Filme “Últimos Dias no Deserto” mostrará o diabo como um reflexo de Jesus e desperta polêmica

7

O filme “Últimos Dias no Deserto”, ainda sem previsão de estreia, pretende mostrar Jesus e o diabo como a mesma pessoa. O ator escocês Ewan McGregor interpreta os dois personagens e considera que o filme não será polêmico.

Dirigido por Rodrigo García, o filme fala da luta entre “um homem santo e um demônio”, e usa a palavra hebraica Yeshua para se referir a Jesus.

Na história, Jesus passa por uma provação, não relatada na Bíblia Sagrada, durante os 40 dias que esteve no deserto. De acordo com o ator McGregor, o “capítulo imaginado” não causará espanto ou incômodo às pessoas.

“Não há nada que possivelmente possa perturbar as pessoas, para além da própria natureza de imaginar uma história com Jesus, que não existe nas Escrituras. Não há nada de ofensivo. Eu não estou preocupado com isso, porque eu acredito muito no coração do filme que fizemos”, disse à revista Time.


O ator admitiu, porém, que durante a fase de laboratório (termo usado pelos atores para se adaptarem ao papel e conhecerem mais sobre a cultura dos peronsagens) tinha tido a imressão de que o filme era algo assustador.

“Eu pensei: Ok, ele é um homem que está lutando para se comunicar com o pai. Eu me senti realmente pressionado a pensar que eu não estou interpretando Jesus… Eu estou interpretando um homem cujo pai é Deus e ele está tentando falar com Seu pai. É realmente um filme sobre a relação entre pais e filhos”, resumiu.

Quando questionado sobre o diabo e sua influência no filme, o ator deixou escapar que os produtores optaram por fazê-lo surgir como um reflexo do próprio Jesus: “Talvez [o diabo possa ser visto] como um outro lado de Yeshua, uma forma material de sua dúvida”, disse.

“Últimos Dias no Deserto” será exibido a partir do dia 22 de janeiro no Sundance Film Festival, e depois terá sua estreia no circuito comercial anunciada.

7 COMENTÁRIOS

  1. Minha opinião sobre filmes com temática Bíblica, é que deveriam permanecer fieis ao texto Sagrado.
    Há tantos assuntos para serem parafraseados por Hollywood.
    Creio que essa será mais uma “tacada” fracassada em termos de bilheteria, tal qual, Noé.

  2. O diabo, como figura literal, não existe, pois trata-se de uma metáfora para representar o mal.

    Cristãos que creem na existência literal do diabo seguem crença maniqueísta incorporada pelos judeus de outro povo e cultura a que foram expostos e influenciados, sendo este um fato histórico.

    Deus, sendo todo perfeição, amor, sabedoria jamais traria à existência um ser passível de tamanha imperfeição e degeneração até porque, como disse Jesus, uma árvore boa não produz fruto ruim. E antes que venham dizer que o diabo foi um anjo de luz que se corrompeu, como no mito bíblico dos anjos caídos, é de bom alvitre que se lembrem que nada do que é perfeito é passível de corrupção, ou seja, sendo os anjos criados perfeitos, e em ambiente isento de imperfeição (o Céu), jamais poderiam se perder, sendo esta a única conclusão possível aos que usam a lógica e a razão.

    Como disse o saudoso Rev. Nehemias Marien (já regresso à pátria espiritual), “o Espiritismo é o mais caudaloso afluente do Cristianismo”, pois explica a contento a religião, a Bíblia, o Evangelho.

    Lendo as obras de Frank Viola (digitem, no Google, “cristianismo pagão Frank Viola pdf”, bem como “Reconsiderando o Odre Frank Viola.pdf”), pude perceber a fraude espiritual e histórica que as igrejas representam e como distante estão do cristianismo em sua prístina pureza. Quem ler os impressionantes e reveladores livros de Frank Viola, sofrerá um grande abalo, mas um abalo para o bem e que modificará, para sempre, a visão a respeito do cristianismo, principalmente aquele igrejeiro, e nunca mais será enganado pelos adoradores de tradições e vendilhões do Evangelho.

  3. Querido Sandro,
    Mesmo Deus criando sua criaturas perfeitas pode ser que o diabo tenha se voltado contra o seu criador por inveja ou seja ele não queria apenas adorar e sim ser adorado vendo ele que era muita gente adorando apenas uma pessoa pode ter pensado porque ele tbm não.Existe N possibilidades de pensar.

DEIXE UMA RESPOSTA