Ana Paula Valadão anuncia que vai morar nos Estados Unidos e nega fim do Diante do Trono

15

O pastor Gustavo Bessa e sua esposa, Ana Paula Valadão, anunciaram que estão de mudança para os Estados Unidos, onde deverão se dedicar a um tempo de estudos e troca de experiências.

O anúncio foi feito através de um vídeo, publicado no perfil da líder do Diante do Trono no Facebook.

“Olá pessoal, queremos compartilhar algo muito especial com vocês”, introduziu Ana Paula. “Nós, como família, iremos morar em Dallas, nos Estados Unidos, por um tempo, e o propósito é uma maior capacitação, maior treinamento, porque queremos cumprir sempre, com excelência, o chamado de Deus nas nossas vidas e a partir das nossas vidas”, acrescentou o pastor Bessa, revelando que os filhos do casal, Isaque e Benjamim, também embarcam para o período de vivência no exterior.

Ana Paula Valadão ressaltou que conta com o apoio e intercessão daqueles que acompanham seu ministério: “Que você possa sempre orar por nós e conferir a nossa agenda para saber quando estaremos ministrando aqui no Brasil ou entre as nações, porque o Diante do Trono não está acabando”, disse.


O mesmo pedido foi feito pelo marido da cantora: “Contamos com suas orações para que Deus nos ajude, nos capacite, a servirmos melhor a Ele e a você que é Igreja do Senhor”, concluiu Gustavo Bessa.

Assista ao vídeo com o comunicado da família Valadão Bessa sobre a mudança para os Estados Unidos:

Assine o Canal

DT

A ênfase de Ana Paula Valadão em dizer que sua mudança não é o fim do ministério de louvor Diante do Trono se deve à precaução em evitar boatos, muito comuns nas redes sociais.

Em 2009, ao se afastar do ministério parcialmente para se dedicar a outros projetos, rapidamente espalhou-se o boato de que ela havia saído do grupo que ajudou a fundar.


15 COMENTÁRIOS

  1. Vai com Deus, mas não esqueça de levar a sua bota de pele de píton. Deixo uma dica: não receba a unção da leoa no aeroporto de Miami não, senão será extraditada.

  2. cansaram do BRASIL , (transito,violência,crise,inflação) ; ESTADOS UNIDOS : MIAME,ORLANDO,NOVA YORK . “viva quem tem dinheiro ” e as ovelhas ?
    lembrei de RUTE e NOEMI :
    ” DISSE, POREM RUTE: NÃO ME INSTES PARA QUE TE DEIXE E ME OBRIGUE A NÃO SEGUIR-TE ;PORQUE ,AONDE QUER QUE FORES,IREI EU E,ONDE QUER QUE POUSARES,ALI POUSAREI EU ; O TEU POVO É O MEU POVO,O TEU DEUS É O MEU DEUS ”
    por isto que a biblia fala que a seara é grande , más poucos são os ceifeiros (MATEUS 9,v 37 )

  3. Ana Paula Valadão é uma bênção! Tomara que volte logo e que o Diante do Trono permaneça ativo por muitos anos. Os testemunhos são incontáveis! E a glória é toda de Deus que continua a nos usar, apesar das nossas falhas.

  4. Porque não vão passar uma temporada em Botswana com a família? São tão ricos que poderiam usar parte do dinheiro que já têm para irem pastorear uma Igreja na África. Não acham? Mas é claro, o papimho da teologia da prosperidade vai dizer, “nós como família merecemos comer o melhor desta terra”. Então aproveitem, desfruem do melhor desta terra. Nós iremos aos lugares não alcançados, lá precisam de missionários.

  5. Esse grupo era muito bom até 2006 com aquele álbum Por amor de ti oh Brasil, lindo esse álbum, mas depois decaíram demais, quando começaram a sair a Helena Tanure, Mariana, Nívea a orquestra enfim… e quiseram criar dentro do grupo um som tipico Hillsong, se transformando nessa chatice de hoje, sem unção e sem nada. Sobre ela sair do País ela faz bem, esse Brasil está uma porcaria mesmo.

  6. vao sim, e leve a unçao que deus deu a voces no brasil aos estados unidos, cds e historias maravilhosas, que deus abençoe sempre
    quanto aos criticos e pessoas aqui que nao respeitam o servo de deus. apenas lamento, pq com certeza sao invejosos

  7. Inquérito conclui que pastor desviou mais de R$ 1 milhão em Divinópolis
    Dinheiro era de uma doação ao projeto que Arlem Silva gerenciava.
    Após prisão em Corinto, pastor se defendeu das acusações.
    O inquérito instaurado para averiguar o desvio de mais de R$ 1 milhão do Projeto Somos Amados em Divinópolis, concluiu que Arlem Silva Amaral, de 40 anos, é o responsável pelo crime de estelionato. Segundo o delegado regional Fernando Vilaça, o pastor vendeu cerca de 10 lotes que haviam sido doados. O valor que chega a R$ 1,5 milhão não foi restituído.
    Ainda de acordo com o delegado, durante as investigações, a polícia descobriu que o pastor movimentava pelo menos cinco contas bancárias. “Contudo, em nenhuma das contas havia dinheiro. O valor desviado não foi encontrado ainda”, disse. Na época da prisão, o pastor se defendeu e disse que a investigação iria mostrar a verdade.
    Arlem passou por várias cidades até se instalar em Corinto, que fica a cerca de 400 quilômetros de Divinópolis. “Nessa cidade ele havia iniciado uma atividade comercial com uma loja de roupas e calçados e vivia com uma jovem de 23 anos, que conheceu em Divinópolis”, contou Vilaça.
    No início das investigações a hipótese trabalhada era de um possível roubo, já que o pastor disse para a esposa que havia ido a Belo Horizonte participar de uma reunião sobre o projeto Somos Amados. Depois das 23h o Arlem desligou o celular e desde então deu seguimento ao plano de fugir com a jovem e com o dinheiro desviado. Enquanto isso, a família defendia a hipótese de que ele havia desaparecido. Cogitou-se a hipótese de sequestro, assalto e roubo.
    Investigação
    De acordo com o delegado regional Fernando Vilaça, o suspeito desapareceu no dia 12 de junho último, com um veículo de alto valor. “Isso nos causou preocupação. Pensamos que ele pudesse ter sido vítima de roubo, sequestro, latrocínio, homicídio ou algo do tipo. A investigação teve início então, sendo ele uma pessoa desaparecida”, contou.
    Porém, a delegada que comanda as investigações, Adriene Lopes, concluiu que, na verdade, o pastor estaria praticando estelionato e desviando valores. Passou-se a suspeitar de que ele estivesse escondido e não mais desaparecido. “Ele foi localizado na cidade de Corinto, na região central do estado, e preso por uma equipe de investigadores”, explicou Vilaça.
    Segundo Adrine Lopes, o pastor era presidente da Associação Somos Amados e pastor da Igreja Pentecostal Independente. “A Somos Amados recebeu em doação, por meio de testamento, vários terrenos nos bairros Jardim Betânia e Planalto, deixados de herança por uma senhora. Arlem vendeu esses imóveis. Ainda não sabemos a quantidade exata desses bens, porque o inventário sobre eles ainda não está pronto. Não sabemos ainda como será, de fato, a partilha desses imóveis entre as entidades citadas no testamento”, relatou Lopes à época.
    A doadora deixou 50% dos bens para o Somos Amados e 50% para as Obras Sociais Frederico Ozanam. “Ninguém dessas obras sociais sabia que o pastor vendeu esses imóveis”, pontuou a delegada.
    Prisão
    No dia da prisão Arlem Amaral chegou à delegacia em uma viatura. Algemado e de cabeça baixa, ele foi conduzido ao interior do prédio, onde poucos minutos depois foi apresentado à imprensa.
    A entrevista com ele durou cerca de dois minutos. O suspeito se negou a entrar em detalhes sobre o crime. “Agora [a investigação] vai mostrar a realidade e a verdade para que essas situações se resolvam. Nada disso vai se sequenciar”, respondeu.
    Quando perguntado se era inocente no caso, ele respondeu: “Você vai descobrir daqui a pouco. Só isso. Não tenho mais nada a declarar”, finalizou. Em seguida, o suspeito foi retirado da sala por policiais civis.
    Delegados Fernando Vilaça e Adriene Lopes contam
    detalhes do esquema (Foto: Ricardo Welbert/G1)
    Confiança demais
    Por se dizer pastor evangélico, explicou a delegada, muitas pessoas acreditavam no que Arlem dizia. “Ele vendia esses imóveis e fazia um contrato de compra e venda. As pessoas davam de entrada algumas parcelas dos bens e outras pagavam o valor total. Essas pessoas, muitas delas fiéis da igreja em que ele celebrava cultos, agiram de boa-fé. Elas não podem ser consideradas como envolvidas no esquema, pois não sabiam que era uma fraude. O inventário desses imóveis ainda está na Vara de Família e Sucessões. Não sabemos ao certo quantos desses ele vendeu”, afirmou a delegada.
    Depois de vender os terrenos, Arlem passou a viver de cidade em cidade. Estabeleceu moradias temporárias em vários municípios e se envolveu com outras pessoas. Detalhes que a delegada evitou informar, para não comprometer as investigações. “O que dá para dizer é que foi descartada a hipótese de envolvimento da família de Arlem no esquema. Nós estamos investigando e não podemos adiantar muita coisa”, reforçou.
    Contas bancárias
    A delegada afirma que pediu o bloqueio de cinco contas bancárias em nome de Arlem. “Porém, não havia valor significativo nessas contas. Apenas R$ 50. O dinheiro adquirido nas negociações de imóveis e veículos que ele fez certamente estão em contas que pertencem a outras pessoas”, afirmou a delegada.
    Globo.com

  8. Um dia estarei por lá tb, esse é meu principal objetivo: ter minha próxima geração fora do Brasil…aqui quase sempre é remar contra a maré….muito roubo, muito bandido, política horrorosa, povo insiste no pão (bolsas) e circo (futebol e carnaval)…see you later!

DEIXE UMA RESPOSTA