Capa

Em busca da Música Gospel Perfeita, um protesto bem humorado contra a falta de criatividade da música gospel brasileira

Comments (37)
  1. Elvis disse:

    Fico triste pelo que li, pois agora além da zombaria do mundo com o nome santo do Senhor, temos os nossos próprios irmãos em Cristo fazendo piadas com os louvores consagrados ao Pai. E aproveito para deixar a pergunta: Por qual motivo os louvores precisam ser modernos se o próprio Deus não muda? Será que estamos nos deixando levar pela crítica impia de que os nossos louvores devem ser cada vez mais parecidos com a músicas do mundo? Deus não precisa conhecer o mundo e sim o mundo conhecer à Deus!
    Que a graça e a paz seja convosco!

    Elvis

  2. Eduardo disse:

    Realmente Elvis, é muito triste saber que tem irmãos que não entendem o propósito do louvor! O Louvor é para a honra do SEnhor Jesus, e não para distração!

    Glória seja dada ao único que é digno de todo o louvor!

  3. Cristiano disse:

    Elvis, gosto musical é algo bem particular, eu por exemplo acho o Heavy Metal música de quem tem cérebro de camarão, mas tem gente que gosta…

    Mas, você falou em louvores dedicados a Deus, tu que és filho de Deus, envia um e-mail pra uma gravadora dessas pedindo uma cópia de um louvor desse, pra ver se tu recebe….

    A música Gospel, é comércio, que visa o LUCRO, louvores não se vendem…

  4. Gil disse:

    Olha acho uma boa iniciativa, pois a musica gospel brasileira ta muito fraca, saturada com esse estilo “adoração”. Poucos ousam fazer algo diferente e qd fazem sao criticados!Em relaçao ao Heavy metal, ao contrario do que o desinformado cristiano disse, segundo pesquisas cientificas é um dos tipos de musica mais escutados por pessoas com QI elevado, nao so aqui mas nos EUA!è por causa de mentalidades limitadas e preconceituosas como essa que a musica gospel nacional esta assim! O povo tem a musica que merece!E deixem as mudanças musicais chegarem, escutem primeiro antes de criticar!Abram os olhos e ouvidos pra algo novo! Abraço a tds!

  5. Victor Emanuel disse:

    Elvis,

    Deus é criativo. Os primeiros relatos da bíblia falam da criação e logo depois Deus cria o homem semelhante a ele, ou seja, criativo. Acredito que Deus se entristeça com pessoas que não usam da sua criatividade e apenas copiam formulas de “sucesso”. O protesto é muito valido pra musica e para poesia dos nossos cantos.

    Se o que eu escrevi não te convenceu, vou mudar meu discurso.

    Deus me revelou que esse protesto vem do coração dele. Você iria contra a palavra do profeta?

  6. Patricia Amorim disse:

    Na boa, não gosto da proposta, acho que isso só incita a igreja a se levantar contra os seus próprios irmãos.

    Apesar de não gostar de muuuitas das músicas que são tocadas por aí, eu respeito, pq existem pessoas que são edificadas com essas mesmas músicas, é muito simples, se eu não gosto, eu não ouço, não preciso ficar atacando as pessoas.

    Já que vocês (organizadores) querem se basear no mundo, pq acham q o meio evangélico é meio sem cérebro e vêem muita criatividade no mundo, pq vcs não se espelham no mundo, no fato de eles não se desrespeitarem criando um projetinho rídiculo como este?

    “Procurem gastar os esforços e a criatividade de vocês, criando louvores que engrandeçam a Deus e não que diminuam os seus próprios irmãos. Este projeto engrandece Deus aonde? Só diminui as pessoas, pq o que vcs vão criar é uma música cheia de trechos que afrontam outros irmãos.”

    Victor Emanuel EU não vou contra a profecia, mas vou TOTALMENTE CONTRA A PROFETADA.
    A sua profecia tem que condizer com a palavra meu irmão.

    “A proposta de vocês só gera mais contenda no meio do povo de Deus e Deus não habita no meio da contenda. Como isso pode vir do coração dEle?”

  7. Gil disse:

    Gil,

    Uma pessoa de QI elevado, não perde tempo com “barulhos desordenados” que intitulam de música e nominam-a como Heavy Metal, faça-me o favor. Essa pesquisa é mais uma de tantas outras feitas sem utilizar critérios técnicos, visando acalentar o ego dos adeptos desse “barulho desordenado”.

    Faça uma pesquisa de campo, uma passadinha em qualquer faculdade, ou escolinha de nível médio, é conversem 20 minutos, com a galera que curte esse “barulho desordenado”, e percebam o QI elevado da maioria dos adeptos desse estilo, NÃO ESTOU GENERALIZANDO, existem muitas exceções é claro, mas na média, estão no nível de Ozzy, falando na fera, que tal só uma espiadiha no QI do pai do Heavy Metal o famoso Ozzy Osbourne, aquilo é um gênio, só comparado ao isaac newton ou albert ainstain.

  8. Cristiano disse:

    ops…

    Gil,

    Uma pessoa de QI elevado, não perde tempo com “barulhos desordenados” que intitulam de música e nominam-a como Heavy Metal, faça-me o favor. Essa pesquisa é mais uma de tantas outras feitas sem utilizar critérios técnicos, visando acalentar o ego dos adeptos desse “barulho desordenado”.

    Faça uma pesquisa de campo, uma passadinha em qualquer faculdade, ou escolinha de nível médio, é conversem 20 minutos, com a galera que curte esse “barulho desordenado”, e percebam o QI elevado da maioria dos adeptos desse estilo, NÃO ESTOU GENERALIZANDO, existem muitas exceções é claro, mas na média, estão no nível de Ozzy, falando na fera, que tal só uma espiadiha no QI do pai do Heavy Metal o famoso Ozzy Osbourne, aquilo é um gênio, só comparado ao isaac newton ou albert ainstain.

  9. Adonias disse:

    Vcs evangélicos não aprendem mesmo. vcs não se entemdem nunca. depois querem aliciar, ganhar, converter mais gente pro grupo de vcs que é tão dividido? façam me o favor, vcs vivem se mutilando uns aos outros. è por isso que eu saí do meio de vcs já faz algum tempo. o racinha ruim é essa racinha de crente, Cristão é outra coisa. Coisa que poucos são. Diria um grande filósofo: ” O unico Cristão verdadeiro morreu na cruz”

  10. gal disse:

    adoração na musica gospel não tem,chame um cantor desses pra ir em um evento dependendo da estrela é 80.000.00 ou mais,então gente não mim venham com babozeiras.

  11. gabriel disse:

    Poxa essa iniciativa é algo muito bom pra o meio Gospel sou Músico e vejo que a criatividade gospel está diminuindo louvamos, tocamos músicas com algumas notas e letras que se repetem direto!
    É necessário que nós ou nossa igrejas se levantem pra o estudo da música e da palavra pois sem palavra biblíca a música não é nada.
    Vamos fazer o melhor para o melhor!

  12. Phillipe disse:

    Uau!! Idéia “manera”!

    É como aquela musica de João Alexandre, É proibido pensar:

    “Procuro alguém pra resolver meu problema, pois não consigo me encaixar neste esquema, são sempre variações do mesmo tema, meras repetições….

    A extravagâncias vem de todos os lados, e faz chover profetas apaixonados
    morrendo em pé rompendo a fé dos cansados, com suas canções
    Estar de bem com vida é muito mais que renascer, Deus já me deu sua palavra
    e é por ela que ainda guio o meu viver…

    É proibido pensar….
    Meras repetições…..”

    Graça e paz!

  13. André disse:

    Considero a idéia boa…
    Pois se eles não estão satisfeitos com o que existe atualmente de música gospel no Brasil – assim como eu – por que não buscar chegar ao que queremos?

    Quanto às discussões sobre estilo: essa discussão de que música gospel não pode ser igual à secular é besteira… há 80 anos atrás tinha-se esse tipo de discussão para que o piano pudesse ser tocado na igreja (instrumento este que era considerado de bar). Depois foi a vez de conseguir convencer todo mundo que não tinha problema ter violão na igreja. Depois veio a bateria. Agora é o estilo…. Discussão sem sentido.

    E quanto aos caras que escutam heavy metal, são inteligentes pra caramba… uma grande parte dos alunos que se destacam na área das engenharias curte heavy metal.

    Por fim considero que estilo cada um curte o seu. Portanto não há nada de errado em buscar adorar a Deus com o seu estilo, pois deve-se adorar a Deus do jeito que você é.

  14. André disse:

    recomendo também que busquem conhecer o projeto de maneira completa, através do link: http://migre.me/U67, que está disponível na notícia acima, antes de tecerem seus comentários, para que eles não sejam feitos a partir de um ponto de vista preconceituoso…

  15. eliel leboo disse:

    Quero que minha banda melhore cada vez mais ,porem para isso tenho que busca a direção de Deus, pois a evolução da musica depende do gosto das pessoas muito mais de Deus.Minha opinião a esse respeito é se a musica é a mais perfeita, diferente e linda, mais não cai no gosto do publico, que é o alvo de todo cantor então não vale nada.
    Porem as mudanças só acontece quando à vontade de mudar!!! e… as musicas brasileiras são feitas para brasileiros, se um estrangeiro gostar, tudo bem!!! se não, um dia ele irá gostar, talvez se essa galera conseguir mudar alguma coisa rsrrsrs .
    no mais fique na paz de cristo ele voz ensine a mudar o que for preciso .
    Já ia esquecendo de apresentar a minha (((((banda projeto genesis)))))

  16. Souza Marques disse:

    Amados irmãos,
    é como está escrito. Cantar ou louvar qualquer um pode.
    Agora, adorar é só em Espírito e em Verdade.
    Abraços a todos.

  17. Juliana Ayres disse:

    E ateus podem fazer uma música perfeita para Deus?

    Além de falta de criatividade temos imerso em nosso meio cristãos sem fundamento e sem senso.

    Fazendo barbaridades para “inglês” (lê-se ímpio) ver. Só para ter 15 minutos de fama!

    Cristãos que querem ser intelectuais da música, da arte cristã e tem uma visão + mundana que cristã.

    É uma pena pq o ímpio ri do circo que nós mesmos montamos e que nós
    mesmos temos o trabalho de divulgar.

    Sonho com uma mídia mais rica cristãmente, + intelectualizada
    cristãmente, + direcionada pelo Espírito Santo de Deus, + imparcial, + peneirada cristãmente, + cristã, + evangélica(de evangelho), + Jesus, + Deus, + Palavra, entre outros.

    Saudade dos cristãos PROTESTANTEMENTE-SENSATOS-BÍBLICOS-RADICAIS!

  18. MICHEL disse:

    Desde Adão e Eva, não existe perfeição nesta terra. Os críticos de plantão correrão e nunca acharão a “música perfeita”, porque são imperfeitos! O perfeito louvor, independente da boa concatenação de palavras, melodias e sons, é aquele gerado de um coração sincero e sensível à voz do Espírito Santo.
    Não percam seus preciosos tempos com bobagens!

  19. Everton disse:

    Amado, todos estão procurando fazer o melhor.
    Se você sabe fazer “bem feito” então faça.
    Como é que você vai saber se Deus está ou não recebendo esses louvores, só Ele pode dizer.
    Não tenta colocar Deus na sua forma.

  20. Se o compositor da música Gospel está em Cristo comforme diz as escrituras, como por exemplo: Salvo pela fé, batizado nas águas e no Espírito Santo, portanto, cheio da alegria da salvação ou gozo da salvação, cheio de gratidão por tudo isso que Deus está fazendo por ele, certamente, comporá letras, rítmos e melodias marivilhosas. Conclusão: A música Gospel ótima ou abençoada é aquela que seus autores tem comunhão com Deus. Em outras palavras, eles adoram a Deus com ousadia, gratidão ao empregar seus recursos muicais como o rítmo, melodia e letra.O mais curioso é que, os doentes espirituiais em qualquer faixa de idade se rende em face um genuíno louvor a Deus. Deixa Deus participar da composição de voces e verás que a composicão tornará mais suave, leve e rica de detalhes importantes.

  21. Gil disse:

    Em relação ao Heavy metal, vi alguns comentarios de pessoas q nada entendem de muscica e falam coisas q mostram seu analfabetismo musical. Primeiro o rock ( mais especificamente hard rock e heavy metal cristao ) nao é so barulho, seus musicos sao muito competentes e as melodias sao bem complexas e muitas vezes harmoniosas, ao contrario de muitas canções dos adoradores q a maioria escuta pq é o q td mundo escuta! Primeiro em relação a QI dos musicos o maior aqui no brasil é do roger do ultraje a rigor, e tem-se exemplos de musicos de rock gospel como o juninho (engenheiro) , marcao do fruto sagrado (dentista) q sao muito inteligentes. O q mostra o profundo desconhecimento musical do povo de Deus! Os evangélicos só escutam os cantores “adoradores” q tocam na radio, o q é imposta pela midia gospel guela abaixo!Nao procuram escutar coisas diferentes!! Me respondam uma coisa, uma banda como o Petra, Whitecross, Stryper sao bandas com musicas pesadas sim, mas as melodias lindas e um instrumental muito bom!e sao bandas premiadíssimas e onde passam levam jovens a conhecerem a Jesus!!Como diz joao alexandre, é proibido pensar!!As pessoas nao querem pensar, procurar, traduzir letras de artista internacionais e ficam escutando o mesmo de sempre!!Sou a favor sim desta campanha, chega da mesmice!!Deus abençoe!

  22. Gil disse:

    Isso só poder ser uma piada, de muito mal gosto, falei que quem curti heavy metal tem mente de camarão, você vem em contraposição, apontar roger como simbolo da intelectualidade brasileira, é brincadeira de muito mal gosto, de suas respostas, pode se concluir quão inteligentes e sábios são os curtidores de “heavy metal”, fãs do gênio Ozzy Osbourne, afe…

  23. Cristiano disse:

    ops, duas vezes …

    Isso só poder ser uma piada, de muito mal gosto, falei que quem curti heavy metal tem mente de camarão, você vem em contraposição, apontar roger como simbolo da intelectualidade brasileira, é brincadeira de muito mal gosto, de suas respostas, pode se concluir quão inteligentes e sábios são os curtidores de “heavy metal”, fãs do gênio Ozzy Osbourne, afe…

  24. Gil disse:

    Realmente eu desisto!!Por isso o Brasil ta assim e a musica gospel ta nesse estado!!Por causa desse preconceito irracional, pois Deus nao faz acepção de pesssoas muito menos de ritmos!!Por tanto o rock, rap, heavy metal, samba, folk, blues e qq outro ritmo pode ser usado pra louvar ao Senhor!Mas o povo envagélico aceita essas doutrinas de humanos e discriminam bandas maravilhosas como Petra, Stryper, whitecross e outras do genero e escutam esses enlatados evangélicos q passam na radio e descem guela abaixo!!Enquanto esse pensamento pequeno, de mentes pequenas e nao pensantes continuar continuaremos a ter essa musica gospel brasileira sem criatividade e com a mesmice de sempre!!Entao Cristiano se vc esta satisfeito com a musica gospel nacional, ok!!Quero lhe dizer q seu gosto musical nao é nada apurado e vc é como a maioria da massa crista (preconceituosa e conformista), mas eu nao estou satifeito, por isso procuro musica gospel internacional a qualidade e criatividade q nos falta no Brasil!!Cada povo tem a musica q merece!!Abraço!

  25. Cristiano disse:

    Gil,

    gosto de algumas músicas e de alguns interpretes, também concordo que existe muita música mal feita, agora Heavy Metal pra louvar a Deus ? meu liquidificador é mais afinado do que muitas bandas de Heavy Metal, sem falar na sonoridade do Bicho, que bota no chinelo qualquer barulho das guitarras e gargantas desafinadas dessas bandas…

    Vamos respeitar os ouvidos do papai do céu..

  26. Cristiano disse:

    Gil, preconceituoso nada, eu respeito meus ouvidos somente isso…

  27. Cristiano disse:

    Se alguém gosta de Heavy Metal, parabéns, tem gosto pra tudo nesse mundo.

    Os filósofos nos advertiram, sobre a necessidade de respeitarmos, os gostos e desgostos musicais, dos outros:

    ” – ado, aado cada um no seu quadrado” (autor desconhecido, pra mim)

    “- faz parte”. (O filósofo contemporâneo Kleber Bambam)

  28. Gil disse:

    Olha Cristiano vc nao só é preconceituoso como nao entendi nada de musica!!Pesquise e veja que os melhores giutarristas nao só do meio gospel como do meio secular sao os que tocam rock/heavy metal. E dizer que as guitarras das bandas de rock/heavy metal mostra que vc assim como a maioria da população brasileira é um analfabeto musical!! A primeira coisa que um guitarrista faz é afinar sua guitarra!!rsrsr!!Acho q vc nao sabe o q quer dizer a palavrea afinar!! Largue o preconceito e procure escutar algo do Petra, Stryper, Whitecross e Bride. Será q só vc esta certo? Será q uma banda como Petra que ganhou 4 Grammys e 10 Awards nao tem qualidade, ou nao sabem afinar suas guitarras? Acho q vc precisa reconhecer q é muito desinformado do meio musical e que precisa de mais conhecimento sobre o assunto!!!Ate mais!!

  29. Gil disse:

    CORRIGIDO!
    Olha Cristiano vc nao só é preconceituoso como nao entendi nada de musica!!Pesquise e veja que os melhores giutarristas nao só do meio gospel como do meio secular sao os que tocam rock/heavy metal. E dizer que as guitarras das bandas de rock/heavy metal sao desafinadas mostra que vc assim como a maioria da população brasileira é um analfabeto musical!! A primeira coisa que um guitarrista faz é afinar sua guitarra!!rsrsr!!Acho q vc nao sabe o q quer dizer a palavrea afinar!! Largue o preconceito e procure escutar algo do Petra, Stryper, Whitecross e Bride. Será q só vc esta certo? Será q uma banda como Petra que ganhou 4 Grammys e 10 Awards nao tem qualidade, ou nao sabem afinar suas guitarras? Acho q vc precisa reconhecer q é muito desinformado do meio musical e que precisa de mais conhecimento sobre o assunto!!!Ate mais!!

  30. samuel disse:

    não não quero dar nenhuma opinião
    mais vou mandar uma estrofe de uma musica que Deus me inspirou

    Deus é o dono de tudo
    a Ele tudo pertence
    Só Ele pode oferecer,vida para sempre
    O que o mundo oferece não tem nenhum valor
    São falsas alegrias e a alma chorando de dor
    de que adianta ganhar este mundo e perder a salvação
    Deus se aborrece com o pecado mais oferece o perdão

    tem mais se quiser ouvir envio pra vcs,se gostar e quiser gravar
    tenho muitas letras e melodias fiquem na paz do Senho Jesus

  31. Carlos Roberto disse:

    DISFARCE MODERNO
    SATANÁS CAMUFLADO EM CD

    “Que farei, pois? Orarei com o espírito, mas também orarei com o entendimento; cantarei com o espírito, mas também cantarei com o entendimento”
    I Coríntios 14:15

    Quando era mais novo e sem a consciência de preservação que tenho hoje, tinha como costume preparar armadilhas para a captura de alguns animais. Hoje já não faço e não aprovo isto! Sei que existem e conheço vários tipos destes artifícios usados pelos caçadores, muitas destas armadilhas são camufladas na intenção única de iludir o animal levando-o a ser apanhado. É crime previsto na legislação ambiental e hoje tenho consciência disto, portanto não as uso.

    No meio evangélico, com o advento das tecnologias inovadoras, muitas novidades surgiram no mercado facilitando a vida de muita gente e de todas as igrejas espalhadas pelo mundo. Não que eu seja contra este aparato tecnológico, mas tenho minhas ressalvas pelo que já pude perceber com o uso indiscriminado destas benesses criadas pelo homem. Atrás da tecnologia vieram “armadilhas” sofisticadas que estão aprisionando muita gente! No meio religioso então a coisa ficou complicada, há uma obsessão pelas novidades escravizando a militância e tornando o culto num festival de tecnologia e sofisticação sem precedentes. O barulho se instalou perigosamente em nossas igrejas.

    Quero me deter em uma destas “armadilhas” que está sendo usada como camuflagem por Satanás para invadir as igrejas e sorrateiramente impor de forma abusiva as suas táticas de convencimento e de aliciamento de adeptos para os seus projetos. É bom lembrar que ele é especialista na construção deste tipo de coisa e sabe sofisticar para camuflar as suas invenções. A musica é, sem duvida alguma, uma das partes mais importantes do culto, pois é através dela que as pessoas expressam o louvor a Deus e celebram os seus feitos. Ela é parte integrante da adoração e sem ela hoje o culto perderia o sentido e deixaria de existir. E foi exatamente na musica que o inimigo encontrou uma forma sutil de minar a resistência da igreja e por conseqüência de seus membros ao fazer do sonho de se gravar um CD um objetivo que todo mundo busca conquistar a qualquer preço. Foi um tiro certeiro, no alvo.

    É ai que entra a “camuflagem”, o Diabo se escondeu atrás da indústria fonográfica e sorrateiramente se apresentou com suas facilidades para que qualquer um, independente de estar ou não comprometido com os princípios verdadeiros da fé, pudesse se aventurar no mercado musical. Assim, em nome da cultura popular, ele abriu as portas para que os mais variados ritmos literalmente invadissem as programações e os cultos de nossas igrejas. Camuflado em CDs, o Diabo encontrou receptividade abrindo as portas para que, em nome do GOSPEL, todo o tipo de composição musical tivesse liberdade para ser executada usando o nome de “musica evangélica”. Os modelos foram literalmente copiados do mundo e introduzidos na igreja em nome da liberdade de expressão e de adoração, banalizando a adoração através da musica no culto.

    Quero registrar que não tenho nenhuma oposição ao uso de instrumentos na música religiosa em nossa adoração, desde que eles não sejam dominantes na prática do louvor. Aliás, um instrumento bem tocado também trás alento par o coração e para a alma.

    A indústria do CD, patrocinada pelo Diabo, se expandiu com uma velocidade impressionante e o que se vê são pessoas despreparadas em todos os aspectos usando a desculpa de estarem “cantando para Deus” para gravarem aberrações que afrontam a inspiração e os ensinos Sagrados. O que encontramos nas igrejas são pessoas se inspirando nos artistas do mundão, copiando na integra tudo que eles fazem em seus “shows”, tudo com a clara intenção de abocanhar uma fatia no mercado musical religioso. Satanás introduz na igreja apostasias e perversões doutrinárias que teria dificuldade introduzir diretamente não fosse o atalho da musica. Graças à tecnologia, o Diabo leva o mundão aos evangélicos e com sua influência maligna, o discernimento espiritual do cristão se perverteu, a impressão e poder da mensagem divina foram destruídos. O endeusamento de pessoas ficou evidente nos espetáculos montados para que os “artistas da fé” possam mostrar as suas habilidades teatrais.

    Segundo especialistas na área de psicologia, não há influência mais poderosa para envenenar a imaginação do ser humano, destruir as impressões religiosas e tirar o gosto pelos prazeres tranqüilos e as realidades sóbrias da vida, do que a musica. Os grandes compositores que o digam! Pois está ai o eficiente disfarce do ministério satânico operando através da ocultação e da invisibilidade, pintando e bordando com aquilo que tínhamos de melhor no louvor a Deus.

    Aos que defendem estes novos estilos “gospel”, letras evangélicas com melodias mundanas, fica aqui o alerta, as forças das instrumentalidades satânicas misturam-se com o alarido e barulho, para ter um carnaval, e a isto estão chamando de adoração. Satanás fez da música um estratagema para capturar as suas presas e os seus objetivos estão sendo plenamente alcançados. Para estes defensores do “espetáculo” tudo está certo! Errado é dizer que eles estão errados! O que Deus condena como pecado, eles dizem, “isto é preconceito”; “isto é verdade para aquele tempo”, o pecado para eles está só na cabeça da gente. O verso preferido deles é: “Não julgueis, para não serdes julgados”. Pois eles TUDO PODEM naquele espírito de falsa popularidade que lhes fortalece! Se o povo achou bom, se dançou; se povo chorou, se o povo gostou; se ouve aleluias ou se povo disse amém, então, é tudo Santo! Em nome de Deus, vale qualquer coisa. A bandeira que hasteiam é: “A VOZ DO POVO É A VOZ DE DEUS!”

    Hoje, graças à tecnologia dos CDs a igreja nem canta, a maioria apenas dubla ou canta mecanicamente, e são poucos os irmãos que conhecem algum hino do saudoso e falecido “Cantor Cristão”… Será que alguém se lembra dele? De tanto se apoiar nas confortáveis muletas eletrônicas, a igreja está ficando paralítica! Está capengando e não se dá conta disto! Quanta saudade do “Castelo Forte”!

    A musica quando empregada para “fins bons” é uma bênção, mas é muitas vezes usada como um dos mais atrativos instrumentos de Satanás para enganar as pessoas. Quando mal empregada, leva os não consagrados ao orgulho, à vaidade, à tolice e ao estrelismo. Quando se lhe permite tomar o lugar da devoção e da adoração, é uma terrível maldição. A música sacra está se perdendo na sua beleza pela subserviência exacerbada do cristianismo aos caprichos de Satanás. Você pode estar argumentando que “todo mundo faz” para justificar a sua opção. Até onde sei e a Bíblia ensina, não seguimos o que o mundo faz, seguimos Aquele que fez o mundo, e tudo que nele há, portanto precisamos ter bons critérios na definição de nossos padrões na nossa relação com Deus.

    Cantamos que queremos “voltar ao primeiro amor”, mas na prática fazemos exatamente o contrário, corremos para o mundo num casamento perfeito com as suas práticas. Por tudo isto, pela volta às origens da “verdadeira musica” e do “verdadeiro louvor” é que deixo aqui o meu protesto e a minha indignação pela maneira como as nossas igrejas rotuladas de “cristãs” estão se aliando ao inimigo e permitindo que ele dite as regras quando o assunto é adoração e louvor no meio evangélico. Afinal, estamos temporariamente no mundo para “mudá-lo” e não para “sermos mudados” e “moldados” por ele. Neste caso, “retroceder” é preciso! Lembrando que para esta armadilha está em vigor, mesmo não sendo respeitada, a “lei da racionalidade” registrada nas Escrituras: “Rogo-vos pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente pra que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus” – Romanos 12: 1 e 2.

    Atenção! Se você como eu gosta da boa música, multiplique esta idéia repassando este E-mail.

    Carlos Roberto Martins de Souza
    crms1casa@hotmail.com

  32. Carlos Roberto disse:

    PREFIRO NÃO SER GOSPEL
    Li há pouco tempo um artigo sobre uma reunião do mundo “gospel” onde empresários do ramo defendiam as suas idéias sobre a conquista do mercado musical. Segundo o artigo, a reunião durou uma hora e meia, mas depois de dez minutos a vontade do autor da matéria era sair correndo, enojado com o que estava ouvindo. Falou-se de tudo em termos de “negócios gospel”. Como atingir o mercado, como produzir produtos mais atraentes, como vender o público “gospel” para as empresas seculares, como oferecer vantagens aos pastores para que eles permitissem que os produtos fossem vendidos nas igrejas, como montar shows e espetáculos, e vai por aí afora.
    Em momento algum, afirmou ele, ouvi algo sobre: como vamos causar um impacto com o evangelho no Brasil e no mundo; quantos novos missionários vamos sustentar com o lucro do negócio “gospel”; o que vamos fazer para ajudar as igrejas a buscarem um avivamento; como vamos tornar Jesus conhecido. A reunião foi frustrante para aquele cidadão que pensava ser o “gospel” algo mais profundo, alguma coisa que de fato fosse mudar os conceitos de cristianismo neste nosso tempo.
    Quando não éramos o mercado “gospel”, comprávamos Bíblias para ler e estudar, e não para colecionar. Comprávamos CDs pela profundidade das letras e espiritualidade dos cantores, e não pela fama dos artistas. Abríamos novas igrejas para alcançar os que não conheciam a JESUS, e não por causa de uma nova “visão” que causou divisão. Cada pastor estudava a Bíblia e ouvia o Espírito Santo para pregar a cada semana, e não simplesmente reproduzia a mensagem pronta recebida do seu “bispo ou apóstolo”.
    No tempo em que não éramos “gospel”, pastor ainda era respeitado e podia comprar no crediário. Não tínhamos bancada evangélica na política, que segundo a imprensa, só gera escândalos. Não precisávamos de prêmios para artistas e escritores de sucesso ou para igrejas que se tornaram famosas. Não tínhamos concorrência entre artistas na busca de um troféu de “Disco de Ouro” por vendagem de discos; não tínhamos a proliferação de “Rádios Piratas” usadas para a divulgação do gênero gospel e suas atividades.
    No tempo em que não éramos “gospel”, o “show” ainda se chamava “louvorzão”, não cobrava ingresso e não precisava de camarote vip para os artistas. Não se gastava fortunas para a montagem de palcos para a realização de espetáculos. Não se usava maquiadores, pois nem havia camarins. Não precisava reservar hotel “cinco estrelas” para as estrelas do palco. Não se usava jogo de luz, porque a luz que brilhava era a do verdadeiro louvor. Entrevistas e autógrafos sequer eram mencionados pelos que participavam das atividades relacionadas a vida cristã. Os adoradores não precisavam de seguranças, pois estavam seguros no Mestre, não tinham uma agenda de “shows”. Não havia Hip-Hop; Street Dance; Grupos de Teatro; Pagode; Samba; Rap; Funk. Como diz um amigo meu: “e pensar que tudo começou com um jumentinho! Lá em Jerusalém”. Conseguimos transformar Jesus em “gospel”, “fashion” e “pós-moderno”, mas ainda não conseguimos traduzir a Bíblia para todas as línguas em que ela não existe, nem reverter a corrupção neste país, nem causar um impacto transformador na sociedade. Naquele tempo o objetivo único era a adoração e o testemunho da graça e do amor de Deus. Hoje o jumentinho foi esquecido e em muitos casos foi trocado por uma tal “Eguinha Pocotó”. Isto sem nenhum exagero.
    Hoje os resultados da indústria “gospel” mostram gráficos cada vez mais animadores para os empresários. Qualquer um, em qualquer lugar e usando a religião como instrumento de propaganda passou a ser “Cantor Gospel”. O mercado da fé ampliou suas fronteiras sem observar o principio basilar do cristianismo que é a ética cristã. O que se vê hoje é a lei do vale tudo em nome de Deus, mesmo que para isto o nome Dele seja explorado no comércio da fé. No entanto, no tempo em que não éramos “gospel”, os resultados para o Reino eram mais consistentes. Nesta era “gospel” nos orgulhamos de ter milhares de igrejas e milhões de crentes, mas não nos envergonhamos da “corrupção gospel”. No passado éramos adoradores, hoje somos consumidores de todo o tipo do que se intitula música no meio evangélico. Levamos para dentro de nossas igrejas qualquer coisa que faça o povão entrar em transe e se soltar nas nossas reuniões. A inspiração Divina pouco importa, o que manda é não deixar o espetáculo parar.
    Orgulhamo-nos por alcançar os mais longínquos lugares e de estarmos no rádio e na TV, mas não nos envergonhamos por termos diminuído o número de missionários no Brasil e no mundo. Orgulhamo-nos de sermos governantes nos mais diversos níveis da política ou de estarmos mais próximos aos dirigentes de nossa nação para orar com eles, mas não nos envergonhamos de que um avivamento ainda não aconteceu em nossa pátria por falta de oração e quebrantamento da nossa parte. Alguém pode dizer que tudo isto é saudosismo. Éramos cristãos, hoje somos meros freqüentadores de casas de espetáculos onde quem determina o roteiro e as regras do show é o mundo com as mais absurdas ofertas de sucesso. Aliá, o sucesso é a cachaça que embriaga os que freqüentam o mundo gospel onde não faltam orgulho, vaidade, exibicionismo como conseqüências da ingestão da tal bebida.
    Eu me considero um futurista, sem qualquer dificuldade para quebrar os tradicionalismos do passado. No entanto, eu penso e analiso gerações. E quando faço isto e tiro conclusões, eu vejo que a igreja evangélica brasileira se tornou grande e obesa como um elefante, mas sem agilidade para provocar transformações. Os transatlânticos estão ancorados em todas as esquinas com espetáculos que enchem os olhos, mas não o coração e a alma. Aliás, nem dentro de suas paredes ela consegue provocar mudanças. Assim, mudam-se sim a roupa, a moda, os ritmos, a forma de culto, os aparatos, mas vidas não. Ela corre o risco de girar em torno de si mesma com grande possibilidade de perder de vez o equilíbrio espiritual que já anda cambaleando. Muitas estão embriagadas como disse acima pela aguardente derivada do sucesso e produzidas nos campos agrícolas do inferno.
    Enquanto esta igreja moderna e cheia de vícios mundanos não acordar para um quebrantamento do Espírito, vamos nos encantar com nosso gigantismo, mas não seremos efetivos em nosso impacto, mal conseguiremos amedrontar o inimigo. Enquanto não voltarmos às raízes do cristianismo abandonando práticas impostas pelo inimigo nos veremos perdidos no oceano das incertezas e de um evangelho de formas, mas sem qualquer conteúdo.
    Eu prefiro não ser “gospel” no sentido em que esta palavra é usada hoje, mas sou de JESUS, creio num avivamento da igreja brasileira e sonho com o dia em que o Brasil será usado por Deus para um impacto missionário global. Sonho com vidas transformadas para o mundo e não com vidas conformadas com este mundo; sonho com igrejas impactantes e não com grupos religiosos sendo subservientes ao senhor das trevas, Satanás.

    Carlos Roberto Martins de Souza
    crms1casa@hotmail.com

  33. Carlos Roberto disse:

    QUERO MINHA IGREJA DE VOLTA…
    SE FOR POSSÍVEL!!!

    “Aborreço e desprezo as vossas festas, e as vossas assembléias solenes não me dão nenhum prazer”
    Amós 5:21

    Dizem que “quem vive de passado é museu”, uma forma simplória de criticar aqueles que se prendem a coisas antigas como algum ponto de referência na vida. Neste caso, sem cerimônia alguma, eu me incluo neste conceito, mas com um adendo, para mim “recordar é viver…”. Sei que por esta razão para muitos sou ultrapassado, careta, um quadradão. Prefiro ser quadrado a ser redondo e rolar pelas vielas da vida religiosa indo de um lado para o outro sem ter muita noção do que fazem. Registro apenas que as Escrituras Sagradas existem há algumas centenas de anos, portanto…

    Bem, vamos lá. A história da religião mostra que há alguns anos atrás, não muitos, as igrejas evangélicas eram lugares cheios de pessoas que conheciam a Bíblia de capa a capa, que se portavam reverentemente durante o culto e não raro, as pessoas do mundo admiravam os evangélicos por sua fé e esperança, mesmo nos momentos mais difíceis. Basta retrocedermos um pouco e veremos que os cultos eram cheios de hinos profundamente inspiradores refletindo as “doutrinas fundamentais” da fé cristã. O ofertório era uma demonstração de zelo e gratidão e quando o Pastor subia ao púlpito, todos atentamente recebiam a edificação através de uma pregação “Biblicamente” fundamentada. A mensagem da Palavra era o centro do culto. Esses eram os “crentes” de antigamente.

    Fui á igreja outro dia, sentado nos últimos bancos, me dei ao capricho de “sonhar” já que o que estava acontecendo não me atraía nem pelos olhos, nem pelo coração, muito menos pela espiritualidade. O culto começou com um “período de louvor(?)” com um barulho infernal. Cânticos eram entoados e o povo se movia, batia palmas, gritava no ritmo frenético dos instrumentos, era uma algazarra geral. Havia uma jovem extrovertida que “ministrava” a coreografia e orientava o povo a como proceder durante cada musica executada. Era dia de “batismos”, mas nem parecia tamanha a bagunça e a falta de reverência, a festa solene transformou-se ritual, no mínimo, estranho. Mas, mesmo assim sonhei… Sei que foi utópico, longe de qualquer possibilidade de vê-lo realizado, mas valeu como alerta e como lembrança dos bons tempos daquela igreja.

    Vi aquela igreja onde a BIBLIA foi um dia o centro de tudo! Onde o Pastor “pregava” e não dava aula de “psicologia”; Onde o “pecado” era tratado como tal e não como um simples “desvio de conduta”. Uma igreja onde “louvor” era celebrar a Deus e não um “espetáculo” tecnológico barulhento; Onde o templo era “local de culto” e não uma casa de “shows”; Onde o pregador usava exclusivamente a “BÍBLIA” no púlpito e não um “Notbook”; Onde a reverência era “regra” e não exceção; Onde ouvia-se a “voz de Deus” e não a do povo; Onde era real o “mover do Espírito” e não de pessoas; Onde o “pecado” era combatido e não incentivado sutilmente; Onde havia “adoradores” e não atores ou artistas camuflados; Onde as pessoas iam vestidas para “cultuar” e não para um piquenique; Onde “Jesus” era marca no coração e não uma “tatuagem” na pele; Onde quem tinha “adereços” era a vida e não o corpo; Onde tinha “Embaixadores do Rei, Mensageiras do Rei; União de Jovens” e não um encontro festivo; Onde o povo “lia a Bíblia” e não o que era projetado no telão; Onde as pessoas não eram “filmadas” para serem mostradas para o mundo, mas eram levadas a uma “radiografia” mostrando para cada um os problemas da alma; Onde “batismo” era um momento de reflexão e respeito, não uma festa movida a apitos, buzinas, foguetes e histeria; Uma igreja que “recebia” visitantes e não era ”formada” por eles; Uma igreja que era uma “fonte de água viva” e não uma “cisterna rota”; Onde o “retiro” era espiritual e não uma “festa country”; Onde “Pastor” era um homem de Deus e não um “administrador de negócios”; Onde os crentes “iam à praça” pregar e não “tinham o nome na praça”; Sonhei com uma igreja que “crescia” e não inchava; Com uma igreja que fechava as portas para o Diabo e não colocava “tapetes vermelhos” para recebê-lo. Sonhei… Sonhei em lágrimas ao ouvir o hino “Manso e Suave” com o Pastor fazendo o apelo, num silêncio profundo, para que pecadores se rendessem aos pés de Jesus. Pensei, se isto for sonho, então vou sonhando…

    Subitamente uma “salva de palmas”, “apitos” e “assobios” interrompeu o meu sonho e me despertou. Que susto! Por um momento não me dei conta de onde eu estava tamanha a desordem naquele local de culto. Para minha tristeza eu acordei… Mas sonhei e sonhar não custa nada! Coincidentemente era dia de “batismos” e o povo comemorava, como se fosse num campo de futebol, a chegada de mais um grupo. A propósito havia muita gente vestida a caráter para de fato ir a um estádio, curiosamente eram os que mais faziam barulho. Depois do culto, veio o “foguetório”, tudo em nome do Evangelho. Era a igreja do século XXI e as suas novidades na forma moderna de cultuar. Eu me perguntei, foi um sonho ou seria um pesadelo? Seria um conto de fadas do passado? Lembrei da Bíblia e dos batismos citados por ela e não consegui ligar uma coisa a outra. Alguém se esqueceu de “lembrar” ao povo que eles estavam dentro de uma igreja, que ali era um templo e não um estádio!

    “Celebrai com jubilo ao Senhor… Servi ao Senhor com alegria…”, não significa que devemos fazer algazarra ou nos postarmos com irreverência, pelo contrário, “jubilo” e “alegria” devem ser expressos num sentimento de contrição, respeito e de “ADORAÇÃO” a Deus.

    Hoje as igrejas mudaram muito. E como mudaram! Os evangélicos são vistos como mais uma “tribo urbana”, assim como os surfistas ou os hippies, que tem musica própria, gírias e slogans próprios. O momento de destaque no culto já não é mais a meditação na Palavra de Deus, proclamada por um Pastor bem preparado teologicamente, mas sim o momento de “louvor” produzido pelas mais novas tecnologias do mercado. Não se pede mais nada a Deus, decretam coisas para ele fazer da maneira mais arrogante possível. Descaracterizaram o culto, sob a desculpa de “quebrar a religiosidade” dando a ele todas as características de “show”.

    Basta! Quero minha igreja de volta! Quero sim, e com cara de igreja não como “casa de espetáculos”. Quero os cultos reverentes, o povo sedento por aprender a Palavra de Deus, o sentimento de contrição e submissão diante do Deus Soberano e Criador de todas as coisas. Quero de volta o tempo em que os cultos racionais eram “regra” e não “exceção”. Quero de volta a centralidade da Bíblia e não a busca de “revelações dos últimos dias”. Quero de volta o tempo que ser Pastor era ser um religioso consagrado e não um empresário eclesiástico.

    Como disse, prefiro continuar “quadrado”, pois tenho muitas duvidas sobre esta igreja liberal de hoje lotada de “crentes redondos”. Assim, depois de sonhar, desculpem, mas eu quero a minha igreja de volta!

    Carlos Roberto Martins de Souza
    crms2casa@hotmail.com

  34. Gil disse:

    Cristiano, quero te pedir perdao , pois exagerei em te xingar de analfabeto musical e outras coisas que disse!!Cada um tem seu gosto, e quero respeitar sua opniao, ok? Abraço, Deus te abençõe!!

  35. Carlos Roberto disse:

    CANTAR PARA “JESUS” E CANTAR PARA “GEZUZ”
    ADORAR+AÇÃO

    Em nenhum outro ponto podemos ver a diferença entre as gerações evangélicas tanto quanto nas divergências musicais. Encontramos hoje discrepâncias absurdas entre o louvor que busca adorar a Deus e cantar para agradar e atrair multidões. JESUS merece o melhor sim, mas que seja feito com DECENCIA e ORDEM não da forma como andam fazendo, buscando exclusivamente a exaltação do eu, numa competição absurda para ver quem leva os prêmios das “Academias Musicais do Brasil”. O que temos hoje, para a vergonha nossa, é que convivemos pacificamente com um som importado do inferno sem nos sentirmos incomodados pelos estragos por ele patrocinados. Lamentavelmente, a maioria absoluta de nossas igrejas são culpadas deste esnobismo e destas distorções introduzidas na musica religiosa. Não é porque devemos dar o melhor ao Mestre que temos que permitir que se toque qualquer ritmo nos nossos templos, pelo contrário, temos que filtrar com os filtros da razão e da sensibilidade espiritual de nossos músicos aquilo que queremos ouvir.

    Em nenhum momento da história do cristianismo o inimigo teve tanto acesso as programações de nossas igrejas como agora, ele estruturou e arquitetou planos para confundir e distrair os cristãos com um modelo musical que todos acreditassem ser inspiração Divina, mas que poucos conseguem perceber que tudo não passa de armação para derrotar e demover as pessoas da verdadeira adoração. É com pesar e com tristeza que constatamos que as musicas são feitas para vender e não para ADORAR, o mercado está de olho no sucesso e nos lucros pouco se importando se há ou não verdade naquilo que se executa ou se canta. No passado, os HINOS tinham história e fatos ligados às suas composições, hoje não passam de meras repetições na sua quase totalidade, são frases sem nexo ou sem efeitos espirituais que possam levar quem escuta ou quem canta a uma aproximação maior com Deus. Vivemos a era dos festivais dos “ENLATADOS MUSICAIS”, o artista monta a trilha de um “CD” ou de um “DVD” pensando apenas no sucesso, a idéia fixa é arrastar multidões e conquistar o cobiçado “DISCO DE OURO” ou o “GREMILIN” da musica evangélica. Literalmente o louvor foi banalizado, com composições, letras e ritmos que beiram ao ridículo espiritual.

    As gravadoras, por sua vez, só enxergam as cifras, os lucros e o que poderão ganhar na disputa deste mercado que está em franca expansão e a briga por artistas é acirrada. Quem, em sã consciência, imaginaria uma “SOM LIVRE”, ligada à Rede Globo, contratando alguém para gravar em seus estúdios, músicas evangélicas? Muitos dizem ser benção, para mim é maldição e estratégia do inimigo para furar o bloqueio e infiltrar os seus soldados nos campos musicais de nossas igrejas e a prova está aí com os “Reges Daneses” da vida! O campo favorito de Satanás hoje, se pudéssemos entender isto, são as musicas religiosas, e como ele tem avançado! O “GOSPEL” é moda celebrada em todos os palcos e em todas as emissoras de rádio e televisão e até o catolicismo embarcou nesta canoa…

    Louvar não está desassociado de adorar, a mesma sublimidade que existe na palavra adoração está presente também em louvar, ambas devem ser consideradas como fundamentos essenciais no culto prestado a Deus, assim cantar para JESUS exige muito mais do que subir em um palco e entreter por algumas horas uma multidão que está ansiosa para externar as suas energias no ritmo das musicas que serão executadas e cantadas para GEZUS nos shows e nos espetáculos patrocinados no mundo GOSPEL. Adorar a Deus na beleza da sua santidade é sentir o coração saltar para um plano diferente, onde tudo é pureza e luz. Poucas pessoas sabem que não é no barulho e nas confusões que aconteceram as grandes manifestações de Deus e eu lembro os “Profetas de Baal” que gritaram e fizeram todo o tipo de barulho e nem por isto tiveram êxito nas suas intenções. Já Elias apenas orou, sem fazer qualquer alarde e Deus agiu de forma sobrenatural, o resultado está registrado em I Reis 18.

    Enquanto ensinamos as crianças de nossas igrejas a cantarem: “Sim, Jesus me ama…”, uma inspiração satânica está injetando os ritmos das discotecas e das boates para dentro de nossas igrejas e seja o que Deus quiser! O que diria Martinho Lutero sobre o nosso caos musical evangélico hoje? Autor de “CASTELO FORTE”, para ele a musica está inseparavelmente ligada à beleza moral, e espiritual. Para ele, uma pessoa só será um verdadeiro musico se possuir qualidades como a lealdade a Deus, temperança, e a comunhão continua com Deus. Hoje temos verdadeiras linhas de produção, e a música religiosa está sendo vendida com a música secular, de maneira que fica difícil fazer uma distinção entre elas. Basta uma lida rápida e desprovida de conceitos pessoais no livro dos Salmos para conhecer com profundidade o segredo e o sentido da perfeita adoração, o Salmista é especialista no assunto e não deixa brechas para divagações ou concessões ao inimigo.

    Celebrar com jubilo não significa que temos que abrir mão de conceitos que nos conduzem ao altar da verdadeira adoração, não implica em fazer barulho ou ser levado pelas ondas da badalação e do agito musical inconseqüente. A celebração com jubilo vai além daquilo que pensamos ou imaginamos quando o assunto é adorar a Deus, é preciso antes de tudo, “REVERÊNCIA”, pois estamos tratando com a Majestade do Criador e sustentador do universo e não com um objeto ou com um ser inferior. É preciso entender que a superioridade pertence a Ele e por esta razão o adoramos e o louvamos na beleza de sua santidade. Louvor não se vende, não se compra e não se negocia, se PRESTA a Deus e não a artistas que invadem o mercado na busca gananciosa apenas dos resultados financeiros que ele oferece, já que a lucratividade é certa. Lembre-se “CANTAR PARA JESUS” não é o mesmo que “CANTAR PARA GEZUS”, fique atento ao que você está oferecendo na sua adoração e na sua relação com Deus.

    Carlos Roberto Martins de Souza
    crms2casa@hotmail.com

  36. Mattheus disse:

    As pessoas estão por si mesmas se destruindo. muitos que aprovaram essa ideia provavelmente não leem as vossas Biblias! se vcs fizerem um estudo profundo sobre o corpo, as batidas do coração, o que controla o nosso lado espiritual intelectual e tudo que tem a ver com isso, verão que esse tipo de musica não se abitua ao gosto de Deus. e que é esse o tipo de música que tem nos deixado tão fracos e que tem nos levado a pecar carnalmente. façam um estudo e verão porque muitos cristão não conseguem se libertar da masturbação, do sexo fora ou talvez sexo dentro do casamento mas destruindo o casamento com desejos carnais como: sexo anal, oral etc… o que devemos nos perguntar é se estamos deixando Deus fazer as escolhas ou estamos nós mesmos fazen-doas. Deixe-me dizervos uma coisa, se estamos fazendo as escolhas do dia-a-dia ao nosso gosto, quem esta fazendo essas escolhas é o diabo, pai da mentira e do erro.

    se quiserem conversar melhor ou entenderem mais sobre esse assunto, meu E-mail: teteu.mattos2010@yahoo.com.br
    Por favor só me contactem se for com perguntas sinceras, não estou aqui para discutir ou brigar mas para esclarecer assuntos. Lembre-se quem convence e muda e transforma é o Espirito Santo não um mero serumano. A Paz Seja Convosco…

    1. A disse:

      WTF? Isso é sério?

      VOCÊ já leu a bíblia? E esses seus “estudos profundos”? Algum artigo científico ou pregação direcionada pela carne em cima de um púlpito?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *