Autor de livro que a igreja Bola de Neve tentou proibir desabafa: “Mordaça cristã”

10

A polêmica que envolve a Bola de Neve e a briga judicial que a denominação protagoniza na tentativa de tirar de circulação o livro A Grande Onda Vai te Pegar – Marketing, Espetáculo e Ciberspaço na Bola de Neve Church, publicado pela Fonte Editorial, continua atraindo holofotes da mídia.

Com teor analítico, a revista IstoÉ publicou essa semana uma reportagem especial sobre o assunto, traçando um perfil dos frequentadores da igreja e da própria liturgia da igreja.

Segundo a matéria, a doutrina da Bola de Neve tenta controlar a rotina dos frequentadores em todas as áreas, ditando até quais posições seriam mais ou menos aceitas na hora da prática sexual.

“Para namorar um rapaz – e só pode ser um rapaz –, uma moça tem de ter a concordância do líder de célula, pastor ou apóstolo”, diz o autor do livro, Eduardo Meinberg de Albuquerque Maranhão Filho.


A respeito do polêmico livro, Eduardo diz que foi membro da Bola de Neve entre 2005 e 2006, chegou a concluir o curso de líderes de células, mas um desentendimento com um superior o levou a não assumir a função, e desde 2009 passou a publicar trabalhos sobre a igreja, sempre com informações repassadas por pessoas que ainda fazem parte da membresia.

Uma das estratégias da denominação seria, segundo o autor, atrair jovens universitários e assim, estabelecer uma conexão com grupos mais arredios à fé: “Querem formar crianças, adolescentes e universitários cristãos. O objetivo é mudar para perto das universidades para ter gente deles dentro da academia e falar da igreja dentro e fora da instituição. É proselitismo forte”, conta Eduardo.

O livro que a Bola de Neve tenta proibir de circular surgiu de sua dissertação de mestrado, que levou oito anos de pesquisa e foi defendida na Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESCC) em 2010.

A primeira tentativa de proibição da publicação do livro aconteceu na Justiça, e como essa estratégia não foi bem-sucedida, a intimidação, de acordo com Eduardo, foi pessoal: “Se você lançar, publicar ou divulgar o livro, vai ter problemas”, disse um advogado da igreja ao autor durante o evento de lançamento, no último dia 30 de outubro.

A advogada da igreja, Tais Amorim, não nega o episódio e argumenta que esse encontro foi uma tentativa da Bola de Neve de negociar amigavelmente com Maranhão Filho. “A obra trata da entidade como uma agência mercadológica. Essa não é a igreja Bola de Neve. Ela não tem nenhuma estratégia de atuação, de marketing, para crescimento. As estratégias são divinas”, afirma.

Com o insucesso na tentativa de barrar o livro, a igreja diz, de acordo com a IstoÉ, que não faz planos para continuar tentando impedir a publicação. Na proposta mal-sucedida, a igreja pedia que Eduardo suspendesse o lançamento, retirasse de circulação todos os seus artigos que mencionam a igreja desde 2009, excluísse a fanpage do livro no Facebook e não voltasse a usá-la como tema de seus trabalhos científicos, além de estipular uma multa de R$ 50 mil caso o livro fosse lançado e uma multa diária de R$ 10 mil após o lançamento. “Seria o início de uma mordaça cristã em relação a trabalhos sobre evangélicos?”, questiona o autor.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+


10 COMENTÁRIOS

  1. “Seria o início de uma mordaça cristã em relação a trabalhos sobre evangélicos?” So se for no rabo dele, pois ja foi lançado livros falando de tudo quanto é igreja e nenhum foi barrado, nem o dele o esta sendo mais, então o que tem haver, ele quer polemica para vender mais livros.

    Outra questão : “Para namorar um rapaz – e só pode ser um rapaz –”, Não, queria que namora-se outra mulher ? Quer viadagem dentro da igreja agora ? Então que va para a “Igreja Inclusiva”.

    “uma moça tem de ter a concordância do líder de célula, pastor ou apóstolo” Ja nesta parte concordo que um lider religioso não deve se intrometer na vida das pessoas caso queiram namorar ou não, deve apenas fazer aconselhamentos e não interferir.

    OBS : Não defendo e nem gosto desta Igreja Bola de Neve ai.

  2. Esse assunto é tão fácil de se resolver…NÃO GOSTA DE COMO É FEITO AS COISAS POR LÁ ??? ENTÃO SAIA…simples…

    Agora ficar escrevendo livro, dizer que não concorda com isso ou com aquilo de determinada igreja…é muita falta do que fazer…é coisa de gente infeliz…grato

  3. Sou presbitero na Igreja Assembleia de Deus ja fui em cultos da IGREJA BOLA DE NEVE e sempre achei uma igreja que prega a palavra de DEUS.

    Tenho um irmao ANDRE que e diacono na IGREJA BOLA DE NEVE congrega com a esposa dele SARA na IGREJA DO BOLA EM DIADEMA e nunca viram naea errado la

    A BOLA DE NEVE TEM UM OTIMO TRABALHO PRINCIPALMENTE COM OS JOVENS

    A PAZ DO SENHOR P TODOS

    CLAUDIO

  4. ESSAS ” IGREJAS ” ENVOLVIDAS EM CÉLULAS ESTÃO IMPREGNADAS DE ESPIRITISMO, PAGANISMO, OCULTISMO E OUTRAS INFLUÊNCIAS PERNICIOSAS. SOCIALMENTE CADA UM FREQUENTA A IGREJA QUE QUER E DEFENDE A FÉ POR QUEM QUER ( MT. 13:30; AT. 5: 34-39 ). ENTRETANTO, O PECADO E AS DISTORÇÕES TEOLÓGICAS PRECISAM SER ATACADOS ( MT. 23: 13-33; JO. 7:7; EF. 5:11 ). OS CONTRADIZENTES DEVEM SER CONTRA-ATACADOS ( TT.1 : 9 ).

  5. Eu estudei em 2009 teologia em um seminário que proibia o namoro dos alunos nos 6 primeiros meses de curso e após este período se fosse notada uma “amizade especial” entre alunos, os mesmos tinham seus pais e pastores convocados para decidirem o futuro do casal. Detalhe, todos alunos adultos, alguns oriundos de outra universidade. Rídiculo, vi pessoas com grande potencial serem expulsas do VALE DA BENÇÃO pelo simples fato de estarem apaixonadas e a direção não concordar. Hoje um casal está muito feliz, assim como eu, longe desta denominação fascista e hipócrita. Vale da Escravidão

  6. O livro em questão, não é coisa de quem não têm o que fazer. Todos sabem que é fruto de um trabalho acadêmico , uma dissertação de mestrado? Que foi devidamente defendida e aprovada? Então, qual o “medinho” desta igreja? Qual a capacidade de defesa e argumentação dela, ou o medo vem da certeza de que o ponto de vista do autor do livro irá mostrar muito mais do que a opinião dele e fara abrir as “estratégias ” para trazer a manter as pessoas nesta “casa de Deus”.
    Para mim e falo com propriedade de caso , esta Bola de Neve é a mais perversa das igrejas, por usar o discuso liberal para aplicar o proselitismo ( é crime no Brasil) em muitos os casos distanciar o foco da liberdade e aprisionar as pessoas em conceitos rasos e que limitam a inteligência e o sendo critico.
    Resumindo “QUEM NÃO DEVE NÃO TEME”!

DEIXE UMA RESPOSTA