Fiscais do TRE apreendem material de campanha em filiais das igrejas Mundial, Assembleia de Deus e Internacional da Graça

48

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Rio de Janeiro fez uma operação de fiscalização em cinco igrejas e descobriu que os líderes das denominações estavam fazendo propaganda eleitoral no ambiente de culto, o que é proibido pela legislação.

A Coordenadoria de Fiscalização do TRE em Duque de Caxias infiltrou fiscais durante os cultos de igrejas como Assembleia de Deus, Mundial do Poder de Deus e Internacional da Graça de Deus por mais de uma semana, e flagrou os pastores distribuindo santinhos, panfletos e pedindo votos nos cultos.

De acordo com informações do jornal O Globo, foram encontrados placas e panfletos de candidatos escondidos dentro dos templos.

Na igreja Assembleia de Deus da Família, liderada pelo pastor Edinaldo Silva, foram encontrados materiais de campanha dos candidatos Dica (PMDB), que disputa uma vaga na Assembleia Legislativa, e do apóstolo Ezequiel Teixeira (SD), candidato a deputado federal.


Segundo Silva, o material havia sido deixado no templo por um fiel, que teria ficado de retornar para buscar. “Ele disse que apanharia hoje (terça-feira, 16) às 9h, mas não apareceu”, justificou o pastor, que alega pastorear 12 mil fiéis.

Na filial da Igreja Mundial, o material de campanha apreendido pedia votos para Francisco Floriano (PR), candidato à reeleição como deputado federal; Milton Rangel (PSD), que disputa o cargo de deputado estadual; e o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), candidato á reeleição.  Mesmo com mandado de busca e apreensão emitido pela Justiça, os fiscais precisaram arrombar as gavetas onde o material era guardado.

Na Igreja Internacional da Graça de Deus os fiscais apreenderam materiais de campanha dos filhos do missionário R. R. Soares, Filipe Soares (PR), candidato a deputado estadual, e Marcos Soares (PR), candidato a federal, além de panfletos de Anthony Garotinho (PR), que lidera a disputa pelo Palácio das Laranjeiras.

“Eles falam para votar nos filhos do R. R. Soares. Os pastores dizem que eles são bons e podem nos ajudar, mas eles nem moram aqui. Eles só aparecem aqui para passear”, afirmou a fiel Maria Salvadora, que se recusou a revelar em quem votaria.


48 COMENTÁRIOS

  1. Querendo ou políticagem e feito em todo canto não adianta acha que é nas igrejas evangélicas pois na ultima eleição na canção nova o padre foi até afastado porque estava orientando os membro a não votar em Dilma e quando ela ganho já pedido a cabeça do padre e ele que celebrava quase todas as missão sumiu

      • ue jose.
        pelo jeito o stardust acerou uma em.
        dizendo que clamando e jose eram a mesma pessoa.
        ainda esta irritadinho, porque ficou de fora?
        Quando fizer uma reunião para os caidos ai vamos convidar você.

        • kkkkk, é mesmo Cesarr7, esse pessoal ataca tanto um político evangélico, mas e o dia que uma lei criada pelos gays impedir eles ele educar seus filhos como deve vão acordar…, e tarde demais, mas que tem igreja que exagera também isso temos que admitir que tem.

          • lélisson

            Não há problemas em politico evangélico. o problema é pastores/bispos indo pra politica, sendo que a vocação deles é para o ministério da palavra.

            Mas como são desobedientes, aí vemos esses escandalos envolvendo pastores na politica.

            Como esquecer do caso bispo rodrigues que vcs da iurd tentam esconder a todo custo???

  2. sso é hipocrisia do Tre , sempre os pastores fizeram campnhas eleitorais de candidatos evangelicos ou nao em suas igrejas . Para saber isso nao é nem preciso ir nas igrejas , os proprios candidatos mostram isso em seus sites, é so ir nos sites do Marco feliciano, Marisa lobo , etc que a gente ve fotos de camanha eleitoral sendo feitas explicitamente nas igrejas. O que nao é justo ir fiscalizar apenas algumas.

  3. Em todas as igrejas evangélicas acontece isso o TRE terá muito trabalho se passar a fiscalizar, tem que impugnar as candidaturas desses candidatos não sobraria um sequer

    • Onde eu congrego, isso não acontece. Não tem MMA, carnaval e nem balada góspel. Não tem campanha política e nem doutrina de demônio. Por misericórdia, há a real e maravilhosa presença de Deus.

      Para qualquer que ler essa mensagem, fica o aviso: Jesus está voltando! Prepara-te!

  4. ALGUÉM AINDA DUVIDA QUE ESTAS EMPRESAS EVANGÉLICAS FUNCIONAM TAMBÉM COMO PARTIDOS POLÍTICOS ? A PREGAÇÃO RELIGIOSA É SÓ UM PRETEXTO PARA ATRAIR DIZIMISTAS E ELEITORES INCAUTOS.

    • ha aproveitadores em todas as religioes incluso na sua(seja ela qual for).muitos pastores evangelicos levam uma vida simples vivem em uma casa simples ganham pouco e nao estao envolvidos com politica.a estupidez do seus comentarios e gritante!!

  5. É complicado defender a religião cristã evangélica nesses moldes, porém, as pessoas precisam distinguir as correntes teológicas, a linha doutrinária e o perfil das igrejas e pessoas evangélicas antes de generalizar. até mesmo nessas igrejas onde escândalos são recorrentes e a campanha politica faz parte de sua cultura há ilhas de coerências que devem ser polpadas das criticas generalizadas. E cá pra nós, sempre houve isso em diversas instituições, não só nas igrejas. Um exemplo: Pessoas que lidam com grupos a exemplo de lideres de ONGs, sindicatos, professores (do nível médio e superior) médicos, etc, por lei não podem fazer campanha em seu local de trabalho se forem candidatos, mas mesmo assim eles deixam pessoas encarregadas de fazer a sua campanha nesse mesmo ambiente com direito a santinhos, cartazes, placas, favores, etc. A lei deveria ser mais severa ou seguida à risca nesses casos também!

  6. nunca foi ser Cristã… Isso aí é um mercado.
    Algumas igrejas hoje prezam pela decência, verdade e palavra. Os fieis ainda aceitam isso.
    Dentro da igreja n deve ter esses banners, nem cara de Pastor ou Bispo estampado em cartazes…
    a Igreja é de Deus e n do cara que tá lá se vangloriando.

  7. Meus queridos, entendam o exemplo:
    Taxistas pedem apoio e votos para os taxistas, enfermeiro para os enfermeiros, sindicalistas para os sindicalistas e assim por diante, conclui-se que evangélicos vão ter mais votos de confiança em igrejas, afinal onde podemos encontrar os crentes declarados?, somente nas igrejas, porque se formos procurar fora das concentrações(igrejas). ficaria muito difícil de encontrar. e daí a candidatura não acontece. agora referente a condutas deles não depende da gente, como tem acontecido frequentemente, as vezes somos enganados mesmo. os caras falam, prometem coisas legais, mas quando entram se esquecem e se desmascaram! as vezes não, são até bons, mas impotentes frente a tantas facções politicamente malignas corrupitiveis.

  8. Por favor,
    Todo este barulho é que agora estão percebendo o valor dos evangélicos,
    Quando éramos um número pequeno, ninguém dizia nada, agora estão invadindo templos
    para pegar materiais, faço um desafio ao TRE entrem nos templos e tirem os candidatos que estão assistindo aos cultos se tiverem força para isso.
    Obs: sou terminantemente contra ao uso dos templos para propaganda politica.

  9. nunca ouvi falar de um caso assim nas assembleias de deus americanas na verdade em nenhuma igreja americana. um dos fatores que contribuem com isso e o fato das igrejas brasileiras terem sistemas episcopais muito centralizados e personalistas na mundial e na igreja da graça tem ate a cara dos lideres na porta dos templos.

  10. Distribuindo santinhos? DESDE QUANDO tem imagens de escultura em igrejas evangélicas? NÓS EVANGÉLICOS NÃO TEMOS SANTOS!! Quem redigiu esta matéria NÃO ENTENDE NADA DE IGREJAS EVANGÉLICAS, e portanto esta matéria é MENTIROSA, com certeza foi feita por alguem da Rede Globo…

  11. Sempre desrespeitam as leis, o prédio por eles chamado de igreja sempre foi reduto e apoio logísticos a seus interesses eleitorais dados a seus despachantes denominacionais, novidade seria se os santinhos que lá estivessem fossem de “Santo Expedito”.

  12. Desde quando evangélicos “distribuem santinhos”? Não existe santo nas igrejas evangélicas. Por que existe esse erro grosseiro na matéria? Nem parece que foi escrita por alguém que entende como as coisas funcionam na igreja evangélica. Será que foi retirada de algum site filiado a rede Globo?

  13. Alguém poderia me explicar que raios é isso de “distribuindo santinhos”? Não existe “santos” na doutrina evangélica. Não existe “distribuir santinhos” entre evangélicos. Nós não adoramos imagens de escultura. É um dos pilares básicos da doutrina evangélica, não adorar imagens de escultura nem nenhum tipo de santo.

    Erro de quem redigiu a matéria? Será que quem redigiu essa matéria tem o mínimo conhecimento de como as coisas funcionam na doutrina evangélica? Será que a pessoa que redigiu esta matéria, tem conhecimento da causa evangélica?

    Dessa forma fica muito difícil acreditar na veracidade da matéria.

    Será que a matéria foi retirada de algum site não-evangélico, talvez ligado a Rede Globo?

  14. Na minha opiniao-acho que nao tem nada a ver pedir voto no culto. Por que eles nao envestiga bandidos ki mata,rouba e ate o TRE corre estes riscos? Toda obra dentro do culto e de Deus…!

  15. Estudo disponível em evangelismo.blog.br

    Pastor ou Político

    De acordo com a Bíblia, o pastor é o homem (não existe pastora: 1 Tm 3:2;12, Tt 1:6, 1 Co 14:34-35) chamado por Deus para apascentar ovelhas, para ter o cuidado da igreja do Senhor Jesus.

    Em período eleitoral, é muito comum encontrarmos pastores que se apresentam como candidatos. Para justificarem a candidatura, esses homens costumam falar de José do Egito, que foi escolhido por Deus para ser governador daquela nação.

    Porém o exemplo de José não pode ser utilizado como pretexto por pastores que desejam adentrar no mundo político, pelo simples fato de José não ter sido chamado para ser pastor.

    Passemos agora a analisar as Escrituras Sagradas e o que elas dizem sobre a possibilidade de um homem ser pastor e político ao mesmo tempo.

    “E, depois de terem jantado, disse Jesus a Simão Pedro: Simão, filho de Jonas, amas-me mais do que estes? E ele respondeu: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Disse-lhe: Apascenta os meus cordeiros. Tornou a dizer-lhe segunda vez: Simão, filho de Jonas, amas-me? Disse-lhe: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Disse-lhe: Apascenta as minhas ovelhas. Disse-lhe terceira vez: Simão, filho de Jonas, amas-me? Simão entristeceu-se por lhe ter dito terceira vez: Amas-me? E disse-lhe: Senhor, tu sabes tudo; tu sabes que eu te amo. Jesus disse-lhe: Apascenta as minhas ovelhas.” (João 21:15-17)

    Se alguém ama realmente ao Senhor Jesus, e teve chamado para apascentar ovelhas, este homem deve apenas apascentar as ovelhas.

    “Cada um fique na vocação em que foi chamado.” (1 Coríntios 7:20)

    Jesus repetiu a ordem três vezes, dizendo: “apascenta as minhas ovelhas”. Mesmo assim, muitos insistem em desobedecer, fugindo da responsabilidade:

    “Ora, o mercenário foge, porque é mercenário, e não tem cuidado das ovelhas.” (João 10:13)

    Mas se continuarmos examinando as Escrituras Sagradas, cada vez mais nos convenceremos de que candidaturas não podem ser exercidas por pastores de ovelhas.

    “Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas? E que concórdia há entre Cristo e Belial? Ou que parte tem o fiel com o infiel? E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? Porque vós sois o templo do Deus vivente, como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. Por isso saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; E não toqueis nada imundo, E eu vos receberei; E eu serei para vós Pai, E vós sereis para mim filhos e filhas, Diz o Senhor Todo-Poderoso.” (2 Coríntios 6:14-18)

    Paulo começa exortando para que não nos prendamos a um jugo desigual com os infiéis. Apesar de Paulo não ter se aprofundado na questão, essa ordenança é muito mais ampla do que realmente parece ser.

    É claro que existem exceções também. Em outra oportunidade, Paulo escreveu:

    “Já por carta vos tenho escrito, que não vos associeis com os que se prostituem; Isto não quer dizer absolutamente com os devassos deste mundo, ou com os avarentos, ou com os roubadores, ou com os idólatras; porque então vos seria necessário sair do mundo. Mas agora vos escrevi que não vos associeis com aquele que, dizendo-se irmão, for devasso, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com o tal nem ainda comais.” (1 Coríntios 5:9-11)

    Pedro era um homem muito conhecido. Numa ocasião, três mil almas se converteram após a pregação de Pedro (Atos 2:41). Pedro, Tiago e João eram considerados como colunas da igreja (Gálatas 2:9). Paulo também era muito conhecido e para ser levado a presença de várias autoridades da época, deveria ser importante também. Mesmo assim, nenhum desses homens se envolveu com política ou desejou obter para si qualquer tipo de poder sobre os homens, pois todos seguiram à risca o que Jesus lhes ensinou: “Apascenta minhas ovelhas.”

    O mundo não vai melhorar porque um pastor foi eleito para algum cargo político. Na verdade, o mundo jaz no maligno (1 João 5:19). Em breve, os governantes (os dez reis de Apocalipse 17:12-13) entregarão o poder e a autoridade à besta, para combaterem inutilmente contra o Cordeiro.

    Enquanto muitos fitam os olhos nesse mundo, a Palavra nos adverte:

    “Mas a nossa cidade está nos céus, de onde também esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo,” (Filipenses 3:20)

    Creio que a culpa não seja exclusivamente dos “anjos” que se candidatam a cargos políticos, mas de toda a igreja que permanece omissa diante de tais atitudes.

DEIXE UMA RESPOSTA