De perseguidor a pastor: o testemunho de um ex-guerrilheiro colombiano convertido ao Evangelho

0

O pastor Jasar (nome fictício, usado por questões de segurança) teve uma vida completamente oposta à que leva hoje. Na juventude, era um guerrilheiro na Colômbia e perseguia cristãos.

Em recente visita ao Brasil, Jasar afirmou que seu testemunho de vida se assemelha muito ao de Saulo, que ao ter um encontro com Jesus, passou de perseguidor a entusiasta do Evangelho e divulgador da mensagem de Salvação.

“Assim como Paulo, eu fui um homem muito mau, mas Deus me transformou. Minha infância foi muito difícil, eu servia aos guerrilheiros. Cresci e me tornei um homem materialista, a filosofia tomava conta do meu coração e eu afirmava ser um ateu”, testemunhou.

Na época, além de odiar os cristãos, acreditava que todos agiam para prejudicá-lo: “Como todo guerrilheiro, detestei os cristãos e acreditava que eles eram todos espiões, além disso, eu também achava que eles não serviam para nada, não nos davam informações, não deixavam que levássemos seus filhos, não nos obedeciam e ainda serviam a Deus. É por tudo isso que os cristãos são vistos como inimigos dos guerrilheiros, por isso eles são perseguidos e mortos”, afirmou, de acordo com informações da Missão Portas Abertas.


Jasar contou que sua conversão aconteceu aos 22 anos, após uma série de sonhos e revelações. Sobre a Colômbia, ele explicou os guerrilheiros tinham uma estratégia clara para exterminar o cristianismo no país, como por exemplo, proibir pregações e perseguir e matar os fiéis. E o cenário continua o mesmo hoje, mesmo com a diminuição da força das guerrilhas.

“Todos éramos iguais, acreditávamos que o ser humano nascia, crescia e morria, por isso não havia espaço para a espiritualidade. Quando saíamos às ruas era para perseguir e matar. Numa dessas saídas, um cristão me ameaçou com a Bíblia, que era a arma dele. Mesmo com metralhadoras em sua cabeça, ele teve coragem de dizer ‘se você me matar, saiba que Jesus Cristo vai continuar vivendo’. Foi uma discussão entre um homem material e um homem espiritual”, afirmou o pastor, que tinha uma posição de comando, liderando milhares de homens.

“Deixe de ser mentiroso, Deus não existe”, disse Jasar ao cristão. “Mas o homem continuou a ‘atirar’ em mim com aquela ‘arma’. Ele disse ‘se você me matar, terá que pregar em meu lugar, porque Deus tem um grande plano para sua vida, do qual você não poderá escapar’. E aquela foi a minha primeira experiência com Deus. Eu mandei o homem ir embora e os guerrilheiros não entenderam nada. Eu disse a eles que não matei porque me faltou vontade, mas a verdade é que eu tinha sentido a glória do Senhor”, revelou.

De ateu, ele passou a acreditar que o mundo espiritual existia de verdade. Porém, sua iniciativa foi no sentido oposto, e, assim como outros guerrilheiros, queria fazer um pacto espiritual para “ter o corpo fechado”.

“Eu estava decidido a fazer um desses pactos, com Deus ou com o diabo. Antes de dormir, invoquei um deles. O diabo não apareceu. Então chamei o Deus dos cristãos, dizendo ‘se você existe mesmo, então apareça aqui e vamos fazer um pacto, mas ele também não apareceu. Naquela mesma noite, eu sonhei com Jesus, ele vinha numa nuvem, eu vi seus olhos como chamas de fogo e seu rosto lindo. Foi quando me converti de verdade. É duro lutar com Deus, pois ele sempre vence”, concluiu.

A Colômbia é o 46º país na lista de Perseguição Religiosa da Missão Portas Abertas. Apesar da legislação garantir a liberdade religiosa, muitas lideranças políticas veem as denominações cristãs como ameaça, assim como as guerrilhas.


SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA