Pastor é acusado de estuprar as próprias filhas, a mais nova tem apenas 11 anos

21

Um pastor evangélico da cidade de Boqueirão, na região do Agreste da Paraíba, está sendo acusado de estuprar cinco crianças, sendo que três delas são suas próprias filhas. O caso foi denunciado pelo Conselho Tutelar no dia 28 de agosto.

Segundo o site de notícias local paraiba.com.br, a filha mais velha do pastor, uma adolescente de 16 anos, relatou sobre os abusos sexuais que sofria do pai desde os cinco anos de idade. A menina contou também que o pai também abusava das irmãs mais novas de 12 e 11 anos.

A menina contou à polícia que quando era mais nova chegou a contar para a mãe sobre o que acontecia, mas o pai a mandou para o Rio de Janeiro, para morar com a avó. Ela afirma que chegou a dizer ao pai que contaria todo à polícia, mas que foi ameaçada por ele, que disse que mataria ela e sua mãe.

Apesar dos relatos de que os crimes já aconteciam há muito tempo, o caso só foi denunciado recentemente, quando a mãe de outra vítima, uma meninas de apenas 8 anos, ficou sabendo dos abusos. Ela relata que ficou sabendo do ocorrido pela própria filha, que contou que o pastor a sentou em seu colo, alisou suas pernas e apertou suas partes íntimas. A menina disse ainda que o homem a obrigou a beijá-lo. O crime teria acontecido quando a garota estava com as filhas do pastor e foi para um culto em uma igreja evangélica.


O pastor está sendo investigado pela Polícia Civil e foi preso por porte ilegal de armas, já que foram encontradas duas espingardas na sua casa.


21 COMENTÁRIOS

      • veado?

        kkkkk

        diz um ditado muito antigo que “quem desdenha quer comprar” kkk

        to achando que vc está alucinado com a coceirinha no reto e já ta vendo “veados” em todo lugar kkkk

        • Nosferatu, não liga para esse José Carvalho. Não passa de mais um velho tarado, como muitos que existem naquela região. Meu avô, que eu não conheci, não fugiu à regra. Parece que o povo daquela região pensa com o pinto, mesmo assim, quer posar de bastão da moral e dos bons costumes.

          .

          • JOSÉ CLAUDIO
            Já te avisei não adianta vir com esta conversa de seca lourenço que não pego gay, vou repetir mué mué muié muié

          • sei lá, mas essas “crianças” tem paranóia com gay kkk

            to achando que algum “unxido do sinhô” ando “bulinando-os” e eles gostaram..

            hj, por não controlar suas coceirinhas no reto, pra todo lado que olham enxergam gays kkk

          • NOSFERATU
            E u sabia foi um unxido do sinho que te xafurduo heheh como diz o caio fabio ele tinha um cotoco no lugar do dedo kkk

          • Inicialmente, o investigado havia informado ser pastor de uma igreja evangélica, mas na verdade ele trabalhava apenas como caseiro da igreja, fazendo manutenção predial no local. “Ele não execercia nenhuma função de pastor, mas cuidava dos ajustes e reformas do templo. No depoimento, negou as acusações, mas sabemos que ele já tinha respondido por crime anteriormente. Não sabemos por qual crime, pois o processo anterior foi extinto após prescrever, mas não era a primeira vez que era alvo de inquérito policial”, ressaltou Pereira.

            Ainda de acordo com o delegado, todas as cinco vítimas foram ouvidas. O delegado contou que as meninas relataram que sofriam ameaças de morte por parte do indiciado para que não contassem os abusos a ninguém. “As meninas eram ameaçadas de morte. Segundo elas, o suspeito ameaçava matar familiares caso elas comentassem com alguma pessoa”, ressaltou.

            Apesar de confirmar a transferência do indiciado por estupro da cadeira pública de Boqueirão, o Conselho Tutelar não informou quais foram os motivos e para onde o suspeito foi encaminhado. “Nossa participação no caso foi de ouvir as vítimas e levar as denúncias até a polícia. Também vamos dar apoio psicológico às meninas. Mas não podemos dar detalhes sobre a transferência, pois nossa tarefa no caso não compete a isso”, arrematou o conselheiro tutelar Valdeildo da Costa.

            Abusos aconteciam há anos, segundo vítimas
            Em entrevista à TV Paraíba, uma das filhas do suspeito, uma adolescente de 16 anos, contou que desde os cinco anos era agredida fisicamente e abusada sexualmente pelo pai. “Uma vez ele tirou a minha roupa e me agrediu porque eu não quis. Daí começou a me ameaçar e me bater”, disse a jovem.

            Segundo a adolescente, o pai também abusava das irmãs dela, de 11 e 12 anos. Elas moram em Boqueirão e a jovem disse que quando era mais nova contou à mãe o que acontecia com as três, mas o pai a mandou para o Rio de Janeiro para morar com a avó. “Ele me mandou para o Rio porque eu tinha decidido contar tudo para a polícia. Só que ele me ameaçou logo depois que eu tinha contado para minha mãe. Disse que se alguém mais soubesse ele ia me matar e matar minha mãe”, contou.

            A situação das jovens só foi denunciada ao Conselho Tutelar no dia 28 de Agosto deste ano, depois que a mãe de uma outra menina, de oito anos, ouviu da filha que tinha sido tocada pelo homem. A menina tinha saído de casa com as filhas do suspeito para ir ao culto em uma igreja evangélica da cidade. “Ela falou que estava sentada e ele começou mexendo nas pernas dela, alisando, até chegar nas partes íntimas, então apertou”, disse a mãe da criança em entrevista à TV Paraíba. A menina também contou outra situação: “ele pegou no meu rosto, apertou e me fez beijar ele à força”.

  1. Legal ne? Um homem que vocês dizem ser um mensageiro de DEUS haha, só lamento de alguns cristão que só saber falar mal do homossexualismo e não ver que há várias pessoas desse por ai dizendo ser um mensageiro de DEUS e abusar de crianças, realmente muito triste!

  2. Legal ne? Um homem que vocês dizem ser um mensageiro de DEUS haha, só lamento de alguns cristão que só sabe falar mal do homossexualismo e não ver que há várias pessoas como essa por ai dizendo ser um mensageiro de DEUS e abusar de crianças e tem armas em casa, realmente um ótimo exemplo para FAMÍLIA TRADICIONAL! :D

  3. Se é verdade o conteúdo dessa matéria, deveria constar o nome do pastor e de sua igreja.
    Se essa matéria é verdadeira ou não, não sei, o que sei é que é bem possível que uma situação horrível como essa aconteça, desde que seja um impostor denominado pastor, evangélico, crente, padre e etc.!
    A pessoa verdadeiramente nascida de Deus, que vive o que a Bíblia ensina, JAMAIS comete tal coisa! Antes, dá bom testemunho em todas as áreas da sua vida.
    Mas infelizmente hoje em dia está cheio de pessoas más se escondendo por trás de títulos, igrejas… Temos que prestar atenção nos frutos, pelos frutos, se conhece a árvore! o cristão VERDADEIRO dá bons frutos!

  4. Segundo o G1-Paraíba, com informação do delegado, ele era caseiro da igreja, não exercendo nenhuma função de pastor; cuidava de ajustes e reformas no local. Isto não exime a igreja de responsabilidade, se os fatos aconteciam em suas dependências, mas não era o/um pastor. (http://g1.globo.com/pb/paraiba/noticia/2014/10/delegado-indicia-suspeito-de-estuprar-cinco-criancas-em-boqueirao-paraiba.html). Sendo ou não pastor, deve ser enquadrado na lei, e pagar por seus crimes.

    • Inicialmente, o investigado havia informado ser pastor de uma igreja evangélica, mas na verdade ele trabalhava apenas como caseiro da igreja, fazendo manutenção predial no local. “Ele não execercia nenhuma função de pastor, mas cuidava dos ajustes e reformas do templo. No depoimento, negou as acusações, mas sabemos que ele já tinha respondido por crime anteriormente. Não sabemos por qual crime, pois o processo anterior foi extinto após prescrever, mas não era a primeira vez que era alvo de inquérito policial”, ressaltou Pereira.

      Ainda de acordo com o delegado, todas as cinco vítimas foram ouvidas. O delegado contou que as meninas relataram que sofriam ameaças de morte por parte do indiciado para que não contassem os abusos a ninguém. “As meninas eram ameaçadas de morte. Segundo elas, o suspeito ameaçava matar familiares caso elas comentassem com alguma pessoa”, ressaltou.

      Apesar de confirmar a transferência do indiciado por estupro da cadeira pública de Boqueirão, o Conselho Tutelar não informou quais foram os motivos e para onde o suspeito foi encaminhado. “Nossa participação no caso foi de ouvir as vítimas e levar as denúncias até a polícia. Também vamos dar apoio psicológico às meninas. Mas não podemos dar detalhes sobre a transferência, pois nossa tarefa no caso não compete a isso”, arrematou o conselheiro tutelar Valdeildo da Costa.

      Abusos aconteciam há anos, segundo vítimas
      Em entrevista à TV Paraíba, uma das filhas do suspeito, uma adolescente de 16 anos, contou que desde os cinco anos era agredida fisicamente e abusada sexualmente pelo pai. “Uma vez ele tirou a minha roupa e me agrediu porque eu não quis. Daí começou a me ameaçar e me bater”, disse a jovem.

      Segundo a adolescente, o pai também abusava das irmãs dela, de 11 e 12 anos. Elas moram em Boqueirão e a jovem disse que quando era mais nova contou à mãe o que acontecia com as três, mas o pai a mandou para o Rio de Janeiro para morar com a avó. “Ele me mandou para o Rio porque eu tinha decidido contar tudo para a polícia. Só que ele me ameaçou logo depois que eu tinha contado para minha mãe. Disse que se alguém mais soubesse ele ia me matar e matar minha mãe”, contou.

      A situação das jovens só foi denunciada ao Conselho Tutelar no dia 28 de Agosto deste ano, depois que a mãe de uma outra menina, de oito anos, ouviu da filha que tinha sido tocada pelo homem. A menina tinha saído de casa com as filhas do suspeito para ir ao culto em uma igreja evangélica da cidade. “Ela falou que estava sentada e ele começou mexendo nas pernas dela, alisando, até chegar nas partes íntimas, então apertou”, disse a mãe da criança em entrevista à TV Paraíba. A menina também contou outra situação: “ele pegou no meu rosto, apertou e me fez beijar ele à força”.

DEIXE UMA RESPOSTA