Evangélico, procurador da Lava-Jato pede assinaturas para projeto de lei contra corrupção

26

O procurador Deltan Dallagnol, coordenador da Operação Lava-Jato, publicou um vídeo pedindo assinaturas para uma proposta criada pelo Ministério Público Federal (MPF) que, entre outras medidas, transforma a corrupção em crime hediondo.

Dallagnol, que é membro da Igreja Batista do Bacacheri, em Curitiba (PR), esteve no Rio de Janeiro para o lançamento da campanha, que visa coletar 1,5 milhão de assinaturas para que a proposta possa ser apresentada como projeto de lei no Congresso, semelhantemente à iniciativa que gerou a lei da Ficha Limpa.

No auditório do Seminário Batista do Sul do Brasil, na Tijuca, Dallagnol afirmou que acredita que o sucesso alcançado até agora pela Operação Lava-Jato é uma resposta divina ao clamor dos cristãos por um país mais honesto e justo.

“Dentro da minha cosmovisão cristã, eu acredito que existe uma janela de oportunidade que Deus está dando para mudanças […] É isso aí. Deus está respondendo”, disse Dallagnol, de acordo com informações da Folha de S. Paulo.


Ao longo de seu discurso, o procurador comparou sua tarefa, ao lado dos investigadores, à incumbência de Neemias, que no Antigo Testamento comandou a reconstrução dos muros da cidade: “Neemias agiu. Se nós queremos mudar o sistema, precisamos orar, agir e apoiar medidas contra a corrupção. O cristão é aquele que acredita em mudanças quando ninguém mais acredita. Nós acreditamos porque vivemos na expectativa do poder de Deus”, prosseguiu.

10 medidas

No vídeo que promove a proposta do MPF contra os crimes na esfera pública, o procurador Dallagnol pede ajuda para “construir um país mais justo”, pois “a corrupção sangra” o Brasil.

“Escândalos de corrupção envolvendo diferentes governos e partidos nos enchem de indignação”, diz, acrescentando que é “muito difícil” lutar contra esse tipo de crime por causa da legislação vigente.

Dallagnol diz que a mudança na legislação pode fazer com que corruptos “permaneçam por mais tempo na cadeia e devolvam o dinheiro desviado da saúde, segurança e educação”.

Assista ao vídeo:

Assine o Canal

Para participar da coleta de assinaturas, acesse combateacorrupcao.mpf.mp.br/10-medidas, leia e assine o formulário. Se preferir coletar assinaturas com amigos, vizinhos e familiares, baixe aqui o modelo e imprima.

26 COMENTÁRIOS

  1. A falência do Brasil é fruto da corrupção que sem punição rigorosa, instalou-se no país e por onde evadiu-se bilhões de reais por todos os meios criminosos que se possa imaginar. Com isso faltou investimento na saúde, educação e segurança. Acredite se quiser mas, existem políticos que recebem o BOLSA FAMILIA. Pode uma coisa dessas?

  2. Deveria ser crime hediondo mesmo e traidores da patria,pessoas morrem nas filas de hospitais por falta de leitos e equipamentos,crianças passam fome nas escolas etc…
    Engraçado quantas décadas políticos catolicos tiveram no poder e nunca fizeram um projeto de lei como esse,porquer sera em?

          • A vida de padres gays

            Gay, graças a Deus

            Quatro padres católicos homossexuais fazem novas (e surpreendentes) revelações sobre prática sexual, fé e a combalida culpa cristã

            Eles estão à frente da Igreja, mantém contato direto com os fiéis e teoricamente não fazem sexo. A vida dos homens de batina – os padres da igreja católica – é marcada por muitas orações, doações, confissões, polêmicas e, em muitos casos, clandestinidade.

            De certa forma, além dos carismáticos da televisão ou dos escândalos envolvendo alguns membros, pouco se sabe sobre as vivências, paixões ou o que pensam os sacerdotes além do discurso oficial. 

            Falar com padres sobre o tema homossexualidade já provoca desconforto. Imagine, então, abordar experiências pessoais (e gays!) dentro e fora da Igreja? Pois a Junior foi atrás de padres gays que estivessem dispostos a abrir sua realidade.

            Vinte e dois padres foram
            convidados através de indicações de próximos. Somente quatro concordaram em participar. Isso desde que suas identidades fossem preservadas, com receio de represálias. Afinal, “quando o assunto se torna público, a Igreja tende adotar postura já conhecidas”, como nos disse um deles.

            É verdade. A Igreja costuma relegar a padres gays que deixaram essa informação escapar, cargos burocráticos em cúrias ou dioceses, tendo seu superior a olho curto. Em casos mais escandalosos, a expulsão do sacerdócio é
            considerada. 

            Quatro corajosos padres de Salvador, São Paulo (interior e capital) e Minas Gerais, toparam dar depoimentos extremamente sinceros. Em comum, eles são padres, gays, têm vida sexual ativa e são muito felizes, graças a Deus.

              PADRE TIAGO:
            “Sou padre por vocação. E, ao contrário do que muitos possam pensar, a realidade é  bem diferente da ideologia. No seminário, acho que até vi alguns héteros (risos). Mas a maioria era gay, mesmo.

            Minha aceitação só veio aos 18 anos. Foi bem difícil, pois minha família era intolerante e eu tinha muito medo. Afinal, isso era década de 70, um período bem mais difícil que hoje. Não existiam modelos de vida gay pública e sã. 

            Graças a Deus, mesmo sendo padre, minha orientação sexual não é segredo para ninguém. Dou retiro espiritual para padres gays em diversas partes do mundo e não sofro represálias. Posso dizer, inclusive, que mais de 50% dos padres são homossexuais. 

            Isso depende do lugar, claro. Se a diocese for em zona rural, por
            exemplo, é menos. Mas em todo mundo a presença gay dentro do clero é muito maior do que se pensa. Há a rigidez da ideologia, mas também a fluidez da realidade. 

            Existem bispos que sabem dos retiros para padres gays? Sim, existem.  Eles apoiam formalmente? Claro que não, mas ficam felizes que esses padres tenham esse momento de honestidade e recolhimento.

            Não sou celibatário e, em meus relacionamentos, as pessoas reagem bem quando digo que sou
            padre. Algumas, porém, apresentam rejeição. Não sobre mim, mas pela religião. Poisexiste certo puritanismo entre os gays sobre a questão da religião, nas mesma proporção que existe puritanismo entre os adeptos religiosos a respeito dos gays.

            Atualmente , estou em processo de namoro, na fase de aproximação. A gente está se dando bem. Nos conhecemos na rua e, como a maior parte dos encontros gays, ocorreu a troca de olhares. Com o tempo, descobrimos que temos algo a mais, como qualquer viado que se preza. 

            Creio que Jesus diria aos padres gays aquilo que ele disse para Nicodemos: é importante sair das trevas e viver na luz. Sendo que o mais importante é sermos amados por aquilo que somos.”

            Capa da revista “Junior”, que contou
            com esta reportagem.

              PADRE EMANUEL

            Nasci negro e gay, me fizeram cristão e me fiz padre. Depois de padre fui a Roma fazer o mestrado e ali vivi a grande paixão da minha
            vida: um professor. Mantive esse romance por mais de um ano. Pela primeira vez me admitia como homossexual. Estava feliz com a minha missão de padre e não via incompatibilidade de amar alguém como amei esse professor.

            Voltando ao Brasil, mantive um namoro de um ano com outro rapaz e, mais tarde, me apaixonei novamente em um relacionamento de nove anos. Alguns amigos começaram a saber desta minha realidade de “padre gay com companheiro” e também partilhei essa dimensão com o meu superior. Todos aceitavam. 

            Naquela época, assinava uma coluna na revista “Gmagazine” e respondi, durante quatro anos, milhares de cartas de pessoas que buscavam orientação sobre sua vida de fé e atração por pessoas do mesmo sexo. Hoje tenho plena certeza de que sou homossexual porque assim Deus me criou.

            Em paz com minha sexualidade, fui obrigado a pedir afastamento dos ministérios da Igreja. Não abri mão do que entendia ser a missão de Deus para mim: anunciar a outras pessoas homossexuais que Deus
            nos ama assim como somos. Deixei o grupo religioso e nenhum bispo me aceitou, mesmo os homossexuais.

            Oficialmente a orientação da Igreja é de que o jovem pode ser gay e padre, mas não pode manter relacionamento. Há hoje uma tendência a orientar os jovens que são gays a não se tornarem padres. Acho um contra-senso. Deus chama também o jovem gay a ser padre, como me chamou aos 24 anos. Deus também quer os gays a seu serviço de amor e paz.

            Hoje, muitos padres e bispos me procuram para partilhar ou trocar experiências sobre a sua vida religiosa e homossexual. Os que antes me perseguiam, agora se aproximam em busca de orientação.
            .

            “Tenho esperança de um dia ver
            a Igreja pedir perdão aos gays”PADRE RICARDO
            .
            Eu era virgem. Tinha 18 anos e estava no seminário estudando para ser padre. Foi com essa idade que tive minha primeira experiência homossexual. Era um jovem também seminarista. Tivemos
            muitos abraços e carícias, mas não chegávamos a tocar nos genitais. Sentíamos muito medo, vergonha e culpa.

            Apesar da nossa inexperiência, a primeira noite de amor aconteceu depois de dois anos e foi algo maravilhoso. Abrimos as comportas de uma parte de nós que nos era desconhecida.

            Depois disso não paramos, mesmo com todos os ingredientes neuróticos. Até que um dia ele decidiu seguir outro caminho e deixou a instituição. Nunca mais nos vimos. Eu continuei meus estudos até me ordenar padre.
            Porém, nas minhas noites de carência, nunca esqueço aquele amor terno.

            Hoje, tenho optado por manter a castidade a maior parte do tempo. Só cedo aos apelos da carne em raras ocasiões. Os padres que praticam sexo, especialmente os homossexuais – e conheço muitos – sofrem todo tipo de discriminação e vivem na clandestinidade. Isso não faz bem para nossa saúde integral. É evidente que uma vida sexual precisa de discrição para ser mantida de forma tranquila, mas medo, preconceito e condenações não são “discrições”, são juízos e, como tais, condenatórios. 

            Minha convivência com padres gays demonstra que esse dado não os torna piores. Há padres bons e ruins tanto héteros quanto homos, tanto com vida sexual ativa quanto castos. O que aprendi foi que a tendência sexual de um padre, e mesmo sua prática, desde cercada de certos cuidados básicos, não atrapalham o ministério. Ao contrário, ensinam-nos a ser mais tolerante e misericordioso com os que sofrem. 

            Tenho esperança de um dia ver a Igreja pedir perdão aos gays, como já fez com os índios, vítimas da inquisição e inúmeros outros que
            sofreram por causa de sua intolerância.

            PADRE MARCOS

            Durante as missas, sinto que quem olha para mim percebe que tenho esse comportamento diferente. Que sou gay. Às vezes cochicham, fazem comentários. Mas se calam quando me aproximo. Sou mais feminino que meus irmãos e sempre preferi a companhia das minhas primas. Lembro que minha mãe dizia para eu engrossar a voz e não quebrar as mãos.

            Quando ela viu que não tinha jeito, me induziu a entrar em um
            seminário e já voltei padre para a casa. Primeiramente, acreditei ser diferente por causa da vocação. Eu não sabia que existiam outras possibilidades de amor e de prazer. Até que conheci e me apaixonei por outro seminarista.

            Minha vida atual é bem normal, como de qualquer pessoa. Faço minhas obrigações, recebo as pessoas que necessitam de ajuda, celebro missas. Não sou mai santo nem mais pecador que ninguém. Muitos ativistas falam dos padres gays como uma maneira de cutucar a instituição Igreja, mas esquecem que também sofremos e enfrentamos diariamente essa
            ideologia arcaica.

            Somos pressionados pela Igreja, somos apontados de maneira pejorativa pelos militantes, viramos motivos de comentários entre os irmãos, inclusive entre os gays, mas quem pensa que por debaixo de todo simbolismo de uma batina existe um coração que ama, sente e sofre?

            Por entender melhor dessa experiência, ajudo muitos gays que enfrentam problemas dentro de casa. No fim do ano passado, apareceu um garoto levado pela mãe. Parecia que eu me via nele e via a minha mãe naquela mãe. Ela
            dizia que ele estava se desvirtuando e que precisava de orações para deixar de ser “bicha louca”.

            Meu trabalho com aquela família não foi no garoto gay, mas na mãe. Afinal, o discurso informal de todo padre é bem diferente daquele oficial. Hoje, o garoto e o namorado vão à missa. Essa é uma prova da importância da nossa presença para toda comunidade homossexual. É a minha missão.

  3. DEUS ABENÇOE ESTE JOVEM VASO DO DEUS VIVO ,NESTA MISSÃO ESPINHOSA
    NOTA-SE UM BRILHO NO SEU SEMBLANTE .
    NÃO TENHO DUVIDAS QUE TRATA-SE DE UM VASO DE HONRA .
    GLÓRIA A DEUS PELA VIDA DO PROCURADOR DELTAN .

  4. QUE DEUS ABENÇOE SUA INICIATIVA, AGORA SABEMOS NÃO PODEMOS ESPERAR PELA CAMARA E SENADO, PORQUE ELES NÃO VÃO FAZER LEI PARA ELE MESMOS IREM PARA A CADEIA

    • Cristãos fazem diferença ,verdade
      Agora evangélicossss olha o tipo que anda fazendo diferença:
      Mara Maravilha

      As pastoras gays
      Neymar
      Sula Miranda
      Gretchen
      Thalles
      Monique Evans
      fora anônimos como o desbocado do zeze,Clamando,dois sem classe que quando aparece alguêm aqui comentando com educação a loucura faz logo ele escrever que se trata do Stardust.

      • Pra vc ver menina, existem pessoas boas e ruins em qualquer segmento da sociedade, no meio evangélico não poderia ser diferente. A única coisa que não podemos fazer é generalizar!
        No mundo do homossexualismo também é assim, pois tínhamos o saudoso Clodovil que era educado, e não fazia da sua vida sexual um espetáculo, e em contra partida hoje temos a infelicidade de ter o Jean Wyllys eleito pelo Rio de Janeiro (onde eu moro) que adora dá um showzinho, xinga todo mundo, quer aprovar leis que até o diabo fica espantado, na verdade ele se supera a cada dia na sua idiotice.
        Então é isso ae, não podemos generalizar né amiga? Fica com Deus!

        • Manda essa mina pentia macaco Vanessa ,eu por exemplo sou exemplo,e você tambêm ;vou ti passar uma hora meu zap zap quando minha mulher for viajar pra continuarmos aquelas conversas picantes,você me falar mais de sua barriguinha e do resto,qual o desenho de sua depilação,trocarmos videos e fotos,não vai se arrepender,te garanto ,você jogou a isca e eu cai.

          • Vanessa como está vestida?E por baixo?Eu acabei de chegar da academia tomei um banho estou só de roupão ,cueca boxer branca

          • VANESSA
            ACOMPANHE AS REPORT E VERÁS QUE ANA CLARA FOI DESMASCARADA POR MIM, É APENAS STARDUST E MAIS UM DE SEUS NICK FKES

          • Vanessa esse Clamando é uma comédia ,ele diz ter me desmascarado porque a mais ou menos 1ano ou bem mais atrás como ele faz até hoje ,todos que não concordam com ele ,pra ele,ou para tentar acabar com a credibilidade dos outros ja que ele não tem ,ele dis ser mais um nick do Stardust,que é o antigo jgmix,e eu pra fazer ele ficar doido escrevi que euera nick do Stardust rsrs pra rir dele ,como escrevo que tenho outros nicks,pra ver as reações loucas dele rsrsrs ,Vanessa se um dia você vir a discordar dele será a mesma leréia rsrs ele vai surtar escrevendo que você é mais um nick do Stardust,é uma loucura,mas pra deixar ele mais louco em vez de desmentir ,eu concordo e digo que tenho outros rsrsrs
            Pira Clamando.

  5. VANESSA MEU MEL COMO PASSOU O DIA ?NAO VIA A HORA DE ENTRAR NO SITE PRA VER SEUS COMENTÁRIOS,TRABALHEI O DIA TODO PENSANDO EM VOCÊ E NA SUA BARRIGUINHA

    • Ué! CE não disse que a sua esposa é uma loira mui linda, agora fica aí sonhando com a minha barriga sarada?
      Fique sabendo que essa barriga sarada de fazer inveja ao travesti da academia, tem dono meu querido, é melhor vc se contentar com a da sua digníssima esposa!

      • E TENHO MEU MEL,UMA ESPOSA MARAVILHOSA EM TODOS SENTIDOS DA PALAVRA,EU NÃO TE PEDI EM CASAMENTO,MINHA MULHER É DE FAMÍLIA,TRABALHADEIRA,BONITA,BOA DE CAMA,NÃO LARGO DELA,MAS VOCÊ SERIA UM CASO,MEU BEM,TE TRATARIA COMO RAINHA,VOCÊ SE EXIBE PRA MIM PRA ME DEIXAR LOUCO,MULHER SE CONHECE PELA CONVERSA A QUE É PARA ESPOSA EA QUE É PARA AMANTE,ESSA ULTIMA SE MOSTRA,SE EXIBE COMO SE NÃO QUISESSE NADA,PRA DEIXAR O HOMEM FORA DE SI,COLA EM MIM E VAI SE DAR BEM

        • Sai a Flaviana e entra em cena o Pedro Jorge, isso sim é perca de tempo, ficar aqui inventando nomes falsos para denegrir as pessoas, não comentam as notícias em questão, mas pra falar mal das pessoas estão com a corda toda. Seria Hilário se não fosse ridículo!

          • Que Flaviana eu quer é so você,mais ninguem,me fala mais e as coxa é olivia palito ou graciane barbosa?É loirona de parar o transito ou morena?Usa no cabelo uns negócio que mulher faz pra ficar loira bolagem,balagem uma coisa assim ou é natural?Nossa deve ser muito gata

          • OlhA os tipinhos hereges convertidos a seita de lutero .. Adulterando online., depois ainda tem coragem de falar dos católicos., está raça não presta nunca prestou e nem prestará ., protestantes eca

DEIXE UMA RESPOSTA