Cristãos são presos na Malásia por usarem a palavra Alá para se referirem a Deus durante evangelismo a muçulmanos

3

Cristãos malaios foram presos sob acusação do uso impróprio da palavra Alá, que no islamismo é a referência a Deus. Além da detenção dos fiéis, 321 exemplares da Bíblia Sagrada também foram apreendidos.

De acordo com o Charisma News, em outubro um tribunal regional da Malásia decidiu que a palavra Alá só pode ser usada por muçulmanos, que são a maioria entre os grupos religiosos.

No último dia 02 de janeiro, autoridades islâmicas usaram a decisão do tribunal e apreenderam os exemplares do livro sagrado do cristianismo na sede da Sociedade Bíblica da Malásia. Os funcionários da entidade foram levados para a delegacia, e depois de prestarem depoimentos, foram liberados mediante pagamento de fiança.

“Nós fomos informados que estávamos sendo investigados por violar uma lei estadual que proíbe em Selangor o uso da palavra Alá aos não-muçulmanos“, disse o presidente da Sociedade Bíblica da Malásia, Lee Min Choon.


A palavra Alá tem sido usada pelos cristãos malaios das áreas rurais do país há séculos, como forma de aumentar a compreensão da mensagem de evangelismo que é pregada no local.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+


3 COMENTÁRIOS

  1. Anton Mendel comentou:

    “O que estão querendo fazer com o grupo porta dos fundos aqui é a mesma coisa.”

    Não é a mesma coisa, pois ninguém do Porta dos Fundos foi preso e nem está respondendo processo.

    Do contrário, a maioria dos cristãos ou não do ocidente garante a fala dos demais, mesmo que os demais falem besteira, se você não acredita vá procurar na Constituição sobre o direito de expressão, da lavra dos deputados e senadores escolhidos por mim, você e a sociedade como um todo, além das nossas autoridades que nunca prenderam nenhum islamita em face dele afirmar aqui que o Alá é o nome de Deus em árabe.

    Meu caro, ao invés de você trazer sabedoria, você implanta discriminação, ódio, dando a entender que somente o cristianismo é dotado de normas que não agradam. Será que as normas islâmicas não são disso pra pior? Você estaria caso muçulmano e lá residindo o direito de pensar? Imagine o direito de Falar que é o caso agora.

    Você também é responsável, não esquecendo que tudo que é falado de sua boca tem repercussão, lança divisão entre os povos, vá estudar os nossos indígenas, pois são exemplos dentro de sua casa da ausência de religião judaica, cristã, islâ, mas que possuem a cultura do ódio e de matança dos demais grupos, se você não sabe os índios da região da mata brasileira vieram da amazônia de destruiu, dizimou, os povos que antes cá habitavam, fato que se repete com os europeus, nós, que vimos e matamos os matadores de antes.

    Veja que no reino animal boa parte dele também é muito parecido conosco, humanos quando há demarcação de territórios, que sobra perseguição e morte, tomada das fêmeas.

    Agora, já que você sabe e vai aprender mais, não fique a justificar a morte, não diga que eu disse que é assim mesmo não. Estude e procure buscar meios de nós humanos como um todo, não agir como animais irracionais, pois qualquer religião e religioso que pregam a distinção do seus, é pior que o irracional que se apodera de todas as fêmeas e deixa os demais sem par.

    Aprenda, matute, saia dessa sua casca de ovo.

  2. Este site virou uma porcaria mesmo.

    Pela ordem, já está perto desta página cair no esquecimento, afinal vai ser virada sem que até o presente o povo do site libere o que escrevi, pois não é ofensivo a ninguém.

    A bem da verdade, bom seria que o proprietário explicasse o motivo de não mais permitir acesso nos temas antigos, metologia extraída sem o menor esclarecimento, sem indagar aos leitores, um abuso total, cabendo matutar que se o céu for assim, como seja, sem ouvir os envolvidos,prefiro ir para qualquer outro local, menos para um que não se importa com o que penso.

DEIXE UMA RESPOSTA