Ex-muçulmanos convertidos ao Evangelho em campos de refugiados na Alemanha descobrem o perdão

1

A conversão ao Evangelho de um ex-muçulmano o permitiu conhecer o significado de palavras que não tinham sentido quando professava a fé islâmica: esperança, perdão e liberdade.

O homem, que vive em um campo de refugiados na Alemanha, afirmou que sua conversão ao Evangelho foi retaliada pelos muçulmanos: “Eu fui cuspido, disseram que eu traí o Islã. Mas pelo que eu aprendi, eu posso perdoá-los”, disse um homem que, recentemente, foi batizado na cidade de Hamburgo, na Alemanha, em entrevista ao portal RT.

“Desde que me tornei cristão, não temo a ninguém”, afirmou outro.

A realidade nos campos de refugiado é dura para os cristãos e novos-convertidos, pois os muçulmanos atuam de forma repressora, impondo abusos psicológicos, maus tratos físicos e privações, como o impedimento de ter acesso à comida entregue pelas autoridades do país.


“Tradicionalmente, a conversão do islã pode resultar em uma série de punições, incluindo a expulsão da família, espancamentos e até assassinatos de pessoas que se convertem [a outras religiões]”, afirmou Rainer Rothfuss, analista de geopolítica.

Mesmo assim, muitos muçulmanos que chegam à Europa e são abordados por missionários cristãos, que os apresentam o Evangelho, terminam por se converter ao cristianismo. Em maio, mais de 80 ex-muçulmanos oriundos do Irã e Afeganistão foram batizados nas águas pelo pastor Albert Babajan, na cidade alemã de Hamburgo.

“O motivo para a mudança da fé é o mesmo para muitos: eles estão decepcionados com o Islã”, disse o pastor em entrevista à revista Stern.

Uma refugiada iraniana contou que vivia sob medo constante do pecado, porque nunca foi ensinada no islamismo sobre liberdade e perdão: “Eu estive procurando paz e felicidade por toda a minha vida, mas no Islã eu não encontrei. Ser cristã significa felicidade para mim”, afirmou a mulher, identificada como Shima.

1 COMENTÁRIO

  1. Polícia faz buscas por pastor suspeito de estuprar crianças em Barcarena
    Anderson Gomes, 26 anos, era pastor da Igreja da Renovação.
    Ele é acusado de abusar de seis crianças em 4 meses.
    Do G1 PA

    Anderson Gomes teve prisão decretada por estuprar
    crianças. Ele está foragido (Foto: Ascom/PC)
    A Polícia Civil procura por Anderson Cleiton de Souza Gomes, 26 anos, que está foragido com mandado de prisão preventiva decretado pela Justiça, sob acusação de estuprar seis crianças em Barcarena, nordeste do Pará.
    Segundo as investigações, apresentando-se como pastor da Igreja da Renovação, ele ganhava a confiança dos pais das vítimas e conseguia se aproximar das crianças, que depois eram levadas para a casa do acusado, onde os crimes eram praticados. Os casos foram denunciados à Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam), em Barcarena, onde a delegada Priscilla Naiatte, titular da delegacia, deu início às investigações.
    De acordo com a policial civil, Anderson também oferecia às crianças quantias em dinheiro que variavam de R$ 0,25 a R$ 0,50 para atrai-las até sua casa. Logo após o primeiro caso denunciado na Deam, ressalta a delegada, foi instaurado inquérito policial que resultou na decretação da prisão do acusado. “Após a primeira denúncia, outras vítimas foram surgindo”, detalha a delegada.
    Ela ressalta que as investigações mostraram que o pastor evangélico estava em Barcarena havia quatro meses, mas que, na verdade, o acusado seria originário de Goiânia, capital do de Goiás, para onde pode ter fugido. Ainda, conforme Priscilla Naiatte, Anderson é acusado de envolvimento em outros crimes na região, como roubos e até homicídios. “Existem informações de que Anderson já residiu em diversas cidades do Pará antes de chegar à Barcarena. Entre essas cidades estão Salinópolis, no litoral nordeste, e Ananindeua, na região metropolitana de Belém”, salienta a policial civil. Quem tiver informações do paradeiro do acusado deve telefonar ao fone 181, o Disque Denúncia.

DEIXE UMA RESPOSTA