigo, a Igreja Católica não erra ao usar imagens, pois estas não são adoradas e também não substituem a Deus; ao invés disso, criam um ambiente propício à oração e ajudam muito na catequização e na formação de um pensamento simbólico, intimamente ligado ao meio religioso.

    É bom, contudo, observar que não existe imagem milagrosa, nem objeto poderoso: na verdade, o que existe é a fé do homem, que pode crescer mais com a ajuda das imagens. Não devemos esperar um milagre daquele pedaço de gesso, barro ou madeira, nem é recomendável ficar tocando e beijando as imagens esperando que elas atendam algum pedido. Somente Deus pode concretizar um milagre e, mesmo assim, não foi por intermédio da imagem, mas pela fé do fiel e da pessoa representada pela imagem.

    Assim sendo, aquele que acusa o católico de idólatra, demonstra grande falta de conhecimento religioso por não saber a diferença entre adoração e veneração. Como bem salienta o pe. Arthur Betti, em sua obra “O que o Povo Pergunta” (ed. Vozes), “a Sagrada Escritura apresenta-nos imagens que têm ouvidos e não ouvem, têm asas e não voam, têm boca e não falam, mas que nem por isso deixam de ter seu valor e significado. Deus apenas ordenou fazer imagens significativas. É claro que, sendo símbolos significativos, não podem ser, de maneira alguma, objeto de adoração, nem de desprezo, como fazem alguns ‘ilustres’, sem as devidas distinções”. Fica bem claro, assim, que a Igreja Católica, em perfeita sintonia com a Bíblia, condena tudo o que for ídolo – seja material ou imaterial – pois, como falso deus, tem a pretensão de ocupar o lugar reservado exclusivamente ao Deus Vivo, Criador e Salvador da Humanidade.

    Para encerrar, lembro que na nossa área de Documentos da Igreja está disponível a Carta Apostólica “Duodecim Saeculum”, que celebra o 12º século da realização do Segundo Concílio de Nicéia, que tratou sobre a veneração das imagens.

  190. diego disse:

    Pena não ter aparecido os panfletos com as imagens, no meu ultimo comentário que coloquei já que os protestantes fabricam para distribuir para as pessoas mundo a fora, já que ali nesses panfletos eles mostram o que tem no céu como será lá no céu tudo em forma de pintura que para eles já seria uma imagem

    Mais esses panfletos você encontra nas ruas, alguns protestantes entregando e já deve ter pegado um com certeza.

    Né “le”?

  191. diego disse:

    Sem contar que nós estamos rodeados de imagens meu amigo, e se você chegou a estudar mesmo que em escola publica deve saber que uma estrela que esta no céu também é uma imagem e muitas vezes essa estrela já desapareceu há muito tempo e mesmo sem ela existir a gente aqui da terra continua vendo a sua imagem brilhar, pois demora anos luz para chegar a imagem aqui na terra mesmo sabendo que ela não existe mais, interessante isso não é “le”?

    E você adora as estrelas?

    Ou nunca venerou uma estrela?

    Então se queres seguir esses caras que ficam colocando essas cogitações contra a igreja católica de hoje em diante você deve andar de cabeça baixa de noite para não ver mais as imagens das estrelas!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Kkkkkkkkkkkk
    Kkkkkkkk
    Kkkkk
    Kkk
    Kk
    k

  192. diego disse:

    Falei e esqueci de dizer, como você citou os dicionários para falar de idolatria e adoração meu amigo, vou ti explicar melhor mais da raiz lá do grego de onde elas vêem consegue entender veja:

    Dulia e latria são palavras gregas de onde vem o significado da raiz do que significa idolatria e veneração.

    Então mais um equívoco seu em dizer que idolatria e veneração são a mesma coisa veja:

    Latria:

    Do grego (λατρεια, “latreuo” que significa “adorar”), latria é um termo teológico utilizado pelas Igrejas Católica e Ortodoxa que significa o culto de adoração devida e dada somente a Deus, ou seja, à Santíssima Trindade.
    Este culto a Deus é feito através da liturgia, que é o culto oficial e obrigatório da Igreja Católica, e também através da piedade popular, que é o culto católico privado. No campo da piedade popular, destacam-se as devoções feitas a Deus (consagração do dia), a Jesus (visita ao Santíssimo Sacramento, a “via-sacra”, o Sagrado Coração de Jesus) e ao Espírito Santo (invocação). No campo da liturgia, destaca-se indubitavelmente a Missa, que é a celebração da Eucaristia e do Mistério Pascal de Jesus.

    Dulia:
    No cristianismo Dulia (do grego δουλεια, “douleuo” que significa “honrar”), é um termo teológico que significa a honra o e culto de veneração devotados aos santos. A veneração especial devotada a Maria chama-se hiperdulia (‘υπερδουλεια). É praticado pelas Igrejas Católica, Ortodoxa e alguns grupos da Igreja Anglicana.
    Este culto aos Santos e à Nossa Senhora é feito através da liturgia, que é o culto oficial e obrigatório da Igreja Católica, e também, em maior intensidade, através da piedade popular, que é o culto católico privado. No campo da piedade popular, destacam-se a veneração de imagens (desde que não se trate de idolatria), as procissões, as peregrinações e as múltiplas devoções feitas à Virgem Maria (Santo Rosário, Angelus, Imaculado Coração de Maria, etc.), ao Anjo da Guarda e aos Santos (novenas, trezenas).
    A dulia e a hiperdulia diferenciam-se muito da latria, que é o culto de adoração prestado e dirigido unicamente a Deus.

    Se for para colocar fatos coloque da raiz meu amigo “le”, como eu coloquei acima do grego, e não de fatos impostos depois de 2000 mil anos.

  193. diego disse:

    MMMMMMMMMMMMMM@WB000aSX7r;i:.. ,:ii;7XXSa80BW@MMMMMMMMMM
    MMMMMMMMMMMM@WB08ZZS7;i:,. ,Z@MM@Z ,i;r7SZ0BW@@MMMMMMMM
    MMMMMMMMMMMM@BB000ZXr;iii, @MMMMMMMM7 .,irXXSZ0BW@@MMMMMMMM
    MMMMMMMMMMM@WWB808S7;;i:. 0MMZr;,:BMM; ..i7XS280BW@@MMMMMMM
    MMMMMMMMMMM@WWB00ZS7;;;…MM2 ,. WMM ..:rXS2Z0BW@WMMMMMMM
    MMMMMMMMMMM@WWB00ZSr;i:. :MMaZ0rSM0XMMi .:;XS2Z00WWW@MMMMMM
    MMMMMMMMMMM@WWB00ZX7;i:. ;MMS88Z;Xi.MMa .:;7XSZ80WWW@MMMMMM
    MMMMMMMMMMWWBB008aX7;i:. :MM2 i0r7:XMMM, ,i;7X2Z0B@WWMMMMMM@
    MMMMMMMMMM@WWBB00Z2X7;i. 0MMMa0MWBBWMMM; ,;r7Sa80W@WWMMWMWXZ
    MMMMMMMMMMM@@WBBB0ZS7ri. ZMMMMM8BZMMMMM7 :;7X2Z80WWW@8XXS77W
    MMMMMMMMMMMMM@WBBB0ZX77: ,MMMMMMMMMXMMMMZ:rSaZ80W@WW@rrXS0BB
    MMMMMMMMMMMMM@WBBBWB8aSr2WM@MBB@MBSiXMMMM@XaZ80BW@MMMaZ8MMMM
    MM80@MMMMMMMM@@B00BM@ZXr7;XiSZ0S2Srr ;MM@@88288BBWMMM0MMBWMM
    M7BZSSZMMMMMMW@@@@0r ,;i;X:, ;MMMWMMMM@W00a77@MB27MM
    MBXSXX rMMMMMMMM0;. . 0MMW@MMMMMMMMZ:0MW8a7MM
    MMMWZ8XiXMMMMMS. .i,, . .: X, iMBZaB@MMMMMMMMZ0@WBSXMM
    MMMMMMBW@;XWX .iiX2 ;:,,, .. 7ZSi 7Z;aWMMMMMMMMMWZrWMW77MM
    MMMMMMMSMS ,ii7;X@irr,ii,.. SMMMMXiaBMMMMMMMMMMM8B ZMM,SMM
    MMMMMrMW0r7 ,SaSX7X0XiX,;ii:.rMMMMMM20@MMMMMMMMM@M8B,XMW BMM
    MMMMX.@Ma;2;7S7WaSS80iZir:::. XMMM@7rS0MMMMMMMMM@M8B;;MB MMM
    MMMM.rBMiXZ;Xr7W7BBMMi8ir:,, S7 :r8W@@MMMMMMM@MZ0,WM0.MMM
    MMMM SZairZ7::;7S,rMM;8;ii,:,., MMa7ZMMMMMMMMM@MZXX@B,MMMM
    MMMM SSir .i,,ii72MMMrar,r,:,.iriZMMMB7SBMMMMMMMMM2XZrZBMMMM
    MMMM r:;i.:X0BBMMMMMM277:7ii:i7X2MMMMMMZ28MMMMMMMMM8BMMMMMMM
    MMMMXXS00BWBBWMMMMMMWZX;,:,:,,ir0@@@@@@MW00BMMM@@MMMMMMMMMMM

    Deixem Jesus entrar nas suas vidas e abrir os seus olhos meus amigos, para enxergarem o que esta na frente de vocês.

    MMMMMMMMMMMMMMMMMMMMM8MMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMWMMMMMMMMMMMMMMMM
    MMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMrMMMMMMMMMMMMMMMMMMMM8BMMMMMMMMMMMMMMMM
    MMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMSMMMMMMMMMMMM@B@MMMMMBW8MMMMMMMMMMMMMMM
    MMM0MMMMMMMMMMMMMMMMMXMMaZMMMMS XMM2MMMMMMMWMMMMMMMMMMMMMMM
    M2MMMMMMMMMMMMMMMMMMMZ0a; .:. S8 rMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMM
    0ZMMMMMMMMMMMMMMMMMMWarM2 :20BMM@i ;:BMMMMMMMMMMMMMMMMMMMM@
    WMMMMMMMMMMMMMMMMMMZ28a:ZMMMBS;,WMr MMMMMMMMMMMMMMMMMMWMM
    MMMMMMMMMMMMMMMMMMW7W8S@MM8;;i. WM7 MMMMMMMMMMMMMMMMWMMMM
    MMMMMMMMMMMMMMMMMMaZBMMM0iXXii::, @M 2MMMMMMMMMMMMMMBMMMMM
    MMMMMMMMMMMMMMMMMM;WMMMMMMMMM7XZBX:MM MMMMMMMMMMMMMMMMMMMM
    MMMMMMMMMMMMMMMMM0;MMMMMMMMMM.2MMM0MM2 ,MMMMMMMMMMMMMMMMMMM
    MMMMMMMMMMMMMMMMM2ZMMM@iXr 20 iSMMBZM@ MMMMMMMMMMWMMMMMMMM
    MMMMMMMMMMMMMMMMM;rMMMMa:.i0r : aMM MMMMMMMMMMMMMMMMMM
    MMMMMMMMMMMMMMMMM MBMMM87BMMSX,.:iMMM : 0MMMMMMMMMMMMMMMMM
    MMMMMMMMMMMMMMMMM..MZMMM@aMM8ri;22aMMM .: MMMMMMMMMMMMMMMMM
    MMMMMMMMMMMMMMMM2B7ZSMM@BXMMMMBaaS@MM@: r, MMMMMMMMMMMMMMMMM
    MMMMMMMMMMMMMMMBS7;@,MMMB7:::::rXZMMMa, rX :MMMMMMMMMMMMMMMM
    MMMMMMMMMMMMMMMSar8M MMMM@Z; iS0@MMMB87 ,X MMMMMMMMMMMM@MM
    MMMMMMMMMMMMMBr2S;SM:@MMMMMMMMMWMMMB0WM, S .MMMMMMMMMMMMMM
    MMMMMMMMMMMMM2ZaX::r:MMMMMM@Z7i:WMM;a8MWSa7 MMMMMMMMMMMMM
    MMMMMMMMMMMBa2aaX .:SMMBaSXi .0MM:r;X;iXr, , ;MMMMMMMMMMMM
    MMMMMMMMMM ;2rSa7:.,7MBSrii;:,:;ZMMX7. .7, :. MMMMMMMMMMMM
    MMMMMMMMM i2aB2X7::i:87rXSSXX7;;;BM00; irZX: ,i ;MMMMMMMMMMM
    MMMMMMMZ 7X20r,;;;r:8 .. ,. ZMM8i.i7SX..,; MMMMMMMMMMM
    MMMMMMX :ira82i,,XrriSi. :. ,i r07MB7.irSr:::r MMMMMMMMMM
    MMMMMS,:.iraZri, .,i::;,XZ2r;.: ;Si@WX .:: .,.. MMMMMMMMM

  194. diego disse:

    Baixei um arquivo que mostra a historia da igreja católica, onde os apóstolos andaram e escreveram as epístolas, muito interessante, mostra muitas coisas da época de cristo a quem interessar basta ler já que mostra tudo ate a igreja chegar na época de Constantino.

    Grande conhecimento para quem gosta de estudos bíblicos a fundo vejam:

  195. le disse:

    olha meu amigo,existe muitas igrejas protestante,eu sei disso,agora você dizer que os evangélicos distribuem panfletos com imagem,o que posso concluir é que você mau entende do seu mundinho católico.se você não sabe quem distribuem estes panfletos são os testemunhas de Jeova,que particularmente pra mim é uma seita pior que o catolicismo.

  196. diego disse:

    Eles são o fruto das suas divisões meu amigo!

    Kkkkkkkkkkk
    Kkkk

    Jesus mente “le”?

    “Jesus, porém, penetrando nos seus pensamentos, disse:” Todo reino dividido contra si mesmo será destruído. Toda cidade, toda casa dividida contra si mesma não pode subsistir ” (Mateus 12, 25)

    me aponta um protestante que não se dividiu meu amigo incluindo você que se dividiu de todas?

  197. diego disse:

    1ª parte
    fonte: http://www.bibliacatolica.com.br

    A Igreja é um projeto que nasceu do coração do Pai, prefigurada desde o início dos tempos, preparada na Antiga Aliança com Israel, instituída por Cristo Jesus. A Igreja é o Reino de Deus misteriosamente presente no mundo. Ela se inicia já com a pregação de Jesus. Foi dotada pelo Senhor de uma estrutura que permanecerá até o fim dos tempos. Edificada sobre Pedro e os demais apóstolos, é dirigida por seus legítimos sucessores.

    A Igreja começa e cresce do sangue e da água que saíram do lado aberto do crucificado. Nela se conserva a comunhão eucarística, o dom da salvação oferecido por Jesus em nosso favor.

    A Igreja é indefectivelmente santa, sem mancha e sem ruga, porque o próprio Deus nela habita santificando-a por sua presença. O pecado dos filhos não lhe pertence. Só em sentido derivado e indireto se pode falar de —Igreja pecadora“.

    Em Pentecostes, —a Igreja se manifestou publicamente diante da multidão e começou a difusão do Evangelho com a pregação“ (Ad Gentes, n. 4).

    Pentecostes do ano 30. Todos reunidos: os apóstolos, Maria parentes de Jesus, algumas mulheres. Um ruído de ventania desce do céu. Línguas como de fogo surgiram e se dividiram entre os presentes. Todos ficaram repletos do Espírito de Deus e começaram a falar em outras línguas.

    Esta assembléia inicial, esta kahal, ekklesia, igreja, é o princípio. Depois do prodígio das línguas, Pedro dirigiu-se à multidão reunida na praça e fez uma memorável pregação. Muitos se converteram,
    especialmente judeus vindos da Diáspora. Estes levaram a Boa-Nova aos seus locais de origem, o que
    provocou o surgimento, bem cedo, de comunidades cri ãs em Damasco, Antioquia, Alexandria e mesmo
    em Roma. Alguns helenistas, no entanto, permaneceram em Jerusalém. Para cuidar de suas
    necessidades materi s, os apóstolos escolheram sete diáconos.

    Fili um dos sete, evangelizou em Samaria (foi lá que Simão, o Mago, ofereceu dinheiro aos apóstolos
    Pedro e João em troca do Espírito Santo, donde o termo simonia – tráfico de coisas sagradas e de bens
    espirituais) e anunciou à Boa Nova a um etíope, funcionário da casa real de Candace.

    Estevão era o diácono que mais se destacava. Por sua pregação incisiva, é detido pelas autoridades
    judaicas, julgado e apedrejado como blasfemador. Torna-se o primeiro mártir da História da Igreja.
    Enquanto é assassinado, perdoa os seus perseguidores e entrega, confiante, a sua vida nas mãos de
    Jesus.

    O manto de Estevão foi deixado aos pés de um jovem admirador do ideal farisaico chamado Saulo.

    4. —Por que me persegues?“

    Saulo, Schaoul, natural de Tarso da Cilía, filho da tribo de Benjamim, a mesma do rei David. Filho de comerciantes ricos, cidadão romano, ligado à seita dos fariseus, aluno do glorioso rabino Gamali , zeloso defensor da Torá.

    Depois de oito dias atravessando a estrada arenosa que ligava Jerusalém a Damasco, o coração cheio de fúria inflamado pelo fanatismo religioso, Saulo estava cansado mas prosseguia com obstinação. Era mais ou menos meio-dia.

    Subitamente, uma luz muito forte o envolveu e o fez cair por terra. Enquanto tentava compreender o que estava acontecendo, ouviu uma voz: —Saulo, Saulo, por que me persegues?“ Assustado, perguntou:
    —Quem és, Senhor?“ A voz lhe respondeu: —Eu sou Jesus a quem tu persegues“. —Senhor, que queres que eu faça?“ A voz disse: —Levanta-te, entra na cidade. Aí te será dito o que deves fazer“.

    Saulo, o perseguidor, converteu-se no grande arauto do cristianismo, um caso único. Alguém que não chegou a conhecer Jesus pessoalmente, que não fazia parte dos doze, mas que se lançou na difíl missão de evangelizar os povos pagãos, percebendo que não era necessário passar pelo judaísmo para se tornar discípulo de Jesus.

    Embora Pedro já tivesse aberto a porta da Igreja para os gentios, Saulo, ou Paulo, merece sem dúvida o título de Apóstolo das Gentes.

    3 Visite:www.bibliacatolica.com.br

    História da Igreja Católica

    Em 44, achava-se na cidade de Antioquia (foi lá que pela primeira vez os discípulos de Jesus receberam o nome de —cristãos“) com Barnabé. Ao longo de um ano trabalharam juntos. Na primavera de 45, tomaram um barco para a ilha de Chipre e depois seguiram para a Panfíla, percorrendo, em seguida, a Licaônia. Paulo entrava nas sinagogas, pregava, procurava demonstrar que Jesus era o Messias esperado usando as Escrituras. Depois, voltava-se para os pagãos e anunciava-lhes a Boa-Nova. Sempre encontrou muitos obstáculos no seu ministéri principalmente a oposição de seus irmãos de raça.

    Quando voltou para Antioquia entrou em confronto com os judaizantes, que impunham o rito da circuncisão como pré-requisito para seguir Jesus. A controvérsia é levada até Jerusalém, diante de Pedro, Tiago e João (o famoso Concílio de Jerusalém, cerca de 49), os quais aprovam o procedimento de Paulo.
    Para salvar-se o que importa não é a circuncisão, mas a fé em Cristo que opera pela caridade. Isto selou o rompimento do cristianismo com o judaísmo.

    Em 49, Paulo sai de Antioquia para uma viagem de três anos. Deixa Barnabé e toma Silas como companheiro. Na cidade de Listra, Paulo e Silas encontram Timóteo e seguem atravessando a Frígia e a Galácia, alcançando a Macedônia. Em Filipos são presos. Em Tessalônica são acusados de adversários do imperador pelos judeus, porque diziam que Jesus era rei. Em Beréia, a sinagoga escuta atentamente a pregação de Paulo, comparando suas palavras com o que havia nas Escrituras.

    Quando entra em Atenas, fica impressionado com a enorme quantidade de ídolos e monumentos aos deuses. Discute com os atenienses na ágora, tentando usar um pouco da linguagem da filosofia para lhes falar de Jesus. Quando trata da cruz e da ressurreição, no entanto, é ridicularizado. Crer que um escravo crucificado saiu de seu túmulo era demais para a sofisticação intelectual grega.

    Logo a seguir desce para Corinto, cidade portuária na qual existem dois escravos para cada homem livre. Lá, onde trabalha muita gente vinda do Oriente, o acolhimento do Evangelho é maior do que em Atenas. Como fabricante de tendas, Paulo fica na cidade por dezoito meses. Neste período envia suas duas cartas aos Tessalonicenses. Após uma breve escala em Éfeso, Paulo volta para a Síria pelo mar.

    Em 53, Paulo realiza sua terceira viagem missionária a mais demorada de todas. Escolhe Éfeso como base de ação (54-57), de onde envia a epístola aos Gálatas e a primeira epístola aos Coríntios. Em Corinto estavam surgindo divisões que enfraqueciam seriamente a comunidade.

    Um fabricante de estatuetas de Êrtemis provoca um grande tumulto em Éfeso, contra os cristãos, o que obriga Paulo a partir. O apóstolo segue para a Macedônia, onde escreve a segunda epístola aos Coríntios.
    Fica em Corinto novamente e de lá redige a carta aos Romanos, pedindo ajuda para efetuar uma viagem evangelizadora até a Espanha.

    Antes disso é preciso ir até Jerusalém levar a coleta feita no Oriente em favor da Igreja-mãe. Saindo de Filipos, ele passa por Trôade e depois chega a Mileto. Aos efésios, que foram encontrar-se com ele, confidencia que não espera mais vê-los.

    Em Cesaréia tentam detê-lo. No ano de 58, em Pentecostes, encontra-se na cidade santa. Quase linchado, é preso. Quando vai ser flagelado, apela para sua condição de cidadão romano, e faz com que o enviem a Cesaréia, onde mora o procurador Félix. A questão se arrasta por dois anos. O sucessor de Félix Festo, cansado de ouvir os apelos de Paulo a César, envia-o para Roma.

    Quando finalmente chega à capital do Império passa dois anos em liberdade vigiada, correspondendo-se com as comunidades de Colossas, Éfeso e Filipos. Neste ponto se encerra a narrativa dos Atos dos
    Apóstolos.

    As epístolas a Tito e a Timóteo são de um segundo cativeiro na época da perseguição de Nero.

    5. As primeiras comunidades cristãs

    O que mais impressiona nas primeiras comunidades é o fervor e a coragem dos cristãos. Diante das autoridades e dos líderes religiosos do seu tempo, os fiéis não temem confessar que Jesus é o Messias. A presença do Espírito Santo é muito viva. Cada igreja local tinha seus ministros, apóstolos, profetas, doutores… Todo o fiel recebia de Deus carismas especiais, que devia colocar à disposição da comunidade (dom de línguas, sabedoria cura, ensino…).

    A atuação feminina era expressiva, mas não havia confusão entre o papel do homem e o papel da mulher (a sociedade romana era muito machista e tratava a mulher como se fosse propriedade do marido; as crianças também eram desprezadas, podendo ser rejeitadas ou abandonadas à própria sorte pelo pai – tudo isto muda entre os cristãos). Em Cristo não há diferença de dignidade entre grego e judeu, homem e mulher, escravo (a sociedade romana era escravocrata) e livre. Todos se reuniam para celebrar a
    eucaristia (ou fração do pão) especialmente no domingo (que substituiu o sábado como o sétimo dia dos cristãos, por causa da ressurreição do Senhor), oravam em comum, partilhavam seus bens, ajudavam os pobres. O rito de iniciação cristã era o batismo, no qual os efeitos da morte redentora de Cristo eram aplicados sobre o crente. Havia ainda a imposição de mãos, ou Crisma, através da qual o fiel confirmava o seu compromisso e assumia uma missão na comunidade, e a unção dos enfermos, que servia para
    curar e confortar os doentes.

    Uma fonte importante sobre a vida das comunidades cristãs do final do séc. I e início do séc. II é a Didaqué, ou Instrução dos Doze Apóstolos, uma espécie de catecismo primitivo. A primeira parte da Didaqué apresenta os dois caminhos que o homem pode escolher: o da vida e o da morte. Seguem-se orientações para a conduta dos fieis e exortações. Na segunda parte há uma descrição da vida
    sacramental e da oração. O batismo é feito em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo e, quando a imersão não é possível, a água pode ser simplesmente derramada três vezes sobre a cabeça de quem vai receber o sacramento. Os crentes devem jejuar duas vezes na semana e rezar o Pai Nosso três vezes por dia. A celebração dominical (Missa) é o sacrifío verdadeiro que cumpre a profecia de Ml 1,10s. Antes de se realizar a fração do pão os fieis fazem uma espécie de ato penitencial (exomologese). A Didaqué também fala de apóstolos, profetas inspirados pelo Espírito Santo (os quais chama de sumo sacerdotes) e mestres que percorrem as igrejas. Bispos e diáconos são escolhidos pelos fieis, com a mesma dignidade dos profetas e dos mestres. Por último, adverte contra os —falsos profetas e corruptores“, e contra o anticristo que virá quando o fim estiver próximo. Aqueles que perseverarem na fé durante a grande tribulação serão salvos. Depois que o céus se abrirem, após o soar da trombeta e a ressurreição dos
    mortos, —o mundo verá o Senhor vindo sobre as nuvens do céu“.

    Sobre a penitência, já lemos no evangelho de João (Jo 20,21-23) que Cristo conferiu aos apóstolos o poder de perdoar pecados. Paulo, em sua primeira carta aos Coríntios, condena um caso de incesto e excomunga os responsáveis, esperando que com isto eles se arrependam e retornem para o Senhor. Na epístola de Tiago há uma exortação para a confissão dos pecados (Tg 5,16-18). Há casos, porém, de faltas graves para as quais se hesita em reconhecer a possibilidade de remissão (Hb 10,26ss; ver
    também a distinção que o apóstolo João faz entre pecados que levam à morte e pecados que não levam à morte, 1Jo 5,16). Quem renega a fé não encontrará misericórdia para seu crime, segundo o autor da carta aos Hebreus.

    Os primeiros cristãos eram geralmente gente simples, das camadas sociais mais baixas. Exteriormente não se distinguiam das outras pessoas do seu tempo, mas viviam de modo honesto e digno. Procuravam ser obedientes às autoridades e oravam pelos governantes.

    frente de cada comunidade havia epíscopos, ou então um colégio de presbíteros. Havia também diáconos, que cuidavam da administração e da distribuição dos bens entre os necessitados. Tanto os epíscopos como os presbíteros e os diáconos eram ordenados através da imposição de mãos. Esta estrutura ministerial , ainda não muito precisa, deu origem à hierarquia da Igreja tal como a conhecemos hoje.

    Com Santo Inácio de Antioquia as coisas ficarão mais claras: —Que todos, assim como reverenciam Cristo, reverenciem os diáconos, o bispo, que é a imagem do Pai, e os presbíteros, que são o Senado de Deus, a Assembléia dos Apóstolos“. No início do século II, este regime se imporá naturalmente entre as igrejas da Ásia.

    O que não se pode negar é que, desde os seus primórdios, a Igreja possui uma constituição hierárquica, formada pelos apóstolos e por Pedro, e que esta constituição foi transmitida sempre e ininterruptamente através do sacramento da Ordem. Os apóstolos fundaram comunidades e ordenaram pessoas para presidi-las. Estas, por sua vez, ordenaram outras como sucessoras, e o processo prosseguiu em uma cadeia contínua que permite ligar cada bispo, cada padre, cada diácono da Igreja de hoje aos apóstolos
    e, dos apóstolos, ao próprio Jesus Cristo.

    De modo particular, o bispo de Roma é o sucessor do apóstolo Pedro e, portanto, responsável por garantir a unidade e a integridade da fé da Igreja.

    Outra característica relevante dos primeiros cristãos era a ansiedade pelo retorno do Senhor, a Parusia. Pelas cartas de Paulo vemos que a volta iminente de Jesus era crença comum. Nas assembléias litúrgicas ouvia-se freqüentemente a exclamação cheia de esperança: —Maranatha! Vem Senhor Jesus!“ Com o tempo percebeu-se que a vinda de Jesus não era tão iminente.

  198. le disse:

    ORIGEM DA IGREJA CATÓLICA

    A origem do catolicismo foi em razão do desvio doutrinário das igrejas primitivas. Após a morte de Cristo, fundador da Igreja, seus discípulos ficaram vulneráveis aos ataques dos adversários. Estevão foi morto apedrejado pela multidão enfurecida, Atos 7:57-60. Mais tarde o apóstolo Tiago foi morto à espada pelo rei Herodes, Atos 12:1-2. Por incrível que pareça, as perseguições dos inimigos colaboraram para surgimento de outras igrejas. O livro de Atos diz “Mas os que andavam dispersos iam por toda a parte, anunciando a palavra” (Atos 8:4).

    Devido a perseguição os discípulos fugiram de Jerusalém e por onde passavam o Evangelho era anunciado. Filipe, que era um dos fugitivos, pregou na cidade de Samaria e também ao eunuco, homem importante da Rainha da Etiópia. É bem possível que o eunuco tenha levado o Evangelho ao país da Etiópia.

    Porém, as perseguições não se restringiram somente aos ataques físicos. Satanás é um inimigo muito inteligente e sutil. Deus criou Lúcifer e não o Diabo. Lúcifer (portador da Luz) se transformou no Diabo porque queria ser semelhante ao Criador, Ezequiel 28:15-17. Quando Satanás percebeu que matar os cristãos não estava surtindo efeito, então resolveu mudar de tática. O Diabo resolveu solapar a fé dos crentes introduzindo idéias estranhas ao Evangelho de Cristo. Ainda nos dias dos apóstolos alguns crentes começaram a acreditar que a fé em Cristo não era suficiente para a salvação da alma. As obras foram acrescentadas à fé para alcançar a graça de Deus. No Livro de Atos podemos confirmar este fato: “ENTÃO alguns que tinham descido da Judéia ensinavam assim os irmãos: Se não vos circuncidardes conforme o uso de Moisés, não podeis salvar-vos” (Atos 15:1). Alguns falsos pregadores entraram sorrateiramente nas igrejas da Galácia e ensinaram que era necessário guardar os preceitos da lei, transtornando assim o verdadeiro Evangelho de Cristo, Gálatas 1:7. Paulo admoestou aos irmãos gálatas que qualquer outro evangelho diferente que ele tinha anunciado deveria ser considerado anátema (maldito), Gálatas 1:8. Paulo não cedeu nenhum momento aos falsos ensinadores, e procurou reconduzir os irmãos gálatas à fé verdadeira, Gálatas 2:5; 3:10-11.

    Depois que os apóstolos morreram as igrejas continuaram sendo atacadas doutrinariamente. João, o último dos apóstolos a morrer, foi escolhido por Cristo para escrever às sete igrejas da Ásia. Capítulos dois e três de Apocalipse mostram claramente os problemas que cada uma das sete igrejas tinham. As igrejas foram contagiadas pelo vírus maligno do inimigo.

    Um outro erro que penetrou nas igrejas foi a de alguns homens que se diziam cristãos, assenhorearem da herança de Deus. O apóstolo Pedro já havia advertido a respeito disso: “Apascentai o rebanho de Deus, que está entre vós, tendo cuidado dele, não por força, mas voluntariamente; nem por torpe ganância, mas de ânimo pronto; Nem como tendo domínio sobre a herança de Deus, mas servindo de exemplo ao rebanho” (I Pedro 5:1-2). Diótrefes, ainda no tempo do apóstolo João, queria dominar a qualquer custo uma igreja local. “Tenho escrito à igreja; mas Diótrefes, que procura ter entre eles o primado, não nos recebe” (III João 9).

    Depois dos erros citados acima seguiu-se outro que tem sido uma das marcas da Igreja Católica Romana e de outras que dela saíram. “A Regeneração Batismal”. A idéia de que o batismo poderia ajudar na salvação da alma começou ainda no final no 2º século. Neste século muitas igrejas já haviam desviadas dos ensinamentos de Cristo e dos apóstolos. Muitas igrejas questionavam que se a Bíblia fala tanto do batismo, então ele tem um valor que pode ajudar na remissão da alma.

    No início do ano 313 A.D., o cristianismo tinha alcançado uma poderosa vitória sobre o paganismo. Um novo imperador veio ocupar o trono do Império Romano. Ele evidentemente reconheceu algo do misterioso poder dessa religião que continuava a crescer, não obstante a intensidade da perseguição. A História diz que este Imperador que não era outro senão Constantino, teve uma maravilhosa e real visão. Divisou no céu uma CRUZ de brilhante luz vermelha na qual estavam escritas a fogo as seguintes palavras: “Com este sinal vencerás”. Constantino interpretou isto como uma ordem para que se tornasse cristão. Entendeu ainda que abandonando o paganismo e uniu do o poder temporal do Império Romano ao poder espiritual do Cristianismo o mundo seria facilmente conquistado. Deste modo, a religião cristã se tornaria uma religião universal e o Império Romano o Império de todo o mundo. Assim sob a liderança do Constantino veio um descanso, um galanteio e uma proposta de casamento. O Império Romano por intermédio de seu imperador pediu em casamento o cristianismo. Para tornar efetiva e consumada esta profunda união, um concílio foi convocado. Em 313 A. D. foi feita uma convocação para que fossem enviados, juntamente, representantes de todas as igrejas cristãs. Muitas, mas nem todas, vieram. A aliança estava consumada. Uma hierarquia foi formada. Na organização desta hierarquia Cristo foi destronado como cabeça da igreja e Constantino foi entronizado (ainda que temporariamente, já se vê) como cabeça da igreja.

    A hierarquia estava definitivamente começando a desenvolver-se no que conhecemos hoje como Igreja Católica ou Universal. Pode-se dizer que isso tinha começado, se bem que, indefinidamente, já no fim do 2o século ou no início do 3o quando as novas idéias com referência aos bispos e ao governo da Igreja começaram a se formar. Deve ser também claramente lembrado que, quando Constantino fez a convocação para o citado Concílio houve muitos cristãos (batistas) que deixaram de responder à mesma. Eles não aprovavam o casamento da religião com o estado, nem a centralizarão do governo religioso, nem a criação de um tribunal religioso mais elevado, de qualquer espécie que não fosse a Igreja local. Estes cristãos (batistas) bem como suas igrejas deste tempo ou mais tarde não aceitaram a hierarquia denominacional católica.

    Quando esta hierarquia foi criada, Constantino, que tinha sido feito o seu cabeça, não era ainda cristão. Ele tinha decidido tornar-se, mas como as igrejas que o acompanharam na fundação desta organização hierárquica, tinham adotado o erro da regenerarão batismal, uma série questão se levantou na mente de Constantino: “Se eu sou salvo dos meus pecados pelo batismo, como escapar os meus pecados posteriores ao batismo?” Constantino levantou assim. Uma questão que iria perturbar o mundo em todas as gerações seguintes. Pode o batismo lavar de antemão os pecados não cometidos? (ou sãs) os pecados cometidos antes do batismo lavados por um processo (isto é, pelo batismo) e os cometidos depois do batismo, por um outro processo?

    Não tendo sido possível resolver satisfatoriamente a muitas questões assim levantadas, Constantino resolveu finalmente unir-se aos cristãos, mas adiando o seu batismo para mais perto de sua morte, porque assim todos os seus pecados poderiam ser lavados de uma só vez. Este propósito ele seguiu e não havia sido ainda batizado até pouco antes de sua morte. Abandonando a religião pagã e aderindo ao Cristianismo, Constantino incorreu em séria reprovação por parte do Senado Romano. Eles repudiaram ou, ao menos, opuseram-se à sua resolução. Esta oposição resultou finalmente na mudança da sede do Império de Roma para Bizânico, uma velha cidade reedificada, que logo depois teve o nome mudado para Constantinopla, em honra a Constantino. Como resultado surgiram duas capitais para o Império Romano: Roma e Constantinopla. Essas duas cidades, rivais por vários séculos, por fim se tomaram o centro da Igreja Católica dividida: Romana e Grega.

    Constantino fez cessar a perseguição aos cristãos em todo o império e gradualmente foi cumulando-os de favores. O imperador logo percebeu a clara divisão entre os cristãos. Percebera a importância de ser apoiado pela hierarquia de uma religião poderosa. Mas precisava que essa hierarquia fosse unânime em sua fidelidade ao Estado. Assim, embora pagão, presidiu concílios da Igreja e obrigou-a a unificar-se. Devido a essa atitude foi prontamente contrariado pelos anabatistas. Indignado, e aliando-se aos cristãos errados, baniu e perseguiu os fiéis que não concordaram com sua unificação das igrejas. Começaram as terríveis perseguições das seitas cristãs oficiais – protegidas pelo imperador – contra as não oficiais, os anabatistas, que se mantiveram independentes do governo. Pela primeira vez na história, a partir do ano 313, encontramos a página mais triste da história das igrejas. Encontramos cristãos errados perseguindo os cristãos fiéis. Esta perseguição, além de visar o extermínio dos anabatistas, também foi a mais longa. Durou mais de mil e trezentos anos, vindo a terminar após a Reforma no século XVII.

    Depois que Constantino se tornou o cabeça das igrejas desviadas da verdade, as mudanças doutrinárias nestas igrejas, foram se avolumando a cada ano que passava. A idéia de que o batismo poderia ajudar na regeneração da alma tinha larga aceitação por parte dos desviados que aceitaram o casamento com o poder temporal. A igreja que aceitou Constantino como seu cabeça, acreditando que o batismo era um agente ou meio de salvação, achava que quanto mais cedo fosse administrado o batismo, mais garantia poderia ter da salvação. Foi então que surgiu o “batismo infantil”. Por que esperar a idade adulta ou mesmo a velhice para ser batizado? “Ninguém sabe o que pode acontecer amanhã”, pensavam os simpatizantes da “nova igreja”. Antes disto “crentes” e “crentes” somente, eram considerados em condições de submeterem-se ao batismo. “Aspersão” e “derramamento” eram formas até então desconhecidas. Vieram muito mais tarde. Por vários séculos os infantes eram, como os demais, imersos. A Igreja Ortodoxa Grega (que é um grande ramo da Igreja Católica) até hoje não mudou a forma original de batismo. Ela pratica o batismo infantil, mas nunca procedeu de outro modo que não o da imersão das crianças. (Nota. alguns historiadores da igreja põem o inicio do batismo infantil neste século, mas eu citarei um pequeno parágrafo das “Robinson’s Ecclesiastical Researches” (Pesquisas Eclesiásticas de Robinson):

    “Durante os primeiros três séculos as congregações espalhadas no oriente funcionaram em corpos independentes e separados, sem subvenção por parte do governo, e, conseqüentemente, sem qualquer poder secular da Igreja sobre o Estado ou vice-versa. Em todo esse tempo as igrejas batizavam e, segundo o testemunho os Pais dos primeiros 4 séculos, até Jerônimo (370, A. D.), na Grécia, Síria e África, é mencionado um grande número de batismos de adultos, sem a apresentação de ao menos um batismo de criança, até o ano 370 A. D.” (Compêndio de História Batista por Shackelford, p. 43; Vedder p. 50; Chrishan p. 31; Orchard p. 50, etc.).

    A hierarquia organizada sob a liderança de Constantino, rapidamente se concretizou naquilo que agora conhecemos como Igreja Católica. E a novel igreja se associou ao governo temporal, não mais para ser simplesmente a entidade executiva das leis completas do Novo Testamento, mas começou a ser legislativa, começando a emendar e anular leis primitivas, bem como a criar regras completamente estranhas à letra e ao espírito do Novo Testamento.

    Uma das primeira ações legislativas da Igreja, e uma das mais subversivas quanto aos resultados foi o estabelecimento, por lei, do batismo infantil. Em virtude desta lei o batismo infantil tornou-se compulsório. Isto ocorreu em cerca de 416 A. D. Ele já existia, em casos esparsos, provavelmente, um século antes desde decreto. Mas, com a efetivação por lei desta prática dois princípios do Novo Testamento foram naturalmente abordados: – o do “batismo dos crentes” e o da “obediência voluntária ao batismo”.

    Como conseqüência inevitável desta nova doutrina e lei, ,as igrejas desviadas foram rapidamente se enchendo de membros inconversos. E de fato não se passaram muitos anos até que a maioria, provavelmente, de seus membros fosse composta de pessoas não regeneradas. Assim os grandes interesses espirituais do Reino de Deus caíram nas mãos de um incrédulo poder temporal. Que se poderia esperar então?

    Em 426 A.D., justamente 10 anos depois do estabelecimento legal do batismo infantil, foi iniciado o tremendo período que conhecemos como “Idade das Trevos” (Idade Média, not. Do trad.). Que período! Quão tremendo e sanguinolento o foi! A partir de então, por mais uma dezena de séculos o rasto do cristianismo do Novo Testamento foi grandemente regado pelo sangue dos cristãos. Milhões de crentes perderam suas vidas, pagando o preço da fidelidade ao Senhor Jesus Cristo. Preferiram morrer do que negar o nome do Senhor que os resgatou pela cruz do Calvário. Nossos antepassados sofreram as mais variadas e terríveis perseguições por parte dos que se uniram ao poder temporal. Creio que nem Constantino tinha a idéia do resultado da união do seu império com os chamados cristãos.

    Foi ainda no alvorecer da “Idade das Trevas” que o Papismo tomou corpo definitivo. Seu inicio data de Leão II de 440 a 461 A.D. Este título, semelhantemente ao nome dado à Igreja Católica, tinha possibilidade de um amplo desenvolvimento. O nome aparece aplicado primeiramente, para designar o bispo de Roma, 296-404 A.D. mas foi formalmente adotado pela primeira vez por Cirilo, bispo de Roma 384-398. Mais tarde foi adotado oficialmente por Leão II, 440-461. Sua universalidade foi reclamada em 707.

    Alguns séculos mais tarde foi declarado por Gregório VII, ser o titulo exclusivo do Papado. Por falta de tempo, infelizmente, não posso descrever neste pequeno estudo todas as mudanças que houve no decorrer dos séculos no seio da Igreja Católica. Mas vamos dar uma súmula dos mais significativos eventos ocorridos nos primeiros cinco séculos:
    1) A mudança gradual do governo democrático da Igreja para o governo eclesiástico.

    2) A mudança da salvação pela graça para a salvação pelo batismo.

    3) A mudança do batismo de crentes para batismo infantil.

    4) A hierarquia organizada. Casamento da Igreja com Estado.

    5) A sede do Império mudada para Constantinopla.

    6) O Batismo Infantil estabelecido por lei e tornado compulsório .

    7) Os cristãos nominais começam a perseguir os cristãos.

    8) A “Idade de Trevas” começa em 426 a.D.

    9) A espada e a tocha, de referência ao Evangelho, que se tornou o poder de Deus para a salvação.

    10) Todo o vestígio de liberdade religiosa é desfeito, coberto e enterrado por muitos séculos.

    11) As igrejas fiéis ao Novo Testamento são perseguidas e tratadas por nomes diversos. São ainda açuladas para o mais longe possível do poder temporal católico. O remanescente destas igrejas se espalhou por todo o mundo e é achado, talvez escondido, em florestas, montanhas, vales, antros e cavernas da terra.

    BIBLIOGRAFIA:

    O BATISMO ESTRANHO E OS BATISTAS, por W.MNEVINS.

    RASTO DE SANGUE, por J.M.CARROLL.

    A ORIGEM, por GILBERTO STEFANO

    A HISTÓRIA DOS BATISTAS, por JERRY DONALD ROSS.

  199. le disse:

    PORQUE DEIXEI DE SER CATÓLICO

    1. Porque a igreja romana se autodenomina como a igreja fundada por Jesus Cristo, legítima sucessora apostólica da igreja primitiva e “enriquecida de toda a verdade revelada por Deus e de todos os instrumentos de graça” conforme declaração de seu concílio Vaticano II (1962/65). De fato, até o ano 196, a Igreja Católica não aceitava nenhuma doutrina anti-bíblica, porém a partir desta data foi incorporando tradições e costumes incoerentes com a palavra de Deus. A Igreja Católica que conhecemos hoje não é nem sombra do que foi no início. Disse Jesus aos fariseus: “Jeitosamente rejeitais o mandamento de Deus para guardardes a vossa própria tradição” (Mc 7:9).
    2. Porque a Igreja Católica afirma que Jesus aplica a salvação somente através dela. Em nenhum lugar da Bíblia lemos sobre uma igreja que salva. Pelo contrário, o Salvador (ou meio de salvação) apresentado aos pecadores é tão somente o Senhor Jesus Cristo.
    3. Porque o Catecismo Católico expõe três autoridades: a Sagrada Tradição, a Sagrada Escritura e o Magistério da Igreja. E que estas três fontes não subsistem uma sem a outra. O Catecismo define ainda que a interpretação fiel da palavra de Deus cabe unicamente ao magistério da Igreja Católica, isto é, aos bispos em comunhão com o Papa, excluindo aí os pastores e líderes cristãos. Jesus advertiu sobre os que o honram com os lábios, mas que tem o coração longe dele. Dessa forma, em vão o honram, pois ensinam doutrinas que são mandamentos de homens (Mc 7.6).
    4. Porque a Igreja Católica afirma que a união à ela é a garantia para a remissão dos pecados. Uma igreja não pode perdoar pecados. Um padre não pode absolver pecados. Jesus Cristo é o único mediador entre Deus e o homem. Um santo católico não serve de mediador, um padre também não serve.
    5. Porque Deus proíbe o uso de imagens. Dentre os 10 mandamentos de Deus, no segundo, recebemos ordem de adorá-lo diretamente e não através de qualquer objeto intermediário: “Não farás para ti imagem de escultura… não as adorarás, nem lhes darás culto…” (Êx 20.4,5), mandamento este inclusive, omitido pela Igreja Católica em suas publicações! (o terceiro passou a ser o número dois, o quarto o número três e assim por diante, e dividiram o décimo mandamento em dois para que os mandamentos continuassem sendo dez). Deus condena a idolatria nessas passagens da Bíblia e em muitas outras: “Maldito o homem que fizer imagem de escultura, abominável ao Senhor” “… ídolos de ouro, de prata, de cobre, de pedra e de madeira, que nem podem ver, nem ouvir, nem andar” “que ligação há entre o santuário de Deus e os ídolos”? (Lv 26.1 / Dt 27.15 / Ap 9.20). Não podemos adorar estátuas nem nos curvar a elas, e os católicos fazem até peregrinação com as imagens… A afirmação de que o que é feito constitui ‘veneração’ e não ‘adoração’, não justifica o erro, além do que, a diferença entre uma coisa e outra não costuma existir na cabeça dos fiéis. Você acha que se Deus aprovasse o uso das imagens, que encontramos nas igrejas católicas, possuindo elas algum valor divino, as encontraríamos também nos terreiros de macumba, onde satã reina? O uso da figura de Jesus em quadros também é errada, pois na Bíblia não há em nenhum momento descrição do aspecto físico de Cristo.
    6. Porque a Igreja Católica coloca o Papa como o “Cristo visível na terra”, o que contraria a Bíblia, pois Jesus disse: “Eu rogarei ao Pai e Ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre” (Jo 14.16). Portanto, o Espírito Santo que é uma pessoa, é o verdadeiro substituto de Cristo e representante dele na terra!
    7. Porque ao longo da história da humanidade cometeu inúmeras aberrações como: a “Santa Inquisição” que exterminava pessoas não-católicas sob a acusação de hereges ou bruxos; a celebração de missas em latim; proibição da leitura da Bíblia aos “leigos”; a venda de indulgências; união Igreja-Estado; declaração da infabilidade papal, revelações de Fátima (usadas para aumentar o prestígio da Igreja Católica na época), etc…
    8. Porque a Igreja Católica afirma existir um lugar chamado ‘purgatório’ (introduzido no ano 593), não encontrado em parte alguma da Bíblia. Diz-se ser um lugar entre o céu e o inferno, de purificação, onde a alma cumpre pena. No entanto a Bíblia diz que “nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus” (Rm 8.1). O sacrifício efetuado por Cristo na cruz do calvário já foi suficiente para expiar todos os nossos pecados. A salvação oferecida por Cristo é uma salvação perfeita e total. O “purgatório” do crente é o sangue de Jesus.
    9. Porque foram incorporados à Bíblia em 1546 os chamados livros apócrifos, livros estes que não faziam parte do cânon hebraico, livros nunca citados no Antigo Testamento e nem pelo Senhor Jesus, livros com erros históricos, geográficos e cronológicos, e com doutrinas contrárias às Escrituras em geral. São eles: Tobias; Judite; um acréscimo em Ester; Sabedoria; Eclesiástico; Baruque; Cântico dos Três Santos Filhos, história de Susana e Bel e o Dragão (acrescentados em Daniel); e 1 e 2 Macabeus. Deste modo a Igreja Católica aumentou a Bíblia, além de traduzi-la de forma diferente em alguns versículos, criando assim a sua versão.
    10. Porque o ensino católico sobre Maria está completamente fora da Bíblia. A Igreja Católica atribui a Maria títulos e honrarias que pertencem exclusivamente a Jesus. Coloca Maria como âncora da salvação, rainha da misericórdia, protetora dos pecadores, diz que sofreu por nós, que deu sua vida por nós, que nos perdoa e intercede por nós, que é o caminho da salvação, o nosso conforto, esperança, nossa advogada, redentora, enfim, tudo aquilo que a Bíblia atribui unicamente a Jesus Cristo! Ela é apresentada ainda como eternamente virgem, sendo que Jesus teve irmãos (Mt 12.46-50), e como a rainha dos céus… O corpo de Maria não subiu aos céus, seu corpo aguarda a ressurreição. Maria nasceu sob o pecado assim como nós e, no entanto o Papa Pio IX a considerou ‘imaculada’ e livre do pecado original.. Eu amo Maria, a humilde serva do Senhor, mãe de Jesus, mas não a considero “divina”, nem detentora dos poderes citados pelos católicos.
    11. Porque a estória dos pescadores, que “resgataram” das águas do Rio Paraíba a imagem de “Senhora Aparecida” em 1717, proclamada “santa”, “rainha” e “padroeira do Brasil” pelo Papa Pio XI em 1929, dado os “milagres” que realizou, não tem valor algum para um cristão, para um genuíno cristão, pois tais realizações não possuem aprovação bíblica. A Igreja Católica é conhecida pelo grande número de santos e imagens promovidas para o povão (costume proibido pelo Deus da Bíblia). Associar essa “Senhora” à mãe de Jesus, e com poderes, é o cúmulo do absurdo!
    12. Outra crença perigosa da parte de brasileiros do norte e nordeste do país: o tão adorado e idolatrado “Padre Cícero”. Diz a estória, que o padre teve uma visão uma vez, em que: “observava Jesus Cristo e os doze apóstolos sentados à mesa, numa disposição que lembra a última ceia do quadro de Da Vinci. De repente, adentra o local uma multidão de pessoas carregando seus pertences em pequenas trouxas, a exemplo dos retirantes nordestinos. Cristo, virando-se para os famintos, falou da sua decepção com a humanidade, mas disse estar disposto ainda a fazer um último sacrifício para salvar o mundo. Porém, se os homens não se arrependessem depressa, ele acabaria com tudo de uma vez! Naquele momento, Jesus apontou para os pobres, e, voltando-se inesperadamente ordenou: e você, Padre Cícero, tome conta deles!”. A Bíblia diz que o Senhor Jesus é o único a quem devemos adorar pedir, agradecer e esperar.
    13. Porque não acredito em milagres realizados por santos e santas. Acredito sim, nos milagres realizados por Deus, pelo filho Jesus e o Espírito Santo, que não dividem a sua Glória com ninguém. E os milagres que os católicos contam? Bem, a Bíblia diz que os mortos nada podem fazer pelos vivos, ainda que tenham levado uma vida santa e “dedicada à Deus”, então restam três hipóteses para os ditos ‘milagres’: a) Nunca existiram, foram uma farsa; b) Não foram obra dos “santos”, mas de Deus, por amor e infinita misericórdia; ou c) Foram obra de Satanás, como meio de incentivar a idolatria e afastar as pessoas do verdadeiro evangelho e consequentemente de Deus, ao validar uma mentira.
    14. Porque ensinam a “orar pelos mortos”, inclusive, as missas são tidas como os principais recursos empregados em benefício das almas que estão no purgatório (que não existe). Segundo o ensino católico a missa beneficia não só a alma que sofre no purgatório, como também acumula méritos àqueles que as mandam rezar… De acordo com as escrituras sagradas é impossível ajudar na salvação da alma de quem já morreu, acendendo velas ou fazendo rezas. A Bíblia deixa claro que enquanto há vida pode-se clamar e chorar na presença de Deus pelos que estão perdidos, mas quando a morte chega tudo está acabado. Não adianta rezar pelo defunto nem acender velas.
    15. Porque pregam o ecumenismo. No sentido de que todos os cristãos: os católicos, os ortodoxos e os protestantes, devem unir-se em uma só igreja. Detalhe: para que isso ocorra, afirmam que “os irmãos separados devem voltar ao seio da Igreja Católica”. Mas a Bíblia diz: “Andarão dois juntos se não estiverem de acordo?” (Amós 3.3).
    16. Porque o movimento de “Renovação Carismática” (que se iniciou em 1966 nos EUA e em 1974 no Brasil) não renovou a Igreja Católica biblicamente, que continua com falsas doutrinas. O ideal inicial da renovação foi até muito bom: conscientizar as pessoas da importância da terceira pessoa da trindade, o Espírito Santo, e dos dons do Espírito Santo. No entanto, o que tem acontecido? Para parar de perder fiéis, o movimento está imitando o formato dos cultos cristãos, estão cantando músicas do repertório cristão, mudando a liturgia, a linguagem e a aparência das missas, mas… Mantendo a idolatria, a “mariolatria” e utilizando-o para propagar o “orgulho católico”, do tipo “sou feliz por ser católico”. Tem como principal figura o padre Marcelo Rossi. E por causa de outros desvios da Doutrina Bíblica, a saber: Batismo de crianças (que ainda não tem consciência para escolher uma religião); “Pagamento de promessas”, com sacrifícios, penitências (Jesus já pagou todo o preço por nossos pecados, na cruz do calvário); Culto aos santos e anjos; Culto à virgem Maria; Uso de água benta; Substituição do pão pela hóstia; Eliminação do vinho na comunhão; Proibição de casamento para os sacerdotes; Uso do rosário; Instituição da ‘Ave Maria’ e outras rezas repetitivas. Lemos em Mateus 6.7: “E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios, que pensam que por muito falarem serão ouvidos”.

  200. diego disse:

    Bom, você “le”, mais uma vez vem com suas acusações falsas de protestantes falsos e impuros, que vêem só as suas “igrejinhas” como ponto certo, e pelo texto acima acho que descobrimos a sua igreja, talvez seja a “batista”, já que diz palavras deles.

    Mais fazer o que, a verdade esta ai para quem quiser ver se você ao invés de ir atrás da verdade prefere ficar prevalecendo contra a igreja católica, a única coisa que eu ti falo irmão “le”, é o seguinte:

    Jesus disse quando edificou a igreja no apostolo Pedro:

    “E as portas do inferno não prevalecerão contra ela”.

    Mais uma vez você esta indo contra cristo, e como eu disse as doutrinas da igreja católica são mal interpretadas por vocês protestantes por que seus pastores por quererem ver suas “igrejinhas” crescerem, inventam todas maldades e crueldades contra a santa igreja católica, para enrolarem vocês e você é apenas uma vitima meu amigo.

    Como eu falei anteriormente, vocês são marionetes de seus pastores por seguirem eles e não a verdade!!!!!!!!!!!!

  201. diego disse:

    Vejam todos papas da igreja católica desde Pedro, e antes que alguma mente pertubarda venha falar que Pedro não morreu no ano 67, quero deixar ressaltado que é o ano mais provável de sua morte e não o ano exato para que os protestantes não venham com as suas mente fracas sem estudo contestar já que é o que eles mais sabem fazer, “contestar”.

    1.São Pedro (32-67)
    2.São Lino (67-76)
    3.São Anacleto (ou Cleto) (76-88)
    4.São Clemente I (88-97)
    5.Santo Evaristo (98-107)
    6.São Alexandre I (107-115)
    7.São Sixto (ou Xisto) I (115-125)
    8.São Telésforo (125-136)
    9.São Higino (136-140)
    10.São Pio I (141-155)
    11.São Aniceto (155-166)
    12.São Sóter (166-175)
    13.São Eleutério (175-189)
    14.São Vitor I (189-199)
    15.São Zefirino (199-217)
    16.São Calisto I (217-222)
    17.São Urbano I (222-230)
    18.São Ponciano (230-235)
    19.São Antero (235-236)
    20.São Fabiano (236-250)
    21.São Cornélio (251-253)
    22.São Lúcio I (253-254)
    23.São Estéfano I (254-257)
    24.São Sixto II (257-258)
    25.São Dionísio (260-268)
    26.São Félix I (269-274)
    27.São Eutiquiano (275-283)
    28.São Caio (283-296)
    29.São Marcelino (296-304)
    30.São Marcelo I (308-309)

    31.São Eusébio (309 – 310)
    32.São Miltíades (311-314)
    33.São Silvestre I (314-335)
    34.São Marco (336)
    35.São Júlio I (337-352)
    36.Líbero (352-366)
    37.São Damaso I (366-383)
    38.São Sírico (384-399)
    39.São Anastácio I (399-401)
    40.São Inocêncio I (401-417)
    41.São Zósimo (417-418)
    42.São Bonifácio I (418-422)
    43.São Celestino I (422-432)
    44.São Sixto III (432-440)
    45.São Leão I Magno (440-461)
    46.São Hilário (461-468)
    47.São Simplício (468-483)
    48.São Felix II (III) (483-492)
    49.São Gelásio I (492-496)
    50.Anastácio II (496-498)
    51.São Símaco (498-514)
    52.São Hormisdas (514-523)
    53.São João I (523-526)
    54.São Félix III (IV) (526-530)
    55.Bonifácio II (530-532)
    56.João II (533-535)
    57.São Agápito I (535-536)
    58.São Silvério (536-537)
    59.Vigílio (537-555)
    60.Pelágio I (556-561)

    32.São Miltíades (311-314)
    33.São Silvestre I (314-335)
    34.São Marco (336)
    35.São Júlio I (337-352)
    36.Líbero (352-366)
    37.São Damaso I (366-383)
    38.São Sírico (384-399)
    39.São Anastácio I (399-401)
    40.São Inocêncio I (401-417)
    41.São Zósimo (417-418)
    42.São Bonifácio I (418-422)
    43.São Celestino I (422-432)
    44.São Sixto III (432-440)
    45.São Leão I Magno (440-461)
    46.São Hilário (461-468)
    47.São Simplício (468-483)
    48.São Felix II (III) (483-492)
    49.São Gelásio I (492-496)
    50.Anastácio II (496-498)
    51.São Símaco (498-514)
    52.São Hormisdas (514-523)
    53.São João I (523-526)
    54.São Félix III (IV) (526-530)
    55.Bonifácio II (530-532)
    56.João II (533-535)
    57.São Agápito I (535-536)
    58.São Silvério (536-537)
    59.Vigílio (537-555)
    60.Pelágio I (556-561)
    61.João III (561-574)
    62.Benedito I (575-579)
    63.Pelágio II (579-590)
    64.São Gregório I (590-604)
    65.Sabiniano (604-606)
    66.Bonifácio III (607)
    67.São Bonifácio IV (608-615)
    68.Adeodato I (615-618)
    69.Bonifácio V (619-625)
    70.Honório I (625-638)
    71.Severino (640)
    72.João IV (640-642)
    73.Teodoro I (642-649)
    74.São Martinho I (649-655)
    75.São Eugênio I (655-657)
    76.São Vitaliano (657-672)
    77.Adeodato II (672-676)
    78.Dono (676-678)
    79.São Ágato (678-681)
    80.São Leão II (682-683)
    81.São Benedito II (684-685)
    82.João V (685-686)
    83.Cónon (686-687)
    84.São Sérgio I (687-701)
    85.João VI (701-705)
    86.João VII (705-707)
    87.Sisino (708)
    88.Constantino (708-715)
    89.São Gregório II (715-731)
    90.São Gregório III (731-741)

    91.São Zacarias (741-752)
    92.Estéfano II (752)
    93.Estéfano III (752-757)
    94.São Paulo I (757-767)
    95.Estéfano IV (767-772)
    96.Adriano I (772-795)
    97.São Leão III (795-816)
    98.Estéfano V (816-817)
    99.São Pascoal I (817-824)
    100.Eugênio II (824-827)
    101.Valentino (827)
    102.Gregório IV (827-844)
    103.Sérgio II (844-847)
    104.São Leão IV (847-855)
    105.Benedito III (855-858)
    106.São Nicolau I, o Grande (858-867)
    107.Adriano II (867-872)
    108.João VIII (872-882)
    109.Marino I (882-884)
    110.São Adriano III (884-885)
    111.Estéfano VI (885-891)
    112.Formoso (891-896)
    113.Bonifácio VI (896)
    114.Estéfano VII (896-897)
    115.Romano (897)
    116.Teodoro II (897)
    117.João IX (898-900)
    118.Benedito IV (900-903)
    119.Leão V (903)
    120.Sérgio III (904-911)
    121.Anastácio III (911-913)
    122.Lando (913-914)
    123.João X (914-928)
    124.Leão VI (928)
    125.Estéfano VIII (929-931)
    126.João XI (931-935)
    127.Leão VII (936-939)
    128.Estéfano IX (939-942)
    129.Marino II (942-946)
    130.Agápto II (946-955)
    131.João XII (955-963)
    132.Leão VIII (963-964)
    133.Benedito V (964)
    134.João XIII (965-972)
    135.Benedito VI (973-974)
    136.Benedito VII (974-983)
    137.João XIV (983-984)
    138.João XV (985-996)
    139.Gregório V (996-999)
    140.Silvestre II (999-1003)
    141.João XVII (1003)
    142.João XVIII (1003-1009)
    143.Sérgio IV (1009-1012)
    144.Benedito VIII (1012-1024)
    145.João XIX (1024-1032)
    146.Benedito IX (1032-1045)
    147.Silvestre III (1045)
    148.Benedito IX (1045)
    149.Gregório VI (1045-1046)
    150.Clemente II (1046-1047)

    151.Benedito IX (1047-1048)
    152.Damasus II (1048)
    153.São Leão IX (1049-1054)
    154.Victor II (1055-1057)
    155.Estéfano X (1057-1058)
    156.Nicolau II (1058-1061)
    157.Alexandre II (1061-1073)
    158.São Gregório VII (1073-1085)
    159.Victor III (1086-1087)
    160.Urbano II (1088-1099)
    161.Pascoal II (1099-1118)
    162.Gelásio II (1118-1119)
    163.Calisto II (1119-1124)
    164.Honório II (1124-1130)
    165.Inocêncio II (1130-1143)
    166.Celestino II (1143-1144)
    167.Lúcio II (1144-1145)
    168.Eugênio III (1145-1153)
    169.Anastácio IV (1153-1154)
    170.Adriano IV (1154-1159)
    171.Alexandre III (1159-1181)
    172.Lúcio III (1181-1185)
    173.Urbano III (1185-1187)
    174.Gregório VIII (1187)
    175.Clemente III (1187-1191)
    176.Celestino III (1191-1198)
    177.Inocêncio III (1198-1216)
    178.Honório III (1216-1227)
    179.Gregório IX (1227-1241)
    180.Celestino IV (1241)
    181.Inocêncio IV (1243-1254)
    182.Alexandre IV (1254-1261)
    183.Urbano IV (1261-1264)
    184.Clemente IV (1265-1268)
    185.Gregório X (1271-1276)
    186.Inocêncio V (1276)
    187.Adriano V (1276)
    188.João XXI (1276-1277)
    189.Nicolau III (1277-1280)
    190.Martinho IV (1281-1285)
    191.Honório IV (1285-1287)
    192.Nicolau IV (1288-1292)
    193.São Celestino V (1294)
    194.BonifácioVIII (1294-1303)
    195.Benedito XI (1303-1304)
    196.Clemente V (1305-1314)
    197.João XXII (1316-1334)
    198.Benedito XII (1334-1342)
    199.Clemente VI (1342-1352)
    200.Inocêncio VI (1352-1362)
    201.Urbano V (1362-1370)
    202.Gregório XI (1370-1378)
    203.Urbano VI (1378-1389)
    204.Bonifácio IX (1389-1404)
    205.Inocêncio VII (1406-1406)
    206.Gregório XII (1406-1415)
    207.Martinho V (1417-1431)
    208.Eugênio IV (1431-1447)
    209.Nicolau V (1447-1455)
    210.Calisto III (1455-1458)

    211.Pio II (1458-1464)
    212.Paulo II (1464-1471)
    213.Sixto IV (1471-1484)
    214.Inocêncio VIII (1484-1492)
    215.Alexandre VI (1492-1503)
    216.Pio III (1503)
    217.Júlio II (1503-1513)
    218.Leão X (1513-1521)
    219.Adriano VI (1522-1523)
    220.Clemente VII (1523-1534)
    221.Paulo III (1534-1549)
    222.Júlio III (1550-1555)
    223.Marcelo II (1555)
    224.Paulo IV (1555-1559)
    225.Pio IV (1559-1565)
    226.São Pio V (1566-1572)
    227.Gregório XIII (1572-1585)
    228.Sixto V (1585-1590)
    229.Urbano VII (1590)
    230.Gregório XIV (1590-1591)
    231.Inocêncio IX (1591)
    232.Clemente VIII (1592-1605)
    233.Leão XI (1605)
    234.Paulo V (1605-1621)
    235.Gregório XV (1621-1623)
    236.Urbano VIII (1623-1644)
    237.Inocêncio X (1644-1655)
    238.Alexandre VII (1655-1667)
    239.Clemente IX (1667-1669)
    240.Clemente X (1670-1676)
    241.Inocêncio XI (1676-1689)
    242.Alexandre VIII (1689-1691)
    243.Inocêncio XII (1691-1700)
    244.Clemente XI (1700-1721)
    245.Inocêncio XIII (1721-1724)
    246.Benedito XIII (1724-1730)
    247.Clemente XII (1730-1740)
    248.Benedito XIV (1740-1758)
    249.Clemente XIII (1758-1769)
    250.Clemente XIV (1769-1774)
    251.Pio VI (1775-1799)
    252.Pio VII (1800-1823)
    253.Leão XII (1823-1829)
    254.Pio VIII (1829-1830)
    255.Gregório XVI (1831-1846)
    256.Pio IX (1846-1878)
    257.Leão XIII (1878-1903)
    258.São Pio X (1903-1914)
    259.Benedito XV (1914-1922)
    260.Pio XI (1922-1939)
    261.Pio XII (1939-1958)
    262.João XXIII (1958-1963)
    263.Paulo VI (1963-1978)
    264.João Paulo I (1978)
    265.João Paulo II (1978 – 2005)
    266.Benedito XVI (2005 – )

  202. diego disse:

    E quero deixar exposto aqui que todos esses papas que eu coloquei acima, foram papas, mais existem provas de sua existência, como citado por mim em comentários anteriores, existem cartas escritas da época e também dos bispos sendo até que eu citei anteriormente o bispo policarpo de esmirna que foi eleito bispo pelo apostolo João.

  203. diego disse:

    A Doutrina da Santa Igreja Católica

    A doutrina católica é constituída pelo conjunto de dogmas e verdades de fé , de ensinamentos , de preceitos e de leis da Santa Igreja.
    Estruturando-se , pois , sobre o Texto-Sagrado que contém a palavra de Deus e Seus mandamentos , sendo também formada pela sagrada tradição , pelo magistério infalível da Santa Igreja , magistério expresso nos documentos dos concílios universais e nas decisões e pronunciamentos papais , bem como em todo documento que possua aprovação da autoridade eclesiástica.
    A doutrina católica consiste , pois , dos dogmas de modo geral, da condenação das heresias e da missão de ensinar e de santificar da Igreja , para a salvação das almas e para a maior glória de Deus.
    Constituem elementos principais da doutrina católica : o Credo Niceno-Constantinoplano (325-381), o governo da Igreja , sua hierarquia , a instituição do papado , o colégio episcopal , seus tribunais , seus concílios , bem como os dogmas da Santissima-Trindade , os dogmas sobre o Cristo , os dogmas marianos , sobre o homem , o culto aos santos , os santíssimos sacramentos : do batismo, da penitência, da eucaristia, da crisma, da ordem, do matrimônio e da unção dos enfermos , que transmitem a graça divina necessária para a santificação dos homens e do mundo , e , mediante os quais , a Igreja realiza a sua missão.
    As fontes documentais mais relevantes da doutrina católica são pois : o Catecismo , o Código de Direito Canônico ,os documentos papais, os documentos das autoridades eclesiásticas ; os documentos conciliares e todos os textos de santos da Igreja , bem como , os textos de seus doutores devidamente aprovados.
    Para sermos bons cristãos – perseverarmos na palavra de Deus – devemos conhecer sempre melhor a santa doutrina da Igreja , porque – ao conhecê-la – poderemos transmitir mais perfeitamente as verdades de Deus , evitando o erro ,e, conseqüentemente, o mal e o pecado .

    ( O Cristo disse : “Eu sou o caminho , a verdade e a vida , ninguém vem ao Pai , a não ser por mim” ( Jo14,6 ); os cristãos , ao seguirem Jesus , devem , portanto , viver da Verdade , viver do amor do Cristo e transmitir as verdades de Deus. )

    Se você não entende a doutrina da igreja católica meu amigo “le”, e prefere ficar ai julgando sem conhecimento algum e tentando enrolar os católicos leigos entre outros evangélicos, é nulo debater contigo veja:

    (mt 7,15)
    15. Guardai-vos dos falsos profetas. Eles vêm a vós disfarçados de ovelhas, mas por dentro são lobos arrebatadores.
    16. Pelos seus frutos os conhecereis. Colhem-se, porventura, uvas dos espinhos e figos dos abrolhos?

    (Mateus capitulo 24/4,5,11,13,23,24)
    4. Respondeu-lhes Jesus: Cuidai que ninguém vos seduza.
    5. Muitos virão em meu nome, dizendo: Sou eu o Cristo. E seduzirão a muitos.
    11. Levantar-se-ão muitos falsos profetas e seduzirão a muitos.
    13. Entretanto, aquele que perseverar até o fim será salvo.
    23. Então se alguém vos disser: Eis, aqui está o Cristo! Ou: Ei-lo acolá!, não creiais.
    24. Porque se levantarão falsos cristos e falsos profetas, que farão milagres a ponto de seduzir, se isto fosse possível, até mesmo os escolhidos.

    E no versículo 13 do capitulo 24 veis o que Jesus deixou mais claro:

    13- Entretanto, aquele que perseverar até o fim será salvo.

    Eu estou perseverando, e a quem quiser ser “seduzido”, basta se alto seduzir, pois os falsos profetas estão ai para quem quiser seguir!

    4. Respondeu-lhes Jesus: Cuidai que ninguém vos seduza.
    5. Muitos virão em meu nome, dizendo: Sou eu o Cristo. E seduzirão a muitos.
    11. Levantar-se-ão muitos falsos profetas e seduzirão a muitos.
    13. Entretanto, aquele que perseverar até o fim será salvo.
    23. Então se alguém vos disser: Eis, aqui está o Cristo! Ou: Ei-lo acolá!, não creiais.
    24. Porque se levantarão falsos cristos e falsos profetas, que farão milagres a ponto de seduzir, se isto fosse possível, até mesmo os escolhidos.

  204. le disse:

    PARA MEU AMIGO DIEGO,UMA MENSAGEM DE DEUS PARA SEU CORAÇÃO!
    SALVAÇÃO É UM DOM GRATUITO !
    Deus o ama e deseja que você saiba que a salvação não é pelas obras, é um dom. O caminho da salvação provido por Deus é receber a Cristo pessoalmente, confiando nele somente para nos salvar.
    Romanos 6:23: “Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus nosso Senhor.” Não podemos fazer-nos “dignos” da graça de Deus. Salvação é um dom gratuito ao indigno, ao que não merece, e todos nós estamos nesta categoria. “Cristo morreu pelos ímpios” Romanos 5:6. Efésios 2:8, 9: “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie.”

    NECESSITAMOS DE UMA NOVA NATUREZA !

    Deus o ama e deseja que você saiba que há somente um caminho para a salvação, e esse é mediante o nascer de novo. João 3:7: “Importa-vos nascer de novo.” João 1:12 diz-nos como. “Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus; a saber: aos que crêem no seu nome.” Aceitar a Jesus é a única maneira de nascer de novo. Não somos filhos de Deus por natureza. Devemos receber a Cristo a fim de nos tornarmos filhos de Deus.

    Somente Jesus pode limpar os nossos pecados e mudar nossa natureza; 1 Pedro 2:24: “Carregando ele mesmo em seu corpo, sobre o madeiro, os nossos pecados.” Jesus tomou nosso lugar e derramou seu sangue a fim de nos lavar os pecados. Quantia alguma de “boas obras” pode lavar um único pecado ou trocar nossa natureza.

    Salvação ocorre quando clamamos a Jesus, crendo, para nos salvar. Então ele entra em nossa vida e nos tornamos filhos de Deus com uma nova natureza. Embora a salvação não seja pelas obras, a salvação verdadeira sempre produz mudança de vida. Cristo entra mediante convite pessoal, como Senhor e Salvador para mudar nossa vida e viver sua vida por intermédio de nós.

    A SALVAÇÃO É INSTANTÂNEA !

    Deus o ama e deseja que você saiba que a salvação é instantânea. No momento em que nos arrependemos, que deixamos nossos pecados e nos voltamos para Jesus, ele nos salva. Como diz o hino: “Tal qual estou, eis-me aqui Senhor, pois o teu sangue remidor…” Cristo disse ao ladrão não batizado e não salvo, na cruz, (uma resposta instantânea de salvação ao clamor confiante do ladrão): “Hoje estarás comigo no paraíso” — Lucas 23:43. (Paraíso é o mesmo lugar que Paulo viu como o céu de Deus, 2 Coríntios 12:2-4.) Jesus garantiu a salvação de uma prostituta: “A tua fé te salvou; vai-te em paz” — Veja Lucas 7:50. Salvação instantânea!

    A salvação inclui o aceitar a Jesus Cristo tanto como Senhor (Deus, Senhor, novo gerente de nossa vida) e Salvador. Envolve a crença de coração (o centro de nosso ser que rege, governa e escolhe). Romanos 10:9: “Se com a tua boca confessares a Jesus como Senhor, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos serás salvo.”

    A SALVAÇÃO É SIMPLES !

    Deus o ama e deseja que você saiba que a salvação é simples. Romanos 10:13: “Porque: Todo aquele que invocar o nome do Senhor, será salvo.” “O sangue de Jesus, seu Filho, [de Deus] nos purifica de todo pecado” — 1 João 1:7. Devemos, pessoalmente e com fé, clamar a Jesus para nos salvar. É assim que o recebemos. Se clamarmos assim, ele deve salvar-nos, ou Deus estaria mentindo, e Deus não pode mentir. Se Jesus nos amou a ponto de morrer para nos salvar, então desapontar-nos-ia quando invocássemos o seu nome? É claro que não! Deus o ama e deseja que você seja salvo. Você gostaria de receber Jesus como seu Senhor e Salvador neste instante? Eis uma oração que você pode fazer agora mesmo com todo o coração: “Senhor Jesus, entra em meu coração e em minha vida. Lava-me de todo pecado com teu sangue vertido. Faze-me um filho de Deus. Dá-me teu dom gratuito de vida eterna, e faze-me saber que estou salvo, agora e para sempre. Agora recebo-te como meu único Senhor e Salvador pessoal. Em nome de Jesus. Amém.” Jesus o salvou ou ele mentiu? Ele tinha de fazer uma das duas coisas. Segundo Romanos 10:13, se você invocou, crendo Nele, Ele o salvou e você está limpo de seu pecado.

    A SALVAÇÃO É CERTA !

    A pessoa pode saber que é salva não simplesmente pelo sentimento, mas porque a Palavra de Deus o afirma! Decore João 3:36: “Quem crê no Filho tem a vida eterna.” O que é que você tem neste instante, segundo a Palavra de Deus? Para onde você iria se morresse neste instante, segundo a Palavra de Deus? “(Porque andamos por fé, e não por vista). Mas temos confiança e desejamos antes deixar este corpo, para habitar com o Senhor”. (2 Coríntios 5:7,8) Se agora você sabe que Jesus o salvou, segundo sua palavra, por favor, tire alguns instantes agora e agradeça-lhe em voz alta o tê-lo salvo enquanto oramos. 1 João 5:13: “Estas cousas vos escrevi a fim de saberdes que tendes a vida eterna, a vós outros que credes em o nome do Filho de Deus.”

    SALVAÇÃO É CRER !

    Escolha crer em Cristo, com sentimentos ou sem eles, e Ele lhe provará Sua realidade à medida que você der o passo da fé, crendo que Ele cumpriu Sua palavra e o salvou. Três homens entram no mesmo elevador e querem ir para o sétimo andar. Um sorri, outro chora, outro tem o rosto impassível, sem emoções. Todos os três chegam ao sétimo andar, a despeito de seus sentimentos, porque acreditaram no elevador e se entregaram a ele. Assim também acontece com a confiança em Cristo — com sentimentos ou sem eles. Ele o salvará instantaneamente e o levará aos céus.

    A realidade de sua salvação mostrar-se-á em sua reação de amor em obediência ao seguir a Jesus Cristo. João 14:23: “Se alguém me ama, guardará a minha palavra.” Se você realmente foi salvo, você obedecerá! Entre outras coisas, isto significa que você sairá da frieza espiritual e seguirá ao Cristo bíblico! A salvação verdadeira produz boas obras e obediência a Cristo Trabalhar pela salvação mostra incredulidade na suficiência de Jesus Cristo para nos salvar. Entretanto, a salvação verdadeira e a verdadeira fé, sempre produzem boas obras! Tiago 2:20: “Queres, pois, ficar certo, ó homem insensato, de que a fé sem as obras é inoperante?”

    Macieiras produzem maçãs. Os cristãos verdadeiros produzem boas obras. As maçãs são produtos da árvore e provam que é uma macieira. Mas já era macieira antes de produzir maçãs. Da mesma forma, as boas obras nunca produzem um cristão; meramente provam que essa pessoa é cristã. De acordo com 2 Coríntios 5:17: “E assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura: as cousas antigas já passaram; eis que se fizeram novas.”

    Devemos ter a salvação a fim de demonstrá-la, assim como devemos ter o carro antes de podermos demonstrá-lo!

  205. le disse:

    ESTUDO SOBRE MARIA – 1º Parte

    Os Registros da Bíblia sobre Maria

    A Bíblia fala pouquíssimo sobre Maria.

    E nas poucas vezes em que é citada, o teor das mensagens objetivam sempre prestar esclarecimentos sobre a pessoa bendita de Jesus. E ensinam que é a Ele que nós devemos conhecer, e é para Ele que devemos nos voltar.

    Esta inclusive é a única mensagem que a própria Maria nos deixou, através do único testemunho que deu, e que está registrado no Evangelho segundo S. João:

    Jo 2.5 – “Sua mãe disse aos serventes: ” FAZEI TUDO QUANTO ELE VOS DISSER.”

    Maria só é mencionada no Novo Testamento, em aproximadamente quarenta versículos:

    27 vezes, a mencionam apenas para relatar fatos sobre a geração, nascimento e infância de JESUS;
    8 vezes, para mencionar a família de JESUS;
    3 vezes, para narrar o primeiro milagre realizado por JESUS;
    2 vezes, para esclarecer sobre o seu amparo após a morte de JESUS.

    Portanto, as poucas menções que a Bíblia faz sobre Maria, estão diretamente relacionadas com a pessoa do Senhor Jesus.

    Ele é quem é o personagem central da Bíblia, sendo mencionado nas páginas do Novo Testamento, cerca de 2.288 vezes, através dos títulos que evidenciam sua Divindade, sacrifício, ministérios que exerceu e exerce para nossa salvação, sua perfeita humanidade, morte vicária, soberania e sabedoria:

    1.170 vezes Ele é chamado pelo seu nome JESUS, que no grego significa SALVADOR;
    454 vezes Ele é chamado SENHOR;
    58 vezes, chamado MESTRE;
    318 vezes, chamada CRISTO, MESSIAS, ou UNGIDO DE DEUS;
    23 vezes, chamado SALVADOR;
    13 vezes, chamado SACERDOTE;
    118 vezes, chamado FILHO DE DEUS;
    11 vezes, chamado FILHO DE DAVI;
    85 vezes, FILHO DE HOMEM;
    32 vezes, CORDEIRO DE DEUS;
    6 vezes, chamado MEDIADOR.

    Fora dos Evangelhos, o nome de Maria só aparece uma única vez, no livro de Atos, juntamente com os nomes dos doze Apóstolos, e a menção a outros discípulos que os acompanhavam, inclusive os irmãos de Jesus (At 1.13,14). Ali está declarado que todos eles, após a ascensão de Jesus, ficaram juntos, morando no cenáculo em Jerusalém, onde perseveravam unânimes em oração, aguardando o derramamento do Espírito Santo, como o Senhor prometera (Lc 24.49; At 1.4).

    Comparando At 1.4 com 2.1-4, podemos entender que Maria foi alcançada pela grande bênção da descida do Espírito Santo, ocorrida no dia de Pentecostes.

    Também podemos entender que ela fez parte da Igreja primitiva (At 2.44).

    Entretanto, apesar do batismo com o Espírito Santo, após o qual, muitos milagres foram operados através dos Apóstolos, a Bíblia não registra porém, um só milagre que haja sido operado através de Maria, ou qualquer discurso que haja feito, ou qualquer pronunciamento do Senhor em seu benefício, que venha denotar superioridade espiritual da sua parte com relação aos demais membros da Igreja.

    as Epístolas, nenhuma vez o nome de Maria é mencionado.

    O seu nome não aparece de forma alguma, nem mesmo sob a égide de mãe de Jesus, ao contrário, na Epístola aos Hebreus está escrito que Ele não tem pai, nem mãe, porquanto é eterno (Hb 7.3).

    Isto porque as Epístolas foram escritas com a finalidade de doutrinar a Igreja e ensiná-la a viver em santificação e a adorar exclusivamente ao Senhor, pois segundo a Bíblia, Ele é o único digno de receber honra, glória, louvor e adoração (Ap 5.8-13). E neste particular, a Bíblia proíbe terminantemente aos fiéis de fazer qualquer adoração ou veneração a qualquer outro nome que não seja o nome excelso do Senhor Jesus.

    AS PRIMEIRAS EVIDÊNCIAS DE QUE JESUS É O MESSIAS

    A chegada do Messias foi revelada não só a Maria, José, Isabel e Zacarias, mas Deus cuidou que várias testemunhas tomassem conhecimento das boas- novas:

    Assim, Mateus narra que Deus enviou uma estrela para guiar uns magos que vieram do oriente para adorá-lo (Mt 2.1,2).

    Através dos magos, o rei Herodes, também tomou conhecimento e toda Jerusalém com ele (Mt 2.3), inclusive os Príncipes dos sacerdotes e os escribas (Mt 2.4-6). Prosseguindo os magos a sua viagem em busca do menino, a estrela guiou-os até a casa onde Ele se encontrava com a sua mãe. E a Bíblia diz que os magos ao verem Jesus, prostraram-se para adorá-lo (Mt 2.11).

    Observe-se aqui que nenhum gesto de reverência à mãe do menino está registrada. A adoração foi prestada unicamente ao Salvador.

    Lucas nos diz que o Anjo do Senhor anunciou a alguns pastores que estavam em vigília, pastoreando o rebanho (Lc 2.8-12), os quais viram também uma multidão de anjos que glorificavam a Deus pelo acontecimento (Lc 2 13-15).

    Os pastores creram na mensagem, foram até Belém e ali confirmaram o que lhes tinha sido dito pelos anjos, pois encontraram Maria, José, e o menino deitado na manjedoura (Lc 2.15-16).

    Assim, trataram também de divulgar o acontecimento a todos que os ouviam e todos se maravilhavam e glorificavam o nome do Senhor.

    E Maria, por sua vez, sendo de origem humilde (a sua família não é sequer citada no cânon sagrado), e casada com um simples carpinteiro, ao ver aquela manifestação de júbilo em torno do menino, a Bíblia diz que ela guardava todas essas coisas conferindo-as em seu coração (Lc 2.17-20), ou seja, tudo aquilo servia para ela como sinal confirmatório de que o seu filho era verdadeiramente o Messias.

    Outro sinal para Maria aconteceu quando o menino completou doze anos e foi com eles à Jerusalém, à festa da Páscoa (Lc 2.39-42).

    Ao regressarem à Nazaré, Maria e José não perceberam que o menino não os acompanhara, pois eram muitos os que voltavam, e eram conhecidos, e vinham aos grupos pela estrada.

    Só depois de um dia de viagem é que perceberam a sua ausência. Assim regressaram a Jerusalém, e três dias depois o encontraram no templo, assentado no meio dos doutores, que os ouviam e interrogavam, e se admiravam com a sua inteligência e respostas (Lc 2.43-47).

    Ali, pela primeira vez, Jesus declara a supremacia da sua filiação com Deus: quando foi inquirido pela sua mãe, pela preocupação que lhes tinha dado, respondeu-lhe:

    Por que é que me procuráveis? Não sabeis que me convém tratar dos negócios de meu Pai?” (Lc 2.49).

    A Segunda vez em que esta supremacia é declarada, foi nas bodas de Caná da Galiléia, onde Jesus manifestou a sua Glória pela primeira vez em Israel. O registro encontra-se no Evangelho segundo S. João.

    É interessante observar que o Apóstolo João não cita o nome de Maria, nenhuma vez, no Evangelho que escreveu. Nas três únicas narrativas em que é citada, ele a menciona apenas como a mãe de Jesus, sem nenhuma preocupação de dar a sua identificação pessoal (Jo 2.1,3,12; 6.42; 19.25-27).

    Isto porque não era a pessoa dela que precisava ser divulgada, mas sim, era a pessoa de Jesus que precisava ser levada ao conhecimento de toda humanidade, para salvação, conforme o próprio João esclarece no final do seu Evangelho: Jo 20.31 – ” Estes foram escritos para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo tenhais vida em seu nome.”

    Esta é a mensagem central do Evangelho de João: apresentar Jesus como o Filho de Deus, o Cristo, o único que tem poder para ressuscitar mortos e conceder vida terna (Jo 6.38-40).

    Este poder Ele recebeu do Pai celestial (Jo 10.11,15,17,18).

    Tudo quanto fez, Ele o fez porque o Pai era com Ele.

    Nada foi herdado da carne (Jo 3.31), mas veio de Deus que estava nele e fazia as obras, para a Glória do seu nome (Jo 10.30-38; 14.9-13).

    Também nos seus discursos Ele falava o que o Pai mandava (Jo 48-50). Era o Verbo de Deus feito carne. E foi o seu lado Divino e a sua preexistência (Jo 1.1-3) que João evidenciou na biografia que escreveu.

    Por esta razão, ele não dissertou sobre o seu nascimento e a sua genealogia, e assim não precisou identificar a sua mãe. A primeira vez que a menciona é na narrativa das bodas de Caná da Galiléia, onde Jesus operou o seu primeiro milagre.

  206. diego disse:

    Meu amigo “le”, você esta com um certo desvio de fatos, pois esta tentando colocar Maria como salvadora, mais tem um porem meu amigo não sei se você prestou atenção anteriormente mais eu disse que o único que salva é Jesus, será que esta tão difícil assim para você colocar nessa sua mente de que só existe um salvador, e que as palavras que você esta tentando colocar de que Maria é tudo para os católicos meu amigo, não passa de argumentos fracos sendo que você já ouviu aqui mesmo em comentários anteriores de que eu falei que o único que salva é Jesus, Jesus, Jesus, Jesus, Jesus, Jesus, Jesus, Jesus, Jesus, Jesus, desculpa por ter escrito tanto o nome de Jesus, mais acho que é a única forma de você prestar atenção, já que estou falando com as paredes.

    Sendo que todos devemos saber que ate mesmo o pior assassino do mundo em sua ultima hora de vida se arrepender de seus pecados será salvo!

    Existem muitas coisas que devemos saber meu amigo “le”.

    Você agora é da batista né?

    Como você tem opinião diferente não é “le”?

    Amanhã você vai representar qual igreja meu amigo?

    A universal?

    A igreja da graça?

    Ta legal suas opiniões divididas!!!!!!!!!!!

    Essa é pra você “le”!!!!!!!

    “Jesus, porém, penetrando nos seus pensamentos, disse:” Todo reino dividido contra si mesmo será destruído. Toda cidade, toda casa dividida contra si mesma não pode subsistir ” (Mateus 12, 25)

  207. diego disse:

    Como você colocou palavras acima da igreja batista, vamos colocar um ex-pastor batista que fazia as mesmas contestações suas irmão “le”, “mais quando foi atrás da verdade descobriu a verdade”, engraçado isso não é?

    Da uma olhadinha meu amigo, não basta contestar tem que ter a verdade!!!!!!!

    http://vids.myspace.com/index.cfm?fuseaction=vids.individual&videoid=28229657

  208. le disse:

    OBRIGADO PELO VERSÍCULO DIEGO(MT12.24,25)

    24 Mas os fariseus, ouvindo isto, disseram: Este não expulsa os demônios senão por Belzebu, príncipe dos demônios.

    25 Jesus, porém, conhecendo-lhes os pensamentos, disse-lhes: Todo reino dividido contra si mesmo é devastado; e toda cidade, ou casa, dividida contra si mesma não subsistirá.Os fariseus ja haviam acusado jesus de receber poder do principe dos demônios (Mt9.34).Tentavam desacredita-lo,fazendo uso de um argumento falso,motivado pela inveja.ao recusar-se a acreditar que Jesus fora enviado por Deus,os fariseus caluniaram,afirmaram que estava associado a Satanás. Jesus demonstrou com muita facilidade que esse argumento não pssa de tolice.Ao encarnar,Jesus abriu mão de usar suas habilidades de forma completa e ilimitada . porem,ele possuía um profundo conhecimento da natureza humana. seu discernimento impediu que os lideres religiosos o colocassem em uma armadilha. O Cristo ressuscitado conhece todos os nossos pensamentos.,isto pode ser muito confortante,porque Ele sabe exatamente o que queremos diser quando nos dirigimos a Ele,mas tambem pode ser uma ameaça, por não podermos esconder-nos, pois Ele conhece o egoismo que norteia nossas motivações.

  209. diego disse:

    A carapuça deve servir bem, se você entendeu o que eu quis dizer!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Ah, você viu o vídeo do ex-pastor batista?

    Viu como você é controlado, e demonstra os mesmos argumentos dele?

    Vistes como as marionetes são controladas?

    kkkkkkkkkkkkkkk
    kkkkkkkkkkkkk
    Kkkkkkkkkkk
    Kkkkkk
    Kk
    k

  210. diego disse:

    Quer ver mais?

    Veja ex-pastores que foram atrás da verdade, mais não são simples ex-pastores não, são ex-pastores, teólogos entre outras coisas, mais em fim são pessoas muito instruídas e que não quiseram ser mais enroladas e muito menos deixar as marionetes serem enroladas por pessoas como você “le”, que saem falando o que dizem por ai.

    São pessoas que hoje depois de serem libertados dessa falsa injustiça que os protestantes colocam contra a igreja católica, passaram a mostrar as maldades que eram submetidos e que submetiam seus fiéis, veja:

  211. le disse:

    ESTA É A SEGUNDA PARTE DO ESTUDO SOBRE MARIA!

    O Primeiro Milagre de Jesus Assinala a Primeira Manifestação da Glória de Deus Marcando sua Volta à Terra

    Maria sabia que Jesus era o Messias.

    O anúncio dado pelo anjo Gabriel e a forma milagrosa como ela engravidou, não lhe deixavam dúvida.

    Também o regozijo de Isabel ao vê-la grávida, as manifestações de júbilo dos anjos no seu nascimento, os testemunhos de Simeão e Ana, dos magos, de João Batista, tudo eram evidências claras de que Ele realmente era o Ungido de Deus.

    Passaram-se, entretanto, cerca de trinta anos, sem que nenhuma manifestação de poder houvesse acontecido da parte dele.

    A primeira oportunidade para a manifestação da sua glória, surgiu durante umas bodas realizadas em Caná da Galiléia onde Maria e Jesus se encontravam como convidados (Jo 2.1,2).

    Como no ministério terrestre de Jesus, nada pode ter acontecido por acaso, Deus escolheu exatamente uma festa de casamento para realizar o seu primeiro milagre, porque um casamento lembrava a aliança firmada entre Deus e Israel, cujas bases eram solidificadas num pacto de fidelidade mútua, à semelhança de um pacto nupcial.

    Enquanto permanecia fiel à aliança feita com Deus, Israel era comparada a uma esposa, e Deus era o seu remidor (Is 43.l; compare com Rt 3.9; Ez 16.8), e a cumulava dos mais ricos presentes (Ez 16.7-14). Entretanto tais bênçãos estavam sempre vinculadas à estrita obediência à Lei (Ez 16.15-42).

    O vinho era um dos símbolos de bênçãos (Dt 7.13; 11.14; Pv 3.9,10; Is 65.8; Dt 32.14), e a sua falta significava maldição (Dt 28.39; Is 24.5-11; Os 2.8-12; Sf 1.13), em virtude do concerto que Deus havia firmado com eles, quando ficou estabelecido que a bênção ou a maldição lhes seriam dadas, como recompensa pela obediência ou desobediência aos seus juízos.

    A terra prometida era fértil (Nm 13.23,27), e com a bênção de Deus sobre ela, produziria frutos e vinho com abundância para Israel (Pv 3.9,10; Is 27.6).

    No segundo ano do êxodo, quando encontravam-se a três dias de distância de Canaã, à mandado do Senhor, Moisés enviou espias para observarem a terra que iriam conquistar. Era o período das primícias das uvas (Nm 13.20), e eles trouxeram do fruto para o apresentar a Israel. E era tão grande o cacho de uva, que foi necessário dois homens para transportá-lo numa vara sobre os ombros (Nm 13.23).

    Israel era a vinha que Deus plantara na terra (Is 5.7; 27.2-6), e Ele esperava que a sua vinha fosse fiel e produzisse justiça e juízo (Is 5.7).

    O relato Bíblico nos faz entender que esta foi a causa porque Deus firmou concerto com Abraão, porque viu nele fidelidade, e viu também que ele haveria de ordenar a seus filhos e à sua casa para que guardassem o caminho do Senhor, e praticassem o Juízo e a Justiça (Gn 17.1,2; 18.17-20; Ne 9.7,8), que é o que Deus exige de todo homem, porque o Juízo e a Justiça são a base do seu trono (Sl 97.2), e a terra e a sua plenitude lhe pertencem (Sl 89.11).

    Infelizmente, em todo o Velho Testamento encontramos notícias dos constantes desvios de Israel e dos insistentes apelos do Senhor para trazê-los de volta, através dos Profetas, que acusavam a nação de adultério e os chamavam de volta à prática da fidelidade a Deus.

    Entretanto eles só voltavam quando se viam em grandes apertos e não encontravam socorro em nenhum outro, e aí reconheciam que só o Senhor poderia socorrê-los (Os 2.7).

    Mas logo voltavam a serem infiéis, e acabaram invalidando a aliança com Deus. Israel acabou tornando-se uma vide estranha, uma planta degenerada (Is 1.21,22; Jr 2.21), pelo que o Senhor desceu sobre ela a maldição, expulsando os moradores da terra e tornando a terra em deserto (Is 5.5-7).

    O muito prevaricar foi a causa deles terem sido enviados para o cativeiro e invalidado o concerto com o Senhor (Jr 9.12-16 e 31.32).

    E aos que foram para o cativeiro, Deus lembrou-lhes através de Ezequiel, que a razão do castigo tinha sido os seus muitos adultérios ((Ez 16.32).

    A ida para o cativeiro significou uma terrível perda para Israel, pois além dos reinos de Israel e Judá terem sido destruídos, o concerto entre eles e Deus foi invalidado, e a Glória de Deus retirou-se do meio deles (Lm 2.16), e consequentemente as bênçãos prometidas.

    Mas pela sua fidelidade a Abraão, a Davi, e a Jerusalém, a cidade que elegeu para por nela o seu nome, o Senhor prometeu que enviaria o Messias para restaurar o reino (Zc 8.3) aos remanescentes de Israel (Is 6.5-9; 10.21,22; Rm 9.27).

    Regressaram após setenta anos de cativeiro, mas continuaram sob o jugo estrangeiro, porque a promessa de restauração da vinha, ou seja, a restauração do reino, estava vinculada à vinda do Messias, que como um renovo (Jr 33.14-16; 23.5-8), faria um novo concerto com Israel e os edificaria como uma nova vinha (Jr 3l.31; Is 4.2-6), que daria vinho novo, purificado (Is 25.6-9; 27.2-6; Jr 31.1-40). Porque eles serão purificados de toda sua maldade (Jr 33.6-8). As nações opressoras serão julgadas, e eles governarão o mundo, e terão abundância de paz e de prosperidade (Jr 33.4-16; Ez 36.16-36; Is 4.2-6).

    A restauração do reino significava o restabelecimento da aliança que havia sido firmada entre eles e Deus, no Monte Sinai, e o que é mais importante, significava também a volta da Glória de Deus (Is 40.5) para habitar em Jerusalém, quando Deus então estaria novamente desposando a Israel (Os 2.16,19,20).

    Portanto, a restauração do reino significava um novo pacto e um novo casamento entre Israel e Deus, e é por isto que o primeiro milagre de Jesus foi realizado numa festa de casamento (Jo 2.1-11), onde Ele inaugurou o seu ministério, pois Ele era o noivo que Israel esperava (Mc 2.19,20; Os 2.19,20), o Messias prometido (Jo 4.25,26), o Filho Unigênito de Deus (Jo 1.18; Mt 3.17; Jo 14.8-10), e a expressa imagem da sua Glória (Jo 1.14; 2 Co 4.4).

    Uma festa de casamento em Israel, durava em média sete dias. Durante este período de festejos, os convidados compareciam, uns após outros, sendo que, alguns entravam e saíam, novos chegavam, e outros permaneciam por mais tempo. E a todos, os noivos igualmente deveriam recepcionar, não podendo em hipótese alguma faltar o vinho, que era a bebida tradicional dos judeus, desde a conquista, porque era um dos principais produtos da terra.

    Mas exatamente naquela festa em que Jesus se encontrava, o vinho faltou. Com certeza isto também não foi acidental. Deus queria que ficasse registrado para a posteridade, a condição de pobreza a que ficou submetido o povo de Israel, depois que lhes tiraram o reino e eles foram entregues ao jugo de sucessivas nações estrangeiras, que os despojaram ao longo dos séculos, sendo que tudo isto lhes acontecia porque eles haviam invalidado o seu concerto com Deus.

    Mas eles criam na promessa do Messias, e o aguardavam para restaurar-lhes o reino e a prosperidade, já naquela época. Isto está demonstrado no fato de Maria ter comunicado a Jesus que faltou vinho. Ela sabia que Jesus era o Messias, e como o seu povo, ela também acreditava que seria naquela época a restauração do reino (At l.6, 14 ).

    Isto denota a condição espiritual do povo, pois eles não haviam entendido as predições das Escrituras que revelavam que o Messias, antes de restaurar o reino, iria primeiramente padecer para realizar a obra expiatória para o perdão dos pecados (Dn 9.24-26; Is 53.1-12; Zc 12.10; 13.6; 3.8,9).

    E o Senhor tinha consciência disto, quando respondeu a Maria que ainda não era chegada a sua hora, ou seja, ainda não era a época da restauração do reino, pois primeiro Ele teria que expiar os pecados do povo.

    Mas isto Maria não compreendia, e por isto esperava dele a solução para o problema da falta do vinho, pois uma das promessas ligadas à restauração do reino, é que Israel transbordaria de gozo, e teria vinho com abundância (Is 25.6; 62.8; 65.21; Jl 2.19, 24; 3.17, 18; Am 9.13-15).

    Entretanto, o Senhor fizera ver a Maria que a restauração do reino não seria um feito humano, mas o seu cumprimento seria realizado pelo próprio Deus, a quem Jesus estava transcendentemente unido em obediência, por laços filiais eternos, enquanto que, sua união filial com Maria, dizia respeito apenas ao corpo humano que o revestia, e nenhuma influência poderia ser exercida da parte dela, para a execução da obra que Jesus veio realizar.

    Isto está claramente implícito na expressão de Jesus: “Mulher, que tenho eu contigo?” (Jo 2.4). Com esta expressão, o Senhor estava lembrando a Maria a diferença existente entre ambos, e as implicações que essa diferença trazia no relacionamento entre os dois, com relação à sua obra:

    1º) Jesus é do céu (Jo 3.13, 31; 6.33,35,38, 51, 62);
    Maria era da terra (Lc 1.28; Gl 4.4);

    2º) Jesus é o Criador (Jo 1.3);
    Maria era criatura (Ap 5.13);

    3º) Jesus é o Senhor (Lc 1.43);
    Maria era serva (Lc 1.38,48);

    4º) Jesus é eterno (Jo 8.54-58);
    Maria era mortal (Jo 6.58; 1 Co 15.21,22);

    5º) Jesus é o Salvador (Lc 2.25-30);
    Maria era carente de salvação (Lc 1.46,47);

    6º) Jesus é o Filho Unigênito do Deus eterno (Lc 1.35; Mt 1.23; Jo 17.24);
    Maria era apenas a mãe do homem Jesus (Lc 1.31,33);

    7º) Como Filho do Deus eterno, Jesus era preexistente e imortal (Jo 1.1-4);
    Como filho de Maria, Jesus estava vestido de um corpo humano, mortal (Hb 2.9, 14, 15; Mt 2.13);

    8º) A filiação entre Jesus e o Pai eterno jamais terá fim (Jo 16.28; 13.3);
    A filiação entre Jesus e Maria, findou com a morte (Jo 6.63; 19.26-28);

    9º) Como Filho de Deus, Jesus tem todo poder nos céus e na terra (Mt 28.18);
    Como filho de Maria nenhum poder Jesus teria (Jo 5.19, 30; 8.28; 12.49; 14.10);

    10º)Jesus veio para realizar a obra Messiânica planejada pelo Pai (Lc 1.32, 33):
    Maria estava entre os que aguardavam o Messias (Lc 1.54, 55);

    11º)A Jesus tão somente cumpria realizar a vontade do Pai (Jo 4.32-34);
    A Maria tão somente cumpria guardar todas estas coisas, conferindo-as no seu coração (Lc 2.19; 51; 1.66).

    Entretanto, Jesus veio para ser uma bênção para toda família da terra, e nada o impedia de tirar o opróbrio dos noivos, suprindo a falta do vinho, e assim, Ele operou o seu primeiro milagre, transformando água em vinho, manifestando a sua Glória em Israel.

    Mas isto não significava em absoluto o início do reino messiânico, porque ainda não havia chegado a sua hora, ou seja, Jesus ainda iria para o Calvário, porque na sua primeira vinda, Ele veio como a semente da mulher para esmagar a cabeça da serpente e conceder-nos a vitória eterna.

  212. le disse:

    A DESCULPA, ESTE VÍDEO QUE ME MANDOU É FALSO,MAS JA É UM POCO TARDE, AMANHÃ POSTAREI COMENTÁRIOS A RESPEITO.

  213. diego disse:

    Queria ouvir isso mesmo de sua boca meu amigo!!!!!!!!!

    Para então eu colocar os verdadeiros protestantes que voltaram a igreja católica vamos lá meu amigo “le”, e vou citar no meio deles o d.r. Scott hann, grande doutor Scott hann, você vai contestar ele também?

    Já o citei aqui em cima em comentários anteriores meu amigo, e pode perguntar que eu provo qualquer coisa dele sendo que não é tão difícil de mostrar suas obras.

  214. diego disse:

    Vocês gostam de falar muito de padres que saem da igreja católica?

    Vamos falar de pastores de diversas igrejas protestantes que saem de suas igrejinhas após descobrirem a verdade que esconderam deles, e olha que são grandes estudiosos teólogos filósofos entre muitos estudos onde viram quem mentia de verdade para os leigos que são enrolados no protestantismo, como nosso amigo “le”, vejam:

    Retorno de Pastores protestantes à Igreja Católica
    Autor: Jaime Francisco de Moura
    Fonte

    Foi algo que os protestantes menos esperavam. Era quase impossível pensar que em nosso tempo iam acontecer tais coisas, principalmente nos Estados Unidos, berço do protestantismo atual.

    Estas conversões aumentam a cada dia, e estão sendo irreversíveis com a passagem do tempo. São conversões de pastores, ministros e leigos, para a Igreja Católica. Sim, antes eles eram fortes pilares do Protestantismo e promotores do anti-catolicismo, que agora, voltam à Igreja de Cristo! E com os seus testemunhos atraem como uma avalanche, muitos outros protestantes de todos os continentes.

    Só para lembrar alguns deles: Scott Hann, Paul Thigpen, Marcus Grodi, Steve Wood, Bop Sungenis, Julie Swenson, Dave Amstrong, David B. Currie, Tom Howard, Peter Kreeft, Douglas Bogart. Cada um deles em tempos diferentes e com os meios diferentes, mas todos em comum, unidos agora na Igreja Católica. (Efésios 4, 4-5).

    Estudaram teologia protestante; livros de exegese bíblica; escritos dos Pais da Igreja e do Cristianismo primitivo… E eles ficaram “surpreendidos com a Verdade”. Vários deles eram professores de teologia, escritores, pastores e estudiosos… Começaram a estudar os alicerces da fé Católica e foram pegos de surpresa pela verdade.

    Eles andaram em várias estradas chegando a Roma. Agora estão em comunhão com o Papa dando testemunho em rádios, revistas e televisão no mundo inteiro. Escreveram livros, gravaram cassetes, páginas na Internet… E por meio deles há um forte movimento de protestantes voltando à Igreja.
    Vejam o perfil de alguns deles:

    1) Scott Hann. ex-pastor presbiteriano e ex-professor de teologia protestante.

    Era um anti-católico dos mais radicais de sua época. O seu excelente conhecimento como pastor e teólogo protestante e o testemunho de conversão para a Igreja católica faz deste servo de Deus um fascinante defensor da verdade. Milhares de protestantes e centenas de pastores voltaram ao Catolicismo vendo o testemunho deste ex-pastor.

    2) Paul Thigpen. ex- editor e escritor de várias revistas protestantes.
    Foi educado em uma Igreja presbiteriana do sul. Levou a sério, os estudos religiosos na Universidade de Yale. Foi Pastor e missionário na Europa, depois passou para a Igreja Batista, Metodista, Igreja Anglicana e depois para uma Igreja Pentecostal. Finalmente fez estudos para obter doutorado em História da Teologia que o facilitou ao caminho para a Igreja Católica.

    3) Marcus Grodi ex-ministro protestante formado em Teologia e Bíblia.
    Fez os estudos de teologia no seminário protestante Gordon-Conwell em Boston, Massachussetts.
    Marcus afirma: “Eu só quis ser um bom pastor”, mas um dia perguntou-se a si mesmo: “Eu estou ensinando a verdade ou o erro? Como eu posso estar seguro se em outras igrejas a mesma leitura Bíblica tem várias interpretações diferentes?”.
    Estudou história da Igreja e soube através da Bíblia que não poderia continuar a ser um protestante. Concluiu que a verdade absoluta só se encontrava na Igreja católica. “Sou mais completo na Igreja dos Apóstolos”, disse ele.

    4) Steve Wood. ex-diretor de um Instituto Bíblico na Flórida
    Ex-pastor da Igreja evangélica “O Calvário”. Fazia os estudos em um Instituto das Igrejas Assembléias de Deus trabalhando em projetos de evangelismo juvenil; era líder de ministérios evangélicos na prisão; organizou um Instituto de estudos bíblicos para adultos e depois fez pós-graduação estudando no famoso seminário evangélico de teologia Gordon-Conwell em Massachusetts.
    Um dia quando orava, Deus lhe falou: “Agora ou nunca”. Com a sua conversão ao Catolicismo ele perderia tudo. Perderia o trabalho como pastor e teria dificuldades em sustentar a família. “Eu tinha estudado 20 anos para ser um ministro protestante e Deus me falou: Faça, agora!… E eu fiz isto”.

    5) Bop Sungenis. ex-professor de Bíblia em uma Rádio evangélica.
    Escreveu um livro contra a Igreja católica: “Recompensas no Céu?” Onde criticou os católicos por acreditar na importância das obras. Ele quis demonstrar que os ensinamentos Católicos eram falsos e que para salvar-se, bastaria somente a fé. Estudou no “Collegue Bíblico de Washington” e depois se especializou no “George Washington University”.
    Bop diz: Agora como Católico eu tenho a paz. Isso vem como consolação de viver na verdade. Agora eu entrei no exército de Cristo nesta grande batalha para a salvação das almas. Ajudarei meus irmãos protestantes a aprender que a Igreja Católica não só é a verdadeira Igreja, mas a casa onde todos nós pertencemos.

    6) Duglas Bogart. Ex-missionário evangélico na Guatemala.
    Meu sonho era ser missionário em minha Igreja evangélica de Phoenix. Porém com o tempo, sem perceber, Deus estava me guiando para sua Igreja. Com muita tranqüilidade afirma Douglas: “Eu li muitos livros de teologia, de história, e de testemunhos”. Estudei o Catecismo da Igreja Católica comparando-o com a Bíblia. Eu li os primeiros escritos dos Pais da Igreja e descobri que a igreja primitiva era Católica e não protestante. Terminei de aceitar a verdade e agora eu sou Católico.

    7) David B. Currie. Ex-ministro evangélico do qual muitos o chamavam de “O Mestre em Divindade”.
    Ele nasceu e cresceu como um protestante fundamentalista, seu pai era um pastor. David fez curso de teologia no “Trindade Universidade Internacional” em Deerfield, Illinois. Depois obteve seu “Mestrado em teologia Bíblica” no “Trindade Escola de Divindade Evangélica”.
    O que o levou a ser Católico? Sua resposta se baseia em duas coisas: O estudo da Bíblia o fez descobrir que a Palavra de Deus o guiou para o Catolicismo e o segundo é que a mesma Bíblia mostrou para ele que a Igreja Católica é a única Igreja fundada por Cristo.

    8) Alan Stephen Hopes, ex- Pastor e Bispo Anglicano nomeado por João Paulo II
    Pastor Anglicano convertido ao Catolicismo, foi nomeado bispo auxiliar de Westminster por João Paulo II. Nasceu em Oxford, em 1944. Foi recebido na Igreja Católica em 04 de Dezembro de 1995.
    Depois de dois anos como vigário da paróquia de Nossa Senhora da Vitória, de Kensington, foi nomeado Padre da Paróquia de Nosso Redentor, em Chelsea, tornando-se depois, em 2001, vigário geral da arquidiocese.
    Monsenhor Hopes é um dos pastores Anglicanos que abandonaram a Igreja da Inglaterra depois que a ordenação sacerdotal de mulheres foi aprovada naquela igreja.
    Todos eles são agora verdadeiros Católicos e 100% Cristãos. Eles acharam a abundância da vida Cristã na única Igreja fundada por Cristo.

    Para ver os testemunhos destes ex-pastores e outros mais, leiam o livro
    “Por que estes ex-protestantes se tornaram Católicos”
    Editora ComDeus – São José dos Campos.

  215. diego disse:

    Todos eles seguiam as mesmas palavras suas “le”, mais infelismente para vocês protestante existe uma verdade, verdade essa que esta aberta para qualquer pessoa ir atrás e ver a verdade, então meu amigo essa de ficar falando o que eles dizem como você faz, não cola mais, eles não quiseram mais fazer parte dessa mentira que é o mundo protestante.

    E você continua querendo?

    Acredito que você ira ficar muito tempo ainda sendo controlado por essas mal ouvelhas, mais fazer o que nós que escolhemos o que fazer de nossas vidas, e você já escolheu o que fazer da sua.
    Ser controlado mentalmente.

  216. diego disse:

    Contesta esses daí de cima meu amigo!

    O vídeo que eu coloquei anteriormente simplesmente mostra a sua visão fechada que os protestantes induz vocês.

  217. le disse:

    O cara que sai do catolicismo e volta novamente,não se converteu verdadeiramente nem entendeu a mensagem do evangelho, o apóstolo Pedro compara ao cão que volta ao seu propio vômito, e a porca lavada ao espojadouro de lama.

  218. le disse:

    ESTA É A – 3º Parte do estudo sobre Maria!

    A Semente da Mulher

    Nascer da semente da mulher, significava que o Messias nasceria sem concepção de homem. E como prova disto era necessário que Ele fosse gerado no ventre de uma virgem (Is 7.14).

    Mas a promessa dizia respeito a um reino mundial, que seria dado à descendência Davídica. Por isto era necessário também que a virgem fosse desposada com um descendente de Davi, uma vez que a descendência em Israel era transmitida pela casa paterna.

    É por isto que, apesar de Jesus ter sido gerado no ventre de Maria, sem concepção de homem (Mt 1.18; Lc 1.35), contudo na genealogia traçada por Lucas, o nome de Maria não figura, mas sim, o nome de José (Lc 3.23).

    Isto porque as linhagens eram traçadas pela descendência paterna, e embora ele não fosse o pai biológico, mas do ponto de vista jurídico, a filiação paterna de Jesus pertencia a José, que por escolha de Deus, era o marido de Maria (Mt 1.19-25; Lc 4.22; Jo l.45; 6.42).

    E a importância disto está em que, sendo Jesus o filho primogênito do casal (Mt 1.25), e sendo José da tribo de Judá e de descendência Davídica (Lc 1.27; Mt 1.20), através dele Jesus tornava-se legalmente herdeiro do trono de Davi (Lc 1.32; Is 9.7; 2 Cr 21.3), podendo portanto ser consagrado Rei dos Judeus (Lc 1.33). (Esta foi a causa da sua condenação – Lc 23.2,3).

    Portanto a Bíblia mostra que pelo casamento de Maria, Jesus tornou-se filho legítimo de José e consequentemente herdeiro do trono Davídico, ou o Messias prometido.

    Já com relação à genealogia de Maria, a Bíblia não faz nenhuma declaração direta sobre o assunto. Sabemos que pelo casamento, ela pertencia à tribo de Judá, porque toda mulher ao casar adquiria o nome do marido, e passava a fazer parte da linhagem dele (Is 4.1; Rt 1.1,2; 2.1; 4.13-17).

    Assim, sob o aspecto legal, Maria pertencia à linhagem de Davi, uma vez que era casada com um descendente Davídico. Isto está evidenciado em Lc 2.4,5, onde está declarado que José foi alistar-se em Belém porque era da casa e família de Davi (vs 4); e Maria foi alistar-se com ele, porque era sua mulher (vs 5).

    Grande parte dos eruditos afirmam que Maria também era de descendência Davídica, porque em Rm 1.3 está escrito que Jesus “nasceu da descendência de Davi segundo a carne”, e em At 2.30, Pedro relembra a promessa de Deus a Davi, que “do fruto de seus lombos, segundo a carne, levantaria o Cristo, para o assentar sobre o seu trono.”

    Entretanto, tais afirmativas eram sempre citadas para deixar claro que Jesus era o Messias prometido. E sob este aspecto, a primazia era dada a José, porque os judeus só reconheceriam a linhagem paterna para os efeitos da herança do trono.

    Mesmo que saibamos que o Reino Messiânico será instituído por Deus, não podemos esquecer que Ele vela para cumprir com a sua Palavra (Jr 1.12), e a palavra profética dada a Israel, é que o Messias se sentaria no trono de Davi.

    Desta maneira, ainda que Maria tenha sido descendente de Davi, este fato de nada valeria para tornar Jesus o Rei de Israel, pois a sucessão real era dada sempre pela linhagem paterna.

    Isto pode ser observado na genealogia apresentada por Mateus (Mt 1.1-16). Ali, embora figurem os nomes de algumas mulheres, sendo duas delas de nações gentílicas, como o caso da moabita Rute, e da cananita Raabe (Mt 1.5), contudo os filhos delas gerados foram contados na tribo de Judá, e isto porque era considerada apenas a linhagem paterna para efeito de descendência.

    Alguns eruditos sustentam que a genealogia de Jesus traçada por Lucas (Lc 3.23-38), refere-se à linhagem de Maria, que teria vindo do tronco de Natã, um dos filhos de Davi e de Bate-Seba. Afirmam eles que o Heli que é apresentado na referida genealogia, como sendo o pai de José, era na realidade o seu sogro, ou seja, o pai de Maria. Mas não há um só caso na Bíblia onde uma genealogia seja apresentada pela linhagem materna, uma vez que as genealogias apontam os cabeças de heranças, e estas são contadas nas linhagens paternas (veja Nm 27 1-11; 36.1-13).

    Por sermos da mesma opinião, transcrevemos abaixo, um parecer sobre a matéria, publicado na Enciclopédia O. S. Boyer, 8ª Edição, págs. 290 e 29l, Ed. Vida, escrito por Lord Hervey, reconhecido como uma das maiores autoridades sobre genealogia:

    “Ao examinar a genealogia de Mateus, para ver quando se rompeu a linha real de Judá, é claro que foi em Jeconias. Note-se, também, como o Senhor, pela boca de Jeremias, ordenou que esse rei fosse privado de filhos e que ninguém da sua semente se assentasse no trono de Davi, nem reinasse mais em Judá (Jr 22.30): Os homens depois de Jeconias, desprovidos de filhos, são os herdeiros mais próximos, como também os são em 1 Cr 3.17. Olhando novamente para as listas em Mateus e Lucas ficamos certos desta conclusão. Os dois nomes que seguem o de Jeconias, Salatiel e Zorobabel estão realmente transferidos da outra genealogia (de Lucas), na qual consta que o pai de Salatiel foi realmente Neri, da família de Natã. Torna-se certo, portanto, que Salatiel, da família de Natã, irmão de Salomão, se tornou herdeiro do trono de Davi quando falhou a linha de Salomão, na pessoa de Jeconias. Assim Salatiel e seus descendentes foram transferidos, como “filhos de Jeconias” para a táboa genealógica real, segundo a lei judaica . Vede Nm 17.8-ll. Depois as duas genealogias coincidem por duas, ou melhor, quatro gerações. Então aparecem seis nomes, em Mateus, que não se encontram em Lucas. A seguir as duas listas concordam no nome de Matã (Mt 1.15; Lc 3.24) a quem são atribuídos dois filhos diferentes, Jacó e Heli; mas somente um e o mesmo neto e herdeiro, José marido de Maria, o reputado pai de “Jesus, que se chama o Cristo.” A súmula do assunto, então, é que Lucas dá a táboa genealógica de Jesus Cristo, como filho legal de José, segundo Seu nascimento. Mas Mateus dá a lista dos herdeiros ao trono.”

    Infere-se daí que a importância da filiação terrena de Jesus, não estava só em Maria, mas principalmente em seu esposo José, dado a sua descendência Davídica.

    Maria reunia as qualidades que a qualificavam a ser a escolhida e agraciada por Deus, para que no seu ventre fosse gerado o Salvador do mundo, porque estava desposada com um descendente de Davi, e encontrava-se ainda no período que à luz do Direito Romano é chamado de esponsais, sendo portanto virgem.

    Na Bíblia, a noiva era algumas vezes chamada de esposa, em virtude do noivado ser regido por um pacto realizado entre as duas casas envolvidas, cujo selo correspondia a um dote que o noivo dava previamente à família da noiva, como uma compensação pela entrega da filha no tempo determinado (ver Gn 24.53; 29.18-21).

    Desta forma o noivado era insolúvel, e não se admitia traição por parte da noiva, sendo por isto que, apesar da Bíblia não estabelecer regras sobre noivados, estabelece contudo, sanções para violação à fidelidade devida pela noiva (Dt 22.23-27).

    Esta prática era costume em todo oriente próximo. E era também regida pelo Direito Romano, que chamava o período de noivado, de “esponsais”, sendo que durante este período, os noivos permaneciam nas casas dos seus pais e não era permitido contacto sexual entre ambos.

    Assim, através de Maria, Deus cumprira a promessa feita no Éden, de que Ele nasceria da semente da mulher(Gn 3.15); cumprira a profecia dada por Isaías, de que nasceria de uma virgem (Is 7.14); e através do seu casamento com José, cumprira também a profecia dada por Jacó (Gn 49.10), e ratificada ao longo da história de Israel, de que Ele nasceria da tribo de Judá, da descendência de Davi (Sl 60.7; l08.8; Is 11.1; At 13.23).

    Em Lc 1.46-55, vemos Maria glorificando ao Senhor, em agradecimento pela bem-aventurança de ter sido gerado no seu ventre o Salvador. Reconheceu que isto foi o cumprimento da promessa de Deus dada aos pais, por misericórdia demonstrada a Abraão e sua posteridade (Lc 1.54,55).

    Portanto nenhum mérito especial havia da parte dela (Lc 1.48). Apenas Deus estava cumprindo a sua promessa dada a Israel, de quem ela era descendente, juntamente com toda nação (Lc 1.55). Tudo foi um ato da graça de Deus (Lc 1.28-30). E Graça quer dizer: favor imerecido (Ef 2.5-9).

    De acordo com o que está escrito em Mt 1.25, Maria permaneceu virgem durante toda a sua gravidez.

    Entretanto, pelo que está declarado em Lc 2.21-24, podemos entender que Jesus nasceu através de um parto normal, e tendo sido o filho primogênito, foi Ele quem, segundo a linguagem Bíblica, rompeu a madre (compare: Ex 13.15; Lv 12.1-8; Lc 2.21-24). E se com o parto rompeu-se a madre, rompeu-se consequentemente, o hímen também, terminando assim a virgindade de Maria.

    E o resultado disto é que todos os quatro Evangelistas são unânimes em afirmar que José e Maria tiveram filhos (Mt 1.25; 12.46,47; 13.55,56; Mc 3.31,32; 6.3; Lc 8.19,20 Jo 2.12; 7.2-5; At 1.14; Gl 1.19). E esta era uma das causas porque os seus perseguidores não criam em Jesus: eles conheciam a sua família, conheciam seus pais e irmãos e irmãs, e por isto não aceitavam que Ele dissesse que veio dos céus (Mt 13.55,56; Jo 6.42).

  219. le disse:

    …A Palavra de Deus…

    Porque a palavra de Deus é vida, e eficaz, e mais penetrante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até à divisão da alma, e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração.
    Hb 4.12

    Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim.
    At 17.11

    Lâmpada para os meus pés é tua palavra e luz, para o meu caminho.
    Sl 119.105

    …Pensamento…

    Deus é minucioso em suas instruções e promessas concedidas a nós através de sua Palavra. Meditar na Palavra de Deus é um dos modos mais maravilhosos, de poder ouvir a sua voz e ser por ela digirido. Antes de aceitarmos seja o que for em nossa vida, devemos filtrar tudo através da Escritura e eliminar quaisquer coisas que a contradigam. Tudo o que for contrário à Palavra de Deus deve ser depurado. A luz da Palavra ilumina todas as coisas, permitindo-nos distinguir a verdade do engano.

    …Oração…

    Elimina de minha vida qualquer coisas contrária às Escrituras, ó Senhor.
    Ajudá-me a andar na luz da tua Palavra, receber as suas instruções e reivindicar as suas promessas.

  220. diego disse:

    Mais uma vez você colocando Maria como ponto central meu amigo, só que tem um porem eu já ti disse varias vezes que o único que salva é “Jesus”, esta tão difícil de você colocar isso em sua cabeça?

    Hora, não sei se você quer entender sobre as doutrinas católicas ou quer difamar ela, já que só difama ela, não da pra entender sua mente, ela é muito controversa, as vezes segue os presbíteros, as vezes segue os batistas, outra hora segue sei lá o que, você só tem um foco, você tem um grande ódio dentro de ti tanto pela igreja católica quanto pelos católicos.

    Mais Jesus disse: Entretanto, aquele que perseverar até o fim será salvo.

    Eu persevero.

  221. le disse:

    Esta enganado meu querido,nunca odiei os católicos, tudo que faço é porque eu amo a todos, principalmente meus familiares que infelizmente a maior parte deles ainda são católicos, mas tenho certeza que o Senhor Jesus atraves do seu Espírito Santo em breve abrirão seus olhos ,tudo que quero é deixar bem claro que os ensinamentos catolico não tem nenhuma base na palavra de Deus, que para mim é a verdade absoluta. Como católico que fui a muitos anos posso dizer isso.Bom como sei que muito católicos lêem meus comentários,e que prometi enviar um estudo completo sobre Maria, portanto preciso terminar.

  222. le disse:

    ESTUDO SOBRE MARIA – 4º Parte – Final

    A Linhagem Filial de Maria

    Quanto à linhagem de nascimento de Maria, a Bíblia não esclarece diretamente, mas faz menção à sua parentela nos dois eventos principais da vinda de Jesus:

    1º) A primeira relação de parentesco com Maria, mencionada na Bíblia, foi citada pelo anjo Gabriel quando da anunciação (Lc 1.36), e diz respeito a Isabel, mãe de João Batista, sendo que alguns tradutores a chamam de “prima” de Maria, e outros de “parente”, sem mencionar a que grau.

    Esta declaração nos leva a compreender que nas veias de Maria, também corria sangue levita, uma vez que Isabel, sua parente, era descendente de Arão (Lc 1.5), e também casada com um sacerdote dos filhos de Arão (Lc 1.8,9; compare com Nm 16.40).

    Tal entendimento fica corroborado, no fato de Maria haver permanecido quase três meses na casa de Isabel (Lc 1.39,40,56). Isto significa que realmente havia um parentesco bem próximo entre ambas, e pela linhagem levita, uma vez que o pão servido nas casas dos sacerdotes era produto dos dízimos (Nm 18.23,24,31), e segundo a Lei, só os membros da sua família poderiam comer dele. Nenhum estranho poderia (Lv 22.10,11,13).

    Os filhos de Arão pertenciam à tribo de Levi pela descendência paterna, mas também tinham o sangue de Judá em suas veias, por parte de Eliseba, esposa de Arão (Ex 6.23). Ela pertencia à tribo de Judá, pois era filha de Aminadabe e irmã de Naassom, o Príncipe dos filhos de Judá (Ex 6.23; compare com Nm 1.7; 2.3; 1 Cr 2.l0,ll), o qual deu início à Genealogia da família real Davídica (Rt 4.19-22).

    Vemos nisto a providência do Altíssimo que no seu zelo e infinita sabedoria, unificou os sangues das duas famílias que Ele separou para servi-lo, pois sobre Arão repousava a primazia do sacerdócio (Ex 40.15; 25.13;Nm 3.10; Nm 16.40), e sobre Davi a primazia do reino político (Sl 78.70-72; Jr 33.25,26).

    Desta maneira, tendo Maria laços de sangue com os filhos de Arão, tinha consequentemente laços de sangue também com os filhos de Judá, em razão da herança deixada por Eliseba, esposa de Arão. E assim, o fruto do seu ventre já trazia na sua carne o direito natural de herança sobre o sacerdócio e sobre o reino Davídico.

    2º) A segunda relação de parentesco com Maria, mencionada na Bíblia, é narrada por João no relato sobre a crucificação: Jo 19.25 – “E junto à cruz de Jesus estava sua mãe, e a irmã de sua mãe, Maria de Cleofas, e Maria Madalena”.

    O versículo acima, por si só, tem trazido uma certa dificuldade de interpretação, devido à própria construção da frase, que deixa dúvida se a irmã de Maria seria Maria de Cleofas, ou se seria uma outra pessoa cujo nome não está mencionado no texto.

    Por isto fizemos um estudo comparativo junto aos Evangelhos, na tentativa de identificarmos as mulheres que realmente estavam junto à cruz:

    Mateus e Marcos citam o nome de três:

    Segundo Mateus, estiveram presentes à crucificação: Maria Madalena; Maria, mãe de Tiago e de José; e a mãe dos filho de Zebedeu (Mt 27.56).

    Marcos citou: Maria Madalena; Maria, mãe de Tiago, o menor, e de José; e Salomé (Mc 15.40).

    Fazendo um paralelo entre as duas narrativas, e considerando que se tratavam das mesmas pessoas, podemos identificá-las da seguinte forma:

    Maria Madalena; Maria, mãe de Tiago, o menor, e de José; e Salomé, mãe dos filhos de Zebedeu.

    Temos então duas Marias, e Salomé. E Mateus deixa claro o entendimento de que, dentre as pessoas ligadas ao Senhor, haviam apenas duas mulheres com o nome de Maria, que estiveram presentes na crucificação, e como testemunhas da ressurreição (Mt 27.56, 61 e 28.l).

    No relato de João, conforme já vimos (Jo 19.25), consta a mãe de Jesus, além de duas Marias, e mais uma irmã da mãe de Jesus. Portanto, aqui também temos duas Marias (além da mãe de Jesus, cujo nome não aparece), sendo que uma delas é Maria Madalena, que é citada nos três Evangelhos.

    Infere-se daí que a outra Maria é a mãe de Tiago o menor, e de José, segundo Mateus e Marcos, a qual , no Evangelho de João é chamada de Maria de Cleofas.

    Como entre os apóstolos existem dois Tiagos, sendo um deles, irmão de João e filho de Zebedeu, e o outro, filho de Alfeu, e como no paralelo feito entre Mateus e Marcos, Tiago o menor, não é o filho de Zebedeu, podemos deduzir que ele seria o filho de Alfeu.

    Temos daí que, Maria, mãe de Tiago o menor, e de José, é a esposa de Alfeu, que no Evangelho segundo João, recebe o nome de Maria de Cleofas, razão porque alguns eruditos imaginam que os nomes Alfeu e Cleofas, são apelativos do mesmo nome, ou seja, são a mesma pessoa; enquanto outros imaginam que Cleofas seria o sogro de Alfeu, isto é, o pai de Maria, mãe de Tiago o menor e de José.

    De uma forma ou de outra, o que importa é que já podemos identificar as duas Marias citadas em João: uma é Maria Madalena, e a outra é Maria, mãe de Tiago, o menor, e de José, esposa de Alfeu ou Cleofas.

    Assim sendo, das quatro mulheres que se encontravam próximas à cruz, uma era a mãe de Jesus, outra era Maria Madalena , e outra, Maria de Cleofas. Resta apenas identificarmos aquela citada por João, como sendo a irmã da mãe de Jesus. Alguns eruditos entendem que João menciona apenas três mulheres, pois acham que a irmã da mãe de Jesus e Maria de Cleofas, sejam a mesma pessoa. Entretanto, como Mateus e Marcos citam três mulheres, não há razão para não crermos que as três se juntaram à mãe de Jesus e tenham se aproximado da cruz juntamente com João.

    Desta maneira, considerando que as três mulheres mencionadas por João, são as mesmas citadas por Mateus e por Marcos, podemos afirmar que a irmã da mãe de Jesus era Salomé, a mãe dos filhos de Zebedeu (Tiago e João).

    Desta forma, podemos afirmar ainda, que João e Tiago eram primos de Jesus. E deve ter sido exatamente por causa do vínculo familiar, que a mãe deles achou-se no direito de pedir a Jesus que os seus filhos se sentassem um à direita e outro à esquerda do seu trono, no reino (Mt 20.20-28; Mc 10.32-45). E deve ter sido também , pela mesma razão do parentesco que Jesus entregou a João a responsabilidade de cuidar de Maria, após a sua morte, uma vez que os irmãos de Jesus ainda não criam nele (Jo 7.5), muito embora, após a sua ressurreição passaram a crer e se integraram na obra (At 1.14).

    É interessante observar que João é o único evangelista que cita a audiência de Jesus com Anás, antigo sumo sacerdote, e menciona um discípulo que não diz o nome, o qual era conhecido do sumo sacerdote e por isto teve acesso à sua sala, durante o interrogatório (Jo 18.13-15).

    Quem era aquele discípulo, e de onde o conhecimento com o sumo sacerdote?

    Pela riqueza de detalhes com que João narra os acontecimentos ocorridos dentro da sala (Jo 18.19-24), e considerando que nenhum outro evangelista narra esse episódio, só podemos imaginar que o discípulo em questão era o próprio João.

    E uma vez que entendemos ser ele primo de Jesus, e que a mãe de Jesus era parente de Isabel que por sua vez pertencia à família sacerdotal, podemos imaginar que ele também tivesse algum parentesco com o sumo sacerdote, apesar de ser um simples pescador da Galiléia.
    v Portanto, tudo vem fortalecer o entendimento de que Maria e sua parentela, tinham sangue levita, e nesta hipótese, também tinham sangue judeu, em virtude do casamento de Arão com a judia Eliseba.

    Entretanto, este é um lado da herança de sangue de Maria. Não sabemos se do lado paterno ou materno. Mas o que sabemos é suficiente para entendermos que Jesus tinha sangue judeu da parte de Maria, e era legalmente judeu da parte de José, cumprindo assim as profecias de que o Messias viria da tribo de Judá. Mas ao mesmo tempo, a herança genética de Arão dava-lhe o direito perante o Altíssimo, em virtude do rigor da sua palavra, de ser o nosso Sumo Sacerdote.

    Contudo, tudo isto vinha apenas preencher as formalidades humanas, porque Jesus era superior a tudo, porquanto era o Filho de Deus, eterno, anterior a Maria (Jo 3.13; Hb 7.3); anterior a Davi (At 2.34,35); anterior a Abraão (Jo 8.58). E é por isto que o autor da Epístola aos Hebreus pôde dizer:

    Hb 6.17 -“Pelo que, querendo Deus mostrar mais abundantemente a imutabilidade do seu conselho aos herdeiros da promessa, se interpôs com juramento;” .18 – “Para que por duas coisas imutáveis, nas quais é impossível que minta, tenhamos a firma consolação, nós, os que pomos o nosso refúgio em reter a esperança proposta;”

    .19 – “A qual temos como âncora da alma segura e firme, e que penetra até ao interior do véu,”

    .20 – “Onde Jesus, nosso precursor, entrou por nós, feito eternamente sumo sacerdote, segundo a ordem de Melquisedeque”

    Hb 7.l -“Porque este Melquisedeque, que era rei de Salem, sacerdote do Deus Altíssimo, e que saiu ao encontro de Abraão quando ele regressava da matança dos reis, e o abençoou;”

    .2 – “À quem também Abraão deu o dízimo de tudo, e primeiramente é, por interpretação, rei de justiça, e depois também rei de Salem, que é rei de paz;”

    .3 – “Sem pai, sem mãe, sem genealogia, não tendo princípio de dias nem fim de vida, mas sendo feito semelhante ao Filho de Deus, permanece sacerdote para sempre.

  223. Nathalia disse:

    Ola irmão “Le” seu comentários estão me ajudando muito, acredito que ajudarão também outras pessoas beijos……………………..

  224. diego disse:

    Obrigado pelo estudo de Maria “le”, vamos colocar ele mais completo, ah, você não ia contestar os ex-pastores citados por mim dizendo que são falsos os meus diálogos, ou você não conseguiu encontrar nas suas pesquisas do google algo para derruba-los?

    Mais valeu vamos falar de Maria!

    Para os leigos!!!!!

  225. diego disse:

    Quero lembrar para as mentes fracas que ficam tentando encontrar algo para derrubar a igreja católica, de que o único salvador é Jesus, e se alguém está tentando colocar Maria como salvadora esse será julgado por um cristo.

    Ai daquele que ousar distorcer os fatos para enrolar as pessoas!!!!!!

    Graças e paz de nosso salvador Jesus!

  226. diego disse:

    MARIA

    Por Rodrigo Rodrigues Pedroso
    Fonte: Rodrigo Rodrigues Pedroso

    O Santo Padre Paulo VI instituiu o dia 1º de janeiro de cada ano como a Solenidade de Maria, Santa Mãe de Deus, para que todos tivéssemos a oportunidade de meditar em nosso coração as grandezas de tão sublime mistério: Deus escolheu uma virgem, filha de Sião, colega nossa na humanidade, para que fosse a Mãe do próprio Deus humanado, e para que, através dela, viesse a salvação e a graça ao mundo inteiro.

    Jesus Cristo, o Filho de Maria, é Deus e homem verdadeiro. Embora seja Deus e homem, não são dois, mas um só Cristo. Emanuel, Deus-conosco, possui duas naturezas, a divina e a humana, unidas em uma só Pessoa: Jesus Cristo Nosso Senhor. Sendo Maria a verdadeira Mãe de Jesus, ela pode e deve com toda a justiça ser chamada ?Mãe de Deus?, porque não se pode separar a natureza humana da natureza divina na pessoa do Cristo. Como advertiu o Apóstolo João, ?todo espírito que divide Jesus não é de Deus, mas é um anticristo? (1Jo 4,3).

    ?Quem narrará a sua geração?? (Is 53,8), pergunta o profeta Isaías, referindo-se ao Messias que haveria de vir. Com efeito, tudo na geração humana e carnal de Jesus é milagroso e sobrenatural. ?Uma virgem conceberá e dará à luz um Filho e o seu nome será Emanuel? (Is 7,14). O que haverá de mais admirável do que uma virgem conceber sem o sêmen do varão? Como esclareceu o anjo a José: ?o que nela foi concebido é obra do Espírito Santo? (Mt 1,20). O Senhor Jesus, por seu nascimento virginal, é comparado à ?pedra que se desprendeu dum monte sem intervirem mãos humanas? (Dan 2,34), referida na profecia de Daniel, a qual ?tornou-se um grande monte que encheu toda a terra? (Dan 2,35).

    O fato de Jesus ter sido concebido por uma Virgem ilustra bem o Mistério da Encarnação, que está no centro da nossa Fé cristã: ?o Verbo se fez carne, e habitou entre nós? (Jo 1,14). Efetivamente, Jesus Cristo é verdadeiro Deus e verdadeiro homem, sem confusão de naturezas, nem divisão da Pessoa. Ao fazer-se homem, nada perdeu da divindade e, sendo Deus, assumiu em sua integridade a natureza humana. Para mostrar que era um homem, quis nascer de uma mulher; mas para assinalar que era Deus, quis nascer de uma virgem.

    Gerando o Filho de Deus por obra do Divino Espírito Santo, Maria permaneceu virgem antes, durante e depois do parto. Jesus Cristo nasceu sem ferir sequer de leve a integridade virginal de sua Mãe, do mesmo modo como, mais tarde, Ele entrou na casa em que se encontravam seus discípulos, embora estivessem fechadas as portas (cf. Jo 20,19). Jesus é Deus e para Ele ?nada é impossível? (Lc 1,37).

    Mais valiosa ainda que a virgindade carnal de Maria, foi sua virgindade espiritual: Maria era virgem do pecado. Redimida de modo mais sublime, em vista dos méritos de seu Divino Filho, foi ela por Deus preservada do pecado original e cumulada da graça do Espírito Santo desde o momento de sua concepção. ?Ave, cheia de graça!? (Lc 1,28), assim lhe saudou o Arcanjo Gabriel. Maria soube ser fiel a esta graça durante toda a sua vida, identificando inteiramente sua própria vontade com a vontade de Deus. Por isto, é ela a ?Serva? por excelência: ?Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra? (Lc 1,38).

    Em tudo obediente aos preceitos de Deus, esta Virgem sem pecado e cheia de graça ensina aos discípulos de seu Filho o caminho da obediência: ?Fazei tudo o que ele vos disser? (Jo 2,5). É por isso que o espírito da desobediência e da rebelião tem tanto ódio de Maria e de seus filhos: ?O dragão irou-se contra a Mulher e foi fazer guerra aos outros seus filhos, que guardam os mandamentos de Deus e retêm a confissão de Jesus Cristo? (Apoc 12,17).

    Dessa virgindade espiritual de Maria é que decorre a sua virgindade carnal: preservada do pecado original por graça de Deus onipotente, estava isenta da pena do pecado ? ?darás à luz entre dores? (Gen 3,16). Maria deu à luz Jesus, o Filho de Deus, sem sofrer dor de espécie alguma, pois o nascimento de Cristo não lhe feriu, mas sagrou a sua integridade virginal. Porém, toda a dor que Maria não sofreu no parto, sofreu aos pés da Cruz, suportando no coração tudo o que seu Filho suportava na carne: ?Ó vós todos que passais pelo caminho, atendei e vede se há dor semelhante à minha dor? (Lam 1,12). Como profetizou Simeão: ?uma espada trespassará a tua alma? (Lc 2,35).

    Os nossos irmãos protestantes, supondo que agradam ao Filho desonrando sua Mãe, afirmam que Maria deixou de ser Virgem depois do parto do Senhor e, citando os irmãos de Jesus referidos no Novo Testamento, deduzem que ela teria tido relações sexuais com José. Isso é uma blasfêmia que não tem tamanho. O corpo da Virgem Maria era um verdadeiro sacrário, um templo que por nove meses foi habitado pelo próprio Deus que fez o céu e a terra. Seria um imenso sacrilégio que esse templo fosse possuído sexualmente por homem, por mais justo e santo que ele fosse.

    Os irmãos de Jesus, citados nos Evangelhos, eram seus primos. Eram filhos de Maria, mulher de Cléofas. Seus nomes podem ser identificados nos Evangelhos: ?Não é este o carpinteiro, filho de Maria, irmão de Tiago, de José, de Judas e de Simão?? (Mc 6,3); ?Não se chama a sua mãe Maria e seus irmãos Tiago, José, Simão e Judas?? (Mt 13,55). Porém, não se diz aqui que Tiago e José fossem filhos da Mãe de Jesus. O que sempre se entendeu é que Tiago, José e os demais fossem filhos de Maria de Cléofas e primos de Jesus.

    São João conta que eram três Marias ao pé da Santa Cruz:

    ?Estavam de pé junto à cruz de Jesus sua Mãe, a irmã de sua Mãe, Maria, mulher de Cléofas, e Maria Madalena.? (Jo 19,25).

    Por sua vez, São Mateus diz que, entre as mulheres que se achavam ao pé da Cruz, ?estava Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago e de José, e a mãe dos filhos de Zebedeu? (Mt 27,56). São Marcos diz que ?estava Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago menor e de José, e Salomé? (Mc 15,40). Salomé era a mãe dos filhos de Zebedeu: João e Tiago maior. A outra Maria, mãe de Tiago menor e de José, seria a mulher de Cléofas, que também se chamava Maria, mencionada por João em seu Evangelho.

    Dos irmãos de Jesus, dois se tornaram Apóstolos: Tiago e Judas Tadeu. Havia dois Apóstolos com o nome de Tiago: Tiago maior, o irmão de João, ambos filhos de Zebedeu, e Tiago menor, o irmão do Senhor, filho de Alfeu. Que Tiago, irmão do Senhor, seja o Apóstolo Tiago, filho de Alfeu, se deduz da Epístola aos Gálatas, em que Paulo escreve que ?dos outros Apóstolos não vi nenhum, senão Tiago, irmão do Senhor? (Gál 1,19). Alfeu e Cléofas designam a mesma pessoa, pois ambos são formas gregas do nome aramaico Claphai.

    Que o Apóstolo Judas Tadeu seja irmão de Tiago se conclui de Atos 1,13, em que, na relação dos Apóstolos, se faz menção a ?Judas, irmão de Tiago?. Tiago e Judas, irmãos do Senhor, são autores de duas das Epístolas do Novo Testamento.

    É preciso entender que as Sagradas Escrituras chamam de irmãos não somente os filhos de um mesmo pai, ou de uma mesma mãe, mas quaisquer parentes próximos. Os povos antigos tinham uma noção de família patriarcal, bastante diversa, em certos aspectos, da nossa moderna noção de família nuclear (pai, mãe, filhos). Na grande família patriarcal, todos os que se encontravam ligados por laços de parentesco eram considerados membros de uma mesma família e, portanto, podiam chamar-se de irmãos.

    Lot, por exemplo, não era senão o sobrinho de Abraão (cf. Gen 12,5), mas a Escritura o chama de irmão, nesta passagem: ?E Abrão, tendo ouvido que Lot, seu irmão, ficara prisioneiro…? (Gen 14,14). Jacó era sobrinho de Labão (Gên 28,2), mas este lhe chama de irmão em Gên 29,15: ?Acaso, porque és meu irmão, me servirás de graça?? Jacó, também, quando encontrou a bela Raquel, filha de Labão, ?declarou que era irmão de seu pai? (Gên 29,12) ? quando era de fato seu sobrinho.

    No Levítico, depois que Nadab e Abiu, filhos de Aarão, foram mortos por castigo, Moisés chamando os primos dos que faleceram, ?Misael e Elisafan, filhos de Oziel, tio de Aarão, disse-lhes: ?Ide, tirai vossos irmãos de diante do santuário?? (Lev 10,4).

    Jesus Cristo é o único Filho carnal de Maria. Todavia, a maternidade espiritual da Virgem se estende a todos os que, renascendo ?da água e do Espírito Santo? (Jo 3,5), configuram-se a seu Filho pelo Batismo. Assim como Jesus Cristo é o Novo Adão (1Cor 15,45), a Virgem Maria é a Nova Eva, Mãe de todos os que vivem para Deus em Jesus Cristo ? o nome ?Eva? significa ?mãe de todos os viventes? (Gen 3,20). Por ter dado crédito à serpente, Eva acarretou maldição e morte ao gênero humano; Maria acreditou nas palavras do Anjo (cf. Lc 1,45), e obteve que aos homens viesse bênção e vida. Por culpa de Eva nascemos filhos da ira (cf. Ef 2,3); por Maria recebemos Jesus Cristo que nos regenera como filhos da graça (cf. Gál 4,4-7).

    Foi o próprio Jesus Cristo que, do alto da cruz, enquanto oferecia sua vida e seus sofrimentos para a salvação da humanidade, deixou-nos Maria por Mãe, na pessoa de seu discípulo amado, o Apóstolo João: ?Mulher, eis aí o teu filho? (Jo 19,26). E a exemplo de João, devemos também nós levá-la para nossa casa (cf. Jo 19,27), isto é, para o nosso coração.

    ?À vossa proteção recorremos, Santa Mãe de Deus;
    não desprezei nossas súplicas, em nossas necessidades;
    mas livrai-nos sempre de todos os perigos,
    ó Virgem gloriosa e bendita!?

    PS – Até onde sei, esta é a mais antiga oração mariana depois da “Ave Maria”. Remonta ao século III do cristianismo, tendo sido encontrada no Egito, num pequeno fragmento de papiro.

  227. le disse:

    Será que a igreja católica esta deacordo com a palavra de Deus?

    clique ai e veja você mesmo.

    http://evangelizacao.spaceblog.com.br/64916/A-IGREJA-CATOLICA-ESTA-DE-ACORCO-COM-A-PALAVRA-DE-DE

  228. le disse:

    Obrigado Nathalia,não podemos ficar de braços cruzado diante de tantas heresias que a igreja católica vem pregando, temos que orar para que o Senhor Jesus possa abrir os olhos desse povo,que acabam sendo vitima do romanismo, sei que não é uma tarefa fácil,mas tenho que falar a verdade mesmo que muitos não aceitam.

  229. le disse:

    Verdades que, todos católicos não pode deixar de conhecer.
    CLIQUE AI E VEJA.

    http://www.espada.eti.br/n1334.asp

  230. leticia disse:

    Olha pessoal,sou catolica e sempre defendi minha igreja, mas tenho que confessar, desde que comecei a ler estes comentários,fiquei um pouco balançada, para mim não importa se a igreja católica esteja errada o que quero é saber quem esta com a verdade, tive a curiosidade de visitar uma igreja evangélica, e confesso que gostei muito e pretendo ir mais vezes.ABRAÇO A TODOS FIQUEM COM DEUS

  231. arceu disse:

    Parabéns pelo seus comentários Le.

  232. diego disse:

    Como é fácil de enrolar o povo não é “le”?

    Enfim sempre coloquei a verdade da igreja católica, mais você insiste em desviar os fatos para as pessoas em duvida ficar, muito bom de sua parte, mesmo com argumentos de terceiros como vimos nos seus comentários, mostrando nossa senhora como salvadora, nossa senhora como a rainha da humanidade, só faltou você colocar com a toda poderosa, mais tudo bem, quem quiser seguir você siga, mais não se esqueçam de que existe uma verdade de que é encoberta por comentários falsos de pessoas que se quer estudam a bíblia e saem falando o que elas entendem sobre o versículo.

    E quero lembrar para as pessoas que estão vendo os comentários do nosso irmão “le”, de que não se abalem pelas supostas heresias, que ele impõem sobre a igreja já que são “heresias” disviadoras para desviar a atenção de quem lê.

    Vamos dar mais corda para você “le”.

  233. le disse:

    O pior cego é aquele que não quer enxergar, tudo que coloquei aqui foi com o intuito de mostrar a verdade para todos meus irmão catolico,o unico que esta resistindo é você Diego, diante de toda verdade que mostrei você ainda continua de olhos fechado,o que posso concruir é que você não quer enxergar a verdade ou não assume que esta errado,é uma pena, porque apesar de você não concordar com a verdade,verdade esta que esta abrindo os olhos de muitos católicos. Deu para perceber que você é um cara inteligente tenho certeza que cedo ou tarde você vai entender e enxergar a podridão dentro da igreja católica.

  234. diego disse:

    Nossa pude ver nesse ultimo link, o quanto você foi baixo meu amigo “le”, relacionar a igreja católica com satanismo, magia negra, entre tantos outros absurdos colocados aqui por você.

    E ainda vem me dizer que eu sou cego meu amigo?

    Se você coloca isso para tentar colocar medo nas pessoas meu caro amigo, o que vou te dizer é o seguinte, não tenho medo de nada disso colocado aqui por você, e tem mais eu desafio você, e qualquer macumbeiro, espiritista, qualquer ser que se alto diz ter os maiores poderes do mau, para tentar abalar a minha fé, seja quem for, e como for, magia negra, macumba ou tentar induzir o satanismo como colocado aqui nesse ultimo link por você meu amigo, para tentar algo contra a minha fé ou até mesmo contra a minha pessoa, pois essa podridão colocada por você, isso a gente já vê em outras igrejas de tentar enrolar as pessoas com suposto satanismo.

    Se você e outros acreditam nisso colocado aqui por você, da pra ver o quanto é fácil de enrolar o povo evangélico e católico.

  235. diego disse:

    Agora eu te pergunto toda vez que você copiava um texto das suas pesquisas do google e colava aqui para tentar mostrar os falsos seguimentos contra a igreja católica, por que você não chegava a debater o mesmo assunto?

    Sabe por que você não debatia meu amigo, por que você não tem conhecimento, e ao invés de aprofundar-se no assunto você vinha com outros textos com um monte de assunto falsos contra a igreja católica para tentar desviar a atenção dos leitores.

    Como eu disse é muito fácil enrolar as pessoas e se queres verdade como citado em seu ultimo comentário onde insinua que eu sou “cego”, por que não debates um mesmo assunto até o fim com perguntas.

    Para se chegar a uma resposta deve se perguntar assim meu amigo:

    Por que é assim?
    Como chegou ai?
    Onde esta isso?
    Como deve ser isso ou aquilo?

    Seria mais digno de sua pessoa induzir a resposta do que desviar a atenção, mais você prefere desviar a atenção do que a verdade.

    Sem contar as suas contradições onde por ter copiado texto de diversos evangélicos, uma hora diz uma coisa, outra ora diz outra contrario a seu próprio texto.

    Mais tudo bem depois com mais tempo irei analisar seus textos e mostrar quantas contradições você caiu, e se mesmo assim com tantas contradições escritas por você, se houver alguém que queira seguir você, fazer o que eu estou aqui para mostrar a verdade e não para enrolar com contradições.

  236. le disse:

    Bom Diego,eu tenho certeza que você não entende muito da bíblia,por dois motivo, primeiro se você entendesse ja teria abandonado o catolicismo, segundo assumiria que esta errado, a unica coisa que você entende é a istoria da igreja católica contada pela propia igreja católica.

    qual destes assunto você deseja falar?

    Arrebatamento
    A grande tribulação
    A segunda volta de Cristo
    O juízo final
    O milênio
    O governo do anti cristo
    A marca da besta
    As bodas do Cordeiro
    O sábado
    As setenta semanas de Daniel

  237. diego disse:

    Meu amigo “le”, não sei se você acompanha os comentários desde o começo, mais eu já tinha falado sobre esses assuntos aqui, e explicado bem, não como você que fica pegando comentários do google e colocando aqui, já que você não sabe nada da bíblia, e coloca o que os outros falam.

    Mais se você quiser debater de novo pode começar, apesar de eu estar viajando muito e, aos poucos irei colocando os meus comentários.

    Ah, e não se esqueça de que eu ainda irei analisar os seus textos copiados do google, e mostrar as suas contradições, já que eu falei que você é quem não sabe nada e fica falando o que acha na net, e contradições fracas onde uma hora fala uma coisa e outra hora fala outra, sem saber como derrubar a igreja católica.

    Aguarde-me meu amigo, que eu ainda nem comecei a debater com tigo, já que sempre muda de assunto quando terminam os seus argumentos.

    Deus o abençoe a você “le”, e a todos que vêem os comentários.

  238. le disse:

    Estou aguardando, mais não vai demorar muito.

  239. diego disse:

    Demorar, por que?

    Apenas estou a trabalho meu amigo, e o pior não é demorar, o pior mesmo é começar a debater contigo e depois que acabar seus argumentos você fazer igual fez nos seus comentários anteriores, começar a mudar para outro assunto para disfarçar a atenção das pessoas.

    Mais logo estarei aqui novamente para pegar firme nos meus textos, e com certeza eu irei mostrar o quanto você esta escrevendo o que dizem por ai, sendo que como eu falei você fala uma coisa em um texto e depois se alto enforca em outro texto.

    Ah existe algo muito comum entre o meio policial meu amigo, primeiro se da corda para a vitima falar, falar, falar, falar pelo Maximo de tempo possível, e depois de muita explicação se analisa as falas e vê onde ela entra em contradição, e isso foi bem nítido em seus textos, quando eu voltar a postar comentários aqui meu amigo vou ti mostrar o quanto você se enforcou nas suas próprias palavras, alias palavras de terceiros e não suas.

    Em breve estarei de volta, e pense duas vezes antes de dizer algo meu amigo “le”, assim você erra menos nos fatos.

  240. diego disse:

    Olá amigos voltei mais uma vez para dar inicio a um suposto debate, claro se nosso amigo “le”, nos permitir, sendo que ele sempre muda de assunto quando acabam os argumentos mais tudo bem, para pararmos de mudarmos de assunto, meu amigo “le”, já que você voltou a colocar assuntos para minha pessoa escolher e só então começarmos a debater venho por meio desse texto para lhe pedir que de inicio a os próximos debates, e mais eu escolho desde já um assunto para que você comece a impor aqui o que você sabe já que não basta eu expor a verdade e você sem estudo mudar de assunto, então mostre o que você sabe sobre arrebatamento?

    Arrebatamento por que foi a primeira palavra que você me desafiou acima, fale tudo que você sabe meu amigo sobre arrebatamento, estou a seu aguarde!

    Não analisei seu texto ainda por falta de tempo, mais qualquer pessoa que queira analisar, basta voltar e ver as controversas suas meu amigo já que ficaram bem claras.

    E só para refletir, você colocou o assunto do sábado, você é adventista do sétimo dia?

    Sendo que você falou que não seguia religião nenhuma!

    Ta com medo da sua religião meu amigo?
    Ela te morde?
    Ela te fere?

    Ou como Jesus disse: Entretanto, aquele que perseverar até o fim será salvo.

    Você ta com medo de perseverar em sua religião do sétimo dia?

    Mais tudo bem, pode começar a falar do arrebatamento meu amigo, estou a sua espera agora.

    Deus abençoe a todos.

  241. ertz grandi rochinski disse:

    Não existe relação entre Deus e as imagens. A adoração a imagem é um pecado contra Deus, contra a Sua Palavra. Portanto aqueles que adoram II Co. 6: 11 – 18, portanto suas orações seus sacrifícios de nada vale diante de Deus Isaias 59: 1 e2. Não tenho nada pessoal contra os católicos porque entendo que a luta não é contra a carne e sangue Ef. 6: 10 – 12. O objetivo desde estudo é trazer luz para aqueles que ainda se encontra em trevas espirituais, adorando ou venerando imagens de escultura, respeitar, prestar culto, reverenciar, exaltar, atribuir milagres é glorificar algo que não é Deus, feito pela própria mão do homem Isaias 44: 9 – 17, que, portanto não pode fazer nada por ninguém Isaias 48: 1 – 5 e não é digno de glória, pois só um é digno de glória: O Deus de Israel, Abrão, Isaque e Jacó o Deus da Bíblia Isaias 42: 8. A oração do povo crente conhecedor da Palavra deve ser para que estes que servem a imagem de escultura venham a ter a suas mentes iluminadas pela Palavra de Deus e pelo Espírito Santo e assim eles venham a crer nas verdades do evangelho II Co. 4: 3, 4.A três tipos de idolatria e todas mencionadas na Bíblia:

    1ª. Idolatria por pessoas I Co. 1: 10 – 13; Atos 14: 8 – 15.

    2ª. Idolatria por dinheiro Cl. 3: 5.

    3ª. Idolatria por ídolos (deuses) Lv. 26: 1.A idolatria por pessoas ou por dinheiro é um pecado que está no nível humano, é da natureza da carne, do desejo, da vontade, o homem com uma vida em espírito consegue vencer estes pecados Gl. 5: 16 – 20; I Pd. 4: 2 e 3. A idolatria por ídolos, imagens de escultura é um pecado que rouba a glória de Deus, ocupa o lugar que Deus deveria ocupar no espírito do homem, é uma rejeição ao Deus vivo uma falsa adoração João 4: 23 e 24.imagens não têm comunhão com o verdadeiro Deus

  242. diego disse:

    Para meu amigo acima, a idolatria colocada por ele eu já disse mil e uma vez em comentários anteriores, que idolatrar somente a Deus, e atribuir milagres a santos ou seja lá o que for é de estremo pecado, sendo que santo não santifica nada e o único que santifica é cristo.
    Pessoal tire essa idéia da cabeça, o único que pode tudo é “DEUS”, parem de tentar comparar santo como milagroso, isso é invenção de protestantes para enrolar as pessoas para que se convertam para suas igrejinhas.

    E venerar mais uma vez para quem não consegue entender:

    É o mesmo sentimento que vocês tem pela sua mãe biológica, vocês nunca beijaram suas mães ou são contra o carinho da veneração.

    Parem e pensem antes de falar.

  243. le disse:

    É Diego acho que ja deu pra você perceber que não existe contradição nos meus comentários,certo.
    outra coisa não sou adventista ,sabe porque é uma seita pior do que o catolicismo.

  244. le disse:

    O Arrebatamento da Igreja Está Próximo! Ambos os Lados Estão Aguardando Ansiosamente

    Há 1.900 anos, os cristãos que interpretam suas Bíblias literalmente aguardam o momento em que Jesus Cristo retornará nas nuvens para retirar sua igreja deste mundo. Os incrédulos sempre zombaram dessa expectativa. Entretanto, agora, os ‘espíritos-guia’ dos líderes da Nova Ordem Mundial estão dizendo que esse evento ocorrerá. Prepare-se para um choque!!

    A Nova Ordem Mundial está chegando! Você está preparado?
    Compreendendo o que realmente é essa Nova Ordem Mundial, e como está sendo implementada gradualmente, você poderá ver o progresso dela nas notícias do dia-a-dia!!

    Aprenda a proteger a si mesmo e aos seus amados!

    Vamos iniciar com a base bíblica que fundamenta o ‘Arrebatamento da Igreja’. Várias Escrituras falam sobre esse evento glorioso:

    1) Apocalipse 3:10 — Nesta passagem, Jesus está falando à igreja de Filadélfia, a única que ele não repreendeu. No verso 10, Ele diz:

    “Como guardaste a palavra da minha paciência, também eu te guardarei da hora da tentação que há de vir sobre todo o mundo, para tentar os que habitam na terra.”

    Jesus Cristo está falando aqui sobre o Período da Tribulação, que durará exatos sete anos judaicos, de 360 dias cada, ou 2.520 dias no total. Observe o que Ele está prometendo aqui; está dizendo que guardará os membros fiéis da igreja de Filadélfia da “hora” da tentação, ou provação, que virá sobre todo o mundo ao mesmo tempo. Você sabia que todo o mundo sofreu o juízo de Deus somente uma vez antes na história? Foi somente no dilúvio que todo o mundo passou ao mesmo tempo pelo julgamento de Deus. Esse período da Tribulação será a única outra vez que Deus punirá todo o mundo ao mesmo tempo. O Senhor Jesus predisse que esse período da Tribulação será muito similar ao tempo do dilúvio:

    “Mas daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos do céu, mas unicamente meu Pai. E, como foi nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do homem. Porquanto, assim como, nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, e não o perceberam, até que veio o dilúvio, e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do homem.” [Mateus 24:36-39].

    Exatamente como nos dias de Noé, assim também será na vinda do Filho do Homem (Jesus Cristo). Agora, o período de sete anos da Tribulação culminará com o retorno de Jesus Cristo na batalha do Armagedom (Apocalipse 16:16 e 19:11-12). No entanto, essa passagem de Mateus 24:36-39 não pode estar se referindo ao retorno final de Jesus Cristo. Por quê? No contexto dessa passagem em Mateus 24, a declaração de Jesus é que ninguém, exceto o Pai, saberá o dia e a hora exatos do seu retorno. Entretanto, quando o Anticristo confirmar a aliança com Israel (Daniel 9:27), iniciando assim o período da Tribulação, qualquer pessoa que conheça as Escrituras poderá contar sete anos judaicos para frente, ou 2.520 dias e saberá exatamente o dia em que Jesus Cristo virá dos céus montado em um cavalo branco, para destruir as forças do Anticristo na batalha do Armagedom. Vemos períodos de tempo precisos relacionados em Daniel 12:11-13, e em Apocalipse 11:2-4 e 13:5, todos prevendo o período de tempo da última metade do período de sete anos da Tribulação.

    Portanto, o retorno de Jesus Cristo na batalha do Armagedom não deverá surpreender ninguém que conheça a profecia bíblica. Então, quando o retorno de Jesus Cristo surpreenderá o mundo? Quando seu retorno ocorrerá em um dia e uma hora que ninguém sabe, exceto o Pai? O único outro tempo em que Jesus Cristo retornará será para a sua igreja, antes do início da Tribulação.

    Antes de examinarmos essas profecias, preciso fazer um ponto final sobre a afirmação do Senhor Jesus que seu retorno será como nos “dias de Noé”. Noé e os sete membros de sua família foram as únicas pessoas que conseguiram sobreviver ao juízo de Deus no dilúvio. Embora Noé e sua família tenham sido salvos da morte nas águas do dilúvio, passaram pela “hora” daquela provação. Os termos de tempo, como “horas, minutos, segundos”, aplicam-se somente às pessoas que estão vivendo na Terra. Esses termos refletem a translação da Terra em volta do sol e a rotação da Terra em seu próprio eixo. Portanto, o “tempo” em outro planeta seria diferente do tempo terrestre e, para qualquer ser que viva fora da Terra, o “tempo” tem outro significado. Assim, o único modo de Jesus Cristo cumprir sua promessa em Apocalipse 3:10 para “guardar-nos da hora da tentação” é remover-nos da Terra! Isso é o Arrebatamento da Igreja, a “bendita esperança” sobre a qual o apóstolo Paulo falou. Vamos agora revisar essas passagens.

    2) 1 Tessalonicenses 4:13-18 — “Não quero, porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que já dormem, para que não vos entristeçais, como os demais, que não têm esperança. Porque, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também aos que em Jesus dormem, Deus os tornará a trazer com ele. Dizemo-vos, pois, isto, pela palavra do Senhor: que nós, os que ficarmos vivos para a vinda do Senhor, não precederemos os que dormem. Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor. Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras.”

    Que palavras confortadoras são essas! O próprio Jesus Cristo descerá dos céus com um alarido, e com a voz do arcanjo, e com a trombeta de Deus!! Uma vez que essa tripla proclamação for feita, todos os cristãos nascidos de novo que já morreram receberão novos corpos glorificados, seus túmulos serão abertos e eles encontrarão Jesus Cristo nos ares. Imediatamente após isso, os cristãos nascidos de novo que estiverem vivos serão tomados nas nuvens para se encontrarem com Jesus Cristo.

    Paulo encerra o capítulo 4 dizendo: “Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras.” Mas, em seguida, ele imediatamente fala sobre o tempo em que esse evento glorioso ocorrerá. Lembre-se das palavras de Jesus Cristo, em Mateus 24, sobre como seus discípulos poderiam reconhecer os ‘sinais do fim dos tempos’? Em 24:32-33, ele disse que seus discípulos poderiam reconhecer o tempo aproximado do fim, quando vissem todas suas profecias em 24:1-30 se cumprindo. Ele disse que saberíamos reconhecer a hora aproximada. O apóstolo Paulo, em 1 Tessalonicenses 5:1-3 também usa uma estrutura de tempo aproximada. Ele disse: “Mas, irmãos, acerca dos tempos e das estações, não necessitais de que se vos escreva; porque vós mesmos sabeis muito bem que o dia do Senhor virá como o ladrão de noite; pois que, quando disserem: Há paz e segurança, então lhes sobrevirá repentina destruição, como as dores de parto àquela que está grávida, e de modo nenhum escaparão.”

    Imagine isso!! Esse magnífico Dia do Senhor, quando Jesus Cristo retornará para sua igreja, pegará os incrédulos totalmente desprevenidos!! Paulo compara o retorno de Jesus nos ares para arrebatar os fiéis à entrada do ladrão em uma casa. Como o ladrão entra em uma casa para roubar? Ele entra silenciosamente, para que o dono não saiba que a casa foi invadida, até que tenha roubado e ido embora. O dono só saberá que foi roubado quando acordar pela manhã e vir o sumiço dos objetos. Essa é uma ilustração perfeita do modo como Jesus Cristo retornará para retirar sua igreja deste mundo. Nenhum incrédulo verá a intrusão de Jesus à Terra. Nenhum incrédulo verá o arrebatamento de todos os cristãos nascidos de novo, tanto dos vivos quanto dos já mortos. No entanto, quando esses incrédulos acordarem, após o arrebatamento, verão suas tremendas perdas, verão que centenas de milhões de pessoas desapareceram. Muitas empresas perderão funcionários importantes, incluindo os proprietários. Muitos lares ficarão sem uma ou mais pessoas queridas; e, se alguns eruditos bíblicos estiverem corretos, os bebês de famílias em que pelo menos um dos cônjuges era salvo, também serão tomados, de modo que o mundo ficará chorando o sumiço dos bebês. Finalmente, muitas pessoas não-salvas estarão conversando com alguém, que desaparecerá subitamente de suas vistas, os carros em circulação que estiverem sendo dirigidos por pessoas salvas ficarão desgovernados, aviões, ônibus, trens, táxis, que estiverem sendo pilotados ou dirigidos por pessoas salvas também ficarão desgovernados e possivelmente baterão ou cairão. Os incrédulos do mundo saberão subitamente, sem sombra de dúvidas, que suas ‘casas’ foram invadidas e seus ‘bens’ foram tomados.

    Em seguida, Paulo diz à igreja de Tessalônica que o arrebatamento ocorrerá quando os habitantes do mundo estiverem dizendo entre si mesmos, “Finalmente, tempos paz e segurança”. Logo após começarem a dizer isso, provavelmente no ápice dessa crença, ocorrerá o arrebatamento da igreja. Um fato surpreendente é que a força motriz para a Nova ordem Mundial está sendo poderosamente propelida pela afirmação dogmática que o único modo de alcançar ‘paz’ e ‘segurança’ no mundo é pelo estabelecimento desse sistema chamado Nova Ordem Mundial. Agora, a pergunta a ser feita é: ‘Quando as pessoas acreditarão mais firmemente que o mundo finalmente alcançou essa ‘paz’ e ‘segurança? Acredito que a resposta seja, quando o Anticristo aparecer. O Plano prevê que ele aparecerá após uma Terceira Guerra Mundial, entre Israel e seus vizinhos árabes, uma guerra cujo cenário já está totalmente armado. [Leia o artigo A Próxima Guerra Árabe-Israelense Está Extremamente Próxima — Parte 1 de 2].

    Como os líderes do mundo estão armando o cenário para o aparecimento do Anticristo, e esse cenário requereu muitas guerras no mundo, não é difícil que esses líderes parem as guerras quando o Anticristo pedir isso. No entanto, os povos do mundo verão as guerras parando como ‘prova’ positiva que o Anticristo tem o ‘poder’ sobrenatural de trazer a paz. Além disso, com os ‘sinais e maravilhas’ que o Anticristo executará, a população do mundo ficará totalmente iludida e será levada a pensar que finalmente alcançou ‘paz’ e ‘segurança’.

    Em seguida, Jesus Cristo retornará para sua igreja. Os cristãos esperam com ansiedade esse evento magnífico, como nenhum outro, pois diariamente recebemos a certeza do Espírito Santo que não pertencemos a este mundo, que somos cidadãos de uma pátria celestial. Anelamos ser arrebatados para escapar da perversidade e da corrupção que há no mundo, e começar a viver nos céus por toda a eternidade.

    No entanto, um dos fatos mais surpreendentes sobre o vindouro arrebatamento da igreja é que a liderança da Nova Ordem Mundial também está esperando com expectativa que ele ocorra! Neste ponto, só posso ver muitos de vocês dizendo: “O quê? Como essa liderança luciferiana da Nova Ordem Mundial pode estar ciente do arrebatamento da igreja se eles nem mesmo crêem nas Escrituras? E, se estão cientes e acreditam que ocorrerá, então por que estão aguardando com expectativa?”

    São perguntas excelentes. Vamos começar com a pergunta sobre como podem crer no arrebatamento, se não crêem na inerrância da Bíblia e das suas profecias. Cada líder importante da Nova Ordem Mundial tem um próprio “espírito familiar”, normalmente chamado de ‘espírito-guia’. Esses ‘espíritos-guia’ nada mais são que espíritos demoníacos que cooperam com Satanás, para que alcance seus objetivos. Esses ‘espíritos-guia’ dão muita percepção sobre como as mudanças precisam ser feitas na vida política, espiritual e econômica no mundo para preparar o Reinado do Cristo da Nova Era. Todos os aspectos desse plano da Nova Ordem Mundial foram comunicados por meio desses ‘espíritos-guia’. Até mesmo a maioria dos livros à venda nas livrarias de Nova Era foram escritos por ‘espíritos-guia’, que escrevem telepaticamente por meio de um hospedeiro humano, um procedimento chamado de Escrita Automática, ou Psicografia. Certamente, sem essa liderança sobrenatural, os líderes humanos, que vêm cooperando juntos há 300 anos, nunca poderiam ter alcançado essa Nova Ordem Mundial.

    A partir de 1987, os ‘espíritos-guia’ dos líderes da Nova Ordem Mundial começaram a informá-los para preparar seus aderentes para um evento global espetacular, que ocorrerá logo após o aparecimento do Cristo da Nova Era [o Anticristo]. Qual seria esse evento espetacular? Como esses ‘espíritos-guia’ explicaram, quando o Cristo aparecer, muitas pessoas em todo o mundo nunca poderão aceitar suas visões ou seus ensinos. Essas pessoas seriam um grande obstáculo no caminho em que o Cristo da Nova Era quererá levar os habitantes do mundo.

    Portanto, os ‘Mestres do Logos’ decidiram, disseram esses ‘espíritos-guia’, transportar repentinamente essas pessoas para outra dimensão, logo após o aparecimento do Cristo. Essas pessoas recalcitrantes serão retreinadas em espírito, para que, quando reentrarem no ‘Ciclo da Reencarnação’, estejam totalmente persuadidas sobre os méritos da Nova Ordem Mundial. Logicamente, quando elas retornarem em corpos reencarnados, a Nova Ordem Mundial já estará em vigor há vários séculos, e todos saberão como ela é maravilhosa!

    Assim, as pessoas não-salvas que ficarem na terra após o Arrebatamento serão totalmente enganadas sobre o que realmente aconteceu. Ouvi essa mentira da Nova Era quando participei furtivamente de um seminário ministrado pelo diretor da Casa da Teosofia na Nova Inglaterra, em 18/8/1991. Eis como o diretor, Bill Lambert, descreveu o Arrebatamento da Igreja, conforme foi descrito para ele por seu ‘espírito-guia’. Essas pessoas foram descritas como pessoas cuja consciência pessoal não é nem poderia jamais ser elevada o suficiente para aceitar o Cristo. Bill Lambert comparou esses indivíduos com uma pessoa que passou toda sua vida em um quarto totalmente escuro. Se uma luz súbita e intensa brilhasse nesse quarto, os olhos daquela pessoa não poderiam suportar a luz, e a pessoa procuraria fugir da luz e ir para outro quarto escuro. Similarmente, essas pessoas “preferirão partir para outra dimensão”.

    Nesse instante, levantei minha mão e perguntei: “Como essas pessoas farão isso? Ninguém pode simplesmente dizer ao seu espírito para deixar este mundo. Essas pessoas cometerão suicídio?” Ele respondeu enfaticamente, “Não. Não sei exatamente como acontecerá, mas essas pessoas deixarão esta dimensão.”

    “Essas pessoas preferirão partir para outra dimensão”

    Pare agora e concentre-se nessa afirmação. Sabemos que a liderança da Nova Ordem Mundial está plenamente ciente que muitas pessoas nunca aceitarão as afirmações do Cristo [o Anticristo]. Eles sabem, por exemplo, que os povos monoteístas não poderão aceitar o politeísmo do Anticristo. Existem três grandes religiões do mundo que crêem em um único Deus:

    Cristianismo — atualmente mais de um bilhão de pessoas;
    Islamismo — mais de um bilhão de pessoas;
    Judaísmo — aproximadamente 13 milhões de pessoas.
    Assim, a liderança da Nova Ordem Mundial espera ter de matar mais de dois bilhões de pessoas em todo o mundo logo após o aparecimento do Anticristo. Essa expectativa coloca responsabilidades logísticas muito pesadas sobre o sistema militar global. Para compreender isso, vamos voltar a outro líder da Nova Ordem Mundial no século XX que considerava-se o Anticristo, Adolf Hitler. Hitler matou 18 milhões de pessoas, incluindo 6 milhões de judeus, durante o Holocausto de sete anos. Aproximadamente na metade desse período de sete anos, a máquina da morte de Hitler tornou-se altamente mecanizada, quando as câmaras de gás e os fornos foram fabricados.

    O autor Robert Lifton, em seu livro The Nazi Doctors: Medical Killing And The Psychology of Genocide, refere-se a esses novos campos como “puros campos do extermínio”.

    Agora, os nazistas realmente podiam matar os judeus, em números que não eram possíveis antes. Entretanto, os médicos responsáveis pelos campos logo enfrentaram o mais intratável dos problemas, um problema que quase fez esses “puros campos de extermínio” serem fechados! O problema era que os engenheiros, que projetaram os fornos destinados a queimar os cadáveres das pessoas mortas nas câmaras de gás, cometeram um erro de cálculo. Os cadáveres estavam literalmente ‘se empilhando’ em quantidades tão grandes que a saúde pública logo ficaria sob risco. Os engenheiros e o pessoal da SS chegaram à solução de cavar longas valas, enchê-las com gasolina ou gás natural na parte inferior. Esse tipo de vala permitiu que grandes pilhas de cadáveres fossem queimados na mesma quantidade que as câmaras de gás os matava. Assim, o fechamento dos centros de extermínio foi evitado e o plano maníaco de Hitler prosseguiu.

    Portanto, se você fosse um líder atual da Nova Ordem Mundial, estaria procurando encontrar a solução para esse difícil problema. Que fim dar aos dois bilhões de cadáveres? Mas, subitamente, os ‘espíritos-guia’ dizem que os ‘Mestres do Logos’ decidiram remover todos aqueles que nunca aceitarão as reivindicações do Cristo [o Anticristo] para outra dimensão!! Uau!! Pense nisso! Se centenas de milhões de cristãos forem retiradas desta dimensão, eliminará a necessidade de matar tantas pessoas. Com centenas de milhões de cadáveres de pessoas a menos para remover, os governos pouparão bilhões de dólares e imensos recursos militares.

    A verdade é que tanto os cristãos quanto a liderança luciferiana da Nova Ordem Mundial estão aguardando o arrebatamento da igreja. Nós, cristãos, sabemos que estaremos nos céus com nosso Senhor Jesus Cristo; os líderes da Nova Ordem Mundial somente se preocupam que não precisarão se desfazer dos nossos corpos. Acredito que essa seja a principal razão pela qual os líderes políticos ainda não estão agindo contra os ministérios cristãos. Eles estão esperando, sabendo que esse inimigo intratável será retirado desta dimensão terreal em breve.

    E, lembre-se, a visão que o líder maçom Albert Pike teve de seu ‘espírito-guia’, em 1870, previu a necessidade de três guerras mundiais para implementar a Nova Ordem Mundial. As duas primeiras guerras ocorreram exatamente como previsto nessa visão demoníaca; agora, a Terceira Guerra Mundial final, entre Israel e seus vizinhos árabes, pode ser deflagrada a qualquer momento. [Leia os detalhes no artigo A Próxima Guerra Árabe-Israelense Está Extremamente Próxima — Parte 1 de 2].

    Nota final de esclarecimento: Uma passagem alternativa sobre o arrebatamento é 1 Coríntios 15:52-58, cuja leitura recomendamos agora, pois oferece maiores detalhes sobre esse glorioso evento. Muitas pessoas entendem que essa passagem ensina que a igreja cristã não será arrebatada antes do início da Tribulação, com base no versículo 52, que diz que o arrebatamento ocorrerá “ante a última trombeta”. Essa opinião diz então que a última trombeta ocorre em Apocalipse 11:15, aproximadamente na terça parte final do período da Tribulação. Entretanto, vemos em Apocalipse 10:7, que essa sétima e última trombeta é tocada por um anjo. A passagem em 1 Tessalonicenses 4:16 diz que a trombeta tocada no arrebatamento é a de Deus, não a de um anjo. Portanto, as sete trombetas do Apocalipse, tocadas durante a Tribulação, são trombetas de anjos, não a trombeta de Deus. Não são a mesma trombeta. Portanto, podemos concluir com segurança que o arrebatamento ocorrerá antes do início da Tribulação.

    Você está preparado espiritualmente? Sua família está preparada? Você está protegendo seus amados da forma adequada? Esta é a razão deste ministério, fazê-lo compreender os perigos iminentes e depois ajudá-lo a criar estratégias para admoestar e proteger seus amados. Após estar bem treinado, você também pode usar seu conhecimento como um modo de abrir a porta de discussão com uma pessoa que ainda não conheça o plano da salvação. Já pude fazer isso muitas vezes e vi pessoas receberem Jesus Cristo em seus corações. Estes tempos difíceis em que vivemos também são tempos em que podemos anunciar Jesus Cristo a muitas pessoas.

    Se você recebeu Jesus Cristo como seu Salvador pessoal, mas vive uma vida espiritual morna, precisa pedir perdão e renovar seus compromissos. Ele o perdoará imediatamente e encherá seu coração com a alegria do Espírito Santo de Deus. Em seguida, você precisa iniciar uma vida diária de comunhão, com oração e estudo da Bíblia.

    Se você nunca colocou sua confiança em Jesus Cristo como Salvador, mas entendeu que ele é real e que o fim dos tempos está próximo, e quer receber o Dom Gratuito da Vida Eterna, pode fazer isso agora, na privacidade do seu lar. Após confiar em Jesus Cristo como seu Salvador, você nasce de novo espiritualmente e passa a ter a certeza da vida eterna nos céus, como se já estivesse lá. Assim, pode ter a certeza de que o Reino do Anticristo não o tocará espiritualmente.

  245. diego disse:

    Caramba nem analisei seus comentários por falta de tempo meu amigo “le”, e já esta contando vitória!
    kkkkkkkkkkkkkkk

    Mais só de você colocar que não segue nenhuma religião e fala as mesmas palavras que os protestantes falam, uma vez diz palavras dos batistas, outra vez diz palavras dos adventistas, outra vez diz palavras dos presbíteros, apenas isso na verdade já seria uma grande contradição sendo que existe divisões nessas igrejinhas citadas por minha pessoa acima onde não se entendem nas doutrinas, e se dividem para se tornarem diferentes, e como euuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu faleiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii que jesussssssssssssssssssssssssssssssssssssss disseeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee:

    “Jesus, porém, penetrando nos seus pensamentos, disse:” Todo reino dividido contra si mesmo será destruído. Toda cidade, toda casa dividida contra si mesma não pode subsistir ” (Mateus 12, 25)

    Até mesmo o sábado você citou para a gente debater, mais tudo bem vamos com calma e sem mudar de assunto, como o primeiro debate que prosseguirá será o do arrebatamento, e você já colocou o que entende, aliás, o texto mais uma vez não é seu e sim de terceiros, vou estudar o que você colocou nesse texto que já é um texto que existe na internet e não um texto que saiu de sua cabeça, e logo vou te fazer algumas perguntas para a gente irmos até o fim em um único assunto, sem trocar de assunto e simplesmente aprofundarmos no mesmo assunto.

    Espero que de agora em diante você responda sem trocar de assunto!

    Deus abençoe a todos!

  246. le disse:

    esta demorando muito amigo,não conseguiu falar com o padre!

  247. le disse:

    Desculpa, esqueci que o padre não sabe nada do arrebatamento da igreja,ou se sabe guarda segredo, para que os fieis nunca fique sabendo.

  248. diego disse:

    Esta bem “le”, se você acha que eu recorro ao padre, você ta muito enganado, não sou igual a você que pega textos da internet para tentar justificar algo que você pensa ser certo!

    Mais vamos lá, pelo texto que você impôs acima, que já é um texto parecido pelas as palavras que eu ouço dos “protestantes sem estudo”, eu já posso começar a fazer algumas perguntas para você, vamos lá então “le”!

    Primeira pergunta:

    Você colocou que Jesus irá voltar três vezes, uma no “arrebatamento”, a outra no “reinado dos mil anos”, e a ultima, Jesus irá voltar no dia do julgamento final.

    Agora eu te pergunto para ter certeza do que você fala, isso que eu afirmei que você colocou acima no seu texto sobre o arrebatamento é o que você quis passar para todos?

    Sim ou não?

    Preciso de uma afirmação correta da sua mente e não de textos dos outros!

    Responde que ainda vou te fazer outras perguntas meu amigo!

    Não precisa ter medo são perguntas fáceis de responder e simplesmente são perguntas para entendermos o que a sua mente pensa.

    Deus abençoe meu amigo “le”, e obrigado por dar corda para as pessoas se interessarem mais pela a bíblia.

  249. diego disse:

    A minha demora “le”, é que na verdade eu não vejo o que as pessoas falam e sim eu estudo as perguntas e principalmente as “escrituras”, pois é só nela que se conhece a verdade e não no que as pessoas dizem da boca para fora ou em textos na “internet”.

    A para você que gosta de confiar no que as pessoas falam, principalmente os protestantes essa é para você:

    (Jeremias 17:5)

    5. Eis o que diz o Senhor: Maldito o homem que confia em outro homem, que da carne faz o seu apoio e cujo coração vive distante do Senhor!

    Enfim vamos a diante com a barca!

  250. le disse:

    Não tenho nada contra as pessoa que segue o catolicismo, como ja disse fui católico a mais de 25 anos,mas atraves de estudo da palavra de Deus, pude perceber o quanto estava errado,hoje sou evangélico sirvo a Deus na igreja do evangelho quadrangular,troquei a religião pelo evangelho do Senhor Jesus Cristo.

  251. diego disse:

    “le”, preciso de uma resposta sua cara, “sim ou não”, é bem simples de responder, só responde se é isso o que você quis passar em seu texto copiado da internet, ou se não é!

    Não tem o por que tentar enrolar as pessoas mais como você disse, vamos nos aprofundar-nos nos assuntos bíblicos daqui para frente!

    Vamos até o fim em um único assunto, para chegarmos a uma verdade, vamos parar de mudar de assunto e vamos ser mais responsáveis em nossos comentários!

    Vamos realmente mostrar quem tem a verdade ou quem enrola meu caro amigo!

    Vou te esperar em sua resposta, estou descendo a serra e para semana estarei aqui para continuarmos com as perguntas sobre o arrebatamento, até mais meu amigo “le”, fica com Deus e bom natal e fim de semana para você e a todos que vêem os comentários!!!!!

  252. le disse:

    Bom Diego,vou te dar uma resposta em relação a sua pergunta!

    Você me perguntou:

    PERGUNTA FEITA POR VOCÊ (Você colocou que Jesus irá voltar três vezes, uma no “arrebatamento”, a outra no “reinado dos mil anos”, e a ultima, Jesus irá voltar no dia do julgamento final.

    Agora eu te pergunto para ter certeza do que você fala, isso que eu afirmei que você colocou acima no seu texto sobre o arrebatamento é o que você quis passar para todos?

    Sim ou não?)

    RESPOSTA:

    Em momento nenhum eu disse que Jesus voltaria três vezes,não sei de onde você tirou estas palavras, possivelmente da internet, mas vou explicar melhor.
    A volta de Jesus acontecera por duas vezes, a primeira no arrebatamento e segunda no final da grande tribulação.

    No arrebatamento somente os salvos e os que morrerão salvos verão e serão arrebatado ( 1Ts 4.16-17; 1Co 15.51-58 ),no final da grande tribulação,a bíblia diz que todo olho verá (Ap 1.7; Mt24.30; Dn 7.13),leia os versículos e tire suas conclusãos.

    Sobre o milênio e o julgamento final falaremos em uma outra ocasião,fique com Deus e um bom natal pra você e sua familia.

  253. le disse:

    Para facilitar vou deixar aqui os versículos citado acima por mim,são versículos tirado da bíblia católica.

    (1Ts 4.15-17)

    15. Eis o que vos declaramos, conforme a palavra do Senhor: por ocasião da vinda do Senhor, nós que ficamos ainda vivos não precederemos os mortos.
    16. Quando for dado o sinal, à voz do arcanjo e ao som da trombeta de Deus, o mesmo Senhor descerá do céu e os que morreram em Cristo ressurgirão primeiro.
    17. Depois nós, os vivos, os que estamos ainda na terra, seremos arrebatados juntamente com eles sobre nuvens ao encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor.

    (1Co 15.51-58) 51. Eis que vos revelo um mistério: nem todos morreremos, mas todos seremos transformados,
    52. num momento, num abrir e fechar de olhos, ao som da última trombeta (porque a trombeta soará). Os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados.
    53. É necessário que este corpo corruptível se revista da incorruptibilidade, e que este corpo mortal se revista da imortalidade.
    54. Quando este corpo corruptível estiver revestido da incorruptibilidade, e quando este corpo mortal estiver revestido da imortalidade, então se cumprirá a palavra da Escritura:
    55. A morte foi tragada pela vitória (Is 25,8). Onde está, ó morte, a tua vitória? Onde está, ó morte, o teu aguilhão (Os 13,14)?
    56. Ora, o aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei.
    57. Graças, porém, sejam dadas a Deus, que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo!
    58. Por conseqüência, meus amados irmãos, sede firmes e inabaláveis, aplicando-vos cada vez mais à obra do Senhor. Sabeis que o vosso trabalho no Senhor não é em vão.

    (Ap1.7) 7. Ei-lo que vem com as nuvens. Todos os olhos o verão, mesmo aqueles que o traspassaram. Por sua causa, hão de lamentar-se todas as raças da terra. Sim. Amém.

    ( Mt24.30 ) 30. Então aparecerá no céu o sinal do Filho do Homem. Todas as tribos da terra baterão no peito e verão o Filho do Homem vir sobre as nuvens do céu cercado de glória e de majestade.

    (Dn7.13) 13. Olhando sempre a visão noturna, vi um ser, semelhante ao filho do homem, vir sobre as nuvens do céu: dirigiu-se para o lado do ancião, diante de quem foi conduzido.

  254. Leticia disse:

    Oi irmão le gostaria que você me respondesse uma coisa, bom como você sabe que eu sou católica e nunca ouvi o padre dizer nada sobre arrebatamento, e nem que Jesus esta voltando,o motivo eu não sei, mas analisando os versículo que você deixou aqui pude então perceber que a bíblia fala sobre o assunto.
    a minha pergunta é a seguinte:se Jesus vai voltar e arrebatar a igreja quem é a igreja que será arrebatada?
    peço que me responda discordo com a bíblia e não com o que as pessoas acham. beijos

  255. le disse:

    Bom Leticia você perguntou,qual é a igreja que será arrebatada?
    Quando a biblia fala de igreja,não esta falando de uma denominação mas sim das pessoas que serão salvas,existe muitas igrejas no mundo mas infelizmente nem todas serão salvas,somente as que praticam a palavra de Deus discordo com a bíblia.
    quero deixar aqui um estudo sobre a salvação que vai ajudar você e todos que lêem meus comentários a entenderem mais sobre a salvação.

    O que devo fazer para ser salvo?

    E, tirando-os para fora, disse: Senhores, que é necessário que eu faça para me salvar?
    E eles disseram: Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e a tua casa. Atos 16.30,31.
    Por esta citação Bíblica o caro leitor deve ter notado o que é necessário fazer para ser salvo, parece tão simples e de fato é mesmo, basta simplesmente crer no Senhor Jesus entregar teu coração a Ele e o mais tudo Ele fará em tua vida.
    Receber Jesus como Salvador significa nascer de novo, como está escrito em (João 3.3), Jesus respondeu, e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus. …e aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus. Enquanto tu não levantares tua mão para Ele dizendo Senhor entra em minha vida e transforma tudo o que não te agrada, jamais poderás ver o reino de Deus em ti ou ao redor de ti, mas quando o fizeres teus olhos se abrirão e verás o Reino, verás o Senhor do Reino, que é Jesus e Ele te transformará numa nova criatura e tu sentirás a liberdade que somente o Filho Unigênito do Pai pode dar, por que para isso Deus o Pai o ungiu. Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito. Porque a lei do Espírito de vida, em Cristo Jesus, me livrou da lei do pecado e da morte. Rom. 8.1,2.
    A salvação, caro leitor não está em boas obras que alguém venha a praticar, mas unicamente pela graça do Senhor Jesus somos salvos como está escrito em Efésios (2. 5): por que Estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos). E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria. (I Coríntios 13 . 3), é preciso amar a Cristo e se entregar a Ele como único e suficiente Salvador.

    · Como eu faço para receber Jesus como meu Salvador pessoal?

    Tu podes fazê-lo agora mesmo onde estás orando assim: Senhor Jesus eu reconheço que sou pecador e que sozinho jamais poderei chegar ao céu, ou fazer algo que possa Te agradar, até hoje vivi como pecador fazendo o que não Te agradava, mas agora me arrependo e confesso diante de Ti todos os meus pecados, perdoa-me e escreve o meu nome no “livro da vida”, pois agora reconheço que Tu és o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vai ao Pai, senão por Ti. Ou se preferir e será melhor procure uma igreja evangélica e fale com o pastor que queres receber Jesus como teu Salvador que ele te dirá o que é necessário fazer.
    E HAVIA em Cesaréia um homem por nome Cornélio, centurião da coorte chamada italiana,
    Piedoso e temente a Deus, com toda a sua casa, o qual fazia muitas esmolas ao povo, e de contínuo orava a Deus.
    Este, quase à hora nona do dia, viu claramente numa visão um anjo de Deus, que se dirigia para ele e dizia: Cornélio.
    O qual, fixando os olhos nele, e muito atemorizado, disse: Que é, Senhor? E disse-lhe: As tuas orações e as tuas esmolas têm subido para memória diante de Deus;
    Agora, pois, envia homens a Jope, e manda chamar a Simão, que tem por sobrenome Pedro.
    Este está com um certo Simão curtidor, que tem a sua casa junto do mar. Ele te dirá o que deves fazer. Atos 10.1-6.

    · Por que eu preciso recebe Jesus como Salvador?
    Porque está escrito: Não há um justo, nem um sequer. Não há ninguém que entenda; Não há ninguém que busque a Deus. Todos se extraviaram, e juntamente se fizeram inúteis. Não há quem faça o bem, não há nem um só. (Romanos 3:10-12)
    Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus; (Romanos 3.23)
    Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá? (Jeremias 17.9)
    Por que seríeis ainda castigados, se mais vos rebelaríeis? Toda a cabeça está enferma e todo o coração fraco. Desde a planta do pé até a cabeça não há nele coisa sã, senão feridas, e inchaços, e chagas podres não espremidas, nem ligadas, nem amolecidas com óleo. (Isaías 1:5-6)
    Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho; mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniqüidade de nós todos. (Isaías 53.6)
    Mas todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças como trapo da imundícia; e todos nós murchamos como a folha, e as nossas iniqüidades como um vento nos arrebatam. (Isaías 64.6)
    Porque qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos. (Tiago 2.10)
    Por fim deves receber Jesus como Salvador por que és pecador, foste concebido em pecado e vives em pecado e, Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça. Se dissermos que não pecamos, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós. (1João 1.8-10)
    O Senhor está disposto a salvar-te se Nele Creres, porque Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores. (Romanos 5:8)
    Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. (João 3.16)
    Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus. (João 3:18)
    Aquele que crê no Filho tem a vida eterna; mas aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece. (João 3.36)
    Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida. (João 5.24)
    Jesus respondeu, e disse-lhes: A obra de Deus é esta: Que creiais naquele que ele enviou. (João 6.29)
    · Agora vou te explicar de modo definitivo o que acontece quando se aceita a Jesus!
    Que o homem nasce pecador é um fato, e os versículos seguintes comprovam isso: Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus; (Romanos 3 . 23), Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram. (Romanos 5 . 12). Partindo do ponto que o homem é pecador, então entendemos pelas palavras de Isaías o profeta que este homem está separado de Deus, Mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que não vos ouça. (Isaías 59 : 2), sendo assim precisamos de um mediador e qual mediador seria capaz de nos levar de volta a Deus? Timóteo responde, Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem. (I Timóteo 2 . 5). Nossa vida de pecado nos separa de Deus, nossas obras não nos podem salvar, resta somente que recebamos a Cristo confessando-o como Salvador com nossa boca diante dos homens como está em (Romanos 10.9-10) A saber: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação.
    Porque todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo. (Romanos 10.13), fazendo isto Jesus vem morar em você e Deus olhando do céu não te vê mais, mas vê a Cristo que está em tua vida. Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim. (Gálatas 2 . 20) sendo assim nenhuma condenação há mais para ti, tu és salvo agora em Cristo! Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito. (Romanos 8 . 1).
    È simples assim amigo, tão somente creia, eu recebi Jesus a 23 anos e não me arrependo, tenho vivido minha vida pela fé no Filho de Deus e sei que ao fechar meus olhos nessa vida estarei com Jesus no céu, E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso. (Lucas 23 . 43).fique com Deus

  256. diego disse:

    Voltei com as perguntas meu amigo “le”, no meu comentário acima eu perguntei para você quantas vezes Jesus vira no arrebatamento, onde eu citei a vinda de Jesus 3 vezes por que como você não deixou tempo de eu analisar o seu texto copiado da net, e por eu ter lido por cima o seu texto sem uma análise mais profunda pude deduzir que o seu comentário se baseia nos protestantes, onde todos protestantes dizem que Jesus virá três vezes, mais você mais uma vez se redime e mostra mais uma divisão grande sua, onde se divide dos protestantes dizendo que Jesus virá 2 vezes, mostrando mais uma vez que os protestantes estão errados e não sabem nada e se perdem em suas divisões.

    Agora mais uma pergunta para você meu amigo, para que eu tenha certeza do que sua mente pensa e depois não tente se justificar:

    Você colocou acima que Jesus virá “ 2 vezes, a primeira no arrebatamento e a segunda no final da grande tribulação”.

    Minha pergunta é:

    Você disse que Jesus virá 2 vezes sim ou não?

    Mais uma pergunta fácil de responder meu amigo, lembrando que são perguntas para eu ter certeza do que você pensa!!!

    Deus os abençoe!!!!

  257. diego disse:

    A você colocou em comentários anteriores que segue a igreja do evangelho quadrangular, essa não é uma igreja?
    Você me disse que não seguia igreja nenhuma!
    Se decide meu amigo, mais tudo bem vamos voltar ao que interessa estou no seu aguarde meu amigo!

  258. le disse:

    Bom Diego, me mostre onde eu disse que Jesus virá 3 vezes!
    Outra coisa eu não disse que sigo a igreja do evangelho quadrangular,o que eu disse foi que sirvo ao Senhor Jesus na igreja do evangelho quadrangular, existe muita diferença em seguir uma igreja e seguir o evangelho do Senhor Jesus, quando eu era católico servia a igreja católica e seus ensinamento, que não condiz com os ensinamento do Senhor Jesus Cristo, troquei a religião pelo evangelho .
    A igreja que Jesus vai buscar não é a igreja do evangelho quadrangular, a biblia não fala sobre placas de igreja,e sim do corpo de Cristo que formam a igreja,as pessoas que tem seu nome escrito no livro da vida, essas são as pessoas que formam a igreja de Jesus Cristo.
    Além da igreja católica,existe muitas que Falam de Deus e até usam a bíblia mas não segue os ensinamento do Senhor Jesus Cristo discordo com a bíblia.

  259. diego disse:

    Bom meu amigo “le”, não estou aqui para atacar sua igreja, não é esse meu interesse, simplesmente disse o que as suas palavras falam, e o que elas disse é que não seguia igreja alguma, e em comentários anteriores você disse:

    “Hoje sou evangélico sirvo a Deus na igreja do evangelho quadrangular”.

    E pelo que eu sei a igreja do evangelho quadrangular é uma “igreja”, simplesmente isso, para uma pessoa que teima em esconder a sua igreja e derrepente se alto denomina ser evangélico na igreja do evangelho quadrangular, está se alto denominando seguidor dessa igreja, não tem o por que ter medo meu amigo, só pense antes de expor algo.

    Agora vamos voltar ao nosso assunto para não perdemos o foco do arrebatamento!

  260. diego disse:

    Ah, meu amigo assim não da, no meu penúltimo comentário, eu expliquei que tinha lido o seu texto por cima por causa de sua pressa, “e deduzi apenas deduzi”, com base nos protestantes que eu conheço que falammmmm que jesussssssss virá 3 vezes, ai meu amigo eu te perguntei no meu penúltimo comentário se você disse que Jesus virá 2 vezes sim ou não.

    Então como você não lê os meus comentários, vou te perguntar mais uma vez mais preste muita atenção meu amigo para você não entender errado ta?

    Veja:

    “le”, você quer dizer que Jesus virá 2 vezes?

    Preste atenção “le”, você disse que Jesus vira 2 vezes?

    Sim ou não?

    Leia devagar para entender ta!

  261. le disse:

    Bom Diego,que diferença faz se Jesus vai 2 ou 3 vezes, o importante é que a bíblia diz que ele vai voltar,você disse que sua pergunta estava baseada naquilo que os protestante diz,bom se os protestante diz que Jesus vai voltar 3 vezes, essa terceira volta pra mim é desconhecida,mas quero deixar claro que não sou dono da verdade e se de fato existe uma terceira volta então me mostre,ficarei agradecido por aprender mais um pouco.

    a questão é que, a bíblia esta recheada de versículo que prova que Jesus voltara!

    Agora me responde uma coisa,você disse que a igreja católica,é a unica igreja que o senhor deixou,o estranho é que nem os padres e nem os fieis sabem nada a respeito,porque será em? outra coisa tem muitas verdade contida na biblia que os católico nunca ouviram falar, tai um motivo para você analisar se de fato essa igreja foi funda pelo senhor.
    Ha, repito não sirvo a igreja e sim ao SEnhor.

  262. diego disse:

    A questão meu amigo “le”, não é 2 ou 3 vezes, a questão é que Jesus virá 1 vez só!!!!!

    Sempre cristo e os apóstolos falaram da segunda vinde de cristo a terra no singular, e nem Jesus e nem os apóstolos disseram que seria 3 vezes igual os protestantes que eu debato falam, e muito menos disseram que seria 2 vezes igual a sua mente pensa ou acha que será, então meu amigo vou colocar uns trechos aqui para que você se aprofunde mais no assunto e pare de dar ouvidos a esses criadores de propósitos para enrolarem os fiéis leigos sem estudos.

  263. diego disse:

    de uma forma ou de outra seremos Arrebatados sendo que os bons vivera com cristo para sempre.

    Tradução: Rondinelly Ribeiro
    Fonte: Bread of Life Catholic Apologetics Webring

    Segundo algumas igrejas evangélicas, antes da grande tribulação descrita no Apocalipse, a população cristã da terra desaparecerá. Serão “arrebatados” por Cristo antes do julgamento. Isto está descrito no início do capítulo 6, os sete selos, continuando no capítulo 8, as sete trombetas, e se concluindo no capítulo 16, as sete taças da ira de Deus.

    As passagens bíblicas mais comumente apontadas como suporte para esta doutrina são:

    Ap 3,10: Visto que guardaste minha recomendação de perseverar, eu te guardarei na hora da prova, que virá sobre o mundo inteiro, para provar os habitantes da terra.
    Lc 17,34-35: Eu vos digo: nessa noite estarão dois numa cama; um será arrebatado, o outro deixado; haverá duas mulheres moendo juntas, uma será arrebatada, a outra deixada.
    Mt 24,40-41: Dois homens estarão num campo: um será levado e outro será deixado; duas mulheres estarão moendo, uma será levada e outra deixada.

    1Ts 4,15-17: Isto vo-lo dissemos apoiados na palavra do Senhor: nós, que ficarmos vivos até a vinda do Senhor, não precederemos os mortos; pois o próprio Senhor, ao soar uma ordem, à voz do arcanjo e ao toque da trombeta divina, descerá do céu; então ressuscitarão primeiro os cristãos mortos; depois nós, que estivermos vivos, seremos arrebatados com eles entre as nuvens no ar, ao encontro do Senhor; e assim estaremos sempre com o Senhor.

    Estas são as passagens mais comumente referidas como uma crença num arrebatamento “pré-tribulação”. Isto ocorrerá um pouco antes do aparecimento da besta fera do Apocalipse, e todos os chamados cristãos salvos serão levados ao paraíso.
    Aqui esta teoria toma diferentes caminhos, nas várias intenções de explicar o destino dos arrebatados e dos não-arrebatados antes e depois do cumprimento das profecias apocalípticas. O rumo mais comum do pensamento se dirige desta forma: antes do arrebatamento e do aparecimento da besta, a terra sofrerá o juízo. Então o demônio será lançado no inferno, e os mártires mortos serão ressuscitados e reinarão com Cristo por um período de mil anos.

    Ap 20,4: Vis uns tronos, e sentados neles os encarregados de julgar; e as almas dos que haviam sido decapitados por causa do testemunho de Jesus e da palavra de Deus, os que não adoraram a fera nem sua imagem, os que não aceitaram sua marca nem na fronte nem na mão. Viveram e reinaram com o Messias por mil anos.

    Estes e os arrebatados irão existir em corpos ressuscitados enquanto que os sobreviventes da tribulação se converterão ao cristianismo mas permanecerão mortais. Após estes mil anos, a besta será novamente libertada, enganando muitos dos sobreviventes e tentará empreender uma guerra contra os santos, mas fogo do céu irá consumi-los e, então, finalmente a besta será vencida e lançada no fogo do inferno para sempre.

    Ap 20,7-10: Passados mil anos, soltarão satanás da prisão, e sairá para extraviar as nações nas quatro partes do mundo, Gog e Magog. Irá reuni-los para a batalha, inumeráveis como a areia do mar. Avançarão sobre a superfície da terra e cercarão a fortaleza dos santos e a cidade amada. Caiu um raio do céu e os consumiu. O diabo que os enganava foi arremessado ao fosso de fogo e enxofre, com a fera e o falso profeta: serão atormentados dia e noite pelos séculos dos séculos.

    Então o dia do julgamento de toda a humanidade irá imediatamente se seguir.

    Ap 20,11-15: Vi um trono grande e branco, e nele alguém sentado. De sua presença fugiram a terra e o céu sem deixar rastro. Vi os mortos, grandes e pequenos, de pé diante do trono. Abriram-se os livros, e abriu-se também o livro da vida. OS mortos foram julgados segundo as suas obras, segundo o que estava escrito nos livros. O mar devolveu seus mortos. Morte e Hades devolveram seus mortos, e cada um foi julgado segundo suas obras. Morte e Hades foram arremessados ao fosso de fogo (esta é a morte segunda, o fosso de fogo). Quem não estiver inscrito no livro da vida será arremessado ao fosso de fogo.

    Tudo isto é bastante interessante à primeira vista. O problema é que a doutrina do arrebatamento pressupõe que haverão três “segundas vindas” de Jesus. Uma no arrebatamento, outra no início do reinado de mil anos e outra ainda no julgamento final. Entretanto, todas as evidências bíblicas apontam para apenas uma segunda vinda de Jesus.

    Mt 24,27.30: Pois, como o relâmpago aparece no levante e brilha até o poente, assim será a chegada do Filho do Homem. Então aparecerá no céu o estandarte do Filho do Homem. Todas as raças do mundo farão luto e verão o Filho do Homem chegar nas nuvens do céu, com glória e poder.

    Mt 25,31: Quando chegar o Filho do Homem com majestade, acompanhado de todos os seus anjos, sentará em seu trono de glória.

    Por estas passagens vemos que Jesus virá apenas uma vez, quando irá assumir o seu trono. Da mesma forma os apóstolos também falam em apenas uma segunda vinda de Cristo.

    1Cor 15,22-23: Visto que todos morrem por Adão, todos recuperarão a vida em Cristo. Cada um por usa vez: a primícia é Cristo; depois, quando ele voltar, os cristãos.

    2Ts 2,1.8: Irmãos, pela vinda do Senhor nosso Jesus Cristo e nossa reunião com ele…Então se revelará o iníquo, que será destruído pelo Senhor Jesus com o sopro de sua boca e anulará com a manifestação de sua vinda.

    1Tm 6,14: Eu te recomendo que conserves o mandamento sem mancha nem repreensão, até que apareça o Senhor nosso Jesus Cristo.
    Tt 2,13: Esperando a promessa feliz e a manifestação da glória do nosso grande Deus e do nosso Salvador Jesus Cristo.

    No mesmo versículo utilizado para sustentar a doutrina do arrebatamento, Paulo nos diz que haverá somente uma segunda vinda do Senhor.

    1Ts 4,15: Isto vo-lo dissemos apoiados na palavra do Senhor: nós, que ficarmos vivos até a vinda do Senhor, não precederemos os mortos

    Outros apóstolos também concordam que haverá somente uma segunda vinda de Cristo.

    Tg 5,7: Irmãos, tende paciência até que venha o Senhor. Prestai atenção no lavrador, como espera com paciência até receber as primeiras chuvas e as tardias, com a esperança do valioso fruto da terra.

    2Pd 3,10: O dia do Senhor chegará como um ladrão. Então o céu desaparecerá com estrondo, os elementos se desfarão em chamas, a terra com suas obras ficarão em chamas, a terra com suas obras ficará evidente

    Paulo continua na mesma linha de pensamento em outras partes de suas cartas.

    1Ts 5,2: Pois vós mesmos sabeis muito bem que o dia do Senhor virá como um ladrão de noite.

    Falando de sua segunda vinda, Jesus aplica apenas um dia.

    Mt 24,42: Assim, pois, vigiai, porque não sabeis o dia em que chegará o vosso Senhor.

    E continua a falar neste dia no singular.

    Mt 24, 36 (Mc 13,32): Quanto ao dia e à hora, ninguém os conhece…

    E finalmente, após a ascensão de Jesus, o anjo diz:

    At 1,11: -Homens da Galiléia, que fazeis aí olhando o céu? Este Jesus que vos foi arrebatado para o céu, virá como o vistes partir para o céu.

    Ele ascendeu uma vez, retornará uma só vez. Desapareceu nas nuvens uma só vez, aparecerá nas nuvens uma só vez.
    Um outro aspecto questionável da doutrina do arrebatamento é que vários setores da humanidade serão ressuscitados em corpos imortais em tempos diferentes. Primeiro os cristãos salvos serão transformados em “um abrir e fechar de olhos”.

    1Cor 15,51-52: Eu vos comunico um segredo: nem todos morreremos, mas todos nos transformaremos. Num abrir e fechar de olhos, ao último toque de trombeta (que tocará), os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós nos transformaremos.

    Depois da tribulação, os mártires ressuscitarão e reinarão com Cristo por um período de mil anos como demonstramos em Ap 20,4. Finalmente, no juízo final todos os restantes serão ressuscitados ou para a punição eterna ou para a vida eterna.

    Jo 5,28-29: Não estranheis isto: chega a hora em que todos os que estão nos sepulcros ouvirão a sua voz. Os que agiram bem ressuscitarão para viver, os que agiram mal ressuscitarão para ser julgados.

    O problema é que em nenhum lugar da Bíblia há qualquer indicação de que diferentes partes da humanidade ressuscitarão em tempos deferentes. Ap 20,5-6 nos fala sobre uma “primeira ressurreição”. Entretanto, o foco do arrebatamento é a segunda ressurreição, ou a transformação dos ainda vivos, ou a ressurreição dos mártires em forma imortal ocorrerem em um piscar de olhos. A doutrina do arrebatamento pressupõe que estas coisas ocorrerão em três momentos diferentes. Porém vimos que Cristo retornará apenas uma vez, então o dia da ressurreição também será apenas um.

    Jo 6,44: Ninguém pode vir a mim, se o Pai que me enviou não o atrair; e eu o ressuscitarei no último dia.

    Jesus nunca disse “eu o ressuscitarei antes da tribulação ou antes ou após mil anos”. Não, Ele disse que nos ressuscitará no último dia.
    São Paulo nos diz que todos os que estiverem vivos durante a segunda vinda de Cristo serão levados entre as nuvens e permanecerão com Ele para sempre.

    1Ts 4,16-17: O próprio Senhor, ao soar uma ordem, à voz do arcanjo e ao toque da trombeta divina, descerá do céu; então ressuscitarão primeiro os cristãos mortos; depois nós, que estivermos vivos, seremos arrebatados com eles entre as nuvens no ar, ao encontro do Senhor; e assim estaremos sempre com o Senhor.

    O que está relacionado com 1Cor 15,51-52.

    Eu vos comunico um segredo: nem todos morreremos, mas todos nos transformaremos. Num abrir e fechar de olhos, ao último toque de trombeta (que tocará), os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós nos transformaremos.

    E também com 1Jo 3,2:

    Queridos, já somos filhos de Deus, mas ainda não se manifestou o que seremos. Sabemos que, quando ele aparecer, seremos semelhantes a ele e o veremos como ele é.

    Note que nas duas passagens de Paulo “os cristãos mortos ressuscitarão primeiro” e serão “ressuscitarão incorruptíveis”. Eles serão ressuscitados da mesma forma que os que vivem serão transformados “em um abrir e fechar de olhos” e serão levados às nuvens. Os que não estiverem em Cristo ressuscitarão para o julgamento como Ele mesmo afirmou em Jo 5,28-29.

    Jo 5,28-29: Não estranheis isto: chega a hora em que todos os que estão nos sepulcros ouvirão a sua voz. Os que agiram bem ressuscitarão para viver, os que agiram mal ressuscitarão para ser julgados.

    Este é único dia da “segunda ressurreição”. Ocorrerá apenas uma vez na única segunda vinda de Cristo.
    E, finalmente, os defensores da doutrina do arrebatamento afirmam que Jesus virá em segredo e levará consigo os eleitos. Mas lemos em

    Ap 1,7 que:

    Ei-lo que vem com as nuvens. Todos os olhos o verão, mesmo aqueles que o traspassaram. Por sua causa, hão de lamentar-se todas as raças da terra. Sim. Amém.

    De acordo com a Bíblia, haverá apenas uma segunda vinda de Cristo, quando se dará a ressurreição e o julgamento final, como Ele afirma em Ap 22,12, quando retornará apenas uma vez:

    Eis que venho em breve, e a minha recompensa está comigo, para dar a cada um conforme as suas obras.

    Espero que de agora em diante meu amigo pare para refletir e passar a procurar respostas antes mesmo de criticar o que a doutrina católica empoe, pois é a única que mostra a verdade que todos protestantes esconde por não ter padres que mostrem o peito para debater e mostrar o quanto os protestantes enrolam o povo evangélico e também o povo católico.

  264. diego disse:

    Existe um testemunho de conversão que quando eu li, pude ver a realidade que o mundo se encontra inclusive eu mesmo sendo uma pedra em questão de chorar não resisti em constatar esse testemunho com as pessoas que metem o pau na santa igreja católica sem ao menos irem atrás da verdade imposta pela igreja católica e chorei em ver que é a mais pura realidade, então peço a todos que entrem nesse link e veja o mundo que vocês vivem.

    http://www.dicionariodafe.com/testemunhos/rondinelly.htm

  265. le disse:

    Olha diego ,dei uma lida parida no seu testo copiado, não tenho tempo de responder agora,estou trabalhando muito esta semana, mas estarei de volta na próxima semana.

  266. diego disse:

    Tudo bem meu amigo, você pode ver o testemunho de conversão desse rapaz?

    Viu o quanto os católicos leigos saem da igreja católica fácil, devido tantas injurias que os protestantes colocam contra a igreja católica, e já parou para analisar que quando um católico sai da igreja católica eles ficam metendo o pau na igreja católica sem ao menos terem ido atrás dos verdadeiros fatos, mesmo tendo participado da igreja católica durante anos, e muitas vezes uma vida inteira mais que nunca se perguntaram em parar e ver qual é a doutrina da igreja, e muito menos seguir essa doutrina?

    Eu coloquei essa explicação do arrebatamento da mente desse rapaz “Rondinelly Ribeiro”, por que contrasta a realidade do que ele viveu e a realidade das pessoas do nosso presente que vão a igreja por ir, e não conhece nada das doutrinas e terminam se tornando mentes fáceis de serem enroladas por pessoas que tem ideal pessoal, aonde vem apenas as suas certezas no orgulho de serem os celebres celestiais da razão.

    Deus abençoe a todos e que cristo encaminhe todos corações para o caminho do bem amém.

  267. le disse:

    O senhor Jesus disse que existe dois caminho,o caminho largo que é fácil de caminhar mas conduz a perdição, e o caminho estreito, difícil de caminhar mas que conduz a vida eterna, por este motivo muitos católico não consegue se firmar na verdade,andar pelo caminho estreito significa abandonar muitas coisas mundanas que não agrada ao Senhor, existem católicos que ate tentam verdadeiramente se aprofundar e conhecer a verdade, mas quando percebe que para seguir ao Senhor precisam renunciar algumas coisas,logo se entristece e acaba voltando novamente a pratica do pecado, seguir ao Senhor Jesus Cristo não é pra qualquer um, tem que haver um arrependimento sincero de nossos pecado,por este motivo existe muitos católicos frustrado, pessoas que vivem escravizadas pelo vicio da bebida,pelo vicio do cigarro e ate mesmo pelo vicio das drogas e não conseguem uma libertação, a palavra de Deus diz em (joão 8.32 )e conhecereis a verdade e a verdade vos libertara, quando conhecemos realmente a verdade somos libertos de todo tipo de pratica que não agrada ao Senhor, principalmente os vícios.
    tive a oportunidade de trabalhar em um seminário e pude ver a quantidade de padres viciados.
    por este motivo as igrejas evangélica esta crescendo de uma maneira estrondosa, porque os viciados são liberto,os enfermos são curadoe a pessoa comessa a conhecer verdadeiramente ao Senhor e passa a ser guiadas pelo Espírito Santo de Deus.

  268. diego disse:

    Meus parabéns meu amigo “le”, até que enfim você colocou algo real depois de tantas injurias colocadas por vocês evangélicos, pelo menos uma saiu como deve ser!

    Como você disse existe dois caminhos e a maioria dos católicos que não conhecem a verdade e muitos evangélicos que eu conheço também que se dizem serem evangélicos de fachada, mais quando se trata de dinheiro eles esquecem Deus, e esquecem do caminho da verdade e se mantém no caminho do erro, e os padres viciados colocados por você acima esses todos pagarão no ultimo dia, o dia do juízo final.

    E você quer ver como é fácil de crescer com uma igreja meu amigo?

    “Simples abra uma e verás o quanto de pessoas vira te seguir, e em pouco tempo se tornará uma grande potencia, sem contar que você não pagará imposto comercial”.

    Lembrando a você que já são mais de 33800 denominações espalhadas pelo mundo a fora.

  269. le disse:

    Bom diego, sei que o assunto é arrebatamento, mas acho que ja falamos aquilo que entendemos do assunto,e quero dizer que não concordo com seu ponto de vista sobre o arrebatamento,sei que é um assunto um pouco complicado, por esse motivo acho um pouco difícil te convencer que esta errado,mas como você disse que correr atrás da verdade,eu te digo continue assim e você vai chegar ao conhecimento da verdade.

    Me responde qual o seu ponto de vista em relação a esses assuntos que vou deixar aqui:

    Uma pessoa pode estar possuída por demônios?

    O homem tem autoridade para expulsar demônios?

    O que você entende sobre o batismo no Espírito Santo?

    Você cre realmente que a bíblia é a palavra de Deus?

    Gostaria que você usasse suas provias palavras.

  270. diego disse:

    Exatamente meu amigo correr atrás da verdade, e nosso debate sobre o arrebatamento nem começou ainda “le”, pois nem aprofundamos ainda no assunto onde vemos no texto acima que na bíblia só existe uma vinda e como eu falei em comentários anteriores Jesus e os apóstolos sempre falou da segunda vinda de cristo no singular e contestar esses fatos é dizer que Jesus e os apóstolos são mentirosos e eu acredito que você e ninguém vai ter a coragem de dizer isso, então se quiseres aprofundar no assunto eu estarei aqui para irmos até o fim aonde a verdade vai aparecendo aos poucos mais vai aparecendo.

  271. diego disse:

    Respondendo a suas perguntas acima meu amigo, só quero te dizer que como eu disse antes de iniciarmos o assunto do arrebatamento eu irei debater com você, mais iremos até o fim para chegarmos a uma verdade.

    E você me perguntou acima:

    Uma pessoa pode estar possuída por demônios?

    “le”, vou te responder a essa pergunta da seguinte forma, claro que sim meu amigo, uma pessoa pode estar sobre posse de demônios.

    É um assunto que eu gosto muito de falar, pois a minha fé em cristo é grande meu amigo, e gosto de desafiar o chifrudo, assim como também gosto de desafiar os macumbeiros espíritas e seja lá o que for para que tentem algo contra a minha fé ou principalmente contra a minha pessoa, e estou aposto para essas pessoas tentarem qualquer coisa contra a minha pessoa ou fé, se puderem……………

  272. le disse:

    Bom diego, se quiser continuar falando sobre o arrebatamento,fique a vontade, mas use apenas sua mente,aquilo que esta disponível na internet eu estou cansado de ver e ouvir.

    outra coisa você respondeu apenas uma pergunta ainda faltam três

  273. diego disse:

    Ou é pensei que já íamos debater por isso coloquei o primeiro que vi mais tudo bem meu amigo, vamos as respostas e depois voltaremos ao assunto do arrebatamento ou se você não tiver argumentos para irmos até o fim pularemos o assunto, mais repito só vou parar de falar em um assunto quando eu ver que você não tem mais respostas, o que já esta acontecendo com o arrebatamento sendo que na internet os protestantes não colocam respostas e sim colocam criticas.

    Mais vamos falar muito ainda, pois nem falei nada de minha mente ainda!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  274. diego disse:

    Bom sobre os outros assuntos:

    O homem tem autoridade para expulsar demônios?
    O que você entende sobre o batismo no Espírito Santo?
    Você cre realmente que a bíblia é a palavra de Deus?
    Primeiro o homem tem autoridade para expulsar os demônios sim, e se você for até as escrituras meu amigo, verás que Jesus em Lucas 9/1:

    1. Reunindo Jesus os doze apóstolos, deu-lhes poder e autoridade sobre todos os demônios, e para curar enfermidades.

    Já do batismo no espírito santo ou batismo do espírito santo, o que posso te falar é que o batismo que nós passamos, é como um encaminhamento onde o espírito santo guia-nos pela vida toda, e essa junção entre nós e Deus se torna uma grande aliança feita entre o homem e Deus.
    Lembrando que essas perguntas colocadas por você meu amigo “le”, a gente pode aprofundar mais a fundo para termos uma clareza melhor sobre o assunto.
    Já da terceira outra pergunta colocada por você, se eu creio que a bíblia é a palavra de Deus?
    Isso com certeza, a bíblia é a palavra de Deus expressa em linhas, pois foi inspirada por Deus e o espírito santo guiou os autores a escreverem as revelações conhecidas até hoje e sempre.

    É bom meu amigo ir desenvolvendo temas para que o nosso tópico não pare e as pessoas se apeguem cada vez mais a Deus.

  275. le disse:

    Bom Diego,sobre o assunto do arrebatamento, quero dizer o seguinte,estou orando para que o Senhor me de sabedoria para explicar melhor,mas pode continuar me fazendo perguntas, assim posso entender melhor sua visão sobre o assunto.

    quero fazer mas 2 pergunta

    você é católico praticante,daqueles que não perde uma missa?

    que você faria se descobrisse que a igreja católica esta errada?

  276. diego disse:

    Tudo bem meu amigo, a respeito das suas duas ultimas perguntas, quero ressaltar para sua pessoa que eu não vou a missa já faz um bom tempo devido o trabalho e tempo, mais me mantenho na palavra de meu senhor sendo que cresci na igreja católica mesmo sendo filho de uma mãe católica e um pai evangélico, aliás, ex-evangelico devido às divisões dos protestantes meu pai resolveu não seguir mais nenhum dessas denominações que não se entendem nas doutrinas.

    Já referente à segunda pergunta quando você disse o que eu faria se descobrisse que a igreja católica está errada?

    Eu posso te falar categoricamente meu amigo, de que devido a tantas provas existentes sobre a sua existência e sobre as suas doutrinas que não é o que os protestantes colocam por ai a fora, e que tantos “teólogos evangélicos” que foram atrás de respostas para tentarem desmascarar a igreja e se depararam com outra realidade, diante de tantas respostas a única coisa que eu posso te falar é que:

    Os únicos que podem errar perante a igreja de cristo, são os chefes celestiais e não a igreja, e se errarem eu te garanto meu amigo que eles errarão por um determinado tempo e não por “2000 anos”, e posso te falar mais meu amigo, esses chefes celestiais da igreja não só podem errar como já vimos perante a historia da igreja católica para quem conhece, que já erraram e muito mais não a igreja e sim os chefes, bispos e padres como vemos casos por ai a fora de padres pedófilos, onde esses aborradores serão julgados e condenados por cristo nosso salvador.

    Mais quero deixar claro que nem eu e nem ninguém somos os mais perfeitos do mundo, pois somos dotados do erro, e erro esse que persegue a todos!

    Fiquem com Deus……….

  277. le disse:

    bom diego, peso que não se ofenda,quero apenas te fazer mais 2 pergunta!

    você ja visitou uma igreja evangélica?

    seu pai foi evangélico de qual igreja?

  278. diego disse:

    Ola!
    Claro que eu já visitei uma igreja evangélica, sem contar que foram varias, pois mesmo sendo católico eu sempre costumava de ir a fazer visitas nessas igrejas, e olhe que não foram poucas, fui numa porrada de denominações diferentes, mais a única coisa que eu observava em todas que eu fui, foi de ver as enrolações dos pastores com indiretas para os fiéis onde a intenção era de seus fieis converterem os católicos leigos, para que fossem em suas denominações e sem contar o marketing que existe, onde se prega tudo sobre a oferta, onde só parando e analisando as falas dos pastores é que se pode ver aonde eles quiam os fiéis.

    Já da denominação de meu pai, posso te falar que ele cresceu em uma família evangélica, onde devido as divisões de doutrinas fez com que meu pai participasse de varias denominações, mais não precisa nem eu falar as denominações pois foram muitas pode se dizer que meu pai foi um presbítero, aonde hoje prefere ouvir as minhas argumentações e estudos bíblicos.

    Quanto me ofender meu amigo, não se preocupe pois não me ofendo tão fácil e obrigado pelas perguntas!

  279. le disse:

    Bom diego, ja que você disse que posso perguntar, vai ai mais 2 perguntas!

    O homem pode receber a condenação e passar a eternidade no inferno?

    Poque a igreja católica de hoje não é mesma de 15 anos atraz?

  280. le disse:

    Fala ai Diego,se ta vivo cara!

    Foram apenas 2 perguntinhas básica,e você não encontrou resposta………………………………………

  281. diego disse:

    Bom meu amigo essa semana eu terei um tempo a mais para darmos continuidade ao nosso debate, eu acredito que já deu tempo suficiente para você perguntar para o seu pastor sem estudo ou vasculhar a net atrás de respostas a respeito do assunto e deve ter algumas respostas para nós.

    E a respeito das suas perguntas que você esta perguntando, são perguntas muito difícil de responder acho até que vou chamar o meu sobrinho de 2 anos para responder elas!!!!!
    Kkkkkkkkkkkrsrsrrsrsrrsrsrrs

    Desculpe a brincadeira!

    Mais vamos lá, referente a primeira pergunta meu amigo, se o homem pode receber a condenação e passar a eternidade no inferno?

    Meu sobrinho de 2 anos de idade ta dizendo aqui “le”, que existe condenação eterna sim, e que nas escrituras cristo colocou isso e muito bem em (Mateus 5/21,22):

    21. Ouvistes o que foi dito aos antigos: Não matarás, mas quem matar será castigado pelo juízo do tribunal.
    22. Mas eu vos digo: todo aquele que se irar contra seu irmão será castigado pelos juízes. Aquele que disser a seu irmão: Raca, será castigado pelo Grande Conselho. Aquele que lhe disser: Louco, será condenado ao fogo da geena.

    E em (Mateus 25/41):

    41. Voltar-se-á em seguida para os da sua esquerda e lhes dirá: – Retirai-vos de mim, malditos! Ide para o fogo eterno destinado ao demônio e aos seus anjos.

    A condenação eterna meu amigo é constante pois quem herda essa condenação terá a perca de Deus para sempre, e verá a alma sendo queimada por um fogo constante que não consegue corromper a alma.

    Já da segunda pergunta sua, você vai ter que especificar qual a diferença da igreja católica de 15 anos atrás e de hoje para eu poder te dizer a diferença se existe ou não então meu amigo se especifique na segunda pergunta sua!!!!!

  282. Gladstonier disse:

    Essa é principalmente para o Diego:
    andei um pouco sumido, mas volto com outra pergunta para os católicos, ou melhor uma afirmação. Andei vasculhando os dogmas da igreja romana e encontrei um dogma interessante:
    Compêndio Vaticano II, página, 109: “BEM AVENTURADA A VIRGEM MARIA É INVOCADA NA IGREJA SOB TÍTULO DE ADVOGADA, AUXILIADORA, ADJUNTRIZ, MEDIANEIRA”
    Porém, o que nos diz a bíblia sobre isso:
    “Porque há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem” (I Timóteo 2.5).
    “Se, todavia, alguém pecar, temos advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o justo”. (I João 2.1).
    Há alguns anos foi publicado na imprensa duma capital latino-americana um discurso dum cardeal católico-romano. O cardeal contou este sonho:
    Ele sonhou que estava na cidade celestial. Ouviu-se bater na porta. Foi comunicado a Deus que um pecador da terra estava batendo a porta e queria entrar.
    Cumpriu ele as condições? Foi a pergunta. A resposta foi: Não, não pode entrar, foi o veredicto.
    Nesse ponto a Virgem Maria que estava sentada à direita de seu Filho, falou: “Se esta alma não entrar, eu me ponho de fora”. A porta se abriu e o pecador entrou.(A Virgem Maria – Giovanne Miegge).
    Epifânio, grande apologista do quarto século, diz o seguinte aos católicos de hoje:
    “Não se deve honrar aos santos além do que é justo, mas deve se honrar ao Senhor deles. Maria, de fato, não é Deus, nem recebeu do céu o seu corpo, mas veio de uma concepção originada de um homem e de uma mulher. Santo é o corpo de Maria, ela foi virgem e digna de muita honra, mas não foi dada para adoração, antes, ela adora aquele que nasceu de sua carne. Honre-se Maria, mas adore-se ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo. Ninguém adore Maria”.
    Graça e paz!!!

  283. diego disse:

    grande amigo gladstonier estias de vouta para ser desmentido como sempre!!!!!!!!!!!!!
    kkkkkkkrsrsrsrsrsskskkssskskskkkkk
    obrigado por ter voltado amigo gostei muito de mostrar respostas as suas mentiras e como sempre voltasse mais uma vez como todos protestantes que querem arrebatar seres “vivos” para suas igrejas, dizendo que maria é um Deus para os catolicos, mais esquecesses de algo meu amigo isso ja debatemos varias vezes, maria não é Deus, nenhum santo é Deus, e como diz o catecismo da igreja católica edificada por cristo, ninguem deve adorar maria e nenhum santo e qualquer mente tola que adorar maria, padre cicero, ou seja qual for o santo ou qualquer coisa esse será punido por Deus pai, e mais uma vez cinto muito em ti dizer você levantou falso testemunho meu amigo e assim como adorar santos falso testemunho é pecado e você esta em pecado por ter levantado falso testemunho meu amigo….
    voutasse ainda pior meu amigo gladstonier, com mais esse pecado nas costas do falso testemunho, grande gladstonier e grande pecador por julgar sem saber a realidade das doutrinas da igreja católica única igreja edificada por cristo.

    ah, estou montando um blog para mostrar todas respostas das injurias dos protestantes contra a igreja católica, entre lá em breve colocarei muitas postagens interessantes meu amigo, quem sabe você vendo as respostas irás refletir um pouco e ver que as calunias colocadas pelos protestantes tem respostas e não contestações que é o que os protestantes fazem.

  284. Gladstonier disse:

    Caro amigo Diego,
    você disse que as minhas afirmações sobre o compêndio vaticano II são calúnias, vai negar agora o que este dogma deplorável, que toma de Jesus o papel de advogado e único mediador entre Deus e o homem. Isso não foi falso testemunho, foi a exposição de um dogma.
    Graça e paz!!!

  285. Gladstonier disse:

    Caro amigo Diego,
    você disse que as minhas afirmações sobre o compêndio vaticano II são calúnias, vai negar agora este dogma deplorável que toma de Jesus o papel de advogado e único mediador entre Deus e o homem? Isso não foi falso testemunho, foi a exposição de um dogma.
    Graça e paz!!!

  286. diego disse:

    APROVAÇÃO E PUBLICAÇÃO DO COMPÊNDIO DO CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA

    Por Papa Bento XVI

    Fonte: Vaticano

    MOTU PROPRIO
    DO SUMO PONTÍFICE
    BENTO XVI
    PARA APROVAÇÃO E PUBLICAÇÃO DO
    COMPÊNDIO
    DO CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA

    Aos Veneráveis Irmãos Cardeais,
    Patriarcas, Arcebispos, Bispos, Presbíteros,
    Diáconos e a todos os Membros do Povo de Deus

    Há já vinte anos que se iniciou a elaboração do Catecismo da Igreja Católica, pedido pela Assembleia Extraordinária do Sínodo dos Bispos, por ocasião do vigésimo aniversário do encerramento do Concílio Vaticano II.

    Agradeço muito a Deus Nosso Senhor por ter dado à Igreja tal Catecismo, promulgado, em 1992, pelo meu venerado e amado Predecessor, o Papa João Paulo II.

    A utilidade e preciosidade deste dom obteve confirmação, antes de mais, na positiva e larga recepção por parte do episcopado, ao qual primeiramente se dirigia, sendo aceite como texto de referência segura e autêntica em ordem ao ensino da doutrina católica e à elaboração dos catecismos locais. Foi também confirmado por todas as componentes do Povo de Deus que o puderam conhecer e apreciar nas mais de cinquenta línguas, em que até agora foi traduzido.

    Agora com grande alegria aprovo e promulgo o Compêndio de tal Catecismo.

    Ele tinha sido intensamente desejado pelos participantes no Congresso Internacional de Catequese de Outubro de 2002, que, deste modo, se fizeram intérpretes duma exigência muito difundida na Igreja. Para acolher este desejo, o meu saudoso Predecessor, em Fevereiro de 2003, decidiu a sua preparação, confiando a sua redacção a uma Comissão restrita de Cardeais, presidida por mim, apoiada pela colaboração de alguns especialistas. No decorrer dos trabalhos, um projecto do Compêndio foi submetido à apreciação de todos os Eminentíssimos Cardeais e dos Presidentes das Conferências Episcopais, que, na sua grande maioria, o acolheram e apreciaram positivamente.

    O Compêndio, que agora apresento à Igreja universal, é uma síntese fiel e segura do Catecismo da Igreja Católica. Ele contém, de maneira concisa, todos os elementos essenciais e fundamentais da fé da Igreja, de forma a constituir, como desejara o meu Predecessor, uma espécie de vademecum, que permita às pessoas, aos crentes e não crentes, abraçar, numa visão de conjunto, todo o panorama da fé católica.

    Ele espelha fielmente na estrutura, nos conteúdos e na linguagem o Catecismo da Igreja Católica, que encontrará nesta síntese uma ajuda e um estímulo para ser mais conhecido e aprofundado.

    Em primeiro lugar, confio esperançoso este Compêndio a toda a Igreja e a cada cristão para que, graças a ele, se encontre, neste terceiro milénio, novo impulso no renovado empenhamento de evangelização e de educação na fé, que deve caracterizar cada comunidade eclesial e cada crente em Cristo, em qualquer idade e nação.

    Mas este Compêndio, pela sua brevidade, clareza e integridade, dirige-se a todas as pessoas, que, num mundo caracterizado pela dispersão e pelas múltiplas mensagens, desejam conhecer o Caminho da Vida, a Verdade, confiada por Deus à Igreja do Seu Filho.

    Lendo este instrumento autorizado que é o Compêndio, possa cada um, em especial graças à intercessão de Maria Santíssima, a Mãe de Cristo e da Igreja, reconhecer e acolher cada vez mais a beleza inexaurível, a unicidade e actualidade do Dom por excelência que Deus concedeu à humanidade: o Seu único Filho, Jesus Cristo, que é «o Caminho, a Verdade e a Vida» (Jo 14, 6).

    Dado aos 28 de Junho de 2005, vigília da Solenidade dos Santos Pedro e Paulo, ano primeiro de Pontificado.

    BENEDICTUS PP XVI

  287. diego disse:

    grande gladstonier você quer colocar maria acima de Deus!!!!!!!!!!
    pare com isso meu amigo!!!!!!!!!!!
    estais aprofundando a cada dia mais no seu falso testemunhooooooo!!!!!!!!!!!!!!

    repito mais uma vez, falso testemunho é pecado, pare de praticar isso meu amigo, errar uma vez tudo bem mais persistir no erro ai ja é demais……

    repito, ninguem é superior a Deus cristo, vocês protestantes que vivem colocando maria acima de Deus, isso é errado gente não deem ouvidos a esses brafemistas, seguem a Deus afinco e esquecem essas mentes que vivem criando brasfemias para enrolarem os povos do mundo.

    e nosso catecismo da igreja não coloca maria e ninguem acima de Deus, muito pelo contrario, ele mostra o que se deve fazer de certo.

    Deus abençoe a todos!!!!!!!!!

  288. Gladstonier disse:

    Eh o irmão Diego está cego mesmo, coitado!
    Continua afirmando que o que eu disse sobre o Compêndio Vaticano II é calúnia, onde coloca Maria como medianeira e advogada, sendo que Cristo é nosso advogado junto ao pai e único mediador entre Deus e o homem. Isso é inegável, quem não acreditar pode pesquisar sobre o tal compêndio e vão encontrar este dogma. Ele negam o inegável, que adoram a Maria, basta vermos os seus seguidores, conhecemos uma igreja pelos seus membros e todos os católicos que eu conheço adoram e têm Maria com mediadora, como ensina o bom e velho “Compêndio Vaticano II, pág 109”.

  289. Gladstonier disse:

    A Igreja Catolica Romana ensina que Maria é co-redentora. Isto é, coopera na obra da redenção da humanidade. À Maria é atribuída a função mediadora, isto é, ela também intercede junto a Jesus para que ele interceda junto ao Pai (“Pede à mãe que o Filho atende”).
    O que diz a Bíblia:
    (a) – Maria é pecadora e precisa da salvação operada por Jesus na cruz. Rm. 3:23
    (b)- Maria reconhece a necessidade de sua salvação – Lc. 1:47
    (c)- Maria é salva pelo sangue de Cristo – Gl. 3:11
    Qual deve ser nossa atitude diante de Maria?
    Antes de tudo respeitosa (ela concebeu e gerou o Salvador do mundo); ela foi uma mulher piedosa aos olhos de Deus. Lc. 1:30. Nunca devemos, porém, rezar ou buscar mediação de Maria porque só existe um mediador entre Deus e os homens. At. 4:12; I Tm.2:5. Também não devemos nos curvar diante de nenhuma imagem. Ex.20:4-5.
    Os membros da ICAR adoram a Maria, se curvam diante de imagens, o que é proibido por Deus, carregam imagens pelas ruas em prossições, fazem obras para redenção de pecados.
    Como posso provar que os católicos precisam de penitência para perdão de pecados?
    Fácil, no site auxiliadora.org.br aqui está o link
    Veja como seus pecados serão perdoados segundo o catolicismo:
    1. exame de consciência;
    2. ter arrependimento (atrição ou contrição);
    3. propósito de não recair no pecado e de evitar as circunstâncias que o favoreçam;
    4. confessar-se sem omitir nada;
    5. cumprir a penitência estabelecida pelo confessor (não basta pedir perdão a Deus, é necessário um confessor) A bíblia nos recomenda confessarmos os nossos pecados uns aos outros, mas não diz que tem que ser a um padre.
    Então quer dizer que o sangue de Jesus derramado para nos purificar dos nossos pecados não é suficiente para nos lavar? É preciso algo a mais para contribuir com a purificação, ou seja penitências?
    Onde fica a morte de Jesus? Onde fica o seu sangue?
    No antigo testamento eram necessários sacrificios para purificação de pecados, mas isso foi antes da morte de Cristo, após Cristo ter morrido e derramado seu sangue para nos purificar não é necessário mais sacrifícios ou penitências, só o sangue do Cordeiro de Deus basta.
    Graça e paz!!!

  290. Gladstonier disse:

    Jesus perdoou os pecados de um paralítico em Carfanaum se exigir dele qualquer penitência:
    Marcos 2:5 Vendo-lhes a fé, Jesus disse ao paralítico: Filho, os teus pecados estão perdoados.
    Para ter perdão basta ter fé naquele que justifica os ímpios.
    E o padre não pode perdoar os pecados de ninguém apenas Jesus, que é o Deus filho e o próprio Deus pai, e é claro que o Espírito Santo convence o pecador de seu estado pecaminoso.

    Marcos 2:7 Por que fala ele deste modo? Isto é blasfêmia! Quem pode perdoar pecados, senão um, que é Deus?

    Irmão Diego, reflita sobre tudo o que escrevi, mas procure refletir sem esta venda que foi posta em seus olhos desde o nascimento. Olhe atentamente o que os dogmas da ICAR falam sobre Maria, junte com seus conhecimentos bíblicos e observe as atitudes de todos os membros da sua igreja, pois pelo que você falou, você não faz as mesmas coisas que eles. Lutero percebeu os erros da ICAR mas não queria um desligamento total, queria uma reforma na igreja. Mas devido as atitudes dos membros, que você mesmo afirmou que não é correta, e que você disse não ter as mesmas atitudes, é impossível haver esta reforma e retornar a igreja primitiva.
    Graça e paz!!!

  291. Gladstonier disse:

    Quanto a você dizer que eu quero colocar Maria acima de Deus, isso é o que você me acusa de fazer o tempo todo, calúnia.
    Cuidado irmão, acho que você conhece Rm 2.1: “Portanto, és indesculpável, ó homem, quando julgas, quem quer que sejas; porque, no que julgas a outro, a ti mesmo te condenas; pois praticas as próprias coisas que condenas.”
    ou na versão católica: “Assim, és inescusável, ó homem, quem quer que sejas, que te arvoras em juiz. Naquilo que julgas a outrem, a ti mesmo te condenas; pois tu, que julgas, fazes as mesmas coisas que eles.”
    Graça e paz!!!

  292. Gladstonier disse:

    Caro diego, estive olhando o seu blog, mas que presbiteriano desinformado o tal do Paulo, hein, que vergonha para o pastor que lecionou para ele no curso de catecumenos, curso exigido para a profissão de fé. Todas as questões levantadas pelo Dante são facilmente refutadas.
    Graça e paz!!!

  293. Gladstonier disse:

    Os católicos se contradizem:
    No site canção nova encontrei a seguinte frase: “Adorar: somente a Deus. Prestar culto: somente a Deus.”
    Isso seria aplausível, não fosse outro site católico o vatican.va onde encontramos:
    “EXORTAÇÃO APOSTÓLICA
    «SIGNUM MAGNUM»
    DE SUA SANTIDADE
    PAPA PAULO VI
    CONSAGRADA AO CULTO
    DA VIRGEM MARIA,
    MÃE DA IGREJA
    E MODELO DE TODAS AS VIRTUDES”

    Quem está certo? Prestar culto é o mesmo que adorar.
    Eles criaram três tipos de culto:
    culto de dulia o que é prestado aos santos;
    culto de hiperdulia o que é prestado à Virgem Maria;
    culto de latria o que é prestado a Deus

    Mas o que a bíblia diz?
    Mateus 4:10 Então disse-lhe Jesus: Vai-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás (então não devemos servir a Maria). Existe um site chamado servos da rainha.
    Isso não foi calunia irmã o diego, pois citei as fontes.
    Graça e paz!!!

  294. diego disse:

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!!!!!!!!!!!
    sua mente é muito restrita meu amigo gladstonier…

    vou colocar mais uma vez o que diz o catecismo da igreja catolica, pare e preste atenção, por que ja coloquei varias vezes e você inciste em querer colocar maria acima de Deus, então preste atenção leiaaaaa beeemmmmm de vagaaaaaaarrrrrrrrrrrr para ennnnteeeennnnndddddddddeeeeeeeeerrrrrr taaaaaaaaaaaaaa!!!!!!!!

    VAMOS VER O QUE DIZ O CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA (Livro que ensina sobre a fé católica), VEJA:

    VENERAÇÃO E NÃO ADORAÇÃO

    971 “Toda as gerações me chamarão de Bem-Aventurada” (Lc 1, 48). A piedade da igreja com a Virgem Maria é intríseca ao culto cristão.A Virgem Maria é legitimamente honrada com culto de veneração (culto de homenagem, adoração só para Deus) pela Igreja. Com efeito, desde remotíssimos tempos, a bem-aventurada Virgem é venerada sob título de ” Mãe de Deus”, sob cuja proteção aos fiéis suplicantes(pedem intercessão, isto é, pedem pela providência Divina, não pela graça, porque Maria não santifica nada, só Deus que santifica (1tm 1, 1-4))… esse culto de homenagem… embora inteiramente singular, difere essencialmente do CULTO DE ADORAÇÃO que se presta ao Verbo Encarnado e igualmente ao Pai e ao Espírito Santo, mas o favorece, este culto encontra sua expressão nas festas litúrgicas dedicadas à Mãe de Deus e na oração mariana, tal como o Santo Rosário, ” resumo de todo Evangelho”.

    PORTANTO, PESSOAS QUE ADORAM:

    MARIA, DINHEIRO, PASTOR, PE.CÍCERO E OUTROS NÃO SÃO CRISTÃOS!!!!!

  295. diego disse:

    você disse que não esta colocando maria acima de Deus, então pare de brasfemar!
    nem maria nem ninguem esta acima de Deus, isso é o que diz o catecismo da igreja católica, e a fé católica, e ponto final, então não tente induzir o povo ao erro dizendo que nós católicos coloca maria acima de Deus pois como ja é provado maria e ninguem é superior a Deus, e se você esta colocando essas brasfemias contra a igreja de cristo, simplesmente pare, pois será mais bonito de sua parte parar de colocar doutrina onde não existe!!!!

    e referente a julgar não estou te julgando, estou rebatendo as suas calunias, pois desde o começo que começamos a debater aqui, você insiste em falar que nós católicos “adoramos” os “santos”, nós católicos consagra maria como superior a Deus, então quem esta julgando na verdade é você, por que eu ja te falei varias vezes que nada disso que você esta colocando contra a igreja de cristo é verdade, são tudo brasfemias e ti mostrei varias vezes respostas e você não quer ver, e prefere ficar “julgando”……

    então gladstonier quem está julgando na verdade?

    eu ou você?

    eu apenas sigo a igreja de cristo e você apenas “julga” a igreja de cristo!

    agora depende de você se vai continuar à julgar ou a ver o que esta em sua frente!

  296. diego disse:

    e você colocou acima que todos católicos que você conhece adora maria!

    e eu tenho algo forte para te dizer meu amigo, esses católicos citados por sua pessoa que adoram maria como você disse,eles vão ter que pagar perante ao Deus pai, e todo aquele que acusar, julgar ou seja lá o que for e tentar induzir o povo ao erro dizendo que a igreja de cristo diz que é para adorar maria, esse tambem irá de ter que se prostar perante Deus pai pela brasfemia citada,….

    pois a igreja de cristo esta ai dizendo não adorará ninguém então quem adorar sabes que estará no erro!

  297. diego disse:

    jesus é o único salvador, não adianta tentar colocar outra pessoa no lugar, quem colocar outra pessoa no lugar de cristo é por que não tem conhecimento algum e fica indo pela cabeça dos outros!!!!!!!

    abrem os olhos!!!!!!!!!!!!!!!

  298. diego disse:

    obrigado mais uma vez por ter colocado os cultos da latria e dulia e como eu ja tinha explicado aqui vamos colocar mais uma vez para o irmão gladstonier entender já que ele perdeu essa explicação minha!
    preste atenção o que significa essas palavra meu amigo!

    LATRIA x DULIA

    Uma vez apresentadas as diferenças entre imagem e ídolo, faz-nos necessário situá-los em seu verdadeiro contexto religioso, isto é, demonstrar o respeito que cabe a cada um deles.

    Para isto, precisamos distinguir entre latria e dulia. Antes, porém, gostaria de observar que, oportunamente, pretendo disponibilizar um artigo onde são estudadas mais profundamente as diferenças entre os dois tipos de conceito. Para o momento, entretanto, basta mencionar a diferença básica.

    # Latria: significa adoração e é o culto devido exclusivamente ao verdadeiro e único Deus, nosso Criador e Salvador. Na adoração, reconhecemos Deus como Todo-Poderoso e Senhor do universo.

    # Dulia: significa homenagem, veneração. São dignas de veneração, no campo religioso, os santos e todas as criaturas que, neste mundo, fizeram e fazem a vontade do Pai, por se tornarem nossos modelos de fé e caridade.

    Uma visão clara sobre o assunto pode ser retirada de um antigo manual de religião publicado em 1858 em Portugal:

    “Cumpre venerar (=dulia) todos os Sanctos que estão no céo, como a servos e amigos de Deus; porem invocando-os e venerando-os (=dulia), não os adoramos (=latria), e fazemos sempre grande differença entre Deus e as creaturas. Rogando aos Sanctos não os olhamos nem consideramos senão como nossos intercessores para com Jesu-Christo, que é o Medianeiro que nos remio com seu sangue, e por quem podemos sêr ouvidos e alcançar a salvação” (Manual Portuguez, ed. d’Aguiar Vianna, Lisboa, Portugal, 1858, pág. 17).

    Tal texto é muito interessante porque explica em poucas linhas, mas com grandes detalhes a diferença básica entre adoração/latria e veneração/dulia: a primeira é destinada ao Criador, a segunda – bem inferior à primeira – às criaturas servas e amigas de Deus. Adoramos a Deus porque Ele é todo-poderoso e nosso Salvador; veneramos os santos – representados nas imagens – porque seus exemplos de vida nos apontam para o verdadeiro caminho: Jesus Cristo (cf. Jo 14,6), único Mediador e Redentor da humanidade.

    Assim, se passarmos a adorar uma criatura (seja ela criatura de Deus ou criatura do próprio homem) estaremos cometendo o pecado da idolatria, severamente punido por Deus. Um bom exemplo disto são as pessoas que atribuem todo poder ao dinheiro, acreditando que ele pode com tudo neste mundo: um caso não muito raro de idolatria nos dias de hoje!

    entendestes gladstonier mais uma vez colocadas para ti desde a origem!!!!!!!!
    leia de vagar gladstonier para entender…………

  299. Gladstonier disse:

    OK! Então o Compêndio Vaticano II foi revogado? Mas onde entra a infalibilidade papal? O papa errou ao colocar ou autorizar a inserção de um dogma que chama Maria de mediadora? E quando ao padre perdoar pecados? E quanto às penitências para pagar os pecados? O ladrão na cruz apenas aceitou Jesus e foi para o reino dos céus sem pagar nenhuma penitência no “imaginário” purgatório!
    São perguntas interessantes, não acha?
    Graça e paz!!!

  300. Gladstonier disse:

    Engraçado, o Diego não gosta muito de falar nas objeções à infalibilidade papal apontadas por le, estou aguardando a sua resposta à minha objeção e a do le.
    Graça e paz!!!

  301. diego disse:

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    vocês e as mesmas perguntas sem fundamentos, já vi que com vocês não adianta impor a verdade, pois estão cegos diante dos aborradores dos pastores que vocês seguem.
    Deus me enviou para mostrar os erros que os seus pastores impuseram diante da igreja de cristo, mais sua alma esta mais interessada nos bens materiais, e no futuro de seus bolsos, cabe a mim me calar, e deixar você escolher qual caminho que queres seguir!
    só te digo uma coisa meu amigo, esquece todas essas maldades e mentiras que usam para enganar-te a ti e ao monte de pessoas que são leigas de almas, siga Deus afinco e lembrece, que quando alguem tenta atingir a igreja de cristo como muitos pastores fazem, o minimo de interesse desses falsos profetas, não é mostrar a verdade mais sim chamar os leigos para os seus montante de riquezas que os envolvem.
    aqui me despeço deixando o espaço para quem quiser falar mais de Deus!

  302. Gladstonier disse:

    E assim termina a discussão, Diego se recusou a falar das objeções a respeito da fals