Técnico Silas fala sobre o preconceito que sofre no meio do futebol por ser evangélico

19

O técnico Silas, que tem passagens em times como Grêmio, Flamengo e Avaí comentou recentemente sobre o preconceito que sofre no meio esportivo pelo fato de ser evangélico. O treinador falou sobre o tema em uma entrevista ao programa Mesa Redonda, na TV Gazeta, no último domingo.

– Eu sofro muito preconceito no meio por ser evangélico. Falam coisas sobre mim que não são verdade. Quando eu estava para ir para o Grêmio, por exemplo, publicaram que eu fazia orações fervorosas no vestiário e não é assim – afirmou o treinador, que marcou época como jogador do São Paulo campeão brasileiro em 1986, sendo incluído na ‘geração dos Menudos’, ao lado de Pita, Careca, Muller e Sidney.

Segundo Silas, que tem também passagens como treinador no futebol do Catar, os brasileiros ainda não conseguem aceitar a relação entre atletas e a religião.

– Quando se mistura religião e futebol aqui no Brasil é muito difícil. As pessoas aqui não estão preparadas para aceitar que estas duas coisas podem funcionar juntas – completou Silas.


Silas comentou ainda sobre o Atletas de Cristo, grupo que apoia atletas cristãos a passarem por momentos de preconceitos e outros tipos de dificuldades em suas carreiras esportivas, e que também promove trabalhos de evangelismo com o esporte.

– Tem esse grupo do qual eu participo, o Atletas de Cristo – também tem o Baltazar, o João Leite. O grupo ajuda os jogadores nas fases mais difíceis, principalmente: o início da carreira, ajudando o jogador a criar uma base sólida para não se perder com todo o brilho, e no fim da carreira, que também é complicado, uma fase de transição – finalizou.

Por Dan Martins, para o Gospel+


19 COMENTÁRIOS

  1. Puro exagero. Nao existe mais hoje esse negocio de preconceito por ser evangelico no Brasil.. A nao ser que ele fique la’ no vestuario de joelhos com as maos pra cima gritando em linguas e chamando a atencao de todo mundo, ai claro, ate’ eu faria piadas.. mas se o cara for uma pessoa de comportamento normal ninguem vai falar nada. Eles falam isso pra chamar atencao pra si mesmo e mais uma vez destacar a sua religiao, que deveria ser algo de foro intimo e nao propalado aos quatro ventos.

    • paulo se fosse este preconceito contra tua turma gay estavas atirando rosas para todo lado, que trouxa não existe preconceito contra evangelicos rsrsrsr ta de brincadeira e o bullying que fazes aqui o que é

      • clamando que turma gay e’ essa minha? so’ se for os ex-gays tipo vc com que eu me enturmo aqui, e esse negocio de preconceito contra evangelicos nao existe mais como existia nos anos 70 e 80 quando eu me converti, mas hoje em dia a religiao evangelica inchou de tal maneira que esta’ quase virando a religiao oficial do Brasil, Quer sentir mesmo o que e’ preconceito, basta dizer que frequenta a umbanda ou que e’ espirita ou que e’ um catolico devoto de sao jorge ou sao sebastiao, ai sim vc vai ver o que e’ preconceito.. a bem da verdade, os evangelicos hoje formam a camada da sociedade que mais destila preconceito contra as pessoas que nao dançam conforme a sua musica.

        • Paulo, discordo, veja aqui no site mesmo.

          Se alguém dizer que é dizimista por exemplo, com certeza terá pessoas criticando, chamando de “evanjegue” ou burro. Entre muitos outros comentários arrogantes.

          Preconceito há sim, seja em qual religião for, ou mesmo em nenhuma.

          • O meu conceito (nao pre) a esse respeito e’ formado a partir de um engodo criado para explorar financeiramente as pessoas de boa fe’ que vao as igrejas em busca de Deus, isso nao tem a ver com a religiao escolhida por essas pessoas.

          • ta vendo agora se te chamar de bixa a i é ofensa pois é pods agredir mas não queres o troco que feio , paulo a tua turma gay paulo diogo felipe

          • Clamando pq todo “ex-bixa” como vc sao os mais intolerantes contra os homossexuais? nao e’ culpado se vc nao conseguiu um bofe, quem manda ser feio kkkkkk

          • Paulo,

            Querendo ou não ou seu “conceito” (preconceito), apenas mostra intolerância com a opção religiosa de um indivíduo. Chegando ao ponto de chamar de “otário” estes tais e muitos outros “elogios” se acompanhares o G+.

            De igual modo há “conceitos” formados contra homossexuais por exemplo, de “engodo criado” seja pela mídia ou militantes gays. Querendo ou não há “conceitos” intolerantes de ambos os lados.

            É como o José colocou acima, é generalizado…

  2. – qual meio onde a homofobia mais cresce? entre neo–nazistas e neo-pentys?
    – onde o machismo corre solto? neo-pentys?
    – quem é contra o direito de mulheres, gays, a favor da violência contra criançãs, defende castigos físicos dos filhos? neo-pentys?

    SEGUIR A JESUS NÃO PRECISA SER RACISTA, NEM MACHISTA, NEM HOMOFÓBICO NEM APOIAR A CORRUPÇÃO DA BANCADA DITA EVANGÉLICA.
    MAS QUEM É RACISTA, HOMOFÓBICO, CORRUPTO SEJA NEO-PENTY, MAS NÃO SE ESCONDA ATRÁS DE JESUS CRISTO.

    CADA OVELHA TEM O RAIO DE PASTOR QUE ELA MERECE!

  3. Muitos temas discutidos são equivocos e maus entendidos, quando o treinador disse , misturar religião com profissão, ja mostra essa posição, porque realmente não se deve misturar, em seu trabalho voce é um profissional e não um religioso, externamente falando, deve ser um evangelista com seu comportamento, suas ação, seus exemplos e seu testemunho, e falar em Deus com sabedoria e dicernimento e conhecimento de situação. de local , momento, e de como e a quem se dirigir, a Fifa foi muito criticada quando proibiu a exposiçao de camisas com dizeres religiosos, e nós sabemos que ela estava proibindo a propaganda religiosa que feria seus interesses , pois alguns atletas fazia propaganda e não evengelização, o também tecnico Vanderlei Luxenburgo também foi criticado , e na oportunidade ele explicou que não queria pregação religiosa no momento ou após a sua preleção, e que os jogadores que desejassem fazer orações em grupos deveriam chegar mais cedos e se reunir antes dos horarios pre-determinados para assuntos referentes as partidas de futebol, então percebemos que muitos casos não são discriminatorios e sim deixar as coisa bem definidas, e ai surge esses maus entendidos.

  4. A palavra da moda é “Preconceito” ninguém pode mais ter opinião própria, ninguém mais pode pensar, ninguém mais pode exteriorizar sua insatisfação, ninguém mais pode sair do padrão daqui a pouco vão fazer cota de concurso público e de universidade para evangélicos, se for falar de preconceito religioso há mais preconceito contra espírita e ateu do que qualquer outra opção de religiosidade. Só para relembrar, hoje estou liberto do domínio psicológico das religiões (todas instituídas pelo homem) , pois, durante 30 anos frequentei o protestantismo. Não tenho nada contra ou a favor de qualquer religião, mas fico indignado com incoerências e mediocridades.

    • Foi o que eu disse aqui antes, eles so faltam queimar os espiritas e umbandistas em fogueiras nas praças publicas, conduzem uma perseguiçao insana contra os homossexuais, e depois vem aqui chorar as pitangas, dizer que sao perseguidos.. Ah va’ lamber sabao, isso mimimi nao cola mais..

DEIXE UMA RESPOSTA