Walcyr Carrasco diz que Amor à Vida reaproximou mãe evangélica de filho gay

16

O apresentador Fausto Silva recebeu ontem em seu programa parte do elenco da novela Amor à Vida e o autor do folhetim, Walcyr Carrasco.

Durante as conversas sobre o resultado obtido pela novela da TV Globo, Carrasco disse que um depoimento sobre Amor à Vida feito por um homossexual o deixou feliz com o trabalho.

“Eu estou muito feliz com o resultado da novela. Um dia um repórter gay veio falar comigo que a mãe dele, que é evangélica e tinha parado de falar com ele, o procurou para dizer que o aceitava depois de assistir Amor à Vida. Então, isso que importa para mim”, afirmou o escritor.

A novela contou com três personagens gays de destaque, incluindo o vilão, Félix. A imprensa especializada afirma que o autor poderá incluir um inédito beijo gay no último capítulo de Amor à Vida. Questionado sobre isso, Carrasco despistou: “Será o último capítulo de novela mais surpreendente de todos os tempos. As pessoas vão assistir um final de novela jamais visto na TV brasileira”, afirmou.


O ator Malvino Salvador, que interpretou o personagem Bruno na trama, disse estar feliz por ter vivido o papel de um homem com “os valores tradicionais da família brasileira”, e ressaltou que se sentiu satisfeito em representar uma pessoa que é como a maioria das pessoas gosta, “honesto”.

Amor à Vida foi a primeira novela de Walcyr Carrasco no horário das 21h00 e nasceu com a proposta de apresentar uma personagem evangélica mocinha. A princípio, essa personagem seria a periguete Valdirene, vivida por Tatá Werneck. Com o desenrolar da trama, Carrasco mudou de ideia, e “converteu” a personagem Gina (Carolina Kasting), mantendo a promessa de mostrar uma evangélica de maneira não preconceituosa.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+


16 COMENTÁRIOS

  1. não entendo pq essa novela mexeu tanto com os evangélicos… afinal evangelicos nao perdem tempo com novela ? e pq comentam sobre as mazelas que acontecem nela ?

    se evangélicos nao assistissem novelas jamais o autor colocaria uma personagem evangelica.

  2. TEMOS AQUI MAIS UMA DA REDE GLOBO DE TELEVISÃO, PEGARAM UM REPORTER QUE TINHA UMA MÃE, EVANGÉLICA DA IGREJA DO STARDUST A INCLUSIVA, E SE RECONCILIOU, ORA SE CRISTÃO VAI VER NOVELA DA GLOBO, OU DA RECORD, CRENTE SÓ NO NOME

    • Se eles pararem para raciocinar um pouco (o que é difícil para eles), eles verão que houve incesto no paraíso. Com que os filhos de Adão e Eva tiveram filhos? Com a mãe. Ou seria com a cobra?

    • Acho que foram tão zoados que desistiram. Igual aquele “apologeta” americano Ray Comfort com seu “argumento da banana” para defender o criacionismo. Foi tão zoado que agora fala que “aquele argumento da banana era só uma brincadeira”. Sei.

    • Eu odeio essa raça. Não evangélicos em geral, mas esse tipo de evangélico. Na verdade já vi evangélico falando que faria o mesmo: expulsaria de casa. E ainda exigem respeito… Tá de brincadeira, né?

  3. Cristão que é cristão não odeia homossexuais e nem a qualquer outro pecador. Deus ama a todos os seus filhos, mas Deus não ama o pecado. No Antigo Testamento Deus afirmou através dos profetas que a relação sexual entre machos é abominação ( hebraico toevah) para ele ( Leia Levítico 18:22; Levítico 20:13) em o Novo Testamento o Espírito Santo afirmou em Romanos 1:27 que macho que tem relação com macho é ato vergonhoso e em 1 Coríntios 6:9 fala que o efeminado ( homossexual passivo) e o sodomita ( ativo) não entrarão no Reino dos Céus. É Deus que falou, não foram os crentes que falaram! Deus falou tá falado. Somos livres para sermos o que quisermos, mas não se pode é dizer que Deus aceita isso.

DEIXE UMA RESPOSTA