Após pressão, governo recua e extingue comitê que imporia ideologia de gênero às escolas

17

A pressão exercida pela sociedade contra o Ministério da Educação (MEC) por ter criado um Comitê de Gênero, que atuaria na implementação da ideologia de gênero nas escolas públicas do país, fez o governo recuar de sua proposta inicial.

No último dia 22 de setembro o MEC publicou uma nova portaria, substituindo a que estabelecia a criação do Comitê de Gênero pelo Comitê de Combate à Discriminação. A troca do nome é simbólica e resultado da pressão feita pela sociedade, contrária à postura adotada pelo MEC, que vinha desrespeitando decisões tomadas pelo Poder Legislativo nas esferas federal, estadual e municipal.

A ideologia de gênero, em resumo, prega que a identidade sexual de uma pessoa é construída a partir de suas experiências sociais, culturais e afetivas, e não a partir de sua constituição biológica, o que significa dizer que, se implementada nas escolas, os alunos passariam a aprender que ser homem ou mulher é uma escolha pessoal, devendo assim, decidirem como querem ser tratados. Essa linha ideológica foi recusada como política nacional de ensino em 2014 pelo Congresso Nacional, porém o MEC ignorou essa decisão e exigiu que os estados e municípios instituíssem essa matéria no currículo escolar. A pressão do governo não surtiu efeito, e a maioria do deputados estaduais e vereadores também recusaram o tema.

Em nota, o MEC comentou a mudança do nome do Comitê e afirmou que a decisão foi tomada pensando no “objetivo de elaborar mecanismos de apoio contra toda sorte de discriminação e acompanhar políticas públicas voltadas para a proteção dos direitos humanos”.


Anteriormente, o trabalho do Comitê se destinaria a tratar “direitos relacionados às questões de gênero”, e agora, conforme a nova portaria, deverá se dedicar a “políticas públicas de combate a temática em referência”, a discriminação.

A principal fonte de pressão contra o antigo Comitê foi a bancada evangélica no Congresso Nacional, fundamentalmente contrária à ideologia de gênero. Um de seus integrantes, o deputado Marco Feliciano (PSC-SP) disse que os parlamentares estavam estudando a possibilidade de aprovar um decreto legislativo para “sustar essa resolução” que desrespeitava as decisões tomadas de maneira soberana no Congresso Nacional: “Por que essa ditadura? Por que só privilegiar esse grupo? Por que só eles se interessam nisso? A população não aceita isso”, afirmou Feliciano.

17 COMENTÁRIOS

  1. FOI O TEMPO QE O MEC INCENTIVAVA COISA BOA AOS PROFESSORES E ALUNOS, COMO JURAR BANDEIRA, FAZER PRECE ANTES DA AULA, DAR BOM DIA PRO COLEGUINHA PRA PROFESSORA PRO PORTEIRO PRO FAXINEIRA PRA SERVISAL…MUDOU MUITA COISA BOA POR INUTILIDADES NAS MATERIAS!

    APESAR DA BAGUNCA NA SALA ERA BOM O HANBIENTE COM MUITA ALEGRIA, ARENGA E DEPOIS TAVA TD JUNTO BRINCANDO SEM MALDADE NO CORACAO, PROFESSORA RECLAMANDO BOTANDO DE CASTIGO, DAVA AS COSTAS A GT FAZIA CARETA, NO FIM DA AULA O “UFA” DE TODO MUNDO E A PALHACADA NA SAIDA MAS SEM MALDADE..E NO DIA SEGINTE A LUTA PRA COMECAR TD DE NOVO!

    HOH TEMPO BOM!

    HOJE ESCOLA PARECE EXERCITO COM ALUNO DE REVOLVER NA MUCHILA E NAO UMA LANCHEIRA, PROFESSORES SOFRIDOS E NERVOSOS COM TUDO E TODOS!

    GOVERNO VAGABUNDO E DESGRACADO ESSES ULTIMOS NO PAIS QUE JA FOI MENOS SOFRIDO E TEVE POLITICOS NAO PERFEITOS MAS DE CORACAO ATENTO A NACAO, E NAO SO AO DINHEIRO, DEFENDENDO CAES E CADELAS QUE ROUBAM NA CARA DE PAU MESMO COM PROVAS SAO DEFENDIDOS E INOCENTADOS POR

    PREFIRO PARAR AQUI!

    S.O.S BRASIL.

    • Eu vi uma pesquisa hoje em quê mais de 80% do povo Brasileiro está desapontado com a democracia,culpa de quem?do pt lógico,olha eu não sou a favor da ditadura militar,mais tenho certeza que se os militares tomasse o poder hoje eles ia sanar muitos problemas como segurança e educação.

      • LUCIANO

        Um dia, perguntaram a um homem, do que ele sentia falta do governo militar.
        Ele respondeu que era o respeito às autoridades.
        E esse “autoridade” não era só polícia ou governo.
        Incluia também o professor e o pai…
        Hoje temos esses selvagens ofendendo o professor e gritando com o pai…
        Eu com certeza estou desapontada com a democracia…
        Que virou a cracia do demo…
        O povo fica 20 anos sem votar para presidente…
        Quando vota, faz a kagada de eleger Lula Amigo do Polvo e DILaMA.

      • VANESSA

        E como seria diferente, com um verdadeiro cano de esgoto que desemboca na nossa sala, que é a Rede Esgoto de Televisão?
        E o máximo, o esgoto do esgoto, é a amaldiçoada novela das 9.
        Esqueci do BBB – Burro Besta Babaca
        Essa última Babilônia terminou jogada às moscas, merecidamente.
        Era só drogado, homo sexualismo, safadeza, adultério.
        A próxima novela poderia se chamar Sodoma.
        Só está faltando o nome, porque cada uma é uma homenagem à cidade destruída por sua depravação, até o ato que os habitantes praticavam tornou-se SODOMIA.

  2. Vejam só: o governo recua e extingue comitê que IMPORIA ideologia de gênero nas escolas.
    Olhem o verbo: IMPORIA, derivado de IMPOR, que é obrigar, fazer algo à força.
    Esse é o PT – Partido dos Traidores.
    Não tô nem aí com o uso que a pessoa faz do c…nem onde põe a b0ca.
    O que não aceito é que os gayzistas extremistas venham IMPOR sua ideologia canhestra e suas práticas tenebr0sas, ainda mais se tratando de crianças, mais fáceis de enganar.
    Tinha aí um sepultado projeto de lei com um monte de coisas ridículas.
    Retirar as palavras “pai” e “mãe” dos documentos oficiais.
    Acabar com a comemoração do Dia dos Pais e do Dia das Mães.
    Queriam até banir histórias infantis, popularmente conhecidas como “contos de fadas” e substituí-las por versões “gay”.
    Assim, quando chegasse o príncipe do conto A Bela Adormecida para beijar a mesma, ele beijaria um outro homem.
    Já queriam ir doutrinando nossas crianças, IMPOR-lhes a idéia de que hoje não existe mais homem ou mulher, que cada um pode ser o que quiser!!!
    Permitir a entrada de homens nos banheiros femininos, podem até dizer que é travesti / transssexual / transgênico, mas quem garante que não é um tarad0 / estuprad0r / maníac0 que apenas vestiu roupas de mulher para poder entrar?
    Aqui na minha cidade os vereadores rejeitaram essa idéia ridícula, claro que sob fortes protestos dos ativistas gayzistas LGBT.
    Agora imaginem essas pessoas no poder…
    Aqui viraria uma Coréia do Norte, onde (des)governa o ditadorzinho Kim Jong Pum, que também é gay, e ele ainda vai obrigar todo homem a se relacionar com outro homem.
    Vade retro, Satanás!

    • LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA.

      Metalúrgico e líder sindical, foi presidente da República por dois mandatos consecutivos, entre 2003 e 2010. Nascido numa região pobre do Nordeste, com muitas carências materiais, aos sete anos migrou junto com a família para São Paulo. Foi engraxate, ajudante de tintureiro e office boy.Posteriormente, entrou para a área metalúrgica na Fábrica de Parafusos Marte.

      Já formado torneiro mecânico
      pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), trabalhou nas Indústrias Villares, no ABC paulista, onde começou a participar do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo e Diadema. Estimulado por seu irmão, José Ferreira da Silva, o Frei Chico, Lula foi eleito em 1969 como suplente da diretoria da entidade. Seis anos mais tarde, após ganhar grande destaque por sua atuação, elegeu-se presidente.

      Ganhou projeção nacional em 1977, ao liderar uma reivindicação de reposição salarial. Reeleito presidente do sindicato no ano seguinte, passou a comandar as
      negociações e greves que começaram a estourar em grande escala, movimentos de massa que contribuíram para o desgaste e o fim da ditadura militar. Em 1980, o sindicato sofreu intervenção do regime e Lula foi detido por 31 dias no Departamento de Ordem Polícia e Social (Dops), com base na Lei de Segurança Nacional. Durante o período em que ficou preso, recebeu a triste notícia de que sua mãe havia falecido. Foi autorizado a sair para acompanhar o funeral.

      Em 10 de fevereiro de 1980, Lula ajudou a fundar o Partido dos Trabalhadores (PT), que representava a união de centenas
      de milhares de pessoas ligadas aos movimentos sindicais, comunidades eclesiais de base da igreja católica, grupos de esquerda e intelectuais.

      Em 1984, Lula participou, como uma das principais lideranças, da campanha das Diretas Já para a presidência da República. Em 1986, mesmo sem possuir curso superior, foi eleito o deputado mais votado do país, para a Assembleia Constituinte. Após três tentativas, Lula foi eleito presidente da República para o período de 2003 a 2006 e reeleito para o segundo mandato, de 2007 a 2010. Na área social, suas duas gestões ficaram
      marcadas pela ênfase em programas como o Fome Zero e o Bolsa Família, crescimento da oferta de empregos e o aumento expressivo do salário mínimo, medidas que contribuíram para o decréscimo dos índices de miséria.

      Em 2010, Lula apoiou a candidatura de Dilma Rousseff, que foi ministra de Minas e Energia e depois ministra da Casa Civil durante seus dois mandatos. Desde fevereiro de 2011, Luiz Inácio Lula da Silva é presidente honorário do PT pela segunda vez. Em outubro do mesmo ano, foi diagnosticado com câncer de laringe. Após tratamento, segue em atividade política.

      FILME ABC DA GREVE, DE LEON HIRZMAN

    • Igreja catolica co fundadora do pt
      Lula foi

      Metalúrgico e líder sindical, foi presidente da República por dois mandatos consecutivos, entre 2003 e 2010. Nascido numa região pobre do Nordeste, com muitas carências materiais, aos sete anos migrou junto com a família para São Paulo. Foi engraxate, ajudante de tintureiro e office boy.Posteriormente, entrou para a área metalúrgica na Fábrica de Parafusos Marte.

      Já formado torneiro mecânico
      pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), trabalhou nas Indústrias Villares, no ABC paulista, onde começou a participar do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo e Diadema. Estimulado por seu irmão, José Ferreira da Silva, o Frei Chico, Lula foi eleito em 1969 como suplente da diretoria da entidade. Seis anos mais tarde, após ganhar grande destaque por sua atuação, elegeu-se presidente.

      Ganhou projeção nacional em 1977, ao liderar uma reivindicação de reposição salarial. Reeleito presidente do sindicato no ano seguinte, passou a comandar as
      negociações e greves que começaram a estourar em grande escala, movimentos de massa que contribuíram para o desgaste e o fim da ditadura militar. Em 1980, o sindicato sofreu intervenção do regime e Lula foi detido por 31 dias no Departamento de Ordem Polícia e Social (Dops), com base na Lei de Segurança Nacional. Durante o período em que ficou preso, recebeu a triste notícia de que sua mãe havia falecido. Foi autorizado a sair para acompanhar o funeral.

      Em 10 de fevereiro de 1980, Lula ajudou a fundar o Partido dos Trabalhadores (PT), que representava a união de centenas
      de milhares de pessoas ligadas aos movimentos sindicais, comunidades eclesiais de base da igreja católica, grupos de esquerda e intelectuais.

      Em 1984, Lula participou, como uma das principais lideranças, da campanha das Diretas Já para a presidência da República. Em 1986, mesmo sem possuir curso superior, foi eleito o deputado mais votado do país, para a Assembleia Constituinte. Após três tentativas, Lula foi eleito presidente da República para o período de 2003 a 2006 e reeleito para o segundo mandato, de 2007 a 2010. Na área social, suas duas gestões ficaram
      marcadas pela ênfase em programas como o Fome Zero e o Bolsa Família, crescimento da oferta de empregos e o aumento expressivo do salário mínimo, medidas que contribuíram para o decréscimo dos índices de miséria.

      Em 2010, Lula apoiou a candidatura de Dilma Rousseff, que foi ministra de Minas e Energia e depois ministra da Casa Civil durante seus dois mandatos. Desde fevereiro de 2011, Luiz Inácio Lula da Silva é presidente honorário do PT pela segunda vez. Em outubro do mesmo ano, foi diagnosticado com câncer de laringe. Após tratamento, segue em atividade política.

      FILME ABC DA GREVE, DE LEON HIRZMAN

    • Igreja catolica co fundadora do pt
      Lula foi

      Metalúrgico e líder sindical, foi presidente da República por dois mandatos consecutivos, entre 2003 e 2010. Nascido numa região pobre do Nordeste, com muitas carências materiais, aos sete anos migrou junto com a família para São Paulo. Foi engraxate, ajudante de tintureiro e office boy.Posteriormente, entrou para a área metalúrgica na Fábrica de Parafusos Marte.

      Já formado torneiro mecânico
      pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), trabalhou nas Indústrias Villares, no ABC paulista, onde começou a participar do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo e Diadema. Estimulado por seu irmão, José Ferreira da Silva, o Frei Chico, Lula foi eleito em 1969 como suplente da diretoria da entidade. Seis anos mais tarde, após ganhar grande destaque por sua atuação, elegeu-se presidente.

      Ganhou projeção nacional em 1977, ao liderar uma reivindicação de reposição salarial. Reeleito presidente do sindicato no ano seguinte, passou a comandar as
      negociações e greves que começaram a estourar em grande escala, movimentos de massa que contribuíram para o desgaste e o fim da ditadura militar. Em 1980, o sindicato sofreu intervenção do regime e Lula foi detido por 31 dias no Departamento de Ordem Polícia e Social (Dops), com base na Lei de Segurança Nacional. Durante o período em que ficou preso, recebeu a triste notícia de que sua mãe havia falecido. Foi autorizado a sair para acompanhar o funeral.

      Em 10 de fevereiro de 1980, Lula ajudou a fundar o Partido dos Trabalhadores (PT), que representava a união de centenas
      de milhares de pessoas ligadas aos movimentos sindicais, comunidades eclesiais de base da igreja católica, grupos de esquerda e intelectuais.

      Em 1984, Lula participou, como uma das principais lideranças, da campanha das Diretas Já para a presidência da República. Em 1986, mesmo sem possuir curso superior, foi eleito o deputado mais votado do país, para a Assembleia Constituinte. Após três tentativas, Lula foi eleito presidente da República para o período de 2003 a 2006 e reeleito para o segundo mandato, de 2007 a 2010. Na área social, suas duas gestões ficaram
      marcadas pela ênfase em programas como o Fome Zero e o Bolsa Família, crescimento da oferta de empregos e o aumento expressivo do salário mínimo, medidas que contribuíram para o decréscimo dos índices de miséria.

      Em 2010, Lula apoiou a candidatura de Dilma Rousseff, que foi ministra de Minas e Energia e depois ministra da Casa Civil durante seus dois mandatos. Desde fevereiro de 2011, Luiz Inácio Lula da Silva é presidente honorário do PT pela segunda vez. Em outubro do mesmo ano, foi diagnosticado com câncer de laringe. Após tratamento, segue em atividade política.

    • sim entravamos na escola todos iam para o patio cantava-se o hino nacional do estado e da escola, e por fim ao entrar na sala a prof. rezava um pai nosso, escolas tinham merenda e dentista, os momentos cívicos era tudo muito sério, depois quando mais velho na une lutei por democracia, se soubesse que daria nisto cara teria apoiado a ditadura.
      aqui mesmo muitas vezes me queixei da ditadura mas hoje revejo e sei que errei

  3. Coisa terrível mesmo essa de gênero.. Foi o demônio do último degrau do inferno quem inventou, para destruir a família exemplar brasileira, mas felizmente que hoje nós temos homens exemplares defendendo nossa maravilhosa família, homens como, Marcos Feliciano, Silas Malafaia, Bolsonaro, Magno Malta, Eduardo Campos, Pastor Eurico e outros tão iguais quanto estes que restaurarão nossas famílias patriarcais constituídas de um homem, mulher e filhos…O Brasil, sob a luta desses ilustres homens destruirá definitivamente todo arranjo familiar diferente do nosso modelo invejável de família!!!

DEIXE UMA RESPOSTA