Pastor Ariovaldo Ramos analisa embate entre Marco Feliciano e ativistas gays: “Ser humano tem direito de protestar contra o que não concorda”

20

O pastor Ariovaldo Ramos, líder da Comunidade Cristã Reformada de São Paulo, publicou em seu blog um texto com reflexões sobre o embate realizado entre ativistas gays e partidários do pastor Marco Feliciano (PSC-SP), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da Câmara dos Deputados.

Para Ariovaldo Ramos, discordar de frases ou posturas do pastor Feliciano não significa estar à favor da militância homossexual: “Fui advertido de que nesse momento, que estamos vivendo na Igreja evangélica brasileira, discordar do presidente do CDHM, em exercício, é concordar com o movimento GLBTS, e vice versa. Discordo! Eu respeito o irmão e oro por ele, mas, discordo da forma como o deputado está conduzindo o mandato que recebeu de seus eleitores”, pontuou o pastor.

Ramos concorda com as afirmações de que as reivindicações feitas pelos ativistas gays são uma busca por privilégios: “Eu respeito os seres humanos que optaram pela homossexualidade, mas, entendo que os direitos que estão a reivindicar já estão contemplados nos direitos da pessoa humana, cobertos por nossa constituição, e que o que passa disso constitui reclamos por privilégios, o que não é passível de ser concedido numa democracia, sob pena de contradizê-la”, opina o pastor.

A compreensão de que todos tem liberdade de fazer escolhas não impede, segundo Ramos, de observar que o desejo de instituir como casamento a união entre duas pessoas do mesmo sexo é contraditório.


“Discordo que seja possível transformar uma união voluntária de duas pessoas do mesmo sexo, a partir de opção comum e particular, em casamento, pois isso insinua haver um terceiro gênero na humanidade, o que não se explicita na constituição do ser humano. Assim como não entendo que a conjunção da maternidade e da paternidade, necessária para um desenvolvimento funcional do infante humano, seja substituível por mera boa vontade”, observa, lembrando que os casais homossexuais devem ter direito à preservação de seus patrimônios como qualquer cidadão.

A discordância em relação a Marco Feliciano fica evidenciada em suas colocações de teor teológico, em especial às declarações envolvendo os músicos da banda Mamonas Assassinas e o vocalista dos Beatles, John Lennon.

“Discordo do pregador, quando diz que Deus matou John Lennon ou aos Mamonas Assassinas, por terem desacatado o Altíssimo, como se o pecado humano não o fizesse desde sempre. A Trindade matou a todos os que a desacatam, em todo o tempo, no sacrifício do Filho, manifesto por Jesus de Nazaré (1Pe 1.18-20), na Cruz do Calvário, oferecendo a todos o perdão e a ressurreição”, contextualiza Ramos, que emenda sua oposição ao pensamento de Feliciano também em relação a Caetano Veloso: “Discordo do pregador quando afirma que o sucesso de um artista, a quem Deus, por sua graça, cumulou de talentos, como Caetano Veloso, só se explique por ter feito pacto com o diabo. Como se ao adversário de nossas almas interessasse qualquer manifestação do Belo”.

O texto de Ariovaldo é repleto de ponderações sobre os vários lados da questão trazida à tona com as manifestações feitas por ativistas gays contra o pastor Marco Feliciano. Pelo lado do direito de fé e crença, Ramos afirma que a oposição no campo das ideias deve se manter apenas no debate.

“Reconheço a qualquer ser humano o direito de protestar contra o que não concorda, mas, nunca em detrimento do direito do outro, o que inclui o direito ao culto. Uma coisa é discordar do político outra coisa é cercear o direito do religioso, e de quem o convide para participar de um culto da fé que pratica. Uma coisa é denunciar o político por suas posturas, outra, e inadmissível, é atentar contra a integridade física ou emocional dele e dos seus”, critica o pastor, referindo-se aos protestos mais exaltados realizados contra Feliciano em frente aos templos da Assembleia de Deus Catedral do Avivamento.

Em resumo, Ariovaldo afirma que nem na sociedade, nem dentro das igrejas deve haver mordaças: “Não admito, contudo, como cristão, ser sequestrado no direito de discordar, ou ser tratado como se fosse refém das circunstâncias, sejam elas quais forem. Foi para a liberdade que Cristo nos libertou (Gl 5.1)”, escreveu o pastor.

Confira a íntegra do artigo “Pelo direito de discordar”, de Ariovaldo Ramos:

Fui advertido de que nesse momento, que estamos vivendo na Igreja evangélica brasileira, discordar do Presidente do CDHM, em exercício, é concordar com o movimento GLBTS, e vice versa.

Discordo!

Eu respeito o irmão e oro por ele, mas, discordo da forma como o Deputado está conduzindo o mandato que recebeu de seus eleitores.

Eu respeito os seres humanos que optaram pela homossexualidade, mas, entendo que os direitos que estão a reivindicar já estão contemplados nos direitos da pessoa humana, cobertos por nossa constituição, e que o que passa disso constitui reclamos por privilégios, o que não é passível de ser concedido numa democracia, sob pena de contradize-la.

Eu respeito o direito das uniões homossexuais terem garantida, pelo Estado, a preservação do patrimônio,  por eles construídos, quando da separação ou do falecimento de um dos membros da união. Entretanto, discordo que seja possível transformar uma união voluntária de duas pessoas do mesmo sexo, a partir de opção comum e particular, em casamento, pois isso insinua haver um terceiro gênero na humanidade, o que não se explicita na constituição do ser humano. Assim como não entendo que a conjunção da  maternidade e da paternidade, necessária para um desenvolvimento funcional do infante humano, seja substituível por mera boa vontade.

Eu respeito e exerço direito de pregar o que se crê, mas discordo do pregador, quando diz que Deus matou John Lennon ou aos Mamonas Assassinas, por terem desacatado o Altíssimo, como se o pecado humano não o fizesse desde sempre. A Trindade matou a todos os que a desacatam, em todo o tempo, no sacrifício do Filho, manifesto por Jesus de Nazaré (1Pe 1.18-20), na Cruz do Calvário, oferecendo a todos o perdão e a ressurreição.

Eu respeito o direito de ter religião e o reivindico sempre, mas, discordo de tachar como agentes do inferno quem não concorda com o que penso, como se Deus, por sua graça, não estivesse, desde sempre, cuidando que a raça humana não sucumbisse à rebeldia inerente à sua natureza, o que explica o triunfo do bem frente a maldade explícita. Por isso discordo do pregador quando afirma que o sucesso de um artista, a quem Deus, por sua graça, cumulou de talentos, como Caetano Veloso, só se explique por ter feito pacto com o diabo. Como se ao adversário de nossas almas interessasse qualquer manifestação do Belo.

Eu respeito e pratico o direito ao livre exame das Escrituras Sagradas, conquistado pela Reforma Protestante, e, por isso, enquanto respeito o direito do teólogo expressar suas conclusões, discordo do teólogo quando suas considerações sobre o significado de profecias do texto que amo e reverencio, não corresponderem ao que entendo ser uma conclusão pautada pelas regras da interpretação bíblica,  assim como, no meu parecer, ferirem a uma das maiores revelações desse Livro dos livros: Deus é Pai de todos, está em todos e age por meio de todos (Ef 4.6).

Reconheço a qualquer ser humano o direito de protestar contra o que não concorda, mas, nunca em detrimento do direito do outro, o que inclui o direito ao culto. Uma coisa é discordar do político outra coisa é cercear o direito do religioso, e de quem o convide para participar de um culto da fé que pratica. Uma coisa é denunciar o político por suas posturas, outra, e inadmissível, é atentar contra a integridade física ou emocional dele e dos seus.

Não admito, contudo, como cristão, ser sequestrado no direito de discordar, ou ser tratado como se fosse refém das circunstâncias, sejam elas quais forem. Foi para a liberdade que Cristo nos libertou (Gl 5.1).

Lamento que haja, entre os cristãos, quem trate a nossa fé como se fosse frágil e necessitada de proteção. Nossa fé foi preponderante na construção do Ocidente, e resistiu às mais atrozes perseguições.

Nós sempre propugnamos pela liberdade. Nós impusemos a Carta Magna ao Principe John, na Inglaterra; construímos o Estado Laico na revolução americana, quando, numa nação majoritariamente cristã, todas as confissões religiosas foram tidas como de direito. Nós lutamos entre nós pelo fim da escravidão, seja na guerra da Secessão, seja por meio de Wilberforce, premier Inglês, e de tantos outros movimentos. Nós denunciamos e enfrentamos os que entre nós quiseram fazer uso da nossa fé para legitimar a opressão. Os maiores movimentos libertários nasceram em solo cristão, e mesmo quando renegavam ao que críamos, não havia como não reconhecer a nossa contribuição à emancipação humana.

Nós construímos uma sociedade de direitos, lutamos por e reconhecemos direitos civis, e não podemos abrir mão disso; não podemos abrir mão da civilização que ajudamos a construir e a solidificar, onde mulheres, homens e crianças são protegidos em sua integridade e garantidos em seus direitos. Na democracia que ajudamos a reinventar, onde cada ser humano vale um voto, tudo pode e deve ser discutido segundo as regras da civilidade.

Nossa fé foi construída por gente que foi a toda luta que entendeu justa, pondo em risco a própria vida, e por mártires, por gente que se recusou a matar, por gente que não capitulou diante do assassínio, pois nós cremos que Deus é amor, e que o amor de Deus é mais forte do que a morte (Rm 8.38). E por amor a Deus e ao seu Cristo lutamos pela unidade e pela liberdade da humanidade.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

20 COMENTÁRIOS

  1. A PAZ EM CRISTO
    PASTOR ARIOVALDO RAMOS VEJA ONDE O SENHOR QUE CHEGAR NOS SOMO UM SO CORPO E UM SO MEMBRO DE CRISTO. O PASTOR FELICIANO ME REPRESENTA.

    • Querem conhecer quem é este Ariovaldo Ramos ? visita o blog do Julio Severo ; la esta bem estampado a história deste comunista , maxista,que trabalha contra a igreja do Sr jesus em pró a agenda petista !!!.

    • Denunciar o pecado???
      Então que tal, denunciar os abomináveis adoradores de imagens (católicos) e até muito de vocês adoradores de Pastores, tudo não é abominação, assim como o homossexuliasmo.

      Está luta só tem um nome hipocrésia farisaíca.
      Revejam seus conceitos!! o verdadeira luta sde vocês é : “luto contra a abominação de uma minoria e a abominação da MAIORIA eu apoio e até jogo no mesmo time”
      A de se mencionar para as ovelhas mais bobinhas, que a palavra abominável quer dizer no grego original “não usual”, como hoje passou a ser usual, fazer a barba e comer camarrão.

      • Aqui estamos para protestar, por isso que nos chamam de protestantes, pq protestando contro o pecado(homossexualismo) e protestamos contro a idolatria.

        é isso sempre deixamos claros para todos, a reforma protestante contra babilonia catolica foi por causa de que? por causa dessas coisas, por isso nos somos contra a pratica do catolicismo e não contra o catolico.

        é a mesma coisa com os gays, somos contra a pratica e o comportamento homessexual mais não contra aquele que pratica, vc e a sua opnião é decepcionante!! afff rs

        • concordo Temos que abrir a boca, a discussão agora não teologica, é se sou a favor da Familia (constituida pela união de Homem e Mulher) ou sou a favor desta Desgraça que vem afetando a humanidade que é o homossexualismo. Embora meu dever é respeitar a todos independente de qualquer escolha que faço mas a escolha deles não pode prejudicar a minha: Nao sei qual o medo e a covardia que está se espalhando na comunidade protestante referente aos ativistas refaço as palavras deste pastor : “Eu respeito os seres humanos que optaram pela homossexualidade, mas, entendo que os direitos que estão a reivindicar já estão contemplados nos direitos da pessoa humana, cobertos por nossa constituição, e que o que passa disso constitui reclamos por privilégios, o que não é passível de ser concedido numa democracia, sob pena de contradizê-la”, opina o pastor….“Reconheço a qualquer ser humano o direito de protestar contra o que não concorda, mas, nunca em detrimento do direito do outro, o que inclui o direito ao culto. Uma coisa é discordar do político outra coisa é cercear o direito do religioso, e de quem o convide para participar de um culto da fé que pratica. Uma coisa é denunciar o político por suas posturas, outra, e inadmissível, é atentar contra a integridade física ou emocional dele e dos seus”, critica o pastor, referindo-se aos protestos mais exaltados realizados contra Feliciano em frente aos templos da Assembleia de Deus Catedral do Avivamento…..“Discordo que seja possível transformar uma união voluntária de duas pessoas do mesmo sexo, a partir de opção comum e particular, em casamento, pois isso insinua haver um terceiro gênero na humanidade, o que não se explicita na constituição do ser humano. Assim como não entendo que a conjunção da maternidade e da paternidade, necessária para um desenvolvimento funcional do infante humano, seja substituível por mera boa vontade”, observa, lembrando que os casais homossexuais devem ter direito à preservação de seus patrimônios como qualquer cidadão.

        • Temos que abrir a boca sim, gritar em alta voz que Jesus ama o pecador mas não o pecado e a Biblia condena homem que deita com homem….e tudo que o planta ele vai colher….Não podemos parar, na minha opinião isso é pior que o divorcio, pior que eutanasia e aborto… Eu continuo orando por todos aqueles que defendem a Liberdade de Expressão e o Direito da Familia……a discussão agora não teologica, não é de placas, por favor é se sou a favor da Familia (constituida pela união de Homem e Mulher) ou sou a favor desta Desgraça que vem afetando a humanidade que é o homossexualismo. Embora meu dever é respeitar a todos independente de qualquer escolha que faço mas a escolha deles não pode prejudicar a minha: Nao sei qual o medo e a covardia que está se espalhando na comunidade protestante referente aos ativistas refaço as palavras deste pastor : “Eu respeito os seres humanos que optaram pela homossexualidade, mas, entendo que os direitos que estão a reivindicar já estão contemplados nos direitos da pessoa humana, cobertos por nossa constituição, e que o que passa disso constitui reclamos por privilégios, o que não é passível de ser concedido numa democracia, sob pena de contradizê-la”, opina o pastor….“Reconheço a qualquer ser humano o direito de protestar contra o que não concorda, mas, nunca em detrimento do direito do outro, o que inclui o direito ao culto. Uma coisa é discordar do político outra coisa é cercear o direito do religioso, e de quem o convide para participar de um culto da fé que pratica. Uma coisa é denunciar o político por suas posturas, outra, e inadmissível, é atentar contra a integridade física ou emocional dele e dos seus”, critica o pastor, referindo-se aos protestos mais exaltados realizados contra Feliciano em frente aos templos da Assembleia de Deus Catedral do Avivamento…..“Discordo que seja possível transformar uma união voluntária de duas pessoas do mesmo sexo, a partir de opção comum e particular, em casamento, pois isso insinua haver um terceiro gênero na humanidade, o que não se explicita na constituição do ser humano. Assim como não entendo que a conjunção da maternidade e da paternidade, necessária para um desenvolvimento funcional do infante humano, seja substituível por mera boa vontade”, observa, lembrando que os casais homossexuais devem ter direito à preservação de seus patrimônios como qualquer cidadão. Eu fico do Lado da CNBB, católicos, Silas Malafaia, Marco Felicianos, PSC e todos os outros que estão a favor da familia e refaço o comunicado da CNBB: Unimo-nos a todos que legítima e democraticamente se manifestam contrários a tal Resolução. Encorajamos os fiéis e todas as pessoas de boa vontade, no respeito às diferenças, a aprofundar e transmitir, no seio da família e na escola, os valores perenes vinculados à instituição familiar, para o bem de toda a sociedade.

  2. O Ariosvaldo não é nada bobo, ele não quer é ficar queimado com os Gayzistas porque sabe que eles estão em toda parte e são poderosos, só se esquece que um com Deus é maioria.

  3. o que muitos não querem entender, é que a igreja de Jesus cristo, não tem nada a ver com política nem políticos.
    o evangelho de Jesus cristo é para ser pregado com amor para; libertação, transformação e salvação daqueles que crêem.e ninguem é obrigado a crêr.
    os políticos são eleitos para tratar do interesse do povo em geral, independente de sua crênça, e ate dos que não crêem em nada.
    lamentável tudo isso.

  4. A meu ver, a frase do Pastor Ariovaldo abaixo é bem clara que ele é contra o casamento do mesmo sexo. Quanto a preservação do patrimônio, isso é um direito garantido por lei por tratar-se de relações jurídicas para a sociedade como um todo tendo por objetivo solucionar litígios civis, protegido pela nossa magna elaborada pelos representantes do congresso, eleitos democraticamente pelo sufrágio. Ele foi bem claro distinguindo a doutrina cristã no tocante ao casamento e os direitos do estado laico.

    Entretanto, discordo que seja possível transformar uma união voluntária de duas pessoas do mesmo sexo, a partir de opção comum e particular, em casamento, pois isso insinua haver um terceiro gênero na humanidade, o que não se explicita na constituição do ser humano. Assim como não entendo que a conjunção da maternidade e da paternidade, necessária para um desenvolvimento funcional do infante humano, seja substituível por mera boa vontade.

  5. verdade o ser humano pode protestar contra o que quiser,e da mesma forma não sou obrigado a concordar o senhor,e nem o que a comunidade LGBT quer que aceitemos!A constituição nos garante o direito de descordar e de me expressar contra aquilo que acho ruim para mim e para sociedade!

  6. Pessoal, bom dia, curto e rápido. Alguém do Gnotícias leia isso por favor: PAREM de anunciar a causa GAY!! PAREM com isso pelo amor de Deus!!!! Quanto mais vocês falam do negócio mais forte fica, o Silas Malafaia conseguiu espalhar esse negócio como um câncer. Que coisa HORRÍVEL, sejam inteligentes, ignore-os, e logo desaparecerão as causas deles que ofendem toda a sociedade cristã.
    .
    POR FAVOR UM VOTO AQUI: NOA MAIS PUBLICAR NADA SOBRE ESSE ASSUNTO!! E se alguém puder ou tiver poder de contato com o Malafaia (alguém do RJ), diga isso a ele. POR FAVOR!!!

  7. EM PARADAS GAYS sempre vemos mais pessoas que em paradas contra a corrupção.

    CONCLUSÃO: existem mais homens lutando pelo seu direito de dar o rabo em paz, que homens lutando pelo seu direito de não ser enrabado pelos políticos.

  8. Temos que abrir a boca sim, gritar em alta voz que Jesus ama o pecador mas não o pecado e a Biblia condena homem que deita com homem, (fora que é só olhar a natureza é macho ou femea, isso não é cultura ou religiao)….e tudo que o planta ele vai colher….Não podemos parar, na minha opinião isso é pior que o divorcio, pior que eutanasia e aborto… Eu continuo orando por todos aqueles que defendem a Liberdade de Expressão e o Direito da Familia……a discussão agora não teologica, não é de placas, por favor é se sou a favor da Familia (constituida pela união de Homem e Mulher) ou sou a favor desta Desgraça que vem afetando a humanidade que é o homossexualismo. Embora meu dever é respeitar a todos independente de qualquer escolha que faço mas a escolha deles não pode prejudicar a minha: Nao sei qual o medo e a covardia que está se espalhando na comunidade protestante referente aos ativistas refaço as palavras deste pastor : “Eu respeito os seres humanos que optaram pela homossexualidade, mas, entendo que os direitos que estão a reivindicar já estão contemplados nos direitos da pessoa humana, cobertos por nossa constituição, e que o que passa disso constitui reclamos por privilégios, o que não é passível de ser concedido numa democracia, sob pena de contradizê-la”, opina o pastor….“Reconheço a qualquer ser humano o direito de protestar contra o que não concorda, mas, nunca em detrimento do direito do outro, o que inclui o direito ao culto. Uma coisa é discordar do político outra coisa é cercear o direito do religioso, e de quem o convide para participar de um culto da fé que pratica. Uma coisa é denunciar o político por suas posturas, outra, e inadmissível, é atentar contra a integridade física ou emocional dele e dos seus”, critica o pastor, referindo-se aos protestos mais exaltados realizados contra Feliciano em frente aos templos da Assembleia de Deus Catedral do Avivamento…..“Discordo que seja possível transformar uma união voluntária de duas pessoas do mesmo sexo, a partir de opção comum e particular, em casamento, pois isso insinua haver um terceiro gênero na humanidade, o que não se explicita na constituição do ser humano. Assim como não entendo que a conjunção da maternidade e da paternidade, necessária para um desenvolvimento funcional do infante humano, seja substituível por mera boa vontade”, observa, lembrando que os casais homossexuais devem ter direito à preservação de seus patrimônios como qualquer cidadão. Eu fico do Lado da CNBB, católicos, Silas Malafaia, Marco Felicianos, PSC e todos os outros que estão a favor da familia e refaço o comunicado da CNBB: Unimo-nos a todos que legítima e democraticamente se manifestam contrários a tal Resolução. Encorajamos os fiéis e todas as pessoas de boa vontade, no respeito às diferenças, a aprofundar e transmitir, no seio da família e na escola, os valores perenes vinculados à instituição familiar, para o bem de toda a sociedade.

    • Cara, esse é o discurso do Silas Malafaia, não soa bem aos meus ouvidos, queres tu transformar esses gays em aberrações antinaturais. Isso nao está certo. É pecado, sabemos disso. É nojento tb, é…claro, gostamos de mulher. Mas essa briga está fora de proporção para a importancia do negócio. Não é tão importante como estão colocando. Eu lembro ainda quando o Silas começou com essa tal PL. ninguem conhecia, ninguem sabia, e se ele nao a tivesse “propagandado” seria somente mais um projeto de Lei ou que não passaria pelas comissões ou que “não pegaria”. E temos muito mais coisas importante a fazer que pegar no pé de um grupo de gays. E somos da pátria celestial. Aos ATIVISTAS gays digo que seria melhor refletirem em seu estado com toda a coragem qe um homem pode ter, nao tenho dúvidas de que começarao a encontrar respostas. Vamos parar com essa briga estúpida.

  9. NO PLANETA TERRA, NÃO EXISTE UM SÓ HOMOSSEXUAL QUE SEJA FELIZ!
    NO PLANETA TERRA, NÃO EXISTE UMA SÓ FAMÍLIA QUE TENHA ORGULHO DE TER UM DOS SEUS MEMBROS GAY!

DEIXE UMA RESPOSTA