Ativista LGBT sai em defesa de confeiteiros cristãos que recusaram fazer bolo de casamento gay

26

Um caso envolvendo confeiteiros cristãos que se negaram a fazer um bolo para um casamento gay voltou a causar rebuliço na sociedade europeia. Só que dessa vez, surpreendentemente, um ativista LGBT defendeu a liberdade religiosa.

Daniel e Amy McArthur, cristãos, proprietários da padaria Ashers, em Belfast, na Irlanda do Norte, receberam um pedido, em maio de 2014, de um ativista gay chamado Gareth Lee, para um bolo com os bonecos Bert e Ernie, do programa Vila Sésamo, com a frase “em apoio ao casamento entre homossexuais”.

Por se recusarem a atender o pedido, foram processados por Lee, que é membro de um grupo LGBT chamado QueerSpace [uma referência à teoria que deu origem à ideologia de gênero].

Na ocasião, a Comissão de Igualdade da Irlanda do Norte disse que iria tomar medidas legais contra a padaria Ashers, pois o caso tem implicações mais amplas para as leis de igualdade e discriminação na Irlanda do Norte: “Este caso levanta questões de importância pública, à medida em que os fornecedores de bens e serviços podem recusar um pedido em razão da orientação sexual, crença religiosa e de opinião política”, dizia um comunicado.


O proprietário afirmou que não iria recuar e que este caso seria mais uma “batalha entre Davi e Golias”: “[A padaria] Ashers Baking Company está disposta a servir a qualquer cliente, independentemente do seu estilo de vida sexual. Mas nós não queremos ser obrigados a promover uma causa que é contra as nossas crenças bíblicas”, disse McArthur.

O caso voltou à tona essa semana, pois uma audiência estava agendada, mas a Procuradoria-geral pediu adiamento, para avaliar se não haveria questões legais ignoradas durante o processo, como conflitos entre leis locais e a legislação da Comunidade Europeia, segundo o Belfast Telegraph.

No jornal The Guardian, um renomado ativista gay publicou um artigo alegando ter mudado de ideia a respeito do caso: “Por mais que eu queira defender a comunidade gay, eu também quero defender a liberdade de consciência, de expressão e de religião”, escreveu Peter Tatchell.

“Na minha opinião, exigir que as empresas ajudem a promover ideias às quais se opõem é uma violação de suas liberdades. A discriminação contra as pessoas deve ser ilegal, mas é um direito delas, se opor a ideias”, afirmou. A declaração vai no mesmo sentido da defesa apresentada por McArthur, que argumentou que não recusa atender homossexuais, apenas não quer ser obrigado a endossar um princípio do qual não participa.

Até agora, a padaria apenas foi multada em £500, que é equivalente a R$ 2.810,00 na cotação dessa quinta-feira, 04 de fevereiro, mas os proprietários recorreram. Nesse contexto, o ativista gay que saiu em defesa dos confeiteiros afirmou que a multa “estabelece um precedente preocupante”, que pode gerar repercussões inesperadas.

“Isso levanta questões, como: gráficas muçulmanas deveriam ser obrigadas a publicar caricaturas de Maomé; ou os judeus seriam obrigados a publicar as palavras de alguém que nega o Holocausto; ou até mesmo confeiteiros gays seriam obrigados a aceitar encomendas de bolos com insultos homofóbicos?”, questionou. “Se o veredito da Ashers permanecer o mesmo, isto pode, por exemplo, incentivar extremistas de direita exigir que as padarias e outras prestadoras de serviços facilitem a promoção de opiniões anti-imigrantistas e anti-muçulmanas. Isto deixaria as empresas incapazes de se recusarem a decorar bolos ou imprimir cartazes com mensagens intolerantes”, pontuou.

26 COMENTÁRIOS

    • Pois é Clamando meu amigo, seria ótimo se no Brasil, existisse mais pessoas com a inteligência do Clodovil e menos pessoas com o pensamento de ditador como Jean Wyllys, aquele burro falante, ignorante!

      • VANESSA

        Não chame o Jean BBB de burro, isso ofende os animais quadrúpedes, que inclusive são úteis puxando carroças, para alguma coisa eles servem, o que não é o caso do dito cujo que fica lá na câmara zurrando suas asneiras.
        Já li aqui no G+ que ele teria dito achar “normal” um menino ter sua iniciação sexual com um homem adulto!
        E que o avião que caiu na Malaysia teria sido derrubado para matar ativistas gays a bordo e que as torres gêmeas do WTC foram atacadas para matar gays que estavam lá.
        Realmente este país não tem jeito, a vaca já foi pro brejo…

  1. Pô cara, até que enfim um ativista falou algo coerente, pois nota_se que os que encomendaram o bolo, fizeram uma provocação com o casal cristão, apenas para prejudicar os mesmos. ……..Ô raça!

    • VANESSA

      Eu nem ando mais brigando com os gays aqui no G+.
      Só com uns ativistas que querem garantir seus direitos avançando sobre os nossos, com destaque para o BBB Burro Besta Babaca Jean.
      Veja aí em cima o caso da professora lésbica, não querendo deixar crianças assistir ao desenho clássico da Branca de Neve por conter um príncipe e uma princesa.
      Tentaram fazer isso por aqui, banir contos de fadas e substituí-los por versões que tenham personagens formando um casal gay.
      Isso aumentou o rancor contra evangélicos, pois trabalharam pela rejeição do projeto parlamentares como o famoso Malafaia.
      Esse caso da confeitaria tem um forte cheiro de má-fé e provocação.
      Ou até tentativa de faturar uma grana fácil sem esforço.

      Aqui temos o código do consumidor, o qual proíbe qualquer comerciante de discriminar consumidor, seja qualquer o motivo.
      Obviamente não se pode se negar atendimento um “casal” gay que quer um bolo, mas querer que coloquem imagens, símbolos ou palavras contrários à moral da pessoa?
      Falta um simpatizante do nazismo querer de um confeiteiro judeu um bolo com o símbolo da suástica e palavras como “morte aos judeus”.
      Ou um confeiteiro judeu negar a um cristão um bolo com a imagem de Jesus ou de Maria, pois os judeus não reconhecem Jesus como o salvador prometido em seus próprios livros sagrados.

      • É isso que eu digo amiga, não tenho nada contra homossexuais, mas é aquilo né, tem uns ativistas de quinta, que querem impor seus ideais à todo custo, e com isso eu nunca, jamais irei concordar.
        Já disse para o meu marido; se eu souber que na escola do meu filho estão ensinando, incentivando as crianças nessa prática, aí o bicho vai pegar, pois eu nunca tratei mal uma pessoa por ela ser homossexual, mas isso eu não precisei aprender na na escola, através de cartilhas com cenas de sexo explícito, eu aprendi em casa à ter respeito pelo próximo, independente de qualquer coisa.
        Obs: Meu melhor amigo aqui na terra, é um homossexual, portanto, não sou homofóbica. ……..Tá bom Sandro? !

        • VANESSA

          Eu sou OMOfóbica, tenho medo de sabão em pó.
          E já que a palavra “fobia” vem do grego PHOBOS, “medo”, o certo não seria “homofobia”, pois ninguém tem medo de HOMOS, “igual”.
          Eu, por exemplo, não tenho medo nenhum, tenho é raiva de alguns, tipo o ex-BBBosta.
          Programinha de pu-ta-ria da podre, pútrida r putrefata rede esgoto.

  2. Parabéns ao ativista que saiu em defesa do casal. Na verdade, se existisse somente uma confeitaria, seria constrangedor mas, existem umas milhares na Europa e isso acaba se tornando mais uma perseguição ao cristianismo. Mais uma picuinha pra chantagear cristãos. Poderia numa investigação, supor que o ativista pois assim foi denominado pelo noticiário, ou seja, não era um homossexual qualquer e sim um ativista, que já foi artimanhosamente predestinado à armar essa para o casal. Em fim, Peter Tatche, ativista que saiu em defesa do casal cristão, mostrou que existem ativistas que tem mais miolo que os daqui do Brasil, que tem o cérebro do Jean Wyllys, Luciana Genro, Érika Kokay e Jandira e outros politicos. Basta entender que esse tipo de situação amanhã, pode virar-se contra os gays pois os Cristãos tambem tem direitos garantidos e podem, dentro da lei, constranger um ativista gay a enfeitar a igreja para um casal evangélico, ou ser o motorista da limosine, ou limpar a igreja para que seja algum evento cristão ali realizado, caso se recuse por ser prestador de serviço. Pau que bate em Chico, bade em Francisco.

  3. Obviamente, ninguém deve ter sua liberdade cerceada. Mas a liberdade também não pode ser usada para ferir o seu próximo. Você não pode usar sua liberdade para praticar atos racistas, anti semitas, machistas, homofóbicos…, e não é porquê o seu próximo nasce negro, ou porquê tem o pênis circuncidado, ou porquê nasceu mulher, ou porquê não consegue sentir atração pelo sexo oposto…, é porquê seu próximo é um ser humano, que tem sentimentos, que você pode magoar.. ele não é um rótulo (homossexual, judeu, mulher, negro), não é uma ideologia (comunista, de direita, de esquerda), não é uma religião, não é um número de estatística (tantos % de um grupo que são assassinados por ano), ele é um ser humano.. então você não tem que pensar, quando recebê-lo em seu estabelecimento, que você tem o direito A, o dever B, que você concorda com A, ou C, que ele é do grupo B… você tem que se colocar no lugar dele, e pensar: como eu gostaria de ser tratado? Não foi isso que Jesus ensinou?

    Deve-se separar, usando o bom senso, ideologia, religião, opinião política, etc., do ser humano que está na sua frente. Exemplos práticos?

    Caso 1)- Um cristão entra numa confeitaria de um judeu, e pede para o judeu fazer um bolo de casamento com algo de Jesus Cristo. O judeu explica ao cristão: eu não posso fazer esse tipo de bolo, por causa da minha religião. Mas pode escolher qualquer outro tipo de bolo de casamento, sem símbolos cristãos, que eu farei para você com prazer. – O judeu discriminou o cristão? Absolutamente não, porquê ele não se negou a atender um ser humano, não feriu o que aquele cliente é (um cristão), ele simplesmente exerceu sua liberdade de prática religiosa, porquê discorda das práticas religiosas do cliente, e não do que o cliente é em si.

    Caso 2)- O cristão entra numa confeitaria de um judeu, e pede um bolo de casamento comum (sem nenhum símbolo cristão). O judeu se recusa a fazer o bolo, dizendo: “Não posso fazer um bolo para você (para o tipo de ser humano que você é), porquê você é cristão. Por causa da minha religião, eu não posso fazer bolos para casamentos de cristãos”. O judeu discriminou o cristão? Sim, porquê ele se negou a atender o cristão, simplesmente por ele ser cristão.

    Talvez por ser um caso incomum, não seja fácil de imaginar. Um exemplo mais fácil de imaginar:

    1 – O judeu entra em uma confeitaria, e pede um bolo da Estrela da Davi. O confeiteiro diz: “Não posso fazer esse tipo de bolo, porquê sou cristão. Mas pode escolher outro tipo, e farei com prazer”. – O judeu foi discriminado? Absolutamente não. O confeiteiro discordava da sua religião, mas não o discriminou como o ser humano que ele é (um judeu).

    2 – O judeu entra em uma confeitaria, e um careca, com uma tatuagem da suástica no braço, o atende (usei o estereótipo para reforçar a imagem). O judeu pede um bolo comum, e o cara diz: “Não vou te atender. Porquê você é judeu. Não concordo com o judaísmo. Tenho o direito de não atender quem eu quiser”. – O judeu foi discriminado? Sim, o judeu foi discriminado simplesmente por ser judeu.

    Para ficar mais fácil ainda de entender, a diferença entre exercer sua liberdade religiosa, política, ideológica, e discriminar um ser humano:

    1 – Chega na confeitaria de um judeu, um careca, alemão, com cara de nazista, e pede ao judeu um bolo de casamento, comum. – Obviamente, se o careca não tiver nenhum comportamento agressivo, o judeu irá atendê-lo, com aquele olhar de desaprovação. Mas imaginem se o judeu se nega, e diz: “Não vou te atender”. Ele vai estar sim, discriminando aquele ser humano (o cara pode, nem ser um neonazista ou skinhead).

    2 – O mesmo careca chega, e pede ao judeu um bolo com uma suástica nazista. – Obviamente, o judeu vai poder se recusar, ele não vai estar recusando atender um ser humano, como ser humano, ele só vai estar discordando daquele símbolo, daquela ideologia. O judeu simplesmente diz: “Esse tipo de bolo eu não posso fazer”.

    Cristãos, é só usar o bom senso, vocês estão lidando com seres humanos, não com ideologias.

    1 – O cristão chega na confeitaria de um homossexual, e pede um bolo com uma frase bíblica: “Amai a seu próximo como a vós mesmos”. – Se o homossexual se recusar a fazer, vai estar fazendo por discriminação, por aquele homem ser cristão, pois a frase não o ofende de nenhuma forma.

    2 – O cristão chega na confeitaria de um homossexual, e pede um bolo com uma frase de Levítico que diz que os homossexuais devem morrer. – O homossexual diz: “Essa frase eu não posso colocar no bolo, porquê me fere como ser humano que sou, eu sou homossexual. Mas o senhor pode escolher outra frase da Bíblia”. – O homossexual discriminou o cristão? Não. Ele exerceu sua liberdade, sem discriminar o ser humano que estava na sua frente.

    Outro exemplo:

    1 – Chega um muçulmano e uma judia, numa loja de um judeu, e pedem um bolo de casamento, com algum símbolo muçulmano. E o judeu diz: “Não posso fazer esse tipo de bolo, por causa da minha religião. Mas escolham outro tipo, sem símbolos muçulmanos, e eu o farei”.

    2 – O mesmo caso, mas sem nenhum símbolo muçulmano no bolo. E o judeu diz: “Não posso fazer esse tipo de bolo, porquê não concordo com o casamento entre judeus e muçulmanos”. – Nesse caso, o judeu discriminou aqueles seres humanos, simplesmente pelo que eles são.

    É só questão de usar o bom senso, de se colocar no lugar do seu próximo. Seja o casamento de um branco com uma negra, de um judeu com uma muçulmana, de um ateu com uma cristã, de um homem com outro homem…, o mesmo coração de carne que bate no peito do judeu, bate no peito da negra, da muçulmana, do homossexual.. o ferimento, de não ser atendido por serem quem são, vai doer da mesma forma… será que a visão de vocês ficou tão cega, materialista, superficial? Seus corações endureceram como pedras.

    Cristãos, Deus diz em Levítico (que vocês tanto amam), para que os hebreus tratassem os estrangeiros, e os amassem, como a eles mesmos, porquê eles já foram estrangeiros no Egito.

    Vocês já foram caçados, discriminados, crucificados, simplesmente por serem cristãos. Se casavam em tumbas, nas sombras, porquê suas práticas eram ilegais para os romanos. Mas que cristão, naqueles dias, não gostaria de ter os mesmos direitos que os romanos, sem deixar de serem quem são, embora os romanos discordassem das suas práticas? Imaginem um romano dizendo: “Você pode se casar com ela legalmente, mas tem que deixar de ser cristão. Você não nasceu cristão, pode deixar de ser cristão. Mas eu não concordo com o cristianismo, e tenho o direito de ter minha liberdade e negar te casar”. Se você não gostaria de passar por isso, não faça seu próximo passar por isso. Você não precisa concordar com a prática homossexual, só precisa respeitar o homossexual, e tratá-lo, como gostaria de ser tratado.

    Esqueçam por um momento Jean Wyllys, Bolsonaro, Malafaia, Dilma, comunismo… e pensem em Jesus.

    Jesus respondeu: «Eu fui mandado somente para as ovelhas perdidas do povo de Israel.»Mas a mulher, aproximando-se, ajoelhou-se diante de Jesus, e começou a implorar: «Senhor, ajuda-me.» Jesus lhe disse: «Não está certo tirar o pão dos filhos, e jogá-lo aos cachorrinhos.» A mulher disse: «Sim, Senhor, é verdade; mas também os cachorrinhos comem as migalhas que caem da mesa de seus donos.» Diante disso, Jesus lhe disse: «Mulher, é grande a sua fé! Seja feito como você quer.» E desde esse momento a filha dela ficou curada.

    Aquela mulher era cananéia, pagã, e Jesus não precisou concordar com as práticas pagãs dela, não exigiu que ela se convertesse ao judaísmo para ajudá-la, não exigiu que ela se livrasse das suas práticas pagãs… ele teve pena, admiração pela fé dela, ele foi humano, tratando com uma humana. Nessa hora, se foi a sua missão, ordem e mandamento (enviado somente para o povo de Israel), se foi o rótulo, a ideologia política (uma mulher que vinha da descendência de povos, que trouxeram muito sofrimento a Israel), a religião (uma mulher pagã, idólatra), e só sobraram dois seres humanos, um encontro de almas.

    • EDUARDO NOBRE

      Isso é o que acontece quando o “politicamente correto” passa dos limites.
      Isso que você falou sobre o confeiteiro judeu…etc…eu já tinha levantado essas hipóteses.
      Vai um simpatizante do nazismo na loja de um judeu e fala: quero um bolo com o símbolo da suástica, ou o que é mais comum, vai um branco racista na loja de um negro e fala que quer um bolo com o emblema da Ku Klux Klan.
      Se não fizer, pode ser processado.
      Se fizer, pode ser processado.

      Há um ou dois anos, na Inglaterra, havia uma escola infantil e lá havia uma professora lésbica (homossexual mulher).
      E ela não deixou seus alunos (crianças) irem assistir ao desenho Branca de Neve (Disney), alegando que era “agressivamente heterossxual”, ou seja, ofensivo aos homossexuais, por conter um príncipe e uma princesa.

      Como a Inglaterra não é o Brasil, os pais ficaram furiosos com esse abuso, chegando o caso até o primeiro-ministro, que já declarou que aquele tipo de correção era abusivo.
      Aí a professora resolveu liberar a ida das crianças, só que uns jornalistas investigaram o caso mais de perto e descobriram que a “namorada” da professora era a diretora da escola, que inclusive “facilitou” a contratação da mesma.

      Ninguém ofendeu nem proibiu a pessoa de ser homossexual, só que a mesma tem o mesmo comportamento de uns ativistas por aqui, esquecem que os não-gays também têm direitos.
      Se ela tem direito de manifestar sua orientação sexual, as crianças também tinham o direito de assistir ao singelo desenho da Disney, que tem quase 100 anos, antes até de gays serem chamados de gays.
      A professora e a diretora foram transferidas para o olho da rua, merecido.

      Aqui no Brasil tentaram fazer isso valendo-se um fracassado projeto de lei que tentou, entre outras coisas, banir todos os contos de fadas (como o da Branca de Neve) e substituí-los por versões gays, além de retirar as palavras PAI e MÃE dos documentos oficiais e obrigar professores a incentivar o homossexualismo entre os alunos.

      • Meu Deus gente! Todo mundo atacando todo mundo. Cada um tem sua parcela de razão e de erro. Mas o que não tenho dúvida é que todo mundo está repleto de direitos, querendo e querendo ser reconhecido, aceito, amado, e não percebem que isso só vai acontecer quando tivermos plena consciência de nossos deveres!!!!

    • Belas palavras Eduardo… mas acho que a Mariana não entendeu nada. O cérebro dela tem dificuldade em absorver palavras positivas, caridosas, humanas, etc.

      Veja como o cérebro dela processou o seu longo texto: ………..gay………….gay………..gay………..judeu………………negro…………suástica…………..nazista……………..gay.,,,,,,,,,,,,,,,..muçulmano…………gay…………….negro……….gay……….

      A princesa dos lindos cabelos dourados para baixo….. é puro ódio e veneno.

      • EU SÓ CONSEGUI LER EDUARDO ….GAY…..GAY….GAY……..GAY…….
        GAY….EDUARDO…..GAY …..GAYJEGUE……..GAY…..EDUARDO
        E POR FIM RAJI OBAMA GAY ……GAY……… GAYYYYYY

      • Discordo de você Raji, acho que a Princesa é bem inteligente e conseguiu entender.. acontece que ela focou em comentar outra coisa.

        E não acredito que ela seja puro veneno… eu e ela temos pontos de vista diferentes.. mas eu a entendo… muitos comentaristas nesse site tem uma linguagem bem agressiva, sacana (inclusive eu)…. aqui é um ambiente ainda muito machista, onde às vezes as meninas se sentem até intimidadas a comentar… se ela não se impor, vocês a sufocam. E ela sendo uma forte representante feminina, que não recua, que não se deixa intimidar, ela inspira as outras meninas a comentar também, e é importante o papel dela, garantindo o espaço das meninas aqui no site.

        ————————————————

        Agora o Clamando…. ah o Clamando…. tenho certeza que você não leu dessa forma Clamando. Você leu meu texto assim:

        Dízimo………..dízimo……….dízimo………dízimo……….dízimo……….dízimo……….

        Embora eu não tenha escrito a palavra dízimo uma única vez….. porquê:

        Parafraseando o Raji: – “O Clamando da careca para baixo, é pura ganância”.

        • como podemos qualificar uma pessoa de gananciosa,gostaria de entender, e gostaria de usar paulo, quando diz os outros são apóstolos, eu muito mais em perigos de naufrágio entre falsos irmãos em apedrejamentos,ora como pode alguém que é exemplo em doar em devolver o dízimo e fazer tantas obras de evangelização de fins sociais ser ganancioso, só tenho uma coisa para te dizer gayjegueeduardostardust, me mostre tuas obras de sovina e miserável que eu te mostro minhas obras em favor da obra de Deus. depois vc. fala novamente

    • Disseste tudo, mas ainda que eu faça tal bolo, como o cliente deseja e com símbolos que não retrata minha condição de fé, ainda assim não quer dizer que compactuo com sua prática de fé ou de vida, mesmo eu sendo cristão isso não fere a minha fé, faria sem nenhum preconceito, pois o meu espírito cristão a exemplo do Mestre é de ajudar as pessoas e não pô-las mais longe do evangelho que afirmo professar. Sintam-se abraçados pelo amor fraternal de Cristo, todos os Cristãos ou não, héteros ou homosseexuais, enfim Independente de credo ou condição.

    • Eduardo Nobre, não retiro uma palavra, nem uma vírgula do que você disse. Seu texto está de parabéns. Concordo em gênero, número e grau. A única coisa que cabe reflexão é que está cada vez mais difícil conviver num meio onde as pessoas se quer são capazes de pensarem no respeito a ele e ao próximo. E penso que está guerra, que por sinal gera sofrimento para ambos os lados, está longe de acabar. O que nos resta é tentar conviver da melhor maneira possível, respeitando a nós mesmo e a esse próximo que está cada vez mais, as vezes, intolerante.

  4. Pastor é suspeito de ter assassinado taxista a tiros em Cacoal, RO
    Suspeito se chama Cláudio Severino da Silva, ou ‘Cal’, e está foragido.
    A polícia está trabalhando com várias linhas de investigação para o crime.
    A Polícia Civil de Cacoal (RO), município a 480 quilômetros de Porto Velho, identificou um dos suspeitos de ter envolvimento no assassinato de um taxista de 69 anos cometido no dia 5 de janeiro, na área rural.
    O homem foi morto com dois tiros na cabeça. De acordo com o delegado regional, Arismar Araújo, o suspeito que está foragido da justiça se chama Cláudio Severino da Silva, também conhecido como Cal. Ele trabalha como motorista no Conselho Tutelar da Prefeitura do município de Ministro Andreazza, é pastor de uma igreja evangélica e não tinha passagem pela Polícia. As investigações, conforme os policiais, estão apontando que o crime foi encomendado.
    O delegado contou ainda que não pode revelar os motivos do assassinato para não atrapalhar o trabalhão que está sendo feito para se chegar aos acusados e as motivações. O policial informou que no dia do crime, Cal atraiu o taxista através de uma ligação de orelhão, solicitando os serviços do taxista. Quando já estavam longe da cidade ele, possivelmente, executou a vítima ainda dentro do veículo, sentado no banco do passageiro.
    Nós pegamos imagens de uma câmera de segurança da mercearia onde Cal comprou o cartão de orelhão para ligar para o taxista, após uma busca e apreensão realizada na residência do suspeito também encontramos a mesma camiseta utilizada por Cal no momento da ligação”, contou Arismar, destacando que a camiseta estava com algumas manchas. A peça foi encaminhada para exames para verificar a presença de sangue humano e resquícios de pólvora.
    O suspeito chegou a prestar depoimento à polícia e negou seu envolvimento no crime, apresentando um álibi que, após ser verificado pela polícia não foi confirmado. No dia seguinte ao depoimento, a Justiça decretou um mandado de prisão contra Cláudio, mas quando os policiais foram executar descobriram que o homem havia fugido com a família e toda a mudança da casa.
    A polícia pede para que as pessoas que souberem do paradeiro de Cal, denunciem através do telefone 197 ou 190.
    Globo.com

    • Um líder religioso foi preso nesta quinta-feira (28) suspeito de abusar da própria filha há três anos. O suspeito estava na igreja no município de Cariacica quando foi detido pela polícia. A vítima, atualmente com 17 anos, residia com o pai, a madrasta e dois irmãos, uma criança de quatro, e um menino de 13, em Vila Velha. Segundo a polícia, o acusado era taxista, além de pastor, e era dono de duas igrejas.

      “Era só pra saber que ela era virgem” diz pastor acusado de abusar da filha

      O delegado Lorenzo Pazolini, responsável pela Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), garante que o pastor realizava abusos sexuais no quarto da filha. “Nos primeiros dois anos ele permanecia com atos libidinosos, depois cometeu a conjunção carnal. A madrasta explicou que nunca tinha visto nada e nem desconfiava do marido”. A polícia destaca que o acusado cometia o abuso nos mesmos horários, diariamente, com agressão física e verbal. “O abuso sexual tornou-se rotineiro, quase diário. Às vezes diante do choro da filha ele parava e pedia perdão”, relata.

    • 11/12/2015 13h01 – Atualizado em 11/12/2015 14h04

      Padre é acusado de roubar mais de US$ 1 milhão para usar com namorado
      Redação RedeTV!

      O padre teria começado a roubar os fiéis em 2003 (Foto: Reprodução/NY Daily News)
      O padre Peter Miqueli, de 53 anos, está sendo acusado de roubar mais de US$ 1 milhão, o equivalente a R$ 3,8 milhões, das doações de fiéis à igreja e utilizar o dinheiro para bancar as fantasias sexuais com o amante.

      Citando os documentos do processo, o jornal “NY Post” afirma que o padre gastava cerca de R$ 3,8 mil a cada relação sexual com o amante, Keith Crist. Durante o ato, o pároco fazia o papel de “escravo sexual”, e era forçado a chamar o parceiro de “mestre” e a beber a urina dele.

      O dinheiro também foi utilizado para comprar medicamentos ilícitos e uma casa em Nova Jersey (Estados Unidos) no valor de US$ 264 mil, pouco mais de R$ 1 milhão. Metade do valor foi pago em dinheiro.

      Ainda segundo o jornal, vizinhos da residência, onde moram Miqueli e Crist, disseram que os dois sempre recebem visitas de outros homens.

      Os desvios das doações teriam começado em 2003, mas o processo contra Miqueli só foi aberto recentemente por membros de duas igrejas por ele passou. O advogado de acusação, Michael G. Dowd, disse ter ficado impressionado com o caso. “Como é possível que ele esteja agindo assim há nove anos sem que a arquidiocese tenha feito algo?”, questiona Dowd. “Alguém extremamente poderoso está protegendo ele”, acrescentou.

      Fiéis da atual igreja do padre estão fazendo uma campanha no Facebook para exigir que ele seja afastado.

  5. Querido pastor,

    Aqui quem fala é Jesus. Não costumo falar assim, diretamente – mas é que você não tem entendido minhas indiretas. Imagino que já tenha ouvido falar em mim – já que se intitula cristão. Durante um tempo achei que falasse de outro Jesus -talvez do DJ que namorava a Madonna- ou de outro Cristo -aquele que embrulha prédios pra presente- já que nunca recebi um centavo do dinheiro que você coleta em meu nome (nem quero receber, muito obrigado). Às vezes parece que você não me conhece.

    Caso queira me conhecer mais, saiu uma biografia bem bacana a meu respeito. Chama-se Bíblia. Já está à venda nas melhores casas do ramo. Sei que você não gosta muito de ler, então pode pular todo o Velho Testamento. Só apareço na segunda temporada.
    Se você ler direitinho vai perceber, pastor-deputado, que eu sou de esquerda. Tem uma hora do livro em que isso fica bastante claro (atenção: SPOILER), quando um jovem rico quer ser meu amigo. Digo que, para se juntar a mim, ele tem que doar tudo para os pobres. “É mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar no reino dos céus”.

    Analisando a sua conta bancária, percebo que o senhor talvez não esteja familiarizado com um camelo ou com o buraco de uma agulha. Vou esclarecer a metáfora. Um camelo é 3.000 vezes maior do que o buraco de uma agulha. Sou mais socialista que Marx, Engels e Bakunin – esse bando de esquerda, caviar. Sou da esquerda roots, esquerda pé no chão, esquerda mujica. Distribuo pão e multiplico peixe – só depois é que ensino a pescar.
    Se não quiser ler o livro, não tem problema. Basta olhar as imagens. Passei a vida descalço pastor. Nunca fiz a barba. Eu abraçava leproso. E na época não existia álcool gel.

    Fui crucificado com ladrões e disse, com todas as letras (Mateus, Lucas, todos estão de prova), que eles também iriam para o paraíso. Você acha mesmo que eu seria a favor dos exploradores do povo humilde e desamparado?

    Soube que vocês estão me esperando voltar à terra. Más notícias, pastor. Já voltei algumas vezes. Vocês é que não perceberam. Na Idade Média, voltei prostituta e cristãos me queimaram. Depois voltei negro e fui escravizado e ainda hoje discriminado – os mesmos cristãos afirmavam que eu não tinha alma. Recentemente voltei transexual e morri espancado. Peço, por favor, que preste mais atenção à sua volta. Uma dica: olha para baixo. Agora mesmo, devo estar apanhando – de gente que segue o senhor.

    Lembro ainda: que para chegar até a mim, não precisa de intermediários que usam a mídia para mentir, são egoístas e orgulhosos, quando dizem reunidos em meu nome, porque não os conheço por meus discípulos.

    São apenas festivais de marqueteiros e matreiros que se vêem na mídia. Não passa de religião eletrônica para seus interesses, principalmente financeiros. São explícitos na estupidez deslavada da falsidade travestido de FÉ.

    LEMBRO SEMPRE – Pra chegar até a mim, não precisa de intermediários. Basta amar a todos como a si próprio e me procurar. NADA MAIS!

  6. Ah!!!! agora entendi!!!! Direito de expressão!!!! Tem uma confeitaria de um casal de gays perto da minha casa. Vou pedir um bolo escrito GAYS DEVEM MORRER e se eles se negarem, vou chamar a imprensa e dar um escândalo…. mas eles vão aceitar e fazer cheios de amor pra mim…
    Sei… sei… o ativista do artigo que defendeu a padaria é um CARA de respeito, porque antes de sermos brancos ou negros, homens ou mulheres, maridos e esposas, pais ou filhos, NÓS SOMOS SERES HUMANOS e estamos nos destruindo em nome de direitos burros e infundados! Vão trabalhar, minha gente, vão assumir a educação dos seus filhos, vão visitar seus avós, vão cuidar de gente doente, brincar com o cachorro, tirar carrapicho de um gato de rua, vão ler um bom livro, fazer um bolo de caixinha, qualquer coisa de SER HUMANO!!!
    Vamos TODOS morrer lutando por direitos que nada mais são do que a inversão da tirania… não tem NINGUÉM lutando pelo fim do poder preconceituoso da sociedade… só estão lutando pela troca de mãos de quem detém esse poder!
    E nesse site só tem gente tentando provar que cristão presta ou não presta… hipócritas sociais defendendo causas rotas e a sociedade se deteriorando…

  7. Alguns confundem o amor! Amor verdadeiro é o amor do Deus vivo, amor de mãe para com os filhos, que é a verdadeira proteção para com o próximo, não é o caso dos últimos tempos que conformam com a pouca vergonha homem com homem e mulher com mulher e a justiça dos homens assinam em baixo concordando com a pouca vergonha dos últimos tempos! Fui casado concordo com a família homem e mulher futuramente filhos.

  8. A frase “em apoio ao casamento entre homossexuais” era para estar no bolo e representava a visão dos que encomendaram, não era para fazer referência à posição dos ativistas evangélicos sobre a questão do casamento homoafetivo. Se eu sou evangélico e ofereço um serviço comercial em um centro comercial, um shopping, mesmo e que consistiria, por exemplo, em produzir ou pintar frases em camisetas trazidas pelos clientes ,eu não poderia me recusar a produzir uma frase tal como “eu apoio a umbanda”, alegando minhas crenças evangélicas.

    É impressionante, inaceitável, mesmo, que, havendo tantos temas para os ativistas evangélicos se envolverem, tais como: a fome, o desemprego, o abuso físico e psíquico de crianças, a corrupção de evangélicos na política, a venda da palavra de Deus pelos vendilhões do Evangelho, etc., eles tenham elegido os gays como inimigos a serem combatidos.

    Em sua guerra quixotesca contra os gays em cívica luta por direitos igualitários, esses ativistas evangélicos fundamentalistas dominionistas supremacistas agem como Hitler que expor os judeus como os grandes culpados pela crise, e, após haver fabricado um inimigo comum, apresentou-se como o grande herói que iria destruir os inimigos do povo e salvar a Alemanha e o mundo através do nazismo. Em sua fúria contra os judeus, a primeira atitude grave de perseguição foi orientar o povo alemão para que ninguém comprasse nada deles. Assim também fazem crentes ativistas ao se recusarem a oferecer serviços personalizados – e em nada contrários a lei e a ordem – aos gays ao mesmo tempo em que, apresentando-se como vítimas da “agenda gay”, nos expõem, tal como fez Hitler, como inimigos da sociedade, da igreja, da família e de Deus.

    O nazismo continua vivo nas crenças e ações daqueles que discriminam e negam direitos às minorias, e é triste saber que as igrejas evangélicas permitam que em seu próprio meio essa mentalidade se faça presente nas visões e práticas de muitos fundamentalistas dominionistas.

    Fazer o que, se, com exceção das testemunhas de Jeová e dos adventistas da reforma, os católicos e protestantes apoiaram, entusiástica e fielmente, o monstro Adolf Hitler.

  9. “como podemos ver para que acredita em reencarnação, Clodovil voltou” (Clamando)

    Decerto que os olhos do Clamando brilham quando pensa ou fala do Clodovil, e o c u z i n h o dele fica piscando igual às luzes de um semáfaro com defeito. Clamando, o Clô já morreu, procura outra.

    • tiago chagas
      torno a perguntar até a onde vai a liberdade dos ativistas ateus gays que postam palavrões a vontade contra o clamando, mas nem usando só as inicias as minhas não passam.
      nunca ficou tão claro que quando vcs. dizem servindo o pai servindo seus filhos, certamente o pai de vcs. é satanás.

      • É interessante, clamando, como você se sente justificado ao xingar as pessoas – a mim mesmo me xinga de “gay jegue”, “filho do capeta”, entre outros palavrões – mas se ofende quando alguém brinca – sim, apenas brinca – com você. Não seja rabugento.

        • NUNCA MANDEI VC. TOMAR ALI OU AQUI, O GAYJEGUE É EM RESPOSTA AQUILO QUE VC. NOS TRATA, ´POR FALAR NISTO PORQUE FICA AQUI EM SITE CRISTÃO FAZENDO APOLOGIA GAY ATEU//?

DEIXE UMA RESPOSTA