“Aprovação do PLC 122 abre precedente para a proteção ao crime de pedofilia”, diz pastor Marco Feliciano; Entenda

11

O polêmico PL 122 deverá entrar na pauta de votação do Senado na próxima quarta-feira, 20 de novembro, e segundo o pastor Marco Feliciano, poderá abrir brechas legais para a prática da pedofilia.

O texto que será votado é um substitutivo ao projeto encaminhado pela Câmara dos Deputados, e possui uma “proteção ao direito dos religiosos” pregarem contra a homossexualidade.

O novo texto “torna crime a opinião contrária à homossexualidade e pune quem se manifestar contra um gay”, segundo feliciano, que convocou uma manifestação “para impedir a aprovação do PLC 122”.

De acordo com o pastor Feliciano, a brecha legal para a prática da pedofilia está em dois termos acrescentados ao texto do PL 122: “[O senador] Paulo Paim deu parecer favorável ao substitutivo e apesar de incluir no Projeto a ‘proteção ao direito dos religiosos’, acrescenta as palavras ‘orientação sexual’ e ‘gênero’. Com o acréscimo das palavras o texto não só desconstrói os valores da sociedade brasileira, como também abre precedente para a proteção ao crime de pedofilia”, alertou o deputado federal pelo PSC-SP.


O pastor Marco Feliciano disponibilizou ainda, em sua página no Facebook, a lista de e-mails dos senadores que integram a Comissão de Direitos Humanos do Senado. “Encaminhe uma mensagem ao relator do Projeto de Lei”, pediu. Confira a lista de contatos:

paulopaim@senador.gov.br.
ana.rita@senadora.gov.br;
martasuplicy@senadora.gov.br;
paulopaim@senador.gov.br;
wellington.dias@senador.gov.br
cristovam@senador.gov.br;
crivella@senador.gov.br;
simon@senador.gov.br;
eduardo.amorim@senador.gov.br
garibaldi@senador.gov.br;
sergiopetecao@senador.gov.br;
paulodavim@senador.gov.br;
clovis.fecury@senador.gov.br
mozarildo@senador.gov.br;
gim.argello@senador.gov.br;
magnomalta@senador.gov.br;
marinorbrito@senadora.gov.br

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

11 COMENTÁRIOS

  1. Apesar de não pertencer a igrejas protestantes, ou favorável ao pastor feliciano, por que os gays podem denegrir a imagem das famílias, profanar as religiões e as igrejas não podem criticar as atitudes dos gays?

    • E meme miojo engorda muito melhor tuis comer umas frutas, e depois uma salada jiló cru e ótimo para o estomago eu como e muito pego no pe pois tenho plantado em casa, a folha do repolho crua, se possível com suco de acerola pitanga ou carambola, despreze a carne vermelha, a não ser um bode ou de carneiro bem assada, você pega as folhas de hortelã e coloca no suco seja da pitanga carambola ou acerola faz como habito e você vera o quanto e bom para seu corpo, deixe o miojo definitivamente não e bom

    • A maior ignorância é a falta de conhecimento. leia a Bíblia sem partido religioso e tome conhecimento da verdade no conceito de Deus, todas as ações, reações, atitudes e decisão fora das vontades de Deus é pecado, não somente na esfera do homossexualismo mas, também pastores, padres e autoridade que agem fora dos princípios de Deus.

  2. O Brasil à beira de caos e neguinho comentando sobre fazer miojo. Estamos a um passo de nos tornarmos uma Cuba gigante e há pessoas que acham que a luta contra a PL 122 é coisa de atrasado, homofóbico etc. Quando irão acordar? Não percebem que o PT e seus aliados estão desmontando a sociedade peça por peça? 1º. Bolsa Família pra garantir um curral eleitoral; 2º. Lei da Imprensa (não aprovada) para calar a boca dos adversários; 3º. Lei da Palmada para tirar a autoridade dos pais, só o governo pode ensinar; 4º. Kit Gay (suspenso) para doutrinar as crianças nas escolas; 5º. PLC 122 para isolar os cristãos e conservadores como “homofóbicos”; 6º. Cotas raciais nas universidades para separar a população entre brancos, negros e mestiços; 7º. Legalização do aborto para enriquecer a indústria de cosméticos que usa fetos em seus produtos; 8º. Legalização das drogas para alienar ainda mais nossa juventude já alienada; 9º. Marco civil da internet para evitar que o povo conheça a verdade através desse meio de comunicação; 10º. E finalmente o Mensalão que não apenas um esquema de corrupção, mas uma forma de comprar a consciência de políticos para aprovar todas as outras leis acima descritas e pavimentar a transformação do Brasil em uma Ditadura Socialista da pior espécie.
    Só não vê quem não quer… Acorda meu povo!!!

  3. As leis dos Homens não tem poder sobre a Leis de Deus. O Evangelho não se converte as vontades e os desejos humanos, o que esta faltando é humildade, caráter e personalidade de distinguir entre o certo e o errado no conceito de Deus.

  4. Jesus disse: No mundo tereis aflições, mas tende bom animo, eu venci o mundo. Vamos orar e andar na presença de Deus.Este e o sinal do final dos tempos, quando a iniquidade se tornaria maior. Temos que lutar e perseverar ate fim, para recebermos a coro da vida.

  5. A verdade que os incautos e os mentirosos não falam:

    Bastará que o conceito de “GÊNERO” seja oficialmente reconhecido e imposto na legislação pelo PLC 122, para que não exista mais nenhum motivo que possa ser apresentado pelos legisladores como fundamento para que se recusem a aprovar o PL 6010/2013, que introduzirá e imporá a “IGUALDADE DE GÊNERO” nas metas da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Com isso, todos os alunos serão obrigados a aprender nas escolas a ideologia de gênero, que apresenta como sexualidade toda a abundância de opções fora dos padrões relacionados com a construção de uma família tradicional, uma instituição que não têm qualquer sentido dentro da ideologia de gênero. Com a ideologia de gênero imposta pela lei na educação, os kits gays, bissexuais, transexuais, lésbicos, etc., serão obrigatórios para as crianças em idade escolar.

  6. Essa nova versão da PLC122 reforça os famigerados conceitos de “orientação sexual” e “identidade de gênero”, termos especialmente cunhados pela engenharia social Novus Ordo a fim de fazer crer que o sexo biológico é irrelevante, importando somente o “gênero socialmente construído”. Certamente, a nova versão, aparentemente mais branda, porém, muito mais ardilosa, terá efeitos bem mais devastadores na sociedade.

    Urge uma imediata reação das comunidades cristãs.

    • Leia mauro.
      19/11/2013 – 03h00
      Liberdade para o racismo
      Há alguns dias, uma revista francesa publicou na sua capa uma foto da ministra da Justiça da França, a negra Christiane Taubira, comparando-a a uma macaca à procura de banana.

      Ela já havia sido comparada ao nosso parente distante por uma criança em uma manifestação anticasamento homossexual, sem que ninguém esboçasse uma reação indignada. A maior indignação partiu, vejam só vocês, da revista em questão, que inverteu o jogo alegando que tudo era apenas uma piada e que não suportava a “ditadura do politicamente correto”.

      É interessante perceber como, atualmente, todos os que são pegos em franco delito de racismo e preconceito (contra imigrantes, ciganos, árabes, negros, índios, homossexuais, ecologistas, feministas) alegam, na verdade, serem perseguidos pela implacável polícia do politicamente correto. Estamos diante de uma legião de humoristas incompreendidos a lutar contra burocratas da língua que procuram impor à sociedade um discurso asséptico e uma maneira de ser.

      Afinal, que época é esta em que não se pode mais chamar uma negra de macaca, ou dizer, com uma ironia calculada, que mulher gosta é de apanhar? Será que todos perderam seu senso de humor?

      Há anos, isso era tão engraçado, mas, agora, as pessoas parecem que se deixam policiar por todos os lados, abrindo mão de sua liberdade de livre-pensar e brincar de adolescentes à procura da opinião mais bombástica capaz de chocar seus pais intelectualizados. Sim, meus amigos, a mais nova moda é chamar racismo e preconceito de afirmação rebelde da liberdade.

      Esses estilistas do ressentimento social apareceram travestindo inicialmente seu discurso político de indignação moral. Foram imbuídos do dever de denunciar todos os que usavam o palavreado da igualdade e da tolerância e que, segundo eles, procuravam ganhar dinheiro em ONGs ou aumentar sua vontade de poder.

      Mas, em vez de criticar a pretensa hipocrisia em questão e defender a igualdade e a tolerância de seus usurpadores, eles preferiram aproveitar o que entendiam como fraqueza moral de seus oponentes e colocar na avenida todo o ressentimento escondido durante décadas.

      Assim, aquele sentimento de desconforto diante da diferença e da transformação social, de recusa a autocrítica de seus próprios valores, de mediocridade medrosa e de colonialismo xenófobo mal disfarçado podiam, enfim, voltar. Pior, voltar com o selo da liberdade. Poucos, entretanto, se enganam com o tipo de mundo medieval e pequeno que tal “liberdade” produz.

      Vladimir Safatle é professor livre-docente do Departamento de filosofia da USP (Universidade de São Paulo). Escreve às terças na Página A2 da versão impressa.

  7. EI..VOCÊ QUE DEFENDE A PRÁTICA HOMOSSEXUAL, TU PODE VIRA O BICHO CARA, TU PODE SER O CAPETA. SÓ NÃO PODE QUERER DIREITOS E FAVORECIMENTOS. DEVEMOS SER IGUAIS COMO DITA A CONSTITUIÇÃO. OLHA SÓ!? MEIA DÚZIA QUERER REGALIAS.
    SE CONVERTE RAPA, OU TU VAI PRO INFERNO. QUER DISCUTIR COMIGO, PEGA UMA BÍBLIA E UM EXEMPLAR DA CONSTITUIÇÃO. CHUPA CAPETA.

DEIXE UMA RESPOSTA