Testemunho: Ex-jogador da seleção do Brasil, Edmílson conta a história de sua conversão

2

Em um momento em que todas as atenções do país estão voltadas para a seleção brasileira de futebol por causa da Copa das Confederações que começa nesse sábado e da Copa do Mundo no ano que vêm, o ex-jogador Edmilson, integrante do elenco da seleção pentacampeã de 2002, concedeu uma entrevista ao lagoinha.com, falando de sua experiência com Cristo e da relação entre sua fé e sua carreira.

Oriundo de uma família de católicos praticantes, Edmilson conta que sempre sentia que faltava algo em sua experiência religiosa, mesmo seguindo todos os dogmas do catolicismo. Ele revelou que sua conversão se deu aos 16 anos, mudando completamente seu modo de vida.

– Sempre quis encontrar algo, e não via isso na igreja católica. Aos 14 anos saí para jogar futebol e fui para uma cidade pequena chamada XV Jaú. E em quase todas as semanas havia uma reunião ao meio dia. Durante esse encontro aceitei Jesus aos 16 anos. Foi muito impactante minha conversão – afirmou o ex-zagueiro.

– Era um menino muito nervoso, não levava desaforo para casa. Jesus entrou na minha vida e mudou todo meu ser, meu gênio e o meu caráter. Com algumas pessoas demora um tempo para acontecer uma transformação, mas comigo foi imediato – completa Edmílson.


Questionado se a fama foi um empecilho em sua trajetória cristã, Edmilson afirma que sempre teve seu relacionamento com Deus como foco, e isso o motivou a não se deixar influenciar, e se tornar uma referência para as pessoas à sua volta.

– Na realidade tive uma conversão muito profunda. Desde 1995 quando comecei a jogar profissionalmente e me tornei mais conhecido, já tinha experiência com Deus. Havia ganhado muitas pessoas para Jesus e precisava ser exemplo para elas. – afirma, explicando que sua ida à Europa para jogar foi como uma experiência missionária.

– Quando o atleta cristão vai para outro país, é como se ele se transformasse em um missionário. Todo mundo está de olho nele, para ver se ele erra para jogar pedras. Por meio do nosso testemunho a gente vê a diferença. Joguei no Barcelona com o Ronaldinho, o Heitor e outros jogadores desse nível e eles nos respeitavam muito. Quando estávamos na mesa, eles não falavam besteira e mudavam as conversas. Acho que é fundamental, muito mais do que ser religioso, o bom comportamento, ainda mais no mundo que vivemos hoje. – explica.

Ainda falando sobre sua relação com a fama, o ex-jogador afirma que esse nunca foi seu foco, e que não acredita que teve uma boa carreira no futebol apenas por ser cristão. Destacando a importância de realizar um bom trabalho e se agarrar às oportunidades que surgem, ele afirma que Deus não tem a obrigação de abençoar ninguém, e que esse não deve ser o foco de um cristão.

– Quando comecei a jogar futebol não pedi a Deus para ser famoso, nunca pedi a Deus para me abençoar em relação a isso. Quando comecei a jogar, a única coisa que queria era tirar meu pai da roça e começar a construir uma família – conta.

– Jogar na Copa do Mundo e no Barcelona foi realmente uma surpresa para mim – completa Edmílson.

Edmílson comentou ainda a cena protagonizada por ele e por outros jogadores cristãos na Copa do Mundo em 2002, quando levantaram a camisa da seleção e exibiram outra com a frase “Jesus te ama”. Segundo ele esse gesto levou à mensagem de Cristo a três bilhões de pessoas, e ajudou missionários pelo mundo todo a evangelizar muitas pessoas.

– Somos proclamadores do evangelho, o ide de Jesus não era apenas para os discípulos, mas para todos. – finalizou.

Por Dan Martins, para o Gospel+


2 COMENTÁRIOS

  1. Ótima matéria, mas só uma correção: " Joguei no Barcelona com o Ronaldinho, o Heitor e outros jogadores desse nível e eles nos respeitavam muito." Nessa parte da entrevista acho que ele tá citando o jogador camaronês Samuel Eto'o (E não Heitor).

  2. NA VERDADE O FUTEBOL É SÓ IDOLATRIA , MAS PODEMOS VER QUE DEUS TEM PLANOS PARA A VIDA DAS PESSOAS ESTEJAM ONDE ESTIVER SE DEUS QUER ENTÃO TUDO É POSSÍVEL

DEIXE UMA RESPOSTA