Pastor diz que irá “batizar” cópias do livro “50 Tons de Cinza” para anular a fantasia na mente das pessoas

28

O polêmico pastor Ed Young atraiu atenções ao dizer que iria “batizar” cópias do livro “50 Tons de Cinza” para evitar que os leitores caíssem em “uma armadilha” e fossem aos cinemas ver o filme que estreará nos próximos dias.

O livro, de conteúdo erótico, tornou-se uma febre mundial, mas atraiu polêmicas por causa das estripulias sexuais praticadas pelo personagem protagonista. Alguns críticos consideraram a publicação como uma apologia à violência sexual contra mulheres.

Young tem histórico de polêmicas como líder evangélico. Fundador da megaigreja Fellowship, na cidade de Dallas, o pastor se aventurou como televangelista e consultor de moda para colegas de ministério através do site pastorfashion.com, onde vende “looks” para os pastores descolados.

Segundo Ed Young, o livro e o filme fazem parte de uma ideia de corrupção dos valores cristãos: “Há uma epidemia cultural lá fora, que está envolta em completa fantasia. O livro, ’50 Tons de Cinza’ é uma tentativa perversa de aprisionar leitores e levá-los ao engano a respeito do que significam intimidade e conexão”, argumentou.


“É uma distorção patética de uma realidade mais poderosa sobre relacionamentos. Deus não é anti sexo, e Ele não é cinza quando se trata de relacionamentos. Eu quero fazer as pessoas acordarem para a realidade de que propósito e o plano de Deus para suas vidas é muito maior!”, acrescentou.

De acordo com informações do Christian Post, o mais recente livro de Ed Young também aborda de forma crítica o fenômeno literário que “50 Tons de Cinza” se tornou. O livro “Fifty Shades of They” (ainda sem tradução para o português, mas que pode ser entendido como “50 tons entre eles”) se tornou um dos best-sellers destacados pelo jornal The New York Times.

“Você me diz quem são seus amigos e eu vou mostrar-lhe o seu futuro. Relacionamentos conduzem uma parte significativa de nossas vidas. É hora de começar a procurar perceber a verdade e pôr de lado a falsidade torcida. E está na hora de responder à pergunta: ‘Seus desejos são cumpridos em uma fantasia sexual ou em uma realidade relacional?’”, questionou o pastor.

A ideia de “batizar” os livros, segundo Young, é fazer aumentar a conscientização das pessoas sobre a “perversidade” de seu conteúdo. O batismo simbólico será feito em cidades como Dallas, Miami e também em Londres, na Inglaterra.

“O triste é que muitos foram vítimas daquilo que esse livro representa e perderam a verdade de que Deus tem uma maneira e um propósito melhor para eles. Eu quero mostrar às pessoas que tudo se resume a um embate entre fantasia e realidade”, finalizou.

28 COMENTÁRIOS

  1. “Pedro respondeu: ‘Arrependam-se, e cada um de vocês seja batizado em nome de Jesus Cristo, PARA PERDÃO DOS SEUS PECADOS, e receberão o dom do Espírito Santo.’” (atos 2:38)

    Qualquer outro tipo de batismo nas águas que não tenha esse propósito é heresia.

  2. Crentes e sua obsessão com a sexualidade alheia. Vivem uma sexualidade altamente castradora, puritana, autopunitiva e infeliz – sim, infeliz, porque não se realizam sexualmente embora passem o tempo todo desejando isso – e querem impor isso aos que não seguem por esse puritano caminho de negação do prazer sexual. Quer ser como Paulo e não tocar o corpo de uma mulher, a não ser para ter um orgasmo rápido na posição “missionário” e depois se esquivar para o canto, que seja, mas não tente impor isso aos demais, seu pastor bitolado e idiotizado pela religião.

      • Eduardo, só posso te dizer uma coisa: sou muito feliz sexualmente. Não sou dessas pessoas que renegam um dos maiores prazeres que Deus – sim, DEUS! – deu aos seres humanos, afinal, se não fosse para ter prazer não teríamos desejos e muito menos orgasmos. Além disso, seríamos como os animais que só fazem sexo em época de cio. Seres humanos não têm cio, e sabe por que? Porque, em nossa espécie, o sexo não é só para procriação.

    • Sandro acha que todos os crentes pensam igual. Note que ele sempre coloca seus pontos de vista negativamente sobre pessoas que nao representam nosso pensamento. Posso discordar ou concordar com muito respeito, mas colocar todo mundo em um mesmo balaio, parece coisa de preconceituoso.

      • Por favor, Flavio, não acho que todos os crentes pensam igual. Quando escrevo “crentes” isso deve ser relativizado, pois já fui evangélico e sei que há muitos crentes que são pessoas inteligentes, agradáveis, progressistas e de maneira alguma alienadas Entretanto, um imenso contingente desse povo – você há de convir comigo – é muito limitiado e de uma pobreza intelectual franciscana. São multidões de pessoas manipuladas por vendilhões do Evangelho e gurus amantes do dinheiro, do luxo, do poder. Além disso, são adeptas de teorias da conspiração e têm uma cosmovisão situada ainda no período mosaico, o que é lamentável.

DEIXE UMA RESPOSTA