Revista Época faz reportagem especial sobre “o poder do voto evangélico”

13

A crescente presença dos evangélicos no cenário político brasileiro tem pautado várias discussões nas campanhas eleitorais desse ano. O tema foi assunto de uma reportagem especial publicada pela edição dessa semana da Revista Época, que comparou a presença das questões morais e de cunho religioso nas campanhas dos candidatos dessa eleição com o que ocorre nos Estados Unidos.

Um dos temas centrais da matéria foi o suposto recuo de Marina Silva em seu programa de governo em assuntos como casamento gay. O texto afirma que a candidata do PSB voltou atrás em suas afirmações sobre o tema após pressão feita pelo pastor Silas Malafaia.

– Um dia depois de lançar seu programa de governo, a candidata Marina Silva (PSB), hoje favorita a conquistar o Palácio do Planalto, depois de pressionada nas redes sociais pelo pastor Silas Malafaia, um dos líderes da Assembleia de Deus, voltou atrás numa série de compromissos – afirma a matéria.

O “recuo” de Marina Silva, segundo destaca a reportagem, gerou aplausos por parte de líderes evangélicos. Malafaia elogiou a atitude da candidata afirmando que “ela teve coerência”, e o pastor e deputado Marco Feliciano disse que “no momento em que Marina teve de se decidir de fato, ela se colocou como uma cristã de verdade”.


– O recuo de Marina choca os marineiros “sonháticos”, mas, de um ponto de vista estritamente eleitoral, faz sentido. Embora conserve o título de país com o maior número de católicos do mundo, o Brasil avança com rapidez para se tornar uma nação mais evangélica. Em dez anos, os evangélicos passaram de 15,4% da população para 22,2%, um total de 42,3 milhões. Com 22% do eleitorado, somam hoje quase 27 milhões de votos – destaca a matéria.

Segundo destaca a revista, apesar de nunca ter feito parte da bancada evangélica e de sempre ter defendido valores laicos, ela tem apoio da maioria dos evangélicos, com intenção de voto de 43% desse eleitorado, contra 32% de Dilma Rousseff.

– De forma geral, os candidatos evangélicos se opõem (com diferentes nuances de tolerância) ao casamento gay, a mudanças na lei da interrupção da gravidez e à liberação das drogas. A pesquisa do Ibope mostrou que a maior parte dos brasileiros, independentemente de religião, pensa como os evangélicos: 79% são contra o aborto; 79%, contra a liberação da maconha; e 53%, contra o casamento gay – ressalta a revista.

Tentando responder sobre a real existência de um “poder do eleitorado evangélico”, a revista Época destaca a criação de um “Comitê Evangélico” na aliança partidária que apoia a eleição da presidente Dilma. A missão do comitê é montar uma agenda de encontros da Presidente com os principais pastores e líderes evangélicos do País até o dia das eleições.

– A questão que se busca responder é: existe de fato um poder do eleitorado evangélico através de seu voto que seja fator decisivo nas eleições de candidatos estaduais, federais e também em âmbito nacional? Alguns pesquisadores acreditam na existência deste chamado ‘voto evangélico’, outros, se recusam a afirmar com veemência. Verdade ou não, algo é fato: tal pensamento tem ganhado força e alcance na sociedade resultando na formação de um senso comum baseado nesta premissa. Isto tem impulsionado os candidatos, a cada eleição, a concentrarem atenção específica a esta parcela do eleitorado brasileiro – destaca o texto.

Foi destacado também, como fator que corrobora para o suposto poder do voto evangélico, a influência que as lideranças religiosas têm em boa parte da população brasileira, e como essa influência se mostra especialmente forte entre os evangélicos.

– Os evangélicos, no decorrer das últimas legislaturas da Câmara dos Deputados e do Senado Federal e em outros órgãos, demonstraram grande adaptabilidade e influência para com os seus eleitores, em especial os fiéis das denominações religiosas das quais estes políticos fazem parte – destaca.


13 COMENTÁRIOS

  1. As vezes desconfio muito dos meios de comunicação por as vezes querer passar a imagem dos cristãos de intolerantes. Em relação a casamento gay como cristã não sou a favor, porém havendo papel ou não, eles se abrasam,pecam, enfim eles escolhem é o livre arbitrio! Só não concordo como cidadã que leis favorecem esta classe so pelo fato de transarem ou não com homem ou mulher, e firam a liberdade de opnião, exemplo quando queriam inserir o absurdo da Pcl 122.Espero que Deus abra o discernimento,obedecer a Deus é uma escolha de sacrificios mas tambem a certeza de vencer , vai quem quer…

      • Como cristã relaciono Blíblia ao social,indepedentemente das ciências sociais ou qualquer ciência não chegue a concorda, isso para mim é opnião. Isso é liberdade religiosa. Então estude você querido.

          • kkkkkkk’ Amanda, saiba que o Estado é para atender à sociedade como um todo, não em parte, como tu – por meio da ‘bíblia’- sugere. Seja mais cidadã e menos religiosa. O Brasil, não sei se tu sabes, é regido por algo denominado CONSTITUIÇÃO FEDERAL. Hello! Nosso país não é Igreja para ter ‘bíblia’ como regra de conduta. Aff’z!

            Abraços!

  2. 32% dos evangélicos apoiam a dilma. E porque a revista não pesquisou a porcentagem de cristãos que apoiam ela? Evangélico não é sinonimo de cristão, que fique avisado.

  3. Não é só evangélicos que não votarão na Dilma por ela apoiar certas coisas que agridem a s famílias neste pais , tem católicos e pessoas de outras crenças também! votaram em Marina na esperança de que se enterre este desejo de afundar as famílias brasileira na lama do PT socialista,e corrupto!

    • PARABÉNS AQUI A FORÇA VEM DESSE POVO QUE SEUS PASTORES ESTÃO DANDO A CARA A TAPA E NÃO FICA EM CIMA DO MURO UM PAIS Q SE DIZ CATÓLICO SEUS LIDERES MAJORITARIO NÃO MOSTRAM SUA CARA FICAM NA SURDINA CORAGEM E VIM A PULBLICO E DEFENDER AS SUA RAIZES QUE SAUDADES DE PADRE LÉO TINHA QUE TER VARIOS PADRES LÉO

  4. O Brasil so vai ser um país de primeiro mundo quando chegarmos à 80%.enquanto os católicos for maioria, o Brasil continuará país de terceiro mundo,isso por causa da idolatria.

    • Tem gente achando que idolatria é somente adorar imagens. Adorar dinheiro, adorar pastor, usar toalhinhas disso, sal não sei do que, água daquilo, beber água após oração, etc…Também são formas de criar uma adoração. Não entendo o motivo de eu beber um copo de água após uma oração. A oração somente não deveria ser suficiente?
      Agora num tal templo aí, o povo está testemunhando dizendo que olhou para a cruz e foi curado. Estão criando um novo santo? “Santa Cruz”.

  5. Meu voto vai ser do Pr. Everaldo. Não por ele ser pastor. Está longe disso. Mas somente pelo fato dele ser explicitamente contra o aborto e o movimento LGBT (vc entendeu). Prefiro engoliar a privatização da Petrobras no mandato desse pastor, por exemplo, do que ver instituido no Brasil o assassinato de fetos, ou cartilhas gays distribuidas nas escolas. Viva Everaldo. O nome dele é esse mesmo?

    • O quê? Everaldo é de longe uma boa pedida para as eleições 2014. Sua candidatura é sinônimo de um gigantesco caos social ainda maior do que estamos vivendo. A sua nefasta proposta de privatização de empresas brasileiras irá crescer a corrupção e dificultar a fiscalização. Com a privatização, os recursos, mais facilmente, poderão ser desviados para o bolso de minorias. Além do mais, nada vai adiantar o radicalismo do candidato do PSC quanto as questões relacionadas a liberdade individual. Criminalizando de vez o aborto, proibindo a união civil homossexual etc, o Brasil ficar insuportável com tantas discussões e protestos sobre que o mais importante esqueceremos. Se Everaldo defende tanto a família assim como ele diz, porque ele não propõe medidas contra as drogas, a violência doméstica, a industria do cigarro e bebida alcoólica, da pornografia e tantas mazelas que tem destruindo a família brasileira? Everaldo é uma opção somente para os radicais e fundamentalistas de plantão e não para aqueles interessados no futuro estável do Brasil.

  6. Eu fico a pensar, se as pessoas mesmo sem fe crista nao teriam Jesus como maior exemplo de vida e seus ensinamentos.Sera que apesar das fraquezas humanas uma pessoa que coloca sua fe nele nao tem com certeza mais condicoes de absorver seu carater.E finalmente pergunto?Sera que existe algum exemplo melhor do que Jesus para a humanidade?Pensem e analisem se nao vale a pena praticar seu alfabeto O B D C.

DEIXE UMA RESPOSTA