Destaque

Papa Francisco diz temer Terceira Guerra Mundial e exorta cristãos a espalharem o Evangelho

Comentários (88)
  1. delldellphone disse:

    esse papa capim só fala besteira. ele tem que para de abusar de crianças e tirar essa saia longa. e deixar de ser aberração gay que é melhor.

    1. emanuelle disse:

      Seu louco! Qual a fonte da sua afirmação que ele abusa de crianças. Você deve ser um gay enrustido porque só fala disso.

      1. delldellphone disse:

        emanuelle não é só papa capim que e pedofilo não , são todos os padrecos que na verdade são aberrações gays que abusam de crianças e de mulheres tapadas como você. agora se vc fiar de pernas bem abertas vou te mostrar o tanto que sou gay.

        1. Elder Lima disse:

          delldellphone

          Cuidado, use camisinha! Isso daí deve estar cheia de gonorréia pra distribuir “gratuitamente”

    2. Janete disse:

      ESTE DELLPHONE É UM INVEJOSO ACIMA DE TUDO.

  2. emanuelle disse:

    Muitos não sabem que o Islamismo está sempre exercendo uma influência sobre o protestantismo e os dois tem muitas semelhanças.
    No Islamismo é somente o Alcorão
    No Protestantismo é somente a Biblia
    Aos 40 anos de idade o anjo Gabriel aparece a Muhammad, ordenando que recitasse uma mensagem divina (o livro sagrado) e estas revelações continuaram por 23 anos até a morte de Muhammad no ano 632 d.C.
    No protestantismo as seitas surgem muitas vezes através de “revelações divinas” com doutrinas contraditórias como se Deus fosse contraditório.
    A intolerâcia religiosa é comum no protestantismo e no islamismo. No islamismo movidos por ódio, falso zelo, fanatismo religioso, praticam a iconoclastia, ou seja perseguição aos católicos com destruição de imagens sagradas de igrejas católicas ou não. No protestantantismo também movidos por ódio e falso zelo, muitos pastores incitam os seus fiéis a fazerem o mesmo contra a igreja Católica, como é comum se ver nas redes sociais e páginas policiais.
    Em relação às imagens, é muita hipocrisia essa perseguição contra os católicos e religiões de origem africanas, haja visto que muitas igrejas evangélicas usam imagens. Fica a pergunta: por que então não se vê um protestante quebrar imagens de outras igrejas protestantes? A resposta: intolerância contra a Igreja Católica Apostólica Romana.
    No islamismo, a religião é imposta aos que não são da mesma crença. Uma imposição com mortes e perseguição.
    No protestantismo não há diferença porque os protestantes surrupiaram sob sangue derramado, todos países ricos antes católicos. É sabido que os saqueadores sempre gananciam as coisas de maior valor de suas vítimas, nem que para isso as exterminem. Tal procedimento histórico praticado pelo protestantismo. ( saiba mais sobre cada país no site fim da farsa )
    Há muitos outros países ricos que continuam católicos, como o Canadá, Suíça, Austrália, Itália, França, Irlanda, Bélgica, etc., que muito enganador protestante omite porque não os conseguiu surrupiar.
    Todos os países ditos “protestantes e ricos”, já eram ricos e católicos antes do protestantismo ser fundado no século 16 e confiscá-los. O povo foi obrigado a “engolir” o protestantismo porque os reis e príncipes cobiçavam as terras e bens materiais doados pelos católicos à Igreja. Prova isto o fato de que as primeiras providências eram recolher ao fisco real, tudo o que da Igreja Católica poderia se converter em dinheiro. Daí veio a “riqueza” protestante.

    Os reais países colonizados pelos protestantes continuam pobres, miseráveis ou na semi-barbárie, são eles a África do Sul, Índia, Nigéria, Botswana, Jamaica, Bahamas, Guiana e São Vicente e Granadinas. Por que os protestantes não os enriqueceram?
    Os protestantes eram tão incapazes que sequer se esforçaram para evangelizar o povo destes países, parecem ter surgido apenas para implicar com a Igreja Católica. A grande Índia por exemplo, foi abandonada por eles, e seu pobre povo continua a ser entregue aos diversos deuses pagãos. Isso sempre é omitido pelos protestantes que preferem fazer cultos arruaceiros dentro de ônibus e metrôs dos países católicos.
    Vale a pena fazer um estudo sobre a inquisição protestante e esclarecer sobre a danosa e tenebrosa chegada do protestantismo ao Brasil marcado com carnificina, intolerância, vandalismo e destruição que promoveram para implantar o protestantismo. (vale a pena ver essa verdade documentada, relatos sobre morte de religiosos, de padres, de fíeis, igrejas incendiadas e etc. ver no site o fim da farsa)
    Nos costumes também há semelhanças. Um dos costumes que mais chamam a atenção no Islã é a maneira como as mulheres se vestem, com os seus véus e roupas compridas que cobrem praticamente todo o corpo, pois para o Islã não só no momento da oração, mas também em todos os momentos, a mulher deve cobrir “o corpo todo”, “com exceção do rosto, das mãos e dos pés” [quando estiver orando] e não deve “usar roupas transparentes ou apertadas que marquem o corpo.”Por exemplo, as mulheres que frequentam a igreja evangélica Assembleia de Deus dos últimos dias, também se vestem de forma semelhante pois vestem “os chamados ‘roupões’ (vestidos londos que não delineiam o corpo feminino) “revelados” pelo Espírito Santo de Deus e aprovado pelas santas do Senhor, da mesma forma que no Islã as mulheres escondem seus cabelos, nesta denominação os cabelos das mulheres também ficam escondidos pois “os cabelos devem ser presos em coque, para não serem usados como instrumentos de vaidade ou atrair os homens.”
    Por causa de sua fé os seguidores do Islã não podem ter em suas casas nenhum cachorro, que é um dos animais de estimação mais comum, pois “os anjos não entram na casa daqueles que têm cachorro e estátuas.”, segundo a suas crenças . Encontra-se uma forma radicalizada deste pensamento na doutrina da Assembleia de Deus dos últimos dias, não com o temor dos anjos não entrarem na casa, mas destes animais de estimação serem uma porta de entrada para espíritos malígnos, então não é permitido a criação de nenhum tipo de animal ” seja cachorro, gato, periquito, papagaio, peixes…,qualquer espécie ou tipo de bichinhos de estimação (pelúcia). Isto se dá aos animais serem seres irracionais, incapazes de se defenderem de ataques de espíritos malígnos, trazendo males como enfermidades, dissensão, improsperidades e etc.” nem mesmo é permitido o uso de plantas em vasos “Lembramos que as plantas também possuem vida…por isso não podemos tê-las presas em vasos. Pois também há possiblidade dos espíritos maus se esconderem nas tais, como nos animais.” Conforme o pensamento dessa seita.
    Uma das obrigações de todo o muçulmano é jejuar durante o mês do Ramadan, este deve “abster-se, desde o raiar da aurora até o pôr-do-sol, da ingestão de qualquer espécie de alimentos e/ou bebidas, assim como fumar e manter relações sexuais.”, ou seja o jejum no Islã tem dia e hora marcada para ser realizado, querendo ou não o muçulmano terá que fazer pois se não fizer terá a seguinte punição: libertar “um escravo, ou que faça jejum durante 60 dias seguidos para cada dia não jejuado, ou que dê de comer a 60 pessoas pobres.”
    Ocasionalmente a Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB), convoca as suas igrejas filiadas para a “Semana Nacional de Oração & Jejum”, o qual todos os evangélicos desta seita devem orar e jejuar por um motivo preestabelecido e em muitas igrejas aqueles que se recusam a jejuar, enfrentam a reprovação de seu líder e de sua comunidade.
    A ala mística do Islamismo é representada pelos sufis que seguem todas as regras do Islã, mas que almejam um contato mais íntimo com Deus através de “devoções e práticas meditativas e espirituais”, os sufis ficam rodopiando até entrar em transe e assim ter este contato íntimo. Em muitas igrejas evangélicas é cena comum ver membros “cheios do Espírito Santo” rodopiando de forma semelhante.
    No Islam existe a extrema direita ensinando que o Alcorão não está casado, unido a violência enquanto que a extrema esquerda diz o oposto, que o alcorão esta sim unido ao Jihad ou guerra santa.
    No Protestantismo, encontramos extremas semelhanças entre a direita e a esquerda como no Islam. Enquanto um lado interpreta as Escrituras de uma forma, o outro invariavelmente a entende de modo contrário.
    Cada doutrina ensinada por uma seita protestante é negada por outra. Por exemplo : O inferno existe, o inferno não existe; divorciar, não divorciar
    Batizar crianças , não batizar as crianças; consagração de pastoras, não consagração de pastoras.
    Jesus Cristo é Deus, Jesus Cristo não é Deus
    Observar o sábado, observar o domingo
    Etc., Etc., Etc., Etc., e assim através é doutrina Cristã protestante,exceto no básico, que Deus existe.
    Então qual a raiz do problema? Jesus Cristo ensinou somente Uma Verdade? Ou não?
    No islamismo e no protestantismo há uma disseminação de opiniões pessoais, direitistas, esquerdistas, conservadoras, etc. Nem o Protestantismo muito menos o Islam terem nenhuma autoridade central para se tomar uma decisão definitiva a respeito da verdade de nenhuma de suas doutrinas percebidas.
    Ambos estão ancorados a um livro que pode ser interpretado de tantas formas como há cabeças. Consequentemente, ambos terminam em inacabáveis disputas, contendas, controversias internas, pleitos, frações e cáos sobre o qual cabeça esta a interpretação correta de seus respectivos livros.
    Palavras de Lutero:
    “Este não quer o batismo, aquele nega os sacramentos; há quem admita outro mundo entre este e o juízo final,quem ensina que Cristo não é Deus; uns dizem isto, outros aquilo, em breve serão tantas as seitas e tantas as religiões quantas são as cabeças”
    (Luthers M. In. Weimar, XVIII, 547 ; De Wett III, 6l).
    Para o protestantismo, é a Torre de Babel novamente.
    O Protestantismo e o islamismo são medonhos, melancólicos, sombrios, alarmantes, apavorantes, arrepiadores e arrepiantes, assombradores e assombrosos, atemorizantes, intimidantes, temíveis e terríveis.
    O fim do protestantismo e do islamismo será vergonhoso e terrível, acabarão pior do que as milhares de seitas gnósticas que se diziam as guardiãs da verdade no tempo da igreja primitiva, levando seus seguidores pouco a pouco ao ateísmo e a loucura.

  3. emanuelle disse:

    As semelhanças do islã e protestantismo: o protestantismo só a Biblia, no islamismo não precisa nem dizer o nome do livro que se apegam.
    Aos 40 anos de idade o anjo Gabriel aparece a Muhammad, ordenando que recitasse uma mensagem divina (o livro sagrado) e estas revelações continuaram por 23 anos até a morte de Muhammad no ano 632 d.C.
    No protestantismo as seitas surgem muitas vezes através de “revelações divinas” com doutrinas contraditórias como se Deus fosse contraditório.
    A intolerâcia religiosa é comum no protestantismo e no islamismo. No islamismo movidos por ódio, falso zelo, fanatismo religioso, praticam a iconoclastia, ou seja perseguição aos católicos com destruição de imagens sagradas de igrejas católicas ou não. No protestantantismo também movidos por ódio e falso zelo, muitos pastores incitam os seus fiéis a fazerem o mesmo contra a igreja Católica, como é comum se ver nas redes sociais e páginas policiais.
    Em relação às imagens, é muita hipocrisia essa perseguição contra os católicos e religiões de origem africanas, haja visto que muitas igrejas evangélicas usam imagens. Fica a pergunta: por que então não se vê um protestante quebrar imagens de outras igrejas protestantes? A resposta: intolerância contra a Igreja Católica Apostólica Romana.
    No islamismo, a religião é imposta aos que não são da mesma crença. Uma imposição com mortes e perseguição.
    No protestantismo não há diferença porque os protestantes surrupiaram sob sangue derramado, todos países ricos antes católicos. É sabido que os saqueadores sempre gananciam as coisas de maior valor de suas vítimas, nem que para isso as exterminem. Tal procedimento histórico praticado pelo protestantismo. ( saiba mais sobre cada país no site fim da farsa )
    Há muitos outros países ricos que continuam católicos, como o Canadá, Suíça, Austrália, Itália, França, Irlanda, Bélgica, etc., que muito enganador protestante omite porque não os conseguiu surrupiar.
    Todos os países ditos “protestantes e ricos”, já eram ricos e católicos antes do protestantismo ser fundado no século 16 e confiscá-los. O povo foi obrigado a “engolir” o protestantismo porque os reis e príncipes cobiçavam as terras e bens materiais doados pelos católicos à Igreja. Prova isto o fato de que as primeiras providências eram recolher ao fisco real, tudo o que da Igreja Católica poderia se converter em dinheiro. Daí veio a “riqueza” protestante.

    Os reais países colonizados pelos protestantes continuam pobres, miseráveis ou na semi-barbárie, são eles a África do Sul, Índia, Nigéria, Botswana, Jamaica, Bahamas, Guiana e São Vicente e Granadinas. Por que os protestantes não os enriqueceram?
    Os protestantes eram tão incapazes que sequer se esforçaram para evangelizar o povo destes países, parecem ter surgido apenas para implicar com a Igreja Católica. A grande Índia por exemplo, foi abandonada por eles, e seu pobre povo continua a ser entregue aos diversos deuses pagãos. Isso sempre é omitido pelos protestantes que preferem fazer cultos arruaceiros dentro de ônibus e metrôs dos países católicos.
    Vale a pena fazer um estudo sobre a inquisição protestante e esclarecer sobre a danosa e tenebrosa chegada do protestantismo ao Brasil marcado com carnificina, intolerância, vandalismo e destruição que promoveram para implantar o protestantismo. (vale a pena ver essa verdade documentada, relatos sobre morte de religiosos, de padres, de fíeis, igrejas incendiadas e etc. ver no site o fim da farsa)
    Nos costumes também há semelhanças. Um dos costumes que mais chamam a atenção no Islã é a maneira como as mulheres se vestem, com os seus véus e roupas compridas que cobrem praticamente todo o corpo, pois para o Islã não só no momento da oração, mas também em todos os momentos, a mulher deve cobrir “o corpo todo”, “com exceção do rosto, das mãos e dos pés” [quando estiver orando] e não deve “usar roupas transparentes ou apertadas que marquem o corpo.”Por exemplo, as mulheres que frequentam a igreja evangélica Assembleia de Deus dos últimos dias, também se vestem de forma semelhante pois vestem “os chamados ‘roupões’ (vestidos londos que não delineiam o corpo feminino) “revelados” pelo Espírito Santo de Deus e aprovado pelas santas do Senhor, da mesma forma que no Islã as mulheres escondem seus cabelos, nesta denominação os cabelos das mulheres também ficam escondidos pois “os cabelos devem ser presos em coque, para não serem usados como instrumentos de vaidade ou atrair os homens.”
    Por causa de sua fé os seguidores do Islã não podem ter em suas casas nenhum cachorro, que é um dos animais de estimação mais comum, pois “os anjos não entram na casa daqueles que têm cachorro e estátuas.”, segundo a suas crenças . Encontra-se uma forma radicalizada deste pensamento na doutrina da Assembleia de Deus dos últimos dias, não com o temor dos anjos não entrarem na casa, mas destes animais de estimação serem uma porta de entrada para espíritos malígnos, então não é permitido a criação de nenhum tipo de animal ” seja cachorro, gato, periquito, papagaio, peixes…,qualquer espécie ou tipo de bichinhos de estimação (pelúcia). Isto se dá aos animais serem seres irracionais, incapazes de se defenderem de ataques de espíritos malígnos, trazendo males como enfermidades, dissensão, improsperidades e etc.” nem mesmo é permitido o uso de plantas em vasos “Lembramos que as plantas também possuem vida…por isso não podemos tê-las presas em vasos. Pois também há possiblidade dos espíritos maus se esconderem nas tais, como nos animais.” Conforme o pensamento dessa seita.
    Uma das obrigações de todo o muçulmano é jejuar durante o mês do Ramadan, este deve “abster-se, desde o raiar da aurora até o pôr-do-sol, da ingestão de qualquer espécie de alimentos e/ou bebidas, assim como fumar e manter relações sexuais.”, ou seja o jejum no Islã tem dia e hora marcada para ser realizado, querendo ou não o muçulmano terá que fazer pois se não fizer terá a seguinte punição: libertar “um escravo, ou que faça jejum durante 60 dias seguidos para cada dia não jejuado, ou que dê de comer a 60 pessoas pobres.”
    Ocasionalmente a Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB), convoca as suas igrejas filiadas para a “Semana Nacional de Oração & Jejum”, o qual todos os evangélicos desta seita devem orar e jejuar por um motivo preestabelecido e em muitas igrejas aqueles que se recusam a jejuar, enfrentam a reprovação de seu líder e de sua comunidade.
    A ala mística do Islamismo é representada pelos sufis que seguem todas as regras do Islã, mas que almejam um contato mais íntimo com Deus através de “devoções e práticas meditativas e espirituais”, os sufis ficam rodopiando até entrar em transe e assim ter este contato íntimo. Em muitas igrejas evangélicas é cena comum ver membros “cheios do Espírito Santo” rodopiando de forma semelhante.
    No Islam existe a extrema direita ensinando que o Alcorão não está casado, unido a violência enquanto que a extrema esquerda diz o oposto, que o alcorão esta sim unido ao Jihad ou guerra santa.
    No Protestantismo, encontramos extremas semelhanças entre a direita e a esquerda como no Islam. Enquanto um lado interpreta as Escrituras de uma forma, o outro invariavelmente a entende de modo contrário.
    Cada doutrina ensinada por uma seita protestante é negada por outra. Por exemplo : O inferno existe, o inferno não existe; divorciar, não divorciar
    Batizar crianças , não batizar as crianças; consagração de pastoras, não consagração de pastoras.
    Jesus Cristo é Deus, Jesus Cristo não é Deus
    Observar o sábado, observar o domingo
    Etc., Etc., Etc., Etc., e assim através é doutrina Cristã protestante,exceto no básico, que Deus existe.
    Então qual a raiz do problema? Jesus Cristo ensinou somente Uma Verdade? Ou não?
    No islamismo e no protestantismo há uma disseminação de opiniões pessoais, direitistas, esquerdistas, conservadoras, etc. Nem o Protestantismo muito menos o Islam terem nenhuma autoridade central para se tomar uma decisão definitiva a respeito da verdade de nenhuma de suas doutrinas percebidas.
    Ambos estão ancorados a um livro que pode ser interpretado de tantas formas como há cabeças. Consequentemente, ambos terminam em inacabáveis disputas, contendas, controversias internas, pleitos, frações e cáos sobre o qual cabeça esta a interpretação correta de seus respectivos livros.
    Palavras de Lutero:
    “Este não quer o batismo, aquele nega os sacramentos; há quem admita outro mundo entre este e o juízo final,quem ensina que Cristo não é Deus; uns dizem isto, outros aquilo, em breve serão tantas as seitas e tantas as religiões quantas são as cabeças”
    (Luthers M. In. Weimar, XVIII, 547 ; De Wett III, 6l).
    Para o protestantismo, é a Torre de Babel novamente.
    O Protestantismo e o islamismo são medonhos, melancólicos, sombrios, alarmantes, apavorantes, arrepiadores e arrepiantes, assombradores e assombrosos, atemorizantes, intimidantes, temíveis e terríveis.
    O fim do protestantismo e do islamismo será vergonhoso e terrível, acabarão pior do que as milhares de seitas gnósticas que se diziam as guardiãs da verdade no tempo da igreja primitiva, levando seus seguidores pouco a pouco ao ateísmo e a loucura.

  4. clamando disse:

    o papa crianças da ditadura Argentina, deveria se preocupar com a ala gay e com os escandalos dos pedófilos em seus depósitos de crianças.

  5. clamando disse:

    ele até sabe que o grande evento que está para acontecer é a volta de Jesus , mas isto ele não vai falar é nunca.
    pois quando começarem a perguntar o que é preciso para herdar o reino dos céus ele ficara sem resposta

  6. Esse tal `sergio aí em cima é um fariseu fanático que só fala asneiras e palavras sem nexo.
    Zero para o seu texto de suposições e mentiras,fruto do seu fundamentalismo.O Papa sempre
    foi e sempre será o Sumo sacerdote,que a sua seita herétioca e rebelde de satanás queira ou
    não.Seu louco.

    1. renato disse:

      Hebreus 4:15 – pois não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas, mas sim alguém que, como nós, passou por todo tipo de tentação, porém, sem pecado.

      10:12 -Mas Cristo, havendo oferecido para sempre um único sacrifício pelos pecados, está assentado à destra de Deus.

      Meu não! O meu sumo sacerdote é Cristo Jesus…
      o meu povo perece por falta de conhecimento !
      fundamentalista não ,mas como os isis , i l chama os suas vitimas (cristãos)
      voçe está mais para um s,,,,a…da idade média!!!

    2. levi varela disse:

      Janio.

      Eu conheço outro sumo sacerdote, o da igreja judaica.

      Então quem é mesmo o sumo dos sumos, o sumão?

      1. É o dono da sua seita herética,Levi,que se desviou,trilhando pela falsa doutrina doa t
        falso profeta balaão.A doutrina da torpe ganância.

        1. levi varela disse:

          Lopes,

          Quem se desviou da santa doutrina foi tua igreja.

          Onde há na bíblia recomendação de batizar crianças? Missas pra morto sair do inferno e ir pro céu? Purgatório? Ceia sem vinho, somente com o pão? Cristo repetindo oração? Cristo com imagem no pescoço, a tiracolo ou nas mãos?

          1. nosferatu disse:

            poxa Levy, vc pode procurar a recomendação para batizar crianças nas seitas luteranas, afinal, vcs vivem dizendo que Lutero foi “levantado pordeux” pra mostrar a verdade do evangelho. kk

  7. Parabéns ao Papa por ter a coragem de denunciar às mais altas autoridades do mundo que
    os inimigos de JESUS CRISTO estão matando os cristãos pelo simples fato de aceitarem
    JESUS.

    1. As altas autoridades do mundo sabem de tudo que está acontecendo. Os terroristas estão matando crentes em Jesus,, porque odeiam a verdade.Os adeptos de religiòes estão livres disso, eles não se pertubam com mentira.

  8. servo disse:

    O apelo e bom, e a pergunta e a seguinte? 1 Como e que um povo em sua grande maioria que, nao conhece a biblia ira evangelizar? 2 O papa falou a Nicodemos, Joao3 sobre o novo nascimento ,porem nunca ensinou aos seus fieis,o que e nascer de novo.Eles nao sabem como explicar a condicao da humanidade;separadas de Deus pelo pecado,o porque da necessidade de Jesus se encarnar, para oferecer-se a si mesmo em nosso lugar,substitutivamente,pelos nossos pecados,com a oferta de um sangue puro,sem pecado,que aplaca a ira de Deus,satisfaz sua justica e nos perdoa de nossos pecados.E preciso apregoar a necessidade de arrependimento de pecados pois,Jesus,Pedro,Paulo,os apostolos e discipulos nunca evangelizaram, sem falarem em arrependimento a todas as pessoas e mostrar a elas a necessidade de invocar do Senhor como Salvador de suas vidas,recebendo assim o Espirito Santo,o Espirito da adocao,da promessa,o selo para ser habitacao em nosso interior,levando-nos a serem verdadeiros filhos espirituais,ou seja novas criaturas.Evangelismo sem conhecimento,sem arrependimento e sem mudanca de vida e so Religiao nunca Cristianismo.Se algum catolico que aqui posta tem este conhecimento, relate dentro do possivel as pessoas,que ainda nao o tem,pois assim vc verdadeiramente estara conscientizando a elas, de que convertidos nao sao so admiradores de Jesus,mas sim identicados com ele na cruz,porque todos nos fomos chamados nao somente para crer, mas para padecer com ele.Marcos 16/16 por Jesus;Quem crer e for batizado sera salvo.

    1. luciano disse:

      Por que os católicos não leem a Bíblia ?

      Hoje vou falar de um tema que gosto de refletir: porque os católicos não leem a Bíblia? Falo dos católicos, porque sou católica e vivo nessa igreja. Não posso negar, os evangélicos ganham de 1000 a zero nesse quesito. Fico impressionada com o conhecimento que eles possuem, com o estudo biblico e a formação diária que eles adquirem. Há 2 anos estava sentada com um evangélico (um colega) em uma mesa e ele me disse: ” Adoro falar sobre a biblia com católicos, porque eles não conhecem. Eles não sabem discutir e debater por falta de conhecimento.” Na hora aquilo não soou muito bem e fiquei enfurecida, mas com 15 minutos de conversa vi que ele estava falando a mais pura verdade. Ele falava com tanta propriedade sobre as passagens da bíblia que ficava envergonhada e pensava: Meu Deus, eu não conheço a Bíblia. Eu não conheço esse livro que Cristo “deixou” para mim. Naquele dia refleti tanto, que pensei: fui catequizada, fiz primeira comunhão, crisma, participei de vários encontros jovens, tinha a bíblia, (sempre ficava fechada dentro da minha gaveta – quase nunca era aberta) e não sabia 1% que aquele evangélico sabia. Senti vergonha? Muita. Fiquei constrangida? Totalmente. Daí me perguntei: que tipo de católica eu sou, meu Deus?! É importante ter a humildade de se enxergar. E naquele momento eu estava me enxergando: as minhas falhas, a minha vida e o tipo de relação que tinha com Deus.

      É incrível. Estamos acostumados a ir apenas à missa nos domingos (o mínimo do mínimo de um cristão), escutamos as leituras, o evangelho daquele dia, a homília do padre e achamos que isso é o SUFICIENTE.  Que hipocrisia!!! Depois voltamos para casa mergulhar na rotina mundana. Que tristeza! Que mediocridade! Agora eu pergunto: Como podemos dizer que professamos uma fé sem conhecê-la? Como é possível amar aquilo não conhece? Como distinguir o bem e o mal se não conhecemos a Verdade? 

      Passei uma época da minha vida questionando muita coisa. Várias coisas devem ser mudadas e para serem mudadas, antes de tudo, devemos terconsciência do problema. E fazer a seguinte pergunta: não lemos a bíblia por qual motivo? Foi falha da Igreja?  Na minha opinião: sim. Os erros de décadas e décadas podem ser consertados; a didática e a metodologia podem ser mudadas. É isso que devemos acordar: mudar a metodologia. Já está mais que na hora despertar em nossas crianças o desejo da leitura bíblica. Catequizar desde pequeno com uma outra didática, um outro enfoque. Estimular desde cedo. Despertar desde cedo. É isso que está faltando em nossa religião: estamos fracos na fé, estamos fracos no conhecimento e consequentemente estamos distante de nosso Pai. Manusear a bíblia é fundamental – estudar e refletir as passagens bíblicas, conhecer a fundo o que Cristo ensinou, conhecer a sua história.  Tornar a leitura um hábito diário. Da mesma forma que comemos, dormimos e descansamos. Mudar essa cultura que está tão enraizada. E por estar enraizada estamos cegos e não vemos o problema. Se vemos, não sabemos como agir diante desse cenário.

      Bom, depois daquela impacto forte que tive (conversa com o evangélico) tudo mudou na minha vida. A Bíblia saiu da minha gaveta, as folhas deixaram de ficar endurecidas e a cada dia aprofundo nos ensinamentos de Cristo. Se não posso mudar essa cultura hoje em um todo, mudarei a minha forma de agir, de evangelizar. E se possível, despertarei todos os católicos que estão cegos e imaturos na fé, perdendo a oportunidade aqui na Terra de ter em mãos o livro que vai mudar a sua história de vida aqui e na eternidade. 

      Hoje entendo perfeitamente a importância daquele gesto, quando via aquelas placas nas àrvores, nos postes da cidade escrito: Leia a Bíblia. E hoje falo para todos vocês: Não percam tempo, LEIAM A BÍBLIA!!!!

      1. ManoelM disse:

        Pura verdade.

      2. emanuelle disse:

        Testemunho barato e sensacionalista. Você finge ser católico para denegrir a imagem da Igreja Católica. Você não passa de um miserável protestante que não tem a dignidade de agir com honestidade.

        1. servo disse:

          Isto e mentira Emanuelle?E so perguntar nas ruas e vc sabera.

        2. levi varela disse:

          Emanuelle,

          Vc tem razão, essa pessoa não é católica, sim uma fingida.

          Católico que é católico não lê mesmo a bíblia, mesmo que evangélico chame a atenção deles.

          Se realmente os católicos ao ser advertido da necessidade de lê, assim o fizesse, com certeza não mais existiria católicos, convertendo-se todos ao protestantismo.

          A igreja não quer que ele leiam pra não se converterem ao evangelho, pois os que buscam a leitura, mudam, mas mudam mesmo.

          1. Lopes disse:

            O leviano ta enlouqueCendo , bandear para a gangue dos lunáticos peconhentos evanjegues., morra herege jamais a santa una igreja de Cristo acabara., e mais fácil sua seita podre acabar do que a santa igreja católica e apostolica., cale se herege , olha em sua volta veja a indecência que é suas seitas de esquina estão caminhando paro o fim só vc não exerga isto., muitas igrejas protestantes sérias abomina suas seitinhas mundanas não querem nem ouvi falar, e vc sabe muito bem disto., fãnfarrao mentiroso

        3. Celia Mulata disse:

          Ai.. Levi Varela, a encarnação de Lutero, o eterno desafeto da Emanuelle. Acho que vai sair casamento disso ♡♡♡♡♡♡♡

        4. Lopes disse:

          Este cara é um evanjegue safado, nada mais um peste mentiroso

          1. levi varela disse:

            Lopes,

            Mantenha o equilíbrio, meu caro.

            Tudo o que falo, não falo de mim, sim do que a história conta.

      3. servo disse:

        Luciano continue assim,pois teras cada vez mais entendimento,condicoes para obedecer a palavra e consequentemente transformacao e salvacao para sua vida e de outros.Realmente,de minha mae recebi estimulo para ir a igreja e ter religiao porem ela nunca me estimulou a conhecer a biblia e consequentemente Deus,acredito por nao ter conhecimento da mesma.Sabe Luciano,Deus nao ficara perguntando as pessoas se elas sao desta ou daquela igreja pois isto nao demonstra que somos cristaos.E o conhecimento e a pratica da biblia que fara de qualquer homem,um novo homem ,uma nova criatura.Portanto sua imparcialidade tem meritos biblicos pois demonstras que a palavra em sua vida e mais importante do que a pura religiosidade.

  9. servo disse:

    Ratifico.Quem falou a Nicodemos foi Jesus.O papa citou a passagem de joao 3.

  10. Lopes disse:

    Avante santo padre o senhor é contigo., paz e bem

    1. Ta Serto disse:

      para o alto, e avante!!!!

      Mas mariquinha vai na frente e o são longuinho pulando atrás….

      1. Ta Serto disse:

        (e o filho do Lopes no meio….)

        1. Elder Lima disse:

          kkkkkk!!! Falou em “longuinho” o Lopes se interessa! kkkk

          1. Lopes disse:

            Tipinhos como vcs só se acha dentro das seitinhas hereticas de lutero., graças a Deus , vcs não cruzam o batente da santa igreja, tem que ficar comendo a carnica dos hereges., para trás satanas protestante., deixa o. Povo santo de Deus em paz.,

          2. Ta Serto disse:

            “vcs não cruzam o batente da santa igreja”

            não mesmo… quem cruza lá são os padres com os coroinhas….

            o jeito é ficar na “carnica” mesmo…

  11. R.P.S. disse:

    “Uma das maiores industrias bélicas do mundo está sob domínio do vaticano….E vem falar de paz o líder da icar medieval,”

  12. Discurso vazio de espirito, como a maioria que faz..Isso cque disse, qualquer observador atento aos acontecimentos sabe.Muito repetitivo, no quesito coragem, sem falar de qual evangelho está falando . Já que o catolicismo jamais pregou o evangelho. O que seria uma contradição. Pregar aquilo que não pratica.

  13. Luiz Carlos disse:

    O papa papa crianças, igual eu papo a papa (de milho verde).

  14. Studebaker disse:

    Se Houver uma grande e terceira guerra mundial sera por agua agua potavel agua de beber agua agua e mais agua, porque daqui pra frente grande sede por agua havera no mundo milhares de milhares irá sim bater as botas por falta de agua, afora que a Vinda do Senhor da Gloria esta batendo as portas e roçando as ventas dos seres humanos, este papa deveria estar a se preocupar com a verdadeira conversão de seus fieis ou dos menbros de sua idolatra e mariolatrica igreja, isto e com o que ele deveria estar a mil por segundo a convencer os menbros de sua igreja a seguir fielmente o que esta escrito na Santa e Gloriosa Palavra de DEUSSSSSSS, e deixa as coisas do mundo pois nelas estão se cumprindo as Santas Profecias, que das quais não existe poder no mundo para frena´las pois com certeza absoluta passara tudo isso e Céus e terra mas elas e a Santa Palavra jamais jamais jamais por todo o sempre passaráaaaaaaaaaaaaaaaaaaa, há e tenho dito

  15. R.P.S. disse:

    “O acesso da Igreja Católica Romana ao poder assinalou o início da escura Idade Média(Idade das trevas: inquisições, perseguições,torturas, crueldades, torturas, genocídios, e etcss). Aumentando o seu poderio, mais se adensavam as trevas. de Cristo(único salvador), o verdadeiro fundamento, transferiu-se a fé para o papa de roma(uma de blasfêmia). Em vez de confiar no Filho de Deus para o perdão dos pecados e para salvação eterna.”

    1. Celia Mulata disse:

      Em 1252, o Papa Inocêncio IV publicou um documento intitulado Ad Exstirpanda – ele dava uma chance aos hereges: assumir o erro através de tortura. Os Papas seguintes renovaram o documento, o que manchou a história com séculos de mortes injustas (e ainda falam da tal Infabilidade Papal).

      Milhões de inocentes sofreram mortes terríveis e inimagináveis. Muito pior do que qualquer filme foi capaz de reproduzir.

      A Tortura d’Água

      A vítima ficava imobilizada com a barriga para cima. Com um funil, o algoz derramava litros e litros d’água q, sem defesa, a vítima engolia. Se não morresse sufocada, o torturador e seus ajudantes pulavam sobre ela, fazendo com q a água saíssem abruptamente. O ritual era repetido até que os vasos sanguíneos estourassem com a saída da água.

      O Burro Espanhol

      A vítima era posta nua sobre um cavalete de madeira em forma de ‘V’. A parte mais aguda ficava entre as pernas. Pesos eram presos em seus pés e ela ia, aos poucos, sendo cortada ao meio.

      A Serra

      Uma variação do Burro. Nesta, o acusado era suspenso pelas pernas e os carnífices o serrava verticalmente. Essa tática era ainda mais agonizante pois, com o sangue acumulado na parte superior do corpo, a vítima só morria quando a serra alcançava o peito, o que podia levar horas.

      A Mesa de Esviceração

      Prendendo a vítima numa mesa, abriam seu ventre e prendiam um gancho nas suas entranhas. Depois, uma manivela era rodada lentamente, puxando o gancho e as entranhas para fora do corpo.

      A Roda do Despedaçamento

      Era um dos mais temidos. Neste método, o réu era preso a uma roda que ficava sobre chamas. Então era rodado, tendo seu corpo lentamente cozido. O fogo podia ser trocado por lanças, que despedaçavam o condenado.

      O Berço de Judas

      Uma evolução (se é que podemos chamar de evolução) do empalamento. A vitima ficava nua, suspensa por cordas sobre uma espécie de cone pontiagudo. As cordas iam se afrouxando lentamente (muito lentamente) num processo agonizante onde o acusado era aberto ao meio. A tortura costumava levar dias. E, se é que pode piorar, o Berço nunca era lavado, o que gerava infecções terríveis.

      Fonte: http://www.muitointeressante.com.br/pq/quais-foram-as-piores-torturas-da-santa-inquisicao

    2. Celia Mulata disse:

      Em 1252, o Papa Inocêncio IV publicou um documento intitulado Ad Exstirpanda – ele dava uma chance aos hereges: assumir o erro através de tortura. Os Papas seguintes renovaram o documento, o que manchou a história com séculos de mortes injustas (e ainda falam da tal Infabilidade Papal).

      Milhões de inocentes sofreram mortes terríveis e inimagináveis. Muito pior do que qualquer filme foi capaz de reproduzir.

      A Tortura d’Água

      A vítima ficava imobilizada com a barriga para cima. Com um funil, o algoz derramava litros e litros d’água q, sem defesa, a vítima engolia. Se não morresse sufocada, o torturador e seus ajudantes pulavam sobre ela, fazendo com q a água saíssem abruptamente. O ritual era repetido até que os vasos sanguíneos estourassem com a saída da água.

      O Burro Espanhol

      A vítima era posta nua sobre um cavalete de madeira em forma de ‘V’. A parte mais aguda ficava entre as pernas. Pesos eram presos em seus pés e ela ia, aos poucos, sendo cortada ao meio.

      A Serra

      Uma variação do Burro. Nesta, o acusado era suspenso pelas pernas e os carnífices o serrava verticalmente. Essa tática era ainda mais agonizante pois, com o sangue acumulado na parte superior do corpo, a vítima só morria quando a serra alcançava o peito, o que podia levar horas.

      A Mesa de Esviceração

      Prendendo a vítima numa mesa, abriam seu ventre e prendiam um gancho nas suas entranhas. Depois, uma manivela era rodada lentamente, puxando o gancho e as entranhas para fora do corpo.

      A Roda do Despedaçamento

      Era um dos mais temidos. Neste método, o réu era preso a uma roda que ficava sobre chamas. Então era rodado, tendo seu corpo lentamente cozido. O fogo podia ser trocado por lanças, que despedaçavam o condenado.

      O Berço de Judas

      Uma evolução (se é que podemos chamar de evolução) do empalamento. A vitima ficava nua, suspensa por cordas sobre uma espécie de cone pontiagudo. As cordas iam se afrouxando lentamente (muito lentamente) num processo agonizante onde o acusado era aberto ao meio. A tortura costumava levar dias. E, se é que pode piorar, o Berço nunca era lavado, o que gerava infecções terríveis.

      Fonte:/www . muitointeressante . com . br/

      1. emanuelle disse:

        Sugiro você ler sobre inquisição protestante, você vai ter nojo de ser protestante. Site cai a farsa

        1. levi varela disse:

          Não houve inquisição protestante.

          O que ocorreu foi uma contraofensiva dos católicos, católicos enganados séculos a fio pela igreja deles.

          Foi cacetada mesmo dos católicos, muita raiva e muito rancor da igreja que estava matando católicos, judeus, todo mundo.

          Quem com o ferro fere com ele será ferido.

          Depois de algum tempo, alguns desses católicos se tornaram evangélicos, passando a ser homens de bem.

          Se não fosse eles, sequer você estava viva, muito menos falando.

          Irmãos contra irmãos, ou seja, católicos contra católicos.

          1. Lopes disse:

            Leviano querendo encobrir as aberrações dos covardes safados protestantes.,m é um bosta este chacal., sem vergonha

      2. emanuelle disse:

        O artigo que segue, revela em rica bibliografia, os números de mortos, e requintes de crueldade dos incomparáveis tribunais eclesiásticos protestantes. E deixará claro que as levianas acusações protestantes contra a Igreja Católica sorrateiramente mudaram o significado da palavra “inquisição”, que quer dizer apenas: “sindicância”, “investigação”, em sinônimo de “matança de pessoas”. Ainda hoje, esse erro circula no meio protestante. Tal quimera caiu por terra, quando o renomado historiador Agostino Borromeo, após demorado estudo sobre a inquisição, concluiu que não chegaram a cem, o número de mortes, cometidas por católicos que em desobediência ao Papa, empregaram pena de morte contra os inquiridos.
        Antes, abramos um parêntese, para de fato mostrarmos conforme os historiadores, que muita calúnia se lançou contra a Igreja Católica, no que concerne a falsa acusação de matança de “centenas”, “milhares” e até “milhões” de pessoas. Pura lenda, que na verdade não passava de mentira estratégica protestante, fomentada por anticatólicos como: Russel Hope Robbins, o apostata Doelling, Jules Baissac, Jean Français e Reinach.
        O próprio Rui Barbosa quando principiante inexperiente, traduziu “O Papa e o Concílio” uma obra de um deles, Doelling, e se arrependeu mais tarde, proibindo no prefácio a publicação da mesma, pelas calúnias apaixonadas. Dizia mais tarde Rui Barbosa, quando maduro e experiente:“Estudei todas as religiões do mundo e cheguei à seguinte conclusão: religião ou a Católica ou nenhuma.” (Livro Oriente, Carlos Mariano de M. Santos (1998-2004) artigo 5º).
        Publicou a Agência europeia de notícias Zenit: [CIDADE DO VATICANO, quarta-feira, 16 de junho de 2004 (ZENIT.org).- [Atualmente, os pesquisadores têm os elementos necessários para fazer uma história da Inquisição sem cair em preconceitos negativos ou na apologética propagandista, afirma o coordenador do livro «Atas do Simpósio Internacional “A Inquisição”».
        No volume, Agostino Borromeo, historiador, recolhe as palestras do congresso que reuniu ao final de outubro de 1998, no Vaticano, historiadores universalmente reconhecidos especializados nesses tribunais eclesiásticos.
        «Hoje em dia –afirmou essa terça-feira, em uma coletiva de imprensa de apresentação do livro, o professor da Universidade «La Sapienza» de Roma– os historiadores já não utilizam o tema da Inquisição como instrumento para defender ou atacar a Igreja».
        Diferentemente do que antes sucedia, acrescentou o presidente do Instituto Italiano de Estudos Ibéricos, «o debate se encaminhou para o ambiente histórico, com estatísticas sérias».
        O especialista constatou que, à «lenda negra» criada contra a Inquisição em países protestantes, opôs uma apologética católica propagandista que, em nenhum dos casos, ajudava a conseguir uma visão objetiva.
        Isto se deve, entre outras coisas –indicou–, ao «grande passo adiante» dado pela abertura dos arquivos secretos da Congregação para a Doutrina da Fé (antigo Santo Ofício), ordenada por João Paulo II em 1998, onde se encontra uma base documental amplíssima.
        Borromeu ilustrou alguns dos dados possibilitados pelas «Atas do Simpósio Internacional “A Inquisição”».
        Revela o historiador sobre os processos e condenação referentes ao tribunal católico: “dos 125.000 processos de sua história, a Inquisição espanhola condenou à morte 59 «bruxas». Na Itália, acrescentou, foram 36 e em Portugal 4. Se somarmos estes dados –comentou o historiador– não se chega nem sequer a cem casos…”
        A Inquisição na Espanha, afirmou o historiador, em referência ao tribunal mais conhecido, celebrou entre 1540 e 1700, 44.674 julgamentos. Os acusados condenados à morte foram 1,8% e, destes, 1,7% foi condenado em «contumácia», ou seja, pessoas de paradeiro desconhecido ou que em seu lugar se queimavam ou enforcavam bonecos].(1) Até aqui a notícia de ZENIT.org.
        Outro historiador, o protestante, Henry Charles Léa, cita 47 bulas, nas quais a Santa Sé continuamente insiste na jurisprudência que deve se observar nos tribunais eclesiásticos católicos. Alertam para não cair na violência e injustiças frequentes dos juízes leigos. Basta folhear a monumental obra do próprio Léa, para convencer-se que na realidade as bruxas foram perseguidas e condenadas mais pelos detentores do poder civil e pelos protestantes do que pelo tribunal católico. (2)
        Também o historiador Daniel Roups, é categórico nos seus registros: ”Foram numerosos os cânones dos concílios que, excomungando os hereges e proibindo os cristãos de lhes darem asilo, não admitiam que se utilizassem contra eles a pena de morte. Deviam bastar as penas espirituais ou, quando muito, as penas temporais moderadas”. (3)
        João Paulo II enviou uma mensagem com motivo da apresentação das «Atas» do Simpósio Internacional sobre a Inquisição, na qual sublinha a necessidade de que a Igreja peça perdão pelos pecados cometidos por seus filhos através da história. Ao mesmo tempo, declarava, «antes de pedir perdão é necessário conhecer exatamente os fatos e reconhecer as carências ante as exigências cristãs».(Zenit).
        Pelos filhos da Igreja Católica, que em desobediência cometeram alguns crimes, o Papa João Paulo II pediu perdão. Mas, quando o protestantismo cessará de deturpar, omitir e caluniar, reconhecendo finalmente os extermínios que cometeu e atribui maldosamente aos católicos?
        A VERDADE DOCUMENTADA.
        A quantidade de registros literários dos próprios protestantes é vasta, porém, estranhamente ocultada pelos livros escolares, pela imprensa e mídia em geral. Muitas vezes vemos o que é omitido pelo lado protestante sendo, por esses veículos, atribuídos maldosamente à Igreja Católica.
        O próprio Lutero nos legou o relato dessa prática, anos antes de lançar-se em revolta aberta, dizia: “(…) os hereges não são bem acolhidos se não pintam a Igreja como má, falsa e mentirosa. Só eles querem passar por bons: a Igreja há de figurar como ruim em tudo.” (Franca, Leonel, S.J. A Igreja, a reforma e a civilização, Ed. Agir, 1952, 6ª ed. Pág. 200).
        Uma vez no protestantismo, já ensinava Lutero aos protestantes: “Que mal pode causar se um homem diz uma boa e grossa mentira por uma causa meritória e para o bem da igreja (luterana).” (Grisar, Hartmann, S.J., Martin Luther, His life & work, The Newman Press, 1960- pág 522).
        Logo a mentira, a omissão e o falso testemunho se tornaram as colunas das doutrinas dos pseudo “reformadores” protestantes.
        A crueldade foi especialmente severa na Alemanha protestante. As posições de Lutero, contra os anabatistas, causaram a morte de pelo menos 30.000 camponeses (4). Foram as palavras de Lutero: “Eu, Martinho Lutero, exterminei os camponeses revoltados, ordenei-lhes os suplícios, que o seu sangue recaia sobre mim, mas o faço subir até Deus, pois foi ele quem me mandou falar e agir como agi e falei”. Centenas de rebeldes, segundo Goethe, foram torturados, empalados, esquartejados e queimados vivos. A Alemanha, disse o autor de Hermann e Dorothéia, “parecia um açougue onde a carne humana tinha preço vil”.
        Calvino, pai dos presbiterianos, mandou queimar o espanhol Miguel Servet Grizar, médico descobridor da circulação sanguínea. Acusado de heresia, Servet foi preso e julgado em Lyon, na França. Conseguiu evadir-se da prisão e quando se dirigia para a Itália, através da Suíça, foi novamente preso em Genebra, julgado e condenado a morrer na fogueira, por decisão de um tribunal eclesiástico sob direção do próprio Calvino. A sentença foi cumprida em Champel, nas proximidades de Genebra, no dia 27 de outubro de 1553. Puseram-lhe na cabeça uma coroa de juncos impregnada de enxofre e foi queimado vivo em fogo lento com requintes de sadismo e crueldade. (5)
        O luterano Benedict Carpzov, legista brilhante e figura esclarecida, até hoje ocupa lugar destacado na história do Direito Penal. Mas perdia a compostura contra a bruxaria, que considerava merecedora de torturas três vezes intensificadas com respeito a outros crimes, e cinco vezes punível com pena de morte. Protestante fanático, afirmava, quando velho, ter lido a Bíblia inteira 53 vezes. Assinou sentença de morte contra 20.000 bruxas, apoiando-se principalmente na “Lei” do Antigo Testamento. Não compreendendo o verdadeiro significado da Bíblia, considerava o Pentateuco como lei promulgada pelo próprio Deus, Supremo Legislador. Carpzov, para condenar a morte, usava (Lv 19,31; 20,6.27; Dt 12,1-5), citava de preferência o Êxodo (22,18);“Não deixarás viver a feiticeira”. (6)
        Outro famoso perseguidor de bruxas na Alemanha foi Nicholas Romy, considerado grande especialista e que escreveu um longo tratado sobre bruxaria, teve sobre sua consciência a morte de 900 pessoas. (7)
        Já Froehligh, reitor da Universidade de Innsbruck e catedrático de Direito, que chegou a ser chanceler da Alta Áustria, insistia em que não só as supostas bruxas fossem condenadas, senão também seus filhos! E não se precisava muito para ser considerada bruxa, pois o seria qualquer pessoa que não tivesse um olhar franco.(8)
        Naquele ambiente de superstição, crueldade e pânico perante as bruxas, foi possível o aparecimento de um Franz Buirmann, pervertido magistrado protestante e degenerado inimigo da bruxaria. Era um juiz itinerante. Referindo-se a ele dizia seu contemporâneo Hermann Loher:“Preferiria mil vezes ser julgado por animais selvagens, cair numa fossa cheia de leões, de lobos e ursos, do que cair em suas mãos”.
        Deste impiedoso juiz se afirma que somente em duas incursões que realizou por pequeninas aldeias ao redor de Bonn, que perfaziam um total de 300 pessoas contando-se crianças e velhos, queimou vivas nada menos que 150 pessoas! Consta que ao menos em duas oportunidades (da viúva Boffgen e do Alcaide de Rheinbach), o juiz se apoderou de todos os bens dos condenados à fogueira (o Alcaide de Rheinbach era seu inimigo político. . .).(9)
        Em Bamberga, sob a administração de um bispo protestante, 600 pessoas foram queimadas. Na Genebra protestante, 500 pessoas por Calvino.(10)
        Se os protestantes do passado nenhum valor davam a essas muitíssimas vidas ceifadas no fogo, muito menos valor dão os protestantes de hoje, que por ignorância, orgulho ou omissão, se escusam de um simples pedido de perdão, para não ter que admitir as iniquidades que falaciosamente atribuem aos outros.
        A técnica é a mesma do gatuno que bate uma carteira e grita: “pega ladrão!!!” Baseados no grito do gatuno, as mal informadas e ou mal intencionadas editoras de livros didáticos, a imprensa e a mídia, fazem o resto do trabalho sujo. Tudo contribui para a perdição do que não busca conhecer a verdade.
        Dizia Marcus Moreira Lassance Pimenta: “Ao ignorante, basta uma mentira bem contada para que a tenha como verdade. E ao sábio, não há mentira que o impeça de buscar a verdade”.
        Bibliografia:
        1. Agência Zenit, Sunday, June 20, 2004 1:17 PM.
        2. Henry Charles Léa, A History of the inquisition of the Middle Ages, 3 vols. Nova Yorque, Happer, 1888, principalmente vol. I, pp. 137ss; tradução de Salomon Reinach, Historie de L’Inquisition au Moyen-Áge. Ouvrage traduit sur l’exemplaire revu et corrigé de l’auter, 3 vols., Paris, 1900-2 vol. 3.
        3. Daniel-Rops, História da Igreja de Cristo, vol. III, A Igreja das Catedrais e das “Cruzadas”, Quadrante, pp. 605-606.
        4.. VEIT, Valentim, História Universal, Livraria Martins Editoras, SP, 1961, Tomo II, pp. 248-249.
        5. http://www. Adventistas .com /marco 2003/ miguel_servetus .htm
        6. Benedict Carpzov, Practica Nova Rerum Criminalium Imperialis Saxonica in Tres
        Partes Divisão, Wittenberg, 1635.
        7. Nichólas Romy, Daemonolatriae Libri Tres, Lião, 1595; Colônia, 1596; Frankfurt, 1597.
        8. Johan Christopher Froehlich von Froehlichsberg, De sorcelleria, Innsbruck, 1696;
        tradução: Animismes, Paris, Orent, 1964, pp. 62ss.
        9. Cf.. Jacques Finné, Erotismo et sorcellerie, Verviers (Bélgica), Gerard, 1972; tradução de Charles Marie Antoine Bouéry, Erotismo e feitiçaria, São Paulo, Mundo Musical, 1973, p. 41.
        10. W. Bommbeg, The mind of man: the history of man’s conquest of mental illness, 2ª ed., Nova Yorque, Harpel, 1959; tradução: La mente del hombre, Buenos Aires, 1940.
        ===========================================
        A SEVERIDADE DOS TRIBUNAIS PROTESTANTES
        ===========================================
        Foram terríveis os genocídios causados pelos protestantes na Alemanha. A então Alemanha estava dividida em mais de trezentas circunscrições, cada uma delas com seu próprio Supremo Tribunal civil e seu Direito particular. A perseguição às bruxas e a severidade dos castigos dependiam geralmente dos respectivos senhores de cada região, que governavam com muita independência e poder quase absoluto.
        Dentro de cada região, havia oscilações pendulares inclusive extremas, segundo os critérios subjetivos do mesmo senhor e segundo os conceitos das diversas sucessões no poder através dos anos e dos séculos. Daí a dificuldade em se calcular o número de pessoas condenadas à fogueira e à forca na Alemanha. Mas, das crônicas e processos regionais que chegaram até nós, cabe deduzir, que as vítimas se contaram por milhares. Gardner calcula 9 milhões (1). Morrow simplesmente diz que foram milhões (2).
        W. A. Schoeder, contemporâneo aos fatos, anotou que nas localidades de Bamberg e Zeil, entre 1625 e 1630, (cinco anos) se realizaram nada menos que 900 processos de bruxaria. Deles (numa exceção), 236 terminaram com condenação à morte na fogueira. Só num ano, 1617, em Wurzburgo, foram queimadas 300 bruxas (3); em total nesta região, as atas apresentam 1.200 condenações à morte (4).
        Em 20 anos, de 1615 a 1635, em Estrasburgo, houve 5.000 queimas de bruxas (5).
        Em cidades pequenas como a imperial Offenburg, que só tinha entre dois e três mil habitantes, se desenvolveram acérrimas perseguições às bruxas durante três decênios, e em só dois anos, segundo as atas, foram queimadas 79 pessoas (6).
        Segundo o VERITY MURPHY em 16/6/2004, da BBC de Londres, o novo e mais completo relatório da inquisição, indica que, no auge da Inquisição, a Alemanha protestante matou mais bruxas e bruxos que em qualquer outro lugar.
        Na Suíça, quando protestante, os casos de condenação de bruxas descritos nas crônicas conservadas, chegam a 5.417 (7). Nos Alpes Austríacos, as mortes chegaram ao menos a 5.000 (8).
        Era absolutamente falsa a afirmação de muitos autores protestantes ingleses, de que a Inglaterra foi uma exceção dentro da bruxomania geral.
        Segundo Ewen, (9), que cita documentos oficiais, o número de condenados à pena de morte por bruxaria, na Inglaterra protestante, exatamente de 1541 a 1736, teria sido menos de mil. As condenações à morte teriam sido menos de 30% das acusações. Mesmo assim, o comportamento inglês não fugiu ao ditado de que não há regras sem exceções.
        Na Inglaterra destacava-se o protestante Mathew Hopkins que se autodenominava “descobridor geral de bruxas”. Parece que era um sádico encoberto. Quando encontrava uma mulher que excitava seus instintos sexuais anormais, obrigava-a a despir-se na sua presença e começava a fincar com uma agulha, as diversas partes do corpo dela (assim se procuravam áreas insensíveis, o que seria sinal de possessão demoníaca).
        Mas… ele mesmo diante de outros protestantes, foi acusado de possuir estranhos poderes. Submetido às provas de bruxaria que empregara, foi condenado e morto (10).
        Na Inglaterra não era necessário aplicar torturas — às vezes se deram! — porque a condenação frequentemente era sentenciada sem necessidade de confissão por parte do acusado (11).
        Em 1562 a rainha Elizabeth, e a versão definitiva do Witch Act ou “lei contra os bruxos”, de Jacques I em 1604, condenavam à morte a pessoa que tivesse feito qualquer malefício pretendendo acabar com a vida ou danar o corpo de alguém. Mesmo que não se percebesse efeito nenhum do malefício! Esta lei se manteve em vigor na Constituição até 1736.
        Os protestantes do Reino Unido foram lentos. Na Inglaterra do século XVII, na área da interpretação dos fenômenos misteriosos ainda grassava a superstição demonológica, e houve várias condenações. O último juízo por bruxaria foi já entrado o século XVIII, em 1717, (12). E ainda demorariam mais vinte anos para abolir o estatuto inglês contra as bruxas, em 1736 (13).
        A última morte por condenação como bruxa, na Escócia, foi em 1738. Na Irlanda, a lei contra bruxaria não foi abolida até 1821!
        Em 1863, segunda metade do século XIX!, o povo inglês ainda linchou um velho por considerá-lo bruxo.
        As perseguições protestantes atravessaram o Atlântico, e chegaram aos EUA. O primeiro corpo de estatutos — The Body of Liberties — que houve em Massachusetts, é de 1641 (14). Nele se diz: “Se algum homem ou mulher é bruxo que manifesta ou consulta um espírito familiar(?), será enviado à morte” (15).
        A revisão de 1649 reiterava a mesma lei com pena capital (16). De sua vigência é um exemplo famoso, “o processo das bruxas de Salem,” em 1692. Como resquício, ainda hoje em alguns estados americanos, a pena de morte é vista com naturalidade, aos condenados gravemente pela justiça. Mudaram apenas os réus e a forma de exterminar.
        O pânico da população perante as bruxas e a ira contra elas, refletem-se no caso de Ann Hibbins. Parece que foi acusada por motivos meramente socioeconômicos. Era irmã de um rico comerciante e antigo assistente da colônia, Richard Beilingham, que fora governador da Baía de Massachusetts. O júri a condenou. Os juízes não aceitaram o veredicto. O caso foi levado à Corte Geral. Foi fácil incitar a opinião pública. Tanto pressionaram a Corte que Ann Hibbins foi condenada à morte (17).
        No ano 1670, na Suécia, houve um processo deplorável: Como consequência das declarações, arrancadas pelas interrogações feitas pelos teólogos protestantes, foram queimadas 70 mulheres, açoitadas mais 56, queimadas 15 crianças que já tinham chegado aos 16 anos e outras 40 foram açoitadas (18).
        Na Alemanha protestante, o poder civil condenou Anna Maria Schwugelin. Foi decapitada como bruxa em 1759.
        No dia 18 de junho de 1782, o governo protestante ainda decapitou uma bruxa na Suíça (19).
        Agora os protestantes têm aqui reunidos, grande parte dos números de mortes, nomes e documentos, para a própria cruel “inquisição” de seus tribunais, que tanto omitem. E isso não é tudo.
        Atacado por um diabólico ódio racial, Lutero antes de sua morte, lançou o panfleto “Contra os judeus e as suas mentiras.” onde pregava aos alemães, toda sorte de desumanidade contra os judeus, culminando no holocausto nazista. Esta obra, está reproduzida na “História do anti-semitismo”, de Leon Poliakov.
        Dia 6 de maio de 1527, quando saquearam Roma, cerca de quarenta mil homens espalharam na Cidade Eterna o terror, a violência e a morte. Eram seis mil espanhóis, quatorze mil italianos e vinte mil alemães, quase todos luteranos, esses últimos, indivíduos perversos, gananciosos, desprovidos de qualquer escrúpulo. Gritavam: ”Viva Lutero, nosso papa!!!” Ávidos, incansáveis na busca das riquezas, dos despojos do inimigo, os lanquenetes luteranos e os outros invasores assaltaram, estupraram, saquearam, incendiaram, trucidaram, arrebentaram as suas vítimas, jogaram crianças pelas janelas ou as esmagaram contra as paredes. Grande parte da população foi dizimada. Conforme disse Maurice Andrieux, esse ataque a Roma “superou em atrocidade todas as tragédias da História”, até mesmo a destruição de Jerusalém e a tomada de Constantinopla.
        E no Brasil? Encontra-se facilmente nas enciclopédias que os protestantes calvinistas em 15 de julho de 1570, mataram 40 jesuítas, entre elesInácio de Azevedo, morto a CUTILADAS (golpe de espada) quando, segurando num quadro da Virgem Maria, animava a tripulação a resistir ao ataque protestante, que degolou a todos (Enc. Microsoft Encarta 99, verbete: “Inácio de Azevedo, beato”).
        Todo esse genocídio com requintes de crueldade, parece encontrar doce justificativa nas palavras de Lutero, pai do protestantismo do “somente a fé”:
        “… Seja um pecador e peque fortemente, mas creia e se alegre em Cristo mais fortemente ainda…Se estamos aqui (neste mundo) devemos pecar…Pecado algum nos separará do Cordeiro, mesmo praticando fornicação e assassinatos milhares de vezes ao dia”. (Carta a Melanchthon, 1 de agosto de 1521 (American Edition, Luther’s Works, vol. 48, pp. 281-82, editado por H. Lehmann, Fortress, 1963).
        Esta “fé”, de Lutero, apesar de dirigida pela vontade, é um simples ato do intelecto. Apesar de necessária à salvação, não é suficiente. Tiago diz que até mesmo os demônios têm esta fé (Tg 2,19). É por este motivo que ele diz: “Vedes como o homem é justificado pelas obras e não somente pela fé?” (Tg 2,24). Infelizmente, Lutero designou esta carta do Apóstolo de “Carta de Palha”. Ele não entendeu o que Tiago estava querendo dizer (sobre a fé de Abraão): “Vês como a fé cooperava com as suas obras e era completada por elas” (Tg 2,22). Sob o erro do pai do protestantismo, as seitas evangélicas ainda hoje pregam que seus seguidores já estão “salvos”, só porque simplesmente “creem” em Jesus. Se assim fosse, iriam encontrar Lúcifer no céu.
        Agradecimentos especiais ao padre Oscar G. Quevedo, S.J, pelos brilhantes estudos iniciais

      3. emanuelle disse:

        VOCÊ SABIA QUE ATÉ CRIANÇAS CATÓLICAS ERAM QUEIMADAS PELOS PROTESTANTES ?

        1)- No ano 1670, na Suécia, houve um processo deplorável: Como conseqüência das declarações, arrancadas pelas interrogações feitas pelos teólogos protestantes, foram queimadas 70 mulheres, açoitadas mais 56, queimadas 15 crianças que já tinham chegado aos 16 anos e outras 40 foram açoitadas
        .
        2)- Agora os protestantes têem aqui reunidos, grande parte dos números de mortes, nomes e documentos, para a própria cruel“inquisição” de seus tribunais, que tanto omitem. E isso não é tudo.

        3)- Atacado por um diabólico ódio racial, Lutero antes de sua morte, lançou o panfleto “Contra os judeus e as suas mentiras.” onde pregava aos alemães, toda sorte de desumanidade contra os judeus, culminando no holocausto nazista. Esta obra, está reproduzida na “História do anti-semitismo”, de Leon Poliakov.

        4)- Dia 6 de maio de 1527, quando saquearam Roma, cerca de quarenta mil homens espalharam na Cidade Eterna o terror, a violência e a morte. Eram seis mil espanhóis, quatorze mil italianos e vinte mil alemães, quase todos luteranos, esses últimos, indivíduos perversos, gananciosos, desprovidos de qualquer escrúpulo. Gritavam: ”Viva Lutero, nosso papa!!!”. Ávidos, incansáveis na busca das riquezas, dos despojos do inimigo, os lanquenetes luteranos e os outros invasores assaltaram, estupraram, saquearam, incendiaram, trucidaram, arrebentaram as suas vítimas, jogaram crianças pelas janelas ou as esmagaram contra as paredes. Grande parte da população foi dizimada. Conforme disse Maurice Andrieux, esse ataque a Roma “superou em atrocidade todas as tragédias da História”, até mesmo a destruição de Jerusalém e a tomada de Constantinopla.

        5)- E no Brasil? Encontra-se facilmente nas enciclopédias que, os protestantes calvinistas em 15 de julho de 1570, mataram 40 jesuítas, entre eles Inácio de Azevedo, morto a CUTILADAS (golpe de espada) quando, segurando num quadro da Virgem Maria, animava a tripulação a resistir ao ataque protestante, que degolou a todos, (Enc. Microsoft Encarta 99, verbete: “Inácio de Azevedo, beato”).

        6)- Todo esse genocídio com requintes de crueldade, parece encontrar doce justificativa nas palavras de Lutero, pai do protestantismo do “somente a fé:“Seja um pecador e peque fortemente, mas creia e se alegre em Cristo mais fortemente ainda… Se estamos aqui (neste mundo) devemos pecar… Pecado algum nos separará do Cordeiro, mesmo praticando fornicação e assassinatos milhares de vezes ao dia”. (Carta a Melanchthon, 1 de agosto de 1521 (American Edition, Luther’s Works, vol. 48, pp. 281-82, editado por H. Lehmann, Fortress, 1963).

        7)- O próprio Rui Barbosa quando principiante inexperiente, traduziu “O Papa e o Concílio” uma obra de um deles, do Doelling, e se arrependeu mais tarde, proibindo no prefácio a publicação da mesma, pelas calúnias apaixonadas. Dizia mais tarde Rui Barbosa, quando maduro e experiente:“Estudei todas as religiões do mundo e cheguei a seguinte conclusão: religião ou a Católica ou nenhuma.” (Livro Oriente, Carlos Mariano de M. Santos (1998-2004) artigo 5º).

      4. emanuelle disse:

        Mortos pelos calvinistas por não negarem a fé na Presença real de Jesus no Santíssimo Sacramento
        Mortos por jamais negarem a presença real de Cristo na Eucaristia.
        N. do E.: Mantivemos a grafia da fonte original, cujo português obedece as regras do ano vigente (1937)

        Os Martyres de Gorkum (sec. XVI)
        Quando, no século XVI, as heresias de Luthero e Calvino conseguiram entrada na Hollanda, lá, como na Allemanha e na Suissa, foram causadoras de graves disturbios. Os Calvinistas rebellaram-se contra o governo do rei Philippe II e, chefiados pelo príncipe de Orange, tomaram à força armada algumas cidades, entra estas a cidade de Gorkum.
        O governador retirou-se para o castello, em companhia de alguns catholicos, dois parochos, onze frades franciscanos e mais sacerdotes seculares. Os calvinistas tomaram posse da cidade e forçaram o castello à rendição. Esta se effectuou, sob a condição de garantir a todos livre egresso. Os Calvinistas, porém, desprezaram esta combinação e aprisionaram o commandante, todos os clérigos e dois cidadãos, dos quaes um foi enforcado immediatamente.
        Os sacerdotes eram de preferência alvo do furor calvinista. Máos tratos revezavam com ameaças de morte, e finalmente foram todos mettidos num calabouço subterraneo. No dia de sexta-feira, lhes deram carne a comer. Querendo elles, porém, observar a abstinencia, tiveram de supportar toda a sorte de injurias e soffrimentos. Empurravam-nos, puxavam-lhes as orelhas, davam-lhes pontadas com a lança, ultrajavam-nos e lançavam-lhes em rosto as maiores infamias. Ergueram em sua presença uma forca, ameaçando-os com a morte, si não quizessem negar a fé no Santíssimo Sacramento. Ao Vigario Pe. Nicoláo van Poppel um dos bandidos pôz a arma na testa e berrou aos ouvidos: “Anda, Padre! Como é? Tantas vezes declarastes no pulpito, que estavas prompto a dar a vida pela fé. Pois então, dize! Estás mesmo disposto?” O Padre respondeu: “ Dou a minha vida com muito prazer, si é em testemunho da minha fé e principalmente do artigo por vós rejeitado, o da presença real de Jesus no Santíssimo Sacramento”. Perguntado pelos thesouros, que suppunham estarem escondidos no Castello, Padre Nicoláo não soube dar informações a respeito. O calvinista lançou-lhe então uma corda ao pescoço, puxou-o de um lado para o outro, até que cahiu como morto.
        Chegára a vez dos franciscanos. Ao frei Nicasio Pick puzeram o proprio cordão ao pescoço, arrastaram-no á porta do carcere. Lá chegado, metteram a corda por cima da porta e puxando com força, suspenderam a victima a altura consideravel, para immediatamente a deixarem cahir. Isto praticamente com um prazer infame. Afinal a corda rebentou e o pobre padre cahiu pesadamente ao chão, sem dar signal de vida. Para verificar si estava vivo ou morto, os soldados trouxeram velas, queimaram-lhe a testa, o nariz, as palpebras, as orelhas, a boca e finalmente a língua.
        Como o Padre não désse mais signal de vida, deram-lhe ponta-pés e disseram com ar de desprezo: “É um frade, que importa?” Mas o Padre não estava morto, tanto que no dia seguinte os bandidos tiveram a satisfação de poder continuar as crueldades.
        Durante toda a noite os Padres estiveram entregues à sanha d’aquelles demonios em figura humana. Não havia nada, que abrandasse o furor dos endiabrados hereges. Davam bofetadas nos religiosos, com tanta força e brutalidade, que lhes corria o sangue do nariz e da boca. O Padre Willehad, um veneravel ancião de noventa annos, repetia a cada bofetada que recebia, a jaculatória: ”Deus seja louvado!” Os algozes, sentindo-se fatigados de tanto bater, ajoelharam-se deante dos Padres e entre risos de escarneo, arremedavam a confissão, proferindo nesta occasião obscenidades e blasphemias horríveis e asqueirosissimas.
        Em outra occasião, amarraram os religiosos dois a dois e obrigaram-nos a andarem em fila, imitando procissão e a cantar o “Te Deum” e tudo isto sob a algazarra satanica da soldadesca desenfreada. Depois puzeram dados nas mãos da victimas para assim, à guiza de jogo, tirar a sorte quem delles primeiro havia de subir à forca. O Padre Guardião exclamou: “Não se faz mistér de jogo, estou prompto, porque já passei por esta delicia”.
        Os catholicos de Gorkum envidaram todos os esforços para libertar os prisioneiros. Para este fim, dirigiram uma petição ao príncipe Orange. Os calvinistas, suspeitando qualquer reacção, tiraram aos franciscanos o habito e despacharam-nos, com os outros sacerdotes, na noite de 5 a 6 de julho, para Briel, à residencia do clerophobo conde Lumm Von Marc.
        A penna nega-se a fazer a descripção de tudo que aqulles religiosos tiveram de soffrer, dos verdugos e do populacho fanatico. Em Dordrecht estava à espera do navio, que devia levá-los até Briel. Antes do embarque, um bando de calvinistas arrastou os martyres a um lugar perto do rio, onde estava apparelhada uma forca. Como cães raivosos, atiraram-se sobre as pobres victimas e o ar encheu-se de insultos e vituperios como estes: “Eis, ahi vossa Egreja! Ide, rezae a vossa Missa”. Em seguida obrigaram-nos a passarem três vezes em volta da forca, sendo a ultima vez com os joelhos no chão, sob o canto da “Salve Rainha”. Enquanto os religiosos se puzeram a obedecer a esta ordem ridicula e estapafurdia, choviam-lhes bengaladas e pedradas às costas. O Padre Vigario Jeronymo de Weert, vendo estas indignidades, não mais se conteve e disse: “Que estou presenciando? Estive entre turcos e infiéis, mas coisa egual a esta nunca vi!”
        Finalmente o triste cortejo chegou a Briel. Lá o esperava o conde Lumm, com dois pregadores da seita e alguns magistrados. Todos se empenharam para conseguir dos prisioneiros a renuncia à fé, em particular ao dogma da real presença de Jesus Christo no Santissimo Sacramento. Foram baldados os esforços. Os martyres unanimemente rejeitaram as propostas feitas e preferiram continuar na prisão. O carcere que os recebeu, era uma pocilga immundissima.
        Uma ordem do príncipe de Orange, de pôr em liberdade os prisioneiros, não foi cumprida. O conde Lumm, embriagado de odio e vinho, mandou-os levar, alta noite, às ruínas do convento Rugen, que pouco antes tinha sido incendiado pelos calvinistas.
        Restára ainda o celleiro. O Padre Guardião foi lá mesmo enforcado, depois de ter animado os irmãos à constancia.Depois d’elle, foram estrangulados todos os companheiros. O fanatismo calvinista nem respeitou os cadaveres dos martyres. Cortaram-lhes o nariz, as orelhas e levaram-nos como trophéos de victoria nos capacetes e chaphéos. Os catholicos resgataram por muito dinheiro os corpos dos santos irmãos e transportaram-nos para Bruxellas.
        Clemente X beatificou-os em 1674 e Pio IX elevou-os à categoria de Santos, no anno de 1867. A memória é celebrada na Egreja no dia 9 de julho.
        Eis os nomes dos gloriosos martyres de Gorkum:
        Leonardo van Vecchel, Nicoláo Poppel, vigario de Gorkum; Godofredo van Duynen e João van Oosterwych (agostiniano); João de Colonia (O.P), vigario de Hoornaer; Adriano van Hilvarenbeek e Jacob Lakops (O. Praem); André Vouters, vigario de Heynoert; Frei Jeronymo van Weert; Frei Theodoro van Emden; Frei Willehad; Frei Nicasio; Frei Godofredo Mervellan; Frei Antonio de Weert; Frei Antonio de Honar; Frei Francisco Rodes; Frei Pedro de Asca.
        Fonte: livro “Na Luz perpétua”, 1937, vol. II, Pe. João Baptista Lehmann, p. 29-31.
        Postado por Sociedade Apostolado

      5. emanuelle disse:

        Você não sabe ler, por isso diz tantas asneiras. O artigo que segue, revela em rica bibliografia, os números de mortos, e requintes de crueldade dos incomparáveis tribunais eclesiásticos protestantes. E deixará claro que as levianas acusações protestantes contra a Igreja Católica sorrateiramente mudaram o significado da palavra “inquisição”, que quer dizer apenas: “sindicância”, “investigação”, em sinônimo de “matança de pessoas”. Ainda hoje, esse erro circula no meio protestante. Tal quimera caiu por terra, quando o renomado historiador Agostino Borromeo, após demorado estudo sobre a inquisição, concluiu que não chegaram a cem, o número de mortes, cometidas por católicos que em desobediência ao Papa, empregaram pena de morte contra os inquiridos.
        Antes, abramos um parêntese, para de fato mostrarmos conforme os historiadores, que muita calúnia se lançou contra a Igreja Católica, no que concerne a falsa acusação de matança de “centenas”, “milhares” e até “milhões” de pessoas. Pura lenda, que na verdade não passava de mentira estratégica protestante, fomentada por anticatólicos como: Russel Hope Robbins, o apostata Doelling, Jules Baissac, Jean Français e Reinach.
        O próprio Rui Barbosa quando principiante inexperiente, traduziu “O Papa e o Concílio” uma obra de um deles, Doelling, e se arrependeu mais tarde, proibindo no prefácio a publicação da mesma, pelas calúnias apaixonadas. Dizia mais tarde Rui Barbosa, quando maduro e experiente:“Estudei todas as religiões do mundo e cheguei à seguinte conclusão: religião ou a Católica ou nenhuma.” (Livro Oriente, Carlos Mariano de M. Santos (1998-2004) artigo 5º).
        Publicou a Agência europeia de notícias Zenit: [CIDADE DO VATICANO, quarta-feira, 16 de junho de 2004 (ZENIT.org).- [Atualmente, os pesquisadores têm os elementos necessários para fazer uma história da Inquisição sem cair em preconceitos negativos ou na apologética propagandista, afirma o coordenador do livro «Atas do Simpósio Internacional “A Inquisição”».
        No volume, Agostino Borromeo, historiador, recolhe as palestras do congresso que reuniu ao final de outubro de 1998, no Vaticano, historiadores universalmente reconhecidos especializados nesses tribunais eclesiásticos.
        «Hoje em dia –afirmou essa terça-feira, em uma coletiva de imprensa de apresentação do livro, o professor da Universidade «La Sapienza» de Roma– os historiadores já não utilizam o tema da Inquisição como instrumento para defender ou atacar a Igreja».
        Diferentemente do que antes sucedia, acrescentou o presidente do Instituto Italiano de Estudos Ibéricos, «o debate se encaminhou para o ambiente histórico, com estatísticas sérias».
        O especialista constatou que, à «lenda negra» criada contra a Inquisição em países protestantes, opôs uma apologética católica propagandista que, em nenhum dos casos, ajudava a conseguir uma visão objetiva.
        Isto se deve, entre outras coisas –indicou–, ao «grande passo adiante» dado pela abertura dos arquivos secretos da Congregação para a Doutrina da Fé (antigo Santo Ofício), ordenada por João Paulo II em 1998, onde se encontra uma base documental amplíssima.
        Borromeu ilustrou alguns dos dados possibilitados pelas «Atas do Simpósio Internacional “A Inquisição”».
        Revela o historiador sobre os processos e condenação referentes ao tribunal católico: “dos 125.000 processos de sua história, a Inquisição espanhola condenou à morte 59 «bruxas». Na Itália, acrescentou, foram 36 e em Portugal 4. Se somarmos estes dados –comentou o historiador– não se chega nem sequer a cem casos…”
        A Inquisição na Espanha, afirmou o historiador, em referência ao tribunal mais conhecido, celebrou entre 1540 e 1700, 44.674 julgamentos. Os acusados condenados à morte foram 1,8% e, destes, 1,7% foi condenado em «contumácia», ou seja, pessoas de paradeiro desconhecido ou que em seu lugar se queimavam ou enforcavam bonecos].(1) Até aqui a notícia de ZENIT. org.
        Outro historiador, o protestante, Henry Charles Léa, cita 47 bulas, nas quais a Santa Sé continuamente insiste na jurisprudência que deve se observar nos tribunais eclesiásticos católicos. Alertam para não cair na violência e injustiças frequentes dos juízes leigos. Basta folhear a monumental obra do próprio Léa, para convencer-se que na realidade as bruxas foram perseguidas e condenadas mais pelos detentores do poder civil e pelos protestantes do que pelo tribunal católico. (2)
        Também o historiador Daniel Roups, é categórico nos seus registros: ”Foram numerosos os cânones dos concílios que, excomungando os hereges e proibindo os cristãos de lhes darem asilo, não admitiam que se utilizassem contra eles a pena de morte. Deviam bastar as penas espirituais ou, quando muito, as penas temporais moderadas”. (3)
        João Paulo II enviou uma mensagem com motivo da apresentação das «Atas» do Simpósio Internacional sobre a Inquisição, na qual sublinha a necessidade de que a Igreja peça perdão pelos pecados cometidos por seus filhos através da história. Ao mesmo tempo, declarava, «antes de pedir perdão é necessário conhecer exatamente os fatos e reconhecer as carências ante as exigências cristãs».(Zenit).
        Pelos filhos da Igreja Católica, que em desobediência cometeram alguns crimes, o Papa João Paulo II pediu perdão. Mas, quando o protestantismo cessará de deturpar, omitir e caluniar, reconhecendo finalmente os extermínios que cometeu e atribui maldosamente aos católicos?
        A VERDADE DOCUMENTADA.
        A quantidade de registros literários dos próprios protestantes é vasta, porém, estranhamente ocultada pelos livros escolares, pela imprensa e mídia em geral. Muitas vezes vemos o que é omitido pelo lado protestante sendo, por esses veículos, atribuídos maldosamente à Igreja Católica.
        O próprio Lutero nos legou o relato dessa prática, anos antes de lançar-se em revolta aberta, dizia: “(…) os hereges não são bem acolhidos se não pintam a Igreja como má, falsa e mentirosa. Só eles querem passar por bons: a Igreja há de figurar como ruim em tudo.” (Franca, Leonel, S.J. A Igreja, a reforma e a civilização, Ed. Agir, 1952, 6ª ed. Pág. 200).
        Uma vez no protestantismo, já ensinava Lutero aos protestantes: “Que mal pode causar se um homem diz uma boa e grossa mentira por uma causa meritória e para o bem da igreja (luterana).” (Grisar, Hartmann, S.J., Martin Luther, His life & work, The Newman Press, 1960- pág 522).
        Logo a mentira, a omissão e o falso testemunho se tornaram as colunas das doutrinas dos pseudo “reformadores” protestantes.
        A crueldade foi especialmente severa na Alemanha protestante. As posições de Lutero, contra os anabatistas, causaram a morte de pelo menos 30.000 camponeses (4). Foram as palavras de Lutero: “Eu, Martinho Lutero, exterminei os camponeses revoltados, ordenei-lhes os suplícios, que o seu sangue recaia sobre mim, mas o faço subir até Deus, pois foi ele quem me mandou falar e agir como agi e falei”. Centenas de rebeldes, segundo Goethe, foram torturados, empalados, esquartejados e queimados vivos. A Alemanha, disse o autor de Hermann e Dorothéia, “parecia um açougue onde a carne humana tinha preço vil”.
        Calvino, pai dos presbiterianos, mandou queimar o espanhol Miguel Servet Grizar, médico descobridor da circulação sanguínea. Acusado de heresia, Servet foi preso e julgado em Lyon, na França. Conseguiu evadir-se da prisão e quando se dirigia para a Itália, através da Suíça, foi novamente preso em Genebra, julgado e condenado a morrer na fogueira, por decisão de um tribunal eclesiástico sob direção do próprio Calvino. A sentença foi cumprida em Champel, nas proximidades de Genebra, no dia 27 de outubro de 1553. Puseram-lhe na cabeça uma coroa de juncos impregnada de enxofre e foi queimado vivo em fogo lento com requintes de sadismo e crueldade. (5)
        O luterano Benedict Carpzov, legista brilhante e figura esclarecida, até hoje ocupa lugar destacado na história do Direito Penal. Mas perdia a compostura contra a bruxaria, que considerava merecedora de torturas três vezes intensificadas com respeito a outros crimes, e cinco vezes punível com pena de morte. Protestante fanático, afirmava, quando velho, ter lido a Bíblia inteira 53 vezes. Assinou sentença de morte contra 20.000 bruxas, apoiando-se principalmente na “Lei” do Antigo Testamento. Não compreendendo o verdadeiro significado da Bíblia, considerava o Pentateuco como lei promulgada pelo próprio Deus, Supremo Legislador. Carpzov, para condenar a morte, usava (Lv 19,31; 20,6.27; Dt 12,1-5), citava de preferência o Êxodo (22,18);“Não deixarás viver a feiticeira”. (6)
        Outro famoso perseguidor de bruxas na Alemanha foi Nicholas Romy, considerado grande especialista e que escreveu um longo tratado sobre bruxaria, teve sobre sua consciência a morte de 900 pessoas. (7)
        Já Froehligh, reitor da Universidade de Innsbruck e catedrático de Direito, que chegou a ser chanceler da Alta Áustria, insistia em que não só as supostas bruxas fossem condenadas, senão também seus filhos! E não se precisava muito para ser considerada bruxa, pois o seria qualquer pessoa que não tivesse um olhar franco.(8)
        Naquele ambiente de superstição, crueldade e pânico perante as bruxas, foi possível o aparecimento de um Franz Buirmann, pervertido magistrado protestante e degenerado inimigo da bruxaria. Era um juiz itinerante. Referindo-se a ele dizia seu contemporâneo Hermann Loher:“Preferiria mil vezes ser julgado por animais selvagens, cair numa fossa cheia de leões, de lobos e ursos, do que cair em suas mãos”.
        Deste impiedoso juiz se afirma que somente em duas incursões que realizou por pequeninas aldeias ao redor de Bonn, que perfaziam um total de 300 pessoas contando-se crianças e velhos, queimou vivas nada menos que 150 pessoas! Consta que ao menos em duas oportunidades (da viúva Boffgen e do Alcaide de Rheinbach), o juiz se apoderou de todos os bens dos condenados à fogueira (o Alcaide de Rheinbach era seu inimigo político. . .).(9)
        Em Bamberga, sob a administração de um bispo protestante, 600 pessoas foram queimadas. Na Genebra protestante, 500 pessoas por Calvino.(10)
        Se os protestantes do passado nenhum valor davam a essas muitíssimas vidas ceifadas no fogo, muito menos valor dão os protestantes de hoje, que por ignorância, orgulho ou omissão, se escusam de um simples pedido de perdão, para não ter que admitir as iniquidades que falaciosamente atribuem aos outros.
        A técnica é a mesma do gatuno que bate uma carteira e grita: “pega ladrão!!!” Baseados no grito do gatuno, as mal informadas e ou mal intencionadas editoras de livros didáticos, a imprensa e a mídia, fazem o resto do trabalho sujo. Tudo contribui para a perdição do que não busca conhecer a verdade.
        Dizia Marcus Moreira Lassance Pimenta: “Ao ignorante, basta uma mentira bem contada para que a tenha como verdade. E ao sábio, não há mentira que o impeça de buscar a verdade”.
        Bibliografia:
        1. Agência Zenit, Sunday, June 20, 2004 1:17 PM.
        2. Henry Charles Léa, A History of the inquisition of the Middle Ages, 3 vols. Nova Yorque, Happer, 1888, principalmente vol. I, pp. 137ss; tradução de Salomon Reinach, Historie de L’Inquisition au Moyen-Áge. Ouvrage traduit sur l’exemplaire revu et corrigé de l’auter, 3 vols., Paris, 1900-2 vol. 3.
        3. Daniel-Rops, História da Igreja de Cristo, vol. III, A Igreja das Catedrais e das “Cruzadas”, Quadrante, pp. 605-606.
        4.. VEIT, Valentim, História Universal, Livraria Martins Editoras, SP, 1961, Tomo II, pp. 248-249.
        5. Adventistas .com /marco 2003/ miguel _servetus .htm
        6. Benedict Carpzov, Practica Nova Rerum Criminalium Imperialis Saxonica in Tres
        Partes Divisão, Wittenberg, 1635.
        7. Nichólas Romy, Daemonolatriae Libri Tres, Lião, 1595; Colônia, 1596; Frankfurt, 1597.
        8. Johan Christopher Froehlich von Froehlichsberg, De sorcelleria, Innsbruck, 1696;
        tradução: Animismes, Paris, Orent, 1964, pp. 62ss.
        9. Cf.. Jacques Finné, Erotismo et sorcellerie, Verviers (Bélgica), Gerard, 1972; tradução de Charles Marie Antoine Bouéry, Erotismo e feitiçaria, São Paulo, Mundo Musical, 1973, p. 41.
        10. W. Bommbeg, The mind of man: the history of man’s conquest of mental illness, 2ª ed., Nova Yorque, Harpel, 1959; tradução: La mente del hombre, Buenos Aires, 1940.
        ===========================================
        A SEVERIDADE DOS TRIBUNAIS PROTESTANTES
        ===========================================
        Foram terríveis os genocídios causados pelos protestantes na Alemanha. A então Alemanha estava dividida em mais de trezentas circunscrições, cada uma delas com seu próprio Supremo Tribunal civil e seu Direito particular. A perseguição às bruxas e a severidade dos castigos dependiam geralmente dos respectivos senhores de cada região, que governavam com muita independência e poder quase absoluto.
        Dentro de cada região, havia oscilações pendulares inclusive extremas, segundo os critérios subjetivos do mesmo senhor e segundo os conceitos das diversas sucessões no poder através dos anos e dos séculos. Daí a dificuldade em se calcular o número de pessoas condenadas à fogueira e à forca na Alemanha. Mas, das crônicas e processos regionais que chegaram até nós, cabe deduzir, que as vítimas se contaram por milhares. Gardner calcula 9 milhões (1). Morrow simplesmente diz que foram milhões (2).
        W. A. Schoeder, contemporâneo aos fatos, anotou que nas localidades de Bamberg e Zeil, entre 1625 e 1630, (cinco anos) se realizaram nada menos que 900 processos de bruxaria. Deles (numa exceção), 236 terminaram com condenação à morte na fogueira. Só num ano, 1617, em Wurzburgo, foram queimadas 300 bruxas (3); em total nesta região, as atas apresentam 1.200 condenações à morte (4).
        Em 20 anos, de 1615 a 1635, em Estrasburgo, houve 5.000 queimas de bruxas (5).
        Em cidades pequenas como a imperial Offenburg, que só tinha entre dois e três mil habitantes, se desenvolveram acérrimas perseguições às bruxas durante três decênios, e em só dois anos, segundo as atas, foram queimadas 79 pessoas (6).
        Segundo o VERITY MURPHY em 16/6/2004, da BBC de Londres, o novo e mais completo relatório da inquisição, indica que, no auge da Inquisição, a Alemanha protestante matou mais bruxas e bruxos que em qualquer outro lugar.
        Na Suíça, quando protestante, os casos de condenação de bruxas descritos nas crônicas conservadas, chegam a 5.417 (7). Nos Alpes Austríacos, as mortes chegaram ao menos a 5.000 (8).
        Era absolutamente falsa a afirmação de muitos autores protestantes ingleses, de que a Inglaterra foi uma exceção dentro da bruxomania geral.
        Segundo Ewen, (9), que cita documentos oficiais, o número de condenados à pena de morte por bruxaria, na Inglaterra protestante, exatamente de 1541 a 1736, teria sido menos de mil. As condenações à morte teriam sido menos de 30% das acusações. Mesmo assim, o comportamento inglês não fugiu ao ditado de que não há regras sem exceções.
        Na Inglaterra destacava-se o protestante Mathew Hopkins que se autodenominava “descobridor geral de bruxas”. Parece que era um sádico encoberto. Quando encontrava uma mulher que excitava seus instintos sexuais anormais, obrigava-a a despir-se na sua presença e começava a fincar com uma agulha, as diversas partes do corpo dela (assim se procuravam áreas insensíveis, o que seria sinal de possessão demoníaca).
        Mas… ele mesmo diante de outros protestantes, foi acusado de possuir estranhos poderes. Submetido às provas de bruxaria que empregara, foi condenado e morto (10).
        Na Inglaterra não era necessário aplicar torturas — às vezes se deram! — porque a condenação frequentemente era sentenciada sem necessidade de confissão por parte do acusado (11).
        Em 1562 a rainha Elizabeth, e a versão definitiva do Witch Act ou “lei contra os bruxos”, de Jacques I em 1604, condenavam à morte a pessoa que tivesse feito qualquer malefício pretendendo acabar com a vida ou danar o corpo de alguém. Mesmo que não se percebesse efeito nenhum do malefício! Esta lei se manteve em vigor na Constituição até 1736.
        Os protestantes do Reino Unido foram lentos. Na Inglaterra do século XVII, na área da interpretação dos fenômenos misteriosos ainda grassava a superstição demonológica, e houve várias condenações. O último juízo por bruxaria foi já entrado o século XVIII, em 1717, (12). E ainda demorariam mais vinte anos para abolir o estatuto inglês contra as bruxas, em 1736 (13).
        A última morte por condenação como bruxa, na Escócia, foi em 1738. Na Irlanda, a lei contra bruxaria não foi abolida até 1821!
        Em 1863, segunda metade do século XIX!, o povo inglês ainda linchou um velho por considerá-lo bruxo.
        As perseguições protestantes atravessaram o Atlântico, e chegaram aos EUA. O primeiro corpo de estatutos — The Body of Liberties — que houve em Massachusetts, é de 1641 (14). Nele se diz: “Se algum homem ou mulher é bruxo que manifesta ou consulta um espírito familiar(?), será enviado à morte” (15).
        A revisão de 1649 reiterava a mesma lei com pena capital (16). De sua vigência é um exemplo famoso, “o processo das bruxas de Salem,” em 1692. Como resquício, ainda hoje em alguns estados americanos, a pena de morte é vista com naturalidade, aos condenados gravemente pela justiça. Mudaram apenas os réus e a forma de exterminar.
        O pânico da população perante as bruxas e a ira contra elas, refletem-se no caso de Ann Hibbins. Parece que foi acusada por motivos meramente socioeconômicos. Era irmã de um rico comerciante e antigo assistente da colônia, Richard Beilingham, que fora governador da Baía de Massachusetts. O júri a condenou. Os juízes não aceitaram o veredicto. O caso foi levado à Corte Geral. Foi fácil incitar a opinião pública. Tanto pressionaram a Corte que Ann Hibbins foi condenada à morte (17).
        No ano 1670, na Suécia, houve um processo deplorável: Como consequência das declarações, arrancadas pelas interrogações feitas pelos teólogos protestantes, foram queimadas 70 mulheres, açoitadas mais 56, queimadas 15 crianças que já tinham chegado aos 16 anos e outras 40 foram açoitadas (18).
        Na Alemanha protestante, o poder civil condenou Anna Maria Schwugelin. Foi decapitada como bruxa em 1759.
        No dia 18 de junho de 1782, o governo protestante ainda decapitou uma bruxa na Suíça (19).
        Agora os protestantes têm aqui reunidos, grande parte dos números de mortes, nomes e documentos, para a própria cruel “inquisição” de seus tribunais, que tanto omitem. E isso não é tudo.
        Atacado por um diabólico ódio racial, Lutero antes de sua morte, lançou o panfleto “Contra os judeus e as suas mentiras.” onde pregava aos alemães, toda sorte de desumanidade contra os judeus, culminando no holocausto nazista. Esta obra, está reproduzida na “História do anti-semitismo”, de Leon Poliakov.
        Dia 6 de maio de 1527, quando saquearam Roma, cerca de quarenta mil homens espalharam na Cidade Eterna o terror, a violência e a morte. Eram seis mil espanhóis, quatorze mil italianos e vinte mil alemães, quase todos luteranos, esses últimos, indivíduos perversos, gananciosos, desprovidos de qualquer escrúpulo. Gritavam: ”Viva Lutero, nosso papa!!!” Ávidos, incansáveis na busca das riquezas, dos despojos do inimigo, os lanquenetes luteranos e os outros invasores assaltaram, estupraram, saquearam, incendiaram, trucidaram, arrebentaram as suas vítimas, jogaram crianças pelas janelas ou as esmagaram contra as paredes. Grande parte da população foi dizimada. Conforme disse Maurice Andrieux, esse ataque a Roma “superou em atrocidade todas as tragédias da História”, até mesmo a destruição de Jerusalém e a tomada de Constantinopla.
        E no Brasil? Encontra-se facilmente nas enciclopédias que os protestantes calvinistas em 15 de julho de 1570, mataram 40 jesuítas, entre elesInácio de Azevedo, morto a CUTILADAS (golpe de espada) quando, segurando num quadro da Virgem Maria, animava a tripulação a resistir ao ataque protestante, que degolou a todos (Enc. Microsoft Encarta 99, verbete: “Inácio de Azevedo, beato”).
        Todo esse genocídio com requintes de crueldade, parece encontrar doce justificativa nas palavras de Lutero, pai do protestantismo do “somente a fé”:
        “… Seja um pecador e peque fortemente, mas creia e se alegre em Cristo mais fortemente ainda…Se estamos aqui (neste mundo) devemos pecar…Pecado algum nos separará do Cordeiro, mesmo praticando fornicação e assassinatos milhares de vezes ao dia”. (Carta a Melanchthon, 1 de agosto de 1521 (American Edition, Luther’s Works, vol. 48, pp. 281-82, editado por H. Lehmann, Fortress, 1963).
        Esta “fé”, de Lutero, apesar de dirigida pela vontade, é um simples ato do intelecto. Apesar de necessária à salvação, não é suficiente. Tiago diz que até mesmo os demônios têm esta fé (Tg 2,19). É por este motivo que ele diz: “Vedes como o homem é justificado pelas obras e não somente pela fé?” (Tg 2,24). Infelizmente, Lutero designou esta carta do Apóstolo de “Carta de Palha”. Ele não entendeu o que Tiago estava querendo dizer (sobre a fé de Abraão): “Vês como a fé cooperava com as suas obras e era completada por elas” (Tg 2,22). Sob o erro do pai do protestantismo, as seitas evangélicas ainda hoje pregam que seus seguidores já estão “salvos”, só porque simplesmente “creem” em Jesus. Se assim fosse, iriam encontrar Lúcifer no céu.
        Agradecimentos especiais ao padre Oscar G. Quevedo, S.J, pelos brilhantes estudos iniciais

      6. emanuelle disse:

        Em 1525 os protestantes saquearam e incendiaram os mosteiros católicos e assassinaram a maioria?
        Você Sabia que o reformador calvinista era intolerante com os pensadores da época, e mandava para a fogueira, como por exemplo: O sábio e médico Michel Servet, que descobrira a circulação do sangue?

      7. emanuelle disse:

        A inquisição era procedimento de toda a sociedade medieval. Houve também a inquisição protestante e o massacre calvinista e até hoje ainda vemos casos como este: “ assim que os protestantes ficaram sabendo que eu retornei para o Catolicismo, muitos me procuraram e começaram a me ameaçar, fui até agredido fisicamente e hoje sou ameaçado de morte.”( Albertove, Ex- Pastor da Assembléia de Deus). Veja o testemunho completo no site: www. recados. aarao. com. br
        – Quando não chegam a ser ameaçados, temos muitos outros testemunhos onde sofrem abandono, isolamento ou repressão, ficando em extrema miséria. Veja testemunho do ex-pastor Francisco na internet.
        – O que esses protestantes precisam aprender é que pessoas boas ou más existem em todo lugar. A veracidade da IGREJA CATÓLICA não depende das pessoas, mas da Palavra do SENHOR JESUS(Mt 16,16-19), que também constituiu Pedro o pastor das suas ovelhas (Jo 21,15-17).
        – Não são aos pessoas que validam uma igreja, mas é JESUS QUE CREDENCIA SUA IGREJA.
        … .AÍ ESTÁ A DIFERENÇA !!!
        Ou será que existe alguma igrejola protestante onde todos seus membros são perfeitos ?

        1. Celia Mulata disse:

          Manu, você com certeza sabe mais de Calvino e Lutero do que eu, e nem faço questão de conhecer profundamente os prezados defuntos (com todo respeito) ;D …

          Não foram eles que morreram no madeiro por mim.. Jesus não está mais pregado em uma Cruz e Deus não está de férias para precisar de um representante na Terra (católico ou protestante)…

          Papas assinaram decretos autorizando as torturas cruéis na Idade Média, o mesmo se deu com protestantes.., onde estava o Espírito Santo nessa hora?

          Sabe porque não sou católica? Quem sou eu para julgar o passado, todos cometem erros, ao contrário de você não acredito em nenhuma “infabilidade” por parte de instituições humanas.

          Se quer ficar levantando bandeira de Papa x Lutero, fique à vontade.. mas se eu vivesse no tempo e território das inquisições católica ou protestante, que Deus tivesse misericórdia de mim e me desse forças para me posicionar corretamente e ter sido torturada e morta por ambas, porque pior que isso teria sido apoiar qualquer uma delas confiando na “infabilidade” ou “autoridade espiritual” de homens..

          Hoje graças a Deus a coisa já é mais fácil, não posso mais ser torturada e morta.. se um pastor me manda comer grama, eu não faço e pronto, se um pastor me manda derrubar e quebrar a estátua de um santo católico eu não faço e pronto, se um pastor me manda rodopiar, gritar e rolar, eu não faço e pronto.. se um padre me diz para me prostrar e acender velas para uma estátua, eu não faço e pronto, se um padre me manda beijar a estátua de um Jesus Morto eu não faço e pronto, se me diz que o vinho se transforma literalmente em sangue, eu não acredito e pronto.., se um pastor me diz que todo católico é do diabo eu não acredito e pronto.. se um pastor me diz que comer grama vai me aproximar de Deus eu não acredito e pronto..

          Se um padre ou pastor me manda fazer caridade, eu faço e pronto.. se pedem ajuda para uma campanha de caridade, eu ajudo e pronto.. se me mandam me abster de bebedeiras, promiscuidade, de dizer palavrões.. se me chamam atenção por um comportamento indevido.. se me repreendem por algo que eu disse a um irmão, por uma palavra torpe que eu disse.., por uma roupa indecente que eu tenha usado.. eu obedeço e pronto.

          Na hora do julgamento nem Papa, nem Lutero, nem pastor e nem padre vão tomar meu lugar diante do Juíz.. não vai ter essa de: “eu fiz isso porque o Pastor/Papa disse que era certo..”

          Veja bem, enquanto Stardust vive acusando instituições (IURD, evangélicas) o Dr. Clamando defende o Povo de Deus, orou por mim, me incentivou a estudar, e a cada dia dou mais um passo na caminhada da vida cristã, não sou perfeita, não tenho o dom da interpretação, mas não vou jogar minha responsabilidade sobre outro (padre ou pastor), minha consciência e meu coração vão ser sinceros e estar junto comigo o tempo todo, nos erros e acertos, porque eles é que estarão comigo no Tribunal diante de Deus.

    3. Celia Mulata disse:

      É manu, e o fato de a inquisição protestante também ter sido violenta ressuscita as vítimas da inquisição católica? Acho que não né? A diferença é que o protestantismo não alega nenhuma “infabilidade”.. ;D

  16. Manoel disse:

    Janete Sylviane
    Com muito respeito, coisa de mulher, com seu rosto olhando de lado fica mais bonita.
    Mas falta-te uma coisa: receber Jesus como seu Único e Suficiente Salvador para sejas uma filha de Deus, “Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome” João 1:12.
    Veja bem, filho(a), quem crê em Jesus, não nela e nem neles.

  17. Manoel disse:

    Engraçado… por que tanta gente com essa preocupação com Lutero? Nós os protestantes e crentes em Jesus, nos preocupamos em anunciar o único Salvador Jesus, pois quem morre a bíblia tem uma explicação, “E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo” Hebreus 9:27.
    A bíblia é bem clara, deixem o Juízo com Deus!

    1. levi varela disse:

      Manoel,

      A raiva dos católicos é grande, pois foi um padrezinho dela que iniciou, veja bem, apenas iniciou a revolta, tendo desta quebrado havido a quebra da TODA PODEROSA,herdeira do Império Romano, ou seja, não era pouca coisa. Mas foi desbancada por um padrezinho. Aí o rancor, o ódio, a turbulência.

      1. Lopes disse:

        Padre não heregezinho lutero., safado

  18. Manoel disse:

    Espalhar o evangelho, certíssimo! Agora, esse negócio de “terceira guerra” só me preocupei até 40 anos atrás quando li a bíblia. A humanidade por falta de fé, vive preocupada com muitas coisas que não lhes pertence. Uma coisa temos que saber: Deus está no controle de tudo… “E até mesmo os cabelos da vossa cabeça estão todos contados” Mateus 10:30

  19. MARIA DUTRA disse:

    Alguns comentários aqui parecem os que são registrados na Internete entre Petistas e a oposição. Saem do tema principal e atacam quem emitiu uma opinião. Esta divisão entre Católicos x Evangélicos x igreja ortodoxa x igrja anglicana só reparte mais e mais o corpo de Cristo. Acordem! O islamismo é a religião que mais cresce no mundo. É uma religião que desconhece o perdão cristão e os limites da civilização ocidental. Somos responsáveis pelos que já são Cristãos e pelos que haverão de ser. Os mulçumanos que hoje estão degolando e pondo fogo em pessoas e igrejas, hoje são uma minoria dentro do mundo Islâmico. Como o mal se espalha, mais duas décadas e talvez sejamos nós que estaremos dentro do nosso país acuados e assassinados por não renegar a Cristo. Os Cristãos ao invés de se insultarem, deveriam procurar os pontos em comuns e estabelecer pontes para diálogo e apoio.

  20. O QUE ESTES MALUCOS ESTAO FAZENDO, A IGREJA CATOLICA JA FEZ IGUAL OU PIOR NA EPOCA DA INQUISISAO, ENTAO VAMOS DEIXAR DE CONVERSA FIADA

    1. leandro disse:

      Se quem usa inquisição não tem moral para falar então calem-se junto com o papa e os catolicos e fiquem mudos pastores e seus seguidores. Nossa Inquisição somente começou em 1231. Já a de vcs juntinho com a Reforma. Se a ICAR ficou podre, a de vcs já nasceu corrompida.

      1. levi varela disse:

        Leandro.

        Não foram os evangélicos que criaram inquisição, sim os ex-católicos numa reação à tua malvada igreja, pois havia recentemente determinado que todos os judeus se convertessem ao catolicismo. Perseguição a católicos, a judeus, então deu no que deu, o que? Os católicos lutando contra os católicos, inclusive com a segunda inquisição, só que para matar os inquisidores que haviam completado duzentos anos.

        1. Lopes disse:

          Cala boca leViano.. Filho de chacal com pastoreco herege.,kkk

        2. leandro disse:

          Nem perderei tempo respondendo as fezes que o Leviano profere com sua boca

          1. Lopes disse:

            Isto mesmo meu caro olha o nome deste verme leviano., não precisa falar mais nada

          2. levi varela disse:

            Lopes,

            Olha o nome da tua igreja: ROMANA.

            Mau gosto dessa tua denominação em fazer menção à Roma, sede do poder que matou Cristo, Pedro, Paulo, milhares na arena.

            É muito sem noção dessa tua seita.

            Veja que constantino acertou desde o início. O pai de vocês deu um bom nome, parece que estava sabendo da natureza perversa e matadora dela, uma previsão.

  21. Frank disse:

    O Papa não pode responder pelo o que os outros fizeram há séculos e ele está certo em estar preocupado com guerras e mortes.

    1. Celia Mulata disse:

      Está certo.

  22. DEbora disse:

    Mas e hipocrita esse Papa,como todos os demais.Quem causou a Primeira Guerra mundiale a Segunda,nao foi aIgreja de Roma?Agora se coloca de santo preocupados com os cristaos.Vibora venenoza.

    1. leandro disse:

      Em que livro de História vc se baseia pra falar que a IG Catolica criou as 2 guerras mundiais?

      Leviano Varela esta deixando discipulos

      1. Lopes disse:

        Já te falei olha o nome de verme leviano., não precisa falar mais nada o destino já intitulou o peste chacal ., leviano

        1. Douto disse:

          Meu dels, a ICAR causou as guerras mundiais e a imundissa que faltou as aulas de historia acredita nessas fezes que colocaram na cabessa dela

  23. Paulo Tarso disse:

    O Papa Francisco, em seu discurso, produz um sentimento contrário ao que Cristo produz.

    O Papa leva as pessoas que lhe dão crédito ao MEDO. Medo de uma terceira guerra Mundial.

    Jesus, diferentemente, leva aos que lhe dão crédito á FÉ.

    Mesmo sendo poucos seguidores, cercados de judeus beligerantes, qual foi a mensagem de Jesus?

    Nada temais, pequeno rebanho, pois de bom grado o Pai vos concedeu o seu Reino. Lucas 12:32.

    São essas coisas que mostram a diferença gritante entre os ensinos de Cristo e os ensinos do simpático Papa Francisco.

    Escolhe:

    ou você começa a se preocupar, a ter medo e agir sobre esse sentimento, seguindo o Papa Francisco

    ou você começa a colocar a crença em ação e agir baseado na fé e no amor.

    Não tente conciliar os dois, pois são irreconciliáveis. Não engane a si mesmo. São mensagens e espíritos totalmente diferentes.

    Saiba de uma coisa, os dois têm o mesmo interesse: o seu coração.

    Agora você decide

    segue e, consequentemente, se entrega o seu coração (seu sentimento medo) ao Papa Francisco

    ou segue e, consequentemente, se entrega o seu coração (seu sentimento com de fé) a Cristo Jesus.

    Eu optei por Cristo.

    1. leandro disse:

      SE vc realemente optou por Cristo o honre não proferindo julgamentos parciais. VC fala que o papa propaga medo ao invés da esperança em Cristo. PELO VISTO NÃO LEU A REPORTAGEM INTEIRA VEJA:

      “A mensagem não é que devemos fazer proselitismo de nossa fé como se estivéssemos envolvidos em publicidade para levar os outros a se juntarem a nós em nossa sociedade espiritual”, pontuou o papa. “Não, isso não vai funcionar, pois não é verdadeiramente cristão. O que é cristão é ter a coragem de proclamar Jesus Cristo, como Cristo explicou ‘no diálogo misterioso’ com o fariseu Nicodemos, a coragem de ser ‘nascido de novo’, através da ação do Espírito Santo. O caminho da coragem cristã é o caminho de proclamar o nosso espanto ao ouvir a palavra de Jesus Cristo, que mantém viva a nossa fé e avançar”, distinguiu o papa, segundo informações do WND.

      NOTICIA QUE ESTA AI EM CIMA NA REPORTAGEM PAULO. Divergências entre católicos e protestantes sempre existirão. Agora não julgue assim pessoa nenhuma. Ele não está disseminando o medo ou falta de Fé em Jesus. Ao contrário, se vc ler com um pingo de racionalidade e boa fé.

      Agora vc ficaria feliz com guerras? Veja o que ocorre no Iraque e na Siria. É legal mulheres estupradas, crianças mortas, destruição. Nem os fariseus e saduceus fariam com Cristo este tipo de acusação leviana contra o papa

  24. Ta Serto disse:

    papitcho diz: “exorta cristãos a espalharem o Evangelho”

    Qual? o evangelho dos folhetins que dão na entrada da igreja, determinado pela ICAR o que está ou não escrito?

    Os católicos teriam que ler a Biblia pra fazer isso, papitcho!!!

    1. Lopes disse:

      Ok., mais que os católicos leem a Bíblia original é verdadeira não a bibliolatria., feita pelo herege João ferreira herege de Almeida., Bíblia apóstata mentirosa dos hereges.,

      1. R.P.S. disse:

        Lopes tu continua sendo teimoso como Balaão, só busca as coisa terrenas deste planeta.

    2. luciana disse:

      Você devia ir a uma Missa e pegar um folhetinho daqueles que vc menciona e ler o que tá escrito nele antes de falar besteira. Mas só pra vc ficar um pouco informado, naquele folhetim tem além de orações três textos da Bíblia , do Antigo Testamento, do Novo, do Evangelho mais um Salmo. O folheto é utilizado apenas por uma questão de praticidade.
      O texto bíblico que é lido tá lá na Bíblia escrito do mesmo jeito.
      E só pra vc saber mais um pouco: se uma pessoa assiste à Missa todos os dias em uma ano ela leu mais da metade da Bíblia. Só acompanhando o folheto.

      1. Luciana,disse tudo.Parabéns,irmã.JESUS CRISTO te ama.Também sou cristão
        católico.

      2. Lopes disse:

        Obrigado Luciana, o difícil e colocar esta verdade na cabeça da evanjecaiada., eles se acham a última bolacha do pacote., um bando

        1. Renato disse:

          Até o Rito eucarístico no missal dos católicos é bíblico… e o pior de tudo é que muitos falam demasiadamente da Icar, julgando desvios bíblicos, mas nem sabem o que ocorre no Rito máximo da Icar que é bíblico…

          Nunca ouvi falar algum evangélico dizer “eucaristialatria” na internet, eita neologismo.

          Mas acho que é por falta de conhecimento da Icar mesmo… se pisassem numa missa, acho que eles iriam ver que esse negocio de imagens é irrelevante em relação à adoração de um pão consagrado como Corpo e Sangue, Alma e Divindade de Jesus Cristo… É bíblico, e um Tabu que muitos insistem em dizer que é apenas “simbologia abstrata”, nada que consista no âmbito espiritual.

          Acho demasiado desespero e nervosismo, para por algo sagrado de vertente religiosa para debaixo do tapete e não ensinar aos cristãos não-católicos….

      3. Ta Serto disse:

        “se uma pessoa assiste a missa todos os dias”?????

        Não é só domingo?

        Se fosse todos os dias, teria que ter muitos coroinhas pros padres (filho do Lopes que o diga) e muito mais imagens para idolatrar….

        1. Douto disse:

          Jesus cuspiu nos fariseus que queriam descansar no sábado, e disse que Deus trabalha todos os dias…

          E aí espertão? você idolatra os domingos católicos, não trabalhando e descançado como eles fazem? Vai trabalhar preguiçôsu!

          Vai reclamar que os Sabatistas não trabalham no Sábado e você fica no PC altas horas da noite no Domingo, sabe-se lá em que site e fazendo o quÊ….

        2. Lopes disse:

          As imagens nos lembra os mártires e Santos que souberam amar Cristo e seus irmãos , já vc herege fica pelo mundo defecando e contaminando o mundo com suas fezes e urina., imbecil herege explorador de dízimo.. Perseguidor da santa igreja do povo de Deus dos anjos e Santos., vai te satanas

          1. Ta Serto disse:

            “As imagens nos lembra os mártires e Santos que souberam amar Cristo e seus irmãos”

            LEMBRAM? é essa a palavra que usam agora para idolatria?

            Ok… vou lembrar de uma imagem igual a que vcs fazem: “São longuinho, são longuinho…. se perguntarem do filho do Lopes, no colo do padre estará dando três pulinhos”

            mais uma: “Penosa maria mãe do deus do Lopes, ROGAI por nós os pescadores”

            TA SERTO… só lembram…

          2. Ta Serto disse:

            outra coisa… quando….. “lembram” (como dizem), se ajoelham, rezam e beijam o pé da estátua…..

            antes era “reverencia” … agora usam o “lembram”

            de boa…. desde que tenham o purgatorio…

  25. Lopes disse:

    O papa sabe o que diz, avante santo padre, jeus e contigo

    1. Elder Lima disse:

      Falou o lambedor de saco de padrecos!

      Você é uma piada!

      1. R.P.S. disse:

        Lopes Jesus não está guiando líderes apostatas, que ensinam heresias.

      2. Ta Serto disse:

        Elder, não gostei do seu comentário.

        O Lopes não é lambedor de saco dos padrecos….

        Ele já passou esse “cajado” para os filhos (próxima geração)

        kkkkkkkkkkkkkk

  26. R.P.S. disse:

    Lopes acorda enquanto há saia dela, em Apocalipse Deus convida aqueles que são sinceros de coração a sair da grande Babilônia e de suas filhas(igrejas que seguem os passos da icar medieval), Apocalipse 18:4.

    1. Lopes disse:

      Rps., afasta se satanas., pensa tu herege que deixarei a santa una igreja católica e apostolica para bandear para o covil protetstantes., de lutero., para trás divisor .. Herege., vc que precisa se converter , e para de perseguir a igreja de Cristo., ou achas que está babel protesttante agrada a comunhão de Cristo., deixe de desviar o povo de Deus., está a serviço do inimigo., desviando as almas do bom caminho para suas fileiras de seitas mundanas., achas mesmo que és melhor que um católico sincero e humilde., se engana e pagarás um preço muito alto pela sua conduta heretica., vai te satanas, em nome do pai do filho e do espírito santo., amem

      1. R.P.S. disse:

        Lopes, a Palavra de Deus é enfatica, aqueles que adorarem a besta (Roma papal – icar) e a sua imagem(protestantismo apostatado liderado pelos E.U.A.),, serão juntamente com estas bestas lançado no lago de fogo e enxofre. Apocalipse 19:20 e Apocalipse 20:10

        1. Ta Serto disse:

          Pro Lopes, se o papa falar quiser alterar isso, ele altera e ficam de boa…..

        2. Renato disse:

          R.P.S.
          Você e eles (pastores e papas) são farinha do mesmo saco, o que muda são apenas roupas e máscaras de ideias acerca da bíblia que tem milhares de interpretações, sendo que é conveniente você dizer que você é O correto.

          Enquanto você fica alertando pessoas, isso não faz diferença, pelo menos para o Alá dos muçulmanos, você é um pecador por acreditar na ressurreição de Jesus, o que pastores e papas pregam como verdade dogmática e incontestável através dos séculos…

          Que ironia, sem estes últimos você não estaria sendo cristão hoje…

        3. Lopes disse:

          Cale se herege enviado de satanas para desviar o povo santo de Deus.,perseguidor da santa igreja de Cristo., está que vc sita deve ser o cabaré de sua mãe ., cabra safado

          1. R.P.S. disse:

            Lopes a Bíblia nos diz que a Igreja de Jesus Cristo, é uma Igreja obediente a sua Palavra, coisa que a tua seita não é, só ensina fábulas, sofismas, enganos, mentiras, etcsss.

          2. Ta Serto disse:

            RPS, não fale assim ou eles mandam vc pro purgatório!!

  27. delldellphone disse:

    esse papa capim só fala besteira. ele tem que para de abusar de crianças e tirar essa saia longa. e deixar de ser aberração gay que é melhor. a maioria ja sabe que a seita catolica está com os dias contados.

    1. Ta Serto disse:

      Delldell…. não seja ridículo…

      Não se diz “saia”… e sim, “Cabana de Coroinhas”

  28. Lopes disse:

    Leviano, leviano., leviano., leviano., leviano., eta nome baitolakkkk., leviano., o padre deveria ter recusado batizar um peste desse ., leviano., leviano., leviano

  29. Lopes disse:

    Ta serto vai lá no negão valdosandiablo e ajoelha e faz uma boça de bela pra ele vai lá , afinal ele não e imagem., kkkkkkkk

  30. Roberto disse:

    O Papa estão com mendo, estamos em guerra, os cristão vão para o céu os terroristas também, assim acreditam, e a guerra vai eliminar, segundo profecias, só 2|3 da humanidade, o resto vai continuar vivo, no inferno em que vivemos , né…

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

As principais notícias gospel do Brasil e do mundo no portal pioneiro; Saiba tudo aqui sobre música gospel, evangélicos na política, ações missionárias e evangelísticas, projetos sociais, programas de TV, divulgação de eventos e muito mais.

No ar desde 2006, o canal de notícias gospel do portal Gospel+ é pioneiro no Brasil, sempre prezando pela qualidade da informação, com responsabilidade e respeito pelo leitor.

ANÚNCIO
ANÚNCIO
ANÚNCIO