Home » Brasil, Destaque, Sociedade

Maioria dos brasileiros é contra o casamento gay e considera a igreja a instituição mais confiável, revela pesquisa

Avatar de Dan Martins Por Dan Martins em 11 de junho de 2013
Tags: , , ,

Notícias Gospel em seu email

Receba Notícias Gospel em seu email gratuitamente! Insira seu email:

Gospel+ no Twitter!

ou no facebook

Maioria dos brasileiros é contra o casamento gay e considera a igreja a instituição mais confiável, revela pesquisa

Uma pesquisa realizada com o objetivo de quantificar a opinião dos brasileiros diante de temas sociais e comportamentais que se encontram em discussão atualmente revelou que a maioria da população do país é contra o casamento gay. A pesquisa apontou ainda que a igreja é considerada a instituição mais confiável pela maioria da população do país.

Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

O estudo foi realizado pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT) em parceria com a MDA Pesquisas, e mostrou que quase metade dos entrevistados (49,7%) se diz contra a união civil entre pessoas do mesmo sexo, em face a 38,9% que dizem ser favoráveis e 11,4% não souberam opinar ou não responderam.

Em relação ao casamento gay (e não apenas união civil), a rejeição entre a população é ainda maior, com 54,2% dos entrevistados se dizendo contrários. Nesse cenário, o número de favoráveis se reduz para 37,5% e o percentual de pessoas sem opinião formada a respeito cai para 8,3%.

Outro questionamento levantado aos entrevistados foi sua confiança nas principais instituições do país. Diante desse questionamento, a igreja foi considerada a instituição mais confiável entre os entrevistados (37,5%), seguida da Polícia Federal (13,8%) e do Supremo Tribunal Federal (8,2%). Já as instituições ligadas à política detêm os menores índices de confiança: o Senado tem a confiança de 0,7% dos entrevistados enquanto a Câmara dos Deputados possui 0,6%.

Segundo informações do Terra, a pesquisa CNT/MDA fez entrevistas com 2.010 pessoas entre os dias 1º e 5 de junho em 20 unidades da Federação, e a margem de erro é de 2,2 pontos percentuais.

Por Dan Martins, para o Gospel+



PS.: Comentários via Google+ estão logo abaixo desabilitados no momento.


Comentários via Facebook

38 comentaram, comente você também!

  1. Meu Deus Do Céu, essas pessoas são mesmo muito imbecis …. esse bando de animais se dizem dignos de julgar alguém antes de se olhar no espelho, antes que comecem a me alfinetar vou dizer que a opção de ser gay só é mais uma linda forma de amar, se vocês são contra o amor então é melhor morar em outro planeta, pq quem é que não gosta de amar e ser amado? a questão é: Os mais sensatos respeitarão, e só os fortes Aceitarão.

  2. sou totalmente contra ao casamento gay mais respeito .cada um escolhe a opcão q quizer mais se fosse certo era aceito pela população

  3. Rogério Menezes, sua natureza pode ser adoradora de Deus por meio da Bíblia, fonte de violência e preconceito. Já a minha natureza é adoradora da própria natureza, que não creio que tenha sido criada por Deus. Veja que paradoxo, não creio na teoria da CRIAÇÃO, mas, ecologista que sou, defendo as CRIATURAS (natureza), atribuição que caberia aos que se dizem CRENTES. Pelo contrário, estes não medem esforços para destruir o que seu DEUS criou.
    A maioria dos evangélicos que conheço é deprimida e insegura, sim. Por isso, não podem vacilar para não cair nas “tentações do Diabo”, que só existe na mente dos fanáticos e serve de suporte para multiplicar sua fé por meio do terrorismo psicológico.
    Aquilo que você qualifica como provocação não corresponde a um milésimo daquilo que vocês promovem contra as pessoas que pensam diferente de vocês. São verdades que incomodam.
    Vou te contar o que realmente me deixa angustiado: é ter que conviver com a hipocrisia daqueles que se dizem crentes. Isso se deve à minha retidão de caráter.
    Os crentes fanáticos não se contentam em ter sua fé. Pelo contrário, não medem esforços para atacar quem não adota seus princípios. Isso, sim, me aflige, e não precisa ter traumas de infância, ter sofrido alguma frustração ou perdido o norte para adotar esta postura. Basta ter caráter. Aliás, meu norte é exatamente este: combater o fanatismo religioso, uma vez que o Brasil é e deverá permanecer um país laico.
    Quanto à adoração ao Diabo por meio de acendimento de velas, isso nunca vai acontecer, porque não creio na existência dele.

    • Rogério Menezes disse:

      Roque então me desculpe dizer meu amigo, mais sua luta então vai contra não somente os evangélicos mais também todo tipo de religião que crer na existência de um Deus. Agora fica mais claro sua concepção a respeito do que você defende como verdade. O fato de você não crer na teoria da criação diz tudo sobre o que pensa e deixa de pensar sobre aqueles que creem.
      Mas deixa eu aliviar seu coração pois não é somente você que luta para combater ao fanatismo religioso, a igreja também faz isso! Até porque a própria Bíblia diz ” Ec 7:16 a 20. 16 Não sejas demasiadamente justo, nem demasiadamente sábio; por que te destruirias a ti mesmo.”
      Ou seja, isso realmente você esta certo muitas pessoas erram por serem e se sentirem acima dos demais. Mais lamento informar, que como você defende sua teoria naturalista e criada por você mesmo solitariamente para manter-lo em pé, mais da metade da população mundial defende a igreja de Jesus Cristo que já libertou milhões de pessoas, das suas próprias mentes cauterizadas e aprisionadas.
      Então fica a pergunta: Será que mais da metade do planeta está errada nas suas convecções e credo que já veem há centenas de anos e você com um pensamento isolado está certo?
      Faça uma pesquisa sobre o assunto e comprove isso!
      E como você mesmo falou que o estado é laico e cada um pensa o que achar melhor então é impossível ambos se convencerem das teorias aqui expostas. E mais, a forma usada para se conseguir alguma coisa não por força e nem por pressão e sim com oração! Então eu oro a Deus para te libertar dessa prisão, desse carcere que você vive para que enxergue e reconheça quem te criou!

  4. Acho engraçado essas pessoas que negam a existência de Deus, agora quando tudo está bem, quando elas estão na vida de orgias e fazendo somente aquilo que lhe satisfaz, sendo assim é conveniente negar a existência de Deus, pois existindo Deus um dia vão ter que prestar contas com Ele, mas quando estão em fases terminais em sofrimentos profundos, clamam por Deus pois sentem na sua alma a dor da ausência Dele e já vi inúmeros nesse momento clamando por Ele, podem ter todo tipo de instrução intelectual, mas a dor da morte na alma do homem sem Deus é algo que está acima de qualquer posição social ou intelectual e disso nem ser humano pode escapar.

    • Pra variar, mais um crente preconceituosa. Quem lhe disse que as pessoas que negam a existência de Deus vivem uma vida de orgias? Aliás, a maioria das pessoas que vivem nessa condição, declaram que acreditam em Deus. Os praticantes dos piores crimes também creem em Deus. As igrejas estão lotadas desse tipo de gente.

  5. não compactuar não aceitar não concordar com a união de duas pessoas do mesmo sexo–e o que mesmo –e praticar a tal da homofobia–e ser racista –não concordar não compactuar não aceitar ver dois guarda roupa se atracar e se beijar no meio da multidão –e praticar a tal da homofobia -e ser racista –não concordar não compactuar não aceitar -que os homens e mulheres de bem -pais de família vejao estas abominação e praticar a tal da homofobia e ser racista e ser preconceituoso —então eu sinto muito porque eu vou ficar do lado da verdade porque DEUS EM SUA SANTA E GLORIOSA PALAVRA PROIBE E ABOMINA TAIS PRATICAS E EU FICO DO LADO DE DEUS–então eu assumo sou racista sou preconceituoso e pratico a tal da homofobia –porque não concordo não aceito nem tao pouco vou me compactuar com tais praticas-e eu quero ver quem vai me contestar eu tenho do meu lado o soberano arbítrio e o meu arbítrio me fala para ficar com a santa e gloriosa palavra de deus —-E PRONTO DOA A QUE DOER

  6. Vamos estudar povo, quem sabe vocês entendam o que é democracia.
    O DIREITO DAS MINORIAS
    Hugo Nigro Mazzilli1
    Já nos acostumamos a ouvir que democracia é governo da maioria. Mas é mais
    que isso. Democracia não é apenas o governo da maioria, e sim da maioria do povo.
    Isso significa que democracia não é o governo da maioria das elites, nem da maioria
    das corporações, nem da maioria dos grupos econômicos, nem mesmo da maioria de
    alguns grupos políticos, que, muitas vezes, são aqueles que efetivamente fazem a lei
    mas nem sempre defendem os interesses da população.
    A democracia legítima não é despótica, pois mesmo a maioria não pode escravizar
    a minoria. A propósito, cabe lembrar o dito que, com humor, assim define democracia
    direta: três lobos e uma ovelha votam em quem vai ser o jantar; e democracia
    representativa: as ovelhas elegem quais serão os lobos que vão escolher quem
    será o jantar (…)2.
    A democracia moderna é mais do que apenas uma vontade majoritária. É o
    governo que se faz de acordo com a vontade da maioria do povo, colhida de maneira
    direta (plebiscito, eleições) ou de maneira indireta (pelo sistema representativo), mas
    desde que respeitados os direitos da minoria.
    Além disso, uma democracia representativa só funciona adequadamente se
    houver um sistema efetivo de partidos, com programas de governo – para que a vontade
    dos eleitores não seja burlada pelos eleitos que queiram trair os compromissos e
    programas partidários que foram usados para captar os votos dos eleitores. Por isso,
    faz parte da democracia o pluripartidarismo3, sim, mas também a necessidade de fidelidade
    aos compromissos e programas de partido. Daí por que deveriam ser mais efetivamente
    usados o referendo e o plebiscito para as grandes questões nacionais, sem
    prejuízo de instituir-se a possibilidade efetiva de revogação do mandato dos eleitos
    (recall).
    Não seria democrático que nem mesmo a maioria do povo proibisse a existência
    de religiões e cultos, distinguisse etnias, culturas ou tendências políticas, ou vedasse
    comportamentos por nenhum outro fundamento senão a discriminação da maio-
    1 Procurador de Justiça aposentado, Advogado, Professor no Complexo Jurídico Damásio de Jesus e na
    Escola Superior do Ministério Público, Consultor Jurídico e autor de diversos livros.
    2 “Democracy must be something more than two wolves and a sheep voting on what to have for dinner.”
    In: BOVARD, James. Lost rights: the destruction of American liberty. Nova York: St. Martin’s
    Press, 1994.
    3 Com o conseqüente direito de oposição. Cf., a propósito, CANOTILHO, J. J. Gomes. Direito Constitucional.
    5. ed. Coimbra: Livraria Almedina, 1991. p. 459.
    2
    ria contra a minoria. Não fosse assim, estaríamos diante não de uma democracia, e
    sim diante do despotismo.
    Entre os direitos básicos das minorias, está o de poderem existir, o de poderem
    dissentir e exprimir sua dissensão, o de verem-se representadas nas decisões que interessem
    a toda a sociedade, o direito de fiscalizarem de maneira efetiva a maioria, e o
    de, eventualmente, um dia tornarem-se maioria. Enfim, têm o direito de não se verem
    discriminadas. É aqui proveitoso recorrer à doutrina invocada por Ricardo Tadeu
    Marques da Fonseca, segundo a qual “protegem-se situações pessoais notoriamente
    marcadas, concernentes à origem, à raça, ao gênero, e a outros, e protegem-se, outrossim,
    escolhas ou condutas pessoais estigmatizadas, como religião, orientação sexual e
    outras”.4
    O combate à discriminação é, porém, uma via de dois sentidos: da mesma maneira
    que não se admite a discriminação da maioria contra a minoria, também o contrário
    é verdadeiro. Assim, por exemplo, tanto é reprovável a xenofobia, quanto o
    auto-enquistamento do estrangeiro que não queira realmente se integrar à sociedade
    em que vive; tanto é reprovável o racismo da maioria de uma população contra a minoria,
    como o racismo do grupo minoritário em relação aos demais. Tanto num caso
    como noutro, há discriminação social implícita e estigmatizante.
    As pessoas são naturalmente diferentes, e têm de ser respeitadas nas suas diferenças,
    mas não podem ser discriminadas naquilo que elas têm de igual, quais sejam,
    seus direitos fundamentais (à vida, à saúde, à educação, ao trabalho, à dignidade, ao
    lazer etc.).
    Toda discriminação gratuita é odiosa, ainda que feita em nome do combate à
    própria discriminação. E é sempre odiosa, pouco importa se aproveita à maioria ou à
    minoria, o que é irrelevante.
    4 FONSECA, Ricardo Tadeu Marques da. O trabalho da pessoa com deficiência. Lapidação dos direitos
    humanos: o direito do trabalho, uma ação afirmativa. São Paulo: LTr, 2006, p. 183.

  7. Leiam um pouco, pessoas, quem sabem entendam o que é democracia, uma coisa é certa seus representantes”deputados Feliciano, etc não conhecem o que quer dizer está palavra”

    O DIREITO DAS MINORIAS
    Hugo Nigro Mazzilli1
    Já nos acostumamos a ouvir que democracia é governo da maioria. Mas é mais
    que isso. Democracia não é apenas o governo da maioria, e sim da maioria do povo.
    Isso significa que democracia não é o governo da maioria das elites, nem da maioria
    das corporações, nem da maioria dos grupos econômicos, nem mesmo da maioria de
    alguns grupos políticos, que, muitas vezes, são aqueles que efetivamente fazem a lei
    mas nem sempre defendem os interesses da população.
    A democracia legítima não é despótica, pois mesmo a maioria não pode escravizar
    a minoria. A propósito, cabe lembrar o dito que, com humor, assim define democracia
    direta: três lobos e uma ovelha votam em quem vai ser o jantar; e democracia
    representativa: as ovelhas elegem quais serão os lobos que vão escolher quem
    será o jantar (…)2.
    A democracia moderna é mais do que apenas uma vontade majoritária. É o
    governo que se faz de acordo com a vontade da maioria do povo, colhida de maneira
    direta (plebiscito, eleições) ou de maneira indireta (pelo sistema representativo), mas
    desde que respeitados os direitos da minoria.
    Além disso, uma democracia representativa só funciona adequadamente se
    houver um sistema efetivo de partidos, com programas de governo – para que a vontade
    dos eleitores não seja burlada pelos eleitos que queiram trair os compromissos e
    programas partidários que foram usados para captar os votos dos eleitores. Por isso,
    faz parte da democracia o pluripartidarismo3, sim, mas também a necessidade de fidelidade
    aos compromissos e programas de partido. Daí por que deveriam ser mais efetivamente
    usados o referendo e o plebiscito para as grandes questões nacionais, sem
    prejuízo de instituir-se a possibilidade efetiva de revogação do mandato dos eleitos
    (recall).
    Não seria democrático que nem mesmo a maioria do povo proibisse a existência
    de religiões e cultos, distinguisse etnias, culturas ou tendências políticas, ou vedasse
    comportamentos por nenhum outro fundamento senão a discriminação da maio-
    1 Procurador de Justiça aposentado, Advogado, Professor no Complexo Jurídico Damásio de Jesus e na
    Escola Superior do Ministério Público, Consultor Jurídico e autor de diversos livros.
    2 “Democracy must be something more than two wolves and a sheep voting on what to have for dinner.”
    In: BOVARD, James. Lost rights: the destruction of American liberty. Nova York: St. Martin’s
    Press, 1994.
    3 Com o conseqüente direito de oposição. Cf., a propósito, CANOTILHO, J. J. Gomes. Direito Constitucional.
    5. ed. Coimbra: Livraria Almedina, 1991. p. 459.
    2
    ria contra a minoria. Não fosse assim, estaríamos diante não de uma democracia, e
    sim diante do despotismo.
    Entre os direitos básicos das minorias, está o de poderem existir, o de poderem
    dissentir e exprimir sua dissensão, o de verem-se representadas nas decisões que interessem
    a toda a sociedade, o direito de fiscalizarem de maneira efetiva a maioria, e o
    de, eventualmente, um dia tornarem-se maioria. Enfim, têm o direito de não se verem
    discriminadas. É aqui proveitoso recorrer à doutrina invocada por Ricardo Tadeu
    Marques da Fonseca, segundo a qual “protegem-se situações pessoais notoriamente
    marcadas, concernentes à origem, à raça, ao gênero, e a outros, e protegem-se, outrossim,
    escolhas ou condutas pessoais estigmatizadas, como religião, orientação sexual e
    outras”.4
    O combate à discriminação é, porém, uma via de dois sentidos: da mesma maneira
    que não se admite a discriminação da maioria contra a minoria, também o contrário
    é verdadeiro. Assim, por exemplo, tanto é reprovável a xenofobia, quanto o
    auto-enquistamento do estrangeiro que não queira realmente se integrar à sociedade
    em que vive; tanto é reprovável o racismo da maioria de uma população contra a minoria,
    como o racismo do grupo minoritário em relação aos demais. Tanto num caso
    como noutro, há discriminação social implícita e estigmatizante.
    As pessoas são naturalmente diferentes, e têm de ser respeitadas nas suas diferenças,
    mas não podem ser discriminadas naquilo que elas têm de igual, quais sejam,
    seus direitos fundamentais (à vida, à saúde, à educação, ao trabalho, à dignidade, ao
    lazer etc.).
    Toda discriminação gratuita é odiosa, ainda que feita em nome do combate à
    própria discriminação. E é sempre odiosa, pouco importa se aproveita à maioria ou à
    minoria, o que é irrelevante.
    4 FONSECA, Ricardo Tadeu Marques da. O trabalho da pessoa com deficiência. Lapidação dos direitos
    humanos: o direito do trabalho, uma ação afirmativa. São Paulo: LTr, 2006, p. 183.

  8. Numa democracia, a maioria não pode sobrepor sua vontade, sobre as minorias isto fere, os próprios princípios democráticos de direito.

    Superficialmente, os princípios da maioria e a proteção dos direitos individuais e das minorias podem parecer contraditórios. Na realidade, contudo, estes princípios são pilares gêmeos que sustêm a mesma base daquilo que designamos por governo democrático.

    Governo da maioria é um meio para organizar o governo e decidir sobre assuntos públicos; não é uma outra via para a opressão. Assim como um grupo auto-nomeado não tem o direito de oprimir os outros, também nenhuma maioria, mesmo numa democracia, deve tirar os direitos e as liberdades fundamentais de um grupo minoritário ou de um indivíduo.

    As minorias — seja devido à sua origem étnica, convicção religiosa, localização geográfica, nível de renda ou simplesmente por ter perdido as eleições ou o debate político — desfrutam de direitos humanos fundamentais garantidos que nenhum governo e nenhuma maioria, eleita ou não, podem tirar.

    As minorias devem acreditar que o governo vai proteger os seus direitos e a sua identidade própria. Feito isto, esses grupos podem participar e contribuir para as instituições democráticas do seu país.

    Entre os direitos humanos fundamentais que qualquer governo democrático deve proteger estão a liberdade de expressão; a liberdade de religião e de crença; julgamento justo e igual proteção legal; e liberdade de organizar, denunciar, discordar e participar plenamente na vida pública da sua sociedade.

    As democracias entendem que proteger os direitos das minorias para apoiar a identidade cultural, práticas sociais, consciências individuais e atividades religiosas é uma de suas tarefas principais.

    A aceitação de grupos étnicos e culturais, que parecem estranhos e mesmo esquisitos para a maioria, pode ser um dos maiores desafios que um governo democrático tem que enfrentar. Mas as democracias reconhecem que a diversidade pode ser uma vantagem enorme. Tratam estas diferenças na identidade, na cultura e nos valores como um desafio que pode reforçar e enriquecê-los e não como uma ameaça.

    Pode não haver uma resposta única a como são resolvidas as diferenças das minorias em termos de opiniões e valores — apenas a certeza de que só através do processo democrático de tolerância, debate e disposição para negociar é que as sociedades livres podem chegar a acordos que abranjam os pilares gêmeos do governo da maioria e dos direitos das minorias.

    Os direitos que a maioria já tem, “como o casamento cívil ‘ deve ser estendido a todos inclusive as monorias, todos são cidadãos e pagam impostos.
    Ainda mais quando este direito, não interfere da vida do outro.
    ” Todos são iguais perante a Lei em direitos e obrigações”

  9. Esse casamento gay espero não passará pelo Congresso Nacional.

  10. Esse assunto já ta chato.

  11. O JUIZO FINAL DIRÁ EU É QUE NÃO ENTRO NESSE LITIGIO DE OTARIO QUE É SÓ PRA DAR IBOPE QQUEM QUIZER SER BAITOLA É PROBLEMA DELE AGORA EU,EU MESMO SOU ´MUNHTU MACHO

  12. Luiz Alberto Araujo Bezerra disse:

    Se o casamento gay fosse o certo e adotado por toda a humanidade. Em cerca de 100 anos a raça humana seria extinta da terra!!! Deus é sábio, e sabe o que é bom para nós. Deus quer que o casamento seja o natural, homem com mulher, o que vem além disso é desnatural!!!

    • Nao fale bobagem, casamento gay sao para pessoas que gostam de pessoas do mesmo sexo, o que seria digamos 10% da populacao, os outros 90% ainda vao estar brincando de papi e mami, e gerando filhos por isso, nao me venha com essa conversa pra boi dormir

    • Muito bem, Luiz Alberto Araujo Bezerra, você disse que o casamento deve ser natural. Observando a natureza, eu te digo o que é natural: natural é o macho ter várias fêmeas (e nesse ponto sou obrigado a concordar com o sistema adotado pelos muçulmanos e sua poligamia). Raras são as espécies que adotam a monogamia. O homem monogâmico pode se reprimir, mas não deixa de desejar outras mulheres. Vários personagens bíblicos tiveram mais de uma esposa (e o Bolsonaro também), e você vem me falar em relação natural. Busque um argumento mais inteligente para tentar justificar seu preconceito.

      • Rogério Menezes disse:

        Sim Roque é natural o casamento entre homem e mulher! Os seus argumentos é que não tem fundamento, não estamos falando de atitudes erradas tomadas pelo ser humano. Se o cara é casado e deseja várias outras mulheres então se trata de um pecado meu caro pela atitude errada desse cara! Pois a Bíblia fala nos seus mandamentos que não se pode desejar a mulher do próximo. De duas a uma para o homem casado fazer isso:
        Ele casou com alguém que não ama ou então é adultero de natureza!
        Porque quem ama permanece fiel a sua esposa!
        Agora você vem citar os personagens bíblicos que tiveram várias esposas para defender sua tese? Isso sim é falta de argumento…
        Não justifica nenhum casamento de gay. E falo mais: Todos esses personagens Bíblicos do qual você conhece que fizeram isso tiveram maldições nas suas vidas em decorrência dessa poligamia. Leia mais e comprove sabichão!

        • A discussão era em torno de relações naturais, mas você já veio com a estória do pecado. Evangélico tem obsessão por pecados. Não é à toa que só vivem deprimidos. Cochilou, cachimbo cai. Por isso, a estratégia é passar o tempo todo cantando hinos de louvor ou repetindo capítulos e versículos.

          • Rogério Menezes disse:

            Por que a nossa natureza é adoradora! O papel do diabo (ex maestro e regente de louvor) era comandar o louvor para Deus nos céus.. mais como ele se achou superior veio parar aqui na terra para atormentar sua vida e confundir sua verdadeira essência Roque. Nossa essência foi projetada para adorar a Deus sobre todas as coisas! E garanto a você que ninguém no meio evangélico vive deprimido como você diz…agora olha para sua vida e faça sua auto-avaliação de como ela está hoje…Tenho certeza absoluta você não é feliz e procura algo para descontrair vindo aqui provocar aqueles que são!
            Você deve ter algum trauma de infância, perdido alguém que te dava o norte para sua vida, ter sofrido alguma frustração que no mínimo deixou você amargo desse jeito.
            Não culpe Deus por você levar uma vida de frustrações e enganos porque quem trilhou ela foi você mesmo!
            Mais você ainda tem chance e tenho certeza que você é inteligente suficiente para absorver algo de bom em todas as discussões que você traça aqui no site, se não, não perderia seu tempo de vim aqui ler notícias cristãs… poderia está acendendo velas e adorando ao diabo diretamente. Mais não, você está aqui buscando um direcionamento! Aproveite bem, pois está no caminho certo!

  13. NÃO CONCORDO COM CASAMENTOS GAYS ; COMO ESTÃO DIZENDO SE ELES QUEREM SE UNIR PLOBEMA DELES, MAS DAI A ENTRAR PARA O CARTORIO PARA RESGISTRAR ISSO É INASCEITÁVEL;CASAMENTO É PARA CASAIS HOMEM E MULHER E PONTO.

  14. #plebiscito já!!!!! kkkkkk

  15. APESAR DE MOSTRAR UMA VERDADE ESTA PESQUISA É TENDENCIOSA E APENAS ESTA PONTUANDO E DANDO MARGEM AOS GAYS, O NUMERO CONTRARIO É BEM MAIOR E O DOS A FAVOR É BEM MENOR, APENAS UMA AJUDINHA, PARA DIZER QUE ESTA PARCELA CONTRARIA, SÃO OS FUNDAMENTALISTAS CRISTÃO SÓ AJUDA A MANTER ACIRRADA BRIGA DOS GAYS CONTRA OS CRENTES, ESTÃO SE FAZENDO EM CIMA DE NÓS

  16. Cristã com orgulho disse:

    Eu sinceramente, não vejo nenhuma lógica em ser contra o casamento CIVIL gay. A Bíblia diz dai a César o que é de César e a Deus o que é DEle. A lei diz que todos somos iguais perante à lei, e os gays são cidadão como nós, e eles devem ter o direito de se unirem de acordo com a vontade deles, afinal, Deus nos deu livre arbítrio. Eles pagam impostos iguais aos cristãos, muçulmanos, judeus, umbandistas, etc. Agora sou contra o casamento gay na igreja, a Bíblia é bem clara sobre a homossexualidade. Seria ir contra à palavra de Deus

    • Esta questão é complexa. Poe exemplo, se para o estado dois homens formam uma família (casamento civil) então os materiais didáticos distribuído nas escolas deveriam contemplar este “novo modelo” de família. Quando o estado reconhece este tipo de união uma família todo conceito estatal de família muda. Ou seja, logo os ativistas estarão reivindicando que os materiais didáticos incorporem o novo conceito, criando confusão na cabeça da crianças (sobretudo as vindas de famílias conservadoras). Ouro ponto é o direito de família. Se dois homens ou duas mulheres formam uma família, qual a razão para proibir dois homens e uma mulher (ou seja, três pessoas)? Ou três homens? Ou dois homens e duas mulheres (casamento de quatro pessoas)? Ou um casamento de 10 pessoas, 20 ou 30? Ou seja, em pouco tempo tudo estará valendo e o STF vai ter que autorizar pela alegada “igualdade de direitos”.

      O ideal seria união civil e não casamento (que é entre UM homem e UMA mulher, segundo a constituição).

    • A questão não sou eu ou voce concordarmos ou não, querida!
      Se a discordancia da união entre pessoas do meesmo sexo for homofobia
      a cosntituição federal brasileira é homofóbica leia o que diz a lei 9278 promulgada em 10 de maio de 1996, no iinciso 3º artigo 226.
      O grande problema é que precisamos nos informar dos nossos direitos, e prinicpalmente dos nossos deveres com cidadãos! As vezes somos hipócritas em nossas opniões pessoais no afã de parecermos cordatos com uma sociedade mais hipócrita ainda!

    • Aleluia, ainda existe crente lúcido como você Cristã com orgulho,
      Porque o restante são fundamentamentalistas e não respeitam o direito do próximo e muito menos sabem o que é libre arbítrio.

      • Rogério Menezes disse:

        O problema não se resume em aceitar isso ou não aceitar o casamento gay…a maior questão que se discute é por traz desses direitos que estão sendo exigidos. Umas coisa é dar os direitos que eles estão reivindicando para se igualar aos casais héteros. E outra coisa é vir junto com esses direitos:

        - Proibir a imagem do pai e mãe nas escolas para que as crianças cresçam sem norte na vida;

        - É proibir a igreja de falar o que a Bíblia ensina ha milhões anos aos que servem a Deus, por ser considerado preconceito. E a constituição assegura os direitos de cultos e assegura ser um estado laico também;

        - É ensinar as crianças a partir de 5 anos a se masturbarem para que evoluam sexualmente;

        - São os professores pagos com nosso dinheiro ensinar nossos filhos com cartilhas de sexo e drogas a como devem proceder para aproveitar o melhor do assunto;

        - É aprovar a prostituição como profissão, que de certa forma meninas normalmente já fazem isso porque na sua infância e com essa lei aprovada incentiva ainda mais adolescentes a se meterem nesse meio em busca de dinheiro;

        Isso tudo vem com essa simples “folha de rosto” dos direitos gays que querem assegurar. Mais ninguém divulga isso porque se não nunca iriam aprovar essa imundice que querem implantar na sociedade por traz dos bastidores a força, corrompendo as crianças desde pequena.

        É isso que virá com os direitos assegurados! Acham pouco ou querem mais?

        Parabéns caso seja aprovada pois a sociedade será ridicularizada e destruída a curto prazo!

        E viveremos na saúde e na doença, na prostituição, e na pobreza, nas drogas e na alegria…em fim podem trocar as alianças!

  17. Cristã com orgulho disse:

    Eu sinceramente, não vejo nenhuma lógica em ser contra o casamento CIVIL gay. A Bíblia diz dai a César o que é de César e a Deus o que é DEle. A lei diz que todos somos iguais perante à lei, e os gays são cidadão como nós, e eles devem ter o direito de se unirem de acordo com a vontade deles, afinal, Deus nos deu livre arbítrio. Eles pagam impostos iguais aos cristãos, muçulmanos, judeus, umbandistas, etc. Agora sou contra o casamento gay na igreja, a Bíblia é bem clara sobre a homossexualidade. Seria ir contra à palavra de Deus.

    • Ora, se se concebe o casamento não como uma união em uma só carne, mas como uma “parceria doméstica romântico-sexual”, todo o arcabouço familiar desmorona, pois já não fazem sentido a monogamia, a fidelidade conjugal e os direitos paternais biológicos. O casamento passa a existir apenas como um contrato social com prazo de validade no qual ambas as partes prestam serviços sexuais. Isso é a completa perversão do conceito de família, além de uma afronta direta ao direito matrimonial histórico, que jamais cogitou tamanho disparate. Abre-se precedentes por essa compreensão errônea do ser humano e, por conseguinte, do casamento. Se dois homens ou duas mulheres podem se casar, por que não poderiam se casar também três ou mais pessoas, indistintamente de sexo, em poliamorosas “tríades”, “quadríades”, etc

      Não podemos de forma alguma desenvolver um pensamento simplista sobre o assunto.

  18. A igreja é a desgraça da humanidade uma sociedade secreta formada por reis europeus para manter servidão (escravidão) a biblia é uma fraude militar (arte da guerra é enganar o inmigo).

    • Rogério Menezes disse:

      Tu é maior desgraça que apareceu até agora aqui seu imbecil ignorante!
      Se não sabe debater um tema polêmico ou conversar de forma inteligente respeite pelo menos o credo dos outros e suas convicções…porque por outro lado, não tem ninguém xingando aqui no fórum ou falando mal do que você crer ou deixar de crer, no parente Satanás…
      Se não esta gostando! Fica pelo menos calado para ajuda a reconstrução da camada de ozônio deixando de liberar os gases que sai da tua boca!

  19. isso é o fim do mundo deus fez o homem e a mulher um ao outro não mulher com mulher e homem com homem isso se chama aberração do mundo.

  20. fenando rodrigues disse:

    Essas pesquisas é uma piada, ninguém foi la na minha porta para perguntar a min sobre isso. alias nunca fui alvo de pesquisa nenhuma não entendo o criterio deles.

    

Sua resposta

Adicione seu comentário abaixo, ou faça trackback de seu site ou blog. Você pode também assinar esses comentários via RSS.
Seja legal. Não escreva em CAIXA ALTA. Mantenha no tópico. Limite de 3000 caracteres no comentário.

Há 440,754 comentários no Notícias Gospel.