Originalidade do papiro do “Evangelho da esposa de Jesus” é colocada em cheque por incoerências e erros de escrita

42

Novas análises colocaram a autenticidade do “Evangelho da Esposa de Jesus” em cheque após dúvidas não respondidas sobre a origem do papiro.

O suposto evangelho, escrito na antiga língua egípcia copta, ganhou as manchetes em 2012 quando a professora Karen King, da Universidade de Harvard, anunciou sua descoberta. O fragmento do papiro contém uma linha que foi traduzida como “Jesus disse-lhes: ‘Minha esposa …’ “, e também se refere a uma “Maria “, possivelmente Maria Madalena.

No começo de abril deste ano, análises do material teriam confirmado que o papiro não havia sido forjado, e portanto, seria um documento original e de valor histórico.

Se confirmado como autêntico, o papiro sugeriria que algumas pessoas acreditavam em tempos antigos de que Jesus e Maria Madalena eram casados. Na época do descobrimento, o papiro foi provisoriamente datado do século IV depois de Cristo, e foi referido como uma cópia de um evangelho escrito no século II em grego.


Segundo o Huffington Post, recentemente foram realizados vários testes científicos, publicados na revista Harvard Theological Review, que sugeriam que o papiro era autêntico. No entanto, um grande número de estudiosos, incluindo o professor Leo Depuyt, da Universidade de Brown.

Um dos principais pontos obscuros sobre o assunto é que a professora Karen King se recusou a revelar a identidade do proprietário do papiro, que o entregou sob condição de anonimato. Recentemente, ela publicou um artigo no Harvard Theological Review, reproduzindo um contrato King assinado pelo proprietário anônimo atual, o que indica que o papiro havia sido comprado em novembro de 1999 de um proprietário anterior, identificado como Hans-Ulrich Laukamp, e que Laukamp o havia adquirido em 1963 em Potsdam, na Alemanha Oriental.

No entanto, a revista Live Science realizou uma busca de informações sobre o suposto antigo proprietário do papiro, e descobriu que Laukamp não coletava antiguidades, e que em 1963, ele vivia na porção ocidental de Berlim, o que impediria ele de ter pulado o muro que dividia as duas Alemanhas para comprar a relíquia.

Outros pontos suspeitos sobre o papiro apontados pelo professor Leo Depuyt são os erros gramaticais do texto escrito em copta. Segundo ele, é difícil acreditar quem um escriba antigo poderia cometer erros tão graves.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

42 COMENTÁRIOS

  1. Evangelho da Esposa de Jesus hahahaha

    Daqui a pouco esse pessoal me aparece com o Evangelho da sogra de Pedro.. imagino o que essa mulher nao tinha pra falar kkkkkkkkkk

          • Dizer que Cristo não modificou a lei.

            Então explique Ele ter sido contra o divórcio.

            Paulo mesmo falou sobre o dom de profecia dizendo que parte é revelado e parte é do conhecimento do profeta, fato que se repete com escreve até mesmo a bíblia, pois Deus não toca fogo na mão de quem amplia a verdade, a distorce, mesmo que tal pessoa esteja no mister de escrever a bíblia.

            Os primeiros discípulos interpretaram errado as palavras de Cristo, daí sugeriram na igreja primitiva que vendessem os bens, ou seja, Paulo também pode ter se equivocado, e eu mostrei a você, todavia ao invés de captar o que disse mastigar e engolir, prefere cuspir.

            Faz parte da ignorância humana, a rudeza e a truculência, os sábios calam e absorvem.

          • Claro que houve modificações, pois com a morte de Jesus na cruz, passamos a viver uma nova aliança, Hb. 7:22 – “De tanto melhor aliança Jesus foi feito fiador”. E uma dessas mudanças foi a extinção do dízimo, que vocês obreiros fraudulentos, não abrem mão. Mas entre as mudanças ocorridas, não constatamos nenhuma que mande orar pelos mortos, como vc pediu que eu fizesse, orando pelo Apóstolo Paulo. Acho que vc não foi informado que ele morreu, já faz um bom tempo. rsrsrsrrs….

          • Ah! Nem os discípulos e tão pouco Paulo, cometeram equívocos, a Bíblia é a inerrante Palavra de Deus. Os aparentes equívocos que alguns afirmam existir, não passam de incapacidade humana, de entendimento do Escrito Sagrado.

          • Wanderley,

            Parabéns, vejo que evoluiu ou mudou de ideia ou então deu o braço a torcer, pois agora estar admitindo que vivemos numa nova aliança.

            Cristo instituiu não dez por cento, sim cem por cento, o doar tudo aos pobres, e como a igreja era responsável pelos órfãos e as viúvas, lembre-se que não havia INSS na época, Ele elogiou uma figura, que deveria estar recebendo da igreja ajuda, dando tudo o que tinha no templo, comprovação feita pelos demais discípulos, prova disso é que com a morte de Cristo, eles ensinaram à igreja primitiva a vender e doar tudo à igreja, mas vejo que você prefere distorcer, então quando chegar sua vez de ser julgado no céu, vou estar com um pendrive contendo suas pérolas enganadoras, as que diz que doações foram extintas com a lei, embora não diga quem mantenha a igreja e as obras missionárias. Acho que você vai ser porteiro de inferno, recebendo o bafo quente toda vez que entrar os que serão mandados pra lá; Tem tempo, peça perdão a Deus.

          • Levi, quando digo que vc delira, é sério viu, pois eu nunca disse que vivíamos na velha aliança, inclusive já postei aqui sobre isso, vocês comedores de dízimos é que insistem no erro, assim como não guardamos mais o sábado, não efetuamos a circuncisão, não fazemos sacrifícios de animais, não vivemos mais o olho por olho, dente, por dente, o que para mim é uma parte bem difícil, pois, se uns e outros que comentam por aqui, dessem o ar da graça na minha cidade, no dia do meu plantão, eu iria dar uns cascudos para ver se forçava uma conversão, e aí, quem sabe parassem de adulterar a Palavra e de defraudar as ovelhas.
            Levi muita coisa mudou sim, mas, não só o que interessa para vocês, o dízimo também foi abolido, só que vocês, assim como a ICAR, que sabe, que as suas imagens são idolatria diante do Senhor, e mesmo assim eles não reconhecem isso, pois, perderiam seus fiéis se falassem a verdade, e, vocês em relação ao dízimo, eles perderiam fiéis e vocês pastores iriam passar fome, por isso, não falam a verdade, preferindo o engano em benefício próprio, do que honestamente viverem o evangelho.
            Quanto ao inferno, fique tranquilo, se eu estiver por lá, de porteiro como vc diz, vou receber vc e seus amigos Clamando, Lulalelé, bb, AMB, e outros, com um tratamento especial, pois devido a minha profissão, tenho certa experiência no trato com a malandragem.

          • Wanderley,

            Parabéns, vejo que evoluiu ou mudou de ideia ou então deu o braço a torcer, pois agora passou a admitir que vivemos numa nova aliança.

            Cristo instituiu não dez por cento, sim cem por cento, o doar tudo aos pobres.

            A igreja era responsável pelos órfãos e as viúvas (lembre-se que não havia INSS na época, esqueci de ri, rs, rs, rs), Ele, Cristo, elogiou uma figura, no caso uma viúva pobre, que deveria estar recebendo da igreja ajuda, todavia estava dando tudo o que possuía como oferta ao templo.

            Essa doação foi objeto de comprovação dos seus discípulos, sendo que, em face dessa ação, eles ensinaram na igreja primitiva aos fieis vender e doar tudo à igreja.

            Mas vejo que você prefere distorcer, então quando chegar sua vez de ser julgado no céu, vou estar com um pendrive contendo suas pérolas enganadoras, as que diz que doações foram extintas com a lei de moisés, embora não diga quem manteria a igreja e as obras missionárias.

            Acho que você vai ser porteiro de inferno, recebendo o bafo quente toda vez que entrar os que serão mandados pra lá; Tem tempo, peça perdão a Deus, arrependa-se;

          • Você progrediu, pois até ontem dizia que Cristo tinha cumprido a lei, mas agora fala do sábado, outra coisa publicamente não cumprida.

            Parabéns, repito. Quanto a dízimo, se você já teve oportunidade de vê minhas discussões com Stardust, viu que nunca falei da obrigatoriedade, pois qualquer coisa que for obrigatória foge á natureza da de Deus.

            Disse que seria após Moisés adquiriu o caráter financeiro de imposto, pois o Estado possuía um regime religioso, sendo seus gestores pessoas da igreja.

            O impasse com Roma adveio de ter que pagar dez por cento ao estado judeu e mais outro percentual ao romano, coisa que ora se repete em face de que nós temos nossos impostos aqui no Brasil, onde se assiste com o dinheiro arrecadado a parte assistencial e tudo mais, exceto as igrejas, daí continuarem a precisar apelar aos fiéis, cabendo lembrar que a Austria paga aos sacerdotes católicos, os mantém.

            Comprou o discurso do Studart ou vocês são a mesma pessoa?

          • Devo guardar a Lei para ser salvo? (TEXTO DE TERCEIRO-MP).
            A Bíblia deixa claro que a salvação não é pela guarda da lei (leia Gálatas). A lei tanto teve o papel de mostrar o pecado devidamente maligno (Rm 7.13) e também de servir de “aio” (ou ama) para que o homem viesse a conhecer a Cristo (Gl 3.24,25). Um irmão descreveu a lei como uma escada de madeira dentro de um poço onde está caído um homem. Essa escada é boa, só que tem os seus degraus muito longe uns dos outros, tornando impossível de ser usada por um homem.

            Em Mateus 5.17 e Romanos 3.31 diz que Cristo veio cumprir a lei, ou seja, Ele se sujeitou debaixo da lei (Gl 4.4), viveu em perfeita obediência à lei (Jo 8.46; Mt 17.5; 1 Pd 2.21‑23); foi um ministro da lei aos judeus, limpando os erros que eles haviam introduzido (Lc 10.25‑37) e confirmando, ao mesmo tempo, as promessas feitas aos patriarcas (Rm 15.8). Por meio de Sua vida santa e de Sua morte ele cumpriu todos os itens da lei (Hb 9.11‑26), e levou sobre Si mesmo a maldição da lei a fim de que todos os que cressem pudessem participar das bênçãos do pacto com Abraão (Gl 3.13,14). Mediante Sua obra, Cristo transportou a todos os que crêem, do lugar de servos da lei para a posição de filhos de Deus (Gl 4.1‑7). Ele serviu por seu sangue, de mediador de uma nova aliança de graça, na qual os crentes estão firmes (Rm 5.2; Hb 8.6‑13). Portanto Ele veio cumprir a lei (o que é impossível ao homem). Portanto, a lei não foi anulada, mas ela serve apenas para mostrar que o homem é pecador (Rm 7.7) e não tem poder para salvá‑lo.

            O trecho de Tiago 2.8‑11 mostra a impossibilidade de se receber a salvação pela guarda da lei, pois aquele que guardar toda a lei, mas tropeçar em um só ponto, tornou‑se culpado de todos. Quando se trata de transgredir em atos, como não matar, não roubar ou não adulterar, é possível que alguém consiga se prender em uma jaula pelo restante de sua vida e não fazer nenhuma destas coisas. Mas quando se trata de não cobiçar, que é algo que se passa em nosso coração, vemos a impossibilidade de se cumprir toda a lei (pois tropeçando‑se neste ponto, os outros ficam todos comprometidos). E quem não cobiça? Cobiçar é algo que se passa a nível de pensamento e é algo instantâneo que muitas vezes só percebemos depois de já havermos cobiçado. E foi exatamente neste ponto que o apóstolo Paulo compreendeu sua impossibilidade de ser justificado pela lei: “eu não conheceria a concupiscência se a lei não dissesse: Não cobiçarás. Mas o pecado, tomando ocasião pelo mandamento, obrou em mim toda a concupiscência: porquanto sem a lei estava morto o pecado” (Rm 7.7,8). E a situação fica mais grave ainda quando vemos que, pelo que o Senhor disse em Mateus 5.21,22,27,28, qualquer mandamento pode ser transgredido só em pensamento.

            Tiago 2.14‑26 é, aos olhos de muitos, uma justificativa para a salvação por obras. Mas não é assim. Se você comparar a passagem com Romanos 4 irá lhe parecer uma contradição. Tiago diz: “Porventura o nosso pai Abraão não foi justificado pelas obras, quando ofereceu sobre o altar o seu filho Isaque?… vedes, então, que o homem é justificado pelas obras, e não somente pela fé”. Paulo, em Romanos, diz: “Se Abraão foi justificado pelas obras, tem de que se gloriar, mas não diante de Deus”. Parece uma contradição, mas a Palavra de Deus não se contradiz. Portanto, o erro não está na Palavra, mas na interpretação errada que os homens fazem. É preciso compreender o contexto de ambos os livros, Romanos e Tiago.

            O primeiro, Romanos, nos fala da justificação DIANTE DE DEUS. Por outro lado, Tiago fala da justificação DIANTE DOS HOMENS. E você verá esta característica em todo o livro. Por exemplo, em Tiago diz: “TU tens a fé, e EU tenho as obras: mostra‑ME a TUA fé sem as TUAS obras, e EU te mostrarei a MINHA fé pelas MINHAS obras” (Tg 2.18). Você consegue perceber que o relacionamento é todo entre homens? Somos justificados (tidos por justos) diante dos homens por nossas obras, pois eles não conhecem nosso coração. Nossas obras são, para os homens, a evidência de nossa fé. Por isso Paulo diz: “Se Abraão foi justificado pelas obras, tem de que se gloriar, mas não diante de Deus” (Rm 4.2). Ou seja, Abraão tinha obras com que se gloriar diante dos homens, podendo ser considerado justo, pelas mesmas obras, diante deles. Mas não diante de Deus. Deus sonda o coração e só Ele sabe se aquelas obras provém da fé. Assim, Romanos fala de nossa justificação (sermos tidos por justos) diante de Deus, e não há obra, por melhor que seja, que possa enganar a Deus se não tivermos fé em nosso coração.

            A falta de compreensão deste aspecto de Tiago, que é a profissão exterior da fé manifesta em obras (que você encontrará em todo o livro), leva muitos a usar Tiago 2.19 como justificativa para dizer que não basta crer. Porém ali não diz que o diabo é crente, mas que os demônios crêem que há um só Deus, e não só crêem como também estremecem. Mas não é o fato de crermos que há um só Deus que nos dá a salvação. Os muçulmanos (maometanos) crêem que há um só Deus e nem por isso estão salvos. Não é por crermos que há um só Deus que somos salvos, mas por crermos em Jesus Cristo; por aceitarmos que Ele é o sacrifício enviado por Deus para a remissão (retirada) de nosso pecado. E que Ele ressuscitou ao terceiro dia, tendo assim o Seu sacrifício sido aceito por Deus (Leia 1 Co 15.1‑4).

            E existe uma diferença entre CRER e ACREDITAR. Apenas para dar um exemplo, uma pessoa pode ACREDITAR que um famoso cirurgião seja capaz de fazer um transplante de coração. Porém, tal pessoa terá que CRER na habilidade daquele cirurgião (e achar‑se doente) para deitar‑se numa mesa de operações e permitir que o médico lhe tire o coração e coloque outro no lugar. O fato de crer não se trata apenas de “saber” ou “acreditar” a respeito de algum assunto, mas receber em sua própria vida a ação daquilo ou daquele em quem se crê. No caso da salvação, cremos ao aceitarmos a Cristo como Salvador, o que demônio algum fez e jamais fará. Aqueles que usam erradamente a passagem em Tiago o fazem com malícia e tendo segunda intenção, ou seja, tentar convencer as pessoas de que não basta apenas crer em Cristo, mas que também seria preciso fazer alguma coisa mais, como se a Obra de Cristo não fosse perfeita.

          • Wanderley,

            Meu caro, por Deus, falou tanto e não disse nada.

            É simples, Cristo veio trazer nova concepção de aplicabilidade da lei.

            Normas ultrapassadas, pesadas, estas o próprio Cristo não as cumpriu, por favor, ora você diz que Ele cumpriu ora diz que não.

            A lei pesada, a que Ele não cumpriu, foi a criada por Moisés num período de exceção, ou seja, de guerra(quarenta anos no deserto e depois a tomada à força das terras de Canaâ).

            O problema, meu caro, é que os judeus depois de instalados e com um estado formado, permaneceram com as leis da época da guerra, captou?

            Quanto ao fato de Cristo dizer que os seus seguidores não cumprir a lei, pois derrogada, tal é em sentido simbólico.

            Explico, por exemplo, de que valem a estrutura policial e carcerária para o Cristão? Nada. É que o cristão anda acima da lei, faz o que a lei recomenda e muito mais.

            Já viu destacamentos militares em reunião de cristãos? Se vir, vão voltar de mãos vazias, pois cumprem as leis, porquanto sem atritos, sem brigas, deixando limpo o ambiente.

            Meu caro, mostre o número de verdadeiros cristãos presos por terem praticado ofensa contra a lei do homem, sim a de Deus, mas coisas que se resolve entre ele e Deus e sua igreja.

            Saibamos distinguir normas que dizem respeito às coisas da terra e as coisas do céu. Um cristão matando o outro? Ora se isso ocorre, não tem Cristo, pois quem tem Cristo, no máximo o que pode é se irar, mas não deixando que a ira não o acompanhe até o amanhecer.

          • Levi, sua limitação intelectual impede que tenhas o entendimento de um texto, com um pouco mais de primor, por isso a troca de ideias com vc, é algo que exige muita paciência, atributo que em relação a vc, tá difícil de exercer.

  2. kkkkkkkkkkk… Essa gente tem um desespero pra arranjar uma namorada pra Jesus ! Inventam até “documento ” pra isso . Eu gosto de imaginar que Jesus Cristo tá se acabando de rir dessa baboseira toda.

  3. SINCERAMENTE , NÃO SEI PORQUE TANTA ADMIRARAÇÃO , PELO FATO , COMO SE ISTO FOSSE COISA , SE OUTRO MUNDO , S PEDRO , MOISES , ENOCK , NOÉ , ENFIM TODOS ERAM CASADOS . SINCERAMENTE , EU NÃO SEI , SE ELE , ERA OU NÃO , PORÉM SE FOSSE , NÃO VEJO NADA DE ANORMAL . ELE NÃO DEIXARIA DE SER O FILHO DE DEUS , POR CAUSA DISTO ……

    • Salvo engando, o primeiro caso de comprovação de falseamento documental no Ocidente foi o da “Doação de Constantino”, no século XVI. O crédito da façanha foi de Lorenzo Valla.

    • E quantos verdadeiros dos comunistas, não é verdade? Matando, acabando com a fé do próximo, com a família, com os valores, tudo mundo virando zumbi.

      Falar em falsidade, logo você, que é ateu/comunista, os que deram a ideia aos comunistas de acabar com a religião, e ainda levaram para eles adágio que a religião é ópio do povo, calma, você, de todos os pecadores, é o maior não, sim o pai.

      • Não adianta reclamar, aprendi a fugir do foco com os internautas daqui, tipos iguais a você. pois em todos as intervenções divagam e muito, trazem à tona o que não é objeto de discussão, a convivência causa disso pra pior, eu não era assim.

  4. O inimigo de Deus não desiste de tentar fazer a cabeça dos fiéis de Jesus, contra Ele, mas jamais conseguirão porque os que acreditam verdadeiramente em Deus amam igualmente ao seu Filho Jesus Cristo nosso Senhor. Vamos calar a boca dessa gente com muita oração e força na nossa fé católica que não tem nenhuma dúvida sobre o evangelho de Jesus que é verdadeiro, a BÍBLIA!

    • Estranho, defende a Bíblia e a fé católica, mas a própria Bíblia não ampara esse tipo de fé, e não estou comentando acerca dos dogmas católicos, não estou entrando nesse mérito, mas sim, a ausência bíblica total no que tange qualquer tipo de institucionalização da igreja, fé, ou o que quer que seja.

  5. Insistem tanto que Cristo não casou, daqui a pouco vão dizer que era gay, depois vão dizer que era pedófilo, depois vão dizer que Ele era o diabo.

    Se Cristo casou e se casou com Madalena a prostituta, é que Ele sabia da qualidade dos seus milagres, pois uma vez liberta, liberta está. Outra coisa, razão mais que teológica haveria Dele casar com a ex-prostituta, pois os homens somente buscam as virgens, as de famílias, as puras, todavia quem se opõem a um suposto casamento com ela, é que não quer lembra que Cristo descendia de uma adúltera com o rei Davi, que a mãe dele era objeto de desconfiança em face de ter voltado grávida do período de quarentena que as noivas enfrentavam antes de se casar, justo para a família saber se os noivos não fornicaram e o noivo saber que a noiva é fiel a ele mesmo.

    • Levi,
      Eu não me conformo com a sua posição aceitando normalmente o casamento de Jesus. Não é o fato, em si, dele ser casado, pois todos os cristãos primitivos casaram. Mas, me refiro ao fato de como Jesus foi gerado! Eu, particularmente, tenho a minha interpretação, o Marcos Oliveira, inteligente que é, percebeu o que eu quis dizer. Mas, vc, Levi, nunca dissertou nada sobre isso.
      Gostaria de saber o seu entendimento a esse respeito. Venha o que vier, estou preparada, rsrs…

      • Mary,

        Cristo foi igualzinho a qualquer ser humano, portanto passível de desejos sexuais, ou seja, os carnais.

        Na hora que se diz que Ele não casou, vem à cabeça a impressão de que foi um homem diferente de nós outros com algo que não precisava demonstrar santidade, bastava casar-se; depois, em tendo sido casado e pai de filhos, completaria a saga de todos terrestres, tendo que conviver com o próximo em tudo, inclusive gerando filhos, aí sim, seria tão igual a nós todos, que saberia entender os erros de todos os que casaram e tiveram filhos, aliás foi pra isso também que Cristo veio, viver e passar na carne á saga do terrestre, tipo, ter que trabalhar para sustentar a si, à mulher e os filhos,; ter desejo por outras mulheres; perguntar se era aquela que casei a mulher realmente da vida, ter vontade de se separar, estar casado e ao mesmo tempo pensando noutra, olhar para a mulher depois do ciclo da lua de mel e ter que permanecer quando já não mais tem tanto desejo carnal ainda., ter vontade da jogar tudo para o alto, ter paciência com os filhos, ter paciência com as escolas dos filhos, ter paciência com os médicos dos filhos.

        Minha cara, se qualquer ser humano olhar para o céu apenas quando a lua em fase de crescimento ou decrescente, pode-se afirmar que não conhece a lua, pois não a viu cheia, completa, e é assim que gostaria de saber o filho de Deus enfrentando a vida como um todo, pois veio pobre, embora fosse rico; feio, embora extremamente belo; sem familiares importantes, quando filho de Deus; do primeiro mundo em tecnologia que existe no céu, para uma época que ainda se andava em jumento e que sequer imprensa existia num país cheio de religiosos fanáticos, mas apesar disso tudo, Ele não viveu uma vida a dois, justo a que Deus no céu, face à convivência com Lúcifer, este o desobedeceu peremptoriamente e com ele trouxe uma terça parte dos anjos, talvez até por estar cheio do céu, por querer tomar o céu, por…

        Outra coisa, saber na pele o sofrimento de um pai ou de uma mãe que morre antes do tempo, que deixa filhos sem previdência financeira, sem assistência mais assídua e completa dos parentes e dos amigos e da sociedade, saber na pele o que é saber um pai se matar em trabalho pelo filho e pela família, um pai se matar para dar o melhor aos que foram gerados deles, sabe esse amor que nos faz estranhos quando assumimos essa condição de pais, de matar e morrer por nossa prole, uma paixão assemelhada a dele para com a gente.

        Atirei feito metralhadora, não parei um instante para rever o texto, em especial por você ter dito, venha o que vier, então ai vai, para vc saber que o nosso Cristo foi um homem em tudo, foi um ser que passou aqui e não pecou, senão é o mesmo que eu ser coroado no céu por aqui não ter praticado coisas más, quando em verdade morri aos quinze, dezesseis anos, ao seja, não passei no alho e no sal, não vivi a vida, não sofri por amores, não sofri com a idade, não sofri por nunca saber o que é perder a força, a beleza, a memória, ficando chateado com tudo e com todos, perdendo a paciência com os puxa encolhe da sociedade, com pessoas cheias de não me toques, santidades, com rubores excessivos, com composturas inexatas e ultrapassadas, com o ressuscitar de moralismos, de discussões que não levam a nada, com ter que levantar pela manhã todos os dias, ter que ir para cama, vida enfadonha, Ela me sacode todos dias de manhã, me dá um bom dia, e como era de esperar ela vem me esperar no portão…, chico buarque fazendo referência da vida a dois, quando pode muito vem representar a própria vida, que repete as guerras, os crimes, as mortes, as maes solteiras, os políticos roubando, tudo repetido como na música, talvez passemos direto para os céus depois dessa terra, vida de terra, terra passageira e que em verdade é uma eternidade, onde os maus estão dando sempre as cartas.

        Cristo precisava ter morrido de morte morrida, depois ressuscitado e morto na cruz, a razão de sua vida, quebrou ciclos, então porque quebrar o do casamento, vez que com vinte já se casava e veio a óbito com 33, postanto talvez com filhos de treze anos? Assim come eu e você e os outros do dia a dia, autoridade plena, podendo eu gritar com mais ênfase, nunca pecou apesar de ter vivido tudo o que nós vivemos, em especial as experiências que exigem paciência, filhos e cônjuge.

        Não e só isso, é que certas igrejas impedem seus líderes de casar, com isso os põe num pedestral de glória, pois dedicados apenas à obra, dizem, na verdade, uma idolatria por querer compará-los, de tão bons, a Cristo, pois assexuados. E com certeza meu Cristo tinha vontades nesse campo, se não, não poderemos classificá-lo de homem, sim um Deus brincando de homem e nos enganando, tinha que viver todas coisas do sexo, pois dele é que se engravida cedo, dele é que se fornica, dele é que gera o pecado do adultério, dele é que se fala em homossexualidade, em casamento golpe de bau, em pedofia, em estupro… uma bomba que o ser humano carrega consigo. Ai Cristo vir destituído disso, ´portanto alheio ás vontades sexuais, era meio homem apenas.

      • Cristo foi igual a qualquer ser humano, portanto sujeito passível também de desejos sexuais, ou seja, um dos carnais.

        Na hora que se diz que Ele não casou, logo vem à cabeça a impressão de que foi um homem diferente de nós outros com algo que não precisava demonstrar santidade, bastava casar-se.

        Depois, em tendo sido casado e sendo pai de filhos, eis que completaria também a saga de todos terrestres mortal.

        Sim, ter conviver c/ o próximo em tudo igual a nós todos, inclusive gerando filhos, aí sim, seria tão igual a nós todos, pois passaria a entender os erros de todos os que casaram e tiveram filhos.

        A bem da verdade, foi pra experimentar e viver as nossas sagas que que Cristo também veio, o viver e passar na carne á saga do terrestre, tipo, ter que trabalhar para sustentar a si, à mulher e os filhos,; ter desejo por outras mulheres; perguntar a si todos os dias se era aquela que casei a mulher realmente da minha vida, o ter vontade de se separar, o estar casado e ao mesmo tempo pensando noutra, o olhar para a mulher depois do ciclo da lua de mel (três primeiros anos de casado) e ter que permanecer quando não mais o desejo carnal aflora, o ter vontade de jogar tudo para o alto, o ter paciência com os filhos, o ter paciência com as escolas dos filhos, o ter paciência com os médicos dos filhos.

        Minha cara, se qualquer ser humano olhar para o céu apenas quando a lua em fase de crescimento ou decrescente, pode-se afirmar que não conhece a lua, pois não a viu enquanto cheia, enquanto completa, e é assim que gostaria de saber o filho de Deus enfrentando a vida como um todo.

        Cristo veio pobre, embora fosse rico; feio, embora extremamente belo; sem familiares importantes, quando o filho de Deus; do primeiro mundo em tecnologia que existe no céu, para uma época que ainda se andava em jumento e que sequer imprensa existia num país cheio de religiosos fanáticos, mas apesar disso tudo, Ele não viveu uma vida a dois(casado), justo a que Deus no céu, face à convivência com Lúcifer, este o desobedeceu peremptoriamente e com ele trouxe uma terça parte dos anjos, talvez até por estar cheio do céu, por querer tomar o céu, por…

        Outra coisa, Cristo saber na pele com o sofrimento de um pai ou de uma mãe que vem a falecer antes do tempo, como seja, deixando ainda filhos sem previdência financeira, sem assistência mais assídua e completa dos parentes e dos amigos e da sociedade, Ele, Cristo, viver na pele o que é a dor de um pai se matar em trabalho diário e ininterrupto pelo filho e pela família, um pai se matar para dar o melhor aos que foram gerados deles,

        Sabe, esse amor que nos faz estranhos quando assumimos essa condição de pais, o de matar e morrer por nossa prole, uma paixão assemelhada a dele para com a humanidade.

        Atirei feito metralhadora, não parei um instante para rever o texto, em especial por você ter dito, “venha o que vier”, então ai vai, para vc saber que o nosso Cristo foi um homem em tudo, foi um ser que passou aqui e não pecou, senão é o mesmo que eu ser coroado no céu por aqui não ter praticado coisas más, quando em verdade morri aos quinze, dezesseis anos, ao seja, não passei no alho e no sal, não vivi a vida, não sofri por amores, não sofri com a idade, não sofri por nunca saber o que é perder as forças, a beleza, a memória, o ficar chateado c/ tudo e com todos, perdendo a paciência com os puxa encolhe da sociedade, com pessoas cheias de não me toques, de santidades, com rubores excessivos, com composturas inexatas e ultrapassadas, com o ressuscitar de moralismos, o de discussões que não levam a nada, com ter que levantar pela manhã todos os dias, ter que ir para cama, vida enfadonha,

        Lembrei da música: “Ela me sacode todos dias de manhã, me dá um bom dia, e como era de esperar ela vem me esperar no portão…,” chico buarque fazendo referência da vida a dois, quando pode muito bem representar a própria vida, a que repete as guerras, os crimes, as mortes, as mães solteiras, os políticos roubando, tudo repetido como na música.

        Talvez, minha cara, passemos direto para os céus depois de sairmos desta terra, de vida de terra, de terra passageira e que em verdade é uma eternidade, onde os maus estão dando sempre as cartas.

        Cristo precisava ter morrido de morte morrida(setenta anos de vida), depois ressuscitado e morto na cruz, pois esta foi a razão de sua vinda, mas quebrou estes ciclos.

        Então porque quebrar o ciclo do casamento? Na época Dele, com vinte de idade já se casava, e como Ele veio a óbito com 33, portanto talvez com filhos de treze anos de idade,

        Assim come eu e você e os outros do dia a dia, todos nós com autoridade plena para gritar com mais ênfase de Ele foi igual a nós outros, mas nunca pecou, tendo em verdade vivido tudo o que nós vivemos, em especial as experiências que exigem paciência com o próximo mais do que qualquer outra, a com o cônjuge e com os filhos.

        Não e só isso, é que certas igrejas impedem seus líderes de casar, com isso os põe num pedestal de glória, pois dedicados apenas à obra, dizem, Na verdade, uma idolatria de pretender compará-los, de tão bons por não praticarem sexo, a Cristo Jesus, uma blasfêmia, pois assexuados.

        E com certeza o meu Cristo tinha vontades nesse campo, pois se não, Ele não poderia ser classificado como homem na íntegra, sim um Deus brincando de homem e nos enganando; Ele deveria passar também pelas coisas do sexo, pois do sexo e decorrente dele é que se engravida cedo, dele é que se fornica, dele é que são gerados os pecados de adultério, dele é que se fala em homossexualidade, em casamento golpe de bau(interesse, portanto mau caráter), em pedofilia, em estupro… ou seja, os hormônios são uma bomba que o ser humano carrega consigo. Ai Cristo vir destituído disso, portanto alheio ás vontades sexuais, era Ele apenas meio homem então, não um homem com todos os seus meandros.

      • Oh Levi, tudo isso que vc falou, aliás, filosofou sobre a vida de Jesus aqui na terra, tb poderia compartilhar, pois acredito piamente que Ele foi 100% homem.
        Mas, para a minha interpretação, eu tive que fazer uma viagem de volta ao passado e fui no evangelho de Lucas, o único que retrata com detalhes o anúncio do nascimento de Jesus e João Batista. E lá eu encontrei aquela jovem, menina, adolescente, de nome Maria, recebendo a visita do anjo Gabriel. Viajei um pouco mais no passado, 6 meses antes desse evento, qd esse mesmo anjo se encontrou com Zacarias e lhe anunciou a vinda de um filho, que viria ser João Batista.

        Vou relembrar a parte final do encontro de Maria com o anjo:
        “Respondeu Maria: “Sou serva do Senhor; que aconteça comigo conforme a tua palavra”. Então o anjo a deixou.” Lucas 1:38

        Agora vou colocar aqui a parte final do diálogo de Zacarias com o anjo:
        “Mas o anjo lhe disse: “Não tenha medo, Zacarias; sua oração foi ouvida. Isabel, sua mulher, lhe dará um filho, e você lhe dará o nome de João.” Lucas 1:13
        “Quando se completou seu período de serviço, ele voltou para casa.
        Depois disso, Isabel, sua mulher, engravidou e durante cinco meses não saiu de casa.” Lucas 1:23-24

        Bem, se vc observar, João nasceu de forma normal, como todos nós nascemos, fruto de uma relação sexual entre seu pai e sua mãe, que apesar de idosos, um milagre foi realizado ali.

        Mas, e Jesus?

        • Mary,

          Não sei se entendi, mas aí vai minha concepção de Cristo.

          Ser celestial, filho de Deus, que abre mão de todos as diferenças e qualidades enquanto aqui na terra esteve, sendo diferente apenas depois que ressuscita.

          100% homem que não possuía poderes algum, portanto para operar os milagres, teve que ser recorrer de Deus, modo e forma que qualquer uma faz, desde que creia.

          Em síntese, Ele é o despir-se de si próprio por 33 anos, abdicação total, tudo para provar que nós poderemos ser iguais a Ele, ou seja, viver sem pecado, embora difícil, mas não impossível. Veio ensinar a gente como se comportar, o limite para tudo sem avançar em nada e nem contra ninguém.
          O modelo da perfeição para os terráqueos, o exemplo a ser seguido, perseguido, buscado.

          • Teve nascimento gerando dores à sua mãe, nada de reflexo, nada de milagres, bem assim foi irmão de mais outros filhos do casal, irmão evidentemente apenas de mãe. Teve pais zelosos que o cuidou de forma exemplar, tendo se exilado por anos para o Egito, e quando retornou a Israel, os pais, por cautela, ficaram longe do poder, no caso a cidade de Jerusalém e as que ladeasse, modo de salvar Cristo.

            Em síntese, família de dores, família de exilados, onde todos da família sofreram para carregar Cristo e depois pô-lo à disposição da humanidade, homem que efetuou o processo redentorial do mundo a partir de sua morte, morte de cruz e distante dos que o amavam, no caso, as multidões, tudo por opção Dele para evitar a politização de sua morte, o que resultaria em milhares de mártires.

  6. Não vejo problema algum em Mashiyah ter sido casado, ter tido uma companheira, e não é tanto que está foi Miriam Magdala (Maria de Madanela), Yeshua de fato teve ela como sua moça, pois ela teria um ótimo desempenho no corpo de mulheres, não é tanto que ela era uma discípula, uma emissária para o corpo de mulheres na época. Pesquisem mais um pouco, e deixem de acreditar no que a igreja falou pra vocês durante todo esse tempo em cultos e missas, quem criou essa história de que jesus era virgem e solteiro foi a igreja, Yeshua era um rabino e como rabino deveria ter uma esposa para ensinar nas sinagogas.

DEIXE UMA RESPOSTA