Silas Malafaia estaria querendo fazer as pazes com Edir Macedo, diz jornalista; Pastor nega

76

O pastor Silas Malafaia, líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC), publicou um vídeo no último fim de semana falando sobre questões diversas ligadas ao meio evangélico.

O vídeo traz uma espécie de mea-culpa, pois o pastor diz que “é feio julgar uma pessoa você julgar uma pessoa por um ato errado”, e acrescenta que é natural do ser humano cometer injustiças: “Julgamos os outros com o pior que temos, e julgamos a nós mesmos com o melhor que temos”.

Mais à frente, Malafaia menciona o bispo Edir Macedo, líder da Igreja Universal do Reino de Deus, e sua antiga relação com ele, na época em que ele foi preso.

“Eu me lembro quando tentaram armar uma perseguição contra a Igreja Universal, que botaram o bispo Edir Macedo na cadeia […] Eu posso ter diferenças, mas a verdade não me peça [para omitir] porque eu tenho diferença com alguém. É normal. Paulo teve diferença com Pedro, com Barnabé. Isso é ser humano. Eu tenho discordâncias com vários líderes, e eles comigo. É um direito. Não os odeio. Botaram o cara [Macedo] na cadeia por pura molecagem. Eu fiquei tão indignado de ver aquilo… Parti pra dentro na TV. Sabe o que me disseram? ‘Malafaia, tu tá ferrado’”, relembrou o pastor.


Na sequência, Malafaia acrescentou que não se arrepende do episódio ocorrido há 23 anos: “Eu posso ter a minha diferença que é normal. Só no céu vai haver perfeita harmonia. Algumas coisas da minha vida, se eu voltasse atrás, não faria. Mas se tem uma coisa que eu faria, era defender eles [a Igreja Universal] de novo.

De acordo com o jornalista Lauro Jardim, da revista Veja, o vídeo do pastor teria sido “interpretado por muitos evangélicos como uma tentativa de amenizar as críticas feitas a Edir Macedo durante a campanha ao governo do Rio de Janeiro”, quando “Malafaia desceu a borduna no bispo no horário eleitoral gratuito e bateu boca com Marcelo Crivella em um debate promovido por VEJA” na capital fluminense.

No entanto, o próprio jornalista adicionou a informação de que a especulação sobre as motivações do pastor para fazer o vídeo são infundadas: “Malafaia nega que esteja querendo levantar uma bandeira branca para Edir Macedo”, escreveu Jardim.

Ao final do vídeo, Malafaia diz que “estamos vivendo um momento muito delicado” no país, e que “precisamos orar” pela nação: “Na época da eleição, eu botei pra quebrar contra o governo. [O PT] ganhou a eleição? Eu tenho que orar. Não tem jeito, gostando ou não, você tem que orar. É o que a Bíblia manda. Não queremos ver o Brasil no caos”.

Assista:

Assine o Canal

76 COMENTÁRIOS

  1. A única coisa que não há diferenças é quanto a grana do dízimo. Defendem com unhas e dentes e usam de exemplos que não convencem nenhum pouco os capazes de pensarem um pouco.

  2. Essa é a geração mais carnal e avarenta da história da Igreja. Ter que ler os comentarios de alguns tolos contrarios ao dizimo é lamentável. Sera que essa gente nao leu que na Igreja Primitiva os crentes davam todos os seus bens para o Evangelho? Qualquer um que crer em uma causa se enganja nela: Os petistas dao 30% para o partido; Os foliões dão tudo o que tem para as suas agremiações; Os terroristas dão a vida pela causa; Os cristãos sao os primeiros a difamarem os pastores por causa dos dizimos. São covardes, desonestos, hipocritas… Se é crente de verdade deveria dar a vida pela causa do evangelho. Cambada de avarentos do inferno.

    • “Essa é a geração mais carnal e avarenta da história da Igreja”

      R: Resultado de lideres carnais e avarentos. Seus nomes constando da revista forbes como milionários comprovam que isso é uma fato consumado.

      “Ter que ler os comentarios de alguns tolos contrarios ao dizimo é lamentável.”

      R: Sinceramente, não sei como vc chama quem é contrário ao dízimo evangélico de tolo pois: “quem proferir um insulto a seu irmão estará sujeito a julgamento do tribunal; e quem lhe chamar: Tolo, estará sujeito ao inferno de fogo.” (mateus 5:22). Jesus condena o que vc pratica, e jamais nos mandou dar dízimo.

      “Sera que essa gente nao leu que na Igreja Primitiva os crentes davam todos os seus bens para o Evangelho?”

      R: Na minha bíblia as doações que a igreja primitiva recebia era para socorrer os necessitados (atos 4:34-35) e sustento dos próprios evangelistas (filipenses 4:18), nunca para manter um templo fisico funcionando.

      “Os cristãos sao os primeiros a difamarem os pastores por causa dos dizimos. São covardes, desonestos, hipocritas”

      R: Na bíblia jamais vemos pastores/bispos/apóstolos tomando dízimo dos cristãos… muito menos esse falso dízimo da religião evangélica que insistem em dizer que é dinheiro. O dízimo nunca foi mandamento cristão. O legitimo dízimo era somente em alimentos e obrigatório somente aos israelitas que estavam debaixo da lei de moisés. Nós não seguimos a lei de moisés por não estarmos debaixo dela.

        • essa é de rir kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk ele presta serviço ao diabo, como pode, uma pessoa se dizer de DEUS e ficar criticando e julgando a universal,,dizendo que a igreja é isso e aquilo, a UNIVERSAL é um ministério abençoado como ouro qualquer, la existe pessoas de DEUS e pessoas que não são convertida, agora vem um ser estúpido usado pelo diabo, falar mal da igreja, a pessoa pode falar mal do lider, do pastor do membro, porque são mortais pecadores, agora falar mal da igreja, isso é uma estupidez , porque a igreja é de JESUS, na UNIVERSAL, tem pessoas que vão ser salvas, isso quer dizer que a igreja é de JESUS, assim como Assembléia, batista , presbiteriana e outras..

          • Zezé,

            Como você bem mencionou, somos meros mortais pecadores, ” SE DISSERMOS QUE NÃO TEMOS PECADO NENHUM, A NÓS MESMOS NOS ENGANAMOS, E A VERDADE NÃO ESTÁ EM NÓS. SE CONFESSARMOS OS NOSSOS PECADOS, ELE É FIEL E JUSTO PARA NOS PERDOAR OS PECADOS E NOS PURUFICAR DE TODA INJUSTIÇA.” (1Jo1:8-9); no entanto, quero relembrar à você, que a mensagem do Senhor Jesus Cristo revelada no livro de Apocalipse(Cap2e3) é destinada justamente às igrejas, onde cinco delas se desviaram da verdade, ou seja, igrejas também cometem falhas, e estão sujeitas à condenação, caso não se arrependam.

            Eu também acredito que membros de igrejas diferentes venham a ser salvos, porém não acredito que todas as igrejas pertençam à Jesus, pelo simples fato de possuÍrem doutrinas divergentes, como se houvessem várias verdades, como se houvessem “as doutrinas de Cristo”, mas não, ela é única,o que mostra que em algum momento deixaram a doutrina cristã para seguir preceitos de homem.
            “TODO AQUELE QUE ULTRAPASSA A DOUTRINA DE CRISTO E NELA NÃO PERMANECE NÃO TEM DEUS; O QUE PERMANECE NA DOUTRINA, ESSE TEM TANTO O PAI COMO O FILHO.” (2Jo9).

            Fique na Paz!

          • A universal, tal qual batista, mundial, presbiteriana e outras NÃO SÃO IGREJAS.

            Igreja nunca foi uma placa. igreja nunca foi um templo físico. igreja nunca foi uma denominação.

      • MARCOS STARDUST
        O UNICO FATO VOCES NÃO SÃO CRISTÃO NUNCA TIVERAM UMA EXPERIENCIA COM DEUS.
        A doutrina do dízimo é inaceitável para aqueles que ainda não tiveram uma experiência pessoal com Jesus Cristo. Isto porque não foram ainda marcados pela consciência da causa de Deus nem pela prioridade do Seu Reino.
        No Novo Testamento a palavra DÍZIMO aparece 9 vezes e ligadas a duas situações:

        1) Mt 23.23 = Partindo dos lábios de Jesus em relação aos fariseus. Jesus aqui reafirma a necessidade do dízimo, ao mesmo tempo que denuncia sua prática como demonstração de piedade exterior (Lc 18.12) – “Jejuo duas vezes por semana e dou o dízimo de tudo quanto ganho.” Também Jesus denuncia a prática do dízimo como substituição de valores do Reino tais quais: justiça, misericórdia e fé (Lc 11.42).

        2) Hb 7. 1-10 = Eis as lições desse texto: a) O Pai da fé deu dízimo de tudo – v. 2; b) O pai da fé deu o dízimo do melhor – v. 4; c) A entrega dos dízimos se deu não por pressão da lei, uma vez que o povo israelita ainda não existia e, portanto, muito menos a lei judaica – v. 6; d) Hebreus nos faz perceber e reconhecer a superioridade do valor do dízimo que é dado a Cristo (imortal) em relação ao dado aos sacerdotes (mortais) – v. 8; e) O autor destaca que os que administram os dízimos também devem ser dizimistas – v. 9.
        Ser ou não ser dizimista é uma questão de acreditarmos na causa que abraçamos, na “pérola que encontramos.”
        Hoje muitos crentes não são fiéis a Deus na entrega dos dízimos. Para justificar esta atitude criam vários justificativas e desculpas. Se dependessem deles a igreja fecharia as portas. Não existiria templos, nem pastores, nem missionários, nem bíblias distribuídas, nem assistência social.
        Eis as justificativas clássicas dos não-dizimistas:

        I. JUSTIFICATIVA TEOLÓGICA
        Ah, eu não sou dizimista, porque DÍZIMO é da lei. E eu não estou debaixo da lei, mas sim da graça.
        Sim! O dízimo é da lei, é antes da lei e é depois da lei. Ele foi sancionado por Cristo. Se é a graça que domina a nossa vida, porque ficamos sempre aquém da lei? Será que a graça não nos motiva a ir além da lei?
        Veja: a lei dizia: Não matarás = EU PORÉM VOS DIGO AQUELE QUE ODIAR É RÉU DE JUÍZO
        a lei dizia: Não adulterarás = EU PORÉM VOS DIGO QUALQUER QUE OLHAR COM INTENÇÃO IMPURA…
        a lei dizia: Olho por olho, dente por dente = EU PORÉM VOS DIGO: SE ALGUÉM TE FERIR A FACE DIREITA, DÁ-LHE TAMBÉM A ESQUERDA.
        A graça vai além da lei: porque só nesta questão do dízimo, ela ficaria aquém da lei? Esta, portanto, é uma justificativa infundada.
        Mt 23.23 = justiça, misericórdia e fé também são da lei. Se você está desobrigado em relação ao dízimo por ser da lei, então você também está em relação a estas virtudes.

        II. JUSTIFICATIVA SENTIMENTAL
        Muitos dizem: A bíblia diz em II Co 9.7 “Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria” = espontânea e com alegria.
        Só que este texto não fala de dízimo e sim de oferta. Dízimo é dívida. Não pagar dízimo é roubar de Deus.
        Perguntamos também: O que estará acontecendo em nosso coração que não permite que não tenhamos alegria em dizimar? Em sustentar a Causa que abraçamos e defendemos?

        III. JUSTIFICATIVA FINANCEIRA
        “O que eu ganho não sobra ou mal dá para o meu sustento.
        1) O dízimo não é sobra = Dízimo é primícias. “Honra ao Senhor com as primícias da tua renda.” Deus não é Deus de sobras, de restos. Ele exige o primeiro e o melhor.
        2) Contribua conforme a tua renda para que a tua renda não seja conforme a tua contribuição = Deus é fiel. Ele jamais fez uma exigência que não pudéssemos cumprir. Ele disse que abriria as janelas dos céus e nos daria bênçãos sem medidas se fôssemos fiéis. Ele nos ordenou a fazer prova Dele nesta área. Ele promete abrir as janelas do céu! Ele promete repreender o devorador por nossa causa.
        3) Se não formos fiéis, Deus não deixa sobrar = Ageu diz que o infiel recebe salário e o coloca num saco furado. Vaza tudo. Foge entre os dedos. Quando somos infiéis fechamos as janelas dos céu com as nossas próprias mãos e espalhamos o devorador sobre os nossos próprios bens.

        IV. JUSTIFICATIVA ASSISTENCIAL
        “Prefiro dar meu dízimo aos pobres. Prefiro eu mesmo administrar meu dízimo.
        “ A Bíblia não nos autoriza a administrar por nossa conta os dízimos que são do Senhor. O dízimo não é nosso. Ele não nos pertence. Não temos o direito nem a permissão nem para retê-lo nem para administrá-lo.
        A ordem é: TRAZEI TODOS OS DÍZIMOS À CASA DO TESOURO PARA QUE HAJA MANTIMENTO NA MINHA CASA. A casa do Tesouro é a congregação onde assistimos e somos alimentados.
        Mas será que damos realmente os “nossos” dízimos aos pobres? Com que regularidade? Será uma boa atitude fazer caridade com a parte que não nos pertence?

        V. JUSTIFICATIVA POLÍTICA
        “Eu não entrego mais os meus dízimos, porque eles não estão sendo bem administrados.”
        Não cabe a nós determinar e administrar do nosso jeito o dízimo do Senhor que entregamos. Se os dízimos não estão sendo bem administrados, os administradores darão conta a Deus. Não cabe a nós julgá-los mas sim Deus é quem julga. Cabe a nós sermos fiéis.
        Não será também que esta atitude seja aquela do menino briguento, dono da bola, que a coloca debaixo do braço sempre que as coisas não ocorrem do seu jeito?
        Deus mandou que eu trouxesse os dízimos, mas não me nomeou fiscal do dízimo.

        VI. JUSTIFICATIVA MÍOPE
        “A igreja é rica e não precisa do meu dízimo.”
        Temos conhecimento das necessidades da igreja? Temos visão das possibilidades de investimento em prol do avanço da obra? Estamos com essa visão míope, estrábica, amarrando o avanço da obra de Deus, limitando a expansão do Evangelho?
        AINDA, não entregamos o dízimo para a igreja. O dízimo não é da igreja. É DO SENHOR. Entregamo-lo ao Deus que é dono de todo ouro e de toda prata. Ele é rico. Ele não precisa de nada, mas exige fidelidade. Essa desculpa é a máscara da infidelidade.

        VII. JUSTIFICATIVA CONTÁBIL
        “Não tenho salário fixo e não sei o quanto ganho.”
        Será que admitimos que somos maus administradores dos nossos recursos? Como sabemos se o nosso dinheiro dará para cobrir as despesas de casa no final do mês?
        Não sabendo o valor exato do salário, será que o nosso dízimo é maior ou menor do que a estimativa? Porque ficamos sempre aquém da estimativa? Será auto-proteção? Será desinteresse?

        VIII. JUSTIFICATIVA ECLESIOLÓGICA
        “Não sou membro da igreja”
        Acreditamos mesmo que os nossos deveres de cristãos iniciam-se com o Batismo e a Profissão de Fé ou com a inclusão do nosso nome num rol de membros?
        Não será incoerência defendermos que os privilégios começam quando aceitamos a Cristo: (o perdão, a vida eterna) e os deveres só depois que nos tornamos membros da igreja? Somos menos responsáveis pelo crescimento do Reino de Deus só porque não somos membros da igreja?

        CONCLUSÃO
        É hora de abandonarmos nossas evasivas. É hora de darmos um basta às nossas desculpas infundadas. É hora de pararmos de tentar enganar a nós mesmos e convencer a Deus com as nossas justificativas.
        É hora de sermos fiéis ao Deus fiel. É hora de sabermos que tudo é de Deus: nossa casa, nosso carro, nossas roupas, nossas jóias, nossos bens, nossa vida, nossa saúde, nossa família. TUDO É DELE. Somos apenas mordomos, administradores. Mordomos e não donos. Deus quer de nós obediência e não desculpas. Fidelidade e não evasivas.
        Que atitude vamos tomar? Nosso coração está onde está o nosso tesouro. Se buscarmos em primeiro lugar o Reino de Deus, não vamos ter problemas com o dízimo. Amém.

      • MUITO BOM, STARDUST! MAS A MAIOR PROVA, ENTRE OUTRAS, DA DESONESTIDADE DOS DEFENSORES DO DÍZIMO, AINDA ESTÁ NA PERVERSÃO DA VONTADE DE DEUS REVELADA NAS SAGRADAS ESCRITURAS; PORQUE DESDE ABRAÃO, COMO VOCÊ TAMBÉM MENCIONOU, JÁ HAVIA UM SISTEMA MONETÁRIO EM VIGOR , PORÉM QUIS DEUS, REPITO , QUIS DEUS, O CRIADOR DO UNIVERSO, QUE FOSSE O DÍZIMO FRUTOS DO CAMPO, APESAR DA JÁ EXISTÊNCIA DO DINHEIRO. NESSE PONTO, ONDE ELES NÃO CONSEGUEM EXPLICAR TAL DESOBEDIÊNCIA , TORNA-SE FLAGRANTE ÀS MÁS INTENÇÕES.

        UM OUTRO AGRAVANTE QUE ENCONTRAMOS NA EXIGÊNCIA DO DÍZIMO, ESTÁ NO PREÇO QUE FOI PAGO PARA QUE ELE FOSSE ABOLIDO, POIS NA CARTA AOS EFÉSIOS, PAULO ESCREVE QUE A DIFERENÇA DOS GENTIOS E DOS JUDEUS ENCERRARAM EM CRISTO, POR MEIO DO SEU SANGUE:

        “NAQUELE TEMPO, ESTÁVEIS SEM CRISTO, SEPARADOS DA COMUNIDADE DE ISRAEL E ESTRANHOS ÀS ALIANÇAS DA PROMESSA, NÃO TENDO ESPERANÇA E SEM DEUS NO MUNDO.
        MAS, AGORA, EM CRISTO JESUS, VÓS, QUE ANTES ESTÁVEIS LONGE, FOSTES APROXIMADOS PELO SANGUE DE CRISTO.
        PORQUE ELE É A NOSSA PAZ, O QUAL DE AMBOS FEZ UM; E, TENDO DERRIBADO A PAREDE DA SEPARAÇÃO QUE ESTAVA NO MEIO, A INIMIZADE, ABOLIU, NA SUA CARNE, A LEI DOS MANDAMENTOS NA FORMA DE ORDENANÇAS, PARA QUE DOS DOIS CRIASSE, EM SI MESMO, UM NOVO HOMEM, FAZENDO A PAZ, E RECONCILIASSE AMBOS EM UM SÓ CORPO COM DEUS, POR INTERMÉDIO DA CRUZ, DESTRUINDO POR ELA A INIMIZADE.” Ef2:12-16.

        A VERDADE É QUE SÓ IGNORAM A VONTADE DE DEUS, AQUELES QUE NÃO O TEMEM.

        A PAZ!

        • ANTONIO STARDUST
          FAZ POUCO QUE REVELEI QUE VCS. ESTÃO APROCURA DE OUTRO NICK, POIS ESTE TEU JÁ ESGOTOU AS VEZES QUE DESMASCARADO FOI, E NEM ESTE SITE TEM TANTA CARA DE PAU, VAI TENTANDO, MAS ESTE TAMBÉM NÃO COLOU, VOLTA PARA O JGMIX

        • alguém está esquecendo de q o sábado tbm era uma lei a ser cumprida no velho pacto; alguém está sendo convidado pela maioria destes (pastores) a guardar o sábado como estatuto obrigatório ainda hoje? por que dois pesos e duas medidas?
          “Jesus é o meu pastor, e só a Ele devo honra e obediência….”
          (ñ sou sabatista)

    • Voce tem certeza q estudou a bíblia? a tua resposta positiva, demonstra tua incapacidade de compreender a natureza de Deus. Convido o irmão adquirir uma bíblia, e fazer um estudo n’ela do ponto de vista de Deus; e não do ponto de vista dos (pastores) q estão aí.

  3. malafaia se queimou quando defendeu edir macedo… e quem conhece a história sabe muito bem que ele não foi lá na record defender macedo “apenas por injustiça contra o macedo”…

    Malafaia tinha interesses próprios ao se colocar ao lado de macedo, queria espaço na emissora da iurd, a record e conseguiu, mas:

    “Aí, ele aumentou quase dez vezes o valor do horário que eu tinha na emissora dele para me colocar para fora porque não quis participar de um esquema político… Ele queria que eu me candidatasse em 1998 a deputado federal e neguei. Se ele tivesse caráter e falasse que não me queria mais na emissora dele, eu o teria respeitado. Sua atitude não foi só deselegante, como também faltou ética”.” FONTE: ultimosegundo-ig

    Que ninguém seja “bobinho” de achar que malafaia se juntou com macedo em 95 por principios éticos… e como quem “dorme com escorpião, amanhece picado”, malafaia sentiu a traição de macedo 3 anos mais tarde ao “desobedece-lo”.

  4. Malafaia não defendeu edir macedo por “principios”, e sim pq tinha interesses próprios ao se colocar ao lado de macedo, queria espaço na emissora da iurd, a record e conseguiu, mas:

    “Aí, ele aumentou quase dez vezes o valor do horário que eu tinha na emissora dele para me colocar para fora porque não quis participar de um esquema político… Ele queria que eu me candidatasse em 1998 a deputado federal e neguei. Se ele tivesse caráter e falasse que não me queria mais na emissora dele, eu o teria respeitado. Sua atitude não foi só deselegante, como também faltou ética”.”

    FONTE: ultimosegundo ig

  5. “E o senhor faz declaração do Imposto de Renda?

    Silas Malafaia: Lógico, hermano. Tudo meu, brother, está declarado. Um apartamento que tenho em Boca Ratton, nos Estados Unidos, usado pelo meu filho quando estava fazendo universidade, financiado em 30 anos, consta na declaração de ativos no exterior no Banco Central. Estou muito bem documentado. Meu amigo, o único animal que tenho é um cachorro, não tenho gado, fazenda nem sítio. Moro em uma boa casa em um condomínio no Recreio dos Bandeirantes (bairro da zona oeste do Rio), que adquiri há cinco ou seis anos. Tenho minha consciência limpa. Sou dono da segunda maior editora gospel do País. Ela fatura mais de R$ 50 milhões por ano. Então acho que posso ter alguma coisinha”

    FONTE: ig

  6. Esses são falsos pastores, (2 Cor.11:13), e o deus deles, chama-se Mamon.
    São homens que se corromperam (1 Tm. 6:10 – Ec. 5:10) e hoje não passam de “cegos guiando cegos” (Mt. 5:14), e a Bíblia diz que ambos cairão na cova, ou seja, seguem rumo ao lago de fogo.

  7. IG- Foi veiculada na Rede Record, do bispo Edir Macedo, uma matéria atacando o apóstolo Valdemiro Santiago. Após a exibição, o senhor declarou que era o “sujo falando do mal lavado”.
    Silas Malafaia: Eu já defendi ambos em situações difíceis, até de perseguição. Não me arrependo. Critiquei a matéria porque quem é Macedo para falar de Valdemiro? Como ele pode fazer essas acusações? Ele tem que ficar quieto. Com que dinheiro foi comprada a Rede Record? Com a oferta de dízimos. Então ele não tem autoridade para falar. E o senhor Valdemiro, que vem batendo no Macedo, também não tem autoridade para falar. É feio para o Valdemiro cuspir no prato que comeu.

    iG: Como é a sua relação atual com eles?
    Silas Malafaia: Mantenho distância dos dois por causa das posturas desleais que ambos tiveram comigo. O Valdemiro comprou o meu horário na TV, oferecendo uma quantia maior. Defendo o cara no meu programa quando outros descem o pau nele e ele vai por trás e compra o meu horário? (Indignado) Tenho princípio de caráter e moral, amigo. O Macedo eu defendi, sem ter me pedido, quando ele foi preso. Marquei minha posição. Aí, ele aumentou quase dez vezes o valor do horário que eu tinha na emissora dele para me colocar para fora porque não quis participar de um esquema político.

    iG: Como era esse esquema?
    Silas Malafaia: Ele queria que eu me candidatasse em 1998 a deputado federal e neguei. Se ele tivesse caráter e falasse que não me queria mais na emissora dele, eu o teria respeitado. Sua atitude não foi só deselegante, como também faltou ética.

    FONTE: ig

  8. já pensou um desses realities shows do tipo big brother, a fazenda só com esses lideres evangélicos mais famosos?

    Edir macedo, silas malafaia, valdemiro santiago, rr soares, casal hernandez… essa gente se mata lá dentro!

  9. “Pivô do barraco dos pastores pede 30% do salário a fiéis

    Quer conhecer o pastor Silas Malafaia, pivô do barraco entre pastores por conta das eleições? Ele é aquele que pede aos fiés 30% do salário como “uma semente” para o milagre da casa própria. Veja só:

    FONTE: poderonline-ig

    http://youtu.be/IaHuyGYCJeY

    • Aprendendo o que é o primeiro, o mais alto e o maior

      A vida de muitas pessoas é uma confusão. Tudo é aceito sem importar o valor, e passa a uma massa sem relação e fora de foco. Isto não é verdadeiro em Cristo. Para ser um cristão a pessoa precisa colocar seus valores em ordem e sua vida em foco. É preciso buscar em primeiro lugar, o reino de Deus e sua justiça (Mateus 6:33), escolher a boa parte, que não será tirada (Lucas 10:41-42) e, esquecendo todas as outras coisas, prosseguir para o alvo “da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus” (Filipenses 3:13-14). Tal concentração do coração e da vida é da própria essência do discipulado.

      Mas se há um foco em Cristo essencial para se tornar um cristão, há também um foco em Cristo que é essencial para o desenvolvimento de uma vida espiritual bem equilibrada. Nem tudo no reino de Deus tem igual importância. Algumas verdades assentam no coração do evangelho e são estas verdades fundamentais que impregnam todo o resto do evangelho com significado. Precisamos portanto encontrar o centro de gravidade do evangelho e fazer dele o foco de nossa pregação e nossa fé.

      Jesus, em sua fulminante repreensão dos escribas e fariseus pela hipocrisia deles, ataca seus valores espirituais como completamente fora de condições. “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho e tendes negligenciado os preceitos mais importantes da lei: a justiça, a misericórdia e a fé; devíeis, porém, fazer estas cousas, sem omitir aquelas! Guias cegos, que coais o mosquito e engolis o camelo!” (Mateus 23:23). Lucas relata: “… ai de vós, fariseus! Porque dais o dízimo da hortelã, da arruda e de todas as hortaliças e desprezais a justiça e o amor de Deus” (Lucas 11:42).

      O humor mordaz nas palavras de nosso Senhor não é dirigido ao cuidadoso pagamento do dízimo de ervas miúdas da horta (“Isto devíeis ter feito”) mas à grosseira negligência hipócrita deles de coisas imensamente mais importantes. Eles estavam na posição ridícula de um homem que de modo algum comesse uma mosca (imunda), mas desse um jeitinho de comer camelos (igualmente imundos) sem olhar para trás! Não me diga que o Senhor não tinha senso de humor!

      O princípio do foco e do equilíbrio está evidente aqui. Algumas coisas na lei de Deus são mais pesadas do que outras. Não mais necessárias, porém mais pesadas. E a razão do seu peso maior é que elas são atitudes do coração que ficam bem no meio de uma vida devota. Elas são os valores que determinam a atitude de um homem para com o próprio Deus. Uma coisa é ser comprometido com certos mandamentos de Deus e outra ser comprometido com o Senhor.

      Não somente algumas coisas na lei de Deus são mais pesadas do que outras, mas alguns dos mandamentos de Deus são maiores do que outros. Quando a Jesus foi perguntado por um certo escriba qual era o “grande mandamento” da lei ou, como Marcos o diz, “Qual é o principal de todos?”, Jesus respondeu que era o mandamento para amar a Deus com todo o coração (Mateus 22:36-37; Marcos 12:28-29). E o que torna esse mandamento maior do que “não roubareis” ou “não cometereis adultério,” ou “não arredondareis as extremidades de vosso cabelo”? O fato que esse mandamento está no coração da relação de um homem com Deus e determina sua atitude para com tudo que Deus pediu a ele. Um judeu, muito cônscio de não danificar as extremidades de sua barba (Levítico 19:27), provavelmente trataria com indiferença os mandamentos menos atraentes quando não havia nele amor a Deus. Mas o homem que ama a Deus tratará tudo o que ele tem dito com reverência, até mesmo o menor deles (Mateus 5:19). Amar a Deus com todo o coração não é o único mandamento de Deus, mas é o primeiro e o maior, porque nossa atitude para com Deus determina nossa atitude para com sua palavra, toda ela.

      O mesmo pode ser dito do plano da redenção. Há muitas coisas no Novo Testamento ditas serem essenciais à salvação, mas são certamente de modo nenhum iguais em peso. O batismo não é igual em importância à graça de Deus. A fé não é igual em valor à cruz. A igreja local não está nivelada em importância com a intercessão de Cristo por seus santos. E isso é verdadeiro ainda que a salvação fosse anulada pela rejeição de qualquer destas coisas. Paulo não disse, “Longe esteja de mim gloriar-me, salvo na autonomia das igrejas locais” ou batismo, ou fé, ou a Ceia do Senhor, mas “na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo” (Gálatas 6:14). Sua fórmula simples era: “Aquele que se gloria, glorie-se no Senhor” (1 Coríntios 1:31; 10:17). Em resumo, o que Deus tem feito e está fazendo em Cristo para nos dar a redenção sempre será enormemente mais importante do que poderíamos fazer para aceitar a redenção que Deus livremente dá em sua misericórdia.

      O propósito da severa repreensão ao muito arrevesado sistema de valor dos fariseus não foi forçar uma escolha entre “justiça, misericórdia e fé” e “dar o dízimo da hortelã, da erva doce e do cominho”. Ele afirma claramente que não era uma questão de “ou isto ou aquilo”, mas de “tanto isto quanto aquilo”. O que o Senhor queria deles era um reconhecimento de onde o âmago da questão está, para que eles pudessem continuar construindo aquela bela, bem equilibrada integridade espiritual que ele tem desejado para todos os homens.

  10. ESTÁ NO GOSPEL MAIS QUEM DA DÍZIMO É PROSPERO E QUEM NÃO DA É STARDUST
    Um estudo realizado nos Estados Unidos pelo State of the Plate, apontou que as pessoas que os dizimistas têm um maior controle de sua vida financeira do que as pessoas que não adotam a prática. O objetivo do estudo foi lançar um olhar mais atento sobre as práticas financeiras, espirituais e práticas de doação de pessoas que dão 10 por cento ou mais do seu rendimento para igrejas e instituições de caridade a cada ano.

    Os resultados foram classificados como ‘sem precedentes’ por seus organizadores, que compararam dizimistas com não-dizimistas através de nove indicadores de saúde financeira, descobrindo que os dizimistas apresentavam resultados melhores em cada uma das categorias.

    Entre os indicadores medidos pelo estudo, foi constatado que entre os dizimistas 80 por cento não têm contas de cartão de crédito não pagos, 74 por cento não devem nada em seus carros, 48 por cento possuem sua casa própria e 28 por cento estão livre da dívida.

    – O estranho é, um dizimista olha para aquilo e diz para si mesmo: ‘Bem, eu estou melhor porque eu dou.’ O não-dizimista olha para aquilo e diz, ‘Oh, eles dão porque estão melhores”, disse Brian Kluth, responsável pelo estudo.

    – Nunca antes este grupo foi estudado, e acho que para cada pastor e líder da igreja e líder eclesiásticos seria útil se eles entendem isso – afirmou Kluth ao The Christian Post.

    – Estamos no meio de um declínio de 40 anos no percentual que os cristãos dão, e precisamos ver um movimento de generosidade nos Estados Unidos, que os cristãos abracem novamente a generosidade como um valor espiritual, mas não por causa do orçamento igreja, mas por causa da Bíblia. As igrejas tornaram o dar em torno do orçamento, e não se trata de orçamento, se trata da Bíblia. – completou.

  11. ENQUANTO STARDUST
    CONTINUA A MENTIR E FUGIR DE DAR A RESPOSTA, SE O DÍZIMO É ANTERIOR A LEI OU DELA VOU POSTANDO AQUI AS DESCULPAS QUE ELE DA.

    O dízimo é um teste de fé em que muitos têm sido repro­vados. São muitas as desculpas aparentemente teológicas que as pessoas dão para tentar aplacar a sua consciência. Gostaria de abordar aqui as desculpas mais freqüentes.

    1. O dinheiro é meu, eu ganhei

    É comum a idéia de que temos completa autoridade sobre nossos bens. Mas a realidade é bem diferente: “Ao Senhor pertence a terra e tudo o que nela se contém” (Sl 24.1). Tudo o que temos vem do Senhor e indiretamente procede do nosso trabalho (1Cr 29.14). Os nossos bens nos perten­cem da mesma forma que o quarto do nosso filho perten­ce a ele. Na verdade, pertence aos pais que deram tempo­rariamente ao filho. Isso é muito mais verdadeiro quando se relaciona a nós que fomos comprados pelo sangue de Jesus (1Co 6.20).

    2. Minha oferta é algo entre eu e Deus e ninguém mais

    Muitos cristãos pensam que a sua oferta é algo privado e somente Deus pode saber. Eles usam o texto de Mateus 6 como justificativa: “Tu, po­rém, ao dares a esmola, igno­re a tua mão esquerda o que faz a tua mão direita” (v. 3). Mas aqui as palavras de Je­sus estão relacionadas com a motivação do coração e não com a privacidade. Sempre que alguém insiste na priva­cidade é por ter algo a escon­der. É vontade de Deus que, como discípulos, prestemos conta da nossa fidelidade uns aos os outros. Ofertar é uma questão que envolve você, Deus e os irmãos.

    3. Deus ama a quem dá com alegria, como não me sinto alegre, não dou de forma alguma

    “Deus ama a quem dá com alegria” (2Co 9.7), mas isso não significa que você precisa esperar até se sentir sufi­cientemente alegre para dar. A obediência não depende de sentimento. A alegria, normalmente, vem durante ou de­pois de ofertarmos. Devemos aspirar sermos grandes do­adores e a melhor maneira de cultivar a alegria de dar é dando. Se você não sente alegria em ofertar, mude o seu coração, mas não deixe de ofertar.

    4. Eu não confio na honestidade dos pastores e líderes, por isso não contribuo

    Antes de tudo, precisamos entender que não damos à igre­ja, mas ao Senhor. É verdade que damos ao Senhor atra­vés da Igreja, mas não contribuímos como se fosse paga­mento de mensalidade de membros de um clube. Além disso, quem é você para julgar as motivações da sua lide­ lide­rança (Mt 7.1,2)? Será que nossos líderes necessitam de se arrepender ou nós é que precisamos rever nossa atitude?

    O desconfiado não é confiável. Nós sempre julgamos os outros com base em nós mesmos. Como eu sou since­ro diante de Deus, acho que todo mundo é; como eu es­tou buscando a Deus, acho que os demais fazem o mes­mo. Nunca julgue pela aparência, mas somente pela reta justiça (Jo 7.24).

    5. Eu gostaria de ofertar, mas eu não tenho o suficiente

    Ofertar pode ser um luxo para o rico, mas é um privilégio para o pobre. Muitos dizem que não podem dar, mas o que eles querem realmente dizer é que não podem dar confor­tavelmente. Ofertar pode significar um sacrifício que pre­cisa de uma medida de fé, algo que a Bíblia nos convida a fazer; e o maior exemplo é o próprio Senhor Jesus. Ele se fez pobre para nos fazer ricos (2Co 8.9). A oferta genuína é um sacrifício do conforto pessoal pelo reino de Deus.

    6. Eu estou cheio de dívidas, por isso não posso ofertar agora

    Você tem obrigação não somente pa­ra com os seus credores, mas antes de tudo para com Deus. Especifica­mente, a Bíblia nos ensina a dar ao Senhor as primícias, ou seja, o me­lhor de nossa renda (Pv 3.9). O nos­so primeiro cheque deve ser para Deus e ninguém mais. Refreamo-nos em dar porque nos sentimos insegu­ros, mas Aquele que não poupou o seu próprio Filho não nos negará coi­sa alguma (Rm 8.32), antes nos su­prirá em todas as nossas necessida­des (Fp 4.19).

    7. Eu quero ofertar, mas agora estou muito apertado

    Alguns dos maiores exemplos de ge­nerosidade na Bíblia são de pessoas pobres (Lc 21.1-4; 2Co 8.1,2). O receio e a insegurança não são motivos para deixarmos de ofertar. O Senhor sa­be do que necessitamos e prometeu nos suprir (Mt 6.32). Se você espera se sentir seguro para ofertar, pode ser que esse dia nunca chegue. A provisão de Deus vem somente depois de ofertamos (2Co 9 6-11). É assim que a fé funcio­na. Faça prova de Deus (Ml 3.10).

    8. Eu sou um jovem e tudo o que tenho é a mesada dos meus pais

    É verdade que a época de estudante é notoriamente um tempo difícil em nossa vida financeira. O estudante nor­malmente não tem dinheiro, mas nem por isso está de­sobrigado da oferta. Ofertar é um privilégio e responsa­bilidade de todo discípulo. Independe de idade ou renda. Devemos nos lembrar de que o milagre da multiplicação aconteceu, justamente, porque um jovem resolveu ofertar ao Senhor os cinco pães e os dois peixinhos, que era toda a sua merenda (Jo 6.9).

    9. O dízimo não se aplica a nós, mas ao Velho Testamento

    É de fato interessante ver que o dízimo, sendo uma parte tão importante do Velho Testamento, seja tão pouco men­cionado no Novo Testamento. Devido a isso, alguns con­cluem que Deus não requer mais o dízimo do Seu povo. Is­so, porém, é um engano.

    O padrão de Deus para o Novo Testamento é a excelên­cia. Jesus disse: “Ouviste o que foi dito…”. Portanto, se a regra era não matar, agora é nem sequer chamar o ir­mão de tolo; se era não adulterar, agora é nem sequer olhar com intenção impura; se era 10%, agora Deus re­quer 100%. João Batista requereu 50% (Lc 3.11) e Jesus requereu 100% (Lc 21.1-4). O dízimo é apenas o ponto de onde partimos e não o nosso alvo final em Deus.

    Se um crente não consegue deixar de adulterar, imagine deixar de olhar; se não consegue dar os dízimos, imagine quando Deus requerer algo mais. Além disso, Jesus não aboliu o dízimo, o confirmou em Mateus 23.23. O dízimo vem antes da lei. Abraão o entregou a Deus por meio de Melquisedeque (Hb 7.8).

    10. Não dou o dízimo porque Deus não precisa de dinheiro

    Deus é o dono de toda prata e todo ouro (Ag 2.8). Ele não apenas não precisa de dinheiro como não precisa de ho­mem algum para servi-lO. Tudo faz parte do Seu treina­mento em nossa vida. Pela graça você foi feito servo, aju­dante de Deus.

    11. A Bíblia diz que cada um deve contribuir segundo tiver proposto no coração. Então, sou livre para ofertar muito, pouco ou nada

    É verdade que Paulo disse para cada um contribuir segun­do tiver proposto no coração (2Co 9.7). Diante disso, po­deríamos pensar que estamos autorizados a sermos ego­ístas e avarentos. Para vermos o engano, basta irmos ao verso anterior em que Paulo nos estimula a semear muito para colher muito. O desejo dele é que nos sintamos livres para sermos generosos em amor.

    12. Estou economizando para comprar uma casa e por isso parei de dar o dízimo momentaneamente

    É ótimo que o crente economize e compre o que desejar com o seu dinheiro, mas não com a parte sagrada do Se­nhor (Lv 27.32). Não faça compromissos com algo que não pertence a você.

    13. Mordomia é mais que dinheiro. Eu oferto quando dou meu tempo e meus talentos

    Guarde bem este conceito: mordomia é mais do que di­nheiro, nunca menos. Servir a Deus implica mais do que dar dinheiro, mas nunca menos. Servir a Deus implica mui­tas coisas, nunca menos do que ofertar. Quem diz que ser­ve a Deus e não oferta está na verdade se enganando.

    Essas desculpas comuns que ouvimos freqüentemente ser­vem para disfarçar ou ocultar a nossa avareza. Meu desejo é que o seu coração seja liberado hoje e você possa ofer­tar com generosidade e alegria.

    Que o Senhor possa nos livra, de dar aquilo que nos so­bra. Que possamos dar ao Senhor algo que nos seja va­lioso. Faça prova do Senhor, Ele abrirá a janela do céu e derramará bênção sem medida sobre sua vida.

    • ESTUDO BÍBLICO:

      “AS 10 MAIORES MENTIRAS SOBRE OS 10 POR CENTO DOS DÍZIMOS”

      Muitas igrejas insistem no ensino errôneo de que os dízimos ainda são obrigatórios mesmo para os cristãos que vivem debaixo da graça de Jesus Cristo, e se utilizam de argumentos que se tornaram verdadeiros mitos dentro da comunidade evangélica, porém como eles dizem que o dízimo é 10 por cento, vamos usar o mesmo princípio numérico e verificar biblicamente as 10 argumentações mentirosas mais difundidas a respeito do dízimo.

      1º MENTIRA – “O DÍZIMO FOI ORDENADO POR DEUS NO JARDIM DO ÉDEN, POIS A ÁRVORE DO CONHECIMENTO REPRESENTA O DÍZIMO”

      Na verdade, biblicamente o dízimo foi ordenado no monte sinai (levíticos 27:30-32; Números 18:21-24) e portanto, não foram instituidos no Jardim do Éden, pois sequer é mencionado que Adão e Eva receberam o mandamento de dizimar. A associação que muitos religiosos que insistem em receber dízimos fazem de que a árvore do conhecimento do bem e do mal (Gênesis 2:9), pois não era permitido a Adão e Eva comer dela (Gênesis 2:17) portanto ela seria segundo eles um “símbolo” do dízimo, mas isso é uma associação esdrúxula, pois sequer há um texto bíblico que faça uma ligação entre essa árvore do Jardim do Éden e o dízimo da lei de moisés, sequer se diz que a árvore ocupava 10% do espaço do Jardim do Éden. Trata-se portanto de mais um argumento ridículo usado pelos líderes religiosos para levar o povo a acreditar que o dízimo não era somente obrigatório perante a lei de moisés.

      2º MENTIRA – “O DÍZIMO SEMPRE FOI OBRIGATÓRIO MESMO ANTES DA LEI DE MOISÉS”

      O dízimo antes de sua ordenança no Sinai era voluntário, sendo mencionado apenas 2 vezes antes de se tornar obrigatório, Abraão deu uma única vez um dízimo do despojo de guerra quando resgatou seu sobrinho ló e jacó fez um voto a Deus (gênesis 14:17-20, gênesis 28:20-22)

      Pelas seguintes razões, Gênesis 14:20 não pode ser usado como exemplo para os cristãos dizimarem: 1º – A Bíblia não diz que Abraão deu obrigatoriamente esse dízimo. 2º – O dízimo de Abraão não foi um dízimo santo, da Terra Santa de Deus, produzido pelo povo santo de Deus. 3º – O dízimo de Abraão foi somente do despojo de guerra (hebreus 7:4). 4º – O dízimo de Abraão a Melquisedeque aconteceu apenas uma vez e Abraão mudava sempre de lugar. 5º – O dízimo de Abraão não proveio de sua riqueza pessoal. 6º – O dízimo de Abraão não é mencionado em nenhuma parte da Bíblia, seja no velho ou no novo testamento a fim de respaldar o ato de dizimar. 7º – Visto como nem Abraão nem Jacó tinham um sacerdócio levítico para manter, eles não tinham lugar algum onde entregar os dízimos, durante os seus muitos deslocamentos.

      No caso específico de Jacó, lemos o seguinte: “Fez também Jacó um voto, dizendo: Se Deus for comigo, e me guardar nesta jornada que empreendo, e me der pão para comer e roupa que me vista,de maneira que eu volte em paz para a casa de meu pai, então, o SENHOR será o meu Deus;e a pedra, que erigi por coluna, será a Casa de Deus; e, de tudo quanto me concederes, certamente eu te darei o dízimo” (Gênesis 28:20-22). O texto bíblico é claro, que Jacó fez um propósito particular (um voto) de que se Deus fosse favorável à ele, que ofereceria à Deus o dízimo. Não se vê também neste caso nenhuma ordem explicita de Deus ou algum sacerdote a mando Dele, para que Jacó dizimasse, e vemos que foi uma promessa de Jacó para Deus, não há relatos posteriores na Bíblia que ele tenha de fato dizimado, apenas se observa a sua promessa, seu compromisso de entregar o décimo de tudo que viesse a obter daquele momento em diante. Outra vez, não vemos na Bíblia nenhuma passagem em que vemos escrito que devemos dizimar como Jacó fez, portanto trata-se de mais uma mentira que os líderes criaram para tentar fazer parecer que os dízimos eram obrigatórios antes mesmo da lei de moisés.

      3º MENTIRA – “O DÍZIMO DOS ALIMENTOS DO VELHO TESTAMENTO FOI SUBSTITUÍDO POR DÍZIMO DO DINHEIRO NOS DIAS ATUAIS”

      Não há um versículo na biblia informando que dízimo obrigatório da lei de moisés possa ser ouro, prata, moeda, dinheiro, etc. Dízimo sempre foi apenas alimento do campo vegetal ou animal (levíticos 27:30 e 32) mesmo quando havia metais preciosos como moeda corrente. Abraão no seu tempo comprou uma sepultura para sua esposa por 400 ciclos de prata (gênesis 23:16)

      Embora já existisse dinheiro, a substância do dízimo divino jamais foi dinheiro. Ele era o “dízimo do alimento”. Isso é muito importante. Os verdadeiros dízimos bíblicos eram sempre somente o alimento proveniente das fazendas e rebanhos, somente dos israelitas que vivessem exclusivamente dentro da Terra Santa de Deus, as fronteiras nacionais de Israel. A fartura provinha de Deus e não da manufatura ou habilidade do homem.

      Existem 15 versículos de 11 capítulos e 8 livros, de Levítico 27 a Lucas 11, que descrevem o conteúdo do dízimo. E o conteúdo jamais, repito, jamais incluía dinheiro, prata, ouro ou qualquer outra coisa, além de alimento. Mesmo assim, a definição incorreta de “dizimar” é a maior mentira que está sendo pregada sobre esse ato, hoje em dia. (Veja Levítico 27:30,32; Números 18:27,28; Deuteronômio 12:17; 14:22, 23, 26; 2 Crônicas 31:5; Neemias 10:37; 13:5; Malaquias 3:10; Mateus 23:23 e Lucas 11:42).

      Não se observa portanto em toda a bíblia, alguém entregando dízimo em dinheiro, pois dízimo era décima parte dos alimentos ( agropecuários ou agrícolas ), e jamais foi entregue em dinheiro. E o dinheiro já era corrente nos tempos bíblicos, pois o próprio moisés que recebeu a lei para o povo lidou com dinheiro: “Então, Moisés tomou o dinheiro do resgate dos que excederam os que foram resgatados pelos levitas.Dos primogênitos dos filhos de Israel tomou o dinheiro, mil trezentos e sessenta e cinco siclos, segundo o siclo do santuário. E deu Moisés o dinheiro dos resgatados a Arão e a seus filhos, segundo o mandado do SENHOR, como o SENHOR ordenara a Moisés” (Números 3:49-51)

      Mais uma prova de que o dízimos sempre foram alimentos podem ser vista nessa passagem bíblica: “DOS DÍZIMOS NÃO COMI no meu luto e deles nada tirei estando imundo, nem deles dei para a casa de algum morto; obedeci à voz do SENHOR, meu Deus; segundo tudo o que me ordenaste, tenho feito” (Deuteronômio 26:14)

      Portanto, mais uma mentira dos líderes que ensinam sobre a obrigatoriedade dos dízimos é revelada, quando dizem que nos tempos bíblicos dízimos eram entregues em alimentos porque dinheiro ainda não existia, mas abraão e até moisés lidavam com dinheiro, e mesmo assim na obrigatoriedade da lei de moisés nunca se pagava dízimos em dinheiro, pois dízimo sempre foi a décima parte dos alimentos, do campo e animais, e nada tem a ver com a exigência de entrega de 10% do dinheiro que os cristãos recebem para esses líderes que ensinam erradamente sobre dízimos. Dízimo nunca foi pago em dinheiro, apenas em alimentos. Se o seu pastor ou líder insistir em dizer que pode ser pago em dinheiro exija que ele mostre alguém dizimando em dinheiro na bíblia, pois dinheiro já existia e era usado naquela época.

      4º MENTIRA – “O DÍZIMO FOI DADO POR DEUS AOS LEVITAS DA VELHA ALIANÇA E HOJE OS PASTORES DA NOVA ALIANÇA SUBSTITUIRAM ESSES LEVITAS PORTANTO DEVEM RECEBER DÍZIMOS”

      O dízimo foi dado aos levitas, mas para que eles fizessem todo o trabalho da tenda da congregação (Números 18:21-23). Se hoje os membros leigos fazem mais de 90 % do trabalho e os pastores recebem todo o dízimo isso não é biblico, é humano. Na igreja primitiva de atos, um levita, chamado josé de sobrenome barnabé dava ofertas ao invés de receber dízimos dos apóstolos e membros da igreja cristã: “José, a quem os apóstolos deram o sobrenome de Barnabé, que quer dizer filho de exortação, LEVITA, natural de Chipre, como tivesse um campo, vendendo-o, trouxe o preço e o depositou aos pés dos apóstolos” (atos 4:36-37) Portanto fica evidente que com a mudança do sacerdócio mudou a lei: “Pois, quando se muda o sacerdócio, necessariamente há também mudança de lei” (hebreus 7:12)

      Na economia hebraica, o dízimo era usado de maneira totalmente diferente da que hoje é pregada. Mais uma vez, os levitas que recebiam o dízimo inteiro nem sequer eram ministros ou sacerdotes – eles eram apenas servos dos sacerdotes. Números 3 descreve os levitas como sendo carpinteiros, fundidores de metal, artesãos de couro e artistas, que mantinham o pequeno santuário. E 2Crônicas 23-27, durante o tempo dos reis Davi e Salomão, os levitas também foram peritos artesãos, os quais inspecionavam as obras do Templo. Vinte e quatro mil deles trabalhavam no Templo como construtores e supervisores; seis mil eram oficiais e juízes; quatro mil eram guardas e quatro mil eram músicos. Como representantes políticos do rei, os levitas usavam o seu dízimo para servir aos oficiais, juízes, coletores de impostos, tesoureiros, guardas do Templo, músicos, padeiros, cantores e soldados profissionais (1Crônicas 12:23,26; 27:5). É obvio que esses exemplos do uso bíblico da entrada do dízimo nunca se tornam exemplos para a igreja de hoje. É importante saber que na Antiga Aliança os dízimos nunca eram usados para evangelizar os não israelitas. Neste ponto o dízimo falhou. Vejam Hebreus 7:12-19. Os dízimos jamais estimularam os levitas e sacerdotes da Antiga Aliança a estabelecer uma única missão fora do país, para encorajar um só gentio a se tornar israelita (Êxodo 23:32; 34:12,15; Deuteronômio 7:2). O dízimo da Antiga Aliança era motivado e exigido por lei, não pelo amor. De fato, durante a maior parte da história de Israel, os profetas foram os principais portadores da Palavra de Deus e não os levitas e os sacerdotes que recebiam o dízimo.O falso ensino é que os anciãos e pastores da Nova Aliança estão simplesmente continuando de onde os sacerdotes da Antiga Aliança deixaram e por isso devem receber o dízimo. A função e o propósito dos sacerdotes da Antiga Aliança foram substituídos, não pelos anciãos e pastores, mas pelo sacerdócio de todos os crentes. Como outras ordenanças da Lei, o dízimo foi apenas uma sombra temporária, até a vinda de Cristo (Efésios 2:14-16; Colossenses 2:13-17; Hebreus 10:1). Na Nova Aliança cada crente é um sacerdote de Deus (1 Pedro 2:9-10; Apocalipse 1:6; 5:10). E como sacerdote cada crente oferece sacrifícios a Deus (Hebreus 4:16; 10:19-22; 13:15-16). Então, cada ordenança que havia sido previamente aplicada ao antigo sacerdócio foi anulada no Calvário. Visto não pertencer à Tribo de Levi, até mesmo Jesus Cristo foi desqualificado. Desse modo, o propósito original de dizimar já não existe (Hebreus 7:12-19; Gálatas 3:19, 24, 25; 2Coríntios 3:10).

      Portanto, não há nenhum mandamento no novo mandamento do cristão entregar os dízimos aos pastores, pois o dízimo somente podia ser recebido pelos levitas: “Ora, os que dentre os filhos de Levi recebem o sacerdócio têm mandamento de recolher, de acordo com a lei, os dízimos do povo, ou seja, dos seus irmãos, embora tenham estes descendido de Abraão” (hebreus 7:5), e os levitas só existiam na velha aliança da lei de moisés, pastores não são substitutos deles pois são ministros de Deus (I Coríntios 4:1) e nem sequer é ordenado que se deva entregar dízimos em favor da obra de Deus, pois ela é sustentada pelas ofertas voluntárias (2Coríntios 9:7).

      5º MENTIRA – “O DÍZIMO RECEBIDO É SOMENTE PARA USO DOS PASTORES”

      Biblicamente, o dízimo pertencia aos levitas (números 18:21-23), mas também para se fazer um festival ao Senhor (deuteronômio.14:22-27) e a cada terceiro ano, para os levitas, órfãos, viúvas e estrangeiros, os quais comiam o dízimo ajuntado dentro das suas portas (deuteronômio14:28-29). Se ofertas e dízimos eram sagrados ao Senhor e não podiam ser comidos por pessoas comuns neste caso Deus abre um exceção, visto que para ele misericórdia é melhor que sacrificio (Oséias 6:6; Mateus 12:7), a vida dos carentes é preciosa ao senhor (veja um exemplo disso em Lucas 6:1-10)

      Portanto mais uma vez, é biblicamente demonstrado que os dízimos recebidos pelos levitas não eram de uso exclusivo deles… os necessitados ( órfãos, viúvas e os de fora de israel ), também se beneficiavam dos dízimos dos alimentos recebidos pelos levitas. Essa conversa de que só os pastores e líderes religiosos podem hoje usufruir dos dízimos não encontra respaldo bíblico. Trata-se de mais uma doutrina de homem.

      6º MENTIRA – “CRISTÃO QUE NÃO DÁ O DÍZIMO SERÁ VITIMA DO “DEVORADOR”
      Se você é evangélico provavelmente já deve ter ouvido alguém falar a respeito do devorador. Muitas igrejas pregam a respeito desse ser. Mas o que os líderes religiosos gananciosos não fazem é mostrar aos membros que a admoestação de Malaquias é dirigida somente à nação de Israel, e não aos cristãos de hoje que não dizimam:

      “Sentença pronunciada pelo Senhor CONTRA ISRAEL contra Israel, por intermédio de Malaquias” (Malaquias 1:1)

      e, se destina especificamente, aos SACERDOTES CORRUPTOS:

      “Agora, ó sacerdotes, para vós outros é este mandamento.Se o não ouvirdes e se não propuserdes no vosso coração dar honra ao meu nome, diz o SENHOR dos Exércitos, enviarei sobre vós a maldição e amaldiçoarei as vossas bênçãos; já as tenho amaldiçoado, porque vós não propondes isso no coração” ( Malaquias 2:1-2)

      Eles estavam ofertando ANIMAIS coxos, cegos mudos, e defeituosos:

      “Ofereceis sobre o meu altar pão imundo e ainda perguntais: Em que te havemos profanado? Nisto, que pensais: A mesa do SENHOR é desprezível. Quando trazeis animal cego para o sacrificardes, não é isso mal? E, quando trazeis o coxo ou o enfermo, não é isso mal? Ora, apresenta-o ao teu governador; acaso, terá ele agrado em ti e te será favorável? – diz o SENHOR dos Exércitos.” (Malaquias1:7-8)

      Quanto a Malaquias 3, notamos que Deus manda trazer somente “DÍZIMOS” para as câmaras do depósito do templo, para que haja “comida” ( alimento, ou mantimento ) em minha casa. Isto é , mantimento = produtos alimentares (ver dicionário da língua portuguesa)

      O texto mais famoso citado para falar a respeito do devorador é Malaquias 3:11, que diz: “Por vossa causa, repreenderei o devorador, para que não vos consuma o fruto da terra; a vossa vide no campo não será estéril, diz o SENHOR dos Exércitos.” Esse texto é a continuação de Malaquias 3:10, o tão famoso texto que fala a respeito de dízimos no Antigo Testamento. os líderes gananciosos dizem que o “devorador” mencionado nesse texto é um demônio que destrói as finanças daqueles que não dão os 10%, ou seja, que não são dizimistas. As pessoas que pregam nessa linha trazem ameaças de destruição financeira aos seus ouvintes se os mesmos não forem dizimistas fiéis.

      O DEVORADOR É MESMO UM DEMÔNIO? A resposta é não! Os que afirmam que esse devorador citado no texto é um demônio, no mínimo, faltaram em algumas aulas de interpretação da Bíblia. A primeira coisa a sabermos é que no Antigo Testamento, a aliança que vigorava era uma aliança baseada na obediência. Se o povo fosse obediente às leis de Deus seriam abençoados. Essas bênçãos eram visivelmente mandadas em forma de paz e boas colheitas e prosperidade. Se fossem desobedientes, seriam amaldiçoados. Falta de paz e colheitas ruins estavam em vista aqui. (Deuteronômio 28). Em uma das ameaças de maldições em suas colheitas, que Deus manda ao povo através do profeta Joel, vemos que: “O que deixou o gafanhoto cortador, comeu-o o gafanhoto migrador; o que deixou o migrador, comeu-o o gafanhoto devorador; o que deixou o devorador, comeu-o o gafanhoto destruidor.” (Joel 1:4). Uma maldição que tinha em vista a destruição da lavoura.

      O texto de Malaquias 3:11 diz a mesma coisa: “Por vossa causa, repreenderei o devorador, para que não vos consuma o fruto da terra; a vossa vide no campo não será estéril, diz o SENHOR dos Exércitos.”. Esse devorador certamente se tratava de um tipo de gafanhoto altamente destrutivo ou outro “bicho” que acabava com as plantações (que eram a base da economia do povo de Israel). A ação devastadora desse “ser” acabava com a prosperidade do povo em pouco tempo atacando suas lavouras. Quando o povo era obediente a Deus e cumpria a Sua lei, que no caso desse texto é a lei de dizimar, Deus abençoava suas colheitas e negócios. Esse é o sentido desse texto. Assim, não faz sentido usar esse texto para afirmar que o devorador era um demônio ou coisa parecida. Nem faz sentido ameaçar as pessoas hoje em dia com esse “devorador”

      “repreenderei o devorador” Versículo 11 (Não é dinheiro que faz isto, é o próprio Deus)

      Devorador, segundo a bíblia, nunca foi demônio, e sim, gafanhotos, que Deus enviava como pragas a terra para castigar o povo, e estes gafanhotos, Deus os chamavam de “O meu grande exercito” (Joel 2:22-27) …”repreenderei o devorador ” significa… espantarei a praga do meio da vossa plantação (gafanhotos), veja também Levítico 11:22 e Naum 3:16.

      Os líderes gananciosos que ensinam que esses “devoradores” são demônios que irão causar doenças na família, o carro vai viver quebrando etc, aproveitam o desconhecimento dos cristãos do verdadeiro devorador ao qual Malaquias se refere, o gafanhoto que devorava as colheitas da nação de israel. Não há confirmação nenhuma no novo testamento de que quem não dizima será vitima desse “devorador”… quando um ladrão quer tomar o dinheiro de uma pessoa, ele a ameaça, pois se pedir provavelmente a vítima não entregará o seu dinheiro, e por conta disso o ladrão usa o recurso da ameaça, para forçá-la, da mesma forma agem esses pastores que insistem em receber dízimos pois usam um texto fora de seu real contexto para ameaçar dizendo que o mesmo “devorador” que viria sobre a nação de israel se não dizimasse virá para aqueles que não entregam seus dízimos a eles.Trata-se portanto de mais um ensino distorcido da bíblia para forçar os cristãos que não estudam a bíblia a dizimarem.

      Hoje em dia, a classe mais pobre é a que mais contribui para beneficência. E, mesmo assim, ela permanece na pobreza. Os dízimos não são uma garantia para alguém enriquecer depressa, em vez da educação, da determinação e do árduo trabalho. Se Malaquias 3:10 funcionasse realmente com os cristãos da Nova Aliança, nesse caso milhões de cristãos dizimistas já teriam escapado da pobreza e se tornado o grupo mais rico do mundo, em vez de continuar sendo pobre. Portanto, não existe evidência alguma de que a vasta maioria dos pobres “pagadores do dízimo” tenha sido abençoada pelo mero fato de o entregar. As bênçãos da Antiga Aliança já não estão em efeito (Hebreus 7:18-19; 8:6-8,13).

      Portanto, não há nenhuma possibilidade de um cristão ser vítima do “devorador” (demônio) por causa de não ser dizimista, pois nenhuma maldição da antiga aliança pode atingir aos cristãos da nova aliança em Jesus ( gálatas 3:13 )

      7º MENTIRA – O DÍZIMO SERVE PARA MANTER A IGREJA FÍSICA HOJE, POIS ELA SUBSTITUIU O TEMPLO JUDAÍCO ONDE SE ENTREGAVAM OS DÍZIMOS.

      Nada poderia estar mais longe da verdade. Trata-se de outro falso ensino os religiosos que exigem dízimos de que os edifícios chamados “igrejas”, “tabernáculos” ou “templos”, substituíram o Templo do Velho Testamento como locais de habitação divina.

      A Palavra de Deus jamais descreve os grupos da Nova Aliança como ”tabernáculos”, “templos” ou “edifícios”. Os cristãos não “vão à igreja”. Eles se “reúnem para adorar”. Também, visto que os sacerdotes do Velho Testamento pagavam o dízimo, então, logicamente, o dízimo não pode continuar. Nesse caso, é errado chamar um edifício de “armazém do Senhor” para receber os dízimos (1 Coríntios 3:16-17; 6:19-20; Efésios 1:22-23; 2:21; 4:12-16; Apocalipse 3:12). Com respeito à palavra “armazém” comparem a 1 Coríntios 16:2 com a 2 Coríntios 12:14 e Atos 20:17, 32-35. Durante vários séculos após o Calvário, os cristãos nem mesmo possuíam um edifício próprio (que chamassem de armazém), visto como o Cristianismo era uma religião ilegal e sofria perseguições.

      Após o sacrifício de Jesus, o véu do santuário se rasgou: “E o véu do santuário rasgou-se em duas partes, de alto a baixo” (Marcos 15:38) e hoje, cada cristão é um santuário onde habita o Espírito Santo: “Não sabeis que sois santuário de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós?” (I Coríntios 3:16) Não há sequer um Templo ou santuário físico para que os cristãos levem os dízimos pois: “O Deus que fez o mundo e tudo o que nele existe, sendo ele Senhor do céu e da terra, não habita em santuários feitos por mãos humanas” (Atos 17:24). Jesus sequer fundou uma igreja física, pois a verdadeira igreja é espiritual.

      1. Que autoridade nos dá a Palavra de Deus para estabelecermos igrejas denominacionais ou não denominacionais em meio ao testemunho cristão, quando as Escrituras condenam a criação de divisões entre os crentes? (1 Coríntios 1:10; 3:3; 11:18-19)

      2. Com que autoridade vinda de Deus os cristãos denominam suas assim chamadas “igrejas” como Presbiteriana, Batista, Pentecostal, Aliança, Cristã Reformada, Anglicana etc., quando não há na Bíblia instruções para nos reunirmos em qualquer outro nome além do nome do Senhor Jesus Cristo? (Mateus 18:20; 1 Coríntios 5:4)

      3. Será que existe qualquer base na Palavra de Deus para chamar esses edifícios de “igrejas”? A definição bíblica de “igreja” é de uma reunião de crentes que, pelo evangelho, foram chamados para fora, tanto dentre os judeus como dentre os gentios, e são unidos em um único corpo a Cristo, sua Cabeça no céu, pela habitação do Espírito Santo. (Atos 11:22; 15:14; 20:28; Romanos 16:5; 1 Coríntios 1:2; Efésios 5:25)

      4. Onde há no Novo Testamento uma referência mandando os Cristãos construírem templos e chamarem esses locais de “Cada de Deus”, sendo que Deus não habita em templos feito por mãos humanas? (Atos 7:48 e 17:24).

      Dizer que os dízimos são necessários para manter a igreja e sustentar os pastores e líderes não tem fundamentação bíblica neotestamentária, O apóstolo Paulo estava entre os que insistiam em trabalhar com as próprias mãos pelo seu sustento (Atos 18:3; 1Tessalonicenses 2:9-10; 2Tessalonicenses 3:8-14). Embora ele não tenha condenado os que recebiam sustento pela obra em tempo integral, também não ensinou que tal sustento fosse ordenado por Deus, para difusão do Evangelho. (1 Coríntios 9:12). De fato, duas vezes em Atos 20:29, 35 e também em 2 Coríntios 12:14, ele até mesmo encoraja os anciãos da igreja a trabalharem para manter os necessitados da igreja (Eu só queria ver um dos pastores atuais trabalhando para ajudar os pobres da igreja!).

      Para Paulo, a expressão “viver do evangelho” significava “viver segundo os princípios da fé, do amor e da graça” (1 Coríntios 9:14). Conquanto verificasse ter “direito” a alguma ajuda, ele concluía que a “liberdade” de pregar o seu evangelho era mais importante, a fim de cumprir a sua vocação de Deus (1 Coríntios 9:15; 11:7-13; 12:13,14; 1 Tessalonicenses 2:5-6). Enquanto trabalhava como artesão de tendas (atos 18:3), Paulo aceitou uma certa ajuda, porém se gloriava de que o seu pagamento ou salário era o fato de poder pregar livremente, sem se tornar um fardo para os outros (1 Coríntios 9:16-19).

      Em nenhum lugar desde Atos 7:58 (onde Paulo é mencionado pela primeira vez) até suas epístolas, não vemos o apóstolo Paulo orientando alguém a dizimar nem recebendo dízimos dos cristãos, portanto uma prova clara que a igreja primitiva não tinha o dízimo como uma doutrina cristã e inquestionável como se vê hoje nessas igrejas que dizem seguir fielmente as Escrituras.

      Paulo deixou claro que os que pregavam o evangelho tinham todo o direito de serem supridos com as ajudas e doações voluntárias dos cristãos (I Coríntios 9:11 e 14, Filipenses 4:18 ), mas nunca disse que seria dos dízimos! Sequer há mandamento seja do Senhor Jesus ou de seus apóstolos dos cristãos entregarem seus dízimos nos “templos” que hoje conhecemos como igreja, pois Jesus nunca fundou uma igreja física, nem ordenou que se fizessem construções para ali os seus seguidores se reunirem! Se o dízimo fosse tão necessário e importante como esses líderes gananciosos querem fazer parecer, teria o apóstolo Paulo esquecido de mencionar algo tão importante? obviamente que não, pois ele é categórico ao dizer: ” jamais deixando de vos anunciar coisa alguma proveitosa e de vo-la ensinar publicamente e também de casa em casa” e ” porque jamais deixei de vos anunciar todo o desígnio de Deus” (atos 20:20 e 27)… ou seja, tudo que era necessário ele, Paulo, ensinou e o Apóstolo Paulo nunca incentivou ou ensinou os cristãos a dizimarem!

      Portanto comprovadamente os dízimos não são obrigatórios serem entregues, muito menos nas igrejas físicas de hoje.

      8º MENTIRA – “DAR OFERTAS, MESMO ACIMA DE 10% DA SUA RENDA, NÃO TEM O MESMO VALOR ESPIRITUAL, POIS QUEM NÃO DÁ O DÍZIMO ROUBA A DEUS E NÃO SERÁ SALVO POIS ESTÁ DEBAIXO DE MALDIÇÃO”

      Tanto a bênção como a maldição de Malaquias 3:9-11, perduraram somente até o término da antiga Aliança, ou seja, até o Calvário. A audiência de Malaquias havia voluntariamente reafirmado a Antiga Aliança (Neemias 10:28-29. “Maldito aquele que não confirmar as palavras desta lei, não as cumprindo. E todo o povo dirá: Amém” (Deuteronômio 27:26, citado em Gálatas 3:10). E Jesus Cristo deu um fim a essa maldição, conforme Gálatas 3:13: “Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós; porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro”. Portanto nenhuma maldição proveniente da não observância da lei de moisés (e o dízimo pertencia a ela) atinge aos cristãos. Mas os lideres gananciosos que recebem dízimos escondem isso dos membros.

      Mas não é porque o Cristão não seja mais obrigado a dizimar que ele esteja isento de ajudar na propagação do evangelho e em favor dos necessitados pois: “Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria” (2coríntios 9:7).

      “Também, irmãos, vos fazemos conhecer a graça de Deus concedida às igrejas da Macedônia; porque, no meio de muita prova de tribulação, manifestaram abundância de alegria, e a profunda pobreza deles superabundou em grande riqueza da sua generosidade.Porque eles, testemunho eu, na medida de suas posses e mesmo acima delas, se mostraram voluntários” (2coríntios 8:1-3) Essa era a prática da igreja de Deus que Cristo estabeleceu.

      Os princípios de dar no Novo Testamento, na 2Coríntios capítulos 8 e 9 são superiores ao dizimar, que não é obrigatório aos cristãos.

      Os seguintes princípios de dar voluntariamente na Nova Aliança estão fundamentados na 2 Coríntios 8 e 9 (1). Dar é uma “graça”. A 2 Coríntios 8 usa oito vezes a palavra “graça”, referindo-se à ajuda aos santos pobres (2). Dar primeiro a Deus (8:5). (3) Dar-se a si mesmo para conhecer a vontade de Deus (8:5) (4) Dar em resposta ao dom de Cristo (8:9 e 9:15). (5) Dar com desejo sincero (8:8, 10, 12 e 9:7) (6) Não dar por causa de mandamento algum (8:8,10; 9:7). (7) Dar além de sua capacidade (8:3, 11, 12) (8) Dar para produzir igualdade. Isso quer dizer que os que têm mais devem dar mais, a fim de suprir a incapacidade dos que não podem dar mais (8:12,14) (9) Dar com alegria (8:2). (10) Dar porque está crescendo espiritualmente (8:3,4,7). (11) Dar porque deseja crescer espiritualmente (9:8, 10, 11). (12) Dar porque está ouvindo o Evangelho ser pregado (9:13).

      9º MENTIRA – “JESUS MANDOU OS CRISTÃOS DAREM O DÍZIMO NO NOVO TESTAMENTO”

      O falso ensino é que Jesus ensinou a dizimar, em Mateus 23:23, dizendo que isso está claro no Novo Testamento.

      Em primeiro lugar, A Nova Aliança (o novo testamento) não teve princípio no nascimento de Jesus, mas na Sua morte (Gálatas 3:19, 24, 25; 4:4). O dízimo não é ensinado na igreja, depois do Calvário. Quando Jesus falou sobre o assunto em Mateus 23:23, Ele estava simplesmente ordenando a obediência às leis da Antiga Aliança, a qual ele endossou e obedeceu até chegar ao Calvário.

      Não existe um único texto do Novo Testamento que ensine a dizimar após o período do Calvário. (Atos 2:42-47 e 4:32-35 não são exemplos para se dizimar, a fim de sustentar os líderes da igreja). Conforme Atos 2:46, os cristãos judeus continuavam a adorar no Templo. E conforme Atos 2:44 e 4:33,34, os líderes da igreja compartilhavam igualmente o que recebiam com todos os membros da igreja (o que hoje os líderes gananciosos que recebem dízimos não fazem).

      Aliás, Jesus sequer é mencionado dizimando ou recebendo dízimos… e porque os líderes gananciosos pedem dízimos em nome de Jesus sendo que o próprio Jesus disse: “em meu nome, expelirão demônios; falarão novas línguas;pegarão em serpentes; e, se alguma coisa mortífera beberem, não lhes fará mal; se impuserem as mãos sobre enfermos, eles ficarão curados” (Marcos 16:17-18)… Ele nunca disse ” em meu nome receberão dízimos…”

      Portanto comprovadamente mais uma mentira desses homens que se dizem ordenados por Deus a exigirem dízimos dos cristãos incautos foi desmascarada! Jesus nunca ordenou que os seus discípulos e futuros apóstolos recolhessem dízimos… e porque esses líderes acham que podem fazer diferente? Bem o Senhor Jesus profetizou sobre esses tipos: “Acautelai-vos dos falsos profetas, que se vos apresentam disfarçados em ovelhas, mas por dentro são lobos roubadores” (Mateus 7:15)

      10º MENTIRA – “JESUS RECEBE DÍZIMOS DOS CRISTÃOS CONFORME HEBREUS 7:8″

      O início do capítulo 7 de hebreus é apenas citação do Antigo Testamento, onde fala do sacerdócio de Melquisedeque. Em Hebreus 7:5 diz: ” E os que dentre os filhos de Levi receberam o sacerdócio tem ordem, segundo a lei, de tomar os dízimos do povo, isto é, de seus irmãos, ainda que tenham saído dos lombos de Abraão”

      A lei foi dada por intermédio de Moisés, ao povo, direcionada aos filhos de Levi, especificamente aos que receberam sacerdócio para trabalhar nas tendas das congregações ( montagem e desmontagem de tendas no deserto), os quais tinham ordem, segundo a lei de receber os dízimos dos seus irmãos. Agora note o relato do versículo 11 e 12:

      Hebreus 7:11: De sorte que, se a perfeição fosse pelo sacerdócio Levítico (porque sob ele o povo recebeu a lei), que necessidade se havia logo de que outro sacerdote se levantasse, segundo a ordem de Melquisedeque (referindo-se ao Salvador) e não fosse chamado segundo a ordem de Arão? (menção a Moisés, o qual introduziu a lei ao povo).

      Hebreus 7:12: Porque mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também mudança na lei.

      Meditando no texto acima, especificamente nestes versículos, onde a palavra assegura que os sacerdotes Levíticos recebiam os dízimos segundo a lei (Hebreus 7:5), Porque através deles (sacerdotes Levíticos) o povo recebeu a lei (Hebreus 7:11) e mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também, mudança na lei (Hebreus 7:12), porque se a perfeição fosse pelo sacerdócio Levítico (pelo qual o povo recebeu a lei), qual a necessidade de que enviasse outro Sacerdote? Mudou o Sacerdócio, necessariamente se faz mudança na Lei.

      A lei dos dízimos foI direcionada especificamente aos filhos de Levi, aos que receberam o sacerdócio e não havendo mais “Levitas”, nem “templo”, nem sacerdote a oferecer sacrifícios, pois O Salvador já o fez, logo,se aplicada aos crentes hoje, ela torna-se intempestiva e ilegítima, porque os “pastores” de hoje não são levitas nem foram proibidos de trabalhar, nem menos tiveram promessas de herança de dízimos para sustento por não ter tido herança nas distribução de terras prometidas ao povo israelita por herança.

      Outra particularidade, no capítulo 18 do livro de Números, o Senhor Deus adverte aos sacerdotes levitas dizendo: Na sua terra, possessão nenhuma terás, e no meio deles nenhuma parte possuirás; eu sou a tua parte e a tua herança no meio dos filhos de Israel.

      Gostaria de recomendar aos pregadores contemporâneos (os que querem se assemelhar aos sacerdotes levitas que recebiam dízimos), seria bom que guardassem os mandamentos do Senhor para aquela tribo, os quais não possuíam bens materiais, pois o Senhor era a herança dos sacerdotes levitas.

      Recapitulando: Hebreus 7 apenas faz a menção pós-Calvário de dizimar, numa explanação de porque o sacerdócio levítico deve ser substituído pelo sacerdócio de Cristo, porque o sacerdócio levítico era fraco e ineficiente. Estude Hebreus 7 e sigam a progressão do versículo 5 ao versículo 12 e ao versículo 19.

      Porém, líderes gananciosos insistem em apenas mostrar hebreus 7:8 aos membros, onde segundo eles, Jesus receberia dízimos dos cristãos: “Aliás, aqui são homens mortais os que recebem dízimos, porém ali, aquele de quem se testifica que vive” (hebreus 7:8)

      Apenas mostrando esse versículo isoladamente aos membros desavisados, querem dar a entender que esse versículo manda os cristãos ainda dizimarem, sem ler todo o real contexto do capítulo 7 de hebreus.

      Portanto hebreus 7:8 não fala de Jesus recebendo ainda dízimos dos cristãos, pois o contexto do capítulo 7 de hebreus fala na verdade da superioridade do sacerdócio de melquisedeque em relação ao levítico que era sustentado pelos dízimos. Cristãos não tem o mandamento bíblico de dizimarem.

      Considerações finais:

      Em Hebreus 7,8,9 e 10, neste 4 capítulos deixa bem claro a questão do sacerdócio perfeito, que, quando mudado o sacerdote Levítico, veio o Cristo, e mudando o sacerdócio se muda a lei ( Hebreus 7:12 ) portanto, notamos, que no novo testamento, não há ninguém dando dizimos em dinheiro, sendo que já existia, porque, Jesus foi traído por moedas, e a viúva ofertou moedas, mas dízimos, foi mencionado em alimentos, hortaliças ( Mateus 23.23 ) jamais em dinheiro, e o próprio Senhor Jesus, relatou que o dízimo era da lei para o povo de Israel , …”o mais importante DA LEI “. (Mateus 23:23)

      Paulo não mencionou dízimos, nem outro apóstolo qualquer deixou exemplo de tal prática. Em Corintios 9, Paulo pede donativos para suprir necessitados e não para manter despesas de instituições religiosas. Em Atos 4:32 em diante, notamos a generosidade dos irmãos,vendendo tudo e depositando aos pés dos apóstolos, para que se fosse feita DISTRIBUIÇÃO AOS NECESSITADOS, de forma a não haver necessitados entre eles ( esta é a justiça que excede a dos fariseus religiosos que apenas punham seus dízimos das hortaliças e achavam que estava, cumprindo sua parte) em Mateus 23:23 e Lucas 18:12. Tal prática dos fariseus, mostra religiosidade e eles não praticavam a fé, de fato, que , quem diz que dizimar é um ato de fé, é engano, porque os fariseus dizimavam , mas não praticavam a fé. O jovem rico, não foi indicado por JESUS a dizimar, e sim, vender e REPARTIR com os pobres. Jó nunca dizimou, e mesmo assim era próspero.

      Abraão só deu o dízimo uma só vez, e não foi em dinheiro, foi despojos, sobras de conquistas de guerra, dizimo de sangue, após matar os reis e tomar seus bens.

      Jacó prometeu dar o dízimo, ( um voto particular dele ) em Gênesis 28:20-22 , mas a bíblia não fala que ele cumpriu…

      Abraão não foi a “suposta” casa do tesouro ( igreja ) mas Melquisedeque lhe saiu ao encontro para receber sua parte, devido ser rei de Salém e receber por que passava em tal parte, imposto semelhante ao que Jesus nos ensinou a pagar a César (Mateus 22:21). Isto é, JESUS mandou sermos fiéis ao estado e não sonegar impostos.

      Os cobradores de impostos ao se converter, restituíram 4 vezes mais aos que haviam defraudado, e foi nisto que Jesus afirmou: “hoje houve salvação nesta casa” (Lucas 19:9)Repare que o Salvador não o mandou dar dízimos.Todas as vezes que você quiser dar algo á Deus, e restituir a Deus com gratidão, faça isto dando ao seu próximo, pois assim,estará cumprindo a palavra na íntegra, conforme Mateus 25 deixa bem claro esta questão.

      No sétimo ano, Israel, não trazia dízimos, devido ser o ano sabático,a terra descansava (Levítico 25:4) Mas e será que a igreja atual faz isto? Fica sem receber dizimos no sétimo ano?

      O DÍZIMO era vendido POR DINHEIRO,devido a distância de levar onde o Senhor escolhera, para santificar seu nome, e o próprio dizimista COMIA DOS SEUS DÍZIMOS, administrava o dízimo, hoje em dia quem come dos dízimos são os pastores, que administram os dízimos, dando ordem quê e no que será empregado os dízimos do povo. Estes ditos “sacerdotes” ( pastores) não são levíticos, nem exercem função sacerdotal superior a qualquer irmão que seja, e muito menos têm eles o direito de administrar o dízimo pessoal de cada um.

      Quanto a sacerdotes, sabemos todos nós somos, depois de Cristo nos fazer um sacerdócio real, nação santa , povo eleito de DEUS, passamos a ter livre acesso ao Pai através de CRISTO que , na sua morte, o que nos separava foi rasgado do alto abaixo, a saber o véu que separava o lugar santo,( local onde entravam os sacerdotes) do lugar santíssimo (onde só entrava o sumo sacerdote 1 vez por ano para pferecer acrificio pelo pecado do povo).

      Paulo recebeu muitas vezes ajuda da igreja, mas era para se manter, e não era salário mensal como se estivesse numa empresa. Paulo trabalhava (atos 18:3) , e em nada pesava os irmãos e a igreja.

      Se Paulo disse: “sede meus imitadores como eu sou de Cristo”, será que nesta parte, os pastores que exigem dízimos imitam à Paulo? Vemos Jesus ou Paulo recolhendo ou ensinando sobre dízimos?Em 2Coríntios 9:9, Paulo cita o salmo 112:9, onde fala da generosidade com os mais pobres: “Conforme está escrito: Espalhou, deu aos pobres; A sua justiça permanece para sempre”. (2 Coríntios 9:9)

      Nada falou de dízimos em dinheiro, e sim, contribuições voluntárias , para “suprir” os que não tem, algo que, é totalmente visto por Deus. Paulo faz uma coleta para “DISTRIBUIR”, hoje em dia se faz uma distribuição (de envelopes) para ajuntar, não para os pobres, mas, para os cofres de uma instituição, que se preocupa mais com a posição social, status, templos, fama, nome, competição, horários de TV, rádios, sites, eventos, shows, viagens, lazer para líderes, carrões, mansões, aviões, e ainda se diz que é expansão da obra de Deus…

      Cada dia os patrimônios religiosos estão ainda maiores, e o evangelho mais distante do que a igreja primitiva pregava e vivia, tudo por causa de dinheiro. A biblia fala para não reter e sim dar. Será que a igreja faz isto? Ou antes retém,para construir seu império e se fortalecer mais e mais, visando dominar a maior parte possível do globo terrestre, e arrebanhar o maior número de pessoas possível, como se tudo fosse uma partida de competição: “Quem tiver mais membros é o vencedor”

      Paulo afirma: “Porque nós não estamos, como tantos outros, mercadejando a palavra de Deus; antes, em Cristo é que falamos na presença de Deus, com sinceridade e da parte do próprio Deus” (2Coríntios 2:17)

      Deus abençoe a todos que leram este estudo e que o Espírito Santo tenha conduzido a leitura e o entendimento para compreender que dízimos não são mais obrigatórios.

      “Antes, crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A ele seja a glória, tanto agora como no dia eterno” (2Pedro 3:18)

  12. STARDUST disse: 26 de janeiro de 2015 ás 11:52 am
    clamando

    A circuncisão é anterior a lei ou é da lei? Esta simples resposta vai definir o resto de sua contradição.

    • VEJAM E PASMEM STARDUST O DESVIADO OU ¨O ¨¨ ATEU
      PERGUNTA FUGINDO DE DAR A RESPOSTA SE O DÍZIMO É ANTERIOR A LEI, E SAI COM MAIS UMA HERESIA, TENTA DIZER QUE A CIRCUNCISÃO QUE TAMBÉM É ANTERIOR A LEI, NÃO MAIS TEM VALIDADE
      MAS COMO ELE NUNCA FOI CRENTE OU CRISTÃO, E OU NUNCA TEVE UMA EXPERIENCIA COM O SENHOR, PASMEM NUNCA RECEBEU A CIRCUNCISÃO, MAS COMO SOU BEM CONVERTIDO FAÇO QUESTÃO DE PROVAR PARA ELE, QUE PARA SER CRISTÃO DEVE SER CIRCUNCIDADO…..ESTÁ NA BÍBLIA ENTÃO É LEGAL.
      Tenham cuidado para que ninguém os escravize a filosofias vãs e enganosas, que se fundamentam nas tradições humanas e nos princípios elementares deste mundo, e não em Cristo.
      Pois em Cristo habita corporalmente toda a plenitude da divindade,
      e, por estarem nele, que é o Cabeça de todo poder e autoridade, vocês receberam a plenitude.
      Nele também vocês foram circuncidados, não com uma circuncisão feita por mãos humanas, mas com a circuncisão feita por Cristo, que é o despojar do corpo da carne.
      Isso aconteceu quando vocês foram sepultados com ele no batismo, e com ele foram ressuscitados mediante a fé no poder de Deus que o ressuscitou dentre os mortos.
      Quando vocês estavam mortos em pecados e na incircuncisão da sua carne, Deus os vivificou juntamente com Cristo. Ele nos perdoou todas as transgressões,

      Colossenses 2:8-13

      • clamando

        Se vc usa a lei de moisés para tentar fundamentar o dízimo para Cristãos, deveria usar a mesma lei de moisés para fundamentar a circuncisão.

        Eu bem sei que na nova aliança a circuncisão é algo não fisico, ao contrário da lei de moisés, mas poderia então mostrar que o dízimo continua assim como a circuncisão… melhor, poderia mostrar aonde dízimo virou dinheiro???

        • Mais uma vez stardust mente e tenta desconstruir a verdade, quem usa a lei de Moises para fundamentar tuas heresias é tu eu uso o novo testamento deixado por Paulo.
          E AQUI POSTO PARA QUE NÃO FIQUE DUVIDAS SOBRE O ASSUNTO, PARE DE MENTIR, OPSSS NÃO É POSSÍVEL TEU PAI É O PAI DA MENTIRA.
          Nele também vocês foram circuncidados, não com uma circuncisão feita por mãos humanas, mas com a circuncisão feita por Cristo, que é o despojar do corpo da carne.
          Isso aconteceu quando vocês foram sepultados com ele no batismo, e com ele foram ressuscitados mediante a fé no poder de Deus que o ressuscitou dentre os mortos.
          Quando vocês estavam mortos em pecados e na incircuncisão da sua carne, Deus os vivificou juntamente com Cristo. Ele nos perdoou todas as transgressões,

          Colossenses 2:8-13

          • isto abaixo é um post teu stardust, quando vai parar de mentir?

            STARDUST disse: 26 de janeiro de 2015 ás 11:52 am
            clamando

            A circuncisão é anterior a lei ou é da lei? Esta simples resposta vai definir o resto de sua contradição.

        • TV Record e universal tem contrato privilegiado de consumo de agua em São Paulo com a Sabesp, TV Record????!!!!

          Os marajás da água e a seca: Sabesp dá superbônus a quem gasta mais
          Laura Capriglione – sáb, 14 de fev de 2015
          • Compartilhar805

          • 16

          • Imprimir

          Então fica assim: você compra mais e mais caixas d’água e baldes para armazenar chuva; toma banho de gato; não descarrega a privada se ela estiver apenas com xixi; usa a água da lavadora de roupas para limpar o quintal…
          Você faz tudo isso com a maior boa vontade, porque acha que todos estão se esforçando igualmente para evitar o mal maior, que é a materialização do tal do rodízio com 5 dias a seco para apenas dois com água, que um diretor da própria Sabesp disse que será necessário…
          Mas…
          Aí você descobre que a Sabesp exige de você o que não exige dos ricos e famosos.
          E você se sente um otário.
          Foi a excelente repórter María Martín, do jornal “El País”, quem trouxe a revelação: 500 empresas mantêm contratos privilegiadíssimos com a Sabesp. Esses contratos, chamados de “contratos de demanda firme”, eram mantidos escondidos pela Sabesp –que alegava assim resguardar“esferas de intimidade e de privacidade” de seus clientes.
          Cinismo puro.
          Na verdade, os contratos foram mantidos clandestinos porque são a demonstração cabal de como uma casta de endinheirados se apropriou de um bem que agora é escasso (a água), de forma a ficar ainda mais rica e privilegiada.
          Eis as vantagens que a Sabesp dá aos felizes signatários dos contratos…
          1. Eles têm garantia de fornecimento ininterrrupto de água e/ou coleta/tratamento de esgotos, ao contrário do que acontece na minha casa, que só tem água até as 14h (depois, só volta às 7h), e de muitos bairros de periferia, que já contabilizam 11 dias diretos, sem uma gota d’água na torneira.
          2. Eles ganham uma tal de “tarifa diferenciada” (esses tucanos são uma loucura: chamam de “tarifa diferenciada” a boquinha que faz com que os mega-consumidores de água sejam premiados com descontos sensacionais).
          Está no comunicado sobre as tarifas vigentes, emitido pela Sabesp em novembro de 2014: Um lojista ou uma pequena indústria, ambos consumindo 50 m³/mês (o equivalente a 50.000 litros de água por mês), pagam R$ 14,51 por metro cúbico, a título de tarifa de água e esgoto.
          Já o feliz proprietário de uma empresa que consome mais do que 40.000 m³/mês (o equivalente 40.000.000 de litros de água por mês) pagará apenas R$ 8,90 pelo mesmo metro cúbico.
          A conclusão é óbvia: a Sabesp premia com um superbônus de 39% de desconto os consumidores que mais gastam.
          3. Tem mais: os donos da mamata recebem relatórios mensais de acompanhamento dos serviços que a Sabesp lhes presta. E dispõem de um canal de atendimento exclusivo (diferentemente dos consumidores comuns, que têm de lidar com um serviço de emergência que atende suas ligações quando quer).
          Dos 500 contratos de demanda firme, conhecem-se agora as condições “excepcionalmente boas” desfrutadas por 294 empresas —206 outros contratantes, cujos contratos foram firmados antes de junho de 2010, ainda são mantidos sob sigilo (imagine o que ocultam).
          E é revoltante o quadro revelado.
          Não mencionarei aqui o fato de grandes hospitais (como o Hospital Israelita Albert Einstein, a Amico, o Hospital Geral da Pedreira e outros) aparecerem entre os beneficiários dos contratos de demanda firme. Afinal, hospitais têm uma função social clara, e precisam zelar obsessivamente pela higiene, o que implica o uso de muita água.
          Mas a coisa começa a ficar indecente quando se vê, entre os alegres contratantes, o bancoBradesco (com um consumo mensal de 6.925.000 litros de água em apenas um endereço), a Bolsa de Valores de São Paulo (2.422.000 litros), a Globo (1.972.000 litros), a Rádio e Televisão Record (1.955.000 litros), a Igreja Universal (2.541.000 litros).
          Alguém viu algum clube reclamando por estar sem água pra encher as piscinas ou fazer funcionar os chuveiros? Já sabemos por quê:
          Têm contrato de demanda firme os clubes A Hebraica (8.992.000 litros), o Esporte Clube Pinheiros (8.435.000 litros), o Corinthians (5.233.000 litros) e o Palmeiras (3.285.000 litros).
          E os shopping centers… Aí é até uma provocação. O shopping Eldorado consome 20.560.000 litros por mês, seguido no ranking pelo shopping Higienópolis, que gasta 10.333.000 de litros no mesmo período. O Shopping Villa-Lobos lança 9.773.000 de litros de água no ralo. O West Plaza, 7.854.000 litros. E por aí vai!
          A lista das 294 empresas representa um consumo mensal de 713.284.000 de litros de água.
          Nada menos do que 213.186 pessoas poderiam ser abastecidas com essa água durante o mesmo período, considerando o gasto médio de 110 litros por dia preconizado pela ONU.
          Dois bairros de Guaianazes, no extremo leste de São Paulo, hoje vivendo interrupções de abastecimento dramáticas, poderiam ser supridos, apenas com a água consumida pelos marajás dos contratos de demanda firme.
          É justo isso?
          Eu continuarei economizando água e me preocuparei com o desperdício. Mas, vamos falar a sério, a Sabesp está abusando da paciência e tolerância das pessoas de bem.

  13. E a igreja cristinistica stardutiana inrustida foi fundada por um espirito mefistofilano vindo do planeta capetoide da galaxicia satanistica a qual fica no centro das beiradas nucleticas das pregas satatetica do fuso central das ventas do capirotão chefe onde houve uma grande festa e o tal anjo tumou muita canjibrina acompanhado de frango cum gueiroba e batata doce e com esta mistura explosiva o tar anjo soutou uma bufa mais que explosiva causando um estrondoso e catastrofica explosão tão dantesca que todos forão jogados ao leu do subverso paralelo e o tal espirito vei parar nestes brasis e encontrando aqui tambem uma poeira saltitante e extra estelar e dai fundarão a igreja dos stardustianos inrustidos cauterisados, oxente sera qui essa igrejola e boa sior cururuis,

  14. Esta ocorrendo um fenômeno muito interessante e terrível pelo mundo,na Sibéria por exemplo, lobos estão se unindo e formando superalcateias. Então não e novidade que lobos humanos também se unam para dilacerar as ovelhas incautas.

  15. Silas Malafaia e a sua já conhecida teatralidade e bipolaridade: está pensando que engana quem, Malafaia? Sempre jogando de acordo com as circunstâncias e interesses pessoais, pois a máscara de cera, a capa de ovelha estão caindo por terra e vemos nitidamente que ele é um manipulador de incautos, fazendo tudo contrário às Escrituras.
    Suas mentiras estão caindo por terra, Malafaia!

  16. Lógico pra fiscalizar os orifícios alheios é cm eles mesmos; agora quando o assunto é qm detém o maior poder financeiro, aí eles começam a briguinha de poder e enquanto isso os trouxas dos fiéis andando de busão lotado e vivendo de favor. Deus deve se agradar dessa união cristã neh??

  17. té quando vão deixar em moderação comentários como este
    clamando disse: 15 de fevereiro de 2015 ás 2:21 pm Seu comentário aguarda moderação. Em breve aparecerá a todos usuários.
    FELIZ CUJA NAÇÃO O SR. É DEUS O RESTO É SÓ BOBAGENS , ELE É CRIADOR E AUTOR DE TODAS AS COISA O MACACO TAMBÉM FOI CRIADO POR ELE, A AMEBA O SER UNICELULAR FOI CRIADO POR ELE , O RESTO É SÓ STARDUST É SÓ MENTIRAS .

    O QUE ESPERAR DE UM PAÍS ONDE NAS TVS EDUCATIVA E OUTROS QUE NÃO SÃO GOVERNAMENTAIS COMO O CANAL FUTURA QUE ENSINA A TEORIA DA EVOLUÇÃO DE DARWIM COMO A VERDADE, QUE ENSINA QUE OS INVENTORES DO AVIÃO SÃO OS IRMÃOS WRIGHT, SE NEM NO PAÍS CHAMADO BRASIL ENSINAM QUE DEUS É O CRIADOR E QUE O INVENTOR DO AVIÃO É SANTOS DUMONT, INSISTEM NO ELO PERDIDO, SERÁ QUE ERA GAY KKK DA LICENÇA, ENQUANTO GAYS E ATEUS LUTAM PARA DESMORALIZAR A PALAVRA A IGREJA E A FAMÍLIA, NÓS NOS ENCOLHEMOS, ESTÁ NA HORA DE DAR UM BASTA, LIGUE OU MANDE IMAIL PARA TEU DEPUTADO EXIGINDO APROVAÇÃO DESTAS E OUTRAS LEIS QUE PROTEGEM A VIDA

    • clamando disse: 15 de fevereiro de 2015 ás 2:28 pm Seu comentário aguarda moderação. Em breve aparecerá a todos usuários.
      clamando disse: 15 de fevereiro de 2015 ás 2:26 pm Seu comentário aguarda moderação. Em breve aparecerá a todos usuários.
      clamando disse: 15 de fevereiro de 2015 ás 2:21 pm Seu comentário aguarda moderação. Em breve aparecerá a todos usuários.
      FELIZ CUJA NAÇÃO O SR. É DEUS O RESTO É SÓ BOBAGENS , ELE É CRIADOR E AUTOR DE TODAS AS COISA O MACACO TAMBÉM FOI CRIADO POR ELE, A AMEBA O SER UNICELULAR FOI CRIADO POR ELE , O RESTO É SÓ STARDUST É SÓ MENTIRAS .

      O QUE ESPERAR DE UM PAÍS ONDE NAS TVS EDUCATIVA E OUTROS QUE NÃO SÃO GOVERNAMENTAIS COMO O CANAL FUTURA QUE ENSINA A TEORIA DA EVOLUÇÃO DE DARWIM COMO A VERDADE, QUE ENSINA QUE OS INVENTORES DO AVIÃO SÃO OS IRMÃOS WRIGHT, SE NEM NO PAÍS CHAMADO BRASIL ENSINAM QUE DEUS É O CRIADOR E QUE O INVENTOR DO AVIÃO É SANTOS DUMONT, INSISTEM NO ELO PERDIDO, SERÁ QUE ERA GAY KKK DA LICENÇA, ENQUANTO GAYS E ATEUS LUTAM PARA DESMORALIZAR A PALAVRA A IGREJA E A FAMÍLIA, NÓS NOS ENCOLHEMOS, ESTÁ NA HORA DE DAR UM BASTA, LIGUE OU MANDE IMAIL PARA TEU DEPUTADO EXIGINDO APROVAÇÃO DESTAS E OUTRAS LEIS QUE PROTEGEM A VIDA

    • Janete

      Seria melhor vc medir as suas palavras.
      Jesus não nos deu o direito de julgar os outros, vc conhece Mateus 7:1-2? Então leia, “Não julgueis, para que não sejais julgados.
      Porque com o juízo com que julgardes sereis julgados, e com a medida com que tiverdes medido vos hão de medir a vós”

      Vejo os seus comentários no Facebook, sempre acompanhado de coisas ruim. Vc crê em Deus e em Jesus o único mediador da salvação? Persevere na fé, mas julgar ou desejar o inferno aos outros, isso não faz bem a ninguém senão mal, e principalmente si próprio, OK. Fique na paz.

      • A Bíblia ensina sobre dois tipos de julgamentos, o problema é que as pessoas confundem isso, e aí logo citam o famoso “não julgueis” numa clara demonstração do seu raso entendimento sobre a questão. Deus nos deu autoridade para julgar em sua Palavra, mas é bom lembrar que não podemos misturar os dois tipos de julgamentos, vejam;

        1 – Julgar as pessoas, seu coração, intenções etc. (cabe somente a Deus)
        2 – Julgar as ações e práticas, pecados, erros etc. (é obrigação dos Cristãos)

        No primeiro caso temos passagens como Mt 7:1 “Não julgueis, para que não sejais julgados”.

        Para o segundo caso temos “JULGUEIS” em várias situações que envolvem ações:

        (João 7:24) – “Não julgueis segundo a aparência, mas julgai segundo a reta justiça”.

        (1 Co 6:2-5) – “Não sabeis vós que os santos hão de julgar o mundo? Ora, se o mundo deve ser julgado por vós, sois, porventura, indignos de julgar as coisas mínimas? Não sabeis vós que havemos de julgar os anjos? Quanto mais as coisas pertencentes a esta vida? Para vos envergonhar o digo: Não há, pois, entre vós sábios, nem mesmo um, que possa julgar entre seus irmãos?”

        (1 Co 5:12-13) – “Porque que tenho eu em julgar também os que estão de fora? Não julgais vós os que estão dentro? Mas Deus julga os que estão de fora. Tirai, pois, dentre vós a esse iníquo”.

        (1 Co 14:29) – “E falem dois ou três profetas, e os outros julguem” (o que foi falado).

        Quando o Cristão fecha os olhos para o erro, deixando de julgar como nos ensina a Palavra, esta sendo omisso e pecando.
        “Aquele, pois, que sabe fazer o bem e não o faz, comete pecado”. (Tiago 4:17).

        • Então, no seu conhecimento arrogante, pudemos considerar de grande profundidade? Aquilo que é bíblico, não pudemos contestar, cumpre-se! Pelo fato, “Não sabeis vós que havemos de julgar os anjos?” Eu pergunto: vc acha correto uma pessoa dizer com aqueles que obtiveram o chamado de Deus para anunciar o nome de Jesus, e dizer, “O INFERNO SERÁ POUCO PARA ELES” Os Pastores são homens, também pode errar, sei não, mas tem gente se achando. Humildade é para nós os cristãos, “Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo” Filipenses 2:3.

          • Manoel, Manoel, rsrsrs…sim a Bíblia é para ser cumprida, por isso citei as passagens para te lembrar disso.
            DISSE VC: – Eu pergunto: vc acha correto uma pessoa dizer com aqueles que obtiveram o chamado de Deus para anunciar o nome de Jesus, e dizer, “O INFERNO SERÁ POUCO PARA ELES” –
            Conforme citei o item um, julgar se alguém será salvo ou não, não compete a nós, mas o item dois, demonstra claramente que temos que julgar outras coisas, leia de novo as passagens quem sabe vc entenda.
            Agora se alguém diz que o inferno é pouco para alguns, essa pessoa esta expressando o que acha, rsrrs, não tenho nada com isso…
            Quanto aos homens ditos chamados por Deus, é preciso muito cuidado, pois a grande maioria que aí esta não foi chamada por Deus, mas sim por homens que visam atender seus próprios interesses terrenos.
            Ou vc acha que Macedo, RR, Malafaia, Valdemiro, foram chamados por Deus?
            Se foram, já desviaram a tempo, é só observar o que pregam, “é aborto, teologia da prosperidade, fogueira santa” etc… Hoje vi até o jejum do anjo forte, rsrsrs..

            É impossível contemplar o que fazem esses mercenários e não lembrar da passagem de Mateus 7: 22-23, veja;
            “Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas?
            E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade”.

          • Realmente humildade tem ser uma das virtudes do cristão, assim como educação também entre outras, agora uma das coisa que não vemos neste clero institucional e justamente a humildade. São presunçosos e arrogantes avaliando suas obras e julgando e sentenciado aqueles que não concordam com suas edificações rotas com sendo críticos infrutíferos.Querem ter os títulos para sugar e roer ate os ossos das ovelhas, mas não querem a responsabilidade que vem junto deste títulos, são falsos mestres, falsos pastores, falsos apóstolos, falsos profetas. a igreja esta nas trevas e eles ainda se dizem vitoriosos, são mentirosos e corruptos. Arrastam milhares com sua heresias e palavras de persuasão.Quem deu autoridade para este hipócritas alargarem as portas do Reino dos Céus? E só ler por alguns minutos a bíblia com entendimento que qualquer um poderá concluir o quanto este donos das igrejas comerciais estão afastados da verdade.
            As pessoas estão acordando e junto com este despertar vira também uma ira por terem sido enganados. Estamos em tempos de tormenta.

      • Manoel. essa JANETE, é usada pela pomba gira , maria padilha e a sete saia, é por isso que só vemos comentários ruim dela, uma praga dessa tem a língua usada elo diabo, só sabe falar mal do silas malafaia é do edir macedo, ..
        se eles estão fazendo coisas ao contrario da palavra de DEUS, cabe a DEUS julgar, mais essa JANETE se antecipa a DEUS, ela mesma julga e da o veredito, agora digo a vc MANOEL, uma criatura dessa quem vive nesse azedume todo nesse amargo, tem comunhão com DEUS?
        me desculpe posso estar enganado, mais a comunhão é com o diabo, tem esses demônios que ei citei na mente nela.

  18. Mais uma vez vemos pessoas invejosa incompetente sem credibilidade comentando decisões do Pastor Sila, porem suas opiniões não mudará em nada as ações do pastor silas ditado popular diz que o que vem debaixo não nus atinge, Deus Abençoe

  19. clamando disse: 15 de fevereiro de 2015 ás 2:29 pm Seu comentário aguarda moderação. Em breve aparecerá a todos usuários.
    clamando disse: 15 de fevereiro de 2015 ás 2:28 pm Seu comentário aguarda moderação. Em breve aparecerá a todos usuários.
    clamando disse: 15 de fevereiro de 2015 ás 2:26 pm Seu comentário aguarda moderação. Em breve aparecerá a todos usuários.
    clamando disse: 15 de fevereiro de 2015 ás 2:21 pm Seu comentário aguarda moderação. Em breve aparecerá a todos usuários.
    FELIZ CUJA NAÇÃO O SR. É DEUS O RESTO É SÓ BOBAGENS , ELE É CRIADOR E AUTOR DE TODAS AS COISA O MACACO TAMBÉM FOI CRIADO POR ELE, A AMEBA O SER UNICELULAR FOI CRIADO POR ELE , O RESTO É SÓ STARDUST É SÓ MENTIRAS .

    O QUE ESPERAR DE UM PAÍS ONDE NAS TVS EDUCATIVA E OUTROS QUE NÃO SÃO GOVERNAMENTAIS COMO O CANAL FUTURA QUE ENSINA A TEORIA DA EVOLUÇÃO DE DARWIM COMO A VERDADE, QUE ENSINA QUE OS INVENTORES DO AVIÃO SÃO OS IRMÃOS WRIGHT, SE NEM NO PAÍS CHAMADO BRASIL ENSINAM QUE DEUS É O CRIADOR E QUE O INVENTOR DO AVIÃO É SANTOS DUMONT, INSISTEM NO ELO PERDIDO, SERÁ QUE ERA GAY KKK DA LICENÇA, ENQUANTO GAYS E ATEUS LUTAM PARA DESMORALIZAR A PALAVRA A IGREJA E A FAMÍLIA, NÓS NOS ENCOLHEMOS, ESTÁ NA HORA DE DAR UM BASTA, LIGUE OU MANDE IMAIL PARA TEU DEPUTADO EXIGINDO APROVAÇÃO DESTAS E OUTRAS LEIS QUE PROTEGEM A VIDA

  20. Wanderlei Santana

    Basta citar meu nome uma vez, a pesar da terceira idade, ainda escuto muito bem.
    Bom: aborto, fogueira “santa” toalha ungida e suja de suor etc, não merece nenhuma credibilidade, mesmo assim, prefiro não opinar, menos o cara pró aborto, creio que aborto é crime hediondo.
    Falso profeta foi Jesus que disse, “E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos”
    Mateus 24:11.
    No meio cristão dá de tudo, tem até aqueles que fazem um boneco de bronze, pau, pedra, barro e gesso e carregam no andor contrariando a palavra de Deus? “Congregai-vos, e vinde; chegai-vos juntos, os que escapastes das nações; nada sabem os que conduzem em procissão as suas imagens de escultura, feitas de madeira, e rogam a um deus que não pode salvar” Isaías 45:20. Todos, de alguma maneira pecamos contra Deus, a diferença é que o falso profeta peca a propósito. Enquanto vivo há tempo para se arrepender, Deus não nega perdão ao de coração contrito. “E dele temos este mandamento: que quem ama a Deus, ame também a seu irmão” 1 João 4:21. Glórias a Deus em nome de Jesus, fique na paz

    • Manoel,

      Penso que a maioria das igrejas evangélicas, com o tempo, se perderam no caminho, e em parte, credito à isto, a tolerância, “em nome do amor”, aos falsos ensinos; quando na verdade, o evangelho nos conclama a refutá-los: “PREGA A PALAVRA, INSTA, QUER SEJA OPORTUNO, QUER NÃO, CORRIGE, REPREENDE, EXORTA COM TODA LONGANIMIDADE E DOUTRINA. POIS HAVERÁ TEMPO EM QUE NÃO SUPORTARÃO A SÃ DOUTRINA; PELO CONTRÁRIO, CERCAR-SE-ÃO DE MESTRES SEGUNDO SUAS PRÓPRIAS COBIÇAS, COMO QUE SENTINDO COCEIRA NOS OUVIDOS.” (2Tm4:2-3).

      No livro de Apocalipse, o pecado da igreja de Tiatira tinha nome, TOLERÂNCIA, pois toleravam uma falsa profetisa, como também o seu ensino: ” TENHO, PORÉM, CONTRA TI O TOLERARES QUE ESSA MULHER, JEZABEL, QUE A SI MESMA SE DECLARA PROFETISA, NÃO SOMENTE ENSINE, MAS AINDA SEDUZA OS MEUS SERVOS A PRATICAREM A PROSTITUIÇÃO E A COMEREM COISAS SACRIFICADAS AOS ÍDOLOS.” Ap2:20. Observe que as virtudes dessa igreja, como o amor, a fé, o serviço,e a perseverança (vs19), não eram suficientas para livrá-la da condenação caso não se arrependesse; assim como também, todos que compactuavam com o erro: ” EIS QUE A PROSTO DE CAMA, BEM COMO EM GRANDE TRIBULAÇÃO OS QUE COM ELA ADULTERAM, CASO NÃO SE ARREPENDAM DAS OBRAS QUE ELA INCITA.”(vs22).

      O falso profeta Hananias, falava na Casa do Senhor, e iniciava os seus discursos dizendo “ASSIM DIZ O SENHOR…”; mas isso não inibiu Jeremias de desmascará-lo: ” DISSE JEREMIAS, O PROFETA, AO PROFETA HANANIAS: OUVE AGORA, HANANIAS: O SENHOR NÃO TE ENVIOU, MAS TU FIZESTE QUE ESTE POVO CONFIASSE EM MENTIRA.” Je28:15.

      Sendo assim, não estamos demonstrando amor à Deus, quando nos calamos diante dos ensinos desses falsos profetas, os quais nada mais são, do que, representações da operação do erro prometida pelo Senhor: ” ORA, O APARECIMENTO DO INÍQUO É SEGUNDO EFICÁCIA DE SATANÁS, COM TODO PODER, E SINAIS, E PRODÍGIOS DE MENTIRA, E COM TODO ENGANO DE INJUSTIÇA AOS QUE PERECEM, PORQUE NÃO ACOLHERAM O AMOR DA VERDADE PARA SEREM SALVOS. É POR ESTE MOTIVO, POIS, QUE DEUS LHES MANDA A OPERAÇÃO DO ERRO, PARA DAREM CRÉDITO À MENTIRA, A FIM DE SEREM JULGADOS TODOS QUANTOS NÃO DERAM CRÉDITO À VERDADE; ANTES, PELO CONTRÁRIO, DELEITARAM-SE COM A INJUSTIÇA.” 2Ts2:9-12.

      Enfim, julgue a quem interessa o silêncio da igreja.

      A PAZ!

      • Antonio

        Quando leio a bíblia, não é somente para conhecer, anunciar e corrigir os outros, é para mim mesmo, recebo a correção de Deus, pois sei que sou pecador.

        Tenho visto citações bíblica, “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus.” Mateus 7:21, imagino, tenho que cuidar de mim mesmo, mas tem pessoas que acham que esse versículo é só para os outros, sei não, fique em paz

      • É bom que não confundamos tolerância com concordar com as práticas erradas, são coisas diferentes, precisamos ter cuidado com os versículos isolados. O amor de Jesus, sobrepõe a tudo e a todos, Ele mesmo disse, “Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus” Mateus 5:44.
        “E o diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde estão a besta e o falso profeta; e de dia e de noite serão atormentados para todo o sempre” Apocalipse 20:10. Mas quem é o homem, para dizer este ou aquele vai pra o Céu ou inferno? O atributo da onisciência pertence a Deus e este só foi dado a Jesus. ” E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra” Mateus 28:18. Fiquem na paz de Jesus.

        • Manoel,

          Por gentileza, dos exemplos que postei, aponte-me aquele que está fora de contexto, lembrando que a abordagem feita é sobre os falsos ensinos.

          Concordo com tua citação de Mt7:21, pois mostra que algumas pessoas religiosas se surpreenderão naquele dia, mas perceberás nos versículos anteriores que é mais uma advertência que nos é feita, por Jesus Cristo, contra os falsos profetas: Acautelai-vos dos falsos profetas, que se apresentam disfarçados em ovelhas, mas por dentro são lobos roubadores.” (vs15). É sabido que a CAUTELA OBRIGATORIAMENTE PASSA PELA CRÍTICA E JUÍZO, ou a associação que o Senhor faz de falso profeta com ovelha disfarçada e lobo roubadores, não lhe diz nada?

          Enfim, conforme os exemplos já postados, não é pecado denunciar um falso profeta, como fez Jeremias; pecado é silenciar a verdade de Deus para favorecer a mentira dos homens.

          Mas não quero lhe causar a ira, apenas demonstrar por meio da Palavra que não somos chamados para ficar inertes diante do crescimento do falso evangelho. Então, A PAZ DE CRISTO E UMA BOA NOITE.

          • Antônio,você e o Manoel são evangélicos sérios,homens de DEUS.Jamais manipularão as frases isoladas da Bíblia conformes
            interesses pessoas, e muito menos farão interpretações literais.
            Os comentários de vocês são imparciais,excelentes.Comente mais,pois
            está prestando um grande serviço à sociedade por edificar,mostrar a verdade e só não se converte quem não quer ou porque se perdeu no fanatismo.

  21. O malasemalca chupeta de urso., sabe que ali tem bufunfa então quer se aproximar do profeta supremo barbicha de bode do Brás., este mala não e nada bobo quer uma fatia da record nem que pra isso tenha q pixar a barba fedida do supremo do templo de Salomão.,

DEIXE UMA RESPOSTA