43 índios são batizados nas águas do Rio Tocantins após mais de 30 anos de evangelismo

11

Um trabalho missionário desenvolvido junto a tribos indígenas do Tocantins teve um momento de celebração no último sábado, 29 de agosto, quando 43 índios Xerente foram batizados confessando a fé em Jesus Cristo.

O trabalho evangelístico, supervisionado pela Convenção Batista do Tocantins, é liderado pelo pastor Rinaldo de Mattos e sua esposa, Gudrun de Mattos, segundo informações do JM Notícia.

Os índios da aldeia Santo Alto, na cidade de Tocantínia (TO), foram evangelizados desde a infância, através do trabalho dos missionários Armando e Betania Xerente, também índios.

“Esse batismo é importante em muitos aspectos. Um deles é que os novos batizados são frutos diretos dos nossos discípulos, eles é quem ganharam esses jovens para Cristo. Vale a pena fazer discípulos que fazem discípulos”, comentou o pastor Rinaldo, destacando que o evangelismo foi desempenhado ao longo dos anos por um casal de índios que também já haviam sido alcançados pelo trabalho missionário.


O pastor destacou ainda que o discipulado com os convertidos é feito de maneira diversificada, com celebrações, dança, teatro e aconselhamento, mas toma tempo: “A obra indígena tem o seu preço, e às vezes o preço é o tempo e muita gente não quer gastar todo aquele tempo, mas vale a pena. Com até 30 anos de missão tínhamos um crente aqui, um crente lá e nenhum sinal de igreja, e foi depois desses 30 anos de ministério para frente que começaram a aparecer os frutos, mas também apareceram como sementes jogadas em terra boa”, comemorou Mattos.

Um dos índios cristãos da tribo, Pedro Xerente, também destacou a alegria de ver a mensagem do Evangelho alcançando seus companheiros: “Nós, como líderes, ficamos felizes em ver os nossos irmãos, em Cristo agora, e que foram evangelizados por nós, seguindo os ensinamentos de Jesus e o primeiro deles foi o batismo […] Nunca aconteceu antes de batizarmos essa quantidade de pessoas, mas Deus já havia marcado esta data, que hoje está acontecendo, e de agora para frente vamos ajudar esses jovens a serem futuros líderes para ganharmos o nosso povo para Cristo”, resumiu.


11 COMENTÁRIOS

    • Estamos num mundo globalizado, ate aqui no Acre indio usa shorts da adidas, usa celular lg, vai à escola publica e aprende portugues, usa dos serviçoes publicos para pegar identidade, vai ao médico, compra marmita…
      Nem precisei citar religiao para mostrar o quão mudado o indio ficou do modo de vestir, dos costumes alimenticios, do cutivo de medicina natural, no uso de códigos e linguagens, no estilo de vida que, antes visava apenas o necessario, visa a aculmulação, fruto do consumismo.
      Quantos valores culturais indigenas firam afetadas? O indio deve ser proibido de deter estes recursos que melhoram o acesso e a qualidade de vida?
      Aí que tá, não é possivel deixar intacta culturas que tiveram contato com o capital e as oferendas do governo. Há tribos que, pela propria irresponsabilidade do homem em desmatar, acaba por comprometer o ciclo de atividades das aldeias, outro indicio de que eles vêm às cidades por necessidade, devido ao contexto.

  1. Não chamem de “desgraçados” esses evangelistas, porque se tem uma coisa que tenho certeza é que eles foram usados pela graça de Deus! E só pra te informar, aceitar Jesus e o batismo nas águas não é influência de ninguém, tem que ser uma escolha única de cada um! Eu aceitei Jesus como único e verdadeiro Salvador! Jesus é o senhor! Até mais….

  2. Tá de zuera, né? Vocês foram na tribo deles e batizaram eles? Isso é estúpido! Por que não pensam em preservar a identidade cultural deles? Eles são nossas raízes, os primeiros brasileiros, por que não podem manter a cultura deles? Tem que fazer igual aos colonizadores? Eles já sofreram o suficiente e ainda continuam.

    Eu deixei de ser cristão para seguir a mitologia tupi-guarani, como uma maneira de salvar a cultura deles, estou aprendendo um pouco de guarani. Queria ajudar na preservação cultural e esses caras vão lá e batizam eles, é lamentável.

DEIXE UMA RESPOSTA