Pastor é demitido após convidar crianças negras para evento; Igreja nega racismo

1

Um caso de racismo foi denunciado por um pastor evangélico que foi afastado de suas funções à frente da igreja que dirigia após convidar crianças negras para participarem da Escola Bíblica de Férias.

O caso foi registrado na Mt. Sterling Baptist Church, no estado de Alabama (EUA), quando o pastor Jonathan Greer resolveu tornar público os motivos de sua demissão da denominação. Em uma entrevista à emissora WTOK, ele afirmou que uma comissão formada por 31 membros votou unanimemente por sua remoção do cargo.

A iniciativa da direção da igreja aconteceu depois que o pastor convidou crianças negras para participarem da Escola Bíblica de Férias. Um diácono chegou a alertá-lo para o fato de que ele não poderia convidar pessoas negras para participarem das atividades.

“Houve um questionamento sobre os tipos de crianças que nós estávamos trazendo, e me pediram para não convidar crianças negras para a Escola Bíblica de Férias”, afirmou o pastor à emissora.


O diácono em questão, chamado Freddie Moore, nega que demissão tenha acontecido por sua iniciativa de convidar crianças negras, e afirma que ele foi removido do cargo porque não visitava todos os membros da igreja, apenas alguns. Moore afirmou ainda que todas as pessoas são bem-vindas na igreja, independentemente de raça.

Todavia, o pastor Greer afirmou que no início foi levado a acreditar nisso também, mas posteriormente, quando fazia a integração com os princípios daquela congregação, foi orientado sobre como tratar os negros. “Eles disseram que se alguém estivesse passando pela igreja e resolvesse entrar, eles não poderiam impedir, mas eles me disseram especificamente para não convidar pessoas negras. Tentei dizer a eles que isso não era consistente com o cristianismo”, pontuou.

Os diáconos que comandaram a demissão do pastor deixaram claro que gostariam que os motivos fossem mantidos em silêncio, porém, Greer os contrariou e falou sobre racismo em seu último sermão. “Eu queria que a igreja soubesse que isso não é consistente com o Evangelho. Isso não é consistente com a palavra de Deus, que nos pede para honrar e dar dignidade a todas as pessoas. Isso é o que a Bíblia nos ensina, todas as pessoas são dignas e necessitam do Evangelho. O racismo nega isso para uma certa quantidade de pessoas”, frisou.

Por fim, em sua entrevista, o pastor Greer afirmou estar ciente de que nem todos os membros da Mt. Sterling Baptist Church compartilham do mesmo pensamento dos diáconos a respeito das questões raciais.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA