Esposa de pastor é estuprada e morta, e criminoso é solto logo após confessar o crime

51

A esposa de um pastor foi estuprada e assassinada, e teve seu corpo ocultado pelo criminoso, que foi pego pela Polícia e confessou o crime, mas a Justiça recusou o pedido de prisão preventiva e o soltou.

Um grupo de parentes, amigos e irmãos na fé foi à Avenida Paulista, em São Paulo, protestar contra a decisão da Justiça, e expressar indignação com o caso.

A vítima, Fátima Viana, 45 anos, esposa do pastor Daniel Viana, atuava como agente de saúde comunitária no bairro de Brasilândia, na zona norte da capital paulista.

O criminoso, de acordo com informações do G1, era seu vizinho, Victor Rodrigues Ramos, que confessou tê-la estuprado e matado, e depois ocultado o cadáver. O corpo foi encontrado pela Polícia no dia 30 de junho.


O delegado que investiga o caso, Lupercio Dimove, responsável pelo 23º Distrito Policial, em Perdizes, afirmou que o criminoso deveria ter ficado preso, já que cometeu o crime durante seu período de liberdade condicional. Ele já havia sido condenado e preso por crime de receptação.

Ainda segundo informações do portal G1, o documento que nega o pedido de prisão preventiva não tem assinatura de nenhum juiz, mas mesmo assim Ramos foi liberado pela Polícia.

No protesto, realizado na última semana, os manifestantes usaram camisetas estampadas com uma foto de Fátima, e pediam a prisão de Ramos. “Ele violenta minha esposa, ele assassina minha esposa, ele confessa isso dentro de um fórum, vai para uma delegacia e antes de eu reconhecer o corpo da minha esposa no IML, esse cara tá na rua, como que eu vejo isso? Não sei como que eu vejo isso, não”, afirmou o pastor Daniel Viana, indignado.

O telejornal SPTV, da TV Globo, procurou o Tribunal de Justiça para obter detalhes da decisão, mas recebeu como resposta que o pedido de prisão não havia sido localizado e, mesmo que tivesse encontrado o documento, não daria detalhes sobre o caso pois ele corre em segredo judicial.

51 COMENTÁRIOS

  1. Cesar Ferreira da Cunha , é questão de leitura.

    No referido capítulo Jesus manda "amar os inimigos". Se amassem o assassino da mulher não iriam protestar contra a sua soltura, não é mesmo?

    No referido capítulo Jesus manda não resistir ao mau e até oferecer a outra face. Logicamente, se consideram que a soltura do assassino confesso é um mal, não deveriam resistir a ela, protestando.

    Veja esse versículo:

    "Mateus 5:44 Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus".

    Os irmãos de fé que foram protestar contra a soltura do assassino estão conforme o que determina aqui?

  2. Bem, eu não sei o que você entende por amor, mas eu não consigo entender um amor que não castigue e não corrija, quando vê algo errado ou principalmente alguém que se ame cometendo algo errado. Acobertar um assassino não é amá-lo, não é fazer bem a ele, muito pelo contrário.
    Além disso, independente de se amar ou não, nossa responsabilidade maior é com a sociedade como um todo, com o grupo maior. Que falta de responsabilidade e aí sim falta de amor, com as outras mulheres que ficarão à mercê desse indivíduo, porque alguém achou que amá-lo é acobertar o crime e não querer que ele seja preso.
    Agora, nada impede que se ore por ele, que se assegure que ele não seja espancado ou linchado, que se perdoe e mesmo que se ame, mesmo ele estando preso e seguro e também dando segurança aos que estão do lado de fora.

  3. Cesar Ferreira da Cunha bonito de se ler, mas não é isso que Mateus 5 determina. Lá manda taxativamente "não resistir ao mau" e "dar a outra face". Não manda castigar o agressor, nem manda pensar no bem que um eventual castigo ao agressor fará à sociedade.

    Para vocês o que deve interessar é fazer o que querem e acham melhor, não o que Jesus mandou. Não é? Entendendo seu lado e até concordo, mas Jesus tinha outra opinião.

  4. Eduardo Dú Se o momento foi oportuno eu não sei, pois estamos falando de um crime brutal e que causa muita revolta, mas você está correto em sua posição. É duro afirmar isso, mas a igreja do Senhor ir as ruas protestar representa uma dependencia da justiça humana e não Espiritual.

    É importante lembrar aos irmãos que se esse tipo de coisa está acontecendo porque nós (todos os cristãos) não buscamos a Deus como devíamos.

    E mais importante ainda é lembrar que isso já aconteceu, a igreja de atos vivia isso constantemente, e eles não saiam as ruas para protestar, muito pelo contrário eles clamavam ao Senhor para que O NOME DE CRISTO fosse anunciado.

    "E, ouvindo eles isto, unânimes levantaram a voz a Deus, e disseram: Senhor, tu és o Deus que fizeste o céu, e a terra, e o mar e tudo o que neles há;
    Que disseste pela boca de Davi, teu servo: Por que bramaram os gentios, e os povos pensaram coisas vãs?
    Levantaram-se os reis da terra,E os príncipes se ajuntaram à uma,Contra o Senhor e contra o seu Ungido.
    Porque verdadeiramente contra o teu santo Filho Jesus, que tu ungiste, se ajuntaram, não só Herodes, mas Pôncio Pilatos, com os gentios e os povos de Israel;
    Para fazerem tudo o que a tua mão e o teu conselho tinham anteriormente determinado que se havia de fazer.
    Agora, pois, ó Senhor, olha para as suas ameaças, e concede aos teus servos que falem com toda a ousadia a tua palavra;
    Enquanto estendes a tua mão para curar, e para que se façam sinais e prodígios pelo nome de teu santo Filho Jesus.
    E, tendo orado, moveu-se o lugar em que estavam reunidos; e todos foram cheios do Espírito Santo, e anunciavam com ousadia a palavra de Deus."
    Atos 4:24-31

    Caro Eduardo Dú, eles não sabem diferenciar o ato brutal da pessoa que cometeu tal atrocidade. Ou seja, eu Devo amar o proximo, como também Devo repudiar seus atos ilícitos. Se eles não entendem isso não vão entender também que a luta não é contra carne e sangue e sim contra principados e potestades do mal. A prova disso é o protesto. Se Deus é o Senhor sobre todas as coisas, porque eles querem justiça? Por acaso Deus é injusto? Por acaso Deus não viu o que aconteceu? Será que Deus não sebe o que fazer? Será que vocês conseguem imaginar o mover que seria se ao invez de ir as ruas protestar eles se curvassem e louvassem a Deus, não pedindo justiça mas louvando pelo o que Ele é?

    Porém viver isso não é fácil. Eu não sei qual seria minha reação diante de tamanha tristeza, talvez faria pior que todos eles, mas uma coisa é fato, eu sei o que devo fazer.

    Por fim eu digo a todos os cristãos leitores: todos nós estamos sujeito a isso, a vida em cristo não nos faz melhor que ninguem. Como vocês acham que vivias os apóstolos? Só pra lembrar, viviam presos, eram mutilados, sendo perceguidos em todo tempo. Se quer seguir a Cristo tome a sua cruz. Cristo é o nosso maior exemplo, e Ele morreu em favor de muitos, o mínimo que devemos fazer é morrer em nome Dele.

DEIXE UMA RESPOSTA