Cantora é perseguida por radicais hindus por ter se convertido ao cristianismo

3

Uma popular cantora e atriz do Nepal têm sofrido com a perseguição de radicais religiosos desde que se converteu ao cristianismo. Anju Panta afirma que se converteu ao cristianismo porque encontrou “paz” no Senhor, mas sua decisão tem tido uma grande repercussão no país, de maioria hindu.

O Nepal é uma nação de maioria hindu e, segundo informações do ministério Portas Abertas, existe um movimento crescente de radicais nacionalistas que querem fazer do país uma nação oficialmente hindu.

Tal movimento tem levado muitos cristãos, principalmente aqueles que se convertem a partir de outras religiões, a se tornarem alvo de forte rejeição por causa de sua nova fé. Alvo de muitas críticas, Anju Panta afirma que não precisa dar explicações sobre sua fé para aqueles que a criticam.

– Não tenho nada a dizer para aqueles que estão me criticando. Pode ser que seja o plano de Deus e agora estou sob a graça dele – afirmou a cantora, respondendo às críticas que sua conversão provocou entre os radicais hindus e à campanha de difamação lançada por eles.


Um dos principais motivos das criticas contra a cantora é o fato de ela não ter mais em seu repertório músicas relacionadas às divindades hindus, que são adoradas pela maioria da população do país.

– Minha fé não me permite adorar a divindade hindu através da música – afirma a cantora, ao comentar a decisão desencadeou a fúria de grupos radicais hindus, mas também a admiração da comunidade cristã.

No Nepal, 81% da população são de fé hindu: de 26,6 milhões de pessoas, enquanto os cristãos são pouco mais de 150 mil (0,4%). Silas Bogati, um dos líderes cristãos do país aconselha a comunidade cristã local a permanecer firme na fé, e afirma que Deus dará o poder para superar tais obstáculos.


3 COMENTÁRIOS

  1. Marcelo Rezende relatou e elogiou na noite desta sexta-feira (26) o encontro que teve com Sérgio Mallandro e Latino. O apresentador do “Cidade Alerta” se emocionou ao revelar uma história, até então pouco conhecida pelo grande público. Segundo Rezende, Edir Macedo, bispo da Igreja Universal e proprietário da TV Record, teria “matado a fome” de Latino na infância.
    “Eu avaliava que esse [Sérgio Mallandro] era doidão e esse [Latino] era destrambelhado. [Mas] Eu encontrei dois homens com objetivos sofridos, que lutam pela vida com altos e baixos”, iniciou o relato.
    “Eu, que nunca falei aqui do bispo, nunca falei porque ele é o meu patrão, eu não tenho que falar nada dele e ele nem me pede. Mas é o único jeito de mandar uma mensagem. Porque ele [Latino] me disse: o teu chefe matou muito a fome daquele menino que era o ‘flamenguinho’. Ele não sabe que hoje, aquele que é conhecido como Latino, foi que muitas vezes o ajudou. Nessa horas toda que eu fiquei, ontem, foi um dos momentos mais felizes que eu tive. Foi conversar com a alma de dois homens, que eu tinha uma ideia e vi outra. E aí, quero agradecer a Deus, porque foi muito legal”, acrescentou em seguida, com voz trêmula, durante o “Cidade Alerta”.
    Rezende, Mallandro e Latino se encontraram em um jantar nesta quinta-feira, em São Paulo. O encontro entre ambos ocorreu na casa de dois amigos em comum.
    Leia mais em: http : // zip.net /bqpHxT

  2. Uma grande conversão! Pelas respostas que ela deu..
    Mas não acredito que todas as religiões que não são do Cristianismo vai perseguir agora! Credo! Até os hindus! :,(

DEIXE UMA RESPOSTA