Globo cancelou festa do Troféu Promessas por motivos financeiros, diz jornalista

14

O Troféu Promessas, premiação criada pelas Organizações Globo para os artistas gospel nacionais que mais se destacam durante o ano, teve a cerimônia de entrega dos prêmios aos vencedores cancelada no início deste mês.

Agora, o jornalista Lauro Jardim, colunista da revista Veja, publicou a informação de que o cancelamento do evento se deu por razões financeiras.

O custo da organização da cerimônia no Teatro Popular Oscar Niemeyer seria de R$ 280 mil, e a emissora optou por não bancá-lo.

Nas palavras de Jardim, “apesar de ter um faturamento bilionário”, a emissora da família Marinho optou por ser conservadora, depois de acumular fracassos em sua relação com o meio gospel.


A estratégia da Globo para se aproximar dos evangélicos – segmento religioso que mais cresce no Brasil – passa por diversos pontos, como contratar artistas gospel para sua gravadora, Som Livre, inserir personagens evangélicos e suas novelas, promover eventos como o Festival Promessas (derivado do Troféu Promessas) e a Feira Internacional Cristã (FIC), entre outros.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

14 COMENTÁRIOS

    • dayana

      li sua resposta no outro artigo. valeu pela resposta. Como vai a vida? só na benção? ok. só tome cuidado com os cães gulosos, tá?

      caso vc não saiba quem são os cães gulosos, dá uma lida em isaias 56:11.

  1. E e pode existir alguma coisa que preste que seja de bom termo que venha desta emissora de televisão não não há, não há nada eu disse nada de nada a quer saber um milhão de nada vezes um bilhão de nada vezes um trilhão de nada vezes um quatilhoes de nada vezes um quintilhões de nana vezes nada e nada portanto não não há nada que venha desta coisa chamada globo que preste que tenha aproveito que se possa dizer nossa como e boa essa tar globo, não não não não não não não não não não e não nada nada e nada

  2. Cães gulosos? tem mais é cachorro magro por aqui coma língua de fora querendo osso na porta do açougue.
    Tem coisa boa na globo viu Dayana, tem jornal nacional, tem globo repórter, por ex., nem tudo é do capeta como você acha, então a gente não póde assistir nada na tv, nem sbt, band e record, estão todas no mesmo balaio.
    Mas a globo tem tanto dimdim, como assim acabou a grana e troféu promessas?

  3. Primeiro esse coitado chama Deus de bipolar e esquizofrênico e depois acha que Deus tenha misericórdia dele. ou esse Igor precisa de camisa de força ou da sessão do descarrego mesmo lá da universal, eu recomendo umas 200 sessões do descarrego pra esse estrupício. se é que vai dar só 200.

  4. Li o post “Dúvidas sobre a Fogueira Santa” e acho que tem algo que precisa ser explicado para que as pessoas consigam pegar o espírito da Fogueira Santa. Muita gente nunca percebeu que a palavra “sacrifício” tem mais de um significado. O sentido mais usado pelo mundo para essa palavra é “sofrimento”. A gente fala “sacrifício” e as pessoas logo pensam em sofrimento extremo, quase como uma penitência. Mas a palavra “sacrifício” na Universal é usada no sentido mais esquecido do dicionário: renúncia.

    No dicionário Michaelis esse significado aparece assim: “Renúncia voluntária a um bem ou a um direito”. É esse o nosso sacrifício. Não é dar alguma coisa para ficar sofrendo, se torturando, na esperança de que o sofrimento alcance alguma coisa, mas renunciar voluntariamente a algo que Deus pediu, sabendo que aquela renúncia trará o resultado que Ele prometeu. A renúncia é algo pensado, é uma atitude do espírito. Já o sofrimento, é da alma, do coração e, às vezes, do corpo.

    Eu entendo a confusão. A cultura católica glorifica o sofrimento. Tanto é que o catolicismo dá um foco muito grande à dor física de Jesus na cruz, como se isso, por si só, fosse o sacrifício. Sendo que a maior dor dele foi ter renunciado voluntariamente à sua conexão com o Pai (principalmente), à sua paz de espírito e pureza (pois carregou os nossos pecados) e ao seu direito de viver, para que tivéssemos vida. Seu sacrifício foi espiritual, foi de renúncia. O sacrifício físico, da morte, apenas simbolizava o sacrifício espiritual, que nos livrou da morte eterna.

    A cultura católica acha que quem sofre é santo. Mas o santo mesmo é o que renuncia. O que abre mão de suas vontades, o que renuncia ao direito de revidar, de responder, o que renuncia à desordem, o que renuncia ao seu direito animal de viver de acordo com seus instintos e impulsos, o que renuncia ao direito de pertencer a si mesmo, o que renuncia à indisciplina, o que renuncia à sua própria vida, o que abre mão de um bem ao qual é apegado, o que renuncia ao direito de ter no dinheiro a sua segurança… O que se entrega, renuncia.

    Esse é o sacrifício que se faz no mundo, sem saber. O estudante que renuncia ao seu direito de dormir para estudar, aquele que renuncia às baladas para ter um namoro firme, o que renuncia aos doces para manter a saúde, o que renuncia ao sedentarismo para se exercitar, o que renuncia ao direito de gastar consigo mesmo para investir em alguma coisa, o que renuncia à preguiça para ler um livro…

    E quando o pastor diz que o sacrifício tem que doer, é verdade, mas essa dor não é católica, não é física. Porque a renúncia dói mais do que a dor física ou do que o mero sofrimento. É a dor da alma sendo disciplinada pelo espírito. É a dor que nos faz mais fortes, pois nos faz dependentes de Deus. E entendo que é esse o critério que Ele usa ao nos pedir o sacrifício. E aí (ao ver o sacrifício como renúncia, e não como sofrimento) começamos a entender quando o pastor diz que Deus nos pede para nos dar mais. Ele pede o que estava atrapalhando (e, às vezes, a gente nem notava) e, ao renunciar, nos vemos livres para coisas maiores, pois saímos da zona de conforto que nos acomodava. Rompemos nossos limites, fazemos o que jamais teríamos feito por conta própria, às vezes sem nem entender por que Deus pediu aquilo, mas confiamos que Ele sabe o que faz e, nessa confiança, fazemos o nosso sacrifício. Cremos, por isso, entregamos.

    Esse é o espírito da Fogueira Santa.
    Em todas as Universais em todo mundo da o seu Tuuuuuuudddooooooooo!!!!!!

    • Na nova aliança que temos em Jesus, sacrifícios não são necessários… muito menos esses falsos sacrifícios onde vc tem de tirar todo dinheiro das suas economias, vender carro, casa e dar na mão de “pastores”.

      Jesus dá o que precisamos pela fé, sem necessidade de se pagar pela benção:

      “Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como nos não dará também com ele todas as coisas?” (Romanos 8:32)

      E outra, Desde o velho testamento, Deus já estava indicando que preferia o perdão de nossa parte, do que qualquer tipo de sacrifício:

      “Pois misericórdia quero, e não sacrifício…” (oséias 6:6a)

      Fato que o Senhor Jesus também confirma:

      ” Ide, porém, e aprendei o que significa: Misericórdia quero e não sacrifícios…” (Mateus 9:13a)

      Portanto, essa conversa de que vc tem que vender tudo o que tem e dar numa denominação para que Deus venha a ver a sua fé, não se comprova!

      Mas esses enganos já estão profetizados:

      ” também, movidos por avareza, farão comércio de vós, com palavras fictícias; para eles o juízo lavrado há longo tempo não tarda, e a sua destruição não dorme.” (II Pedro 2:3 )

      Deus abençoe a todos!

DEIXE UMA RESPOSTA