Evangelista prega Jesus Cristo em Israel e mais de mil judeus se convertem ao Evangelho

19

Um judeu messiânico chamado Sid Roth promoveu um evento evangelístico em Tel Aviv, a capital administrativa de Israel, e levou a mensagem da graça a uma enorme, e mais de mil judeus presentes no evento se converteram ao Evangelho, reconhecendo Jesus como o Messias.

Roth é um famoso televangelista norte-americano, que mantém um programa de TV chamado It’s Supernatural (“É Sobrenatural”, na tradução livre). Segundo informações do site Charisma News, a mensagem foi pregada em inglês, com tradução simultânea para o russo.

Pessoas presentes no local ressaltaram que o ambiente após o apelo de Roth teve sua atmosfera transformada em algo comparável à narrativa do livro de Atos dos Apóstolos sobre o Dia de Pentecostes.

Especula-se que essa seja a maior conversão coletiva de judeus em quase dois mil anos após o evento que impulsionou a Igreja Primitiva e permitiu a fundação de outras igrejas em diversas cidades judias, romanas e gregas.


A Bíblia Sagrada menciona em I Coríntios 1:21-23 que os judeus exigem sinais para reconhecer a presença divina. Durante o evento, Roth orou pela cura física de pessoas presentes no evento que lidavam com problemas de saúde. Ao perguntar sobre quem havia sido curado, muitas pessoas ergueram as mãos.

Nesse momento, Roth fez o apelo, convidando os irmãos judeus a aceitarem Yeshua (Jesus) como o Messias e Senhor de suas vidas. A maior parte das pessoas no local fizeram o gesto de conversão.

As entidades que estudam a perseguição religiosa mundo afora apontam Israel como a nação onde há a maior estabilidade em relação ao assunto no Oriente Médio, mas ainda assim, os chamados “judeus messiânicos” – que são convertidos ao Evangelho e reconhecem Jesus como Salvador – enfrentam discriminação e ofensas. Dados do governo apontam que menos de 2% da população.

Agora, judeus messiânicos locais consagrados ao ministério pastoral acompanharão e farão o discipulado dos novos convertidos.

19 COMENTÁRIOS

  1. Engraçado, quando fui a Israel, ano passado, pude observar: Todos lugares sagrados em Jerusalém, encontram-se sob o domínio dos católicos romanos. Perguntei ao judeu que era nosso guia, por que os lugares sagrados estão nas mãos da ICR, e não com os judeus? Ele disse: Eles estão aqui há cetenas de anos, com quem possui um lote lá no Brasil.
    Os judeus não são bobos, a ICR, cuida muito bem desses locais, mas quem lucra com o turismo são os judeus.
    Pena que a ICR, não evangeliza a ninguém, as missas são iguais em todo mundo, mas não pregam a Jesus, como sendo o único Salvador daqueles que n’Ele crê. João 3:16.
    Diferentemente esse americano, em uma pregação converteu mais de mil.

    • 12 Não há salvação em nenhum outro, pois, debaixo do céu não há nenhum outro NOME dado aos homens pelo qual devamos ser salvos”.

      Foram falados aí dois nomes Yeshua e Jesus!

      Será que o NOME verdadeiro tem importância ou não?

      Segundo PEDRO em ATOS… Não há outro NOME.
      12 Não há salvação em nenhum outro, pois, debaixo do céu não há nenhum outro NOME dado aos homens pelo qual devamos ser salvos”.

      Opa, Pedro, foi taxativo? Diz que não há em outro NOME.

      Antigamente, a escrita era limitada, o NOME era o SOM, do nome, e na cultura JUDAICA nem EXISTE “J”
      Para o Messias se chamar JESUS.

      Depois, IESU, ou IESUS, nada mais passa de homenagem ao deus mitológico da galaica ESU, e também ESUS. Será que este deus salva?

      Até Yeshua, é um outro nome contestado….

      E AÍ QUAL NOME È O NOME QUE ERA O NOME VERDADEIRO OCULTADO PELA BABILÔNIA?

    • Em Israel os locais sagrados de cada religião são administrados pelas mesmas. Quem administra a maior parte dos locais sagrados à cristandade é a Igreja Ortodoxa. Os católicos administram apenas os locais de sua propriedade e os muçulmanos administram os locais sagrados á sua religião, o que inclui o local onde se acenta a mesquita de al-aqsa (o monte do Templo). cada religião administra seus locais de culto.

      Se voce contratou um guia judeu é claro que é ele quem vai receber o seu dinheiro, se não queria que um judeu lucrasse com seu turismo contratasse um guia cristão ou muçulmano.

  2. ATOS 4-12 Não há salvação em nenhum outro, pois, debaixo do céu não há nenhum outro NOME dado aos homens pelo qual devamos ser salvos”.

    Foram falados aí dois nomes Yeshua e Jesus!

    Será que o NOME verdadeiro tem importância ou não?

    Segundo PEDRO em ATOS… Não há outro NOME.
    12 Não há salvação em nenhum outro, pois, debaixo do céu não há nenhum outro NOME dado aos homens pelo qual devamos ser salvos”.

    Opa, Pedro, foi taxativo? Diz que não há em outro NOME.

    Antigamente, a escrita era limitada, o NOME era o SOM, do nome, e na cultura JUDAICA nem EXISTE “J”
    Para o Messias se chamar JESUS.

    Depois, IESU, ou IESUS, nada mais passa de homenagem ao deus mitológico da galaica ESU, e também ESUS. Será que este deus salva?

    Até Yeshua, é um outro nome contestado….

    E AÍ QUAL NOME È O NOME QUE ERA O NOME VERDADEIRO OCULTADO PELA BABILÔNIA?

    • Só uma correção, na cultura judaica da época do messias não existia o J, nem na cultura grega, pesquise que veja que o “J” foi acrescentado somente no século XV

      • VERDADE

        Apesar do pseudônimo “verdade”, seus textos são bem obscuros.
        Jesus é a forma latina do hebraico Yoshua, ele quando no mundo nunca foi chamado de Jesus.
        Em latim havia o I em lugar do J… e o V no lugar do U…

        Daí a expressão I N R I , escrita na cruz pelos romanos…

        IESVS NAZARENNVS REX IVDEORVM…

        Jesus Nazareno Rei dos Judeus.

        Outros personagens que tiveram o nome latinizado:

        Confúcio Kong Fu Tzu
        Mêncio Meng Tzu
        Tamerlão Timur Leng
        Gibraltar Gebel Tarik
        Platão Platon

      • Verdade, se o nome de Cristo em hebraico é Yeshua, o problema com o nome começou bem antes, não com o surgimento do nome Jesus Cristo, mas ainda quando o Evangelho começou a ser copiado no Grego. O nome de Cristo aparece como Iessou Christou.

        Teriam Mateus, Marcos, João e Lucas homenageado o falso deus citado por você? Óbvio que não!

        Quando Pedro usou a palavra “nome” em Atos 4:12, ele não condicionou a salvação à nossa capacidade de pronunciar o nome de Cristo na forma original, mas condicionou a salvação à pessoa de Cristo, exclusivamente.

        Você disse:
        “Até Yeshua, é um outro nome contestado”

        Você só apresentou uma crítica, um problema (se é que é), mas se esqueceu de apresentar a solução.

        Qual o nome do Salvador?

        Em Isaías 7:14, Ele foi chamado Emanuel (Deus conosco). Em Isaías 9:6, diz que o “nome” pelo qual será chamado será “Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz” (as Testemunhas de Jeová parecem não conhecer esse versículo, porque em João 1:1 na Bíblia deles – Novo Mundo – está dizendo que Jesus era um “deus”).

        Vê que YHVH, Elohim, Adonay, Deus não tem apenas um nome. Mas em breve isso irá mudar:

        “E o Senhor será rei sobre toda a terra; naquele dia um será o Senhor, e um será o seu nome.” (Zacarias 14:9)

        Quanto ao nome, deixa isso com Deus. E não esquecendo, Deus não é uma homenagem a zeus (o falso deus da mitologia grega).

        Quando eu oro a Deus, eu oro ao VERDADEIRO, ao que se fez carne e habitou em nosso meio. Ao que morreu numa cruz e ressuscitou ao terceiro dia. Ao Único, Soberano e Eterno Salvador.

        Deixa de paranóia… Vai fazer bem para a sua mente e para os seus ouvintes!

        Sem “stress”, hein!

        Fica na paz de Jesus Cristo, o que morreu na cruz por nós!

          • PENSEI QUE FOSSE EM FACE DE INEXISTIR NA LÍNGUA QUE CRISTO FALAVA AS VOGAIS.

            MAS OS SÁBIOS DAQUI ACHARAM AS MAIS DIVERSAS EXPLICAÇÕES.

            COMO PODE ALGUÉM DORMIR COM ESSAS TOLICES PARA O MUNDO TODO SER TESTEMUNHA DA IGNORÂNCIA, DOS DETALHES, DAS COISINHAS?

      • Será que o NOME verdadeiro tem importaria ou não?

        Segundo PEDRO em ATOS… Não há outro NOME.
        12 Não há salvação em nenhum outro, pois, debaixo do céu não há nenhum outro NOME dado aos homens pelo qual devamos ser salvos”.

        Opa, Pedro, foi taxativo? Diz que não há em outro NOME.

        Antigamente, a escrita era limitada, o NOME éra o SOM, do nome, e na cultura JUDAÍCA nem EXISTE “J”
        Para o Messias se chamar JESUS.

        Depois, IESU, ou IESUS, nada mais passa de homenagem ao deus mitologico da galacia ESU, e também ESUS. Será que este deus salva?

        Até Yeshua, é um nome contestado. Explico porque.

        Todos os nomes na língua original tinham SIGNIFICADOS IMPORTANTES.

        Não acredita? Então me responda porque o PAI mudou o NOME daquele que você conhece por Jacó, para aquilo que você leu como Israel…
        (é claro que todos estes nomes foram alterados pela babilônia)
        PORQUE OS NOMES TINHAM SIGNIFICADOS…

        Geralmente nomes blasfemos, homenageavam seus deuses…
        Porém, o Criador mudou, para um outro nome, o que significa era algo como YHWH O JUSTO JUÍZ, ou JUSTIÇA DE YHWH…

        Sabendo os nomes originais, levaria-nos ao nome verdadeiro do PAI ETERNO… YHWH.

        Por isso, o príncipe das trevas sabe que é necessário ocultar os verdadeiros nomes…

        Não acredita?
        Então responda. Porque a primeira coisa que fez NABUCODONOSOR quando aquele que você chama de DANIEL, foi mudar o nome dele e dos outros 3 ?

        Eles possuíam nomes de exaltação ao eterno. Pois está escrito em números que ‘porão meu nome sobre vossos filhos e eles serão abençoados’

        Porém, a babilônia, nunca poderia deixar estes nomes, e trocou para exaltação aos seus próprios deuses…

        Da mesma forma hoje vivemos em uma cultura que veio da babilônia. Nem o Latim nem o Grego são herança do nosso PAI , nosso criador, altíssimo YHWH

        Quem tem ouvidos ouça!

        Leia em apocalipse, e descubra o porque está escrito que o nome do messias foi blasfemado?

  3. Televangelista, famoso, norte americano, curas testemunhais psicológicas de uma minoria beirando a catarse, judeus de um país rico, ninguém pesca em rio que não seja piscoso. Para tirar dízimo de judeus só mesmo na base da malandragem falando de Malaquias 3: 8 a 10 que de fato era mesmo um preceito da velha Lei a Nação de Israel.

    • Importa que o evangelho seja pregado e que as pessoas creiam em um único Salvador, ou seja, Jesus! E se convertam a Ele. Paulo, disse: “Verdade é que também alguns pregam a Cristo por inveja e porfia, mas outros de boa vontade” Filipenses 1:15.
      Os que pregam por inveja e porfia, são os hipócritas e mercenários da fé; os de boa vontade são os legítimos profetas de Deus.

    • Tua igreja não apenas dízimo, tira a vida, depois tudo o patrimônio. Que dizer dos pastores que vão pregar nos rincões de pobreza da África? Aqui no Brasil? Tua igreja aqui sequer abre uma portinha nas periferias, Se não fossem os evangélicos, o povo do Brasil que mora nos lugares pobres, sequer saberiam quem era Cristo. Procure saber o número de templos católicos nas favelas e periferias?

      Plantar batata é melhor que tá falando asneiras.

DEIXE UMA RESPOSTA