Arqueólogos encontram em tumba no Egito imagem mais antiga com referência a Jesus Cristo

36

Uma pintura de origem copta encontrada numa tumba no Egito gerou especulações de que possivelmente seja a representação de Jesus Cristo mais antiga de que se tem notícia. O grupo de pesquisadores da Sociedade Catalã de Egiptologia e da Universidade de Barcelona anunciou a descoberta na última sexta-feira, 25 de abril.

Os arqueólogos faziam escavações na antiga cidade de Oxyrhynchus, habitada por cristãos coptas no Egito, que são tidos como um dos grupos religiosos dentro do cristianismo mais antigos.

Segundo o jornal espanhol La Vanguardia, a pintura foi descoberta numa estrutura subterrânea que era usada como túmulo para um nobre do período romano-copta. Os arqueólogos não puderam precisar uma data, mas ressaltaram que a condição de preservação da pintura é “excepcional”.

O achado atraiu a atenção e o interesse do Ministério Egípcio de Antiguidades: “As paredes são cobertas com cinco ou seis camadas de tinta, a última correspondente ao tempo dos primeiros cristãos coptas” disse um dos pesquisadores.


De acordo com o relatório, uma das pinturas que mais chamou a atenção, mostra “a figura de um homem jovem, com cachos, vestindo uma túnica curta e com a mão levantada como se estivesse abençoando”.

A descoberta vem sendo tratada como uma “imagem muito primitiva de Jesus Cristo” por se assemelhar às figuras das catacumbas romanas que representam o nazareno.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

36 COMENTÁRIOS

  1. Para: Mary Brito

    Agradeço seu apoio irmã Mary.
    Aproveitei e enviei uma mensagem para o site.

    Vamos ver se eles vão responder.

    Não aceito ser tratado dessa forma, se não fiz nada.
    Sempre participei do site Gospel mais e nunca ofendi ninguém como os perturbados dos seguidores do sr Burns Macedo.As vezes eles extrapolavam nos comentários e não acontecia nada com eles.
    Só quando eles começavam a xingar a gente no fórum que os administradores tomavam providencias.

    Vamos ver o que vai dar, né?

    A paz de Cristo, Irmã Mary. :)

  2. não precisamos argumentar nada, pois a palavra de Deus como perola, jesus mesmo falou que não devemos jogar perolas aos porcos, ou seja que não é para levar a mensagem que ele deixou a pessoas que não querem nada, e além do mais nós não ficamos adorando imagens, pois em apocalipse o anjo fala para João, E eu lancei-me a seus pés para o adorar; mas ele disse-me: Olha não faças tal; sou teu conservo, e de teus irmãos, que têm o testemunho de Jesus. Adora a Deus; porque o testemunho de Jesus é o espírito de profecia. Apocalipse 19:10 ENTÃO COMO O ANJO FALOU A joão PARA NÃO ADORÁ-LO E ADORAR SOMENTE A DEUS E QUE SÓ JESUS É O CAMINHO PARA DEUS, Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem.

    1 Timóteo 2:5 POIS É ANTES DE FALAREM PROCUREM PELO MENOS LER A PALAVRA DE DEUS.

  3. A quase 2.000 anos que é assim, quando encontram qualquer pintura anônima antiga, automaticamente vem a afirmativa que é Jesus, tudo para tentar mais uma vez, convencer o povo, da existência do mesmo

    • Daniel Evangelista · Quem mais comentou · Trabalha na empresa Banco do Brasil

      A NOTÍCIA TRATA DE UM ACHADO ARQUEOLÓGICO QUE SERÁ ESTUDADO. A DATA NÃO SE SABE, PORÉM SEGUEM ABAIXO OS DADOS DA IGREJA COPTA DE SEU NASCIMENTO ATÉ OS DIAS HOJE E ONDE A IGREJA EXISTE. TRATA-SE DE UMA IGREJA DO INÍCIO DO CRISTIANISMO, FUNDADA POR SÃO MARCOS, APÓSTOLO.

      A Igreja Ortodoxa Copta, de acordo com a tradição, foi estabelecida pelo apóstolo São Marcos no Egipto em meados do século I (aproximadamente no ano 60). É uma igreja não-calcedoniana, isto é, uma igreja cristã que não está em comunhão com a Igreja Ortodoxa nem com a Igreja Católica.

      É a igreja cristã nacional do Egipto (Copta significa egípcio) e uma das igrejas da Ortodoxia Oriental mais antigas do mundo. É governada pelo seu líder (o Papa Tawadros II de Alexandria), juntamente com o seu Sínodo.

      Os primeiros cristãos no Egipto eram principalmente judeus de Alexandria, tais como Teófilo, a quem São Lucas dirige o capítulo introdutório do seu evangelho. Quando a Igreja foi fundada por São Marcos, durante a época do imperador romano Nero, um grande número de egípcios, contrariamente a gregos e judeus, abraçou a fé cristã. Esta espalhou-se pelo Egipto em poucas décadas, tal como se pode verificar nos escritos do Novo Testamento encontrados em Bahnasa, no Egipto Médio, e que datam de cerca do ano 200, e de um fragmento do Evangelho segundo São João, escrito em língua copta, encontrado no Egipto Superior e datado da primeira metade do século II.

      Desde os primórdios da Igreja Ortodoxa Copta, a grande maioria dos cristãos etíopes e eritreus estava sob a jurisdição do Papa da Igreja Copta.

      No caso da Etiópia, desde o século IV até 1959, o Papa de Alexandria, como Patriarca de Toda a África, sempre indicou um egípcio (copta) para ser Abuna, ou Arcebispo da Igreja Etíope. Porém, em 1959, a Igreja Ortodoxa Etíope (que tem actualmente 40 a 45 milhões de fiéis) obteve finalmente o direito de ter o seu próprio Patriarca, tornando-se assim autocéfala e independente da Igreja Ortodoxa Copta.

      A Igreja Ortodoxa Eritréia (que tem actualmente cerca de 2,5 milhões de crentes) tornou-se também autocéfala e independente em 1998, com a consagração do primeiro Patriarca eritreu pelo Papa de Alexandria.

      Embora as igrejas Copta, Etíope e Eritréia serem independentes umas das outras, elas estão ainda em comunhão total umas com as outras. Por isso, as igrejas Etíope e Eritréia reconhecem a supremacia honorária do Papa de Alexandria e, consequentemente, a necessidade dos seus respectivos Patriarcas, antes da sua entronização, de receberem a aprovação do Sínodo da Igreja Copta, que é a Igreja-Mãe das igrejas Etíope e Eritréia.

      O número de cristãos fiéis à Igreja Copta é de cerca de 16 milhões, estando distribuídos principalmente pelo Egito (8 a 12 milhões). A igreja Copta, apesar dos conflitos atuais no país, tem crescido. Segundo representante da E3 Partners muitos muçulmanos têm se convertido em segredo. “Eles [islâmicos] procuram os cristãos em segredo, aprendem mais sobre Jesus, começam a ler a Bíblia e se convertem. Hoje, isso é algo comum”, 1

      Os coptas celebram o Natal em 7 de Janeiro. Um costume curioso da Igreja Copta é que, em muitas missas, ainda reza-se e lê-se em copta, a língua original do Antigo Egito. A Igreja é uma das poucas culturas que mantêm viva a língua egípcia original (ou copta), sendo que, com os vários atentados contra a Biblioteca de Alexandria e a influência de outras línguas (principalmente a grega) na antiguidade, a língua foi sendo esquecida aos poucos e, logo, tornou-se incompreensível. Porém, a Igreja Copta mantem viva a língua copta graças a seus ritos litúrgicos.

    • CLARO, É UMA PINTURA DA IGREJA COPTA, IGREJA COPTA FOI FUNDADA NO ANO 60, DEPOIS DE CRISTO E ESTÁ NO EGITO, NA DIASPORA, PRINCIPALMENTE NOS ESTADOS UNIDOS, AUSTRALIA ERITREIA E ETIÓPIA, ONDE TEM ENTRE 40 E 45 MILHÕES DE SEGUIDORES

      Daniel Evangelista · Quem mais comentou · Trabalha na empresa Banco do Brasil

      A NOTÍCIA TRATA DE UM ACHADO ARQUEOLÓGICO QUE SERÁ ESTUDADO. A DATA NÃO SE SABE, PORÉM SEGUEM ABAIXO OS DADOS DA IGREJA COPTA DE SEU NASCIMENTO ATÉ OS DIAS HOJE E ONDE A IGREJA EXISTE. TRATA-SE DE UMA IGREJA DO INÍCIO DO CRISTIANISMO, FUNDADA POR SÃO MARCOS, APÓSTOLO.

      A Igreja Ortodoxa Copta, de acordo com a tradição, foi estabelecida pelo apóstolo São Marcos no Egipto em meados do século I (aproximadamente no ano 60). É uma igreja não-calcedoniana, isto é, uma igreja cristã que não está em comunhão com a Igreja Ortodoxa nem com a Igreja Católica.

      É a igreja cristã nacional do Egipto (Copta significa egípcio) e uma das igrejas da Ortodoxia Oriental mais antigas do mundo. É governada pelo seu líder (o Papa Tawadros II de Alexandria), juntamente com o seu Sínodo.

      Os primeiros cristãos no Egipto eram principalmente judeus de Alexandria, tais como Teófilo, a quem São Lucas dirige o capítulo introdutório do seu evangelho. Quando a Igreja foi fundada por São Marcos, durante a época do imperador romano Nero, um grande número de egípcios, contrariamente a gregos e judeus, abraçou a fé cristã. Esta espalhou-se pelo Egipto em poucas décadas, tal como se pode verificar nos escritos do Novo Testamento encontrados em Bahnasa, no Egipto Médio, e que datam de cerca do ano 200, e de um fragmento do Evangelho segundo São João, escrito em língua copta, encontrado no Egipto Superior e datado da primeira metade do século II.

      Desde os primórdios da Igreja Ortodoxa Copta, a grande maioria dos cristãos etíopes e eritreus estava sob a jurisdição do Papa da Igreja Copta.

      No caso da Etiópia, desde o século IV até 1959, o Papa de Alexandria, como Patriarca de Toda a África, sempre indicou um egípcio (copta) para ser Abuna, ou Arcebispo da Igreja Etíope. Porém, em 1959, a Igreja Ortodoxa Etíope (que tem actualmente 40 a 45 milhões de fiéis) obteve finalmente o direito de ter o seu próprio Patriarca, tornando-se assim autocéfala e independente da Igreja Ortodoxa Copta.

      A Igreja Ortodoxa Eritréia (que tem actualmente cerca de 2,5 milhões de crentes) tornou-se também autocéfala e independente em 1998, com a consagração do primeiro Patriarca eritreu pelo Papa de Alexandria.

      Embora as igrejas Copta, Etíope e Eritréia serem independentes umas das outras, elas estão ainda em comunhão total umas com as outras. Por isso, as igrejas Etíope e Eritréia reconhecem a supremacia honorária do Papa de Alexandria e, consequentemente, a necessidade dos seus respectivos Patriarcas, antes da sua entronização, de receberem a aprovação do Sínodo da Igreja Copta, que é a Igreja-Mãe das igrejas Etíope e Eritréia.

      O número de cristãos fiéis à Igreja Copta é de cerca de 16 milhões, estando distribuídos principalmente pelo Egito (8 a 12 milhões). A igreja Copta, apesar dos conflitos atuais no país, tem crescido. Segundo representante da E3 Partners muitos muçulmanos têm se convertido em segredo. “Eles [islâmicos] procuram os cristãos em segredo, aprendem mais sobre Jesus, começam a ler a Bíblia e se convertem. Hoje, isso é algo comum”, 1

      Os coptas celebram o Natal em 7 de Janeiro. Um costume curioso da Igreja Copta é que, em muitas missas, ainda reza-se e lê-se em copta, a língua original do Antigo Egito. A Igreja é uma das poucas culturas que mantêm viva a língua egípcia original (ou copta), sendo que, com os vários atentados contra a Biblioteca de Alexandria e a influência de outras línguas (principalmente a grega) na antiguidade, a língua foi sendo esquecida aos poucos e, logo, tornou-se incompreensível. Porém, a Igreja Copta mantem viva a língua copta graças a seus ritos litúrgicos.

  4. O dogmatismo aprisiona o ser e causa temores desnecessários… liberte seu “Eu” interior e deixe de sofrer por causa de convenções!!!

    V.I.T.R.I.O.L. Do latim “Visita Interiorem Terrae, Rectificando, Invenies Occultum Lapidem”, que quer dizer: Visita o Centro da Terra, Retificando-te, encontrarás a Pedra Oculta (ou Filosofal).

    Filosoficamente ela quer dizer: Visita o Teu Interior, Purificando-te, Encontrarás o Teu Eu Oculto, ou, “a essência da tua alma humana”. É o símbolo universal da constante busca do homem para melhorar a si mesmo e a sociedade em geral

    PAX ET LUX TE CUM

    Ab3aços

    João Luis

    • Daniel Evangelista · Quem mais comentou · Trabalha na empresa Banco do Brasil

      A NOTÍCIA TRATA DE UM ACHADO ARQUEOLÓGICO QUE SERÁ ESTUDADO. A DATA NÃO SE SABE, PORÉM SEGUEM ABAIXO OS DADOS DA IGREJA COPTA DE SEU NASCIMENTO ATÉ OS DIAS HOJE E ONDE A IGREJA EXISTE. TRATA-SE DE UMA IGREJA DO INÍCIO DO CRISTIANISMO, FUNDADA POR SÃO MARCOS, APÓSTOLO.

      A Igreja Ortodoxa Copta, de acordo com a tradição, foi estabelecida pelo apóstolo São Marcos no Egipto em meados do século I (aproximadamente no ano 60). É uma igreja não-calcedoniana, isto é, uma igreja cristã que não está em comunhão com a Igreja Ortodoxa nem com a Igreja Católica.

      É a igreja cristã nacional do Egipto (Copta significa egípcio) e uma das igrejas da Ortodoxia Oriental mais antigas do mundo. É governada pelo seu líder (o Papa Tawadros II de Alexandria), juntamente com o seu Sínodo.

      Os primeiros cristãos no Egipto eram principalmente judeus de Alexandria, tais como Teófilo, a quem São Lucas dirige o capítulo introdutório do seu evangelho. Quando a Igreja foi fundada por São Marcos, durante a época do imperador romano Nero, um grande número de egípcios, contrariamente a gregos e judeus, abraçou a fé cristã. Esta espalhou-se pelo Egipto em poucas décadas, tal como se pode verificar nos escritos do Novo Testamento encontrados em Bahnasa, no Egipto Médio, e que datam de cerca do ano 200, e de um fragmento do Evangelho segundo São João, escrito em língua copta, encontrado no Egipto Superior e datado da primeira metade do século II.

      Desde os primórdios da Igreja Ortodoxa Copta, a grande maioria dos cristãos etíopes e eritreus estava sob a jurisdição do Papa da Igreja Copta.

      No caso da Etiópia, desde o século IV até 1959, o Papa de Alexandria, como Patriarca de Toda a África, sempre indicou um egípcio (copta) para ser Abuna, ou Arcebispo da Igreja Etíope. Porém, em 1959, a Igreja Ortodoxa Etíope (que tem actualmente 40 a 45 milhões de fiéis) obteve finalmente o direito de ter o seu próprio Patriarca, tornando-se assim autocéfala e independente da Igreja Ortodoxa Copta.

      A Igreja Ortodoxa Eritréia (que tem actualmente cerca de 2,5 milhões de crentes) tornou-se também autocéfala e independente em 1998, com a consagração do primeiro Patriarca eritreu pelo Papa de Alexandria.

      Embora as igrejas Copta, Etíope e Eritréia serem independentes umas das outras, elas estão ainda em comunhão total umas com as outras. Por isso, as igrejas Etíope e Eritréia reconhecem a supremacia honorária do Papa de Alexandria e, consequentemente, a necessidade dos seus respectivos Patriarcas, antes da sua entronização, de receberem a aprovação do Sínodo da Igreja Copta, que é a Igreja-Mãe das igrejas Etíope e Eritréia.

      O número de cristãos fiéis à Igreja Copta é de cerca de 16 milhões, estando distribuídos principalmente pelo Egito (8 a 12 milhões). A igreja Copta, apesar dos conflitos atuais no país, tem crescido. Segundo representante da E3 Partners muitos muçulmanos têm se convertido em segredo. “Eles [islâmicos] procuram os cristãos em segredo, aprendem mais sobre Jesus, começam a ler a Bíblia e se convertem. Hoje, isso é algo comum”, 1

      Os coptas celebram o Natal em 7 de Janeiro. Um costume curioso da Igreja Copta é que, em muitas missas, ainda reza-se e lê-se em copta, a língua original do Antigo Egito. A Igreja é uma das poucas culturas que mantêm viva a língua egípcia original (ou copta), sendo que, com os vários atentados contra a Biblioteca de Alexandria e a influência de outras línguas (principalmente a grega) na antiguidade, a língua foi sendo esquecida aos poucos e, logo, tornou-se incompreensível. Porém, a Igreja Copta mantem viva a língua copta graças a seus ritos litúrgicos.

      • Você copiou estas informações do Wikipedia, só esqueceu de colocar uma coisa.

        “A Igreja Ortodoxa Copta, DE ACORDO COM A TRADIÇÃO, foi estabelecida pelo apóstolo São Marcos no Egipto em meados do século I (aproximadamente no ano 60).”

        Não há nenhum fato histórico que confirme que a Igreja foi fundada por Marcos, porém, não haveria mal algum em ter sido ele.

        Durante a história da Igreja vejam o relato:

        “No século IV um presbítero vindo do que é hoje a Líbia, chamado Arius, iniciou uma discussão teológica sobre a natureza de Jesus Cristo que se espalhou por toda a Cristandade. O Concílio de Niceia (325), convocado pelo imperador Constantino para resolver a questão levou à formulação do Credo de Niceia, ainda hoje recitado por todos os cristãos, e cujo autor é Santo Atanásio.”

        Opa, vemos aqui o Imperador Constantino, que, para quem não sabe foi o fundador da Igreja Católica.

        A Igreja Copta pode até não ter sido originária da Igreja Católica, até porque ao que se tem por notícia o Catolicismo ainda não existia à época de seu nascimento, porém, que houve influencia Romana (Católica) isso é mais que comprovado.

    • Deixa de ser ignorante Emanuelle, Lutero não invento e nem criou nada ele só retorno a Palavra vivida e praticada e enscinada por Yeshua e seus seguidores, que está na Bíblia Sagrada, que nesta epoca era apenas oralmente, a unica escrita era o antigo testamento, mais tarde foi acoplado a ele o novo testamento escrito e vivido pelos primeiros cristão da época…………

    • SANTA IGNORÂNCIA.A IGREJA COPTA É UMA IGREJA DO ORIENTE CRIADA PELO APÓSTOLO SÃO MARCOS. TRATA´-SE DE UMA DAS IGREJAS PRIMITIVAS DO ORIENTE.

      CLARO QUE NÃO SE SABE A DATA DA PINTURA, MAIS É UM ACHADO ARQUEOLÓGICO IMPORTENTE.

      SE VOCÊ NÃO SABE, OS COPTAS SÃO OS CRISTÃOS QUE DURANTE A REVOLUÇÃO RECENTE POR LÁ FORAM PERSEGUIDOS. A MÍDIA BRASILEIRA\ COMO A GLOBO COLCA AS INFORMAÇÕES COMO SE O MUNDO INTEIRO FOSSE CATÓLICO. OS COPTAS SÃO EM TORNO DE 50 MILHÕES NO MUNDO.

      Daniel Evangelista · Quem mais comentou · Trabalha na empresa Banco do Brasil

      A NOTÍCIA TRATA DE UM ACHADO ARQUEOLÓGICO QUE SERÁ ESTUDADO. A DATA NÃO SE SABE, PORÉM SEGUEM ABAIXO OS DADOS DA IGREJA COPTA DE SEU NASCIMENTO ATÉ OS DIAS HOJE E ONDE A IGREJA EXISTE. TRATA-SE DE UMA IGREJA DO INÍCIO DO CRISTIANISMO, FUNDADA POR SÃO MARCOS, APÓSTOLO.

      A Igreja Ortodoxa Copta, de acordo com a tradição, foi estabelecida pelo apóstolo São Marcos no Egipto em meados do século I (aproximadamente no ano 60). É uma igreja não-calcedoniana, isto é, uma igreja cristã que não está em comunhão com a Igreja Ortodoxa nem com a Igreja Católica.

      É a igreja cristã nacional do Egipto (Copta significa egípcio) e uma das igrejas da Ortodoxia Oriental mais antigas do mundo. É governada pelo seu líder (o Papa Tawadros II de Alexandria), juntamente com o seu Sínodo.

      Os primeiros cristãos no Egipto eram principalmente judeus de Alexandria, tais como Teófilo, a quem São Lucas dirige o capítulo introdutório do seu evangelho. Quando a Igreja foi fundada por São Marcos, durante a época do imperador romano Nero, um grande número de egípcios, contrariamente a gregos e judeus, abraçou a fé cristã. Esta espalhou-se pelo Egipto em poucas décadas, tal como se pode verificar nos escritos do Novo Testamento encontrados em Bahnasa, no Egipto Médio, e que datam de cerca do ano 200, e de um fragmento do Evangelho segundo São João, escrito em língua copta, encontrado no Egipto Superior e datado da primeira metade do século II.

      Desde os primórdios da Igreja Ortodoxa Copta, a grande maioria dos cristãos etíopes e eritreus estava sob a jurisdição do Papa da Igreja Copta.

      No caso da Etiópia, desde o século IV até 1959, o Papa de Alexandria, como Patriarca de Toda a África, sempre indicou um egípcio (copta) para ser Abuna, ou Arcebispo da Igreja Etíope. Porém, em 1959, a Igreja Ortodoxa Etíope (que tem actualmente 40 a 45 milhões de fiéis) obteve finalmente o direito de ter o seu próprio Patriarca, tornando-se assim autocéfala e independente da Igreja Ortodoxa Copta.

      A Igreja Ortodoxa Eritréia (que tem actualmente cerca de 2,5 milhões de crentes) tornou-se também autocéfala e independente em 1998, com a consagração do primeiro Patriarca eritreu pelo Papa de Alexandria.

      Embora as igrejas Copta, Etíope e Eritréia serem independentes umas das outras, elas estão ainda em comunhão total umas com as outras. Por isso, as igrejas Etíope e Eritréia reconhecem a supremacia honorária do Papa de Alexandria e, consequentemente, a necessidade dos seus respectivos Patriarcas, antes da sua entronização, de receberem a aprovação do Sínodo da Igreja Copta, que é a Igreja-Mãe das igrejas Etíope e Eritréia.

      O número de cristãos fiéis à Igreja Copta é de cerca de 16 milhões, estando distribuídos principalmente pelo Egito (8 a 12 milhões). A igreja Copta, apesar dos conflitos atuais no país, tem crescido. Segundo representante da E3 Partners muitos muçulmanos têm se convertido em segredo. “Eles [islâmicos] procuram os cristãos em segredo, aprendem mais sobre Jesus, começam a ler a Bíblia e se convertem. Hoje, isso é algo comum”, 1

      Os coptas celebram o Natal em 7 de Janeiro. Um costume curioso da Igreja Copta é que, em muitas missas, ainda reza-se e lê-se em copta, a língua original do Antigo Egito. A Igreja é uma das poucas culturas que mantêm viva a língua egípcia original (ou copta), sendo que, com os vários atentados contra a Biblioteca de Alexandria e a influência de outras línguas (principalmente a grega) na antiguidade, a língua foi sendo esquecida aos poucos e, logo, tornou-se incompreensível. Porém, a Igreja Copta mantem viva a língua copta graças a seus ritos litúrgicos.

    • Você precisa ler mais, também me diziam isso quando criança. Descobri que os países mais ricos e desenvolvidos do mundo viveram a reforma de Lutero.

      A própria Alemanha, Suécia, Dinamarca, Finlândia e Islândia etc.

      Martinho Lutero, em alemão Martin Luther, (Eisleben, 10 de novembro de 1483 — Eisleben, 18 de fevereiro de 1546) foi um monge católico agostiniano e professor de teologia germânico que foi figura central da Reforma Protestante. Que ficando contra os conceitos da Igreja Católica veementemente contestando a alegação de que a liberdade da punição de Deus sobre o pecado poderia ser comprada, confrontou o vendedor de indulgências Johann Tetzel com suas 95 Teses em 1517. Sua recusa em retirar seus escritos a pedido do Papa Leão X em 1520 e do Imperador Carlos V na Dieta de Worms em 1521 resultou em sua excomunhão pelo Papa e a condenação como um fora-da-lei pelo imperador do Sacro Império Romano Antigo.

      Lutero ensinava que a salvação não se consegue com boas ações, mas é um livre presente de Deus, recebida apenas pela graça, através da fé em Jesus como único redentor do pecador. Apesar disso, em suas teses não negava a necessidade da confissão, considerando-a necessária para o perdão da falta 1 Sua teologia desafiou a autoridade papal na Igreja Católica Romana, pois ele ensinava que a Bíblia é a única fonte de conhecimento divinamente revelada2 e opôs-se ao sacerdotalismo, por considerar todos os cristãos batizados como um sacerdócio santo.3 Aqueles que se identificavam com os ensinamentos de Lutero eram chamados luteranos.

      Em seus últimos anos, Lutero tornou-se algo antissemita, chegando a escrever que as casas judaicas deveriam ser destruídas, e suas sinagogas queimadas, dinheiro confiscado e liberdade cerceada. Essas afirmações fizeram de Lutero uma figura controversa entre muitos historiadores e estudiosos. 4

      Além de suas atividades como professor, Martinho Lutero ainda colaborava como pregador e confessor na igreja de Santa Maria, na cidade. Também pregava habitualmente na igreja do Castelo (chamada de “Todos os Santos” – porque ali havia uma coleção de relíquias, estabelecidas por Frederico III da Saxônia). Foi durante esse período que o jovem sacerdote se deu conta dos problemas que o oferecimento de indulgências aos fiéis, como se esses fossem fregueses, poderia acarretar.

      A indulgência é a remissão (parcial ou total) do castigo temporal imputado a alguém por conta dos seus pecados (aplicável apenas a alguém que esteja em estado de graça, ou seja, livre de pecados graves, e arrependido de todos os seus pecados veniais. Naquele tempo, o papa havia concedido uma indulgência plenária para quem doasse qualquer quantia para a reforma da Basílica de São Pedro. O frade Johann Tetzel fora recrutado para viajar através dos territórios episcopais do arcebispo Alberto de Mogúncia, mas sua campanha tomou a linha de uma venda, pois este frade, posteriormente punido por isso, dizia que “Assim que uma moeda tilinta no cofre, uma alma sai do Purgatório”.9

      Lutero viu este tráfico de indulgências como um abuso que poderia confundir as pessoas e levá-las a confiar apenas nas indulgências, deixando de lado a confissão e o arrependimento verdadeiros. Proferiu, então, três sermões contra as indulgências em 1516 e 1517. Segundo a tradição, em 31 de outubro de 1517 foram afixadas as 95 Teses na porta da Igreja do Castelo de Wittenberg, com um convite aberto ao debate sobre elas. Essas teses condenavam o que Lutero acreditava ser a avareza e o paganismo na Igreja como um abuso e pediam um debate teológico sobre o que as Indulgências significavam. Para todos os efeitos, contudo, nelas Lutero não questionava diretamente a autoridade do Papa para conceder as tais indulgências.

      As 95 Teses foram logo traduzidas para o alemão e amplamente copiadas e impressas. Ao cabo de duas semanas se haviam espalhado por toda a Alemanha e, em dois meses, por toda a Europa. Este foi o primeiro episódio da História em que a imprensa teve papel fundamental, pois facilitou a distribuição simples e ampla do documento.

      A disputa havida em Leipzig, em 1519, fez com que Lutero travasse contato com os humanistas, especialmente Melanchthon, Reuchlin e Erasmo de Roterdã, que por sua vez também influenciara ao nobre Franz von Sickingen. Von Sickingen e Silvestre de Schauenbur queriam manter Lutero sob sua proteção, convidando-o para seus castelos na eventualidade de não ser-lhe seguro permanecer na Saxônia, em virtude da proscrição papal.

      Sob essas circunstâncias de crise, e confrontando aos nobres alemães, Lutero escreveu “À Nobreza Cristã da Nação Alemã” (agosto de 1520), onde recomendava ao laicado, como um sacerdote espiritual, que fizesse a reforma requerida por Deus, mas abandonada pelo Papa e pelo clero. Pela primeira vez Lutero referiu-se ao Papa como o Anticristo13 .

      As reformas que Lutero propunha não se referiam apenas a questões doutrinárias, mas também aos abusos eclesiásticos:

      a diminuição do número de cardeais e outras exigências da corte papal;
      a abolição das rendas do Papa;
      o reconhecimento do governo secular;
      a renúncia da exigência papal pelo poder temporal;
      a abolição dos Interditos e abusos relacionados com a excomunhão;
      a abolição das peregrinações nocivas;
      a eliminação dos excessivos dias santos;
      a supressão dos conventos para monjas, da mendicidade e da suntuosidade; a reforma das universidades;
      a ab-rogação do celibato do clero;
      e, finalmente, uma reforma geral na moralidade pública.
      Muitas destas propostas refletiam os interesses da nobreza alemã, revoltada com sua submissão ao Papa e, principalmente, com o fato de terem que enviar riquezas a Roma.

      Segundo a Revista editada em conjunto pela Igreja Evangélica Metodista Portuguesa e a Igreja Evangélica Presbiteriana de Portugal, Portugal Evangélico, em sua edição nº 93256 , de 2008, o Papa Bento XVI, poderia vir a reabilitar Lutero. Segundo o texto, “Vozes autorizadas do Vaticano adiantavam que o Papa reabilitaria Martinho Lutero argumentando que nunca teria sido sua intenção dividir a Igreja mas sim lutar contra os abusos e práticas de corrupção da mesma”. E complementa dizendo que “O Cardeal Walter Kasper, Presidente do Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos, antecipava que estas declarações dariam nova coragem ao diálogo ecuménico e contradiriam, até certo ponto, as afirmações feitas em Julho do ano anterior denegrindo a fé, a ortodoxa e protestante, ao não considerar estes dois ramos do cristianismo como verdadeiras Igrejas”. Porém, nesse mesmo ano, o site Agência Ecclesia, agência de notícias da Igreja Católica em Portugal, desmentiu essa notícia citando uma declaração do diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, padre Federico Lombardi dada ao jornal britânico Financial Times.57 Segundo o religioso, essa afirmação “não tem nenhum fundamento” e que o termo “reabilitação” nunca seria o correto neste caso. Depois dessas notícias não houve mais informações até o momento sobre uma possível reabilitação de Lutero pela Igreja Católica.

  5. Não há datação da pintura mas relata-se ser do período romano-copta que era uma ramificação da Igreja Católica, por isso a imagem como ela é que nada tem a ver com o perfil judeu.

    • Não há referencia que a Igreja Copta seja ramificação da Igreja Católica. Ela é a Igreja fundada no Egito no ano 60 depois de Cristo. Quando Constantino fundou a Igreja católica, mais tarde, ela preferiu permanecer fora, enquanto outras igrejas orientais aceitaram reconhecer o Patriarca de Roma (Igreja Latina) como supremo. Não se trata de Igreja dissidente. A Tradição diz que foi fundada por São Marcos:

      Daniel Evangelista · Quem mais comentou · Trabalha na empresa Banco do Brasil

      A NOTÍCIA TRATA DE UM ACHADO ARQUEOLÓGICO QUE SERÁ ESTUDADO. A DATA NÃO SE SABE, PORÉM SEGUEM ABAIXO OS DADOS DA IGREJA COPTA DE SEU NASCIMENTO ATÉ OS DIAS HOJE E ONDE A IGREJA EXISTE. TRATA-SE DE UMA IGREJA DO INÍCIO DO CRISTIANISMO, FUNDADA POR SÃO MARCOS, APÓSTOLO.

      A Igreja Ortodoxa Copta, de acordo com a tradição, foi estabelecida pelo apóstolo São Marcos no Egipto em meados do século I (aproximadamente no ano 60). É uma igreja não-calcedoniana, isto é, uma igreja cristã que não está em comunhão com a Igreja Ortodoxa nem com a Igreja Católica.

      É a igreja cristã nacional do Egipto (Copta significa egípcio) e uma das igrejas da Ortodoxia Oriental mais antigas do mundo. É governada pelo seu líder (o Papa Tawadros II de Alexandria), juntamente com o seu Sínodo.

      Os primeiros cristãos no Egipto eram principalmente judeus de Alexandria, tais como Teófilo, a quem São Lucas dirige o capítulo introdutório do seu evangelho. Quando a Igreja foi fundada por São Marcos, durante a época do imperador romano Nero, um grande número de egípcios, contrariamente a gregos e judeus, abraçou a fé cristã. Esta espalhou-se pelo Egipto em poucas décadas, tal como se pode verificar nos escritos do Novo Testamento encontrados em Bahnasa, no Egipto Médio, e que datam de cerca do ano 200, e de um fragmento do Evangelho segundo São João, escrito em língua copta, encontrado no Egipto Superior e datado da primeira metade do século II.

      Desde os primórdios da Igreja Ortodoxa Copta, a grande maioria dos cristãos etíopes e eritreus estava sob a jurisdição do Papa da Igreja Copta.

      No caso da Etiópia, desde o século IV até 1959, o Papa de Alexandria, como Patriarca de Toda a África, sempre indicou um egípcio (copta) para ser Abuna, ou Arcebispo da Igreja Etíope. Porém, em 1959, a Igreja Ortodoxa Etíope (que tem actualmente 40 a 45 milhões de fiéis) obteve finalmente o direito de ter o seu próprio Patriarca, tornando-se assim autocéfala e independente da Igreja Ortodoxa Copta.

      A Igreja Ortodoxa Eritréia (que tem actualmente cerca de 2,5 milhões de crentes) tornou-se também autocéfala e independente em 1998, com a consagração do primeiro Patriarca eritreu pelo Papa de Alexandria.

      Embora as igrejas Copta, Etíope e Eritréia serem independentes umas das outras, elas estão ainda em comunhão total umas com as outras. Por isso, as igrejas Etíope e Eritréia reconhecem a supremacia honorária do Papa de Alexandria e, consequentemente, a necessidade dos seus respectivos Patriarcas, antes da sua entronização, de receberem a aprovação do Sínodo da Igreja Copta, que é a Igreja-Mãe das igrejas Etíope e Eritréia.

      O número de cristãos fiéis à Igreja Copta é de cerca de 16 milhões, estando distribuídos principalmente pelo Egito (8 a 12 milhões). A igreja Copta, apesar dos conflitos atuais no país, tem crescido. Segundo representante da E3 Partners muitos muçulmanos têm se convertido em segredo. “Eles [islâmicos] procuram os cristãos em segredo, aprendem mais sobre Jesus, começam a ler a Bíblia e se convertem. Hoje, isso é algo comum”, 1

      Os coptas celebram o Natal em 7 de Janeiro. Um costume curioso da Igreja Copta é que, em muitas missas, ainda reza-se e lê-se em copta, a língua original do Antigo Egito. A Igreja é uma das poucas culturas que mantêm viva a língua egípcia original (ou copta), sendo que, com os vários atentados contra a Biblioteca de Alexandria e a influência de outras línguas (principalmente a grega) na antiguidade, a língua foi sendo esquecida aos poucos e, logo, tornou-se incompreensível. Porém, a Igreja Copta mantem viva a língua copta graças a seus ritos litúrgicos.

  6. viu como é facil começar uma guerra santa basta ter um assunto para dissertar que os animos ficam acirrados,é de assustar ,é estamos longe muito longe do que Jesus quer que sejamos,infelizmente todos querem defender sua bandeira ,sua tribo, território ou fé mas como disse paulo ainda que eu falasse a lingua dos anjos mas não tivesse o amor nada disso adiantaria,fica a dica!!!!!!!

    • IMAGINA SE A PINTURA FOSSE DA IGREJA CATÓLOCA. É UMA PITURA DA IGREJA COPTA DO EGITO. É A IGREJA CRISTÃ DO EGITO FUNDADA POR SÃO MARCOS.

      Daniel Evangelista · Quem mais comentou · Trabalha na empresa Banco do Brasil

      A NOTÍCIA TRATA DE UM ACHADO ARQUEOLÓGICO QUE SERÁ ESTUDADO. A DATA NÃO SE SABE, PORÉM SEGUEM ABAIXO OS DADOS DA IGREJA COPTA DE SEU NASCIMENTO ATÉ OS DIAS HOJE E ONDE A IGREJA EXISTE. TRATA-SE DE UMA IGREJA DO INÍCIO DO CRISTIANISMO, FUNDADA POR SÃO MARCOS, APÓSTOLO.

      A Igreja Ortodoxa Copta, de acordo com a tradição, foi estabelecida pelo apóstolo São Marcos no Egipto em meados do século I (aproximadamente no ano 60). É uma igreja não-calcedoniana, isto é, uma igreja cristã que não está em comunhão com a Igreja Ortodoxa nem com a Igreja Católica.

      É a igreja cristã nacional do Egipto (Copta significa egípcio) e uma das igrejas da Ortodoxia Oriental mais antigas do mundo. É governada pelo seu líder (o Papa Tawadros II de Alexandria), juntamente com o seu Sínodo.

      Os primeiros cristãos no Egipto eram principalmente judeus de Alexandria, tais como Teófilo, a quem São Lucas dirige o capítulo introdutório do seu evangelho. Quando a Igreja foi fundada por São Marcos, durante a época do imperador romano Nero, um grande número de egípcios, contrariamente a gregos e judeus, abraçou a fé cristã. Esta espalhou-se pelo Egipto em poucas décadas, tal como se pode verificar nos escritos do Novo Testamento encontrados em Bahnasa, no Egipto Médio, e que datam de cerca do ano 200, e de um fragmento do Evangelho segundo São João, escrito em língua copta, encontrado no Egipto Superior e datado da primeira metade do século II.

      Desde os primórdios da Igreja Ortodoxa Copta, a grande maioria dos cristãos etíopes e eritreus estava sob a jurisdição do Papa da Igreja Copta.

      No caso da Etiópia, desde o século IV até 1959, o Papa de Alexandria, como Patriarca de Toda a África, sempre indicou um egípcio (copta) para ser Abuna, ou Arcebispo da Igreja Etíope. Porém, em 1959, a Igreja Ortodoxa Etíope (que tem actualmente 40 a 45 milhões de fiéis) obteve finalmente o direito de ter o seu próprio Patriarca, tornando-se assim autocéfala e independente da Igreja Ortodoxa Copta.

      A Igreja Ortodoxa Eritréia (que tem actualmente cerca de 2,5 milhões de crentes) tornou-se também autocéfala e independente em 1998, com a consagração do primeiro Patriarca eritreu pelo Papa de Alexandria.

      Embora as igrejas Copta, Etíope e Eritréia serem independentes umas das outras, elas estão ainda em comunhão total umas com as outras. Por isso, as igrejas Etíope e Eritréia reconhecem a supremacia honorária do Papa de Alexandria e, consequentemente, a necessidade dos seus respectivos Patriarcas, antes da sua entronização, de receberem a aprovação do Sínodo da Igreja Copta, que é a Igreja-Mãe das igrejas Etíope e Eritréia.

      O número de cristãos fiéis à Igreja Copta é de cerca de 16 milhões, estando distribuídos principalmente pelo Egito (8 a 12 milhões). A igreja Copta, apesar dos conflitos atuais no país, tem crescido. Segundo representante da E3 Partners muitos muçulmanos têm se convertido em segredo. “Eles [islâmicos] procuram os cristãos em segredo, aprendem mais sobre Jesus, começam a ler a Bíblia e se convertem. Hoje, isso é algo comum”, 1

      Os coptas celebram o Natal em 7 de Janeiro. Um costume curioso da Igreja Copta é que, em muitas missas, ainda reza-se e lê-se em copta, a língua original do Antigo Egito. A Igreja é uma das poucas culturas que mantêm viva a língua egípcia original (ou copta), sendo que, com os vários atentados contra a Biblioteca de Alexandria e a influência de outras línguas (principalmente a grega) na antiguidade, a língua foi sendo esquecida aos poucos e, logo, tornou-se incompreensível. Porém, a Igreja Copta mantem viva a língua copta graças a seus ritos litúrgicos.

  7. Em exodo 20:4 da biblia sagrada ta escrito nao teras para ti imagem de escultura,nem semelhança alguma do que há em cima nos céus,nem embaixo na terra,nem nas águas debaixo da terra

  8. todas as discussões que envolvem sobre a face de jesus Cristo tornam-se enfadonhas e infrutíferas mas, se alguém ver sobre um breve relato do Senador Públio Lentulus para o imperador Tiberio Cezar, dando as características físicas de Jesus e sobre seu comportamento acredito que isto encerra todos os temas e discussões sobre tal assunto.

    • A descrição é falsa justamente por contrariar as escrituras.

      Trecho da carta:

      “é um homem de justa estatura e é muito belo no aspecto, e há tanta majestade no rosto, que aqueles que o vêem são forçados a amá-lo ou temê-lo”

      Relato Bíblico:

      “Porque foi subindo como renovo perante ele, e como raiz de uma terra seca; não tinha beleza nem formosura e, olhando nós para ele, não havia boa aparência nele, para que o desejássemos.” Isaías 53:2

      Prefiro ficar com a Palavra de Deus por intermédio do profeta Isaías.

DEIXE UMA RESPOSTA