Polícia religiosa da Arábia Saudita prende jovens por oferecerem “abraços grátis” nas ruas do país

4

Dois jovens foram presos recentemente pela polícia religiosa da Arábia Saudita acusados de “incentivar práticas exóticas” e ofender a ordem pública. O motivo da prisão foi que os acusados estavam oferecendo “abraços grátis” nas ruas do país, reproduzindo um costume comum entre evangélicos durante campanhas de evangelização.

Abdulrahman al-Khayyal, de 21 anos, e um amigo foram presos quando andavam pelas ruas de Raid, a Capital da Arábia Saudita, segurando um cartaz com os dizeres “Free Hug” (Abraço Grátis). A polícia religiosa, que realizou a prisão dos jovens, é um órgão que integra a Comissão para a Promoção da Virtude e Prevenção de Vicio, e tem como responsabilidade assegurar o cumprimento da sharia (lei islâmica) no país.

De acordo com os jovens presos, sua intenção com os “abraços grátis” era de levar a alegria às pessoas. Eles revelaram ainda, segundo o jornal britânico Independent, terem sido inspirados por um vídeo publicado no Youtube pelo jovem saudita Bandr al-Swed, no qual ele aparece oferecendo abraços a estranhos na rua.

– Após ver a ‘Campanha de Abraços Grátis’ em muitos países diferentes, decidi fazer isso em meu próprio país. Gostei da ideia e pensei que ela poderia levar felicidade à Arábia Saudita – explicou Swed à TV al-Arabiya, sobre o vídeo publicado por ele.


Os jovens que foram presos por promoveram a campanha incentivados por Swed foram libertados após assinar um documento prometendo que não voltariam a oferecer abraços na rua.

Assista ao vídeo de Bandr al-Swed:

Assine o Canal

Por Dan Martins, para o Gospel+

4 COMENTÁRIOS

  1. E uai o Chiquinho ultimamente anda gostando de dar uns abraços em gente com problemas, bem que o Chiquinho poderia ir la andar nas ruas abraçando um bocado daquelas gentes sofridas, principalmente os pobres que são ate hoje tratados como servos escravos dos ricos, sair do castelo e ir para as ruas mas ruas que precisam de abraços fraternos e olha que não são poucas, pois assim já fazem os crentes a anos e anos levando a palavra de conforto, ops pra que qui eu fui tocar no assunto daqui a pouco vem um pessoal ai e vao me escumungar martelar xingar marretar e dizer que eu sou um soberbo e pecador por sugerir tal coisa, deixa eu sair de fininho de fininho nada eu vou e correr memo sacumene corre tour corre que la vem paulada cururuis credo

  2. É um povo não acostumado com afeição.

    Seja decorrente de costumes medievais seja por questões religiosas.

    Importa que o país reveja essa iniciativa, depois permita os abraços, afinal não são fundamentalistas religiosos que costumam se suicidar com explosivos, são da paz.

  3. Enquanto isso no brasil homem barbado pode andar de mãos dadas em abraços calorosos e ate entre tapas e beijos tranquilos, assim também os ateus e agnósticos tem toda a liberdade liberdade esta tao tranquila que podem ate descer a lenha sem do nos pobres dos crentes que somente quer o bem deles, há tem também os catulicos que nos maltratam nos chamam de crentalhas filhos de Lutero isto com toda a liberdade, vao la maltratam um muçulmano falem mal de Abulgasim Mohammad ibn Abdullah ibn Abd al-Muttalib ibn Hashin falem mal dele diz ao menos que ele e feio pra vocês ver o que e bom pra tosse, aqui os caras tem coragem de xingar o Rei dos reis e Senhor dos senhores a saber Jesus Cristo, vao la e falem mal do Abulgasim pra vocês ver com quantos paus se faz uma canoa furada

DEIXE UMA RESPOSTA